Você está na página 1de 14

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

CONTROLE POSTERIOR OU REPRESSIVO: O CONTROLE REPRESSIVO SERÁ REALIZADO SOBRE A LEI, E NÃO
MAIS SOBRE O PROJETO DE LEI. OBS.: VÍCIOS FORMAIS E VÍCIOS MATERIAIS.
CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE
CONTROLE POSTERIOR REALIZADO PELO LEGISLATIVO:
1: SUSTAR OS ATOS NORMATIVOS DO PODER EXECUTIVO QUE EXORBITEM O PODER REGULAMENTAR. ART.
84, IV CRFB/88. COMPETE AO PRESIDENTE, ATRAVÉS DO DECRETO PRESIDENCIAL, REGULAMENTAR UMA LEI
EXPEDIDA PELO LEGISLATIVO. SE NO MOMENTO DE REGULAMENTAR A LEI O CHEFE DO EXECUTIVO
EXTRAPOLAR OS LIMITES NELA DEFINIDOS, ESSE “A MAIS” PODERÁ SER AFASTADO PELO LEGISLATIVO POR
MEIO DO DECRETO LEGISLATIVO. EX.: LEI 10.826/2003 – DECRETO 5123/2004 – ESTATUTO
DESARMAMENTO: ARMAS DE USO RESTRITO “NA FORMA DO REGULAMENTO DESSA LEI”
CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

• 2: SUSTAR ATOS NORMATIVOS DO PODER EXECUTIVO QUE EXORBITEM OS LIMITES DA DELEGAÇÃO


LEGISLATIVA: ART. 68 CRFB/88. DECRETO LEGISLATIVO.
CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

• 3: ART. 62 CRFB/88 - CONSTITUCIONALIDADE, CONVENIÊNCIA E OPORTUNIDADE.


CONTROLE DIFUSO

• QUALQUER JUIZ OU TRIBUNAL PODEM REALIZAR O CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE.


• CASO CONCRETO! MATÉRIA INCIDENTAL (NÃO É A MATÉRIA PRINCIPAL DO PROCESSO)
ORIGEM HISTÓRICA
JOHN ADAMS, PRESIDENTE DOS EUA, FOI DERROTADO NA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL POR THOMAS JEFFERSON. ANTES DE SER SUCEDIDO
POR JEFFERSON, DECIDIU NOMEAR VARIAS PESSOAS LIGADAS AO SEU GOVERNO COMO JUÍZES FEDERAIS, COM DESTAQUE PARA
WILLIAM MARBURY, CUJA “COMISSÃO” PARA O CARGO DE “JUIZ DE PAZ” DO CONDADO DE WASHINGTON FOI ASSINADA POR ADAMS,
SEM, CONTUDO, TER-LHE ENTREGUE. JEFFERSON, AO ASSUMIR O GOVERNO NOMEOU JAMES MADISON COMO SEU SECRETÁRIO DE
ESTADO, ORDENANDO A ESTE QUE NÃO EFETIVASSE A NOMEAÇÃO DE MARBURY. ESTE, POR SUA VEZ, ACIONOU MADISON PEDINDO
EXPLICAÇÕES. NA AUSÊNCIA DE RESPOSTA RESOLVEU IMPETRAR WRIT OF MANDAMUS.
JOHN MARSHALL – SUPREMA CORTE TERIA COMPETÊNCIA PARA ANALISAR TAL REMÉDIO? ISSO PORQUE, SEGUNDO A CONSTITUIÇÃO
DOS EUA, “O SUPREMO TRIBUNAL TERÁ JURISDIÇÃO ORIGINÁRIA EM TODAS AS CAUSAS CONCERNENTES A EMBAIXADORES, OUTROS
MINISTROS PÚBLICOS E CÔNSULES, E NOS LITÍGIOS EM QUE FOR PARTE UM ESTADO. EM TODAS AS OUTRAS CAUSAS, O SUPREMO
TRIBUNAL TERÁ JURISDIÇÃO EM GRAU DE RECURSO.”
OU SEJA, PELA PRIMEIRA VEZ TERIA A SUPREMA CORTE DE ANALISAR SE DEVERIA PREVALECER A LEI (SEÇÃO 13 DO JUDICIARY ACT, DE
1789, QUE DETERMINAVA A APRECIAÇÃO DA MATÉRIA PELA SUPREMA CORTE) OU A CONSTITUIÇÃO DE 1787, QUE NÃO FIXOU
COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA, HAVENDO ENTÃO UM CONFLITO DE NORMAS.
ATÉ ENTÃO, A REGRA ERA DE QUE A LEI POSTERIOR REVOGAVA A ANTERIOR. ASSIM TERIA A LEI REVOGADO O ARTIGO DA
CONSTITUIÇÃO?
NOÇÕES GERAIS

O CONTROLE DIFUSO, REPRESSIVO, OU POSTERIOR, É TAMBÉM CHAMADO DE CONTROLE PELA VIA DE


EXCEÇÃO OU DEFESA, UM CONTROLE ABERTO, PODENDO SER EXERCIDO POR QUALQUER JUÍZO OU TRIBUNAL.
AQUI, A DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DÁ-SE DE FORMA INCIDENTAL.
NOÇÕES GERAIS
• EX.: O SR. JOSÉ SE INSURGIU CONTRA UMA LEI MUNICIPAL QUE INSTITUIU UM TRIBUTO QUE ELE
CONSIDERA INCONSTITUCIONAL. O QUE ELE PEDIRÁ NA AÇÃO AJUIZADA PARA DISCUTIR ESTA QUESTÃO É
QUE CESSE A COBRANÇA DO TRIBUTO INCONSTITUCIONAL E QUE OS VALORES QUE ELE JÁ PAGOU LHES
SEJAM DEVOLVIDOS; PORÉM, O FUNDAMENTO DO SEU PEDIDO, A CAUSA DE PEDIR É A
INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI QUE INSTITUIU O TRIBUTO. ASSIM, ANTES DE O JUIZ DIZER SE O PEDIDO
DO SR. JOSÉ É OU NÃO PROCEDENTE, TERÁ DE ENFRENTAR A QUESTÃO INCIDENTALMENTE POSTA: A LEI É
OU NÃO INCONSTITUCIONAL?
• EX. 2: ART. 44 LEI 11.343/2006: PROIBIÇÃO DE LIBERDADE PROVISÓRIA PARA TRAFICANTES. DEVIDO
PROCESSO LEGAL? PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA?
• EX. 3 – PORTE DE DROGAS – ART. 28;
EFEITOS DA DECISÃO

• EM REGRA, OS EFEITOS DE QUALQUER SENTENÇA VALEM SOMENTE PARA AS PARTES QUE LITIGARAM EM
JUÍZO.
• NO MOMENTO EM QUE A SENTENÇA DECLARA A LEI INCONSTITUCIONAL, PRODUZ EFEITOS PRETÉRITOS,
TORNANDO-A NULA DE PLENO DIREITO. PRODUZ EFEITOS RETROATIVOS, VIA DE REGRA.
EFEITOS DA DECISÃO
• ASSIM, NO CONTROLE DIFUSO, PARA AS PARTES OS EFEITOS SERÃO:
INTER PARTES
EX TUNC
• OBS.: O STF JÁ ENTENDEU QUE MESMO NO CONTROLE DIFUSO PODER-SE-Á DAR EFEITO EX NUNC OU PRO
FUTURO. RE 197.917 – REDUÇÃO DO NÚMERO DE VEREADORES DE 11 PARA 9. EFEITOS SOMENTE A PARTIR
DA PRÓXIMA LEGISLATURA.
EFEITOS DA DECISÃO

• EFEITOS PARA TERCEIROS (ART. 52, X)


DECLARADA INCONSTITUCIONAL A LEI PELO STF, NO CONTROLE DIFUSO, DESDE QUE TAL DECISÃO SEJA
DEFINITIVA E DELIBERADA PELA MAIORIA ABSOLUTA DO PLENO DO TRIBUNAL (ART. 97 CRFB/88),
TRANSITADA EM JULGADO, SERÁ FEITA UMA COMUNICAÇÃO AO SENADO FEDERAL.
EFEITOS DA DECISÃO

• COMPETÊNCIA PRIVATIVA DO SENADO FEDERAL PARA EXPEDIR RESOLUÇÃO SUSPENDENDO A EXECUÇÃO
NO TODO OU EM PARTE DA LEI DECLARADA INCONSTITUCIONAL PELO STF.
• A COMUNICAÇÃO, TODAVIA, É OBRIGATÓRIA.
• A SUSPENSÃO ATINGIRÁ A TODOS, VALENDO, TODAVIA, A PARTIR DO MOMENTO QUE A RESOLUÇÃO DO
SENADO FOR PUBLICADA NA IMPRENSA OFICIAL.
• ASSIM, OS EFEITOS SERÃO ERGA OMNES, PORÉM EX NUNC.

Você também pode gostar