Você está na página 1de 13

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO – UFPE

CENTRO ACADÊMICO DE VITÓRIA – CAV


CURSO DE GRADUAÇÃO – CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
4° PERÍODO

A influência do desmatamento e fragmentação na ameaça a extinção da espécie do


anfíbio Hylomantis granulosa (Perereca verde) na Usina São José em Igarassu –
PE.

ALUNOS: ALBERTINA VIEIRA


DAIANA MOURA
JENIFFER MAISA
MARLEIDE GOMES
NIVALDO BERNARDO
THALITA COSTA

DISCIPLINA: METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

PROFESSOR: ANDRÉ

VITÓRIA DE SANTO ANTÃO, 19 DE ABRIL DE 2011.


INTRODUÇÃO

O ecossistema da Mata Atlântica brasileira consiste em uma área litorânea, que


vai desde o Rio Grande do Sul até o Rio Grande do Norte. Assim, com o passar do
tempo e, sobretudo, na contemporaneidade atual, tem-se percebido que tal área veio
sofrendo intervenções do homem, o qual motivado, principalmente, por interesses
econômicos, como por exemplo, atividades de plantio de cana-de-açúcar e também
construções de imóveis, contribuiu para o desmatamento, sobretudo, no nordeste, dessas
áreas de Mata Atlântica. E como conseqüência, veio acarretando assim a redução, do
habitat natural de inúmeras espécies tanto da flora quanto da fauna local.
No que concerne, a problemática de tal situação é que o desmatamento e
também a fragmentação advinda deste, trás consigo uma série de impactos sobre as
espécies que vivem nas áreas onde esse fato acontece. Com isso, nesse trabalho, será
feito um estudo com a finalidade de verificar se a espécie do anfíbio Hylomantis
granulosa, mais conhecido popularmente como perereca verde, encontra-se ameaçada
de extinção ou se tal espécie tem sido afetada diante do desmatamento e destruição e/ou
alteração ocasionado em seu habitat natural . E desse modo, essa questão da devastação
de habitat pode ser melhor corroborada, mediante dados obtidos da associação do
Mico-Leão-Dourado, a qual afirma que:

O isolamento dos fragmentos pode comprometer seriamente a sobrevivência


de espécies da fauna e da flora, porque impede o cruzamento entre indivíduos
de linhagens genéticas diversas, interrompendo o fluxo gênico e diminuindo
a variabilidade genética. Esta é uma das principais causas da extinção de
espécies.

Levando em consideração esses aspectos, é válido ressaltar que mesmo diante da


devastação existente, há remanescentes da Mata Atlântica em Pernambuco. Assim,
pode-se destacar a área escolhida como objeto de estudo desse trabalho que compreende
a Mata da Usina São José, que fica localizada no Município de Igarassu, o qual se situa
no litoral pernambucano e pertence a Região Metropolitana do Recife. Com isso, tal
usina está circundada por plantações de cana-de-açúcar e ocupa uma área de 6.660ha,
apresentando cerca de 106 fragmentos. Mas para estudo, será considerada apenas três
desses fragmentos.
Nesse sentido, é preciso destacar que estudos anteriores realizados a cerca de 10
anos nessa mesma área, quando a mesma ainda se encontrava intacta, ou seja, sem
sofrer qualquer tipo de intervenção em seu ecossistema e abordando também a mesma
espécie que é focada nesse trabalho, comprovaram cientificamente que, a Hylomantis
granulosa era encontrada em abundância nessa localidade.
Sendo assim, a partir desses indícios, houve o surgimento de certas indagações
bastante pertinentes e, com isso, através desse estudo pretende-se constatar se, de fato, a
intervenção em relação ao desmatamento e fragmentação na área de Mata Atlântica da
Usina São José, contribuiu diretamente na ameaça a extinção, da espécie dos anfíbios
Hylomantis granulosa que habitam a área considerada. Assim partiu-se da hipótese de
que a extinção de tais animais está intrinsecamente relacionada com o desmatamento
acarretado na área, assim quanto maior a área desmatada ou fragmentada, menos é a
quantidade de variabilidade desse anfíbio encontrada em tal habitat. Diante disso, caso a
hipótese pressuposta seja verdadeira, espera-se encontrar um número reduzido da
espécie Hylomantis granulosa e/ou até mesmo diagnosticar que tal espécie já está
correndo sérios riscos de ser extinta da área considerada, caso a devastação do seu
habitat continue.
Diante do exposto, a importância desse projeto se dar, devido a necessidade de
constatar se diante do número da espécie de Hylomantis granulosa encontrada, a mesma
está sendo ameaçada a extinção devido o constante desmatamento e fragmentação da
Mata Atlântica da Usina São José. Assim, por meio disso, será possibilitado um maior
conhecimento científico aqueles que se interessam em estudar de modo mais detalhado
essa relação existente entre desmatamento e extinção dos anfíbios. Desse modo,
contribuirá também, para suscitar questionamentos, no âmbito de estudo da biologia da
conservação, a fim de encontrar meios de intervenção para solucionar tal situação, caso
a hipótese seja verdadeira. E alertará ainda, à sociedade e comunidade acadêmica, em
geral, sobre o risco que o desmatamento pode trazer para tal espécie de anfíbio, que
habita no ecossistema onde a devastação é praticada.
OBJETIVOS

GERAL:

 Verificar a contribuição do desmatamento e fragmentação, na redução e ameaça


a extinção da espécie do anfíbio Hylomantis granulosa em três dos fragmentos
da Usina São José localizada no Município de Igarassu - PE.

ESPECÍFICOS:

 Realizar um levantamento quantitativo do número da espécie Hylomantis


granulosa existente atualmente na área de estudo da Usina São José;

 Detectar se a espécie de anfíbio estudada está de fato ameaçada de extinção, bem


como conhecer a proporção de ocorrência de tal risco em cada um dos três
fragmentos estudados;

 Comparar o tamanho da área desmatada e fragmentada com a quantidade de


anfíbios da espécie Hylomantis granulosa encontrada na área considerada.

METAS:

 Registrar, por meio de anotações e marcação, mediante visitas periódicas na


localidade objeto de estudo, o número de anfíbios, que foram encontradas, da
espécie em estudo;

 Constatar, em qual fragmento há um maior risco da espécie Hylomantis


granulosa, entrar em extinção, diante do número reduzido apresentado e/ou até
mesmo a ausência da mesma;

 Associar, diante dos dados obtidos, a relação existente entre a extensão da área
desmatada com a redução da diversidade e quantidade de anfíbios da espécie
Hylomantis granulosa.
METODOLOGIA

 Depois de serem encontrados, os anfíbios da espécie considerada, serão


capturados por meio de redes e consequentemente marcados com anéis de
plásticos a fim de contabilizá-los e possivelmente monitorá-los.

 Após ser realizada a quantificação do índice de existência do anfíbio Hylomantis


granulosa em cada um desses fragmentos, será realizada uma análise, com as
informações conseguidas, para verificar em qual dos fragmentos o índice de
ocorrência é menor e determinar, em conseqüência, em qual a espécie se depara
em maior estado de ameaça a extinção.

 Medir o tamanho da área desmatada no fragmento e quantificar o número de


anfíbios da espécie em questão que são encontrados a cada 100 m de área
desmatada no fragmento.

CORRELAÇÃO ENTRE OBJETIVOS E METAS

Considerando-se que objetivos e metas estão intrinsecamente ligados um ao


outro, é possível realizar uma articulação entre si destes elementos.
Nesse sentido, ao ser proposta a realização de um levantamento quantitativo do
número da espécie Hylomantis granulosa atuante na área Usina São José, se faz
necessário para isso, propiciar o registro do número de anfíbios, através de anotações
sobre estes e marcação da área, por meio de visitas periódicas na localidade que está
sendo estudada.
Outro ponto a considerar é que para conseguir detectar e entender se a espécie de
tal anfíbio está de fato ameaçada de extinção, assim como conhecer a proporção de
ocorrência de tal risco em cada um dos três fragmentos , é necessário , através de uma
constatação, compreender em qual fragmento há um maior risco da espécie Hylomantis
granulosa entrar em extinção.
E para se poder comparar o fator do tamanho da área desmatada e fragmentada
com o número de anfíbios da espécie Hylomantis granulosa encontrada na área
considerada. É imprescindível que exista uma associação, entre a extensão da área
desmatada em um dado fragmento dos considerados nesse presente estudo, com a
redução da diversidade e quantidade de anfíbios da espécie Hylomantis granulosa.

DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

Esse estudo começará com visitas semanais, de dois dias aos três fragmentos
escolhidos da Usina São José a qual está localizada na Cidade de Igarassu – PE,
totalizando assim oito dias mensais de atividades de campo ao longo de nove meses,
sendo que todo esse estudo, incluindo a elaboração do próprio projeto é de um ano.
No que concerne, vale enfatizar que desses três fragmentos, dois deles sofrem
diretamente com a ação humana, isto é, a área sofreu intervenção e devastação para
diversas utilidades e interesses, enquanto o terceiro fragmento encontra-se intacto,
preservando assim as espécies existentes nesse local.
Sendo assim, nessa pesquisa de campo, serão envolvidas seis pessoas, onde
serão formadas três duplas, sendo cada uma destas duplas responsáveis por desenvolver
suas atividades em um dos fragmentos. E estarão equipados com GPS, blocos de
anotações, anéis marcadores, rede de captura, máquinas fotográficas, filmadoras entre
outros matérias necessários que lhes der condições propícias para realizar seus estudos
de maneira eficaz na área.
Diante disso, as espécies serão capturadas, contabilizadas e marcadas através de
anéis de plásticos, os quais serão colocados em uma das pernas do anfíbio. E vale
destacar que serão utilizadas cores específicas de anéis para as espécies de um dado
fragmento, a fim de que haja uma melhor distinção e particularidade no que diz respeito
ao habitat de onde descendem.
Além disso, nos três fragmentos considerados serão realizadas medições da área
desmatada, por meio de GPS, e também marcado os pontos onde a espécie Hylomantis
granulosa foi encontrada em maior quantidade, bem como o local onde se apresentou
uma existência baixa de tais ou até mesmo, áreas onde se detectou a ausência das
mesmas.
Em seguida, após marcadas, essa espécie de anfíbio será monitorada pela equipe
em estudo, com a finalidade de estar acompanhando-as e verificando se sofreram uma
redução no número de sua população, nos fragmentos que vem sendo continuamente
desmatados ou se permaneceram praticamente na mesma quantidade , no que se refere
ao fragmento no qual não ocorre o processo do desmatamento.
CRONOGRAMA
CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO

Material Valor por unidade Quantidade Valor total do material

Permanente
GPS R$ 2.000,00 3 R$ 6.000,00
Rede de captura R$ 120,00 6 R$ 720,00
manual
Netbook R$ 1.800,00 1 R$ 1.800,00
Impressora R$ 520,00 1 R$ 520,00

Anéis marcadores R$ 25,00 (dezena) 30 (dezenas) R$ 750,00


de plástico
Câmera fotográfica R$ 2.499,00 3 R$ 7.497,00
Filmadora R$ 1.699,00 3 R$ 5.097,00
Toyota R$ 34. 590,00 1 R$ 34. 590,00
Hilux 4 X4
Livro: Anfíbios Da R$ 59,00 3 R$ 177,00
Mata Atlântica
Pessoal
Diárias da pousada R$ 50,00 72 dias R$ 3.600,00
Consumível
Pilhas recarregáveis R$ 25,00 3 R$ 75,00
Cartuchos R$ 70,00 4 R$ 280,00
Resmas de Papéis R$ 16,00 5 R$ 80,00
A4
Serviço de Guia de R$ 40,00 diária 72 dias R$ 2.880,00
Campo
Manutenção do R$ 5.000,00 1 R$ 5.000,00
veículo
Combustível R$ 2,20 por litro R$ 26,40 (Por R$ 1.900.80
viagem)

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA E JUSTIFICATIVA

Diante das informações apresentadas, os gastos necessários para a execução


desse projeto, ao longo do tempo de estudo, está orçada em valores estimativos da
ordem de R$ 70.966,80 (setenta mil novecentos e sessenta e seis reais e oitenta
centavos) para custeio de materiais e serviços imprescindíveis a realização das
atividades propostas.
Com isso, a proposta orçamentária para esse Projeto, foi elaborada
trimestralmente levando em consideração os materiais a serem utilizados no decorrer do
mesmo, para que se chegue ao resultado esperado.
Assim sendo, a primeira parcela será liberada no exato momento em que
determinado órgão se comprometer com a responsabilidade de financiar o referido
projeto, e as demais parcelas, a medida que o projeto for sendo executado , conforme as
necessidades advindas. Desse modo, as informações sobre a o tipo, quantidade e valores
de materiais necessários a cada período trimestral, podem ser melhor visualizadas nos
quadros a seguir:

Primeiro Trimestre
Material Valor por unidade Quantidade Valor total do
material
Livro: Anfíbios Da R$ 59,00 3 R$ 177,00
Mata Atlântica
Netbook R$ 1.800,00 1 R$ 1.800,00
Impressora R$ 520,00 1 R$ 520,00
Câmera fotográfica R$ 2.499,00 3 R$ 7.497,00

Pilhas recarregáveis R$ 25,00 1 R$ 25,00

Cartuchos R$ 70,00 1 R$ 70,00


Resmas de Papéis R$ 16,00 1 R$ 16,00
A4
Diárias da pousada R$ 50,00 24 dias R$ 1200,00
GPS R$ 2.000,00 3 R$ 6.000,00
Serviço de Guia de R$ 40,00 diária 24 dias R$ 960,00
Campo
Toyota Hilux 4 X4 R$ 34. 590,00 1 R$ 34. 590,00
Combustível 2,20 por litro R$ 26,40 (Por R$ 633,60
viagem)
Total para o ____________ _____________ R$ 53.488,60
primeiro trimestre

Segundo Trimestre
Material Valor por unidade Quantidade Valor total do
material
Rede de captura R$ 120,00 6 R$ 720,00
manual
Anéis marcadores R$ 25,00 (dezena) 15(Dezenas) R$ 375,00
de plástico
Pilhas recarregáveis R$ 25,00 1 R$ 25,00
Manutenção do R$ 2.500,00 1 R$ 2.500,00
veículo
Combustível 2,20 por litro R$ 26,40 (Por R$ 633,60
viagem)
Filmadora R$ 1.699,00 3 R$ 5.097,00
Diárias da pousada R$ 50,00 24 dias R$ 1200,00
Cartuchos R$ 70,00 2 R$ 140,00
Resmas de Papéis R$ 16,00 2 R$ 32,00
A4
Serviço de Guia de R$ 40,00 diária 24 dias R$ 960,00
Campo
Total para o ______________ ______________ R$ 11.682,60
primeiro trimestre

Terceiro Trimestre
Material Valor por unidade Quantidade Valor total do
material
Anéis marcadores de R$ 25,00 (dezena) 15(Dezenas) R$ 375,00
plástico
Pilhas recarregáveis R$ 25,00 1 R$ 25,00
Diárias da pousada R$ 50,00 24 dias R$ 1200,00
Manutenção do R$ 2.500,00 1 R$ 2.500,00
veículo
Combustível 2,20 por litro R$ 26,40 (Por R$ 633,60
viagem)
Serviço de Guia de R$ 40,00 diária 24 dias R$ 960,00

Campo
Cartuchos R$ 70,00 1 R$ 70,00
Resmas de Papéis R$ 16,00 2 R$ 32,00
A4
Total para o ________________ _______________ R$ 5.795,60
primeiro trimestre

BIOGRAFIA

ASSOCIAÇÃO MICO-LEÃO-DOURADO. Disponível em:


<http://www.micoleao.org.br/>. Acesso em 14 de abril de 2011.

BOENTE, Alfredo; BRAGA, Gláucia. Metodologia científica contemporânea para


universitários e pesquisadores. Rio de Janeiro: Brasport, 2004.

BIOLOGIA EM AÇÃO. O conhecimento move o mundo. Disponível em:


<http://biologiaemacao.webnode.com>. Acesso em 19 de abril de 2011.

IGARASSU. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Igarassu>. Acesso em 16 de


abril de 2011.

MEUNIER ,Isabelle. Mata atlântica pernambucana, uma sugestão aos professores.


Disponível em: < http://www.nordesterural.com.br>. Acesso em 16 de Abril de 2011.

Metade das espécies brasileiras ameaçadas não está protegida em unidades de


conservação. Disponível em:<http://www.achetudoeregiao.com.br>. Acesso em 15 de
Abril de 2011.

EQUIPE DO PROJETO(FUÇÃO/LINHAS DE PESQUISA/PROJETO)

Albertina Vieira, Daiana Moura, Jeniffer Maisa, Marleide Gomes, Nivaldo


Bernardo e Thalita Costa. Graduandos do 4° período de Ciências
Biológicas/Licenciatura da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Centro
Acadêmico de Vitória – CAV.

Você também pode gostar