Você está na página 1de 96

Traduzido do Francês para o Português - www.onlinedoctranslator.

com
Omraam Mikhaël Aïvanhov

Liberdade,
vitória espiritual

6eedição

coleção Izvor
Nº 211

EDIÇÕES PROSVETA
©Editions Prosveta SABP
12 - 83601 Fréjus Cedex
(França)

ISSN 0290-4187
ISBN 2-85566-228-1
Sendo o ensinamento do Mestre Omraam Mikhaël Aïvanhov
estritamente oral, este trabalho, dedicado a um tema escolhido, foi
escrito a partir de palestras improvisadas.
Conteúdo
1. A ESTRUTURA PSÍQUICA DO HOMEM (LUGAR E ATIVIDADE DO ESPÍRITO)

2. AS RELAÇÕES DE MENTE E CORPO


3. DESTINO E LIBERDADE
4. MORTE LIBERTANTE
5. O HOMEM É LIVRE SOMENTE DA LIBERDADE DE DEUS
6. A VERDADEIRA LIBERDADE É UMA CONSAGRAÇÃO
7. LIMITANDO-SE PARA SE LIBERTAR
8. ANARQUIA E LIBERDADE
9. SOBRE O CONCEITO DE HIERARQUIA
10. A SINARQUIA INTERNA
1
A ESTRUTURA PSÍQUICA DO HOMEM

(LOCAL E ATIVIDADE DO ESPÍRITO)

Toda a minha vida eu procurei apenas uma coisa: como ser útil
para os humanos. Essa é minha única preocupação, minha única
preocupação. Conheço as condições em que vivem, não sou tão cego
a ponto de não ter percebido todas as dificuldades que encontram. Só
que, para não se deixarem esmagar e desintegrar completamente,
eles devem conhecer métodos adequados que os ajudem a fortalecer
sua vida interior todos os dias.

O quadro que apresento a vocês hoje é um resumo de todos os


métodos que nosso Ensino oferece, e acho que você nunca viu um
assim. Por enquanto, você vê apenas palavras isoladas, sem conexão
entre elas, mas uma vez explicadas, conectadas, substituídas nesse
todo, todos os seus significados e suas correspondências aparecerão
claramente para você.
Esta tabela, que pode ser chamada de sinótica porque representa
uma visão geral da estrutura do ser humano e das atividades que
correspondem às suas diferentes faculdades, é composta por cinco
colunas verticais.
A primeira coluna indica os princípios dos quais o homem é feito: o
corpo físico, a vontade, o coração, o intelecto, a alma e o espírito.

Na segunda coluna você vê escritoideal, porque cada princípio


tende a um ideal que é obviamente diferente para cada um.

Para que cada princípio alcance seu ideal, ele precisa ser
fortalecido, nutrido, nutrido. É por isso que a terceira coluna traz a
mençãoComida.
Por fim, as duas últimas colunas são dedicadas a Forma de
pagamento, ou seja, o preço que deve ser pago para obter
este alimento e aoatividade, ou seja, o trabalho que deve ser feito
para receber esse pagamento.
Você pode ver, portanto, que todas essas noções estão interligadas de
uma maneira perfeitamente clara e lógica.
Para facilitar o entendimento, começaremos pelo corpo físico, pois
todos sabem o que é o corpo físico, todos têm a ver com ele, é visível,
palpável, é uma realidade que não podemos duvidar. O ideal do
corpo físico é a saúde. Para ele, nada é mais precioso, mais essencial
do que estar bem de saúde, vigoroso, cheio de força, e claro que para
possuir essa vitalidade ele precisa ser nutrido com todo tipo de sólido,
líquido e gasoso. Se ele não receber este alimento, ele morre. Para
sobreviver, você tem que comer, até as crianças sabem disso. Mas
para ter essa comida, você precisa de dinheiro, e para ter dinheiro,
você tem que trabalhar. Você conhece a história... Perguntamos a um
quebrador de pedras: "Então, Antonio, por que você está quebrando
pedras? - Para conseguir dinheiro. - E por que ter dinheiro? - Para
comprar macarrão. - E por que macarrão? - Comer. - E por que comer?
- Ter força. - E por que ter forças? - Para quebrar pedras...” Sim, um
círculo vicioso! Então você concorda, não é? Para comer você precisa
de dinheiro, e para ter dinheiro você tem que trabalhar, é simples.

Mas espere, o que parece tão óbvio para você no plano físico, você
nunca pensou que também é encontrado nos outros planos. A
vontade, o coração, o intelecto, a alma e o espírito também cada um
tende a um objetivo, e para alcançar esse objetivo cada um precisa
ser nutrido; para ter essa comida, você precisa de dinheiro; e esse
dinheiro é ganho apenas fazendo um determinado trabalho. Quando
você tem todos os elementos
desta mesa, você terá a chave para a vida psíquica do homem.

Obviamente, é o corpo físico que sustenta todos os outros


princípios mais sutis. A alma e o espírito, por exemplo, não estão
realmente no corpo físico, mas se manifestam através dele, através
do cérebro, do plexo solar, dos olhos... luz, que se manifesta através
de seus olhos? Os olhos pertencem ao corpo físico, mas quem se
manifesta, quem usa esse meio de expressão, quem é? Talvez seja a
alma, talvez seja o espírito, talvez seja o próprio Deus... foram forças
hostis que usaram você e o derrubaram. Assim,

Agora, qual é o ideal da vontade? Poder e movimento, é o que ela


pede. Você dirá: "Mas ela pode pedir sabedoria, inteligência, beleza..."
Não, não é do domínio dela, são outros princípios que pedem isso. A
vontade pode ser mobilizada para adquirir inteligência ou para criar
uma obra de arte, mas o que ela deseja para si, a única coisa que a
tenta, é poder e movimento. Ela não quer ficar inativa, ela gosta de se
ocupar, de tocar, de mexer, de mexer as coisas.

Mas, como acontece com o corpo físico, a vontade não pode


realizar seu ideal sem alimento. E seu alimento é a força.
Impulsionada pela força, a vontade torna-se energética; sem esse
alimento, ele murcha. E o elemento que para ela corresponde ao
dinheiro e serve para comprar essa força, é o
gesto. Sim, você deve sempre se afastar da imobilidade e da inércia
para ativar, estimular, desencadear energias. É acostumando-se a
agir, a mover-se, que a vontade "compra" força e se torna poderosa.
O primeiro de todos os movimentos é a respiração. Quando a criança
nasce, ela respira, e nesse momento todos os outros processos são
acionados...

Para conseguir o dinheiro para comprar comida para a vontade, é


preciso se acostumar a praticar certos exercícios como os
recomendados pelo nosso Ensinamento: exercícios de respiração,
[1],
ginástica, paneurritmia ... Todos esses exercícios são projetados para
[2]

fortalecer a vontade. Claro, você pode adicionar muitas outras


atividades cotidianas que nem precisam ser listadas; você os conhece,
há um número muito grande deles, mas aqui estou falando apenas
de exercícios que se relacionam mais particularmente com a vida
espiritual.

Você dirá que achava que esses exercícios não podiam desenvolver
tanto a vontade, que eram feitos apenas para dar vitalidade ao corpo
físico ou até alegria ao coração... Isso também é verdade, porque
tudo está vinculado. Por enquanto, para ficar bem entendido, separo
os planos atribuindo a cada um o que lhe pertence, mas na realidade
todos esses princípios são inseparáveis. Quando você faz exercícios
de respiração ou movimentos de ginástica, o corpo também se
beneficia, a saúde melhora, o vigor aumenta e você se sente mais
disposto, mais alegre, com ideias mais claras, é óbvio. Nada está
isolado, tudo está ligado.

Agora vamos ver o coração. O ser humano tem uma faculdade de


sentir e de se emocionar que se chama coração. Não se trata
absolutamente do coração físico que a anatomia e a fisiologia
estudam e que é o principal órgão da circulação.
sangue, uma espécie de bomba hidráulica. Estamos falando aqui do
verdadeiro órgão da sensação e da emoção, localizado no plexo solar.
Eu já te falei muito sobre isso e terei a oportunidade de voltar a este
[3]

assunto novamente.
Qual é o ideal do coração agora? Ele busca conhecimento,
conhecimento, poderes? Não, ele precisa de felicidade, alegria, calor,
porque é no calor que ele ganha vida. O frio o mata. Onde quer que
vá, ele busca calor nas criaturas. O alimento do coração é o
sentimento, todos os tipos de sentimentos, sentimentos bons e,
infelizmente, também os ruins. Mas como temos que nos limitar,
falamos aqui apenas dos bons sentimentos que nutrem o coração dos
filhos e filhas de Deus.

A moeda usada para pagar a felicidade e a alegria é o amor.


Quando você ama, imediatamente seu coração é nutrido. Quantas
vezes eu te disse! Você não pode ser feliz com riquezas, nem com
poderes, nem mesmo com beleza, mas apenas com amor. É o amor
que te faz feliz. Você pode dar qualquer outra coisa ao coração, ele
ficará insatisfeito, ele lhe dirá: “Dê-me amor! porque com amor ele vai
comprar tudo o que precisa. Quando você ama alguém,

* Ver “O plexo solar e o cérebro”. Volume VI de


Obras Completas.
esse amor é uma moeda que permite "comprar" todo tipo de
sensações, emoções, sentimentos. Milhares de sensações nascem
todos os dias do seu amor. Assim que você não tem mais amor, você
não tem mais dinheiro: não tem mais emoções, sensações, você não
experimenta mais nada! Não importa o quanto você beije sua esposa,
se você não a ama mais, você não sente alegria nem felicidade. Mas
se você gosta, oh meu! mesmo sem beijá-la, você sente
atravessado por milhares de sentimentos e sensações impossíveis de
analisar... simplesmente porque o amor está ali.
O intelecto tem o conhecimento como seu ideal, e para atingir esse
ideal ele precisa de nutrição. Este alimento é o pensamento. Claro,
quando digo "pensamento", também podemos significar, como com
o coração, maus pensamentos, porque há pensamentos de todos os
tipos, mas aqui novamente falaremos apenas dos melhores e mais
luminosos pensamentos. É o pensamento que alimenta o intelecto; se
você não pensar, você não saberá nada. Alguns dizem: “Por que se
preocupar? Não pense muito, é perigoso, você enlouquece. Sim,
enlouquecemos se pensarmos mal! Mas o pensamento correto e
claro é o melhor alimento para o intelecto. Se você não alimentar seu
intelecto, ele escurece, enfraquece: você o deixa morrer de fome.

Mas para comprar os melhores pensamentos, você precisa de


dinheiro, e esse dinheiro é sabedoria. Somente a sabedoria pode
comprar os melhores pensamentos através dos quais seu intelecto
obterá a luz que procura. A sabedoria é prata... ou melhor, ouro, ouro
que vem do sol. Sim, a sabedoria, o ouro espiritual, vem do sol. Com
este ouro você pode comprar tudo nas lojas celestiais, assim como,
com o ouro físico, você pode comprar tudo o que quiser nas lojas
terrestres. Quando você chega às entidades acima para pedir o que
quer, elas olham para ver se você tem ouro, e se tem, enchem suas
sacolas de compras; caso contrário, eles não lhe dão nada.

Para ganhar este ouro é preciso trabalhar: é preciso ler, estudar,


refletir, meditar; e se não for mencionado nesta última caixa que para
obter este ouro, é necessário ir contemplar o nascer do sol, bem, você
pode adicioná-lo: é necessário ir
na primavera e no verão assista ao nascer do sol para capturar o ouro
solar...
E o ideal da alma? Você pode se surpreender, mas o que a alma
pede não é conhecimento, nem luz, nem felicidade.

Seu ideal é o espaço, a imensidão, só precisa de uma coisa:


expandir, alargar, estender até abraçar o infinito. Seu ideal é o
infinito. Se a limitarmos, ela se sente infeliz. A alma humana faz parte
da Alma Universal e se sente tão limitada, tão sufocada em nós que
seu único desejo é poder se expandir no espaço. Geralmente se
imagina que a alma reside inteiramente no homem; na realidade,
não, é uma pequena partícula que está no homem, todo o resto está
fora dele e leva uma vida independente no oceano cósmico. Mas
como a Alma universal tem projetos para nós e deseja poder nos
animar, nos vivificar, nos embelezar, ela tenta penetrar em nós para
nos impregnar cada vez mais. Nossa alma, portanto, não se limita a
nós,

Mas para atingir esse ideal, a alma também precisa ser fortalecida e
existe para ela um alimento adequado: todas as qualidades da
consciência superior, impessoalidade, abnegação, sacrifício, tudo o
que impele o ser humano a ir além de seus limites, superar seu
egocentrismo. Todas as atitudes pessoais e egoístas estabelecem
limites, separações. Assim que você diz: "Isso é meu!" uma separação
já é introduzida, enquanto atitudes impessoais removem e derrubam
todas as barreiras.
Para alimentar a alma, também é preciso dinheiro, e esse dinheiro,
ou seja, o único meio que permite à alma expandir-se ao infinito, é a
dilatação, a fusão, o êxtase. E a atividade que permite chegar a este
estado sublime é a oração, a adoração, a contemplação. A oração é
uma busca do esplendor divino, e quando o homem consegue entrar
em contato com esse esplendor, ele experimenta tal expansão que se
sente como se fosse arrancado de seu corpo. Isso é êxtase. Todos
aqueles que conheceram o êxtase o disseram: eles não estavam mais
na terra em seu corpo físico limitado; sentiam-se imersos, fundidos
na Alma Universal, inteiramente fundidos com ela.

A alma é o princípio feminino por excelência, o princípio feminino


maravilhosamente expresso divinamente. O espírito é a expressão
divina do princípio masculino. O intelecto e o coração também
representam os princípios masculino e feminino, mas em um nível
inferior. Essa alternância dos dois princípios se repete em todas as
regiões do universo, mas sob diferentes aspectos, positivo e negativo,
emissivo e receptivo... em todos os lugares você encontrará apenas
os princípios masculino e feminino.

O que o espírito pede? Ele não busca nem espaço, nem


conhecimento, nem felicidade, nem poder, nem saúde. Não, nada
disso, porque ele nunca esteve doente, fraco, infeliz, sombrio ou frio.
O espírito só pede uma coisa: eternidade. Como ele é de essência
imortal, ele se recusa a se deixar limitar pelo tempo, ele quer a
eternidade. Assim como a alma tem o espaço como seu domínio, o
espírito tem o tempo como seu domínio. É por isso que posso dizer a
físicos e filósofos que eles nunca entenderão a natureza do espaço e
do tempo se não entenderem a natureza da alma e do espírito.
Porque o espaço e o tempo são
noções de uma quarta dimensão que toca a alma e o espírito. Os
cientistas nunca serão capazes de penetrar os mistérios do tempo e
do espaço até que trabalhem conscientemente através de suas almas
e mentes com essas noções de infinito e eternidade.

Para obter a eternidade, ou mais exatamente para trazê-la à


consciência humana, pois ela mesma é eterna por natureza, o espírito
precisa de alimento. Você está surpreso que o espírito precisa de
nutrição? Eu também te disse um dia que o próprio Senhor alimenta...
E o alimento do espírito é a liberdade! Se a alma precisa se expandir,
o espírito precisa cortar todos os laços que a mantêm acorrentada no
tempo.

Mas a liberdade se compra e, para obtê-la, o espírito deve ser rico


com um dinheiro que é a verdade. Não é a sabedoria nem o amor que
podem libertar a mente, mas apenas a verdade. Cada verdade que
você consegue obter sobre este ou aquele assunto lhe dá a
possibilidade de se libertar de certos obstáculos. Jesus disse:
“Conhecei a verdade e a verdade vos libertará. Sim, é a verdade que
liberta. Você dirá: “E amor? Ah, amor, isso te acorrenta, te amarra!
Você quer se ligar a algo, a alguém, chame amor: nada o ligará tão
bem quanto ele. Você quer se libertar? Chame a verdade. E a prova,
veja o que acontece com os velhos: eles começam a conhecer a
verdade, e como a verdade traz liberdade, aqui está, eles se libertam
deste mundo e vão para o próximo. Considerando que quando
estamos apaixonados, não queremos nos libertar, preferimos ficar na
terra para sempre para caminharmos juntos e nos beijarmos... Pense
bem, você não pode discordar!
Mas para possuir esta verdade, há uma atividade, um trabalho a ser
feito, e este trabalho é a identificação com o Criador. Nessa
identificação, nos aproximamos Dele, nos fundimos, nos tornamos
um com Ele e possuímos a verdade. Quando Jesus disse: “Meu Pai e
eu somos um”, ele estava resumindo esse processo de identificação. É
através do trabalho de identificação que você obterá esse ouro
chamado verdade. E esta verdade é que o homem é um espírito, uma
centelha vinda de Deus que um dia retornará a Deus... Esta é a
verdade. No dia em que compreendeu, viu e sentiu isso, o homem se
torna livre: livre de paixões, livre de ambições terrenas, livre de
sofrimento e angústia, e entra na eternidade.

Alguns ficarão surpresos ao ver a liberdade associada à categoria


de tempo e não à de espaço. “Ser livre, dirão, é poder se mover,
escapar das limitações. Então a liberdade deveria ser uma aquisição
da alma? Não, liberdade e espaço não devem ser confundidos. A
verdadeira liberdade é não poder se movimentar como deseja.
Imagine um homem tão aborrecido com a sogra que um dia faz a
mala e vai para as montanhas. Mas agora mesmo lá em cima, ele
também não está livre. Por quê ? Porque em sua cabeça ele fica
remoendo os mesmos rancores, as mesmas discussões. Fisicamente
ele está longe dela, mas mentalmente ele não a deixou porque não
para de pensar nela... e que bons pensamentos ele manda para ela! A
noção de liberdade não está ligada ao espaço, porque não é o espaço
que dá verdadeira liberdade. Dá uma certa liberdade: no espaço
somos livres para nos mover, podemos nos mover, nos mover, mas a
verdadeira liberdade é outra coisa! A verdadeira liberdade é a
consciência da eternidade.

“A vida eterna é conhecer a Ti, o único Deus verdadeiro”, disse


Jesus. E de que conhecimento estamos falando aqui?
Certamente não o conhecimento intelectual, como as pessoas que
leram alguns livros e dizem: "Eu conheço o assunto". O verdadeiro
conhecimento é outra coisa: “Conhecer a Ti, Tu, o único Deus
verdadeiro”, isso significa tornar-se um com Ele, identificar-se com
Ele. Esta identificação, esta fusão, o homem só realizará através do
seu espírito, e só então será livre.

Sente agora a veracidade de tudo o que acabei de lhe contar?


Obviamente, se você me ouvir com uma atitude puramente
intelectual e objetiva, talvez você não sinta nada e até descubra que
minhas palavras não correspondem às suas opiniões. Se toda a
cultura contemporânea colocou na sua cabeça ideias que o impedem
de entender, não é minha culpa. Mas, apresse-se, adote meu modo
de ver e você vai se surpreender. Você dirá: “Compreendi a
importância desta pintura. Vou levá-lo comigo, onde quer que eu vá,
no trem, no metrô, no dentista... até em salões de beleza! Eu vou
assistir". Sim, este gráfico pode te ajudar muito, nunca diminuir seu
valor.
2
RELATÓRIOS ESPIRITUAIS

E CORPO

O homem possui um espírito de essência divina que participa de


todos os eventos do universo. Mas como a matéria dos órgãos
susceptíveis de receber as mensagens do espírito não é
suficientemente refinada e sutil, muito poucas dessas mensagens
chegam à sua consciência. É por isso que, como os alquimistas que se
preocupavam apenas com a transformação da matéria, é com seu
corpo físico que o homem deve se preocupar para purificá-lo,
espiritualizá-lo, divinizá-lo.
Os alquimistas estavam certos em lidar apenas com a matéria para
transformá-la. Nós também devemos trabalhar nessa direção,
cuidando para dar ao nosso corpo físico alimento e bebida puros, ar
puro, os raios do sol, e até cercá-lo das mais belas formas que
existem, cores, fragrâncias...' Sim, isso te surpreende? Mas o espírito
não precisa que você cuide dele, ele é onisciente, onipotente e livre
como Deus. É a sua matéria que você deve cuidar para transformá-la,
pois assim seu espírito terá cada vez mais possibilidades de se
manifestar no plano físico.

Mas esta é uma questão que ainda não é tão bem compreendida,
mesmo pelos espíritas. Muitos acreditam que é o espírito que deve
ser purificado, enobrecido e, ao contrário, negligenciam o corpo
físico, até mesmo o desprezam. Como o espírito se manifesta através
do corpo de maneira imperfeita, eles
pense que é o espírito que é imperfeito e que deve ser desenvolvido,
fortalecido, purificado. Não, o espírito é uma centelha pura vinda de
Deus e dotado de infinitas faculdades, mas é preciso que lhe sejam
dadas condições favoráveis para se manifestar. Há casos em que
certos seres, pensadores, artistas, místicos entram em estados tão
extraordinários de inspiração, de iluminação, que chegam a tocar
realidades sublimes, e quando voltam desse estado, é que mal
entendem o que lhes aconteceu. Isso prova que se melhorássemos
no homem suas capacidades de recepção e percepção, se o
puséssemos em condições em que seu espírito pudesse se manifestar
mais, perceberíamos suas incríveis possibilidades.

Tomemos também o exemplo de um homem mentalmente


retardado ou doente; seu espírito não está doente nem retardado,
mas é o órgão através do qual seu espírito deve se manifestar, o
cérebro, que contém algumas anomalias. É exatamente como um
virtuoso que recebe um piano desafinado. Faça o que fizer e seja qual
for sua boa vontade ou seu virtuosismo, ele só ouvirá sons terríveis.
Não é o virtuoso que está em falta, é o piano. O cérebro através do
qual o espírito deve se manifestar é exatamente como o piano no
qual o virtuoso deve tocar. Então, veja você, é na questão de seus
diferentes corpos (físico, astral, mental) que o homem deve trabalhar
para purificá-lo, caso contrário o espírito não poderá transmitir a ele
nenhum de seus poderes. O espírito é uma centelha divina, todos os
poderes, todo o conhecimento do Senhor estão contidos em sua
quintessência, bastando apenas dar-lhe um instrumento adequado. E
o corpo físico é precisamente um dos instrumentos que Deus deu ao
homem, um instrumento de extraordinária riqueza,
construído com sabedoria inexprimível. E agora alguns desprezaram
e rejeitaram o corpo físico porque é matéria, enquanto o espírito,
você entende, o espírito é nobre, divino...

Você me dirá, é claro, que hoje em dia os humanos entenderam a


importância do corpo físico. Sim, mas não no sentido em que
deveriam tê-lo entendido: cuidam do corpo físico para lhe dar comida,
higiene, conforto, prazeres sensuais, para torná-lo sedutor, atraente,
mas não para torná-lo um instrumento da mente. Diz-se nos
Evangelhos: “Vós sois os templos do Deus Vivo. É o espírito ou o corpo
que é o templo de Deus? Não é o espírito que pode ser o templo, pois
é imaterial; o espírito é o celebrante, aquele que realiza a cerimônia.
O templo é o corpo físico. É claro, mas ainda não foi totalmente
compreendido. Quantas coisas são ditas nos Evangelhos cujo
significado ainda precisa ser esclarecido!

O espírito é filho de Deus, é um princípio imortal, o que mais


podemos acrescentar a ele? Mas o corpo físico é o nosso trabalho!
Nossos problemas, nossas dificuldades, nossos sofrimentos, é o
corpo físico. Deve ser tão puro, tão invulnerável, tão inacessível ao
mal e à doença, tão vivo e sutil, que realmente se torne o porta-voz do
espírito, um meio de expressão para todo o Céu, para que todas as
maravilhas do universo possam aparecem através dele. Por
enquanto, é claro, o corpo físico não é um templo, mas uma taverna
onde todo o Inferno é convidado a festejar. Nós o usamos para as
coisas mais abomináveis, achamos que ele está lá para isso. Não, o
corpo é feito para se tornar o instrumento ideal da mente, e quando
se torna este instrumento,
espaço... Você verá, um dia o homem fará maravilhas com seu corpo
físico. Para a mente é muito fácil: quando sai do corpo, que é pesado
e pesado, pode ir a qualquer lugar, é livre, nada a detém, vai para as
estrelas, penetra nos oceanos... ainda não está pronto para tais
empreendimentos.

O que estou dizendo aqui é muito importante. A história da


humanidade mostra que muito raramente os humanos sabiam que
lugar deveriam dar respectivamente ao espírito e ao corpo. Para
alguns existe apenas o espírito, e o corpo é tão desprezado que se
definha. Mas se o corpo era tão desprezível e se só o espírito contava,
não se deve descer à terra, deve-se permanecer em cima, onde está o
espírito! Se descemos para encarnar na terra, é porque há muito
trabalho a ser feito aqui. A missão do espírito é descer, levar um
corpo físico para trabalhar na terra para transformá-la em um belo
jardim onde o Senhor virá caminhar. Se ele tivesse que rejeitar a
matéria, por que o homem teria descido a ela? Por que mergulhar
nessa questão se não é para sublimá-la, para torná-lo luminoso e
transparente como a mente? Quando Jesus disse: "Seja feita a tua
vontade assim na terra como no céu", também ele falava para que o
esplendor do espírito descesse na matéria. Infelizmente, quando os
humanos encarnam na Terra, eles esquecem a missão que têm que
cumprir e, quando voltam para o andar de cima, não fizeram nada
além de lixo e manchar o assunto em que tiveram que trabalhar.

Agora é a hora de lidar com a matéria


- e a matéria é tanto o nosso corpo físico como a terra - e transformá-
la fazendo descer o espírito, porque é o espírito que anima, é o
espírito que liberta, é o espírito que ilumina... Deus depositou tudo as
riquezas e todos os
possibilidades no homem, mas enquanto o homem não trabalhar
para trazer o espírito para dentro de seu corpo físico, ele é como um
solo não fertilizado, ele não pode produzir nada. Embora possua tudo
em poder, é como se não possuísse nada. A ignorância dessa verdade
causa grande dano a alguns. Por se verem privados de uma série de
possibilidades que os outros têm, eles realmente acreditam que são
pobres e desamparados enquanto os outros são privilegiados. Não,
eles têm os mesmos talentos, as mesmas qualidades que os outros,
só que ainda não conseguiram manifestá-los porque não trabalharam
para sintonizar seu corpo físico com seu espírito.

A diferença que existe entre os humanos não é que seus espíritos


estejam em diferentes estágios de evolução, não, todos os espíritos
são chamas, todos os espíritos são faíscas, todos os espíritos são
quintessência, parte do Senhor, assim como as gotas de água no
oceano são um resumo do oceano. Todos os espíritos são idênticos,
mas ao se separarem do Senhor, essas centelhas, que cada uma tinha
uma missão a cumprir, tiveram que atravessar diferentes regiões e,
portanto, registraram diferentes impressões, conhecimentos,
emoções. A diferença está, portanto, apenas aí: alguns espíritos
viajaram por certas regiões e outros de outras regiões. Mas em sua
essência, em sua quintessência, em sua natureza sublime, eles são os
mesmos. Enquanto os corpos físicos não são os mesmos:

A verdade então é que tudo está dentro de nós. Esse tempo é


necessário para a materialização, para a concretização do
possibilidades da mente, é um dado, mas nossa mente realmente
tem todas as possibilidades. Se você pensar sobre essa verdade com
mais frequência, ela o ajudará enormemente em sua evolução.

Vamos dar um exemplo. Os humanos estão acostumados a esperar


tudo do lado de fora. Por um lado, é normal, porque eles não
poderiam viver sem um certo número de coisas que recebem de fora:
água, ar, sol, comida. Somos criaturas e todas as criaturas, toda a
criação é obrigada a receber pelo menos alimento de fora. Somente o
Criador escapa dessa lei, Ele não precisa de outros para alimentá-lo.
Sim, mas como Ele deixou algo de Si em cada criatura: esta centelha,
este espírito que é da mesma natureza que Ele, cada criatura pode,
graças ao espírito, criar o que precisa. E assim, ao invés de esperar
sempre tudo de fora - o que o limita, porque muitas vezes o que ele
espera não vem - o ser humano pode agir internamente por seu
pensamento, sua vontade, seu espírito e capturar elementos que irão
nutri-lo e curá-lo. Por isso o Ensinamento que vos trago é o do
espírito, do Criador, e não o da matéria, da criação. Se você não
aceitar este ensinamento do espírito criativo, você sempre será fraco,
limitado, dependente, à mercê das circunstâncias.

O erro dos humanos é que eles se identificaram tanto com a


matéria que são engolidos por ela e não têm mais forças para reagir.
Eles não pensam que podem se identificar com o espírito, o espírito
que não precisa de elementos externos para criar, que extrai seus
elementos de si mesmo, como o Senhor que criou o mundo de sua
própria quintessência.
É, portanto, tempo de sair desta falsa realidade da matéria, de
entrar na realidade interior do espírito que é a realidade de todos os
grandes Mestres. Pense bem nisso: o Criador e as criaturas... Cabe a
você continuar sendo uma criatura ou se tornar um criador. Você
acredita em mim?... Talvez nenhum de vocês acredite em mim! Se, no
entanto, eu sei que você acredita em mim, mas você diz: “Ah, Mestre,
mas as circunstâncias, as condições... a vida é tão difícil! Eu sei bem,
eu sei ainda melhor do que você. Onde você acha que eu moro?
Exatamente nas mesmas condições que você, no meio das mesmas
circunstâncias, no mesmo mundo. Mas eu penso diferente de você,
essa é a única diferença.

Então, pare de esperar sempre ajuda de fora... e pare também de


acreditar que todos os inconvenientes vêm de fora. A maioria ainda
se considera impecável; é sempre culpa do marido, do vizinho ou do
regime político, ou então a falta de dinheiro, comida, mau tempo...
Nunca dirão que é a sua odiosa filosofia que lhes prepara um futuro
catastrófico, e ainda assim é é ela que, pouco a pouco, os coloca em
apuros. Você tem que substituir essa filosofia da matéria pela filosofia
do espírito, porque é assim que você se tornará forte, poderoso,
independente e livre.

Aqui, pense nisso. O que é verdade para as criaturas não é mais


verdade para o Criador. As criaturas dependem muito do mundo
exterior, das circunstâncias: você é colocado aqui, você é empurrado
para lá e precisa se submeter. Então, torne-se um criador, entre no
domínio do espírito que cria, que molda, que modela, e tudo vai
mudar, você não vai mais depender tanto do mundo exterior, você
será livre e dono do seu destino.
3
FATALIDADE E LIBERDADE

eu

Em geral, pode-se prever desde o primeiro momento qual será o


último; no entanto, fazendo esforços, o homem pode dirigir o curso
das coisas de maneira diferente. É verdade que há eventos na vida
que se desenrolam com rigor implacável e que podem ser previstos
com tanta precisão quanto os astrônomos prevêem eclipses,
conjunções ou oposições de planetas, porque tudo se processa de
acordo com leis matemáticas. Mas onde o espírito se manifesta, ele
sempre pode intervir para subtrair, adicionar, remediar e os
acontecimentos não mais se desenrolam de acordo com leis tão
rígidas. Onde quer que o espírito imprima seu selo, a vida se
transforma e se torna mais pura, mais bela, mais perfeita.

Tomemos o exemplo do corpo físico. Obedece às leis naturais:


nascimento, crescimento, decrepitude e morte, esse é o processo
natural, nada a fazer, é matemático. Mas se a mente decidir se
envolver, pode desacelerar ou acelerar certos processos. No estado
atual de nossa evolução, nosso espírito não pode se manifestar
inteiramente, absolutamente, porque está sujeito às limitações da
matéria. Em sua essência, em sua esfera superior, ele tem poderes
ilimitados, ele é todo-poderoso; é na verdade que ele não é, porque
ele precisa de muito tempo para organizar tudo. Graças à
continuidade de nossos esforços
ele faz o seu caminho aos poucos e, no final, é ele quem consegue
triunfar, governar e transformar tudo. Porque o espírito tem forças
"sobrenaturais" como dizem. Na realidade, não há nada de
sobrenatural: milagres, prodígios, eventos que aparentemente
contrariam as leis da natureza não são sobrenaturais, nem
sobrenaturais, nem antinaturais; não, eles obedecem a outras leis
que são as da mente.

O trabalho do discípulo pode ser resumido em poucas palavras: em


vez de deixar que sua natureza inferior, animalesca, sempre escravize
o espírito, extinga sua centelha e o expulse constantemente do
Paraíso, ele deve trabalhar do Céu, de acordo com as leis do o
espírito, de acordo com as forças e poderes da eternidade para
introduzir em sua existência cotidiana outros elementos, outras
quintessências que ele possui na parte mais alta de seu ser. Com seus
pensamentos, seus sentimentos, sua fé, seus esforços, ele acrescenta
ao desenrolar ordinário dos acontecimentos algo que brota, que
irradia e no qual resplandece pela manifestação do espírito, o
esplendor do mundo divino.

Essa questão do destino - isto é, até que ponto o homem é livre ou


sujeito ao destino - vem sendo discutida há séculos e séculos. O erro é
acreditar que todos os humanos, sem exceção, têm que se submeter
às mesmas leis. Obviamente, se eles se comportam como animais
que obedecem apenas a suas sensações, suas paixões, seus impulsos
puramente instintivos, caem sob o golpe da fatalidade; tudo está
acontecendo para eles como estava escrito nas estrelas. Enquanto os
muito mais evoluídos escapam do destino para entrar no mundo da
providência, da graça, onde reinam a luz e a liberdade. Os Grandes
Mestres da Humanidade
pertencem a esta categoria. Mas a maioria dos humanos caminha
entre os dois extremos, entre os animais e as divindades: são mais ou
menos livres, mais ou menos amarrados. Não devemos imaginar que
todos são livres ou que todos sofrem um destino inexorável. Não, a
verdade é que a liberdade depende do grau de evolução. De acordo
com sua maneira de pensar, sentir ou agir, o homem se aproxima do
destino ou da providência. Assim, em algumas áreas ele está
amarrado, está sujeito ao carma, e em outras ele escapa, está livre,
até o dia em que terá plena liberdade. Esta é a verdade, meus
queridos irmãos e irmãs, é simples, é claro.

Hoje existem todos os tipos de filosofias de liberdade que tentam


persuadir os humanos de que eles são livres. Sim, eles podem
acreditar que são livres desde que não saibam como o universo é
construído e não conheçam os poderes que vêm do cosmos para agir
sobre eles. Quando tomam uma decisão, também imaginam que são
eles que escolhem, que decidem, nem sequer suspeitam que na
maioria das vezes são joguetes de forças desconhecidas para eles.
Veja o que dizem os antigos astrólogos: "As estrelas inclinam, mas
não determinam", ou que o sábio está acima da influência das
estrelas. As estrelas agem sobre os humanos, os influenciam nesta ou
naquela direção. Quando se trata de seres altamente evoluídos, eles
sentem essa influência, mas as estrelas não podem forçá-los. Se se
trata de seres fracos, é diferente, tudo acontece exatamente como se
estivessem empurrando-os irresistivelmente.

Olhe para uma jovem, por exemplo, ela não diz ao menino: "Venha
comigo, me beije..." nem se atira nele, mas ela se comporta e leva
poses de tal forma que é o menino que se joga nela. Você vê, ela não
disse nada, ela não fez nada, mas ela ainda o atraiu e ele se deixou
influenciar porque ele é fraco. Bem, as estrelas são um pouco como
as meninas bonitas: elas conseguem despertar algo em você - um
pouco de raiva ou sensualidade - então elas deixam você fazer isso
porque sabem muito bem que você irá até o fim. . Então eles dizem:
“Mas nós não forçamos você! Sim, mas você já foi longe demais e as
consequências estão aí.

Posso dar exemplos mostrando como, para alguns, os eventos


acontecem inexoravelmente, enquanto para outros, mais evoluídos,
os eventos mudam de nível. Um ser evoluído tem, suponha, uma
dívida a pagar: em vez de pagá-la no plano físico, pode pagá-la no
plano astral ou no plano mental. De um jeito ou de outro ele tem que
pagar, mas ele tem a escolha do plano onde o fará. Enquanto para
aqueles que estão em evolução muito baixa, não há escolha, eles
devem pagar conforme indicado. Lembre-se disso e, em todo caso,
não imagine que se pode evitar o pagamento de suas dívidas. Só
podemos pagá-los de forma diferente, mas somos obrigados a pagar.
A única liberdade está na escolha do pagamento, mas não se tem a
liberdade de escapar do carma.

Quando os astrólogos lhe dizem: "Aqui, em tal mês, em tal dia, você
corre o risco de um acidente, então, para escapar, você deve fazer
isso ou aquilo", eles não percebem que estão aconselhando você a
ser desonesto. Se bastasse saber o que vai acontecer para poder
escapar, seria muito fácil, escaparíamos de tudo. E precisamente
nunca vi um astrólogo que escapasse de alguma coisa! Eles podem
tomar precauções para que tal e tal coisa não aconteça com eles, mas
aconteceu com eles de uma maneira que eles não aconteceram.
agendado, e se não foi o dia que eles calcularam, foi alguns dias
depois ou alguns dias antes!
Agora os astrólogos costumam dizer que os eventos indicados para
tal data sempre acontecem algum tempo depois. Sim, é verdade. Há
mudanças na maioria das vezes, mas se alguém conhecesse a
verdadeira astrologia, poderia determinar o momento exato. Não há
fantasia ou capricho no céu, tudo é preciso. Só que os elementos e os
conceitos que a astrologia usa hoje não são os melhores ou são
insuficientes, porque muito conhecimento foi perdido. O que deu
grande valor às previsões dos astrólogos do passado foi sua precisão:
eles eram capazes de dizer exatamente quando, onde e até mesmo o
ponto preciso do corpo que seria atingido. Agora que a ciência está
perdida.

Você se lembra dessa história que é contada em "Os Contos das Mil
e Uma Noites". Um astrólogo havia previsto para um joalheiro que
seu único filho morreria em tal dia de tal ano. O mercador, muito
aborrecido, queria a todo custo evitar esse infortúnio e decidiu que
uma moradia subterrânea seria construída para seu filho em uma ilha
deserta, e foi o que foi feito. Mas o que ninguém sabia era que algum
tempo antes um barco naufragara não muito longe dali e que um
jovem príncipe, que estava nesse barco, conseguira se salvar e chegar
à ilha nadando. Ele estava, portanto, sozinho e fazia o que podia para
subsistir comendo frutas silvestres.

Um dia ele viu um barco se aproximando da ilha. Deste barco


desceu um grupo de criados carregando objetos e mantimentos,
acompanhados por um velho e um jovem muito bonito. Eles
caminharam para um lugar onde levantaram
uma espécie de alçapão e desceu para o subsolo. Um momento
depois eles saíram, mas o jovem não estava com eles. Quando o
barco se afastou, o príncipe dirigiu-se rapidamente para este lugar
onde viu o anel de uma laje que levantou. Ele viu um lance de escadas
que desceu e se viu na entrada de um quarto lindamente decorado; o
jovem estava lá, sentado, e estava muito assustado com essa aparição
que não esperava. O príncipe o tranquilizou contando sua história, e o
menino o convidou para ficar com ele para lhe fazer companhia.

Eles se deram bem muito Boa e a Tempo passado


agradavelmente... Mas um dia, para se refrescar, o príncipe, deitado
em sua cama, quis comer um melão: disse ao jovem que pegasse
uma faca, cortasse a fruta, que estava em uma prateleira colocada
acima de sua cabeça . Infelizmente, ele prendeu o pé no cobertor da
cama, escorregou e caiu sobre o príncipe, cravando a faca em seu
coração. Ele o matou instantaneamente. Atormentado, desesperado,
sem saber o que fazer, saiu da habitação subterrânea e, de repente, o
que viu? O barco que se aproximava... Era o mercador que vinha
buscar o filho para trazê-lo de volta, pois, segundo as previsões, se
nada tivesse acontecido até aquele dia (e o mercador acreditava que
nada poderia ter acontecido!) o perigo foi definitivamente evitado. E
agora ele encontrou seu filho morto... Claro, é uma história
imaginária,

E eu também, tenho minhas ideias sobre isso. Os eventos não


podem ser evitados: tudo o que está escrito deve acontecer. Eu lhe
digo, a única liberdade dada ao homem razoável é poder pagar de
outra maneira. Você sabe, por exemplo, que vai ter uma doença
grave que o obrigará a interromper seu trabalho. Esta doença é uma
dívida
pagar. Bem, você pode pagar essa dívida de outra forma fazendo um
grande trabalho espiritual de oração, de meditação, e quando a
doença vem, em vez de ser muito grave, você fica imobilizado apenas
por alguns dias, porque você pagou com a luz e o amor . Se você vive
racionalmente, espiritualmente, todo o seu organismo está
consolidado, e quando algo lhe acontece por causa de tal aspecto ou
trânsito de tal planeta, há "dinheiro" acumulado em suas células, ou
seja, forças, energias que vir para afastar o perigo. A vida inteligente,
razoável e pura que você levou acumulou economias em seu corpo e,
graças a essas economias, você pode pagar facilmente suas dívidas.

Sim, pode surpreendê-lo, mas um Ensinamento Espiritual ensina


você a coletar dinheiro - simbolicamente falando. Através da
meditação, orações, contemplação, você envia alguns flocos de ouro
para os bancos acima todos os dias e, quando surgem dificuldades,
em vez de tentar trapacear para escapar delas, você pode pagar com
a riqueza que acumulou. Por isso não pense mais: “De que adianta eu
seguir uma Ensinança iniciática, fazer exercícios espirituais, não fico
mais rico ou glorioso por causa disso”, porque isso simplesmente
prova que você é ignorante. As aquisições espirituais são como o
dinheiro que você coloca de lado para enfrentar as dificuldades da
vida.

Recebi a visita há alguns dias de uma pessoa que queria falar


comigo sobre seus problemas. Eu a escutei, depois lhe disse: "Pelo
que você está me dizendo, senhora, eu entendo que você está bem
de saúde, rica, educada, não tem preocupações e acima de tudo você
é livre para poder se dedicar ao que você ama. Mas em vez de ser
feliz, você está sempre triste e deprimido. - Sim, é porque não sei o
que o futuro me reserva e isso me preocupa! Aqui, pensamos no
futuro e como não sabemos qual será, temos todas as possibilidades
de imaginar as piores coisas. São as próprias pessoas que se tornam
infelizes; não vêem suas riquezas, suas possibilidades, sua liberdade.
Não significa nada para eles, a liberdade, aborrece-os: em vez de usá-
la com inteligência, eles ocupam seu tempo livre se preocupando com
o futuro!

Os humanos não estão suficientemente conscientes de que o


futuro é feito do que eles já estão construindo no presente. Então é o
“agora” que conta. O futuro é uma extensão do presente e o presente
nada mais é do que uma consequência do passado. Tudo está
conectado: o passado, o presente, o futuro não estão separados. O
futuro será construído sobre as fundações que você lança agora. Se
esses fundamentos forem ruins, obviamente, não adianta esperar um
futuro excepcional; e se eles são bons, também não há necessidade
de se preocupar. Com tais raízes você terá tal tronco, tais galhos e tais
frutos. O passado é passado, mas deu origem ao presente e o
presente é a raiz do futuro. Agora depende de você, através de seu
trabalho espiritual, construir seu futuro. Porque é aí que reside a sua
liberdade:

O estado catastrófico da humanidade na atualidade deriva do fato


de que ela se desviou das grandes verdades do espírito. Portanto, em
todas as suas atividades, o discípulo deve dar prioridade ao espírito,
restaurar a realeza do espírito. Em tudo o que faz, onde quer que vá,
deve deixar o selo do espírito. É assim que ele alcançará as
verdadeiras transformações em si mesmo e fora dele.
II

No que diz respeito aos eventos mundiais, se um evento sério


relativo a um país foi decidido pelo Céu, é extremamente raro que
isso não aconteça. Mas para os indivíduos, é menos categórico, eles
têm maior possibilidade de escapar dos eventos do que das
comunidades. Podemos prever uma guerra, mas não podemos
prever com absoluta certeza que tal ou tal pessoa desaparecerá nesta
guerra. A guerra vai acontecer, com certeza, e nessa guerra,
obviamente, haverá mortes, mas não podemos dizer exatamente
quem será morto. Um indivíduo sempre tem uma pequena
possibilidade de escapar deste ou daquele destino.

Vamos dar um exemplo. Por milhares de anos foi decretado que


Jesus seria traído por um de seus discípulos, mas não foi mencionado
quem seria esse traidor. Havia um papel de traidor que estava vago, e
foi Judas quem assumiu esse papel. Se ele não estivesse pronto para
tocá-lo, outra pessoa o teria levado. É exatamente como a distribuição
de papéis no teatro. Em uma peça de Shakespeare ou Molière, você
não pode mudar os papéis, sempre haverá Falstaff ou Harpagon, mas
o ator que interpretará esse papel não é determinado de antemão,
nós o escolhemos quando chegar a hora de acordo com suas
habilidades.

Mesmo em suas previsões, Nostradamus nunca indicou o povo.


Você dirá: "Mas os nomes estão lá, mais ou menos..." Sim, os nomes,
mas os seres que deveriam tomar esses nomes não eram fixos. Os
papéis são fixos e
às vezes nomes, mas não pessoas. Não podíamos pegar isso ou
aquilo, Judas por exemplo, colocá-lo em uma jarra e trazê-lo 500 ou
2000 anos depois para desempenhar esse papel. Não é assim, porque
os seres são livres para evoluir. Por exemplo, também foi indicado
que Henrique IV seria assassinado, mas não foi indicado o assassino,
nem quem seria Henrique IV. É à medida que evoluíram que tais e tais
seres se viram prontos para desempenhar esses papéis.

O Senhor nunca forçou as criaturas a desempenhar um papel


determinado, caso contrário significaria que ele não deixou liberdade
para os humanos. No entanto, os humanos são livres para ir em uma
direção ou outra: podem progredir, podem regredir, podem se tornar
monstros, carrascos ou mesmo sábios, iniciados.

A evolução pode ser comparada a uma peça escrita por Deus. O


Senhor tem um plano para a evolução, e para que a humanidade se
desenvolva é necessário que todos os tipos de eventos ocorram e
que, nesses eventos, os seres desempenhem determinados papéis.
Mas nunca foi escrito que era essa pessoa que tinha que
desempenhar esse papel. Há palácios, há prisões, e cabe a você
decidir se quer ir a um ou outro.

O Senhor criou, portanto, uma peça cuja representação deve durar


bilhões de anos, e os atores estão lá, entrando e saindo... Fazem a
guerra, fazem a paz, constroem, destroem... e é verdade que certos
papéis já foram corrigidos há milhares de anos, mas os humanos
ainda não chegaram ao quinto ato. Às vezes são os mesmos atores
que voltam, às vezes são atores diferentes. Sim, a vida cósmica é uma
peça que Deus escreveu, e foi mesmo Ele quem criou os artistas,
mas Ele os criou com a liberdade de assumir o papel que quiserem.

Eu lhe disse, o papel de Judas não foi determinado para nenhum


homem em particular. Devia aparecer um Judas que iria trair Jesus
(certamente havia vários fermentando no mundo dos traidores), mas
quem se sentiu atraído por esse papel foi quem naturalmente tinha
mais afinidade com ele para interpretá-lo. Se Deus tivesse
determinado o destino de todas as criaturas, não haveria mais
liberdade e também não haveria mais responsabilidade. Qual é a
responsabilidade de uma máquina, um robô? E se o homem não é
responsável pelo que faz, qual é o sentido de sua vida?

As aventuras pelas quais a humanidade, o sistema solar e até


mesmo todo o cosmos devem passar são fixas. Não podemos mudar
nada, é um projeto, um plano determinado, mas o que não está
determinado é o nosso lugar nesse projeto. Vamos fazer outra
comparação: você viaja de barco, tem seu itinerário, tem que parar
em tal porto, não pode mudar nada; e você também não pode sair do
barco, senão você cai na água. Mas neste barco tem a possibilidade
de ler, conversar com uma menina bonita, dormir na sua cabine,
subir ao convés para ver o mar, pescar bacalhau ou baleias, etc.
Então, veja, estamos todos em um barco cuja rota é traçada pelo
próprio Senhor e ninguém tem a possibilidade de modificar nada
nele,

Você pode fazer o que quiser consigo mesmo, pode se destruir ou


se aprimorar, mas não pode mudar a rota desse barco, a terra, que
navega no oceano cósmico. Portanto, não é verdade que, como a
Igreja ensinou no passado,
algumas pessoas estão predestinadas a serem condenadas por toda
a eternidade e outras predestinadas a serem salvas. É estúpido
acreditar numa coisa dessas! Na realidade, são os humanos que, pelo
seu modo de vida, escolhem se querem ser salvos ou condenados.
4
MORTE LIBERTANTE

A existência é uma luta de espírito e matéria onde, infelizmente, os


humanos muitas vezes dão preponderância à matéria sobre o
espírito. Essa tendência é particularmente visível em sua atitude em
relação à morte, especialmente no Ocidente.

Os ocidentais fazem todo o possível para evitar a morte e até


consideram aqueles que a aceitam facilmente como seres não tão
civilizados ou evoluídos. Sim, a cultura e a educação dos ocidentais os
impelem a buscar todos os meios para lutar contra a morte e eles não
entendem por que os orientais a encaram tão silenciosamente; para
eles, essa tranquilidade diante da morte é característica dos povos
primitivos, incivilizados. Ser civilizado é persistir em manter um ser
vivo à custa dos piores tormentos em vez de deixá-lo morrer em paz?
Por que não aceitar mais facilmente a ideia da morte? Por que você
quer se apegar à vida a todo custo?

A morte está aí para resolver muitos problemas. Alguns notaram,


mas obviamente não no sentido que deveria. Quando um homem
endividado comete suicídio, é claro, os credores não podem fazer
nada contra ele, ele foi para outro mundo onde o deixarão em paz e
livre. Infelizmente, na realidade, nem tudo funciona tão facilmente. Se
alguém não resolveu certas questões antes de deixar a terra, também
é perseguido do outro lado. A morte
não resolve tudo. É somente quando a pessoa resolve todos os seus
problemas na terra que a morte é a verdadeira libertação.
Em geral, as pessoas se apegam à vida terrena porque não sabem
que existe outra vida melhor. Eles são capazes de cometer todos os
crimes para sobreviver, e é assim que incorrem em dívidas que terão
que pagar um dia. O verdadeiro espírita tem outra atitude, diz para si
mesmo: “É um fardo viver aqui na terra onde se é limitado,
esmagado, desprezado, maltratado, atormentado. É claro que há
uma razão para que seja assim, mas um dia, quando terminar meu
trabalho, quando cumprir a tarefa para a qual encarnei, viverei livre
no espaço. Esta é a verdade que os discípulos conhecem e é por isso
que, mesmo sabendo que estamos melhor do outro lado, eles não se
apressam em partir.

Enquanto não resolverem tudo, enquanto não terminarem o


trabalho que o Céu lhes deu, o resto lhes é indiferente: não pensam
na morte nem nada, só querem terminar o seu trabalho . Mas assim
que o trabalho termina, eles não ficam, porque sabem que a terra
não vale a pena se agarrar.

Chegando à terra, um homem comum pensa apenas em desfrutar


de tudo: comer, beber, divertir-se, abrir caminho com garras, dentes,
cascos. Ao passo que o discípulo da Ciência iniciática pensa apenas na
obra que o Céu lhe deu para fazer. Ele não está preocupado em
encontrar os meios para prolongar sua existência: ele sabe que
naquele momento se privaria da liberdade que seria sua no outro
mundo. Basta olhar para o corpo físico: mesmo que possa ser
harmonizado e purificado para vibrar divinamente, ainda é matéria
retirada da terra, e esta matéria limita o homem.
Diga a si mesmo todos os dias: “Eu tenho que fazer o meu trabalho,
é o meu trabalho que conta, o trabalho espiritual, o trabalho divino, o
único que vale a pena fazer. Nesse momento você se sente livre de
todo tumulto e tribulação; vocês se tornam os condutores de
correntes e entidades benéficas e finalmente começam a entender o
significado da vida. Uma vez que você conseguiu mudar seu estado
de consciência, certos elementos obscuros e perturbadores começam
a deixá-lo, porque eles não são mais atraídos ou nutridos, e até o
medo da morte o abandona.

A morte foi pintada em formas e cores assustadoras. Na realidade,


não há verdade em nada disso. A morte é uma libertação. Sim,
especialmente para Iniciados. Para um Iniciado, a morte não é apenas
uma mudança de domicílio, mas uma recepção triunfal, uma
coroação.
A partir de agora, você deve ter uma ideia correta sobre esta
questão da vida e da morte: não ter medo de morrer, mas apenas ter
medo de não poder completar seu trabalho. Nessa altura é diferente,
e tens o direito de rezar ao Céu para que te dê as condições, o tempo
e as possibilidades para terminares este trabalho com dignidade. Mas
pedir o prolongamento de sua vida só para poder desfrutar de
riquezas e prazeres, não, isso prova que você não entendeu o
verdadeiro sentido da vida.
5
O HOMEM SÓ É LIVRE

DA LIBERDADE DE DEUS

É dito na Tábua de Esmeralda: "Você vai separar o sutil do grosseiro


com grande diligência." Mas onde está esse sutil e esse grosso que
deve ser separado? Eles estão apenas no cadinho do alquimista ou
estão em nossa vida interior, nossos pensamentos, nossos
sentimentos?... Entre os quatro Arcanjos, quem separa as coisas é o
Arcanjo Mikhaël. É por isso que sua festa é feita no final do mês de
setembro, porque ele reina no outono, o período das separações,
quando o fruto é destacado da árvore e a casca do fruto. A separação,
que é um processo muito importante na alquimia, também é
encontrada em todas as áreas da vida e, dependendo do caso, é
chamada de limpeza, triagem, acomodação, purificação, mas também
liberação...

Há sempre algo na vida para separar. Quando a criança vem ao


mundo, ela deve ser separada de sua mãe... Alguém já está se
afogando ali, e ela deve ser separada da água para salvá-la... Ou aqui
são os inimigos que estão lutando, e se nós não os separamos, eles
vão massacrar um ao outro... Mas também queremos separar uma
menina e um menino que se amam, e ao querer separá-los, apenas
os aproximamos... E às vezes, é querendo unir as pessoas que as
separamos.

Se você fosse clarividente, olhando para os humanos, descobriria


que todos estão relacionados com outras criaturas, regiões,
entidades ou ocupações por quantidades de threads. Em todos os
lugares há apenas fios, mas fios sutis, é claro, fios etéricos que não se
vê, e a questão para você é ser capaz de cortar alguns desses fios,
senão você está tão amarrado que não pode, não pode mesmo se
levante para andar, você não está mais livre.

Só aqui está você, não pode se desprender de um objeto ou de um


ser se não se apegar a outro: você não pode estar absolutamente
desapegado de tudo, o desapego absoluto não existe. Faça o que
fizer, você sempre será "apegado". Você é atormentado por uma
paixão ou por uma pessoa e quer se libertar: se não conhece o
caminho, nunca terá sucesso. E o caminho não é tentar se
desvencilhar com suas próprias forças, mas buscar se apegar a outra
atividade ou a outra pessoa que seja o oposto daquela que conseguiu
capturá-lo, e colocar ambos presentes. Todos vocês sabem como
fazer isso na vida cotidiana: contra fogo você usa água, contra
manchas você usa sabão, etc... Você sempre tem que procurar um
aliado,

A lei é que se deve sempre buscar o oposto daquilo de que se quer


se libertar. Mas a liberdade absoluta não existe, em todo lugar reina a
lei da atração. Se você quer se libertar da escuridão, você tem que
trabalhar com a luz, porque só a luz tem as propriedades químicas ou
físicas, se você preferir, para expulsar a escuridão, e quando você
conseguiu se ligar a ela, ela o retém em sua campo de atração, você
não pode mais sair dele. Mas esta escravidão da luz é bastante
desejável. Quando Jesus disse: "Vinde a mim, porque o meu jugo é
leve", é neste
significando que ele estava falando. Porque é melhor estar amarrado,
dependente de tudo o que é luminoso e divino. Então, já que você
não pode se libertar do diabo por suas próprias forças, você deve se
tornar dependente do Senhor, porque somente o Senhor tem o poder
de libertá-lo. Sim, mas nesse momento você não está mais livre? Bem,
tanto melhor, essa é a liberdade, a verdadeira: ser servo de Deus,
depender totalmente dEle, de sua sabedoria, de sua beleza, de seu
amor, de sua eternidade. Olhe para os anjos, eles não têm vontade
própria, são instrumentos nas mãos do Senhor, nunca fazem nada
contra a vontade dele e no momento em que recebem uma ordem
dele, eles a cumprem. E ainda podemos dizer que eles não são livres?

Muitas vezes, ouço reflexões de pessoas que, sem saber nada dessa
ciência do ser humano, como ela é construída... dizem que não
precisam de Deus, nem de um Mestre, nem da luz, que temos que
acabar com tudo aquele. O que eles não sabem é que quando
terminarem com “tudo isso”, começarão com outra coisa. Sim, na
realidade, nada e ninguém em todo o universo é absolutamente livre
e independente. Se um objeto, por exemplo, pode escapar da atração
terrestre, ele sofrerá atração solar. Não há lugar no universo onde
você possa ser absolutamente livre. Você sempre sofrerá influências
e, se escapar de algumas, sofrerá outras: se não se expor a
influências positivas, receberá influências negativas, ou vice-versa,
mas você não pode evitar ser influenciado. É por isso que sempre lhe
digo que é muito melhor estar sob a influência do Senhor, caso
contrário você estará sob a influência do Diabo.

Sobre as palavras de Jesus que acabo de citar: "Tomai o meu jugo,


porque é leve", há um ponto que devo
especificar: é que o bem, a sabedoria, a luz, a bondade têm um peso.
Mas esse peso é tão leve, tão desejável! Até os raios do sol têm peso.
Cada material, por mais sutil que seja, tem um peso. Sim, mesmo a
matéria primordial, mais próxima de Deus, tem um certo peso e
exerce uma certa pressão. Podemos, portanto, concluir que em
nenhum lugar o homem pode ser independente, porque em todos os
lugares do universo existem influências, forças, entidades. Tudo é
preenchido, e quando você sai de um domínio, você entra em outro
cujas leis você deve se submeter. Se você sair de um país que você
não gosta, porque as leis, as exigências são tais e tais, você deve
entrar em outro país que também tenha suas leis, diferentes e talvez
piores, às quais você terá que se aclimatar,

Uma vez que compreendam esta grande verdade, as criaturas


racionais concordam em assumir o jugo de Cristo, o jugo da luz, para
encontrar a liberdade que procuram. Para ser livre, é preciso
submeter-se à vontade divina. A liberdade como os humanos a
entendem, ou seja, nunca se submeter a nenhuma autoridade que
não seja a si mesmo, não existe. Esse desejo de se libertar, de ser
independente, é apenas consequência da ignorância. Nesse sentido,
não há mais liberdade do que há igualdade. Pois também não há
igualdade na natureza. Você dirá que quando falamos de igualdade,
trata-se de igualdade perante a lei... Mas também aqui não há
igualdade, porque dependendo de você ser mais ou menos
esclarecido, mais ou menos rico ou poderoso,

Você deve entender que para ser livre você deve se tornar servo
daquele que é absolutamente livre, pois isso é
o único que é livre no universo, ninguém mais, nem mesmo os
Serafins. Só Deus é absolutamente livre, Ele não depende de
ninguém, Ele é o único Mestre, e foi Ele quem se limitou
conscientemente na criação. Para criar o mundo, Ele teve que se
limitar e essa parte Dele que se limitou obedece às leis que Ele
mesmo deu. Se você quer ser livre, torne-se servo de Deus, funde-se
com Ele, porque a liberdade que Ele possui passará por você. Você só
pode ser livre com a liberdade do próprio Deus, caso contrário, não
há liberdade! Esta é uma verdade que mesmo os filósofos ainda não
compreenderam. Eles imaginam que podem ser livres à parte de
Deus. Não, e todos os que seguem esta filosofia perniciosa e fazem
com que os humanos destruam o sentimento religioso,

Sua liberdade depende de onde você está na escala da evolução. Se


você se encontra muito baixo, você não tem liberdade. Os animais
estão soltos? E as plantas, pedras, insetos?...Para ser livre, você deve
se elevar ao Senhor. É no topo que você é livre, caso contrário, não.
Somente o Senhor é livre. Nenhuma outra criatura é livre, nem
mesmo os Arcanjos: eles estão imersos na alma do Senhor e são
influenciados. Se você quiser, eles estão livres da liberdade do
Senhor, mas não estão livres do Senhor. Só o Senhor é livre, e na
medida em que se aproximam do Senhor, as criaturas estão livres de
sua liberdade, mas não mais.

Suponha que você queira absolutamente cortar relações com o


mundo exterior, não queira mais sair de casa: para isso você
empilhou provisões em seu sótão, mas como essas provisões não são
inesgotáveis, você não pode
você só poderá comer, beber e subsistir na medida em que tiver
reservas. E depois ? Depois, você entrará em colapso. Todos aqueles
que cortaram o vínculo com o Céu vivem de suas reservas, e também
aqui suas reservas não são inesgotáveis.
Eles dizem: “Estamos muito bem, estamos saudáveis, estamos
trabalhando, estamos tendo sucessos”. Mas um dia seus;as reservas
vão acabar e é a morte que vai
espera, morte espiritual. Os humanos são tão ignorantes que se
livram das melhores coisas e depois se felicitam por se sentirem bem.
Mas eles não sabem como as leis funcionam. Eles não sabem que,
mesmo que seus negócios continuem indo bem por algum tempo, o
menor erro no campo filosófico um dia ou outro levará a dificuldades
inextricáveis.

O que deve ser entendido é que não se pode desvincular-se de um


ser ou de um objeto, no sentido amplo do termo, sem se apegar a
outro. Estamos sempre sujeitos a uma influência: a influência do
clima, da temperatura, da época, das estrelas... Somos obrigados a
comer, beber, respirar, dormir, vestir, ver as pessoas, para ouvi-los,
para falar com eles, e nessas atividades entra-se sob a influência de
certas forças. Uma mulher quer deixar o marido para ser livre, mas
alguns dias depois ela está agarrada a outra pessoa, e talvez seja
pior. Há sempre outras forças esperando lá fora, os humanos
ignorantes que supostamente querem se libertar.

Cada coisa tem suas propriedades que é necessário conhecer, e


também é verdade no domínio interno. Você quer apagar um fogo,
quero dizer um desejo, uma paixão que te queima, mas como você é
ignorante, você acrescenta carvão ou óleo - simbolicamente falando -
e o fogo é três vezes mais forte. Isso geralmente é o que os humanos
fazem. Para
para se livrar de um mal é preciso encontrar o elemento, a região, a
entidade ou a virtude efetiva, e para se libertar é preciso conhecer
também o elemento que possui essa propriedade. Eu, para me
libertar, não encontrei nada melhor do que me apegar ao Ser
Supremo.
Vou te dar um exemplo: você trabalha em uma administração e tem
chefes que fazem o que querem com você. Para sair dessa situação
você entende que tem que conseguir estar acima deles, e assim você
estuda, passa nos exames para alcançar níveis mais altos... até o dia
em que você supera seu chefe: ele não pode mais te prejudicar.
Obviamente, você ainda terá que aturar outras pessoas que estão
acima de você, então você também terá que vencê-las... E como
sempre haverá alguém acima de você, pouco a pouco você se elevará
ao Senhor.

A pretexto de se libertar, conheci alguns que abandonaram a


família, o trabalho, os amigos; venderam tudo, largaram tudo e foram
buscar a felicidade em outro lugar em outro país. Eles não sabiam
que esta não é a maneira de se libertar. Libertaram-se exteriormente,
mas esqueceram-se de fazer o trabalho interior para se libertar de
certos pensamentos, de certos desejos, e então, onde quer que vão,
encontrar-se-ão diante das mesmas dificuldades. Quantas pessoas eu
já vi na minha vida tentando se libertar, mas de uma maneira tão
desajeitada, tão perigosa para si e para os outros! Eu disse a eles:
“Olha agora: você tem uma casa velha que você não gosta, você não
se sente bem nela, está entendido, eu entendo. Mas antes de destruí-
lo, você tem que construir outro, senão você vai ficar na rua, na
chuva, simbolicamente falando”. Isso é exatamente o que eu te digo
explica quando digo que você tem que se apegar antes de se
desapegar. Este anexo é a construção de uma casa nova e mais
bonita; então você pode se desprender, isto é, demolir a velha casa.
Mas você não deve fazer o contrário: desapegue-se antes de se
apegar, porque esse desapego será inútil, ele o prenderá a todo tipo
de outras coisas heterogêneas e você será ainda mais infeliz. Não se
deve desapegar antes de se apegar; você não deve demolir antes de
construir.

Para lhe mostrar que, quando lhe digo algo, você pode verificá-lo
em todas as manifestações da natureza, darei mais um exemplo. Você
se machucou e uma crosta se formou na ferida; sob a pele nova
começa a se formar, mas se você arrancar a crosta antes que a pele
esteja totalmente formada, sua ferida reabrirá e você terá que
esperar pelo mesmo processo novamente. Antes de arrancar a crosta,
você deve primeiro "construir a casa", ou seja, deixar a nova pele se
formar por baixo. Se soubermos observar, veremos que o organismo,
a natureza, as árvores, todo o universo funciona dessa maneira,
exceto os humanos.

Os humanos querem ser livres, mas como não conhecem o perigo


de se desapegar até se apegarem, sempre acontece algo que eles
não previram. Sim, se você não colocar em seu coração, em sua
cabeça, a existência de realidades superiores, há outras que se
infiltrarão para tomar o lugar delas, e será terrível. É necessário,
portanto, que a cabeça e o coração sejam ocupados por um ideal
extraordinário, por tudo o que existe de melhor, mais nobre, mais
luminoso. É por isso que os verdadeiros Iniciados ensinam seus
discípulos a sempre colocar o Senhor em primeiro lugar. Mesmo que
pareça para você
ridículo, sem sentido, em contradição com todas as idéias
contemporâneas e modernas, faça isso, coloque o Senhor em você
em primeiro lugar. .
A maioria dos pedagogos desconhece a importância desta lei:
anexar antes de separar. Um pai, uma mãe querem separar sua filha
de um menino que conseguiu seduzi-la. Se não souberem como fazê-
lo, começarão a criticá-lo, a mostrar todos os seus defeitos, e assim,
ao contrário, fortalecerão seu apego a ele. Você não deve dizer nada a
ele, mas apresentá-lo a outros meninos, melhores, mais bonitos, mais
inteligentes, mais honestos; é ela, então, que vai se destacar dizendo:
"Meu Deus, como fui burra, como fui cega!" Você tem que mostrar
outra coisa, fazer as pessoas provarem outra coisa, e é isso que estou
fazendo.

Eu também sei muito bem que não serei capaz de desligá-lo de


certos hábitos ou pensamentos se não puder ligá-lo a outra coisa. É
por isso que primeiro apresento a vocês todos os esplendores do
Céu, da alma, do espírito, do sol, para que possam finalmente dizer:
“Oh! Que lindo, que magnífico! Como é desejável ficar lá! E quando
você ver o resto de novo, que horror, você vai fugir! É sempre
necessário levar os seres a perceberem por si mesmos o que é o
melhor.

Quantas vezes te dei este exemplo! Suponha que eu entre em uma


casa durante o inverno: tudo está fechado, as portas, as janelas e há
um odor nauseante porque também foram trazidos animais, o gato, o
cachorro, o cavalo, o porco... mais econômico, você não precisa
perder calor. Mas, permanecendo nesta atmosfera, os habitantes
ficaram completamente estupefatos, não podem mais pensar ou
sentir adequadamente. Então o que eu faço nessa hora? sim
Eu tenho que explicar para eles que a forma como eles vivem é
insalubre, prejudicial, sem graça, serão discussões intermináveis. Eles
me apresentarão argumentos para me mostrar que estão certos, que
estou errado e estarei perdendo meu tempo. Então eu uso
malandragem: convido-os para passear comigo, ou então vir comigo
procurar algo que esqueci. Nós saímos para o ar fresco assim, um
quarto de hora, meia hora, e depois voltamos. Assim que entram na
casa, são eles que gritam e se perguntam como conseguiram viver
em tal atmosfera, ou seja, em tal filosofia, em tais entendimentos.
Então aí, eles me entenderam.

Você vê, são eles mesmos que entenderam porque há uma


comparação instintiva. Talvez quando eles saíram eles não tenham
percebido como era maravilhoso respirar o ar puro, mas quando eles
voltaram, quando estavam sufocando, eles entenderam! Então eu
posso falar com eles, vai funcionar, mas não antes. Antes de separá-
los desse ar irrespirável, eles devem ser presos ao ar puro.

Todos aqueles que não conhecem esta lei e que querem corrigir os
humanos sem conduzi-los a algo melhor para que fiquem
maravilhados, dilatados, deslumbrados, não conseguirão. De nada
adianta reclamar e fulminar o mal se você não apresentar o bem para
prender os humanos e fazê-los avançar, e é aí que está a liberdade:
nesse apego ao bem.
6
VERDADEIRA LIBERDADE

É UMA CONSAGRAÇÃO

Uma das qualidades mais raras nos seres humanos é a tenacidade:


ser capaz de embarcar em um empreendimento divino e magnífico
sem nunca desanimar. Infelizmente, mesmo entre aqueles que
abraçaram um ideal espiritual, muitos ficam desanimados. Eles se
esforçaram, tentaram alguns exercícios e, quando não obtiveram os
resultados que esperavam, desistiram. Isso prova que eles realmente
não conhecem a natureza do trabalho espiritual. Na vida espiritual,
aconteça o que acontecer, devemos continuar, e um dia, finalmente,
há fartura, colhemos uma tremenda colheita.

Se uma comunidade uma fraternidade leste necessário,


indispensável até para o bem dos humanos, é porque lhes dá as
melhores condições de perseverança. Quando você está sozinho em
casa, acontece de você se inspirar em um livro que você leu: você
decide então mudar seu modo de vida, fazer alguns exercícios, mas
depois de um tempo você desiste porque não está estimulado. Ao
passo que em uma coletividade como a Fraternidade Branca
Universal, mesmo que você esteja cansado, mesmo que queira
desistir de tudo, vendo que os outros estão perseverando, você é
encorajado, treinado.

Exceto em casos bastante excepcionais, os humanos precisam ser


apoiados, estimulados, porque sempre há um
vez ou outra quando seu ardor diminui. Claro, alguns dirão que não
querem ser influenciados, que querem ser livres para fazer o que
quiserem, então não querem entrar em uma comunidade onde
sentem que serão limitados. Bem, aqui estão as pessoas que não são
inteligentes. Alguém inteligente apenas se colocará em uma situação
em que será impedido de fazer loucuras e, ao contrário, livre para
embarcar em empreendimentos benéficos e luminosos.

Quando você sente vontade de fazer algo estúpido, em vez de


procurar condições favoráveis para fazê-lo, você tem que correr para
um lugar onde não pode fazê-lo, ou pedir a alguém que o impeça.
Você quer matar alguém: encontre rapidamente um amigo e peça
para ele te amarrar. Claro, essa é uma imagem um pouco exagerada,
mas em muitas circunstâncias é possível empregar esse método de
diferentes formas. Você pode, por exemplo, ir ver uma pessoa, ou ler
um livro que irá influenciá-lo beneficamente, para que essa influência
neutralize as más tendências que você sente despertando em você.
Mas os humanos não sabem quando e como se amarrar, ou quando e
como se libertar. Na realidade só encontramos a verdadeira liberdade
se soubermos como, quanto e quando limitar. Por isso os únicos
seres livres são os Iniciados: durante anos se limitaram, aprenderam
a renúncia, o sacrifício, e agora são livres.

Aqueles para quem a liberdade significa apenas não depender de


nada nem de ninguém, não sabem que perigos correm: se não têm
nada na cabeça, na alma ou no espírito que os preencha, há,
portanto, em toda parte neles lugares vazios e é por isso que tudo o
que é negativo, infernal, se precipita,
Sombrio. Eles desejam ser livres, mas sob tais condições serão
completamente subjugados por outras forças que eles não
conhecem. Quantas vezes já vimos isso! Vimos mulheres que, para ter
dinheiro e serem livres para fazer o que quisessem: levar uma vida de
luxo, viajar, divertir-se... vendo que eles seriam então acorrentados,
engolidos. Externamente eles eram talvez livres, mas internamente!...
A liberdade externa é na maioria das vezes uma liberdade enganosa.

Todos aqueles que não têm um objetivo, uma idéia divina, um ideal
sublime em mente, o Diabo encontra para eles ocupações, loucuras,
paixões, aventuras absurdas... Sim, porque eram livres! Para ser livre
e ao mesmo tempo seguro, é preciso estar engajado, realizado,
ocupado pelo Céu. O vácuo não existe, por isso é preciso se apressar
para não ser mais livre, colocar-se à disposição das forças celestes, se
não for levado pelas forças infernais.

Estamos colocados entre um mundo sublime de harmonia e luz e


outro mundo caótico e escuro. Esses dois mundos, que foram
chamados de Céu e Inferno, travam guerra um contra o outro através
de nós e, em nossa ignorância, permitimos que o mundo sombrio se
infiltre e viva dentro de nós. É por isso que estamos constantemente
divididos, infelizes. A solução para o problema da liberdade está em
uma boa compreensão desses dois processos: aproximação e
afastamento. É somente no nosso compromisso, na nossa submissão
ao Céu que encontraremos a liberdade, porque as forças celestes não
são forças que constrangem e escravizam, mas ao contrário que
organizam, harmonizam, embelezam.
Os seres humanos consideram a liberdade como um bem tão
precioso que estão dispostos a dar a vida por ela, mas infelizmente
essa liberdade que eles amam e buscam, eles ainda não
compreenderam. Não queremos ser escravizados por outro país,
bem, está entendido; mas suponha que esse país seja o Céu... Não é
melhor ser invadido, governado, dirigido por um país inteligente?
Porque vejam o que acontece muitas vezes: um país quer libertar-se
da dominação de outro, mas assim que o consegue, são estes
cidadãos ditos livres que agora tentam impor-se uns aos outros,
escravizar-se e eles massacram uns aos outros! É bom que um país
adquira e proteja sua independência, mas é insuficiente colocar o
problema da liberdade apenas nesse nível.

A liberdade é uma questão interior. Muitas pessoas são livres por


fora, mas por dentro não são, porque os pensamentos e sentimentos
que as perseguem tiram sua liberdade. A liberdade deve ser vista
como um estado interior produzido por pensamentos e sentimentos.
É desejável, é claro, ser fisicamente livre, mas a liberdade física nunca
deve preceder a liberdade interior, porque é precisamente a
liberdade física que lhe dará a possibilidade de cair em armadilhas.
Quantas vezes o vimos!

Você pensa que é livre porque não está na prisão ou escravo em


algum lugar. Sim, mas por dentro você não é obrigado a servir
tiranos? Se você se analisar, verá que todas as escolhas que pensa ter
feito livremente são na realidade ditadas por certos desejos, certas
paixões que dominam em você e às quais você não pode resistir. É,
portanto, apenas uma liberdade enganosa... Quantas lutas os
humanos travaram para serem livres no mundo.
domínio social ou político! É uma pena que não tenham feito os
mesmos esforços, que não tenham travado as mesmas lutas para
serem espiritualmente livres.
Muitas pessoas são como aqueles cavalos que o fazendeiro prende
a uma estaca com uma corda: desde que não tentem ultrapassar esse
limite, estão livres para se mover, mas se quiserem ir mais longe, a
corda é apertada. eles. Da mesma forma, quando se trata de
satisfazer apetites materiais ou desejos grosseiros, as pessoas não se
sentem limitadas, mas se quiserem alcançar regiões mais sutis, mais
espirituais, é aí que são forçadas a ver como são limitadas,
sobrecarregadas, escravas. .

A verdadeira liberdade não está sendo retida por nenhuma corda.


Cada vez que você obedece a um desejo inferior, você é um escravo e
só vemos escravos na terra, pobres coitados constantemente jogados
para a direita e para a esquerda e que acreditam justificar todos os
seus disparates dizendo: "Foi mais forte do que eu. No momento em
que um homem pronuncia essas palavras ele já é um escravo, alguém
o tem à sua mercê. Um homem livre nunca diz: “Foi mais forte do que
eu”, porque é a frase da capitulação, o cartão de visita onde se lê: sou
escravo, sou fraco, sou zero. "Como? 'Ou' O quê? Mas no meu cartão
está escrito: Presidente disto. Diretor disto, Inspetor...” Ah? É possível,
mas estou lendo algo completamente diferente. O que você quer,
quando você está deformado como eu,

A única liberdade é a consagração. Quando ele tem que projetar


forças em um objeto para consagrá-lo, o iniciado começa purificando-
o, exorcizando-o, porque o objeto já recebeu a influência das pessoas
que o tocaram, ou dos eventos que ocorreram. para ele e que
depositaram
camadas fluídico opaco, impuro. Aqueles camadas
impedem que o pensamento mágico impregne o objeto, pois formam
uma espécie de barreira, uma tela que funciona como um obstáculo.
Portanto, é somente uma vez que o objeto foi exorcizado por
fórmulas, vapores de incenso, que o iniciado procede à sua
consagração. Ele a consagra a uma entidade, um princípio, uma
virtude, e o objeto é reservado. É como se ele estivesse carregando
um sinal. Ele está imbuído de boas influências e os maus espíritos não
podem mais vir e se estabelecer ali para usá-lo.
Existem leis e proibições na natureza que até os espíritos malignos
conhecem. Eles sabem que se cruzarem certas barreiras, serão
punidos. Mas, obviamente, onde a entrada é gratuita, o próprio
Senhor não pode impedi-los de entrar para alimentar, sujar, devastar.
Eles têm o direito, a porta está aberta. Alguns cristãos se perguntam
como é que o Senhor permite que espíritos malignos entrem em suas
casas... Que pergunta estúpida! Se eles não se protegem, por que o
Senhor os protegeria? Existem regras e leis a serem observadas. Você
tem um jardim: se não estiver cercado por um muro ou cerca, não se
surpreenda se suas árvores frutíferas forem roubadas. E se for
reclamar nos tribunais, ser-lhe-á dito: “Nenhuma cerca mostrou que
este jardim era sua propriedade, não há nada que possamos fazer.
Uma cerca teve que ser colocada. »

Então é isso, as pessoas querem ser livres, livres, mas livres de quê
e de quem? Ah, livres de mestres que os tornariam sábios e
conscientes, livres do Céu, livres do Senhor! Mas, nesse momento,
eles já estão à disposição do Inferno, que os inspira com toda sorte
de loucuras e crimes. Eles estão constantemente cercados por forças
que estão à espreita para enganá-los e festejar às suas custas; e
então eles sofrem, eles são
doente. Todas essas pessoas ditas livres estão no vácuo e, claro, os
maus pensamentos, sentimentos ruins e entidades ruins que estão
vagando por aí, entram em suas casas para se alimentar. Exatamente
como os animais: precisam se alimentar e pegam a primeira vítima
que cai sob sua pata ou sob seus dentes. Se o outro não pode salvar a
si mesmo, ele é devorado. Cada criatura, cada coisa na vida precisa
ser nutrida e é assim que o mal se lança sobre tudo o que pode lhe
servir de alimento. Veja também micróbios, bacilos, vírus... A mesma
lei existe em todos os lugares.

Se o homem não soube ser inteligente o suficiente para se


proteger, todas as forças negativas entram nele, e ele grita, chora,
lamenta sem entender o que está acontecendo com ele. Mas é fácil
de entender: ele era muito ingênuo, não sabia que não deveria ser
livre, exposto, acolhedor como uma pousada de portas e janelas
escancaradas para os indesejáveis do mundo invisível que roem a
humanidade.

O que os caçadores fazem? Eles pegam seu cachorro e seu rifle e


vão matar pássaros ou outros animais para comê-los, vendê-los ou se
exibir na frente dos outros. Da mesma forma, certas entidades do
mundo invisível se jogam nesse jogo delicioso, os humanos, e os
comem. Então, você tem que estar ocupado, engajado, tomado, mas
pelo Céu, pelos anjos e pelos arcanjos. É esta submissão que te
permite ser absolutamente livre, porque essas entidades sublimes
não te devastam, pelo contrário. Como são ricos, inteligentes, belos,
luminosos, trazem-te os seus tesouros, os seus esplendores.
Portanto, é mais vantajoso estar engajado, ocupado, consagrado, do
que ser estupidamente livre. Deixar de ser livre, essa é a verdadeira
liberdade!
Quantos meninos e meninas querem ser livres para "viver sua
vida"! Mas como eles vão vivê-la, esta vida, quando eles não têm
conhecimento, nem ciência, nem luz, nem vontade? Eles vão viver
como animais: eles vão comer, eles vão lutar, eles vão se alegrar, eles
vão chorar, eles vão se alegrar de novo, eles vão chorar de novo...
Isso é o que é “viver sua vida”. Não devemos mais imaginar que
somos livres porque podemos fazer o que quisermos, ir onde
quisermos sem guia, sem ideal. Se você não consagrar sua vida ao
Céu, a liberdade nada mais é do que escravidão.

O que acabei de lhe explicar sobre o exorcismo e os ritos de


consagração é de importância incalculável para compreender a
liberdade. Se você souber aplicá-lo a si mesmo, estará cercado,
protegido por círculos mágicos de luz, e até espíritos celestiais,
atraídos por sua aura, virão guardá-lo para impedir a aproximação de
todos os indesejáveis. Você tem que trabalhar, você tem que estar
ocupado. Veja até o que acontece com as pessoas que se aposentam:
elas envelhecem muito mais rápido! Isso é bom, a aposentadoria,
mas você tem que aceitá-la para finalmente se engajar em outro
trabalho, um gigantesco trabalho espiritual. Então ali, estamos
rejuvenescidos, apoiados, revigorados.

Todos os dias você deve repetir: “Senhor Deus, leva-me a teu


serviço, estou à tua disposição, dirige-me, trabalha através de mim
para realizar teus projetos e teus planos. Obviamente, nos primeiros
dias não dará resultados fantásticos, mas com o tempo, você verá,
nem encontrará palavras para expressar o quanto se sente
aconselhado, amparado, protegido, iluminado, e preenchido com que
alegria!. . ... Então aqui está, nunca ser livre... Apresse-se, hoje ponha
fim à sua liberdade e implore ao Céu que venha e tome posse de
você.
Este é um dos maiores segredos da iniciação!
7
LIMITANDO-SE PARA LIBERTAR-SE

A maioria dos ensinamentos orientais tem como objetivo a


libertação. Os Iniciados da Índia, do Tibete, do Japão, trabalharam
durante milhares de anos para encontrar métodos que lhes
permitissem cortar os laços com a terra, por isso se refugiaram em
cavernas e florestas para poder trabalhar apenas para esta
libertação. . Mas eu não gosto muito dessa atitude, ainda acho
egoísta. Por que se libertar? Eu, não quero ser livre, pelo contrário
quero me limitar, me engajar conscientemente. Quando você pensa
tanto em se libertar, tudo que você tem a fazer é ir embora e largar
todo mundo, nada mais importa. É bom ser livre, nadar na luz, na
felicidade, no êxtase, saborear o nirvana, mas pessoalmente não
significa nada para mim ser feliz<sozinho, não é o que estou
procurando, e é por isso que estou completamente comprometido,
limitado. Desci à terra porque achei egoísta ficar lá em cima com
tanta liberdade e felicidade. Entendi que seria melhor vir aqui para
ser empurrado, criticado, sujo. Você dirá que não entende nada do
que estou dizendo. Espere, você vai entender melhor daqui a pouco.

Quando um ser está completamente liberado, quando não tem


mais nenhuma dívida a pagar, não reencarna mais, permanece acima
em bem-aventurança e luz: nenhuma obrigação o atrai mais para a
terra. Mas às vezes, entre esses seres que se libertaram, há um que,
vendo os sofrimentos de
humanos, decide ajudá-los. Ele vai comparecer perante os vinte e
quatro anciãos para pedir-lhes que desçam, e os vinte e quatro
anciãos estudam o assunto. Eles aproveitam esta oportunidade
extraordinária, um ser que quer se sacrificar... e como eles são uma
expressão da sabedoria insondável do Senhor, eles providenciam
para que este seja o evento mais terrível e ao mesmo tempo mais
maravilhoso. Então, antes que ele reencarne, eles apresentam todos
esses eventos para ele como em um filme, perguntando se ele aceita.
E, claro, ele aceita.

Muitos daqueles que completaram sua evolução terrena quase


parecem estar fartos de toda essa felicidade, toda essa alegria, toda
essa luz. Mesmo entre os grandes Iniciados que viveram na terra,
muitos não podem apagar absolutamente a memória do que ali
viveram e cortar o vínculo com ela. São livres, conquistaram tudo,
vivem na eternidade, mas ainda assim, de vez em quando, apodera-se
deles o desejo de lançar um olhar sobre esses pobres humanos entre
os quais viveram e aos quais, apesar de toda a distância que os
separa eles, eles se sentem conectados. Depois de séculos, milênios
até, eles lembram, e na riqueza, grandeza e abundância de seus
corações, eles decidem descer para ajudar os humanos. E é isso que
eu fiz.

Você tem que se libertar, sim, mas se limitar. É necessário libertar-


se internamente de todas as inclinações e instintos inferiores para se
acorrentar, ou seja, para trabalhar para a coletividade. Foi assim que
entendi o sentido da vida e da liberdade. Felicidade, alegria, é libertar-
se, não se livrar de tudo, não, mas libertar-se internamente das
próprias fraquezas para poder se engajar melhor para ajudar os
outros. Sim, se você quer se libertar internamente, você tem que
limite, desista de certas coisas para se engajar melhor depois.

Como pode um homem que não é livre se engajar na obra divina?


Que, eu vejo, aqueles que não são livres não podem ser tão úteis, eles
estão servindo a outros deuses, e deuses, há quantos você quiser!
Eles não são livres, porque desde pequenos já tinham projetos na
cabeça, desejos pessoais que se apressavam em realizar, e agora
estão comprometidos demais em outros lugares para se dedicarem à
comunidade. O que podemos fazer quando não somos livres? Mesmo
uma de minhas palestras, para ouvi-la e compreendê-la, o cérebro
deve pelo menos estar livre e não assaltado por todos os tipos de
pensamentos, sentimentos e memórias heterogêneos.

Além disso, se eu lhe perguntar qual é a diferença entre um Mestre


espiritual e um professor de qualquer disciplina, tenho certeza de que
você não saberá me responder. Você dirá: "É o conhecimento, o
programa, o objetivo..." Sim, claro, mas há uma diferença ainda mais
importante na qual você nunca pensou e que vou lhe dizer. Quando
um professor termina seu curso, ele não se preocupa mais com seus
alunos. Ele é levado de volta por suas preocupações pessoais: seus
problemas, seus pensamentos, seus sentimentos, seus sofrimentos...
Ele fez seu curso, seu trabalho está terminado. Ao passo que um
Mestre cuida incessantemente de seus discípulos. Dia, noite, quando
come, quando trabalha, quando dorme, cuida da alma e do espírito
de seus discípulos, e assim os ajuda, todos os dias, sem parar. Sim,
um mestre, um Iniciado é gratuito. E quando você estiver livre,
quando tiver resolvido seus problemas, poderá ajudar seus amigos,
seus discípulos, seus alunos. Ao passo que se ficarmos sempre muito
presos, engajados, enredados em nossos próprios problemas, como
este é o caso da maioria dos humanos, o que podemos fazer pelos
outros? Então você vê agora: a diferença entre um verdadeiro Mestre
espiritual e um instrutor comum é que o Mestre é livre!

Todos ficam maravilhados com os ensinamentos orientais, e você


também; mas se eu os seguisse, eu o abandonaria para me dedicar
apenas ao meu trabalho espiritual. E me diga se você ficaria feliz se
eu te deixasse! É comprometendo-me cada vez mais que me liberto.
Essa é uma nova visão sobre o assunto, não é? Todos os espíritas que
se preocupam apenas com sua libertação estão errados: não há amor
nesse negócio, é egoísmo! Devemos agora enfatizar o trabalho
coletivo, porque é no trabalho que nos libertamos. Para mim, foi
assim que resolvi o problema: não quero ser livre, quero fazer o
trabalho, é no trabalho que encontro toda a minha alegria.

Se você quer ser forte na vida, precisa impor certas limitações a si


mesmo. Dê bastante espaço ao pó, ele fará "pfff!..." e pronto. Mas
comprima-o, ele produzirá trovões e quebrará tudo. O ser humano é
como o pó, é preciso comprimi-lo para que tenha o desejo de
estourar e vencer o mundo inteiro. Se você der muito espaço, não
fará nada. Muitas vezes a liberdade clorofórmio as pessoas,
adormecem, não fazem nada: são demasiado livres! É por isso que a
inteligência cósmica coloca certas pessoas em condições de terríveis
limitações para empurrá-las para explodir o mundo inteiro. Essas são
questões para se pensar.

Não estou dizendo que você tem que ser apertado, intimidado,
esmagado o tempo todo, não, mas estou mostrando que essa
questão da liberdade não é tão fácil de resolver. Quando não estamos
educado em ciência iniciática, engana-se, não entende por que está
em tal ou tal condição, não sabe ver o lado bom e o lado ruim de uma
situação. Quem tem grandes possibilidades materiais é feliz, não
conhece os perigos que o aguardam. Para ele, é apenas o lado
externo que conta. Na realidade, para cada situação há um lado bom
e um lado ruim, pense nisso. Você pode não descobrir imediatamente
o significado das situações em que luta, mas vai refletir, e isso já é
muito.

Eu, estas são condições de vida difíceis que me ajudaram


enormemente a refletir. Se eu não tivesse me encontrado muito cedo
nessas condições aparentemente mais deploráveis e infelizes, não
teria descoberto nada e nada feito. É por isso que abençoo o Céu
pelas dificuldades, dificuldades e infortúnios que me enviou. Sim, eu
abençoo o Céu. Quando conseguimos entender, vemos o lado bom.
Digo isso para você também, para que, quando tiver que passar por
dificuldades, não desanime, mas, ao contrário, descubra o lado bom e
aprenda como eu a agradecer ao Céu todos os dias por ter sofrido tal
infortúnio, ter passou por tal provação. Antes de se revoltar, reflita,
medite e você fará descobertas sobre a utilidade das provações, como
eu mesmo estou fazendo.

Há muitas qualidades que você nunca desenvolve quando não


passa por certas provações. E direi até que muitas vezes nossos
inimigos são amigos camuflados porque nos obrigam a fazer
esforços, e são esses esforços que nos libertam. É por isso que você
tem que amá-los. Jesus disse: “Amai os vossos inimigos”. Sim, é
meritório. Amar seus amigos é muito fácil, qualquer um pode
faça. Mas amar seus inimigos é muito difícil. Só podemos amá-los
descobrindo que são amigos disfarçados, graças aos quais
avançamos muito no caminho da maestria e da libertação.

Então, você vê, a vida é bela! Quando você sabe que pode até amar
seus inimigos, e que por trás das circunstâncias mais infelizes
escondem as maiores bênçãos, como não se alegrar? Uma vez que
entendemos isso, somos livres. Sim, somos livres... mas para melhor
nos conectarmos depois na obra divina.
8
ANARQUIA E LIBERDADE

Em seu desejo de ser livre, as pessoas estão se afastando cada vez


mais da Fonte sem perceber que estão aceitando a escravidão e as
mentiras. Para justificar suas andanças, eles se orgulham de dizer que
gostos e cores não devem ser discutidos, e para parecer mais
profundo, mais filosófico, dizem até em latim:"De gustibus et
coloribus non disputandum”.Ainda dizemos: “A cada um a sua
verdade”. O que significa que cada um tem sua loucura particular e
tem o direito de se entregar a todas as depravações imaginadas por
sua loucura. Bem, não, há um padrão para gostos: o que é bom e
bonito deve ser bom e bonito para todos. É apenas na quantidade
que se é livre, não na qualidade. Caso contrário, não se chama mais
liberdade, mas anarquia.

Muitas pessoas hoje abraçaram essa filosofia de anarquia sem ver


os perigos do caminho que estão trilhando. Porque, mais cedo ou
mais tarde, eles serão destruídos. Se tivessem estudado as leis da
natureza, como o universo foi criado, as regiões de que é feito e as
criaturas que habitam essas regiões, teriam entendido que estão no
corpo da natureza viva e que devem se comportar em harmonia com
este todo. Se eles criam muitos problemas por sua atitude anárquica,
é simples, a natureza faz um expurgo e os rejeita. Anarquistas nunca
são aceitos por muito tempo. Se não são os humanos que os
exterminam, é a própria natureza, porque a natureza não tolera
desarmonia. É como um tumor, um câncer em seu corpo e ela está
tentando expulsá-lo.
Isto é o que está escrito no livro da natureza viva. Uma vez que um
Iniciado tenha compreendido esta verdade, seu maior medo é
encontrar-se como um tumor no corpo cósmico, porque não poderia
vibrar em uníssono com ele. Um Iniciado não tem medo de nada nem
de ninguém, a não ser encontrar-se num estado psíquico em que já
não estaria em harmonia com as leis universais, porque sabe o que o
espera. Ele, portanto, tenta se conformar, colocar-se em uníssono
com este grande corpo cósmico.

Se um cantor de coro ou um instrumentista de orquestra se recusa


a cantar ou tocar o que está escrito na partitura, ele é imediatamente
demitido, porque destrói a harmonia do todo. Isso também é o que
acontece com um anarquista. É por isso que os anarquistas são os
seres mais ignorantes e cegos. Se fossem inteligentes, teriam
entendido que seu reinado não pode durar muito. Porque um
anarquista muitas vezes encontra um anarquista mais do que aquele
que o coloca no chão. E se não são os humanos que a destroem,
serão as leis da natureza, porque são terríveis.

Agora, vamos acertar esta palavra "anarquia". O que alguns


chamam de anarquia não precisa necessariamente ser considerado
ruim. Em princípio, é o estado de um ser que quer viver sua vida
como deseja, mesmo que para isso deva se opor à ordem
estabelecida. Seja essa ordem boa ou ruim, ele quer viver de acordo
com seus desígnios. Agora, suponha que ele seja um ser de
extraordinária elevação: suas concepções podem ser superiores às da
ordem estabelecida. A sociedade o considera um anarquista, mas
para o céu ele não é
anarquista, pois aspira a mais amor, mais fraternidade e mais justiça.
Segundo os Iniciados, só um é anarquista que não reconhece a
ordem divina, a existência de um Mestre do universo, de entidades e
forças superiores e de regras às quais deve se submeter. Um homem
pode estar bem sintonizado com uma sociedade de milhões de
homens que não têm vida espiritual, mas no que diz respeito à
inteligência sublime ele é um anarquista porque transgride as leis
divinas.

Até que você aponte para o Céu, você ainda vive uma vida
anárquica. Mesmo que você diga que é contra a anarquia,
intelectualmente pode ser verdade, mas no fundo você vive na
anarquia, porque qual é o seu objetivo? E mesmo supondo que seja o
Céu, você está mobilizando todas as suas forças nessa direção? Não,
muitos de vocês ainda estão andando e se alimentando em outros
lugares. Aos olhos de um Iniciado, portanto, a situação parece muito
diferente, porque ele vê tudo em você que não é coordenado nem
domado.

Na realidade, a maioria dos humanos são anarquistas sem saber.


Externamente são bastante decentes, tão decentes que até
receberam condecorações; eles nunca transgrediram nenhuma lei
humana, mas interiormente eles se permitem todas as transgressões.
Eles respeitam as leis humanas porque têm medo de serem
criticados, pegos ou condenados, mas não têm medo de não
respeitar as leis divinas, sem saber que na verdade são muito mais
terríveis. Se você for inteligente ou mesmo se tiver sorte, sempre
poderá escapar das leis humanas, enquanto ninguém jamais
conseguiu escapar das leis divinas, mesmo as mais inteligentes,
mesmo as mais astutas. Porque acima
nossa pequena inteligência humana, há outra Inteligência que
observa, que registra. É por isso que os criminosos são sempre vistos
e punidos: porque, sem saber, sempre deixam rastros. Mesmo um
pensamento, um sentimento, sempre deixa rastros no plano invisível.
Você foi a algum lugar: em termos concretos, você pode não ter feito
nada de errado, mas teve pensamentos prejudiciais e esses
pensamentos foram registrados em você e fora de você. É por isso
que a lei virá depois de você, a lei divina: depois de um tempo, esses
pensamentos de alguma forma afetarão você.

Segundo a ciência iniciática, um anarquista é um ser que se recusa


a submeter-se a uma ordem divina de coisas. E nestas condições
podemos dizer que nove décimos da humanidade se enquadram
nesta categoria. Geralmente definimos anarquistas de acordo com
um critério político ou social, mas isso não é suficiente: a única
anarquia real é a anarquia em relação ao céu. Na realidade, muitos
são duplamente anarquistas: vis-à-vis a terra e vis-à-vis o céu.

Lembre-se no Evangelho a parábola do filho pródigo: ele saiu da


casa do pai para vagar pelo mundo porque estava entediado em casa,
e queria liberdade, aventuras... pequenas coisas se tornaram difíceis:
ele era estrangeiro, as pessoas desconfiavam dele, não lhe davam
emprego. Então o pobre começou a passar privações, fome, sede,
frio, porque não tinha mais abrigo, e começou a sentir saudades da
casa paterna onde tudo estava à sua disposição, onde seu pai, sua
mãe, sua família o amavam, onde todos o conheciam, e ele decidiu
voltar para lá. E assim, um dia, castigado, humilhado, infeliz, sofredor,
esfarrapado, empoeirado, tendo aprendido que não é
nem o amor nem a piedade que reina no mundo, apresentou-se ao
pai que o recebeu de braços abertos. A história deste filho pródigo é a
história do ser que, em vez de viver de acordo com as leis divinas,
quer fazer o que lhe agrada e goza da anarquia.

Mas, como acabei de dizer, a anarquia mais séria é a anarquia


interior. É por isso que o objetivo das Escolas Iniciáticas é levar os
seres a retornarem à casa de seu Pai, este Alto Retiro de que fala o
Salmo 91 ("Meu refúgio e minha fortaleza, meu Deus em quem
confio") onde estarão seguro, onde as forças do mal não poderão
surpreendê-los. Sempre parece que os humanos estão felizes em sair
deste Alto Retiro onde estão sob a proteção de Deus. Eles querem
viver sua própria vida se afastando do Senhor, transgredindo suas
leis. Pois bem, vou lhe dizer que esses seres ainda têm muito a sofrer,
e por isso têm essa tendência de estar sempre à margem, de não
obedecer: porque está escrito em seu destino que eles devem sofrer.

Cristo disse: “Eu sou a videira e vocês são os ramos. Aquele que
permanece em mim e em quem eu permaneço dá muito fruto, pois
sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim,
será lançado fora como um graveto e secará; depois apanhamos os
rebentos da videira, atiramo-los ao fogo e queimam-se”. É
exatamente a mesma ideia. Mas a maioria dos humanos são ramos
cortados: eles quiseram se separar do Senhor na esperança de
conseguir algo mais, o que na realidade eles nunca conseguirão.
Antes de lançar assim, às cegas, é preciso estudar bem as leis para
entender como os eventos
vai virar. Como o filho pródigo: deveria ter estudado a vida na casa do
pai e compará-la com a vida que o esperava no mundo onde as
pessoas só conseguem com dentes, cascos e garras. Mas ele não
estudou, coitado, ele imaginou... Todos os anarquistas imaginam...
Por isso, agora, aconselho a todos que façam um estudo para ver um
pouco de espera se ele continuar avançando no caminho da anarquia.

Quantas pessoas imaginam que, cultivando a anarquia, a revolta,


sublinham o poder de seu caráter! Não, pelo contrário, eles enfatizam
sua ignorância, porque cada vez mais começam a desmoronar e
enfraquecer. A verdadeira força do homem, como a verdadeira
liberdade, é conseguir conduzir todos os movimentos instintivos do
seu ser numa irresistível corrida para o Céu, para a perfeição
espiritual.
Esta questão das leis ainda é tão fácil de entender! Apenas olhe:
suponha que você comeu demais, nenhuma lei humana o
responsabilizará, nenhum policial o prenderá. Sim, mas você vai ficar
doente! Então, o que é essa justiça que te derrubou e te colocou na
cama? As leis da natureza não são as dos humanos. Os humanos
virão vê-lo em sua cama e lhe dirão: “Ah, meu pobre velho, temos
pena de você! Mas eles não poderão fazer nada por você. Somente a
natureza pode ajudá-lo: se você obedecer suas regras novamente,
você será curado. Deve-se aprender quais são as leis da natureza, as
leis divinas para o intelecto, o coração e o corpo físico. Tudo que você
diz, tudo que você faz, você deve saber o que isso representa como
energias,
Nos Contos das Mil e Uma Noites, podemos ler a história de um
homem que parou debaixo de uma árvore para descansar enquanto
comia. Ele comia tâmaras, jogando os caroços assim ao seu redor.
Assim que terminou sua refeição, um gênio assustador apareceu para
ele e anunciou que ia matá-lo. “Mas por que, perguntou o homem, o
que eu poderia ter feito? - Você comeu tâmaras e jogando os caroços
você machucou o olho do meu filho que estava passando e ele
morreu. Vamos, agora você tem que morrer. É um conto, mas tem
muito significado. O homem nunca está suficientemente consciente
dos problemas que pode produzir nos mundos visível e invisível.

Faça o que quiser, afaste-se do Senhor, mantenha-se independente,


você verá qual será o seu destino. Eu, eu sei de antemão. Por quê ?
Porque um homem com tal atitude, é muito fácil adivinhar seus
planos.
Um homem que se separa de Deus, que não quer estar na luz,
quais sejam suas intenções, diga-me... Ordinário. Ele quer se tornar
rico, poderoso, glorioso, quer comer, beber, dormir... Seu ideal,
portanto, não é tão alto, e ele está ali rastejando e explorando as
regiões mais baixas onde o espera o sofrimento e os infortúnios.
Assim, sabendo apenas qual é o ideal de um homem, posso prever
seu futuro: ele irá para onde está seu ideal. Quando se conhece a
ciência iniciática, nada é mais fácil do que profetizar. Quando vemos
em quais trilhos um trem está posicionado, sabemos exatamente sua
rota e seu destino. Então aí está, os chefes de estação são profetas! E
os astrônomos também, que preveem a posição dos planetas com
anos de antecedência... Todos aqueles que realmente têm uma
ciência são profetas. E a previsão do futuro também é baseada no
conhecimento.
Entenda agora que a filosofia do estranhamento só pode levá-lo à
escravidão e à limitação absoluta: porque não há liberdade quando
você se distancia. Afaste-se do sol, o que espera por você? Escuridão,
frio e morte. Mas os humanos não entendem, são como crianças.
Quando uma criança quer ser livre, é para fazer todo tipo de coisas
estúpidas ou perigosas que a limitarão. Os jovens - e os adultos
também - entendem a liberdade como bebês. Só os sábios sabem que
para ser livre é preciso se limitar. Os outros, sob o pretexto da
liberdade, na verdade estão apenas abrindo as jaulas das bestas - as
entidades malévolas do plano astral - que rasgam e devoram tudo
dentro delas.

Ontem, por acaso, liguei a televisão para ver o que estava lá, e o
que eu vi! Quatro fanáticos peludos com rostos de animais, gritando,
gesticulando. Foi um concerto, parece, num teatro. Nunca ouvi algo
tão feio, tão cacofônico. Mas o público, meninos e meninas, foi
desencadeado com entusiasmo: levantaram-se, aplaudiram,
agitaram-se. E eu, olhei com tristeza e disse para mim mesmo: “Meu
Deus, como entender a natureza humana agora? O que está
acontecendo na alma do homem que pode levá-lo tão longe da
beleza? Quatro fanáticos selvagens que poderiam alcançar tanto
sucesso! No entanto, não sou tão estreito ou severo ao condenar um
jovem que quer expressar alegria e vida. Mas o. não havia nem
alegria, e a vida era apenas movimentos confusos e sem graça!
Grandes felinos... Sim, eu os vi: as gaiolas estavam abertas e os
grandes felinos andavam para devorar
tudo o que havia de bom neles. E os outros que aplaudiram!

Vendo isso, quase perdi a esperança de levar os humanos a algo


bonito, significativo. Você tem que deixá-los ir até o fim, chegar ao
fundo do poço. Como você espera que essas pessoas entendam as
grandes leis da criação e da natureza? Eles nunca fizeram nenhum
trabalho em si mesmos e nem sabem que há trabalho a ser feito. Eles
só sabem abrir a jaula dos animais selvagens, e pronto. Chamamos
isso de liberdade... Sim, somos livres, independentes...
desencadeados!
9
SOBRE O CONCEITO DE HIERARQUIA

Está escrito em Gênesis que Jacó, uma noite, adormeceu com a


cabeça sobre uma pedra; durante o sono ele viu em sonho uma
escada que subia da terra ao céu, e nessa escada anjos que subiam e
desciam... Assim Jacó teve a revelação de toda essa hierarquia
celestial que liga a terra ao céu.

A escada de Jacó é o símbolo desta ordem angélica que faz a


ligação entre o homem e Deus e que a tradição cabalística tem
representado pela Árvore da Vida, a Árvore Sefirótica. Imaginar, como
fazem os protestantes, que o homem possa dirigir-se diretamente ao
Senhor, é simplesmente a prova da maior ignorância. Na terra não é
possível ver uma pessoa importante sem passar por intermediários,
mas o Senhor, diretamente iremos tocá-Lo sem sermos abatidos!...
Para muitos o Senhor é um homem muito bom, muito acessível, a
quem pode puxar a barba e bater no ombro. Na realidade, o Senhor é
uma "central eléctrica" tão poderosa que se não existisse um
transformador, isto é, esta hierarquia que faz a ligação entre o
homem e Deus,

Se na vida cotidiana os humanos têm a noção de hierarquia, é


porque ela lhes foi dada pela inteligência cósmica, que não só
estabeleceu essa hierarquia no universo, mas em seu corpo físico. O
homem é feito
de um sistema ósseo que corresponde ao mundo mineral e que,
como ele, desempenha o papel de suporte material. Em seus ossos
estão pendurados os músculos, como a vegetação está pendurada no
chão. O sistema circulatório com canais e vasos sanguíneos
corresponde aos rios e oceanos, pois a água é o sangue da terra que
nutre toda a vegetação. O sistema respiratório corresponde ao ar. E
finalmente o sistema nervoso corresponde ao sol do qual tudo
depende. Portanto, não são os ossos que comandam, mas o sistema
nervoso que é o mais sutil, o mais evoluído. Por que não tiramos uma
conclusão filosófica dessa observação e entendemos que devemos
dar o primeiro lugar ao espírito?

A hierarquia é uma ordem ascendente onde o inferior está sujeito


ao superior. Esta noção de hierarquia está tão profundamente
inscrita na natureza que até os animais a respeitam: escolhem o mais
forte, ou o mais inteligente, ou o mais belo, e obedecem-lhe. Em uma
floresta um veado reina sobre algumas cervas: ele é o chefe, todos
lhe obedecem; mas agora outro veado chega para lutar com ele para
tomar suas fêmeas e seu território: se ele triunfar, todo o rebanho se
submete e o reconhece como líder. Até os animais sabem que o valor
deve ser reconhecido e respeitado. Somente os humanos perderam
esse senso de valores: eles são orgulhosos demais. Veja, aqui está
outra definição de humildade: o reconhecimento da hierarquia.

Podeis percorrer o mundo inteiro, percorrer todas as regiões do


espaço, apresentar-vos em todas as escolas do Céu, encontrareis esta
noção de hierarquia inscrita em todos os lugares: Deus no topo que
governa, e todos os outros, seus servos que, ao seus respectivos
lugares, têm a missão
para cumprir suas ordens. E quando você consegue introduzir essa
hierarquia em seu coração, tudo funciona na maior harmonia.

Por isso, entenda-me bem, se insisto tanto nesta noção de


hierarquia, é porque acima de tudo insinuo a hierarquia interna, uma
organização da qual Deus é a cabeça. Alguém pode ser exteriormente
o chefe de uma empresa ou de um estado e interiormente não ser
nada além de um zero. Na sociedade pode-se estar à frente porque é
rico ou instruído, mas vis-à-vis o mundo divino, para estar em
primeiro lugar é preciso ter outras qualidades além da riqueza ou da
erudição. Também é fácil ver isso: você não pode fazer com que as
forças ou espíritos dentro de você obedeçam se você não estiver
acima deles. Eles sabem, eles imediatamente sentem quem você é, e
se você não for superior a eles, nada a fazer! Mesmo se você tentar
dar ordens em nome de Jesus, eles vão te dizer: “Ei! conhecemos
Jesus, mas quem é você? E não só eles não vão te obedecer, mas eles
vão te derrubar.

Por que as pessoas em todo o mundo estão fazendo tudo o que


podem para progredir? Eles sabem que nessa altura serão mais
respeitados e que ganharão mais dinheiro: os outros vão levantar o
chapéu na frente deles, e em vez de andar de bicicleta vão andar de
carro. Sim, mudança de situação! Há uma grande lição neste caso.
Todos o conhecem, o vêem e procuram pô-lo em prática, mas apenas
uma ínfima minoria compreendeu que o mesmo esforço para subir
na hierarquia deve ser feito internamente se se quer ser ouvido,
obedecido e ter mais prestígio. à-vis este povo de células que pedem
apenas para fazer o que quiserem.
Veja, na rua, um policial safado com seu uniforme e sua bengala
branca: todos lhe obedecem. Ele diz, "circule", e até professores e
ministros circulam. Ele pode não ter educação, mas um pauzinho, um
kepi, e pronto! É a mesma coisa em você: se você usa interiormente
certas “roupas”, certas “insígnias”, seus cidadãos ficam
impressionados e lhe obedecem. Você diz algumas palavras, e
imediatamente eles estão lá dizendo: “Amém”. Então, se você
conseguir subir mais um grau em pureza, maestria ou discernimento,
horizontes extraordinários se abrirão diante de você.

Mas entendam-me bem, meus queridos irmãos e irmãs, quando


falo de hierarquia, refiro-me à hierarquia interna. No momento em
que você consegue introduzir essa hierarquia dentro de você, isso é
liberdade. Você é o rei, você retoma seu lugar no trono e tudo lhe
obedece: sentimentos, pensamentos, instintos, desejos.

Para alguns, a liberdade é abrir a porta e escapar dizendo: "Sou


livre", sem ver que carregam dentro de si todas as prisões. Não,
aquele que dá o primeiro lugar aos caprichos, às paixões, é um
escravo, e seu desejo de ser livre é totalmente equivocado. Na
realidade só o espírito é livre, portanto só o homem em quem o
espírito governa - isto é, a luz, tudo o que é nobre, grande, justo - tem
o direito de ser livre. Neste ponto, os outros ao seu redor começam a
sentir que podem confiar nele e segui-lo. Ele, portanto, ganha
liberdade e autoridade, mas primeiro ele as ganhou internamente.

A partir de agora pense em se concentrar na ideia dessa hierarquia


que sobe ao Trono de Deus perguntando a si mesmo como você pode
realizar isso em si mesmo. Devemos orar,
implore, lute até que o Espírito de Deus, a Cabeça sublime, se
estabeleça dentro de você para transformar tudo. Quando ele vier,
apenas um segundo de sua presença, e tudo estará em harmonia,
tudo vibrará com alegria. Mas sem a cabeça, nada para fazer. Esta
hierarquia não pode ser estabelecida sem a cabeça. É a cabeça que
faz tudo. Você pode transformar tudo em si mesmo, os movimentos,
as correntes, as forças, mas apenas mudando a cabeça, colocando o
Senhor no topo dessa hierarquia.

A hierarquia é, portanto, uma ordem ascendente de coisas onde o


inferior está sujeito ao superior, mas também onde as atividades de
cada um convergem para o topo. Essa ideia de convergência é um
ponto essencial. Pegue uma árvore: onde está sua cabeça? Você vai
dizer que é o topo. Não, a cabeça da árvore são suas raízes.
Comparada ao homem, a árvore está de cabeça para baixo. A cabeça
da árvore está caída, enterrada sob o solo. Se os galhos, folhas, flores
e frutos não estiverem presos às raízes, a árvore murcha e morre.
Esta é a imagem dada por Jesus na parábola da videira e dos ramos. A
videira é a parte inteira que permanece plantada no solo, enquanto
as folhas e os frutos retornam periodicamente.

No homem também existe toda uma hierarquia dos pés ao cérebro.


Para que o todo seja harmonioso, equilibrado e tenda para o mesmo
fim, é necessário que todos os órgãos se associem e dêem seu
consentimento a algo que é o cume, ou o centro - é a mesma idéia. É
então que a unidade é feita, e a unidade é a primeira condição da
vida. Se os planetas não girassem em torno do sol, se se afastassem e
cortassem a ligação com ele, morreriam porque não receberiam nem
sua luz nem seu calor. E como tudo no universo é construído de
acordo com o mesmo padrão, se os órgãos e as células não estiverem
ligados
ao espírito do homem, ao seu Ser divino como os planetas ao sol, eles
conhecerão a fraqueza, a doença, o deslocamento e a morte. É uma
verdade que os Iniciados viram inscrita em toda a natureza.

Ao conceber que tudo é hierárquico, das pedras a Deus, mantendo


constantemente em mente essa ideia de estrutura, o homem começa
a sentir que tudo está ordenado e organizado dentro dele. Porque a
hierarquia é um estado de perfeita harmonia onde tudo encontra o
seu lugar. Sim, cada um em seu lugar, essa é a hierarquia, e é
verdade em todas as áreas. Infelizmente, não é isso que vemos hoje
na sociedade, onde as pessoas melhores e mais inteligentes
permanecem desconhecidas ou desprezadas, enquanto os violentos,
gananciosos, astutos, muitas vezes ocupam os primeiros lugares. Mas
eu te disse: não é a hierarquia externa, a hierarquia social que me
interessa, mas a hierarquia interna. Talvez na sociedade consigamos
ocupar o primeiro lugar empurrando os outros ou reprimindo-os:
vimos isso durante as guerras e as revoluções. Mas no mundo
espiritual não se pode chegar assim, no mundo espiritual só se
consegue com trabalho assíduo, constante e incansável. Nesse
momento, sim, a pessoa se eleva e se impõe tanto às forças internas
quanto às forças da natureza, e um dia ela se torna uma divindade.

É uma lei: os humanos só podem receber o que merecem e devem


receber tudo o que merecem. É uma lei universal, uma lei
promulgada pelos Vinte e Quatro Anciãos. Sim, as entidades celestes
que sabem do que você é digno e capaz, organizam as coisas para
que, mais cedo ou mais tarde, você consiga o que merece. Mas a
maioria dos humanos que não conhece essas leis, que não acredita
que há Inteligências fiéis à lei, inteligências justas e clarividentes,
muitas vezes se permitem usar a violência, a maldade, a astúcia, e
então, claro, recebem lições das forças da natureza.

Ninguém pode tomar o lugar de ninguém. Todos no universo têm


um lugar que lhes foi dado por Deus, com uma vibração específica.
No plano físico, é claro, pessoas injustas e desonestas podem
conseguir expulsar outras. Mas no plano espiritual ninguém pode
tomar o lugar de ninguém. O lugar que Deus dá a cada um de nós é
absolutamente o lugar que ele merece na hierarquia. Nesta área, há
justiça absoluta, injustiça não existe. Nenhuma criatura tem a
oportunidade de tomar o lugar de outra, mas cada uma deve se
desenvolver até atingir a perfeição que Deus imaginou para ela. E
quando tiver se desenvolvido na direção que Deus queria, será único
e insubstituível para a eternidade. Em todo o universo não haverá um
segundo como ela. Mesmo que outros a superem em importância,
onde ela está, ela reina, porque foi Deus quem lhe deu este lugar. Ao
longo de sua vida, cada criatura secreta uma quintessência que lhe é
específica. Mesmo que alguém a supere, sua quintessência é de outra
natureza. Nenhuma criatura pode, portanto, substituir outra ou
substituir a si mesma por ela.

As melhores pessoas podem aparentemente sofrer injustiças, mas


se elas realmente são as melhores e não param apesar de todos os
inconvenientes que encontram, o céu e a terra juraram dar a elas o
que elas querem. Para qualquer um, sempre foi assim, e será para
sempre. Portanto, não precisamos nos preocupar se as entidades
invisíveis são inteligentes
ou se adormeceram e se esqueceram de nós. Só temos que nos
preocupar se estamos fazendo bem o nosso trabalho, porque essas
entidades sabem fazer o seu perfeitamente, e quando chegar a hora
vão nos dar a realeza.

Imagine um jovem príncipe que, desde tenra idade, teria sido confiado a
camponeses para ser educado na simplicidade e até na dureza. Ele não sabe
que é o herdeiro de um trono e vai trabalhar todos os dias, quase vestido em
farrapos, com apenas o suficiente para comer. Um dia, depois de anos,
quando ele terminou seu aprendizado, toda uma suntuosa procissão vem
buscá-lo em uma carruagem. Ele não entende, acha que estamos errados.
Mas não, fora mandado para lá apenas para ensiná-lo a trabalhar, a acordar
cedo, a viver na sobriedade. Porque você sabe como os pequenos príncipes
criados na opulência se comportam depois: são caprichosos, preguiçosos,
cruéis. Aqui está ele agora chegando ao palácio: lhe perguntam o que ele quer
para sua refeição e ele só pede um pouco de pão, uma cebola, queijo e água.
É claro que os cortesãos ficaram desesperados porque o cozinheiro real
preparou perus, lagostas e os melhores vinhos!... que um belo dia, Deus que
te colocou com camponeses - simbolicamente falando - para serem educados
lá, solenemente mandará te chamar? Sim, mas com a condição de ter
funcionado bem, senão esse aprendizado entre os camponeses pode durar
séculos. filhos e filhas de Deus, e que um belo dia, Deus que os colocou entre
os camponeses - simbolicamente falando - para serem educados lá,
solenemente mandará chamá-los? Sim, mas com a condição de ter funcionado
bem, senão esse aprendizado entre os camponeses pode durar séculos. filhos
e filhas de Deus, e que um belo dia, Deus que os colocou entre os
camponeses - simbolicamente falando - para serem educados lá, solenemente
mandará chamá-los? Sim, mas com a condição de ter funcionado bem, senão
esse aprendizado entre os camponeses pode durar séculos.

Portanto, o principal é colocar uma nova cabeça em si mesmo,


porque nesse momento tudo mudará. Mas os humanos ainda não
entenderam a importância da cabeça. Quando é eleito
um novo Presidente da República, por exemplo, há imediatamente
um novo governo com novos ministros, tudo é reformulado. Como
isso é possível ? Por que não mantemos os mesmos? É absolutamente
impossível: pela lei da simpatia, do magnetismo, outra hierarquia,
outra ordem de coisas está sendo posta em prática. E se for um
gangster que for eleito, ele dará todos os cargos aos seus homens, e
haverá desordem e roubo. Você notou essas mudanças, não é? Assim
que um novo líder toma posse, todos são demitidos e outros que têm
afinidades com ele, que são seus apoiadores, seus amigos ou seus
parentes, são instalados.

Então, por que me objetar que a nova cabeça não mudará nada,
que tudo ficará exatamente como antes? Não, tudo muda, cada cargo
é confiado a uma pessoa que está de acordo com o chefe. Assim, se o
chefe for um bandido, todos os bandidos sairão das sombras para
apoiá-lo, e se o chefe for um santo, todos os santos se mostrarão e
naturalmente tomarão seu lugar perto dele, como se já soubessem.

É por isso que, agora, o que é mais desejável para o discípulo é


finalmente colocar no topo de si a cabeça mais formidável, esta
cabeça de que fala a Cabala, a Cabeça Branca. Se o discípulo
conseguir colocar o Senhor à frente de sua existência, nesse
momento os Anjos e os Arcanjos virão se estabelecer para lhe fazer
companhia. O Senhor não suporta estar cercado de demônios, então
eles são imediatamente afastados, e é o Céu que vem cantar perto
dele, porque não é possível de outra forma.

Esta é a verdadeira transformação, esta é a verdadeira alquimia, a


verdadeira magia: substituir a cabeça. E para recolocar a cabeça, um
discípulo deve ao menos dizer: "Não sou eu quem
quero mandar, quero ser servo, quero obedecer, quero trabalhar, é o
Senhor que deve vir e habitar em mim”, e ele trabalha o quanto pode.
No final, quando o Senhor descobre que há boas condições para Ele,
Ele concorda em vir, e quando Ele vem, todos os espíritos luminosos
vêm com Ele e se instalam em todos os lugares. Veja, apenas uma
mudança de cabeça, e tudo muda, não pode ser de outra forma.
Como você gostaria que o Senhor; tendo decidido se estabelecer em
algum lugar, está sozinho ou cercado por demônios? Não, não, Ele
vem com todo um conjunto de entidades extraordinariamente belas.
Se você se der ao trabalho de entender o significado e o valor da
hierarquia, poderá chegar a algumas realizações fantásticas.
10
SINARQUIA INTERNA

Os humanos acreditam ter opiniões objetivas e desinteressadas


sobre todos os problemas da vida, quando na realidade são suas
inclinações, suas tendências instintivas que determinam essas
opiniões. Começa na infância: quando a criança pensa que sua mãe é
malcriada porque ela não o deixa comer todos os doces ou geleias
que ela quer, ela é convencida a expressar uma opinião objetiva. Com
os anos, e mesmo na velhice, mesmo que a natureza dos desejos e
necessidades mude, eles continuam a refletir as tendências instintivas
do homem. Pode-se, portanto, dizer que a maioria das ideologias e
sistemas filosóficos têm suas origens nas necessidades e desejos dos
humanos, e muitas vezes até mesmo em suas necessidades e desejos
mais baixos.

Tomemos como exemplo as teorias sobre a sexualidade: como a


maioria dos homens e mulheres são incapazes de dominar sua força
sexual, especialistas apresentaram teorias e deram regras que na
realidade não têm valor absoluto; dizem respeito apenas a humanos
fracos e ignorantes que não sabem, e não querem saber, que a força
sexual, em vez de ser desperdiçada em prazeres, pode ser usada para
obras fantásticas. E assim sucessivamente para todo o resto. É por
isso que é tão difícil instruir os humanos: eles só podem realmente
compreender e aceitar as verdades iniciáticas enquanto tiverem
sucesso em
livrar-se de suas necessidades inferiores, caso contrário, essas
necessidades continuam a mantê-los em suas opiniões errôneas.
Olhe novamente para os regimes políticos. Em Roma, para ganhar
o favor do povo, era preciso prometer pão e jogos. E ainda hoje, de
outra forma, com outras palavras, devemos prometer ao povo pão e
jogos. Se queremos propor-lhe outros objectivos, e sobretudo se
queremos fazê-lo compreender que a forma de governo que escolheu
e os representantes que elegeu reflectem muitas vezes apenas
tendências egoístas e grosseiras, que há algo a rever e melhorar, é
imediatamente considerado um inimigo, uma pessoa perigosa que
quer desintegrar o país e a sociedade.

Durante séculos, a monarquia prevaleceu na maioria dos países do


mundo. Era normal? Sim, porque o universo é uma monarquia com, à
frente, Deus que dirige tudo, e por isso é natural que cada governo
reflita um pouco esse modelo universal. Mas como poucos monarcas
souberam cumprir sua tarefa, a monarquia foi derrubada: pouco a
pouco vimos as democracias se instalarem e descobrimos em nosso
tempo que é a melhor forma de governo porque é ela quem deixa os
cidadãos a maior liberdade para se expressar e agir. Sim, enquanto
não encontrarmos seres qualificados, competentes e iluminados, isto
é, possuidores da verdadeira Ciência iniciática, seres capazes de
exercer verdadeira autoridade com total desinteresse,

Nas palestras que dei a vocês sobre Agartha, falei sobre sinarquia,
, EU
[4]

que é o termo usado por Saint-Yves d'Alveydre para designar a forma


de
governo estabelecido neste reino no centro da terra. À frente deste
governo reina uma trindade de seres: o Brahatma, o Mahatma e o
Mahanga. O Brahatma representa a Autoridade, o Poder Mahatma e
a Organização Mahanga. Abaixo deles, na imagem dos doze signos
do zodíaco, está um grupo de doze pessoas; então, ainda abaixo,
vinte e duas pessoas representam os vinte e dois princípios da
Palavra pelos quais Deus criou o universo; então trezentos e sessenta
e cinco pessoas, como os trezentos e sessenta e cinco dias do ano...

O governo sinárquico é, portanto, à imagem da ordem cósmica: é


Deus quem governa, os Arcanjos executam suas ordens e,
finalmente, os espíritos da natureza trabalham em todo o universo
para criar recursos e distribuí-los. Deus estabeleceu uma ordem
perfeita das coisas ali, mas em vez de se conformar com essa ordem,
os humanos inventam outros arranjos que lhes convém, e isso é
anarquia. Porque não devemos acreditar que a anarquia é uma
desordem absoluta. Quando são os ambiciosos, os violentos, os
gananciosos que governam, enquanto os sábios são eliminados, é
também uma hierarquia, uma hierarquia invertida, mas ainda assim
uma hierarquia. Na anarquia há também um chefe, alguém que toma
o poder, e os outros lhe obedecem porque sentem que ele é o mais
forte;

É na sinarquia que existe a verdadeira hierarquia. Mas o que


pouquíssimos espíritas entenderam e o que quero enfatizar para que
não me entendam mal é que a sinarquia é acima de tudo uma
hierarquia que deve existir dentro de cada ser. Mas para entender
isso
o que realmente é a sinarquia, deve-se primeiro ter entendido a
questão da trindade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo encontrados na
maioria das religiões (Osíris, Ísis e Hórus entre os egípcios; Brahma,
Vishnu e Shiva entre os hindus etc.) estão presentes no homem na
forma de poder, amor e sabedoria.

Vejamos novamente este diagrama:

A trindade inferior, que é representada pela vontade, o coração e o


intelecto, não pode resolver os problemas se não estiver ligada à
trindade superior, a sabedoria divina, o amor divino, o poder divino.
Quando Hermes Trismegisto disse
na Tábua de Esmeralda: "Como abaixo, como acima, e como acima,
como abaixo", ele não especificou como isso foi feito. Mas com
certeza você já passou por um lago, admirando como as casas e as
árvores se refletem na água: o reflexo dá uma imagem invertida
delas, não é? Assim, o que está abaixo na reflexão é como o que está
acima na realidade, mas invertido. E a superfície do lago representa
esse limite entre o mundo de cima e o mundo de baixo, um limite
além do qual as coisas e os seres não são mais do que um reflexo da
realidade. Isto também é o que você vê neste diagrama: o que é mais
baixo no plano inferior, portanto, corresponde ao que é mais alto no
plano superior,

Quando, por meio de longa disciplina e exercícios apropriados, o


discípulo consegue derrubar essa trindade superior em si mesmo, ele
estabelece verdadeiramente nele a sinarquia em seu ser, e é isso que
você deve entender: antes de existir no exterior como forma de
governo, a sinarquia deve existir primeiro em cada homem. A
verdadeira sinarquia é que cada indivíduo dá o primeiro lugar ao
princípio divino em si mesmo para entender, sentir e agir de acordo
com as regras divinas.

Então, que haja três pessoas à frente do governo sinárquico, não é


o mais importante. O mais importante, mesmo indispensável, é que
há pelo menos um ser que desenvolveu perfeitamente em si mesmo
esses três princípios da trindade superior que devem governar juntos
(sinarquia vem do grego “sol”: com, e “arkhé”: governo ). Todos
podem ter certeza de que tal ser não os intimidará, não os explorará -
e é isso
confiança que vai consertar tudo. A dúvida, a desconfiança, a crítica
destroem os humanos; eles precisam confiar em alguém, admirar
alguém, segui-lo. É por isso que a religião os ensina a confiar no
Senhor, a amá-lo, a adorá-lo, para que possam florescer e saborear a
vida eterna.

Mas ainda temos que ir mais longe. Visto que Jesus disse: “Seja feita
a tua vontade assim na terra como no céu”, isso significa que o céu
também deve ser representado na terra. O Senhor não é suficiente
para os humanos, Ele está tão longe!
Deve haver em cada país representantes do Senhor, seres que
realizam a sinarquia em si mesmos. No momento, tais seres são
muito raros, e se existem alguns, alguns querem que eles
desapareçam, porque acham problemáticos as pessoas iluminadas
que vêem tão bem as fraquezas e crimes dos outros.

Mas vocês, pelo menos, tentam aceitar a sinarquia, e antes de tudo


dentro de vocês. Como é tão difícil convencer as pessoas, deixe-as e
cuide-se para se tornar o rei de seu próprio reino, e não esse pobre
rei destronado que seus súditos jogaram em uma masmorra, onde
ele não vê apenas o céu por uma pequena clarabóia e recebe apenas
um pedaço de pão e um pouco de água por dia. Essa situação de
prisioneiro é a da maioria dos humanos, mas eles não percebem,
ainda imaginam que são eles que governam.

Deus criou o homem como Ele, é o homem que se afastou, e agora,


mais uma vez, ele deve retornar e se restabelecer em sua dignidade
original. Esta é a verdadeira sinarquia.
Essa descoberta da sinarquia eu fiz por volta dos meus dezessete
anos, embora naquela época, é claro, eu não a chamasse de
sinarquia. Mas já me impressionava o fato de que no corpo físico o
organismo só funciona corretamente se os órgãos obedecem a um
princípio superior que regula seu funcionamento e os une: que o
plano físico está em relação, superior, com o plano do sentimento. ...
o do sentir com o do pensamento situado ainda mais alto, e assim por
diante! É assim que cheguei a este princípio que, no ápice do nosso
ser, organiza e dirige tudo em nós, que é onisciente e todo-poderoso:
o espírito, o Eu superior. Eu queria saber como tocá-lo,

Para estabelecer a sinarquia dentro de si mesmo, o homem deve


encontrar seu espírito, seu Eu Superior e convencê-lo a tomar conta
de todo o seu ser. Contanto que você não faça nada para contatá-lo,
ele não intervirá. Você está com dor, infeliz, doente? Não o toca, ele
observa e permanece impassível, não sofre. Mas como a vocação do
homem é atingir a perfeição de seu eu superior, graças a uma
disciplina de vida e métodos apropriados ele pode se relacionar com
isso, e seu eu superior opera maravilhas nele. Mas, até então, o Eu
Superior atende inabalavelmente a todas as suas loucuras e
sofrimentos.

Trabalhar pela sinarquia é fazer com que seu espírito, seu Eu


Superior, que é perfeito, tome posse
com todo o seu ser, porque a partir desse momento é ele, seu
verdadeiro Eu, que fala e dita sua vontade aconteça o que acontecer.
Em vez de sucumbir e dizer várias vezes ao dia: "Foi mais forte do que
eu, não resisti", você pode dizer em todas as circunstâncias: "Fui eu
que quis", e não forças obscuras dentro de você que o empurram
sem o seu conhecimento ou a despeito de si mesmo. E essa é a
verdadeira liberdade.

Quando nos reunimos aqui, você tem as melhores condições para


trabalhar com seu Eu Superior. Ao contrário do que acontece em
outros lugares, você não vem aqui para ouvir conferências apenas
para alimentar seu intelecto, mas para se conectar ao Céu, para
experimentar emoções espirituais que lhe permitem descobrir outras
regiões dentro de você. É por isso que todos devemos mergulhar
juntos em um trabalho onde o coração, a alma e o espírito têm a
maior parte. O intelecto deve servir apenas para nos mostrar o
melhor caminho a seguir, para nos dar razões para segui-lo, nada
mais; todo o resto do trabalho deve ser feito pelo coração, pela alma,
pelo espírito. O intelecto toca apenas a superfície e não o essencial.

Uma coisa é ter possibilidades intelectuais e outra é ter luz. Não


tenho talento nem faculdades intelectuais, sou o mais ignorante, mas
Deus me deu outra coisa que nunca é apreciada: a luz e é isso que me
traz todas as possibilidades de trazer os humanos para a sinarquia.

Então, lembre-se, a verdadeira sinarquia é que todos se submetem


ao princípio divino que carregam dentro de si. Até que a sinarquia
seja realizada internamente por cada indivíduo, ela também não pode
ser realizada externamente.
Depósito legal: junho de 1998

Nº de impressão: 2481
Impresso na França
Impressão Prosveta
ZI du Capitou
BP 12 83601 Frejus
Cedex, França
Mestre Omraam Mikhaël Aïvanhov (1900-1986),
filósofo e pedagogo francês de origem búlgara, veio
à França em 1937 O que chama a atenção desde o
início em sua obra é a multiplicidade de aspectos sob
os quais se apresenta essa questão singular. : o
homem e seu desenvolvimento . Seja qual for o
assunto
abordada, é invariavelmente tratada de acordo com o uso que o
homem pode fazer dela para uma melhor compreensão de si mesmo
e uma melhor condução de sua vida.

A formidável aposta política em que se tornou a liberdade nos faz


perder gradualmente de vista os verdadeiros termos em que ela se
coloca ao homem. São esses termos, os da relação entre espírito e
matéria, que Omraam Mikhaël Aïvanhov tenta restabelecer quando
diz: "Todas as criaturas não podem subsistir sem um certo número de
elementos que recebem de fora. Somente o Criador escapa dessa lei,
Ele não precisa de nada externo a Ele. Mas como Ele deixou em todas
as criaturas humanas uma faísca, um espírito que é da mesma
natureza que Ele, cada um pode, graças ao espírito, criar o que
precisa... O Ensinamento que vos trago é o do espírito, do Criador, e
não o da matéria, da criação. Por isso vos digo: entrem no domínio do
espírito que cria, que modela, que que molda, e você escapará cada
vez mais das garras do mundo exterior, você será livre! »
[1]
Veja o Volume XIII das Obras Completas.
[2]
Uma publicação especial foi dedicada a ele, bem como uma
cassete.
[3]
Veja “O Plexo Solar e o Cérebro”. Volume VI das Obras Completas.
[4]
Ver volume XXV das Obras Completas, capítulo VIII, 5ª parte.

Você também pode gostar