Diálise

Diálise é o processo físico-químico pelo qual duas soluções (de concentrações diferentes), são separadas por uma membrana semipermeável, após um certo tempo as espécies passam pela membrana para igualar as concentrações. Na hemodiálise, a transferência de massa ocorre entre o sangue e o líquido de diálise através de uma membrana semipermeável artificial (o filtro de hemodiálise ou capilar). Já na diálise peritoneal, a troca de solutos entre o sangue e a solução de diálise ocorre através do peritônio. O transporte de solutos no processo dialítico ocorre por três mecanismos: Difusão: é o fluxo de soluto de acordo com o gradiente de concentração, sendo transferida massa de um local de maior concentração para um de menor concentração. Depende dopeso moleculare características da membrana.  

Ultrafiltração: é a remoção de líquido através de um gradiente de pressão hidrostática (como ocorre na hemodiálise) ou pressão osmótica (diálise peritoneal). 

Convecção: é a perda de solutos durante a ultrafiltração. Durante a ultrafiltração ocorre o arraste de solutos na mesma direção do fluxo de líquidos através da membrana.

A diálise é demonstrada em aulas práticas nos laboratórios de Biofísica. Metodologia: a partir dos conhecimentos teóricos sobre o pr ocesso, elaborou-se um protocolo, usando-se como membrana um saco de celofane, contendo uma solução dialisável de azul de metileno, imerso em água destilada (meio dialisador); variou-se a temperatura e a concentração da substância difundível e mediu-se, através de um fotocolorímetro, a absorbância das amostras coletadas a intervalos de cinco minutos. Resultados: a análise dos dados de absorbância revelou valores crescentes ao longo do tempo em todos os experimentos realizados. Contudo, nos casos em que a temperatura e a concentração foram maiores, a absorbância aumentou mais rapidamente. O processo tam bém pode ser acompanhado visualmente pelo aumento na intensidade da coloração da solução no meio dialisador. Discussão: o aumento na absorbância indica que a concentração do azul de metileno estava aumentando no meio dialisador ao longo do tempo. Além disso, os valores obtidos com a temperatura e a concentração maiores, revelam que a difusão se processou mais rapidamente nesses casos. Conclusão: os resultados obtidos indicam que o processo dialítico sofre influência da concentração e da temperatura. Quanto maiores essas variáveis, maior a velocidade de difusão das partículas.

Hemodiálise Esquema representativo do circuito de hemodiálise. Introdução Basicamente a separação por diálise é um processo lento que depende das diferenças entre o tamanho das partículas e entre os índices de difusão dos componentes coloidais e cristaloidais. Quando uma mistura é posta num recipiente de colódio. deixando as partículas coloidais no interior do recipiente. A hemodiálise é uma terapia de substituição renal realizada em pacientes portadores de insuficiência renal crônica ou aguda. sendo então devolvido ao paciente. Máquina de hemodiálise . A hemodiálise é um tratamento que consiste na remoção do líquido e substâncias tóxicas do sangue com um rim artificial. É o processo de filtragem e depuração de substâncias indesejáveis do sangue como a creatinina e a uréia. já que nesses casos o organismo não consegue eliminar tais substâncias devido à falência dos mecanismos excret res o renais. ou celofane e submersa em água. O sangue é retirado do paciente por um acesso venoso e impulsionado por uma bomba até o filtro. pergaminho. os íons e pequenas moléculas atravessam a membrana.

em média. Absorção: É a impregnação de substâncias nas paredes da membrana semipermeável. . Convecção: A diferença de pressão entre o compartimento do sangue e o dialisato favorece a saída de líquidos do sangue. de acordo com as necessidades de cada paciente. volume de ultrafiltração. as trocas de substâncias entre o sangue e o dialisato. a sessão de hemodiálise pode durar três horas e meia ou até mesmo cinco horas. Uma sessão convencional de hemodiálise tem. o sangue é obtido por um acesso vascular. arrastando consigo solutos de baixo pesomolecular. Ultrafiltração: Uma pressão hidrostática maior no compartimento do sangue e menor no compartimento do dialisato favorece a passagem de líquido do sangue para o dialisato. como a dialisse kn. também conhecido como dialisador. a duração de 4 horas e freqüência de três vezes por semana. As máquinas de hemodiálise possuem vários sensores que tornam o procedimento seguro e eficaz. e a freqüência pode variar de duas vezes por semana até hemodiálise diária em casos selecionados. temperatura. o sangue é então devolvido ao paciente pelo acesso vascular. Esse arraste de solutos é conhecido como convecção. permitindo maximizar a difere nça de concentração dos solutos em toda a extensão do filtro. unindo uma veia e uma artéria superficial do braço (cateter venoso central ou fístula artério-venosa) e impulsionado por uma bomba até o filtro de diálise. etc. difundem-se do sangue do paciente para a solução de diálise. condutividade do dialisato. detector de ar. Entretanto. Esses compartimentos são separados por uma membrana semipermeável e o fluxo de sangue e dialisato são contrários. Mecanismos de transferência de massas  Difusão : Solutos urêmicos e potássio.Na hemodiálise. Os principais dispositivos presentes nas máquinas de diálise são: monitor de pressão. permitindo assim. obedecendo a um gradiente de concentração. permitindo a retirada de volume do paciente. Após ser retirado do paciente e filtrado pelo dialisador.    Dialisador O filtro é constituído por dois compartimentos: um por onde circula o sangue e outro por onde passa o dialisato. o sangue é exposto à solução de diálise (também conhecida como dialisato) através de uma membrana semipermeável. No dialisador.

Cloramina. pCO2) que entram em equilíbrio com o sangue durante o processo dialítico. uma vez que tal situação aumenta o risco para a ocorrência de umacidente vascular encefálico hemorrágico. A máquina de hemodiálise mantém controle total sobre o dialisato. bicarbonato. . Atualmente os dialisadores passam por uma prática segura de reprocessamento. com infusão em bolus ou mesmo de maneira contínua. cada um com características próprias como por exemplo. Ca. ana lisa a performance e esteriliza o mesmo. podemos escolher um determinado filtro de acordo com as condições clí icas n e necessidades de cada paciente. Os fatores que favorecem a coagulação do sistema são: baixo fluxo de sangue. Existem diferentes tipos defiltros. Mg. clearance de uréia e maior ou menor área de superfície. A fim de evitar riscos de contaminação. catéter endovenoso. É importante ressaltar que a água usada durante a diálise deve ser tratada e sua qualidade monitorada regularmente. celulose modificada (celulose acrescida de acetato) e substâncias sintéticas (polissulfona. acetato. mantendo assim a concentração sérica desses solutos dentro dos limites normais. Flúor. etc. A escolha do dialisador é dada pelo peso do paciente. pela tolerância à retirada de volume e pela dose de diálise necessária. A diálise sem heparina deve ser usada sempre em pacientes com alto risco para sangramento. etc). Para isso utiliza-se alto fluxo de sangue e lavagem do circuito com soro fisiológico a cada 30 minutos. Pode-se usar heparina não fracionada ou de baixo peso molecular. O paciente não recebe anticoagulação quando a pressão arterial diastólica estiver acima de 110mmHg. Anticoagulação A anticoagulação deve ser feita para evitar a coagulação do sangue no circuito de diálise. A presença de compostos orgânicos (bactérias) e inorgânicos (Al.) podem causar sintomas durante a hemodiálise ou induzir alterações metabólicas importantes. como nível de con dutividade e temperatura da solução. exemplo: 190x120mmHg. K.As membranas são compostas por diferentes substâncias: celulose. que limpa. doentes com sorologia HIV+ não são enquadrados na prática de reutilização do dialisador. hematócrito alto. porém. a fim de evitar possíveis complicações durante o tratamento. Assim. Cl. alta taxa de ultrafiltração e transfusões intradialíticas. Os dialisadores são reutilizados sempre pelo mesmo paciente. Dialisato A solução de diálise contém solutos (Na. glicose.

Nesse processo. com a necessidade de se utilizar solução de reposição. Hemofiltração: não se usa a solução de diálise. levando de três a cinco horas em terapia convencional. o volume de líquido retirado do paciente é de 30 a 50 litros por dia. onde está contida a solução de diálise. potássio e outras substâncias. ultrafiltração e convecção. ocorrendo somente a ultrafiltração e convecção. O peritônio age como um filtro. Hemodiafiltração: é a combinação da hemodiálise e hemofiltração. Um deles é a cavidade abdominal. permitindo a transferência de massa entre os dois compartimentos. Por esse motivo é infundida uma solução de reposição a fim de compensar avariação de volume. Usa solução de diálise e -se filtro de alto fluxo permitindo uma ultrafiltração de 30 a 50 litros por dia. onde se encontra o sangue com excesso de escórias nitrogenadas. ocorrendo trocas de solutos com o sangue por difusão. ou seja. . Consiste em uma membrana semipermeável.   Diálise peritoneal Diálise peritoneal Diálise peritoneal é o processo de depuração do sangue no qual a transferência de solutos e líquidos ocorre através de uma membrana semipermeável (o peritônio) que separa dois compartimentos. heterogênea e com múltiplos poros de diferentes tamanhos.Conceitos  Hemodiálise: a solução de diálise passa pelo filtro. é utilizado dialisador de alto fluxo. Nesse caso. a quantidade de líquido removida é de 3 a 6 litros. o outro é ocapilar peritoneal. bastante permeável à água. Sendo assim.

as escórias nitrogenadas e líquidos passamdo sangue para a solução de diálise. obedecendo a um gradiente de concentração.  Absorção: há uma absorção constante de soluto e água da cavidade abdominal através dos vasos linfáticos do peritônio. enquanto o paciente dorme. Portanto. normalmente são feitas 4 trocas por dia e é a mais adequada para a maioria dos pacientes. por um período de 8 a 10 horas. dependem da modalidade de diálise peritoneal escolhida de acordo com as características clínicas de cada paciente. enquanto que o cálcio. repetindo assim o processo dialítico e dando início a um novo ciclo de diálise. difundem-se do sangue do capilar peritoneal para a solução de diálise. glicose e lactato. Pode ser feita manualmente ou por cicladora. em ambiente hospitalar. O número de trocas ou ciclos realizados por dia. uma nova solução é infundida. a qual é posteriormente drenada da cavidade peritoneal. função renal residual significativa e alguns casos de IRA.  Diálise Peritoneal Ambulatorial Contínua (CAPD): nessa modalidade o abdome fica sempre preenchido com líquido. difundem-se da cavidade para o sangue em uma escala menor. Diálise peritoneal passo-a-passo A solução de diálise é introduzida na cavidade abdominal através de um cateter. Modalidades de diálise peritoneal  Diálise Peritoneal Intermitente (DPI): o tratamento é dado durante 24 a 48 horas. Durante o dia a cavidade abdominal fica vazia . Indicada em pacientes com alta permeabilidade. De um modo geral.  Ultrafiltração: a osmolaridade mais elevada da solução de diálise gera uma ultrafiltração de água e solutos do sangue para a cavidade abdominal através do peritônio (processo chamado de ultrafiltração osmótica). Mecanismos de transferência de massas  Difusão: solutos urêmicos e potássio. com troca a cada 1 ou 2 horas.  Diálise Peritoneal Noturna (NIPD): a diálise é realizada a noite pela cicladora. permanência e drenagem. e com freqüência de 2 vezes por semana. onde permanece por um determinado tempo para que ocorram as trocas entre a solução e o sangue (esse processo é chamado de permanência).A diálise peritoneal é uma terapia de substituição renal. assim como o tempo de permanência e drenagem. Após isso. cada ciclo de diálise peritoneal (conhecido como troca) possui três fases: infusão.

 Diálise intermitente: é quando ocorrem intervalos entre as diálises. CAPD. Exemplos: CCPD. Dessa forma o abdome fica sempre preenchido por líquido de diálise. ou seja.  CCPD com troca manual: uma ou mais trocas extras são realizadas durante o dia para melhor adequação do paciente. Conceitos  Diálise peritoneal manual: as trocas são realizadas manualmente pelo paciente ou por terceiros com treinamento prévio. não ocorrendo o processo dialítico. ocorre diálise sem interrupção durante 24 horas por dia. durante determinado período a cavidade abdominal fica vazia. Exemplos: NIPD. . Exemplos: NIPD. DPI. CCPD. DPI por cicladora.  Diálise contínua: nesse modo. Diálise Peritoneal Contínua por Cicladora (CCPD): as trocas são feitas durante a noite pela cicladora e durante o dia a cavidade abdominal permanece com líquido de diálise. a qual é previamente programada para realizar as trocas de acordo com as necessidades de cada paciente. Exemplo: CAPD  Diálise peritoneal automática: as trocas são feitas por um dispositivo mecânico chamado cicladora.

com o auxílio de uma máquina. inchaços. A invés de utilizar um filtro artificial para ³limpar´ o sangue. Após um período de permanência do banho de diálise na cavidade abdominal. substituir as funções dos rins de alguma maneira. portanto. e alterações nos exames de sangue (aumento de uréia. É preciso. para permitir que estas fiquem mais calibrosas e. forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado. água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. o que pode ser feito realizando-se um transplante renal. A diálise é.y Quem precisa fazer diálise? Os rins têm a função de eliminar substâncias tóxicas do organismo através da urina. dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Esse processo é realizado de uma forma contínua. Se os rins estão muito doentes. Quando os rins sofrem de alguma doença crônica que leve à perda de suas funções. este fica saturado de substâncias tóxicas. que é uma membrana localizada dentro do abdômen e que reveste os órgãos internos. é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula. em geral. rins policísticos. ou através da diálise. Através da diálise. em pacientes com hipertensão arterial (³pressão alta´) mal-controlada. o paciente geralmente apresenta sintomas como fraqueza. A hemodiálise vai promover a retirada das substâncias tóxicas. deixam de realizar suas funções. que chamamos de banho de diálise. vômitos. creatinina. y Quais os tipos de diálise? Existem dois tipos de diálise: hemodiálise e diálise peritoneal. e é conhecido por CAPD. Participam também da excreção de água e de sais minerais. diabetes mellitus de longa duração. dizemos que há insuficiência renal crônica. Nesta situação. desta forma. glomerulonefrite crônica. do controle da acidez do sangue e da produção de hormônios. é possível melhorar os sintomas acima citados e reverter a situação de risco de vida imposta pela insuficiência renal. Isso pode ocorrer. náuseas. e é então retirado. A diálise peritoneal é uma forma segura de tratamento realizada atualmente por mais de 100. vai entrar em contato com o peritônio. que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço. etc. anemia. A diálise peritoneal funciona de maneira diferente.). potássio. por exemplo. Para que o sangue passe pela máquina. ou ainda no local de trabalho. A través da colocação de um catéter flexível no abdômen. retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo. então. e por ele será feita a retirada das substâncias tóxicas do sangue. um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins. falta de ar. o que pode levar a risco de vida. y Como é feita a diálise peritoneal? .000 pacientes no mundo todo. estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. é feita a infusão de um líquido semelhante a um soro na cavidade abdominal. é realizada 3 vezes por semana. perda de apetite. sendo feita em seguida a infusão de novo banho de diálise. palidez. em sessões com duração média de 3 a 4 horas. entre outras causas. Este líquido. sigla em inglês que significa diálise peritoneal ambulatorial contínua. y Onde é feita a diálise peritoneal? A diálise peritoneal pode ser feita na própria casa do paciente. A hemodiálise. é utilizado o peritônio. já que o processo de troca do banho de diálise é feito pelo próprio paciente ou por algum familiar.

substância tóxicas e sais minerais. Quem vai decidir qual dos tratamentos indicar é o próprio médico. efetua a retirada constante de líquidos.Mestre em Nefrologia Dr. o que possibilita maior liberdade de dieta. Dra. Maria Claudia Cruz Andreoli . proporciona também maior preservação da função renal residual. pode haver preferência por ou outro método. e maior independência em relação à clínica de diálise e à equipe médica e de enfermagem. Além disso. ou seja. Após ser infundido. ou diálise peritoneal automática. y Quais as vantagens da diálise peritoneal? Como o tratamento é feito pelo próprio paciente ou por sua família. A cicladora pode ser colocada à beira da cama do paciente. Após a drenagem. estas são realizadas à noite. conhecida por DPA. uma outra forma de realizar a diálise peritoneal. é feita a infusão do banho de diálise na cavidade abdominal. Por ser método mais suave. além do CAPD. Apenas deve ter o cuidado de realizar as trocas em lugar limpo. com o auxílio de uma máquina conhecida como cicladora. por ser uma terapia contínua. liberando o paciente da necessidade de trocas durante o dia. Esta terapia funciona de forma semelhante à CAPD. ao invés das trocas serem efetuadas ao longo do dia. são feitas de 3 a 6 trocas de líquido ao longo do dia. Em caso de dúvidas. e com cuidados de assepsia e técnica que serão orientados por uma equipe de enfermagem. possibilitando desta forma. consulte sempre o seu médico e informe-se sobre outros detalhes deste tratamento. de acordo com o quadro clínico e o estilo de vida do paciente. Entretanto. de acordo com as condições clínicas de cada caso. No intervalo entre as trocas. há maior liberdade para viajar. que têm um sistema para conexão ao catéter abdominal. . Em geral. Marco Antônio Nadaletto Serviço de Diálise Peritoneal do Hospital do Rim e Hipertensão Fundação Oswaldo Ramos . é feita nova infusão. de forma automática. Entretanto.Na CAPD. também se baseia na infusão e drenagem do banho de diálise na cavidade abdominal. conforme já mencionado.UNIFESP/EPM. em conjunto com o paciente e sua família. enquanto o paciente está dormindo. o paciente pode realizar as suas atividades diárias normalmente. Existe. para então ser drenado. o tratamento noturno. e assim sucessivamente. y Qual tipo de diálise é melhor: hemodiálise ou diálise peritoneal? Não existe um tipo de diálise melhor do que a outra. O banho vem armazenado em bolsas de material plástico flexível. o líquido permanece por alguma s horas dentro do abdômen do paciente.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful