Você está na página 1de 1269

ÍNDICE

Folha de rosto
Conteúdo
direito autoral
Dedicação
Junte-se ao grupo. Você sabe que
você quer ;)
Capítulo 1
Capítulo 2
Capítulo 3
Capítulo 4
capítulo 5
Capítulo 6
Capítulo 7
Capítulo 8
Capítulo 9
Capítulo 10
Capítulo 11
Capítulo 12
Capítulo 13
Capítulo 14
Capítulo 15
Capítulo 16
Capítulo 17
Capítulo 18
Capítulo 19
Capítulo 20
Capítulo 21
Capítulo 22
Capítulo 23
Capítulo 24
Capítulo 25
Capítulo 26
Capítulo 27
Capítulo 28
Capítulo 29
Capítulo 30
Capítulo 31
Capítulo 32
Capítulo 33
Capítulo 34
Capítulo 35
Capítulo 36
Capítulo 37
Capítulo 38
Capítulo 39
Capítulo 40
Capítulo 41
Capítulo 42
Capítulo 43
Capítulo 44
Capítulo 45
Capítulo 46
Capítulo 47
Capítulo 48
Capítulo 49
Capítulo 50
Capítulo 51
Capítulo 52
Capítulo 53
Capítulo 54
Capítulo 55
Capítulo 56
Capítulo 57
Capítulo 58
Permaneça conectado
Posfácio
Também por Jaymin Eve
SHADOW BEAST SHIFTERS -
LIVRO 1
JAYMIN EVE
CONTEÚDO
Junte-se ao grupo. Você sabe
que você quer ;)
Capítulo 1
Capítulo 2
Capítulo 3
Capítulo 4
capítulo 5
Capítulo 6
Capítulo 7
Capítulo 8
Capítulo 9
Capítulo 10
Capítulo 11
Capítulo 12
Capítulo 13
Capítulo 14
Capítulo 15
Capítulo 16
Capítulo 17
Capítulo 18
Capítulo 19
Capítulo 20
Capítulo 21
Capítulo 22
Capítulo 23
Capítulo 24
Capítulo 25
Capítulo 26
Capítulo 27
Capítulo 28
Capítulo 29
Capítulo 30
Capítulo 31
Capítulo 32
Capítulo 33
Capítulo 34
Capítulo 35
Capítulo 36
Capítulo 37
Capítulo 38
Capítulo 39
Capítulo 40
Capítulo 41
Capítulo 42
Capítulo 43
Capítulo 44
Capítulo 45
Capítulo 46
Capítulo 47
Capítulo 48
Capítulo 49
Capítulo 50
Capítulo 51
Capítulo 52
Capítulo 53
Capítulo 54
Capítulo 55
Capítulo 56
Capítulo 57
Capítulo 58
Permaneça conectado
Posfácio
Também por Jaymin Eve
Jaymin Eve
Rejeitado: Shadow Beast Shifters #
1

Copyright © Jaymin Eve 2020


Todos os direitos reservados
Publicado pela primeira vez em
2020
Eva, Jaymin
Rejeitado: Shadow Beast Shifters #
1

Nenhuma parte deste livro pode ser


reproduzida, armazenada em um
sistema de recuperação ou
transmitida de qualquer forma ou
por qualquer meio, sem a permissão
prévia por escrito da editora, nem
ser distribuída de outra forma em
qualquer forma de encadernação ou
capa diferente daquela em que é
publicado e sem condição
semelhante, incluindo esta
condição, sendo imposta ao
comprador subsequente. Todos os
personagens desta publicação,
exceto aqueles claramente de
domínio público, são fictícios e
qualquer semelhança com pessoas
reais, vivas ou mortas, é mera
coincidência.

Capa: Tamara K
Edição: Amy McNulty
Revisão: HolmesEdits
A todos que sonharam em ser
sequestrados pelo demônio. Porque
estamos fodidos assim.
Abrace sua escuridão.
JUNTE-SE AO
GRUPO. VOCÊ
SABE QUE
VOCÊ QUER ;)
A

melhor maneira de se manter


atualizado com o mundo Shadow
Beast Shifters e todos os novos
lançamentos é juntar-se ao meu
grupo no Facebook aqui:
www.facebook / groups /
jayminevenerdherd
Compartilhamos muitos
lançamentos de livros, postagens
divertidas, caras sensuais e,
geralmente, é um lugar feliz de
existir.
F das cinzas, a fênix vai subir.
Eu reli essa linha do meu
trabalho na faculdade. A Literatura
Inglesa nos atingiu com a nossa
primeira grande tarefa do ano:
fomos convidados a discutir em
detalhes um romance que teve
algumas falhas graves. Em primeiro
lugar, seu uso constante de alegoria
para incutir "significado" na história
quase me deixou louco. Sem falar
na prosa. Oh, cara, não me entenda
mal - na história certa, eu estava
completamente dominado por um
uso impressionante de palavras
com frases fluindo em um círculo
de emoções e luz, fazendo meu
coração disparar e meu cérebro
palpitar. Outras vezes, porém, eu
queria gritar para o autor apenas "ir
direto ao ponto".
Minha mãe sempre disse que
eu não poderia ser seu filho porque
ela nasceu de estrelas e raios de lua
e eu nasci de fatos e números. O
que quer que isso signifique.
Provavelmente significava que ela
teria gostado dessa história de
literatura inglesa - se ela não
estivesse bêbada, claro.
Quanto a mim, não consegui
escolher o conto, e o relatório teve
que ser escrito. Escrevi melhor com
uma conexão, então procurei por
um e o encontrei nessa linha. Isso
passou pela minha cabeça
repetidamente, consumindo meus
pensamentos e dominando meu
dia.
Tudo porque eu adoraria nada
mais do que ressuscitar de minhas
próprias cinzas.
Vinte e dois anos; sênior na
faculdade; nascido no pacote de
shifters mais poderoso do mundo.
A vida deveria ter sido rosas e
chocolates. Ou estrelas e raios de
lua ... se eu quisesse torcer a faca
um pouco mais forte. E talvez
tivesse sido se Querido e velho
papai - também conhecido como
Lockhart Callahan - não tivesse
decidido morrer desafiando o alfa,
tornando minha família persona
non grata. Éramos mais baixos do
que a merda nesta matilha, e a
única razão de ainda estarmos aqui,
de acordo com minha mãe, era
porque o inimigo que você conhecia
era melhor do que tentar fazer isso
como lobos solitários. Um fato
sobre o qual eu tinha minhas
dúvidas.
"Mera!"
O grito bêbado de mamãe me
lembrou que eu a estava evitando
esta manhã. Ela queria dinheiro, e
meu dinheiro suado estava
escondido por um motivo: no
momento em que mudei pela
primeira vez e tivesse controle
sobre meu lobo, estava dando o fora
daqui.
Só mais algumas semanas.
Todos os shifters se viraram
pela primeira vez, sob a lua cheia
do solstício de inverno, no ano de
seu vigésimo segundo aniversário.
Já era novembro, eu
silenciosamente fiz vinte e dois
anos no mês passado e, muito em
breve, seria capaz de escapar dessa
porra de cidade bagunçada.
Jogando meu tablet que mal
segurava em minha velha bolsa
surrada, eu deslizei uma alça por
cima do meu ombro e pulei para
fora da janela, pousando
graciosamente no chão abaixo.
Nosso apartamento era um POS de
dois quartos no meio de Torma,
uma cidade na orla das montanhas
de Santa Cruz, na Califórnia. A
cidade era propriedade do bando.
Nosso alfa era o alfa de todos os
bandos americanos, e isso nos
tornava os melhores.
De acordo com aquele idiota
hipócrita de qualquer maneira.
Pessoalmente, Torma era
minha própria versão do inferno na
Terra, e eu mal podia esperar para
me livrar dela.
Indo em direção à escola, eu
apertei meu aperto em minha
mochila e abaixei minha cabeça
para não chamar atenção. O saco de
pancadas da matilha faria bem em
não se anunciar. Continue
abaixado. Ficar vivo. Sobreviva
mais um mês.
E ressuscitar das cinzas.
T aqui estava uma escola em Torma.
Escola de embalagem. Variando de
Pre-K até a faculdade. Eu nunca
deixei esta cidade - obter permissão
para sair era uma missão por si só -
e freqüentava a escola da matilha
desde a primeira série.
Eu tinha exatamente um amigo
para mostrar durante meus muitos
anos preso aqui.
“Ei, garota,” Simone chamou
enquanto eu caminhava pelo portão
da frente, fazendo meu caminho até
o caminho ladeado por jardins.
“Ei, Sim,” eu disse, alcançando
seu lado em um segundo. "Ainda
estou trabalhando naquela trança,
pelo que vejo."
Simone tinha um cabelo
fantástico; estava morto até a
cintura, grosso e tão preto que
quase parecia azul à luz do sol. Ela
adorava experimentar penteados e,
nas últimas semanas, vinha
tentando trançá-lo em cauda de
peixe. Tentando ser a palavra-
chave.
Seu rosto expressivo se
contorceu em um nó apertado de
aborrecimento. "Por que diabos é
tão difícil?" Ela gesticulou para
onde a maioria dos fios já haviam se
soltado. “Eu assisto os vídeos online
e aquelas vadias se trançam até a
bunda em cinco segundos, com
uma mão enquanto filmo, pelo bem
do shifter. Besteira, se você me
perguntar. "
Eu soltei algumas risadas,
elegante como sempre. “Continue
trabalhando nisso. Definitivamente,
acho que você está melhorando. ”
Mentiras brancas mantiveram o
mundo girando, certo?
Ela me atirou e eu sei o que
você está fazendo, mas obrigada
por ser um grande amigo, enquanto
continuamos para a escola. Quem
quer que tenha construído essa
monstruosidade de um prédio de
tijolos em 1847, não tinha pensado
muito além da praticidade, porque
ninguém projetaria nada para ser
tão feio, atarracado e deprimente, a
menos que fosse o estilo mais fácil
na época. O único personagem
redentor eram os jardins forrados
de madeira, cheios de flores e ervas,
que cercavam o perímetro.
Fraca tentativa de encobrir o
fato de que precisava ser demolido
e reiniciado.
“Não tenho certeza se posso
ficar aqui por mais um ano.”
Simone suspirou, seus olhos
castanhos escuros caindo
dramaticamente. “Quero dizer, é
mesmo legal nos impedir de viajar e
conhecer novas pessoas? Estou farto
de todos esses idiotas. ”
Ela não era a única, mas legal
ou não, não tínhamos permissão
para pisar fora de Torma sem
permissão. Nos deixando presos
aqui, com os mesmos shifters com
quem nós crescemos. Shifters que
eu odiava.
“Eu não teria muita esperança
de ir embora até que você mudasse
e aprendesse a controlar a besta,”
eu disse, repetindo a regra cardeal
enquanto segurava as portas de
vidro do prédio abertas para nós
entrarmos.
Pessoalmente, eu não estaria
pedindo permissão, mas Simone, ao
contrário de mim, tinha uma boa
posição aqui graças ao lugar de seus
pais na matilha: executores para o
alfa.
Ela deixou escapar outro
suspiro exagerado. "Verdade. Mas
no momento em que isso acontece,
estamos entrando em uma viagem
épica. Já tenho tudo planejado. ”
Eu não tive coragem de dizer a
ela que estaria muito longe antes
disso. O aniversário de Simone era
apenas em janeiro, o que significava
que ela ainda tinha mais de um ano
até seu primeiro turno, perdendo o
solstício de inverno deste ano.
Eu não podia esperar por ela, e
eu não a pediria para ser um lobo
solitário ... A maioria deles virou
vira-lata nos primeiros anos,
perdendo o controle de suas feras
completamente. Os vira-latas
sempre foram derrubados pelos
bandos, mas era um risco que valia
a pena correr para mim.
De uma forma ou de outra, eu
seria humilhado, fosse um vira-lata
ou não. Era apenas uma questão de
tempo, então por que não me dar
pelo menos uma chance de lutar no
mundo real?
"Então," Simone disse,
mudando de assunto rapidamente,
"seu cabelo ... quero dizer, vamos
conversar sobre isso, certo?"
Estendi a mão e tentei passar a
mão pelo ninho de passarinho que
eu tinha no topo. “Merda, esqueci
de escová-lo. Tive que sair da lixeira
às pressas esta manhã. "
Ela me examinou mais de
perto. "Olha, normalmente, eu não
pisco um olho, com o meu próprio
..." Ela acenou com a mão em
direção a sua "trança". "Mas hoje é
um novo tipo de interessante que
você está fazendo."
Droga. Havia um banheiro
próximo, então entrei com Simone
atrás.
Meu cabelo era longo e
ondulado, uma onda estúpida que
não era exatamente um cacho, mas
tinha definição o suficiente para
parecer constantemente rebelde. E
era vermelho - a única ruiva do
bando, para tornar a mistura tão
incrivelmente fácil.
“Você deveria me deixar
cortar? Ou Daphne, ”Simone
sugeriu inutilmente.
Rangendo os dentes, eu
balancei minha cabeça. "Você sabe
que não posso perder cinquenta
dólares em um corte."
Retirando a gravata, passei
meus dedos por ela algumas vezes.
Simone interveio para ajudar
também e, eventualmente, nós o
domesticamos.
“A cor ainda é o tom mais
impressionante que eu já vi,” ela
disse melancolicamente, traçando
seus dedos por alguns fios soltos.
Era uma cor incomum, isso era
certo. Um profundo bordô no couro
cabeludo, clareando em um efeito
ombre para acabar com um louro
morango nas pontas. Sutil e natural
- e estranho pra caralho.
História da minha vida,
realmente, sendo a aberração da
matilha. Obrigado, pai.
O som de alunos filtrou-se sob
a porta, e assim que alguns alunos
do terceiro ano entraram no
banheiro, nós desistimos. Eu não
poderia ficar em qualquer espaço
fechado por muito tempo ou
acabaria com a porcaria fora de
mim.
O corredor estava cheio, então
abaixei minha cabeça e abracei a
alça da minha bolsa. "Você concluiu
a tarefa?" Eu perguntei a Simone,
que estava me bloqueando
parcialmente para que pudéssemos
manobrar através dos alunos
shifter.
Ela assentiu e suspirou
simultaneamente. “Eu quero as
vinte horas da minha vida de volta
que passei lendo essa merda, no
entanto,” afirmou ela. "Tipo, era
pior do que aquele na ilha onde
todas as crianças se transformavam
em idiotas selvagens."
Eu estremeci. “Odiava aquele
também. Estou começando a achar
que não gosto de nada com muito
realismo. ”
Ela piscou para mim. "Você
acha que foi realista?"
“Meio que me lembra de como
nosso bando é administrado,” eu
disse, tentando - e falhando - soar
blasé.
Simone me olhou de lado com
atenção antes de balançar a cabeça.
“Eu não posso nem discutir com
você. É uma ditadura, mas é assim
que os shifters não se transformam
em vira-latas. Os lobos precisam de
um alfa poderoso ou ficamos
desonestos e nossas feras assumem
o controle. " Seu rosto caiu. "Não
que eu saiba, tendo que esperar
mais um maldito ano para mudar."
Dizer que Simone estava
chateada por nosso primeiro turno
não estarmos juntos era um
eufemismo, mas a regra do
primeiro turno foi passada do
criador original de nossa espécie. A
divindade negra que adorávamos.
Shadow Beast.
Ele definiu o comando shifter e
não poderia ser anulado. Lobos
tentaram no passado, mas ninguém
teve sucesso em trazer a mudança
mais cedo. Chame isso de
puberdade do lobo, gravada em
pedra.
Talvez fosse porque
envelhecíamos lentamente e
poderíamos viver algumas centenas
de anos a mais do que os humanos.
Ou talvez a besta apenas gostasse
dos vinte e dois anos.
Ninguém encontrou o
demônio de nossa espécie para
perguntar a ele.
“Eu quero tanto”, Simone
continuou. “Mas também estou
pirando com a dor. Você sabe como
é ruim quando eu quebrar uma
unha, e isso é como ... ”
"Quebrando todos os ossos?"
Ela estremeceu. "Garota, você
poderia pelo menos tentar adoçar
para mim?"
Dei de ombros. “A dor não me
incomoda como antes. Tenho medo
de não ser capaz de me relacionar
com o lobo. E se ela me rejeitar? "
Como qualquer outra pessoa na
minha vida. Sim, eu sei, soluça,
soluça, todos nós tivemos uma
história triste.
“Ela não vai,” Simone disse
vigorosamente. "Ela vai te amar, e
você vai caçar coelhos, e será como
ter seu segundo melhor amigo
construído para a vida toda."
Ninguém estava substituindo
Simone no lugar de melhor amiga
numero uno, aparentemente ... nem
mesmo uma entidade com quem eu
compartilhava uma alma.
“Tenho quase certeza de que
terei o controle no terceiro turno”,
acrescentou Simone, sacudindo os
ombros em uma pequena dança
confiante. "Eu tenho isso."
“Não tenho nenhuma dúvida”,
eu disse, querendo dizer cada
palavra.
As duas primeiras mudanças
sempre foram uma perda completa
quando a besta assumiu o controle,
nosso lado humano mal se
lembrando de nada. A maioria
tinha o controle no turno quatro ou
cinco, mas eu não deixaria de lado
Simone derrubar o dela no turno
número três. Ela estava tão
determinada.
De qualquer maneira para
mim, no segundo que eu tivesse o
controle do meu lobo, eu estava
escapando dessa porra de cidade.
E nunca olhando para trás.
Assim que passamos pelo
corredor principal de armários para
os alunos do último ano, um grupo
familiar apareceu, fácil de detectar
enquanto os alunos se separavam
ao longo do corredor para eles
como se fossem da realeza.
Eu acho que eles praticamente
eram.
Simone os viu ao mesmo
tempo que eu. "Corre!" Ela
sussurrou asperamente, me
empurrando em direção à saída
mais próxima. Mas era tarde
demais. Eles me viram, e eu não
poderia fugir deles. Principalmente
os dois que já haviam se
transformado: Torin Wolfe e Jaxson
Heathcliffe.
Por que diabos eles estavam
mesmo na faculdade? Eles se
formaram no ano passado, mas por
alguma razão insana, não iriam
embora.
"Fique!"
O comando veio de Torin,
futuro alfa da matilha Torma. Seu
pai, Victor, havia nos governado
por cinquenta anos, sem nenhum
sinal de aposentadoria. Quero
dizer, o fato de que ele mudou o
sobrenome para Wolfe quase disse
tudo que se precisava saber sobre o
quão altamente ele se considerava e
sua posição no mundo shifter.
E Torin, o único filho precioso,
era o futuro alfa. Com este poder,
ele poderia comandar lobos na
matilha. Não que ele geralmente
precisasse de ajuda para controlá-
los, especialmente os shifters
femininos, graças a seus olhos
verdes brilhantes, cabelo escuro
chocolate e o tipo de mandíbula
esculpida sobre a qual as histórias
de amor eram escritas.
Para mim, porém, ele era um
romance de terror - meu pior
pesadelo.
Dois dos três se aproximaram
agora, e meu estômago rodou
enquanto eu me preparava para o
que estava por vir. O comando de
Torin foi o único que me parou no
meio do caminho, mas hoje ele
hesitou para deixar seus amigos se
divertirem. Na verdade, Torin
nunca tinha realmente me
machucado, mas ele não impediu os
outros também, e isso era tão ruim
na minha opinião.
Sisily Longeran, a garota alfa
do meu ano, começou a me cercar.
"Mera Callahan," ela falou
lentamente, "a vadia ruiva de nossa
matilha."
Ela teve grande prazer em
apontar regularmente que ninguém
mais tinha a minha cor de cabelo. O
resto do bando ficava em algum
lugar entre o loiro mel até o mais
escuro dos cachos negros, com
todos os tons de pele incluídos. Eu
tinha a pele bronzeada e olhos
castanhos, como muitos outros, mas
meu cabelo ...
Uma porra de uma placa
gigante de pare anunciando minha
presença.
“Sisily Longeran,” eu atirei de
volta, “o próximo alfa-mate. Você e
Torin vão fazer bebês tão lindos. ”
Merdas lindas e más, mas me
abstive de mencionar isso.
O sorriso de Sisily se espalhou
quando ela se aproximou de Torin.
Eles ficavam lindos juntos, com sua
juba de mogno perfeita e olhos
azuis brilhantes tão marcantes
contra sua cor.
No momento em que ela
mudou pela primeira vez, depois da
lua do solstício, o vínculo esperado
iria chutar, e eles sentiriam a
conexão. O vínculo do companheiro
foi pré-ordenado. Um milagre
mágico.
Eu tinha um companheiro lá
também, mas se fosse qualquer um
dos idiotas da minha mochila, eu
preferia mastigar meu próprio
braço.
Sisily, parando de flertar com o
quase alfa, voltou para mim. Seu
perfume de jasmim e murta-limão
espalhou-se com ela e quase
engasguei. Este era seu perfume de
assinatura de Thomas, o mestre
boticário, que fabricou todos os
nossos produtos para a pele para
que não reagíssemos aos produtos
químicos humanos. E eu odiei isso a
ponto de uma baforada causar
náusea.
Pelo menos geralmente me
informava que ela estava por perto,
para que eu pudesse escapar. Mas
não hoje.
Ela mostrou os dentes, o peito
roncando, e sabendo o que estava
por vir, eu me preparei enquanto
ela me jogava contra os armários. A
fileira inteira estremeceu sob o
ataque e o calor ardeu nas minhas
costas. Shifters curavam rápido,
mas eu não teria essa habilidade até
que minha besta fosse liberada,
então, por enquanto, eu tive que
sofrer e curar quase humanamente
lento.
“Você é patético,” ela cuspiu.
"Fraco."
“Você gostaria,” eu respondi,
atirando para ela um sorriso
sombrio. O que ela chamou de
fraco, eu chamei de ficar vivo até
que eu pudesse escapar deles. Uma
matilha inteira contra um lobo?
Sim, quem poderia ganhar com
essas probabilidades?
Eu tinha lutado no início, mas
isso só piorou as surras. Então agora
eu escolhi crescer mentalmente e
emocionalmente mais forte, forjado
no fogo do ódio deles, o tempo todo
ganhando meu tempo até estar
livre.
“Deixe-a em paz”, gritou
Simone, sem conseguir chegar até
mim; Torin estava deliberadamente
em seu caminho.
“Simone, é legal,” eu disse, me
forçando a parecer alegre. “A mana
aqui é super desajeitada; Estou
acostumado com ela tropeçando e
caindo em mim. ”
Os rosnados de Sisily ficaram
mais baixos e mais ameaçadores,
mas eu estava além de dar a
mínima.
"Pare!" Simone tentou
novamente, e eu realmente gostaria
que ela não tentasse. Como eu disse
a ela muitas vezes, não havia
necessidade de nós dois sermos um
alvo. Eu nunca me perdoaria se
alguma coisa acontecesse com ela.
Felizmente, a posição de seus
pais no bando a salvou do pior
comportamento agressivo, mas
alguns ainda encontraram
pequenas maneiras de puni-la por
me ter como amigo.
Porra de amiga leal que ela era;
Eu mal a merecia.
- Cale a boca, Simone - disse
Sisily sem desviar o olhar de mim.
"Ou você vai se juntar ao seu amigo
vira-lata mestiço."
“Mestiço e vira-lata,” eu disse
com uma risada forçada. “E na
semana passada, eu também era
uma puta. Quer dizer, minha mãe
está super orgulhosa de mim. Só
para você saber. ”
Suas mãos se formaram em
punhos quando ela quebrou meu
nariz novamente - movimento
característico dela - mas ela foi
interrompida por Jaxson
Heathcliffe.
Meu algoz favorito.
Minha amiga mais antiga fora
de Simone.
Mesmo se fôssemos
definitivamente mais inimigos hoje
em dia.
“Eu pensei ter dito para você
desistir de ir às aulas,” ele falou
lentamente, se inclinando, seu dedo
passando pela minha bochecha. Foi
um movimento suave, mas a
escuridão fermentando em seus
olhos cor de café falava de algo
diferente.
Um sorriso alegre cruzou meu
rosto. "Certo? Quer dizer, eu tentei
isso, mas meus professores diziam
'você vai falhar' e 'Estou procurando
uma manta de pele vermelha para a
minha cama', então decidi que
talvez não aparecer fosse uma má
ideia ”.
Por quê. Foi. Eu tal. Um
espertinho?
Honestamente, essa faceta da
minha personalidade iria me levar à
morte. E não precisei de ajuda nesse
departamento.
Jaxson me empurrou para os
armários, e a queimação nas minhas
costas aumentou, mas eu não fiz
nenhum som. Inclinando-se, ele
correu o nariz pelo meu pescoço,
me farejando. Ele nunca tinha feito
isso antes, e me perguntei se este foi
o momento em que os pecados do
meu pai finalmente me atingiram e
minha garganta foi arrancada.
Quando ele se afastou, seus
olhos brilharam e eu engoli meu
próximo comentário estúpido,
optando por me concentrar em seu
rosto. Minha expressão era
desafiadora porque eu nunca iria
recuar para ele. Nunca.
Jaxson era lindo, com pele
morena, cabelo preto meia-noite e
um corpo longo e magro que não
escondia nada de sua força. Fazia
sentido que ele fosse o melhor
amigo do futuro alfa. Eles tinham
uma aparência semelhante - a
epítome dos machos shifter tanto
em alfa quanto em boa aparência.
Em termos de personalidade,
no entanto, eles eram feios e idiotas
de pau pequeno.
"Meu pai queria matar você e
sua mãe," Jaxson murmurou, a
respiração roçando minha
bochecha.
Esta foi a primeira vez que ouvi
isso, então prestei atenção. Meu pai
e o pai dele eram melhores amigos,
o segundo e o terceiro na linha de
sucessão do alfa, ambos homens
poderosos e confiantes. O pai de
Jaxson foi quem destripou o meu,
meros segundos depois que ele
tentou matar o Alfa Victor.
Sem perguntas. Sem
julgamento.
"Por que você não saiu da
faculdade?" Jaxson empurrou
novamente. "O verdadeiro motivo?"
Eu empurrei contra ele com
todas as minhas forças, não o
movendo um centímetro. “O que
diabos aconteceu com você? Éramos
amigos! ”
Quando seus pais são melhores
amigos, é lógico que vocês vão
crescer perto um do outro. Ele tinha
sido um irmão mais velho para
mim, mas no momento em que
meu pai traiu o bando, eu perdi
tudo.
O escurecimento de seus olhos
do café ao alcatrão era a única
indicação que eu tinha de que isso
seria ruim. Sua mão mudou para
garras, batendo em meu peito em
um movimento. Cortou minha
camisa e sutiã, deixando grandes
vergões vermelhos em meus seios,
quase rasgando a pele. Ele tinha
feito isso deliberadamente; Eu
nunca tinha visto ninguém com o
controle de Jaxson, e se ele quisesse
quebrar a pele, ele teria.
"Por que você me odeia tanto?"
Eu perguntei baixinho, forçando
meu rosto a permanecer calmo,
mesmo com a dor pulsando no meu
peito, juntando-se à dor nas minhas
costas. “Eu não sou meu pai. Por
que os pecados dele são meus para
pagar? "
Ele balançou o braço
novamente, desta vez esmurrando
minha cabeça, batendo em um
armário e quebrando o metal. “É a
porra do seu rosto. Eu não quero
ver isso. ”
Com uma última carranca, ele
girou e saiu. Sisily, sorrindo como a
vadia presunçosa que era, correu
atrás dele. Torin levou um segundo
a mais, seus olhos pousando nos
meus seios expostos e nas linhas
vermelhas das garras.
"É melhor se limpar", disse ele
em breve.
Quando eles se foram, eu
afundei contra o armário
danificado, estremecendo como fiz.
Minha respiração estava rápida
enquanto eu lutava pelo controle, e
se eu tivesse uma besta dentro de
mim agora, eu definitivamente
estaria em quatro patas. Nossos
lobos foram uma boa fuga da dor e
do medo.
“Vamos”, disse Simone
suavemente, puxando meu braço.
"Eu tenho suas roupas extras no
meu armário."
Ela os guardava porque, pelo
menos uma vez por mês, meu
armário era destruído por algum
tipo de pegadinha nojenta. Lixo,
bomba de tinta, sangue, tripas,
animais mortos.
Eles não eram criativos, mas
eram consistentes.
Minha cabeça latejava
enquanto eu a seguia, uma mão
segurando a frente da minha
camisa para mantê-la sob controle.
Enquanto eu caminhava, uma
sensação familiar preencheu meu
corpo. Pensei nisso como meu
cérebro se distanciando da
carnificina da minha vida. Às vezes,
quando ficava muito ruim, minha
visão dobrava quando uma
escuridão descia sobre ela. Uma
escuridão que me chamou.
A sanidade fraturada era
minha coisa hoje em dia.
“Eu tenho que deixar Torma,”
eu murmurei, principalmente para
mim mesma.
Simone me lançou um olhar
simpático, estendendo a mão para
agarrar minha mão. Ela tinha
ouvido isso de mim antes, mas ela
não entendia o quão sério eu estava
falando. Eu não podia mais fazer
isso.
Minha linhagem familiar foi
contaminada em Torma.
Meu legado, e de todos os
filhos que tive, praticamente
destruído.
Depois de décadas correndo
com o bando de Torma, o nome
Callahan foi reduzido a dois lobos
evitados: Mera Callahan, uma
shifter quase que virou, e Lucinda
Callahan, uma loba bêbada que mal
lembrava que tinha um nome de
família.
Nada por mais que valha a
pena lutar. Não aqui, pelo menos.
Para mim, a lua cheia do
solstício não poderia chegar rápido
o suficiente.
T O resto do dia passou sem
intercorrências. Fui ignorado, o que
me permitiu chegar às minhas
quatro aulas, entregar todas as
tarefas e até almoçar em paz.
Minhas costas e meu peito pararam
de doer depois de um tempo, e se
não fosse pelas memórias de seu
ataque, eu quase me sentiria
normal.
Os pensamentos violentos
tendiam a durar mais tempo do que
a dor.
“Você sabe que Victor não vai
deixar você ir”, disse Simone
enquanto estávamos do lado de fora
da escola, observando os carros
dispararem. A reunião semanal da
matilha era nas segundas-feiras,
então todos eles estariam indo para
as terras do alfa em breve.
Eu não me incomodei em
responder. Foi uma discussão
circular que tivemos muitas vezes.
“Ninguém sai da matilha de
Victor, Mera! Não
permanentemente. Ele não vai
permitir. Sugiro que pedimos férias
fora e depois veremos quanto
tempo podemos levar antes que
eles nos mandem de volta. ”
Eu atirei a ela um sorriso. “Ele
vai me deixar ir,” eu disse com
segurança, saindo do caminho
agora que o estacionamento estava
vazio. Certamente, Victor aceitaria
que era melhor não ter um lobo
“contaminado” como eu na
matilha.
“Ele mudou o sobrenome para
Wolfe”, ela gritou atrás de mim.
“Ele é um egocêntrico que requer
controle e poder sobre todos.”
Acenei uma vez antes de sair,
mochila na mão e uma dor no peito.
Simone estava tentando me salvar
de um grande erro, entendi, mas ela
não viveu minha vida.
Às vezes, a escolha mais difícil
não era realmente tão difícil.
O peso em meu corpo
desapareceu conforme me
aproximei do centro da cidade. Eu
estava indo para o meu trabalho
pós-escola, a única tábua de
salvação que eu tinha - e a chave
para minha fuga daqui.
A cidade de Torma tinha cerca
de dez mil shifters, com uma rua
principal movimentada, onde
ficava meu local de trabalho. - Boa
tarde, querida - disse Dannie da sala
dos fundos quando entrei, a
campainha tilintando acima da
porta.
“Ei, Dan”, chamei, largando
minha bolsa na gaveta atrás do
balcão.
Dannie, o andarilho, era um
recruta novato em nosso bando. Ela
apareceu aqui há dez anos, logo
após o assassinato de meu pai, e de
alguma forma foi adicionada ao
nosso registro mais rápido do que
qualquer um na história do bando.
Ela não tinha família aqui, pelo
menos nenhuma que ela admitisse,
e foi uma das poucas que não tratou
a mim e minha mãe como leprosos.
"Oh, querida, o que aconteceu
com o seu peito?" ela perguntou,
saindo com uma caixa na mão,
cachos loiros selvagens empilhados
no topo de sua cabeça. Dannie tinha
idade indeterminada, com apenas
algumas linhas ao redor dos olhos
azuis. Ela também se considerava
uma cartomante e, embora eu não
fosse crente, a senhora
frequentemente sabia coisas que
não deveria saber.
Como o fato de que eu estava
exibindo alguns pontos sensíveis
entre meus seios, apesar das roupas
novas cobrindo as evidências.
“Apenas Jaxson e Torin me
colocando no meu lugar,” eu disse,
inclinando-me para frente no
balcão. “Eu estou bem, no entanto.
É apenas um arranhão e quase não
dói agora. ”
Por um segundo, seus olhos
não eram mais azul-celeste; em vez
disso, eles eram de um roxo escuro
que me lembrava de poções e
lagoas beijadas pela meia-noite.
“Já viajei para muitas terras na
minha vida”, disse ela. “Conheci
mais alfas do que eu poderia contar.
Torin está subindo na lista dos
meus menos favoritos, e isso quer
dizer algo. ”
Virando minha cabeça para a
porta, eu verifiquei duas vezes se
nenhum membro do bando estava
entrando. Dannie dizia merdas
como essa o tempo todo, e neste
bando, esse tipo de “traição” era
uma ofensa altamente punível.
Felizmente, que eu saiba, ela nunca
foi realmente pega.
“Você não deveria dizer isso
em voz alta,” eu avisei, porque eu
me importava com sua bunda
excêntrica.
Ela largou a caixa, acenando
para mim. “Garota, eu não tenho
medo daquele saco de pulgas
crescido demais. Você deveria
aceitar minha oferta de colocá-lo
em seu lugar na próxima vez que
ele ultrapassar você e sua mãe. "
Uma risada nervosa me deixou,
mas não discuti com ela. Ela era
uma velha shifter inofensiva e
maluca. Mas eu a amava porque ela
parecia mais uma mãe do que
minha nos últimos anos. E esse
trabalho basicamente salvou minha
vida.
“Vou arquivar o novo pedido”,
disse eu, pegando a pilha já
desempacotada no banco.
A Dannie's Books era a única
livraria da cidade e, muito antes de
trabalhar nessas quatro paredes, era
um cliente regular. Os livros foram
minha graça salvadora durante
anos. Uma fuga da minha vida
mundana, às vezes terrivelmente
terrível. E era basicamente por isso
que eu tinha ficado extremamente
puto em passar horas lendo aquela
história estúpida para o meu
trabalho escolar.
Nunca perca tempo com livros
ruins. Havia muitas histórias
incríveis esperando para serem
descobertas.
Vagando pelas prateleiras,
respirei fundo, absorvendo o cheiro
incrível e único que só os livros
tinham. Os livros mais antigos na
seção “usados” cheiravam diferente
dos novos, e apesar dos tons
químicos que meu nariz de shifter
captou, eu amei todos os cheiros.
Basicamente, todas as boas
lembranças que tive nos últimos
dez anos estavam aqui. Com
Dannie e especialmente com os
livros.
“Oh, aquela nova série de
shifters de Leia Stone também está
na moda,” Dannie gritou atrás de
mim, sua voz abafada pelas
prateleiras entre nós. "Eu mantive
uma reserva completa para você."
"Eu te amo!" Eu gritei de volta,
já animado para encontrar um novo
mundo para onde escapar. Eu
adorei ler a opinião de um autor
sobre shifters. Alguns deles
acertaram tanto que eu sabia que
eles eram shifters escrevendo ficção
secretamente, mas humanos
escreviam sobre nós também.
Freqüentemente com mais
imprecisões, mas eu amei isso do
mesmo jeito. No que me dizia
respeito, qualquer mundo de
fantasia em que eu pudesse me
perder estava bem para mim.
O resto da minha tarde passou
rapidamente e às 18h, Dannie virou
a placa de fechado e trancou a
porta. Ainda estava claro lá fora, o
inverno se aproximando, mas não
exatamente aqui ainda. Peguei meu
moletom, deslizando as três
brochuras em minha bolsa e
jogando-o sobre o ombro.
"Você está indo para a
reunião?" Dannie perguntou
enquanto vasculhava a caixa
registradora, contando meu
dinheiro. Ela me pagava todos os
dias em dinheiro "apenas para
garantir". Ela nunca me disse em
caso de quê, mas eu não estava
reclamando. Esta foi a melhor e
mais fácil maneira de estocá-lo.
“Se eu tivesse escolha, a
resposta seria não,” eu disse, meu
peito ficando apertado com a ideia
de estar no mesmo lugar que
milhares de shifters que me
odiavam. “Mas se eu não aparecer,
os executores de Victor me
rastreiam, me dão uma surra e me
arrastam para lá de qualquer
maneira. Pode muito bem evitar a
surra. ”
Eu não estava adivinhando. Eu
sabia disso por experiência própria.
Ela me deu um tapinha no
ombro, formigamentos de sua
energia correndo pelo meu braço.
Esses pequenos golpes aconteciam
muito quando Dannie me tocava.
Eu estava acostumada com isso
agora, e até sentia conforto com a
familiaridade.
“A mudança é inevitável”,
disse ela, com os olhos
semicerrados. “Sua mudança está
chegando. Prepare-se para isso. ”
Engoli em seco, me
perguntando se ela estava fazendo
sua coisa psíquica novamente. Eu
não tinha contado a ela sobre meus
planos. Simone era a única que
sabia que eu queria ir embora, mas
senti que Dannie também tinha
alguma ideia - ela sempre via
muito.
"Vejo você hoje à noite", ela
chamou enquanto eu destrancava a
porta para sair.
"Sim, vejo você então",
respondi, acenando por cima do
ombro enquanto saía para a rua.
Um vento frio passou por mim
e percebi que talvez o inverno
estivesse chegando mais rápido do
que eu esperava. Fez sentido. O
solstício estava chegando, e eu
estava fazendo a contagem
regressiva para aquele filho da puta
há meses.
O inverno estava finalmente
chegando.
Sim, eu fui lá.
"W Devemos preparar os filhotes
agora para a mudança no
próximo mês, ”disse Alfa Victor,
seu poder nos prendendo no lugar
para que ninguém perdesse uma
palavra de seu discurso.
Simone não se enganou
quando o chamou de egomaníaco;
ele era isso e muito mais. Meu pai
foi o único em nossa história a
tentar matá-lo, e eu ainda não tinha
ideia de por que ele se voltou
contra seu amigo e alfa. Foi algo
que me manteve acordado à noite,
especialmente depois de um dia
particularmente difícil.
“Decidimos que neste solstício
viajaremos ainda mais longe através
das terras da matilha,” ele
continuou, parecendo satisfeito
consigo mesmo. De acordo com a
tradição, apenas o alfa, o beta e seus
filhos estariam conosco em nossa
mudança inicial. O resto da matilha
nos encontraria mais tarde, e isso
era quando qualquer novo vínculo
de companheiro entraria em ação.
Para mim, eu não me
importava com nada disso, ou quão
longe nós vagamos pelas vastas
terras controladas pelo bando de
Torma. Eu me preocupava com
uma coisa e apenas uma coisa: obter
o controle do meu lobo para que
pudesse escapar.
“Agora em nosso mixer com o
bando de Strigent,” o alfa disse,
mudando de assunto rapidamente,
como era seu jeito. “Recebemos
petições para uma participação
total de todos os lobos não
acasalados. Esperançosamente, mais
alguns laços de companheiro
verdadeiro entrarão em vigor. ”
Esses mixers aconteciam
algumas vezes por ano e eram um
grande negócio. Pelo que eu
observei em meus vinte e dois anos,
os shifters eram dominados por sua
necessidade de encontrar seu
companheiro. Não os culpei por
isso - gostaria de ter alguém ao meu
lado. Alguém que era a combinação
perfeita para mim e me apoiaria de
qualquer maneira.
Eu estive sozinho, tão sozinho
e sozinho, por quase toda a minha
vida.
Mas em nenhum momento eu
estive desesperado o suficiente para
querer acasalar com alguém deste
bando. Quer dizer, não havia como,
apenas por alguma peculiaridade
do destino, de repente eu ficaria
quente e pesado por um desses
idiotas que me atormentaram.
Certo?
A vida não poderia ser tão
injusta.
“Esta noite é uma das últimas
corridas do grupo antes de nossos
filhotes se juntarem a nós,” Victor
gritou, seu cabelo loiro mel
surgindo enquanto seu lobo subia à
superfície. “Vamos mudar e nos
comunicarmos com nossos
animais.”
Gritos ecoaram ao redor do
enorme campo em que estávamos
reunidos, fora da mansão do alfa
com seus sessenta quartos e tantos
banheiros. Estava longe de ser uma
habitação humilde como qualquer
lugar poderia estar, mas não era
nada comparado aos muitos
milhares de acres inestimáveis ​
anexados a ela.
Terra selvagem e indomada
que o bando cobriria esta noite em
sua corrida.
Aqueles de nós muito jovens
iriam embora agora, antes que as
feras surgissem. Eu tinha visto a
mudança de humano para lobo
antes, é claro, mas nunca em uma
reunião em massa como essa.
Simone agarrou minha mão
enquanto o alfa erguia a cabeça e
uivava para o céu, nos libertando de
seu poder. “Vamos dar o fora
daqui”, disse ela. "Estou com meu
carro."
Nós corremos. Como na escola,
era melhor se eu sumisse quando os
instintos básicos dos lobos
surgissem.
"Sua mãe está aqui?" ela
perguntou, nós dois correndo para
o campo onde estava o carro dela.
Ela foi esperta o suficiente para
estacionar ao lado, onde ninguém
poderia nos bloquear. Esta não era
nossa primeira reunião da matilha,
e éramos adeptos da sobrevivência.
“Não a vi,” eu disse
brevemente. “E ela não aceitaria
uma carona de qualquer maneira.
Ela estaria lá, mudando com eles,
tentando se infiltrar no coração de
outro. "
Meu pai tinha sido seu
verdadeiro companheiro, mas ela
não se importava. Sua morte - sua
traição, como ela disse - destruiu a
todos nós. E eu entendi. Parte de
mim o odiava mais do que eu
poderia imaginar odiando alguém.
Outra parte sentia falta dele
com uma intensidade que me tirou
o fôlego.
Deslizando na velha
caminhonete vermelha de Simone,
tentei acalmar minha respiração,
mesmo com meu coração batendo
forte contra meu peito. Não fiquei
sem fôlego com a corrida. Não, foi o
medo que fez isso.
Porra.O medo era tão
debilitante e, não pela primeira vez,
me perguntei como seria viver sem
ele. Para apenas ... acordar todas as
manhãs e não temer a porra do dia.
Uma verdade absoluta me
atingiu então, enquanto eu tentava
acalmar meu maldito coração pela
segunda vez naquele dia: eu
deveria ter fugido anos atrás. O fato
de eu ter ficado aqui, me colocando
nesta posição de ser atormentado
diariamente, era uma vergonha
absoluta.
Transformar-me em vítima
repetidamente foi uma pena que
senti no fundo da minha alma.
“Eu tenho que sair esta noite,”
eu decidi, a intensidade em meu
tom. “Esta noite é minha melhor
chance. Eles sairão correndo por
horas, e a cidade está vazia. ”
Simone pisou fundo no freio, o
carro freou bruscamente. "Você está
brincando comigo?" ela quase
gritou. “Garota, você está um mês
fora do seu turno. Você não pode ir
agora. Você vai morrer sem um alfa
para guiá-lo durante a primeira
mudança. ”
Minhas mãos estavam cerradas
ao meu lado enquanto a raiva e a
humilhação me percorriam. “Eu os
deixei me transformar em uma
vadia chorona,” eu disse entre os
dentes, minha garganta tão grossa
que eu mal conseguia pronunciar as
palavras. “Eu vivi com medo por
uma década. Eu tive o pior tipo de
merda feito em mim, e eu uso as
cicatrizes tanto interna quanto
externamente. Por que diabos eu
fiquei tanto tempo? Com medo de
morrer durante meu primeiro
turno? Nesse ponto, isso seria uma
bênção. ”
Sem mencionar que sair antes
do meu turno diminuiria meu
vínculo com o alfa e tornaria ainda
mais difícil para ele me rastrear.
Conforme eu disse as palavras em
voz alta, permitindo que minha
mentalidade de esperar pelo meu
primeiro turno sair mudasse, tudo
fez muito mais sentido ir agora.
Esta noite.
Simone estava mortalmente
silenciosa, seus olhos enormes e
cheios de lágrimas. Ela engoliu em
seco, mais de uma vez, mas não
conseguia se controlar.
Estendendo a mão, coloquei
minha mão na dela, apertando-a.
"Eu te amo. Eu nunca teria passado
pela bagunça da minha vida sem
você, mas tenho que ir embora.
Tenho que correr agora e nunca
mais olhar para trás. ”
Ela não discutiu novamente,
apenas acenou com a cabeça
algumas vezes, as lágrimas
derramando e escorrendo pelo seu
rosto. “Onde ...” Ela limpou a
garganta. "Onde você irá?"
Eu seria um perigo nos meus
primeiros turnos. Eu tinha que
encontrar um lugar seguro, algum
lugar deserto com muito espaço
para eu correr.
“Não sei”, admiti com
sinceridade. “Mas qualquer lugar é
melhor do que aqui.”
Ela enterrou a cabeça nas mãos,
um soluço escapando. "Isso não
pode ser um adeus." Sua voz estava
abafada até que ela ergueu a cabeça
novamente. “Você tem sido meu
melhor amigo desde que éramos
filhotes. Quer dizer ... Vamos, Mera.
Pense no que você está desistindo. ”
Porra. Ela estava me
destruindo.
"E quanto a Dannie?" ela disse.
E agora estávamos trazendo as
grandes armas. "Você não quer nem
se despedir dela?"
Simone não ia me deixar ir sem
lutar, e eu já estava muito cansado
de lutar. "Vou dormir sobre isso,
ok?" Eu disse, tentando o meu
melhor para iluminar meu tom.
“Talvez eu possa durar mais um
mês. Quero dizer, o que é um mês
no grande esquema de tempo? ”
Ela enxugou os olhos,
assentindo algumas vezes. "Sim.
Você pode agüentar mais um mês.
Eu vou mantê-lo seguro. Eu posso
fazer isso."
Alcançando o carro, passei
meus braços firmemente em torno
dela, apenas respirando os cheiros
fracos que Simone sempre
carregava com ela. Lavanda das
flores em seu jardim da frente e
anis do alcaçuz que ela amava
secretamente. Eu sentiria falta
disso.
Quando terminamos o festival
de soluços emocionantes, Simone
pôs o carro em movimento
novamente, levando-me direto para
a minha porta. "Vejo você amanhã",
disse ela, examinando meu rosto.
Não foi uma pergunta. Ela estava
me dizendo que é melhor eu estar
aqui amanhã ou ela vai bater na
minha bunda.
Eu balancei a cabeça, forçando
um sorriso. "É isso aí, bebê."
Com um último olhar para seu
belo rosto, trança terrível e olhos
amáveis, enviei uma esperança
silenciosa de que um dia eu seria
forte o suficiente para voltar aqui.
E ela me perdoaria pelo que
planejei fazer.
"EU ucy, o pedido acabou! "
Levei algumas semanas,
mas finalmente estava respondendo
ao meu nome falso: Lucy Jones.
Deixar Torma foi a melhor decisão
que já tomei; o segundo melhor era
ir para uma cidade sem matilha,
decidindo que eu iria arriscar
sozinho.
A liberdade de acordar sem
medo era tudo, e meus únicos
pensamentos negativos hoje em dia
eram sobre quantos anos eu havia
perdido em Torma quando poderia
ter sido livre.
Correndo para o balcão, peguei
a bandeja pesada com três
hambúrgueres e cerca de cinquenta
toneladas de batatas fritas. Nessas
partes, os motoristas de caminhão
quase caíram na lanchonete,
morrendo de fome depois de
muitas horas na estrada. Esta
bandeja de comida acabaria em
nenhum momento.
"Aqui está", eu disse com um
sorriso, baixando a bandeja para
servir os três pratos, com as batatas
fritas compartilhadas no centro.
"Precisa de mim para completar
suas bebidas?" Eu perguntei,
percebendo que eles estavam meio
vazios.
“Nah, tudo bem, amor,” o
homem mais corpulento disse, seu
bigode salgado tremendo enquanto
ele mordia o hambúrguer. Os
outros dois estavam colocando a
comida também, então deixei
escapar uma risada.
“Tudo bem. Voltarei em alguns
minutos. ”
Arredondei mais algumas
mesas, enchi as bebidas, deixei
pedidos e, o tempo todo, tinha um
sorriso genuíno no rosto. Claro, a
vida não era perfeita. Eu sentia falta
de Simone e Dannie e sabia que eles
ficariam chateados com meu súbito
desaparecimento. Sem mencionar o
estresse sobre meu primeiro turno
na próxima semana - eu realmente
não tinha descoberto o que fazer
sobre isso ainda. Mas eu
aproveitaria esses pequenos
momentos sombrios ao longo da
vida que vivi antes.
“Há quanto tempo você está
em Hood River?” Bigode sal e
pimenta perguntou quando voltei
para encher seu refrigerante. "Eu
paro aqui na minha rota há mais de
vinte anos e nunca vi seu lindo
rosto antes."
Ele era um flerte inofensivo. Eu
gostei mais deles.
"Não muito longo. Eu estava de
passagem e esse lugar conquistou
meu coração, então resolvi ficar. ”
Era a abundância de vegetação
aqui, um verdadeiro santuário para
meu lobo, que não desejaria nada
mais do que se perder na floresta.
Melhor ainda: nenhum pacote
oficial para cem milhas em todas as
direções.
Hood River tinha muito a seu
favor.
"Você é muito jovem para ficar
preso em uma cidade chata como
esta." Um dos outros zombou. Ele
era mais jovem do que bigode e
claramente gostava mais da vida
noturna do que naquela pequena
cidade.
Dei de ombros. “Chato é meio
legal hoje em dia.” Levantando seus
pratos vazios, eu lancei a todos eles
outro sorriso brilhante. "Posso
pegar mais alguma coisa para vocês,
cavalheiros?"
Bigode balançou a cabeça. “Só
o cheque. Obrigado, querida. ”
Eu balancei a cabeça, virando-
me para sair. Assim que dei um
passo, a porta da frente se abriu e o
estrondo retumbante ecoou pela
lanchonete. Naquele momento,
perdi meu senso de felicidade, pois
o medo com que vivi a maior parte
da minha vida voltou e quase caí no
chão.
"Desculpe", disse um homem
mais velho de cabelos grisalhos,
dando um passo mais para dentro.
"O vento pegou."
Eu realmente não conseguia
explicar a maneira como meu corpo
reagia a situações inesperadas. Eu
tinha sido atacado e ferido tantas
vezes que agora estava
condicionado a esperar dor.
Normalmente, eu escondia melhor,
mas a julgar pela maneira como os
três motoristas de caminhão
estavam olhando para mim, desta
vez, eu falhei nisso. Desviando meu
olhar, sentindo o calor em minhas
bochechas, corri para pegar seu
cheque.
Porra, porra, porra. Controle-se,
Mera!
Na minha cabeça, eu me
repreendi por chamar a atenção
assim. Por cair de volta nos mesmos
velhos padrões. As poucas semanas
longe do bando claramente não
eram tempo suficiente para eu
mudar, não realmente. Mas eu
seguiria em frente, me forçando a
lidar com essa nova vida. Recusei-
me a deixar aqueles bastardos
vencerem.
Registrando o pedido completo
da mesa do caminhoneiro, corri e
entreguei o cheque. Os três me
observaram em silêncio e rezei para
que não fizessem perguntas.
Felizmente, quando cheguei a mais
algumas mesas, eles tinham saído e
eu peguei o dinheiro, observando
que eles cobriram sua conta e
deixaram uma boa gorjeta para
mim. Pena do dinheiro, sem
dúvida, mas tanto faz. Eu pegaria
neste momento.
Mendigos não podiam
escolher, e eu estava preso em uma
velha cabana degradada na floresta
que precisava de algumas
atualizações. Esse dinheiro não iria
para o lixo.
O resto da noite passou em um
borrão de bandejas, refrigerantes
derramados e gorjetas de merda. O
que me deixou ainda mais grato aos
caminhoneiros. Quando finalmente
chegou a hora do meu turno
terminar, eu soltei um suspiro de
alívio, esfregando minha nuca para
soltar os músculos.
Eu estive tenso nos últimos
dias, sentindo a agitação da besta
por dentro. Esta não era a primeira
vez, mas ela estava muito mais
perto da superfície agora.
Eu podia sentir o gosto de sua
energia. A selvageria que cavalgava
dentro de sua alma. Ela estava
pronta para mudar.
"Ótimo trabalho esta noite,
Lucy."
Virei quando Greg, meu chefe,
me tirou de meus pensamentos. No
que diz respeito aos chefes, ele era
muito bom; sua esposa também era
simpática, embora raramente fosse
ao restaurante.
“Obrigado, Greg”, eu disse.
“As horas realmente voam quando
está ocupado assim.”
"Meu tipo favorito de noite",
disse ele com uma risada
estrondosa antes de sair para o
andar principal. Sentei-me no
banco para sacar, separando meu
dinheiro das gorjetas antes de
depositar o resto no pequeno cofre
perto dos cubículos.
Na verdade, eu me saí melhor
do que esperava com dicas e seria
capaz de conseguir aquele
aquecedor extra para quando o
inverno chegasse ainda mais forte.
Foi um frio lento este ano, mas o
congelamento profundo chegaria
em breve. Eu queria estar
preparado.
“Vejo vocês mais tarde,”
chamei a todos quando saí.
Era quase meia-noite e eu tinha
alguns quilômetros para caminhar
para casa, então não perdi tempo,
começando com uma corrida em
ritmo médio. De muitas maneiras,
Hood River, Oregon, me lembrou
de minha casa de matilha.
Abundância de florestas, clima mais
fresco, mas ao contrário de Torma,
aqui havia muito tráfego de
passagem. E definitivamente
muitos humanos.
Era estranho que nenhum
shifter tivesse feito deste um
terreno de manada permanente
ainda, mas com toda a floresta, era
apenas uma questão de tempo.
Quando isso acontecesse, eu estaria
muito longe.
Quando eu estava na metade
do caminho para casa, a sensação de
tensão pressionando minha espinha
aumentou, e enquanto eu diminuía,
um formigamento percorreu minha
pele. Passei mais do que alguns
segundos olhando ao redor,
tentando descobrir o que me
irritava.
Muito pouca luz existia tão
longe da cidade principal. A
floresta era densa e ameaçadora ao
meu redor, e mesmo com meus
sentidos de shifter, era assustador.
Não pela primeira vez, amaldiçoei
minha escolha de cabana isolada,
mas com meu histórico de aluguel
inexistente e falta de renda estável,
este foi o único lugar que eu
consegui. Não me preocupei muito,
pensando que quando mudasse
seria melhor estar fora da cidade,
mas isso me deixou vulnerável, sem
ninguém para pedir ajuda.
Por enquanto, tudo que eu
podia fazer era correr e torcer pra
caralho que não fosse outro shifter.
Bombeando meus braços e
pernas com força, eu corri,
concentrando-me na respiração e
não tropeçando em meus próprios
pés. Os shifters eram naturalmente
graciosos e minha visão noturna era
fantástica, mas erros eram
cometidos em situações como essa,
e eu me recusei a ser a heroína
clássica do filme de terror caindo
em seus pés.
A floresta ficou mais escura ao
meu redor quando o caminho
familiar que levava à minha cabana
apareceu. Obrigado porra.
Eu dei o primeiro degrau,
saltando para a varanda enquanto
procurava a chave para colocá-la na
fechadura. Pela primeira vez, eu
não tive nenhum problema, abri-la
com uma torção antes de quebrar a
porta e batê-la atrás de mim. Minha
respiração saiu em suspiros
apressados ​enquanto eu tentava
acalmar meus nervos frenéticos.
Não baixei a guarda, porém,
correndo para a cozinha para
procurar uma arma, meus olhos
fixos na porta da frente enquanto
esperava que eles passassem por
ela. Depois de cinco minutos parada
no escuro, dois grandes cutelos
agarrados em minhas palmas
suadas, eu me arrastei em direção
às janelas. Espreitando de cada um,
procurei movimento, mas não havia
sinal de ninguém lá fora.
Minha imaginação hiperativa
tirou o melhor de mim?
Eu fiz meu caminho pelo resto
da cabana, acendendo uma única
lâmpada na sala de estar. Dois
cômodos compunham a maior
parte desta casa frágil que tinha
muito pouco a oferecer - fora de sua
linda lareira de tijolos vermelhos.
Eu estava muito cansada para
me incomodar em mexer com isso
esta noite, então eu simplesmente
entrei no banheiro minúsculo e
tomei um banho morno antes de
vestir uma regata e calcinha limpa e
rastejar para a cama. Eu mantive as
lâminas ao meu lado para o caso,
mas não parecia que nenhum
ataque estava por vir. Pelo menos
não esta noite.
Quando me aconcheguei,
comecei a ler um novo livro no meu
telefone. Eu tinha um smartphone
antigo de baixa qualidade, um dos
modelos anteriores, mas tinha o
app kindle, que era minha tábua de
salvação para livros de bolso.
A série shifter que Dannie me
deu estava acabada há muito
tempo, mas aquele autor me levou
a outros escritores indie incríveis, e
eu estava atualmente no meio de
minha nova série favorita.
Shifters dragão, amirite?
Quer dizer, eu poderia ter sido
um shifter, mas o pensamento de
um cara dragão corpulento era
simplesmente delicioso. Eu
esperava que eles estivessem lá
fora, escondidos, e o conceito não
fosse tão fantasioso quanto a
maioria dos humanos esperaria.
Talvez eu pudesse manipular o
destino de alguma forma e me
tornar um dragão shifter como
companheiro. Coisas mais estranhas
aconteceram, e para ser honesto, eu
preferia qualquer outro shifter
como companheiro do que um lobo.
Aqueles desgraçados estavam
tornando minha vida miserável por
dez anos, e eu estava pronto para
uma mudança.
EU Não estava trabalhando no
restaurante no dia seguinte e, como
ainda estava cheio de tensão por
causa da sensação de estar sendo
observado na noite anterior, decidi
ficar quieto. Talvez tente consertar
alguns dos problemas na cabine.
Duas horas depois, com a porta
pendurada em um ângulo ainda
pior, o banheiro cheio de ainda
mais sujeira e escória, se possível, e
a geladeira mais vazia do que
nunca, parei e me dirigi para a
cidade para pegar comida suficiente
para passar pelo Resto da semana.
A lua cheia após o solstício
estava se aproximando, e eu ainda
não tinha realmente um plano. Era
inevitável que eu perdesse o
controle do meu lobo. Ela assumiria
a liderança como seus primeiros
passos para a liberdade e, ao fazer
isso, eu não tinha ideia de qual
caminho ela escolheria. A cabana
ficava no fundo da floresta e,
logicamente, qualquer animal
deveria permanecer dentro da
natureza, mas conhecendo a minha
sorte, ela iria direto para Hood
River para levar um tiro de um
humano paranóico em seu traseiro.
E, claro, eu tinha que
sobreviver à mudança primeiro.
Apesar dessas preocupações,
eu ainda não me arrependi da
minha fuga rápida de Torma. Meu
único arrependimento era Simone.
Eu sentia tanto a falta dela, e eu a
teria machucado partindo como fiz.
A dor de falar com meu melhor
amigo me batia o tempo todo, mas
eu sabia que mesmo um telefonema
poderia fazer minha vida atual
desmoronar ao meu redor. A
matilha estava totalmente
modernizada agora, e eles sabiam
como rastrear da mesma forma que
um humano faria. Eu não poderia
deixar rastros. Meu telefone estava
no modo avião, o que me ajudou a
passar pela pilha já baixada para ser
lida, mas não me permitiu nenhum
contato com shifters.
Quando cheguei na cidade, fui
direto para a loja local. Estava meio
cheio, todos parecendo um pouco
congelados e miseráveis ​enquanto
carregavam suas cestas. Ninguém
olhou na minha direção, embora eu
ainda fosse tecnicamente novo o
suficiente para criar curiosidade.
Minha reticência inicial foi o
suficiente para impedir o
questionamento e, atualmente, eu
geralmente conseguia fazer
compras em paz.
Hoje, fui direto para a seção de
frios. Minha necessidade de carne
tinha aumentado ao longo do
último mês, e embora fosse difícil
tentar pagar os cortes frescos que
meu lobo prestes a emergir ansiava,
era imperativo que ela não estivesse
com fome.
“Estou recebendo sua
proteína”, murmurei para mim
mesmo enquanto ela girava em
meu peito, meu estômago roncando
conforme nos aproximávamos.
"Acalme-se."
Claro, isso não acalmou a alma
do lobo de forma alguma, e eu me
perguntei se eu iria me encontrar
com uma besta que lutaria contra
mim durante cada mudança. Eu
tinha ouvido falar sobre shifters
com aquela selvageria em seus
lobos, e sempre foi um conto de
advertência.
Louvado seja a Besta das
Sombras, eu legitimamente não
precisava de mais nenhuma
preocupação. Meu lobo não seria
selvagem. Diga o suficiente e deve
ser verdade.
Quando terminei de carregar
os alimentos básicos da semana,
esperei para verificar, tentando não
fazer contato visual com ninguém.
Um calafrio inquietante percorreu
minha espinha algumas vezes e, por
um momento, pensei ter avistado
um rosto familiar, mas quando
olhei de novo, era apenas Tom, que
trabalhava para seu pai na loja de
ferragens alguns edifícios acima .
Ele sorriu sem jeito para mim
quando nossos olhos se
encontraram, e eu retribuí aquele
sorriso. Ele era um cara bonito, não
muito mais velho do que eu, com
olhos castanhos dourados e dentes
perfeitos, mas não havia como eu
namorar um humano. Mesmo se
eles não ficassem loucos de merda
quando eu comesse mais do que
eles, pudesse pesar 300 quilos e
rosnasse em aborrecimentos
aleatórios, eu também viveria por
muito mais anos do que eles.
E sobreviver a alguém que você
amava era minha ideia de tortura.
“Sessenta e oito dólares e vinte
e dois centavos”, Claudia, a senhora
idosa por trás do caixa, vibrou. “E
você está parecendo um pouco
abatido, querida. Você deveria
pegar um pouco da sopa de galinha
especial feita pelo Earl. "
Claudia nasceu aqui na terceira
geração - sua família havia migrado
do Haiti há muitas décadas - e ela
sabia absolutamente tudo sobre
todos ... exceto eu, é claro. Ela
falava a um milhão de quilômetros
por hora, executando suas frases
juntas e combinando vários
pensamentos em um, enquanto o
interrogava para obter informações
pessoais. Mas não havia como negar
que seu marido, Earl, fazia uma
canja de galinha horrível.
“Claro,” eu disse com um
aceno de cabeça, pegando um dos
recipientes para viagem. "Quanto
extra?"
Claudia sorriu, seu batom rosa
manchado nos dentes, como
sempre. “Livre hoje, querida. Você
precisa de um pouco de comida
caseira. ”
“Obrigado,” eu disse,
colocando o dinheiro correto em
suas mãos e recolhendo minhas
sacolas. "Tenha uma boa tarde."
Ela sorriu para mim, seus olhos
astutos enquanto me examinava
mais de perto. "Você também
querida. Você também."
Precisando me afastar de seus
olhos curiosos e da contínua
sensação desconfortável de ser
observada, saí correndo e não olhei
para trás. Havia uma chance
decente de que minha nova
personalidade paranóica fosse
simplesmente um efeito colateral
do meu primeiro turno iminente -
era quase impossível dizer como
cada shifter reagiria chegando ao
seu primeiro turno. Mas sempre
houve uma infinidade de mudanças
de personalidade naquela época.
Pelo menos se eu estava me
sentindo assim devido à mudança,
não havia nenhum perseguidor na
minha bunda, e eu poderia parar de
antecipar uma emboscada a
qualquer momento. Seria bom
relaxar por alguns dias.
O vento aumentou na longa
caminhada de volta para casa e,
quando voltei para a cabana, estava
meio congelado. A ideia de uma
fogueira para aquecer o quarto foi o
suficiente para que eu me
esforçasse para acender uma lareira
decente e, quando começou a rugir,
cheguei até a cozinhar o meu jantar
nas chamas.
Bife raro não demorou muito
para ficar perfeito, e eu gostei
principalmente do sabor de fumaça
adicionado que o fogo produziu.
Quando finalmente me arrastei
para a cama, depois de definir meu
despertador para começar cedo na
lanchonete, me perguntei se essa
seria minha vida para sempre.
Sozinho. Livros, fogo e comida,
meu único conforto.
Quero dizer, por mais fodido
que fosse, isso ainda era melhor do
que estar em Torma.
Só tinha que sobreviver ao meu
primeiro turno, porque seria uma
merda se eu morresse antes mesmo
de viver.

CHEGUEI CEDOpara trabalhar no


dia seguinte, depois de um sono
agitado e de merda. Graças à Sra.
Wolf arranhando minha pele como
se ela fosse um animal físico real
preso dentro, e não apenas uma
lasca da minha própria alma.
"Lucy!"
Tessie Johanson me abraçou
quando entrei pela porta e, desta
vez, nem sequer pestanejei. Tessie
era outra garçonete em tempo
integral e tinha cabelos ruivos
flamejantes, mas, ao contrário do
meu, o dela não ficaria ruivo por
muito tempo. Ela mudou a cor do
cabelo tanto quanto eu mudei de
roupa, e eu não tinha ideia de qual
era seu tom natural.
Ela também era uma
abraçadora e demorou um pouco
para se acostumar, mas agora eu
meio que gostei.
"Senti sua falta esta semana",
disse ela, embora só tivesse se
passado alguns dias desde que
estávamos no turno juntos.
“Devemos ter um dia agitado hoje
com o festival na cidade.”
Eu sorri, escondendo minha
bolsa e jaqueta nos pequenos
cubículos. "Isso é fantástico. Eu
poderia usar um pouco de dinheiro
extra. ”
Ela sorriu, me seguindo
enquanto eu pegava meu avental.
“Infernos sim, eu também. O roxo
que vou arranjar para o meu cabelo
a seguir vai levar três sessões com
Mark. Ele é o melhor, mas cara
custa banco. ” Seus lábios se
contraíram. “Tem certeza que não
quer cortar? Posso marcar um
encontro para nós juntos. ”
Eu bufei quando entramos na
sala de jantar principal para
começar nossos turnos. “Eu já disse
a você, comida antes do cabelo. Não
tenho dinheiro para desperdiçar,
mas mal posso esperar para ver o
roxo que você escolher. ”
Ela suspirou, olhando
melancolicamente para a longa
bagunça trançada nas minhas
costas. “Seu cabelo é da cor natural
mais incrível que já vi. Mark
legitimamente mataria sua mãe por
uma chance de colocar as mãos
nele. Ele provavelmente faria isso
de graça. ” Seu rosto se iluminou.
"Vou perguntar a ele."
Antes que eu pudesse
protestar, ela correu para sua seção
e eu comecei a trabalhar na minha.
Como previsto, não houve calmaria
o dia todo, e eu descobri sobre o
carnaval e o festival de comida que
estava se movendo pela cidade na
semana seguinte, trazendo uma
tonelada de visitantes.
“Você tem que dar uma
olhada!” um menino de dez anos
extremamente entusiasmado me
contou. “Eles têm brinquedos e
brinquedos e algodão doce.”
Eu sorri para ele enquanto
enchia seu suco. “Parece incrível.
Estou trabalhando nos próximos
dias, mas talvez eu tenha a chance
de fugir. ”
Greg, que estava por perto
conversando com um dos clientes
regulares, deve ter me ouvido. “Seu
amigo da Califórnia esteve aqui
ontem perguntando sobre você.
Talvez você possa levá-la lá. É
definitivamente um dos destaques
das férias. ”
Como se alguém tivesse me
encharcado em água gelada, o
choque traçou minha pele,
congelando-me no lugar. "Minha
amiga?" Eu consegui engasgar.
Ele acenou com a cabeça, ainda
parecendo afável, como se não
tivesse ideia da bomba que ele
acabou de lançar sobre mim. “Disse
que estava na cidade para te fazer
uma surpresa. Percebi que ela
conseguiu chegar à sua casa ontem
à noite.
De alguma forma, não deixei
cair o jarro que segurava. De
alguma forma, eu não gritei e corri
para fora da sala. De alguma forma,
consegui acenar calmamente com a
cabeça e ir embora, para a sala dos
fundos.
"Tudo certo?" Tessie
perguntou, empurrando a porta
aberta para deixar sua braçada de
pratos sujos.
Sacudindo meu pânico, forcei
um sorriso natural em meu rosto,
falhando miseravelmente, se a
expressão dela fosse alguma
indicação. “Acabei de receber
algumas más notícias. Você poderia
talvez cobrir o resto do meu turno?
Preciso ir para casa rapidamente. ”
Seu doce sorriso puxou os
cantos enquanto seu rosto se
enrugou em preocupação. "Claro!
Deus sabe que você me cobriu
várias vezes nas últimas semanas. ”
“Você é o melhor,” eu deixei
escapar com pressa, pegando minha
bolsa e jaqueta. "Eu vou compensar
você."
Mentira total. Esta foi a última
vez que vi qualquer um deles.
Eu não tinha estado paranóico -
meu disfarce foi descoberto. E
depois que eu pegasse meu estoque
de dinheiro da cabana, eu estaria
fora daqui para nunca mais voltar.
Eu já estava me xingando por ser
tão estúpido em não trazer o
dinheiro comigo. Não parecia
seguro vagar por aí com milhares
de dólares, e eu poderia pagar o
preço final por essa decisão estelar.
“Lucy,” Tessie chamou
enquanto eu corria para fora da
porta.
Forçando-me a desacelerar,
virei minha cabeça para trás.
“Tome cuidado aí,” ela
murmurou, e eu me vi olhando em
seus olhos tristes e cinzentos. Era
quase como se ela soubesse que esta
era a última vez que nos veríamos,
e conforme a tristeza crescia, eu a
forcei para baixo. Não tive tempo
para pensar em minhas perdas.
O resto do dia foi sobre
sobrevivência.
"Você também", respondi
baixinho antes de sair da sala e
deixar a lanchonete para trás para
sempre.
Ao contrário de quando
comecei a trabalhar, o carnaval e as
barracas de comida estavam
completamente montados agora,
barracas de cores vivas visíveis
enquanto eu corria para longe. As
ruas estavam cheias como eu não
tinha visto antes, e estava claro que
esse evento itinerante era um
grande negócio. De certa forma, foi
uma bênção total disfarçada para
mim. Quanto mais gente, mais fácil
seria esconder minha fuga de Hood
River.
A multidão diminuiu conforme
me aproximei de minha casa na
floresta e, quando estava a cerca de
um quilômetro e meio, entrei em
modo furtivo, saindo do caminho
batido e entrando na densa
folhagem. Uma rota direta era
muito arriscada nesta fase.
Quando o ambiente familiar da
cabana surgiu entre uma massa de
velhas sequoias, diminuí a
velocidade até parar. Fechando os
olhos, deixei meus sentidos
vagarem o mais longe que pude, em
busca de uma perturbação na
minha área.
Eu fiquei lá por pelo menos dez
minutos, sem me mover - mal
respirando enquanto não baixava
minha guarda. Apesar da minha
falta de um vínculo completo com
meu lobo, quando terminei, eu
podia ouvir o farfalhar dos pássaros
a quilômetros de distância, grilos e
outros insetos próximos, e o riacho
que ficava do outro lado da cabana.
Meus sentidos estavam mais
fortes do que nunca, e eu tinha
quase certeza de que ninguém
estava esperando. Pelo menos não
perto de minha cabana.
Eu não relaxei enquanto
rastejei lentamente para frente,
tomando cuidado para pisar
silenciosamente - não é exatamente
uma tarefa fácil em uma floresta.
Mas eu estava perto o suficiente de
mudar para ter a graça de um lobo
à minha disposição.
Evitando a porta da frente, me
esgueirei ao longo do lado oeste da
cabana, em direção à janela do
quarto. Eu posso ter sido um idiota
em não manter meu dinheiro
comigo, mas eu não era
completamente sem cérebro ou
lógica. Se alguém estivesse
esperando para me emboscar, tendo
se escondido com sucesso de meus
sentidos, esperaria que eu entrasse
pela porta da frente. Eu havia
previsto isso desde o início, e a
janela do quarto era meu plano de
backup. Estava sempre destrancado
e bem oleado, para uma fuga
silenciosa.
Essa parte do meu plano
funcionou perfeitamente quando o
vidro deslizou silenciosamente, e eu
parei novamente, mais cautelosa do
que jamais fui em minha vida. A
sala estava vazia de cheiro e
movimento. Nenhum outro
batimento cardíaco ou sensação de
nova energia. Levantando minha
perna sobre o parapeito da janela,
entrei quase sem fazer barulho ...
Eu estava ficando bom nesta missão
furtiva.
Minha mala permaneceu
pronta o tempo todo. Continha
dinheiro, algumas roupas, além de
comida e água. Em um piscar de
olhos, eu o coloquei nas costas e
estava escorregando pela janela
aberta.
Foda-se, sim! Eu
silenciosamente me parabenizei
enquanto saía para a floresta,
correndo com menos preocupação
em criar um barulho. Parecia que
eles ainda não haviam encontrado
minha cabana e talvez ainda
houvesse uma chance de escapar.
Talvez tenha sido esse o ponto
em que cometi meu primeiro erro:
ter esperança e baixar a guarda.
Pensando que era tão inteligente,
conseguindo escapar com meu
dinheiro e minha bolsa. Já estou
planejando para onde iria a partir
daqui, para nunca mais ver Hood
River novamente.
Mas eu não fui o único
correndo pela floresta hoje. Alguém
estava esperando por mim, mas não
onde eu esperava. A cabana era
muito óbvia, e aqueles bastardos me
enganaram com uma falsa sensação
de segurança quando não havia
ninguém dentro.
Mas não se engane, eles
estavam esperando por mim, e
agora eu estaria lutando pela minha
vida.
K agora que preferia morrer a ser
levado pelo bando Torma
novamente - e quem mais estaria
me perseguindo? Se aqueles
bastardos colocassem as mãos em
mim, eles provavelmente fariam os
últimos dez anos com eles
parecerem um país das maravilhas.
Eu não poderia deixar isso
acontecer. Eu lutaria até a morte se
necessário, porque não voltaria para
Torma.
Meu lobo girou por dentro,
lutando para se libertar, e apesar da
impossibilidade de mudar antes da
lua cheia, realmente parecia que ela
poderia ter sucesso em forçar a
mudança. Meu rosto doía como se
minha mandíbula estivesse se
transformando, os dentes mudando
para acomodar a mudança.
“Meerraaa,” uma voz
zombeteira zombou da minha
direita. Outro se juntou à esquerda,
ambos familiares e assustadores.
Torin e Jaxson. Futuros alfa e
beta.
Claro que Victor os teria
enviado atrás de mim - quanto
melhor um shifter conhecia o
cheiro e a energia de uma pessoa,
mais fácil era rastreá-los. Eu cresci
com aqueles bastardos, e eles se
fixaram diretamente na minha
energia. Mas porquê? Eu
honestamente não esperava que
eles se importassem que eu tivesse
partido, mas aparentemente, Victor
não estava pronto para libertar
qualquer um de seus lobos. Mesmo
aqueles que ele odiava.
"Ou é Lucy?" Torin
acrescentou, sua risada mais
próxima do que antes.
Greg disse que tinha sido uma
mulher perguntando sobre mim na
lanchonete, mas claramente esses
dois estiveram lá também.
Provavelmente tinha sido Sisily ...
A vadia estúpida nunca ia a lugar
nenhum sem o alfa e o beta. Eu
sabia que meu chefe não teria dado
minhas informações pessoais aos
caras, mas uma mulher era
diferente. Greg era da velha escola
assim.
E isso pode simplesmente me
matar.
Minha velocidade aumentou,
mas não havia nenhuma maneira
que eu pudesse fugir de shifters
totalmente transformados.
Especialmente se eles devorassem.
“Vamos, Mera. O bando sente
sua falta, ”Torin acrescentou, sua
risada agora. “O pai não gosta
quando os membros do bando vão
embora sem um adeus. Você sabe
disso."
Ele estava basicamente
correndo lado a lado comigo e,
apesar das chances serem tão contra
mim, espalmei a lâmina que estava
sempre na lateral da minha bolsa,
me preparando para a luta.
Alguém me abordou por trás e
eu bati no chão com força, o peso
sólido de um lobo nas minhas
costas. Porra! Girando, eu chutei o
lobo menor, percebendo que
deveria ser a fêmea.
Ela não hesitou em atacar, e eu
queria gritar quando suas garras e
dentes cortaram minha pele.
Balançando minha lâmina, cortei o
pelo e me perguntei qual cadela
estava em mim. Sisily ainda não
tinha se transformado ...
Minha lâmina atingiu a pele
densa que protegia sua pele, e ela
agarrou minha garganta, mas
consegui alojar meu braço em sua
boca para detê-la. Isso me custou a
pele do braço, mas ao contrário da
minha garganta, isso não iria me
matar.
O lobo era cinza escuro - a cor
do cabelo geralmente ditava a cor
do pelo, e eu não tinha ideia de
quem era cinza na matilha. Ela
também era de tamanho médio,
com olhos castanhos profundos.
“Saia de cima de mim,” eu rosnei, e
com força desconhecida, consegui
empurrá-la para trás para que
pudesse rastejar para ficar de pé.
O sangue borrifou o chão, e
mesmo no céu escuro, eu poderia
dizer que era de mais do que
apenas alguns arranhões. A cadela
havia atingido algo importante;
algo para me preocupar amanhã, se
eu ainda estivesse vivo para me
importar.
Braços fortes me envolveram,
mordendo os ferimentos que eu já
sofri. Antes que Torin pudesse me
esmagar ainda mais, eu o esfaqueei,
bem no peito. Minha lâmina não
era de prata ou nenhum dos metais
que reagiam mal à magia shifter.
Era basicamente uma lâmina de
switch de tamanho médio, que
causaria danos mínimos. Exceto
quando esfaqueado no coração.
Opa.
Os olhos de Torin se
arregalaram e ele olhou para mim
por um momento como se não
pudesse acreditar no que eu tinha
acabado de fazer. "Tal pai, tal filha",
ele murmurou antes de eu me
soltar e ele tropeçar para trás.
Jaxson estava ao lado de seu
melhor amigo em um piscar de
olhos, seu olhar escurecido
perfurando meu rosto. "Você vai
pagar por isso, Mera," ele rosnou,
seu rosto já começando a mudar
enquanto ele lutava contra seu lobo.
Eu o deixei indiferente porque
aparentemente eu estava sem
autopreservação ultimamente. "Ele
não vai morrer por causa disso."
E ele não iria. Levaria apenas
alguns dias para consertar e ele
estaria muito mal até então. Os
músculos do coração faziam muito
trabalho no corpo, e uma lâmina
através de uma, mesmo para um
shifter, nunca era bom.
"Proteja-o," ouvi Jaxson gritar
para a loba desconhecida, e então a
primeira rachadura de ossos me
disse que ele estava prestes a
mudar.
Eu tinha uma chance de fugir
porque se ele me pegasse em sua
forma de lobo, estaria tudo
acabado. Minha lâmina ainda
estava enterrada no peito do meu
inimigo e, decidindo que seria mais
rápido sem minha bolsa, decolei de
mãos vazias. Irônico pensar que
valeu a pena correr o risco de ser
detectado pela bolsa porque estava
com todo o meu dinheiro. Agora eu
sabia que teria sido melhor sair
correndo direto da lanchonete e
nunca mais olhar para trás.
Correndo mais rápido do que
nunca, cheguei à periferia da
cidade, pronta para mergulhar nas
ruas ainda cheias de gente. Os lobos
tinham uma regra muito rígida
acima de todas as outras: nunca
deixe os humanos saberem de nossa
existência. Qualquer shifter visto
em público estava em apuros com
seu alfa, especialmente nesta época
de telefones e dispositivos de
gravação.
Estar entre os humanos me deu
uma chance de escapar, já que
Jaxson teria que ser cuidadoso. Ele
pode até ter que mudar de volta e
ser forçado a andar pelado. Ele
merecia esse tipo de carma, não que
o bastardo superconfiante se
preocupasse em ficar nu.
Ele não tinha nada com que se
preocupar, na verdade, mas ele
poderia pelo menos tentar um
pouco de humildade.
Os sons de um lobo se
aproximando me impeliram para
frente, e eu tinha certeza que estava
prestes a fazer isso quando Jaxson
agarrou minha camisa com os
dentes, me puxando para trás.
Como diabos ele estava tão perto?
O bastardo superdotado mudou em
segundos.
As pessoas estavam a apenas
algumas dezenas de metros de
distância e eu poderia ter gritado,
mas se o lobo de Jaxson estivesse no
controle, ele mataria todos eles. Eu
não poderia fazer isso. Não para
humanos inocentes.
Eu tive que aceitar meu
destino.
Lutando para me libertar, fui
interrompida quando ele se lançou
nas minhas costas. O cara era um
homem grande e um lobo ainda
maior. Sem ar, tentei rastejar,
tentando recuperar o fôlego. Jaxson
deslizou, me cutucando para que eu
ficasse de costas, e com meu peito
arfando, eu encarei seu lobo preto
da meia-noite.
As presas brilharam em meu
rosto enquanto ele rosnava, e eu
sabia que este era meu último
momento na Terra. Não importava
o quanto eu tentasse lutar, ele
estava maior e mais forte, e eu
estava sucumbindo aos ferimentos
espalhados pelo meu corpo.
Desculpe, meu lobo.
Eu desejava conhecê-la melhor,
mas não era para ser.
Talvez em nossa próxima vida.
Ela uivou então, um lamento
longo e ecoante que encheu meu
corpo, mas nenhum som saiu de
minha boca. Jaxson se inclinou mais
perto, e assim que sua mandíbula
apertou em volta da minha
garganta, ouvi um grito atrás dele.
Parecia Torin, mas eu não podia ter
certeza porque o lobo segurando
minha vida em suas mandíbulas
cravou os dentes, puxando a pele, e
tudo ficou preto.
UMA Em algum momento, aceitei
que não havia como acordar para
outro dia.
Eu tinha visto meu último
nascer do sol.
Comi meu último taco.
Cantou minha última música.
E embora eu não me
arrependesse de fugir e tentar ter
uma vida melhor, estava puto da
vida por ter morrido. Eu com
certeza não merecia esse destino,
especialmente nas mãos dos
bastardos que tornaram minha vida
um inferno em primeiro lugar.
Exceto que acabou que a morte
ainda não me queria muito.
Um respingo de água acertou
meu rosto, seguido por um tapa na
minha bochecha dolorida.
“Acorde, sua vadia estúpida,”
uma voz rosnou perto.
Conforme mais consciência
filtrada por mim, a dor se tornou
conhecida. Um gemido escapou dos
meus lábios, o som pequeno e
patético.
“Deveria tê-la deixado para
morrer,” a mesma fêmea
resmungou. “A boceta inútil está
apenas deitada em sua própria
sujeira. Constrangimento para os
metamorfos. ”
"É preciso um para conhecer
um", murmurei, as palavras roucas
e quase inaudíveis. Meus olhos
ainda não estavam abertos, mas
senti o cheiro dela se aproximando.
"Que porra você acabou de
dizer?"
Forcei meus lábios em um
sorriso, embora meu rosto parecesse
estar em chamas. “Vou falar mais
devagar. É preciso ... um ... para ...
saber ... um ... ”
Neste ponto, eu mal conseguia
lembrar o que ela disse. Ela me
chamou de algo ... inútil ...? Inútil?
"Você acabou de me chamar de
cona?" ela retrucou, e a dor no meu
lado aumentou. Neste ponto, eu
senti as unhas cravando em mim de
suas mãos meio deslocadas.
“Certo,” eu murmurei. "Eu
quase esqueci. Mas sim, você é um
idiota cunty total, e eu espero que
você pegue herpes e morra de sífilis
depois que seu pau cair. "
Ela rugiu tão alto que teria
machucado meus ouvidos se eu já
não estivesse com tanta dor a ponto
de uma pequena dor de ouvido não
ser motivo de preocupação. Seu
aperto em mim aumentou, e outro
gemido fraco me deixou.
“Você vai desejar ter morrido
quando correu,” ela murmurou,
parecendo alegre. "Meu trabalho é
quebrar você até que você implore
pela morte, e então, Victor vai
assumir."
Agora eu sabia quem era:
Glendra, a companheira do alfa. A
mãe de Torin, ou como eu gostava
de chamá-la, a prostituta do bando.
Ela era uma shifter
desagradável que eu odiei por anos.
Ela ficou perto de meu pai como
um cheiro ruim muitas vezes para
eu pensar que ela era outra coisa
senão alguém que ansiava pela
atenção de homens poderosos. Ela
precisava da gratificação, e apesar
de ter um verdadeiro companheiro,
ela nunca conseguia parar seu olhar
vagante. E parte de mim ainda se
perguntava se ela não era metade
do motivo pelo qual meu pai atacou
o alfa. Não deixaria que uma vadia
como ela orquestrasse
deliberadamente um drama que
terminasse em assassinato.
Apesar da minha dor e fadiga,
chamei minha loba, e ela se ergueu
dentro de mim como a deusa
espiritual perfeita que era. A Besta
das Sombras era nosso deus, mais
demônio do que anjo, e eu
precisaria de sua força resiliente
para superar isso.
A escuridão seria minha
vocação, e eu permiti que ela me
preenchesse para que eu pudesse
vencer este lobo.
Golpeando minha cabeça para
frente, eu a acertei no rosto,
derrubando sua bunda esquelética
de cima de mim. Segui isso com um
chute de dois pés que a fez disparar.
Seu grito foi interrompido por um
baque pesado. Ela definitivamente
bateu em algo duro. Meus olhos
estavam abertos o suficiente neste
momento para vê-la esparramada
de volta, imóvel.
E eu sabia exatamente onde
estávamos: nas câmaras de tortura
abaixo da casa de manada principal.
Este é o lugar para onde minha mãe
e eu fomos levados quando papai
atacou Victor. Foi aqui que fomos
submetidos a “questionamentos”
até que todos estivessem satisfeitos
de que não tínhamos ideia do que
meu pai estava planejando. Muita
diferença que fez de qualquer
maneira; ainda éramos tratados
como leprosos.
Mas pelo menos eu sabia o que
fazer por aqui desde aquela época.
Forro de prata?
Glendra havia deixado a porta
da minha cela aberta e eu
aproveitei a oportunidade para dar
o fora de lá. Correndo o melhor que
pude, dei boas-vindas à onda de
adrenalina, sabendo que isso
poderia ser tudo o que me ajudaria.
Subindo as escadas o mais rápido
possível, lutei contra a náusea e a
cabeça girar. Não houve tempo
para sucumbir aos meus ferimentos;
Eu tinha que chegar em segurança
primeiro.
Lá de baixo, ouvi o primeiro
som de um uivo. Glendra estava
chamando os outros lobos. Com
sorte, eu seria mais rápido do que
eles ...
Quando cheguei ao patamar do
primeiro andar, peguei o caminho
menos percorrido em direção a uma
saída que costumava escapar.
Ficava ao lado da cozinha menor e,
até onde sei, poucos sabiam sobre
ele. A melhor parte dessa saída foi
sua proximidade com a floresta.
Mais uivos se juntaram aos de
Glendra, o som e o cheiro de lobos
ao redor, mas eu desviei minha
visão e não olhei para trás. Por
algum motivo, eu não morri do
ataque de Jaxson e não estava
perdendo essa segunda chance.
Quando saí pela porta dos
fundos destrancada, os últimos
fragmentos de luar banharam-se
em mim e meu lobo uivou em meu
peito. Era de manhã cedo na
véspera da lua cheia e essa era a
melhor notícia que eu poderia ter
recebido. Não foi apenas
energizante para o meu lobo, o
resto do bando estaria dormindo
enquanto descansava para a
mudança do solstício de amanhã.
Isso me deu alguns minutos
extras, e às vezes isso era tudo que
um shifter precisava.
Correndo pelo gramado
gelado, ignorei a forte mordida de
ar em minha pele nua. Minhas
roupas estavam rasgadas e
esfarrapadas, mas felizmente, as
mesmas que eu estava usando
quando fui atacada ... quase uma
semana atrás. Se a lua fosse alguma
indicação. Droga. Eu realmente
estive me recuperando por tanto
tempo?
Uivos soaram na casa da
manada, seguidos pelo som distinto
de lobos mudando no ar da manhã.
Eu peguei velocidade, meus pés
mal tocando o chão enquanto meu
lobo se demorava mais perto da
superfície do que eu já senti antes,
emprestando-me sua força,
velocidade e sentidos.
Quando cheguei à floresta, a
excitação do meu lobo aumentou.
Gostávamos de estar rodeados pela
natureza assim, e isso ajudaria a
obscurecer o nosso caminho. Eles
ainda rastreariam meu cheiro, é
claro, mas aqui havia maneiras de
retardá-los.
Esquivando-me e esquivando-
me, quase perdi o equilíbrio quando
um ataque ocasional de tontura me
atingiu, mas segurei minha merda
por tempo suficiente para alcançar
o largo riacho. Sem hesitar,
mergulhei na água.
Gah. Estava tão frio. O tipo de
frio que parecia que eu tinha levado
um taser, chocando meu sistema
para a vida. O tipo de frio que
drenava sua vida e energia se você
deixasse.
Mas eu não estava pronto para
morrer hoje.
Chutando forte, nadei para a
superfície, ofegando por ar quando
minha cabeça apareceu. Os lobos,
como regra geral, não eram
nadadores incríveis. A densidade
de nossa besta era uma magia que
se transferia para nossas formas
humanas, mas eu sempre amei
nadar.
Eu também adorei que ele
mascarasse meu cheiro, e muito
poucos tinham a capacidade de me
seguir no riacho. Empurrando as
sensações de entorpecimento em
meus membros, comecei a nadar,
ficando abaixo da superfície tanto
quanto possível. Nenhum predador
de verdade vivia nessas águas
doces, então tudo que eu precisava
ficar de olho eram os destroços e a
matilha.
A certa altura, as corredeiras
me empurraram e levei alguns
momentos para relaxar e recuperar
um pouco de energia. Um pouco
mais à frente, havia uma curva na
margem e era aqui que planejava
sair engatinhando.
Eu tinha claramente
subestimado o quão machucado eu
estava, no entanto, porque quando
tentei agarrar a borda da margem,
simplesmente não havia força
suficiente em minhas mãos para
vencer a atração incessante da
ressaca.
Minha luta não tinha acabado
completamente, mas não importava
o quanto eu lutasse, continuava
perdendo força.
Então meus dedos ficaram
moles quando a corrente
finalmente me arrancou da
margem.
J Quando eu estava prestes a ser
sugado para a água escura, uma
mão disparou e envolveu a minha,
puxando-me para cima e para fora
com um forte puxão. O shifter
estava escondido atrás de alguns
juncos longos na beira deste riacho,
posicionando-se perfeitamente para
me agarrar.
E eu estava completamente
ferrado.
Se eu não tivesse energia para
sair da água, lutar seria uma perda
de tempo. Mas foda-se se eu não ia
dar o velho shifter tentar.
Eu poderia descansar quando
estivesse morto.
“Eu sabia,” uma voz familiar
rosnou. "Você é tão previsível,
Sunny."
Eu vacilei com o nome. Um
velho apelido que eu não ouvia
desde que meu pai morreu. Mera
Callahan era meu nome de
nascimento. Nosso nome de família
significava pequenino cabeludo e
quando nasci com uma cabeleira
ruiva, que aos poucos se
transformou em uma cor de sol
ombre, meu apelido se tornou
“Ensolarado”.
Foda-se Jaxson por se lembrar
disso. E por que diabos ele estava
escolhendo agora, de todos os
tempos, usá-lo novamente?
“Não me chame assim,” eu
sibilei, tentando puxar minha mão
enquanto eu estava tremendo
diante dele. "Você não tem direito."
Na luz da manhã, eu não
conseguia ouvir nem sentir o cheiro
de outro lobo nas proximidades.
Jaxson tinha usado seu
conhecimento de mim para rastrear
meu caminho, mas ninguém mais
teve o mesmo benefício. Talvez
ainda houvesse uma chance de
fuga.
“Ninguém espera que um lobo
vá para a água,” ele continuou, sua
voz um estrondo baixo, expressão
escondida pelas sombras lançadas
das árvores próximas. “Mas você
sempre foi diferente. Sempre tive
que ficar de fora e fazer com que
todos nós prestássemos atenção. ”
Eu cruzei meus braços porque
o ar gelado contra minhas roupas
molhadas fez meus mamilos
saudarem o mundo, e eu odiaria
que esse idiota desleal pensasse que
isso tinha algo a ver com ele.
“Não fiz nada para me
destacar”, respondi, minha voz tão
fria e morta quanto meu coração
atualmente. “Eu sempre me
escondi, me escondi do mundo e
esmaguei meu brilho para não
ofender todos vocês. Você escolheu
me manter por perto para fins de
tortura. Você escolheu perseguir e
seguir e me tornar relevante. Eu
não teria amado nada mais do que
esquecer que você existia. ”
Ou melhor ainda, se
literalmente deixassem de existir.
Jaxson me soltou e eu esfreguei
meu pulso, embora não estivesse
particularmente doendo. Ele me
circulou, como um caçador
farejando sua presa, mas quer me
matasse ou não, eu estava cansado
de ser o fraco.
“Por que estou vivo?” Eu
perguntei sem rodeios. "Você
arrancou minha garganta."
De todos os shifters que
tentaram me matar, doeu mais que
tinha sido ele.
Ele fez uma pausa e a luz
iluminou suas feições, destacando a
expressão peculiar em seu rosto.
"Eu nunca mataria você, Sunny."
Ele suspirou, parecendo exausto de
repente. “Lace, uma shifter que era
da próxima cidade, captou seu
cheiro quando ela passou. Já
havíamos feito uma notificação de
seu desaparecimento e ela nos
ligou. Fiz questão de te nocautear e
fazer com que parecesse pior do
que era, para que ela não
questionasse nossa força. Nós o
trouxemos de volta aqui o mais
rápido possível para se curar. "
Lace era a cadela que me
atacou.
Eu bufei. "Se você queria que
eu me curasse, então por que diabos
eu acordei esta noite com Glendra
em minha cela, garras em meu
corpo e assassinato em seus olhos?"
Seu rosto se transformou, a
escuridão puxando suas
sobrancelhas para mais perto
enquanto a raiva enchia seus olhos.
“Isso não era para acontecer! Ela
está um pouco chateada com Torin.
Ele está muito pior do que você e
ainda não acordou. O alfa está
tentando forçar a mudança para
ajudar no processo de cura. ”
Minha expressão não mudou.
Eles esperavam que eu me sentisse
mal por me defender? Melhor não
prender a respiração esperando que
isso aconteça.
"E agora?" Eu disse com um
suspiro. Ele era um shifter na
véspera da lua cheia. Sua força
superou a minha na melhor das
hipóteses. E se a hipotermia não me
matasse logo, meus ferimentos o
fariam. Por mais que eu quisesse
tentar outra fuga, conforme o
tempo passava, ficava claro que eu
não tinha chance.
Jaxson se inclinou mais perto e
eu cerrei meus dentes para não
reagir ao seu cheiro. Por mais que
eu o odiasse - como um verdadeiro,
empurre-o escada abaixo e diga,
"ele caiu" uma espécie de ódio - ele
sempre cheirou a um guarda
florestal sexy. Almíscar e pinheiro,
com um toque de neve. Um
perfume verdadeiramente
inebriante para um shifter. E apesar
do fato de que eu provavelmente
era a única virgem de 22 anos no
mundo, eu não tinha desilusões
sobre meu alto desejo sexual. Havia
uma atração intensa que sentia por
alguns dos homens de nossa
matilha às vezes. Mas eu me recusei
a fazer sexo com shifters que eu
odiava. Sim, eu era exigente assim,
mas no mínimo, meu amante teria
que não me torturar. Chocante,
certo?
"Agora", disse Jaxson, "você me
acompanha de volta para a casa de
embalagem e ver a porra do
curandeiro, então você estará
pronto para o seu turno amanhã."
“Sim, não vai acontecer,” eu
respondi, apertando meus braços
em volta de mim. “Glendra já
deixou claro que ela vai me
machucar muito e então me
entregar para Victor. Acho que vou
me arriscar com o rio novamente. ”
O braço de Jaxson passou ao
meu redor, tão rápido que eu mal o
vi se mover. Agora meus braços
estavam presos ao meu lado, e eu
não tinha forças para lutar contra
seu aperto. Jaxson sempre foi forte,
mas este era um nível totalmente
novo, mesmo para ele.
“O alfa quer você aqui para seu
primeiro turno,” ele rugiu.
"Glendra não vai tocar em você de
novo."
Eu bufei. "Desculpe-me se não
acredito em você." Eu tinha
mentido muitas vezes ao longo dos
anos. Principalmente por ele.
Ele não parecia se importar se
eu acreditava nele ou não,
carregando-me com facilidade
enquanto caminhava ao longo da
beira da margem. Meu lobo
choramingou, não gostando desse
domínio sobre nós, e parecia mais
provável que, quando virássemos,
seríamos alfa o suficiente para ir
contra esses shifters.
Minha alma parecia selvagem
e, estranhamente, não tínhamos
perdido muito a vida da matilha
quando fugimos.
Talvez eu me transformasse em
dragão quando chegasse a minha
hora. Eles pareciam ser lobos mais
solitários. Sim, eu fui lá. Minha loba
rosnou, como se ela também
estivesse cansada do meu monólogo
interior, então passei os próximos
dez minutos regando-a com todos
os pensamentos estúpidos que tive
em meus vinte e dois anos de vida.
Para merdas e risos.
Se você quer ser meu colega de
quarto, é melhor se acostumar com isso,
avisei.
Não mais rosnados vieram em
meu caminho, mas neste ponto, ela
parecia estar me ignorando.
"Por que você correu?" Jaxson
perguntou, assustando-me da
minha batalha mental com uma
alma de lobo.
"O que?" Eu perguntei, minha
testa enrugando com a estupidez
dessa pergunta.
"Por que você correu?" ele
repetiu.
"Uh, Glendra estava tentando
me matar, logo depois que você
tentou me matar."
Isso era idiota de verdade?
Jaxson suspirou. "Não essa
noite. Por que você fugiu de
Torma? ”
Oh.
Eu balancei minha cabeça,
minha bochecha roçando contra o
músculo do peito duro que estava
ocupando meu espaço pessoal.
“Você não sabia? Sempre quis me
esconder em uma cabana velha de
merda em Hood River. É, tipo, o
sonho dos shifters americanos. ”
Ele rosnou e foi muito mais
impressionante do que o do meu
lobo interno. “Pela primeira vez na
porra da sua vida, pare de ser um
espertinho. Você correu um mês
antes do seu turno; não faz sentido.
Aconteceu algo que o desencadeou
naquele momento específico? ”
Eu não respondi. Eu não devia
a ele nenhuma explicação sobre
minhas ações. A maneira como fui
tratada deveria ser motivo
suficiente e, principalmente, não
houve nenhum catalisador fora da
realização de que já havia perdido
muitos anos sendo uma vítima.
“Esta é a primeira vez desde
que éramos crianças que você se
permitiu ficar sozinho comigo,” eu
disse, mudando de assunto. "Pode
ser a última vez também, se você
me entregar de volta para a
matilha."
Um pequeno sopro de ar
escapou da minha boca quando ele
me soltou, quase me jogando de
bunda. Estávamos na orla da
floresta, a única barreira que
permanecia entre nós e a extensão
aberta das terras da matilha ao
redor da casa. "Seu pai quase custou
tudo para minha família", ele
rosnou, olhando para mim como se
eu fosse um pedaço de merda que
ele interferiu. "Associar-se com
você, ou qualquer Callahan, é um
beijo da morte."
Meu lobo rosnou em sua
posição dominante, e antes que eu
pudesse pensar sobre isso, eu estava
de pé, tão rápido e gracioso que não
havia como isso ser feito sem a
ajuda de um pequeno shifter. Eu
mal podia esperar para finalmente
virar e ter essas habilidades ficando
mais fortes.
Eu não me preocupei em
abordar Jaxson e seus comentários
insanamente injustos, em vez disso,
virei meu rosto para longe dele
para avaliar a situação e ver se
algum lobo estava se aproximando.
"Ouviste-me?" ele retrucou, e
estava abundantemente claro que
ele esperou dez anos por esta luta
nocaute que ele estava tentando
instigar, mas honestamente, eu
desisti há muito tempo de esperar
qualquer coisa de Jaxson.
Ele não cedeu um centímetro,
então eu soltei um suspiro. “Claro,
eu imagino que sua vida ficou super
difícil depois que meu pai foi feito
em pedaços, Jax. Você está
totalmente em minhas orações. ”
Para a porra da Besta das
Sombras. Na esperança de ele estripar
sua bunda enquanto você dorme.
Ameaças silenciosas contavam.
Foi um fato.
Jaxson pareceu surpreso com a
minha recusa em lutar, mas por que
eu me colocaria em uma discussão
que não poderia vencer? Nos
primeiros dias, eu tinha lutado
muito. De novo e de novo. E isso só
piorou a tortura. Eu também
implorei, chorei e me encolhi. Tudo
na esperança de encontrar a única
ação para pacificar os valentões
para que me deixassem em paz.
Mas nada funcionou.
Depois de alguns anos disso,
descobri que minhas reações
estavam apenas dando satisfação
aos meus agressores.
Então eu parei.
Eu parei de chorar. Eu parei de
lutar. Eu agi como se eu mal tivesse
notado eles ... como se suas
provocações não tivessem me
incomodado em nada. E,
curiosamente, foi isso que acabou
funcionando. Às vezes, eles até me
deixavam sozinha por meses. Meses
gloriosos, perfeitos e pacíficos.
"Qual é a sua hesitação em me
levar até Victor?" Eu o desafiei.
“Eles estão me dando um desfile de
boas-vindas? Devo ficar surpreso? ”
Eu fingi procurar na linha das
árvores novamente, esperando
minha “surpresa”.
Jaxson rosnou, envolvendo
seus longos dedos em volta do meu
pulso e me puxando enquanto ele
começava a andar. Ele estava
definitivamente murmurando algo
sobre a porra do espertinho, mas
neste ponto, isso só me fez rir.
No segundo em que saímos
para a terra aberta, o medo
assustado traçou ao longo da minha
espinha e me concentrei em
respirar através da ansiedade. Eu
posso ter voltado aqui, mas eu
ainda estava de pé, e faria o meu
melhor para não deixá-los ver meu
medo.
"Um dia, você parecerá abalado
de novo", disse Jaxson, olhando
para mim. “Um dia, vou descobrir
sua fraqueza, e quando eu fizer isso,
você vai pertencer a mim. Como o
destino sempre pretendeu. ”
O que ele acabou de dizer?
Alcançando-o, dei um tapinha
em seu ombro. "Desculpa, o que?
Pertence a você? Isso soa
terrivelmente possessivo para
alguém que pensa que se associar a
um Callahan é um beijo da morte.
Sem mencionar que é apenas
educado levar alguém para jantar
antes de tentar possuí-lo. ”
De onde diabos ele saiu mesmo
fazendo uma declaração como essa,
depois de toda a merda que ele me
fez passar? Minha vida teria sido
muito melhor com Jaxson ao meu
lado e, em vez disso, ele escolheu
me abandonar. Pior do que isso, ele
escolheu liderar a porra do
esquadrão pitchfork.
Ele piscou, seus olhos
castanhos claros claros no sol
nascendo no horizonte. "Pelo que
me lembro, a última vez que te
levei para jantar, você não foi um
convidado muito educado."
A memória me atingiu com
força, e doeu porque eu tinha
guardado todas essas memórias por
um motivo. Para me salvar. E sua
única declaração trouxe de volta ao
primeiro plano.
“Eu comi algo ruim,” eu disse
relutantemente. “Eu não queria
vomitar em todos os lugares. Você
não deveria ter insistido em me
balançar pelos pulsos. "
Eu tinha nove, ele dez, e se
passou cerca de um ano antes que
tudo tivesse dado uma merda na
minha vida. Estávamos correndo
em seu quintal enquanto nossos
pais preparavam o jantar para sua
reunião semanal. Jaxson havia
montado uma mesinha especial
para nós perto do enorme carvalho
velho, e tinha sido por ...
“Minha surpresa de
aniversário,” eu murmurei, e ele
acenou com a cabeça. Uma
gargalhada escapou de mim. “Um
de nós ficou surpreso, pelo menos.”
Jaxson realmente riu.
“Honestamente, aqui estava eu ​
tentando fazer um grande gesto da
maneira que só um garoto pré-
adolescente idiota faria, e você
virou de cabeça para baixo.
Ensolarado típico. ”
Grande gesto.
Foda-se ele e suas palavras
suaves. Foda-se ele trazendo esse
assunto à tona, quando ele passou
os anos depois disso tentando
destruir cada parte de quem eu era.
"Leve-me para Victor."
Ele piscou com a minha
mudança abrupta de tom e tópico.
“Não posso garantir sua
segurança assim que entregar
você”, disse ele sério.
Eu ri. Em seu rosto. “Garantir
minha segurança? Cara, eu
arriscaria com quase todos os outros
idiotas deste bando se não tivesse
que ver você de novo.
E assim, eu o lembrei que
éramos inimigos. Que ele estava na
minha lista de merda, não no meu
cartão de Natal, e que ele tinha
ordens para me devolver ao alfa.
Desta vez, quando ele me
agarrou, doeu e eu sem dúvida teria
um hematoma lá amanhã. Tanto
faz. Eu não dei a mínima e,
felizmente, nosso momento
compartilhado sobre mais
memórias inocentes se foi também.
A última coisa que eu precisava
era desenvolver sentimentos mais
suaves em relação a qualquer um
deles novamente.
Isso seria realmente a coisa
mais estúpida que eu poderia
imaginar fazer.
“O Uma vez que você mude, ”Victor
disse lentamente, seus olhos
cinza escuro me observando,“ Eu
vou amarrar você a Torma, com o
vínculo mais forte que existe entre
um alfa e seu bando. Você vai me
servir pelo resto de seus dias. ”
Todos eles estavam esperando
por nós quando Jaxson me levou de
volta às terras do bando. Meia dúzia
de lobos incluindo Torin e o pai de
Jaxson, Dean Heathcliffe.
Eu limpei minha garganta.
"Deixe-me ver se entendi. Você me
despreza por causa do meu pai, fez
vista grossa ao tormento do bando
sobre mim ao longo dos anos, mas
agora você quer que eu ... ”Eu
levantei um dedo. "E me pare se eu
não tiver esse direito ... servir
você?" Eu ri, cimentando meu
destino. "É melhor você estar se
referindo a garçonete e não a foder,
porque eu prometo que você não
será feliz com um lobo como eu em
sua cama."
A expressão de Victor
escureceu, sua pele pálida
assumindo a cor loiro mel de seu
lobo enquanto ele avançava. "Você
acha que é bom demais para foder o
alfa?"
Uh, sim. Mil vezes sim, mas
como já forcei sua paciência hoje,
decidi não dizer isso em voz alta.
Victor também não gostou do meu
silêncio. Seu punho bateu na minha
bochecha, me derrubando do
degrau. Uma dor agonizante passou
pela minha mandíbula e desceu
pela minha espinha, minha cabeça
girando enquanto pontos pretos e
brancos dançavam na minha visão.
Victor passou por cima de
mim, uma perna de cada lado do
meu torso. "Se eu decidir transar
com você, filhote de cachorro vira-
lata", ele rosnou, "há muito pouco
que você possa fazer para me
impedir."
Ele se afastou então, uma bota
rápida ao meu lado em seu adeus.
"Coloque-a de volta na porra
das celas e certifique-se de que
ninguém chegue perto dela", ele
rosnou para seu filho antes de sair
pela porta, arrastando Glendra com
ele. Ela estava com problemas, mas
eu estava muito ocupado tentando
não sucumbir a uma concussão para
me preocupar com aquela vadia
estúpida. Ela fez sua cama, e agora
ela tinha que deitar nela com
aquele saco de merda que ela
chamava de companheiro.
Jaxson me atingiu primeiro,
seu toque mais suave do que eu
esperava enquanto ele me puxava
para cima.
"É véspera da lua", disse ele em
um sussurro. "A cura vai começar
em breve."
“Ugh,” eu gemi, o primeiro
som que fiz desde que fui atingido.
Eu estava muito orgulhoso de mim
mesmo por nem mesmo
choramingar. Victor nunca teria a
satisfação, o bastardo doente.
E eu morreria antes de deixá-lo
me tocar.
“Vamos levá-la para baixo,”
Torin disse, alcançando o lado de
seu melhor amigo. “Antes que
papai volte e faça algo pior.”
Talvez tenha sido o golpe na
cabeça, mas soou um pouquinho
como um julgamento contra seu
pai. Eu nunca tinha ouvido Torin
mostrar nada além de respeito
beirando a reverência ao saco
ambulante de esperma que ele
chamava de pai. Interessante. Pelo
menos teria sido em circunstâncias
normais. Agora, eu só estava
tentando não desmaiar.
Torin estendeu as mãos para
Jaxson, como se ele fosse me levar,
mas o beta em treinamento
balançou a cabeça. “Eu a peguei.
Vou me certificar de que ela fique
segura em sua cela até o turno desta
noite. "
Torin deu de ombros, seu
interesse por mim já diminuindo,
especialmente quando Sisily
empinou sua bunda estúpida para
dentro da sala, parecendo fresca e
perfeita, apesar de ser cedo.
- Mantenha-a viva - Torin
murmurou antes de ir embora, me
deixando com Jaxson.
Eu não estava muito firme em
meus pés, então não havia escolha a
não ser deixá-lo meio que me
carregar enquanto eu tentava muito
vomitar nele. Novamente.
No momento em que ele me
colocou de volta em minha cela
original, o latejar em minha cabeça
estava pior, então eu afundei no
chão duro. Fechar meus olhos
ajudou, enquanto eu me
concentrava em inspirar e expirar
uniformemente, enquanto rezava
para desmaiar por algumas horas.
Um barulho fora da minha cela
me despertou algum tempo depois,
e eu cuidadosamente levantei
minha cabeça para encontrar Jaxson
esparramado contra a parede
oposta às barras, me observando.
“Creep,” eu rosnei,
estremecendo com a pontada de
dor em meu crânio.
Ele encolheu os ombros. "Você
não foi atacado em sua cela
novamente, então talvez você
devesse estar me agradecendo."
“Nem mesmo no meu leito de
morte”, respondi com toda a doçura
açucarada que consegui
administrar.
Ele apenas sorriu, e eu fechei
meus olhos para bloquear seu rosto.
Em algum momento, eu cochilei,
apenas para ser acordado
novamente por uma voz raivosa.
Quando consegui abrir os olhos,
fiquei em êxtase ao ver Dannie
rasgando um novo para Jaxson.
"O que aconteceu com ela?" ela
rosnou. Seu rosto estava virado
para longe de mim, mas eu sabia a
expressão que ela estaria usando.
Dannie irritado era assustador.
"Ela insultou o alfa", Jaxson
atirou de volta, ficando mais alto,
elevando-se sobre ela. "Ela tem
sorte de ainda estar viva."
Dannie zombou e Jaxson
estreitou os olhos sobre ela. “O que
você está fazendo aqui embaixo?
Ninguém deveria estar neste nível.

Dannie inclinou a cabeça para
trás, encontrando-o brilho por
brilho. “Estou aqui para ver o meu
amigo. Não confio em todos vocês
para garantir a segurança dela,
especialmente porque o alfa tem
grande prazer em punir aquela
pobre garota por um evento que
não teve nada a ver com ela. "
Esperei que Jaxson discutisse
com ela, expondo em detalhes
como a traição de meu pai havia
manchado o nome Callahan de
vergonha, e que todos nós devemos
sofrer por isso. Só ... ele não fez.
Seus olhos encontraram os
meus sobre a cabeça dela. "Ela está
acordada se você quiser falar com
ela." Sua voz era sombria.
Dannie, sem dúvida, já sabia
que eu estava acordado. Ela levou
um momento extra para encarar
Jaxson antes de girar e fazer seu
caminho até as barras. “Ei, doce
menina,” ela disse com um sorriso
gentil, agachando-se ao nível dos
meus olhos. "Senti sua falta."
A culpa me atingiu com força.
“Eu sou um idiota,” eu engasguei,
empurrando-me para cima, grata
por minha cabeça não estar
latejando tão forte.
Dannie riu. "Sim. Idiota total.
Você tem sorte de não estar perto
de Simone quando saiu. A boca
naquela garota ... ”
Uma explosão de risadas
escapou de mim, seguida por um
gemido quando as batidas voltaram
com vingança. Quando estava
sentado, esfreguei minha cabeça,
desesperado por água para lavar o
gosto seco da minha boca.
Uma garrafa deslizou pelo
chão em minha direção, atingindo
minha coxa. Levantando, encontrei
uma das misturas especiais de
Dannie. Ela chamou de bebida
energética, fazendo para mim
quando eu estava para baixo, e
embora tivesse gosto de bunda,
valeu totalmente a pena pelos
resultados.
"Eu pensei que você poderia
precisar de um estímulo antes desta
noite", disse ela suavemente, seus
olhos disparando para onde Jaxson
ainda estava de pé, os braços
cruzados enquanto nos observava
de perto.
Confiando nela, eu
desenrosquei a tampa e engoli todo
o conteúdo em um grande gole. O
sabor da chicória estava um pouco
mais salgado do que o normal, mas
como sempre, eu apenas tampei
meu nariz e bebi. Quase
imediatamente, o latejar na minha
cabeça diminuiu e minha visão não
estava mais duplicada.
“Você é uma bruxa,” eu
provoquei, suspirando de alívio.
Normalmente, Dannie ria
comigo quando eu a chamava
assim, mas desta vez, ela apenas
sorriu. Um sorriso lento e secreto, e
não pela primeira vez, me
perguntei o quanto realmente
sabíamos sobre Dannie, o andarilho.
“Descanse, minha querida,” ela
adicionou antes de se virar. "Vejo
você no turno hoje à noite."
Jaxson pigarreou. “Mudanças
de solstício são exclusivas para alfas
e betas apenas.”
Dannie torceu o nariz para ele.
“Eu pedi sua opinião? Eu ao menos
olhei na direção do seu rosto
patético? "
Ele parecia absolutamente
ofendido por alguém estar falando
com ele daquele jeito, mas antes
que ele pudesse abrir a boca e
responder, Dannie entrou primeiro.
“Você tinha tudo em suas mãos,
filhote,” ela disse suavemente, “e
você jogou fora por orgulho e
medo. Você perdeu o que poderia
ter tido, e quando nossa garota
entrar em ação, ela vai arrancar seu
rosto. Eu, pelo menos, mal posso
esperar para ver isso. ”
Jaxson balbuciou, mas Dannie
já estava sacudindo sua bunda para
fora de vista, sem se importar que
um shifter furioso estava meio lobo
atrás dela.
Tive sorte de ter um amigo que
pensava que eu era algo que valia a
pena perder, quando todos os
outros em minha vida - exceto
Simone - simplesmente me jogaram
fora.
Os olhos negros de Jaxson
estavam trancados em mim, sua
mandíbula dura e inflexível
enquanto a energia e o cheiro de
seu lobo enchiam as células
subterrâneas. "Não perca", eu disse
sem rodeios. “Eu não dou a mínima
para qual é a sua rixa pessoal com
Dan. Controle sua merda. ”
Ele tentou me matar com sua
expressão, mas eu apenas fechei
meus olhos e coloquei minha
cabeça para baixo, determinada a
conseguir o máximo de descanso e
cura antes da mudança da lua cheia.
Alguns lobos morreram durante
seu primeiro turno, corpos muito
fracos para a alma que abrigavam.
De jeito nenhum eu daria a
esses idiotas a satisfação de me ver
sucumbir ao lobo daquela forma.
Não. Eles iriam me ver mais forte
do que nunca, e um dia, com sorte,
mais cedo ou mais tarde, eles não
seriam mais uma ameaça para mim.
B Quando a noite chegou, a dor
passou há muito tempo, a energia
faiscando sob minha pele como se
eu tivesse enfiado a mão em uma
tomada elétrica. Eu sempre senti a
batida estrangeira de outro em
minha alma - normal para um
shifter - mas esta noite, era
diferente. Ela estava esticando as
pernas e empurrando contra os
apoios invisíveis que nos foram
forçados por anos.
Vinte de nós estávamos nus, a
luz brilhante da lua banhando
nossa pele. Eu estava atrás,
tentando desesperadamente não
pensar sobre o quão vulnerável eu
era na frente de uma tonelada de
lobos que me odiavam. Felizmente,
Dannie estava lá comigo, não nu, já
que ela não estava mudando, mas
era bom ter um amigo nas minhas
costas.
E, felizmente, meus piores
algozes - Jaxson e Torin - estavam
com seus pais. Talvez eu superasse
isso sem ter que me associar a
nenhum deles.
“Novos shifters,” o alfa gritou.
“É finalmente hora de permitir que
suas feras corram livres e
experimentem o poder que vem por
ser um membro de sangue puro de
nossa matilha.”
Dean se aproximou, e embora
ele fosse apenas o beta, sua
presença era tão dominante quanto
a do alfa. Ele era alto e largo como o
filho, com cabelo preto como tinta e
olhos de um azul penetrante. Ele
parecia muito jovem para ter um
filho de vinte e poucos anos, mas
essa era a vantagem da genética do
lobo.
"A lua está quase no auge",
disse ele em sua voz baixa com
sotaque. Apesar de ter crescido
aqui, ele sempre jogou seu rs, estilo
europeu. “Muito em breve, você
perderá o pensamento consciente e
permitirá que seu lobo finalmente
seja livre. Você não precisa temer
essa mudança, pois estaremos com
você durante todo o caminho,
mantendo você e o resto de nossa
matilha a salvo. ”
Uau, que reconfortante. Para
todos menos para mim. Eu nunca
esperei acabar de volta aqui para
meu primeiro turno, mas eu teria
que fazer o melhor possível agora.
Meu lobo estava pronto para correr
e nada do que eu fizesse iria
impedi-la.
O ar estava gelado, mas eu não
sentia frio. Meu sangue era um
inferno quando inclinei minha
cabeça, deixando meu cabelo cair
em ondas soltas pelas minhas
costas. Conforme a energia crescia
em meu intestino, um redemoinho
quase insuportável de poder,
parecia que meu cabelo estava
girando em volta do meu corpo
também.
Quando a lua explodiu com a
luz mais brilhante da noite, meus
olhos se fecharam
involuntariamente contra o brilho,
e meu espírito de lobo se ergueu
para ser verdadeiramente visível
para mim pela primeira vez. Um
profundo vermelho ardente a
cobriu, como uma aura, e enquanto
ela empurrava em direção à
superfície, a barreira que a segurava
caiu.
Seja livre. Corre.
Seu calor roçou meu rosto,
como uma carícia, mas esse foi o
fim de todos os toques suaves
quando a mudança tomou conta de
mim. Caindo sobre minhas mãos e
joelhos, a dor explodiu em todas as
terminações nervosas enquanto
minhas costas arqueavam,
alongando o corpo.
"Eu vou te ajudar com isso ..."
Eu perdi a maior parte da fala
do alfa, muito focada em meu lobo,
mas quando essas palavras foram
registradas, quase ri alto - a única
coisa que me impedia era que se
abrisse a boca, provavelmente
gritaria de agonia. Eu sabia, com
certeza, que aquele bastardo
morreria antes de diminuir minha
dor de alguma forma.
O estalo de ossos ecoou pela
clareira. Eu não era o único no meio
de uma dor debilitante e, quando
meus dedos se quebraram, me
mandando para os antebraços,
comecei a rezar para que ninguém
me atacasse enquanto eu não
tivesse chance de me defender.
Shadow Beast. Ajude-me a
sobreviver a isso.
Sempre me pareceu engraçado
que adorássemos uma entidade que
era retratada como uma figura
sombria e assustadora vivendo nas
sombras, mais animal do que
humana. Sem mencionar que ele
literalmente tinha a palavra besta
em seu nome.
Mas era apenas um apelido -
ninguém sabia seu título original.
Era um segredo guardado há muito
tempo ou uma informação perdida
no tempo, até que ele acabou sendo
conhecido apenas como Besta das
Sombras.
Aquele que te persegue à noite.
"Solte o seu lobo!" Dean gritou,
e desta vez houve gritos quando a
parte mais forte da mudança nos
deixou em um estado entre
humano e animal. Em algum ponto,
a parte humana da minha mente se
transformou em lobo e, quando isso
aconteceu, a dor foi silenciada.
Livre. Finalmente livre. Corra,
corra, corra, corra. Corra ao luar.
Persiga o coelho e cheire a presa ao
nosso redor. Pacote. Família. Ligado.
Alfa…
Eu me perdi, como todos os
lobos recém-transformados fizeram.
Ela era instinto, chão sob seus
pés, luar em suas costas, liberdade
em seu coração.
Enquanto ela corria pela
floresta, o lugar confuso em que
minha consciência humana estava
se dissipou, e a consciência filtrou
de volta através de mim. Eu me
encontrei completamente
consciente, cavalgando no corpo
ágil de um lobo, e por um segundo,
surtei.
O que estava acontecendo?
O que fez meu cérebro voltar
ao modo normal tão rapidamente?
Correr juntos?
Droga, isso foi a coisa mais
trippante que eu já experimentei,
mas também foi a mais incrível. O
lobo ainda estava no controle,
mesmo quando mais consciência
voltou para mim, e quando ela
abaixou nossa cabeça para cheirar o
chão, uma vermelha e três brancas
apareceram. O resto de mim
parecia ter vários tons de vermelho,
assim como meu cabelo, e eu
poderia ter rido da ironia disso.
Nenhum shifter Torma tinha cabelo
vermelho, então não havia lobos
vermelhos. Agora eu tenho que ser
um farol ao luar também ...
Callahans e sua ascendência
brilhante.
Corre! Meu lobo pressionou
novamente e, desta vez, empurrei a
preocupação de lado e aproveitei
seu entusiasmo.
Sim! Uma curta corrida e então
escapamos.
Uma oportunidade foi dada a
mim. O fato de eu estar ciente dessa
corrida quando ninguém esperava
isso significava que eu poderia
tentar escapar. Fuja do bando
novamente e, desta vez, eu nunca
pararia de correr.
Ambos concordamos com o
plano e partimos. Qualquer
desconforto que eu senti por estar
presente desapareceu sob a nossa
alegria de correr como um lobo. A
visão do lobo era uma mistura de
preto, branco e cinza, com um
toque de verde. E apesar da
escuridão na floresta, uma vez que
o brilho da lua deixasse nosso pelo,
ainda podíamos ver tão claramente
quanto durante o dia. E os cheiros ...
tudo foi amplificado dez vezes para
o que eu normalmente cheirava.
Agora parecia que eu podia
diferenciar entre os vários
pinheiros, o pinheiro fantasma
sendo o mais forte nesta forma. As
árvores maiores eram profundas e
terrosas, com notas cítricas. As
sequoias estavam mais empoeiradas
em seu cheiro, com ...
Coelho?
Meu lobo perdeu o interesse na
floresta no momento em que o
cheiro da pequena criatura nos
atingiu. Ela se virou rapidamente,
deixando a mochila, perseguindo
comida. Ela estava desesperada por
sua primeira refeição e,
aparentemente, coelho estava no
menu. Eu esperava me sentir um
pouco enojado pelo desejo dela de
comer uma criatura viva e
saltitante, mas a repulsa nunca veio.
Em vez disso, senti seu instinto de
caça tão fortemente como se fosse o
meu.
Nossos sentidos travaram
completamente na criatura
enquanto seguíamos seu caminho, e
quando estávamos prestes a
alcançar nosso objetivo, o cheiro de
outra pessoa que claramente estava
nos seguindo na direção do vento
me atingiu. Por instinto, caímos e
rolamos quando um enorme lobo
pousou em nós.
Nós não tínhamos pegado o
jeito de nosso novo corpo e
habilidades ainda, então estávamos
completamente à mercê do shifter
muito maior. No começo, eu pensei
que era um ataque, mas então
enquanto eles me rolavam de
brincadeira, eu percebi o que estava
realmente acontecendo: união da
matilha. O único problema era que
eu sabia quem era esse lobo, e
embora ele pudesse esperar que eu
nunca me lembrasse desse
momento que ele estava tentando
instigar, eu definitivamente o faria.
Jaxson não conseguiu me ter
assim, mas fugir daria uma pista da
minha consciência atual, então eu
não tive escolha a não ser jogar
junto. Felizmente, meu lobo
assumiu nossos pensamentos
novamente e eu me acomodei para
lamentar a vida que eu poderia ter
tido se meu pai não tivesse fodido
tudo. Meu pai, que nem estava aqui
para ver meu primeiro turno. Nós
conversamos muito sobre isso.
Todos aqueles planos e sonhos
apenas fragmentados em garras e
sonhos fracassados.
Não que os últimos dez anos
fossem apenas culpa dele. O bando
poderia ter tomado uma
abordagem diferente, uma mais
lógica que não punisse shifters
inocentes pelas ações de um
indivíduo. Jaxson, especialmente,
eu esperava melhor de.
Este momento doeu.
E as memórias desta noite
iriam me assombrar por anos, mas
eu não conseguia me obrigar a ir
embora.
O lobo de Jaxson e o meu
brincaram por horas, brincando
como se fossem velhos amigos.
Tecnicamente, eles eram, mas agora
eram inimigos, e isso era o que
precisávamos lembrar acima de
tudo.
Pacote. Meu lobo choramingou
para mim.
Não, eu a lembrei. O pacote não
ataca o pacote. Eles nos odeiam.
Finalmente livre de seus
limites, ela havia se esquecido
temporariamente dos últimos dez
anos, apanhada na sensação
inebriante de correr livre e estar
com sua mochila. Para ela, os lobos
nunca foram um problema; foram
os lados humanos que causaram
todo o drama.
Eu a deixei ter esse momento, e
com toda a honestidade, nós dois
gostamos.
Quando a lua finalmente
perdeu seu brilho, a luz do dia
rastejando pelas terras da matilha,
sentimos o chamado do alfa,
puxando os laços que nos prendiam
a esta matilha e àquele sociopata.
Porra! Tínhamos esquecido de
como fugir e agora era tarde demais
para tentar. Agora eles estariam de
olho em mim, então eu teria que
esperar meu tempo.
Próximo turno com certeza.
Meu lobo estava cansado
enquanto corríamos com os outros
de volta para a casa de matilha, e
foi só quando o alfa apareceu que
me lembrei de mais um fato
assustador: ele disse que iria me
ligar a ele de uma forma que iria
garantir que eu nunca pudesse
escapar.
E eu passei minha única chance
de escapar correndo com um
bastardo que tinha virado as costas
para mim ao primeiro sinal de
drama. Por que eu fui tão estúpido?
Meu lobo não entendeu o
problema. Ela percebeu que éramos
fortes o suficiente para escapar a
qualquer momento, mas porra ...
Eles já me rastrearam uma vez, e
isso foi antes de os laços estarem tão
seguros quanto estão agora. Se o
alfa nos amarrasse ainda mais ...
Seríamos prisioneiros para
sempre.
Virei minha cabeça, mas Jaxson
estava direto na minha bunda; não
havia absolutamente nenhuma
maneira de escapar. Meu coração
batia forte, mais do lobo
desaparecendo conforme nos
aproximamos do alfa. Ele estava de
volta em forma humana, nu,
esperando por nós. Mais lobos
estavam aqui agora - muitos do
bando se juntaram à corrida esta
noite. Não consegui ver Dannie,
mas esperava que ela estivesse em
algum lugar. Eu precisava de um
aliado.
Quando meu lobo se juntou aos
outros, um lobo cinza escuro correu
para o lado do alfa e começou a
mudar. Meu lobo avançou em
direção a ele enquanto minhas
entranhas explodiam para a vida,
faíscas disparando ao longo de
todos os meus sentidos. A
intensidade quase me jogou no
chão.
Não havia como parar minha
besta enquanto ela corria para o
lobo cinza.
O filho do alfa.
Nosso verdadeiro
companheiro.
T orin não tinha mudado
totalmente para sua forma humana
ainda, e quando a magia estava
prestes a passar por ele, ele deve ter
nos cheirado. Os verdadeiros
companheiros só tinham que ser
trocados e próximos um do outro
para que seus lobos reconhecessem
o vínculo de companheiro.
Eu tinha perdido o controle
completo de minha besta agora
enquanto corríamos mais rápido
que o vento, nossas almas
procurando desesperadamente por
aquele que nos tornaria completos.
Aquele que consertaria os erros que
este bando nos concedeu.
Se eu estivesse em meu juízo
perfeito, ficaria enojado com esse
sentimento. Eu não era o tipo que
fica esperando por um cavaleiro
branco de merda. De jeito nenhum.
Mas os lobos não pensavam como
humanos, e os laços de
companheirismo eram sagrados e
reverenciados ... estimados.
Foi o lado humano que se
ferrou com a magia.
Victor pareceu surpreso
quando corremos em sua direção, e
vi sua postura se ajustar enquanto
ele se preparava para ser atacado.
Ele pensava que éramos exatamente
como nosso pai, mas não poderia
estar mais errado.
Quando eu o evitei e me dirigi
para seu filho ainda ferido, a
expressão no rosto do alfa era quase
cômica. Torin, por sua vez, estava
irritado, e essa foi minha primeira
indicação de que isso não estava
indo bem.
Não foi uma grande surpresa
para mim, mesmo que meu lobo
tivesse mais fé.
Minhas emoções estavam
misturadas, fortemente inclinando-
se para a descrença, nojo e
aborrecimento, mas também havia
um pouquinho de esperança.
Espero que este seja o momento em
que tudo mudou para mim neste
pacote.
Torin seria o futuro alfa. Ele
controlaria todos os lobos, e se eu
fosse sua verdadeira companheira,
eles teriam que aprender a me
tolerar. Os pecados do meu pai
podem finalmente não ser meus.
Ele se endireitou quando eu me
aproximei, seu lobo quase o dobro
do tamanho do meu, e um cinza tão
escuro que era quase preto. Havia
algumas manchas brancas em seu
olho direito e duas meias brancas
em suas patas traseiras, mas fora
isso, ele era uma fera da meia-noite.
Uma besta magnífica da meia-
noite que não mostrava nenhum
sinal de efeito nocivo com a lâmina
que enfiei em seu peito.
Torin deu um passo em minha
direção, mas antes de nos tocarmos,
outro lobo saltou entre nós,
rosnando e uivando. Eu não
conhecia este, mas pela espessa pele
de mogno, não era muito difícil de
adivinhar. A cor da pele combinada
com uma possessividade agressiva
de Torin deixou claro quem me
enfrentou: Sisily.
E ela estava chateada.
Seu lobo bateu no meu, e ao
contrário de Jaxson, este rolo não
tinha nada a ver com brincadeira.
Foi pura violência, garras e dentes
me rasgando com uma ferocidade
que falava de mais do que me
colocar no meu lugar. Isso foi
puramente projetado para
machucar ... talvez até matar.
Eu não tinha experiência em
lutar na forma de lobo, mas o
instinto entrou em ação e nós
lutamos de volta. Minhas
mandíbulas se fecharam em sua
carne e, como ela não estava tão
acostumada à dor quanto eu, ela
soltou uma série de uivos. O sangue
encheu minha boca e eu podia
sentir seu poder enquanto drenava
de seu corpo para o meu. Foi a
sensação mais estranha, mas eu
estava tão envolvido na batalha que
não me importei.
"O suficiente!"
O comando alfa nos congelou
no lugar, e eu fui arrancada dela e
arrastada para me esparramar na
frente de Victor. Voltando a ficar de
pé, rosnei para o alfa antes de voltar
minha atenção para o humano ao
seu lado: Torin.
"O que você quer que eu faça,
filho?" Victor perguntou, olhando
para mim, seu poder alfa me
prendendo no lugar.
A mandíbula de Torin ficou
tensa, seus lábios se contraíram e eu
não consegui descobrir o que estava
acontecendo. Ele era meu
companheiro. Meu verdadeiro
companheiro. A outra metade da
minha alma.
O que ele estava realmente
considerando agora?
- Expulse-a da matilha - disse
Torin, parecendo inseguro, mas não
se retratou. "Nunca mais quero ver
o rosto dela."
Dor como nada que eu já
experimentei antes - e isso estava
realmente dizendo algo - bateu em
mim como uma tonelada de tijolos
tinha caído no meu corpo. No meu
coração. Destruindo-me de uma
forma que punhos e tormentos
nunca fizeram. Minha loba, tão
recentemente libertada, jogou a
cabeça para trás e uivou para o céu.
Nossa alma estava se despedaçando
em cacos de cristal de agonia, o
uivo continuava muito além de
nossa capacidade de respirar.
“Bani-la não vai quebrar o
vínculo,” Victor avisou seu filho,
parecendo presunçoso e satisfeito
com o que estava para acontecer.
- Vou eliminá-la da minha
alma, se for a última merda que eu
fizer, - Torin cuspiu, agachando-se
para ficar cara a cara conosco.
Por um longo momento, nossos
olhos permaneceram travados, ele
nadando em uma emoção
desconhecida, a minha sem dúvida
cheia de dor. Embora, a raiva
estivesse começando a invadir a
dor, e eu me agarrei a ela como um
bote salva-vidas. A raiva iria nos
ajudar.
“Você é uma vergonha para os
shifters em todos os lugares,” ele
disse lentamente, como se eu
pudesse ter dificuldade para
entender. "Você provavelmente não
vai se lembrar disso pela manhã,
mas vai sentir o rompimento de
nosso vínculo quando eu iniciar o
processo de rejeição."
Em um movimento rápido, ele
estendeu a mão e puxou uma Sisily
muito nua em seus braços. Ela tinha
cortes e hematomas espalhados
pela pele humana, mas não o
suficiente para o meu gosto. "Sisily
será o próximo alfa comigo", disse
ele, realmente cavando a faca, "e se
você colocar os pés nesta terra
novamente, teremos grande prazer
em matá-lo."
Eu não pensei que pudesse
doer mais do que quando ele disse a
seu pai para me banir, mas então
ele a beijou, as mãos vagando por
seu corpo, a língua acariciando uma
cadela que não era sua
companheira. Desta vez, quando
minha alma gritou, nosso uivo foi
mais alto do que eu já tinha ouvido,
e não foi até que Victor tentou me
chutar para fora do caminho que eu
percebi que estava machucando os
outros shifters na minha
vizinhança. Os membros da matilha
estavam batendo no chão, cobrindo
os ouvidos contra meu lamento
solitário.
"Mate ela!" Victor gritou. "Mate
a vadia demônio!"
Cadela demoníaca? Eu
fodidamente mostraria a ele uma
cadela demônio.
"Não!" Torin explodiu, mas era
tarde demais.
Dean Heathcliffe, amigo da
família que virou inimigo, segurou
meu pescoço com as mãos e,
enquanto ele se virava
bruscamente, busquei
profundamente a força para sair
dessa. De jeito nenhum eles iriam
me derrubar. Nunca mais cederia à
vontade do bando de Torma.
Eu sabia que tinha uma força
inexplorada; Eu só tinha que
encontrar.
Meu lobo me mostrou o
caminho, seu uivo debilitante
apenas a ponta do iceberg. Dando a
ela toda a liberdade, seu poder
disparou como uma bala no
universo, e fomos devidamente
lembrados de que não nascemos de
um espírito humano.
Nós nascemos da Besta das
Sombras, e foi a ele que ela ligou.
Outro uivo explodiu enquanto
Dean tentava quebrar nosso
pescoço. Mas suas mãos
escorregaram.
Ele tentou de novo e de novo,
mas a cada vez, ele era frustrado
pelo poder dentro da minha besta.
O mundo passou de preto,
branco, cinza e verde para algo que
tinha tons da mais profunda
ameixa. Essa nova visão se estendeu
pela paisagem bem iluminada e
uma segunda visão desceu sobre a
minha visão normal.
De repente, pude ver objetos
que não existiam antes, como se um
véu sombrio tivesse descido sobre o
mundo real. As mãos de Dean
escorregaram de mim uma última
vez e ele caiu no chão, incapaz de
me tocar por mais um momento.
Sacudindo nosso pelo, ficamos
de pé e, quando me inclinei para
frente, meu nariz roçou em uma
das novas figuras escuras em minha
visão velada. Um ser sombreado
com cerca de um metro e oitenta de
altura.
Ele reagiu.
A porra da sombra reagiu.
Ele girou antes de fugir de
maneira nervosa.
Meu lobo estava tão chocado
quanto eu, nós dois tentando
descobrir o que diabos tínhamos
feito. Ela avançou novamente,
tentando tocar outra sombra - desta
vez, parecia uma árvore, que
definitivamente não fazia parte das
terras da manada. Os campos ao
redor da casa de embalagem
normalmente estavam limpos,
então isso era do outro lugar.
Puxando com força a árvore
das sombras, uma pequena
explosão de poder enviou uma
onda de choque através de mim, e
fui empurrado para longe do galho
enevoado. Quando eu bati no chão,
meu lobo choramingou,
completamente exausto. Quando a
mudança de volta para humano
começou, eu me preparei.
Eu esperava que demoraria
muito e doeria pra caralho para
virar, mas acabou em alguns
segundos, e eu me levantei para
descobrir que todos os outros
membros do bando de Torma
permaneceram no chão.
Completamente desmaiado.
Bem, foda-se. O que diabos
shifter real eu tinha feito?
EU Se não fosse pelos meus sentidos
recentemente aprimorados, teria
pensado que todos eles estavam
mortos. Estava tão quieto, um
silêncio assustador meu único
companheiro enquanto eu me
arrastava para frente. As terras da
matilha quase nunca ficavam sem
algum tipo de folia, fosse na forma
humana ou de lobo, mas fora da
lenta ascensão e queda dos baús,
não havia outros sinais de vida.
Meus pés descalços
caminharam pela grama macia
enquanto eu passava por cima dos
lobos ao meu redor, com cuidado
para não perturbá-los. Tudo o que
eu conseguia pensar era que uma
segunda oportunidade perfeita para
escapar havia sido dada a mim, e eu
não iria desperdiçá-la desta vez.
Eu tinha que quebrar esse
vínculo com o bando de Torma.
Para Torin. Esse bastardo de
merda.
Agora que eu estava de volta à
forma humana, desejei que
houvesse tempo para esfaqueá-lo
novamente, seguido por uma
rápida decapitação. Sem voltar
disso, mesmo para um shifter. Mas,
por agora, eu apenas teria que ficar
satisfeito em deixar minha piada de
um verdadeiro companheiro - e
nunca olhar para trás.
Por esta altura, a luz da manhã
tinha realmente encontrado o seu
pé, e havia uma pontada no sol que
sugeria que hoje seria um daqueles
dias “quentes” de inverno.
Geralmente, esses dias eram
seguidos por um congelamento
massivo, e todos nós acordávamos
com manchas de gelo e neve.
Não que eu estivesse aqui para
ver. Minha bunda nua estava
saindo.
Meu lobo gemeu suavemente
em meu peito, um som triste e
triste. Ela tinha grandes esperanças
naquele que compartilharia sua
alma, e talvez se o lobo de Torin
estivesse no controle, teria sido
diferente. Os lobos eram honrados
de maneiras que os humanos não
eram.
Meu lobo gemeu de novo, mas
ela não tentou cumprir sua vontade
sobre mim. Ela aceitou nosso
destino. Muita dor existia entre
Torin e eu para que pudesse ser
reparada, e eu morreria antes de
permitir que ele nos reivindicasse.
Ele não nos quer.
Eu não tinha certeza de quem
pensava isso, mas era a porra da
verdade, e eu tive que olhar para
baixo e me certificar de que não
tinha uma lâmina no meu peito
neste momento.
Corre!
O lobo me tirou da minha
meditação, e mesmo que eu
estivesse rastejando
silenciosamente pelo campo o mais
rápido que pude sem fazer barulho,
eu perdi um grande obstáculo no
meu caminho: Torin.
Ele saiu das sombras ... meu
companheiro.
Companheiro rejeitado, para
ser mais preciso.
Torin não deve ter ficado tão
afetado quanto todo mundo por
tudo o que eu fiz, e ele veio direto
para mim no segundo que pôde.
Falando nisso, os outros pareciam
estar se contorcendo agora também.
"Que porra você pensa que está
fazendo?" Torin gritou, sua voz
baixa e rouca.
Um grunhido saiu de meus
lábios, mais animalesco do que eu
fui capaz de controlar antes desta
noite. “Estou saindo”, rosnei. “Para
nunca mais voltar. Você deveria ser
grato. ”
Foi a vez de Torin rosnar e,
infelizmente, o seu foi muito mais
impressionante. Ele deu alguns
passos mais perto, os músculos dos
braços e do peito tensos. Já que ele
estava nu, foi fácil para mim ver seu
pau começar a endurecer, como se
ele estivesse reagindo a mim,
apesar da rejeição de nosso vínculo.
Girando, corri na direção
oposta e consegui uma distância
decente antes que ele me abordasse.
Nós lutamos, e não da maneira
divertida e nua. Não, isso era sobre
sobrevivência para mim, e mais
uma vez, fui frustrado pela força
física superior de um shifter
masculino.
Se eu sobrevivesse a tudo isso,
precisava desenvolver algumas
habilidades de luta que
aumentassem as chances de uma
batalha.
Torin me puxou para cima,
com as mãos em volta do meu
bíceps enquanto me segurava no
lugar. “Você não faz nada sem
minha permissão,” ele rugiu. "EU.
Próprio. Você."
Eu dei uma joelhada nas bolas
dele, e qualquer que fosse a inflação
em seu pau, já teria ido embora
quando ele recuperasse os testículos
da garganta. Os shifters eram fortes,
mas eu não poupei força naquele
golpe, e foi o suficiente para
derrubá-lo, sua mão se segurando.
“Você está morto para mim,”
eu disse baixinho, não querendo
gastar mais nenhuma emoção com
ele. "Não mostre seu rosto diante de
mim de novo, ou da próxima vez
que eu apunhalar um objeto em seu
coração, será algo que te matará."
Ele investiu contra mim
novamente, mas eu já estava me
movendo, correndo pelo campo.
"Pare ela!" Victor gritou, um
estrondo em seu tom quando ele
acordou totalmente.
Eu não olhei para trás,
tentando superar minha exaustão.
Passos soaram atrás de mim, mais
perto do que eu gostaria, e acelerei
meu ritmo, quase totalmente
esgotado de energia.
"Sunny", Jaxson assobiou.
Idiota.
De alguma forma, encontrei
uma pequena reserva de força,
correndo ainda mais rápido. Jaxson
soltou um palavrão murmurado, o
ar fazendo o menor som de lufada
quando ele mergulhou para frente
para me enfrentar. Eu estava
esperando por isso, Jaxson e Torin
eram tão semelhantes em sua
abordagem e enquanto eu julgava a
direção de seu ataque, eu o evitei.
Meus pés estavam firmes e
fortes, apesar do cansaço, e não
perdi tempo em meu movimento
defensivo. Se ser um shifter não
veio com toda essa besteira de
matilha, eu acharia que foi a melhor
coisa que já aconteceu comigo.
"Mera!" Este berro era de Torin,
e eu estava legitimamente levando
uma chicotada dele. Por que
alguém que rejeitou seu
companheiro seria tão inflexível
que eu não tinha permissão para ir
a qualquer lugar?
Não houve tempo para refletir
sobre isso, porque o alfa deve ter
decidido que já era o suficiente, e
quando ele puxou os laços que eu
tinha em sua mochila, meus pés
finalmente erraram um passo e caí
para frente. Filho da puta. Eu tinha
me esquecido do controle alfa e,
embora fosse fraco para mim, foi o
suficiente para me desequilibrar.
Enquanto eu me empurrava
para cima, um punho pesado bateu
em minha têmpora, e tudo ficou
confuso e cinza nas bordas. Os
shifters deram um soco maldoso e,
embora eu não tivesse ideia de
quem havia me atingido, o golpe
definitivamente tirou a realidade
de mim.

LEVOU pelo menos trinta


minutos para curar um ferimento
na cabeça, e quando voltei à forma
de luta, fui levada para a casa da
manada e acorrentada a uma
coluna da cama. Era um poste de
metal reforçado que parecia
inquebrável, mesmo para shifters.
Minhas algemas tilintaram contra
ele enquanto eu ganhava
consciência.
"Por que diabos ela está no seu
quarto?" Sisily rosnou, acertando
Torin no peito. Os dois estavam do
outro lado da sala enquanto eu
freneticamente olhava ao redor.
“Você a rejeitou, e eu a quero
morta. Agora mesmo."
Quarto de Torin. Ele me trouxe
para seu quarto?
Estava mal iluminado, apenas
uma pequena faixa de luz vazando
por uma cortina parcialmente
aberta, mas com minha nova visão
de shifter, eu não tive problemas
em ver Torin e Sisily - ambos
vestidos agora, felizmente - tendo
sua pequena briga.
“Ela é minha prisioneira,”
Torin disse em uma voz controlada.
“Meu pai me aconselhou a pensar
no que quero fazer com ela.”
“O que há para pensar?” Sisily
gritou ainda mais alto. "Voce disse
que me ama. Você quer me fazer
sua companheira. Basta matar sua
bunda feia e acabar com isso. "
Seu foco estava em Torin, mas
ele estava me observando, seus
olhos desviados por cima do ombro
para encontrar os meus. A cadela
egocêntrica provavelmente nem
percebeu que seu “amor” mal
prestava atenção a uma palavra que
ela dizia.
Estreitando meus olhos, tentei
matar Torin apenas com o
pensamento, e um pequeno sorriso
apareceu em seus lábios. Eu ignorei
a maneira como aquele sorriso
ainda me afetava, forçando as
memórias de sua rejeição à minha
mente. Essa era a única coisa que eu
precisava lembrar.
Sisily ainda gritava ofensas,
cada frase menos coerente e mais
lacrimosa, mas foi interrompida
completamente quando Torin
passou os braços ao redor dela,
puxando a cadela shifter contra seu
corpo. Sua boca estava na dela no
mesmo instante, e isso parecia
muito com um castigo por minha
falta de reação a ele antes.
Eu não conseguia desviar o
olhar do desastre absoluto que eles
eram. Um glutão de punição e dor,
uma agonia negra me encheu
enquanto eu olhava.
Sisily gemeu alto, e já que
Torin não estava fazendo nada além
de beijá-la, eu tive que me
perguntar se tudo isso era um show
para mim. Mesmo do lado dela.
As mãos de Torin se moveram
para baixo em sua bunda, puxando-
a para cima enquanto ela enrolava
as pernas ao redor dele. A dor
explodiu em meu peito. Ele a tinha
embalado contra ele em um tipo de
abraço que só um verdadeiro
companheiro deveria saber. Mostre
ou não, isso dói pra caralho.
Eu não sabia todas as etapas
que levaram a uma fissura
adequada do vínculo do
companheiro, mas sabia que uma
demonstração pública de rejeição
como essa era uma das primeiras
etapas. Recusei-me a separar meus
lábios e deixar o uivo subindo em
meu peito livre, escolhendo em vez
disso morder minha língua com
força, usando o golpe afiado e
sangue para me distrair.
Torin estava tentando me
quebrar. Da pior maneira que ele
poderia pensar, com uma mulher
que eu detestava. Mas eu era um
especialista em esconder minha
dor, graças aos muitos anos que me
temperaram no fogo.
Eu poderia fazer isso.
Sisily estava seminua neste
momento, ofegando e gemendo em
cima dele como uma cadela no cio,
e apesar do fato de que eu mal
conseguia respirar através da
fragmentação da minha alma, eu
não iria sentar aqui como a vítima.
Não, obrigado.
“Vamos, mana,” eu falei, grata
por minha voz soar calma com
apenas um toque de amargura.
“Aquela pornografia que você está
assistindo está tão desatualizada.
Ninguém diz mais: 'Por favor, por
favor, me leve, baby'. Você tem que
trabalhar em sua conversa suja. ”
O rosnado de Torin era alto e
ecoante, então virei minha
expressão falsa de tédio para ele.
“Devo dizer que, após anos de
rumores, esperava um pouco ...
mais.” Meus olhos caíram para a
frente de suas calças e, apesar do
tecido fino do short de basquete
que ele tinha colocado, não havia
um sinal remoto de excitação ali. Se
eu já não tivesse visto seu pacote
um tanto impressionante, poderia
ter pensado que ele foi um idiota
todos esses anos para compensar
seu minúsculo pau. Mas não, ele
estava completamente desanimado
por ter Sisily moendo contra ele.
Pobre cadela burra e desesperada.
“Você deveria defender um
homem que não pensa em você
como uma irmã,” sugeri
prestativamente.
Sisily gritou e se lançou em
minha direção, mas Torin a parou
antes que ela chegasse perto.
"Ela está com ciúmes." Ele riu,
parecendo presunçoso pra caralho.
"E agora ela pode me ver dobrar sua
bunda perfeita sobre a minha cama
e bater meu pau acima da média
em sua pequena boceta apertada."
Eu bufei. “Apertado ... uh,
claro. Quero dizer, Don e Shortie
formaram dupla com ela ”-
estremeci -“ no mesmo buraco.
Mas, você sabe, tenho certeza de
que os rumores sobre ela urinar um
pouco quando ri são muito
exagerados. Eu atirei a ela uma falsa
expressão de simpatia. “Os
exercícios de Kegel são ouro, bebê.
Você realmente deveria investigar
isso. ”
As bochechas de Sisily estavam
vermelhas, seus olhos flamejando
enquanto ela tentava controlar sua
fúria respirando fundo. Cair de
volta na minha boca espertinha
estava me ajudando a
compartimentar a dor - só estava
machucando minha alma naquele
ponto, mas porra, quem precisava
de um desses de qualquer maneira?
Um pouco de escuridão nunca
matou ninguém.
Torin tinha aqueles malditos
olhos em mim novamente,
procurando em meu rosto, olhando
de uma maneira que ele nunca
tinha feito antes. Como se ele
estivesse me vendo pela primeira
vez. Eu não gostei disso. Isso fez
meu lobo se contorcer e uma parte
de mim ofegar como se eu fosse a
cadela no cio agora. Não. Obrigado.
Você.
Quando minha expressão
apática não mudou, seus olhos se
estreitaram, e nunca tirando seu
olhar de mim, ele girou Sisily e
puxou sua saia. Quando seu pau
emergiu um momento depois, foi
finalmente difícil. Acho que ele
descobriu como fazer funcionar
novamente.
"Você pediu por isso", ele
murmurou, e eu me perguntei o
que Sisily pensaria se soubesse que
ele estava transando com ela sem
tirar os olhos dos meus.
Forcei um sorriso malicioso em
meus lábios. “Vou te dar algumas
dicas. Parece que você precisa de
ajuda. ”
Ele bateu nela, e ela gemeu,
seus olhos tremulando fechados.
Eu estava desesperado para
fazer o mesmo; fechei meus olhos e
bloqueei meus ouvidos, mas me
recusei a desviar o olhar. Tudo o
que me restava neste momento era
meu orgulho, e com certeza, o
inferno congelaria antes que eu
desse a ele a satisfação de me ver
abalada.
Obrigando-me a relaxar,
inspirei e expirei, fingindo por um
momento que tinha acabado de
pular para um vídeo pornô
particularmente chato. Dentro e
fora, bata aquele pau, olhe para o
meu rosto como se ele estivesse
memorizando.
Eu levantei dois dedos. “Minha
pontuação é dois em dez,” eu disse
sem inflexão. “E isso é só pelos
gemidos de Sisily; ela é quase crível.

Torin cerrou os dentes,
fodendo-a com mais força, e pela
primeira vez desde que ele entrou
nela, a cadela abriu os olhos. Agora
os dois estavam olhando para
minha alma esfarrapada e
esfarrapada.
“Que bom que você resolveu
esse problema de clamídia,” eu
disse docemente. “Já ouvi falar de
longo prazo, pode ...”
Não consegui terminar minha
frase porque Torin aparentemente
se cansou, jogando Sisily do outro
lado da sala para que ela quase
caísse aos meus pés. "Vocês dois
saiam da minha frente!" ele rugiu.
Foi ele quem saiu, embora,
saindo da sala, as bolas batendo
com a brisa. Sisily ficou de joelhos,
a respiração ainda ofegante em sua
boca, e quando ela levantou a
cabeça para rosnar para mim, achei
que isso ia acabar muito mal.
Eu fui deixada sozinha com um
shifter lobo insatisfeito. Alguém
que me odiava. Alguém que estava
apaixonado por alguém que não era
seu verdadeiro companheiro.
Oh, alegria.
S fisicamente, fiel à natureza, saltei
para a frente, mas enquanto minhas
mãos estavam ligadas ao poste,
meus pés estavam livres como uma
margarida para chutá-la bem no
estômago. Ela estava determinada a
se vingar, seu ataque desleixado na
melhor das hipóteses, me dando a
abertura perfeita para bater nela
com força.
Pela segunda vez, ela voou
pelo quarto de Torin e, quando se
levantou, ficou ali tremendo como
se quase tivesse perdido o controle
de seu lobo e estivesse prestes a
mudar.
Novos shifters não podiam
mudar sob comando ainda; isso
viria com prática e controle. Mas
podemos nos perder para o lobo se
formos longe o suficiente.
"Vou me certificar de que ele te
mate." Ela tossiu, seu sorriso frágil e
quebrado, assim como suas
palavras. "Você não é nada. Ele te
odiou por tantos anos quanto me
amou. ” Ela teve que engolir em
seco antes de continuar. “Faça as
pazes com o hoje. É o último que
você terá aqui. ”
Uma especialista em sorrisos
falsos, consegui erguer minha mão
alto o suficiente para desviá-la. "Se
eu tiver que escolher entre ver seu
rosto de novo e a morte, bem ...
quero dizer, isso nem é uma
escolha." Eu inclinei minha cabeça
para trás e gritei o mais alto que
pude. "Shadow Beast, traga sua
bunda aqui e leve minha alma para
o submundo."
Como nosso criador,
presumimos que ele existia na terra
onde os shifters vão após a morte, e
desde que Sisily estava
determinada a me enviar para o
meu criador hoje, eu daria a ela
uma mão extra.
Ela parecia assustada pela
primeira vez. “Que porra você está
fazendo? Você sabe melhor do que
chamá-lo aqui. " Ela recuou,
murmurando algo sobre um shifter
louco e então ela correu para fora
da sala.
Uau. Se eu soubesse que isso
bastava para assustá-la, já teria
tentado convocá-lo há muito
tempo.
Assim que tive esse
pensamento, um fio de energia
gelada percorreu minha espinha.
Sutil no início, foi apenas o
suficiente para arrepiar os pelos
finos do meu corpo. Meu lobo se
mexeu, a primeira energia real que
ela mostrou desde nossa mudança.
Nós dois estávamos de luto e
deprimidos, pelo menos por dentro.
O que é isso? Eu perguntei
mentalmente, mas ela não
conseguiu me responder. Nessa
forma, ela era apenas instinto e eu
era o cérebro. Um silêncio cresceu
na sala e com ele veio uma sensação
de pânico. Pressionando em mim,
me encorajando a correr. Não foi
um instinto natural. Isso estava
sendo exigido de mim, como a
vontade de um alfa. Mas era muito
mais forte.
Puxando com força em minhas
restrições, lutei mais do que nunca
para me libertar, mas o aço
reforçado era inquebrável. Diante
dos meus olhos, a luz saiu da sala.
Não havia outra maneira de
descrever o evento, mas poderia
jurar que foi o que aconteceu.
As lascas de luz existentes
foram lentamente substituídas pela
escuridão, como uma vela sendo
apagada. O que ...? Era meio-dia
assustador, o mais tardar - muito
cedo para anoitecer.
E quando a noite caiu em
meros segundos assim?
Eu me acalmei, e quaisquer que
fossem os ruídos na casa de matilha
também morreram. O único som
que eu podia ouvir agora era uma
torneira pingando em um banheiro
no térreo. Gotejamento,
gotejamento, gotejamento. Um
baque constante que era tudo o que
se interpunha entre mim e o
silêncio total. A escuridão estava
completa agora, e mesmo com a
visão do shifter, eu estava tendo
problemas para ver qualquer coisa
dentro do quarto de Torin.
Houve um eclipse solar do qual
eu não tinha ouvido falar?
Tal evento geralmente era uma
grande notícia na matilha porque
afetava nossos ciclos de
metamorfos. Era difícil pensar que
alguém chegava sem aviso prévio.
Minha respiração explodiu
enquanto o ar ficava mais frio.
Não é bom. Meus instintos ainda
estavam gritando comigo, mesmo
que aquele medo anormal tivesse
felizmente diminuído para um
nível administrável.
Onde diabos estavam todos?
Eu empurrei meus pulsos
novamente e novamente, até que
eles estavam em carne viva e
sangrando. A cura começou muito
rápido e, eventualmente, parei de
desperdiçar minha energia, me
concentrando em meu lobo. Ligar
para ela não adiantou nada - ou ela
estava muito exausta ou havia algo
extra nessas algemas a
enfraquecendo. O que nos deixou
com uma tonelada de problemas. O
que quer que estivesse acontecendo,
eu não gostava de enfrentar
acorrentado e vulnerável.
A porta se abriu e, quando o
cheiro familiar da floresta me
atingiu, fiquei realmente aliviado.
"Mera", ele assobiou.
"O que você está fazendo aqui,
idiota?" Eu rebati, agitado demais
para minha apatia sarcástica usual.
Jaxson não respondeu, ao invés
disso escolheu apalpar-me em
busca de minhas mãos. Não
argumentei ou lutei com ele porque
queria sair daqui mais do que
qualquer coisa. Um segundo depois,
houve um estalo de minhas
algemas e eu estava livre.
Esfregando meus pulsos, me
levantei, meu cérebro já em modo
de sobrevivência.
Mais cedo, quando estava claro
aqui, notei algumas roupas de Torin
no chão, então tateei até encontrá-
las, me vestindo imediatamente.
Vestir suas roupas possivelmente
usadas era nojento pra caralho, mas
estar nu nesse tipo de situação era
muito pior. Pode ser apenas uma
camisa e um short de dormir, mas
pelo menos eu estava coberto.
“O que está acontecendo no
pack house?” Sussurrei assim que
me vesti.
Jaxson se aproximou; seu
cheiro mais forte sem outros
estímulos para me distrair.
“Não faço ideia”, disse ele
apressado. “Acertou quando eu
estava voltando da cidade. Eu podia
literalmente ver as luzes
desaparecerem, uma escuridão
abrangente tomando o seu lugar.
Até as luzes do meu carro se
apagaram. ”
Dizer que isso era ruim era um
grande eufemismo. "Como você
sabia que eu estava aqui?"
Ele parou de se mover. "Seu
cheiro. Eu poderia encontrar você
em qualquer lugar, Sunny. ”
Jesus. Porra.
Essas não foram palavras
usadas levianamente por shifters. O
cheiro significava muito para nós e
comprometer alguém na memória
era mais do que apenas um
comportamento normal da matilha.
Foi o comportamento do
companheiro.
Memórias de seu lobo
brincando com o meu me
atingiram, a alegria que nós dois
sentimos no momento, mas aqueles
momentos nunca seriam fortes o
suficiente para abafar o resto.
Nunca.
"Isso poderia ter algo a ver com
o que você fez antes?" ele
perguntou sério. “Quando você
congelou todo mundo com seu
uivo? Quando você descobriu que
Torin era seu ... verdadeiro
companheiro? "
Ele quase engasgou com essas
últimas palavras, e estava claro que
ele não gostava dessa reviravolta do
destino. Nem eu, cara. Eu. Ou.
“O que você fez no campo?”
ele pressionou por mais
informações.
Certo.Aquela coisa. Sem
mencionar a outra coisa sobre a
qual ele não tinha ideia, onde eu
aparentemente podia ver sombras e
tocá-las.
“Eu honestamente não tenho
ideia,” eu finalmente disse. "Estou
trancado neste quarto desde então,
então o que quer que tenha
acontecido provavelmente não tem
a ver comigo." Certo?
“Devemos investigar.”
Ele agarrou minha mão e eu
soltei meus dedos.
Seu lobo rosnou baixo e
ameaçador, não gostando da minha
reação. "Que porra é essa, Mera?"
Jaxson assobiou.
Estendendo a mão, envolvi sua
camisa na minha mão, puxando-o
para mais perto de mim. “Que
porra é essa? Seriamente? Você é o
que diabos eu? Qual é o seu jogo,
Jaxson? Você me tratou como uma
merda nos últimos dez anos, mas
agora, do nada, você está agindo
como se fôssemos amigos. Pode me
chamar de cínico, mas algo cheira
mal na casa de Heathcliffe. ” Eu
abaixei minha voz. “Dica: é você.”
Jaxson balançou a cabeça. Eu
não conseguia ver, mas ouvi o
movimento e estava perto o
suficiente para sentir o ar se mover
ao nosso redor. "Você saiu." Sua voz
estava quebradiça. “Achei que
ficaria feliz com isso, finalmente
tendo você longe de mim e fora da
minha cabeça. Esperei por isso
durante anos, para parar o
tormento. ”
Ai. "Deixei-"
“Você me deixou,” ele disse,
interrompendo, “e meu lobo
perdeu a porra da cabeça. Mal
mudamos desde que você
desapareceu, e foi só quando você
voltou que ele relaxou o suficiente
para me deixar entrar.
Aparentemente, você é o bando. Ele
fez outra pausa. "Para nós dois."
Eu engoli o comentário raivoso,
irritado e maldoso que eu queria
fazer e, em vez disso, empurrei de
volta onde minha mão ainda estava
emaranhada em sua camisa. "É
tarde demais, Jax," eu disse
rigidamente. "Não podemos voltar
disso."
Um silêncio triste encontrou
minha declaração, e eu me
perguntei se nós dois estávamos
pensando a mesma coisa: havia
muita água sob a ponte e, se
tropeçássemos em sentimentos
passados, poderíamos nos afogar.
T A atmosfera estava tensa entre
nós quando saímos do quarto de
Torin, mas havia muito mais com
que nos preocupar do que a nossa
bagunça de relacionamento. As
terras da manada estavam sob
ataque. Não sabíamos como ou por
quê, mas estava claro que algo
estava muito errado.
"Onde todos foram?" Jaxson
murmurou, me guiando para o
corredor. Ainda não conseguíamos
ver nada e não havia som de vida
no corredor.
"Por que você estava fora das
terras do bando, afinal?" Eu
perguntei, ficando perto dele.
“Eu saí para fazer um serviço
na cidade,” ele murmurou. "E como
eu disse, quando cheguei, tudo
escureceu."
Ótimo. Então, nenhum de nós
sabia porra nenhuma, exceto que o
mundo ficou escuro quando não era
suposto. “Eu acho que isso pode
realmente ser minha culpa,” eu
admiti.
Eu estava tentando o meu
melhor para ignorar a parte
profunda e em pânico de mim que
sabia que eu tinha feito isso
chamando a Besta das Sombras.
Seria realmente uma coincidência
que a luz tivesse sumido minutos
depois que eu disse seu nome?
Mas, sério, que porra é essa? Eu
tinha ouvido outras pessoas
xingando e chamando por ele. Era
como uma figura de linguagem,
certo? Não é um convite literal para
estourar a bunda dele no Earthside
e sacudir a merda.
“Não é sua culpa, Meers,”
Jaxson respondeu, quase
instintivamente me defendendo.
Não me incomodei em discutir, já
que estávamos do lado de fora, o ar
fresco e gelado batendo em nosso
rosto, e finalmente pudemos ver
um pouco à nossa frente.
Lá fora estava uma fonte de luz
que eu não consegui identificar,
mas foi o suficiente para a nossa
visão do shifter entrar em ação.
“Isso não é como o anoitecer,” eu
respirei. “É como se uma sombra
tivesse bloqueado o sol
completamente.”
Uma sombra.
Filho da puta filho da puta.
"Eu posso cheirar a embalagem
aqui", disse Jaxson, e pela primeira
vez, essas palavras foram um alívio.
Ele me levou ao redor da
lateral da casa, em direção à
entrada da frente com sua calçada
circular. O luxuoso carro esporte
azul de Jaxson estava
estranhamente estacionado lá, a
porta do motorista ainda aberta
como se ele tivesse saído com
pressa. E logo atrás estava ...
"Que porra ..." Jaxson
murmurou, vendo-os ao mesmo
tempo que eu. "Eles não estavam
aqui quando cheguei." Suas mãos
tremeram quando sua voz saiu
como lobo.
Centenas de membros da
matilha estavam na frente da casa
da matilha, estátua ainda, olhando
para o céu. Em um ponto
minúsculo de brilho da meia-noite
para ser mais preciso. Shimmer que
era a fonte de luz.
Jaxson inclinou seu corpo na
frente do meu. "É Magica."
Podemos ter sido shifters, mas
isso não era realmente mágico.
Compartilhamos nossas almas com
bestas, e elas nos emprestaram sua
energia e sentidos, dando-nos
habilidades extras. Magia, como
sacudir varinhas e lançar feitiços,
era material para lendas.
Nenhuma criatura
sobrenatural que conhecíamos
poderia fazer isso.
"Fique atrás de mim", disse
Jaxson, rastejando mais perto do
pacote.
De jeito nenhum ele conseguiu
me dar ordens, então segui em
frente no meu próprio ritmo, ao
lado dele. Quando chegamos à
frente do grupo, onde Torin e
Victor estavam, pude realmente ver
o ponto de névoa cintilante escura.
Uma névoa que cada shifter
encarava.
Tinha cerca de 2,5 metros de
altura, tremeluzindo suavemente
no ar noturno; um portal de brilho
da meia-noite que não deveria ser
visível contra o fundo preto, mas
era.
"Mera," Jaxson sibilou, me
puxando para uma parada. "Não
mova um músculo."
Eu soltei meu braço. “Os
músculos se movem quer eu queira
ou não. Você realmente não deveria
ter dormido durante a biologia. ”
Ele olhou para mim. “Não é a
porra da hora, Sunny. Não. O.
Tempo."
Eu sorri docemente, esperando
que não estivesse tão escuro que ele
não percebesse o assassinato em
meus olhos. “Se você me chamar de
'Sunny' mais uma vez, haverá
apenas um membro funcional deste
bando remanescente-”
Minha ameaça foi
interrompida por uma lufada de ar
gelado. Tão frio que mesmo com
um metabolismo metamorfo, eu
estremeci incontrolavelmente,
minha pele coberta de arrepios.
"É por isso que eu disse para
não se mover", Jaxson murmurou
tão baixo que eu mal podia ouvi-lo.
"Essa névoa brilhante está
escondendo algo."
O ar gelado aumentou, e talvez
fosse porque eu estava olhando
diretamente para a escuridão
tremeluzente, mas vi o momento
exato em que as sombras
abandonaram seu mestre,
revelando um ser que só poderia ser
descrito como além deste mundo.
Minha boca ficou seca
enquanto eu olhava, congelada por
mais do que os ventos árticos.
Ele foi tocado pela luz. A única
luz que existia atualmente no
mundo. Cabelo negro despenteado
em cachos no alto da cabeça - um
penteado que poderia tê-lo feito
parecer angelical, mas não havia
nada mais longe da verdade.
Ele era assustadoramente
assustador e perfeitamente pecador.
Talvez fosse sua altura
intimidante, bem mais de trinta
centímetros mais alto que eu, ou
talvez fosse o jeito que seus olhos
eram raios de vermelho e dourado,
piscando entre os dois com uma
intensidade que me fez querer
começar a correr e nunca parar.
Eu não me movi, porém,
incapaz de desviar meu olhar dele,
devorando cada detalhe como se
fosse no teste mais importante que
eu já fiz. Ele tinha uma mandíbula
cortada e maçãs do rosto salientes,
emprestando-o a uma etnia que
nunca poderia ser definida, porque
não existia no plano terreno. Suas
roupas eram exatamente o que eu
esperaria que um humano usasse:
calças escuras, botas de sola pesada
e uma camisa preta justa. Mas o
corpo abaixo deles era
impressionante ao ponto do
impossível.
E eu tinha quase certeza de que
seus braços musculosos também
estavam pintados, tatuagens
aparecendo na barra de sua camisa.
Eles deveriam ser difíceis de ver na
luz noturna, na pele que tinha o
tom mais escuro de bronze que
existia, mas eles brilhavam
suavemente, adicionando mais um
impossível para esta ... criatura.
Ele deu um passo em minha
direção, seu foco intenso, enquanto
lampejos de fumaça negra giravam
amorosamente em torno de sua
perfeição. Eu não conseguia tirar
meus olhos daquele rosto esculpido
em deuses e pecado, envolto em
pele de bronze e olhos sem
profundidade.
Eu encarei um sonho salpicado
de pesadelo. E isso me assustou pra
caralho.
"Mera!" Jaxson gritou quando
todos os shifters ao nosso redor
desabaram, como se tivessem sido
libertados do domínio magnético
deste ser.
Ao mesmo tempo, as sombras
se retiraram, retirando-se das terras
da matilha enquanto entravam em
um túnel de volta para ele, até que
mais uma vez, o mundo se encheu
com a luz do meio-dia.
"O que diabos está
acontecendo?" Victor rugiu,
finalmente recuperando seus
sentidos completos.
Seus olhos correram ao redor,
tentando descobrir exatamente
quem era o culpado por sua
aparição repentina na frente da casa
de embalagem. Quando seu olhar
pousou no homem envolto em
fumaça, ele piscou mais de uma
vez, sua raiva morrendo.
"Quem é Você?" ele sussurrou.
O cara das sombras não prestou
atenção ao alfa, seus olhos fixos em
mim. Eu não tinha a porra da ideia
de por que ele estava me olhando
como se eu fosse o último sorvete
em um dia de verão, mas era
completamente enervante.
"Quem é você para invadir as
terras do bando?" Dean perguntou,
um pouco mais corajoso - ou mais
estúpido - do que seu alfa. “Fale
agora ou enfrente a maior das
repercussões.”
Os lábios do homem se
inclinaram para cima, lábios
carnudos e carnudos que,
novamente, deveriam ter feito
aquele deus com rosto de anjo
parecer doce. Eles não.
Seu sorriso era sombrio e
sinistro, seus olhos cheios de
chamas.
Chamas tão legítimas que, por
um segundo, quase esperei sentir o
calor percorrer as terras da manada.
Não havia como negar quem estava
diante de nós ...
“Shadow Beast,” eu sussurrei.
Por isso, fui recompensado com
um sorriso. "Ao seu serviço, filhote."
Foda-me de lado com uma
colher. Sua voz era profunda e
rouca, com apenas um toque de
sotaque escocês. Suspiros soaram ao
redor das terras da manada, e
muitos dos shifters caíram de
joelhos diante dele, curvando-se.
Não Victor, porém, o filho da
puta arrogante. "O que você quer?"
ele perguntou, parecendo
confiante, mas eu peguei o tremor
de suas mãos. Nenhuma surpresa,
visto que diante de nós estava nossa
divindade. Adorado por nossa
espécie.
O ser que criou shifters e a
quem devíamos uma tonelada de
fidelidade.
Shadow Beast se aproximou de
mim, ignorando todos os outros.
"Você fez algo esta noite, não é,
lobinho?"
Eu engoli em seco. "Eu chamei
você?"
Ele balançou sua cabeça. "Eu já
estava procurando por você quando
a ligação chegou." Ele inclinou a
cabeça para trás, a língua
disparando. “Sua energia tem gosto
de quem tocou o Reino das Sombras
antes.”
Minha garganta estava tão seca
que, quando tentei falar, não saiu
nada além de um grasnido. "Não."
Shadow Beast estreitou seus
olhos em mim. "Não?"
O calor dele era mais forte
agora, a maioria dos shifters se
afastando, me deixando sozinha.
“Eu não toquei no Reino das
Sombras.” Felizmente, parecia mais
confiante desta vez. "Você escolheu
o shifter errado."
O que eu tinha a perder
mentindo? Ele provavelmente iria
me matar de qualquer maneira.
Ele se aproximou de novo e eu
tentei correr, mas meus pés
estavam plantados no chão como
tocos de árvore inúteis. Quanto
mais perto ele chegava, mais eu
tinha que reavaliar sua altura ...
Porra, ele tinha mais de 2,5 metros.
Exceto ... Quando ele se
inclinou, sua altura foi reduzida até
que ele ficou uma cabeça mais alto
do que eu. Oito pés a seis pés e
meio em um instante. Ele acabou de
transformar sua altura à vontade?
Eu acalmei quando ele se
inclinou, correndo o nariz pela
minha bochecha. Não tocando, mas
eu senti sua energia como se ele
tivesse acariciado meu corpo inteiro
naquele golpe. "Cheira a besteira",
ele murmurou perto do meu
ouvido, e antes que eu pudesse
reagir, ele envolveu suas mãos
enormes em volta de mim e me
puxou para cima e por cima do
ombro.
Isso me tirou da minha
imobilidade atordoada, e gritei e
lutei contra seu aperto. O idiota fez
um som resmungão antes de um
golpe de dor disparar pela minha
pele, um choque elétrico
semelhante a uma arma de choque.
“Fique quieto e isso não vai
doer,” ele avisou, qualquer humor
negro que ele estava usando antes
desaparecendo. "Lute comigo, e eu
farei você desejar ter morrido
durante seu primeiro turno."
“Escolhas, escolhas,” eu atirei
de volta, caindo na minha resposta
usual a grandes agressores. “Como
vou decidir?”
Ele parou de se mover, me
levantando totalmente como se eu
pesasse cinco quilos, segurando-me
para que pudesse ver meu rosto
claramente. “Um shifter com um
desejo de morte. Nunca pensei que
veria esse dia. ”
Eu sorri. Eu era muito bom em
uma doce inclinação de meus
lábios, enquanto meus olhos diziam
para eles irem se foder. "Você
parece um pouco lento para
entender, e tenho certeza que já faz
um tempo que você não estava por
perto de nada além de sua mão e
alguns servos demoníacos, mas é
desaprovado roubar pessoas."
Quando as chamas em seus
olhos ganharam vida, fui
eletrocutado novamente, desta vez
marcado para o nível dez enquanto
gritava.
"Pare!" Victor berrou. “Você
não pode tocar meus shifters assim.
Existem leis e você as está
infringindo ”.
A dor elétrica morreu
enquanto eu bufava para dentro e
para fora, tentando recuperar o
fôlego - eu sobreviveria se ele
fizesse isso de novo?
"Você pensa em me desafiar?"
Shadow Beast perguntou,
finalmente olhando para o alfa.
"Vocês mortais me adoram, me
ofereceram todos os tributos
concebíveis, e ainda assim você me
negaria este shifter?"
Inclinei minha cabeça para ver
Victor. "Seriamente?" Eu bufei.
"Você acha que só deveria ser o
bando de Torma que poderia me
torturar?"
Shadow Beast e eu estávamos
olhando para o filho da puta de um
alfa agora.
Victor pigarreou. “Existem
regras,” ele repetiu. “E se este
shifter for valioso, espero ser
compensado.”
Ah sim. Agora tudo fazia
sentido. Ele não estava preocupado
com minha saúde ou segurança. Ele
acabou de ver uma oportunidade
de fazer um acordo com uma
entidade poderosa.
"Papai!" Torin retrucou,
falando pela primeira vez. “Ela é
minha verdadeira companheira e
eu posso decidir seu destino.
Ninguém mais."
Victor acenou com a cabeça,
sua expressão de júbilo. "Sim certo!
Os vínculos do verdadeiro
companheiro existem acima de
todas as outras regras ... Até mesmo
sua reivindicação sobre a cadela
vira-lata. Você não pode tomá-la
sem a permissão de seu
companheiro. "
O peito da Besta das Sombras
retumbava. Os outros podem não
ter notado porque foi sutil, mas eu
senti a fúria profunda que ele
estava balançando.
Victor estava prestes a
conhecer seu criador - literalmente
- e eu não conseguia sentir nada,
exceto uma sensação de satisfação
depois de muitos anos vivendo sob
seu horrível governo.
Só de pensar nisso, meu peito
também roncou, e quando
encontrei os olhos da Besta das
Sombras, encolhi os ombros. "Você
pode ser um bastardo assustador,
mas eu odeio esse bando."
Sua dor durou alguns
segundos, enquanto este pacote
durou uma vida inteira.
“Ele me rejeitou”, acrescentei,
“então não há gravata com a qual
você precise se preocupar. Meu
companheiro não aceitou o vínculo.
” Tornando sua reivindicação nula e
sem efeito.
"Mera!" Jaxson gritou,
parecendo em pânico e furioso.
Meu nome foi um aviso para calar a
boca, mas nunca fui boa em dar
ouvidos a eles. Eu o desviei, no
entanto.
Torin soltou um uivo
estrondoso, suas feições mudando
enquanto ele engasgava
parcialmente. “Eu nem tive tempo
para pensar sobre o vínculo,” ele
argumentou. "Talvez eu tivesse
mudado de ideia antes de romper
totalmente o vínculo."
Eu bufei, virando meu rosto em
direção ao filho da puta mais
assustador do mundo. “Estou
pronto para ir com você agora,” eu
disse. "Qualquer coisa para evitar
ficar aqui com esse bando de
cadelas idiotas."
Mais uivos encheram o ar com
meu insulto. Torma estava tão
acostumada a ser o bando “mais
forte” que qualquer um que
pensasse que era fraco era a pior
calúnia de todos.
Shadow Beast inclinou a
cabeça, olhando para mim
novamente, quase como se eu o
tivesse surpreendido em mais de
uma maneira. Pessoalmente, eu
gostava de surpreender as criaturas
demoníacas - era um dos meus
conjuntos de habilidades mais
fortes.
Com um aceno de cabeça, ele
me largou por cima do ombro,
afastando-se da matilha. Eu não
conseguia ver a direção para a qual
estávamos indo, mas tinha uma
visão muito clara da fumaça negra
girando ao nosso redor, cobrindo
sua metade inferior quase
completamente. Quando alcançou
seu ombro musculoso, meu corpo
também começou a desaparecer na
escuridão.
Eu estava prestes a ser
engolfado pelas sombras e não
conseguia nem ficar chateado com
isso - eu estava apavorado demais
para isso.
"Sunny", Jaxson chamou, sua
voz rouca. "Lute com ele."
Eu ri, a fumaça acariciando
meus braços em golpes frios. “Eu
não conseguia nem lutar contra
vocês, bastardos, quando éramos
crianças. Você acha que eu posso
lutar contra a criatura das trevas? "
Shadow Beast rosnou. “A
escuridão não é meu cartão de
visita, vira-lata. Você faria bem em
se lembrar disso. ”
Mutt. Encantador.
Era meio encantador em seu
sotaque quase escocês.
"Pare-os!" Victor gritou,
enviando seus lobos atrás da Besta
das Sombras, mesmo enquanto ele
permanecia para trás em relativa
segurança.
Ou assim ele pensou.
Nós paramos de nos mover, a
besta girando enquanto as chamas
lambiam seus braços, o calor tão
intenso que eu realmente me
perguntei se eu iria queimar vivo.
Aquelas chamas obedeceram à
vontade de seu criador, saindo de
suas pontas do dedo e envolvendo
Victor completamente.
“Apenas um alfa fraco envia
seu bando para fazer seu trabalho,”
Shadow Beast murmurou. "Torma é
muito forte para alguém como você
controlar por mais tempo."
Os gritos de Victor enquanto
ele morria queimado seriam
ouvidos em Torma, seguidos pelos
uivos de seu filho enquanto ele
perdia o controle e se transformava
em seu lobo, tentando chegar até
seu pai. Jaxson segurou suas garras,
lutando contra seu melhor amigo, e
os dois foram a última coisa que eu
vi quando a Besta das Sombras
entrou na escuridão - ou ...
sombras? E nós dois
desaparecemos.
EU não tinha realmente pensado em
minha bravata. Em algum ponto, eu
descobri que a Besta das Sombras é
o menor dos dois males.
O. Filho da puta. Sombra. Fera!
O que estava errado comigo?
“Eu posso andar, você sabe,” eu
disse, cansada de ficar pendurada
em seu ombro como um saco de
batatas.
Não houve resposta enquanto
ele continuava se movendo pela
escuridão ... escuridão que
desapareceu quando acabamos em
um corredor branco. Tipo, um
minuto estava escuro e depois havia
luz.
Pisquei algumas vezes,
ajustando minha visão, apenas para
descobrir que este corredor estava
basicamente vazio de qualquer
coisa interessante. "O que você quer
de mim?" Eu empurrei.
“Cale a boca, porra,” ele
rosnou. "Você já é um problema
com o qual não quero lidar, mas
uma criatura como você não pode
ser deixada por conta própria."
Grosseiro. “A maioria das
mulheres não gosta de ser chamada
de criatura”, eu disse a ele com
raiva.
Seu peito roncou, mas ele não
respondeu, e eu tive uma forte
sensação de que toda aquela coisa
silenciosa e taciturna continuaria
por um tempo. Mas, pelo lado
positivo, ele não estava me
matando ou me torturando. Ainda.
"Posso chamá-lo de 'Sombra'?"
Eu perguntei alguns minutos
depois. O silêncio estava me
afetando e, aparentemente, eu era
um lunático com desejo de morrer.
“'Shadow Beast' é um bocado
cheio.” Fiz uma pausa, mas ele não
respondeu. “Você tem outro nome
pelo qual você atende? Ou a mamãe
fera realmente estava ... uh,
escuridão. "
Ainda sem resposta.
“Ok, ótimo,” eu falei, tendo ido
longe demais para parar agora.
“'Sombra então!”
Ruído no peito. Sem resposta.
Ótimo. Estávamos fazendo um
progresso real.
Depois de algum tempo,
comecei a notar que este salão não
era tão desprovido de vida quanto
eu esperava. Ou pelo menos não a
vida, mas portas. Eles estavam
muito bem escondidos, com cada
um quase perfeitamente integrado
na parede. Eles eram tão brancos
quanto os arredores, dezenas
espalhados de cada lado.
Estranhamente, quanto mais
atenção eu prestava às portas, mais
fortes elas se sentiam, até que eu
estava completamente encantado
com a sensação inebriante que
emanava de debaixo delas.
"O que é este lugar?" Eu
sussurrei.
Desta vez, ele respondeu. “É
um caminho entre a Terra e os
outros mundos.”
Eu pisquei. "Literalmente?"
Ruído no peito. Certo, ótimo.
Eu estava irritando ele novamente.
“Quero dizer, você não tem que me
ferir e ficar toda besta resmungona.
É uma pergunta perfeitamente
normal para alguém fazer. ”
“Cale a boca, filhote,” ele
estalou.
Desta vez, decidi obedecer, o
tempo todo esperando estar vivo
por tempo suficiente para aprender
sobre este novo mundo secreto em
que eu me encontrei. Ele estava de
volta aos seus 2,5 metros de altura
neste ponto, nos conduzindo ao
longo do infinito corredor branco,
luz abaixo de nossos pés e acima de
nossas cabeças, e o tempo todo, as
sombras esfumaçadas continuaram
a cercar seu mestre.
“Cada uma dessas portas leva a
um lugar de poder e valor”, disse
ele, me surpreendendo. “Alguns
deles estão no plano terreno; outros
estão em reinos que se conectam à
Terra. Divindades podem andar por
esses corredores, e muitas de suas
casas ficam atrás dessas portas. ”
Bem, bem, olhe quem era
Chatty Cathy agora. Talvez eu
pudesse fazer outra pergunta e
realmente obter uma resposta.
"Assim-"
"Cale-se."
Okaayyy. Seguindo em frente
então.
Consegui manter minha boca
fechada enquanto continuamos ao
longo do corredor, apenas piscando
quando um véu cintilante apareceu
no final deste caminho. Shadow
não hesitou, entrando no que
parecia um pouco com uma ...
igreja.
“Irônico,” eu murmurei.
Paramos com um solavanco e,
quando fui colocada de pé não
muito delicadamente, olhei para
seu corpo enorme se afastando de
mim. Caramba, ele era muito louco.
Ombros impossivelmente largos,
cachos escuros e uma maldita
arrogância que dizia ao mundo para
não foder com ele ou ele iria
destruí-los.
Eu estava ferrado. Este ser era
de longe o filho da puta mais
assustador que eu já vi na minha
vida, e eu estava presa em algum
caminho mágico entre mundos com
ele.
Enquanto ele continuava a se
afastar, levei um minuto rápido
para explorar a sala. Não era tão
claro aqui quanto o corredor
estranhamente iluminado. Em vez
disso, a vibração era aberta e limpa,
a decoração uma mistura de tons
pastel e madeira.
Milhas acima de nós havia
tetos arqueados de marfim e, de
onde eu estava, parecia que cenas
de batalha haviam sido esculpidas
em ossos. Espalhados entre esses
entalhes, havia espinhos de
aparência mortal - sentinelas
esperando o momento certo para
cair do céu e aniquilar sua presa.
Entrando mais na sala, me
apaixonei um pouco pelas janelas
altas e estreitas que cruzam o lado
esquerdo e direito do enorme
espaço. Eram quase até a altura do
teto e absolutamente espetaculares,
com picos arqueados no topo,
caindo em curvas naturais nas
bases. Eles se sentaram lado a lado,
criando a ilusão de que toda a
parede era uma grande janela.
Foi daqui que a luz natural
inundou a catedral, e me aproximei
para ver o que estava lá fora, apenas
para descobrir que não era nada
mais do que um redemoinho de
nuvens cheias de luzes cintilantes.
Antes que eu pudesse explorar
mais, a fumaça escura apareceu do
nada, girando em torno das minhas
pernas, e eu gritei quando o próprio
Shadow me seguiu. "Você não disse
que podia andar?" ele perguntou,
irritado como sempre. "Não me faça
carregar você de novo."
Eu saudei. "Sim senhor. Eu não
percebi que deveria segui-lo. Foi
mal."
A maneira repentina como ele
estava me olhando me deixou
muito nervosa.
"Você não tem medo de mim?"
ele disse, e sua voz era suave.
Normalmente, isso seria um bom
sinal, mas esse era o tipo de
suavidade que um assassino em
série tinha antes de cortar seus
dedos do pé para um troféu.
Eu engoli em seco. "Pelo
contrário, estou quase mijando nas
calças agora."
Seus olhos baixaram por um
segundo, como se ele estivesse
vendo as roupas estranhas que eu
peguei do chão de Torin. Tenho
certeza de que foi a primeira vez
que ele deu mais do que um olhar
superficial à minha aparência, e ele
realmente não pareceu
impressionado.
Ele provavelmente namorou
deusas ou quaisquer outros seres
místicos por aí, então eu tentaria
não me ofender. "Siga", ele
retrucou, afastando-se novamente.
Desta vez, eu não abusei da
sorte, ficando perto dele enquanto
ainda tentava absorver tudo na sala.
À medida que avançávamos mais
fundo no espaço, percebi pela
primeira vez que algumas das
janelas pararam abruptamente para
abrir caminho para uma porta
aninhada abaixo. Como no corredor
branco, o design da porta também
era perfeito, e agora que eu estava
mais perto, era fácil apreciar o
trabalho artesanal que havia
entrado nesta sala.
“Isso ainda faz parte do
caminho entre os mundos?”
Perguntei.
Ele não se preocupou em olhar
para mim. "De uma maneira." Está
bem então. Críptico e um idiota. Eu
estava começando a ver de onde os
alfas tiravam sua arrogância ...
herdada de seu criador.
Vagamos por um longo tempo
pela igreja, seu tamanho outro
aspecto despercebido até que
estivéssemos caminhando por dez
minutos e estivéssemos apenas um
terço do caminho. Acima de nós, o
teto esculpido à mão ficava cada
vez mais elaborado e, no momento
em que alcançamos outro grande
portal, eu estava me esmagando
fortemente contra o prédio.
Shadow, com seu amigo
esfumaçado, passou por este novo
portal, desaparecendo em tudo o
que estava além. Ele foi cortado de
mim então, sua energia se foi como
se nunca tivesse existido. Não havia
como saber o que havia além deste
véu, com seu vórtice turbulento da
Marinha completamente opaco.
Hesitei em seguir, pensando se
deveria arriscar-me a escapar agora.
Mesmo se eu acabasse em outro
mundo, pelo menos eu teria
tentado. Um tiro era tudo que
alguém realmente precisava.
Chamei meu lobo para ajudar a
tomar essa decisão, e quando ela
girou para a superfície, fiquei
aliviado ao sentir sua energia forte
mais uma vez. Corre? Eu perguntei
a ela.
Ela brilhou por dentro, a alma
inquieta e insegura sobre a nossa
partida. A Besta das Sombras era
nosso deus e incomodá-lo não
combinava com ela.
Ele matou alguém tão poderoso
quanto Alfa Victor e nos sequestrou, eu
a lembrei. Ele está além de perigoso.
Senti sua confiança em minha
decisão e sabia que teria seu apoio
de qualquer maneira. Isso me deu a
coragem de que precisava para me
mover. Correndo, me dirigi para a
porta mais próxima, já tendo
perdido muitos segundos pensando
se deveria fazer isso ou não.
Quando minha palma pousou na
maçaneta de latão da porta branca
com relevo de flores e espinhos,
senti um zumbido de eletricidade
estática e quase puxei minha mão
para trás.
Se eu não estivesse tão
desesperado, não teria arriscado o
que quer que estivesse além disso,
mas não poderia continuar a viver
como prisioneiro e vítima. Quando
virei a maçaneta, houve um clique e
uma melodia etérea escapou pela
pequena fenda. Um suspiro
escapou de mim, a menor das
respirações, e todo o medo fugiu.
Sim. Este foi o movimento
certo.Eu precisava estar nesta terra
de beleza e luz e amor e calor. Meus
olhos se fecharam enquanto eu
puxava a porta, pronta para abraçar
o meu destino.
Antes que eu pudesse dar o
passo final, algo duro bateu em
mim, me jogando de lado. A música
foi cortada um segundo depois, e
conforme a confusão na minha
cabeça desaparecia, a dor voltou
junto com a minha sanidade.
Shadow Beast pairou sobre
mim, olhando para baixo, seus
olhos se estreitaram. “Você
realmente é o shifter mais estúpido
que eu já conheci. Quase ficou
preso no reino fae. " Seus lábios se
contraíram em diversão sombria.
“O que eles fazem com os
terráqueos que tropeçam em seu
mundo me faz parecer um santo.”
Com um último olhar
zombeteiro para minha bunda
patética, ele se virou e foi embora, e
eu bufei um pouco de ar em meus
pulmões, tentando me acalmar. Eu
não tinha ideia do que “fae”
significava, mas se fosse uma
abreviação de “faerie”, como nas
histórias de fantasia, então ... QUE
PORRA, HOMEM?
Essa música não era deste
mundo, então eu só podia assumir
que Shadow estava falando a
verdade sobre o reino fae. E,
aparentemente, ele já havia
atravessado o véu, confiando que
desta vez eu não arriscaria em outro
mundo que não entendia.
O cara superestimou minha
inteligência e senso de
autopreservação.
Ou assim eu pensei até que os
redemoinhos esfumaçados de seu
amiguinho me envolveram, me
levantando no ar enquanto eu
gritava alto. Está bem então. Ele
havia enviado reforços e não tinha
confiança.
Percebendo que era inútil lutar
neste estágio, eu apenas relaxei na
estranha sensação de ser carregada
pelo ar e fechei meus olhos
brevemente enquanto passávamos
pelo véu escuro. Quando a próxima
sala apareceu, eu engasguei e
praticamente me joguei para fora
da fumaça tentando dar uma
olhada melhor.
"Que porra é essa?" Eu
engasguei, lutando para ficar de pé.
"Você vive aqui?"
Eu queria fazer uma referência
a outra fera com uma disposição de
rosnar, porque assim como o cara
naquele filme, a Fera das Sombras
da vida real vivia na biblioteca dos
meus sonhos.
Real. Literal. Sonhos. Mas, ao
contrário do filme, eu teria
expulsado esse cara no frio se isso
significasse que eu teria que manter
sua biblioteca.
Andando mais para dentro da
sala, eu quase babei nas prateleiras
de madeira escura que revestiam as
paredes, correndo até onde pude
ver. Cada estante estava cheia de
livros - milhares e milhares de
novas aventuras incríveis para
descobrir.
Tentando agir com calma, eu
casualmente passeei mais perto da
primeira prateleira, correndo meus
dedos sobre os muitos livros. A
maioria das capas desta seção eram
em tons de vermelho e cinza
suaves, com letras douradas na
lombada. A escrita não estava em
nenhuma linguagem reconhecível,
o que só me fez querer ler mais.
Fechando meus olhos, levei um
segundo para respirar
profundamente, inalando os vários
aromas em meus pulmões. Deuses,
foi perfeito. Se eu conseguisse
passar pelo tempo com a Besta das
Sombras, faria da minha vida o
trabalho de conseguir uma
biblioteca como esta. Não importa o
custo.
Um estrondo vindo desta sala
magnífica chamou minha atenção, e
eu relutantemente me afastei do
doce aroma de aventura e segui sua
energia mais profundamente na
biblioteca.
Deuses, era enorme. Maior do
que o maior shopping que eu já vi,
me lembrava uma antiga abadia
gótica da virada do século XX. E,
embora o quarto branco anterior
fosse claro e aberto, este era mais
aconchegante e confortável, com o
tipo de detalhes ornamentados que
refletiam muitos personagens. Eu
particularmente adorei os enormes
lustres de cristal - cinco no total -
que estavam uniformemente
espaçados no centro, pendurados
no teto de seis metros de altura.
Não havia mais tempo para
absorver tudo, no entanto, porque
Shadow claramente havia chegado
ao fim de sua paciência limitada.
Alguém poderia pensar pela
maneira como ele estava falando
alto comigo, ele foi o único
sequestrado de sua vida e forçado a
lidar com um idiota.
Ele esperou por mim na área
de estar dos meus sonhos -
adequada para estar na biblioteca
dos meus sonhos - cercada por sofás
sólidos e fortemente acolchoados.
Em suas costas havia uma lareira
acesa, o manto revestido de uma
pedra escura.
Ao passar por alguns sofás,
notei uma pequena mesa com
alguns livros abertos. Shadow
estava lendo quando foi puxado
para a Terra pelas minhas ações? O
desejo de tentar dar uma espiada no
que ele gostava de ler me dominou,
mas consegui me conter,
concentrando-me na própria besta.
"É aqui que você mora?" Eu
perguntei, minha voz um pouco
sem fôlego com a perfeição pura de
sua casa.
"Sim."
Eu balancei minha cabeça. “Ter
tanta beleza e conhecimento na
ponta dos dedos está além das
palavras.”
Novamente, ele me encarou
como se eu tivesse dito algo
inesperado, e decidi calar a boca e
deixá-lo falar. Mesmo se eu ainda
estivesse lançando pequenos
olhares para a biblioteca. Sem abrir
um livro, eu sabia que havia
informações aqui que humanos e
shifters matariam para possuir.
Histórias perdidas. Segredos.
Feitiços. Magia e vida. E ele
simplesmente tinha tudo para si.
Novo objetivo: descobrir como
jogá-lo na neve e assumir o controle
da biblioteca.
H e sentou-se em uma das poltronas
monolugares. Uma peça enorme -
eu acho que tinha que ser para
abranger seu corpo. Novamente, ele
estava me observando com aqueles
olhos tocados pelo fogo que nunca
paravam de ver tudo. Despindo-me
até o elemento básico que constituía
minha alma.
Meu lobo se agitou em meu
peito, sua energia alcançando o
próprio animal. Shadow não
vacilou, apenas aceitou o toque
dela, e eu não tinha ideia do que
aconteceu entre eles porque ela não
comunicou isso para mim, mas eu
senti que ela estava contente
quando a troca terminou.
“Sente-se,” ele ordenou.
Decidindo escolher minhas
batalhas com sabedoria, eu não
lutei, me acomodando na cadeira
em frente à dele.
Havia dezenas de outras
cadeiras ao nosso redor e eu tive
que perguntar: "Você tem muitos
visitantes?"
Seus olhos brilharam, e eu
poderia jurar que redemoinhos de
fumaça escura deslizaram dele
enquanto seu rosto se transformava
em linhas duras. "Eu falo, filhote."
Eu olhei. O filhote era usado
em embalagens se o shifter fosse
uma criança. Chamar um adulto de
filhote geralmente significava que
você os considerava pequenos,
patéticos, abaixo de você ... um
insulto. Exatamente como esse filho
da puta quis dizer isso.
Mordendo o lábio para não
dizer o que estava em minha
mente, fui para o meu lugar feliz:
imaginar todos os livros nesta sala
eram meus e eu estaria para sempre
cercado por sua beleza e
conhecimento ...
"Você está me ouvindo?" Ele
demandou.
Eu pisquei para ele. "Desculpe.
Achei que se você quisesse que eu
ouvisse, você teria pedido. Como
tudo o mais. ”
Ele se levantou - uma besta
gigante e assustadora - e eu perdi a
capacidade de me mover, falar ou
respirar. Tudo dentro se desligou e,
enquanto minha mente gritava, não
consegui forçar nenhum som dos
lábios.
“Eu poderia matar você sem
colocar um dedo em você,” ele
disse, quase coloquialmente, e desta
vez eu definitivamente estava
ouvindo. "Melhor ainda, antes de
matar você, eu poderia fazer você
doer de maneiras que você apenas
imaginou em seus piores
pesadelos."
Se eu tivesse a capacidade de
entrar em pânico, eu teria. Do jeito
que estava, não respirar estava
definitivamente me afetando. Se ele
não afrouxasse o aperto logo, eu iria
desmaiar, deixando-me em uma
posição muito vulnerável com esse
demônio. Felizmente, ele me soltou
enquanto manchas escuras
dançavam em minha visão. Eu
desabei para frente, tossindo e
engasgando, meus pulmões
famintos tentando
desesperadamente sugar o ar.
Ele retomou seu assento,
relaxando, suas pernas abertas no
que costumava ser minha colcha de
homem favorita até que eu conheci
este megalomaníaco. “Como eu
estava dizendo,” ele rosnou, “eu
preciso que você me diga
exatamente o que aconteceu nas
terras da sua manada hoje cedo. Eu
senti sua energia tocar o Reino das
Sombras. ”
Sua voz baixou nas duas
últimas palavras, ficando mais fria,
e eu não tinha ideia do que isso
significava. Shadow Beast era um
enigma, e eu não tinha referência
para suas mudanças de tom. Ele não
era um shifter ou humano, e eu
estava fora do meu maldito
elemento.
Seu peito retumbou com o meu
silêncio e eu me dei três segundos
para decidir o que fazer. Mentira ou
verdade? O que me deu melhores
chances de sobrevivência? Eu não
tinha ideia se tocar o Reino das
Sombras era proibido ou não.
“Eu realmente não sei o que
aconteceu,” eu disse, decidindo que
parte da verdade era o jeito de
começar.
Sua carranca parecia a de um
velho amigo e eu já estava me
acostumando a ver isso - o olhar
característico de Shadow.
“Não estou tentando ser
difícil”, eu disse a ele. "Eu
realmente não tenho ideia. Esta
noite foi meu primeiro turno, lua
cheia do solstício e tudo mais. ”
Abstive-me de acrescentar minha
opinião sobre a estupidez de sua
regra, apenas no caso de ele se
ofender facilmente. Por mais que eu
quisesse perguntar a ele por que aos
vinte e dois anos agora
simplesmente não parecia o
momento certo.
"Seu primeiro turno?" Ele
avançou em sua cadeira e eu tinha
quase certeza de que nunca tinha
tido esse tipo de atenção focada em
mim antes. Shadow certamente
sabia como fazer uma garota corar.
E ... mijar-se de medo.
"Sim. Primeiro turno, e quando
o sol começou a nascer, encontrei
meu verdadeiro companheiro. ” Fiz
uma pausa enquanto a lembrança
da dor me cortava novamente. O
vínculo não cumprido era como um
pedaço irregular de alma se
arrastando por um terreno
acidentado.
"Sua mente tem problemas
para ficar em um lugar, pelo que
vejo."
Atirando para ele minha
versão de um rosto zangado, corri
para terminar a história. “De
qualquer forma, como eu estava
dizendo, primeiro turno, fui
rejeitado por meu cuzão de
companheiro, fui atacado, e por
causa da dor profunda da minha
rejeição, meu lobo ficou furioso. Foi
quando minha visão dobrou e eu
pude ver figuras sombrias que
definitivamente não existiam no
plano normal da Terra. ” Eu engoli
em seco com a memória. "Tenho
quase certeza de que ninguém mais
poderia vê-los."
"Você tocou em um."
Declaração.
"Sim, acho que sim."
"Você pode fazer de novo?"
Eu empalideci. “Por que diabos
eu faria isso de novo? Era
assustador e parecia ... não natural.
Sim, não é um fã. ”
Ele juntou os dedos. “Deixe-me
reformular. Você vai fazer de novo,
ou vou matar você e todos que você
ama. ”
Porra. “Bem, quando você
coloca assim ...” Eu parei, desejando
que o chão se abrisse e me
engolisse. “O único problema é que
não tenho ideia do que fiz e replicar
isso não vai acontecer
simplesmente.”
Este foi provavelmente o ponto
em que ele explodiu e me rasgou
em milhões de pedaços. Eu
realmente esperava que fosse
rápido.
"Mudança."
"O que…?"
“Você é um shifter. Mudança."
Foda-se esse cara. Foda-se ele
direto para o inferno. Um sem
biblioteca.
Eu cuspi minhas palavras entre
os dentes cerrados. “Lembra como
eu disse que era meu primeiro
turno? Ainda não consigo alterar o
comando. Regras da Besta das
Sombras. ”
Eu realmente deveria estar te
lembrando disso, idiota?
Energia bateu em mim,
prendendo meu corpo em um
torno, e enquanto minha espinha se
arqueava, minha loba uivou e abriu
caminho para fora do meu corpo.
Em segundos, eu não estava mais
sobre duas pernas, mas de volta à
minha forma de quatro patas
vermelha e branca, membros
tremendo com a mudança rápida.
Meu cérebro se fundiu
rapidamente com o lobo, grunhidos
retumbando em nosso peito
enquanto avançávamos em direção
a ele.
Shadow não estava
preocupado. "Você tem visão
dupla?"
Nossos rosnados aumentaram.
Hackles up. Presas à mostra.
A fumaça escura envolveu
Shadow, que estava mais uma vez
me olhando como se eu fosse o
único ser existente. "Você não está
vendo agora."
Não foi uma pergunta.
Com um aceno de suas mãos,
ele forçou a mudança em mim
novamente, e o uivo do meu lobo se
transformou em um grito quando
eu voltei a ser humano. Custou um
pedágio terrível em nossos corpos
mudar tão rapidamente, então não
foi nenhuma surpresa que eu
terminei nua, bufando, quase
soluçando bagunça no chão.
Shadow não me lançou outro
olhar, afastando-se e desaparecendo
através do véu.
Soluços silenciosos me
assolaram enquanto eu lutava
contra o cansaço e a dor ... e a
solidão de enfrentar essas
provações sozinha. Eu nunca teria
uma pausa? Era muito pedir que
cada dia não fosse uma experiência
extremamente dolorosa?
Quando meu pai morreu pela
primeira vez - foi assassinado, não
vamos amenizar - eu chorei muito.
Por causa de sua perda, a perda de
meus amigos e, especialmente, a
perda de nosso lugar na manada.
Minha mãe sempre foi uma mãe
um pouco distante, então não me
estressava muito com ela, mas
mesmo seu completo afastamento
da realidade doeu. Só tinha doído
pra caralho.
Eventualmente, eu parei de
chorar e aprendi a esconder minha
dor por dentro, mas hoje, eu não
conseguia encontrar minha
fortaleza.
Cinco minutos. Eu me daria
cinco minutos para desmoronar e
então eu colocaria minhas coisas no
lugar.
Shadow não havia retornado
quando eu me levantei, tirei a
poeira da minha bunda nua e
peguei a camisa parcialmente
rasgada, colocando-a. Eu não estava
tão sozinho quanto pensava, porém,
a fumaça escura se manifestando.
Ignorando a princípio, comecei a
explorar o covil da besta-besta da
biblioteca.
“Este é um espaço mágico?” Eu
finalmente perguntei para a névoa
de fumaça me seguindo. A coisa
sombra da sombra aparentemente
era meu guardião enquanto seu
mestre estava fora. “As prateleiras
continuam crescendo
indefinidamente.”
Quando não consegui
encontrar um fim à vista, desisti e
fui em direção a uma prateleira.
Meus olhos se arregalaram quando
vi As crônicas de gelo e fogo de
George RR Martin, O Senhor dos
Anéis de JRR Tolkien e uma
infinidade de histórias de Terry
Pratchett alinhadas. Havia muitos
outros grandes nomes da fantasia e
histórias clássicas nesta seção, e
mesmo que eu fosse tudo sobre as
joias escondidas do mundo do autor
indie nos dias de hoje, meu coração
ainda palpitava sobre um incrível
clássico de fantasia.
Apenas fantasia, no entanto.
Se alguém mencionasse Emily
Brontë para mim pelo menos uma
vez, eu fugiria gritando.
Com relutância, deixei aquelas
prateleiras e fiz uma longa
caminhada de volta para a lareira e
aqueles sofás aconchegantes. Sem
dúvida, Shadow voltaria para me
matar mais cedo ou mais tarde,
então provavelmente era melhor
tentar descansar um pouco antes do
meu assassinato.
Escolhendo o maior sofá perto
do fogo, fechei meus olhos e forcei
minha mente a se acalmar. Eu sabia
que minha reação a essa bagunça
era estranha. A maioria das pessoas
estaria gritando, balançando em um
canto ou chorando muito. Mas, na
verdade, depois de muitos anos no
limite, esperando o momento em
que alguém levasse seu tormento
para mim longe demais e eu fosse
morto, fiquei entorpecido de pânico
e medo.
A exaustão dos eventos do dia
tomou conta de mim e eu afundei
mais fundo no veludo macio do
sofá. Shadow Bastard pode ter sido
um velho bastardo certo, mas ele
tinha um gosto sólido para
utensílios domésticos.
Enquanto a confusão do sono e
da exaustão pressionavam a
escuridão em minha mente, o
último pensamento que tive foi se
algum dia acordaria novamente.
EU não sonhei. Eu tinha quase
certeza de que nem me movia
porque, quando me sacudi para
acordar, desorientado pra caralho,
metade do meu corpo estava
dormente. O formigamento
começou imediatamente quando o
sangue fluiu pelas minhas
extremidades entorpecidas, a cura
do shifter consertando o que quer
que eu tenha quebrado durante o
meu episódio de sono-como-morto-
morto.
Olhando em volta, não fiquei
surpreso de me encontrar
exatamente na mesma posição em
que estava antes. No sofá. Fogo
queimando ... com chamas do
mesmo tamanho. Quanto tempo eu
estive dormindo? Cinco segundos ...
Este lugar estava louco.
"Sombra!" Eu gritei, minha
garganta rouca. Limpando-o, tentei
novamente. “Os shifters morrem
sem comida e água.”
Ficando de pé, sacudi a última
gota de sonolência do sono,
esticando-me tão alto que minha
vagina estava pendurada na barra
da camisa rasgada. Eu olhei para a
sombra de fumaça que havia
surgido comigo - estava chegando
perto demais para o meu gosto.
"Chegue perto da minha merda nua
e eu vou descobrir como aspirar a
porra da sua bunda para o próximo
mundo."
Eu tinha visto Ghostbusters. Eu
poderia lidar com essa merda de
demônio.
Talvez tenha me entendido, ou
talvez tenha sido uma coincidência,
mas a fumaça voltou a uma
distância respeitável. Olhando em
volta, me perguntei se Shadow
tinha ficado puto e me deixado para
viver o resto dos meus dias aqui na
terra da fantasia, com um
aconchegante fogo mágico e
estantes sem fim. Só precisava
instalar um quiosque de chocolate
quente e sucos, uma lanchonete e
um bar.
Porque vinho.
E tequila.
Decidindo que tinha acabado
de esperar que o Sombra Bastardo
voltasse para mim, fiz meu
caminho em direção ao véu
cintilante, me perguntando se
poderia encontrá-lo na sala da
catedral. Seguindo em frente com
determinação, nem por um minuto
pensei que teria permissão para me
libertar da biblioteca, mas não
houve resistência quando enviei
meu braço primeiro, testando
alarmes ou armadilhas.
Parecia estar tudo limpo.
“Vamos, Inky,” eu disse com
entusiasmo. Eu precisava de um
nome para a escuridão esfumaçada,
para que pudesse diferenciá-la
facilmente de Shadow. “Parece que
estamos indo em uma aventura.”
Indo para o outro lado, eu me
perguntei qual era o ponto da
escuridão rodopiante que separava
os dois quartos. Poderia Shadow
impedir que os seres entrassem se
ele quisesse -
Meus pensamentos
terminaram abruptamente quando
cheguei ao outro lado. “O que ...”
Eu engasguei quando uma dúzia de
olhos olharam em minha direção.
Esta sala de janelas e portas, o
espaço vazio e cheio de luz, era
agora uma colmeia movimentada
de atividade. E assim como no covil
de Shadow, havia centenas de
prateleiras cheias de livros,
preenchendo todos os espaços entre
as janelas, pilares e portas.
Continuei piscando, como se
isso clareasse minha visão e mais
uma vez estivesse vendo o espaço
vazio.
Um ser minúsculo, de pele
morena e rosto enrugado correu até
mim, e eu ainda estava piscando,
sem nenhuma ideia de como lidar
com este novo mundo. “Bem-vinda
à Biblioteca do Conhecimento,
Mera,” ele gorjeou. "Meu nome é
Gaster, do clã goblin subterrâneo de
Faerie."
Ele acabou de dizer goblin?
Olhei com mais atenção para sua
cabeça calva, rosto redondo e
orelhas ligeiramente pontudas. Ok,
eu posso ver agora.
Eu engasguei algumas
palavras. "Você fala Inglês?"
Ele balançou sua cabeça. "Não.
Eu falo fae de nível inferior. "
“O que—” eu fui interrompido
quando ele continuou.
“Você será capaz de falar todos
os dialetos, entender todas as
palavras escritas e conversar com
todos os tipos de raças dentro
destas paredes. Você encontrará
muitos que fazem suas casas nas
dimensões conectadas a esta
biblioteca. Como eu disse, sou de
Faerie. ”
Ele estendeu a mão e eu olhei
para ela antes de estender a mão
para agarrá-la. “É um gesto muito
humano”, observei.
Ele sorriu, atraindo meu olhar
para a estrutura incomum de seu
rosto. Seus olhos eram enormes,
ocupando metade de seu rosto, as
íris e as pupilas completamente
pretas sem um grama de branco.
Ele tinha cerca de um metro de
altura, sua pele enrugada como
uma velha raiz de uma árvore, e ele
não tinha um grama de cabelo nele
que eu pudesse ver. Eu queria
estudá-lo mais de perto, mas
parecia rude, então mantive meu
foco em seu rosto.
“Estudei todas as culturas.
Como porteiro aqui, é meu trabalho
guiar todos os que pisam nestes
corredores. ”
Ele se curvou e quando se
levantou, eu finalmente percebi que
ele tinha a altura perfeita para ver
bem por cima da minha camisa.
Não que ele tivesse feito uma
tentativa de olhar, mas ainda ...
"Você por acaso sabe se há algum
lugar para conseguir alguma roupa
sobressalente?" Fiz um gesto para a
extensão da perna nua sob a camisa
rasgada. "Estou ficando sem
algodão."
O rostinho de Gaster se
iluminou; ele parecia totalmente
animado com a perspectiva de ter
uma tarefa. "Sim! Temos uma sala
que pode lhe dar mercadorias em
troca de daems. ”
Eu pisquei para ele. "Daem?"
Parecia dia e eu nunca tinha
ouvido falar desse tipo de moeda
antes. “É a moeda da Besta das
Sombras,” ele gorjeou. “Mas ele me
deu permissão para permitir a você
uma entrada inicial sem
pagamento. Ele disse que você vai
acabar resolvendo isso na
biblioteca. ”
Fiquei chocado por ele não ter
planejado minha morte ainda.
Talvez ele ainda estivesse indeciso.
De qualquer forma, eu estava mais
uma vez aqui para viver outro dia, e
isso era tudo que eu poderia pedir
desse show de merda que chamei
de vida.
Olhando em volta, olhei para
os muitos seres que habitavam a
Biblioteca do Conhecimento.
Muitos deles tinham uma aparência
completamente estranha. Eles
estavam todos claramente aqui por
um motivo: ler, ler, ler. Devorando
o conhecimento dessas prateleiras.
“Todo mundo trabalha aqui?”
Perguntei.
Gaster seguiu minha linha de
visão. "Ah não. Apenas os goblins.
Meus irmãos trabalham na
biblioteca. Os outros são alguns
selecionados de seus mundos, com
permissão para acessar as
informações contidas aqui. ”
Antes que eu pudesse
expressar o milhão de outras
perguntas que eu tinha, ele
estendeu a mão e agarrou minha
mão, me arrastando para longe do
véu do covil de Shadow e através
do longo corredor no meio da
biblioteca. “Quantos mundos
existem?” Sussurrei, mais para mim
mesmo, enquanto passávamos por
dezenas de seres, cada um deles tão
diferente um do outro, que
literalmente não consegui
compreender todos com detalhes
suficientes.
Gaster deu uma risadinha, um
som áspero que era quase
desagradável. “Já se passou muito
tempo desde que conheci alguém
que não sabia sobre o mundo
sobrenatural. Sobre o Sistema
Solaris que se conecta e se ramifica
para cada uma das terras. ”
Dei de ombros. "Quer dizer, eu
sou um shifter, então eu sabia que
havia mais do que humanos lá fora,
mas fora de Shadow, Inky e agora
você, eu nunca conheci nenhum
outro."
Ele piscou, aquelas orbes pretas
tão refletivas que todas as luzes ao
nosso redor podiam ser vistas nelas.
“Shadow and Inky?”
Eu empurrei minha cabeça em
direção à escuridão me seguindo.
"Essa coisa e seu mestre."
Gaster assentiu, como se
entendesse. "Ah sim. Eles são os
seres supremos por aqui. Não
mexemos com sua seção da
biblioteca e, em troca, ele não
destrói todos nós. Também
catalogamos seus livros. A simbiose
funciona. ” Seus olhos se voltaram
para Inky, como se ele estivesse
retransmitindo aquela informação
diretamente para a bolha.
Inclinei-me para ficar mais
perto de seu nível. “O que é o
sistema Solaris?” Eu sussurrei.
Gaster me lançou um sorriso
conspiratório, e eu estava meio
apaixonada por esse cara minúsculo
e sua ajuda. Com certeza, além de
Simone e Dannie, eu nunca tive
ninguém sendo tão legal comigo. “É
um sistema de transporte movido
pela biblioteca. Portais de energia
conectados que nos permitem viajar
entre uma infinidade de mundos.
Cada uma das portas aqui ”- ele
acenou com a mão -“ se conecta a
uma das terras. Então, eu sou um
goblin de Faerie. ” Ele apontou para
a porta com a música atraente que
eu quase passei. “E Chester ali é um
espírito de água da terra de Karn,
que é principalmente água.” Desta
vez, ele apontou para uma porta
que estava a cerca de três metros de
nós, leves redemoinhos de azul
visíveis no grão branco.
E Chester ... O habitante de
Karn era como uma criança
abandonada, com pele azul gelada e
um corpo tão andrógino que eu
nunca teria sido capaz de adivinhar
o sexo. Talvez eles nem tivessem o
tipo de gênero que eu entenderia
em Karn. Eles tinham quatro
braços, o segundo conjunto um
pouco mais curto, e presumi que
fossem úteis na água. Não
querendo encarar abertamente por
mais tempo, eu desviei meu olhar,
esperando Gaster continuar.
"Marin é um transcendente",
disse ele, pegando minha deixa.
"Representando de perto os anjos
da tradição terrestre, eles residem
em Honor Meadows."
Marin era um ser alto e
escultural, de aparência feminina.
Ela estava vestida com o que
parecia uma armadura preta e
dourada, com pele preta brilhante e
asas de penas tingidas de cinza
emergindo de suas costas. Asas que
pareciam muito com pertencer a
um anjo. “Uau,” eu sussurrei
enquanto tirava a foto completa.
Ela era a beleza personificada,
como se cada plano de seu rosto
tivesse sido esculpido com amor e
perfeição. Seu cabelo comprido me
lembrava o de Simone, espesso e
preto-azulado. Ao contrário de
Simone, porém, o cabelo de Marin
estava em uma trança perfeita,
terminando em torno de suas
panturrilhas.
O que quer que Honor
Meadows fosse, eu só poderia
assumir que estava cheio de seres
de aparência mais angelical como
Marin.
- Você alcança as terras deles
por lá - disse Gaster, apontando
para uma porta mais adiante na
biblioteca.
Isso era incrivelmente difícil de
entender e compreender, mas
talvez porque eu estivesse dentro
dessas paredes cheias de tanto
conhecimento, nada disso parecia
opressor.
Gaster continuou, apontando
seres animalescos, semelhantes a
um centauro que fundia humanos e
animais. Híbridos de cavalo, cabra,
pantera e pássaro estavam na
biblioteca, mas eu estava certo de
que em sua terra de Brolder, havia
muitos, muitos outros.
"Existe algum dragão?" Eu
perguntei sério, ainda meio
existindo em uma ressaca de livro
épica da minha última leitura de
shifter.
Gaster não perdeu o ritmo da
minha pergunta aleatória. “Não
dragões como os descritos na Terra,
mas temos grandes bestas que
vagam pelos mundos.”
Grandes bestas? Quero dizer,
se houvesse algo maior do que a
Besta das Sombras lá fora, seria uma
visão seriamente assustadora de se
ver. Mas eu estava totalmente aqui
para isso.
Gaster continuou sua jornada
pela biblioteca, apresentando-me a
muitos faefolk, incluindo pixies,
banshees, sidhe, trolls e ghouls.
“Em Faerie, existem centenas
de outros”, disse ele. “Levaria
semanas para listá-los todos.”
“O universo é muito maior do
que eu esperava”, respirei,
sentindo-me insignificante e
emocionada com minhas
descobertas de hoje.
"Esta é apenas uma pequena
fatia do pedaço maior", disse
Gaster, seu sorriso ainda
firmemente no lugar. “Mas hoje,
não há necessidade de se preocupar
com essa nova vida que você
descobriu. Vamos primeiro
encontrar alguns confortos
humanos. ”
Eu balancei a cabeça, seguindo-
o enquanto ele aumentava o ritmo.
Suas pernas podiam ter metade do
tamanho das minhas, mas o cara se
movia como um velocista olímpico.
Eu comentei sobre isso, bufando de
brincadeira como se estivesse sem
fôlego. “Somos fortes e rápidos”,
disse ele, olhando para mim como
se estivesse seriamente preocupado
com a minha saúde. “Não tente
acompanhar. Os goblins são
capazes de se mover em alta
velocidade em longas distâncias, e é
melhor lembrar que meus bens são
seus para usar quando você precisar
de suporte em tudo o que fizer ”.
Inclinei a cabeça, mais uma vez
confusa com a maneira como me
faziam sentir “em casa” aqui. -
Shadow sabe que você, uh, está
cuidando de mim assim? Perguntei.
Gaster assentiu. "Ai sim. Ele
sabe tudo. Não se preocupe. Isso
tudo está planejado. ”
Maravilhoso. Eu me senti
muito melhor por fazer parte do
plano de Shadow ... não.
Gaster continuou em sua
missão, e eu fiquei por perto,
tentando ignorar os muitos curiosos
ao redor da sala. Eu poderia ter
olhado de lado todas as novas terras
e seus habitantes na biblioteca, mas
muitos deles pareciam estar
igualmente interessados ​em mim.
Eu me perguntei se era devido a
Inky na minha cauda, ​ou “shifter”
era uma nova raça para cruzar seu
caminho?
Quando nos aproximamos do
início da biblioteca com seu próprio
portal cintilante que se conectava
ao longo e branco corredor, Gaster
parou. "Esta é a sala da
necessidade", disse ele, apontando
para uma porta branca lisa. Ele deu
um passo à frente e bateu duas
vezes antes que ela se abrisse.
“Seis daems,” uma voz
desencarnada, quase robótica, soou.
Gaster tirou algumas pepitas
de ouro cintilantes de seu
minúsculo bolso.
“Certifique-se de obter tudo
que você precisa enquanto estiver lá
dentro,” ele me disse antes que o
duende surpreendentemente forte
me empurrasse para uma sala
branca completamente vazia, as
moedas tilintando atrás de mim,
desaparecendo no chão brilhante e
sem costura. "Esperar!" Eu gritei
quando a porta bateu na minha
cara.
“Por favor, fique quieto”, disse
a voz, me distraindo.
Eu congelei quando uma rajada
de ar gelado tomou conta de mim,
arrastando pelo meu corpo antes de
desaparecer com a mesma rapidez.
“Você precisa de um guarda-
roupa completo, produtos de
higiene e outros itens essenciais.”
Eu não sabia se era uma
pergunta ou não, mas respondi
mesmo assim. "Sim. Não tenho
nada além desta camisa. ” Fiz um
gesto para o pano que usava.
Uma pausa momentânea.
“Seus pertences estão sendo
enviados para os aposentos do
mestre. Prossiga lá para limpeza e
roubo. Bom Dia."
E assim, a porta se abriu, e o
mesmo vento gelado me conduziu
para fora da sala.
G Aster não parecia ter se movido
um centímetro, ficando exatamente
onde eu o havia deixado, com o
sorriso no lugar. "Uau, aquela hora
passou em um piscar de olhos."
Eu era o único piscando, porra,
naquele ponto. “Não deve ter
passado mais de um minuto.”
Gaster riu como se eu tivesse
contado a piada mais engraçada,
mas ele não comentou novamente,
em vez disso, assumiu a liderança
de volta pela biblioteca, apenas
parando quando ele alcançou o véu
respingado de escuridão de
Shadow. "Não tenho permissão
para ir além daqui", disse ele, "mas
suas roupas e outros itens estarão
em seu quarto." Seus olhos
brilharam para a bolha de fumaça.
“Basta seguir Inky.”
Nesse ponto, eu descobri que
“Inky” era algo mais do que apenas
uma massa aleatória de escuridão
vazada de Shadow. Gaster era
muito respeitoso em relação a ele,
chegando a falar diretamente com
ele.
Talvez ser servo de Shadow
ganhasse respeito? Ou talvez eu
apenas tenha subestimado sua
inteligência, pensando nisso como
algo sem substância. Eu teria que
parar de presumir merda neste
mundo, porque todas as regras
eram diferentes.
Quando eu recuei pelo véu - o
que aparentemente poderia manter
as pessoas fora se a declaração de
Gaster fosse qualquer indicação - eu
quase colidi com uma montanha de
fera. Shadow ficou parado e em
silêncio na escuridão, a cabeça
inclinada enquanto me observava
de perto. Foda-se esse cara e sua
intensidade. Se ele continuasse
assim, eu ficaria vermelha ou teria
uma combustão espontânea,
também conhecida como orgasmo
instantâneo.
Quer dizer, se eu não morresse
de medo primeiro.
"Você tem duas opções."
E lá foi ele, com aquela
personalidade brilhante dele.
“Vá em frente”, respondi com
o sorriso mais falso que consegui
produzir.
"Eu mato você agora e
contenho a ameaça." Foi sua vez de
sorrir e, como sempre, aquela curva
escura de seus lábios era
assustadora. “Este é o meu favorito
pessoal.”
Claro que foi. “Eu
honestamente mal posso esperar
para ouvir a escolha dois,” eu
gorjei. "Cruzar os dedos envolve
minha morte também."
Se o olhar em seu rosto fosse
qualquer indicação, eu estava
prestes a realizar meu desejo. “A
opção dois,” ele rosnou, “é para
você permanecer aqui, sob meu
controle, enquanto descobre como
tocou o Reino das Sombras.
Também teremos que reunir as
criaturas que você libertou com sua
imprudência. ”
Eu levantei a mão. "Ok ... eu
tenho tantas perguntas sobre o que
você acabou de dizer."
Shadow soltou uma explosão
de poder, redemoinhos literais de
fumaça escura flutuando ao redor
de seu rosto enquanto ele fazia isso.
"Não. Mais. Porra. Questões."
“É justo, justo”, eu disse. "Mas
você está dizendo que quando eu
tive aquela visão dupla e alcancei
aquelas criaturas, eu permiti que
alguns escapassem para o nosso
mundo?"
Um único aceno de cabeça.
"E você acha que posso ajudá-lo
a reuni-los e ... O que faremos com
eles se não pudermos acessar o
Reino das Sombras novamente?"
Seus lábios se estreitaram. Foi
um sinal de alerta que decidi
obedecer fechando a boca. Veja, eu
poderia aprender coisas novas.
Shadow cruzou os braços,
chamando minha atenção para seus
ombros largos e, mais uma vez,
fiquei distraída. Ugh. Não se deve
admirar o deus-demônio que queria
matar você.
Foi apenas bom senso.
“Vamos contê-los até que você
descubra como replicar o que fez.
Tenho certeza de que, quando a
alternativa for a sua morte, você
gastará muito tempo e energia
nisso. ”
Energia nele? Seus ombros
largos? Oh, espere, criaturas das
sombras. Peguei vocês.
Eu concordei. "Certo. Quer
dizer, é um plano sólido, Indiana
Jones. Parece que estamos partindo
para uma aventura. ”
Ele me lançou um olhar
inexpressivo, e eu não tinha ideia se
ele entendeu a referência ou não.
Provavelmente melhor mudar de
assunto antes que ele fosse com a
primeira opção e me matasse para
me calar.
“Então, Gaster, o concierge da
biblioteca, aparentemente me
arranjou roupas novas. Ele disse
que eles estavam aqui em algum
lugar. ”
Fiz um gesto para a única outra
coisa nesta sala que me levaria à
combustão espontânea: a biblioteca.
Eu ainda tinha esperança de que a
Besta das Sombras deixasse isso
comigo em seu testamento, embora
seu status imortal tenha
prejudicado um pouco esse plano.
"Me siga."
Deus, adorei nossas conversas.
Tão cheio de energia e frases
inteligentes. É como viver em uma
peça de Shakespeare.
Enquanto eu estava
mentalmente rindo de mim mesmo,
Shadow se virou e, conforme ele se
afastava, notei sua altura aumentar.
Ele estava com quase dois metros e
meio de altura enquanto falava
comigo, mas eu tinha uma leve
suspeita de que o tamanho de 2,5
metros era mais de sua altura
natural, já que ele voltava a ele na
maioria das vezes.
Foi absolutamente fascinante
como ele fez isso, e tudo que eu
conseguia pensar era ... Tudo muda
de tamanho? Sim, este pobre -
tecnicamente ainda virgem - lobo
shifter tinha uma vida sexual muito
ativa. Na minha cabeça. Eu sonhava
com sexo, tinha um vibrador e
estava participando ativamente de
minha própria sexualidade.
Geralmente sozinho.
Espere um minuto!
Eu precisava do meu vibrador.
Aquela sala de necessidades
percebeu isso quando estava me
vestindo? Caso contrário, eu teria
que encontrar uma amiga garota
aqui e descobrir do que aquele
lugar era capaz. Por mais legal que
Gaster parecesse, ele era um
seguidor de regras demais para
mim.
Eu gostava de viver nos setores
cinzentos da vida.
Shadow estava na metade da
biblioteca sem fim, então eu peguei
o ritmo, correndo atrás dele. A
última coisa que eu queria fazer era
irritá-lo quando a opção um de “ser
assassinado” ainda estava em jogo.
Abaixando minha cabeça, eu
corri, só percebendo no último
momento que ele havia parado.
Correndo para o lado, consegui
evitá-lo, mesmo quando uma das
mesas pegou meu quadril e
estremeci. Não que a mordida
afiada durasse muito agora que eu
liberei minha força total de shifter.
Shadow se apoderou de mim e,
de repente, não estava mais
preocupado com meu quadril
dolorido. “Você não implorou ou
chorou nenhuma vez,” ele disse,
sua voz mais suave do que o
normal. “Os poucos shifters que
caem em meu mundo nunca ficam
calmos.”
Esta foi a segunda vez que ele
ficou confuso com a minha falta de
medo deferente em relação a ele.
“Eu implorei e chorei por anos
em minha matilha,” eu disse a ele,
meu humor sumindo. “Não fez
diferença. Percebi que, quando
alguém é mais forte e poderoso do
que você, e você está à mercê dele,
implorar e chorar não faz nada a
não ser dar a ele algum tipo de
gratificação doentia. Não vou mais
criar valentões. Eles não ganham
nada de mim. ”
Seus olhos brilharam com
aquelas chamas, e de uma maneira
quase calmante, Inky serpenteou
para envolver seu mestre.
“Você vai aprender a me
temer”, ele murmurou, e eu não
tinha dúvidas de que ele estava
certo.
Ele se afastou novamente, e
desta vez eu o segui sem pausa. Ele
fez uma curva fechada à direita em
direção a uma grande porta de
madeira entalhada à mão, em
vermelho-cereja. “É aqui que você
vai dormir”, ele me informou. “Não
procure meus aposentos. Eu vou
matar "
"Mate-me, sim, entendi."
O calor bateu em mim,
queimando minha pele nua, e não
pela primeira vez, eu desejei não ter
nascido com uma boca tão
inteligente.
“Vou me submeter,” eu disse,
jogando meus braços para cobrir e
proteger meu rosto do fogo
escaldante.
“Submeta-se,” ele rugiu.
Este filho da puta.
Seu poder me forçou a ficar de
joelhos e eu senti sua satisfação do
caralho. Ele não conseguiria nada
mais de mim, no entanto. Eu fui
forjado por anos de fogo tão quente
quanto o que ele estava jogando em
meu caminho, e qualquer jogo que
ele estivesse jogando, eu jogaria
junto. Mas apenas nos níveis mais
superficiais. Eventualmente, ele
baixou a guarda. Eventualmente,
qualquer que fosse essa besteira,
chegaria ao fim.
Quando isso acontecesse, seria
minha vez de brilhar.
"Quem é seu mestre?" Shadow
Beast perguntou, se aproximando
de mim.
Tudo dentro respondeu a ele,
uma queimadura derretida
começando baixo em meu corpo
enquanto sua energia se fundia com
a minha. “Você é,” eu mordi.
"Você não vai me trair."
"Eu não vou trair você."
Ele estava tão perto agora, e eu
não conseguia desviar meus olhos
de suas íris em chamas,
hipnotizante enquanto me prendia
no lugar.
"Eu possuo você agora,
Sunshine, e vou punir toda e
qualquer insubordinação."
Com isso, um uivo
sobrenatural ecoou por sua
biblioteca, seguido por uma forte
rajada de vento que me jogou de
volta para a porta. Doeu, mas não
tanto quanto meu quadril, e para
um shifter, não era nada. Foi o aviso
de Shadow, e eu sabia que ele
poderia realmente me destruir se
quisesse.
Além disso, ele tinha acabado
de me chamar de “Sunshine”? Ele
tinha ouvido Jaxson me chamar de
“Sunny” em Torma? Ou foi apenas
uma coincidência ...?
De qualquer forma, eu me senti
decididamente nervoso com o que
tinha acontecido.
Ele exerceu sua vontade sobre
mim e eu estive à sua mercê.
S Hadow Beast saiu tão rápido
quanto ele chegou, e eu fui
conduzido ao meu quarto por Inky,
o tempo todo tentando descobrir o
que diabos estava acontecendo.
Dizer que estou confuso seria
um grande eufemismo.
Confusoestava de volta a Torma
tentando descobrir como a própria
Besta das Sombras tinha abençoado
uma união entre mim e aquele filho
da puta egocêntrico de um futuro
alfa. Quer dizer, o que diabos eu fiz
de errado na minha última vida
para acabar acasalada com Torin?
Sinceramente, depois de
conhecer a própria Besta, tive a
suspeita de que os laços do
companheiro verdadeiro não eram
seu domínio. Definitivamente não
era o tipo de cupido ... de jeito
nenhum.
Mas sim, esse era o meu nível
usual de confusão - o companheiro
alfa era a pilha de merda da minha
vida normal, e eu estava bem com
isso. Mas isso ... isso! Isso era quase
inacreditável, meu cérebro incapaz
de compreender o que estava
acontecendo comigo. Ele me deu
duas opções, mas parecia que ele
tinha escolhido de qualquer
maneira. Opção dois: prisioneiro da
Besta das Sombras.
A porra da Besta das Sombras.
Não apenas isso, mas também
existia em algum plano mágico -
um Sistema Solaris? - que tinha
salas que conduziam a novos
mundos. E as bibliotecas. Duas
bibliotecas impressionantes e de
valor inestimável, repletas de todo
o conhecimento do universo.
Demais. Muito, porra.
Esta pode ter sido uma reação
um pouco retardada, mas quem
poderia me culpar? Qualquer
pessoa nesta situação precisaria de
algum tempo para realmente
compreender tudo.
Sem mencionar a Besta das
Sombras e seu novo plano
brilhante.
Se eu tivesse que adivinhar
como seria ser sequestrado por ele,
teria havido tortura e dor
envolvida. Talvez comer
ritualisticamente meu coração ou
algo igualmente fodido.
Conhecendo a minha sorte, os
deuses psicóticos provavelmente
colecionavam unhas ou olhos.
Bastardos estranhos.
Mas não, em vez disso, ele
estava me mantendo para que
pudéssemos ir caçar criaturas das
sombras juntos.
Não fazia sentido. Havia mais
coisas acontecendo aqui que eu não
estava ciente, e de jeito nenhum eu
iria baixar minha guarda em torno
daquele psicopata com aparência de
anjo caído.
Se qualquer coisa, eu só iria
dobrar em descobrir sua fraqueza.
Todo mundo tinha um, e quando eu
descobrisse o de Shadow, usaria
para destruir seu mundo até sua
fundação. Poeira. Atoms.
Microrganismos.
Eu seria o prenúncio da morte
para olhos de fogo, mandíbulas
quadradas e um punhado de
cachos.
Então eu riria até a minha
liberdade.
Pondo-me de pé, me sentindo
um pouco melhor com meu novo
plano de jogo, olhei ao redor da
minha prisão. Verdade seja dita, a
prisão era um pouco dura; era um
quarto grande com uma cama de
aspecto meio decente na outra
extremidade. Dez degraus acima do
quarto horrível que eu tinha em
casa.
Abrindo o armário antigo com
detalhes incrustados de ouro e
prata em toda a parte superior
curva, pisquei para a variedade
decente de roupas dentro.
Vasculhando, estava claro que tudo
ali era do meu tamanho e estilo.
Jeans, shorts, regatas e alguns
suéteres confortáveis. The Room of
Need fez mais do que apenas
fornecer; parecia ler mentes e
memórias para ter certeza de que
tudo estava como você escolheria.
Super fodidamente assustador.
Mas útil.
E agora, útil era tudo que eu
poderia pedir.
Havia um pequeno banheiro
anexo ao quarto, e nas gavetas
encontrei artigos de toalete e
maquiagem. Marcas terrestres de
ponta, do tipo que eu babaria em
revistas, mas nunca teria sido capaz
de comprar sozinho.
As vantagens seriam incríveis
se eles não viessem com um
carcereiro megalomaníaco.
Já que Shadow tinha feito sua
saída dramática de sempre, decidi
tomar um banho rápido e me
limpar. Tirando a camisa rasgada,
suspirei enquanto a água quente
batia contra meus músculos tensos
e, por um momento, me permiti
desmoronar.
Um momento.
Meu ombro bateu contra as
telhas quando minha cabeça caiu
para frente e eu apertei minhas
mãos com força. Eu posso fazer isso.
Eu posso sobreviver a isso. Depois
de Torma, posso sobreviver a
qualquer coisa.
Das cinzas, a fênix vai subir.
Um mantra era tudo que uma
garota precisava para sobreviver.
Certo?
Depois que eu estava limpo,
vestido com roupas íntimas sem
buracos - o quê? - jeans e uma
camisa branca simples, eu me senti
como se estivesse pronto para
descobrir meu lugar neste mundo
estranho. Meus novos tênis estavam
em silêncio enquanto eu me dirigia
para a porta, minha mão pousando
na velha maçaneta preta, esperando
que estivesse trancada quando eu
tentasse apertar a alavanca. Exceto
que se abriu com um clique, e eu saí
para encontrar Inky arrepiante lá,
como a versão assustadora de
Casper, o Fantasma.
"Uau, gostaria de conhecê-lo
aqui", eu disse com entusiasmo
falso. - Senti sua falta na hora em
que ficamos separados, Inky. Nunca
mais me deixe. ”
Ele girou mais alto, deslizando
em torno das minhas roupas novas,
como se estivesse tentando
descobrir o que eu estava vestindo.
“É assim que eu normalmente fico
quando não estou seminua,” eu
disse com um sorriso malicioso.
A sombra negra cresceu para
dobrar de tamanho e pareceu quase
... sacudir. Eu ia chamar isso de
movimento risonho, porque
qualquer outra coisa era muito
assustador para contemplar.
Quanto maior ficava, mais
definição eu conseguia ver dentro
do que antes pensava ser apenas
redemoinhos de fumaça sombria.
Parecia um cérebro enorme, com
pulsos elétricos disparando entre as
sinapses. Cérebros humanos não
eram minha especialidade nem
nada, mas me fez pensar se Inky era
muito mais sensível do que eu
pensava originalmente.
De jeito nenhum era apenas
uma ramificação da Besta das
Sombras ... Inky era
definitivamente sua própria marca
especial de criatura sobrenatural.
"O que você é?" Eu perguntei,
minha curiosidade teve essas
palavras explodindo de mim. "Você
não se parece com nada que eu já
tenha visto antes."
Foda-se sabe por que fiz a
próxima coisa, mas às vezes meu
cérebro fica lento. Não há outra
explicação para porque eu
voluntariamente toquei na fumaça
preta. Enquanto meus dedos
deslizavam pela escuridão, um
calafrio subiu pelo meu braço antes
que eu fosse jogada de volta na
minha bunda como se alguém
tivesse me jogado no meio da sala.
"Merda!" Eu engasguei,
tentando sacudir o frio enquanto
me levantava desajeitadamente. "Eu
realmente não esperava isso." Inky
já havia me tocado antes, mas,
aparentemente, não era uma rua de
mão dupla. Ou talvez esse fosse
apenas meu primeiro e único aviso
para não me aventurar onde não fui
convidado.
Inky encolheu, mas
definitivamente ainda estava
balançando. Bastardo presunçoso,
assim como Shadow.
Decidindo que já havia perdido
tempo o suficiente procrastinando,
passei pela entidade de fumaça e
entrei na Biblioteca do
Conhecimento. Quando atravessei
o véu, um goblin estava esperando
por mim do outro lado.
"Gah." Eu pulei para trás, quase
caindo no covil de Shadow
novamente. - Não fique tão perto,
Gaster.
Ele fez uma reverência.
“Minhas desculpas, Srta. Mera.
Estou esperando seu retorno para
que eu possa continuar o tour e
delinear suas funções. ”
Parecia que eu estava prestes a
ser nomeado para o meu primeiro
dia de trabalho, mas se isso levasse
a mais conhecimento e uma chance
de encontrar uma maneira de me
separar do pau de todas as
divindades, então eu pegaria tudo
que ele jogasse em mim. Se esta
biblioteca continha o conhecimento
do mundo ... devia haver algo aqui
que definia as fraquezas do Shadow
Bastard.
"Lidere o caminho!" Eu disse
com entusiasmo. Gaster piscou para
mim, aqueles olhos estranhos
capturando minha atenção
enquanto um brilho verde revestia
o preto antes de desaparecer.
“Finalmente alguém tão
animado quanto eu para aprender,”
ele disse, e eu me perguntei se
aquele lampejo verde era sua
felicidade brilhando.
“Totalmente,” eu entrei na
conversa, pronta para amaciar este
goblin para que eu pudesse ter um
poderoso aliado para problemas
futuros. Quer dizer, talvez ele não
fosse poderoso fisicamente, mas
alguém que tinha o papel de
“porteiro da Biblioteca do
Conhecimento” tinha que ser um
amigo útil para se ter.
Verdade seja dita, eu meio que
gostei dele. Pessoas com seu nível
de entusiasmo e excitação infantil
pela vida eram poucas e raras em
meu mundo. Os shifters queriam
ser durões e sarcásticos; até mesmo
nossos filhotes eram merdinhas
atrevidas.
Enquanto voltávamos pelas
muitas estantes de livros, notei que
a multidão de seres que eu tinha
visto antes havia desaparecido e,
em seu lugar, outros novos
examinavam as estantes,
empilhando livros em seus braços e
saindo novamente pela porta de seu
mundo.
"Então, nenhum desses seres
dos mundos trabalha aqui?"
Perguntei.
Gaster se virou para olhar para
mim, aquele maldito sorriso ainda
no lugar. “Ninguém realmente
trabalha aqui, mas há algumas
dezenas de nós semiduendes que o
mantêm funcionando. A Biblioteca
do Conhecimento é uma entidade
poderosa, e se caiu nas mãos
erradas ... ”Pela primeira vez, esse
pensamento não o fez sorrir.
"Para onde vão todas as
prateleiras quando ele faz as malas
para a noite?" Eu perguntei,
pensando em minha primeira
viagem vazia por esses corredores.
Ele me ofereceu um tipo de
olhar vazio. “Eles não vão a lugar
nenhum. As prateleiras
permanecem como estão agora.
Nada mudou no Sistema Solaris e
na Biblioteca de Conhecimento
desde que comecei aqui, há mil
anos. ”
Ok, ignorando o fato de que ele
tinha pelo menos mil anos de idade,
me concentrei no resto do que ele
disse.
“Isso não pode estar certo,” eu
murmurei. “Quando eu entrei neste
prédio com Shadow, ontem ou
qualquer hora, este corredor estava
vazio. Tudo o que pude ver foram
as janelas e as portas, mas nenhuma
prateleira ou livro. ”
Gaster levou um segundo para
responder, como se estivesse
pesando seus pensamentos. “O
mestre estaria decidindo seu
destino,” ele finalmente disse, sua
voz mais baixa e menos animada do
que o normal. "Até que isso fosse
decidido, você não teria
conhecimento do dom do
conhecimento que está contido
aqui."
Oh. Certo. “Shadow
provavelmente estava planejando
me matar naquele momento,” eu
disse. “Então faz sentido.”
Gaster jogou as duas mãos para
cima, parecendo em pânico. “Oh,
não, tenho certeza que ele não
estava. Ele é apenas cauteloso com
estranhos. ” Sim, foi isso.
Estávamos no centro da
biblioteca agora, rodeados por um
monte de mesas e cadeiras e alguns
pufes que pareciam super
convidativos. Infelizmente, não
houve tempo para eu mergulhar
em suas profundezas com um
grande livro, porque eu estava no
“trabalho”.
“É estranho ser o único
trabalhando aqui que não é
semiduende”, eu disse.
Gaster assentiu. “Eu sei, mas
você não vai se sentir sozinho.
Como eu disse, muitos outros estão
sempre aqui para reunir
conhecimentos. É a maior honra ser
escolhido para examinar a
biblioteca. ”
“Exatamente quantos mundos
existem neste Sistema Solaris?”
Ele mencionou alguns, é claro,
mas minha necessidade de mais
conhecimento estava aumentando a
cada hora que permanecia aqui. As
portas sem nome me chamaram,
exigindo que eu aprendesse sobre
elas.
Seus olhos se arregalaram,
orbes negras brilhando nas luzes
cintilantes acima de nós. “Oh, você
terá um verdadeiro mimo. Me siga."
Então eu fiz.
H Ele andou tão rápido que foi uma
sorte eu ser um shifter e capaz de
acompanhar suas pernas curtas e
poderosas. Ele me levou direto para
o ponto mais distante da sala, para
o véu que escondia o corredor
branco de vista.
“Este é o diretório!” Gaster
piou.
Olhei em volta sem expressão,
tentando descobrir do que ele
estava falando. "Diretório?"
Ele gesticulou para o véu
cintilante. “Quando não está
atuando como um sistema de alerta
antecipado para proteger a
biblioteca, pode ser usado para
navegar no Sistema Solaris.”
Ai sim. Essa foi uma excelente
notícia.
Gaster colocou a mão em um
pequeno painel que estava
deslocado para o véu, e uma vez
que era tão branco quanto as
paredes, eu o perdi completamente
até que ele o tocou. "Coloque sua
mão aqui", explicou ele, "e diga
divulgar."
No momento em que a palavra
deixou seus lábios, o véu cintilante
se solidificou, transformando-se em
um mapa de 2,5 metros de altura.
Um mapa muito detalhado ...
Gaster deslizou a tela,
ampliando uma seção.
Um mapa muito detalhado e
interativo. Foda-se, sim!
“É aqui que estamos, e daqui,
você pode encontrar tudo o mais ...”
Ele foi interrompido por alguém
gritando seu nome, uma figura
minúscula aparecendo apressada.
“Está faltando um livro”, disse
ela. Era claramente outro goblin,
parecendo decididamente mais
feminino do que Gaster, com seu
cabelo dourado na altura dos
ombros e cílios grossos e escuros.
“Esta é Lady Hel,” ele me disse.
“Ela é uma realeza dos
semiduendes e me ajuda aqui como
parte de seu direito de passagem
para seu papel final.”
Eu balancei a cabeça como se
soubesse do que diabos ele estava
falando. Lady Hel nem olhou na
minha direção, já correndo de volta
para a tragédia de um livro
perdido.
- Se você me der licença
enquanto lido com este desastre,
Gaster disse com um aceno de
cabeça. “Sinta-se à vontade para
navegar pelo diretório e voltarei em
breve.”
Eu atirei a ele um largo sorriso.
Esse tipo de confiança cega iria
colocá-lo em problemas, mas por
agora, eu não faria nada muito
louco. Especialmente com Inky se
esgueirando por perto, não me
deixando fora de sua “vista”.
“Estarei bem aqui”, prometi.
Ele se foi em seu caminho mais
rápido do que uma bala, e eu girei
para o diretório, pronto para
aprender tudo que pudesse no
tempo que tivesse. Primeiro,
concentrei-me no mapa como um
todo, afastando o zoom para ver a
sala em sua totalidade. A imagem
era cerca de dez vezes maior do que
eu, então dei alguns passos para
trás.
Era uma visão panorâmica da
Biblioteca do Conhecimento,
dando-me um layout claro. Contei
as portas que corriam ao longo de
cada parede: cinco em cada. Eles
estavam deslocados e divididos por
longas filas e prateleiras, e quando
dei um zoom em cada prateleira, vi
que muitos deles continham livros
que correspondiam às terras que
tinham portas próximas. Um perto
de Faerie tinha um pequeno ponto
brilhante, então pressionei meu
dedo nele.
Com um ding, uma mensagem
apareceu. História das Fadas:
Dinastia da Grande Besta para o povo
do ar.
Puta merda. Eu seria capaz de
navegar tão bem nessa vadia com
este diretório. Eu gostaria de poder
importar o mapa para um telefone
e carregá-lo comigo para todos os
lugares.
As dez portas eram minha
primeira prioridade, então
pressionei o ponto brilhante no
mais próximo de mim. A
verdadeira porta estava por cima do
meu ombro; daqui, eu podia ver
que tinha um pequeno redemoinho
de escuridão no centro. "Primo
seu?" Eu perguntei a Inky, rindo da
minha própria piada estúpida.
No diretório, o quadrado da
informação apareceu ... Tundera. A
Terra dos Perdidos. As almas das
trevas habitam neste mundo sem luz e,
a partir daqui, encontrarão a redenção
ou a verdadeira destruição.
Ok, enigmático e assustador.
Muito legal.
A próxima porta, que eu
também podia ver na vida real, era
uma porta branca normal e
indistinta. A informação apareceu:
Valdor. Local de nascimento do
vampiro. Criaturas de luxúria e
escuridão. Bebedores de força vital.
Oh sim. Cidade de vampiros.
Espere ... vampiros? Existiam
vampiros legítimos? Eles estavam
no mundo humano também?
Eu praticamente mergulhei no
botão de informações da próxima
porta, desesperada para saber sobre
toda essa galáxia sobrenatural. A
próxima porta era muito longe na
biblioteca para eu ver, então eu
apenas esperei a informação
aparecer.
Karn: o mundo é
predominantemente água. Habitantes
em sua maioria capazes de existir
acima e abaixo.
Este eu já conhecia, e a
informação era muito breve para o
meu gosto, mas felizmente, as
prateleiras próximas tinham muito
mais informações. Eu só precisava
começar a ler. Pressionei um dos
pontos na prateleira mais próxima
da porta de Karn. Ele apitou
imediatamente. Karn: história,
regras, regulamentos, fontes de
água.
Eu estava superado assim que
terminei aqui.
As duas últimas portas deste
lado da sala eram Faerie: terra cheia
de magia original. Habitantes de uma
variedade de castas, incluindo seelie e
unseelie, demi-fey e os lurkers. E a
última porta apareceu como Frozen
Tundra: nenhum habitante conhecido.
Extremo demais para ser explorado.
Bem, isso foi interessante.
Passei rapidamente para o outro
lado, e em ordem eles foram:
Brolder: Local de nascimento dos
shifters. Híbridos. E bestas das
profundezas.
Honor Meadows: a fonte original
de luz. Poderoso além do conhecimento.
Shadow Realm: informação
desconhecida. Erro crítico.
Observadores: aqueles com poder
onisciente. Governa muitos. Respostas
para poucos.
Terras desertas: nascidas do calor
e do fogo, de mágicas e desejos.
Eu pisquei. "Que porra é essa?"
Eu murmurei em voz alta. Eu tinha
tantas perguntas. Apenas, tipo,
tantos.
"Me desculpe!" Gaster disse,
suas palavras explodindo em meu
cérebro confuso. “Aparentemente,
um livro foi mal arquivado e,
normalmente, a própria biblioteca
lida com essa situação, mas, neste
caso, foi capaz de ser dividido em
duas categorias, e foi aí que surgiu a
confusão ...”
Ele continuou a divagar e eu
olhei fixamente para ele, minha
mente ainda remoendo esses vários
e vastos mundos que se conectavam
a este Sistema Solaris. As
informações sobre eles podem ter
sido breves, mas foram o suficiente
para capturar meu interesse.
Especialmente Brolder, o local de
nascimento aparente de shifters.
Shadow estava lá quando nos criou,
fazendo sua própria versão híbrida
humana? Ou havia outra
explicação?
Falando em nenhuma
explicação ... O que diabos estava
acontecendo com o Reino das
Sombras? Erro crítico?
"Senhorita Mera?"
Gaster olhou para mim, seu
rosto nodoso ainda mais enrugado
com o que parecia ser preocupação.
“Existem dez mundos que
conduzem a esta biblioteca,” eu
sufoquei.
Ele inclinou a cabeça, seus
olhos quase se mesclando com o
marrom de sua pele enquanto
iluminavam ligeiramente. "Onze,
na verdade." Ele sacudiu a cabeça
para o diretório. “Além deste está o
caminho para os humanos.”
Certo. Certo. Eu sabia. Eu andei
por aquele longo corredor ... ou fui
carregada pela maior parte dele, de
qualquer maneira.
Meus olhos foram para Inky,
que estava se aproximando pela
primeira vez desde que eu o toquei.
Como se soubesse que eu estava
pensando na Besta das Sombras.
Afaste-se, vadia, eu avisei
mentalmente, e fosse a minha
expressão ou o quê, ele parou de se
aproximar. Good Inky.
“O que está acontecendo com o
Reino das Sombras?” Eu perguntei,
voltando-me para Gaster.
Seu rosto caiu antes de ele
balançar a cabeça. “Essa não é
minha história para contar. Agora,
por favor, siga-me. ”
Ele girou e correu de volta para
a biblioteca, e eu fiquei olhando
para ele. Acho que essa era sua
linha dura e ele não a estava
cruzando. Seguindo as instruções, o
silêncio constrangedor durou cerca
de quinze segundos antes que ele
voltasse a ser feliz. "O mestre quer
que eu comece a limpar você, e
você trabalhará a partir daí."
Rangendo os dentes, não
discuti. Sem dúvida, esse era o
plano de Shadow o tempo todo, e
eu estava determinada que ele
nunca soubesse que tinha acertado
qualquer coisa contra mim. Claro,
eu odiava limpar mais do que quase
tudo no mundo, mas eu iria lá fora
e faria um trabalho perfeitamente
adequado de quase limpeza. Nada
como um esforço moderado para
provar um ponto.
Gaster me levou ao material de
limpeza, todos novos porque “a
biblioteca normalmente se limpa
sozinha”, mas, mesmo assim, passei
as horas seguintes apoiado em uma
vassoura e espanando prateleiras
sem poeira.
O tempo todo com um sorriso
no rosto porque foda-se, Shadow
Beast. Ele queria que eu o temesse e
não tinha ideia de quão perto
estava dessa conquista, mas
também deve ter querido que eu o
odiasse. Nisso, ele poderia se
considerar um sucesso.
Era impossível saber as horas
nesta biblioteca, com seus
convidados rotativos constantes dos
mundos. Para passar o dia, passei
muitas horas tentando adivinhar de
que mundo vinha cada habitante.
Alguns eram super óbvios - como
Karn - enquanto para outros, eu
não tinha ideia.
Os únicos consistentes neste
lugar eram os cerca de uma dúzia
de goblins que pareciam seguir
Gaster. Eu gostava de observá-los
também, os goblins tinham uma
hierarquia clara que parecia não ter
nada a ver com gênero ou posição, e
tudo a ver com inteligência e
respeito.
Eles podem ter sido a raça mais
avançada de todas.
Enquanto eu observava as
pessoas, aprendendo o máximo que
podia e arquivando tudo para
referência futura, meu estômago
começou a roncar. Alto. Girando
em Inky, meu perseguidor, eu
rosnei. “Eu preciso comer e dormir.
Faça acontecer."
Ele aumentou de tamanho e
pude ver novamente todas as luzes
cintilantes girando dentro do
vórtice de escuridão. Eu estava
muito cansada e faminta para me
importar que era quase do mesmo
tamanho que eu agora e poderia me
jogar do outro lado da sala se eu o
irritasse. Felizmente, antes que eu
tivesse que derrubar uma nuvem de
fumaça, Gaster apareceu, com um
sorriso radiante. "Uau, você
certamente alegrou o lugar com seu
trabalho duro hoje."
Foi preciso cada grama do meu
autocontrole para não socar sua
boca alegre. Eu disse que gostava
dele antes? Que porra eu estava
pensando?
"Vou mostrar-lhe a sala de
jantar", ele gorjeou, "onde você
pode obter o sustento que precisar."
Meu ânimo melhorou, e só assim,
ele estava fora da minha lista de
merda novamente.
"Graças à besta." Eu engasguei,
deixando a vassoura cair no chão.
Ele desapareceu em um flash, a
magia desta sala demonstrando em
termos inequívocos quão inútil
minha varredura tinha sido. "Estou
a cerca de cinco segundos de
morrer de fome."
Minha loba levantou a cabeça,
estrondos balançando meu peito, e
eu percebi que esta foi a primeira
vez que a senti em horas. Ela estava
subjugada aqui, calma em meu
peito, e às vezes, eu me perguntava
por que ela agia como se
estivéssemos mudando juntos por
anos, em vez de uma ou duas vezes.
A estranheza disso, no entanto, era
tão baixa na minha escala de merda
para me preocupar que eu mal
pensei nisso.
Não. Meu lobo e eu - e nosso
relacionamento disfuncional - era a
parte normal da minha situação de
vida atual.
Lamento dizer.
F ood. Comida gloriosa.
Provavelmente a segunda melhor
parte deste mundo mágico da
biblioteca em que me encontrei.
Comida e livros, alguém poderia
pedir mais?
"Você come assim todos os
dias?" Eu entusiasticamente
perguntei à mulher alguns lugares
abaixo de mim enquanto eu
empurrava uma grande fatia de
rosbife mal passado na minha boca.
Pelo menos eu esperava que fosse
carne, mas tanto faz, tinha um
gosto bom.
Ela se virou para mim pela
primeira vez, seu nariz franzido
enquanto ela me olhava. Eu pisquei
de volta para ela. "Não é muito
falador, hein?" Eu perguntei,
limpando minha boca com um
guardanapo. “Não se estresse. Posso
falar o suficiente por nós dois e,
antes que você perceba, seremos
amigos rapidamente. ”
Seus olhos, de uma cor
magenta surpreendente, se
arregalaram quando o choque
cruzou seu rosto perfeito. Demorou
mais alguns momentos
embaraçosos de olhar fixo para eu
encaixá-la firmemente no mundo
de “Honor Meadows”. Ela tinha
aquele brilho sobrenatural dos seres
daquela terra, e um rosto esculpido
direto de um anjo com certeza.
Limpando a garganta, ela se
levantou, as asas escuras cor de
âmbar que eu perdi na minha
primeira leitura aparecendo. Com
sua pele de alabastro e longos
cabelos cor de mogno, ela era quase
o oposto da primeira mulher que eu
tinha visto em Honor Meadows,
mas se essas duas eram alguma
indicação, todos em seu mundo
eram altos, esguios e perfeitos.
“Você tem homens em seu
mundo? Ou outros sexos? ” Eu
perguntei, e novamente, ela apenas
olhou - claramente, ela não tinha
ideia do que fazer comigo. Ela e
Shadow provavelmente poderiam
começar um grupo de apoio. "Eu só
estou curioso. Eu acho incrível se
você tem apenas um ou nenhum
gênero definido. Os rótulos são
irritantes de qualquer maneira,
certo? E, sério, o que quer que você
esteja fazendo, continue fazendo
porque você é quente como o
inferno. "
Sem dúvida ela agora pensava
que o metamorfo meio faminto não
era apenas louco, mas também
estava dando em cima dela. Se
apenas. O fato de eu não poder
sentir uma verdadeira atração
sexual por mulheres quando os
homens eram tão idiotas era um
dos meus maiores lamentos.
Outra piscada, e então ela
girou, correndo para fora da sala.
Com um encolher de ombros,
voltei a comer.
Gaster me deixou na sala de
jantar cerca de vinte minutos atrás -
aproximadamente, já que eu estava
apenas adivinhando o tempo neste
estágio - e quando me sentei,
pequenas criaturas robóticas
zumbiam ao redor, pedindo meu
pedido. Mais ou menos da mesma
altura que Gaster, eles não tinham
rostos e eram mais parecidos com
mini cabines telefônicas sobre
rodas. Eu os adicionei à minha lista
de criaturas para aprender sobre - a
lista sem fim.
Agora que a bela mulher de
Honor Meadows se foi, havia
apenas alguns outros seres na sala,
junto com os servidores-robô. O
salão de jantar em si não era tão
notável, principalmente cheio de
longas mesas de madeira, correndo
em fileiras com cerca de três metros
entre cada banco. Ele sentaria pelo
menos algumas centenas aqui em
plena capacidade, mas essa era sua
única reivindicação à fama.
Pelo resto do meu tempo lá,
ninguém se aproximou de mim, e
me perguntei se Angel Face já havia
espalhado a palavra sobre minha
tagarelice incessante. Tanto faz.
Como se eu precisasse de mais
amigos sobrenaturais que
provavelmente me apunhalariam
pelas costas. Simone e Dannie
sempre foram suficientes para mim,
e eu só queria que eles estivessem
aqui, explorando este mundo e
tendo uma aventura comigo.
Então, novamente, essa
aventura provavelmente me
mataria, então talvez fosse melhor
que eu a estivesse descobrindo
sozinho. O mundo precisava de
mais shifters como meus melhores
amigos, e eu teria que estar
permanentemente sedada se
alguma coisa acontecesse com eles.
Assim que estendi a mão para
pegar uma fatia de bolo - caramelo
com cobertura de creme de banana,
pelo que parecia - um silêncio caiu
sobre a sala. Quer dizer, havia cerca
de oito de nós aqui, então não foi
tão perceptível, mas juntando isso
com os pelos dos meus braços se
arrepiando e uma sensação de
formigamento na espinha, eu sabia
que havia apenas uma explicação.
Sombra. E ele estava bem atrás
de mim.
Parte de mim queria se
encolher, e já que isso me irritava,
me forcei a dar uma mordida no
bolo, deixando os sabores ricos -
definitivamente não de banana -
dançar em minha língua.
Estava delicioso com notas de
caramelo e ... rosa? Mais
importante, a dose de açúcar foi útil
para acalmar meus nervos em
frangalhos.
O calor queimava ao longo do
meu corpo, qualquer pele exposta
formigando como se eu estivesse
dançando perto demais do fogo.
Eu ainda não virei.
Sério, por que eu estava
jogando jogos de dominação com
um deus? Não havia literalmente
um bom motivo, mas eu não
conseguia parar.
A segunda mordida no bolo foi
ainda melhor do que a primeira, e
um gemido involuntário escapou
de meus lábios. Jesus, Maria, e
obrigado porra pelos doces.
Honestamente, eu nem tinha
percebido que era um fã de comida
até este momento, porque nunca
tive a oportunidade de realmente
me dar ao luxo.
"Você terminou?"
Seu rosnado baixo de palavras
me parou bem no meio do
caminho, sua energia me deixando
sem forças para me mover ou
continuar comendo.
"Não. Bastante, ”eu consegui
engasgar.
Seu próximo rosnado veio do
fundo de seu peito, chamas
quebrando no ar ao nosso redor, e
assim, a sala estava vazia. Sem
dúvida, a Besta das Sombras era
temida e respeitada em níveis quase
ridículos. Por uma boa razão.
Parte do controle do meu corpo
diminuiu, e decidi parar de brincar
enquanto me virava para ele. “Oh,
ei,” eu disse casualmente. "Não vi
você lá."
A fumaça real escapou de suas
narinas. Como ... porra de fumaça.
Qual é, cara, você poderia ser mais
um clichê demoníaco? Chamas
explodiram em seus olhos
deslumbrantes, e lá foi ele,
intensificando o clichê apenas um
pouco mais.
"Yeah, yeah. I obtê-lo. Você
está perpetuamente chateado. Você
precisa de algo de mim? Ou estou
apenas atrasado para minha
próxima sessão de limpeza inútil? ”
Com toda a honestidade, se eu
não dormisse logo, provavelmente
iria desabar em uma poça de lobo.
“Eu rastreei uma criatura das
sombras,” ele disse, aqueles lábios
carnudos e dentes brancos perfeitos
capturando minha atenção
enquanto ele falava. Ele me distraiu
da pior maneira, e eu queria me
odiar por essa fraqueza, mas ... ele
era sombriamente delicioso, e eu
era apenas humana ... ish.
Ele estava olhando para mim,
sem dúvida esperando pela minha
resposta, e eu tinha esquecido o que
ele disse.
“Uh, você ...” Criatura, certo?
“Uma criatura das sombras! Oh,
ótimo. Você rastreou um. Vamos
buscá-lo. ” Fiquei de pé,
graciosamente graças ao meu lobo.
“É na Terra? Devo pegar uma
jaqueta? ”
Ele inclinou a cabeça para o
lado, como se estivesse tentando me
entender, mas o segredo do meu
sucesso era garantir que ninguém
nunca o fizesse.
“Sim, está na Terra, no interior
do Canadá. Você precisará de
roupas mais quentes para
neutralizar suas fragilidades. ”
Eu sorri. “Você está tão certo,
Shadow. Obrigado por sempre
pensar no meu bem-estar. ”
Por alguma razão, não me
pergunte por que, fui dar um
tapinha no ombro dele quando
comecei a me mover. Do jeito que
eu teria feito quando estava
brincando sarcasticamente com
Simone. Mas essa não era Simone.
Este era um deus, uma Besta das
Sombras, um demônio dos mundos
mais sombrios.
Assim como com Inky, tocá-lo
sem permissão era uma ideia
terrível, mas era tarde demais para
parar. No momento em que minha
mão pousou em seu ombro, o fogo
disparou pela minha palma e meus
gritos ecoaram pelo corredor.
Nunca senti uma dor tão intensa
como aquela e, quando arranquei
minha mão, esperava encontrar
nada mais do que um coto
queimado na ponta do braço.
Não havia uma marca em mim,
no entanto. “O que ...” eu gaguejei.
"Que porra foi essa?"
Ele me tocou quando me
carregou para esta merda, e eu não
senti dor.
A altura gigante de Shadow
voltou a ser apenas um “gigante”
quando ele se aproximou, não
parecendo tão chateado quanto eu
esperava. "Ninguém me toca."
Era isso, toda a sua explicação.
"Então você tentou me queimar de
dentro para fora?"
Ele balançou a cabeça, os
cachos se movendo suavemente
com o movimento, e eu tive o
desejo mais insano de estender a
mão e passar minhas mãos por eles.
Tipo, o filho da puta quase me
quebrou um segundo atrás quando
eu o toquei, mas, aparentemente,
eu era doida por dor.
"Esse é o meu poder", disse ele
em breve. "Se você não consegue
lidar com isso, não pise no fogo."
Eu bufei. "Certo. Peguei vocês."
Idiota.
O Assim que vesti jeans, uma
jaqueta grossa, luvas e um gorro de
lã - noventa por cento de certeza de
que aquelas roupas não estavam no
meu armário antes - andei pela
biblioteca com Shadow. Inky estava
perto de nós novamente,
esgueirando-se em torno de seu
mestre, mas eu me senti bem por
ele estar lá. Como um reforço extra
contra essas criaturas sombrias.
Apenas o próprio nome invocava
medo, e eu não tinha certeza se
seria capaz de vê-los e não surtar.
“Como tudo funciona?” Eu
perguntei como uma distração
quando estávamos nos
aproximando do corredor para a
Terra.
“A maneira como você joga
palavras aleatórias e pensa que elas
formam frases é terrível”, disse
Shadow, seu sotaque um pouco
mais forte do que o normal.
Dei de ombros. "Talvez você
simplesmente não seja inteligente o
suficiente para me acompanhar."
Ele balançou a cabeça, mas foi
impedido de responder quando
alguém de Karn se aproximou - sem
tocá-lo, como era aparentemente
sua preferência - e sussurrou para
ele.
Os seres aquáticos ainda eram
alguns dos mais incomuns que eu já
tinha visto, e isso dizia algo,
considerando os habitantes
semiduendes e Brolder. Mas ainda
assim, a natureza quase translúcida
de seus corpos e como eles
pareciam desossados ​enquanto
deslizavam pelo menor dos espaços
era absolutamente fascinante.
"O que eles disseram?"
Perguntei.
Shadow inclinou a cabeça na
minha direção e, como ele tinha 2,5
metros de altura, estiquei o pescoço
para mantê-lo na minha linha de
visão.
“O que o faz pensar que isso é
da sua conta?” ele perguntou. Sem
rosnados ou resmungos, então eu
estava contando isso como uma
vitória.
Dei de ombros. “Não é, tenho
certeza. Mas você está me
mantendo prisioneiro, e estou
curioso sobre este lugar, então vou
fazer perguntas. ”
Seus lábios realmente se
contraíram minuciosamente e por
um momento, parecia que ele
estava se divertindo comigo.
“Aprenda a fazer as perguntas
certas, filhote, e você poderá
sobreviver.”
Oh, ótimo. Muito
reconfortante.
Ele decolou então, pernas
longas mandando-o através do
diretório do véu cintilante e para o
corredor da Terra. Parecia
exatamente o mesmo da última vez,
uma extensão branca de corredor
repleta de várias portas.
“Isso leva a outros mundos
também?”
Ele me disse algo sobre eles da
primeira vez, mas pela minha vida,
eu não conseguia me lembrar o que
era. O medo, sem dúvida, me
impediu de bloquear aquelas horas.
"Não. Os verdadeiros mundos
estão todos fora da biblioteca ”,
disse ele, surpreendendo-me por
ser franco com informações. “Essas
portas levam a outras áreas.”
E a informação secou.
Não havia mais tempo para
perguntas; ele estava se movendo
tão rápido que basicamente tive que
correr para acompanhá-lo. Eu não
tinha percebido a maneira como ele
entrou neste corredor da primeira
vez, quando deixamos a Terra para
vir aqui, e ficou óbvio o porquê
quando as paredes brancas apenas
diminuíram e então estávamos em
uma floresta. Uma floresta muito
densa, coberta de neve, a
temperatura do ar do início da
noite caindo dramaticamente em
uma fração de segundo.
Quando uma brisa gelada
passou por mim, estremeci, grata
por estar pelo menos com tanta
roupa quanto eu. Os shifters lobos
não sentiam o frio como os
humanos, mas quando as
temperaturas eram tão baixas,
ainda sofríamos sem proteção.
Shadow pausou seu ritmo de
caminhada superdimensionado,
levantando a cabeça e fechando os
olhos enquanto respirava
profundamente.
“A-já se perdeu?” Eu tagarelei,
meu corpo demorando mais do que
o esperado para se ajustar à rápida
mudança de temperatura.
Ele me lançou um olhar
sombrio e, à luz excepcionalmente
baixa, o fogo em seus olhos brilhava
como um milhão de vagalumes.
“Criaturas do Reino das Sombras
não são fáceis de rastrear ou conter,
mas se forem deixadas vagando
livremente, elas destruirão a Terra,
junto com seus muitos recursos, em
questão de meses.”
Eu estremeci internamente.
Porra. Eu tinha feito isso ...
libertado essas criaturas que
poderiam destruir o mundo.
Aproximando-me dele, mas
mantendo distância suficiente para
não ser queimado novamente -
mesmo que neste estágio um
pequeno incêndio parecesse bom -
eu olhei ao redor. “Então, você é
capaz de rastreá-los e contê-los?”
Ele zombou, como se estivesse
lá em cima com minhas principais
perguntas estúpidas. E
considerando como ele reagiu a
muitos deles, havia uma
competição acirrada. "Você vai
aprender a ter medo de mim,
lobinho."
Foi a minha vez de zombar,
mas saiu como um bufo. "Yeah,
yeah. Então você continua me
dizendo. Qual é o sentido de querer
que todos tenham medo de você,
então? Não parece uma ótima
maneira de fazer amigos. ”
Ele parou o que estava fazendo
e até mesmo Inky parou de girar
em torno de seus braços,
acomodando-se em seu peito. "Você
quer que sejamos amigos?"
Dei de ombros. "Quero dizer, o
que machucaria se ficarmos presos
juntos por um tempo tentando
rastrear essas criaturas das trevas?"
Shadow foi quem se
aproximou, sua energia me
acariciando, enviando calor pelo
meu corpo que era quase tão bom
quanto um orgasmo. “Existem cinco
seres neste mundo que eu chamo de
amigo,” ele murmurou, seu sotaque
o mais forte que eu já ouvi. “Cinco
em quem confio com a minha vida
e por quem lutaria até a morte”.
Nesse ponto, eu estava
estúpido, perdido na escravidão de
sua voz e poder, mas ele não
aproveitou. Não. Ele se afastou,
tirando o calor delicioso e a energia
formigante de mim.
"Você não está nesse cinco,
lobo."
Ele começou a andar e eu
pisquei, tentando me trazer de
volta à realidade.
O fato de eu não estar entre os
cinco seres em que ele confiou sua
vida não deveria ter sido uma
surpresa para mim. Eu conhecia
esse cara por cerca de um vírgula
três segundos, e naquele tempo,
tinha sido principalmente tortura,
sarcasmo e medo, mas por alguma
razão estúpida, fiquei desapontada
quando o ouvi dizer isso.
Talvez até o final da minha
estadia com a Besta das Sombras,
ele aumentasse esse número para
seis. Ou talvez ele me matasse em
uma bola de pelo de fogo.
O fato de eu não saber para que
lado tudo isso iria não era tão
terrível quanto eu esperava que
fosse. Talvez eu tenha perdido
minha mente, ou talvez ... apenas
talvez, foi aqui que minha vida
realmente começou.
Tudo o que eu precisava fazer
era me certificar de que
permaneceria viva, o que
significava não irritar essa besta - e
ficar por perto para ver o que o
destino tinha reservado para mim.
Falando nisso, ele saiu
correndo novamente, rastreando a
criatura sombria. Não foi
exatamente um processo rápido.
Caminhamos por quilômetros, a
neve ficando mais espessa sob os
pés e o ar mais frio em cada parte
do meu corpo exposta aos
elementos. Não importa o quanto
eu tentasse me aconchegar em
minha jaqueta, a maior parte de
mim ainda se sentia congelada e,
eventualmente, quando meus cílios
não eram nada mais do que picolés
brancos, eu parei.
"Você está legitimamente
fodendo comigo nesta fase?" Eu
rosnei, meu lobo uivando dentro do
meu peito. “Por que você é tão
inútil no rastreamento?”
Sim, eu estava cansado.
Exausto, até. E eu com certeza já
estava farto de ser arrastado até a
metade dos confins do Canadá,
tudo por alguma pequena chance
de tropeçar em uma criatura das
sombras.
"O que você disse?" Ele parecia
genuinamente surpreso.
“Eu esperava que você fosse
melhor em rastrear do que isso,” eu
continuei descuidadamente, todo
meu plano de permanecer vivo
perdido em meu aborrecimento
exausto. "Você está apenas nos
conduzindo em círculos de merda."
Eu joguei minhas mãos no ar. “E o
que diabos eu estou fazendo aqui?
Por que você precisa de mim?
Aquele que lançou as sombras tem
que devolvê-las ou algo assim? ”
"Sim", ele rosnou. “O humano
descuidado e patético que lançou
criaturas sombrias para destruir a
Terra tem que ser o único a
reivindicá-los de volta.”
Bem, merda.
“Parece que você não pode
realmente me matar, então,” eu
disse, encontrando o forro de prata.
Mãos enormes, fortes e
cortantes, envolveram meus bíceps
e me puxaram para cima de modo
que meu rosto ficasse em seus 2,5
metros de altura. Engoli em seco
com sua expressão rosnando,
perfeita em quão aterrorizante e
deslumbrante era. “Você subestima
sua própria importância e a da
Terra. Eu não preciso deste mundo.
Mas você ... você tem amigos aqui.
Família até. Você faria bem em se
lembrar disso. "
Seu conselho foi sólido, como o
conselho foi, mas eu estava mais
consumida pelo fato de que ele
estava me tocando novamente e
não doeu. Como era extremamente
injusto que ele pudesse instigar
uma relação de toque unilateral
entre nós. Me fez querer tocá-lo
mais do que nunca, só porque não
era permitido.
“Eu peguei seu rastro de poder
novamente,” ele disse
abruptamente, rompendo a tensão
fortemente tecida entre nós, me
deixando de pé. "Me siga."
Eu queria bater meus
calcanhares e saudá-lo, mas ele já
tinha ido, e minha ação espertinha
seria desperdiçada. Ah bem.
Definitivamente haveria outro
momento.
Shadow se movia com
determinação agora,
aparentemente preso a essa trilha
de poder. Minha capacidade de
acompanhar estava diminuindo, e
enquanto meu lobo gemia
suavemente em meu peito para
ficar livre, eu me perguntei se seria
melhor mudar. Eu estava prestes a
perguntar a ele quando
contornamos um conjunto
particularmente denso de árvores,
saindo para ficar na beira de um
lago congelado.
Quando a Besta das Sombras
me roubou de Torma, já fazia
algumas semanas no inverno, mas
onde estávamos agora era o
inverno, e eu me perguntei se o
tempo estava passando mais rápido
na Terra do que na Biblioteca do
Conhecimento. Ou estávamos
realmente no extremo norte do
Canadá?
Não que o tempo realmente
importasse quando bem no centro
do lago congelado estava uma ...
criatura que estava muito além de
qualquer coisa que eu já tinha visto,
quase roubou meu fôlego.
"É isso aí?" Eu engasguei,
instintivamente me aproximando
de Shadow.
"Sim. É um abervoq. ”
Ele disse tão rápido que eu mal
ouvi o nome estranho, mas eu com
certeza não poderia perder a
própria criatura. Parado perto dos
2,5 metros de altura de Shadow, era
uma besta retorcida. A parte
superior parecia um touro, com
chifres enormes, focinho e olhos
grandes. A metade inferior era um
urso peludo com pelo preto que se
misturava bem com a escuridão que
o rodeava.
A escuridão não era a única
coisa que o cercava também. Não.
Havia pilhas de carcaças, centenas
delas, enchendo o lago de morte.
“Todos os animais,” eu
sufoquei. "Isso matou todos eles."
Alces, ursos, felinos grandes,
coelhinhos. Nada foi poupado de
sua ira.
"Abervoq são ladrões de
sangue", sussurrou Shadow.
“Parecido com os vampiros, mas é
mais do que sobrevivência para
eles. É um esporte. Eles tentarão
derrotar um ao outro com o
máximo de mortes. Eles são uma
das criaturas mais perigosas que
existem no Reino das Sombras. ”
“Ótimo,” eu respondi
suavemente, incapaz de desviar o
olhar da criatura da meia-noite
zurrando para a lua. "Como nós
paramos isso?"
Eu podia sentir seu olhar em
mim, pesado e pensativo, e tive que
decidir que criatura assustadora
olhar. Shadow Beast venceu.
"Você descobriu como tocar o
Reino das Sombras novamente?" ele
perguntou-me.
Eu balancei minha cabeça,
mudo. Palavras estavam em meu
cérebro, mas eu não conseguia tirá-
las da minha boca.
“Então teremos que subjugá-lo
e contê-lo em uma das salas da
prisão na biblioteca”, disse ele, “até
que você aprenda a controlar suas
habilidades”.
Eu estava balançando a cabeça,
o tempo todo pensando sobre essas
habilidades. Que habilidades eu
ainda tenho? Os shifters lobos não
deveriam ser capazes de tocar o
Reino das Sombras, então por que
eu poderia? E eu aprenderia a fazer
isso de novo rápido o suficiente
para impedir que a Terra fosse
consumida?
Shadow pisou no gelo,
crescendo em tamanho até ficar
maior do que eu já o tinha visto, e
mais uma vez eu estava me
perguntando se havia um limite
máximo em suas mudanças de
tamanho. E eu chegaria a ver isso?
Inky cresceu com ele, a massa
de redemoinhos de fumaça
crescendo até que se tornou uma
nuvem de tempestade de escuridão
atrás do próprio senhor das trevas.
Do meu ângulo, os dois juntos eram
realmente aterrorizantes.
Estranhamente, neste momento, eu
não estava com medo de Shadow.
Estávamos lutando do mesmo lado
e era bom ter um aliado. Por uma
mudança.
Escorregando no gelo atrás
dele, Shadow, que estava bem
longe de mim, estava felizmente
abrindo caminho entre os animais
mortos deixados espalhados pela
criatura. O sangue permaneceu,
entretanto, pintando o gelo em uma
grotesca obra de arte de barras
vermelhas e pretas. Era claro que
parte desse sangue tinha muitos
dias, enquanto outras mortes eram
respingos vermelhos recentes da
morte.
Minhas botas deslizaram por
ele e eu sabia que tinha que
aumentar o ritmo para chegar ao
lado de Shadow. Ficou mais difícil
manter o equilíbrio quando o
sangue ficou mais espesso e
congelou em partes, tornando-se o
equivalente a gelo preto.
“Espera aí, cara”, chamei,
quase caindo sobre a carcaça de um
urso preto. "Se você precisar da
minha ajuda, terá que esperar por
mim."
Shadow não se virou, mas o
abervoq o fez, parando o que quer
que estivesse fazendo, para olhar
direto para minha alma.
Nosso momento foi quebrado
quando rugiu, saltando no ar e por
cima da sombra para pousar bem
diante de mim. O gelo rachou sob
seu peso gigantesco e tentei recuar,
caindo de bunda no gelo
encharcado de sangue.
"Que porra é essa?" Eu gritei.
"Você é assustador como o inferno,
abervoq."
Ele rugiu de novo, não
gostando do meu rápido
julgamento de sua horripilância.
“Sem ofensa”, acrescentei em
pânico.
Ele fez uma pausa, inclinando a
cabeça para o lado, como se
estivesse tentando decidir o que eu
era e qual o gosto do meu sangue.
Não esperei por essa conclusão,
chutando e conectando-me ao seu
corpo peludo. Eu não tinha ideia do
que esperar quando minha bota
pousou. Essa coisa teria substância
ou seria como aquelas sombras que
eu toquei pela primeira vez em
Torma?
Minha bota conectou e o
abervoq escorregou.
Pondo-me de pé, fiz a pior
coisa possível ao escorregar em um
pouco de sangue fresco, cambalear
pelo gelo e, sem querer, me chocar
contra a criatura das sombras. Por
instinto, estendi a mão, envolvendo
meus braços em torno dele.
Eu estava realmente dando um
abraço de urso agora?
- Segure por um momento, -
Shadow gritou, rapidamente se
aproximando de nós.
O abervoq inclinou a cabeça
para trás e rugiu antes de tentar me
afastar como se eu fosse água
errante presa em seu pelo preto.
“Sim, claro. Sem problemas, ”eu
engasguei, segurando pelo resto da
vida agora. "Sem pressa."
Enquanto isso, eu o estava
amaldiçoando baixinho. Como eu
estava nessa situação? E eu viveria o
suficiente para salvar a Terra hoje?
UMA Em algum momento, o
abervoq deve ter percebido que eu
não era sua presa usual e, em vez de
correr de medo, estava literalmente
me segurando como um bebê coala.
O cheiro era estranho quando
enterrei minha cabeça contra a pele
áspera, como fumaça e poeira e um
cheiro de terra que eu não tinha
nenhuma referência.
Eu não o soltei, apesar do meu
medo, e eu poderia ter apenas sorte
em uma posição que estava a salvo
de suas garras. Ele parecia estar
preocupado que pudesse cortar seu
próprio peito, enquanto seus golpes
suavizavam, deixando-nos nesta
estranha dança da morte.
Apenas um seria o vencedor
hoje e eu estava determinado a ser
eu. De jeito nenhum eu tinha
sobrevivido a tudo que tive na
minha vida, apenas para ser
eliminado por uma criatura que
nem deveria existir na Terra.
Quando rugiu pela décima
quinta vez em poucos segundos,
meu lobo também começou a uivar,
e eu também - a chamada do meu
povo ecoando no céu escuro acima.
O abervoq parou de se mover,
parando de forma anormal, e
quando eu estava tentando
descobrir a próxima coisa horrenda
que ele planejou para mim, uma
mão em forma de garra veio e
acariciou minha nuca. Foi um
abraço gentil, quase amoroso, e
fiquei tensa, esperando a lâmina
cair.
Como aconteceu com as
centenas de animais mortos que
atualmente nos cercavam. Quer
dizer, não havia nada de fofinho
legitimamente nessa criatura, e
ainda, agora, ele estava ... me
abraçando.
Eu levantei minha cabeça,
finalmente corajosa o suficiente
para ver seu rosto, mas houve
apenas um segundo para travarmos
o olhar antes que Shadow chegasse,
arrancando o abervoq de mim.
Também fui voar, caindo em uma
pilha de cadáveres fedorentos. O
ambiente congelado havia
silenciado um pouco o cheiro da
morte, mas nadar em corpos como
este enviou uma lufada pútrida de
decomposição e excremento em
minhas narinas. Quase
arremessando meu jantar, eu me
arrastei para fora dos cadáveres,
tentando prender a respiração.
Forro de prata: eu estava
coberto de gelo e sangue, mas pelo
menos estava vivo.
Concentrando-me na luta,
pisquei para o quão unilateral era.
Alguém poderia ir mais longe e
dizer que o abervoq estava tendo
seu traseiro entregue a ele hoje.
Quando não era nada mais do que
uma bagunça desmoronada aos pés
de Shadow, me aproximei.
Olhos escuros e brilhantes
olharam para mim, e por que diabos
esse olhar me deixou tão triste?
- Coloque sua mão sobre ele -
Shadow ordenou.
Eu o encarei. "Por quê?"
Seus dentes apareceram,
parecendo um pouco mais afiados e
letais do que o normal. "Basta fazer
o que você disse."
Foda-se você. “Claro, não se
preocupe. Você deveria apenas ter
dito isso em primeiro lugar. ”
Sua mandíbula estava se
contraindo. Seu olho também, eu
tinha certeza. Parecia que meu
trabalho aqui estava terminado.
Abaixando-me, pressionei
minha mão no ombro coberto de
pele. Shadow tocou em mim e na
criatura, e senti um zumbido de sua
energia, mais forte do que o
normal, percorrer todos nós.
O abervoq soltou um uivo
lamentoso final, e então ficou em
silêncio. Inky envolveu a besta,
erguendo-a no ar, e Shadow partiu
novamente em sua caminhada
superdimensionada. Enquanto isso,
eu estava em estado de choque,
tentando descobrir o que tinha
acontecido.
Como ele me usou para
subjugar a criatura? Parecia que ele
poderia ter feito isso sozinho. Ele
estava escondendo algo de mim e
eu senti que, embora ainda tivesse a
ver com essas criaturas das sombras,
não era sobre eu restringi-las. Foi
outra coisa.
Eu precisava da biblioteca.
Continha respostas.
"Sunshine, mexa sua bunda!"
Shadow gritou sem se virar.
"Não me chame assim!" Eu
gritei de volta, sem me mover um
centímetro, embora eu sentisse que
estava prestes a congelar até a
morte de pé aqui.
Shadow apareceu diante de
mim, e como diabos ele se moveu tão
rápido?
"Você não gosta de 'Sunshine'?"
ele perguntou, parecendo
genuinamente curioso. Eu esfreguei
meu pescoço, me perguntando se
eu ia levar uma chicotada por causa
de suas mudanças de humor.
Eu balancei minha cabeça.
“Meu pai me chamou de 'Sunny'
por causa do nome de nossa família
e do meu cabelo. Era um apelido
carinhoso e adorei quando ele o
usou. Mas você ... você é o idiota
que me sequestrou, ameaçou minha
vida e me tratou como sua escrava.
Você quer que eu me curve diante
de você, pelo amor de Deus. Você
não pode me chamar de apelidos
bonitos. ”
Ele sorriu. Essa curva de seus
lábios era sexy pra caralho, e desde
que eu raramente o via com algo
parecido com um sorriso
verdadeiro, isso quase me bateu na
minha bunda. Perto de Shadow, era
impossível esquecer que ele era um
deus; havia muito mais sobre ele.
Minha respiração ficou presa
quando ele se inclinou para mim.
“Você é uma criatura brilhante,
borbulhante e irritante,” ele falou
lentamente, “que eu não consigo
matar, mesmo quando eu quero.
Então 'Sunshine' fica, e se você tiver
um problema com isso, uma pena. ”
Eu fiz uma careta. "Por que
você fala como um humano,
xingando e coisas assim?"
Seu sorriso havia desaparecido,
mas seus olhos ainda estavam
divertidos, o vermelho e o dourado
vibrantes. “Eu vivi entre os
humanos muitas vezes ao longo dos
tempos, de olho nos meus lobos. Eu
me adaptei a todos os idiomas e
idades. Você descobrirá que sou
muito bom em adaptação. ”
Antes que a resposta
inteligente que estava pairando na
ponta da minha língua pudesse
emergir, ele estendeu a mão e me
agarrou em seus braços, me
puxando por cima do ombro
exatamente da mesma maneira que
tinha feito na primeira vez que me
capturou. Desta vez, não houve dor
ou mal-estar enquanto o calor me
cercava, afastando os calafrios.
Antes que eu pudesse protestar por
ter sido carregada - eu odiava ser
segurada assim - nós saímos do frio
e voltamos para o longo corredor
entre os mundos.
"Eu não posso entrar neste
reino sem a sua ajuda, posso?" Eu
disse, descobrindo quando ele me
colocou de pé.
Sua expressão foi fechada
novamente, e qualquer humor em
seu olhar antes havia desaparecido.
“Continue fazendo as perguntas
certas ...”
Ele se virou e foi embora, indo
em direção a onde Inky e a criatura
sombria esperavam por ele.
“'Sunshine and Shadow' soa como o
nome de um casal fofo!” Eu gritei
atrás dele. “Devemos usar
'Shadowshine' ou 'Sundow' para
abreviar?” Eu tive um vislumbre de
olhos flamejantes antes que ele
desaparecesse de vista, levando a
criatura com ele.
UMA depois de nossas aventuras
congeladas, Shadow desapareceu e
eu passei os próximos dias
examinando a biblioteca, estudando
o diretório e varrendo os malditos
pisos. Gaster ainda era um rosto
familiar, prestativo e sorridente, e
quase parecia que estávamos
crescendo e nos tornando amigos
verdadeiros. Ele até começou a
almoçar comigo ocasionalmente.
Hoje, ele estava ocupado com
um novo desastre. Alguém de
Bolder cedeu a seus instintos
animais e, quando a fêmea não
retribuiu, houve uma pequena
briga. Aparentemente, em Bolder,
era tocar primeiro, pedir permissão
depois, mas eles eram encorajados a
lutar se não estivessem
interessados. Eu estava aprendendo
lentamente as regras, e esta era uma
que eu tinha visto de perto hoje.
O macho meio cavalo e a fêmea
meio urso acabaram destruindo
cerca de três fileiras de livros, e
agora os goblins estavam
freneticamente devolvendo seu
lugar sagrado à ordem,
supervisionado por Gaster.
O que me deixou almoçando
sozinho.
"Por que você varre?"
Eu empurrei minha cabeça
para cima, piscando para a garota
com rosto de anjo que ainda sempre
se sentava alguns lugares abaixo de
mim. Depois de uma rápida olhada
ao redor para ter certeza de que ela
estava falando comigo - embora eu
fosse o único idiota varrendo uma
biblioteca com autolimpeza -
finalmente respondi.
“Sob as ordens do Shadow
Bastar - quero dizer Besta. A Besta
das Sombras. ”
Seus lábios se contraíram
enquanto ela brincava com a
comida. Eu nunca a tinha visto dar
uma mordida de verdade, apesar do
fato de que nos sentávamos lado a
lado quase todos os dias. Eu
também nunca a tinha visto na
própria biblioteca. Ela só apareceu
para vir a este refeitório e nem
mesmo comia.
"Ele está tentando quebrar
você."
Eu bufei antes de voltar a
comer o delicioso bolo de chocolate
na minha frente. "Ele não tem ideia
do que seria necessário para me
quebrar."
Seu olhar ainda estava em
mim, o peso de seu poder sólido e
um tanto familiar agora. E pareceu
um grande passo à frente que ela
teve tempo para falar comigo.
Mesmo que fossem apenas duas
frases.
Nos dias seguintes, ela não
estava almoçando, mas estava em
minha mente. O enigma que era a
cara do anjo. Talvez da próxima vez
que ela falasse comigo, eu também
fizesse algumas perguntas.

“O MESTRE SOLICITOUque você se


junte a ele para jantar hoje à noite -
disse Gaster, sorrindo para mim
enquanto eu varria uma fileira de
livros. Pelo menos eu estava
varrendo até aquela declaração, e
então a vassoura caiu no chão.
Inky, meu companheiro
constante, o pegou antes que caísse
no chão. “Obrigado, cara,” eu disse
com um sorriso, e Inky cresceu em
seu tamanho maior, balançando
enquanto passava.
Eu tenho passado muito tempo
com uma bolha de fumaça
ultimamente e estava começando a
pensar em Inky como uma amiga.
Algo que eu estava em falta aqui.
Afastando-me, forcei um
sorriso no rosto "Por que ele quer
que eu vá jantar?" Perguntei a
Gaster.
Ele pareceu surpreso. “Mera, é
uma grande honra jantar com o
mestre. Você deveria estar
animado. ”
Eu balancei minha cabeça. “E
ainda não sou. Posso ligar dizendo
que está doente? É essa época do
mês, sabe? ”
Na conversa de shifter, essa
época do mês pode significar uma
mudança de lua cheia ou eu estava
prestes a perder o revestimento do
meu útero. Qualquer um
funcionava se me tirasse do jantar
com Shadow.
Inky balançou, rindo, e eu
estreitei meus olhos. “Você não
ajuda em nada, amigo. Você ama
aquela bola de fogo crescida. Pela
primeira vez, gostaria de um aliado
no meu canto. ”
Gaster e Inky continuaram a
me encarar como se não pudessem
por nada entender por que eu não
estava no Team Shadow. Lutando
contra o desejo de bater com a mão
na testa, girei nos calcanhares e
corri em direção ao meu quarto.
Entrando no covil da Besta, uma
sensação de calma desceu sobre
mim. Havia algo inatamente
reconfortante na biblioteca de
madeira escura, com seu fogo
sempre aceso, abundância de livros
e decoração masculina, mas não
opressora. Já que a presença de
Shadow tinha sido escassa, eu
estava começando a pensar nisso
como minha. Até mesmo tentando
pesquisar maneiras de matar uma
Besta das Sombras para que eu
pudesse manter seu covil.
O que posso dizer? Shifters
eram possessivos com qualquer
coisa que considerassem deles, e
esta biblioteca facilmente caíra
nessa categoria.
Pela primeira vez em dias, o
rosto de Torin passou pela minha
mente, e meu lobo soltou um grito
comovente que fez meus olhos
arderem. Os lobos eram geralmente
os mais possessivos de seus
verdadeiros companheiros, mas
Torin e eu estávamos condenados
desde o início.
Pelo menos ficar ocupado
ajudou a manter aquele idiota longe
da minha mente e aliviar as
rachaduras em minha alma por sua
rejeição. Parte de mim ansiava por
vê-lo uma última vez - para
encerrar ou talvez apenas por
curiosidade. Torin estava enraizado
em minha energia, minha alma, e
purgá-lo levaria uma tonelada de
tempo. Nesse ínterim, Shadow e
suas travessuras eram uma boa
distração.
De volta ao meu quarto, olhei
para um armário em constante
mudança. Hoje à noite, estava cheio
de vestidos de noite, claramente em
antecipação à requisição do jantar
de Shadow. Alcançando, eu corri
minha mão sobre o material sedoso.
Havia uma gama deslumbrante de
cores, e eu teria escolhido muitas
dessas roupas se deixasse por minha
própria conta. Não que eu já tivesse
tido a oportunidade de precisar de
um vestido tão chique.
No início, eu gravitei em
direção a um vestido preto
modesto, com um decote em
coração e bainha até os tornozelos.
Olhando para ele brevemente, eu
estava prestes a puxá-lo do cabide
quando uma onda de
aborrecimento me encheu. Shadow,
mais uma vez, estava forçando sua
vontade sobre mim. Ele não
perguntou se eu queria jantar com
ele; ele apenas exigiu.
Eu não entraria lá furtivamente
como um rato recatado, sob o
polegar de seu captor. Não. Foda-se
isso. O vestido preto foi devolvido e
em seu lugar escolhi um número
vermelho-fogo que normalmente
não combinaria com meu cabelo.
Mas, neste caso, era na verdade
uma combinação perfeita de ombre,
começando escuro no decote
profundo antes de desaparecer para
um morango claro perto da bainha.
Sem falhas. Não que eu
esperasse nada menos deste lugar
mágico.
Então, meu vestido foi
escolhido, e eu ia sair com o resto
também. Pela primeira vez em dias,
meu cabelo saía do coque
desgrenhado e eu finalmente tirava
um pouco da maquiagem chique
em minhas gavetas. Shadow me
queria neste jantar, e ele iria me
pegar. Cada centímetro preparado e
aperfeiçoado.
Era hora de lembrar a Shadow
que eu não era o animal de
estimação de ninguém.
"W que porra é essa? " Eu rosnei,
largando o pincel de
maquiagem com estrondo no
banco.
Como outras mulheres faziam
essa merda parecer tão fácil? Eu
estava começando a simpatizar com
Simone e suas tranças. Cabelo e
maquiagem eram difíceis, e a
menos que eu quisesse parecer um
palhaço, era melhor apenas limpar
tudo e começar de novo.
Quando terminei, meu rosto
estava quase nu, com apenas um
pouco de escurecimento na linha
dos olhos, um pouco de rímel, um
toque de vermelho nas bochechas e
um batom vermelho rico e
profundo. Isso teria que servir.
Meu cabelo, no entanto, estava
funcionando para mim pela
primeira vez ... Graças a Shad-
Na verdade, dane-se. Eu não
estava agradecendo a ninguém.
Cachos perfeitos caíram em
cascata pelas minhas costas
enquanto eu vestia o vestido
vermelho, e quando não consegui
fechar o zíper, chamei Inky, que
estava esperando no meu quarto.
“Inky! Amigo, você pode
entrar aqui e ajudar? ”
Os redemoinhos de fumaça
escura deslizaram por baixo da
porta e tentei não pirar com o quão
assustador parecia. Inky é nosso
amigo. Ou pelo menos um inimigo.
“Não consigo fechar o zíper”,
eu disse, falando com a fumaça
como se ela fosse uma entidade
viva e respirando. "Pode me
ajudar?"
Calafrios gelados traçaram a
pele nua das minhas costas - eu não
poderia usar sutiã com esse estilo -
enquanto Inky se aproximava.
Quando Inky me tocou, não senti
dor, apenas um choque elétrico
gelado sobre minha pele. Não teve
problema em fechar o zíper e, assim
como todas as outras roupas daqui,
o vestido caiu como se tivesse sido
feito sob medida.
Uma verdade absoluta do
tempo que passei aqui - não havia
como voltar a comprar minhas
roupas do cabide.
Com uma última olhada no
espelho, sorri para meu reflexo.
Sério, eu tinha que me vestir mais
de uma vez a cada vinte anos ou
mais. Não me interpretem mal.
Jeans, camisas e pãezinhos de
mamãe eram minha geléia, mas
havia algo a ser dito sobre entrar
em algum glamour de vez em
quando.
Esta noite foi minha noite.
Puxando os saltos combinando
que foram fornecidos, eu cambaleei
por um minuto antes de encontrar
meu equilíbrio. Quando fiquei
pronto, saí do meu quarto e entrei
no covil. Era apropriado que uma
besta tivesse um “covil” e eu me
perguntei se chegaria um ponto em
que eu veria sua verdadeira besta.
Shadow realmente tinha um lado
peludo?
Caminhando em direção ao
véu, percebi que não tinha ideia de
onde esse jantar estava sendo
realizado. O único lugar para comer
que eu conhecia era no corredor, e
duvido que tenha sido isso o que
Shadow quis dizer quando fez
Gaster exigir minha presença no
jantar. Especialmente não com o
estilo de roupa que me foi
fornecido.
Quando me aproximei da
lareira, ouvi uma gargalhada
profunda e quase morri. Minha
mão caiu para o meu estômago,
tentando acalmar o que parecia ser
mil borboletas em uma rave. Riso?
Eu nunca tinha ouvido Shadow
realmente rir, não de uma maneira
aberta e relaxada como aquela. Foi
desarmante, atraente e
completamente enervante. Quem
estava com ele causando esse tipo
de felicidade?
Incapaz de me ajudar, a
curiosidade martelando em meu
peito, meu estômago ainda uma
bagunça, eu me movi para frente,
meus saltos clicando no chão de
madeira enquanto eu caminhava. O
calor do fogo me alcançou primeiro,
cada um dos meus sentidos se
expandiu para tentar pegar um
novo cheiro ou energia não natural.
Mas não havia nada.
Quem quer que estivesse com
Shadow era tão poderoso quanto a
própria besta, capaz de mascarar
seu poder com facilidade. Inky me
envolveu de repente, e eu parei. "O
que?" Eu sussurrei. "É perigoso?"
Fui liberado imediatamente e,
antes que tivesse tempo de
questionar novamente, Shadow
estava se aproximando de mim. O
calor que pensei ser fogo, na
verdade era ele. Sua presença tinha
um calor líquido percorrendo
minha espinha e se acomodando
em meus pés de salto de 15
centímetros.
O olhar de Shadow era pesado,
o ouro em seus olhos como uma
explosão de luz do sol, combinando
com as chamas ardentes de seu
poder. "Você está atrasado", disse
ele. Como duas palavras podiam
soar tão ameaçadoras, eu não fazia
ideia. “Não gostamos de ficar
esperando.”
Colei meu sorriso mais largo,
rezando para que o batom
vermelho não estivesse manchando
meus dentes. “Uma mulher nunca
está atrasada, Shadow. Chegamos
precisamente quando pretendemos.

Obrigado, personagem fictício,
pela citação perfeita mais uma vez -
eu esperei anos para usar essa.
Shadow balançou a cabeça como se
ele não pudesse descobrir o que
diabos eu estava falando.
Então, o de costume com a
gente.
"Espere, nós?" Eu explodi.
“Quem somos nós?”
Seus dentes brilharam na luz
fraca do fogo próximo, e eu tive a
nítida sensação de que estava
prestes a ser comido pelo lobo
grande e mau. “É hora de descobrir
o que você é, Sunshine. Fora uma
dor na minha bunda, claro. "
Eu cruzei meus braços. "Veja.
Ser um pé no saco é minha vocação
na vida. Eu nunca vou parar, nem
mesmo por você. ”
Seus olhos desceram para onde
meus braços estavam firmemente
presos sob meus seios peitões. Esta
posição os empurrou para novas
alturas, e em um vestido decotado
como este, meus mamilos estavam
prestes a saudar o mundo.
Ambos olhamos para a exibição
impressionante e, com toda a
honestidade, não senti necessidade
de ser tímido e encobrir. Meu corpo
era o único que eu tinha, e eu usaria
esse filho da puta com orgulho. Ela
me manteve forte e em movimento,
e eu era grato todos os dias por
ainda estar vivo.
"Então, vai me levar para
jantar?" Eu finalmente disse,
cortando a forte tensão.
O foco de Shadow voltou para
meu rosto, sua mandíbula um
pouco mais rígida, seus olhos
brilhando. Ambos provavelmente
não tinham nada a ver com meus
seios e tudo a ver com ele estar
irritado com a minha existência.
Não era como se ele tivesse me
notado de uma forma sexual antes,
tratando-me mais como se eu fosse
um animal de estimação que ele
tinha que manter vivo
temporariamente.
Isso ficou ainda mais óbvio
quando ele estalou os dedos para
que eu o seguisse enquanto
caminhava com Inky em direção
aos sofás. Sofás que não estavam
vazios.
Engolindo meu choque, parei
na beira do brilho do fogo, tentando
absorver todos eles. Eu esperava
que houvesse um convidado - já
que ele disse nós - mas cinco
homens estavam sentados ao redor
do fogo, conversando casualmente ,
taças de cristal cheias de um líquido
vermelho escuro em suas mãos.
Houve um estrondo baixo e
hipnótico enchendo o ar enquanto
eles falavam, e eu não conseguia
entender uma palavra. Sua
linguagem lírica girava e
aumentava nas cadências mais
estranhas, e eu estava desesperado
para saber as palavras. Ao contrário
da Biblioteca do Conhecimento,
porém, aqui no covil, não havia
nenhum sistema de tradução
mágico. Uma verdadeira pena,
porque tudo o que eles estavam
discutindo os deixava super
animados.
Mesmo assim, o simples ato de
olhar para cada um desses
espécimes verdadeiramente
espetaculares da espécie masculina
era provavelmente mais do que
entretenimento suficiente para a
noite.
"Ela está aqui", disse Shadow, e
quase imediatamente, os outros
calaram a boca e viraram em nossa
direção. "Esta é Mera, a shifter de
quem eu estava falando."
Cinco pares de olhos pousaram
em mim, e em um corpo menos
confiante, um teria derretido no
chão no nível intenso de poder e
apelo sexual em uma pequena área.
Recatada não era meu estilo, então
decidi continuar normalmente.
"Onde Shadow está escondendo
vocês cinco?" Eu disse, admirando
descaradamente cada um deles ...
Espere ... cinco? Shadow me
disse que confiava em cinco seres.
Parecia que eu estava prestes a
conhecer os amigos de Shadow.
Sorte minha.
Todos eles se levantaram e, à
medida que se aproximavam,
Shadow se aglomerou nas minhas
costas. Eu não tinha ideia de por
que ele estava tão perto de mim,
mas estava muito distraída para me
preocupar com seu comportamento
estranho.
O primeiro a se aproximar foi
uma boa cabeça com mais de um
metro e oitenta de altura, vestida
com longos mantos prateados,
adornados com o que pareciam
joias reais de várias cores e
tamanhos. Ele tinha cabelos na
altura dos ombros, e era tão branco
como o gelo, que se a neve caísse
sobre os fios, ela se misturaria.
Na verdade, ele era, em sua
totalidade, construído em tons de
prata e luz, com olhos prateados -
mais alongados e felinos do que os
de um humano - estranhamente
brilhando enquanto eles olhavam
sem piscar. Ele também tinha
orelhas ligeiramente pontiagudas,
as pontas afiladas saindo dos lados
de seu cabelo parcialmente
trançado.
“Sou Len das Terras
Prateadas”, disse ele em um inglês
perfeito, estendendo a mão para
mim no gesto humano de apertar as
mãos. No momento em que nos
tocamos, formigamentos de gelo
percorreram minha pele, seu poder
surgindo em mim. Não doeu e não
foi invasivo o suficiente para me
afastar, mas parecia mais do que
apenas uma mera troca de energia.
“Silver Lands,” eu repeti,
minha mão ainda firmemente em
seu aperto.
Ele sorriu, e foi como eu
imaginei um arcanjo antes de cortar
a cabeça de alguém em uma busca
de vingança. "Sim, sou um príncipe
da providência de prata em Faerie."
Ah, certo.
Decidi manter um registro.
Amigo Um: Len, o príncipe fae
prateado.
O olhar de Len estava cheio de
travessura e diversão quando ele
me soltou, e eu não perdi a maneira
como seu olhar foi direto para
Shadow. Len balançou a cabeça
minuciosamente, e eu imaginei que
esse era o sinal dele para a besta
que ele também não podia me ler.
Boa.
O próximo era o completo
oposto de Len. Ainda mais alto, ele
era largo e poderoso em todos os
sentidos, vestido com calças de
couro preto e uma camisa de manga
comprida cor de osso. Seu cabelo
escuro estava quase raspado até a
cabeça em um estilo fácil de
gerenciar.
Quando ele se aproximou de
mim, o azul muito profundo e
escuro de seus olhos permaneceu
preso no meu rosto, como se ele
estivesse tentando me ler de longe,
e eu passei o mesmo tempo
examinando-o porque ele era tão
bonito de se olhar.
Quero dizer, deuses, ele tinha
cílios que podiam ser vistos da
porra do espaço exterior.
"Eu sou Reece, das Terras do
Deserto."
Ele não me tocou como Len
havia feito, mas ficou perto o
suficiente para que estivéssemos
quase nos tocando. Perto demais
para estranhos, mas por algum
motivo, isso não me incomodou.
Inclinando minha cabeça para trás,
tentei não parecer sem fôlego.
“Terras do Deserto, hein? Deixe-me
adivinhar ... você também é um
príncipe? "
Reece não sorriu. Algo me
disse que esse cara sorria ainda
menos do que Shadow, e por que
eu estava tão interessado nesses
idiotas sombrios e danificados?
"Ele é uma divindade", Len
saltou de onde ele se sentou
novamente. “Compete com nossa
Sombra em poder. E taciturno. ”
Meus lábios se contraíram com
isso, e eu já tinha Len classificado
na categoria de amigo espertinho.
Cada grupo tinha um - o palhaço. E
embora isso não combinasse em
nada com sua aparência real,
combinava perfeitamente com sua
personalidade.
Amigo dois: Reece, a divindade
do deserto, era mais difícil de
categorizar, mas eu tinha uma leve
suspeita de que ele era o músculo.
O próximo a se aproximar
tinha cerca de um metro e oitenta
de altura, com o físico mais
definido que eu já vi em um
homem. Fácil de dizer, já que ele
estava vestindo o equivalente a
uma cueca boxer masculina - e nada
mais.
"Eu sou Alstair", disse ele, sua
voz um sussurro em meus sentidos,
como uma brisa casual em um dia
de verão.
Coloquei minha mão na dele e
foi legal de uma maneira diferente
da de Len. Calmante, fazendo
minha cabeça girar enquanto eu me
lembrava dos dias perto do riacho.
“Você é de Karn,” eu respirei.
Alstair assentiu. "Sim."
Eu balancei minha cabeça.
"Você não se parece em nada com
os habitantes que vi em seu
mundo."
Alstair estava longe das figuras
andróginas que eu havia observado
anteriormente no mundo da água.
E embora sua pele tivesse um leve
tom azulado, não tinha a
translucidez de seus irmãos. Seu
cabelo era minha parte favorita,
porém, um emaranhado de cachos
verdes e azuis que saltavam sobre
sua cabeça. Eles combinavam com
seus olhos, que eram quase
completamente água, o menor
ponto da pupila no centro.
“Eu sou um guerreiro da
minha espécie,” Alstair disse
suavemente, e mais uma vez o
simples ato de ele falar foi
calmante. “Uma raça rara que nasce
em sua posição, com a tarefa de
manter nosso povo seguro.”
Amigo três: Alstair, o guerreiro
da água.
O frio e a calma neste grupo de
cabeça quente.
“É muito bom conhecê-lo,” eu
disse suavemente, adotando seus
modos inconscientemente.
- E você - ele voltou antes de
voltar para se sentar perto de Len.
Reece ainda não havia retornado
aos assentos e, em vez disso,
permaneceu ao lado de Shadow, os
dois gigantes na sala parados nas
minhas costas, certificando-se de
que em nenhum momento eu me
sentisse completamente relaxada.
Eu podia sentir os olhos de
Shadow em mim, observando e
avaliando enquanto cada um de
seus amigos poderosos se
aproximava de mim. Fazia sentido
que aqueles fossem seus amigos de
confiança, cada um deles forte e
poderoso. Seus iguais ... ou quase.
O penúltimo era
definitivamente de Honor
Meadows, e sua aparência
respondeu à minha pergunta sobre
se havia figuras masculinas lá. E
assim como as mulheres de seu
mundo, este homem era um
espetáculo para ser visto.
Com asas de ouro puro nas
costas, ele usava uma calça preta
simples, deixando o resto de sua
pele dourada à mostra. Seu longo
cabelo castanho mel estava
trançado em um estilo espesso e
complexo entrelaçado que nenhum
humano poderia ter alcançado. E
seus olhos eram tão escuros que
quase parecia que sua íris e pupila
eram uma só.
Sou Galleli.
Essas duas palavras pousaram
na minha cabeça enquanto eu
olhava ao redor freneticamente,
tentando descobrir o que diabos
estava acontecendo.
“Galli nunca fala em voz alta”,
Len gritou, o MC não oficial para
este meet and greet. "Você vai se
acostumar com ele na sua cabeça."
Eu engoli em seco. "Você pode
ler meus pensamentos?"
Ele balançou sua cabeça. Não, a
menos que você me permita acessar sua
mente. Sou simplesmente eu enviando
minhas palavras da maneira mais
confortável para mim.
Não tenho certeza se era
confortável para mim, mas eu não
ia dizer isso a ele.
"Quais são suas habilidades
especiais em Honor Meadows?"
Parecia que todos os amigos de
Shadow ocupavam posições de
poder e adoração em seus mundos,
e eu tinha certeza que esse cara não
era diferente.
Eu sou um dos Escolhidos. Somos
dotados de poderes e habilidades extras
e somos considerados uma espécie de
oráculos. Imagens do futuro e do
passado virão aleatoriamente para nós.
"Como uma vidente?"
Esses olhos negros perfuram-se
em mim. Nada como um médium.
Está bem então.
Amigo quatro: Galleli - não um
vidente.
Ele se virou abruptamente e se
afastou, e agora estava firmemente
encaixado no lugar de um falador
reticente. Em mais de uma maneira.
E por mais espetacular que
fosse de se ver, ele também me
deixou desconfortável de uma
forma que os outros que vieram
antes dele não fizeram. Havia uma
fúria reprimida fervendo sob a
superfície que poderia explodir a
qualquer momento, e decidi
naquele momento manter distância
daquela em particular.
O final do grupo de amigos se
aproximou, e quando ele se
aproximou, fiquei surpresa ao ver
que ele era o mais classicamente
humano em sua beleza. Pele
bronzeada, olhos verdes marcantes,
cabelo loiro despenteado mais curto
nas laterais com um pouco mais de
comprimento na parte superior.
Mas embora parecesse um humano
geneticamente abençoado, sua
energia estava longe do normal.
"Eu sou Lucien."
No momento em que ele tocou
minha mão, um choque de
eletricidade gelada me atingiu e eu
engasguei. Isso o fez sorrir, e eu tive
um vislumbre de incisivos afiados
antes que eles desaparecessem de
vista novamente.
“Valdor,” eu adivinhei.
Ele assentiu. "Porque sim. É
bom ver que vocês são inteligentes
e incrivelmente bonitos. ” Ele se
inclinou mais perto. “Eu sou um
mestre vampiro de Valdor, e eu
acho que você deveria se livrar da
besta mal-humorada e fugir
comigo. Eu daria a você joias e mais
tesouros do que você poderia
precisar. "
Amigo cinco: Lucien, mestre
vampiro.
O falador suave - eu estava
esperando por ele.
"Vamos lá", disse ele de uma
maneira charmosa, trazendo seu
rosto perto do meu, inclinando a
cabeça para dar um beijo na minha
mão.
"Chega," Shadow exigiu,
interrompendo pela primeira vez.
"Você está aqui para me ajudar a
descobrir o que diabos ela é, não
para seduzi-la."
Eu bufei. “E eu pensei que era
difícil em Torma perder minha
virgindade. Aparentemente, vai ser
ainda mais difícil aqui ... ”
Houve um silêncio mortal
enquanto eu parei, seis pares de
olhos fixos em mim, alguns
arregalados com o choque, outros
com interesse.
“Você está tentando me dizer
...” Shadow começou. "Que você
está intocado?"
A risada explodiu de mim
antes que eu pudesse impedir.
"Definitivamente não. Eu me toquei
mais vezes do que posso contar. ”
Mais silêncio, embora houvesse
alguns sorrisos ao redor da sala
agora - Len e Lucien em particular.
Shadow se aproximou. “Não
me entenda mal deliberadamente.
Você sabe o que estou pedindo ...
você não foi tocado por outro? "
Uau, esse não era o tipo de
conversa que eu esperava ter em
uma sala cheia de homens
poderosos. Já que não era da conta
deles, eu apenas empurrei Shadow,
tomando cuidado para não tocá-lo
antes de cair em um sofá macio.
“É melhor um de vocês idiotas
me trazer comida,” eu disse mal-
humorada. "Já que isso é para ser
um jantar."
Houve risos, embora Reece e
Shadow, que ainda estavam
fazendo sua coisa de executor
estóico, permaneceram em silêncio.
"Ela legitimamente não tem
medo de nós", disse Len,
balançando a cabeça. Ele se inclinou
para frente em sua cadeira. "Por que
você não tem medo de nós,
cordeiro?"
Eu imitei seus movimentos,
cruzando minhas pernas enquanto
me inclinei para frente, sem dúvida
mostrando a todos muito mais
decote do que eles esperavam ver
esta noite. “Fui torturado por
homens poderosos minha vida
inteira. Tendo crescido em minha
matilha como um proscrito, há
muito pouco que não foi infligido a
mim, além do estupro. Em algum
momento, tive que parar de temer
minha morte e começar a viver para
cada dia que consegui permanecer
na Terra. Eu escolho abraçar meu
poder e força - e nunca mostrar
meu medo. Isso é quem eu sou
agora e não vou mudar por
ninguém. Nem mesmo vocês seis
filhos da puta assustadores. "
Len não estava mais sorrindo.
Em vez disso, ele estava olhando
para mim como se eu tivesse
acabado de tirar a bunda nua para
acenar cassetetes e fazer uma
torcida.
Reece deu seu primeiro passo
ao lado de Shadow, me observando
de perto de uma maneira que ele
não tinha feito até este momento.
Ele não disse nada e, embora ainda
parecesse um pouco irritado,
grande parte da raiva tensa havia
deixado seu queixo. Minhas
palavras descongelaram um pouco
seu frio. Muito pouco.
“Você não precisa ter medo de
nós,” Alstair me disse baixinho,
chamando minha atenção de Reece.
Shadow resmungou. "Fale por
você mesmo. Ainda estou tentando
descobrir se meu melhor
movimento é apenas matá-la e
esquecer a Terra. Isso me pouparia
um monte de problemas. "
Eu mostrei a ele, por que não,
certo?
Seus olhos escureceram, e
quando ele veio na minha direção,
ele cresceu de tamanho.
“Ah, foda-se. Ela foi e fez isso
agora. " Lucien gemeu. “Shadow
vai se ferir e todos nós teremos que
juntar os cacos. Apenas a deixe em
paz, cara, ”ele gritou. "Ela é linda
demais para se despedaçar."
“Silêncio,” Reece exigiu. “Esta
é propriedade de Shadow, e ele
escolherá o que fazer com ela.”
Então eu mostrei o dedo do
meio para ele também porque foda-
se, cara.
Len estava histérico neste
momento, meio fora de sua cadeira
enquanto segurava o estômago e
ria. "Porra." Ele bufou. “Espero que
Shadow traga para casa mais
humanos perdidos para nós
brincarmos. Esta é a noite mais
interessante que tive em anos. ”
"O suficiente!" Shadow rugiu, e
era quase impossível entendê-lo
com tanta besta em suas palavras.
“Cai fora daqui. Agora."
Seus amigos não se
importavam com suas mudanças de
humor, demorando para se levantar
e terminar suas bebidas. Metade
deles acenou ou saudou um adeus e
deixou o covil. A outra metade
provavelmente pensou que Shadow
iria me matar esta noite e eles
nunca mais me veriam.
E eles podem estar certos.
O ma vez que a sala estava quase
vazia, notei que Reece ainda estava
lá, posado no que eu estava
apelidando de seu look. Braços
cruzados, rosto sem expressão,
olhos me despindo até o âmago.
Ele era definitivamente o
segundo Shadow.
"Está tudo bem, Reece,"
Shadow o primeiro rugiu. "Eu só
preciso colocar um shifter lobo em
seu lugar."
A sombra um e dois trocaram
um breve olhar, e estava claro que
anos suficientes de amizade
existiram entre eles para uma
comunicação sem palavras.
Reece me lançou um olhar de
comiseração, mas não disse mais
nada ao sair da sala.
Sozinho com Shadow, tudo
parecia um pouco mais assustador;
a besta parecia estar lutando uma
batalha interna. "Por que esse
vestido?" ele finalmente mordeu
fora. “O vermelho é um gatilho
para mim. De muitas maneiras. ”
Ótimo. Eu olhei para os longos
cachos vermelhos que estavam
caindo sobre meus ombros. “Isso
não estava no livro de regras,” eu
disse a ele. “Você deve imprimir
uma cópia para a próxima pessoa
que sequestrar.”
"Você obedece às regras?" ele
perguntou, um pouco da fúria e
raiva em sua voz sumindo.
Dei de ombros. “Só se eu
concordar com eles. Não é como se
eu estivesse tentando ser
completamente obstinado sem
motivo, mas tenho minha própria
mente e escolho usá-la ”.
Ele estava na minha frente em
um piscar de olhos, muito rápido
para eu sequer antecipar a morte
que estava por vir. Apesar da
minha bravata, eu tremi quando ele
se inclinou para traçar suas mãos
sobre meu corpo sem realmente me
tocar. Eu não conseguia respirar, ou
pensar, ou mesmo falar enquanto
seu calor me acariciava, deslizando
pela minha pele nua e abaixo do
meu vestido. As pontas dos meus
mamilos estavam tão duras agora
que apenas a sensação da seda
contra eles me fez conter um
gemido.
Deve haver algo
fundamentalmente errado comigo,
que mesmo enquanto eu tremia de
medo, antecipando meu último
suspiro, parte de mim foi excitada
pelo bruto de uma besta. O gosto de
seu poder na minha língua era
inebriante, minhas pernas
apertando enquanto a necessidade
me enchia.
Meu lobo choramingou em
meu peito, e foi um eco
fantasmagórico de como ela reagiu
a Torin. Shadow era atraente para
nós dois.
"Algo em sua mente,
Sunshine?" ele perguntou, outra
onda de calor passando por mim.
"Porra. Você, ”eu consegui
engasgar, felizmente não soando
tão excitada quanto eu.
Sua risada era sombria e sem
graça. "Você não faz isso,
aparentemente, e talvez, apenas
talvez, eu descobri exatamente
como fazer você entrar na linha."
É, não. Nunca acontecendo.
Quer dizer, eu gostava de pau - em
teoria - tanto quanto qualquer outra
mulher heterossexual, mas não
seria aquela garota. Hoje nao.
Demorou cada grama de força
de vontade que possuía para me
afastar. “Você nunca vai me
domesticar assim,” eu disse a ele,
orgulhosa de mim mesma por não
deixar uma única hesitação entrar
em minhas palavras. "Eu nunca vou
quebrar."
Dobre, sim. Mas quebrar era
uma história totalmente diferente.
Eu decolei então, correndo o
mais rápido que pude em um
vestido de salto. Pela primeira vez,
Inky não estava atrás de mim e eu
estava grato por ter uma noite
sozinha. Eu precisava de um
momento longe deles. Pela
intensidade.
Quando cheguei ao meu
quarto, bati a porta atrás de mim,
recostando-me e respirando
profundamente. Poucos minutos
depois, eu sabia que Shadow não
estava vindo atrás de mim, e isso
tinha que significar uma coisa: sua
sugestão tinha sido um teste. Outro.
Eu não poderia dizer se tinha
falhado ou não, e mesmo que seu
poder em cascata sobre minha pele
nua me fizesse querer escalar
aquela besta e transar com ele até
gritar, estava orgulhosa de mim
mesma por dizer não.
O equilíbrio de poder já estava
muito distorcido entre nós, e se ele
me pegasse completamente, ele me
possuiria de maneiras que eu não
poderia permitir.
Em vez disso, eu faria o que
qualquer mulher forte, proativa,
com tesão pra cacete deveria: sair
hoje à noite e amanhã encontrar
outra pessoa para perder minha
virgindade. Tirando o poder de
Shadow completamente.
Ele cometeu um grande erro ao
usar seu poder contra mim dessa
forma. Acordou uma necessidade
escura e perigosa que eu estava
suprimindo por muito tempo.
Tropeçando no chuveiro, eu
arranquei o vestido, usando minha
força de shifter quando eu não
conseguia alcançar o zíper. Era uma
pena estragar algo tão bonito, mas
tinha sido arruinado pelos eventos
desta noite de qualquer maneira, e
eu precisava disso.
Quando entrei na água, virei-o
totalmente para congelar, deixando
minha cabeça cair contra a parede.
O tremor em meus membros não
tinha diminuído; o fogo em minhas
entranhas queimava mais quente
do que nunca, e me perguntei se
talvez fosse perto da lua cheia na
Terra. Meu sangue nunca tinha
fervido assim antes.
Girando para colocar minhas
costas contra a parede, eu
lentamente deslizei para sentar no
chão do pequeno box do chuveiro.
A água gelada era como fogo contra
a minha pele excessivamente
sensível, e meu corpo doía, uma
batida forte batendo
constantemente entre minhas
coxas. Fechando meus olhos, cerrei
meus dentes.
Minha mão direita deslizou
pelos meus seios, brincando com
meus mamilos; suavemente no
início, antes de ficar um pouco mais
áspero. A dor foi um alívio bem-
vindo quando um gemido escapou.
Ao mesmo tempo, minha outra
mão patinou entre minhas coxas,
deslizando para o líquido que se
acumulava ali.
No primeiro golpe de meus
dedos em meu clitóris, eu gemi de
novo, empurrando a cabeça contra
a parede, enquanto trabalhava
sobre a protuberância apertada no
meu centro. Fosse a lua cheia ou a
Besta das Sombras, eu estava
completamente perdida no prazer,
e se ele fosse o único me tocando,
eu poderia ter prometido qualquer
coisa a ele.
“Puta que pariu,” eu solucei,
meus dedos se movendo mais
rápido enquanto os deslizava
dentro da minha boceta.
O rosto de Shadow cruzou
minha mente; a maneira como ele
manteve seu olhar dominador fixo
em mim a noite toda, durante cada
uma das apresentações de seu
amigo. Tão obscuramente atraente,
o tempo todo me deixando nua com
o vestido quase lá ...
Eu gritei quando o orgasmo
bateu em mim, com tanta força que
enquanto tentava sugar ar
suficiente para não morrer, quase
engasguei com a água escorrendo
pelo meu rosto.
O prazer durou muito mais
tempo do que o normal e, quando
terminei, me senti fodido de várias
maneiras. Principalmente, era o
conhecimento de que não poderia
deixar isso acontecer novamente.
Meus orgasmos não teriam
mais nada a ver com Shadow.
“S até varrer, eu vejo. ”
Esta foi a terceira vez que
Angel Face falou diretamente
comigo. Pela primeira vez, eu era o
irritadiço, meu lobo arranhando
meu peito enquanto a necessidade
de mudar pressionava contra mim.
Eu retruquei. "Ainda mexendo
comida no seu prato sem nunca
colocar nada na boca, pelo que
vejo."
Ela sorriu, deixando cair o pão
que estava batendo contra o prato.
“Não precisamos consumir
comida no meu mundo, mas adoro
o cheiro, então me sento aqui para
apreciá-lo o máximo que posso.”
Eu a encarei. "Você não come?"
Ela riu da óbvia incredulidade
em meu tom. “Não comemos
comida, não. Não é isso que
sustenta minha raça, mas tem um
cheiro tão atraente. ”
Eu bati minhas mãos na mesa.
"Você está me zoando?"
A diversão dançou em seus
olhos deslumbrantes. “Os humanos
sempre foram meus favoritos
quando se trata de uma frase
deliciosa.” Ela me olhou de perto.
"E você ... Você é especial."
Eu funguei. “Confie em mim,
eu não sou especial. Estou
simplesmente borbulhante. Todos
vocês, criaturas sobrenaturais, são
tão taciturnos que, quando surge
alguém que realmente gosta da
vida, você pensa que ela é uma
criatura incomum que precisa ser
estudada. ”
Angel balançou a cabeça. “Não,
é algo mais do que isso. Desde a
primeira vez que você se sentou
perto de mim, sem nem perceber
que ninguém nunca se senta na
minha seção, senti um zumbido de
energia vindo de você. Minha
curiosidade por você cresceu a cada
almoço que compartilhamos ... ”
Meu lobo escolheu aquele
momento para avançar, me
enviando para uma meia mudança
antes que eu a colocasse sob
controle. Fiquei de pé e agarrei a
borda da mesa. "Não quero ser
rude, porque estou amando nosso
novo momento de união, mas você
conhece um lugar onde posso
mudar e correr?"
Ela não perdeu o ritmo. “Eu
faço, na verdade. Você gostaria de
visitar minha casa? ”
Eu empalideci. "Tudo bem?
Quer dizer ... fui avisado para não
sair daqui. ”
Ela também estava de pé, uma
cabeça acima de mim, parecendo a
deusa para vencer todas as deusas.
Alguém se sentiria inseguro se não
estivesse no meio de uma luta
contra sua alma de lobo.
"Você está com medo,
lobinho?" ela me perguntou.
Outro estremecimento e onda
de energia. "Não. Apenas ... me leve
para ... ”
Não foram necessárias mais
palavras. Angel envolveu sua mão
na minha e então estávamos na
biblioteca, em frente à bela porta
dos prados. Inky, que devia estar
por perto, embora eu não o tivesse
visto no refeitório, se transformou
em uma enorme névoa para tentar
nos bloquear.
Angel acenou para longe. “Eu
vou cuidar dela. Você sabe que não
é bem-vindo em Honor Meadows e
não preciso lembrá-lo de que não é
do seu interesse ficar no meu
caminho. ”
Inky começou a faiscar,
sinapses visíveis dentro da fumaça,
mas Angel não demonstrou medo.
Ela apenas acenou de lado.
"Voltaremos em breve", disse ela,
abrindo a porta.
A luz mais brilhante que eu já
vi me fez fechar os olhos
brevemente, e me perguntei como
era minha vida agora. Prestes a
passar por uma porta aleatória para
um novo mundo, com um ser que
tinha feito pouco mais do que
grunhir e me encarar por semanas.
Mas nada disso importava. Este
foi meu primeiro gosto de liberdade
em muito tempo, e meu lobo e eu
estávamos tão prontos para isso.
Honor Meadows tinha uma
sensação calmante no ar, a luz e o
calor me lembrando do final do
verão em Torma. Cheirava bem
também, dando-me vibrações de
biscoitos da vovó, grama recém-
cortada e chuva persistente no
horizonte. Talvez esta terra tenha
como objetivo fornecer o ambiente
perfeito para se sentir em paz.
Porque era exatamente isso o que
estava acontecendo.
"Esta é a minha casa", disse
Angel, acenando com as mãos para
abranger os arredores imaculados,
que incluíam um longo campo
pontilhado de flores em tons de
ouro silenciado. “Você pode correr
aqui como seu lobo,” ela disse, seu
rosto mais relaxado do que eu já
tinha visto. "Eu sou o último da
minha linhagem familiar e vou voar
para mantê-la segura."
Por instinto, eu a abracei.
Novamente, deve haver algo errado
comigo para continuar fazendo isso,
mas felizmente, o poder de Angel
não me chocou para uma nova
realidade. Nossas energias se
encontraram e se misturaram, e eu
senti um zumbido na minha pele.
Foi estimulante e relaxante ao
mesmo tempo.
Quando me afastei, esperei que
sua carranca voltasse, mas em vez
disso, ela olhou para mim com
admiração. “Incomum,” ela
murmurou, mas era tarde demais
para perguntar mais porque eu
perdi a batalha com minha besta.
Um uivo cresceu em minha
garganta até que joguei minha
cabeça para trás e a lancei para o
mundo. Só tive tempo de tirar
minhas roupas antes que a
mudança quebrasse meus ossos e
me reconstruísse como um lobo.
Uma loba muito excitada que se
sentia em casa nesta terra,
saltitando e ganindo enquanto batia
contra as pernas de Angel de uma
maneira típica canina.
Nós decolamos, correndo
através da luz, ar fresco. Era
obviamente diferente da Terra;
poderíamos até nos mover mais
rápido, com muito menos fadiga.
Quando saltei alto no chão pela
segunda vez, Angel riu.
“Temos menos gravidade,” ela
gritou de cima, suas asas totalmente
expandidas enquanto ela ficava
comigo. "Corra como o vento,
caminhante lobo."
Eu fiz, e foi o melhor momento
que eu tive ... desde que eu
conseguia me lembrar. Só eu, meu
lobo e um anjo da guarda lá em
cima. Nunca cheguei ao fim de seu
campo relvado de ouro e nunca vi
mais nada nesta terra, nem mesmo
uma mancha no céu em tons de
açafrão.
Quando estávamos exaustos e a
necessidade de correr desvaneceu-
se, caímos no chão, apoiando a
cabeça nas patas, permitindo que a
natureza dual de nossas mentes
vagasse enquanto desfrutávamos
dessa temperatura perfeita. Depois
de um breve cochilo, acordamos
com Angel sentado por perto,
olhando para longe. Como sempre,
ela parecia bonita além deste
mundo, e ... um pouco triste.
"Pronto para voltar para casa,
lobinho?" ela perguntou quando eu
levantei minha cabeça. "A besta
estará furiosa, então é
provavelmente melhor não irritá-lo
mais."
Eu balancei a cabeça, ficando
de pé e seguindo-a enquanto ela
abria uma porta para a biblioteca.
Como Shadow, aqueles com acesso
pareciam ser capazes de
simplesmente abrir uma porta onde
quisessem.
Ela não me seguiu, e eu olhei
para trás para encontrá-la
enquadrada na porta, o brilho de
Honor Meadows atrás dela. "Vejo
você na hora do almoço", disse ela,
e então a porta foi firmemente
fechada.
Não sentindo nenhum grande
desejo de retornar à minha forma
humana - e nós tínhamos esquecido
nossas roupas de qualquer maneira
- eu decidi dar ao meu lobo mais
tempo para esticar as pernas.
Caminhamos pelas prateleiras, indo
aonde o instinto nos levava, e foi
bom até que avistei Inky à frente,
inchado quase até o tamanho de
uma parede. Ele ainda estava no
“modo puto” e eu tinha uma
suspeita de que deveria ficar quieto
por um minuto. Dê a ele e Shadow
tempo para se acalmar.
Abaixando minha cabeça, eu
lancei através do primeiro conjunto
de prateleiras, seguindo a parede
até que eu voltei para o véu da
frente, saindo para o corredor
branco. Meu lobo estava de alguma
forma no controle no minuto, e ela
teve o desejo de voltar para Torin ...
aquele a quem estávamos ligados
pelo destino.
Eu, por outro lado, não tinha
essa porra de desejo, mas o lobo
estava liderando o caminho.
Antes de chegarmos ao ponto
em que você poderia pisar na Terra,
uma porta branca nos distraiu. Ou
meu lobo, mais precisamente, já
que estava confuso pra caralho
sobre o que estávamos fazendo.
Ela pressionou o nariz contra
ela e, sem qualquer esforço, ela se
abriu. Quando entramos, estava
escuro, apenas a luz da porta
passando, mas não o suficiente para
eu ver mais fundo do que alguns
metros.
Devíamos partir.
Meu desejo mental foi
ignorado pela cadela teimosa que
era meu lobo, e quando ela entrou,
eu deixei minha própria
curiosidade ter asas - parecia que eu
realmente não queria pará-la de
qualquer maneira.
Enquanto caminhávamos mais
para dentro da sala, a escuridão nos
envolveu completamente e eu sabia
que não estávamos sozinhos. Senti
algo pairando fora de vista, e foi
apenas quando um berro familiar
quebrou o silêncio que tudo se
tornou surpreendentemente claro.
O abervoq. A criatura das
sombras. Meu lobo nos levou direto
para sua prisão, e ela agora estava
se preparando para ele, a cabeça
jogada para trás enquanto uivava
de volta. Que porra é essa?
Nossos olhos se ajustaram o
suficiente para que sua forma
grande aparecesse, seus membros
presos por correntes grossas. E
ainda assim, o lobo se aproximou
sem hesitação, e então, para o meu
choque, ela se deitou contra o pelo
da criatura. O abervoq soltou um
uivo final, mas não nos matou com
as garras. Em vez disso, uma pata
passou por nós, quase
protetoramente, e mais uma vez, a
salvo da fúria da Besta das Sombras,
dormimos.
T ele ruge me acordou.
Não mais na minha forma de
lobo, minha desorientação durou
alguns segundos antes que as
memórias retornassem: correr em
Honor Meadows com Angel, fugir
de Inky e depois me esconder ...
Eu me levantei, ou pelo menos
tentei, mas havia um braço peludo
pesado envolto em mim, me
segurando no lugar. O abervoq!
Porra. Merda. Porra! O que diabos
meu lobo estava pensando quando
ela escapou direto para esta cela, e
... como eu não estava morto?
O braço se mexeu, levantando
o suficiente para que eu pudesse
rolar para fora dele. Tropeçando no
meu caminho de volta para a porta,
finalmente encontrei a parede,
tateando por ela em busca da saída.
Quando o abri, a luz preenchendo o
pequeno espaço novamente, deixei
escapar um grito baixo quando
Shadow saiu das, uh, sombras e fez
sua presença conhecida. “Oh, oi,”
eu tagarelei, meus nervos à flor da
pele. "O que você está fazendo
aqui?"
Seu corpo vibrou - não havia
outra maneira de descrevê-lo - e
uma nova iluminação encheu a sala
enquanto as chamas lambiam sua
pele na forma de um lobo em
chamas. Oh, meu shifter. Pisquei,
incapaz de tirar os olhos do lobo em
chamas que Shadow usava quase
como uma fachada acima de seu
verdadeiro eu.
“Lobo demônio do fogo,” eu
respirei.
Eu tinha ouvido os rumores da
Besta das Sombras se
transformando em um demônio do
fogo, mas pensei que eram contos
exagerados. Havia tantas histórias
sobre a besta, algumas dizendo que
ele tinha três metros de altura,
outras que ele comia as almas dos
mortos. Eles falaram de seus olhos
de fogo e garras afiadas. Uma
história se misturou a outra até que
foi difícil mantê-las certas.
Considerando o quão perto
alguns deles estavam da verdade
real, alguém tinha que se perguntar
sobre a alma comendo um também.
“Você parece chateado,” eu
disse estupidamente. O eufemismo
do ano ali mesmo, mas eu não tinha
ideia do que dizer para acalmar essa
situação.
Silêncio.
Nenhuma palavra.
Se o corte de sua mandíbula
fosse qualquer indicação - oh, e
aquela besta demônio flamejante -
ele estava chateado demais para
falar.
"Meu lobo meio que levou o
melhor de mim", acrescentei,
silenciando minhas palavras,
mesmo enquanto meu próprio
aborrecimento crescia. Eu não
precisava de uma fera psicopata
perdendo a cabeça porque não fiz
exatamente o que ele queria.
Quando as palavras ainda não
vinham, tentei contorná-lo, cansada
e pronta para me lavar nas últimas
vinte e quatro horas.
Shadow fez seu movimento
instantâneo, aparecendo na minha
frente, o brilho de seu lobo
flamejante mais brilhante do que
nunca na escuridão próxima. "Qual
é a porra do seu problema, cara?"
Eu agarrei. “Fomos correr como
lobo, ela decidiu brincar com a
criatura das sombras e depois
tiramos uma soneca. Não é grande.
Combinado."
Ele colocou as mãos em volta
de mim, palmas tão grandes que
cobriram metade do meu corpo.
Enquanto ele me puxava para cima
e contra ele, eu vacilei com a onda
de calor que me atingiu. Não houve
dor, e em vez de afastá-lo, como
qualquer pessoa normal faria, eu
reagi da maneira que um lobo
recém-transformado - excitado e nu
faria.
Envolvi minhas pernas em
torno dele e o puxei ainda mais
perto.
O rosto de Shadow desceu até
o meu, o fogo de seu lobo demônio
desaparecendo. “Você pertence a
mim,” ele disse, sua voz nada mais
do que um estrondo de fúria e
demônio. “Não para honrar
Meadows. Não para as criaturas das
sombras. Não para a matilha de
lobos. Para nenhum deles. ” Sua
voz estava mais alta do que eu já
tinha ouvido. “Nenhum outro pode
reclamar de você enquanto eu faço.
Você faria bem em se lembrar disso,
lobo. "
Seus lábios estavam tão
próximos, e conforme cada palavra
forte emergia, eles ficavam ainda
mais próximos. Meu corpo doeu
quando me pressionei com mais
força contra ele. Não era como se eu
tivesse perdido as palavras que ele
disse - sua reivindicação dominante
e possessiva - mas, naquele
momento, eu não dei a mínima.
"O que você quer de mim?" Eu
respirei. "Se você acha que tem uma
reclamação sobre mim, então o que
diabos você vai fazer com isso?"
Eu estava louco para desafiá-
lo? Sim. Eu ia fazer mesmo assim?
Obviamente.
“Eu vou descobrir o que você
é,” ele rosnou. "Então, quando eu
descobrir isso ... vamos apenas
dizer, sua utilidade para mim terá
se esgotado."
Ai. Bem, ok então.
O abervoq rugiu atrás de nós,
diferente de seu berro usual -
melancólico, se alguma coisa. Tive a
sensação de que era triste ter
partido, e ainda acorrentado à
parede, não poderia me alcançar.
Os olhos de Shadow
dispararam sobre minha cabeça em
direção à criatura que gritava. “Eu
vou descobrir você,” ele me avisou.
"E quando eu fizer isso, qualquer
ameaça que você representar para
mim ou para o Reino das Sombras
será eliminada."
Blá, blá. “Sim, eu entendo.
Você quer me matar. Você está
triste por não poder me matar.
Tudo que você sonha é me matar. É
uma dança divertida. ”
Ele me soltou, mas já
antecipando esse movimento,
pousei facilmente em pé. Desta vez,
quando me mexi em torno dele, ele
me soltou.
Quando cheguei à porta, me
virei por um segundo. “Não
machuque o abervoq. Tenho certeza
de que não tem ideia de qual é o
meu problema. ”
"Sair."
Está bem então.
Felizmente, não parecia haver
uma maneira de Shadow matar
essas criaturas, ou ele teria feito isso
desde o início. Lançando um último
olhar preocupado para trás, dei
mais um passo em direção à porta,
mas por algum motivo não
consegui sair.
Shadow não se virou para
mim, mas parecia saber que eu
ainda estava lá. “Eu não vou
machucar a criatura,” ele disse,
claramente relutante em me dar
qualquer garantia. "Não posso
prometer o mesmo para você
depois de sua insubordinação."
Colocando minha língua para
fora em suas costas, decidi que era o
melhor que eu conseguiria. Eu só
esperava que ele tivesse mais honra
do que as histórias diziam. Verdade
seja dita, ele absolutamente tinha
um temperamento, e houve aquele
assassinato a sangue frio de Victor -
que totalmente mereceu - mas na
maior parte, ele não era instável.
Na verdade, cada uma de suas
ações foi controlada e
estrategicamente planejada.
Hoje foi a primeira vez que o vi
perder o controle. Eu o empurrei
longe demais, de acordo com meu
verdadeiro talento.
"Vou verificar o abervoq", gritei
enquanto corria para fora da porta,
batendo-a atrás de mim. Depois do
quarto escuro, estava claro o
suficiente no corredor para fazer
minha cabeça girar e pontos
dançando diante dos meus olhos.
E eu entrei em pânico. Todo o
pânico terrível. Lidar com Shadow
me distraiu brevemente, mas agora
não pude deixar de lembrar que
tirei uma soneca com um abervoq.
Uma das criaturas mais temidas do
Reino das Sombras.
Por que eu estava fazendo
amizade com um ser assim?
Possíveis explicações passaram
pela minha cabeça, cada uma mais
rebuscada do que a anterior. Mas
quero dizer, na realidade, havia
algo realmente rebuscado neste
ponto?
S hadow ficou longe de mim por
dias e, pela primeira vez, isso me
incomodou. Eu me vi com uma
tonelada de perguntas e nenhuma
resposta, e depois de muitas noites
sem dormir, eu estava desesperada
para ver seu rosto rabugento. Quero
dizer, ele era um deus, com séculos
de vida e conhecimento em seu
currículo. Ele precisava saber de
algo útil e eu precisava
ansiosamente de respostas.
"Ainda está varrendo, pelo que
vejo", disse Angel, explodindo em
meus pensamentos sombrios. Em
algum momento, meu apelido de
“Cara de Anjo” se transformou em
Anjo, e agora eu não conseguia
pensar nela por nenhum outro
nome.
Eu atirei-lhe um sorriso, me
sentindo um pouco animado ao vê-
la em seu local de almoço normal.
“Você está realmente brincando
comigo neste momento? O Inferno
congelou? "
Ela inclinou a cabeça. “É isso
que os humanos pensam que é o
Inferno? Um mundo de fogo e
tortura? "
Eu concordei. “Sim, na maior
parte, é tudo enxofre e queimando.
Danação eterna. Blá, blá. ”
Ela considerou isso, com a testa
franzida. “Essa é a pior vida após a
morte que suas mentes poderiam
conjurar? Porque, para mim,
aceitaria ser queimado dia após dia
em detrimento de outros eventos.
Isso é apenas dor física ... ”
O magenta de seus olhos se
aprofundou, girando em uma
espiral de magma, e por alguma
razão, eu esperava que a cor se
derramasse de suas íris e vazasse
por suas bochechas.
"Você viveu um inferno pior do
que queimar, não é?" Perguntei.
Ela não respondeu, o pão de
sempre nas mãos enquanto o usava
para ensopar uma sopa que nunca
provaria. Por um momento, surtei
por ter ultrapassado e os pequenos
motivos que fiz na amizade com ela
seriam destruídos.
“Sim,” ela disse, e eu senti uma
pontada ao pensar em seu
sofrimento. “E eu pegaria fogo em
qualquer dia da eternidade
fechando meus olhos e vendo suas
mortes.”
Sua voz vibrou com o tipo de
tristeza que era profunda em sua
alma, enterrada em sua própria
essência - criando uma mulher que
nunca seria inteira novamente. Meu
coração doeu e tive que oferecer
todo o conforto que pudesse.
“Se eu pudesse aliviar seus
demônios,” eu disse, estendendo a
mão e colocando minha mão sobre
a dela, “eu o faria. Mesmo com um
custo para mim. E espero que um
dia seus tormentos diminuam e
você encontre uma aparência de
paz. ”
Eu tinha meus próprios
demônios, e talvez tenha sido por
isso que nos tornamos amigos. Os
demônios de Angel jogaram bem
com os meus, e embora eu já
soubesse que não sofrera perdas
como ela, eu entendi. E eu iria
apoiá-la de qualquer maneira que
pudesse.
Afinal, uma mulher com uma
amiga leal ao seu lado pode
literalmente destruir ou salvar
mundos.
Angel apertou minha mão
antes de me soltar, e sua energia
ficou um pouco mais leve quando
ela voltou a brincar com sua
comida. Com uma risada, voltei
para o meu também, e nos
sentamos em um silêncio amigável.
Quando ela finalmente se
levantou para sair, limpei minha
garganta. “O que uma garota
precisa fazer para descobrir o seu
nome? Quer dizer, você é um 'anjo'
para mim agora, mas ainda gostaria
de conhecer você de verdade. ”
Quando ela virou a cabeça para
trás, travessura dançou em seus
olhos, a cor muito mais clara do que
antes. “Não uso mais meu nome.
No que me diz respeito, está morto
e enterrado, como meu coração. ”
Pelo amor de fodidos em todos
os lugares. Ela foi incrivelmente
trágica, e eu já odiava que minha
amiga tivesse passado por esse tipo
de tormento.
“'Anjo' então,” eu respirei,
minha garganta ficando apertada.
Ela assentiu. "Eu gosto disso.
Vejo você amanhã, Mera. ”
Então ela se foi em uma
confusão de cabelos cor de mogno e
asas coloridas de âmbar. Meu
apetite desapareceu enquanto eu
olhava para a minha comida meio
comida, me perguntando como eu a
interpretei tão mal desde o início.
Inicialmente, pensei que a atitude
dela em relação a mim se devia às
nossas posições muito diferentes na
vida. Eu era um shifter humilde e
ela era uma deusa feminina. Mas
então ela me disse que ninguém
nunca se sentou em sua área ...
Exceto um shifter idiota. Que
de alguma forma teve sorte em
atrair seu interesse.
Eu pulei quando uma mão
pousou no meu ombro. Inclinando
minha cabeça para trás, encontrei
Angel parado acima de mim.
“Obrigada,” ela sussurrou. “Você é
o primeiro ser a falar comigo em
quinhentos anos. Venho aqui para
cheirar a comida e sentir a energia,
mas fora isso, estou sempre sozinha.

Eu entendi tudo tão errado.
Levantando-me com um
puxão, girei e passei meus braços
em torno dela, segurando tão
firmemente quanto pude. “Você
nunca mais terá que ficar sozinho.
Se você precisar de ajuda ou de
alguém com quem conversar ... ou
qualquer coisa ... venha até mim. Eu
sou seu amigo agora. Sua família, se
é disso que você precisa. Podemos
proteger um ao outro neste mundo
fodido. ”
Ela segurou como se sua vida
dependesse disso e, apesar do leve
esmagamento de minhas costelas,
eu nem tentei me afastar. Quando
finalmente nos separamos, ela
sorriu brilhantemente, e fui
atingido com o quão perfeito meu
nome escolhido era para ela.
Ela colocou a mão no meu
peito, logo acima dos meus seios.
“Chamamos nossa família de
tesouro. Nosso tesouro. Estou
honrado em trazê-lo para o meu
rebanho. "
Sua mão livre então foi para
seu próprio peito, pressionando
contra a armadura que ela usava, e
um brilho explodiu dela e pousou
contra sua palma em meu peito. O
fio de ouro brilhante deslizou em
meu peito, uma sensação de
formigamento seguindo-o.
“Estamos ligados agora,” ela
murmurou. “Um vínculo que se
fortalecerá com o tempo. Em alguns
anos, você será capaz de chegar até
mim com seus pensamentos. E eu
farei o mesmo. ”
Fiquei sem fôlego e confuso
quando ela se afastou, dando-me
um aceno final antes de sair
novamente, desta vez de verdade.
Uau.
Eu fiquei lá em estado de
choque, contente e confuso com o
que ela tinha feito. Eu gostei, no
entanto.
“É uma grande honra”, disse
uma voz profunda atrás de mim.
Eu me virei para encontrar
Shadow casualmente encostado em
uma parede, seu ombro apoiado de
uma forma que deixava seus bíceps
já impressionantes maiores. Hoje,
ele estava vestido casualmente com
jeans rasgados, uma camisa justa de
manga comprida estilo Henley e
botas verdes amarradas nas
panturrilhas. Ele pareceria humano,
se não fosse pela altura impossível e
o rosto abençoado pelos deuses. Na
verdade, quanto mais eu estava
perto dele, mais sua beleza me
cativou. Do topo de seus cachos
desgrenhados até as pontas dos pés
calçados com botas, não havia uma
falha nele.
Pelo menos não fisicamente.
"Honra?" Eu ecoei, ainda um
pouco fora de forma pelas ações de
Angel.
"Que ela se vincularia a você de
tal maneira."
Ele se endireitou, dando um
passo em minha direção. “E mais
uma vez, aqui está você, reunindo
poderosos aliados ao seu lado.
Aliados que ninguém mais poderia
domar, não importa o quanto
tentassem. ”
"Angel é um aliado poderoso?"
Seu sorriso foi breve. “Anjo,
não é? Sim, isso se encaixa. Vamos
apenas dizer que ela é um dos
poucos seres que podem realmente
se defender de mim. "
Ele parecia divertido com isso,
e nem um pouco ameaçado - fora
de uma pequena chama queimando
em sua íris. Sentindo que deveria
desviar sua atenção de Angel, que
eu estava começando a entender
que teve permissão de existir aqui
porque ela se mantinha sozinha,
limpei minha garganta. "Você
precisava de mim para alguma
coisa?"
Ele assentiu. “Estamos presos a
outra criatura do Reino das
Sombras. Hora de sair. ”
Eu sorri. “Cara, qualquer coisa
é melhor do que varrer. Mesmo a
caça ao demônio supera isso por
uma milha. "
Seus olhos ficaram um pouco
maiores. "Você ainda está
varrendo?"
Eu concordei. "Sim. Me deu
alguns músculos do braço genuínos,
mas sua biblioteca já impecável não
está ficando mais limpa. ”
A menor contração labial. "Vou
encontrar outra coisa para mantê-lo
ocupado."
Tive o pensamento assustador
de que talvez sua “outra coisa”
fosse ser muito pior do que o que eu
estava fazendo até agora. “Sabe,
varrer é ótimo”, acrescentei com
pressa. "Estou definitivamente
fazendo uma mossa em toda a, uh,
poeira."
Ele balançou sua cabeça.
“Vamos, Sunshine. Vamos pegar a
próxima criatura antes que ela mate
mais de seus preciosos humanos. ”
Pela primeira vez, mesmo
ouvir aquele apelido temido não
me aborreceu. Correndo atrás dele,
eu o alcancei em segundos, quase
tropeçando em uma entidade
esfumaçada. “Inky!” Eu exclamei.
“Eu não vejo você há dias. Como
você está, amigo? "
Inky inchou, faíscas voando
enquanto me envolvia. "Isso é bom,
hein?" Eu disse com uma risada.
"Sim, eu também senti sua falta."
Shadow me lançou um olhar
estranho, calculista, mas sem a
malícia que ele normalmente
mostrava na minha presença.
"Não está mais perto de me
descobrir, está?" Eu disse com um
sorriso malicioso.
Não que eu tenha ficado
surpresa, já que eu também não
tinha me saído bem, mas ainda era
divertido zombar dele.
"Estou começando a ter uma
imagem mais clara", disse ele,
balançando a cabeça como se
estivesse juntando tudo. “Muito
mais claro.”
Algo me disse que no
momento em que ele descobrisse
meus segredos, qualquer apelo que
ele encontrou para me manter por
perto desapareceria muito
rapidamente. É hora de voltar para
a mulher misteriosa que valia mais
viva do que morta. Pelo bem de
todo o meu planeta.
R Voltar para a Terra deveria ser
como voltar para casa, mas descobri
que quanto mais tempo eu ficava
longe, mais difícil era me
reaclimatar para estar aqui. Eu não
era mais um shifter regular que não
sabia nada sobre o Sistema Solaris, e
parecia impossível algum dia ser
aquela garota ingênua novamente.
- Siga-me - disse Shadow,
entrando em um campo amplo e
gramado. Onde quer que
estivéssemos dessa vez, fazia calor e
eu semicerrei os olhos para a forte
luz do sol.
"É verão?" Eu perguntei,
tentando me orientar enquanto eu
olhava para o céu azul profundo,
perfeito fora de algumas nuvens
escuras preparando uma
tempestade no horizonte.
Em suma, parecia que
estávamos em algum lugar ao sul,
pelo menos nos EUA
- A estação fria acabou, sim -
disse Shadow, envolvendo-se na
escuridão, como se o sol o estivesse
ofendendo. Foi a coisa mais
estranha de se ver, com sombras
literais pairando sobre sua pele,
forçando a luz para longe.
Inky também se aproximou e,
no dia claro de verão, pude ver
mais pigmento e cor na fumaça do
que nunca. "Verão", pensei. "Então,
estou em seu covil há meses?"
Eu não poderia correlacionar
isso. Pareceu talvez um mês no
máximo, mas a julgar pelo calor,
tinha que se passar seis meses desde
que eu fui roubado das terras do
bando.
Shadow encolheu os ombros.
“O tempo é uma restrição humana.
Eu não rastreio obsessivamente
como vocês parecem fazer. Mas ...
”Ele ergueu a cabeça como se
estivesse cheirando o ar. "É julho."
Ele apenas ... farejou o mês?
Ok, incrível. O que mais ele poderia
fazer com esses sentidos?
Espere o que? Julho.
"Como isso é possível?" Eu
respirei. Fazia quase sete meses
desde que ele me roubou da Terra.
Simone e Dannie definitivamente
teriam assumido que eu estava
morto neste ponto - minha mãe
provavelmente nem percebeu que
eu tinha ido embora - e eu me senti
mal com a ideia de sete meses
simplesmente desaparecendo da
minha vida.
“Eu preciso ver minha
mochila!” Eu saio, parando Shadow
em seu caminho.
Ele se virou, a altura caindo o
suficiente para que eu só tivesse
que inclinar minha cabeça oitenta
graus para trás para ver seu rosto.
“Você quer voltar para sua
mochila? Não tratei você com
respeito todo o tempo que você
esteve na minha presença? "
Havia um aviso nessas
palavras, como se ele quisesse que
eu escolhesse minha resposta com
muito cuidado.
Então, como sempre, eu não
fiz. "Eu não iria tão longe quanto ao
respeito, mas você tem sido ...
menos idiota do que eu esperava,"
forcei um sorriso, porque precisava
que ele me desse isso, "mas minha
razão para querer voltar para
minha matilha é simplesmente
aconselhar os únicos dois
metamorfos no mundo que me
preocupam que não estou morta. Já
se passaram sete malditos meses, e
o tempo todo, eles não tinham ideia
do que aconteceu comigo. "
Suas pupilas dilataram
enquanto ele me olhava,
examinando meu rosto, em busca
de um significado mais profundo.
"Eu poderia enviar Inky?"
Era muito engraçado que ele
tivesse adotado meu apelido para
seu amigo fumante, mas eu riria
disso outra hora. Hoje, eu estava
focado em apenas uma verdade:
sete meses das terras do meu
bando. “Acho que isso pode
assustá-los, considerando que Inky
não consegue falar e, mesmo que
pudesse, eles iriam sem dúvida
correr primeiro e fazer perguntas
depois.”
Shadow deu de ombros e eu
me recusei a me deixar distrair por
seus ombros hoje. "Vou levar seu
pedido em consideração."
Ele se virou, encerrando a
conversa e, de alguma forma, eu
sabia que isso era tudo que
conseguiria dele. Eu tentaria
novamente amanhã. Isso era muito
importante para deixar passar.
"Onde estamos?" Eu perguntei,
correndo para alcançá-la,
enxugando minha testa com o suor
que já se acumulava neste calor
intenso. "Em algum lugar ao sul,
com certeza."
Ele não parou desta vez, e eu
tinha uma leve suspeita de que ele
não queria me contar no caso de eu
tentar escapar. Mas por que eu iria?
Shadow iria me encontrar não
importa o quão rápido ou longe eu
corresse, e quando ele me pegasse,
minha vida provavelmente estaria
perdida.
Eu não iria superestimar minha
importância ou a importância da
Terra para ele. O cara mal dava a
mínima para nada, muito menos
para nós.
“Acho que estamos em
Columbia”, disse ele brevemente.
“Se os humanos não decidiram
mudar os nomes dos países devido
a mudanças na massa de terra
desde a última vez que estive aqui.”
Uh, com licença? Quando a
aberração mudou as massas de terra
pela última vez? Ele era tão velho
quanto os dinossauros ou algo
assim? E eu realmente queria saber
disso? Eu ficava muito mais
confortável pensando que ele era
um jovem whippersnapper com
cerca de alguns milhares de anos.
É hora de mudar de assunto.
“Por que é tão difícil sentir as
criaturas das sombras? Você se
sentiu ... como dois deles em todo
esse tempo. "
Tinha passado um mês na
biblioteca - sete meses na Terra,
aparentemente - e este era apenas o
segundo em seu radar. Pela
primeira vez, ele não me ignorou
ou resmungou comigo. “Eu só
posso senti-los quando eles usam
suas várias habilidades. Caso
contrário, eles são virtualmente
indetectáveis. Todos nós sabemos
como esconder nossa energia
durante o descanso. ”
Não apenas quando
descansando, se Shadow fosse algo
para continuar. Quase nunca pude
senti-lo até que estivesse muito
perto e, mesmo assim, algo me disse
que ele ainda estava controlando o
fluxo de poder ao nosso redor.
Não houve mais tempo para
pensar nisso, porque
aparentemente tínhamos chegado
ao nosso destino: um campo verde e
marrom irregular, coberto de
espinhos espinhosos e manchas de
grama completamente morta -
como se uma matilha de cães
selvagens tivesse urinado pelo
lugar, saindo anéis perfeitos de
morte. Ficamos embaixo de uma
das únicas árvores, uma peça
retorcida e antiga que pareceria
meio morta, se não fosse por alguns
ramos de vegetação nova no alto.
Shadow não se moveu,
olhando para a terra, sua cabeça
inclinada de uma forma que me
disse que ele estava procurando. A
criatura não estava imediatamente
visível, e assim que comecei a
procurar com a besta, houve o splat
na minha pele. Eu olhei para baixo
para ver uma substância pegajosa
flutuando em meu braço direito. O
que…? Pisquei enquanto mais me
acertavam no rosto, e por mais que
eu quisesse fazer uma piada de
sexo, agora não era a hora.
Porque o que diabos acabou de cair
sobre mim?
Shadow mergulhou para mim
no momento em que aqueles fios
pegajosos em meu corpo se
apertaram e eu fui puxada para o
céu. Ele me pegou a tempo e
felizmente foi forte o suficiente
para me libertar do que quer que
tenha me pegado em seus
tentáculos.
"Ah", disse ele quando
pousamos em segurança no chão,
seu aperto firme em volta do meu
bíceps.
"Ah?" Eu gritei. “Ah ?! Que
porra é ah? "
“É um sprecker; um demônio
aranha. "
A whatintheholygodsnow?
Shadow estava perto o
suficiente para bloquear o céu
acima, então me inclinei para trás
para tentar ver ao redor dele. Os
galhos se espalharam acima de nós,
e pensei ter percebido algum
movimento, mas ele sumiu antes
que eu pudesse ter certeza.
“Quase me peguei”, eu disse,
tentando controlar minha
frequência cardíaca. "O meu lobo
poderia ter lutado?"
Shadow estava me observando
de perto, suas mãos ainda em mim,
o calor marcando minha pele.
“Você poderia ter tentado
lutar”, disse ele, “mas o veneno nas
gotículas em sua pele acabaria se
infiltrando em seu sangue,
deixando você muito fraco. O
sprecker só tem que esperar você
sair, e ele se move em super
velocidade, subindo e se
esquivando de uma forma que
poucos conseguem replicar. ”
Sua expressão mostrou
preocupação zero sobre este veneno
atualmente sendo absorvido pela
minha pele, enquanto suas palmas
seguravam meu rosto. O calor bateu
em mim, o fogo de seus olhos
brilhando enquanto ele passava as
mãos em meu rosto. Seu toque não
era suave; a pele de suas palmas
ficou áspera em seções. Eu não
tinha certeza de como isso
funcionava para um deus com pele
sempre reparadora, mas era o que
era. A pior parte era que cada vez
que seu toque pegava minha pele,
meu estômago fazia um
redemoinho fodido, o calor se
acumulava no meu intestino.
Realmente baixo pra caralho.
No momento em que o fogo de
seu poder limpou minha pele e
sangue dos resíduos de sprecker, eu
estava respirando mais pesado do
que me sentia confortável. Ele tirou
as mãos e pude pensar com muito
mais clareza.
"Como vamos parar isso?" Eu
perguntei, tentando recuar porque
ele ainda estava muito perto da
minha sanidade. Tipo ... esta não
era a hora de ter um colapso mental
e lamber um deus das sombras,
certo? Isso seria apenas uma má
ideia, não importa o quão curioso
eu estivesse sobre sua reação.
A árvore nas minhas costas me
impediu de ir muito longe, e
quando Shadow se inclinou mais
perto, eu quase perdi o controle.
“Você pode me deixar ir agora,
Luz do Sol,” ele murmurou, e foi
nesse ponto que notei minhas mãos
emaranhadas em sua camisa como
se eu o tivesse puxado para mais
perto. Bem, foda-se.
Enrugando meu nariz, eu
rosnei e o empurrei para longe.
"Discutível sobre quem está
segurando quem, cara." Na dúvida,
desvie e culpe a todos, menos a
você mesmo.
- Aí vem - disse Shadow,
esquecendo-se de mim enquanto
sua atenção estava mais uma vez
voltada para o céu.
Um suspiro engasgou na
minha garganta quando uma
monstruosidade cinza apareceu.
Não tinha as oito pernas de uma
aranha, mas havia vários membros.
Bem mais de oito, embora alguns
fossem muito pequenos e
parecessem inúteis, mas pelo menos
seis dos que estavam perto de sua
cabeça peluda pareciam fortes e
capazes enquanto ele corria. E de
quantos olhos uma criatura
realmente precisava?
- Ele quer você - Shadow disse,
com toda a força de seu olhar
encontrando o meu. "Estou chocado
pra caralho, e você?"
Eu fiquei boquiaberta com ele.
"Você ... Você acabou de usar
sarcasmo?"
Ele encolheu os ombros com
um meio encolher de ombros, mas
todos nós sabíamos a verdade.
Shadow Beast tinha acabado de ...
brincar - meio que - comigo, e eu
pude testemunhar isso. Talvez eu
espalhe essas histórias se algum dia
voltasse para a vida na matilha. Ou
talvez eu inventasse alguns ainda
mais assustadores, porque
brincadeiras à parte, sua maldade
não foi subestimada. Como ele
estava prestes a provar.
Dobrando suas pernas
poderosas, ele se lançou para cima
da árvore e, como se estivesse
canalizando Tarzan, puxou-se para
cima e ao longo de cada galho.
"Você não pode voar?" Eu gritei
para ele.
Ele fez uma pausa. “Onde está
a diversão em persegui-los assim?
Nah, eu prefiro muito mais ir até
eles com um terreno mais plano. ”
Lunático. Ele era um lunático
de verdade.
“Fique aí”, disse ele. "Eu estarei
de volta para você neutralizá-lo."
Cruzando meus braços, revirei
meus olhos para Inky. “Seu mestre
é uma fera maluca, você sabe disso,
certo? Você é amigo de alguém que
gosta de perseguir demônios ... para
se divertir! " Eu balancei minha
cabeça. “Precisamos de novos
amigos.”
Shadow pousou com força na
nossa frente, o chão tremendo com
o baque sólido. Quando ele se
endireitou para sua altura de 2,5
metros, havia um sorriso legítimo
em seu rosto. “Não subo em uma
árvore há quinhentos anos. Esqueci
como é divertido. ”
Eu apenas pisquei e pisquei,
me perguntando se eu tinha batido
minha cabeça. Ou talvez o veneno
tenha conseguido se infiltrar no
meu sangue e eu estivesse tendo
alucinações. Shadow parecia quase
... feliz. Eu não tinha ideia do que
pensar sobre isso.
Batendo no rosto algumas
vezes, eu me dei um tapa firme,
tentando acordar de qualquer
sonho que fosse. Mãos pousaram
nas minhas antes que eu pudesse
tentar novamente. "Não", disse ele,
sério novamente. "Não faça isso."
Com um giro de cabeça, tentei
ver sua expressão, mas ele já se
virou, estendendo a mão para
agarrar a criatura cinza prestes a
nos atacar. O sprecker cobriu
Shadow quase completamente com
sua substância venenosa e pegajosa,
mas isso não foi o suficiente para
impedir a besta de usar sua magia
sombria para prendê-la em um
pacote pequeno e conveniente.
“Sua vez, Sunshine,” ele me
disse, sem olhar na minha direção.
Se foi a expressão aberta que
ele usava antes, um nada em branco
em seu rosto, escondendo todas as
suas emoções mais profundas nas
muitas camadas que era a Besta das
Sombras.
Por um segundo, eu tive um
pouco mais dele para segurar, mas
como sempre, ele desapareceu
antes que eu tivesse mais do que
uma amostra.
A parte mais assustadora era
que, desta vez, o gosto estava longe
de ser suficiente.
O Assim que Shadow prendeu o
sprecker em uma das prisões com
portas brancas, fiz com que ele me
mostrasse o abervoq. Que,
felizmente, parecia estar em
perfeita saúde. Irritado por estar
enjaulado, berrando ao me ver, mas
estava ileso, pelo que pude ver.
Depois disso, Shadow decolou
e me deixou com meus próprios
dispositivos e comecei a me
perguntar para onde ele foi todas as
vezes que desapareceu em mim. Ele
tinha um amante em algum lugar?
Ou ele estava visitando seus amigos
em seus mundos?
Eu queria segui-lo, mas ele
sempre foi tão rápido - chegava em
um minuto e desaparecia no
seguinte, desaparecendo nas
sombras esfumaçadas, como se
pudesse usá-las para transportá-lo.
O que me deixou sem nenhuma
ideia real de como rastreá-lo. Em
vez disso, concentrei-me no meu
segundo passatempo favorito:
vasculhar a biblioteca para
aprender sobre os mundos.
A maior parte do que eu
peguei entre as varreduras foram
informações gerais sobre as várias
terras e seus habitantes. Eu gostava
de combinar isso com observações
da vida real dos seres que
frequentavam a biblioteca e, por
meio de ambos, sentia que tinha
uma compreensão razoável dos dez
mundos.
Bem, nove. Ninguém sabia
nada sobre o Reino das Sombras.
Exceto o próprio Shadow, e ele não
era do tipo que compartilha com a
classe.
“Eu realmente quero visitar os
mundos”, disse a Gaster, seguindo-
o para ajudar a arquivar livros.
“Tipo, cada um deles pelo menos
uma vez para que eu possa sentir as
diferenças.”
Ele inclinou a cabeça para trás,
as mãos ainda se movendo
enquanto colocava os livros sem
olhar. De alguma forma, ele
simplesmente sabia para onde eles
foram. “A maioria deles seria mais
do que bem-vinda a sua exploração.
Alguns não são tão hospitaleiros,
mas se você gostaria que eu
escrevesse um guia de viagem para
você, ficaria feliz em no meu tempo
livre. ”
Eu o abracei, pegando o pobre
rapaz completamente de surpresa.
Ninguém aqui se abraçou
aleatoriamente - aparentemente
isso era uma tradição da Terra -
então continuei assustando esses
pobres seres.
“Obrigado, Gaster! E embora
eu saiba que você não tem tempo
livre, se você puder encontrar
algum, eu adoraria um guia de
viagem. ”
Não havia como entrar nos
mundos sem alguma ajuda. Eu não
falava as línguas, não conseguia me
misturar e não tinha ideia dos
muitos e variados perigos que tinha
certeza que existiam. Mas se Gaster
me desse esse guia ... ajudaria
muito.
“Eu sei que Honor Meadows é
muito parecido com a Terra,” eu
disse. “E eu adorei visitar Angel,
mas realmente espero ver pelo
menos alguns dos outros mundos.”
Gaster acenou com a cabeça, os
olhos de volta em seus livros.
“Honor Meadows deve ser familiar
para você, exceto pela forma como
eles usam magia no lugar de
tecnologia e ciência. Eles são
baseados na natureza de várias
maneiras. ”
Eu sabia de tudo isso por meio
de minhas pesquisas, mas sempre
gostei de ouvir sobre os mundos.
“Eles passam sua magia pelas
linhagens familiares?” Eu pedi para
confirmar.
- Oh, sim - Gaster gorjeou.
“Quanto maior e mais forte sua
linhagem familiar é ou era, mais
magia e terra você controlará.”
Isso me fez pensar em Angel,
que eu tinha quase certeza de que
não havia mais ninguém em sua
família. Era por isso que ela era tão
poderosa? Ou essas mortes
realmente enfraqueceram sua
sabedoria de poder?
"Em. Mera! ”
Eu me virei quando Lady Hel
apareceu. A realeza semiduende
normalmente não falava
diretamente comigo, mas parecia
que ela tinha uma mensagem.
“Ei, senhora,” eu disse com um
sorriso. "E aí?"
Ela ficou brevemente confusa
com a minha forma de falar antes
de voltar a sorrir. “O Mestre quer
que a libertemos do dever de
varredura. Você pagou seu
empréstimo daem inicial e agora
pode passar para outras tarefas. Ele
não tinha certeza do que você
gostaria de fazer, no entanto. Você
tem alguma ideia?"
Gaster parecia em êxtase com a
notícia. “Você pode passear agora e
verificar mais livros.”
Claramente não tinha escapado
de sua atenção que enquanto eu
estava “varrendo”, eu consegui ler
muito também.
“Isso parece incrível ...” Eu
parei quando um rosto familiar
apareceu, de volta às prateleiras.
Alguém com quem eu precisava
desesperadamente falar. “Deixe-me
vagar um pouco. Talvez uma nova
tarefa venha para mim, ”eu
terminei, distraída.
Gaster e Lady Hel não
pareceram notar. “Oh, sim, ideia
fantástica”, disse ele. “Você explora
as muitas prateleiras, lê os livros
que chamam sua atenção, mas não
tenta desbloquear nenhum livro
que tenha uma inserção de chave
neles.”
Isso chamou minha atenção.
“Inserção da chave?”
Ele girou e examinou as
prateleiras mais próximas antes de
aparentemente encontrar um
desses tomos “intocáveis”. "Veja
isso", disse ele, segurando a coluna
perto do meu rosto. Imediatamente,
notei a pequena inserção de metal,
com seu orifício perfeitamente
redondo. “Eles estão bloqueados
para a segurança do leitor ou para
proteger informações classificadas.
Vai ser um choque muito forte se
você tentar contornar a fechadura, e
não tenho certeza se você seria forte
o suficiente ... "
Ele parou, mas todos nós
entendemos a essência do que ele
estava dizendo.
“Não se preocupe, Gaster”, eu
disse. "Muito para ler aqui sem me
preocupar com aqueles que podem
queimar meus olhos."
Ele estava todo sorrisos
novamente, satisfeito por seu aviso
ter sido dado, enquanto colocava o
livro não descritivo de volta na
prateleira. “Ligue se precisar de
mim,” ele gritou antes de se
apressar novamente. Se eu tivesse
um décimo de sua energia,
provavelmente seria muito mais
realizado do que era.
Mas não houve tempo para me
preocupar com minha preguiça,
enquanto eu entrei no modo
furtivo, perseguindo o homem que
eu tinha visto antes: Len das Terras
Prateadas. Esta foi a primeira vez
que eu vi algum dos amigos de
Shadow aqui, e eu não estava
perdendo a oportunidade.
O fae estava vestido com
mantos prateados novamente, estes
ainda mais elaborados e
requintados do que o último
conjunto. Como ele andava com
tantas joias e todo aquele metal
adornando seus braços estava além
da minha compreensão, mas não
parecia impedi-lo enquanto ele
pegava livros aleatórios. Ele estava
procurando por algo específico, e
quase tudo deixou uma expressão
de decepção em seu rosto.
“Você poderia ajudar, em vez
de se esconder nas sombras,” ele
disse, sem se virar. "Trocadilho
pretendido."
Trocadilho? Algum tipo de
escavação sobre Shadow que eu não
estava entendendo direito.
Saí de trás das prateleiras. "Há
quanto tempo você sabia que eu
estava lá?"
Ele riu, um som profundo e
rico que eu tinha certeza que
continha toda a maldita magia do
mundo, se a sensação ao longo da
minha pele fosse alguma indicação.
“Eu vi você antes mesmo de você
nascer, doce lobo. Não há nenhum
lugar onde você possa se esconder.

O que?
"Ok, claro, isso faz sentido."
Nem mesmo remotamente. “Mas
de verdade ... Você precisa de ajuda
com sua pesquisa?”
Ele balançou sua cabeça. "Não.
Há muito tempo procuro recuperar
uma joia especial que deveria ter
sido passada para minha família.
Foi roubado por alguém em quem
confiamos. Há muito pouca chance
de que seja recuperado e, ainda
assim, quando tenho tempo livre,
ainda procuro nos livros qualquer
menção. ”
Ele sacudiu a cabeça em
direção às prateleiras, embora
qualquer movimento tão suave não
pudesse realmente ser descrito
como um empurrão. “Os tomos das
fadas se atualizam usando magia.
Só que nunca há nada de novo
sobre a nossa pedra e, sem ela,
ficamos significativamente
enfraquecidos. ”
Eu tinha lido mais do que
alguns livros Faerie e tinha uma boa
ideia do que ele estava falando.
“Você pode armazenar magia em
suas joias para aumentar seu
próprio poder, certo?”
Era por isso que ele usava
tantos em sua pessoa, e porque sua
família era particularmente
poderosa, apesar da joia perdida.
Royals não nasceram para sua
posição em sua cultura; eles o
pegaram com força. Eu também
sabia que as gemas que podiam
armazenar poder eram raras em
Faerie, cada uma delas
violentamente guardada por
aqueles que as possuíam.
Len parecia um tanto
impressionado com o meu
conhecimento, seus olhos prateados
brilhando. “Correto, pequeno lobo.
Pedras diferentes têm capacidades
diferentes. A que foi tirada é uma
pedra amarela extremamente rara,
com capacidade de armazenamento
quase ilimitada. A lenda diz que
veio de uma gota de pura luz, a
única de seu tipo. ” Ele balançou
sua cabeça. “Simplesmente não faz
sentido que aqueles que pegaram
não usem, e ainda ... se o fizessem,
haveria um registro. A última
menção à pedra solar foi no dia em
que foi roubada da minha família. ”
Eu pensei nisso. “Quase como
se eles tivessem roubado por um
motivo específico e esse motivo
ainda não aconteceu?”
Ele soltou um suspiro irregular.
“É isso que me preocupa.
Tecnicamente, eles poderiam
armazenar lascas de energia dentro
da pedra todos os dias, o que não a
ativaria. Com o passar dos anos,
eles ainda acumulariam energia
suficiente para devastar as fadas ...
ou o Sistema Solaris. Precisamos
descobrir quem roubou e detê-los
antes que usem contra nós. ” Sua
frustração era óbvia. “É meu
trabalho proteger minha família e
meu reino. Não posso falhar nesta
tarefa. ”
"Você perguntou a Shadow?"
No momento em que disse isso,
me arrependi, especialmente
quando o sorriso de Len cresceu,
diversão genuína dançando em suas
feições. Agora parecia que eu
pensava em Shadow como nosso
único salvador, e discutir só iria
cavar mais fundo.
“Apesar dos rumores,” Len
parecia divertido, “Shadow não
sabe de tudo. E por mais útil que
meu amigo seja às vezes, neste
assunto das fadas, ele não pode
ajudar. ”
Uma gargalhada escapou de
mim. “Rumores? Aposto que ele
mesmo começou. ”
Len genuinamente parecia
estar tentando não rir. “Um
verdadeiro amigo nunca conta.”
Ele era um verdadeiro amigo;
todos eles eram. Eu não tinha
dúvidas de que se alguém tentasse
machucar um dos seis, o resto iria
retaliar sem piedade.
“Todos vocês têm sorte de
terem um ao outro”, eu disse.
“Tenho certeza de que, sendo tão
poderoso quanto você, é difícil
encontrar amigos em quem possa
confiar. Estou feliz que você
conseguiu o impossível. ”
O olhar de Len estava me
dissecando, lendo sob minhas
palavras. “Somos uma amizade
forjada no sangue, nascida no
campo de batalha, onde muitos de
nós lutamos uns contra os outros. O
destino decidiu que seríamos mais
fortes do mesmo lado,
especialmente depois que Shadow
salvou metade de nossas vidas ... e o
resto é história. ”
"Shadow salvou você?"
Ele assentiu. "Oh sim. Ele
sempre foi um lobo solitário, sem
lado para lutar, de um mundo além
do alcance. ”
Finalmente, chegamos a um
tópico de conversa em que eu
estava mais interessado. Shadow e
tudo o que aconteceu ao Reino das
Sombras. Quer dizer, por que não
havia informações sobre isso? Por
que sua porta foi selada, deixando
Shadow o único daquele mundo
aqui?
Fora de minhas criaturas, é
claro.
Minha necessidade
desesperada de saber os porquês,
comos e quem dessa situação era a
razão de eu perseguir o fae. Ele não
se afastou quando me inclinei mais
perto. "Por que Shadow está aqui e
não em seu mundo?"
Len balançou a cabeça. “Vou
precisar de mais do que um rosto
bonito para me fazer contar
segredos sobre aquele cara. Ele
chutaria minha bunda, e confie em
mim, dói quando ele o faz. "
“Então eu tenho que perguntar
a ele,” eu disse com um suspiro.
O sorriso de Len desapareceu.
“Você é mais corajoso perto dele do
que a maioria dos mortais. Imortais
também, na verdade, fora de nós
cinco. Não dê a ele um centímetro -
ele vai te respeitar mais. "
Dei de ombros. “Não é da
minha natureza me encolher. Ele
vai me matar ou não e, enquanto
isso, tenho uma vida para viver e
uma personalidade para aprimorar
praticando a confiança. ”
Len roçou o polegar na minha
bochecha, o movimento em um
flash. Foi desconcertante a rapidez
com que todos esses caras se
moveram - se eles atacassem, eu
estaria morto antes de perceber.
“Vamos jantar novamente esta
noite,” ele murmurou. "Você
deveria vir."
Antes que eu pudesse
responder, ele desapareceu no ar,
deixando-me olhando ao redor
tentando descobrir como ele fez
isso.
"Você vai comer comida de
verdade desta vez?" Eu gritei para o
espaço vazio.
Minha única resposta foi uma
risada profunda, e então sua
energia desapareceu da biblioteca.
W uando terminei minha leitura da
biblioteca, coloquei minha cabeça
na sala de jantar, mas não havia
sinal de Angel, então eu apenas fui
para o covil para tomar banho e me
trocar. A menção de Len ao jantar
desta noite despertou minha
curiosidade e eu queria dar uma
olhada. Principalmente para que eu
pudesse aprender observando esses
seres poderosos. Shadow sabia
muito sobre mim e eu sabia muito
pouco sobre ele. Era um equilíbrio
de poder desigual e eu odiava isso
mais do que qualquer coisa.
Eu não era tão estupidamente
ingênua a ponto de ignorar Shadow
e seu plano maior em ação aqui. Ele
não me disse quase nada sobre suas
ações nos bastidores, e tudo o que
ele estava planejando, me envolvia.
De uma forma que provavelmente
não gostaria.
Ele disse que precisava de mim
para subjugar as criaturas das
sombras, e essa era a razão de eu
ainda estar aqui e saindo com ele,
mas eu tinha quase certeza de que
era besteira. Ele não precisava de
mim. Ele os subjugou e os enjaulou
basicamente por conta própria
ambas as vezes.
Ele estava me mantendo por
outro motivo, e eu precisava de
mais informações para descobrir
essa merda se eu tivesse a menor
esperança de sobreviver.
Para este jantar, não me
incomodei em vestir um número
sexy de coquetel, em vez disso,
coloquei calças de couro, botas
pretas de cano alto com um salto
decente para disparar minha altura
entre os gigantes e uma camiseta
branca justa que cobri com uma
jaqueta de couro preta curta. Porra,
eu ia sentir falta desse armário mais
do que qualquer coisa quando
deixasse este lugar. Talvez eu
pudesse levar isso e o covil comigo,
porque ambos eram a matéria dos
sonhos.
Eu estava sozinho quando saí
do meu quarto; até Inky estava se
tornando esparso ultimamente.
Shadow estava “confiando” muito
mais em mim, e parecia uma
armadilha em que eu estava prestes
a cair. Eu meio que senti falta da
bolha de fumaça também.
Especialmente quando eu não tinha
ideia de onde seria o jantar.
"O que você está fazendo,
Sunshine?"
Não pulei porque era legal
demais para essa merda.
Principalmente na frente de
Shadow.
Com sorte, ele não conseguia
ouvir meu coração batendo como
um tambor no meu peito.
“Len me convidou para o seu
jantar,” eu disse brevemente.
Ele recolocou os livros em suas
estantes particulares, virando-se
enquanto seu olhar acariciava
lentamente cada centímetro
revestido de couro do meu corpo.
"E você está vestido assim?"
Era impossível dizer o que ele
queria dizer com isso, porque seu
tom e expressão facial não me
deram contexto para acompanhar
essas palavras. Suponho que ele não
pareceu impressionado, mas você
sabe o que ...
“Foda-se, amigo. Ninguém dita
o que eu visto, e estou muito mais
coberto do que da última vez que
você me convidou para jantar. ”
Sua mandíbula se contraiu, os
olhos brilhando, mas ele não
empurrou o assunto. "Você
descobriu como tocar o Reino das
Sombras?"
Eu engoli em seco. "Quero
dizer, você ainda quer que eu faça
isso?"
Chamas lamberam seus braços
e fiquei surpresa com quanto tempo
fazia desde que eu vi esse tipo de
irritação em sua expressão. “Sim, eu
quero muito que você descubra.
Esta é legitimamente sua única
tarefa nos próximos dias, enquanto
eu rastreio a próxima criatura
sombria. ”
Eu cruzei meus braços. “Não
tenho ideia de como fiz isso! Tipo,
nem uma única pista do caralho.
Minha alma estava quebrada, meu
coração doía e eu estava sendo
atacado. A menos que possamos
replicar isso ... ”
Ele agarrou a ponta da minha
jaqueta de couro, usando-a e apenas
para me içar no ar para que nossos
rostos ficassem a centímetros de
distância. Seu rosto que estava a
dois metros do chão. “Se eu tiver
que replicar o pior momento de sua
vida, Sunshine, eu farei isso. Todos
os dias, todos os dias. Não há nada
mais importante do que descobrir
como ... devolver as criaturas ao
reino. ”
Ele mudou de idéia no último
minuto nessa frase. Estávamos de
volta à sua história de capa de
“precisar devolver as criaturas das
sombras”. Não que não fossem
importantes, sem dúvida eram, mas
havia algo mais. Algo que tinha a
ver com o motivo pelo qual seu
reino foi fechado.
“Você teve tempo suficiente
para se instalar aqui,” ele disse
asperamente. “Eu dei a você mais
liberdade do que eu daria a
qualquer outro em minha custódia.
Não me empurre mais, e nunca se
esqueça de que você é meu, lobo. Se
eu quisesse, poderia destruí-lo em
um piscar de olhos.
Esta não era a mesma Sombra
que me levou para encontrar o
sprecker. Aquele parecia mais leve,
aberto ... como se ele estivesse se
aquecendo com a minha presença.
Este Shadow era o idiota assustador
que me roubou do bando de Torma.
“Vou adicioná-lo à minha lista
de tarefas”, engasguei antes de
chutar minhas pernas, esperando
que ele me decepcionasse.
Só que ele não fez isso.
“Repita a lista para mim.”
“Me solta, idiota,” eu atirei de
volta.
Ele me sacudiu, e a porra da
força que esse cara tinha era
aterrorizante, mas felizmente, até
agora, ele não estava usando contra
mim de nenhuma forma aberta. Tão
longe.
"Lista!"
Olhando com toda a porra da
minha capacidade de brilhar, cuspi
cada palavra para ele. "Figura. Fora.
Como. Tocar. O Reino das Sombras.

Ele me puxou para mais perto e
pude sentir todas as linhas duras de
seu corpo. Não que ele parecesse
notar o quão perto estávamos; ele
estava muito ocupado
demonstrando seu poder sobre
mim. “O que mais está na sua lista?
Eu pisquei rapidamente. “Por
que isso importa? Contanto que o
que você queira seja o número um,
com certeza, você não dá a mínima
para meus outros objetivos.
Uma risada baixa e sombria.
"Correto, mas também preciso saber
o que está distraindo você."
Shadow tinha chegado ao fim
de sua paciência e estava ficando
muito claro que eu provavelmente
deveria ter passado mais de cinco
segundos tentando descobrir como
havia tocado o Reino das Sombras.
Não houve cedência alguma
nas linhas duras de seu rosto; Eu
não ia sair daqui sem obedecer à
sua vontade. Com um bufo, eu disse
a ele a verdade. “Aprenda sobre os
dez mundos, leia todos os livros da
biblioteca, descubra seus segredos e
perca minha virgindade, então eu
não sou a única virgem shifter de 22
anos de idade no mundo.”
Uma pausa prolongada. "Você
quer foder alguém na biblioteca?"
quefoi o que chamou sua
atenção? Não o fato de que eu
estava pronto para descobrir todos
os seus segredos?
Dei de ombros. “Eu não decidi
exatamente quem, mas estou
examinando a seleção com certeza.
Quer dizer, uma garota tem
necessidades. ”
Seus olhos caíram para a forma
como meus seios, mal enjaulados na
minúscula regata branca, foram
empurrados contra seu peito. "Isso
está certo?"
Porra. Eu.
Estava quente aqui? Ele
explodiu em chamas novamente?
“Eu proíbo isso,” ele
finalmente disse.
Ei, espere um maldito segundo
...
“Sem chance, cara. Minha vida
pessoal não é da sua conta. ”
Seus lábios estavam tão perto
dos meus que eu quase podia sentir
o gosto dele. Se eu arremessasse
minha língua para fora ...
"E se sua virgindade for o
motivo de você ter a pureza e a
inocência para passar pelos blocos
do Reino das Sombras?"
Eu zombei. “Em primeiro
lugar, a virgindade não é o que
torna alguém inocente, e acredite
em mim, Shadow, estou longe de
ser puro. Em segundo lugar, não há
como você pensar que meu status
de virgem é um fator nisso; você
está apenas tentando tornar a vida
difícil para mim. ” Eu o golpeei no
peito, mal fazendo uma mossa já
que estávamos tão perto. "Não vai
acontecer. Já esperei o suficiente. ”
Um olhar contemplativo
cruzou seu rosto e me perguntei
que besteira ele estava pensando
agora. “Ninguém vai nem olhar
para você duas vezes se eu der a
ordem, você sabe disso, certo? Você
teria mais chance de perder sua
virgindade em uma ilha deserta
com pássaros como seus únicos
habitantes. ”
Eu nem queria tocar naquele
visual.
"Você está me desafiando?" Eu
explodi, o tempo todo dizendo a
mim mesma para calar a boca. Eu
estava dando a ele toda a munição
para bloquear meus planos. Se eu
apenas tivesse guardado para mim,
ele não teria ficado sabendo.
“Você não é um desafio”, ele
respondeu. “Você vive da porra da
minha vontade sozinho. O que te
faz pensar que pode me superar de
alguma forma? ”
Foi isso. “Aposto que posso
perder minha virgindade nas
próximas duas semanas.”
Você é o mais idiota, Mera.
Diversão cruel dançou em seus
olhos, e resisti ao desejo de arrancá-
los. "Pode apostar? E quais são as
apostas? ”
Abortar, abortar. "Se eu
ganhar, você me deixa voltar para
minha matilha e ver meus amigos."
“E quando eu ganhar?”
Arrogant Shadow Bastard.
“Na pequena chance de você
ganhar, o que você quer?”
Seu sorriso era
assustadoramente assustador. “Se
eu ganhar, você se submeterá a
mim de uma forma que não fez até
agora. Sem mais lutas. Não há mais
pesquisas. Você devolverá os livros
que pensa estar escondendo
embaixo da cama e aceitará seu
lugar aqui. No fundo do barril. ”
Jesus. A perspectiva disso
enviou um calafrio profundo pelo
meu corpo. Minha alma realmente
doeu com a ideia de perder minha
vontade de lutar. Ele iria tirar de
mim, eu vi isso em seu olhar, mas
eu tinha feito essa aposta, e agora
não podia recuar.
“Você está pedindo demais,”
eu engasguei. “As apostas são
desiguais. Não é justo."
Sua cabeça se inclinou para a
direita enquanto ele considerava
minhas palavras. "Quem disse que a
vida era justa?"
Eu zombei. “Sei melhor do que
a maioria que não é, mas, nesta
situação, não vou aceitar uma
aposta que desvie a seu favor.” Eu
balancei minha cabeça. "Não. Se
você vencer, vou parar de lutar
tanto, mas não vou me submeter
completamente a você. Não do jeito
que você está perguntando. Você
apenas terá que aceitar o máximo
que eu puder dar. ”
Seus lábios se apertaram,
diminuindo sua plenitude, os olhos
ainda me avaliando. "Bem. Você
nunca vai ganhar de qualquer
maneira, mas estou curioso para vê-
lo no modo de luta. Que os jogos
comecem."
Ele me soltou, mas eu não o
deixei ter a vantagem desta vez,
envolvendo meus braços em volta
do seu pescoço e puxando seu rosto
para mais perto do meu. “Você vai
cair, idiota,” eu fervi, minhas
pernas em volta de sua cintura com
tanta força quanto meus braços em
volta de seu pescoço. Eu me apertei
contra ele, sentindo a pulsação
quente de prazer por dentro. "Estou
pronto para sair deste estado, e não
vou deixar ninguém me impedir."
Seu rosnado foi baixo e furioso,
e antes que eu pudesse pensar em
minhas ações combativas, ele girou
e nos jogou nas prateleiras atrás de
mim, para que seu grande corpo
pudesse engolir completamente o
meu. Minhas costas doeram, mas
não o suficiente para parar o
gemido de emergir com a vibração
na minha boceta. Seu poder era
como um vibrador de alta
qualidade, especialmente quando o
sentia em cada linha do meu corpo.
“Você pertence a mim,” ele
rugiu. “Cada parte de você. Até eu
decidir que não. ”
Suas mãos estavam sob minha
bunda para me empurrar com mais
força contra ele, esfregando meu
clitóris de uma forma que eu sabia
que era deliberada. Outro gemido
escapou, mesmo quando eu queria
arrancar seu rosto.
“Será você quem vai ganhar a
aposta?” Eu engasguei, prestes a
gozar.
Ele riu. Na verdade,
fodidamente ri, e se não fosse pelo
pau duro pressionado contra o meu
núcleo, eu poderia ter pensado que
ele estava completamente afetado.
Fisicamente, pelo menos, ele não
era tão blasé como costumava
parecer.
Não que isso importasse. Ele
faria tudo ao seu alcance para me
impedir de ganhar a aposta, e eu
faria tudo ao meu alcance para
ganhá-la. Como ele acabara de
dizer: que comecem os jogos.
EU Depois daquela noite, enquanto
eu estava deitado em minha cama,
minha respiração ainda áspera e
irregular, tendo acabado de gozar
com tanta força que o suor cobriu
meu corpo, tentei descobrir o que
tinha acontecido no covil. Um
minuto lutando, o próximo
transando seco, e a aposta ...
O que eu estava realmente
pensando ao desafiá-lo? Todos aqui
temiam aquele desgraçado ... todos!
Eu não tinha esperança no inferno.
Mas eu precisava tentar. Não estava
em mim apenas rolar e aceitar a
derrota, mesmo que minha bunda
estúpida merecesse.
O resto da minha noite foi
preenchido com um sono agitado e
acabei acendendo a luz para
desenterrar os livros que havia
guardado debaixo da cama. Livros
que eu realmente não precisava
esconder desde que Shadow parecia
saber tudo o que eu tinha feito
desde que pus os pés neste lugar.
Provavelmente por causa daquele
pequeno informante, Inky.
Eu olhei para a nuvem de
fumaça que se materializou
algumas horas atrás, felizmente
após o orgasmo, e começou a ficar
por aí como um cheiro ruim. “Você
me traiu,” eu disse, olhando para
ele. "Delatando para Shadow sobre
mim."
Ele se transformou em uma
grande nuvem negra e, conforme as
sinapses me atingiram, tive o
pensamento mais estranho de que
ele estava tentando se comunicar.
“Eu não consigo entender você, não
importa o quão grande você fique,” ​
eu disse com um rosnado. "Por que
você simplesmente não sai
correndo e diz ao seu mestre que
estou lendo de novo?"
Verdade seja dita, esses livros
eram da biblioteca de Shadow, e o
bastardo controlador sem dúvida
sabia quando algo era tocado ali.
Mas no meu estado irritadiço,
privado de sexo, com fome-porque-
não-houve-jantar, eu estava
procurando uma briga. Inky era o
único por perto para eu reclamar,
então ele poderia simplesmente
lidar com isso.
Ele inchou ainda mais, então
eu virei minhas costas e fingi que
não estava lá, o tempo todo lendo
meu livro roubado sobre o Reino
das Sombras. Pelo que o diretório
me disse, não havia exatamente
nenhum livro sobre o Reino das
Sombras na Biblioteca do
Conhecimento. Pelo menos
nenhum sem fechadura. Na
biblioteca de Shadow, por outro
lado, eu descobri cinco livros
inteiros naquele reino, e sem
dúvida havia mais escondido - era
muito mais difícil pesquisar sem
um diretório.
Nos que encontrei, porém, os
detalhes eram esparsos.
Alguns fatos que eu aprendi: o
Reino das Sombras era na verdade o
reino mais semelhante à Terra, em
relação à estrutura. Eles tinham
grandes extensões de terra, corpos
d'água e muitos habitantes que
gostavam de sol, surfe e neve.
Dependendo de onde morassem.
Mas havia uma escuridão nesta
terra que não era a nossa. Um ponto
fraco real de criaturas sombrias que
eram consideradas de nível inferior,
controladas pela realeza. Aqueles
com magia e poder - como o
próprio Shadow - os mantinham
como guardas, animais de
estimação e diversão. O que tornava
minha teoria sobre ele apenas fingir
precisar da minha ajuda para contê-
los muito mais plausível.
Sem saber o nome verdadeiro
de Shadow, eu não poderia dizer se
ele era referenciado nesses livros,
mas havia muitas menções à família
real, seus casamentos arranjados e
os deveres que assumiam em cada
uma de suas terras. Ele tinha que
ser da realeza; simplesmente não
havia como ele ter o poder que
tinha de outra forma, a menos que
Inky de alguma forma o forçasse.
A pior parte era que nenhum
dos livros detalhava o feitiço na
porta ou por que o Reino das
Sombras havia sido isolado do
Sistema Solaris.
Alguém sabia, porém ... eu não
estava fazendo as perguntas certas.
Como eu toquei?
Isso por si só pode ter sido o
maior mistério de todos, uma vez
que estava bastante claro que
apenas aqueles nascidos do Reino
das Sombras normalmente podiam
acessar seu poderoso ponto fraco de
energia. Mas eu tinha uma teoria de
trabalho de que era minha conexão
com a Besta das Sombras. Shifters
nasceram dele, e talvez em minha
dor, minha alma alcançou uma
conexão antiga entre shifter e besta.
E então entre a besta e o mundo de
onde ele se originou.
Largando o livro, fechei os
olhos, procurando uma maneira de
tocar o reino novamente.
Lembrando a dor da rejeição de
Torin, foi menos intensa; Eu tinha
me acostumado a viver com a
perda, então como poderia replicar
essas emoções e a maneira como
minha visão se dobrou, como era
conhecido no passado ...
Eu me endireitei na cama,
livros espalhados por toda parte.
Ao longo da minha vida,
quando o bullying ou os ataques
estavam no seu pior, tive uma
ligeira alteração da minha visão.
Um evento que eu tinha escondido
do mundo, fingindo que não estava
perdendo a cabeça, quando na
realidade eu sabia que não era
normal. Tinha sido eu batendo em
Shadow e através dele o Shadow
Realm o tempo todo?
Para replicar, porém, eu teria
que me colocar em uma posição em
que temesse genuinamente por
minha vida ou sofresse abuso
intenso. Estranhamente, apesar de
suas tendências idiotas, isso não
tinha acontecido com Shadow
ainda, e isso significava que eu
precisava de outra pessoa.
Sem dúvida, um dos mundos
poderia criar momentos de terror.
O que Shadow disse sobre Faerie ...?
O que eles fazem com os terráqueos
que tropeçam em seu mundo me
faz parecer uma porra de um santo.
Faerie pode ser o mundo para
eu tentar, e conhecendo Len, ele
poderia me ajudar a navegar para
que eu realmente não acabasse
morta. Ele era amigo de Shadow,
então com certeza, se eu explicasse
o que precisava, ele ajudaria nesta
missão. Mas seria realmente
suficiente trazer minha visão dupla
se eu estivesse com alguém que
pudesse me proteger? Era tão difícil
prever o que poderia desencadear a
visão dupla, e forçá-la parecia um
convite ao desastre.
Quando a manhã chegou, eu
não estava mais perto de uma
conclusão sobre o que fazer para
provocar a visão dupla, mas
adicionei um monte de novas
teorias para refletir obsessivamente
por dias. Noite bem passada. Mas
hoje tinha uma aposta a ganhar.
Com isso em mente, me
arrastei para fora da cama e me
vesti com minhas roupas normais.
Eu não estava prestes a perambular
pelado para ganhar uma aposta -
pelo menos ainda não - e com toda
a honestidade, eu esperava
encontrar uma conexão antes de
fazer sexo. Seria bom se eu pudesse
perder minha virgindade com
alguém por quem eu estivesse
genuinamente atraída, com uma
personalidade que não me fizesse
querer esfaqueá-los.
Portanto, minha tarefa era
conversar com o máximo de
visitantes que pudesse e ver com
quem eu sentia uma conexão.
Então, mesmo se Shadow estivesse
assistindo, ele veria que eu não
estava fazendo nada diferente do
que antes, e talvez depois de uma
semana ou mais, ele desistiria de se
importar. Então era assim que eu
estava rolando hoje: legal, calmo e
casual. Os três cs.
Com sorte, seguido de pau.
T A biblioteca estava silenciosa
quando entrei. Isso em si não era
tão estranho. Muitas vezes os
goblins que comandavam o lugar
eram os únicos por perto. Mas hoje,
junto com o fato de que eu estava
tentando ganhar esta aposta e
Shadow tinha me avisado que ele
iria tornar isso difícil, havia um
fedor dele no ar.
Gaster apareceu depois de
alguns minutos, correndo com uma
braçada de livros.
"Ei, Gaster!" Eu chamei,
acenando para ele.
Olhos frenéticos dispararam
em minha direção, e fora de um
murmúrio “Muito ocupado,
desculpe”, ele nem mesmo fazia
contato visual. Isso acontecia
continuamente, ninguém se
aproximava de mim, falava comigo
ou olhava em minha direção, se
pudesse evitar. Nas poucas vezes
em que alguém acidentalmente
chamou minha atenção, o pânico
em seus rostos era histérico. Pelo
menos teria sido se eu não estivesse
completamente furioso com essa
besteira.
Quando o almoço chegou, eu
bati meu caminho para a mesa,
pedindo em tons curtos e cortados
para os servidores do robô. Eles
aparentemente não estavam fora
dos limites, porque eu não poderia
fazer sexo com eles.
Enquanto esperava, tentei
controlar minha respiração e me
acalmar.
"Shadow atingiu todo mundo",
disse Angel. "O bastardo é
imbatível quando você o desafia."
Em minha fúria, não a havia
notado ali. "Você tem permissão
para falar comigo?" Eu perguntei,
exasperado.
Ela deu de ombros, uma maçã
em sua mão hoje, com uma
pequena fratura na casca. Talvez o
cheiro fosse mais forte assim.
“Shadow não pode me controlar.
Não tenho medo dele ou de seu
tipo particular de persuasão. Ele
sabe disso, e alcançamos nossa
espécie de trégua ”.
Eu bufei. "Bem, parece que eu
tenho que perder minha virgindade
com você."
Ela se virou totalmente para
mim, abandonando sua fruta. "O
que é virgindade?"
Oh, uau. Bem, esta seria uma
conversa interessante.
“Então, tipo, humanos quando
eles não fizeram sexo ...” Eu parei
quando ela sorriu. "Você sabe, não
é?"
Sua risada foi um dos sons mais
bonitos que eu já ouvi. “Sim, eu
realmente passei muito tempo
monitorando o mundo humano.
Sou bastante fluente em seus
idiomas e expressões. ”
“Por que você monitorou a
Terra?”
Ela encolheu os ombros.
“Negócio de família, de tipo. Ficar
de olho em certas famílias
humanas, garantindo sua
longevidade e segurança. ”
Eu engoli em seco. "Mais ou
menos como um anjo da guarda?"
Aqueles olhos de porra antigos
pousaram em mim, as profundezas
saqueadas com dor e memórias.
"Sim algo assim."
Por alguma razão, isso me
atingiu com mais força do que
quase tudo que aprendi nesta
biblioteca de fantasia. Os anjos da
guarda pareciam uma coisa divina,
e talvez fosse daí que as escrituras
tivessem vindo - seres míticos de
Honor Meadows, vistos ao redor da
Terra ...
Ela riu novamente. “Ainda sou
o mesmo idiota reticente que você
conheceu no primeiro dia aqui. Não
me pinte com um halo ainda. ”
Meus lábios se contraíram e eu
não consegui parar de rir. "Ok, é
justo."
Ela se aproximou um pouco
mais, as asas batendo em mim
enquanto ela se acomodava.
"Agora, vamos descobrir o seu
problema com a Sombra."
Eu adorava ter um amigo com
quem fazer um brainstorm, porque
precisaria de toda a ajuda que
pudesse conseguir.
“Qual é o seu plano atual?” ela
começou.
Dando uma mordida no meu
sanduíche, mastiguei algumas
vezes, refletindo sobre o assunto.
“No início, pensei em usar a
biblioteca como meu terreno de
caça. Fale com todos que passaram
e veja se alguma faísca aconteceu
naturalmente. Mas, uma vez que
Shadow decidiu jogar duro, preciso
ser um pouco mais agressivo em
minha abordagem. ”
Dando outra mordida, suspirei
com os sabores deliciosos dançando
na minha língua. Pelo menos um
aspecto de hoje ainda era bom. “A
biblioteca não funcionará”, disse
Angel. "Você vai ter que escolher
um terreno e encontrar seu par
sexual lá."
Eu balancei a cabeça, engolindo
antes de falar. "Sim, esse era o Plano
B. Eu só estava com medo de
tropeçar em um mundo
desconhecido e de alguma forma
ser morto."
Os lábios de Angel se
contraíram. “E a Terra?”
Eu acalmei. "Eu nem pensei na
Terra." Mais uma vez, provando
que quanto mais tempo eu passava
longe do meu planeta natal, menos
me sentia conectada a ele. “Mas faz
sentido. O mundo mais fácil de
navegar é aquele de onde venho. ”
Sem mencionar que os caras
humanos eram basicamente paus
ambulantes. Seus cérebros lá
embaixo eram fortes e eles não
tinham receio de levar alguém para
casa por uma noite.
Angel estava rindo de novo, e
eu literalmente nunca a tinha visto
tão animada e relaxada. “Às vezes,
a solução mais simples é a melhor.”
"Como vou chegar à Terra sem
Shadow me parando?" Eu me
perguntei, sabendo que ele já teria
me antecipado usando uma porta
para escapar e ganhar a aposta.
“Posso ter uma ideia”, disse
Angel, baixando a voz a tal ponto
que tive que me inclinar para a
frente para ouvi-la. "Mas você pode
ter que ficar quieto por alguns dias
até que Shadow traga seus amigos
para sua noite de jogos semanais."
Eu sabia que aqueles bastardos
não estavam tendo jantares chiques.
Provavelmente era cerveja e
pôquer, ou qualquer que seja a
versão de deus sobrenatural disso.
“Eu posso fazer isso,” eu disse
com um aceno de cabeça. "Pode
acalmá-lo com uma falsa sensação
de sucesso se eu não reagir ao nível
de restrição que ele impôs a este
lugar."
Angel sorriu. - Oh, sim, e
melhor ainda, quero que você passe
esses dias tentando seduzir o
próprio Shadow. Dessa forma, ele
pensa que você voltou sua atenção
da biblioteca para ele. Ele vai gostar
desse joguinho e vai sentir falta das
minhas manipulações. ”
Havia algo sobre um esquema
que fez meu sangue bombear,
enquanto eu quase esfregava
minhas mãos de alegria. "Sim!
Estou aqui para isso, ”eu disse a ela.
"Apenas me diga o que você precisa
e eu irei cuidar disso."
Angel deu um tapinha no meu
ombro, suas asas se espalhando
atrás dela enquanto ela se
levantava. “Nós vamos fazer você
transar, meu amigo. Nem se
preocupe com isso. ” Ela se virou
para sair, seus olhos pousando em
Shadow, que aparentemente
acabara de entrar na sala. Então,
com um último pequeno sorriso em
minha direção, ela saiu.
Shadow se aproximou de mim,
parecendo presunçoso pra caralho.
Sem falar que estava mais quente
do que o normal, com o cabelo
despenteado e úmido, os restos de
suor escorrendo de sua testa. Ele
parecia ter saído direto do treino,
ainda de moletom, mas eu
duvidava que ele estivesse
treinando ferro em uma academia.
Os deuses não precisavam fazer isso
para serem destroçados como o
inferno, então provavelmente era
uma luta.
Tive pena de quem quer que
fosse seu pobre oponente.
"Como está indo hoje para
você?" Shadow perguntou,
afundando na cadeira que Angel
acabara de desocupar. Uma bebida
apareceu em sua mão, uma mistura
de prata, e mais uma vez, me
lembrei de suas habilidades e
poder.
O poder que ele estava usando
contra mim, mas me senti um
pouco mais confiante com Angel ao
meu lado.
Ela tinha um plano e, falando
nisso ... sorri amplamente. “Tem
sido ótimo! Eu tenho muito
trabalho feito, a comida é excelente
e acabei de bater um papo com meu
amigo. Tem sido bom ter uma
amiga gata deste lado ... Me faz
sentir um pouco menos de Simone
e Dannie. ”
Apenas parcialmente uma
mentira - eu ainda sentia uma falta
horrível de meus outros amigos.
Com olhos semicerrados, ele
me observou de perto. "E nenhum
outro problema?"
Eu balancei minha cabeça,
mantendo a mesma expressão
relaxada. "Não que eu possa
pensar." Meu olhar estava mais
focado enquanto eu fechava os
olhos nos dele. "E quanto a você?
Algum problema em seu mundo?
Você encontrou outra criatura das
sombras para nós rastrearmos? "
Recostando-se na cadeira, ele
cruzou os braços, ombros largos
batendo em mim como as asas de
Angel haviam feito. Não senti dor,
como sempre acontecia quando ele
me tocava. "Você quer saber sobre
meus problemas?" ele falou
lentamente, soando como se não
acreditasse muito em mim.
Inclinando-me para mais perto,
não fiquei surpresa com os olhos
suspeitos que ele manteve focado
em mim. "Sim. Você é um dos
poucos que não está muito ocupado
para falar comigo hoje ”- agir como
um idiota me irritou, mas era um
meio para um fim -“ e estou
genuinamente curioso sobre a sua
vida. Especialmente no dia a dia de
como você administra a biblioteca e
seu covil. ”
Se a suspeita aparecesse, seria o
rosto dele, mas ele me chamou pelo
meu falso interesse. “Certo, bem, já
que você perguntou, passei a
manhã lidando com o contingente
Faerie. O clã da prata e os do reino
das esmeraldas estão travando uma
pequena batalha por um terreno
que supostamente está cheio de
pedras preciosas. Examinar os
roteiros antigos para encontrar os
direitos de propriedade consome
mais tempo do que você imagina e,
como estou agindo como
intermediário nisso, estou prestes a
ir pessoalmente ao Faerie e
desenterrar a porra do lote para ver
se alguma dessas joias ainda existe.

Eu estava mais interessado do
que gostaria de admitir na vida de
Shadow, subconscientemente me
inclinando para frente. “Então esse
é o seu papel aqui, na biblioteca?
Aquele que supervisiona tudo e
evita que todos os visitantes de
outros mundos caiam no caos? ”
Shadow acenou com a cabeça
quando Inky se levantou para girar
em torno dele. "De uma maneira.
Eu estava lá no início da formação
desta biblioteca e, a partir disso, fui
o guardião do vasto conjunto de
conhecimentos que ela contém. Fiz
o meu melhor para garantir que
não caia nas mãos erradas. Minha
proteção também se estende a
qualquer pessoa que more dentro
dessas paredes, a menos que
infrinja uma das regras. Sou
chamado para mediar mais do que
gostaria, mas não desistiria do meu
poder ou controle por nada. ”
"E ainda assim você está
disposto a deixar a Terra cair para
as criaturas das sombras?"
Ele encolheu os ombros. “A
Terra tecnicamente não faz parte do
Sistema Solaris. É apenas vinculado
porque eu decidi tomar algumas
das melhores bebidas da terra do
deserto com Reece, e então quando
ele me desafiou a usar meu poder
para deixar um legado duradouro ...
shifters nasceram. ”
Eu bufei. "Você estava em
Brolder na época?"
Shadow acenou com a cabeça,
e tudo fez sentido.
“Éramos o produto de uma
aposta de bêbado”, eu disse
balançando a cabeça. "Agradável."
Shadow largou a garrafa ainda
cheia na mesa. O baque me distraiu
e no momento em que olhei para
cima, ele já tinha girado sua cadeira
em minha direção, estendendo a
mão para agarrar os braços da
minha cadeira e me puxar ao redor
também. Agora estávamos cara a
cara, minhas pernas presas entre as
dele.
“Que jogo você está jogando,
Sunny?”
Eu suspirei. “Não, você não
pode me chamar assim. 'Sunshine' é
uma coisa, mas 'Sunny' ... ”Eu
engasguei, e por mais que me
recusasse a chorar na frente dele,
ouvir o apelido de meu pai do meu
captor doeu no fundo do meu peito.
Como um pequeno corte, mas cada
respiração alongava a ferida,
derramando mais sangue até que eu
sangrasse.
"Ele ainda te chama assim,
sabe?" ele murmurou, não se
afastando de mim. Na verdade, ele
estava arrastando minha cadeira
para mais perto com cada palavra
até que eu estava praticamente em
seu colo.
“Q-quem faz?”
Meu pai estava morto, então a
quem ele estava se referindo?
Jaxson?
"Eu disse a você para onde
todas as portas levam ao longo do
corredor para a Terra?" ele
perguntou, sabendo muito bem que
ele não tinha.
"Não."
“Algumas são prisões, como
você sabe”, disse ele lentamente,
extraindo essa merda. “Outros são
depósitos de objetos mágicos que
são perigosos demais para serem
encontrados na natureza.” Certo,
certo. Vá direto ao ponto, cara.
“Existem também algumas portas
incrivelmente especiais que levam a
diferentes versões de uma vida após
a morte. Eu ofereço uma escolha
aos shifters caídos, dependendo de
como eu me sinto sobre seus
legados na Terra. ”
Meu coração parou de bater,
meus olhos queimando enquanto as
lágrimas os rodeavam. Orgulho à
parte, eu não pude evitar de reagir
ao que ele estava dizendo. "Você
viu meu pai?"
Foi um sussurro. Uma frase
curta e simples que queimou como
se tivesse sido marcada na minha
pele.
"Eu o acompanhei até sua vida
após a morte."
Minhas mãos estavam se
movendo, envolvendo em torno de
seus bíceps enquanto eu o segurava
com cada grama de minha força.
"Posso vê-lo? Por favor?"
A dor foi registrada um
segundo depois - eu estava tão
presa na possibilidade de ter outro
momento com meu pai que esqueci
o que aconteceu quando iniciei o
contato com Shadow.
"Argh, merda!" Eu gritei,
puxando minhas mãos e tentando
respirar profundamente o
suficiente para superar a dor.
Ai, ai, oucchhhh. Por que isso
doeu tanto?
E, no entanto, de alguma
forma, ainda doía menos do que
saber que meu pai estava atrás de
uma daquelas portas, e Shadow era
quem controlava se eu o via ou não.
“Y você não pode vê-lo. ”
Eu sabia que as palavras
estavam vindo, eu podia ver em seu
rosto, mas ainda assim ... Eu estava
sangrando até a morte agora? Ele
balançou todas as esperanças do
mundo diante de mim e depois as
destruiu.
"Por quê? Por favor. Esqueça a
aposta. Vou me submeter a você se
você me permitir ver meu pai. ” Eu
estava implorando, sim, e não tinha
porra de arrependimento sobre isso.
Tudo na minha vida mudou
quando meu pai decidiu atacar o
alfa, e eu precisava saber por quê.
Eu precisava de um encerramento.
E eu principalmente precisava saber
se eu poderia mais uma vez amar
livremente o homem que me criou,
mas que também arruinou minha
vida.
Eu tinha tantas necessidades.
Foi um fogo alimentando todos os
meus pensamentos e ações.
"Por favor, Shadow."
Por um breve, mínimo de
segundos, quase pareceu que ele se
arrependeu de suas próximas
palavras. “Não há como os vivos
conversarem com os mortos. Não
funciona assim. ”
Meu lobo uivou e um soluço
sufocado escapou dos meus lábios.
“Eu te odeio,” eu engasguei com
raiva. “Eu sei que há uma maneira.
Você simplesmente não quer me
ajudar. ”
"Eu poderia te matar e então
você teria todas as conversas que
quisesse?" ele retrucou. “Os vivos
não podem conversar com os
mortos.”
“E ainda assim, de alguma
forma você fez,” eu me enfureci
com ele, tentando me puxar para
longe. "Você o ouviu usar meu
apelido, o que significa que, a
menos que você esteja morto, é
possível."
Seu rosto estava a centímetros
do meu. Uma respiração áspera
bateu contra meus lábios, e eu
inalei seu cheiro inebriante.
"Ouça com atenção, filhote",
disse ele em um estrondo de
aborrecimento. “Eu sigo a linha
entre a vida e a morte. Todas as
sombras o fazem. Se você aprender
a tocar o mundo das sombras
novamente, talvez, apenas talvez,
você tenha a mesma habilidade que
eu de entrar na vida após a morte.
Mas até então ... ”Ele me empurrou
para trás com tanta força que minha
cadeira raspou no chão e acabei a
muitos metros dele. "Até então, não
me questione, porra."
Maldito seja. Por que sempre
foi assim? Empurre e puxe, quente
e frio, vida e morte. Nunca
poderíamos encontrar nosso
equilíbrio e talvez não houvesse
equilíbrio entre nós ... Talvez nós
dois fôssemos yin, com muita
escuridão em nossas almas.
Shadow se levantou, sua
expressão mais uma vez neutra
enquanto olhava para mim.
Normalmente, esse posicionamento
me faria ficar de pé, então eu estava
pelo menos tentando não ceder,
mas não conseguia me mover. Eu
fui derrubado, a respiração roubada
de meus pulmões.
“Você tem mais treze dias,” ele
disse enquanto se virava e saía da
sala, levando sua energia e poder
com ele.
Afundei ainda mais em minha
cadeira, com os nós dos dedos
brancos na lateral da mesa. Meu pai
esteve aqui. Apenas no final do
corredor de onde eu estava. Mas
que porta era? Devo apenas abrir
cada um deles até encontrar o reino
da morte?
Pondo-me de pé, corri em
direção à biblioteca, apenas para
colidir totalmente com Shadow,
que claramente estava esperando
por mim. Ele passou os braços em
volta de mim, me puxando para
cima sem nenhum esforço, então eu
estava completamente à sua mercê.
“Tão previsível, pequeno lobo,” ele
ronronou. "Você nem me deu
tempo suficiente para sair da
biblioteca."
Eu rosnei para ele, lutando ...
lutando tão duro como eu sempre
fiz antes. "Por que você estava
esperando por mim?"
Ele sorriu e eu joguei minha
cabeça para trás e uivei no topo dos
meus pulmões. Um uivo familiar
que eu produzi quando meu
companheiro me rejeitou. O uivo
que derrubou os shifters e me
deixou tocar o Reino das Sombras.
Minha visão dobrou quando a
náusea aumentou, pronta para
explodir como um vulcão. - É isso aí
- disse Shadow, parecendo satisfeito
demais. “Construa a partir disso,
Mera. Construa um caminho que
você possa seguir. ”
Ignorando-o, deixei meu lobo
sair, atacando-o assim que fui
parcialmente transformada.
Quando mordemos seu pescoço,
houve uma resistência
espasmódica, nossas presas não
encontrando tração. Não podíamos
perfurar sua pele; a besta era forte
demais para mim.
"Você está perdendo tempo",
ele retrucou para mim,
despreocupado com a minha
tentativa de matá-lo. "Você precisa
abrir a porta para o Reino das
Sombras."
Porta.
Quando meu lobo se mexeu
para descer, ele me colocou de pé e
saímos o mais rápido que podíamos
em direção à porta. Minha visão de
lobo também foi duplicada,
tornando tudo mais sombrio do que
o normal.
Felizmente, a biblioteca estava
vazia de visitantes regulares, então
tínhamos um caminho livre, com
apenas uma Besta das Sombras
atrás de mim. Rabo de lobo literal
como era. Desta vez, em nossa visão
dupla, não parecia haver nenhum
residente do Reino das Sombras por
perto para tocar, ou talvez fosse
mais difícil chegar ao reino da
biblioteca? Estranho, já que a porta
estava realmente aqui, e agora em
nossa visão.
Ao contrário da última vez que
olhei para ele, havia uma fumaça
óbvia cobrindo toda a porta hoje,
parecendo muito com o Inky. Mas
não era a mesma coisa - sentimos a
diferença. Inky era uma energia
relativamente positiva, enquanto
tudo o que revestia a porta havia
sido puxado das profundezas do
inferno.
Uma energia infernal que meu
lobo não queria tocar. Nós
recuamos, mas Shadow não aceitou
nada disso, pressionando atrás de
nós, usando sua vontade para nos
impulsionar para frente.
Um gemido escapou quando
nosso nariz tocou uma mecha
inchada de escuridão que havia
escapado da massa. Ele recuou,
assim como nós, mas, mais uma
vez, nosso retrocesso foi bloqueado
por um imbecil gigante.
Shadow não iria nos deixar
esconder a chance de quebrar o selo
de suas terras. Enquanto o corpo do
meu lobo era empurrado para
frente, a fumaça nos envolveu,
insidiosa e fria, e eu tive o breve
pensamento de que realmente
deveria ter pressionado mais para
obter respostas sobre este mundo.
Especialmente por que ele
havia sido bloqueado em primeiro
lugar.
Os avisos existiam por um
motivo e deveríamos tê-los
atendido. Porque eu tinha a
suspeita de que abrir o Reino das
Sombras poderia ser a única coisa
que destruiu a todos nós.
O nossa visão não era mais em tons
de preto e branco com tons de
cinza, e não havia mais uma visão
dupla da paisagem que
simplesmente não podíamos tocar.
Agora permanecemos
suspensos em uma escuridão
eterna.
Esta escuridão era uma
entidade viva, respirando, uma que
existia no início e estaria lá muito
depois que o resto de nós partisse.
O primeiro toque na minha pele foi
gelado e invasivo, fazendo meu
lobo querer simultaneamente correr
e se esconder, mas também havia
uma parte de nós ... essa parte
pequena e curiosa ... que não se
rebelou com a sensação. Abraçou a
escuridão, abrindo nossa alma para
permitir que lascas dela entrassem.
Foi tão lento que a princípio nem
percebemos o que estava
acontecendo e, quando percebemos,
bem, digamos, nenhum de nós se
importou.
"Mera!" Ele disse meu nome
com um estalo de comando. "Você
não deve abraçar a escuridão."
Eu entendi as palavras
individuais, mas o verdadeiro
significado se perdeu para mim. A
nova realidade mais escura era tudo
que eu conhecia ... e eu ansiava por
isso.
“Pelo amor de Deus,” uma voz
rouca murmurou de perto. "Pelo
menos abra a maldita porta antes
de deixá-la consumir sua alma."
Talvez tenha sido a declaração
idiota, ou talvez tenha sido apenas
um momento de clareza, mas o
rosnado de Shadow nos tirou de
nosso estado atordoado por tempo
suficiente para que eu me agarrasse
ao que restava de mim e meu lobo,
rolando para o lado e chamando o
mudar de volta para humano.
Pela primeira vez - em nossa
experiência de mudança muito
limitada juntos - meu lobo
realmente lutou contra mim. Ela
não queria abrir mão do controle, e
nossa batalha silenciosa continuou
por muito mais tempo do que eu
esperava.
"Mudança!"
Lá foi ele, me comandando
novamente, mas desta vez, agradeci
a ajuda. Minha loba cravou suas
garras, no entanto, enquanto
Shadow colocava suas mãos em
mim. "Ela pertence à mim! Solte-a. "
Meu grito foi baixo e gutural
enquanto a mudança me rasgava,
rasgando, queimando e queimando-
me viva. A dor que senti quando
toquei Shadow sem permissão não
tinha nada nesta nova forma de
tortura. Mas quando tudo foi dito e
feito, voltei a mim mesma, ofegante
e soluçando no chão imaculado,
nua e exausta.
Shadow ainda estava me
tocando, seu poder surgindo em
minha pele. “Você tem algumas
explicações a dar, Sunshine. Se você
não morrer antes de eu aquecê-lo. "
Calafrios sacudiram meu
corpo, quase ao ponto de
convulsões. Shadow deve ter me
levantado porque a próxima coisa
que eu sabia, riachos de água
quente derramavam sobre minha
pele congelada.
“Pare,” eu chorei. "Isso dói."
Eu estava lutando, mas a
armadilha de aço que segurava
Shadow não cedeu um centímetro.
"Me deixar ir." Eu chorei em seu
peito. "É muito. Me devolva à
escuridão. ”
"Vou lutar contra a escuridão
para mantê-la", ele murmurou
contra a minha pele. Talvez fosse o
meu delírio, mas pela primeira vez,
ele parecia possessivo da maneira
que um homem soaria com uma
mulher.
Não do jeito que um deus fazia
com seu animal de estimação.
Ou talvez eu fosse apenas um
animal de estimação muito
importante.
"Sombra." Eu gemi, minha
mente clareou quando o frio de
quebrar os ossos passou de mim.
"Você só precisa se aquecer",
disse ele suavemente, e minha
cabeça dolorida apreciou os
estrondos baixos de sua voz.
Quando ele me soltou, eu
esperava cair no chão, mas em vez
disso, ele envolveu um braço em
volta da minha cintura para me
estabilizar, enquanto o outro
esfregou contra minhas costas,
enviando mais calor circulando por
mim, usando sua marca particular
de poder de fogo.
Foi então que percebi que
estava pelado pra caralho, e ele
estava no chuveiro comigo,
completamente encharcado. “Suas
roupas,” eu murmurei
estupidamente.
"Não é importante", respondeu
ele. “Você quase morreu; pode valer
a pena focar nisso. ”
“Idiota,” eu murmurei de
volta, meus olhos tremulando
fechados enquanto uma exaustão,
pura e consumidora, me enviou
para a terra dos sonhos.
“Você sabe disso, Sunshine,”
foi a última coisa que ouvi antes de
tudo ficar completamente escuro.

EU ACORDEIcom algumas
ressacas no meu tempo. Não muito,
porque uma mãe alcoólatra meio
que me impediu de beber em
excesso, mas Simone conseguiu
roubar - da coleção de seus pais -
uma ou duas mamadeiras. Ambas
as vezes tínhamos terminado tudo,
e como tinha sido antes de nossos
primeiros turnos, definitivamente
sofremos os efeitos colaterais.
Acordar da porta do Reino das
Sombras tentando me possuir não
foi nada assim. Era mais como se a
morte estivesse me puxando para
mais perto da vida após a morte,
uma batida dolorosa em meu
cérebro por vez.
Quando abri os olhos, a luz
partiu minha cabeça em duas e rolei
para vomitar do lado da cama.
Vômito com uma forte dor de
cabeça só fez a dor piorar, então é
claro que vomitei de novo. Ciclo
vicioso bem ali.
"Você vai limpar isso."
Ele não parecia divertido, e eu
me senti da mesma maneira
quando apoiei um olho aberto para
encarar a porra da morte para ele.
"O que você fez comigo?" Eu
resmunguei, enxugando minha
boca enquanto me pendurava
apaticamente ao lado da cama.
Uma cama que definitivamente não
era minha.
Eu deveria saber
imediatamente porque, embora não
houvesse nada de errado com meu
colchão - era incrivelmente
confortável - este era uma nuvem
de luxo. Os lençóis eram muito
macios para ser qualquer material
na Terra e cheiravam tão bem,
como ...
Eu me endireitei, gemendo
enquanto o fazia. "Estou na sua
cama."
Olhando em volta o mais
rápido que minha cabeça quebrada
permitia, tentei ver tudo no "quarto
proibido". Eu procurei por isso
várias vezes, mas não havia
nenhum sinal de outro quarto em
todo o covil.
“Esta era a sala mais próxima
para você entrar”, disse Shadow.
"Mais alguns segundos e o feitiço
das trevas na porta do Reino das
Sombras teria consumido você."
Ele estava sentado em uma
ampla cadeira de couro cor de oliva,
com um encosto tão alto que era
ainda mais alto do que ele em seus
2,5 metros de altura. Seus braços
estavam relaxados nos apoios de
braços, uma camisa branca de
mangas compridas envolvendo os
músculos impressionantes. Suas
longas pernas estavam vestidas com
jeans desbotado, estampado diante
dele. E o tempo todo, aqueles olhos
dourados e vermelhos examinaram
meu rosto.
Ele parecia um homem que
estava sentado ali por muitas horas,
esperando pacientemente.
"O que realmente aconteceu?"
Eu perguntei, aliviado por sentir
uma ligeira diminuição no latejar
na minha cabeça.
"O que aconteceu é que você
está mais fraco do que eu esperava,
e quando teve a chance de quebrar
um feitiço muito poderoso na porta
do Reino das Sombras, você só
conseguiu quase morrer."
Certo. “Eu sou boa em quase
morrer,” eu disse em tom de
conversa, escolhendo não me
incomodar em ficar com raiva por
ele estar agindo como um pedaço
de merda. "Mas talvez, se você
tivesse sido um pouco mais aberto
sobre o Reino das Sombras e que
tipo de feitiço está na porta, não
estaríamos nesta posição."
Shadow balançou a cabeça, se
inclinando para me atrair com seu
olhar intenso. “Veja, não havia
razão para você precisar saber essa
informação para fazer o que era
necessário. Você apenas tinha que
ser forte o suficiente para quebrar o
feitiço sem consumir sua alma. "
Consumindo minha alma. Bem,
isso não parecia divertido. Passando
as mãos pelo corpo, como se
pudesse verificar se tudo ainda
estava intacto, senti apenas pele
nua. Piscando para os lençóis de
seda em volta da minha cintura,
meus seios pendurados para o
mundo ver, eu balancei minha
cabeça. "Bem maldita. Por que você
não me disse que eu estava nua? "
O peito de Shadow roncou
enquanto ele ria. "Você não age
como qualquer virgem que eu já
conheci."
Eu bufei, ainda sem tentar me
cobrir. Nesse ponto, eu estava
sentado aqui sabe-se lá quanto
tempo e me esconder agora seria
simplesmente redundante. "Tive
alguns sacrifícios para você ao
longo dos anos, eu acho."
Com um aceno de cabeça, ele
se levantou, desdobrando seu longo
comprimento da cadeira e se
aproximando de mim. Eu engoli a
secura na minha garganta. Como
alguém poderia ir de perto da
morte para um tesão pra caralho
em poucos minutos estava além de
mim, mas, ei, pelo menos eu não
era chato.
Quando ele ficou acima de
mim, inclinei minha cabeça para
trás. "Mera", disse ele, sua voz não
revelando nada.
“Shadow,” eu respondi.
“Você precisa dar o fora da
minha cama, se vestir, escovar os
dentes e encontrar o maldito
caminho de volta ao Reino das
Sombras. Antes que seja tarde."
Ai. Bem, ok então.
Evitando o vômito, deixei cair
minhas pernas do lado de sua cama
enorme enquanto tomava um
momento para olhar ao redor, já
que esta provavelmente seria a
única vez que eu seria convidada
para seus aposentos secretos.
O quarto era sombriamente
masculino, é claro - o rei das trevas
não seria pego morto com qualquer
outra coisa - e parecia ser dominado
principalmente pela cama enorme.
Fora disso, havia uma televisão, e
eu a encarei ansiosamente.
Passaram-se meses desde que eu me
entreguei ao meu amor por filmes
antigos e sitcoms extravagantes, e
saber que Shadow tinha um apenas
relaxando aqui era um choque de
realidade.
Senti saudades de casa.
“Quantos canais você consegue
aqui?” Eu disse meio brincando,
sacudindo minha cabeça em direção
à enorme tela plana.
A expressão de Shadow era
inexpressiva. "Todos eles."
Todos. Do. Eles?
“Ciumento,” eu chorei, em
uma pobre imitação do Napoleon
Dynamite, e o que você sabe ... ele
realmente sorriu.
"Talvez, se você descobrir como
fazer a única tarefa que estabeleci
para você, eu lhe darei algum
tempo na tela."
“Como uma criança,” eu disse
lentamente. "Devo chamá-lo de
'papai' também?"
O vermelho e o dourado em
seus olhos mudaram para preto, e
eu nem tentei fingir que entendi
mal o duplo sentido do que acabei
de dizer. Eu não tinha esquecido o
plano de Angel, e quase morrer não
iria me impedir de cumprir minha
parte.
- Dê o fora antes que eu
coloque você sobre meus joelhos, -
Shadow rugiu, sua voz mais
profunda do que nunca. “Chamar-
me de 'papai' será a menor das suas
preocupações.”
Claro, isso sacudiu meu peito
como uma flecha disparada de uma
lâmina mágica, uma que nunca
erraria o alvo. Meu pai. Ele foi o
que começou tudo isso e quase me
matou por um reino escuro. Esta foi
a última vez que eu me esgueirei
perto de minhas últimas respirações
por aquele homem? Devo apenas
dizer “foda-se” e deixá-lo ir agora?
Parecia que eu tinha lutado pelo
meu pai tanto quanto possível, e
ainda assim eu não conseguia
liberar meu último resquício de
esperança por respostas. Minha
última esperança de vê-lo mais uma
vez.
Minha cabeça estava uma
bagunça de drama paterno
enquanto eu cambaleava para fora
da sala, apenas para perceber que
não tinha prestado atenção para
onde tinha saído, e quando olhei
em volta procurando a porta de
Shadow, não havia nada para
encontrar. Apenas um conjunto de
prateleiras familiares perto do fogo.
Bem, aparentemente, seu quarto era
como o corredor para a Terra:
apenas Shadow poderia encontrá-
lo.
Meu quarto, felizmente, não
estava tocando salas musicais, e
quando entrei, afundei contra a
porta, desejando que a fraqueza em
meu corpo desaparecesse. Minha
loba parecia uma casca de si mesma
hoje, e isso estava tão fora do
normal que fiquei genuinamente
preocupada.
Sugando toda a força que
tinha, me afastei da porta e fiz meu
caminho para o banheiro, onde me
afoguei na tentativa de ficar limpo
e clarear minha cabeça. No
momento em que terminei - água
quente sem fim, vadias - me senti
muito mais como sempre. Meu eu
usual com um monte de perguntas
e um novo desejo ardente de
descobrir o que fez aquela porta
para o Reino das Sombras reagir
daquela forma.
Por que foi fechado para todos?
Vesti as roupas que gostava de
pensar como meu estilo "dê o fora
da minha cara ou vou chutar sua
bunda", incluindo calças de couro
pretas, botas de couro até a coxa
com salto decente e uma regata
branca que enfiei nas calças. Trancei
meu cabelo - tentativa ruim, mas
melhor que o de Simone - e saí para
obter algumas respostas.
S invadindo meu caminho para a
biblioteca, eu tinha meu rosto de
cadela descansando pronto para
qualquer um que olhasse em minha
direção. Felizmente, Shadow
preparou o quarto para isso, com
todos os seres que estiveram lá se
dispersando no momento em que
apareci em sua visão. Eu tinha
esquecido temporariamente que
estava fora dos limites de uma
maneira totalmente diferente, mas
isso nem importava.
O que importava era a porta.
O Reino das Sombras.
Ele me chamou e eu iria
descobrir esse filho da puta.
Marchando em direção a ele, os
saltos clicando no chão duro, nunca
deixei meu foco vacilar. Virando a
esquina, parei ao ver a própria
porta. Não era mais indefinido. Em
vez disso, a escuridão que eu tinha
visto em minha visão dupla estava
clara como o dia para todos verem.
Como um portal giratório de
fumaça, deslizando para cima e
para baixo, bloqueando a porta real.
Estendendo a mão, parei de
tocá-lo, em vez disso apenas
contornando minha mão por cima,
sentindo a energia. Eu quase podia
sentir o gosto do feitiço frio e
metálico na minha língua, e com ele
veio a memória desencadeante de
estar preso nas garras da escuridão,
incapaz de me libertar.
“Ouvi dizer que você teve uma
pequena aventura.”
Eu reconheci a voz rouca de
Reece e o sotaque rouco.
Sem me preocupar em me
virar, eu rosnei. "Se você não está
aqui para fazer sexo comigo para
que eu possa ganhar a aposta com
Shadow, então vá se foder." Não
que eu estivesse particularmente
atraída por Reece, além de admirar
seus lindos cílios, mas neste ponto
eu levaria quase qualquer um para
vencer Shadow.
Uma risada profunda soou
atrás de mim. “Tudo faz sentido
agora”, comentou. "Muito sentido."
Puxando minha mão da
escuridão, eu acenei para ele. “Você
não está fazendo nenhum sentido.
Por favor, vá embora. Eu não
preciso de distração. ”
Ele não se mexeu. Eu podia
sentir sua presença poderosa da
mesma forma que sentia a de
Shadow, como se eu estivesse
muito perto de uma usina de
energia, ondas de energia
percorrendo minha pele.
"E se eu te contasse sobre o
feitiço que mantém este mundo
como refém de nós?" ele disse
casualmente.
Minha curiosidade era muito
grande para ignorar qualquer
informação possível, então eu girei,
estendendo a mão para agarrá-lo
antes de lembrar que era uma
péssima ideia tocar esses caras sem
sua permissão. Era tarde demais,
porém, quando minhas mãos
pousaram em seu peito, mas
felizmente, ao contrário de
Shadow, eu não senti nada de
Reece exceto um músculo peitoral
excepcionalmente firme e um
cheiro de algo seco e terroso.
Ele olhou para minhas mãos,
sem dizer uma palavra, e apesar da
risada que eu pensei ter ouvido, seu
lindo rosto estava mais uma vez
estoico. Puxando minhas mãos,
engoli em seco. "Por favor, eu
preciso entender."
Ele assentiu. “Você vai
entender o máximo que eu puder
dar, mas não tenho todas as
respostas. Os segredos de Shadow
são apenas dele. Eu só posso te falar
sobre este feitiço. "
A decepção quase me fez cair
de bunda até que me lembrei que o
feitiço em si ainda era muito
importante.
“Este feitiço é uma entidade
viva,” ele disse, aqueles olhos azuis
escuros voltados para a porta
sombreada. “É alimentado por uma
fonte desconhecida que
acreditamos estar no Reino das
Sombras.” Sua voz baixou,
acariciando meus sentidos. Havia
uma sensualidade inata naquele
que chamavam de divindade do
deserto.
Sombreie o segundo.
“O feitiço é incrivelmente
inteligente,” Reece continuou. “Ele
se adapta. Cada vez que
descobrimos uma maneira de cortar
seu porão, estaremos a poucos
segundos de abrir a porta e ela se
reagrupará e se reformará,
atirando-nos de volta ao início de
nossa investigação. Pior do que o
começo, porque quaisquer meios
que usamos para o melhor agora se
tornarão inúteis. Ele contraria tudo.
Ele se adapta e aprende. ”
Ótimo. Um feitiço precoce de
nível genial construído com
escuridão eterna. Exatamente o que
todos nós precisávamos em nossas
vidas.
"Isso já fez a outra pessoa o que
fez a mim?"
Nenhum de nós fingiu que não
sabia sobre minha dança com a
escuridão. Shadow tinha
claramente ido direto para seus
amigos em busca de conselhos, e eu
não o culpei - eu teria seguido
exatamente o mesmo caminho.
"Nunca. E pelo que posso dizer, não
se adaptou a você ou à sua energia.
” Reece me olhou de perto. “Se
qualquer coisa, você causou algum
dano ao vê-lo assim ...” Ele acenou
para os redemoinhos de fumaça.
“Não consegue mais se esconder e
isso é um bom sinal”.
Eu fiz um som rosnado. “Mas é
isso? Pelo que eu posso dizer, não
estamos perto de romper. Não
posso tocá-lo sem que minha alma
fique toda gótica, então qual é o
próximo passo? "
Ele me deu um tapinha no
ombro e fiquei surpresa com aquele
tipo de gesto tranquilizador. “Não
seja tão duro consigo mesmo.
Mudar é um bom sinal, mesmo que
ainda não saibamos por quê. Uma
coisa é certa: ter você por perto
certamente tornará a vida muito
interessante. ”
Fechando meus olhos
brevemente, tentei acalmar minha
mente frenética. “Ainda não
entendo porque sou eu. Por que isso
está acontecendo comigo quando
fui insignificante minha vida
inteira? ”
O rosto de Reece estava sem
expressão, mas seus olhos estavam
mais quentes do que eu já tinha
visto, aqueles cílios incríveis
emoldurando-os como retratos
gêmeos em sua alma. Estendendo a
mão, ele empurrou uma mecha do
meu cabelo para trás. “Não há nada
insignificante em você, Mera
Callahan. Desde o primeiro
momento em que você entrou na
sala, usando a cor característica de
Shadow, eu sabia que você iria virar
a vida do meu amigo de cabeça
para baixo. Foi uma preocupação,
no início, mas agora ... ”Ele inclinou
a cabeça. “Agora estou curioso para
ver onde tudo isso vai.”
A cor da sombra ...? Bem, isso
explica muito.
Reece me cutucou suavemente.
“Ninguém é chamado à grandeza
até a hora certa, Mera. Esta é a sua
vez. ”
"Grandeza?" Eu respirei.
Ele assentiu. “A grandeza vem
em muitas formas. Algumas óbvias,
outras nem tanto, mas há uma
constante que todos chamados à
grandeza têm em comum: você será
empurrado para além da sua zona
de conforto, quebrado e reduzido a
cinzas, mas a partir disso, você se
elevará e será mais do que nunca
pensei que você poderia ser. "
Das cinzas, a fênix vai subir.
O fato de ele ter escolhido
aquela analogia exata para usar
tinha que significar algo.
“Não tenho certeza se estou
pronta para o que quer que este
mundo tenha reservado para mim,”
eu disse, meus medos
transbordando. “Mas como ainda
estou respirando e ainda estou
lutando, vou descobrir essa porta.
Vou descobrir minha conexão com
o Reino das Sombras— ”
Eu fui interrompido quando
Shadow apareceu em uma nuvem
de escuridão enfumaçada.
“Precisamos retornar à Terra”, disse
ele, queimando a energia ao seu
redor. “Várias criaturas sombrias se
acumularam. Mova sua bunda,
Sunshine. Temos que caçar. ”
Se o destino da Terra não
estivesse em jogo, eu teria dito a ele
onde ele poderia enfiar seu pedido.
Mas, infelizmente, como eu era a
vadia burra que havia liberado essas
criaturas em primeiro lugar, eu
realmente precisava assumir
alguma responsabilidade por
devolvê-los. E apesar do meu
conhecimento de que Shadow era
realmente quem estava fazendo
todo o trabalho para tirá-los, se ele
me quisesse lá, eu iria ... só para
garantir. Talvez tenha ajudado o
fato de as criaturas terem mostrado
um nível inesperado de interesse
por mim.
“O abervoq e o sprecker
prestaram muita atenção em mim,”
eu disse, minha mente juntando as
peças. “Não pode ser coincidência
que nas duas vezes eles me
alvejaram.”
Shadow cruzou os braços,
ainda parecendo um tanto
preocupado. “Você era o alvo
natural, sendo mais fraco e não
ameaçador.”
“Sim, é verdade”, eu disse, “e
foi o que pensei inicialmente
também. Mas o abervoq não estava
interessado em me atacar. Verdade
seja dita, acho que o sprecker
também não. E embora eu não seja
um especialista em criaturas das
sombras, eles quase não parecem
curiosos contra assassinos? "
Dois pares de olhos estavam
fixos nos meus e, devo dizer, fazia
maravilhas para a auto-estima de
uma garota manter e prender a
atenção de alguns deuses. Claro,
pode ter sido porque eu era uma
espécie de ímã de sombras, mas o
que quer que fosse, eu poderia
fingir por um pouco mais de tempo
que era minha personalidade
brilhante.
“Ela tem razão,” Reece
finalmente disse, balançando a
cabeça como se minhas palavras
estivessem fazendo mais sentido do
que ele esperava. "Existe a
possibilidade de que alguém do seu
mundo tenha escapado do véu nos
últimos vinte e dois anos?" ele
perguntou a Shadow.
Shadow inclinou a cabeça,
arrogância vincando sua
sobrancelha enquanto ele me
olhava. “Ela é tão humana, no
entanto. Frágil e impotente. Não
tem como ela ser do meu reino. ”
Forcei um sorriso brilhante.
“Você deveria pegar este humano
frágil e impotente e chegar à Terra,
hein? Já que aparentemente temos
um mundo para salvar e você não
pode fazer isso sem minha ajuda
frágil e impotente. ”
Os lábios de Shadow se
contraíram e recebi um sorriso de
Reece.
“Vamos, lobo,” a besta disse,
virando-se para sair.
“Você se esqueceu de 'frágil e
impotente'”, gritei atrás dele.
Reece continuou a me encarar,
um pequeno meio sorriso ainda
gravado em seus lábios. "O que?" Eu
perguntei, franzindo meu nariz.
"Ele disse isso."
A divindade encolheu os
ombros. "Você está certo. É
interessante, porém ... ”
Não pergunte. Não pergunte.
"O que é interessante?"
“Que ele deixa você empurrá-
lo tão longe. Os últimos shifters
aprenderam rapidamente que
Shadow não sofre insubordinação
por muito tempo. "
Engoli em seco, pensando em
Victor. "Ele regularmente mata
shifters que não obedecem a todos
os seus comandos?"
Que tipo de psicopata fez isso?
“Ele não mata aleatoriamente
por diversão,” Reece disse, como se
estivesse pessoalmente atestando o
personagem de Shadow. "Só se eles
lutarem contra seu controle."
Eu só. Era basicamente a
mesma coisa.
“Vocês dois precisam de
ajuda,” eu engasguei. "Seu cérebro
não funciona normalmente."
Reece apenas riu,
aparentemente não ofendido, e
pelo menos este pequeno momento
aparentemente aqueceu a
divindade do deserto para mim.
Eu só queria pequenas vitórias
hoje em dia.
S hadow não sabia disso, mas desta
vez, eu tinha outro plano para pôr
em prática enquanto estávamos na
Terra. Claro, o primeiro passo era
salvar os humanos da criatura, mas
o segundo passo era descobrir se eu
poderia fugir dele. Eu precisava
saber exatamente quanto tempo ele
levaria para me encontrar e,
quando o fizesse, poderia até
descobrir os meios que ele usou
para me rastrear.
Isso me ajudaria a cobrir meu
rastro quando o plano de Angel
entrasse em vigor.
Uma pequena experiência
perigosa pela qual eu
provavelmente seria
profundamente punido, mas valeria
a pena por qualquer conhecimento
que pudesse adquirir. Não achei
que ele fosse me matar, pelo menos
não ainda. Ele queria ver se eu
poderia destrancar a porta para o
Reino das Sombras - eu estava
começando a entender que esse era
seu objetivo final. Ele realmente
não se importava em devolver as
criaturas, já que elas obviamente
poderiam permanecer nas prisões
indefinidamente.
Ele precisava dessa porta
aberta, por quaisquer razões
pessoais que ele não estava
compartilhando comigo, então eu
tinha quase certeza de que ele não
me mataria. Ainda. E agora parecia
um momento tão bom como
sempre para um ensaio da grande
fuga.
- Depressa - disse Shadow,
parecendo com um humor pior do
que o normal.
"Qual é a sua bunda?" Eu
perguntei a ele.
Ele parecia estar tentando
decidir entre suspirar ou me
golpear, mas com uma força de
caráter muito maior do que eu,
conseguiu evitar os dois. “Nada está
na minha bunda. Estou cansado de
limpar sua bagunça e não ter
recompensa por isso. ”
Por um instante, me perguntei
de que recompensa ele estava
falando. Eu deveria chupar seu pau
ou algo assim? Quer dizer, eu com
certeza não me lembrava de
nenhuma conversa sobre
recompensa ... Oh, espere.
O Reino das Sombras.
Ele queria que eu destrancasse
o Reino das Sombras. Falando
francamente, parecia que ele
precisava que seu pau fosse sugado
mais, para ser honesto. O cara
estava um pouco nervoso.
"O que quer que você esteja
pensando, você precisa parar
agora."
Eu levantei minha cabeça, me
perguntando se ele poderia ler
mentes também.
“Seu cheiro muda quando você
está excitado,” ele disse sem
rodeios. “Sem falar na respiração
rápida e na dilatação da pupila.
Sinais clássicos de que você não
pode ou não se preocupa em
esconder. ”
“Por que eu deveria esconder
isso?” Eu perguntei com um
pequeno empurrão de meus
ombros. “Resposta natural aos
estímulos, e uma necessidade
normal do shifter. Você não tem
necessidades? ”
Ele mostrou os dentes para
mim. “Minhas necessidades estão
sendo atendidas.”
Uma emoção quente
penetrante me atingiu, quase me
fazendo tropeçar. Recusei-me a
acreditar que era ciúme, já que
Shadow não era nada mais do que
meu carcereiro temporário, de
quem eu esperava estar livre em
breve. De jeito nenhum eu iria
Stockholming aqui e me
apaixonaria por ele.
Tudo o que tínhamos era uma
atração física, ou mais
precisamente, era tudo o que eu
tinha. Shadow Beast pode ter me
tratado um pouco melhor do que
seus outros prisioneiros, mas nós
dois sabíamos que eu era apenas
um meio para um fim. Eu tive que
entrar na realidade e parar de criar
falsos laços entre nós antes de
começar a rabiscar corações de
amor com nossas iniciais neles.
É hora de mudar de assunto.
“Onde estamos na Terra desta
vez?”
Seus olhos se estreitaram.
"Você não reconhece esta área?"
Eu dei outra olhada ao redor.
"Não, eu não penso assim…"
O sol da manhã estava fraco e
havia um frio no ar, o que me disse
que tínhamos pulado mais uma vez
para a próxima temporada. "Espere
... Tem cheiro de Califórnia."
“É,” ele disse.
“Torma, Califórnia?” Imaginei.
“E eles chamam os humanos de
lentos,” ele falou lentamente. “Sim,
nós estamos no ponto muito
oriental do território de seu bando,
para ser exato. Uma massa de
criaturas sombrias se reuniu aqui, e
tenho certeza que até você pode
descobrir o porquê disso. "
“Por minha causa”, sussurrei,
olhando em volta em busca da
massa.
Shadow assentiu. “Essa é a
minha teoria. Foi aqui que você os
liberou e sua energia é forte nessas
terras. Eles estão te procurando, por
algum motivo. ”
Sem dúvida, a força da minha
energia se devia aos vinte e dois
anos que vivi, respirei e sangrei em
Torma. Era a casa da minha família.
Meus motivos de matilha. O único
lugar que quase desejei nunca mais
voltar, exceto para deixar meus
amigos saberem que eu estava
seguro.
Talvez eu tivesse a chance de
vê-los hoje.
Minha loba colocou a cabeça
para cima, olhando ao redor de suas
terras, e eu senti sua vontade de ver
Torin. Ou pelo menos seu lobo. Não
tínhamos estado tão perto dele em
quase um ano - a julgar pelo tempo
- e a atração para cruzar as terras
em direção a ele era forte.
Eu precisava de uma distração.
“Com que criaturas estamos
lidando?”
Shadow não me chamou pelo
meu tom frenético. "Há um
abervoq, um falaster e dois grekins,
pelo que posso dizer."
Finalmente, uma distração
sólida. Novas criaturas sombrias. "O
primeiro eu conheço, mas você vai
ter que explicar os outros dois."
Ele gesticulou para eu dar um
passo à frente, me direcionando
para o outro lado do campo. “Um
falaster é uma mistura entre uma
centopéia gigante e uma sucuri,”
ele disse, e eu torci o nariz para a
imagem que me veio à mente. “Eles
não têm boca ou olhos, mas podem
sentir o cheiro de uma gota de
sangue a quilômetros de distância.
Eles gostam de esmagar suas
vítimas, envolvendo cada vez mais
apertado, até que, eventualmente,
eles as consomem através da
absorção pela pele. ”
“Isso soa ... encantador,” eu
disse, empregando o máximo de
sarcasmo que pude reunir. "E o
grekin?"
Ele fez uma careta. “Eu acho
que eles são os meus menos
favoritos. Tricksters, sua estatura
diminuta e diminuta embala os
seres em uma falsa sensação de
segurança. Mas se você virar as
costas, os dois vão te fazer em
pedaços, rindo loucamente sobre
isso o tempo todo. "
"Dois deles? É assim que eles
sempre rolam? ”
Shadow assentiu. “Sim, eles
gostam de se mover em pares. Isso
facilita o trabalho de iniciar seus
truques. ”
Notícias simplesmente
fantásticas. “Existe algo normal em
seu mundo? Qualquer criatura que
não esteja tentando matar tudo ao
seu redor? "
Shadow fez uma pausa e eu
bati em suas costas, não esperando
que ele parasse tão de repente.
"Oomph, desculpe!"
Ele não comentou sobre minha
falta de jeito, e nós dois sabíamos
que eu não o havia machucado,
então isso foi imediatamente
esquecido. “Meu mundo é a terra
mais linda que eu já vi,” ele me
disse, sua voz levantando enquanto
tentáculos de memórias roubavam
neles. “Sinto falta disso todos os
dias e me irrita que meu legado não
tenha sido cumprido. Mas a vida
nem sempre funcionou da maneira
que deveria para mim. ” Quando
ele se aproximou, minha mão se
contraiu para alcançá-lo e tocá-lo. A
memória da dor me parou, e foi
quando percebi que não doeu
quando o encontrei.
Esquisito…
"Eu prometo, Mera", disse ele,
distraindo-me, "que se você me
ajudar com o que eu preciso, vou
garantir que o resto da sua vida seja
preenchido com todos os presentes,
poderes e posses que você poderia
esperar."
“Eu sabia que você não se
importava com as criaturas,”
murmurei. "Você só precisa que o
reino seja aberto." Porque ele tinha
um legado não cumprido ali,
aparentemente. Não que alguém se
surpreenda com isso. A sombra
exalava poder e importância, os
quais seriam desperdiçados sem um
legado.
“Há muito tempo é uma
prioridade minha”, disse ele, ainda
com disposição para compartilhar.
“Retornando ao Reino das
Sombras.”
"Por que você veio aqui em
primeiro lugar?" Eu perguntei,
esperando que sua resposta fosse
algo blasé como ... Eu queria uma
aventura ou era um desafio.
Então ele me chocou.
"Eu fui traído." Sua voz
endureceu e mais uma vez, eu
estava olhando para Shadow
assustador. “Por um eu confiei
acima de todos os outros. Mas, com
sua ajuda, posso finalmente corrigir
muitos erros. A hora deles está
chegando, e quando eu retornar ao
meu reino, espalharei o que resta
deles pelos muitos mundos. ”
Caramba. “Me lembre de não
trair você,” eu disse, tentando
aliviar o clima.
Shadow não estava aceitando
nada disso, no entanto. "Você não
viverá o suficiente para se
preocupar com isso."
"Justo."
Eu pulei então quando um
estrondo maciço de árvores e galhos
ecoou acima de nós. Shadow girou
para se agachar na minha frente, e
um segundo depois meu lobo subiu
à superfície, emprestando-me seus
sentidos enquanto nos
preparávamos para um ataque.
S até que em modo furtivo, meio
agachado com os braços abertos,
Shadow começou a rastejar por
entre as árvores. Eu o segui porque
o que mais eu faria? Havia pelo
menos quatro criaturas sombrias lá
fora, e por mais fé que eu tivesse
nas Sombras, eu me perguntava se
havia várias criaturas que
provariam ser demais para ele?
E o que isso significaria para
mim? As criaturas das sombras me
matariam e me consumiriam? Ou
voltaria a fazer amizade com
monstros?
Achei que estávamos prestes a
descobrir.
“Hoje, eu realmente espero que
você seja tão durão quanto sua
reputação,” eu murmurei. “Meu
estômago parece que um enxame
de mosquitos está zumbindo nele, e
eu não gosto disso.”
Ele parou de se mover,
voltando-se para me ver.
“Mosquitos? Tenho certeza que essa
não é a expressão. "
Eu dei uma risada nervosa.
"Honestamente, está muito além
das borboletas neste ponto."
Shadow acenou com a cabeça
como se fizesse perfeito sentido
antes de se virar novamente e soltar
um rosnado baixo. Ele saltou para
frente, pegando algo do nada.
Não, não é algo ... um sprecker.
“Eu nem sabia que um desses
estava aqui”, disse ele, olhando ao
redor. "Mas ... é apenas uma
distração."
Eu estava a dois metros e meio
de distância, e essas palavras me
fizeram puxar o traseiro em direção
a ele.
Apenas alguns passos tarde
demais.
Meus braços foram presos de
cada lado, o aperto firme e
inflexível, e quando um objeto
pesado bateu no lado da minha
cabeça, Shadow soltou um uivo
feroz, as chamas vermelhas
brilhantes de seus olhos foram a
última coisa que vi quando fui
arrastada longe. Não, na verdade, a
última coisa foi uma dúzia ou mais
criaturas das sombras descendo
sobre ele, bloqueando seu caminho
até mim.
O golpe não foi forte o
suficiente para me nocautear, e eu
já estava lutando - eu tinha acabado
de me acostumar com o último
psicopata que me arrancou da
minha vida sem permissão. Sem
tempo para se aclimatar com outro.
Minhas mãos se transformaram
em garras, lutando e arranhando,
mas meus captores me seguraram
em uma posição que era difícil
alcançá-los. Eles pareciam
pequenos, apesar da força de seu
aperto, e não importa o que eu
fizesse, eu não conseguia me soltar.
Varas me arranharam
enquanto eu era arrastado e, por
mais que eu arranhasse o chão, não
havia como interromper o passo do
meu sequestrador. Tinha que ser
um grekin, porque o falster não
deveria ter segurado, mas,
novamente, poderia ser uma
criatura completamente nova.
Tinha havido tantas criaturas
inesperadas em Shadow, e isso
significava que eles se uniram para
esconder sua energia ... Emboscada
clássica.
"Me deixar ir!" Eu gritei,
finalmente encontrando minha voz.
"Eu ordeno que você me liberte."
As palavras fluíram de mim
com mais do que apenas uma voz
humana - a energia do lobo as
empurrou, e ... O que você sabe? As
criaturas pararam, me liberando em
um instante.
Ofegante, rolei para o lado,
ignorando o protesto do meu corpo
sobre o abuso que acabara de
experimentar. Quando tropecei em
meus pés, o movimento repentino
piorou a dor, mas eu tinha
adrenalina e raiva suficientes para
me manter em movimento.
Chilrear foi a primeira coisa
que registrei, e quando duas
sombras passaram por mim, mal
consegui rastreá-las.
"Pare!"
Eu sabia que o comando
funcionaria; Eu tinha aproveitado a
mesma energia que senti quando
toquei o Reino das Sombras. Não
que eu fosse contar a Shadow, é
claro, mas descobri que ele estava
certo; Eu só precisava encontrar o
caminho e continuar seguindo-o.
As duas criaturas pararam de
entrar e sair de foco, terminando
em posições meio agachadas,
olhando para mim. Eles não se
pareciam com nada que eu já
tivesse visto antes, mas se eu tivesse
que compará-los a qualquer coisa,
seria um leprechaun nodoso como
uma árvore. Não maiores que a
altura do joelho - as minhas, não as
pernas gigantescas de Shadow - eles
não usavam roupas, mas não eram
como se estivessem nus também.
Eles não tinham partes do corpo
como um humano.
Dois tocos de árvore com olhos
negros redondos, um corte de boca,
braços e pernas semelhantes a
galhos e uma capacidade de se
mover tão rápido que eram quase
tonturas. Exceto, aparentemente,
quando permiti que meu lobo
subisse à superfície, usando seu
poder para detê-los.
"O que você quer comigo?"
Perguntei. Essas foram as primeiras
criaturas sombrias que eu tive um
momento para questionar, e eu não
estava perdendo isso. "Para onde
você estava me levando?"
Eles tagarelavam comigo, esse
som rápido de clique e estalido, e
fora da biblioteca, não havia como
eu entender a língua deles. “Porra,”
eu murmurei.
Um deles inclinou a cabeça, me
observando de perto. "Porra."
Eu pisquei. Ele estava me
repetindo ou também falava um
pouco de inglês?
"O que. Faz. Você. Quer. Com.
Eu?" Separei cada palavra, usando
gestos com as mãos para transmitir
meu ponto de vista.
"Porra!" o mesmo repetido.
"Foda-se, foda-se."
Ótimo. Quer dizer, eu amei a
palavra e tudo, mas era difícil ter
uma conversa completa apenas com
minhas palavras com F favoritas.
"Mera!"
Eu me virei com o grito, e não
porque fosse Shadow atacando em
minha direção como um lobo louco
em uma missão. Mas porque não
foi.
Esse grito veio de outra pessoa
completamente.
Alguém que deixou meu lobo
nervoso enquanto rosnava e coçava
meu peito, e eu não tinha ideia se
ela estava tentando chegar até
Torin para matá-lo ou transar com
ele, mas ela o queria de qualquer
maneira.
“Não, pare,” eu implorei. "Ele
nos rejeitou."
"Foda-se rejeitado." O som
áspero de uma palavra de um dos
gêmeos gremlin.
Era o outro desta vez, e agora
eles tinham duas palavras em inglês
em seu arsenal. Meu favorito e
menos.
"Mera Callahan, ordeno que
fique onde está!" Torin berrou, meio
lobo enquanto disparava pelo
campo que nos separava.
Provavelmente era apenas meia
milha, mas ele cobriria isso em
nenhum momento.
Eu levantei meu pé, dando um
passo para trás e outro, antes de me
virar e sair correndo. Voltando para
onde eu tinha visto Shadow pela
última vez.
Seu comando alfa não me segurou.
Em algum ponto, meus laços
com Torma foram danificados o
suficiente para que nem mesmo seu
comando pudesse me manter como
refém, sem dúvida deixando Torin
confuso como o inferno enquanto
ele me perseguia.
Meu lobo gemeu, me incitando
a reconsiderar ouvi-lo, e foda-se ...
Fiquei tentado.
Como era justo que ele pudesse
me rejeitar e quebrar, mais e mais, e
ainda, minha alma queria
reivindicar nosso vínculo? Mas não
importava. Eu seria mais forte do
que esse desejo. Eu protegeria nós
dois.
Eu senti quando ele estava
perto, então mudei de direção,
enquanto ainda me movia na
direção de onde havia deixado
Shadow. Pelo menos eu esperava
que fosse a direção certa - os
grekins tinham me arrastado muito
longe, pelo jeito, aqueles pequenos
bastardos agitados.
Torin estava perto, sua forma
de lobo meio mudada mais rápido
do que meu humano quebrado e
machucado. Tudo que eu tinha a
meu favor era pura determinação
de não acabar em suas mãos. Eu não
tinha ideia do que Torin faria
comigo se ele me pegasse, mas
havia uma chance de que ele me
matasse imediatamente para não
lidar com os restos de nosso
vínculo.
A morte de um verdadeiro
companheiro geralmente resultava
em uma pausa mental irreparável
para o outro shifter, mas Torin
provavelmente pensava que porque
ele não queria este vínculo, ele se
recuperaria mais fácil.
De qualquer forma, eu não
poderia me deixar cair em suas
mãos. Eu tinha que lutar com tudo
que tinha e, com sorte, já que não
era mais o mesmo shifter que havia
sido roubado de Torma todos
aqueles meses atrás, eu teria uma
nova arma para vencê-lo. Como
minhas habilidades do Reino das
Sombras.
Como as criaturas das sombras ...
ainda congelado ao meu comando.
Eu poderia usá-los para
desacelerar Torin?
"Eu te liberto!" Eu gritei,
enviando a energia para o mundo,
esperando não estar muito longe
para alcançá-los. Agora eu só tinha
que ficar fora do alcance de Torin
tempo suficiente para deixar
aqueles pequenos bastardos
leprechaun fazerem o seu pior.
Torma pode estar procurando por
um novo alfa antes que este dia
acabe.
M Meu ritmo estava diminuindo
conforme o passo surdo de Torin se
aproximava, e foi só quando o
assobio agudo dos grekins alcançou
meus ouvidos que me permiti um
momento para me virar e avaliar a
situação.
Torin soltou um rugido quando
eles se enroscaram em suas pernas,
os três caindo em uma queda. O
novo “alfa dos alfas” não se
preocupou em tentar negociar uma
trégua com eles; ele apenas usou
suas garras parcialmente deslocadas
para rasgá-los antes de
graciosamente pular de pé.
Torin deve ter sido capaz de
vê-los mesmo em hipervelocidade,
porque seu próximo golpe o fez
voar.
Completamente fascinado em
assistir essa luta, eu estupidamente
parei de tentar escapar. O
pensamento de que eu poderia ver
Torin levar um chute na bunda era
muita tentação, mas eu tive muitos
arrependimentos quando seus olhos
furiosos se fixaram nos meus.
“Não dê mais um passo,
porra,” ele avisou, cerca de trinta
metros de distância. "Ou eu vou
virar você sobre meus joelhos e
bater em sua bunda até que esteja
vermelha e doendo."
Eu pisquei. "Você ameaçou
seriamente me espancar como
punição?" Eu ri. “Brinca com você
porque gosto dessa merda, Torin.
Você terá que se esforçar mais do
que isso para me ameaçar. "
Isso o pegou de surpresa, e ele
vacilou, apenas o tempo suficiente
para uma segunda rodada de
ataque grekin.
"Porra, nosso!" eles gritaram.
Foi a minha vez de olhar para a
criatura porque estava começando a
entender o que ela dizia. Eles
pensaram que meu nome era foda,
ou pelo menos esse foi o novo nome
adotado para mim. E eles pareciam
pensar que eu pertencia a eles.
“Foda-se não é sua,” eu atirei
de volta. “Quero dizer, Mera. Meu
nome é Mera. ”
“Foda-se, nosso,” o outro
gritou, desaparecendo de vista com
um zap.
O que diabos foi isso?
- Você e eu precisamos
conversar - disse Torin, parecendo
um pouco menos raivoso. Um
grekin disparou contra ele
novamente, mas ele apenas chutou
para longe com um chute rápido. O
bastardo não estava tendo
problemas para vê-los e eu não
conseguia descobrir por que eles
sempre foram um borrão para mim.
Meu lobo subiu à superfície,
como um sinal de que eu deveria
estar usando seus sentidos em vez
dos humanos mais restritos que eu
tendia a favorecer. Opa, desculpe.
Momento idiota ali, sem descobrir
como Torin viu os grekins. Os
sentidos do lobo poderiam
acompanhar -
Torin se moveu, correndo em
minha direção, e eu demorei muito
para fazer qualquer coisa, exceto
me preparar para o golpe enquanto
simultaneamente me preparava
para lutar contra ele. Porque eu iria.
Eu lutaria com tudo que tinha em
mim.
Quando ele se aproximou de
mim, Torin se agachou em uma
posição típica de tackle, com a
intenção de me pegar. Eu abracei a
loba, permitindo que sua energia
me preenchesse enquanto eu tirava
a opção dele, caindo no chão e
girando para que eu pudesse bater
minha mão em sua coxa enquanto
ele passava.
"Porra, nosso!" um grekin
gritou, tentando me agarrar
novamente, mas desta vez, eu podia
vê-los chegando, graças ao meu
lobo demorando perto da
superfície.
Meu punho bateu em seu rosto.
“Foda-se não,” eu rosnei.
Torin se recuperou muito mais
rápido do que eu esperava, suas
mãos envolvendo meus braços
enquanto ele me puxava do chão e
contra seu corpo. Foi um
movimento de assinatura alfa.
Shadow tinha usado em mim mais
de uma vez, mas não era o mesmo
com Torin. Ele era grande, mas não
Shadow grande. Com a besta para
compará-lo, Torin parecia um
menino, sem anos de experiência
suficientes para endurecê-lo. Um
dia ele teria, mas não hoje.
“Me deixe ir, seu filho da
puta,” eu fervi, batendo minha
cabeça para frente para bater em
seu queixo.
Torin soltou um rugido
estrondoso. "Cadela!"
“Deus, sim, estou. Você está
percebendo agora? Foda-se
devagar. "
"Vadia, nossa!" um grekin
gorjeou, pulando no ombro de
Torin e envolvendo seus braços de
ramos em volta de seu pescoço.
A vadia foi um upgrade da
foda? Realmente não importava,
contanto que me dessem uma
chance de fugir. Arrancando-me
dos braços de Torin, consegui
colocar meus pés de volta no chão,
mas fui muito lento novamente.
Deslizando pela grama, fui
puxado para trás quando Torin
envolveu a mão em meu tornozelo.
"Sombra!" Gritei, finalmente
recorrendo ao ás no bolso de trás -
ele tinha que estar em algum lugar
próximo.
"Quem diabos é Shadow?"
Torin gritou, me arrastando de
volta para ele com um puxão forte.
Ele me ergueu novamente e, desta
vez, em vez de gritar na minha
cara, ele me beijou. Um tapa firme
de seus lábios contra os meus, o
poder crescendo entre nós
enquanto o vínculo que havia sido
rejeitado, mas não completamente
cortado, ganhou vida.
"Não!" Eu chorei, tentando
empurrar minha cabeça para longe,
mas ele me segurou, forçando sua
energia em mim. Forçando seu
poder a se misturar com o meu.
Forçando-me de uma forma que
nenhuma mulher - ou homem -
deveria ser forçado. Meu joelho se
contraiu na tentativa de machucá-
lo, mas o que quer que eu batesse
não foi o suficiente para detê-lo.
Então eu o mordi. O mais forte
que pude, os dentes rasgando seus
lábios com força enquanto o sangue
jorrava em minha boca. Com um
grunhido, Torin me empurrou de
volta, seu rosto estrondoso e as
sobrancelhas franzidas. “Que porra
é essa, Mera? Somos verdadeiros
companheiros! Você pertence a
mim ... O que diabos há de errado
com você? "
O que estava errado comigo? O
QUE ESTAVA ERRADO COMIGO?
“Você está tão delirando
quanto seu pai,” eu rosnei. "E eu
não pertenço a ninguém."
Os grekins haviam
desaparecido neste ponto, deixando
apenas Torin e eu no terreno dos
Torma.
“Você aprenderá”, disse ele,
sem nem mesmo tentar esconder
seu narcisismo. "Eu percorri um
longo caminho no ano em que você
partiu, Mera, e a única coisa que
descobri é que um shifter é mais
forte com sua verdadeira
companheira."
Uma risada zombeteira
escapou e eu lambi meus lábios
secos, ainda sentindo o gosto de seu
sangue. “Não sou um troféu a ser
carregado na esperança de
aumentar seu poder”.
Ele se moveu em minha
direção, suas mãos estendidas para
agarrar meu rosto, mas desta vez,
eu o vi chegando, evitando e
chutando minha perna para
derrubá-lo. Se ele não estivesse tão
focado em me beijar novamente, ele
teria visto esse movimento e
evitado. Dick-brain era a falha fatal
de um homem.
“Eu não pertenço a ninguém,”
eu sibilei enquanto ele se
esparramava no chão. "Eu rejeito-"
Minhas palavras para tentar
romper nosso vínculo foram
cortadas pelo rugido de Shadow, e
sem mentira, foi um alívio saber
que ele estava bem e poderia me
tirar de Torin. Meu plano anterior
de tentar escapar e ver o quão longe
eu iria definitivamente teria que
esperar outro dia. Visto que,
aparentemente, meu verdadeiro
companheiro agora decidiu que
queria reivindicar seu
companheiro-troféu.
- Shadow - Torin respirou,
parecendo em pânico e furioso. “É
por isso que você estava chamando?
A porra da Besta das Sombras? "
Com um sorriso, me inclinei
mais perto. "Eu assumiria o seu
lugar a qualquer dia, Torin."
Ele tentou me agarrar
novamente, mas Shadow estava lá
agora, uma visão gloriosa enquanto
suas chamas enchiam o campo com
calor.
E quem poderia imaginar que
eu ficaria tão aliviado em ver
aquele imbecil gigante e assustador.
Ferindo, Shadow bateu uma
única palma contra o peito do alfa,
fazendo Torin voar através do
campo. Uma satisfação sombria me
encheu; O idiota estúpido merecia
isso e muito mais.
Apesar do perigo mortal de
enfrentar Shadow - ele tinha visto
esta besta destruir seu pai com
pouco mais do que um pensamento
- Torin não hesitou em se levantar e
tentar atacar. Uma bravura que eu
normalmente admiro, mas, neste
caso, eu apenas o classificaria na
categoria de estúpido demais para
viver.
“Você não pode tê-la, besta,”
ele gritou. "Eu sou seu verdadeiro
companheiro e não vou liberá-la
para você."
Shadow estava furioso, suas
chamas crescendo conforme sua
altura aumentava mais do que eu já
tinha visto. Ele se moveu para ficar
firmemente plantado entre eu e
Torin, e na altura atual, eu estava
praticamente olhando para sua
bunda.
“Shadow,” eu murmurei,
colocando minha mão em sua parte
inferior das costas. O calor
envolveu minha palma, mas não
me queimou - eu não era o alvo de
Shadow hoje. “Vamos embora. Ele
não vale a pena. Temos as criaturas
com que nos preocupar. ”
Ele me ignorou e, desta vez,
houve um pequeno choque elétrico
no meu braço, um aviso para tirar
minha mão dele. Então eu fiz.
“Você não pode ignorar as leis
que estabeleceu na criação dos
shifters!” Torin gritou mais besteira.
Tentei ver em volta de
Shadow, para determinar onde o
babaca alfa estava, mas toda vez
que me movia, Shadow de alguma
forma ainda me bloqueava
completamente de vista.
“Tão facilmente quanto eu criei
sua espécie, seria tão fácil destruí-
lo,” Shadow rugiu.
A risada de Torin soou leve,
mas eu o conhecia há anos
suficientes para saber que ele estava
longe de estar relaxado. “Veja, eu
não acho que isso seja estritamente
verdade. Eu tenho feito algumas
pesquisas no ano passado e descobri
que agora somos uma parte
importante da estrutura de poder
deste mundo e ... de você. Sem os
shifters, você não estaria
balançando o nível atual de energia
a que está acostumado. "
O calor fluiu de Shadow com
uma intensidade que me disse que
ele era um idiota de abelha por se
perder completamente. "Com quem
você tem falado?" ele perguntou.
“Não há como o conhecimento ser
escrito em qualquer lugar nos
tomos ou scripts da Terra.”
Torin riu novamente. “Sim,
veja, nós temos um amigo comum
em comum. Ela esteve no seu
mundo. Ela já esteve em muitos
mundos, vagando por aí, e não foi
preciso muita persuasão para
convencê-la a revelar alguns de
seus segredos. ”
Vagando. Dannie era um
andarilho. Era assim que ela sempre
se chamava.
Desta vez, não me incomodei
em ir devagar, me jogando para o
lado para poder contornar Shadow.
“Se você a machucou, Torin,” eu
gritei, minha voz mudando quando
meu lobo se envolveu, “Eu vou te
matar.”
Os olhos de Torin encontraram
os meus, e foi a primeira vez que
realmente nos encaramos desde que
ele começou a tentar me perseguir.
"Venha para casa comigo, Mera, e
eu vou garantir que Dannie não
sofra mais nenhum dano."
Meus membros tremeram, e
enquanto o calor queimava por
mim, eu me perguntei se algo disso
era de mim ou era tudo fogo de
Shadow? Ele estava quase
pressionado contra minha espinha.
“Você pode me beijar contra a
minha vontade,” eu cuspi em Torin.
“Você pode tocar e arrastar e me
machucar. Você sempre teve mais
poder do que eu, mas a única coisa
que você nunca terá é eu me
submetendo de boa vontade a você.
Basta perguntar a Shadow aqui.
Minha independência é a parte de
mim que sustento acima de tudo ”.
"Ele beijou você contra a sua
vontade?" As palavras de Shadow
eram afiadas, cada sílaba uma
lâmina figurativa.
Eu engoli em seco. “Sim, ele
fez. Duas vezes. Pouco antes de
você chegar até nós, agora devo a
ele um ou dois narizes quebrados. ”
O calor aumentou ao redor da
besta, e quase engasguei quando
Torin caiu de joelhos, gritos
ecoando dele. Empurrando minha
cabeça para ver o rosto de Shadow,
ele estava encarando o alfa com um
olhar impassível - chamas em seus
olhos.
Piedosos. Porra.
Eu sabia exatamente o que
estava acontecendo, tendo sentido
esse poder em particular antes, e
embora eu nunca sentisse pena de
Torin, era eu quem queria quebrar
esse bastardo.
“Shadow,” eu disse, colocando
minha mão em sua pele em chamas.
"Está bem. Eu posso lidar com ele. ”
Seu peito retumbou, mas ele
não discutiu quando soltou Torin. O
alfa se arrastou até ficar de pé, os
ombros arfando enquanto ele
sacudia a dor. Esperei seu ataque,
mas ele decidiu não responder da
mesma forma, escolhendo um
caminho diferente.
Ele estendeu as mãos para mim
e deu um passo trêmulo para
frente. “Venha para casa comigo,
Mera”, ele implorou com voz rouca,
“e podemos trabalhar nossa
dinâmica. Eu sei que você sempre
quis ser bem-vindo de volta ao
bando, e agora você tem. A
companheira do alfa nunca temerá
por sua vida. "
Ele alcançou meu peito e
arrancou meu desejo mais profundo
e forte. O desejo que eu fazia desde
que era pré-adolescente. Desde que
perdi meu pai. Desde que meu
mundo em Torma implodiu.
Mas, apesar de sua aparente
sinceridade, eu sabia a verdade: ele
me controlaria pelo aumento de
poder que nosso vínculo trouxe.
"E quanto a Sisily?" Eu
perguntei com uma risada
zombeteira.
"Então e ela?" ele atirou de
volta tão rápido. "Ela obedece a seu
alfa, como todos os meus lobos
fazem, e tudo o que eu decidir
funcionar melhor para nós três é o
que vai acontecer."
Eu me lancei para frente,
preparado para matar esse filho da
puta estúpido se fosse a última
coisa que eu fizesse. Ninguém
poderia perder o que ele acabou de
insinuar ali, e se ele pensasse que
poderia começar seu próprio
harém, então iria acordar com uma
lâmina em seu peito. Novamente.
Torin e eu caímos em um
emaranhado de membros e eu
mudei no mesmo instante, a dor
quase negligente em minha fúria.
Meu lobo não perdeu tempo
rasgando a garganta de Torin, e no
início o alfa não lutou comigo - meu
ataque o pegou de surpresa, mas
seus instintos de sobrevivência
chutaram momentos depois quando
ele também mudou parcialmente.
Era tarde demais, porém, com
Shadow entrando na luta e me
puxando para cima e para fora de lá
antes que Torin pudesse dar uma
única mordida.
“Você é um pobre par para
ela,” a besta disse ao shifter
ensanguentado. "E se você tentar
tocá-la novamente, vou abandonar
o poder que você fornece para mim
e varrer sua espécie deste mundo."
Torin cuspiu um pouco de
sangue quando os cortes visíveis em
sua garganta começaram a
cicatrizar - infelizmente, eu não
tinha acertado nada muito
importante. "Você pode reivindicá-
la agora, enquanto rastreia suas
criaturas das sombras, mas ela não é
sua." Torin não demonstrou medo e
eu honestamente não sabia de onde
vinha essa bravura.
Shadow deve ter tido o mesmo
pensamento, enquanto o ouro
sangrava de volta em seus olhos.
"Você demonstrou brevemente as
razões pelas quais foi escolhido
como seu companheiro, mas é
muito pouco, muito tarde."
“Nunca,” Torin fervia de raiva.
“Se há mais alguma coisa que
aprendi no ano passado, é que
apenas a morte é permanente.”
A risada cínica de Shadow
ecoou quando ele se virou, com
meu lobo ainda em seus braços, e
deu um passo em direção ao portal
da biblioteca. “Você colocou sua
morte no universo, vira-lata. Vamos
torcer para que ela não decida
aceitar esse desafio. ”
“Eu tenho sua fraqueza, Besta
das Sombras,” Torin berrou atrás de
nós, finalmente conseguindo ficar
de pé, assim que desaparecemos de
vista e a Terra foi isolada de nós.
Chamas iluminaram o corredor
branco, e se eu não estivesse segura
em seus braços, eu teria queimado
até a morte no inferno que assolou
a nossa volta. Shadow marchou,
sem falar, e a julgar por sua
expressão, era melhor para mim
manter meus pensamentos para
mim mesma.
Se não fosse por Dannie,
arriscaria sua ira.
Iniciando a mudança de volta
para humano, gritei quando a dor
de ossos quebrando e remendando
não podia ser ignorada novamente.
Shadow me segurou e, de alguma
forma, ficou melhor ... e pior.
Quando eu finalmente era um
humano bufando, tossindo e
estremecendo, dei um tapinha em
seu ombro.
“Eu tenho que voltar,” eu disse
com urgência. “Eles estão
machucando meu amigo por minha
causa. Bem, você e eu, e é nossa
responsabilidade ajudá-la. ”
"Eu cuidarei disso."
"O que diabos isso significa?"
Eu mordi. “Precisamos cuidar disso
agora. Por favor. Não é negociável.

Sua mão pousou na minha
bunda nua, um tapa firme, e
quando seu poder surgiu através de
mim, eu gritei. Não doeu
exatamente, mas foi um aviso.
Um aviso para calar a boca. Ele
tinha que saber que isso não iria
acontecer de maneira alguma.
Chutando, comecei a lutar mais
contra seu aperto e, por meu
esforço, recebi outro tapa na minha
bunda. Desta vez, sua mão apertou
ao ponto de desconforto enquanto
ele me segurava no lugar, seus
passos longos continuando.
Maldição! Então ele estava me
ignorando agora e esperava que eu
apenas confiasse que ele cuidaria
disso. E por que diabos ele estava
me batendo como uma criança
errante?
Nada ferveu mais meu sangue
do que isso, e o fato de que sua mão
ainda estava na minha bunda,
segurando-a quase
possessivamente, me fez querer ...
bem, merda, estava me deixando
nervosa. Não estar nua agora teria
sido excelente, mas mais uma vez,
eu mudei antes de pensar sobre as
ramificações. Rasgar Torin tinha
valido a pena, no entanto.
“A conversa sobre Dannie não
acabou,” eu avisei Shadow.
“Estaremos revisitando muito em
breve. No entanto, tenho algumas
outras perguntas que também
precisam de respostas. ”
“Claro que você quer,” ele
resmungou.
Eu o ignorei e tentei
ridiculamente ignorar sua mão. “O
que aconteceu com todas aquelas
criaturas das sombras? Até mesmo
as pequenas árvores duendes
desapareceram ... "
Silêncio.
"Você capturou e prendeu
todos eles enquanto eu estava
lidando com Torin?" Nesse ponto,
nós dois paramos de fingir que ele
precisava da minha ajuda para
subjugá-los.
Silêncio novamente.
“O que você está escondendo
de mim, Shadow? O que é tão
importante no Reino das Sombras
para que você me mantenha por
perto apenas na chance de eu abrir
a porta? "
O silêncio era mais pesado, se
isso fosse possível. Tínhamos
entrado na biblioteca neste
momento, e assim que a sala
iluminada apareceu, eu senti uma
onda premente de exaustão.
Mudanças rápidas ainda drenavam
minha energia.
Shadow não parou. Ele não
voltou a falar. Eu nem tinha certeza
de que ele estava respirando, mas as
chamas continuaram a crescer em
uma altura impressionante,
felizmente não pegando fogo na
biblioteca. A magia aqui deve tê-lo
protegido de assalto às feras das
sombras selvagens. Caso contrário,
imaginei que teria queimado antes
de agora.
Quando alcançamos seu covil,
fui depositado em meu quarto.
"Sombra?" Eu perguntei:
“Precisamos conversar sobre
Dannie. E as criaturas das sombras.
Talvez até Torin. É tudo
importante. ”
Ele parou na porta, sem se
virar. "Na próxima vez que eu
voltar", disse ele, "você vai abrir a
porta para o Reino das Sombras ou
eu mesmo vou te matar." Pausa.
“Esse é o único detalhe importante
com o qual você precisa se
preocupar.”
Então, com uma onda de fogo
que chamuscou a moldura da porta,
deixando um rastro de brasas e
fuligem para trás, ele saiu da sala,
trancando-me lá dentro.
"EU deixe-me sair! "
Por dias, estive batendo
com o punho e gritando para uma
porta que não se movia. Caindo
para frente, fechei os olhos e me
perguntei se talvez Shadow tivesse
acabado de decidir que essa era a
maneira mais fácil de lidar comigo.
Eu tinha água no banheiro e levaria
meses ou mais para enfraquecer por
falta de comida, então não havia
perigo inerente, a menos que ele se
esquecesse de mim para sempre.
E talvez esse fosse o seu plano.
Mas eu tinha amigos e família para
cuidar, e precisava ganhar aquela
aposta se essa fosse a única maneira
de fazê-lo manter sua palavra e me
permitir visitar as terras do bando
novamente.
Pelos meus cálculos, faltava
uma semana para cumprir a minha
parte dessa aposta e, pelas poucas
pessoas que amava, faria o que fosse
preciso.
Custe o que custar.
Só tinha que sair daqui
primeiro.
A natureza redundante de
bater contra uma porta que estava
selada com algo mais forte do que o
que um lobo poderia quebrar
finalmente me alcançou, mas eu
estava literalmente sem saber o que
mais fazer. Eu tentei chamar Angel,
mas claramente, nosso vínculo não
estava maduro o suficiente para
ouvir os pensamentos um do outro.
Eu até mesmo recorri a enfiar
notas escritas do SOS debaixo da
minha porta. Eu tive que rasgar o
papel de um dos livros roubados no
meu quarto - isso doeu, mesmo que
fosse uma daquelas páginas em
branco no verso. Eu usei delineador
para escrever uma carta de “me
ajude” e, como ninguém me
resgatou, claramente profanou um
livro por nada. Eu adicionei isso à
minha lista de merdas pelas quais
Shadow pagaria.
Eu também procurei na sala
por passagens escondidas, mas não
havia nada a ser encontrado.
Nesse estágio, eu sairia pelo
Reino das Sombras se conseguisse
descobrir como tocá-lo. Irônico, já
que essa era a única coisa que
Shadow queria de mim; a razão
pela qual ele me trancou em
primeiro lugar.
Se eu desbloquear o reino,
posso até estar livre para voltar
para Torma, com ou sem aposta.
Quer dizer, não que eu fosse me
juntar ao bando, não importa o que
Torin pensasse que iria acontecer,
mas eu voltaria o tempo suficiente
para me assegurar de que Dannie e
Simone estavam bem. Então eu
abraçaria a liberdade como nunca
tive antes.
Torin. O que estava
acontecendo com aquele shifter
bastardo de qualquer maneira?
Desde quando ele decidiu mudar de
ideia sobre querer o vínculo de
companheiro verdadeiro? Parecia
uma tentativa de agarrar o poder,
para não mencionar o controle - ele
não queria sua verdadeira
companheira vagando livremente
pelo mundo.
Não que ele tivesse que se
preocupar muito com isso ... Eu
estava quebrando o vínculo assim
que estivéssemos na mesma sala
novamente.
Nesse ponto, eu estava
esparramado na cama, deixando
todos esses pensamentos me
consumirem. A falta de comida
ainda não estava me deixando
fraca, mas eu estava cansada. Pode
ser hora de uma soneca. Talvez em
meus sonhos eu encontrasse o
caminho para o mundo das
sombras, abrisse a porta e a besta
me libertasse de seu domínio.
Talvez eu finalmente
descobrisse o que estava faltando
sobre o feitiço segurando a porta? O
que todos nós perdemos? E com
toda a honestidade, como eu iria
resolver esse mistério se um bando
de poderosos bastardos divinos não
conseguiam?
Em algum ponto de minhas
reflexões e estresse, eu adormeci,
um estômago roncando meu único
companheiro. Meus sonhos
assumiram o mesmo fio escuro de
meus pensamentos, faixas
vermelhas e douradas espalhadas
por um mundo sombrio. Eu estava
correndo, perseguindo, caçando. O
lobo estava no controle enquanto
deixamos as cores deslizarem por
nós. Só que não tínhamos um corpo
real. Éramos lobos, mas não éramos
o lobo que conhecíamos do lado da
Terra. Este lobo abraçou a escuridão
com fios de fogo. Este lobo poderia
escapar da forma sólida e se tornar
um com a sombra. E quando
éramos sombras, éramos poderosos
... invencíveis.
A sensação era inebriante e
nem tentei lutar enquanto nos
perdíamos na escuridão. Este era o
lugar onde deveríamos estar o
tempo todo. Esta foi a minha
vocação ... meu destino. O Reino
das Sombras ...
Eu me endireitei, sacudindo a
desorientação daquele sonho em
um piscar de olhos, mesmo
enquanto minha respiração entrava
e saía rapidamente. Parecia tão real.
Na minha língua, eu ainda podia
sentir o gosto acre da terra que
viajamos; sentir os tentáculos de
névoa fria em minha pele; anseia
pela vasta liberdade que estava
diante de mim.
Meu peito arfou enquanto eu
lutava contra a dupla sensação de
existir entre dois lugares. Eu
realmente estive no Reino das
Sombras naquele sonho? Ou foi
apenas uma manifestação de
Shadow exigindo que eu
descobrisse como abrir a porta?
A desorientação não
desapareceu, mesmo quando fiquei
sentado ali por muitos minutos,
sacudi a cabeça e bati algumas
vezes no rosto. Tropeçando em
meus pés, um tremor de corpo
inteiro foi minha próxima opção,
seguido por um banho frio. Fechei
meus olhos primeiro e sacudi meus
braços e pernas, formigamentos
seguindo cada movimento, como se
meus membros estivessem
dormindo por muito mais tempo do
que aquele sonho havia indicado.
Ainda assim, uma segunda
visão sombria persistiu, bem na
minha visão periférica. Continuei
avistando movimentos escuros ao
lado, mas quando me virei, não
estava lá. A visão dupla me deixou
nauseada enquanto corria para o
banheiro, deixando o chuveiro
congelar enquanto eu entrava
totalmente vestido. Fechando meus
olhos completamente, deixei cair
minha cabeça contra a parede.
O choque da água gelada fez o
truque, enquanto a corrida da
minha mente se acalmava, e
quando eu finalmente reabri meus
olhos, as sombras haviam
desaparecido de vista. Ajustando a
temperatura da água, afundei no
riacho mais quente, abraçando
minhas pernas. Minha bochecha
descansou contra meus joelhos
enquanto eu contemplava a
possibilidade de que eu toquei o
Reino das Sombras em meus sonhos
- e talvez tenha lançado mais
criaturas em algum lugar.
Depois que eu finalmente me
acalmei, meus pensamentos
estavam centrados na estupidez de
quebrar a conexão com o único
lugar que eu precisava estar acima
de todos os outros. Eu deixei o
medo tomar conta de mim e perdi
minha oportunidade. No futuro, eu
teria que fazer melhor do que isso,
ou ficaria presa nesta sala pelo resto
da minha vida.
Quando terminei de sentir
pena de mim mesma, derramei as
roupas molhadas no chão do
banheiro, caminhando nua para o
quarto principal. Minha linha de
visão estava no chão enquanto eu
marchava para frente, furiosa com
minha estúpida tomada de decisão,
então perdi o intruso em meu
quarto.
Ele mergulhou em mim, uma
criatura das trevas que eu nunca
tinha visto antes, e eu caí nu,
gritando pra caralho. No segundo
que a criatura e minha carne se
conectaram, o fogo correu pelos
meus receptores de dor, assim como
quando Shadow me tocou.
Ele sibilou para mim em uma
língua estrangeira, que eu ignorei
enquanto balançava meu cotovelo
para cortá-lo no rosto, atirando de
volta para mim. Quando o contato
entre nós quebrou, a dor
desapareceu e, fora das duas marcas
de mão entre meus seios e ombros,
não havia outras marcas na minha
pele. Pelo que pude ver.
Minha atenção voltou para o
espectro sombrio enquanto
inclinava a cabeça para o lado, me
observando. Mais sons sibilantes
surgiram.
“Eu não falo criatura das
sombras,” eu respondi, as mãos
estendidas na minha frente no caso
de eu precisar me defender
novamente.
Agora que não estava em cima
de mim, tive tempo de realmente
ver o que estava enfrentando. Esta
criatura em particular tinha quatro
braços, dois conjuntos de cada lado
de seu torso, com patas traseiras
curvas semelhantes a lobos
segurando-o na vertical. O rosto
também parecia um lobo, com
focinho estendido, dentes afiados e
olhos escuros como contas. Ele se
encaixava no estereótipo do reino
das sombras, sendo em tons de
cinza e preto, e não era feliz.
Mais acenos de braços e
assobios.
“Pelo amor de Deus,”
amaldiçoei, correndo para o lado e
contornando-o. "Sombra!" Eu gritei
quando bati na porta, usando todo
o peso do meu corpo. “Inky! Gaster!

Um desses idiotas devia estar
por perto.
Certamente, Shadow sentiu a
perturbação; ele sentiu isso na
primeira vez que toquei o Reino das
Sombras.
Eu só tive que aguentar o
tempo suficiente até que ele
chegasse, me libertando desta
maldita prisão.
Girando e pressionando
minhas costas contra a porta, fiquei
surpreso ao ver que a coisa ainda
estava na mesma posição, me
observando de perto. Quando
nossos olhos se encontraram, ele
deu um passo à frente e me
preparei.
Na adrenalina de ser atacada,
esqueci que tinha controlado as
criaturas das sombras na Terra.
Algo que não tive tempo de contar
a Shadow ou a qualquer outra
pessoa.
Posso controlar este também?
“Pare,” eu ordenei. “Não dê
mais um passo.”
Ele avançou.
Merda!
O que quer que fosse essa
criatura, parecia forte, com uma
presença dominante. Foi quase real,
visto que ficou cara a cara comigo,
naquelas patas traseiras de lobo. E o
fato de que era muito forte para eu
controlar não era um bom presságio
para minha chance de sobreviver.
Especialmente combinado com um
poder de fogo semelhante ao de
Shadow.
"O que você quer?" Eu
perguntei estupidamente, já que
falava em cliques e estalos.
Ele deu um passo à frente, sem
fazer nenhum som, pois era
claramente mais inteligente do que
eu e sabia que não poderíamos nos
comunicar. Eu não tinha para onde
recuar, já pressionado contra a
porta, então quando alguém a
abriu, eu voei para frente, meu
rosto se espatifando no chão, a dor
subindo rapidamente pelo meu
nariz e bochechas.
“Ugh,” eu gemi, sentindo o
gosto de sangue enquanto me
arrastava para minhas mãos e
joelhos.
Desse ângulo, eu não tinha
ideia de quem havia arrombado a
porta. Foi Shadow? Ou poderia ser
outra fera que queria me matar
também? Talvez quatro braços
tivessem um amigo?
Talvez eu tivesse batido minha
cabeça com muita força e tudo isso
fosse um sonho? Ou Shadow tinha
me assassinado enquanto eu dormia
e esta era minha vida após a morte?
Tantas perguntas.
Tão poucas respostas.
História da minha vida.
M Meu nariz já estava curado
quando me levantei, concentrando-
me nas duas figuras sibilando uma
para a outra. A visão de um homem
familiar de 2,5 metros de altura com
ombros largos e uma mecha de
cachos foi um grande alívio.
Shadow elevou-se sobre a besta
wolfie, o que normalmente seria
um grande sinal, mas ele tinha uma
expressão estranha que eu não
gostei. Não era medo, mas ele
estava confuso, e uma coisa estava
certa: esta não era uma criatura
normal das sombras.
Os dois começaram a sibilar
para frente e para trás, e eu gostaria
de poder entender o que eles
estavam dizendo. O rosto de
Shadow era a escuridão
personificada enquanto ele olhava
para mim, e eu desejei poder tirar
minha bunda nua e ensanguentada
deste espaço, porque esses caras
falavam sério.
"Que porra está acontecendo?"
Eu perguntei, limpando o sangue
do meu queixo. "O que é esta
criatura?"
Shadow olhou para mim como
se eu fosse o monstro na sala. "O
que você fez?" ele perguntou. -
Você libertou Igorna do reino. Ele é
um membro de nível superior de
uma das famílias reais. ”
Igorna. Esse era um nome, não
apenas uma classificação de
criatura. Aparentemente, este era
muito diferente dos outros. Um
real.
“E ele disse que você tentou
controlá-lo. Ele sentiu a atração de
um alfa para obedecer. "
Opa. Eu me entregara lá e,
honestamente, nenhum dos dois
parecia com disposição para mentir
sobre o que tinha acontecido. “Eu
meio que controlei algumas
criaturas das sombras na Terra, mas
não tenho ideia de como fiz isso,
então não se preocupe em
perguntar. É um mistério tanto para
mim quanto para você. ”
Shadow estendeu a mão e
envolveu meu braço, puxando-me
para o seu lado. “Não chegue perto
dele”, ele me avisou.
Eu bufei. “Não estava
planejando isso. Já estou com as
cicatrizes da primeira vez que ele se
lançou contra mim. ”
Shadow se acalmou e, embora
ainda não tivesse tirado os olhos de
Igorna, pude sentir seu foco. "Que
cicatrizes?"
Levantando meus longos
cabelos, mostrei ao mundo meus
seios, porque, neste momento, essa
era a menor das minhas
preocupações. Crédito para
Shadow, seus olhos pousaram nas
marcas de mãos marcando minha
pele, alguns tons mais escuros do
que o bronze bronzeado do meu
peito, e não afundaram mais.
Seus lábios se estreitaram. Um
péssimo sinal com Shadow, pelo
que vim a aprender.
“Vista-se,” ele mordeu fora, me
libertando de seu olhar
investigativo e firme. "Parece que
Igorna e eu precisamos trocar
algumas palavras sobre como tocar
meus pertences."
Lutando contra o desejo de
lembrá-lo de que não era
propriedade de ninguém, decidi
que agora não era a hora e fiz o que
me foi dito. Afastando-me, fiquei
perto da parede para não me cruzar
com Igorna. Chegando ao meu
armário, olhei por cima do ombro
para encontrar seus olhos redondos
fixos em mim.
Shadow se aproximou, seu
peito roncando em advertência.
Igorna ergueu o lábio e rosnou em
troca, exibindo algumas presas
impressionantes, mas não se
moveu. Isso foi reconfortante.
Talvez Shadow ainda tivesse a
vantagem contra esse cara lobo.
Quando ninguém se moveu,
me virei e agarrei a primeira roupa
que minha mão tocou, puxando um
moletom de algodão, uma camisa
cinza e meias. Foda-se sabia por que
o armário mágico tinha me dado
meias e não roupas íntimas, mas eu
não estava prestes a discutir. Eu
percebi enquanto puxava a camisa
para baixo que a marca no meu
peito tinha sumido agora, a cura do
shifter tinha começado.
Mas o dano já estava feito com
Shadow e seu temperamento. O
meu também, para ser honesto.
O assobio foi alto quando me
afastei ao longo da parede, os olhos
de Shadow olhando direto para
mim. Igorna se virou também, e eu
não tinha como saber o que ela
estava pensando com aquelas
feições estranhas.
“O que está dizendo?”
Perguntei a Shadow, incapaz de
suportar o suspense por mais
tempo. “Eu puxei isto aqui do Reino
das Sombras? Ou eu apenas abri
uma porta e ela entrou? "
Shadow não respondeu, muito
ocupado sibilando para a criatura, e
eu estava perdendo a cabeça por
um segundo quando ele finalmente
me respondeu. “Igorna não sabe o
que aconteceu. Ele estava caçando
quando sentiu sua presença. Seguir
a energia resultou em ele entrando
em nosso mundo. O príncipe não
está feliz por se encontrar trancado
fora do Reino das Sombras. ”
"A porta da sombra da
biblioteca ainda está trancada?" Eu
perguntei, me perguntando se eu
tinha feito mais do que apenas
caminhar pelos sonhos até o Reino
das Sombras. "Talvez eu tenha
destrancado enquanto estava lá."
Como se eu o tivesse
convocado com essa pergunta, Inky
entrou no meu quarto, girando em
torno de Shadow. “A porta
permanece inalterada. Você o
contornou como de costume. ”
“Então, o que podemos fazer
sobre nosso novo convidado?”
Perguntei. "E eu liberei mais
alguma coisa desta vez?"
A mandíbula de Shadow
poderia cortar vidro, estava tão
tensa que seus lábios se contraíram
enquanto ele soltava um suspiro.
“Não tive tempo de investigar se
existem outros, e Igorna vai ser um
pouco problemático porque o poder
que esta fera exerce é próximo ao
meu. Especialmente enquanto estou
nesta forma. ”
Neste formulário? "Você tem
outro formulário?"
Minha mente enlouqueceu
tentando imaginá-lo mudando para
outra forma. Ele quis dizer aquela
coisa de lobo ardente que ele fez?
Ou havia um outro lado completo
de Shadow? Era como o de Igorna?
Ou era algo totalmente diferente?
Talvez ele tenha moldado
shifters à sua imagem?
"Você precisa sair da sala agora,
Mera", disse ele, seu tom não
tolerando nenhum argumento.
Começando em direção à
porta, eu me encontrei hesitando,
balançando para trás para encará-
lo. "Você vai ficar bem, Shadow?"
"Bem!" ele rosnou. “Nós dois só
precisamos ter uma conversinha.”
Igorna assobiou seu assobio
mais alto até agora, e eu não gostei
do som dele. Mas este não era um
lugar para mim, em uma batalha
entre bestas das sombras. Eu só
tinha que torcer para que Shadow
mais uma vez provasse que os
rumores eram verdadeiros e fosse o
mais assustador de todos.
R saindo do meu quarto, fui direto
para a Biblioteca do Conhecimento.
A vontade de correr de volta para
Shadow era forte, mas não havia
nada que eu pudesse fazer para
ajudá-lo a não ser entrar no meio e
morrer. Ele era o ser mais
assustador e durão que eu já
conheci, e eu tinha que ter fé que
ele conseguiria se controlar. Sem
mencionar que o bastardo me
trancou por dias, então realmente,
eu choraria se ele morresse?
Quando entrei na biblioteca,
não consegui entender como tudo
era normal. Brilhante e arejado,
cheio de seres circulando, fazendo
suas pesquisas. Como se nenhum
deles soubesse sobre os dias em que
estive trancada. Ou os novos
perigos sombrios que eu trouxe
para o nosso meio.
Marchando pelas prateleiras,
ignorei os olhares confusos. Eles
não tinham visto uma garota em
uma missão por comida antes?
"Em. Mera! ” Uma voz alegre
chamou minha atenção. “Você
finalmente terminou seu projeto de
pesquisa! Nós sentimos saudades de
você."
Fiz uma pausa, virando-me
para encontrar Gaster e seu sorriso
genuíno atrás de mim. Engolindo
minha fúria, forcei meu próprio
sorriso a aparecer. Quando fiquei
presa na sala, me senti muito traída
por ele ... por todos. Pensando que
todos sabiam que eu estava preso e
que ninguém tinha colocado
comida por baixo da porta.
Logicamente, eu sabia que era
estúpido esperar que alguém fosse
contra Shadow, mas ainda doía.
"Projeto de pesquisa?"
Ele assentiu com entusiasmo.
"Ai sim. Shadow disse que você o
estava ajudando e queria não ser
incomodado.
Ele fez, não é?Eu retornei seu
sorriso. “Shadow é um maldito
mentiroso. Eu estava trancado em
meu quarto, um prisioneiro, sem
comida ou entretenimento. Então,
se você me der licença ... "
Eu marchei, mas não antes de
ver seu rosto cair. Sim, isso foi
maldoso e maldoso da minha parte
com alguém que não merecia, mas
eu estava com fome e estressado, e
aquele nunca foi um bom momento
para me encurralar com uma
felicidade estúpida.
Quando cheguei ao refeitório,
meu primeiro olhar foi para
procurar Angel, mas seu lugar
estava vazio. Típica. Eu finalmente
saí da minha prisão e meu único
amigo era MIA. Ela claramente
tinha uma vida que não envolvia a
mim e a vadia necessitada que eu
era não gostava disso. Com sorte,
ela pelo menos percebeu que eu
estava faltando e perguntou a
alguém sobre mim. Eu tinha que
acreditar que havia uma criatura
sobrenatural aqui que se importava
comigo. Já que Shadow claramente
não sabia.
Inky apareceu do nada,
envolvendo-se em mim, como se
quisesse me lembrar que se
importava. “Você não se importa,”
eu disse, enxotando-o. "Você é
apenas um bajulador de Shadow, e
isso significa que não posso confiar
em você."
Inky inchou e já fazia um
tempo que eu não via isso, então eu
encarei, hipnotizado pela beleza de
suas sinapses faiscantes. Por um
minuto, antes de me obrigar a me
virar. Era hora de começar a me
distanciar de Shadow e de qualquer
coisa conectada ao seu mundo.
Os pequenos servidores de
metal se esquivaram então - eu me
acostumei muito com os seres do
tipo robótico, tendo aprendido que
eles se originaram na terra de
Faerie. Normalmente, eu não
gostava de ser servida, mas pelo
que eu sabia, eles não se
importavam com as tarefas que
recebiam. Afinal, eles foram criados
pelas fadas com o único propósito
de servir. O “rosto” quadrado de
metal não tinha olhos ou boca,
então não havia como saber se eles
estavam felizes, mas de alguma
forma eu duvidava que eles
sentissem emoções como essas.
Ou talvez eu estivesse
justificando porque realmente amei
seu serviço eficiente.
Depois de fazer meu pedido,
recostei-me, tentando ignorar meu
estômago roncando e a pequena
parte de mim que estava
preocupada com Shadow.
"Por que você ainda está
sentado aqui?" Virei para ver Angel
à minha direita.
“Você acabou de ...” Olhei em
volta para tentar descobrir como
diabos ela tinha chegado aqui tão
rapidamente e sem que eu
percebesse. Ela tinha aparecido do
nada? Ou ela poderia se mover em
supervelocidade?
“Shadow está ocupado com
outra entidade poderosa,” ela
sussurrou, inclinando-se perto do
meu ouvido. “Meus espiões me
disseram que ele ficará ausente por
pelo menos algumas horas. Vamos
fazer você transar. ”
Eu deveria estar de pé,
correndo para o corredor para fora
daqui, mas hesitei. “Eu preciso de
comida primeiro. Não como há
dias. ”
Ela se inclinou para trás,
olhando-me com mais atenção,
franzindo as sobrancelhas. "Deixe-
me adivinhar. Shadow não tinha
você em um projeto de pesquisa. ”
Eu balancei minha cabeça e ela fez
um som estrondoso de raiva. "Eu
preciso dar uma surra nele."
Mesma ménina. Mesmo.
“Ele me trancou no meu quarto
até que eu descobrisse como abrir o
Reino das Sombras. Tentei ligar
para você através do nosso vínculo,
mas provavelmente não tenho ideia
de como isso realmente funciona. "
Seu rosto angelical se
transformou por um momento em
algo que parecia um arauto
vingativo de morte. Não era menos
bonito, mas era assustador em sua
intensidade. O tipo de rosto que,
quando dirigido a qualquer pessoa,
os faria correr. "Nosso vínculo
levará tempo para amadurecer", ela
rosnou, "e, eventualmente, você me
sentirá como parte de sua energia,
de forma semelhante ao seu lobo."
Eu balancei a cabeça porque
isso fazia sentido.
“E Shadow,” ela rosnou, “é o
próximo na minha lista a destruir.
Eu perguntei a ele francamente
sobre você, e eu não gosto que
mentem. "
Suspirei. “Tecnicamente, ele
não mentiu. Ele me deixou lá para
descobrir como abrir a porta para
Shadow Realm. Acho que esse era o
seu 'projeto especial' ”.
“Mentir por omissão ainda é
uma mentira. Eu estava
perguntando sobre o seu bem-estar
e deixá-lo passar fome não é
garantir uma saúde ideal. ”
Eu aprendi que quanto mais
formal seu discurso era, mais
irritada ela ficava.
Dei de ombros. “Bem, eu tenho
certeza que não vou discutir sobre o
planejamento de sua morte. Deixe-
me saber se você quiser alguma
ideia. ”
Seu sorriso era brilhante, se
não um pouco frágil, enquanto a
raiva ainda apertava seu rosto. “Eu
ouvi que o sinal de que uma
verdadeira amizade na Terra é
encontrar alguém que irá ajudá-lo a
esconder um cadáver.”
Meu sorriso combinou com o
dela. “Exato, meu amigo. Muito
preciso. E se alguma vez surgir a
necessidade de você, não hesite em
me pedir ajuda. Eu sou totalmente
sua garota. Sem perguntas. ”
Angel me abraçou e um pouco
da tensão que vinha crescendo
dentro de mim nos últimos dias
diminuiu. Por cima do ombro, uma
dúzia ou mais de rostos chocados
foram apontados em nossa direção,
e eu não fiquei nem um pouco
surpreso. Este era um
comportamento altamente
incomum para qualquer um aqui,
muito menos alguém de Honor
Meadows.
Eu a apertei com força em
retorno e ela soltou um longo jato
de ar. “Outro costume humano com
o qual eu poderia me acostumar,”
ela murmurou. “Eu costumava ver
isso de longe, e agora entendo as
expressões que eles usavam.”
Suas palavras suavizaram meu
coração e mais da minha raiva tensa
foi liberada. Fazia muito tempo que
eu não era abraçada com carinho
assim, e eu absorvi isso como a
triste shifter que eu era.
Quando nos afastamos,
nenhum de nós sabia o que dizer -
não éramos realmente o tipo de
garotas que têm emoções mais
suaves, então, com um rápido
limpar de nossas gargantas, nos
concentramos na comida que tinha
chegado, cortesia de um garçom . A
comida de Angel sempre aparecia
alguns minutos depois que ela se
sentava, embora eu nunca a tivesse
visto realmente fazer um pedido.
Era uma habilidade que eu gostaria
de possuir, mas pelo menos a
minha não estava muito atrás da
dela.
Caí na comida como se não
comesse há meses. Os shifters não
lidavam bem com a privação de
comida, mesmo que tecnicamente
pudéssemos passar muito tempo
entre as refeições. Hoje, tudo estava
com o gosto da melhor coisa que eu
já comi. O pão estava doce com
manteiga apenas o suficiente e o
ensopado estava quente, especiarias
e sabores explodindo em minha
língua. Havia também uma bebida
deliciosa, frutada e espumante que
lembrava refrigerante, só que mais
leve com menos xarope.
Angel balançou a cabeça, uma
risada gutural acompanhando.
“Não invejo muito os mortais, mas
quando você come com tanto
abandono, fico ansiosa por um
momento semelhante de alegria.”
"Tem certeza de que não pode
comer a comida com a qual brinca?"
Ela encolheu os ombros. "Eu
não preciso disso para o sustento,
mas talvez ..."
Com olhos curiosos, ela levou
um pedaço de pão com manteiga
aos lábios. Ela inalou, cheirando a
comida primeiro como todos os
verdadeiros apreciadores de comida
faziam, e então quando seus dentes
morderam, ela mastigou
pensativamente antes de enrugar o
rosto e cuspir.
"Ok, isso não é bom", ela bufou.
"Talvez eu não esteja perdendo."
Eu ri, o que se transformou em
uma risada encorpada. Seu rosto
estava tão desapontado e enojado.
Que decepção depois de todo
aquele tempo que ela tinha
imaginado o sabor.
“Talvez da próxima vez vamos
tentar chocolate,” sugeri. “É a sua
melhor aposta para encontrar um
alimento que corresponda ou
supere suas expectativas.”
Seus olhos estreitos não
falavam de muita confiança sobre
isso, mas ela não discutiu.
“Devemos descobrir este chocolate
na Terra?” ela perguntou, me
lembrando que ela inicialmente me
procurou para tentar me afastar
enquanto Shadow estava ocupado
com Igorna. Uma oportunidade que
eu deveria ter agarrado com as duas
mãos, mas por algum motivo, ainda
estava hesitando.
“Shadow está indo contra uma
criatura poderosa,” eu murmurei,
inclinando-me mais perto. “Era
mais forte do que qualquer um dos
outros que reunimos. Devemos
verificar se ele está bem? "
Ela franziu os lábios, ignorando
minha pergunta. "Como você ficou
coberto de sangue?"
Acabei de me ocorrer que eu
estava sentado aqui com ela por
vinte minutos, o rosto manchado de
sangue, e ela não tinha perguntado
até agora. "Você não percebeu que
eu estava sangrando antes?"
“Eu percebi,” ela respondeu
rapidamente. “Mas eu imaginei que
se você quisesse que eu soubesse o
porquê, você teria tocado no
assunto. É educado não perguntar.

Eu a empurrei suavemente.
"Você claramente gastou muito da
sua vida em torno da violência se
não piscar para alguém
casualmente comendo o almoço
coberto de sangue."
Os demônios emocionais que
atormentavam Angel brilharam em
seus olhos expressivos. "Palavras
verdadeiras nunca foram faladas. A
violência está em meu sangue, no
sangue de minha família, e meu
passado e futuro serão pintados em
tons de vermelho. ” Ela riu sem
humor. "Metaforicamente falando,
já que não sangro da mesma cor que
um humano."
Bem, isso foi interessante. Mas
não houve chance de perguntar a
ela de que cor ela sangrou porque
um rugido cortou o ar, com força
suficiente para me jogar no chão.
Angel me pegou antes que eu
plantasse o rosto, e enquanto ela me
puxava para cima com o tipo de
força que eu associava à Besta das
Sombras, nós dois enfrentamos o
que quer que estivesse vindo em
nossa direção.
De alguma forma, me senti um
pouco mais confiante com meu
amigo ao meu lado.
“S tay atrás de mim, ”Angel sibilou,
arqueando a parte superior do
corpo para frente em uma pose
projetada para golpear forte e
rápido. "É um caçador de sombras."
Eu nunca tinha ouvido falar de
um caçador de sombras, mas os tons
tensos em sua voz me disseram que
eram más notícias. Eles também
provavelmente estavam aqui por
minha causa e, mais uma vez, eu
estava provando que minha bunda
estúpida era muito perigosa para
ser deixada sozinha.
Isso foi realmente culpa de
Shadow, com sua insistência em me
conectar com o Reino das Sombras.
Sim, eu estava satisfeito com
noventa por cento da culpa que
estava com ele.
"Atrás", disse ela novamente
quando comecei a me mover ao
redor dela.
“Garota, eu não rolo desse
jeito,” eu disse às costas dela. “Eu
nunca confiei em ninguém para
lutar minha batalha antes, e não
estou prestes a começar com você.
Nos ficamos juntos."
Era bom esperar por um
cavaleiro de armadura brilhante
para salvá-la - esse era o sonho de
muitos jovens shifters, mas não o
meu. Meu cavaleiro, sem dúvida,
teria aparecido em metal
enferrujado coberto de merda e
começado a me desapontar uma e
outra vez. Por que esperar por isso?
Por que ter esperança quando
sempre foi provado que não vale
nada?
Angel apenas balançou a
cabeça, mas não discutiu. “Além
disso”, acrescentei, “sei e reconheço
que você é dez vezes mais durão do
que eu. Mas eu sempre estarei com
você. ”
Antes que ela pudesse
responder, mais rugidos rasgaram a
sala, e meu lobo se mexeu no meu
peito, tentando avançar com um
uivo próprio. Tive a sensação de
que chamar a atenção para nós não
era uma boa ideia, então a tranquei
o melhor que pude.
Dois caçadores de sombras
surgiram, envoltos em preto da
cabeça aos pés, marchando
rapidamente ao longo das fileiras.
A inquietação do meu lobo ficou
ainda mais forte e eu tive que me
perguntar por que diabos tudo no
Reino das Sombras a fazia reagir tão
violentamente. Poderia ser apenas
sobre uma conexão da Besta das
Sombras? Ou era algo mais?
E algum dia eu resolveria esses
mistérios antes que uma dessas
criaturas me matasse?
“Dois deles,” Angel sibilou, e
houve um estremecimento de luz
ao longo de sua pele quando suas
asas explodiram, as armas
aparecendo em ambas as mãos.
Eram lâminas curvas, reluzentes em
ouro e prata, com pontas
perversamente afiadas nas pontas.
“Para que eles estão aqui?” Eu
sussurrei. "E como vamos tirá-los?"
Ela se inclinou mais para
frente, as lâminas balançando em
torno de suas mãos com o tipo de
habilidade que eu nunca possuiria -
se eu mesmo remotamente tentasse,
eu cortaria meus malditos braços.
Talvez ela realmente não
precisasse de mim ao seu lado.
“Eu nunca ouvi falar deles fora
do Reino das Sombras,” ela disse,
sem se preocupar em esconder seu
aborrecimento. “Eles são usados ​
para cercar qualquer criatura que
escape do controle real. Como
caçadores de recompensas
sobrenaturais. O que eles estão
fazendo aqui, eu não tenho ideia,
mas o fato de que eles chegaram
enquanto Shadow Beast está
ocupado é uma má notícia. ”
Na quase certeza de que a
culpa era minha, eu tinha que fazer
tudo ao meu alcance para garantir
que ninguém se machucasse. E eu
realmente tinha que descobrir como
mandá-los de volta porque estava
ficando lotado deste lado da porta
agora. Sem mencionar que tudo
fazia sentido por que aquela porta
havia sido trancada em primeiro
lugar. As criaturas das sombras
eram como a Besta das Sombras -
perigosas e incontroláveis. Um dele
no Sistema Solaris era mais do que
suficiente.
Outro rugido quebrou o
silêncio anormal, seguido pelo som
de confusão enquanto todos se
dispersavam da sala de jantar,
tentando escapar de qualquer
destino que aqueles dois tinham em
mente.
"O que há sob suas capas?"
Murmurei. “Eu nem vi suas cabeças
se moverem quando gritaram.”
Angel balançou a cabeça, o
foco nunca oscilando. "Ninguém
sabe. Eles sempre usam as
mortalhas e os gritos são
debilitantes para qualquer coisa
com energia mais fraca do que eles.
O que é quase tudo. ”
Excelente. "Ainda estamos de
pé, pelo menos."
Os forros de prata geralmente
não eram meu forte, mas eu
precisava de um hoje. Talvez Angel
e eu pudéssemos pelo menos
segurá-los até a chegada de ajuda.
A menos que fossemos a ajuda
...
"Eu já me envolvi com um
caçador de sombras antes", disse
ela, girando as lâminas novamente,
"e um não é páreo para mim, mas
dois ..."
O não dito era óbvio ali. Ela
não tinha ideia se ela poderia lidar
com dois. “Eu serei a distração
chata,” eu disse enquanto outro
grito, muito mais alto desta vez,
quase me derrubou. "Isso pode lhe
dar uma vantagem."
Eles estavam parados no meio
da fileira, e Angel continuava
tentando me tirar do caminho.
Quando ficou óbvio que eu não iria
me mover, ela soltou um bufo e se
lançou para frente, decidindo atacar
primeiro.
Suas asas lançaram uma
poderosa rajada de ar que jogou
ambas as figuras encapuzadas para
trás, seus rostos permanecendo bem
escondidos na escuridão de seus
capuzes. Tão perto, eu poderia
dizer que eles eram altos e sólidos,
com uma névoa negra cobrindo-os
da cabeça aos pés.
Angel colidiu com o mais
próximo, sua arma cortando em um
arco rápido e, ao mesmo tempo, ela
lançou a lâmina em sua mão
esquerda, fazendo-a voar pela
mesa. O segundo caçador conseguiu
se esquivar do golpe, mas a lâmina
curva voltou para Angel a tempo de
ela jogá-la novamente, enquanto
aparava golpes com aquele que
estava cara a cara.
Os gritos eram ensurdecedores
e eu lutei contra a vontade de cobrir
meus ouvidos e rastejar para
debaixo da mesa. Se Angel pudesse
de alguma forma lutar contra dois
caras com lâminas voadoras
mágicas por conta própria, eu
poderia conseguir ficar de pé,
porra, e não me encolher como uma
cadela. Tive que viver de acordo
com minha grande conversa de
lutar minhas próprias batalhas e, no
mínimo, isso significava ficar de pé.
Meu lobo arranhou sua jaula
metafórica, tentando forçar uma
mudança. Após um momento de
hesitação, decidi que talvez devesse
deixá-la assumir a liderança aqui.
Eu tinha mais armas como lobo,
mas ainda havia uma pequena
preocupação sobre a maneira
estranha como ela agia em torno de
criaturas das sombras.
“Saia daqui,” Angel gritou,
sem ouvir meu debate interno.
"Obtenha Shadow."
Esse era o passo lógico a dar,
mas havia todas as chances de ele
estar bastante ocupado.
Certamente, se não estivesse, ele já
teria sentido o frio desses dois
caçadores - sua energia gelada era
como um tapa na cara de um saco
de bolas congeladas.
Mudança! Meu lobo não estava
aceitando não como resposta, e sem
mais tempo para me preocupar com
o caminho certo, eu a soltei e deixei
a mudança passar por mim. A dor
passou em um flash, e foi o mais
rápido que eu já mudei. Uma
grande conquista se eu não fosse
lutar contra um caçador lavado pela
escuridão.
Meu lobo não tinha medo
desses seres, e já que eu estava
escondido no fundo de sua alma,
não houve hesitação enquanto
atacávamos. Juntos, atacamos
quando, sozinho, eu teria evitado.
Quando nos prendemos à capa
escura, Angel soltou um grito. “Não
toque na escuridão deles!”
Era tarde demais para parar.
Minhas mandíbulas já estavam
presas ao manto, arrancando-o do
corpo. O lobo e eu queríamos saber
o que havia sob sua mortalha.
Tinha um gosto estranho, o
material almiscarado e em
decomposição. Não havia cheiro até
que nos apegássemos a ele, mas no
momento em que a capa estava em
nossas mandíbulas, fomos atingidos
por jatos de morte e sangue.
Isso não deteve meu lobo, que
era cruel em seu ataque, enquanto
mais e mais tiras eram arrancadas
do caçador. Angel continuou
gritando avisos para mim, mas eu
estava além de ouvir.
Os caçadores gritaram mais
alto do que nunca, mas não doeu
nada nesta forma.
"Como diabos você está
fazendo isso, lobo?" Angel berrou
tão perto do meu ouvido que fui
forçado a ouvi-la ... forçado a
pensar sobre o que ela estava
dizendo.
Tocá-los era aparentemente um
grande não, por razões que eu não
sabia. Havia muita coisa que eu não
sabia sobre este mundo;
informações que sem dúvida seriam
úteis quando eu estivesse na
batalha da linha de frente.
Como eles não nos mataram
até agora, não paramos, optando
por aumentar nosso ataque,
mirando mais alto para alcançar sua
"face".
Golpes afiados de poder
escorregaram do meu pelo quando
ele bateu de volta. Sentimos o
golpe, mas não houve dor real. Mais
de sua capa escura caiu no chão, e
meu lobo foi quase cortado em dois
quando uma lâmina de foice passou
zunindo por minha cabeça e se
enterrou profundamente no capuz
sem profundidade do caçador.
Seu grito foi diferente desta
vez. Mais agudo com menos força.
O primeiro grito foi um ataque, mas
este foi de dor. Angel acertou bem
no local para causar o maior dano.
A capa preta caiu no chão e
recuamos, olhando para ela.
Qualquer substância que estivesse
segurando o caçador havia
desaparecido com o golpe da
lâmina de Angel, deixando para
trás um feixe de material escuro.
O segundo grito de batalha de
Angel foi acompanhado por um
bater de asas quando elas se
chocaram contra o caçador restante,
antes que ele também fosse
despachado com suas lâminas.
Suas lâminas incrivelmente
afiadas.
Se eu não achasse que de
alguma forma me mataria com eles,
eu totalmente estaria conseguindo
um set.
Quando estávamos parados
acima de duas poças de material,
ela se virou para mim, seu peito
arfando enquanto corria seu olhar
sobre minha besta. Tentando
descobrir meus segredos.
"Você, meu amigo," ela bufou,
"não é humano ou shifter."
Nós olhamos para ela, meu
lobo tão confuso quanto eu. O que
diabos isso significa?
G Aster chegou logo depois disso, e
como eu não estava pronto para
ficar nu na frente do mundo
novamente, ainda estava na forma
de lobo. "Oh meu." Ele engasgou,
olhando para o que restava das
capas. "Você os derrotou por conta
própria!"
Angel fez uma careta. "A porta
do Reino das Sombras ainda está
selada?"
Ele acenou com a cabeça de
uma maneira rápida e nervosa.
"Essa foi a primeira coisa que
verifiquei, porque se a porta
estivesse aberta, teríamos muito
mais com que nos preocupar do que
alguns caçadores."
Eles estavam falando sobre a
porta que Shadow estava
desesperado para abrir ... certo?
Aparentemente, ninguém tinha
conhecimento dessa informação e
não parecia que eles ficariam felizes
com isso se soubessem. Mas
Shadow fez o que Shadow queria
aqui, isso estava claro, sem
ninguém corajoso ou forte o
suficiente para ir contra ele.
Mas teria sido interessante ver
suas reações se soubessem.
Pode deixar esse pequeno fato
em algum momento, apenas para
mexer a panela.
"Há mais caçadores, você
acha?" Gaster perguntou
nervosamente. “Mandei um alerta
pelas terras e vou aguardar suas
respostas e conselhos.”
Angel balançou a cabeça. “Não
há mais na biblioteca. Eu me
sintonizei com a energia deles, e ela
está ressoando vazia agora que
foram despachados. ”
Gaster olhou para baixo
novamente como se não pudesse
acreditar que eles estavam mortos.
“Nós teríamos problemas sem você.
Bênçãos amáveis, minha realeza. ”
Ele se curvou, mantendo a pose
respeitosamente.
Inclinei minha cabeça para trás
para ver seu rosto, e mesmo na
visão em escala de cinza do lobo,
estava claro que ela estava irritada
com o título e a genuflexão. "Eu fiz
o que qualquer um na minha
posição faria e, honestamente, se
não fosse pelo lobo-Mera, eu não
teria tido a chance de derrubar os
dois."
Meu lobo se envaideceu um
pouco. Tínhamos sido uma
distração muito boa, tudo sem
sofrer por tocar em suas capas.
Gaster, que estava quase cara a
cara comigo nesta forma, se
aproximou, olhando nos meus
olhos. “Como você pôde ajudar,
Sra. Mera? Os caçadores de sombras
são muito temidos, e tocá-los é
tocar a morte de um mortal. Sua
alma está perdida para eles. Você
deve ter tido muita sorte em evitar
o toque deles. ”
Uau, tudo bem. Então agora
nós sabíamos o que deveria
acontecer quando um mortal os
tocasse.
Angel arqueou uma
sobrancelha para mim. “Sim, muita
sorte”, disse ela. “Eu presumi
erradamente que ela saberia sobre
eles. Eu esqueci que todo o
conhecimento do Reino das
Sombras foi suprimido pela própria
besta. ”
Daí por que seu aviso tinha
chegado tarde demais para me
impedir de comer um caçador pela
metade. Ser um ímã de sombra
estranho tinha sido útil hoje, me
impedindo de perder minha alma ...
o que parecia um pouco assustador.
"Você encontrou Shadow?"
Angel perguntou, mudando o foco
de mim, como a verdadeira amiga
que ela era. "Certamente, ele estaria
interessado em uma pequena
invasão do povo das sombras."
Gaster fez outro daqueles
movimentos rápidos de cabeça. "Eu
tentei encontrá-lo, mas não há sinal
dele."
Um fio de medo se agitou bem
no fundo, no lugar onde eu não
conseguia odiar Shadow. Igorna fez
o que eu pensei ser impossível? Ele
machucou ou matou Shadow,
deixando os shifters à mercê de
uma vida sem deus? Eu não tinha
ideia se Shadow já tinha feito algo
benéfico para nós, mas era bom
saber que ele existia em segundo
plano.
Eu tive que ver como ele
estava.
Ao decolarmos em direção ao
quarto, Angel gritou atrás de mim:
“Tenha cuidado. Confie nos seus
instintos."
Meu lobo soltou um ganido de
concordância antes de correr para a
Biblioteca do Conhecimento, que
não era mais uma sala pacífica e
tranquila. Parecia que um tornado
havia passado por ele; os caçadores
causaram uma tonelada de estragos
antes de entrarem no refeitório.
Mais uma vez, uma criatura
das sombras me procurou. E mais
uma vez, eu não tinha a mínima
ideia do porquê.
Entrando no covil momentos
depois, o encontramos quieto e
quieto, ao contrário do caos da
biblioteca. Qualquer magia de
Shadow que mantinha este lugar
um santuário parecia ainda estar
intacta. Apenas silêncio e um ar frio
e fresco -
Espere, frio? Nunca estava frio
aqui ...
Mudando de direção, meu lobo
desviou em direção ao meu lugar
favorito com seus sofás macios e
fogo estrondoso. Um fogo que, pelo
que eu sabia, nunca tinha se
apagado ou mesmo queimado.
Até agora.
Nem uma partícula de chama
era visível, o interior escuro parecia
que estava frio há dias. Meu lobo
nos empurrou para frente,
choramingando enquanto um
verdadeiro medo se infiltrava em
nosso peito.
Shadow se foi. Se o fogo havia
apagado, isso significava que sua
energia não estava mais presente
para mantê-lo aceso? Ele havia
encontrado uma maneira de
retornar ao Reino das Sombras com
Igorna? Ou a criatura conseguiu
destruí-lo?
As perguntas giraram em
minha cabeça, e mesmo na minha
forma de lobo, com emoções
humanas mudas, estávamos com
medo. Indo em direção ao meu
quarto, nós nos movemos
lentamente, não querendo ser
emboscados. Rastejando pelas
pilhas de livros, notei que nada foi
perturbado, então, além da falta de
fogo, não havia como saber que
algo estava errado. Mas no fundo
da minha alma, o lugar onde eu
acreditava que o instinto surgiu, eu
senti a mudança.
E eu não gostei.
Quando chegamos ao meu
quarto, a porta estava entreaberta -
nunca estava entreaberta. Portanto,
agora tínhamos dois distúrbios no
status quo, e isso era tudo de que eu
precisava para saber que estávamos
completa e totalmente ferrados.
Rastejando para dentro, permiti que
meus sentidos vagassem livres
primeiro.
Não havia nada. Sem cheiro,
batimento cardíaco, ressonância de
energia ou presença física.
Empurrando mais para dentro da
sala, fiquei aliviado ao ver que
parecia vazio e intocado. Nenhuma
luta massiva aconteceu aqui, isso
estava claro, e eu não perdi mais
tempo mudando de volta e
trocando por roupas novas.
Grata por ter tido a chance de
comer e minha energia não ter se
esgotado completamente, mesmo
depois de uma mudança rápida,
joguei uma jaqueta por cima do
meu tanque e calcei minhas botas.
Correndo para fora da sala, meu
objetivo era voltar para a Biblioteca
do Conhecimento, encontrar Gaster
e forçá-lo a me contar tudo sobre o
Reino das Sombras. Eu não iria mais
tolerar sua resposta idiota de que
não é da minha conta.
Sim, desculpe, cara, quando
dois mundos começaram a colidir,
era problema de todos.
A biblioteca tinha recuperado
um pouco de sua compostura após
meu retorno, os goblins corrigindo
tudo o que havia sido perturbado
pelos caçadores. Aqueles dois
haviam aberto um caminho de
destruição através das prateleiras
em sua jornada em direção a Angel
e a mim. E uma das minhas maiores
dúvidas pendentes era por que eles
tinham como alvo nós ... eu.
A menos que tenha sido Angel
o primeiro ponto de eliminação,
como um dos poucos seres que
poderiam chutar suas bundas.
Parecia narcisista continuar
pensando que essa merda de drama
de sombras estava toda centrada em
torno de mim, mas porra, ele
simplesmente continuou vindo na
minha direção.
"Mera!"
Eu esperava que aquela ligação
viesse de Angel, mas era na
verdade Len, o amigo de Shadow
com sua capa de prata e sua língua
de prata.
"Você precisa vir comigo", disse
ele com pressa.
Eu balancei minha cabeça.
“Não, não posso. Tenho que
encontrar Gaster ou Angel. Eu
tenho tantas perguntas que
precisam de respostas ... ”
Ele estendeu a mão e colocou a
mão na minha testa, e quase
imediatamente, a escuridão nublou
minha mente.
“Seu bastardo,” eu murmurei
antes que o que quer que ele tivesse
feito tivesse efeito total, e eu
desabei em seus braços.
EU Acordei lutando, rosnando em
meu peito enquanto os uivos do
meu lobo soavam livres. Por alguns
segundos, fiquei presa entre o lobo
e a mulher, graças à magia fae que
Len tinha usado em mim. Lembrei-
me muito claramente de como sua
energia tinha começado na ponta
dos meus pés e subiu até meu
cérebro ficar sobrecarregado e eu
desmaiar.
E agora eu estava pronto para
chutar a porra de alguma bunda
fae.
Rolando para fora da superfície
macia, caí no chão em silêncio,
meio agachado enquanto olhava ao
redor. Eu estava em um jardim.
Não, na verdade, jardim era um
eufemismo demais para ser preciso.
Eu me encontrei no epicentro
da peça mais perfeita da natureza
que já tinha visto. As flores
correram por quilômetros, em cores
que não existiam no plano terreno.
Espalhadas entre estavam árvores,
tão magníficas e grandiosas que
toda a cena parecia uma
representação pintada da perfeição.
E o cheiro. Meu Deus. Quando
dei um passo à frente, uma
esmagadora quantidade de aromas
me atingiu. Não havia como eu
estar na Terra ou na biblioteca por
mais tempo, e considerando que foi
Len quem decidiu me enganar e me
trazer aqui, isso me deixou com
uma conclusão lógica.
Eu estava em uma terra para a
qual fui avisado para nunca ir.
Faerie.
O que eles fazem com os
terráqueos que tropeçam em seu mundo
me faz parecer uma porra de um santo.
Esse aviso foi extremamente
assustador hoje.
Shadow era um bastardo de
sangue frio que não se importava
em me empurrar, me punir e me
possuir como se eu fosse uma peça
de mobília que ele possuía, e ele me
alertou para sair deste lugar.
Sim, eu estava fodido, e
quando colocasse minhas mãos em
Len, arrancaria seu lindo cabelo de
sua linda cabeça.
Incapaz de ficar parado quando
parecia que estava sob ataque -
apesar da completa falta de
qualquer coisa alarmante na minha
vizinhança - rastejei por entre os
arbustos de flores. Fiz um esforço
concentrado para não tocar em
nada e, meia dúzia de passos
depois, passei por um ramo de
flores amarelas parecidas com
margaridas. Margaridas com mais
de dois metros de altura e espinhos
roxos da meia-noite em todo o seu
caule. Do outro lado deles havia
cachos florais mais curtos, em um
rosa quase cegante em sua
intensidade.
Essas flores, acima de todas as
outras, chamaram minha atenção.
Meus passos vacilaram, e me vi
estendendo a mão para correr meus
dedos ao longo de suas hastes
aveludadas. Eles eram quase
perfeitos demais, sem uma única
falha em sua vegetação ou variação
nas pétalas das flores.
A perfeição me deixou
inquieto. Nada vivo poderia
parecer tão perfeito, mas eu sentia
sua energia. Toda a natureza tinha,
e essas flores eram particularmente
fortes. Parando um pouco antes de
meus dedos fazerem contato, eu
inalei uma última respiração de seu
doce perfume antes de seguir em
frente -
"Pare, Mera!"
O comando me fez puxar
minha mão, meu coração batendo
forte no meu peito. Porra, eu perdi
minha cabeça ali por um minuto e
quase fiz exatamente o que prometi
que não faria. Não toque, coma ou
interaja com o Faerie. Essa era a
velha lenda urbana e eu tinha todos
os planos para aderir a ela, até que
as flores me atraíram.
Len, meu sistema de alerta, se
aproximou, vestido de forma mais
casual do que eu já tinha visto dele
antes. Sua capa prateada havia
sumido, revelando um conjunto
impressionante de ombros largos
envoltos em uma camisa preta de
mangas compridas simples. Eu
nunca o tinha visto usando uma
roupa tão escura, e o contraste era
impressionante com sua coloração
prateada.
Ele era esguio em comparação
com Shadow, mas a maioria dos
homens era, e agora que ele tinha as
mangas arregaçadas até o topo dos
antebraços, eu podia ver o músculo
fino e flexível ali. As calças pretas
justas não faziam nada para
esconder o resto de seu físico, e era
surpreendentemente óbvio como
ele se tornou um flerte. Mulheres se
atirariam em alguém assim. A
maioria das mulheres ... mas não
eu.
Assim que Len estava em uma
distância de ataque, eu avancei,
puxei meu braço para trás e bati
meu punho em seu rosto. A
confusão passou por suas feições
enquanto sua cabeça sacudia.
"Merda, Mera." Ele gemeu,
esfregando a bochecha. "O que
diabos foi isso?"
Eu rosnei, um som de lobo
selvagem. "Como você ousa me
arrastar aqui sem minha
permissão?"
Len inclinou a cabeça, ainda
parecendo confuso com o quão
chateado eu estava.
Golpeando meu dedo contra
seu peito enquanto lutava contra o
desejo de bater nele novamente, eu
me enfureci. "Se mais um de vocês
idiotas de merda pensa que você
tem o direito de tirar minha
vontade, vou descobrir como
garantir que você dê seu último
suspiro."
"Tecnicamente, não precisamos
respirar", Len murmurou.
Ignorando-o, eu o encarei com
esforço total. "Todos vocês viram a
última versão compatível de mim."
Eu o cutuquei novamente,
embora a ponta do meu dedo
estivesse começando a doer por ser
pressionada tão firmemente contra
os músculos do peito. Len estendeu
a mão e agarrou minha mão, me
impedindo de movê-la novamente.
"Estou salvando sua maldita vida."
Foi a sua vez de rosnar, e foi
impressionante para um não-
shifter. - Shadow disse que havia
criaturas de seu mundo correndo
soltas, muitas das quais estariam
procurando por você. Ele queria
que você protegesse enquanto ele
os cercava antes que o próximo
apocalipse começasse. "
Eu caí para frente. "Shadow
está vivo?"
Posso não ter admitido para
mim mesma, mas uma parte de
mim lamentou aquele bastardo
desde o momento em que vi a
lareira fria e vazia.
Len riu. “Claro que ele é. Nada
vai matar Shadow. ”
Esfregando minhas têmporas,
deixei escapar um suspiro. “Por que
você simplesmente não me contou
isso na biblioteca? Teria sido muito
mais fácil do que tudo o que você
fez. "
Ele encolheu os ombros. “Teria
sido, entretanto? Você é muito
conhecido por ser um pouco
argumentativo e eu literalmente
não tive tempo a perder. Se alguma
coisa tivesse acontecido com seu
pequeno ímã de sombra, meu
amigo não teria ficado feliz comigo.

Len não tinha medo de
Shadow - a amizade deles era
obviamente longa e verdadeira -
mas ele respeitava o poder da besta,
e esse era sempre um lugar seguro
para se ficar.
“Não importa a situação, você
nunca tem o direito de tirar minha
vontade de mim,” eu disse, minha
voz mais calma.
Parte de mim ainda estava
chateada, pronta para derrubar,
mas na verdade, Len me deixou
acertar um golpe decente e não
retribuiu o favor. E se ele estava
literalmente tentando me salvar,
então, sem dúvida, eu devia a ele
um pedido de desculpas. Que
estava no correio. Com o resto das
minhas merdas para dar.
"Eu entendo", disse Len. “Isso
não vai acontecer de novo.”
Certo. Certo. Muito
reconfortante.
"E agora?" Suspirei. "Eu só fico
aqui no seu jardim que não posso
tocar, esperando que Shadow me
chame, como se estivéssemos nos
anos 1900 na Terra?"
"Você não perdeu aquela coisa
de não tocar nas flores, hein?" Len
sorriu. “Os humanos são mais
espertos do que acreditam.”
Não me preocupei em informá-
lo que provavelmente era tão
humano quanto ele, de acordo com
Angel de qualquer maneira. “Seu
grito de 'parada' não foi exatamente
sutil. E eu conheço as fábulas desta
terra. Perdi a cabeça por um
momento com aquela flor em
particular. ”
O sorriso de Len ficou mais
largo. “Oh, sim, ela é minha
queridinha mais atraente. Mas
também não é bom em brincar com
estranhos. ” Ele se virou
abruptamente, caminhando em
direção às flores rosa vibrantes, e
quando ele estendeu a mão para
tocá-las, elas se transformaram
completamente em uma única
entidade, com uma enorme boca
aberta e dentes afiados formados
por espinhos. Espinhos que não
eram visíveis em sua outra forma.
"Eles gostam de acalmar suas
presas com uma falsa sensação de
serenidade", disse Len, continuando
a acariciar o maldito monstro
planta como se fosse um gatinho
fofo. “Nunca confie em nada tão
bonito.”
Eu levantei uma sobrancelha.
“Já à frente de você. Por que diabos
você acha que eu luto tanto contra
Shadow e seu bando de psicopatas
alegres? "
Len abandonou as flores
assustadoras e eu encarei fascinada
enquanto elas voltavam ao seu
estado doce e inocente. Ninguém
esperava que sob aquela fachada
perfeita houvesse uma planta que
comesse gente no café da manhã.
“Você acha que somos a banda
de Shadow? Como você sabe que
não sou o vocalista principal? ”
Todos eles tinham um domínio
surpreendentemente forte da
língua inglesa, e eu tinha uma
suspeita de que, como Angel, todos
eles haviam passado mais do que
pouco tempo no lado da Terra.
"Percebi que você não negou a
parte psicopata."
Ele encolheu os ombros.
“'Psicose' está nos olhos de quem
vê. E verdade seja dita, há muito
pouco que não fizemos em nossas
longas vidas, e nem todo mundo vai
entender a maneira como nosso
poder ou nossa mente funcionam.
Então ... sim, há verdade no que
você disse. ”
“Nenhum argumento meu,” eu
disse, me forçando a manter uma
cara séria.
Eu olhei ao redor novamente,
ignorando seu sorriso. Eu não
poderia ofender esse cara, isso
estava claro, então parei de me
preocupar e em vez disso gesticulei
para a terra de Faerie. "Você vai me
mostrar a casa?"
O sorriso de Len diminuiu um
pouco. “Você deveria ficar aqui nos
jardins imortais. Este mundo não é
bom para aqueles que carregam as
fraquezas humanas. É melhor não
tentarmos a terra das fadas. ”
Eu pisquei para ele. "Está bem
então. Acho que o aviso mais
estranho que já recebi, mas vou
atendê-lo, não se preocupe. ”
Len me levou de volta para a
plataforma em que eu tinha
acordado, e agora que não estava
focada nas flores, vi que era uma
grande laje de pedra com uma capa
grossa e macia sobre ela. Foi para lá
que sua capa de prata foi - eu não
tinha notado até agora.
“Desculpe ter batido em você,”
eu disse suavemente, olhando para
a evidência de que ele não era um
idiota completo.
Len apenas cutucou meu
ombro. “Eu mereci. Eu esqueci
sobre o consentimento - fae não são
os melhores em reconhecer
consentimento, especialmente
membros da realeza, mas a maioria
de nossas mulheres são submissas
de uma forma que os humanos e os
shifters não são, então geralmente
não é um problema. Pessoalmente
... eu prefiro o fogo. ”
Nossos olhos se encontraram e,
embora não houvesse faísca real
entre nós, apreciei sua confissão. Na
verdade, era exatamente isso que eu
esperava encontrar na biblioteca
para ganhar a aposta. Uma conexão
com alguém que achei atraente. Len
marcou todas as caixas a esse
respeito, mas ... eu precisava da
faísca. Não precisava ser o grande
incêndio florestal que Shadow
criou, mas pelo menos uma
pequena centelha.
Droga. Eu estava quebrado e
certamente parecia que não iria
ganhar a aposta agora.
Não deixaria que Shadow
tivesse orquestrado todo esse
evento para garantir que eu ficaria
presa em Faerie pelo resto dos dias
da aposta.
T O resto da minha tarde - era
tarde, certo? - passei no jardim de
Len. Acontece que essa era sua terra
particular, cultivada ao longo dos
últimos mil anos, e ninguém tinha
permissão para entrar sem sua
permissão. As plantas literalmente
os comeriam se o fizessem.
Duas sentinelas estavam
sentadas em sua entrada principal.
Flores enormes com uma grande
abertura no centro, seus pistilos
basicamente uma fileira completa
de dentes afiados. Eles me
lembravam versões ogro de Venus
Fly Trap e, aparentemente, se eles o
pegassem com suas bocas enormes,
você estaria perdido. Nem mesmo
Len poderia libertar você antes de
esmagar seu corpo.
"Mas eles não vão me comer
agora?" Eu perguntei novamente
pela décima vez quando nós
vagamos um pouco perto para meu
conforto.
"Você vai ficar bem comigo."
O sorriso de Len estava
relaxado e eu normalmente
consideraria isso um bom sinal, mas
estava começando a aprender que
ele não se estressava muito. Um ser
que era basicamente imortal, tinha
vivido mais de mil anos de vida e
era um príncipe poderoso, não se
preocupava com plantas assassinas.
Ao contrário de mim, que não
queria morrer via boca de planta.
Como virgem, para começar. Tipo
... porra, não.
Quando terminei a aventura no
jardim botânico, parei de andar e
Len olhou para trás com as
sobrancelhas erguidas. “Posso
comer comida aqui?” Eu perguntei,
faminto e irritado por estar sendo
forçado a outra prisão, cortesia de
Shadow. Fosse para me manter
segura ou não, eu era uma
metamorfa crescida e deveria ser
consultada antes que algum homem
das cavernas me arrastasse pelos
cabelos.
O mínimo que eles podiam
fazer era me alimentar.
“Estou curioso para ver como
nossa comida afeta você,” ele
finalmente disse, os olhos prateados
examinando meu rosto, como se
estivesse procurando por uma
falha. “Mas não vamos arriscar. Vou
me aventurar de volta à biblioteca e
buscar algum sustento. ”
Não role seus olhos para o
príncipe fae excessivamente dramático.
Ele tem sentinelas de plantas.
"Eu apreciaria isso, bom
senhor." Eu me inclinei com uma
risada.
Ele não riu como eu esperava.
Em vez disso, com o rosto sério, ele
deu um passo em minha direção e
baixou a cabeça para dar um breve
beijo na minha bochecha. Quando
ele se afastou, eu pisquei para o
quão impressionante ele realmente
era. O brilho prateado de sua
magia, os planos perfeitos de seu
rosto e o encanto que ele exalava
com pouco ou nenhum esforço o
tornavam devastador para
mulheres crivadas de hormônios.
“Fique segura, linda,” ele disse
suavemente. “Não toque nas
plantas.”
Ele se moveu como uma de
suas folhas, flutuando ao longo de
um vento forte. Em um único salto
gracioso, ele saiu, e eu estava
sozinha neste jardim de ... bem,
Éden. Plantas assassinas e tudo.
Caminhando na ponta dos pés
de volta para o banco de pedra que
eu tinha quase certeza de que não
iria me devorar, decidi esperar lá
para me salvar de ser
acidentalmente assassinado por
uma planta. Estava mais macio do
que eu me lembrava e, ao me
esticar, recostando-me nos braços,
fechei os olhos e deixei o calor deste
mundo me abraçar. Era a
temperatura perfeita, nem úmida
nem muito quente, mas como um
dia de primavera. Por mais bom
que fosse, porém, havia uma
corrente subjacente de magia no ar,
e isso me disse que este clima -
assim como as plantas - não era
muito real.
Tudo em Faerie era assim? Um
mundo tão repleto de magia que o
aspecto natural foi perdido para
qualquer coisa que o fae quisesse
criar? E isso realmente importa? Os
humanos tentaram controlar seu
mundo com a tecnologia, a maioria
da qual não funcionou muito
positivamente, se sua infelicidade
geral fosse uma indicação. Talvez a
magia em Faerie tenha tido mais
sucesso com seus resultados finais.
A calma do ar me fez fechar os
olhos e me esticar pela plataforma.
Eu não deveria estar cansada, mas a
vontade de tirar uma soneca me
dominou, e mesmo que
provavelmente fosse uma manobra
deste jardim para que pudesse me
consumir, decidi ceder à tentação e
deixar a nebulosidade passar por
mim.
As sonecas eram obra de um
deus. Que deus, eu não tinha ideia,
mas com certeza até Shadow
adorava tirar uma soneca. Eu tinha
que acreditar que mesmo os
animais sociopatas também
precisavam de um tempo de
inatividade.
Por um período desconhecido
de tempo, eu permaneci em minha
aconchegante festa da soneca, e não
foi até que uma mão quente
pressionou minhas bochechas que a
consciência voltou. Ainda
desorientado, gemi baixinho
enquanto aquela mão se movia ao
longo do meu pescoço, para o
centro do meu peito e sobre os
planos do meu estômago,
acariciando a pele nua onde minha
camisa tinha subido.
O fogo queimou junto com
aquele toque, me aquecendo até o
meu núcleo, e quando minhas
costas arquearam, um gemido
ofegante escapou. No mesmo
instante, meu cérebro clicou no fato
de que eu estava sendo tocado por
alguém ... ou algo desconhecido.
Meus olhos se abriram e no
segundo que levei para olhar ao
redor, descobri que estava
completamente sozinho. Ou ... eu
sufoquei um suspiro quando
Shadow apareceu. Ele não estava
em nenhum lugar perto de mim, e
mesmo tão rápido como ele estava,
eu não acho que ele poderia ter se
movido tão rapidamente. Ele estava
de volta à entrada, abrigado entre
as plantas sentinela, suas mãos
pressionadas em cada um de seus
troncos, como se estivesse
cumprimentando seu cachorrinho
favorito.
O que havia com aqueles caras
tratando essas plantas como
animais de estimação favoritos?
“Shadow,” eu gritei sem
fôlego, meu corpo ainda
queimando e doendo. Parecia
privado, como se tivéssemos
chegado tão perto da parte boa
assim como ela foi roubada de nós.
"O que você está fazendo aqui?"
Com um tapinha final nas
plantas assassinas, ele caminhou em
minha direção. Ele levou alguns
minutos para me alcançar,
cimentando meus pensamentos de
que ele não poderia ter me tocado.
Como ele estava em sua altura
mais gigantesca, tive que esticar o
pescoço para trás para ver seu rosto.
Pareciam semanas desde que eu
vislumbrei seus traços escuros
masculinos, e apenas a visão de seu
cabelo desgrenhado e lábios
carnudos me fez ficar de joelhos e
me jogar para frente em direção a
ele.
“Eu pensei que você estava
morto,” eu disse, minha voz rouca e
abafada quando colidi com seu
peito. "O fogo estava apagado."
Shadow permaneceu como
uma estátua enquanto eu o
segurava, e um momento depois, a
sanidade me alcançou - eu estava
abraçando a porra da Besta das
Sombras. Assim que eu fui
empurrar para trás, seus braços se
moveram e ele me envolveu em um
abraço.
Espere o que?
Minha alma gritou quando ele
me apertou em seu aperto firme, e
eu me encontrei um pouco
sufocada. Um abraço de Shadow foi
como encontrar a pedra mais rara e
mais desejável do mundo e, por um
breve momento, eu a segurei em
minhas mãos.
Ele se afastou com a mesma
rapidez, mas aconteceu, e enquanto
meu coração batia forte contra meu
peito, eu sabia que não havia como
negar que fui afetada por ele.
Quero dizer, ele sempre foi a causa
de um fogo violento em meu corpo,
hormônios indo para a loucura com
sua mera presença. Nos primeiros
dias, eu disse que Shadow era o
cara mais fodão e sexy que eu já
tinha visto. Quer dizer, qualquer
um estaria interessado nisso, mas
era um interesse superficial.
O que eu estava sentindo agora
era mais. Deeper.
O abraço significou algo para
mim.
Quão estúpido eu fui por me
preocupar com a porra de um deus
que nunca poderia se preocupar
comigo fora da minha utilidade
para abrir a porta de seu reino?
Sim. Super estúpido.
Certamente, uma vez que ele
voltasse a ser um idiota total - e
todos nós sabíamos que ele seria -
eu poderia devolvê-lo a um lugar
de ódio em meu coração. Isso foi
mais seguro e saudável para todos
os envolvidos.
Shadow parecia estar me
observando tão de perto quanto eu
o observava, mas com sorte
nenhum dos meus sentimentos
mais suaves por ele estava
aparecendo em meu rosto; ele já
tinha muito poder sobre mim,
baseado apenas em nossa posição
no mundo. Deus contra shifter era
um acéfalo. Todo mundo colocaria
seu dinheiro em Shadow. Era
lógico.
E a última coisa que ele
precisava saber era que minhas
emoções agora estavam envolvidas.
Emoções fazem as pessoas fazerem
merdas estúpidas e sacrificarem sua
moral ... Eu nunca daria a ele esse
poder. Nunca.
"Você notou que o fogo da
biblioteca havia sumido?" ele
perguntou finalmente.
“Claro que sim”, exclamei,
pronta para entrar neste tópico. “O
covil é positivamente frio e árido
sem ele.”
Minhas palavras o
surpreenderam, se o leve
alargamento de suas pupilas
seguido por aqueles lábios
pecaminosos pressionando juntos
fosse qualquer indicação. “Eu
precisava usá-lo para um feitiço,”
ele disse, e prestei muita atenção
porque quando Shadow estava com
vontade de compartilhar, eu
aprendi muito com ele. “As chamas
chamarão as criaturas das sombras
para um lugar, poupando-me a
energia de rastreá-los
individualmente. A maneira mais
fácil de minimizar os danos. ”
Opa.Eu realmente tinha que
parar de danificar a merda. "Por
que você não usou o fogo na
primeira vez que toquei nas
sombras?"
Olhar enigmático.
Deveria ter adivinhado que era
tudo que eu receberia, mas desta
vez eu não o deixei escapar impune,
endireitando o rosto e cruzando os
braços - eu estava falando sério
sobre querer uma resposta.
Shadow soltou um suspiro
antes de me chocar - de novo -
sentando ao meu lado na borda de
pedra. Era esta a verdadeira Besta
das Sombras? Eu deveria ter
perguntado a ele algumas
perguntas de segurança, apenas ele
saberia a resposta? Talvez
precisássemos de uma palavra-
código secreta, porque ele estava
agindo de forma diferente do
personagem.
“O fogo protege meu covil
quando eu não estou lá,” ele disse,
seu sotaque mais profundo em sua
voz rouca. “Eu nunca o deixei ir de
graça, especialmente em uma
situação que eu poderia lidar
sozinha. Este novo
desenvolvimento é um pouco mais
complexo, no entanto, e para
economizar tempo e energia, decidi
lançar as grandes armas. ”
"E por que você está aqui e não
está acompanhando o incêndio?" Eu
empurrei, esperando que seu
humor de compartilhar
continuasse.
Ele se concentrou em mim
daquele jeito desconcertante dele.
“O feitiço para atrair todas as
criaturas do Reino das Sombras me
afetaria também. Vai se infiltrar em
quase todos os mundos, exceto
Faerie. As sombras não são bem-
vindas aqui, então ficaremos aqui
até que o feitiço termine. ”
Uma risada escapou de mim.
"Você está me dizendo que também
poderia ter sido varrido pelo feitiço,
mesmo que o tenha lançado?"
Seus lábios se ergueram. "Sim.
O poder de minhas chamas está
além de todos os outros. Ninguém
está imune e, embora sua energia
esteja ligada à minha, eu não teria
sido capaz de resistir à sua atração.

Interessante.
“Não sabia que você tinha
nenhuma fraqueza quando se
tratava de magia,” eu disse, soando
como se estivesse brincando, mas
era a verdade.
Shadow balançou a cabeça.
“Todos e tudo neste mundo têm
fraquezas. Alguns têm mais do que
outros. ” Eu recebi um olhar
aguçado, como se ele pensasse que
eu era a flor mais frágil do mundo.
O que ele precisava lembrar,
porém, era como este jardim, às
vezes a flor mais delicada tinha a
mordida mais forte.
"Você tem muitos pontos
fracos?"
Ele riu, um som gutural que
parecia genuinamente divertido.
"Você é refrescante em sua
franqueza."
Eu nunca tinha sido chamada
de “refrescante” antes, e ele não
disse isso como um elogio, mas
vindo de Shadow, eu estava
levando isso como um.
"Você não vai me dizer, vai?"
Uma faísca de fogo acendeu
em seus olhos. “Sem chance,
Sunshine. Dois seres neste mundo
conhecem minha fraqueza, e não
estou adicionando um terceiro. ”
Foi a minha vez de rir. "Justo."
Se todos os cinco de seus
melhores amigos não sabiam, então
eu com certeza não entraria
naquela lista de cartões de Natal.
Meu estômago escolheu aquele
momento para resmungar, me
lembrando que eu estava com fome.
- Len foi buscar comida, - eu
disse defensivamente quando
Shadow olhou minha barriga, como
se ela estivesse prestes a crescer
pernas e começar a andar.
"Eu sei. Eu o libertei do serviço
de guarda, então agora cabe a mim
mantê-lo vivo. "
Meu sorriso desapareceu
quando o encarei. “Quero dizer,
você está realmente qualificado
para esse trabalho? Você
basicamente tentou me matar
diariamente desde que nos
conhecemos. E isso sem contar os
dias em que você me trancou no
meu quarto sem comida. ”
Shadow passou o braço em
volta de mim, um movimento
repentino, e então fui cercada por
seu calor. Deveria ter sido demais,
mas era estranhamente perfeito.
"Você só está vivo por minha
causa, Mera", disse ele, sem
brincadeira com essas palavras. "Eu
poderia ter matado você a qualquer
momento, e apesar do meu
julgamento insistir que é você quem
pode ser uma faceta da minha
queda, você ainda está respirando."
Foi só quando ele quase me
tirou da mesa que percebi algo
enorme. Eu o abracei antes. Eu
dando o primeiro movimento, e
não houve dor. Esta não foi a
primeira vez que isso aconteceu
recentemente - eu dispensei os
outros, pensando que ele me viu
chegando e parou a dor. Mas desta
vez, eu o peguei completamente de
surpresa, e ainda nenhum fogo
atingiu minhas terminações
nervosas.
O que isso significa?
Antes que eu pudesse
perguntar, ele me colocou de pé.
"Vamos. Vamos comer alguma
coisa. Temos um ou dois dias antes
de podermos deixar Faerie, então
vamos ter que nos sentir em casa. ”
Esse era meu único foco então.
"Posso sobreviver aqui fora deste
jardim?"
Shadow voltou a usar sua
máscara de mistério, nada em seu
rosto, exceto uma aceitação
resignada de estar preso a mim.
"Eu vou mantê-la viva,
Sunshine."
Por alguma razão, parecia uma
promessa.
Uma promessa, pela primeira
vez, eu realmente acreditei.
VOCÊ Ao contrário de Len, Shadow
não pareceu se estressar por termos
deixado o jardim escondido
magicamente.
Quando saímos para encontrar
Inky do outro lado das sentinelas,
entendi por quê. Entre Shadow e
Inky, nada iria nos enfrentar. Até
mesmo as flores ao redor pareciam
recuar de nós, criando um caminho
bom e claro.
“O que é Inky?” Perguntei a
Shadow quando entramos em um
caminho de jardim que parecia ter
uma casa enorme bem no final dela.
Bem, na verdade, a casa não estava
certa ... era uma mega mansão. E
estava flutuando. O fae sabia como
fazer essa coisa viva direito ... se o
luxo e a magia finais fossem sua
praia, é claro.
Shadow me olhou de soslaio.
“Você não pode pensar que eu vou
te dizer isso. Está amarrado a mim,
e não vou lhe dar nenhuma arma
contra mim. ”
Hmm. Então, Inky pode conter
informações sobre suas fraquezas,
de alguma forma ...
Estava claro pela expressão de
Shadow que eu não descobriria
mais nada sobre nenhum deles
hoje, então desisti de me preocupar
e me concentrei em ver cada parte
de Faerie que pudesse. Desde que
abri a porta e ouvi aquela música, a
necessidade de vir aqui se enraizou
dentro de mim. Como se aquela
música tivesse se infiltrado em
minha alma quando eu não estava
olhando.
“Como posso estar aqui sem
sofrer quaisquer efeitos nocivos?”
Perguntei a Shadow quando
paramos diante do palácio
flutuante. Eu queria tanto examinar
o prédio, mas meu foco estava
travado na besta enigmática ao meu
lado. Como sempre, sua mera
presença eclipsou tudo o mais.
"Você não entrou por vontade
própria, então Faerie não pode
mantê-lo."
"Seriamente? Len nunca me
disse isso. ” Eu pensei sobre essa
nova informação. “Acho que
explica a maneira como ele me
levou. Ele deveria ter dito algo; Eu
teria sido muito mais indulgente. ”
Em vez disso, o fae me deixou bater
nele e ainda se desculpou e admitiu
um erro. O que foi ... interessante.
O sorriso de Shadow era
caloroso, como costumava
acontecer em torno de seus amigos.
“A magia é uma entidade viva e,
como tudo o que existe, tem regras.
Faerie é mais mágico do que
qualquer um dos mundos e, uma
vez que você conheça as regras, é
um local perfeito para visitar. Se
você não os conhece, porém, ele o
comerá vivo. Len teria seus motivos
para agir da maneira que fez.
Merda, agora eu me sentia mal.
Foi um momento de alta tensão,
primeiro lutando contra os
caçadores ...
Esperar!
“Eu toquei nos Caçadores de
Sombras,” eu deixei escapar, de
repente me lembrando da
ocorrência estranha mais recente
em relação a mim e meu lobo. "E
eles não roubaram minha alma, ou
o que quer que fosse acontecer."
Silêncio. Um longo silêncio
ecoante.
Droga, diga alguma coisa. Algo
reconfortante.
Em vez disso, com expressão
ilegível, Shadow me dispensou,
virando-se para pressionar as mãos
na parede do prédio. Ele parou de
cintilar e brilhar, quando um
conjunto de escadas apareceu,
levando a um grande conjunto
duplo de portas da frente.
“Shadow,” eu empurrei,
precisando de alguma reação dele.
Ele fez uma pausa, um pé no
primeiro degrau. “Regras normais
não governam você, Sunshine. Está
ficando claro que sua origem é do
reino. Não há outra explicação para
o que você pode fazer. ”
Eu queria gritar, a tensão
dentro de mim ameaçando explodir
conforme crescia em intensidade.
"Como? A porta está trancada há
milhares de anos! Como eu iria
passar? E eu pareço com meus pais
...? ”
Ele se virou, olhando para
mim. “Não tenho ideia do que
significa ou como é possível, e até
que abramos a porta, não vamos
descobrir.”
Seus olhos estavam me
dizendo que esse era o motivo pelo
qual ele estava me deixando tão
duro para permanecer na tarefa,
mas nós dois sabíamos que tinha
sido para ele e mais ninguém.
Descobrir o que eu era acabara de se
tornar uma divertida aventura
paralela.
Ele voltou para mim,
estendendo a mão para tocar meu
rosto. Foi o movimento mais
estranho, quase suave. “Não se
estresse com isso hoje. Nenhuma
resposta virá ao passar por sua
mente. Pense desta forma ... você
ainda está vivo. Ainda estou a lutar.
Você sobreviveu ao que noventa
por cento dos shifters não
sobreviveriam, e isso não pode ser
uma coisa ruim. Chegaremos à
verdade eventualmente. Até então,
apenas abrace a vida que você está
vivendo. ”
Porra, acho que essa besta
ancestral de um filósofo não estava
errada, e provavelmente não faria
mal seguir seu conselho.
Por enquanto.
Shadow começou a subir as
escadas novamente, e desta vez eu
o segui, finalmente tendo minha
chance de realmente examinar o
palácio deslumbrante. Tive que
suspirar enquanto examinava cada
aspecto disso. Era direto de um
conto de fadas - irônico, visto que
estávamos literalmente em um
lugar chamado “Faerie” - com
paredes de pedra branca, salpicadas
de cristais brilhantes, torres e várias
torres, coroadas por vários níveis de
elegantes galhos de telhas cinza
escuro .
Era ainda maior do que eu
pensava inicialmente e, enquanto
seguia Shadow escada acima,
engasguei com o tamanho das
portas duplas. Eles deviam ter seis
metros de altura e a mesma largura,
e quando os dois silenciosamente se
abriram para nos permitir a
entrada, eu estava novamente
olhando ao redor, com os olhos
arregalados.
A entrada era branca, bastante
rígida, com apenas algumas peças
de arte na parede. A arte não era
estacionária como as pinturas
seriam na Terra; as imagens
giravam e se moviam, polvilhadas
com magia cintilante enquanto
retratavam flores, cachoeiras e
oásis. Eles eram tão reais, parecia
que eu poderia andar direto para
eles e estar na imagem.
Por tudo que eu sabia, aqui em
Faerie, isso era realmente possível.
"Esta é a casa de Len?"
Perguntei. Parecia elegante e
prateado como ele, mas também
não estava certo ao mesmo tempo.
Ele tinha linhas modernas e
minimalistas. A parte externa disso
era tão ornamentada, e à medida
que avançávamos mais fundo, o
resto era assim também. Ricas
tapeçarias, grandes peças de
mobiliário para acomodar alguém
acostumado a confortar e salpicos
de vermelho e dourado que me
lembraram de uma pessoa ...
"É meu", disse Shadow,
confirmando minha nova teoria.
"Eu gosto de manter uma residência
aqui, e você estará a salvo das
magias estrangeiras enquanto
permanecer lá dentro."
Ele me levou escada acima,
Inky ao meu lado enquanto
caminhávamos para o segundo
andar. Aqui havia uma biblioteca.
Claro. Eu estava começando a ter a
sensação de que Shadow era um
pouco obcecado por livros e, no
mínimo, isso só aumentava seu
apelo. E caramba, ele não precisava
de nenhuma ajuda nesse
departamento.
Entrando na biblioteca,
Shadow dirigiu-se ao centro e a um
conjunto de sofás semelhantes aos
de seu covil. Inky foi com ele, mas
eu cruzei para a extensão de janelas
do chão ao teto, emolduradas em
aço preto, mostrando o mundo
abaixo.
Parando diante deles, olhei
para a paisagem. “Estamos
mudando!” Exclamei, percebendo a
rápida mudança do cenário abaixo.
Eu não esperava que Shadow
me ouvisse - ele realmente não
estava tão perto - mas quando me
virei para ele, foi para descobrir que
ele estava de alguma forma ao meu
lado. Foi tão rápido que tive que
reconsiderar minha postura sobre
se ele poderia ou não ter sido o
único a me tocar quando eu acordei
de um cochilo. Tinha sido um toque
tão sensual, entretanto, e não fazia
sentido, então provavelmente tinha
sido apenas um sonho muito
vívido.
Essa foi minha ilusão, e eu
estava persistindo nela.
“Nada está parado em Faerie,”
ele disse, e eu tive que pular alguns
loops cerebrais para me lembrar do
que estávamos falando. Minha
mente estava presa no calor
acumulando em minhas entranhas
e escorrendo para o meu ...
"Nada está parado?"
O rosto de Shadow foi realçado
por uma explosão de luz solar
dourada que escolheu aquele
momento para espirrar
dramaticamente pela janela.
Estávamos voando através de um
monte de nuvens baixas e,
conforme elas se dissipavam, a luz
estava mais brilhante do que nunca
e, abaixo de nós, havia ... lava.
Apenas campos de vermelho
fluente.
“A paisagem aqui muda tão
frequentemente quanto as imagens
que adornam minhas paredes”,
explicou Shadow.
Tentar compreender esse
conceito não foi fácil. Humanos e
shifters gostavam de estacionar. Era
familiar e reconfortante. - E o
jardim de Len? Isso não se mexeu. ”
Shadow sorriu. "Você é rápido.
Eu gosto disso sobre você. A
maioria dos humanos leva uma
eternidade para acompanhar a
conversa. ”
Eu mostrei minha língua para
ele. "Melhor?"
Ele assentiu. “Esse é mais o
nível que espero de sua espécie.
Mas, sim, o Len's é uma pequena
seção estacionária. Existem muitos
espalhados, mas eles estão isolados
de qualquer outra coisa, então você
ainda precisa encontrar um meio de
transporte. ” Daí porque ele tinha
uma casa flutuante aqui. Era
basicamente a forma de um trailer
das fadas.
Com um aceno de cabeça,
voltei para a vista, percebendo
algumas pequenas ilhas pontilhadas
entre os rios de lava. “Podemos
voltar para a Biblioteca do
Conhecimento de sua casa aqui?”
Shadow balançou a cabeça.
“Não, existem apenas algumas
entradas de Faerie para a biblioteca.
Teremos que voltar ao jardim de
Len em dois dias para que
possamos voltar. É o portal mais
próximo deste lado da grande
divisão. ”
E assim, eu realmente queria
saber o que era essa grande divisão.
Felizmente, eu aprenderia muito
mais em nossos poucos dias aqui.
- Afaste-se, Mera - disse
Shadow de repente.
Eu franzi minha sobrancelha
para ele, me perguntando do que
diabos ele estava falando ...
Inky explodiu, seu tamanho
ficando vinte vezes maior, e quase
fui pego por sua fumaça preta.
"Estamos sob ataque?" Eu
gritei, cobrindo minha cabeça
enquanto me abaixava para o lado.
Shadow riu e eu parei porque
não parecia alguém preocupado.
Isso claramente não era um ataque,
mas o que estava acontecendo?
Inky continuou a inchar, e a
faísca das luzes dentro ficou cada
vez mais brilhante até ... uma caixa
deslizou para fora do meio dela. O
que diabos estava acontecendo
aqui?
Shadow parecia divertido com
minha expressão enquanto eu
olhava para a imagem um tanto
perturbadora. “Sua comida
chegou”, disse ele.
Esfreguei a mão no rosto,
abrindo a boca para falar antes de
fechá-la novamente. Inky tinha
dado à luz uma maldita caixa de
comida e agora eu precisava comê-
la?
Meu estômago roncou de novo,
mais alto do que antes.
Sim, então, ok, provavelmente
faria. Mas ainda assim ... "Como isso
fez?"
Shadow, a besta do segredo,
apenas sorriu.
Jogando minhas mãos no ar, eu
girei bufando, irritada por tudo ser
um segredo neste mundo. Minha
natureza curiosa foi enlouquecida
por todas as perguntas sem
resposta, e parecia que Shadow
estava fazendo isso
deliberadamente neste estágio.
Embora agora que eu soubesse
que Inky estava possivelmente
ligado à sua fraqueza, talvez ele
fosse apenas mais cauteloso ao
revelar qualquer informação
relacionada com seu pequeno servo.
“Inky tem laços com a
biblioteca que vão além do
normal”, disse Shadow após alguns
segundos de silêncio constrangedor.
Eu não esperava que ele
respondesse, então fiquei
genuinamente chocado. “Ele
também está conectado a mim, e
entre os dois, permite que ele forme
um pequeno portal mágico. É útil às
vezes. ”
Inky envolveu nós dois, e eu
arrastei meus dedos ao longo da
escuridão. Em algum momento,
assim como com Shadow, eu
poderia tocá-lo sem nenhuma
repercussão. Como isso aconteceu,
eu não tinha ideia, mas não estava
chateado. Fizemos progresso no
tempo em que estive com eles.
Shadow pode ter confiado apenas
em cinco seres no mundo, mas eu
não era mais o inimigo que tinha
sido em um ponto.
Para testar a teoria, eu
casualmente escovei Inky e deixei
minha mão raspar a pele da mão de
Shadow que descansava perto de
seu lado. Apenas um arranhão. Mas
não houve dor.
Eu não pude evitar o sorriso
largo e triunfante de cruzar meu
rosto. Shadow me deu um meio
sorriso, como se soubesse
exatamente o que eu estava
fazendo. “Não fique muito
confortável, pequeno lobo,” ele me
avisou. “Você deve tomar cuidado
para se proteger a todo custo.”
Eu concordei. “Sempre amei,
Shadow. E eu sempre irei. Já fui
decepcionado muitas vezes para ser
de outra forma. ”
Ele não parecia convencido,
mas estava tudo bem. Eu fui
subestimada tantas vezes quanto fui
decepcionada em minha vida.
Deixando os avisos vagos de
lado, o resto do meu tempo com
Shadow correu bem. A caixa
parecia uma extravagância de
piquenique, com sanduíches,
saladas e alguns frios. Shadow não
comeu comigo, mas permaneceu
por perto enquanto eu mergulhava.
Quando eu estava cheia e não podia
colocar mais um pedaço delicioso
de comida, a caixa se fechou. Eu
olhei com tristeza e Shadow
pareceu divertido quando disse:
“Está selado magicamente. Tudo
vai ficar fresco e frio por dentro. ”
Um suspiro de alívio me
deixou. “Bom, porque desperdiçar
comida é um pecado.”
Shadow, que estava
esparramado no sofá em frente a
mim, sorriu preguiçosamente.
“Pecado é meu cartão de visita,
Sunshine. É sobre isso que construí
toda a minha reputação e a razão
pela qual fui expulso de minhas
terras. ”
Ele podia não estar comendo,
mas ele tinha uma bebida na mão,
girando o copo para que o líquido
âmbar rodasse. Ele parecia relaxado
e, como atualmente não podia ir a
nenhum outro lugar para escapar
de mim, decidi perguntar sobre o
Reino das Sombras.
Inclinando-me para frente,
coloquei um travesseiro fofo contra
meu peito, apoiando minha cabeça
nele. “Conte-me sobre o Reino das
Sombras,” eu disse suavemente.
“Por que a porta está bloqueada? E
como diabos estou atraindo seres de
lá para cá? "
Seu primeiro instinto foi negar-
me a informação; Eu vi isso na
expressão fechada que substituiu
seus traços relaxados.
“Isso me envolve,” eu o
lembrei. “E você está me pedindo
para concluir uma tarefa sem me
dar todas as informações de que
preciso para concluí-la. Para o bem
de todas as nossas sanidades e
possivelmente de nossas vidas, é
hora de me dizer agora. ”
Seu rosto permaneceu firme, o
bastardo teimoso.
"Por que a porra da porta está
trancada?" Eu perdi minha cabeça e
essas palavras saíram um pouco
mais gritantes do que eu esperava.
"Por minha causa", ele atirou
de volta. “Eu nasci como o próximo
Ser Supremo, o verdadeiro
herdeiro, e minha família conspirou
contra mim, tomando minha coroa
e poder. Fui traído por aquele que
deveria estar atrás de mim, e
quando eles me atiraram para o
espaço além do meu mundo, eles
trancaram a porta com um feitiço
que eu nunca fui capaz de superar.

Havia uma dor profunda
enterrada sob sua expressão cínica.
Por milhares de anos, sua família o
manteve longe de sua casa ... sua
terra.
Bastardos.
“E eu pensei que a tragédia da
minha família era ruim,” eu
murmurei. “Isso é super foda.
Mesmo que você tenha feito algo
terrível para merecer sua ira,
ninguém deve ser impedido de
entrar em casa. "
As chamas de Shadow
ganharam vida ao seu redor, uma
bola de fogo gigante que se
transformou em seu lobo
flamejante. Eu nunca o vi mudar
para uma besta literal, mas desta
vez quando as chamas assumiram a
forma de um lobo, suas outras
características também se
transformaram. Seu rosto se
alongou conforme seus braços se
estendiam, garras saindo de seus
dedos.
Meu coração disparou, uma
resposta natural de medo. Esta era a
Besta das Sombras em toda a sua
glória - ou pelo menos noventa por
cento dela. A versão do fogo das
sombras dele era realmente um
espetáculo para ser visto.
“Sombra,” eu murmurei
enquanto ele se levantava, com
quase três metros de altura, a
escuridão dos demônios dançando
ao redor de seu corpo enquanto as
chamas subiam mais alto.
“Não haverá perdão e
esquecimento,” ele rugiu, e com
cada palavra, o lobo em seu rosto e
voz era mais pronunciado. “Eu
preciso dessa porta aberta para que
eu possa despedaçá-los e dançar em
seus túmulos.”
Eu também estava de pé,
sentindo uma grande necessidade
de me submeter. O puro poder que
ele estava jogando fora quando a
besta alcançou o homem, junto com
o estrondo de sua voz, quase me fez
cair de joelhos. Esta era a besta que
havia criado os shifters, aquela que
era temida, reverenciada e amada
pelos shifters em todo o mundo.
“Vou ajudá-lo a abrir a porta”,
prometi, entendendo cada palavra.
“Pela primeira vez, essa tarefa
realmente faz sentido para mim. Eu
entendo porque você me manteve
por perto agora ... Eu sou o único
em todo esse tempo que foi capaz
de contornar o feitiço na porta. Um
feitiço afastando você de sua terra,
família e destino. ”
Ele finalmente começou a se
acalmar; o fogo recuou, e seu rosto
voltou para o homem bonito e
sombrio, contra a besta feroz e
majestosa. Quando ele mudou de
volta, eu pude finalmente relaxar,
não sendo atraída para frente pelo
poder de seu lobo de fogo. Verdade
seja dita, eu não sabia que lado dele
eu preferia, e não tinha ideia do que
significava que eu esperava vê-lo
como lobo direito novamente em
breve.
Ele se aproximou de mim, a
energia percorrendo sua pele
enquanto ele trocava a besta. “Você
é o primeiro ser em mil anos a ser
capaz de tocar o Reino das
Sombras,” ele me disse em sua voz
mais profunda do que deveria ser.
"Não sei como ou por quê ... Você
não se parece com nada que já
encontrei na minha vida, e não sei o
que fazer com você."
Seguindo em frente, fui
incapaz de lutar mais contra o
desejo. Shadow quebrou o controle
que tinha sobre si mesmo e, ao fazer
isso, me chamou com tanta força
que não pude resistir. Seu olhar era
cautelosamente curioso,
observando de perto, mas não me
parando. Pouco antes de tocá-lo,
uma melodia baixa melódica
chegou à biblioteca.
Shadow congelou, sua cabeça
girando em direção à janela, onde a
vista do que podíamos ver não era
nada além de uma névoa roxa de
céu. "Porra!" ele disse rapidamente.
"Len, seu idiota."
"O que é isso?" Eu saí, o medo
sufocando minha voz.
Ele rosnou, todo o seu peito
retumbando. “É a lua lunar das
fadas. Suas cinco luas convergirão
em uma, e nesta terra começará o
tempo da fertilidade ”.
Forçando um gole áspero na
minha garganta seca, dei um passo
trêmulo em direção à janela.
“Tempo de fertilidade?”
A música aumentou, mais alto,
mais rápido, e eu gemi, meus
joelhos enfraquecidos cederam
quando bati no chão, meu corpo
inexplicavelmente aceso de prazer e
dor. A baixa queimação de
excitação que eu freqüentemente
sentia não era nada comparada a
esta nova onda de desejo e
necessidade em meu corpo.
“Deuses,” eu gritei, minhas
pernas tremendo enquanto minhas
mãos deslizavam pelo meu corpo,
indo direto para minha boceta
dolorida em uma necessidade
desesperada de aliviar a tensão.
- Mera - disse Shadow, se
aproximando. "Você deve lutar
contra a tentação."
Minhas mãos tremiam e eu
poderia dizer quando me forcei a
sentar que minha calcinha estava
encharcada pra caralho. O material
esfregou contra meu clitóris e eu
quase gozei legitimamente.
“Eu não posso lutar contra
isso,” eu disse com um grito
choramingando. "Isso dói."
A dor era como uma
punhalada no estômago, e não
importa como eu me movesse ou
girasse, nada aliviou a dor. Shadow
me puxou para cima em seus
braços, e então ele estava correndo,
se afastando das janelas. Mas não
havia como escapar da música. Ele
flutuou em ventos mágicos,
carregado pela poeira de Faerie, e
foi projetado para tecer através da
própria essência de nosso ser.
“Fae são férteis apenas uma ou
duas vezes por ano,” Shadow falou,
soando como se ele estivesse
falando apenas para me manter
distraída. “Eles usam essa música
para encorajar um novo
crescimento.”
“Soa como uma droga de
estupro,” eu murmurei, minha
cabeça confusa enquanto as chamas
começaram a queimar em meus pés
e pontas dos dedos antes de se
alastrar por meu corpo.
"Não", disse ele sem rodeios.
“Sua mente não é capaz de lutar
como um fae faria. A música é
encorajamento, não controle da
mente. Mas, claramente, está
batendo forte em você. ”
Eu o ouvi murmurar algo sobre
virgens e coisas do gênero, mas eu
estava longe demais para me
importar. Assim que o fogo estava
prestes a explodir no meu centro,
tendo enchido o resto de mim, ele
jogou minha bunda no chuveiro e
abriu a torneira em um frio de gelo,
me encharcando completamente.
"Você deve combater o
incêndio, Mera", disse ele sério.
Minha risada estrangulada
contou tudo a ele. Eu não tinha
nenhuma esperança no inferno.
T O choque gelado da água me
ajudou a recuperar
momentaneamente minha
compostura. O fogo, embora ainda
rugindo em minhas veias e corpo,
foi silenciado o suficiente para que
eu pudesse me puxar para cima e
empurrar os longos e encharcados
fios de cabelo do meu rosto.
Shadow estava emoldurado na
porta do grande chuveiro revestido
de cobre, olhando para mim com
uma expressão ilegível no rosto.
Normalmente, esse seria o
ponto em que o constrangimento se
manifestaria - eu tentei literalmente
me colocar na frente dele. Mas eu
não consegui reunir nada além de
um gemido enquanto mais
excitação pulsava por dentro. A
música ficou mais forte e meu
corpo arqueou no ritmo da batida.
A água fria doeu quando me
atingiu, mas não foi o suficiente
para lutar contra a atração.
“Apenas saia,” eu falei, minhas
mãos lutando para tirar minha
roupa. Eles estavam esfregando
contra minha pele sensível. "Deixe-
me cuidar disso sem que alguém
me olhe como um pai
desaprovador."
Não que eu me lembrasse de
como era ter um desses.
Shadow fez seu barulho no
peito, parecendo frustrado e
irritado.
“Não estou fazendo isso de
propósito”, gritei, e de alguma
forma as lágrimas escorriam pelo
meu rosto ao mesmo tempo. Com
sorte, ele não poderia dizer com a
água.
“Você não obterá alívio com o
seu próprio toque”, ele finalmente
disse, e então ele estava debaixo
d'água comigo. No momento em
que a água escorreu por seu rosto,
seguindo os planos de suas feições
perfeitas, eu gritei.
“Você não está ajudando,” eu
disse, sugando ar e enchendo o
meio pulmão de água. Tudo nele
estimulou meus sentidos. Shadow e
essa música combinadas eram letais
para mim e meus hormônios - eu
não poderia lutar individualmente
e, juntos, não havia chance no
inferno.
"Você precisa de mim ou não
vai sobreviver esta noite", disse ele
asperamente.
Isso chamou minha atenção
através da névoa em minha cabeça.
"O que você quer dizer?"
Olhos vermelhos como a lava
que estava fora da janela
encontraram os meus. Não apenas
cumprido, mas travado e
reivindicado. “Você sabe
exatamente o que estou dizendo,
Sunshine. Você não consegue lidar
com a música inteira ... Vai piorar. ”
"Por que não podemos sair?" Eu
chorei quando minhas costas
arquearam novamente, e porque
Shadow estava no chuveiro comigo,
acabei colada em sua perna, meu
corpo tentando se contorcer para
aliviar a dor.
“É tarde demais para sair”,
disse ele.
Antes que eu pudesse dizer
outra palavra, ele ajoelhou-se
diante de mim e eu engasguei
quando ele chegou o mais perto que
pôde. "Vou te ajudar. Por apenas
um dia. ”
Eu gemi, as lágrimas ainda
caindo, e minha esperança de que
ele não tivesse notado se dissipou
quando ele estendeu a mão e
passou o polegar em minha
bochecha, enxugando-as. “A dor é
passageira”, ele me lembrou. "E vou
substituí-lo com prazer."
“Por favor,” eu implorei.
“Você vai me odiar amanhã”,
disse ele, “mas posso viver com isso.
O que eu não quero ver é você
sofrendo quando eu puder impedir.

“Eu não estou drogada,” eu o
lembrei, as palavras ficando mais
duras através da pulsação em meu
corpo. “Minha mente está clara.
Minha vagina, por outro lado, não é
uma campista feliz. ” Com essas
palavras, a dor na minha boceta
aumentou ao ponto que minhas
mãos estavam indo naquela direção
novamente.
Shadow pegou os dois
enquanto um sorriso lento apareceu
em seus lábios. "Vamos fazê-la feliz
então."
Graças à porra dos deuses.
Minha camisa neste momento
estava com metade da minha
cabeça e Shadow não perdeu tempo
em rasgá-la. Quando acabei de ficar
com um sutiã preto, os seios
arfando enquanto eu continuava
tentando encher meus pulmões de
ar, ele olhou para mim.
Sem dúvida eu parecia um rato
afogado, mas as chamas arderam
em seus olhos, e tomei isso como
um bom sinal de que ele não
odiaria isso completamente.
Quando estendi a mão para sua
camisa, ele balançou a cabeça.
“Não, isso é sobre você esta noite,
Sunshine. Deixe-me fazer o que
faço de melhor. ”
Eu não gostei disso, mas não
havia como lutar contra ele. Ele
tinha o poder e eu estava
desesperado ... Eu precisava dele. A
dor estava piorando e eu não tinha
esquecido o que ele disse - eu não
sobreviveria à música inteira sem
sua ajuda.
Em meros segundos, Shadow
tinha me despido completamente,
deixando-me um emaranhado nu
no chão do chuveiro. No momento
em que o jato de água do chuveiro
atingiu meu clitóris, gozei forte e
rápido. Foi um choque, como levar
um choque com uma cerca elétrica.
Prazer e dor se misturaram, me
apunhalando e, quando acabou, me
senti mais dolorido e pior do que
nunca.
“Você não pode consertar isso
sozinho”, ele me lembrou.
Eu gemi. "Então, como você
pode consertar isso?"
Íris brilhantemente vermelha e
dourada e um sorriso malicioso
foram minha única resposta, e
então ele me levantou com uma
mão, me tirando do chuveiro. Seu
poder de fogo nos deixou secos no
momento em que chegamos à
cama, e quando ele me jogou de
volta nos lençóis macios e frios, eu
me contorci. Esse orgasmo não
ajudou em nada.
Enquanto eu me movia,
Shadow estendeu a mão e colocou
uma de suas mãos enormes no meu
peito, me segurando no lugar. Eu
queria gritar, mas enquanto ele me
segurava, seu poder estava além de
qualquer coisa que eu pudesse
lutar, ele baixou a cabeça e, direto
como sempre, ele não fez nenhum
desvio em seu caminho para o meu
clitóris. No segundo em que senti o
primeiro golpe firme de sua língua,
seguido por seus lábios sugando o
feixe de nervos em sua boca, enviei
um grito silencioso, o prazer era
demais para eu aguentar sem
quebrar.
A mão que me segurava
começou a se mover lentamente
pelo meu corpo, acariciando no
tempo de sua língua na minha
boceta e o próximo orgasmo me fez
realmente gritar, as mãos agarrando
a cama, tentando encontrar tração.
O domínio de Shadow não
diminuiu, já que ele se recusou a
permitir que eu me movesse,
mesmo quando fui despedaçada
repetidamente por sua boca.
Um dedo na mão que estava
lentamente traçando meu corpo
deslizou para dentro, e eu estava
tensa, precisando de alguns
momentos para me ajustar
enquanto ele continuava a me
comer como se eu fosse o melhor
sorvete de merda que ele já provou.
Em alguns segundos, aquele dedo
encontrou meu lugar favorito
dentro, e quando ele me acariciou,
o prazer cresceu em meu estômago
novamente.
“Filho da puta,” eu chorei
quando gozei novamente, desta vez
me perguntando se eu ia desmaiar.
Eu não fiz, mas estava perto.
Ele desacelerou um pouco
depois disso, e felizmente senti uma
facilidade na necessidade motriz
dentro de mim. Afinal, parecia que
ele estava certo; a intensidade do
feitiço estava diminuindo com sua
"ajuda".
Quando a última rodada de
prazer desapareceu, senti meu
corpo relaxar na cama e, pela
primeira vez desde que a música
tinha começado, não havia um
desejo irresistível de arrancar
minha própria pele.
Shadow ergueu a cabeça, os
dedos ainda explorando
casualmente meu corpo. "Está
funcionando?"
Eu concordei. “Sim, não é tão
ruim - argh,” eu gritei quando ele
atingiu aquele ponto interno
novamente. "Mas pelo amor dos
shifters, por favor, não pare."
A visão de seu longo corpo
esparramado entre minhas pernas,
olhos semicerrados enquanto ele
olhava para mim, dedos me
trazendo um prazer como eu nunca
senti ...
“Foda-se,” eu chorei, o
próximo orgasmo me atingindo
forte e rápido de novo, arrastando o
prazer por todo o caminho da
minha espinha com a sensação dele.
Shadow balançou a cabeça.
"Talvez eu devesse agradecer a Len,
afinal."
Minha cabeça era uma bola
suave e agradável de confusão após
inúmeros orgasmos, então não
tentei ler muito profundamente.
“Eu também,” eu concordei.
A risada baixa de Shadow
enviou rajadas de ar quente sobre a
minha pele sensível, e com outra
onda de música, eu arqueei, e ele
me encontrou no meio do caminho,
sua boca mais uma vez provando
que esse deus com certeza não tinha
sido celibatário por muitos anos de
vida.
Durante a noite, ele nunca me
tocou de outra forma e nunca me
permitiu tocá-lo. Tratava-se apenas
de aliviar minha dor com esse
feitiço, e ele estava atento de uma
forma avassaladora. Era frustrante
que ele ainda se escondesse tanto
de mim, mas não fiquei surpresa.
Isso era apenas um dever para ele.
Talvez um de que gostasse, mas
ainda assim um dever.
Seria estúpido da minha parte
pensar em outra coisa.
EU gemi quando a luz brilhou por
trás dos meus olhos fechados, e
rolando, parei ao sentir os lençóis
muito mais sedosos do que os que
eu dormia no covil. O que? Onde
estou?
Quando forcei meus olhos a
abrirem, tudo doeu, até minhas
pálpebras enquanto eu tentava
levantar minha cabeça. Ugh ... Por
que estou tão exausto? O cansaço se
abateu sobre mim, um peso caiu
sobre meu peito e minha boca
estava tão seca que me senti como
se tivesse sido deixada para assar no
deserto por um mês.
O quarto ao meu redor era
completamente desconhecido e,
quando finalmente me levantei,
minha cabeça girou. Desconforto
gotejou pelo meu estômago, e
quando os lençóis caíram para
revelar um conjunto de seios nus -
meus seios nus - as memórias de
ontem passaram por meu cérebro
confuso.
Puta merda.
Faerie. A música. A
necessidade dolorosa que
transformou meu corpo em um
inimigo contra o qual eu não
poderia lutar.
E Shadow ... oh, deuses.
Shadow tinha me dado mais
orgasmos em uma noite do que eu
tive em toda a minha vida. Ele era
habilidoso, implacável e totalmente
imparável quando colocava sua
mente em algo. E esse algo tinha
sido para me fazer passar a música
Faerie.
Memórias caíram em mim,
intensas e inabaláveis, e meu
maldito corpo traidor queria mais.
Era como se tivéssemos sido
condicionados agora, e o mero
pensamento da Besta das Sombras
fez meus membros tremerem
enquanto o calor e a umidade se
acumulavam no meu centro.
Isso seria um problema que eu
teria que enfrentar em algum
momento, mas por agora, a missão
de fingir que ontem não aconteceu
estava em pleno andamento. Só
precisava encontrar algumas roupas
primeiro. Não que isso realmente
importasse. Não havia muito do
meu corpo que Shadow não
soubesse neste estágio, exceto
minha boca. Ele nunca me beijou e
eu não o toquei. Tinha sido tudo
unilateral pelo que eu lembrava ... o
único foco em mim.
Algumas mulheres podem ter
adorado isso, mas para mim, era
uma memória agridoce.
Como não havia nenhuma
roupa na minha vizinhança, enrolei
o lençol em volta de mim e arrastei-
o da cama ao sair. Minhas pernas
levaram alguns segundos para se
firmarem, e para um shifter sentir
os efeitos colaterais da noite tão
fortemente, eu sabia que tudo o que
o feitiço Faerie tinha feito para
mim, ainda estava trabalhando para
sair do meu sistema.
Depois de mancar como um
cavalo recém-nascido, finalmente
recuperei o equilíbrio e fui capaz de
me mover livremente sem
problemas. Uma verificação rápida
deste quarto e do banheiro me
trouxe de volta vazia para roupas -
sem dúvida porque Shadow era um
ser mágico que manifestava roupas
apenas por vontade própria.
O que me deixou com uma
opção: ir lá e enfrentar a música.
Talvez ele pudesse me enfeitar com
algumas roupas também. Usei o
banheiro primeiro, grato que
parecia ser as especificações da
Terra. Quase tudo de Shadow era
baseado em coisas com as quais eu
estava familiarizado, e isso me dizia
que, apesar de sua atitude blasé em
relação a isso, ele na verdade amava
a Terra talvez um pouco mais do
que os outros mundos.
Quando entrei na biblioteca,
ela parecia estar vazia. Em um
palácio deste tamanho, devia haver
uma tonelada de outras salas onde
Shadow poderia estar, mas fiquei
um pouco surpresa por não
encontrá-lo aqui. Uma rápida
olhada pela janela me disse que
ainda estávamos voando pelo
mundo, e abaixo estava o que
parecia ser uma tundra de gelo
verde, com manchas pontilhadas de
água verde entre as terras
congeladas.
Faerie foi um extremo após o
outro, mas eu senti uma sensação
de paz estar aqui que era
estranhamente forte. Paz e fome, já
que, aparentemente, uma noite de
intenso prazer estava se esgotando.
Saindo relutantemente da vista,
apostei minha reivindicação na
caixa de comida, encontrando água,
frutas e um sanduíche - tudo gelado
e fresco, como Shadow tinha
prometido - que eu devorei.
Quando fiquei saciado, arrastei
um dos sofás até a janela e me
esparramei na superfície macia,
apoiando os pés em um grande
painel de vidro para ver a paisagem
passar voando. Quando eu voltaria
a experimentar Faerie novamente?
Eu não queria perder nada.
Não éramos o único palácio
flutuando acima da terra, com
muitas outras casas, ilhas flutuantes
e grandes propriedades pontilhadas
no horizonte. Nenhum deles
chegou muito perto; a magia estava
claramente envolvida em manter
tudo funcionando perfeitamente.
Eu senti Shadow antes de vê-
lo, e sabendo que seria estranho,
não importa o que eu fizesse, decidi
não me virar e reconhecê-lo
primeiro. Porque eu era um
covarde assim.
"Len está aqui", ele rugiu, de pé
acima de mim. O som de sua voz
profunda me fez algo que eu nunca
tinha experimentado antes. Meu
corpo ganhou vida, cada célula,
sinapse e receptor em posição de
sentido, como se seu mestre tivesse
chegado.
Não! Fique quieta, sua vadia
desleal.
Eu não poderia dar a Shadow
nenhum poder extra sobre mim. Eu
tinha dito isso antes, e era tão
importante hoje: ele já tinha
controle demais sobre mim. Meu
lobo uivou no meu peito, e eu não
pude dizer se ela queria rolar para
pegar Shadow também, ou se ela
estava me lembrando que ainda
tínhamos um companheiro
verdadeiro. Eu sabia que parte de
sua alma não tinha desistido de
Torin.
Não precisamos de nenhum deles,
Eu a lembrei. Seu uivo morreu, mas
ela estava extremamente inquieta
enquanto eu me concentrava em
Shadow.
“Ok, legal,” eu disse o mais
casualmente que pude, me
afastando da vista para finalmente
encontrar seu olhar. "Por qualquer
razão? Para nos avisar sobre outro
feitiço de sexo estranho que ele se
esqueceu de nos contar? "
Seus olhos eram dourados em
chamas e, apesar das minhas
memórias confusas, eu poderia
dizer que ele não tinha se esquecido
de nada sobre a noite passada.
Felizmente, ele não me forçou a
lidar com os fatos do que aconteceu
- deixando-me esconder um pouco
mais.
"Venha. Eu vou te mostrar."
Eu puxei o lençol com mais
força. "Você tem alguma roupa aqui
para mim?" Perguntei.
As chamas queimaram quando
seus olhos caíram ao longo do meu
corpo. “Inky pode adquirir alguns.”
Claro que sim.
Shadow se virou e eu não
imaginei o tique em sua mandíbula
quando ele fez. Não tive tempo de
analisar demais o que isso
significava, porque ele voltou em
minutos com um conjunto de
roupas que me cabiam
perfeitamente. Usei o quarto para
vestir a roupa íntima, camisa preta,
jeans skinny e um par de botas de
motoqueiro pretas de cano alto, que
eu amava mais do que qualquer
sapato que já tive na vida.
Meu cabelo estava uma
bagunça quente depois de ser
deixado para secar enquanto
também era sacudido em minhas
agonias de prazer, então não havia
muito que eu pudesse fazer exceto
pentear os cachos emaranhados
com os dedos e deixá-los como uma
massa de insanidade nas minhas
costas . Não como se eu estivesse
tentando impressionar alguém, de
qualquer maneira. Aparentemente,
eu não era nada mais do que um
dever para com Shadow, e uma vez
que era ridículo pensar que
poderíamos ter mais do que uma
noite de prazer como aquela - ele
era um deus louco, pelo amor de
Deus - eu precisava voltar minha
cabeça para o status quo.
Quando voltei para a
biblioteca, Shadow e Inky estavam
esperando por mim e, juntos, eles
me levaram para fora da sala e
subiram outro lance de escadas que
eu não sabia que estava lá. Quando
os ombros largos de Shadow
desapareceram no próximo andar,
eu o segui, meu queixo caído
enquanto eu reavaliava se a
biblioteca ainda era meu quarto
favorito.
Era um observatório. O andar
inteiro, tão grande quanto o de
baixo, tinha janelas do chão ao teto
que duravam para sempre. “Uau,”
eu respirei, me aproximando.
Parecia que tínhamos um ponto de
vista muito mais alto para ver tudo,
embora fosse apenas um andar
acima.
"Shadow tem tudo a ver com
vistas e livros", disse Len, vindo de
onde quer que ele estivesse. Seus
olhos estavam brilhando, e ele
estava mais uma vez vestido com a
capa prateada, seu cabelo puxado
para trás em uma trança,
mostrando os planos perfeitos de
seu rosto.
“Visualizações e livros”,
respondi. "Nada de errado com
isso." Eles eram duas das minhas
coisas favoritas na vida também,
mas me abstive de admitir isso em
voz alta.
Quando Len me alcançou, ele
beijou minha bochecha como se
fôssemos velhos amigos, e o peito
de Shadow roncou ao mesmo
tempo, o que fez Len rir. “Acalme-
se, mano. Só estou dizendo olá. ”
Empurrando os dois, deixei
uma carranca se formar no meu
rosto. “Nenhum toque de nenhum
de vocês, ok? Apenas me mostre o
que você estava prestes a fazer aqui.
"
Nenhum deles perdeu o ritmo,
afastando-se da janela em direção a
um canto traseiro bem iluminado,
onde uma ... cadeira de prata
brilhante estava.
“No Reino das Sombras,”
Shadow disse, ficando perto o
suficiente atrás de mim que eu
quase podia sentir seu toque, “nós
temos uma técnica de marcar nossa
pele usando a energia das criaturas
que controlamos ... das brumas. É a
única 'tinta' que contorna nossas
habilidades de cura. ” Ele
gesticulou para onde Len estava
agora agitado, colocando dois potes
brilhantes na mesa da bandeja.
Ambos os potes pareciam abrigar
um mini Inky de escuridão
rodopiante e esfumaçada.
“Consegui trazer uma pequena
lasca comigo e, com o tempo, foi
crescendo. Então, nós adicionamos
lentamente à minha parte. ” Ele se
virou para o amigo. “Len pode
infundir em minha pele usando
magia fae. Ele está aqui para
terminar minha peça traseira. ”
Minha respiração estava um
pouco pesada. Eu sempre fui uma
fanática por tatuagens em homens,
especialmente quando elas eram
rasgadas pra caralho com tinta em
suas costas inteiras. Eu era
superficial assim.
Eu avistei a tinta em Shadow
algumas vezes, e definitivamente
me perguntei como ele conseguiu
marcar sua pele - parecia que eu
estava finalmente recebendo uma
resposta para uma de minhas
perguntas.
Shadow parecia presunçoso
quando me contornou, seus olhos
observando minha expressão facial,
que provavelmente estava
denunciando meus pensamentos.
Assim que ele estava prestes a se
mover para a cadeira, ele se
inclinou e murmurou perto da
minha orelha, "Eu poderia cheirar
sua excitação em qualquer lugar
agora, Luz do Sol."
Mordendo de volta uma
maldição e um gemido, cerrei
minhas coxas e me forcei a não
pensar mais nisso.
- Pare de flertar e tire a camisa
- Len ordenou. “Eu só tenho
algumas horas antes que a família
exija minha presença.” Ele fez uma
careta quando disse isso, e eu tive a
sensação de que ele não gostava
muito de reuniões familiares.
Shadow estendeu a mão,
agarrando sua camisa pela nuca,
puxando-a para cima e pela cabeça.
Foi um movimento rápido, e então
tudo que pude ver foi a pele com
tinta sobre os músculos. Enquanto
Len tinha músculos flexíveis,
Shadow não - ele era grande, mas
não era muito volumoso. Com
abdômen perfeito, ombros largos e
definição espessa na parte superior
do corpo, ele parecia uma obra de
arte, e eu quis dizer isso em mais
maneiras do que a própria arte em
sua pele. Tendo membros tão
longos, deveria ser difícil construir
músculos pesados, mas ele
claramente não era um humano ou
shifter e tinha administrado isso
muito bem.
Eu tive que morder minha
língua para impedir a baba de
escapar.
“Você já tem muita tinta,” eu
observei, grata por não soar tão sem
fôlego quanto me sentia.
Shadow olhou para as palavras
do script - pelo menos eu presumi
que fossem palavras, já que não
eram em inglês - dançando em seu
peito. Abaixo deles havia várias
imagens do que pareciam feras e
monstros. "Isso foi feito em casa",
disse ele calmamente, passando a
mão sobre eles.
As tatuagens se moveram com
seu toque, a tinta escura girando.
Parte de mim também queria
chegar e ver se eles fariam o mesmo
por mim,
"Na cadeira, Besta", disse Len,
interrompendo. Ele ajustou a
cadeira, deixando-a plana, e
Shadow deitou de bruços.
Quando ele se acomodou, os
ombros caindo na beirada da
cadeira, me aproximei e olhei para
a tatuagem meio feita em suas
costas.
"Surpreendente."
Sério pra caralho.
Era uma árvore da morte, uma
enorme peça única que
representava uma cena escura e
sombria, onde vários crânios
estavam crescendo ou aninhados
nos galhos de uma árvore rodeada
de fumaça. Havia um espaço perto
do topo que não foi concluído e foi
aqui que Len começou a trabalhar.
Ele aninhou um dos potes em
sua mão, e quando ele soltou o
fecho de prata, a fumaça girou para
fora. Parecia que ia escapar, mas a
magia de Len o pegou antes que
pudesse, os dois se juntando
enquanto ele girava a mão pela
coluna de Shadow. Nenhuma
agulha ou maquinário estava
envolvido, apenas alguma magia
fae que era claramente a chave para
marcar a fumaça das sombras em
uma pele marcante. Pelo menos
fora de Shadow Realm.
As próximas duas horas
passaram em um piscar de olhos
para mim enquanto eu observava a
magia se desenrolar. Shadow e Len
conversaram, o tipo de velhos
amigos que se conheciam tão bem e
tinham um milhão de histórias de
merda que aprenderam ao longo
dos anos. Foi bom apenas sentar e
observá-los juntos, ouvir suas
brincadeiras, e quando Len teve que
sair, a imagem nas costas de
Shadow estava quase terminada. Ia
ser além de espetacular quando
concluído.
- Vejo você em breve - disse
Len, beijando minha bochecha
novamente antes de quase sair da
lateral do prédio. Devo ter parecido
assustado porque Shadow balançou
a cabeça. "Ele vai ficar bem."
De alguma forma, eu não tinha
dúvidas de que ele estaria.
Depois disso, comi mais
comida, tirei uma longa soneca e,
quando voltamos para a biblioteca,
Shadow e eu havíamos
restabelecido com sucesso nosso
relacionamento anterior. Sem
constrangimento em tudo.
Quero dizer, principalmente.
Quando voltamos ao jardim
familiar em que acordei pela
primeira vez, saímos em silêncio e,
de lá, foi uma jornada fácil de volta
à biblioteca. Eu invejei a maneira
como eles podiam chamar portas.
Será que eles perceberam o poder
em suas mãos - a capacidade de
pular entre os mundos e nunca ser
um prisioneiro? Os shifters, com
todas as nossas forças, ainda eram
muito mais próximos dos humanos
do que dos deuses. Não era um fato
com o qual eu realmente me
preocupava até que me descobri
morando em uma biblioteca cheia
de seres muito além da minha
compreensão. Mas apesar do fato
de estar fora do meu alcance em
quase todos os sentidos possíveis,
eu ainda estava vivo e contei isso
como uma vitória.
A biblioteca estava silenciosa
quando entramos pela porta Faerie;
os poucos goblins ao redor me
lançaram olhares confusos até que
viram Shadow ao meu lado. Então
eles apenas acenaram com a cabeça
e voltaram ao que estavam fazendo.
Não admira que ele fosse um
bastardo presunçoso. Cercado por
bajuladores.
"Não é saudável, você sabe."
Ele encontrou meu olhar, suas
sobrancelhas ligeiramente
levantadas. “Você sabe que não
estou a par de seus pensamentos,
certo? A aleatoriedade com que
você pronuncia as palavras é
surpreendente. ”
"Tanto faz cara." Eu mostrei o
dedo do meio para ele. “Eu estou
falando sobre constantemente se
cercar de pessoas sim. Quero dizer,
como isso ajuda você a crescer em
caráter ou aprender com seus erros?

Shadow mostrou os dentes
para mim. “O que te faz pensar que
eu cometo erros?”
Suspirei. “Exatamente sobre o
que estou falando. Todo mundo
comete erros; é assim que funciona.

Ele encolheu os ombros
enquanto continuava a me conduzir
pela biblioteca em direção ao
corredor da Terra. “Eu não sei o que
te dizer, Sunshine. Fui projetado
dessa forma pelo universo, um
predador perfeito. ”
E onde estava a mentira?
Qualquer que fosse o papel que
desempenhasse neste mundo, ele
parecia estar fazendo um trabalho
fantástico. Ele criou um maldito
subgrupo de humanos quando nos
fundiu com as almas animais.
Quem mais poderia anunciar uma
reivindicação de fama como essa?
“Só não espere que eu comece
a beijar sua bunda,” eu murmurei.
"Você ainda é o inimigo."
Desta vez foi um sorriso
verdadeiro, perverso e tentador.
“Oh, sim, Sunshine. Você deixou
isso muito óbvio. Exceto na noite
passada, quando você estava
gritando meu nome de merda. "
Jesus. Minhas coxas cerraram
novamente, mas eu não corei - eu
não daria a ele essa satisfação. No
entanto, havia algo que precisava
ser dito sobre meu tempo em
Faerie.
“Obrigado por me ajudar,” eu
disse a ele sério. “Não me lembro
de tudo, mas a dor anterior foi
realmente memorável.”
Ele parou no corredor branco.
“Foi minha culpa não ter verificado
o calendário Fae antes de decidir
usá-lo como uma zona segura.
Cabia a mim consertar meu erro. ”
Meu sorriso era brilhante o
suficiente para cegar uma pessoa.
"Tudo o que ouvi foi que você não é
tão perfeito quanto parece pensar."
Ele balançou a cabeça, os
ombros arfando enquanto ele
deixava escapar uma gargalhada.
“Não force, filhote. Eu ainda
poderia matá-lo se o humor me
batesse. "
Foi quase uma ameaça de
brincadeira nesta fase. Não que ele
não fosse me matar, mas ele no
mínimo se sentiria mal por me
matar agora, então estávamos
criando bases em nosso
relacionamento. E, felizmente, o
que aconteceu em Faerie não nos
fez recuar dez passos.
A negação estava funcionando
muito bem.
S O feitiço de hadow foi projetado
para atrair todas as criaturas para o
mesmo lugar. Mais uma vez, na
área montanhosa de Torma.
"Porque aqui?" Perguntei.
“A maioria deles já estava aqui,
é claro”, disse ele em breve. "Você
sendo o ímã de sombra que você é."
Gah, havia um duplo
significado para isso agora, e eu
novamente forcei o ontem da
minha mente. Foi um acordo único.
Uma porra de uma vez. Eu
precisava envolver minha cabeça
em torno disso e seguir em frente.
Talvez se eu continuasse a repetir
isso, meu corpo traidor finalmente
embarcaria.
“Espero que um dia eu
descubra o que há sobre mim que
contorna as regras normais que
governam você e aquela terra,” eu
murmurei.
Shadow apenas me lançou um
olhar ilegível, mas não houve
tempo para responder porque
tínhamos chegado ao centro da
criatura das sombras.
“Puta merda,” eu disse, minha
respiração presa na minha garganta
ao ver dezenas ou mais criaturas
capturadas em um enorme círculo
de fogo que elas não pareciam
cruzar. O fogo de Shadow era tão
durão quanto ele. “São tantos!”
Ele assentiu. “Sim, parece que
desta vez, você abriu uma
infinidade de portas do reino.
Felizmente, nos altos escalões, você
parecia apenas libertar Igorna e os
dois caçadores, então o resto não
deve ser muita dor de cabeça.
"O que aconteceu com Igorna?"
O rosto de Shadow contido em
uma satisfação sombria. "Depois de
um pouco de convencimento, ele
está tirando uma soneca em uma
das celas."
Nap… Sim, claro, isso parecia
plausível.
“Como vamos recuperá-los?
Para o mundo deles? " Estava
começando a se tornar um
problema maior com tantos deles
deste lado de sua porta agora.
A expressão de Shadow se
tornou introspectiva. “Tenho
pensado muito nisso nos últimos
dias. No começo, eu estava focado
em abrir a porta, mas agora ... E se
estivermos olhando para o lado
errado? O feitiço na porta
claramente não é uma barreira para
você, já que continua abrindo seus
próprios portais temporários para o
Reino das Sombras. Se
descobrirmos como, há uma chance
de você agir como um conduíte, e
uma porta mais permanente pode
ser estabelecida. Então eu posso
usar meu poder para devolver as
criaturas, e talvez até mesmo seguir
também. ”
Eu balancei a cabeça enquanto
deixava a ideia marinar em meu
cérebro. “Sim, nós não tentamos
isso antes. Parece que posso ter
mais ideia de como fazer isso do
que contornar o feitiço na porta. "
Os lábios de Shadow se
curvaram apenas o suficiente para
lhe dar uma aparência sinistra.
“Assim que eu destruir aquele que
criou o feitiço, a porta não estará
mais bloqueada. Eu só tenho que
entrar no reino primeiro. ”
Ele teria sua vingança, e eu
seria jogada de lado, sem mais uso
para ele.
Com sorte, haveria mais do que
uma casca deixada de mim quando
isso acontecesse, porque estava
claro que Shadow faria quase
qualquer coisa para atingir seu
objetivo final e buscar sua vingança.
Não havia mais tempo para se
estressar, porque ele estava
caminhando pelo terreno rochoso
em direção às criaturas. Não nevou
muito em Torma, mas ainda
tivemos ondas de frio e, a julgar
pelo solo gelado, devia ser perto do
solstício de inverno. O que
significava ...
Simone estava prestes a fazer
seu primeiro turno.
Eu precisava vê-la antes que
isso acontecesse, mesmo que ela
provavelmente me espancasse por
não ter tentado voltar antes. Eu
também precisava ver Dannie e me
certificar de que ela estava bem e
bem. Shadow disse que ela seria
cuidada, mas, novamente, eu
precisava ver com meus próprios
olhos.
Enquanto caminhávamos, a
graça do meu lobo me impediu de
escorregar no gelo e cair de bunda,
e eu finalmente consegui chegar ao
lado de Shadow inteira. Nós dois
ficamos do lado de fora do anel de
chamas que mantinha afastadas as
criaturas que rugiam, rondavam e
lutavam.
“Você queria que eu tentasse
abrir o caminho aqui?” Perguntei.
Shadow balançou a cabeça.
"Não. Quero mandar todos de volta
de uma vez, e isso significa os
caçadores, Igorna e os outros que
prendemos.
“Angel matou os caçadores,”
eu o lembrei.
“Você não pode nos matar com
armas não nascidas do Reino das
Sombras,” ele me lembrou. “As
lâminas de anjo são formidáveis,
mas não nascem da sombra. Ela
apenas atrapalhou sua estrutura
física, e aqui, sem as brumas, é mais
difícil encontrar energia para
reformarmos. Eu os trancei antes
que eles conseguissem recuperar o
poder total. ”
Certo. Certo. Essa foi a razão
pela qual ele não matou as criaturas
em primeiro lugar, apenas as
trancou. Sua menção às “névoas”
me lembrou de suas tatuagens e
estimulou minha curiosidade de
uma forma totalmente nova e
abrangente.
O nome quase parecia ...
familiar. Mas o lampejo de déjà vu
não pode ter sido mais do que um
choque aleatório de energia, porque
eu não tinha conhecimento dessas
névoas a que ele se referia.
Shadow agarrou-se às chamas
e, ao contrário de um mortal
normal, ele não foi queimado até a
morte por lidar com o fogo. Em vez
disso, pareceu pular em suas
palmas e acariciá-lo com amor.
Afastando-se de mim, ele
concentrou toda a sua atenção no
fogo. “Obrigado,” ele murmurou
para ele, seguido por um monte de
palavras que não estavam em
inglês. Eles soavam quase como
uma canção, as palavras uma
melodia rítmica calmante, e magia
seguia cada batida.
Levei um segundo para
entender o que ele estava fazendo:
encerrando seu feitiço. Shadow
recuou e as chamas aumentaram,
envolvendo as criaturas
completamente em uma bola de
fogo. O campo estava silencioso
agora, seus urros e rugidos
interrompidos pela magia desse
feitiço.
A bola subiu no ar com as
criaturas a bordo, seguindo quando
começamos a andar. Quando nos
aproximamos da borda de um
afloramento rochoso, a porta da
biblioteca apareceu e eu
rapidamente peguei um
movimento com o canto do meu
olho, mas ele havia sumido quando
olhei mais de perto.
Provavelmente um coelho ou
raposa - essas florestas estavam
cheias de animais, apesar da
presença de shifters em seu meio.
Eu brevemente desejei que tivesse
sido um shifter para que eu pudesse
passar uma mensagem para meus
amigos. Mais uma vez, eu estava
saindo sem vê-los, e cada vez que
isso acontecia, um pedacinho de
minha alma murchava. Mesmo que
não parecesse, já fazia um ano. Um
ano sem saber que estavam bem.
“Shadow,” eu disse
abruptamente, parando-o em seu
caminho. “Eu não posso sair sem
verificar meus amigos. Eu sei que
você disse que cuidaria de Dannie ...
Você promete que ela está bem? ”
Eu o estava observando de
perto, procurando a verdade em
seus olhos. “Ela tinha ido embora
quando fiz uma visita a Torma”, ele
me disse. "Corriam boatos de que
ela escapou e eu não podia sentir
seu cheiro por perto ou sentir sua
energia." Seus olhos não estavam
mentindo, mas também não me
senti reconfortada com essa
informação. Ou a falta dela,
realmente. “Ela é astuta”,
acrescentou ele, como se a
conhecesse, “e algo me diz que eles
só a seguraram em primeiro lugar
porque ela permitiu. Ela vai ficar
bem. Você a verá de novo. ”
Eu segurei seu olhar, mas ele
não vacilou. Não que meu olhar
fosse quebrar Shadow, mas eu tinha
que mostrar o quão sério eu estava.
Ele acenou com a cabeça como se
respeitasse o fato, e me perguntei se
esse era mais um passo à frente em
nosso relacionamento. As linhas
estavam se confundindo e eu não
sabia como controlar minhas
emoções sobre isso.
"Vamos levar essas criaturas de
volta para a biblioteca", disse
Shadow, lembrando-me para o que
realmente estivemos aqui.
“Sim,” eu disse, dando um
último suspiro de ar familiar, um
leve desejo por minha mochila
deslizando através de mim antes
que eu a derramasse tão facilmente
quanto eu derramei meu lobo
quando terminamos com uma
mudança. Parte de mim não
conseguia nem se lembrar de estar
em Torma, mas meu lobo sentia
falta de sua matilha, e verdade seja
dita, uma pequena parte de mim
também.
Quando entramos no corredor
branco, deixando para trás as terras
invernais da Terra, segui Shadow,
que não perdeu tempo. O fogo
encheu o corredor de luz e calor até
que finalmente chegamos à
próxima prisão. Shadow lançou as
criaturas em uma sala extragrande,
e depois que elas caíram do fogo,
ele selou a porta com sua energia.
Energia que parecia muito com
Inky - uma nuvem de fumaça
caindo sobre a entrada. A energia
de Shadow e Inky era a mesma, e
isso não me surpreendeu nem um
pouco. Eu já tinha descoberto que o
que quer que fosse, estava
irrevogavelmente ligado à Besta das
Sombras, e eles nunca poderiam ser
separados completamente.
"Vou mandar trazer o jantar
para o covil", disse Shadow assim
que nossa tarefa foi concluída.
Eu não pude evitar minha
risada. "Como você chamava todas
as suas merdas antes de me
conhecer?"
Ele não riu, mas sua expressão
era divertida. “É uma característica
humana querer rotular tudo.
Algumas coisas simplesmente são,
sem necessidade de título ou nome
próprio. ”
Isso parecia estranho para
mim, mas não argumentei porque
provavelmente era uma
característica humana. Quando
entramos na biblioteca do
conhecimento, tudo era business as
usual. Vários habitantes de todos os
mundos se espalharam,
pesquisando tudo e me dando um
pequeno vislumbre de culturas que
provavelmente nunca chegaria a
ver por mim mesmo.
A familiaridade era boa,
entretanto, como se o negócio de
criaturas das sombras pudesse
finalmente ter ficado para trás, e
nós até tínhamos um plano de jogo
sólido para avançar.
Tudo estava melhorando. De
uma vez.
B Antes de chegarmos ao covil,
fomos emboscados por Gaster. O
goblin ficou muito entusiasmado
com a notícia de que o problema
das sombras estava resolvido por
enquanto e que tínhamos um plano
para devolvê-los ao reino.
Shadow permaneceu reservado
com o goblin, dando respostas
curtas ... se é que ele respondeu.
Ninguém além de mim empurrou o
grande bruto, feliz em aceitar que
tudo o que ele disse era lei. Se o
goblin soubesse que o único foco de
Shadow era realmente voltar para o
Reino das Sombras, para se vingar
daqueles que o injustiçaram, parte
de seu entusiasmo poderia
desaparecer.
Ou ... provavelmente não.
A confiança cega que todos
tinham em Shadow era
surpreendente.
Quando estávamos prestes a
entrar no covil, ouvi meu nome
ecoar pela sala e, quando me virei,
engasguei com Angel, que estava
enfeitado como um maldito
guerreiro. A garota estava da
cabeça aos pés no que tinha que ser
uma armadura de prata e vermelha
feita sob medida moldada em seu
corpo, fixada em torno das asas,
com tantas lâminas em seu corpo
que eu perdi a conta das alças
saindo de vários lugares.
"O que aconteceu?" Eu explodi,
correndo em sua direção. "Honor
Meadows estourou na guerra?"
Ela não disse uma palavra,
apenas jogou seus braços em volta
de mim, me abraçando como se ela
pensasse que nunca me veria
novamente. Eu não conseguia
respirar, mas não me importava,
porque esse foi um dos melhores
abraços que já tive. Eu afundei nela
e segurei por toda a vida,
precisando da conexão emocional
que apenas uma amiga poderia te
dar. Caras e sexo eram ótimos e
tudo, mas se você nunca tivesse um
amigo do tipo cavalgue ou morra,
estaria perdendo uma conexão que
não poderia ser reproduzida.
Um de que precisávamos para
sobreviver.
“Você se foi,” ela disse quando
se afastou, sua voz quebrada
mesmo que seus olhos estivessem
secos. “Procurei nas terras e
questionei todos eles, mas ninguém
sabia o que tinha acontecido. E
nosso maldito vínculo ... É melhor
começar a amadurecer, porque eu
não posso lidar com o estresse de
você vagando por aí sozinha. "
Shadow se juntou a nós então,
e em um instante, o amigo de luto
se foi, substituído por um guerreiro
durão. As armas estavam em suas
mãos tão rápido que não pude
rastrear o movimento e ela nem
hesitou em atacá-lo. O que eu tirei
disso, e apreciei mais, foi que
Shadow não agiu como se fosse
ridículo tê-la como oponente. Ele
deu a ela o tipo de atenção que ela
merecia, tratando-a como uma
adversária digna, enquanto a dupla
lutava.
Shadow obteve uma lâmina
negra e fumegante do nada, e eu
me perguntei brevemente se era
Inky, manifestada em outra forma.
Normalmente, estaria perto, mas eu
não conseguia ver em nenhum
outro lugar.
Angel lutou com foco
obstinado, atacando sem parar,
nunca cedendo ou cedendo um
centímetro. Ela estava além de
espetacular, e eu honestamente não
sabia por quem estava torcendo no
final. Eu meio que queria que os
dois ganhassem, para ser honesto,
mas como eu meio que amava
Angel e não odiava Shadow hoje,
provavelmente era melhor quebrar
isso.
“Gente,” eu comecei, em uma
tentativa de interromper sua
intensa necessidade de esfaquear
um no outro. “Vamos conversar
sobre isso durante o jantar. Estou
bem."
Sem resposta ou pausa.
Estávamos começando a atrair uma
multidão e eu não precisava que
isso se transformasse em nada mais
do que era. Conhecendo Shadow,
ele gostaria de provar um ponto
quando ele tivesse todos os seus
asseclas assistindo. Eu tinha que
detê-los antes que isso acontecesse.
Respirando fundo, eu fiz a
coisa mais estúpida que pude
pensar, mas também a única ação
certa para detê-los. Eu pulei entre
os dois, assim que Angel girou e
golpeou com sua lâmina enorme e
super afiada. Ela me viu na última
instância, gritando um “Nããão”,
mas era tarde demais para parar o
ataque. Esperando que não fosse ser
dividido em dois, levantei um braço
e me preparei para a dor.
Tudo depois disso se moveu
em câmera lenta e, embora minha
destruição estivesse se
aproximando, observei o resto cair
com uma curiosidade quase
desapegada. O rugido de Shadow
ensurdeceu todos na sala, fazendo
com que a maioria deles caísse de
joelhos, e quando a faísca de seu
poder atingiu meus ombros, fui
empurrada para fora do caminho
no momento em que a lâmina
cortou meu braço.
"O suficiente!" Shadow berrou,
sem me soltar. Sua voz baixou
dramaticamente. "Eu a mantive
segura, Melalekin." Apenas Angel e
eu poderíamos ter ouvido essas
palavras. "Você não quer brigar
comigo."
Seu peito arfou, os olhos ainda
cheios de horror com o que ela
quase fez. - Da próxima vez não
serei tão tolerante, Darkor -
murmurou ela, também muito
baixo. Esta foi uma conversa apenas
entre nós três. "Lembre-se disso."
Então, com um olhar suave
para mim, ela girou e saiu
disparada.
Minha respiração ainda estava
rápida, a sensação de que eu estava
mais perto da morte do que nunca
pairando sobre mim. Shadow tinha
me salvado e eu não conseguia
pensar em mais nada. Exceto talvez
... Eu acabei de aprender seus
nomes verdadeiros?
Era um conhecimento tão
insignificante e, no entanto, parecia
incrivelmente grande para mim.
Como se eu tivesse sido introduzido
em um clube que apenas alguns
conseguem experimentar. Eu me
senti muito privilegiado por ter
outro pequeno pedaço dos dois
seres com quem passei mais tempo
aqui.
Levei um momento para notar
o calor saindo da Besta das
Sombras. Ele estava furioso, mesmo
que ninguém mais soubesse porque
seu rosto estava impassível. Ele não
me soltou de seu domínio, virando-
se para entrar no covil. Eu não tinha
ideia de por que ele ainda estava
me segurando contra o peito como
ele estava, mas a parte traidora de
mim que estava um pouquinho
dentro dele não queria discutir
sobre isso. Foi o tipo de aperto
possessivo que mexeu com minha
cabeça. Meu e do meu lobo. Ambos
queríamos rolar e ronronar como
um maldito gatinho.
Quando Shadow alcançou a
barreira de seu covil, e assim que
começou a passar, as luzes
piscaram. Eu nunca tinha visto isso
acontecer antes, mas não foi
imediatamente alarmante ... pelo
menos não para mim.
Shadow fez uma pausa, seu
olhar se inclinando para procurar
acima de nós. Eu fui gentilmente
colocada de pé enquanto ele me
colocava atrás dele. “O fogo foi
restaurado,” ele disse suavemente.
"Vá para o covil."
“Não,” eu disse, colocando
minha mão em suas costas. Os
músculos estavam firmes sob meu
toque - ele estava tenso, e isso me
preocupou. "O que está
acontecendo?"
O piscar das luzes deve ter sido
uma preocupação urgente para ele
reagir como estava.
“Sunshine, pela primeira vez
em sua vida maldita, me escute.
Você precisa ir embora agora— ”
Suas palavras foram cortadas
quando a biblioteca mergulhou na
escuridão. Uma fração de segundo
depois, o fogo de Shadow rugiu ao
redor dele, o calor quase me
atirando de volta.
Ele começou a avançar, mas era
tarde demais. Quem quer que tenha
apagado as luzes nos atacou, duas
figuras escuras aparecendo. Antes
que a besta pudesse matá-los onde
estavam, um arco de pó escuro e
brilhante atingiu nós dois e,
enquanto eu engasgava com a
poeira, Shadow caiu de joelhos ao
meu lado.
Desorientado pelo que quer
que estivesse na pólvora, mal
registrei que havia sido agarrado,
mãos pesadas me levantando e
carregando pela biblioteca escura
como breu.
"Não!" Eu tossi, mais poeira se
alojou na minha garganta. Eu
estava lutando mal contra o aperto,
mas era melhor do que nada.
“Sunny, pare. Sou eu."
Fiz uma pausa na voz familiar:
Jaxson.
Como diabos Jaxson estava
aqui? E o que ele fez com a
biblioteca e Shadow? De jeito
nenhum este shifter idiota
conseguiu lançar um sobre eles sem
alguma ajuda séria.
“Me deixe ir, caramba,” eu
rosnei antes de tossir novamente. O
pó estava pegajoso na minha
garganta, agarrando-se com
intensidade.
"Estamos resgatando você, sua
vadia burra." Isso era de Torin, que
aparentemente estava aqui para
essa merda também.
“Shadow vai rasgar vocês dois
em um milhão de pedaços,” eu
disse, minha voz rouca. "É do seu
interesse sair daqui agora e esperar
que ele nunca descubra que foi
você."
Jaxson, ainda me carregando,
não diminuiu a velocidade. “Nós
vamos bloquear a porta,” ele disse
apressado. “Seremos capazes de
mantê-lo fora por um período
indefinido de tempo. Você estará
seguro. ”
“Eu nunca estive em perigo,
seus idiotas de merda,” eu rosnei.
"Solte-me agora ou Shadow será a
menor de suas preocupações."
Eu puxei minha loba e ela veio
rosnando para a superfície
enquanto partes de nós se
transformavam para que
pudéssemos cortar aqueles que nos
seguravam. - Use mais pó do dia
seguinte - Torin disparou. “Derrube
a bunda dela estúpida. A Besta das
Sombras a atingiu; vamos precisar
quebrá-la em casa. ”
Me quebrarde volta para casa?
Oh, cara, eu ia mostrar a ele o quão
errado ele estava -
Na escuridão, um tapa de pó
me atingiu no rosto, pior do que
antes, e eu engasguei e gaguejei
com a substância bolorenta. Minha
vontade de lutar se desvaneceu a
nada, e enquanto eu respirava mais
da mistura nojenta, minhas luzes se
apagaram completamente.
Me deixando vulnerável com
os dois homens que eu mais odiava
no mundo.
T A sensação de acordar em um
lugar e situação desconhecidos foi
uma das piores que eu já
experimentei, e isso estava
acontecendo muito ultimamente.
Eu precisava mudar minhas
escolhas de vida - porque isso não
era saudável pra caralho.
O que quer que o alfa e seu
beta tenham me atingido, deixou
para trás uma forte ressaca, e uma
vez que terminei de vomitar bile e
qualquer resíduo que havia em meu
estômago, rolei para me encontrar
acorrentado a uma cama. Apenas
por um tornozelo, mas era uma
corrente de prata que era reforçada
e forte demais para eu quebrar -
algo que eu sabia depois de várias
tentativas de me soltar.
Quando o latejar na minha
cabeça diminuiu um pouco, me
levantei para ver melhor o que
estava ao redor. Eu estava no quarto
de Torin. Tive um pressentimento
terrível sobre o que isso significava;
o alfa não mediu suas palavras da
última vez quando ele quase me
inseriu em um harém com Sisily. Eu
tinha que terminar o vínculo agora
- permanentemente. Eu só
precisava esperar até que ele
estivesse na sala e perto o suficiente
para garantir que funcionaria.
Outra pulsação de dor atingiu
minha cabeça enquanto eu me
perguntava novamente o que havia
no pó com que eles nos atingiram.
Que tipo de substância poderia
fazer isso com Shadow e a
Biblioteca do Conhecimento?
Quero dizer, como diabos era
possível que shifters pudessem
entrar furtivamente na biblioteca
sem ajuda em primeiro lugar?
Ou eles nos seguiram?
Houve aquele movimento que
eu vi quando estávamos deixando
Torma com a bola de fogo. Eu havia
considerado uma raposa ou um
coelho, percebendo pelos nos
arbustos, mas poderia ter sido mais.
Poderia ter sido dois shifters idiotas
pensando que estavam me
salvando. O tempo todo superando
Shadow.
A porta do quarto se abriu
antes que eu pudesse pensar mais
no assunto, Torin entrando com sua
arrogância de merda. Meu lobo se
mexeu no meu peito, mas não foi
como a última vez que ela reagiu a
ele. O desejo e a necessidade se
foram. O desejo de se submeter a
seu alfa e companheiro desapareceu
contra a nossa fúria pelo que ele fez
para nós. Depois de todos os anos
de intimidação e tormento, depois
de me rejeitar, o fato de ele pensar
que poderia entrar na minha vida e
tomar qualquer decisão por mim
fez meu corpo queimar de fúria.
Eu ansiava por seu sangue. Sob
minhas unhas e na minha boca
enquanto eu rasgava sua garganta.
“Olá, cara,” ele disse
alegremente. "Estou aqui para
libertá-lo, agora que sei que você
não vai sofrer os efeitos colaterais
do pó."
Eu não disse uma palavra,
apenas o encarei com o tipo de
olhar que teria preocupado um
shifter mais inteligente. Este idiota
era muito egocêntrico para se
incomodar em olhar perto o
suficiente para ver o assassinato em
meus olhos.
Quando suas mãos envolveram
meu tornozelo, ele o acariciou
lentamente, e me forcei a continuar
respirando uniformemente. "Você
está feliz por estar de volta,
querida?" ele perguntou,
claramente ainda estúpido.
Minha mandíbula estava tão
cerrada que eu não conseguia falar,
mas consegui mentir com um aceno
de cabeça, e ele ficou feliz o
suficiente com isso. “Você vai
esquecer seu tempo com Shadow
Beast em breve,” ele adicionou
quando a corrente finalmente
tilintou e minha perna foi liberada.
No momento em que isso
aconteceu, meu lobo assumiu o
controle. Eu não tinha percebido
em minha própria fúria o quão
absolutamente fora de controle ela
estava, e em segundos, nós
mudamos. Como um lobo, eu fiz
exatamente o que meu pai tentou e
ataquei o alfa de Torma. Eu não
esperava que Torin antecipasse o
ataque, mas de alguma forma o
idiota sabia.
"Pare!"
Foi um comando com poder
alfa por trás dele, e ao contrário da
última vez em minha forma
humana, seu comando realmente
controlou meu lobo. Nós rosnamos
e brigamos, mas já que
tecnicamente este ainda era meu
bando, fui forçado a seguir as regras
da lei do bando. Embora seu
controle parecesse frágil, na melhor
das hipóteses.
"Vamos dar uma corrida",
acrescentou ele, e ele mudou para
seu lobo tão rápido que eu teria
ficado impressionado se ele não
fosse um idiota.
Meu lobo tentou atacar
novamente, mas ele a manteve
presa com sua magia, nossas pernas
só conseguiam se mover quando o
seguíamos como ele pretendia. Ela
não lutou novamente, e eu sabia no
fundo que meu lobo ainda tinha
uma pequena esperança de
reivindicar seu companheiro, não
importa o quão irritada ela estivesse
hoje.
O eu humano, por outro lado,
nunca pararia de tentar arrancar a
cara dessa porra.
Torin manteve seu poder
bloqueado sobre nós durante toda a
corrida, e foi agridoce cruzar as
terras da matilha com meu
companheiro, mas mais uma vez,
seja um maldito prisioneiro. Um
tempo melhor surgirá em breve em
que eu não seja uma vítima de todo
idiota poderoso que pensava que
poderia empurrar sua vontade
sobre mim.
Agora eu odiava todos eles.
Quando Torin terminou,
voltamos para a casa de
empacotamento e ele saltou ao meu
redor como um cachorrinho
brincalhão. Meu lobo não
respondeu, nós dois terminamos
com ele. Eventualmente, ele mudou
de volta, desaparecendo para
retornar vestido com Jaxson ao seu
lado. Eles se sentaram na minha
frente e eu encarei meu amigo mais
antigo - que se tornou meu inimigo.
Mesmo com minha visão de lobo,
ele parecia cansado; o ano de
intervalo o havia envelhecido.
“O que podemos fazer para
provar que é aqui que você deveria
estar?” ele perguntou, inclinando-
se para frente enquanto apelava
para mim. “Torin está no comando
agora e vai se certificar de que
ninguém mais te culpe pelo erro do
seu pai. Você não tem ideia do que
passamos para ter você de volta.
Não entendo por que você não é
mais grato. ”
Meu lobo rosnou, o som mais
profundo do que qualquer um que
eu já fiz antes enquanto ela tocava
em uma raiva básica fervendo por
anos dentro de nós. Se esses dois
idiotas não fossem cuidadosos, eu
derrubaria todo o Reino das
Sombras em nossas cabeças em
minha fúria.
"O que você quer de nós?"
Torin empurrou, com um sorriso
estúpido no rosto. “E se eu lhe der
algo primeiro para mostrar o quão
sério estou sobre cimentar o
vínculo?”
Eu precisava voltar à forma
humana para que pudesse gritar
com eles, mas isso me deixaria nua
na frente desses dois idiotas, e
então eu teria um novo conjunto de
problemas.
Felizmente, antes que eu
tivesse que escolher entre uma
pedra e um lugar duro, alguém
novo chegou, rasgando a grama,
com as roupas nas mãos e lágrimas
escorrendo pelo rosto. Simone caiu
na minha frente, seu rosto
despedaçado, suas mãos tremendo
enquanto ela estendia a roupa para
mim.
“Eu posso tornar a sua vida
melhor do que você jamais poderia
imaginar,” Torin disse, e quando eu
tirei meus olhos do meu amigo, foi
para encontrá-lo todo presunçoso e
seguro em sua beleza. Pensar que
ele me tinha exatamente onde
queria, balançando meu melhor
amigo na minha frente.
A pior parte era que ele estava
certo. Eu desistiria de muito por
este momento com a Simone.
Muito.
"Vamos deixar você para se
atualizar", disse Jaxson, me
conhecendo muito melhor do que
Torin jamais poderia esperar.
Minha independência sempre foi
importante, mesmo antes de minha
família ter fodido nosso lugar na
matilha, e eu odiava ser pairada
sobre.
Torin queria discutir, mas
quando Jaxson pronunciou algo
perto de seu ouvido, ele soltou um
suspiro e seguiu seu amigo sem
mais discordância. Quando eles
estavam fora de vista, a energia que
me segurava diminuiu para que eu
pudesse mudar de volta. Eu vesti o
moletom que Simone tinha trazido
para mim, meu corpo e mãos
tremendo enquanto eu lutava para
me recompor.
"Mera", ela respirou, ainda de
joelhos no meio do campo de
matilha. Era como se ela não
conseguisse fazer suas pernas
funcionarem, o choque a deixava
imóvel.
Com meu coração batendo
forte contra meu peito, a
intensidade deste momento ainda
mais forte do que eu esperava, caí
de joelhos também. Eu não tinha
ideia de como tudo isso iria
acontecer. Apesar de seus cabelos
escuros, Simone tinha o
temperamento de uma ruiva, assim
como eu, e ela provavelmente
reagiria de duas maneiras: ou ela
perdia a cabeça e gritava comigo até
desmaiar. Ou ela ...
Ela se lançou para frente, seus
braços me envolvendo firmemente
enquanto os soluços a sufocavam.
"Eles me disseram que você estava
vivo", ela balbuciou, "mas eu não
confio em nenhum desses
bastardos."
Retornei seu abraço com tanta
força, se não mais, respirando seu
cheiro, o anis particularmente forte
hoje. Antes que eu percebesse, nós
dois estávamos chorando e
tentando falar a um milhão de
milhas por hora.
"Eu senti tanto sua falta!"
“Foi o ano mais longo sem
você!”
"Vou matar aqueles shifters de
merda!"
"Como você pôde me deixar
aqui com eles!"
E assim por diante, até tirarmos
a maior parte de nossa raiva e
angústia, ao mesmo tempo em que
nunca largamos o outro. Quando as
lágrimas finalmente diminuíram,
nós nos esparramamos lado a lado,
e eu respirei de verdade pela
primeira vez desde que fui roubada
de Shadow. Uma inspiração
profunda e purificadora.
“Eu não posso ficar aqui,” eu
disse a ela calmamente. - Senti sua
falta todos os dias, preocupado com
você e chorei porque não tinha
certeza se veria você de novo, mas
nem por você ficarei em Torma com
este bando.
O rosto de Simone estava feroz.
“Eu nunca esperaria isso. Estou
mais do que disposto a sair daqui
para sempre. Até meus pais ... Eles
se recusaram a fazer qualquer coisa
para me ajudar a encontrar você.
Nem uma coisa! ”
Peguei a mão dela, apertando-a
com força. “Você é o melhor amigo
que eu poderia ter esperado. Você
ficou comigo em meio a tantas
besteiras que, honestamente, nunca
poderei retribuir. Mas esta jornada
em que estou agora ... ” Suspirei. “É
perigoso e não quero que você se
arrependa da decisão de vir comigo.
Eu não quero que você se
machuque. ”
Simone se endireitou,
gesticulando para a trança quase
perfeita em seu cabelo. “Se eu posso
aprender a trançar meu cabelo,
posso fazer qualquer coisa maldita.
Eu mudei duas vezes agora. Estou
vibrando bem com meu lobo. Você
não precisa se preocupar comigo. ”
Ela não entendeu. Ela nunca
seria capaz de entender a menos
que experimentasse o mundo como
eu no ano passado. A vida de
Shadow não era para os fracos de
coração, e por mais que ela fosse
cheia de fogo e bravata, minha
amiga era mais protegida do que
eu. Ela tinha sido mimada por seus
pais, não importa o quanto ela os
odiava agora.
Eu não poderia roubá-la,
mesmo que fosse o que ela pensava
que queria hoje.
“Eu te amo”, eu disse. “E agora,
não tenho escolha a não ser ficar
porque não sei como abrir a porta
da biblioteca, mas quando eu
descobrir, irei embora. Estou
ajudando Shadow com algo
bastante importante, e ele não pode
fazer isso sem mim. ”
Ela piscou para mim.
"Sombra?"
Porra. Como eu expliquei isso
para ela?
“Shadow Beast,” eu comecei,
“não é exatamente como os contos
dizem. Ele é definitivamente
assustador e poderoso. Ele é um
alfa, mais do que possessivo, e
várias vezes no ano passado, sonhei
em esfaqueá-lo no peito. Mas
também há algo ... mais sobre ele.
Um destino mais profundo que eu
não esperava. Ele é
surpreendentemente nobre e bom,
quando você não o está irritando. "
Sua boca estava entreaberta,
seus olhos arregalados como pires
enquanto ela silenciosamente me
olhava. "Você está apaixonado pela
Besta das Sombras?" ela finalmente
engasgou. “O demônio dos nossos
pesadelos? O deus que criou os
shifters? " Inclinando-se, ela
colocou a mão na minha testa para
verificar a temperatura.
Com uma risada, eu
gentilmente acenei para ela. “Não
estou apaixonada por ele. Isso seria
o cúmulo da porra de estúpido. Mas
eu preciso terminar esta tarefa. ”
Ela torceu o nariz.
“Certamente, ele não pode precisar
de você para nada. Quer dizer, eu
não te culpo por querer ficar por
aqui, garota. De acordo com os
membros do bando que o viram, ele
é a coisa mais sexy sobre duas
pernas que este mundo já viu. ”
“Não apenas este mundo,” eu
murmurei, irracionalmente irritada
que outros estivessem discutindo
sobre ele dessa forma.
Simone empalideceu. “Eu não
quero saber. Eu mal estou
entendendo o fato de que você
finalmente está aqui. Vivo. Depois
de tanto tempo. ”
Meu sorriso era genuíno, e
parecia estranho realmente ter um
momento de felicidade, enquanto o
resto de mim estava em um mini-
pânico sobre o que tinha acontecido
com Shadow e a biblioteca ...
Virando-me para Simone,
baixei minha voz. “Você tem
alguma ideia do que eles fizeram
para me afastar de Shadow? Eles
usaram algum tipo de pó. ”
Simone olhou em volta
rapidamente, seu olhar disparando
para a esquerda e para a direita
antes de se aproximar ainda mais e
sussurrar o mais rápido que podia.
“Eu não sei nada com certeza. Eles
me mantêm fora das discussões
porque mostrei repetidas vezes que
sou o Team Mera. Mas tem algo a
ver com Dannie. Eles a seguraram
por muito tempo, e eu tentei
invadir e ajudá-la, mas quando
descobri uma maneira de passar por
seus guardas, ela tinha sumido. Sua
voz vacilou enquanto ela respirava
rapidamente. “Havia sangue por
toda parte, Mera. Tanto sangue que
não tenho certeza se mesmo um
shifter poderia ter sobrevivido. "
Tudo se acalmou ao meu redor
enquanto o ruído branco enchia
minha cabeça. Shadow disse que
Dannie havia escapado, mas pelo
que Simone tinha visto ...
Ela não escapou ilesa.
S imone segurou-se em mim
enquanto eu tinha meu mini-
colapso, e quando terminei, me
levantei, meu lobo furioso em meu
peito. Em circunstâncias normais,
depois de uma corrida, ela estaria
cansada, mas a notícia de Dannie
sendo ferido nas mãos desse bando
nos deixou prontos para tentar a
segunda rodada de assassinar seus
traseiros.
A única coisa que me impedia
era o fato de que se eu os
empurrasse muito hoje, eles
poderiam me matar, e eu não
poderia deixar isso acontecer antes
de saber que Shadow e a biblioteca
estavam bem. Sem mencionar todos
os outros membros do Sistema
Solaris pelos quais eu gostava
muito.
Simone ficou de pé, a energia
animando seu rosto enquanto ela
assentia. O que quer que ela
estivesse remoendo em sua cabeça,
ela havia chegado a uma conclusão
e agora estava pronta para
compartilhar seu plano.
Inclinando-se perto do meu
ouvido, ela agiu como se estivesse
me abraçando novamente. “Há
uma reunião secreta da matilha esta
noite para os executores e os
membros da matilha,” ela
sussurrou. “Acho que vai ser sobre
você e tudo o que aconteceu. Eu
não queria dizer a você porque
estou com medo de que você se
mate lutando contra eles, mas
definitivamente temos que
descobrir o que eles fizeram. ”
Eu agarrei sua camisa,
segurando-a. "Sim. Eu preciso ir
para aquela reunião. Talvez apenas
me dê as coordenadas e você pode
ficar em casa, onde é seguro ... ”
Ela balançou a cabeça, se
afastando de mim. “Sem chance de
merda, vadia. Estarei ao seu lado,
assim como deveria estar quando
você foi levado. ”
Eu fiz uma careta. “Você não
ouviu o que Shadow fez com Alfa
Victor? Ele é absolutamente
implacável e sem misericórdia
quando está com raiva. Se você
entrasse em seu caminho, não teria
feito nada além de morrer. E se
você tivesse feito isso por mim, eu
teria ficado com tanta raiva que
pelo menos duas vidas teriam que
se passar antes que eu te perdoasse.
"
Seus olhos se encheram de
lágrimas enquanto ela balançava a
cabeça novamente. “Quando
percebi que você fugiu de Torma
pouco antes do seu turno, me
culpei. Se eu fosse um amigo mais
solidário, estaria com você. ”
Eu engoli enquanto meus olhos
queimavam. “Eu sinto muito por
ter ido embora assim, garota.
Especialmente depois de dizer que
não faria isso. "
Sua voz era feroz enquanto ela
me sacudia um pouco. “Não foi sua
culpa. Tive muito tempo para
pensar sobre ... bem, tudo. Você
viveu no inferno e eu não fiz nada
para ajudar. Na verdade não."
Isso não era nem remotamente
verdade. Seu amor e apoio
definitivamente salvaram minha
vida mais de uma vez. Simone
continuou antes que eu pudesse.
“Quando você foi levado pela Besta
das Sombras, eu prometi que se
você voltasse para mim, eu nunca o
deixaria ir. Não posso quebrar essa
promessa ... por favor, não me faça.

Nossos olhares ficaram
travados pelo que pareceu uma
eternidade e, eventualmente, eu
balancei a cabeça, vendo em seu
rosto a mesma determinação que eu
vi no meu por anos. Na verdade, eu
tomar decisões por ela era tão ruim
quanto Shadow fazer por mim. Eu
não era mais forte ou mais
inteligente do que Simone e, desde
que ela conhecesse todos os riscos,
não era meu trabalho ficar em seu
caminho.
"OK. Esteja ciente de que quase
morri vinte vezes desde que fui
levado daqui, ”eu disse a ela. "Se
você está bem em viver à beira da
morte, não vou ficar no seu
caminho."
Ela zombou. “Nós temos isso.
Tenho certeza de que estar em
Torma é viver no portão do diabo
de qualquer maneira. " Houve uma
pausa e nós rimos.
“Eu literalmente tenho vivido
com o diabo,” eu bufei.
Simone me lançou um sorriso
malicioso. "Eu sei."
Nós dois rimos e eu tive que
balançar minha cabeça com a ironia
do meu último ano. Para os shifters,
Shadow era deus, diabo, besta,
pecador e santo. Ele era o pacote
completo de yin e yang. Escuro e
claro. Bom e mau. Eu estava
morando na casa do diabo por um
ano, e se alguma coisa, tinha saído
mais forte e mais independente do
que eu já estive aqui sob o governo
do bando.
“Vamos detê-los”, disse eu,
com convicção.
O rosto de Simone estava feroz,
seus lábios franzidos enquanto ela
estreitava os olhos. "Vamos. Preciso
ir para casa agora para seguir meus
pais. Vou mandar uma mensagem
com as coordenadas. ”
Eu fiz uma careta. "Eu não
tenho telefone."
Ela sorriu. "Eu mantive um
velho seu." Do bolso, ela puxou meu
telefone, totalmente carregado e em
perfeitas condições. Por um velho
pedaço de merda. "Eu esperava que
um dia você ligasse para o seu
número, então nunca deixei a
cobrança sair."
Minha garganta estava
apertada quando a abracei mais
uma vez. "Eu te amo. Tenha
cuidado ao seguir seus pais e me
mande uma mensagem assim que
souber a localização. ”
“Eu vou,” ela sussurrou, me
apertando enquanto ela girava e
decolava.
Eu coloquei o telefone no bolso
assim que Jaxson e Torin voltaram
para mim - eles claramente estavam
pendurados por perto.
"Vejo?" A primeira e única
palavra de Torin enquanto ele
sorria para mim.
Eu me fiz de bobo. "Veja o
que?"
Seu sorriso desapareceu, a
escuridão rolando por seus olhos.
“Vê o que eu posso te oferecer se
você simplesmente parar de lutar
comigo? Você não será um
prisioneiro comigo. Você será uma
fêmea alfa, acasalada com o alfa de
todos os alfas. "
Eu inclinei minha cabeça para
o lado, como se eu não conseguisse
entender o que ele estava dizendo.
Verdade seja dita, eu não conseguia
entender sua estupidez arrogante,
mas felizmente, ele não conseguia
ler meus pensamentos.
“Só preciso de um tempo”,
menti. “E para ser totalmente
honesto, estou ficando bastante
irritado com os homens pensando
que podem jogar seu peso e poder e
me arrastar pelos cabelos. Você
realmente deve pensar sobre sua
abordagem daqui para frente;
Quero dizer, se você quiser o tipo
de relacionamento poderoso que
está pendurado na minha frente. ”
Mantê-los felizes até o
encontro era meu novo lema. Com
sorte, esta noite, eu conseguiria
todas as informações de que
precisava sobre Shadow e a
biblioteca, e igualmente
importante, sobre Dannie. Eu
precisava saber se tinha um amigo
para vingar ou não. Se eles tivessem
machucado Dannie, eu descobriria
como fazê-los implorar pela morte.
O pensamento disso trouxe um
sorriso ao meu rosto. Claro, Torin, o
idiota que ele era, pensou que eu
estava sorrindo para ele. “Você
conseguiu, bebê. Vamos governar
este maldito mundo e ter os mais
lindos filhotes. ”
Meu estômago embrulhou com
o mero pensamento de tocá-lo. Seu
pau estava provavelmente meio
apodrecido por estar dentro de
tantos shifters. Principalmente
Sisily. Falando nisso, eu me
perguntei onde aquela vadia estava.
Ela sabia que eu estava de volta? Ela
sabia que Torin queria reivindicar o
vínculo agora? Por que ela não
estava aqui para arrancar meus
olhos?
"Como está minha mãe?" Eu
perguntei a eles de repente. Não
porque eu realmente me importasse
- ela não tinha sido nada para mim
por anos - mas parecia que eu
deveria pelo menos perguntar.
Jaxson avançou, pegando
minha mão. A repulsa que senti por
Torin não estava lá com ele, mas eu
ainda não queria seu toque.
Quando retirei minha mão, ele
pareceu surpreso, mas se recuperou
rapidamente. “Sua mãe entrou em
depressão quando você foi levado
pela Besta das Sombras,” ele disse
lentamente, suavemente, e meu
estômago apertou com seu tom. Eu
conhecia esse tom. Foi sua má
notícia é a voz próxima.
"Vá direto ao ponto, Jax!" Eu
agarrei.
“Fui ver como ela estava e ela
estava inconsciente”, disse ele
apressadamente.
Torin interrompeu. - Mandei os
melhores curandeiros pegarem seu
caso, mas não havia nada que eles
pudessem fazer. O abuso em seu
corpo era muito grande. Nem
mesmo a genética shifter poderia
salvá-la. "
"Sinto muito, Sunny",
acrescentou Jaxson.
A dor foi um baque surdo em
meu peito ao saber que o último
membro da minha família tinha
finalmente ido embora. Eu estava
mais sozinho do que nunca ... um
golpe que não esperava quando
perguntei sobre ela.
"O que aconteceu com o corpo
dela?" Eu respirei.
O ritual dos shifters era
queimar o corpo, mas só depois que
um membro da família os mandasse
para a Besta das Sombras com suas
bênçãos. Minha mãe não tinha
família sem mim, então eu não
tinha certeza do que eles fizeram.
"Meu pai a abençoou para a
vida após a morte", disse Jaxson.
A raiva cresceu contra a dor
surda, e foi mais aguda, mais
colorida do que minha dor jamais
seria. “O pai que assassinou seu
verdadeiro companheiro? Esse foi o
shifter que você pensou ser uma
ótima escolha para enviá-la para a
próxima vida? "
Eu silenciosamente adicionei
outro nome à minha lista: Dean
Heathcliffe.
Cada um deles pagaria, mesmo
que demorasse toda a minha vida.
Não se tratava de vingança ...
Tratava-se de corrigir erros que não
deveriam ter acontecido.
Eh, talvez fosse a mesma coisa,
mas enfim, ninguém disse que eu
era perfeita.
"Sentimos muito, Mera", disse
Jaxson. "Torin e eu queríamos dizer
isso há muito tempo."
Torin cruzou os braços, sem se
preocupar em abrir a boca estúpida
enquanto deixava seu beta falar por
ele. O que diabos eu fiz de errado
para ter esse cachorro vira-lata
como companheiro? Eu precisava
perguntar a Shadow sobre isso ... se
eu o visse novamente.
"Que tal você me compensar?"
Eu disse, mais uma vez mentindo
descaradamente. "Me contando o
que exatamente aconteceu quando
todos vocês se infiltraram na
Biblioteca do Conhecimento."
Os amigos trocaram um olhar
antes de se voltarem para mim.
"Você realmente precisa saber?"
Torin ficou irritado. “Quero dizer,
tudo o que importa é que você está
de volta. Amanhã vamos convocar
uma reunião da matilha e
apresentá-lo como o alfa-mate. É
exatamente para isso que você está
trabalhando, certo? "
Eu não pude evitar que o bufo
escapasse; Torin não perdeu, sua
expressão escurecendo. Mas o que
ele esperava? A última coisa que eu
sempre quis era ser sua
companheira. Eu queria dar o fora
desse bando assim que pudesse,
então esse era um pouco como meu
pior pesadelo.
Manter a paz. Manter a paz.
Só mais algumas horas.
J Axson teve que decolar depois
disso para os deveres da matilha,
me deixando sozinha com Torin.
Agora que seu amigo se foi, o alfa
perdeu um pouco de sua
arrogância, seu rosto inseguro
quando perguntou: "Você talvez ...
gostaria de dar uma caminhada?"
Minha loba inclinou a cabeça,
seu interesse ali. O meu era
inexistente, mas eu estava jogando
o jogo longo agora, então não podia
vacilar.
"Certo. Isso seria legal."
Como conseguir uma cera
brasileira. Enquanto devorado.
Ele não me tocou enquanto
caminhávamos, mas ele estava mais
perto do que eu queria,
especialmente quando uma
pequena parte de mim apreciava o
zumbido do vínculo de
companheira entre nós. "Você ficou
surpreso?" ele perguntou, e isso me
chocou o suficiente para que eu
parasse de andar.
"Sobre o que?"
Minha mente estava
constantemente girando entre ele,
Jaxson e Shadow, e eu não tinha
ideia do que ele estava
perguntando especificamente.
"Que eu era seu verdadeiro
companheiro?"
Oh. Eu me forcei a me mover
novamente e ele me alcançou. "Eu
pensei que seria Jaxson," eu
finalmente admiti, sendo honesta
com ele, provavelmente pela
primeira vez desde que tentei
rasgar sua garganta. “Sempre
tivemos um vínculo mais profundo
do que o normal. Quero dizer,
depois do meu pai, essa conexão foi
uma merda, mas antes disso ... ele
era meu cara. E eu honestamente
pensei que se fosse alguém aqui,
seria Jax. ”
A risada de Torin foi
estrangulada. “Sim, a grande briga
que tivemos depois que você saiu
indicava que ele tinha o mesmo
sentimento. Você foi quase o ponto
de ruptura em nossa vida de
amizade. Novamente."
“Você ainda o fez seu beta,” eu
disse com um encolher de ombros.
Torin assentiu. “Jaxson é o
melhor shifter de merda que eu já
conheci. Ele merece ser alfa e é
definitivamente o melhor homem
para você, mas o destino
obviamente decidiu que não iria
acontecer desta vez, então cabe a
mim ser ... ”Ele hesitou. "O que
você merece. Você e Torma. ”
Consegui disfarçar minha
descrença com uma tosse.
Torin não perdeu, porém, e
surpreendentemente, ele abaixou a
cabeça e sorriu. “Sim, eu posso não
ter começado muito bem nisso, mas
eu honestamente não esperava que
você lutasse comigo tanto.
Estávamos resgatando você e passei
meio ano tentando elaborar meu
plano, por isso foi um pouco
anticlimático saber que você nem
mesmo queria ser resgatado. ”
Sim, acho que da perspectiva
deles, posso ter agido um pouco
fora do personagem. Talvez eles
simplesmente nunca tenham
conhecido a verdadeira
profundidade do meu ódio por eles.
Como eles poderiam ter pensado de
outra forma após o tratamento do
bando comigo, eu nunca saberia,
mas eles eram caras idiotas, afinal.
“Você disse antes que eu quase
terminei sua amizade com Jaxson
novamente. Por que de novo?"
Nunca os vi brigar e não pude
esmagar minha curiosidade sobre o
que isso significava.
Pela primeira vez desde que
começamos este tête-à-tête, Torin
parecia cauteloso, mas para seu
crédito, ele não tentou mentir para
mim. “Quando seu pai atacou o
meu pela primeira vez” - seus olhos
doeram com a menção de seu pai
executado - “Eu avisei Jaxson que
ele tinha que deixar você ir. Ele
recusou, mas sua vida inteira estava
em jogo. Estava claro que sua
posição neste bando se foi, e se ele
quisesse ser beta, ele não poderia
perder o respeito como os
Callahans. Ele não tinha outra
escolha. ”
Minha cabeça estava girando, e
havia uma dor estranha no meu
peito, como uma indigestão. “Eu
não sabia disso. Ele lutou para ficar
amigo de mim? "
Torin assentiu. "Sim. Não
conversamos por um mês e, em
quase todas as oportunidades, ele
tentava me dar um soco na porra da
luz.
Eu estava vivendo em um
mundo de dor, tristeza e medo
naquela época, então tudo era
muito obscuro, mas eu meio que me
lembrei de Jaxson ainda estar por
perto por um curto período de
tempo após a morte de meu pai.
“Por que ele desistiu de sua
missão de ficar comigo?”
O rosto de Torin estava rígido e
inflexível, o alfa nele brilhando
claro como a porra do dia. “O pai
dele e o meu se reuniram e
ensinaram a Jaxson algumas lições
de vida. Ele quase não sobreviveu, e
se não fosse pela minha
intervenção, eles poderiam tê-lo
matado. Eles ainda conseguiram
quebrar algo em meu amigo
naquele dia, e eu não vi isso
novamente até recentemente. Sua
força e vontade voltaram com
vingança, e eu duvido que haja algo
neste mundo que possa separá-lo de
você agora. "
Eu suguei um soluço ... De jeito
nenhum eu choraria na frente de
Torin. Mas esta pequena história,
uma que era quase inacreditável e
ainda explicava tanto, era como
uma adaga totalmente nova em
meu peito.
“Que teias emaranhadas nós
tecemos,” eu murmurei. "Eu não
tinha ideia de que Jaxson passou
por tanto para tentar me salvar."
Não negou a merda que ele me fez
passar, mas me ajudou a entender, e
isso me ajudou de alguma forma a
perdoá-lo.
Torin riu e, no mesmo instante,
inclinou-se para frente e envolveu
meus antebraços com as mãos, me
fazendo parar enquanto me forçava
a encará-lo. “Ele não vai deixar você
ir facilmente. E aqui está a minha
proposta ... Vou lutar lado a lado
com ele para conquistá-lo, e você
pode decidir quem é o melhor
amigo para você. Eu ouvi você
antes sobre as escolhas que estão
sendo feitas para você, e acho que
tenho o suficiente a oferecer para
me arriscar competindo com Jax
com prazer.
Meus olhos estavam tão
arregalados agora que eu estava
genuinamente preocupado com
meus olhos caindo da porra da
minha cabeça. Eu nunca tinha visto
Torin assim - tão aberto e
vulnerável. Usando suas emoções
em seu rosto.
Minha descrença deve ter
brilhado como um holofote.
“Eu sei que fiz muito pouco
para te convencer disso, mas mudei
no ano passado,” ele disse
suavemente. “Acertou minhas
prioridades. Enfrentei algumas
duras verdades das quais fui
protegido na minha juventude. Eu
não sou o mesmo shifter ou homem
que você conheceu, Mera. Estou
muito mais perto de ser digno de
você. Apenas me dê uma chance de
provar isso. ”
Meu lobo uivou, e ela queria
arriscar porque este era nosso
verdadeiro companheiro. Aquele
que completaria nossas almas de
uma forma que nenhum outro
jamais poderia. Mas eu não
confiava neste novo Torin, não
importa o que ele estivesse dizendo.
Ainda havia tanto não dito, tantos
segredos, e eu não tinha ideia do
que tinha acontecido com Dannie.
Sem mencionar que parte de
mim ainda estava esperando que
Shadow fizesse sua aparição. Talvez
estupidamente, mas era o que era.
Engolindo minhas emoções
mais suaves, me afastei do alfa. “Vai
demorar muito mais do que
palavras perfeitas, Torin,” eu disse
brevemente, minha voz tremendo
apesar da minha resolução de não
ser afetada. "Eu também não sou o
mesmo shifter de um ano atrás, e
agora, você vai ter um trabalho
incrível para provar o seu valor."
Ele sorriu, e pela primeira vez,
não era um sorriso malicioso.
“Desafio aceito, querida. Você será
cortejado como nunca foi antes. "
Meu coração disparou de novo,
mas fechei aquela vadia. Tínhamos
uma missão e eu não seria
dissuadido dela, não importa o que
acontecesse. Torin pode ter virado
uma nova página, mas eu tinha
minhas dúvidas. Um lobo
realmente mudou sua pele? Eu
ficaria por aqui tempo suficiente
para descobrir?
MA tarde com Torin foi
esclarecedora e, honestamente, se
não houvesse muitos anos de
história fodida entre nós, eu teria
ficado encantado como o inferno
com o alfa de Torma. Ele parecia
diferente: maduro, calmo e
intuitivo. Ele cresceu muito desde
que a morte de seu pai o empurrou
para a posição de alfa, mas eu
aparentemente não era um tipo de
garota que perdoava, porque minha
raiva ardente ainda era uma piscina
sem fim que ele mal havia afetado.
Mas eu não odiei
completamente o dia.
Torin ficou comigo até o final
do jantar antes de se desculpar,
dizendo que tinha negócios da
matilha para resolver. Eu apenas
sorri e balancei a cabeça, sem me
preocupar em segurá-lo. Este foi
um ótimo sinal. Isso significava que
a reunião estava encerrada e eu só
tinha que esperar pela mensagem
de Simone. Ela havia enviado um
antes com “on it” e um emoji como
conteúdo. Sem dúvida, sendo vago
no caso de algum dos nossos
telefones cair nas mãos erradas.
Torin me deixou na casa de
embalagem, que esteve vazia
durante a maior parte do dia, mas
agora estava cheia de executores,
que sem dúvida estavam aqui para
me acompanhar. Esse novo
desenvolvimento tornaria um
pouco mais difícil escapar, mas eu
tinha muita experiência entrando e
saindo desse lugar, e conhecia
algumas saídas das quais tinha
quase certeza de que nenhum
desses idiotas estaria ciente. Ficaria
bem, contanto que Simone me
enviasse a localização o mais rápido
possível.
Poucos minutos antes das 20h,
meu telefone zumbiu no bolso. Eu
não estava sozinho, então nem
reagi. Em vez disso, passei outros
cinco minutos conversando com
todos que me cumprimentaram
como se eu fosse um membro
valioso desse bando há muito
perdido. Não o que todos eles
tentaram quebrar em um ponto ou
outro.
Felizmente, eu era um
excelente ator porque nada do meu
ódio por eles apareceu.
Com um telefone queimando
no bolso, finalmente bocejei para ir
para a cama. Quando eu disse que
queria ir ao quarto de Torin, recebi
sorrisos de satisfação de alguns de
seus bajuladores. É fácil ver quem
estava no Team Torin. Infelizmente
para ele, eu estava no Team Mera e
faria o que diabos fosse melhor para
mim. Precisam amar a si mesmas
primeiro, senhoras.
Três shifters me escoltaram até
seu quarto, e eu notei que quase
todos eles eram homens. Não era
assim que normalmente funcionava
- as mulheres eram tão duras
quanto os homens e muitas vezes
tinham posições na segurança, mas
Torin estava claramente agitando o
pau durante seu reinado.
Provavelmente algo em que
Sisily havia insistido. Exceto ... ela
estava desaparecida, assim como
Dannie. Alguma merda séria tinha
acontecido na minha ausência, e eu
teria que trabalhar horas extras para
acompanhar todas as notícias.
Assim que eu estava seguro no
quarto de Torin, arranquei o
telefone para encontrar quatro
palavras de Simone. Escola. Teatro.
Quinze minutos. Certo, bem, isso
iria levar pelo menos quinze
minutos para correr para a forma
humana, mas se eu fosse como um
lobo, chegaria lá na metade do
tempo.
Quando comecei a planejar,
enviei uma mensagem de texto
para Simone. Esteja aí em dez
minutos. Distração primeiro.
Sua resposta foi instantânea.
Distração próxima.
Eu pausei. Bem, isso tornaria as
coisas ainda mais fáceis se eu não
tivesse que descobrir as duas etapas
do meu plano. Simone tinha mais
do que alguns pequenos truques em
seu pelo, então eu a deixei tomar a
injeção primeiro.
Para me preparar, procurei no
quarto de Torin, encontrando uma
pequena mochila que usava para
guardar um conjunto de roupas,
certificando-me de que estava bem
fechada - os lobos lutavam com
zíperes. No momento em que eu
estava preparado, Simone passou
por uma distração, os alarmes de
perímetro berrando à distância. Eu
sabia como os executores
funcionavam, entretanto, então
primeiro me arrastei para a cama,
completamente vestida enquanto
fingia estar meio adormecida. A
porta se abriu e eu me endireitei,
piscando enquanto esfregava meus
olhos contra a luz. "O que está
acontecendo?" Eu chorei, agarrando
os lençóis contra o peito, como uma
donzela em perigo.
Os dois caras olharam ao redor,
seguindo o protocolo para manter a
segurança da sala. "Fique aqui,
companheiro alfa", disse um
homem negro alto com um rosto
sério. Eu não o conhecia
pessoalmente e me perguntei se ele
era um novo membro do bando.
Não que eu realmente me
importasse.
Ele era claramente bom em seu
trabalho, no entanto. Rápido e
eficiente, mas como eu não tinha
dado a ele nenhum motivo para
desconfiar de mim, ele não o fez.
"Posso ajudar?" Eu perguntei
quando eles se viraram.
Alguém me entregou a porra
do Oscar de Melhor Atriz do
Pacote.
Ambos balançaram a cabeça.
"Não por favor. É nosso trabalho
mantê-lo seguro. Provavelmente
eram apenas animais acionando os
alarmes. ”
Sim talvez. Animais enviados
aqui pelo meu melhor amigo mal-
humorado. Ela era uma maldita
guardiã, assim como Angel estava
provando ser também. Duas amigas
ferozes, destemidas e durões. Isso
quase compensou eu ser a
verdadeira companheira de Torin.
Eu balancei a cabeça, forçando
um sorriso. "OK. Bem, por favor,
mantenha-me atualizado. ”
Eles me saudaram ao saírem e,
quando a porta se fechou, tirei a
personalidade da garota legal,
rolando para fora da cama. A
mochila foi colocada onde meu lobo
pudesse agarrá-la facilmente, a
porta da frente se abriu com apenas
um toque, e então chamei a energia
da minha besta para a superfície,
esperando que meu turno ficasse
em silêncio contra o caos lá fora.
A remodelação dos ossos nunca
seria agradável, mas quanto mais a
magia se infundia em minha alma,
demorava apenas um pontinho no
tempo, e então eu era um lobo.
Nesta forma, tínhamos o foco do
laser, pegando a pequena bolsa em
nossa boca e saindo pela porta. O
corredor estava vazio, como eu
esperava. O alfa e sua família
estavam sempre no lado mais
expansivo da propriedade,
deixando a entrada do outro lado
para ser guardada por seus asseclas.
Mais uma vez, a covardia deles
iria custar caro enquanto eu
escapava como um ladrão no meio
da noite. Esta velha casa estava
cheia de entradas secretas,
pequenos armários que levavam a
becos e um ralo de lavanderia que
eu usei mais de uma vez para
escapar de idiotas me perseguindo.
Minha estatura menor tanto na
forma humana quanto na de lobo
me fez bem algumas vezes.
Ninguém cruzou meu caminho
quando cheguei à lavanderia
raramente usada. Claro, quando eu
empurrei a porta, ela estava
firmemente fechada, e com tanta
força quanto meu lobo tinha,
polegares e a habilidade de abrir
portas não faziam parte deles.
Porra. Isso exigiria que eu
voltasse, e depois voltasse, mas três
mudanças em tão pouco tempo me
exauririam a ponto de ser
praticamente inútil se uma luta
estourasse.
Perdi alguns minutos preciosos
contemplando outras opções,
apenas para ouvir shifters
retornando para este lado do
edifício. A distração acabou e logo,
eu estaria presa. O que me deixou
sem outra opção. Meu lobo,
entendendo o plano, não lutou
contra a mudança, permitindo-me
deslizar de volta para nossa pele
humana. Abri a porta em um flash,
correndo para dentro e fechando-a
com firmeza novamente.
Respirando fundo enquanto
procurava a energia para mudar
novamente, eu apenas deixei de
lado todo o controle e esperava que
meu lobo respondesse, fazendo
pelo menos metade do trabalho
para mim. Ela não me decepcionou,
e quando o turno bateu novamente,
a dor foi pior, mas acabou tão
rápido. Tive de ofegar no chão por
mais ou menos um minuto para me
recuperar, mas havia força em
nosso corpo quando empurramos
para cima, pegamos a bolsa e
rumamos para a parede com a
saída. Era um daqueles chutes de
metal da velha escola, áspero em
alguns lugares, mas eu o usei o
suficiente para saber os pontos a
evitar.
Quando o ar fresco bateu,
ainda mais energia voltou, e me
movi rapidamente em direção ao
riacho. A água era minha escolha
para cobrir meu cheiro e rastros, e
depois de alguns quilômetros ao
longo da margem do riacho, eu
acabaria em uma estrada principal,
pronto para ir direto para a escola.
Porra, eu adorava quando um
plano acontecia.
T A escola estava envolta em trevas.
Nenhum sinal de vida do lado de
fora. Mas meus sentidos estavam
mais fortes do que isso, e quando
encontrei o teatro principal vazio,
cheirei aqueles bastardos,
encontrando-os em um subsolo do
prédio. Esta era a sala onde os
adereços, fantasias e iluminação
eram mantidos.
Os shifters não gostavam muito
de atuação ou de peças escolares,
mas sempre tinham uma produção
por ano. Depois disso, tudo foi
prontamente descartado para esta
sala.
E espalhados entre eles agora
estavam os escalões superiores da
matilha Torma.
Arrastei-me ao longo de uma
das vigas, seguindo o cheiro de
Simone. Ela estava agachada em
uma plataforma bem acima da sala
- uma daquelas pranchas de
madeira puxadas por alavanca que
eles usavam para mover os
personagens pelo palco.
Era o ponto de vista perfeito
para observar, sem estar perto o
suficiente para que eles nos
farejassem. Eu não podia sentir o
cheiro de ninguém abaixo, nem
mesmo na forma de lobo, então eu
sabia que estaríamos seguros.
- Você chegou bem na hora -
murmurou Simone, estendendo a
mão para tirar a bolsa da minha
boca. Minha mudança de volta foi
difícil. Em primeiro lugar, porque
meu lobo não queria se soltar
quando estávamos em uma sala de
inimigos, em segundo lugar, porque
minha energia estava muito
esgotada e, em terceiro lugar,
porque tivemos que fazer isso em
silêncio quase completo.
Simone olhou preocupada
enquanto eu bufava no chão. “Tive
que mudar duas vezes.” Eu gemi
baixinho, me empurrando para
cima. Ela me lançou um olhar
simpático enquanto me ajudava a
tirar as roupas e puxá-las sobre
meus membros trêmulos. Apenas
um moletom grande demais para
mim, mas me sentia melhor quando
estava coberto.
Não havia mais tempo para eu
me recuperar, porque os shifters lá
embaixo estavam começando. Torin
deu um passo para o lado para
deixar que Dean Heathcliffe ficasse
com a palavra, e esse filho da puta
tinha algumas merdas interessantes
a dizer.
“A pólvora obtida do
explorador provou ser frutífera”,
ele começou, e houve vivas
ressoando por toda a sala enquanto
aqueles desgraçados comemoravam
sua vitória. "Um sacrifício de
virgem e a magia de uma prostituta
das sombras significava que
poderíamos interromper a energia
de seu pequeno portal mágico, e
agora eles estão impedidos de
retornar."
Mais vivas.
Torin e Jaxson permaneceram
em silêncio, porém, os braços
cruzados enquanto ficavam lado a
lado. Eu me peguei tentando ler
cada expressão de minuto em seus
rostos, qualquer coisa que pudesse
indicar se eles fizeram parte de ...
ou talvez até mesmo instigaram
esse plano. Mas suas expressões
eram impassíveis.
Um shifter ergueu a mão antes
de gritar uma pergunta. “Isso vai
enfraquecer a besta? Ele ainda será
capaz de nos punir? ”
Dean sorriu, parecendo
maníaco enquanto olhava ao redor
da sala. "De acordo com o
andarilho, pouco antes de
destruirmos o corpo dela para o
feitiço, é exatamente o que
significa."
Meu suspiro - e o de Simone -
foi escondido por risos estridentes e
excitação, mas não ouvi mais nada
do que foi dito enquanto meu corpo
aquecia como se eu tivesse acabado
de pular em uma panela de água
fervente. "Mera!" Simone chorou,
mas foi um sussurro insignificante
contra a fúria crescente dentro de
mim.
Minha visão começou a dobrar
enquanto o fogo corria pelo meu
corpo, como se eu estivesse
canalizando o poder de Shadow. Eu
senti sua presença no momento em
que Dean soltou uma risada rouca.
“E nós nunca teríamos sido capazes
de matar aquela vadia das sombras
errantes se não fosse pela própria
Besta das Sombras. Ele lançou a
base para construir sua própria
destruição. ”
Todos eles riram de novo, mas
meu mundo caiu sob mim quando
um uivo sobrenatural ecoou pela
sala.
Shadow os ajudou a matá-la?
Shadow mentiu para mim e me
traiu para seus próprios meios,
apenas quando eu comecei a confiar
nele.
Shadow, que eu senti que
estava aqui agora porque eu estendi
a mão para tocar o Reino das
Sombras novamente.
Não houve tempo para
contemplar isso, entretanto, porque
os shifters abaixo ficaram em
silêncio enquanto sentiam o cheiro
da destruição marchando em
direção a eles. Outro rugido cortou
a noite e fez os lobos ficarem de
joelhos. O som era lindo em seu
terror, e enquanto a luz deslizava
para fora da sala, sombras
rastejando pela sala, o ar pesado e
denso, eu deixei um sorriso amargo
cruzar meu rosto.
O diabo finalmente chegou. E
ele não estava sozinho.
Com o fogo de um milhão de
anjos vingadores cavalgando em
minha pele, as chamas dançando
bem acima do meu corpo, eu pisei
fora da borda da plataforma. Os
gritos de Simone ecoaram em meus
ouvidos enquanto eu caía.
Foi como pular de uma
pequena pedra enquanto eu
graciosamente batia no chão,
endireitando-me para ficar cara a
cara com o diabo. Usávamos
chamas gêmeas, e sua expressão era
um portal oco de morte. Quando
nossos olhos se encontraram, deixei
um sorriso lento cruzar meu rosto.
Ao lado de Shadow, Lucien
pigarreou, mas parecia inseguro
para falar. Reece também.
Porque eles viram a verdade do
que estava acontecendo aqui. Havia
um novo terror esperando nas asas
por Shadow. Um terror que ele
nunca viu chegando.
Eu.

ENCONTRAR para saber o que


acontece a seguir, não se esqueça de
pré-encomendar o Reclaimed aqui:
http://smarturl.it/ShadowBeast2
(para lançar em 1º de fevereiro de
2021 ou antes).
PERMANEÇA
CONECTADO
A melhor maneira de se manter
atualizado com o mundo Shadow
Beast Shifters e todos os novos
lançamentos é juntar-se ao meu
grupo no Facebook aqui:
www.facebook / groups /
jayminevenerdherd
Compartilhamos muitos
lançamentos de livros, postagens
divertidas, caras sensuais e,
geralmente, é um lugar feliz de
existir.
O próximo melhor lugar é meu
boletim informativo em
www.jaymineve.com e
www.facebook.com/JayminEve.

E, por último, se você está


procurando caras mais deliciosos do
tipo demônio e garotas estudiosas,
este é o grupo para você:
facebook.com/groups/bookbabe
Muitos autores incríveis para
ler!
POSFÁCIO
Ahhhhhhhh !! Ok, então, eu
realmente espero que você não
jogue seu kindle no final, porque
sim, ele parou com um pouco de
penhasco. Mas o pensamento por
trás disso era ... publique o livro 2
rapidamente para que todos não me
localizem e me matem. Hah!
Então, por enquanto: não me
odeie. Não jogue seu kindle. Não
convoque Lúcifer em uma tentativa
de me destruir ... ou, quero dizer,
isso soa bem.
Na verdade, espero que você
tenha gostado dessa história com
um pouco de escuridão e muita
intriga. Tudo começou com uma
única imagem. Um demônio
segurando uma mulher. Era difícil
dizer a intenção com certeza, mas
eu vi possessividade e seres
sombrios e o tipo de romance épico
que poderia destruir mundos.
E embora sejamos apenas um
livro na trilogia, estou muito
apaixonada pelos meus
personagens. Eu só quero me
aquecer em seu fogo e assistir isso
se desenrolar.
De qualquer forma, obrigado
pela leitura, agradeço muito a todos
vocês, e quando o demônio
aparecer, é só mandá-lo na minha
direção. Vou levar um para o time.
TAMBÉM POR JAYMIN EVE
JAYMIN EVE
Shadow Beast Shifters (Urban
Fantasy / PNR)
Livro Um: Rejeitado
Livro dois: Recuperado (meados de
janeiro / início de fevereiro de
2021)
Livro três: Renascer (1º de março de
2021)

Royals of Arbon Academy (escuro,


romance contemporâneo completo)
Livro Um: Cédula de princesa
Livro dois: Príncipes da Playboy
Livro três: Trono Venenoso

A saga do Titã (PNR / UF. Sexy e


bem-humorada)
Livro Um: Liberando os Deuses
Livro dois: Ira dos deuses
Livro três: Vingança dos deuses

Supernatural Academy (Complete


Urban Fantasy / PNR)
Ano um
Ano dois
Terceiro ano
Dark Legacy (romance de colégio
contemporâneo escuro completo)
Livro Um: Asas quebradas
Livro dois: Confiança quebrada
Livro Três: Legado Quebrado

Série Secret Keepers (PNR


Completo / Fantasia Urbana)
Livro Um: House of Darken
Livro dois: Casa do imperial
Livro três: House of Leights
Livro Quatro: House of Royale
Storm Princess Saga (Complete
High Fantasy)
Livro Um: A princesa deve morrer
Livro dois: A princesa deve atacar
Livro três: A princesa deve reinar

Série Curse of the Gods (Complete


Reverse Harem Fantasy)
Livro Um: Trapaça
Livro dois: persuasão
Livro três: sedução
Livro Quatro: Força
Novela: neutra
Livro Cinco: Dor
NYC Mecca Series (completo -
série UF)
Livro Um: Rainha Herdeira
Livro Dois: Queen Alpha
Livro Três: Rainha Fae
Livro Quatro: Rainha Meca

A Walker Saga (Completo - YA


Fantasy)
Livro Um: Primeiro mundo
Livro dois: rejeição
Livro três: Crais
Livro Quatro: Regali
Livro Cinco: Nephilius
Livro seis: Dronish
Livro Sete: Terra

Supernatural Prison Trilogy (série


UF completa)
Livro Um: Dragão marcado
Livro Dois: Dragon Mystics
Livro Três: Dragon Mated
Livro Quatro: Bússola Quebrada
Livro Cinco: Bússola mágica
Livro seis: Louis
Livro Sete: Bússola Elemental
Hive Trilogy (série UF / PNR
completa)
Livro Um: Ash
Livro Dois: Anarquia
Livro Três: Aniquilar

Histórias de Sinclair (romance


contemporâneo autônomo)
Pássaro canoro

Você também pode gostar