Você está na página 1de 4

Da resposta do réu: contestação, exceções e reconvenção.

1)Nas ações dúplices


a) é necessária a reconvenção para que o réu se torne autor em sua pretensão.
b) o réu formulará pretensão contra o autor independentemente de reconvenção.
c) não se admite ação declaratória incidental.
d) sempre haverá cumulação de pedidos do autor contra o réu.
e) não se admitem exceção e reconvenção, devendo toda a matéria de defesa ser deduzida na contestação.

Ação dúplice é uma ação jurídica independente de reconvenção, onde as partes envolvidas são ao mesmo tempo autor e réu. Exemplo de ação
dúplice é a ação possessória, o seu caráter dúplice está na alternância de posições de autor e réu, sendo lícita a outorga da tutela jurisdicional a
qualquer das partes, independentemente do pólo que, inicialmente, tenham assumido. O caráter dúplice, em princípio, afasta a necessidade de
reconvenção. Dessa forma, o réu está autorizado, na contestação, a formular pedido em seu favor, independentemente do uso do expediente formal
consistente da reconvenção.
Não cabe reconvenção, por absoluta desnecessidade, em ações dúplices, como as possessórias e as de prestação de contas, pois, pela própria
natureza dessas causas, a contestação do demandado já tem força reconvencional. letra "B".
Nas ações dúplices o réu formulará pretensão contra o autor independentemente de reconvenção.
Alternativa correta letra "B".
Resposta letra B!
A ação dúplice consubstancia-se no fato de o réu poder formular pedido na própria contestação, em razão de expressa autorização legal. São
exemplos de ação dúplices: procedimento sumário, juizado especial cível e ações possessórias. Esse pedido é chamado de pedido contraposto e deve
ser fundado nos mesmos fatos narrados pelo autor.
Não se admite reconvenção no processo de execução, no processo cautelar e nas ações dúplices.
Excepcionalmente, a reconvenção pode ser ajuizada em sede de ação dúplice: há casos em que o que o réu deseja é algo diferente do que alcançaria
com a improcedência do autor. Mas essa questão ainda é muito controvertida!
Fonte: SAVI

Ações dúplices: ao atacar, a pessoa está se defendendo. Ação dúplice ode aparecer em dois sentidos:
- Sentido processual:
ação dúplice é aquela em que se permite ao réu a formulação de um pedido
contra o autor dentro da contestação.
É chamado de pedido contraposto. Isso é possível nos juizados especiais, nas ações possessórias
(réu pode formular pedido de indenização), no procedimento sumário.
“As ações que tramitam no juizado penal são ações duplices” (Nelson Nery utiliza o sentido processual).
O réu deve formular pedido contraposto quando quiser atacar, se não,
tratar-se-á tão-somente de defesa.
- Sentido material: é aquela em que a defesa do réu já é o seu ataque;
o réu, ao se defender do que o autor quer,
já está atacando.
Toda a ação declaratória e dúplice: ex1- pede a declaração de existência de uma relação;
o réu, quando diz que a relação não existe, se defende e ataca, pedindo a declaração inversa.
Autor e réu acabam se confundindo: a diferença é meramente cronológica, é autor porque propôs primeiro.
Ex2- ação de consignação em pagamento : a defesa do credor já é um ataque;
devedor oferta determinada quantia,
mas o credor diz ser insuficiente e indica o montante que acha devido.
Fredie Didier

2) Oferecida a reconvenção,
a) a extinção, por carência, da ação principal, impedirá o seu prosseguimento.
b) o autor será pessoalmente citado para contestá-la no prazo de dez dias.
c) a eventual desistência da ação principal não obstará o seu prosseguimento.
d) será formado novo processo, que correrá em apenso ao principal, mas de forma independente e autônoma.
e) serão proferidas sentenças diferentes, uma no processo principal e outra no processo da reconvenção.
ERRADA a) a extinção, por carência, da ação principal, NÃO impedirá o seu prosseguimento.
Art. 317 do CPC: A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao prosseguimento da reconvenção.
ERRADA b) o autor será pessoalmente citado para contestá-la no prazo de dez dias 15 DIAS.
Art. 316. Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no prazo de 15 (quinze) dias.
CORRETA c) a eventual desistência da ação principal não obstará o seu prosseguimento.
Art. 317 do CPC: A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao prosseguimento da reconvenção.
ERRADA d) será formado novo processo, que correrá em apenso ao principal, mas de forma independente e autônoma.
Art. 299. A contestação e a reconvenção serão oferecidas simultaneamente, em peças autônomas; a exceção será processada em apenso aos autos
principais.
ERRADA e) serão proferidas sentenças diferentes, uma no processo principal e outra no processo da reconvenção.
Art. 318. Julgar-se-ão na mesma sentença a ação e a reconvenção.
Alternativa correta: letra C
Embora demanda autônoma, a reconvenção não faz nascer um novo processo. Tem-se um único processo, que contém a demanda original e a
demanda reconvencional. O que ocorre é o alargamento do objeto do processo, pois uma nova pretensão terá sido manifestada por aquele que na
demanda originária ocupava a posição de réu; e, agora, tem uma posição ativa: de autor.

3) É correto afirmar:
a) A petição inicial da reconvenção será indeferida, se a petição inicial da ação originária for inepta.
b) No rito ordinário, cabe reconvenção no prazo de dez dias contados da intimação pessoal em audiência preliminar.
c) O indeferimento da petição inicial, na fase seneadora, com fundamento na coisa julgada, obsta ao prosseguimento da reconvenção.
d) É lícito ao réu apresentar reconvenção após a intimação do autor para réplica.
e) É nula a sentença que julga a lide originária, quando deixa de julgar a reconvenção.
A assertiva "a" e "c" esta errada conforme artigo transcrito
Art. 317. A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao prosseguimento da reconvenção.
A Assertivs "b" e a "D" esta errada porque o prazo para oferecer a reconvenção é de 15 dias da citaçao, e nao da replica. segue artigo correspondente:
Art. 297. O réu poderá oferecer, no prazo de 15 (quinze) dias, em petição escrita, dirigida ao juiz da causa, contestação, exceção e reconvenção.
A assertiva "e" esta correta de acordo com o artigo abaixo
Art. 318. Julgar-se-ão na mesma sentença a ação e a reconvenção.
Conforme disposição legal o juiz deve julgar na mesma sentença a ação e a reconvenção,in verbis:
Art. 318. Julgar-se-ão na mesma sentença a ação e a reconvenção.
Dessa forma, caso o juiz não as julgue na mesma sentença, esta (a sentença) é nula em virtude de erro de procedimento.
Por outro lado, se ocorresse erro de julgamento a sentença seria reformada.
4) Proposta e admitida a reconvenção,
a) não mais será permitido ao autor desistir da ação principal.
b) passa a ser obrigatória a participação do Ministério Público nos autos.
c) o processo continuará sendo único, mas com duas ações autônomas e contrapostas que serão julgadas em sentença única.
d) o autor reconvindo deverá contestá-la em cinco dias, contados da intimação realizada na pessoa de seu advogado.
e) é determinada a suspensão do andamento da ação principal até julgamento final do pedido reconvencional.

De fato a Reconvenção possui natureza de ação, ampliando, inclusive, o objeto litigioso do processo.
De acordo com o CPC:
"Art. 315. O réu pode reconvir ao autor no mesmo processo, toda vez que a reconvenção seja conexa com a ação principal ou com o fundamento da
defesa.
Parágrafo único. Não pode o réu, em seu próprio nome, reconvir ao autor, quando este demandar em nome de outrem. (§ 1º renumerado pela Lei nº
9.245, de 26.12.1995)
§ 2º Não se admitirá reconvenção nas causas de procedimento sumaríssimo. (Revogado pela Lei nº 9.245, de 26.12.1995)
Art. 316. Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no prazo de 15 (quinze) dias.
Art. 317. A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao prosseguimento da reconvenção.
Art. 318. Julgar-se-ão na mesma sentença a ação e a reconvenção."
IMPORTANTE: Atente-se ao fato de que, apesar da reconvenção ter natureza de ação, contra a decisão que a indefere caberá Agravo de Instrumento
e não apelação, pois tal decisão não põem fim ao processo.
a) Errada. Não há qualquer óbice a que o autor desista da ação "principal". No entanto nenhum efeito terá essa desistência sobre a Reconvenção, que
continuará sendo processada normalmente. É o que nos diz o artigo 317 do CPC.
b) Errado. Inexiste qualquer preceito legal que torne obrigatória a participação do parquet em caso de reconvenção. No entanto, sendo caso de atuar
como custus legis poderá o MP participar do processo.
c) Alternativa correta.
d) Errado. A contestação da reconvenção deve ocorrer em 15 dias, nos termos do artigo 316 do CPC. Basta lembrar do prazo normal para contestar.
e) Errado. As duas ações correm paralelamente e, no fim, serão julgadas numa mesma sentença. Artigo 318 do CPC
Bons estudos! :-)
Resposta: C

5) No tocante ao procedimento Ordinário, considere as seguintes assertivas a respeito das respostas do réu:
I. Na exceção de incompetência, conclusos os autos, o juiz mandará processar a exceção, ouvindo o excepto dentro de cinco dias.
II. Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no prazo de 10 dias, sendo que, a
desistência da ação obsta ao prosseguimento da reconvenção.
III. O direito da parte arguir, por meio de exceção, a incompetência, o impedimento ou a suspeição pode ser exercido em qualquer tempo, ou grau de
jurisdição, cabendo à parte oferecer exceção, no prazo de 15 dias, contado do fato que ocasionou a incompetência, o impedimento ou a suspeição.
IV. Despachando a petição, se o juiz não reconhecer o impedimento ou a suspeição, dentro de 5 dias, dará as suas razões, acompanhadas de
documentos, ordenando a remessa dos autos ao tribunal.
De acordo com o Código de Processo Civil está correto o que se afirma SOMENTE em
a) III.
b) I.
c) II e III.
d) I e IV.
e) I, III e IV.

I - INCORRETA. Art. 308 do CPC: "Conclusos os autos, o juiz mandará processar a exceção, ouvindo o excepto dentro de 10 (dez) dias."
II - INCORRETA. Art. 316 do CPC: "Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no
prazo de 15 (quinze) dias." Art. 317 do CPC: "A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao
prosseguimento da reconvenção".
III - CORRETA. Art. 304 do CPC: "É lícito a qualquer das partes arguir, por meio de exceção, a incompetência (art. 112), o impedimento (art. 134) ou a
suspeição (art. 135)." Art. 305, caput, do CPC: "Este direito pode ser exercido em qualquer tempo, ou grau de jurisdição, cabendo à parte oferecer
exceção, no prazo de 15 (quinze) dias, contado do fato que ocasionou a incompetência, o impedimento ou a suspeição".
IV - INCORRETA. Art. 313 do CPC: "Despachando a petição, o juiz, se reconhecer o impedimento ou a suspeição, ordenará a remessa dos autos ao
seu substituto legal; em caso contrário, dentro de 10 (dez) dias, dará as suas razões, acompanhadas de documentos e rol de testemunhas, se houver,
ordenando a remessa dos autos ao tribunal.
Essa questão só está correta porque a FCC cobrou a literalidade da LEI (como sempre). Porém, a incompetência que se alega por meio de exceção é
a relativa. Sendo certo que A INCOMPETENCIA RELATIVA É ORIGINÁRIA E NUNCA SUPERVENIENTE.

1ª Consequência: Ela NÃO PODE ser suscitada em qualquer tempo ou grau de jurísdição;
2ª Consequência: A essa modalidade de exceção aplica-se a regra atinente ao prazo comum de resposta do Réu: 15 dias;
3ª Consequência: Não oferecida a Exceção de Incompetência Relativa no prazo acima tem-se por PRORROGADA A COMPETÊNCIA.

Quanto as exceções de suspeição e impedimento:


1ª Consequência: PODEM ser suscitadas em qualquer tempo ou grau de jurísdição;
2ª Consequência: A essas modalidades de exceção aplica-se o prazo de 15 dias contados da data em que a parte tenha ciência da parcialidade do
juiz;

I - O prazo é de dez dias.


II - O prazo é de 15 dias e a desistência não obsta a reconvenção.
III - correta.
IV - Prazo de 10 dias para reconhecer.
Resposta: A

6) Sobre a reconvenção, é correto afirmar:


a) Não é admitida nas ações perante os juizados especiais cíveis.
b) Contra a decisão que indeferir liminarmente a reconvenção por inépcia da peça inaugural caberá apenas apelação.
c) É possível o réu reconvir ao autor, mesmo quando este demandar em nome de outrem.
d) Admitida a reconvenção, o autor deverá ser citado por oficial de justiça e terá o prazo de 15 dias para contestá-la.
e) A desistência da ação determina, automaticamente, a extinção da reconvenção por falta de interesse processual superveniente.

Art. 31 Lei 9.099/95.


Não se admitirá a reconvenção. É lícito ao réu, na contestação, formular pedido em seu favor, nos limites do art. 3º desta Lei, desde que fundado nos
mesmos fatos que constituem objeto da controvérsia.
Art 315 CPC: Parágrafo único. Não pode o réu, em seu próprio nome, reconvir ao autor, quando este demandar em nome de outrem.
Art. 316. Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no prazo de 15 (quinze)
dias.
Art. 317. A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao prosseguimento da reconvenção.
Reconvenção é a demanda de tutela jurisdicional proposta pelo réu em face do autor, no processo pendente entre ambos e fora dos
limites da demanda inicial. Com ela, o réu introduz no processo uma nova pretensão, a ser julgada em conjunto com a do autor. Menos
tecnicamente, diz-se também que ela seria uma ação dentro da ação; e realmente a reconvenção é ato de exercício do direito de
demandar, dentro do mesmo processo em que o autor vem exercendo o seu próprio.
Ela e a demanda inicial reúnem-se em um processo só, cujo objeto se alarga em virtude do pedido do réu, sem que se forme um novo
processo. No processo com reconvenção ocorre um dos possíveis casos de objeto do processo composto, em que duas pretensões se
põem perante o juiz para que ele se pronuncie afinal sobre ambas, concedendo ou não a tutela jurisdicional pedida pelo autor e
concedendo ou não a pedida pelo réu que reconveio. A estrutura complexa do objeto não compromete a unidade do processo, o qual
prossegue sendo um só, ampliado quanto ao objeto.
Eis, em síntese, os elementos da definição: a) nova demanda, proposta pelo réu; b) objeto distinto do objeto da demanda do autor; c)
conseqüente alargamento do objeto do processo; c) unidade do processo e não processo novo.
Na ação reconvencional, são cabíveis os mesmos recursos que seriam cabíveis na ação principal. A única exceção refere-se ao indeferimento da
petição inicial da reconvenção, contra a qual será cabível o recurso de agravo de instrumento ao invés de ser cabível o recurso de típico de apelação,
nos termos do artigo 296 do CPC.
RECONVENÇÃO. Indeferimento. Recurso. Agravo.
Cabe agravo da decisão que indefere liminarmente a reconvenção.
Precedentes.
Recurso não conhecido. (REsp 443.175/SP, Rel. Ministro RUY ROSADO DE AGUIAR, QUARTA TURMA, julgado em 21.11.2002, DJ 16.12.2002 p.
345)N
O réu poderá oferecer, no prazo de 15 (quinze) dias, em petição escrita, dirigida ao juiz da causa, contestação, exceção e reconvenção. A respeito da
reconvenção, é correto afirmar:
a) Poderá o réu, em seu próprio nome, reconvir ao autor, quando este demandar em nome de outrem.
b) A ação e a reconvenção tramitarão em separado e não poderão ser julgadas na mesma sentença.
c) Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa de seu procurador, para contestá-la no prazo de 15 dias.
d) O réu poderá reconvir ao autor, no mesmo processo, ainda que a reconvenção não seja conexa com a ação principal ou com o fundamento da
defesa.
e) A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, obstará o prosseguimento da reconvenção.
rt. 316. Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no prazo de 15 (quinze) dias. Vide
art. 19.
Art. 297. O réu poderá oferecer, no prazo de 15 (quinze) dias, em petição escrita, dirigida ao juiz da causa, contestação, exceção e reconvenção. Art.
315. O réu pode reconvir ao autor no mesmo processo, toda vez que a reconvenção seja conexa com a ação principal ou com o fundamento da
defesa. Parágrafo único. Não pode o réu, em seu próprio nome, reconvir ao autor, quando este demandar em nome de outrem Art. 299. A contestação
e a reconvenção serão oferecidas simultaneamente, em peças autônomas; a exceção será processada em apenso aos autos principais. Art. 316.
Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no prazo de 15 (quinze) dias. Art. 317. A
desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao prosseguimento da reconvenção. Art. 318. Julgar-se-ão na mesma
sentença a ação e a reconvenção.

7) NÃO é matéria discutível em preliminar da contestação a


a) inépcia da petição inicial.
b) litispendência e a coisa julgada.
c) incompetência em razão do território.
d) ilegitimidade do autor.
e) convenção de arbitragem.

INCOMPETÊNCIA EM RAZÃO DO TERRITÓRIO É CAUSA DE NULIDADE RELATIVA E DEVE SER ARGUIDA POR MEIO DE EXCEÇÃO DE
INCOMPETÊNCIA.
Art. 301. Compete-lhe, porém, antes de discutir o mérito, alegar: I - inexistência ou nulidade da citação; II - incompetência absoluta; III - INÉPCIA DA
PETIÇÃO INICIAL; IV - perempção; V - LITISPENDÊNCIA; Vl - COISA JULGADA; VII - conexão; Vlll - INCAPACIDADE DA PARTE, defeito de
representação ou falta de autorização; IX - CONVENÇÃO DE ARBITRAGEM; X - carência de ação; Xl - falta de caução ou de outra prestação, que a
lei exige como preliminar. Gabarito é a letra "C", pois "incompetência em razão do território" não consta no rol do art. 301 do cpc.

8) João ajuizou ação de cobrança contra José, por danos causados em seu veículo. Essa ação foi julgada improcedente, por sentença da qual ainda
cabe recurso. Entrementes, João ajuizou nova ação de cobrança contra José, pelos mesmos danos causados em seu veículo.
Nesse caso, José deverá
a) argüir incompetência absoluta em preliminar da contestação.
b) opor exceção de coisa julgada formal
c) opor exceção de coisa julgada material
d) argüir litispendência em preliminar da contestação
e) opor exceção de incompetência.

Se for ajuizada novamente ação idêntica e esta já tiver sido decidida e todos os recursos esgotados, estaremos diante da chamada "coisa julgada".
Se for ajuizada novamente ação idêntica e esta ainda não tiver sido decidida ou ainda houver possibilidade de algum recurso, estaremos diante de
"litispendência.
Neste sentido:
"Art. 301.
§ 1o Verifica-se a litispendência ou a coisa julgada, quando se reproduz ação anteriormente ajuizada."
Atenção para : "por sentença da qual ainda cabe recurso".
Há litispendência, quando se repete ação, que está em curso; Art. 301, § 1o Verifica-se a litispendência ou a coisa julgada, quando se reproduz
ação anteriormente ajuizada.
Na contestação, o réu se contrapõe à pretensão do autor, pugnando pela improcedência do pedido deste último. Esse é o objetivo desta defesa: fazer cair por terra o
pedido do autor. Além disso, são alegáveis aqui as preliminares da contestação, enumeradas no art. 301 do CPC.
Seção II
Da Contestação

Art. 300. Compete ao réu alegar, na contestação, toda a matéria de defesa, expondo as razões de fato e de direito, com que impugna o
pedido do autor e especificando as provas que pretende produzir.
Art. 301. Compete-lhe, porém, antes de discutir o mérito, alegar:
I - inexistência ou nulidade da citação;
II - incompetência absoluta;
III - inépcia da petição inicial;
IV - perempção;
V - litispendência;
Vl - coisa julgada;
VII - conexão;
Vlll - incapacidade da parte, defeito de representação ou falta de autorização;
IX - convenção de arbitragem;
X - carência de ação;
Xl - falta de caução ou de outra prestação, que a lei exige como preliminar.
§ 1o Verifica-se a litispendência ou a coisa julgada, quando se reproduz ação anteriormente ajuizada.
§ 2o Uma ação é idêntica à outra quando tem as mesmas partes, a mesma causa de pedir e o mesmo pedido.
§ 3o Há litispendência, quando se repete ação, que está em curso; há coisa julgada, quando se repete ação que já foi decidida por sentença,
de que não caiba recurso.
§ 4o Com exceção do compromisso arbitral, o juiz conhecerá de ofício da matéria enumerada neste artigo.
Art. 302. Cabe também ao réu manifestar-se precisamente sobre os fatos narrados na petição inicial. Presumem-se verdadeiros os fatos não
impugnados, salvo:
I - se não for admissível, a seu respeito, a confissão;
II - se a petição inicial não estiver acompanhada do instrumento público que a lei considerar da substância do ato;
III - se estiverem em contradição com a defesa, considerada em seu conjunto.
Parágrafo único. Esta regra, quanto ao ônus da impugnação especificada dos fatos, não se aplica ao advogado dativo, ao curador especial e
ao órgão do Ministério Público.
Art. 303. Depois da contestação, só é lícito deduzir novas alegações quando:
I - relativas a direito superveniente;
II - competir ao juiz conhecer delas de ofício;
III - por expressa autorização legal, puderem ser formuladas em qualquer tempo e juízo.

Seção III
Das Exceções

Art. 304. É lícito a qualquer das partes argüir, por meio de exceção, a incompetência (art. 112), o impedimento (art. 134) ou a suspeição (art.
135).
Art. 305. Este direito pode ser exercido em qualquer tempo, ou grau de jurisdição, cabendo à parte oferecer exceção, no prazo de 15 (quinze)
dias, contado do fato que ocasionou a incompetência, o impedimento ou a suspeição.
Parágrafo único. Na exceção de incompetência (art. 112 desta Lei), a petição pode ser protocolizada no juízo de domicílio do réu, com requerimento de
sua imediata remessa ao juízo que determinou a citação.
Art. 306. Recebida a exceção, o processo ficará suspenso (art. 265, III), até que seja definitivamente julgada.

Subseção I
Da Incompetência

Art. 307. O excipiente argüirá a incompetência em petição fundamentada e devidamente instruída, indicando o juízo para o qual declina.
Art. 308. Conclusos os autos, o juiz mandará processar a exceção, ouvindo o excepto dentro em 10 (dez) dias e decidindo em igual prazo.
Art. 309. Havendo necessidade de prova testemunhal, o juiz designará audiência de instrução, decidindo dentro de 10 (dez) dias.
Art. 310. O juiz indeferirá a petição inicial da exceção, quando manifestamente improcedente.
Art. 311. Julgada procedente a exceção, os autos serão remetidos ao juiz competente.

Subseção II
Do Impedimento e da Suspeição

Art. 312. A parte oferecerá a exceção de impedimento ou de suspeição, especificando o motivo da recusa (arts. 134 e 135). A petição, dirigida
ao juiz da causa, poderá ser instruída com documentos em que o excipiente fundar a alegação e conterá o rol de testemunhas.
Art. 313. Despachando a petição, o juiz, se reconhecer o impedimento ou a suspeição, ordenará a remessa dos autos ao seu substituto legal;
em caso contrário, dentro de 10 (dez) dias, dará as suas razões, acompanhadas de documentos e de rol de testemunhas, se houver,
ordenando a remessa dos autos ao tribunal.
Art. 314. Verificando que a exceção não tem fundamento legal, o tribunal determinará o seu arquivamento; no caso contrário condenará o
juiz nas custas, mandando remeter os autos ao seu substituto legal.
Seção IV

Da Reconvenção

Art. 315. O réu pode reconvir ao autor no mesmo processo, toda vez que a reconvenção seja conexa com a ação principal ou com o
fundamento da defesa.
Parágrafo único. Não pode o réu, em seu próprio nome, reconvir ao autor, quando este demandar em nome de outrem.
Art. 316. Oferecida a reconvenção, o autor reconvindo será intimado, na pessoa do seu procurador, para contestá-la no prazo de 15 (quinze)
dias.
Art. 317. A desistência da ação, ou a existência de qualquer causa que a extinga, não obsta ao prosseguimento da reconvenção.
Art. 318. Julgar-se-ão na mesma sentença a ação e a reconvenção.
á de ofício da matéria enumerada neste artigo.