Você está na página 1de 28

Tudo sobre

LIDERANÇA

O papel do líder dentro do ambiente


profissional e pessoal.

ORGANIZADO PELA
INSIGHT CONSULTORIA
03 DEFINIÇÃO
04 LIDERANÇA EMPRESARIAL
05 LIDERANÇA INDIVIDUAL

06 TIPOS DE LIDERANÇA

10 LIDERANÇA EM EQUIPE

16 TEMPOS DE CRISE
CONTEÚDO

19 LIDERANÇA REPRESENTATIVA

23 LIDERANÇAS DE SUCESSO

O índice de um livro ajuda você


a encontrar os nomes dos
capítulos do livro e o número da
página onde cada capítulo
começa.
ÍNDICE DE
INTRODUÇÃO E
DEFINIÇÃO
O termo liderança tem grande destaque no mundo empresarial
atual, sendo alvo de debates, treinamentos e pesquisas. Por
definição, liderar é a capacidade de conduzir e guiar pessoas,
extraindo o melhor de cada indivíduo.

Assim, se coloca como a arte de motivar um conjunto de pessoas


que se movem em direção a um objetivo comum, sendo fonte de
inspiração, possuindo qualidades que fazem com que outros
sigam sua direção. Cada líder tem seu próprio estilo e estratégias,
que se alinham com a visão de mundo individual.

É um conceito em constante evolução, que se


adapta às necessidades contemporâneas. Por
isso, a Insight oferece a você esse e-book.

As próximas páginas estão repletas de informações para te


guiar na sua jornada de desvendar o conceito de liderança.

Você poderá aprender sobre:

As características que um Tipos de lideranças e como


bom líder deve ter; utilizá-las em contextos
adequados;
A relação entre representatividade e
liderar; entre vários outros temas.

Esperamos que você aproveite!

03
LIDERANÇA
SITUACIONAL

O conceito de liderança situacional foi desenvolvido por


dois estudiosos- Paul Hersey e Kenneth Blanchard. Essa
teoria apresenta a liderança como estratégia que se
molda a fim de atender as necessidades do contexto
em que se encontra, ou seja, o líder tem a capacidade
de adequar-se ao momento.

Para a liderança situacional, os líderes devem entender


dois fatores: a maturidade das pessoas que estão
lidando com as tarefas, ou seja, quão competente é a
pessoa em questão; e os detalhes da tarefa a ser
desempenhada. Assim, dependendo do contexto, será
necessário dar mais ênfase a um desses fatores.

Dois medidores fundamentais para reconhecer a


situação em que se encontra o liderado são capacidade
e compromisso, e esses podem ser classificados em
alto e baixo.

Capacidade alta e compromisso alto

Nesse caso, a liderança se mostra menos incisiva. Deve-


se buscar desafiar o status quo, empoderar,
reconhecendo o desempenho e incentivar a autonomia.

04
Capacidade alta e compromisso baixo

Já quando o problema é o compromisso, o líder deve


incentivar o compartilhamento de ideias, desenvolver
senso crítico e encorajar. É importante também
priorizar a comunicação, entender o motivo da falta
de compromisso e de motivação!

Capacidade baixa e compromisso alto

Nessa situação, o líder deve oferecer supervisão e


feedback constante. Deve educar, definir planos e
monitorar de perto o comportamento dos
colaboradores. Capacitações e treinamentos são
altamente indicados nesses casos.

Capacidade baixa e compromisso baixo

Se existem questões nos dois fatores, é necessário


repensar se a pessoa está no local correto. Nessa
situação, o líder deve explicar as decisões tomadas,
colher feedback e supervisionar a tarefa até o fim.

Dessa forma, as competências de um líder


situacional incluem adaptação, direcionamento,
orientação, apoio e capacidade de delegar. Em um
mundo cada vez mais volátil e inconstante, a
capacidade de se adaptar é essencial, por isso a
liderança situacional é tão eficaz. Como resultado,
essa teoria é amplamente empregada no mundo
empresarial atual e tem grandes retornos positivos.

05
QUE TIPO DE
LÍDER VOCÊ É?

O líder é a pessoa que tem a habilidade de motivar e


de influenciar os liderados de forma ética, para que
contribuam voluntariamente e com entusiasmo a fim
de alcançarem os objetivos da equipe e da
organização, sempre explorando de cada membro os
seus pontos fortes.

A liderança pessoal é aquela intrínseca às pessoas,


demonstrada por características como o carisma,
desenvoltura, boa capacidade de comunicação
interpessoal, boa articulação e ter ideias inovadoras.

O bom líder, além de habilidades técnicas, deve ter


inteligência emocional para gerir os colaboradores e o
time, ser capaz de desenvolver seus liderados
atendendo expectativas pessoais e profissionais, e
tudo isso sempre alinhado com os interesses das
organizações.

O mais importante é que: os líderes com os


melhores resultados NÃO dependem de
apenas UM estilo de liderança. Eles usam
muitos em uma determinada semana.

06
Dessa forma, para ser um bom líder, é necessário
primeiro entender que tipo de líder você é e como
explorar melhor suas habilidades dentro de cada âmbito.
Afinal, a liderança pode ser uma habilidade inata ou
aprendida.

A melhora da sua liderança não ocorre pela mudança radical do


seu perfil, mas sim pela expansão dos estilos de liderança que
o líder tem a disposição para diferentes momentos.

OS 6 TIPOS DE LIDERANÇA

Segundo Daniel Goleman, psicólogo Ph.D. e autor dos best-


sellers Inteligência Emocional e Inteligência Social, por meio
de um estudo com mais de 3.000 executivos, concluiu que
eles utilizam normalmente seis estilos de liderança e que
cada um deles possui efeitos diversos sobre suas equipes.

1. Coercitivo - “Faça o que eu digo”

É o que exige imediata obediência dos liderados. no entanto,


esse estilo tem impactos negativos no clima da equipe, porque
pode fazer os funcionários se sentirem intimidados e
rebaixados. Se usado de forma constante, possui resultados
ruins para a empresa como um todo, porque reduz a capacidade
da equipe de ter ideias por si e o desejo de contribuir com o
chefe de qualquer forma possível. Portanto, esse modo de
liderança deve ser usado com cautela e somente em situações
de crise ou quando uma tomada de poder se aproxima.

06
2. Confiável - “Venha comigo”

Mobiliza pessoas em direção a uma visão.


É um líder visionário, que motiva as pessoas por esclarecimentos de
como seus trabalhos encaixam dentro de uma grande visão para o
meio laboral. Esse estilo tem um impacto muito bom o clima geral da
empresa, é o mais eficaz em um âmbito geral. Por seus impactos
extremamente positivos, esse modelo se encaixa em praticamente
todas as situações de um negócio, mas é particularmente eficaz
quando um negócio está à deriva.

3. Agregador - “As pessoas vêm primeiro”

Cria harmonia e constrói laços emocionais. Esse estilo gira em torno


das pessoas, propondo mais valores e moções do que tarefas e
objetivos. O líder agregador mantém os funcionários felizes e cria
harmonia entre eles. Para motivar, ele oferece constante feedback
positivo por conquistas diárias dos liderados e são mestres de construir
um senso de propriedade. Devem sempre se preocupar em como estão
os demais e promover ocasiões para comemorar um feito do grupo,
sendo construtores de relacionamentos. Apesar dos benefícios, esse
estilo não deve ser empregado sozinho. O ideal é empregar essa tática
a uma conjunção próxima com o estilo confiável.

4. Democrático - “O que você pensa?”


Forja consenso através da participação.
Ao despender tempo obtendo ideias das pessoas e abastecendo-se, o líder
constrói confiança, respeito e compromisso. Conduz à elevação da
flexibilidade e responsabilidade. As pessoas lideradas por alguém democrático
tendem a ser muito realistas a respeito do que pode ou não pode ser feito.
Porém, esse estilo em excesso gera consequências como reuniões
intermináveis em que as ideias são confundidas e o resultado acaba sendo o
agendamento de mais reuniões. Essa abordagem funciona em quando o líder
está indeciso sobre que direção tomar, funciona em para gerar ideias novas.
Esse modelo não deve ser utilizado em momentos de crise extrema.

07
5. Agressivo - “Faça como eu faço agora”

O líder estabelece altos padrões desempenho e exemplifica a si


mesmo neles. Deve ser usado para a obtenção de resultados de
uma equipe altamente motivada e competente. Esse líder aponta
desempenhos medíocres e exige mais dessas pessoas que, caso sigam a
falha, são rapidamente substituídas por ele. De fato, o estilo agressivo
destrói climas e não melhora o desempenho de uma equipe. Essa
abordagem só funciona quando os colaboradores são automotivados,
altamente competentes e necessitam de pouca ou nenhuma direção.

6. Conselheiro - “Tente isto”

Desenvolve pessoas para o futuro. Os líderes conselheiros ajudam os


funcionários a identificar suas forças e suas fraquezas exclusivas e atá-
las às suas aspirações pessoais e de carreira. Eles concordam em
erguer com falhas a curto prazo se isso promover um aprendizado a
equipe em um longo prazo, dando suficiente instrução e feedback. Os
impactos no clima e no desempenho da equipe são altamente positivos
com esse método de liderança. Esse estilo funciona em pessoas que
desejam ser instruídas e faz pouco sentido em pessoas que, por algum
motivo, são resistentes ao aprendizado ou à mudança dos seus estilos.

Então, que estilo usar?


Muitos estudos, inclusive o empregado por Daniel
Goleman, apontam que quanto mais estilos um líder
exibe, melhor. Os líderes que dominaram no mínimo
quatro estilos, especialmente o confiável, o democrático,
o agregador e o conselheiro, tiveram os melhores climas
e desempenhos nas suas empresas e equipes. Além disso,
os mais eficazes líderes trocam flexivelmente entre seus
estilos de liderança quando necessário.

09
COMO LIDERAR UMA EQUIPE?

O trabalho em equipe está diretamente ligado aos resultados


de uma organização. O papel de um líder dentro de um time
é criar e manter um ambiente em que a equipe trabalhe de
maneira harmoniosa, cooperativa e motivada. Entretanto, a
liderança de um time inclui diversos desafios incluindo lidar
com pessoas difíceis. Neste capítulo separamos alguns pontos
fundamentais no que diz respeito a liderança de equipes.

Comunicação

Quando uma comunicação ocorre fluída e de maneira precisa no


ambiente organizacional, permite a criação de laços que possibilitaram
melhores respostas a alcance de metas com maior assertividade. Se
olharmos para uma mesma área da organização, essa comunicação
gerará sentimento de pertencimento que permitirá desenvolver suas
atividades de maneira sinérgica, os transformando-os em equipes
capazes de alcançar e superar os objetivos propostos.

Portanto, cabe ao líder ter esse papel de mediar as relações e traçar


estratégias para manter uma boa comunicação entre a equipe,
mantendo uma comunicação assertiva.

Para o líder, é de suma importância delegar as tarefas de maneira clara e


também expor a equipe as expectativas e metas com relação ao grupo,
desta maneira, todos estarão tentando alcançar um objetivo comum.

10
É importante ressaltar que a comunicação não funciona apenas
como uma via unilateral, de líder para liderado ou entre liderados,
mas também é papel do líder saber ouvir e demonstrar interesse
pelas ideias, críticas e questões dos colaboradores.

Além disso, um problema muito recorrente resultado da má


comunicação é a falta de confiança entre os membros da equipe.
Membros que não possuem um laço de confiança costumam não ter
conflitos e discussões importantes para gerar insumos e inovações
para a empresa. Essa falta discussão gera uma falsa harmonia, onde
os membros podem estar questionando ou tendo ideias, as quais
não colocam em debate buscando evitar um possível conflito.

CRIAR UM AMBIENTE POSITIVO

O ambiente de trabalho tem grande influência na satisfação e


motivação dos colaboradores. É papel do líder criar um ambiente
onde os colaboradores se sintam confortáveis para tirar dúvidas
caso não dominem muito bem uma tarefa, ou mesmo para trazer
uma ideia ou uma crítica com relação a forma que realizamos certa
atividade.

Reconheça e valorize o esforço e os pontos fortes de seus


colaboradores e inclua eles nas tomadas de decisões. Partilhar o
processo de construção faz com que os colaboradores criem um
sentimento de dono, tomando aquilo como seu, e se engajando mais
pelas questões da empresa.

11
FEEDBACK

O feedback é uma ferramenta importante


para promover a transparência e crescimento do time, não
apenas entre líder e liderado, mas também de liderado para
líder e entre a própria equipe.

Além disso, o utilizar o feedback pode ser uma boa opção


para lidar com pessoas difíceis, visto que é uma forma
branda de colocar em pauta algo que te deixou
desconfortável em certa situação.

Separamos algumas dicas para realizar um feedback efetivo:

1. Prepare previamente o que será falado.


É de extrema importância que, no momento do feedback, você
saiba exatamente quais questões vai abordar e o que vai
argumentar. Prepare-se antecipadamente, pense antes no
diálogo para que, no momento da conversa, tudo fique claro e
você não se sinta perdido caso surjam objeções.

2. Escolha o momento certo, mas


não espere muito.
Escolha o momento ideal para dar o feedback: quando a pessoa se
encontra sozinha, não tão atarefada e com um bom humor pode ser uma
oportunidade interessante para falar. Contudo, caso o momento perfeito
não chegue, não espere muito, pois as críticas podem perder o sentido
depois de muito tempo, uma vez que a pessoa pode não lembrar o que
aconteceu em determinada semana para o seu desempenho ter caído.

12
3. Primeiro, diga os pontos positivos.
No momento da conversa, é importante não focar apenas
nas críticas para que o funcionário não pense que a visão
que a empresa possui sobre ele é apenas negativa. É importante que ele
perceba que também é valorizado, pois isso evitará que fique
desmotivado com o trabalho após a crítica. Cite, então, pontos positivos
sobre o trabalho que ele vem desenvolvendo para reiterar a ideia de que
o feedback é algo pontual e que merece mudança. Entretanto, ao optar
pelo feedback “sanduíche”, ou seja, misturar o feedback positivo com o
construtivo, mas tome cuidado para que os pontos que precisam ser
melhorados fiquem claros.

4. Seja específico.
Ao realizar a crítica, não simplesmente diga, por exemplo,
“você não é proativo”. Cite exemplos concretos que exemplifiquem a
sua falta de proatividade e, de preferência, diga quando essas situações
ocorreram. Isso fará com que o funcionário consiga identificar o seu
comportamento e compreender a crítica, tornando até mais fácil
encontrar o porquê da situação.

5. Veja se a pessoa está entendendo o


feedback.
Durante o diálogo, é importante sempre perguntar se a pessoa está
entendendo o motivo da crítica e se concorda com ela, com o intuito de
não haver nenhuma falha na comunicação e mal entendimentos. Para
melhorar, é importante que a pessoa, antes de tudo, internalize e
compreenda a crítica.

6- Tenha empatia e coloque-se no lugar


daquele que irá ouvir
Entenda como a pessoa está se sentindo, dê um espaço pra ela falar e
sempre fale pensando em como a pessoa vai se sentir ao ouvir o que
você está dizendo.

13
Disposição para ajudar e identificar
as necessidades da equipe.

Se coloque à disposição da sua equipe


para caso haja qualquer tipo de dúvida
ou questão, deixando claro que eles estejam
passando por alguma dificuldade no trabalho. Além disso,
tente perceber em que atividade ou parte do trabalho os
colaboradores estejam tendo maior dificuldade e trace
planos de ação para fortalecer a segurança desses
indivíduos na realização das mesmas, seja com capacitações
ou mesmo um feedback.

Entender as especificidades
de cada pessoa.

É de suma importância que o líder conheça bem


sua equipe e entenda as especificidades de cada membro
dela. A partir disso, o líder pode mapear o que motiva cada
membro, quais são as dificuldades e as facilidades dos
mesmos, dentre outras. Com essas informações será mais
fácil criar planos de ação que tenham como objetivo
desenvolver esses indivíduos e manter um bom
relacionamento com os mesmos.

14
Celebrar as conquistas da equipe

Por fim, não deixe de celebrar as


pequenas conquistas da sua equipe, seja
de forma individual ou em grupo. Pode ser interessante a
criação de metas menores conforme esse processo de
adaptação e reinvenção se sucede. Dividir e comemorar esses
pequenos resultados com os membros é uma forma de tornar
mais visível que o esse trabalho está sendo reconhecido de
alguma forma.

O time e o líder no processo de


inovação

Para falar sobre a liderança de um time dentro de um processo


de inovação, Linda Hill, professora de administração, em sua
palestra no Ted, conta um pouco sobre a dinâmica entre
equipes dentro da Pixar e do tipo de liderança com a qual se
constroem inovações. Vamos falar um pouco abaixo sobre esse
tipo de liderança.

Inovação não é sobre uma ideia sozinha, por trás há uma


genialidade coletiva. É sobre tirar o de melhor da paixão de
cada pessoa e aproveitá-los em um trabalho que seja
realmente útil, considerando pessoas com diferentes
especializações e pontos de vista.

15
As inovações raramente são criadas completamente,
elas são resultado de tentativa e erro e começos
inexatos, por isso, inovar pode ser assustador.

A inovação vem do debate e da conversação, não é um


líder que dita o processo, o processo de tomada de
decisão é mais paciente e inclusivo. O papel do líder é
criar um espaço onde as pessoas estejam dispostas e capazes de
fazer o trabalho duro de inovação e criação de soluções. Essa
liderança se concentra na construção de um senso comunitário,
criar um ambiente no qual as pessoas queiram participar, onde
qualquer colaborador possa expressar sua opinião.

COMO LIDERAR EM TEMPOS DE CRISE?

Crie um plano estratégico para


sua organização

Sabemos que não é fácil prever como mudanças podem


se suceder em um grande período de tempo e que nem
sempre as previsões ocorrem como se espera.

Entretanto é importante organizar ações de curto, médio


e longo prazo pensando em todas as variáveis que uma
crise pode acarretar: traçando estratégias e soluções
refletindo em como as consequências podem afetar
funcionários, as vendas e as instalações.Adicionar um
pouquinho de texto

16
Foque na sua zona de controle

No que diz respeito aos impasses que podem


vir a ocorrer na sua organização por conta de
um momento de crise, tente ser racional com
relação ao conflito: entenda que existem impasses que você
não pode solucionar, foque em resolver o que está ao seu
alcance.

Lembre-se de cuidar de si mesmo

Você é um ser humano e está passando pelas mesmas


questões que todo mundo, mantenha-se equilibrado, organize
um tempo para descanso, prática de exercícios e para estar com
seus amigos e família. Além disso a terapia pode te ajudar no
processo de autoconhecimento, e esse processo é essencial para
o desenvolvimento pessoal e, consequentemente, como líder.

Invista no contato e o cuidado com


o colaborador

Dentro de uma realidade de crise, as relações e integração


entre pessoas ocorrem de maneira menor e acabam por se
restringir muito a assuntos do trabalho.
A fluidez de uma conversa pessoalmente é incomparável a
uma reunião online e mensagens, e, por isso, as mesmas,
podem se tornar menos fluidas e contar com menos
participações ativas nas discussões. É necessário um esforço
de adaptação dos membros e do líder a essa realidade e
tornar a tecnologia como aliada nesse processo.

17
Além disso, é importante que
as relações não se restrinjam a pauta
e que seja construída uma cultura de
cuidado com o outro nesse momento delicado. Uma boa relação
entre membros de uma equipe e o líder é um dos fatores mais
importantes para uma equipe motivada e unida para um mesmo
propósito, por isso, pode ser interessante marcar momentos de
integração entre os membros.

Valorize as pequenas conquistas


da sua equipe

Considerando o momento que vivemos,


alcançar as metas pode se tornar algo mais difícil e distante
para muitas empresas. Essa perspectiva negativa pode
acarretar numa desmotivação geral dos membros de que
seu trabalho não gerará frutos, por exemplo. De forma
geral, as empresas têm se adaptado de formas diferentes a
essa nova realidade: é um processo que requer muita
criatividade, esforço e versatilidade. A significância da
potência desse processo não pode ser apagada e sim
comemorada a cada pequeno resultado que gera.

18
LIDERANÇA REPRESENTATIVA

Por que falar sobre esse tema?

Para entender o por que do papel do líder ser tão importante para
a equipe, é preciso se discutir sobre a importância de uma
liderança representativa. Como visto anteriormente, o líder serve
de referência, inspiração e suporte para os membros, motivando
outras pessoas a seguirem sua direção. Muito se fala acerca da
liderança, das suas teorias e das características, mas não se
discute muito sobre o poder da representatividade da figura do
líder e pelo que a figura representa.

O líder representativo gera confiança, força e coragem, porque


nele estão as milhões de pessoas que são representadas. O
indivíduo que representa uma grande massa tem em si um
enorme poder mobilizador e transformador.

Quando falamos de representatividade, pensamos em algumas


bandeiras, como o combate ao racismo, as reivindicações
indígenas, os debates feministas, a luta pelos direitos
LGBTQIA+ e pessoas com deficiência.

Todos estes grupos são considerados minorias sociais, ou seja,


não são minorias em quantidade, mas em representação. Isso
significa que essas pessoas não estão e não são representadas no
espaço público, nas empresas e nos cargos de maior poder e
prestígio social.

19
Portanto, é necessário refletir e discutir
mais sobre essa busca por representatividade.
Entender que além de um direito, é a expressão
dos interesses de um grupo na figura do
representante. É aquele que fala em nome do
grupo o faz comprometido com as questões,
demandas e necessidades das pessoas representadas.

Entretanto, a representatividade também constrói uma


subjetividade e uma identidade, não sendo apenas os
indivíduos e grupos buscando que seus interesses sejam
representados e garantidos.

Quando se tem uma figura no poder que de alguma forma te


representa, isso te traz motivação para chegar onde a pessoa
está. Entretanto, quando uma figura representa um
estereótipo, isso reforça ainda mais a posição de alguns
grupos. Tudo depende da forma como são representados.

Por isso, é de extrema importância que todos os cidadãos


tenham o direito e a oportunidade de ocupar cargos maiores e
serem líderes, a fim de mudar o cenário, formular suas
preferências e demandas, expressá-las a sociedade, fazendo
com que seus interesses não sejam ignorados e discriminados.

Para isso acontecer, é necessário que a diversidade e a


pluralidade tenham centralidade - principalmente no que se
refere ao ambiente profissional.

20
Em um país como o Brasil, que é
marcado por uma diversidade cultural, é
fundamental que se faça uma reflexão no
que diz respeito às igualdades e
oportunidades:

Por que existe uma predominância de homens


brancos nos cargos superiores?

Por que não vemos muitas pessoas negras e


LGBTQIA+ na liderança?

Estas são questões que passam despercebidas- e até


ignoradas- no dia a dia de cada um. A minoria da
população brasileira não possui espaço na liderança e seus
direitos e oportunidades não são os mesmos dos demais.

Segundo Banco Interamericano de


Desenvolvimento (BID) e pelo
Instituto Ethos, apenas 4,7% dos
cargos executivos das 500 maiores
empresas brasileiras são ocupados
por negros. As mulheres também
são minoria, com só 13,6% dos
postos mais altos.

É evidente a falta de líderes que representam de fato essa


diversidade e a realidade da sociedade brasileira. O quadro de
funcionários das empresas precisa refletir e representar a
população brasileira. E não vemos isso hoje.

21
Cada vez mais se fala em luta contra o
preconceito racial, reduzir a discriminação,
acabar com a homofobia e aplicar leis que
promovem a equidade. Analisando esta
preocupação, acreditamos que as empresas
estão cada vez mais aceitando minorias para
fazer parte de sua equipe, mas isso muitos vezes
não é visto na prática. Até que ponto esse
discurso é realmente praticado?

É nesse sentido que as empresas precisam conhecer


melhor o perfil dos executivos e funcionários para
possibilitar a promoção efetiva da diversidade.

Se faz necessário, portanto, perceber os ambientes


privilegiados, observar e analisar quem ocupa os cargos mais
altos, quem são os líderes das empresas, para de fato pensar
em alternativas para diminuir a desigualdade e promover a
equidade. Dessa forma, cabe a nós relembrarmos que
precisamos defender e lutar por um mercado mais igualitário.
Não só na distribuição de espaços, mas também no
reconhecimento de competências e direitos salariais.

22
LIDERANÇAS DE SUCESSO

Quando buscamos inspiração, procuramos por pessoas que


seguiram seus sonhos, fizeram história, quebraram barreiras
e acreditaram no próprio potencial para alcançar o sucesso.
Percebidos como líderes de sucesso, eles estão em grandes
corporações e organizações, na política e em redes sociais,
fazendo a diferença, correndo atrás do que querem e
mudando o mundo.

Entretanto, ao contrário do que se pensa, você não nasce com


a habilidade de ser um líder de sucesso. Através de
treinamentos e bons exemplos, a liderança pode ser sim
aprendida. Por isso separamos alguns exemplos de lideranças
que fizeram mudanças significativas para a sociedade e
trouxeram um impacto enorme para os dias de hoje.

Steve Jobs

Cofundador da Apple, Jobs criou e levou ao sucesso uma das


maiores empresas de tecnologia do mundo, assumindo o cargo
de CEO. Foram lançados biografias e livros analisando seu
comportamento como líder e gestor. Além da visão, seu carisma
para conquistar o público também é visto como crucial para o
sucesso da empresa.

23
Luiza Trajano
Um forte exemplo de liderança feminina brasileira,
Luiza Trajano transformou uma pequena rede de lojas em
uma das maiores marcas do mercado. Estando há mais de 25
anos à frente da Magazine Luiza, ela se destacou por sua
inovação e proximidade com clientes e colaboradores, algo
muito importante no papel do líder.

Nelson Mandela
Nelson Mandela foi responsável por derrubar
o apartheid, sendo o principal nome na luta por direitos
humanos na África do Sul. Devido a suas ações como ativista,
conseguiu mais visibilidade para a situação da África do Sul.
Em 1993, recebeu o Prêmio Nobel da Paz e em 1994 foi eleito
presidente da África do Sul.

Sheryl Sandberg
Chefe operacional do Facebook desde 2008,
Sheryl tornou-se a primeira mulher a ocupar a alta posição
de dentro da companhia. Além disso, a empresária trabalhou
como vice-presidente de vendas globais e operações online
no Google.

24
Oprah Winfrey
Oprah é exemplo de uma carreira brilhante.
Ela deu seus primeiros passo como repórter de um jornal nos
Estados Unidos e foi reconhecida pelas conquistas no
mercado televisivo, sendo a primeira mulher a produzir e
conduzir seu próprio talk show.

Paula Bellizia
CEO da Microsoft Brasil, possui experiência na
Microsoft e na Apple Brasil. Referência feminina no mercado
tecnológico brasileiro, Paula defende maior diversidade no
mercado e espaços mais igualitários entre os gêneros. À frente
da Microsoft, trabalha com campanhas voltadas para inclusão
de mulheres no setor tecnológico.

Maira Reis
Fundadora da camaleao.co e palestrante LGBT+,
Maira criou uma startup que além de conectar
as vagas de emprego das empresas com talentos LGBT+,
também oferece soluções para que as companhias se
tornem inclusivas para essa comunidade.

25
Esperamos que esse material
tenha sido proveitoso para
seus estudos acerca do
universo da liderança.

Mais sobre a Insight Consultoria:

Somos a empresa júnior de consultoria em Psicologia da


UFRJ. Prestamos serviços em Gestão de Pessoas para
organizações, junto ao Instituto de Psicologia da UFRJ e
outros órgãos da universidade.

Por 14 anos, humanizamos


processos dentro de empresas.
Aliamos criatividade e eficiência ao
oferecer soluções personalizadas
em Gestão de Pessoas.

@insightconsultoria

facebook.com/insightcon
sultoriajunior

marketing@insightjunior.com.br
26
Todo o conteúdo abordado nesse e-book foi pesquisado e
desenvolvido com muita seriedade e cuidado. Esperamos
que esse material possa ser útil na sua jornada e de sua
empresa junior. Em caso de dúvidas ou sugestões, você
pode entrar em contato conosco pelas nossas redes sociais
ou pelo nosso site! Gostaríamos de ouvir a sua opinião e
entender melhor como esse e-book foi capaz de te ajudar.

Produzimos, também, uma newsletter quinzenalmente, que


abarca conteúdos do mundo empresarial e profissional. Para
continuar avançando e aprendendo mais, você pode se
inscrever pelo link disponibilizado no nosso Instagram.

Muito obrigado!

@insightconsultoria

facebook.com/insightconsultoriajunior

marketing@insightjunior.com.br

27
Referências Bibliográficas

Liderança disponível em:


https://www.napratica.org.br/o-que-e-lideranca-e-por-
que-e-importante-para-carreira/

Liderança Situacional disponível em:


1. https://www.treasy.com.br/blog/lideranca-situacional/
2. https://www.ibccoaching.com.br/portal/lideranca-e-
motivacao/o-que-e-lideranca-situacional/

Que tipo de líder você é?


https://www.ibccoaching.com.br/portal/lideranca-e-
motivacao/qual-diferenca-lideranca-institucional-
pessoal/https://www.slacoaching.com.br/artigos-do-
presidente/o-que-e-lideranca

6 tipos de liderança disponível no livro:


Os melhores artigos sobre liderança da Harvard Business
Review, página 9 a 37, Liderança que obtém resultados;
Daniel Goleman.

Liderança em equipe disponível em:


http://www.hellerdepaula.com.br/os-5-desafios-das-
equipes/

Liderança em tempos de crise:


https://www.rhportal.com.br/artigos-rh/lideranca-em-
tempos-de-crise/

Liderança e representatividade:
https://www.fasul.edu.br/projetos/app/webroot/files/contr
ole_eventos/ce_producao/20170912-191603_arquivo.pdf

Você também pode gostar