Você está na página 1de 7

PROJETO DE ELEVAÇÃO DE

PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA NO
CORTE DE CANA MANUAL
1 – INTRODUÇÃO

Visando aprimorar e melhorar a qualidade, produtividade e índices de


absenteísmo dos nossos cortadores, bem como na busca de alternativas de
incentivo e criação de novos mecanismos administrativos para melhoria de
sua produção homem/tonelada/dia (com sustentabilidade e racionalidade),
respeitando a legislação vigente e preservando a integridade física do
trabalhador, elaboro este projeto de produtividade para a busca do
atendimento destes propósitos.

2 – OBJETIVO

Criar mecanismos que incentivem todos os trabalhadores envolvidos no


processo de corte de cana para a safra, buscando valorizá-los, prestigiá-los
e treiná-los para que o processo seja continuo, estimulando uma
competição saudável e premiando com brindes os melhores, para que a
média de corte de cana homem dia, bem como o absenteísmo seja reduzido
diante dos históricos da empresa.

3 – ENVOLVIDOS

O envolvimento se faz necessário desde a Diretoria da Unidade/Empresa até


os trabalhadores que efetuam a atividade final de corte, passando pela
gerencia, administradores, lideres, recursos humanos e demais
áreas/profissionais ligados a esta atividade.

4 – METODOLOGIA

A metodologia aplicada obedecera a informações técnicas, orientações e


treinamentos administrativos, contratação selecionada para cada atividade
do processo, agilidade e rapidez em divulgação de resultados,
acompanhamento e orientação em folha de pagamento, divulgação do
programa e das premiações, participação efetiva da alta diretoria da
empresa nos reconhecimentos e premiações e outras ações pertinentes ao
sucesso do programa.

4 – HISTÓRICO / METAS (Exemplo – precisa ser mapeado para cada


Unidade, em função dos seus históricos)
CORTE DE CANA:
SAFRA 2008 = 4,70 TON/HOM/DIA
META SAFRA 2009 = 5,50 TON/HOM/DIA

ABSENTEISMO:
SAFRA 2008 = 13,91 %
META SAFRA 2009 = 8,00 %

COMPARATIVO QUADRO DE LOTAÇÃO


MOAGE DIAS QTDE Nº TOTAL
M DE TON TRABA- ABSEN TRAB.
SAFRA
SEMAN CORTE /CORTE/ LHADO T.
AL DIA RES
2008/200 21.000 5,5 3.818 812
13,91 925
9 %
2009/201 21.000 6 3.500 636 8,00 % 687
0
DIFERENÇ 0 + 0,5 - 318 -176 -5,91% -238
A
COMPARATIVO DE RENDIMENTO DO TRABALHADOR
VLR MÉDIO PROD. SALÁRIO DIF. EM
SAFRA
TON MÉDIA TOTAL REL. PISO
2008/2009 R$ 3,70 4,70 R$ 573,87 28,67 %
2009/2010 R$ 3,70 5,50 R$ 679,80 44,94 %
DIFERENÇA 0 17,02 % 18,45 % 16,27 %

4.1. – PRINCIPAIS BENEFÍCIOS DIRETOS E INDIRETOS:


 MENOR NÚMERO DE CORTADORES;
 AUMENTAR A ATRATIVIDADE DE MÃO DE OBRA;
 MAIOR GANHO INDIVIDUAL;
 FACILIDADE DE ADMINISTRAÇÃO;
 REDUÇÃO DE TRANSPORTE;
 AUMENTO DA SATISFAÇÃO DOS CORTADORES;
 REDUÇÃO DO ABSENTEÍSMO;
 AUMENTAR A PRODUTIVIDADE HOMEM/DIA;
 REDUÇÃO DE TURN-OVER;
 AUMENTAR A RETENÇÃO DOS MELHORES CORTADORES;
 AUMENTO DE COMPROMETIMENTO;
 VALORIZAÇÃO DOS CORTADORES;

5 – DEFINIÇÃO DO PROGRAMA

5.1. – CONTRATAÇÕES CORTADORES DE CANA


As contratações dos empregados para o setor de corte de cana deverão ser
realizadas mediante histórico de produtividade, quando já tenham
trabalhado na empresa, e de referencias quando trabalhado em outras
empresas do setor.

5.2. – CONTRATAÇÕES DE FISCAIS E APONTADORES


As contratações de fiscais e apontadores, deverão ser realizado por
profissionais capacitados, e deverão ser observado os conceitos de
raciocínio matemático, facilidade em comunicação, postura de liderança e
com grau de instrução mínima do ensino fundamental.

5.3. – LOCALIDADE DE RESIDENCIA DOS TRABALHADORES


Os trabalhadores deverão ser contratados para trabalharem nas áreas mais
próximas a sua residência, evitando com isso gastos excessivos com
transportes e perda de tempo no trajeto.
Quando alojados, deverão ser alocados no corte das melhores áreas de
queima disponíveis naquele dia.

5.4. – DEFINIÇÃO DAS TURMAS DE CORTE DE CANA


As turmas que forem definidas para a atividade de corte de cana, fica
vedada a transferência de seus trabalhadores para outras turmas, bem
como para outras atividades, salvo em casos excepcionais e autorizados
pela gerencia agrícola.

5.5. – DISTRIBUIÇÃO DOS EITOS PARA OS CORTES


Os fiscais/apontadores de turma na chegada ao local do corte de cana
deverão distribuir aos trabalhadores os eitos de maneira mais ágil possível;
Esta distribuição deverá obedecer o critério em que os cortadores de cana
sejam colocados em ordem decrescente de capacidade de ton/dia do maior
para o menor, bem como a quantidade de metragem a ser cortada
obedecendo o mesmo critério.
A relação para esta distribuição será fornecida semanalmente pelo controle
agrícola.
5.6. – PESAGEM DA CANA
Tão logo ocorra a pesagem da cana e definição de preço, esta devera ser
feita e amplamente divulgada para os trabalhadores. Nas Unidades que
pagam pelo peso real, deverá ser alterado para pagamento de cana por
peso estimado, envolvendo negociação direta com o Sindicato.

5.7. – MEDIÇÃO DAS CANAS


A medição de canas devera ser realizada pelo apontador de maneira que
seja feita até o final do horário de trabalho e na presença dos trabalhadores.

5.8. – DIVULGAÇÃO DO PIRULITO


O “Pirulito” (demonstrativo de corte de cana) deverá ser entregue a todos
os trabalhadores no primeiro dia útil imediatamente ao do trabalho
realizado.

5.9. – CONTROLES
Semanalmente o controle agrícola devera elaborar demonstrativo por turma
em ordem decrescente de produção por tonelada e afixar nos ônibus das
referidas turmas.
Também semanalmente a Carteira Agrícola elaborara um resumo das
turmas de corte de cana elencando em ordem decrescente o absenteísmo
de cada turma e sua média de tonelada cortada, encaminhando a
consultoria, gerencia agrícola e RH.

5.10. – AÇÕES MOTIVACIONAIS

 Cesta básica distribuída aos 50 melhores cortadores da Unidade


(média de ton/dia/mês) com máximo de 1(um) falta no mês;
 Entrega de certificado dos 50 melhores cortadores da Unidade (média
de ton/dia/mês) com máximo de 1(um) falta no mês;
 Escolha da melhor turma do mês (total de cana cortada pela turma),
distribuição de cesta básica para todos;
 Sorteio de 1 (um) DVD entre os participantes da melhor turma;
 Colocação de faixa comemorativa nas laterais do ônibus da turma
vencedora no mês;
 Cesta básica para todos os fiscais/apontadores das turmas que
estejam acima da meta de produtividade ou absenteísmo naquele
mês;
 Sorteio de 1 (um) DVD para os fiscais/apontadores das turmas que
estejam acima da meta de produtividade ou absenteísmo naquele
mês;
 Festa de confraternização de final de safra, para todos os
trabalhadores com média geral acima da meta, com sorteio de
prêmios;
 Premiação e troféu para os 3 (três) melhores cortadores de toda a
safra.

5.11. – DETALHAMENTO DAS AÇÕES MOTIVACIONAIS

5.11.1. - Cesta básica distribuída aos 50 melhores cortadores da TG (média


de ton/dia/mês) com máximo de 1(um) falta no mês;
 A apuração será feita pelo mesmo período de fechamento da
folha, ou seja, de 21 a 20 de cada mês;
 Extrair do PIMS os 50 (cinqüenta) cortadores mais produtivos com
absenteísmo máximo de 1 (uma) falta;
 Entrega efetiva da cesta básica no ultimo dia útil do mês, durante
a jornada de trabalho;
 A entrega deverá ser feita por equipe multidisciplinar envolvendo
representantes do agrícola, do recursos humanos e da consultoria;
 Haverá registro fotográfico da entrega de cada melhor cortador,
deverá ser amplamente divulgada em jornal especifico do corte de
cana da empresa e mural na festividade de final de safra;
 Cabe ao recursos humanos providenciar a aquisição das cestas
disponíveis na empresa todo o dia 25 de cada mês;
 A composição da cesta será definida pela área de recursos
humanos com valor de referencia de R$ 50,00 para cada unidade;

5.11.2. - Entrega de certificado dos 50 melhores cortadores da TG


(média de ton/dia/mês) com máximo de 1(um) falta no mês;
 Aos ganhadores da cesta (5.11.1) será fornecido um certificado
confeccionado pelo RH da TGA , mediante modelo definido pela
consultoria.
 A entrega deverá ser feita juntamente com a cesta básica;

5.11.3. - Escolha da melhor turma do mês (total de cana cortada pela


turma), distribuição de cesta básica para todos;
 Será apurado pelo PIMS, considerando a média geral da turma no
período de 21 a 20 de cada mês;
 A premiação acontecera simultaneamente com a entrega dos
prêmios dos itens 5.11.1. e 5.11.2.;

5.11.4. - Sorteio de 1 (um) DVD entre os participantes da melhor


turma;
 Junto da entrega das cestas do item anterior, será feito um sorteio
do DVD aos componentes da melhor turma;
 O RH devera providenciar saco de sorteio contendo o nome de
todos os participantes, bem como fiscais/apontador e motorista da
turma;
 O sorteio devera ser feito eliminatória, de tal forma que o ultimo
nome será o premiado;
 O sorteio será conduzido pelo representante do Rh e consultoria;
 Haverá registro fotográfico da entrega de cada melhor cortador,
deverá ser amplamente divulgada em jornal especifico do corte de
cana da empresa e mural na festividade de final de safra;

5.11.5. - Colocação de faixa comemorativa nas laterais do ônibus da


turma vencedora no mês;
 Para a turma campeã será confeccionado faixa adesiva para
colocação nas laterais do ônibus cujo o conteúdo será definido pela
consultoria em comum acordo com o RH;

5.11.6. - Cesta básica para todos os fiscais/apontadores das turmas


que estejam acima da meta de produtividade ou absenteísmo
naquele mês;
 Apuração através do PIMS do resultado de produtividade e
absenteísmo de todas as turmas;
 A premiação acontecera simultaneamente com a entrega dos
prêmios dos itens 5.11.1. e 5.11.2.;

5.11.7. - Sorteio de 1 (um) DVD para os fiscais/apontadores das turmas


que estejam acima da meta de produtividade ou absenteísmo
naquele mês;
 Será feito no escritório agrícola com a presença do gerente
agrícola, dos administradores de frente e representante do Rh;

5.11.8. - Festa de confraternização de final de safra, para todos os


trabalhadores com média geral acima da meta, com sorteio de
prêmios;
 Participarão da confraternização todos os trabalhadores rurais que
durante a safra obtiveram média de absenteísmo inferior ou igual a
8% e produtividade média igual ou superior a 5,5 ton/dia;
 Participarão também como convidados todos os fiscais/apontadores
das turmas, administradores agrícola;
 A organização será de responsabilidade do Rh e da consultoria,
com o envolvimento e serviços providenciados por coordenador
agrícola, Rh, gerente agrícola, consultoria e diretoria
 O evento será realizado no primeiro sábado após o termino de
safra;
 Será distribuída uma camiseta na semana que anteceder o termino
da safra, que será considerada como senha de entrada a
festividade;
 O local da festa devera ser preferencialmente na cidade, em um
espaço grande e fechado para controle de entrada (certificação se
esta com a camiseta);
 A festividade devera contemplar bebidas, comidas, musica ao vivo,
sorteio de prêmios,

5.11.9. - Premiação e troféu para os 3 (três) melhores cortadores de


toda a safra.
 Durante o evento citado no item 5.11.8., será realizado a entrega
para os 3 melhores cortadores com menor absenteísmo e melhor
produtividade troféus de classificação;
 Também sera entregue os prêmios conquistados para os mesmos,
sugestão:
1º colocado: 1 TV 29"
2º colocado: 1 TV 20”
3º colocado: 1 TV 14”
 Durante o evento queimas de fogos.

5.12. - MARKETING / DIVULGAÇÃO


 Na integração dos novos colaboradores deverá ser amplamente
divulgado o projeto de absenteísmo, o qual será providenciado
material de apresentação pela consultoria;
 Nos ônibus deverão ser instalados quadros de avisos, onde serão
afixados cartazes de incentivos e de comunicados, os quais poderão
ser de madeira com cortiça localizada no suporte logo atrás do
motorista;
 Deverá ser elaborados cartazes de acompanhamento mensal
ilustrado com cores verde (dentro das metas), amarelo (ponto de
atenção) e vermelho (abaixo das metas), no que diz respeito as
turmas;

 Os fiscais/apontadores deverão ser treinados para o constante


incentivo das premiações e esclarecimentos dos indicadores ali
demonstrados;

5.13. – CARTÃO 5 ESTRELAS


 Será confeccionado um cartão de polipropileno (semelhante a um
cartão de credito), para todos os trabalhadores que atigiram as metas
estabelecidas neste projeto, com identificação dos mesmos;
 Na contratação da safra seguinte será destinando 3 dias exclusivo
para contratação destes trabalhadores, os quais não participarão do
processo seletivo, entrando na etapa direta da elaboração da
documentação.

5.14. – CUSTO MENSAL

CUSTO CUST
PERIODI- QT
ÍTENS UNITÁ O
CIDADE DE
RIO TOTAL
CESTAS BÁSICAS - MELHORES 2.500,
MENSAL 50 50,00
CORTADORES 00
50,
CERTIFICADOS MELHORES CORTADORES MENSAL 50 1,00
00
CESTAS BÁSICAS - MELHOR TURMA DE 2.500,
MENSAL 50 50,00
MÉDIA DE CORTE 00
160,
DVD - SORTEIO ENTRE A MELHOR TURMA MENSAL 1 160,00
00
260,
FAIXAS ÔNIBUS - MELHOR TURMA DO MÊS MENSAL 2 130,00
00
CESTA BÁSICA -
1.000,
APONTADORES/MOTORISTAS DE TURMAS MENSAL 20 50,00
00
ACIMA DA MÉDIA
DVD - SORTEIO ENTRE OS FISCAIS COM 160,
MENSAL 1 160,00
TURMA ACIMA DA MÉDIA 00
6.630,
TOTAL 174
00

5.15. – CUSTO ANUAL

QT
ÍTENS VALOR TOTAL
DE
TV 29" 1 860,00
TV 20" 1 540,00

TV 14" 1 400,00
TROFÉUS 3 140,00

FOGOS DE ARTIFÍCIO 1.000,00


SHOW ARTÍSTICO 4.000,00

LOCAÇÃO DE AMBIENTE 1.500,00


COMIDAS/BEBIDAS 300 4.800,00

CARTÃO 5 ESTRELAS 900,00


PRÊMIOS PARA
12.000,00
SORTEIOS
LOCAÇÃO DE APARELHO
600,00
DE SOM
TOTAL 26.740,00