Você está na página 1de 10

PRINCÍPIOS CONTÁBEIS APLICADOS A CUSTO

1. Princípio da Realização de Receita


Permite este princípio o reconhecimento
contábil do resultado (lucro ou prejuízo) apenas
quando da realização da receita. E ocorre a
realização da receita quando da transferência do
bem ou do serviço para terceiros.
Ex.: emissão de uma NF que acompanha o bem

2. Competência ou da Confrontação entre Despesas e Receitas


Após o reconhecimento da receita, deduzem-
se dela todos os valores representativos dos
esforços para sua consecução, ou seja, as
despesas.

3. Princípio do Custo Histórico como Base de Valor


Registro pelo valor original de entrada. Pode-
se corrigir pelo índice de inflação. Registro de gastos
efetivos da entidade, representados por pagamentos
ou promessa de pagamentos pelos bens ou serviços
recebidos.
Ex.: compra de um equipamento por $100mil +
$15mil de frete + $5mil de instalação. Então custo
será de $120mil.
4. Consistência ou Uniformidade
Uma vez adotada uma alternativa dentre
várias contabilmente aceitas, não se deve mudar de
critério a cada período. Caso a mudança de critério
seja necessária deve-se informar o fato e os efeitos
do mesmo no resultado da empresa.
Ex.: a empresa pode distribuir os custos de
manutenção em função de horas-máquina, valor do
equipamento.

5. Conservadorismo ou Prudência
Espírito de precaução. Se houverem dúvidas
sobre a classificação de algum gasto entre custo ou
despesa, ele deve ser considerado despesa,
impactando o resultado e não o estoque do produto.
Ex.: A Cia. José foi autuada pelo fisco estadual por
não recolhimento do ICMS. A diretoria do Banco
José S.A., em conjunto com seus advogados, é de
opinião de que o Fisco estadual está bem
fundamentado neste processo e que a companhia
perderá essa causa. Os advogados estimam o valor
da causa no mínimo em R$ 100.000,00 e no máximo
em R$ 120.000,00.
6. Materialidade ou Relevância
Desobriga de um tratamento mais
rigoroso. Itens cujo valor monetário é pequeno
dentro dos gastos totais.
Ex. Gastos poucos mililitro(ml) de cola na produção
de mesa. Melhor apropriar um tubo de cola para um
determinado exercício.

EXERCÍCIO

1)Por motivos de precaução, sempre que o


contador se defrontar com alternativas igualmente
válidas de atribuir valores diferentes a um
elemento do ativo (ou do passivo), deverá optar
pelo mais baixo para o ativo e pelo mais alto para
o passivo. É o princípio da:
a) Materialidade c. prudência
b.consistência d. competência

2) Os efeitos no resultado do exercício decorrentes


da mudança de critério de avaliação dos
estoques devem constar da notas explicativas.
Este procedimento contábil está de acordo com o
princípio contábil da (do):

a.Prudência
b. Realização de Receitas
c.Custo Histórico como Base de Valor
d.Consistência ou uniformidade
e.Competência ou Confrontação

3) Esta regra contábil é de extrema importância


para Custos. Ela desobriga de um tratamento mais
rigoroso aqueles itens cujo valor monetário é
pequeno dentro dos gastos totais”.

De qual conceito em Custos estamos falando?


a) Materialidade ou relevância.
b) Princípio do custo histórico como base de valor.
c) Conservadorismo ou prudência.
d) Consistência ou uniformidade.

CUSTO DE FABRICAÇÃO
Custo de Fabricação ou Custo Industrial
compreende a soma dos gastos com bens e serviços
aplicados ou consumidos na fabricação de outros
bens.

Elementos componentes do Custo de Fabricação:

• materiais(MT);
Matéria-prima, secundários, embalagens.

• mão de obra(MO);
Esforço do homem aplicado na fabricação dos
produtos. Engloba direitos trabalhistas dos
funcionários.

• gastos gerais de fabricação(GGF)


São os gastos com aluguéis, energia elétrica,
serviços de terceiros, manutenção da fábrica,
depreciação das máquinas.

Classificação do Custo de Fabricação

1) Custos Diretos
Compreendem os gastos com materiais, mão de
obra e Gastos Gerais de Fabricação aplicados
diretamente na fabricação dos produtos. Além de
integrarem os produtos, suas quantidades e valores
podem ser facilmente identificados em relação a
cada produto fabricado.
Ex.: matéria-prima, materiais secundários e mão-de-
obra direta.
2) Custos Indiretos
Compreendem os gastos com materiais, mão de
obra e Gastos Gerais de Fabricação aplicados
indiretamente na fabricação dos produtos. São
atribuídos a cada produto de forma
proporcional(RATEIO), com base nas quantidades
produzidas. Além de não integrarem os produtos,
não são de fácil identificação em relação a cada
produto fabricado.
Ex.: aluguel da fábrica, energia elétrica.

3) Custos Fixos
São aqueles que permanecem estáveis
independentemente de alterações no volume da
produção. São custos necessários ao
desenvolvimento do processo industrial em geral,
motivo pelo qual se repetem em todos os meses do
ano.
Ex.: aluguel da fábrica, água (utilizada para consumo
do pessoal e limpeza da fábrica), energia elétrica
(utilizada para iluminação da fábrica), salários.

OBS.: Custos Fixos, por não integrarem os produtos


e por beneficiarem a fabricação de vários produtos
ao mesmo tempo, são também denominados Custos
Indiretos.

4) Custos Variáveis
São aqueles que variam em decorrência do
volume da produção. Assim, quanto mais produtos
forem fabricados em um período, maiores serão os
Custos Variáveis.
Ex.: matéria-prima. Se para fabricar uma saia é
necessário 1 metro de tecido, para se fabricar 50
saias serão necessários 50m desse mesmo tecido.
Assim, quanto maior for a quantidade fabricada,
maior será o consumo de matéria-prima e,
consequentemente, maior será o seu custo.

OBS.: Custos Variáveis, por estarem vinculados ao


volume produzido, são também denominados Custos
Diretos.

5) Custos Primários (CP)


Soma de matéria-prima com mão-de-obra
direta. Não são a mesma coisa que Custos Diretos,
já que nos Primários só estão incluídos aqueles dois
itens. Assim, a embalagem é um Custo Direto, mas
não Primário. (CP = MP + MOD)

6) Custo de transformação (CT)


Soma dos gastos com mão de obra (direta e
indireta) e com os Gastos Gerais de Fabricação
(diretos e indiretos), aplicados na transformação dos
materiais em produtos. No total desse custo, não se
incluem os gastos com materiais.
(CT = MOT + GGFT)

Custo de Produção do Período (CPP)


Soma dos custos incorridos na produção do
período dentro da fábrica. Para se obter esse custo,
basta somar os valores gastos com Materiais Diretos
e Indiretos, com Mão de Obra Direta e Indireta e com
os Gastos Gerais de Fabricação Diretos e Indiretos
aplicados na produção do período, sem considerar o
valor do Estoque Inicial dos Produtos em
Elaboração.
CPP = Materiais + MO + GGF

EXERCÍCIO

Calcular o custo de fabricação de um armário de


madeira.

Materiais gastos:
$ 80,00 por 10 m³ de madeira (usou 7 m³);
$ 16,00 por 80 pregos (usou 60 pregos);
$ 4,00 por 16 dobradiças (usou 14 dobradiças);
$ 10,00 por 10 tubos de cola (usou 8 tubos);
$ 20,00 por 5 vidros de verniz (usou 4 vidros);

Mão-de-obra – critério (base) para rateio = horas de


trabalho.
Salário dos marceneiros $ 1.100,00 por mês. Foram
gastos apenas 8horas na confecção do armário.
Obs.: Para os cálculos considere 220 horas por
mês.
Gastos gerais de fabricação – critério (base) para
rateio = horas de trabalho.
Obs.: Para os cálculos considere 220 horas por
mês.

Instalações e equipamentos – Foram utilizados:


instalações, martelo, serrote, metro e lixadeira.
A depreciação das instalações e equipamentos
equivale a $220,00 mensal. Foram gastas 8 horas na
confecção do armário.

Energia elétrica – a conta de energia do mês


somou $ 165,00. A fábrica de móveis possui três
departamentos (administração, marcenaria e
vendas), os quais consomem a mesma quantidade
de
energia. O tempo para a fabricação do armário foi de
8 horas.

Aluguel – o valor do aluguel é de $ 900,00 por mês,


assim distribuído:
($100,00 administração; $462,00 marcenaria;
$338,00 vendas. O tempo gasto para fazer o armário
foi de 8 horas.

Água – a conta de água do mês somou $132,00. O


rateio foi feito em partes iguais aos três
departamentos. O tempo para confeccionar o
armário foi de 8 horas.

Pede-se:
a) valor do custo com materiais;
b) valor do custo com mão-de-obra;
c) valor do custo com gastos gerais de fabricação;
d) custo direto;
e) custo indireto;
f) custo fixo;
g) custo variável;
h) custo primário;
i) custo de transformação;
j) custo de Produção do Período;
k) custo total de fabricação.

Você também pode gostar