Você está na página 1de 5

Professora Andrea Paula

SUS

NORMA OPERACIONAL DA ASSISTÊNCIA


À SAÚDE

NOAS – SUS 01/2001

Profª. Andréa Paula


Enfermeira

1 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br


Professora Andrea Paula
SUS

 FINALIDADES

A Norma Operacional da Assistência à Saúde – NOAS-SUS 01/2001 tem por finalidade:

 Ampliar as responsabilidades dos municípios na Atenção Básica;

 Definir o processo de regionalização da assistência;

 Criar mecanismos para o fortalecimento da capacidade de gestão do Sistema Único de Saúde; e

 Proceder à atualização dos critérios de habilitação de estados e municípios.

 REGIONALIZAÇÃO

Estabelecer o processo de regionalização como estratégia de hierarquização em busca da maior equidade.

Deverá existir um planejamento integrado, identificando as prioridades de intervenções, otimizando os


recursos disponíveis.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Elaboração do PDR – Plano Diretor de Regionalização

Instituir o PDR, baseado nas prioridades e necessidades da população, garantindo o acesso dos cidadãos a
todos os níveis de atenção.

No que diz respeito à assistência, o PDR deverá ser elaborado na perspectiva de garantir:

 Acesso aos cidadãos, o mais próximo possível de sua residência;

 Assistência pré-natal, parto e puerpério;

 Acompanhamento do CD infantil;

 Cobertura universal do esquema preconizado pelo Programa Nacional de Imunizações, para todas
as faixas etárias;

 Ações de promoção da saúde e prevenção de doenças;

 Tratamento das intercorrências mais comuns na infância;

2 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br


Professora Andrea Paula
SUS

 Atendimento de afecções agudas de maior incidência;

 Acompanhamento de pessoas com doenças crônicas de alta prevalência;

 Tratamento clínico e cirúrgico de casos de pequenas urgências ambulatoriais;

 Tratamento dos distúrbios mentais e psicossociais mais frequentes;

 Controle das doenças bucais mais comuns;

 Suprimento/ distribuição dos medicamentos da Farmácia Básica.

Na elaboração do PDR, um dos passos mais importantes é a definição dos conceitos-chave, a ser feita de
acordo com a realidade de cada Estado. São eles:

 Região de saúde – base territorial de planejamento da atenção à saúde dependendo do modelo de


regionalização adotado, um Estado pode se dividir em regiões e/ou microrregiões de saúde.

 Módulo assistencial – módulo com resolubilidade correspondente ao primeiro nível de assistência.


(atividades ambulatoriais, de apoio diagnóstico e terapêutico e de internação hospitalar) devendo
apresentar uma das seguintes características:

• Município-sede do módulo assistencial – apresenta a capacidade de ofertar a totalidade


dos serviços para sua população e para a população de outros municípios a ele adstritos.

• Município em Gestão Plena do Sistema Municipal – apresenta capacidade para ofertar a


totalidade dos procedimentos para a sua própria população, quando não necessitar
desempenhar o papel de referência para outros municípios.

• Município-pólo - município que apresenta papel de referência para outros municípios, em


qualquer nível de atenção.

 Microrregião de Saúde – é a unidade territorial mínima para qualificação na assistência à saúde.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

3 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br


Professora Andrea Paula
SUS

AMPLIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA

 Instituir a Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada – GPABA.

 Definiu como área de atuação mínima para habilitação:

 Controle da tuberculose.

 Eliminação da hanseníase.

 Controle da hipertensão arterial.

 Controle da diabetes mellitus.

 Saúde da criança.

 Saúde da mulher.

 Saúde bucal.

Os municípios já habilitados na NOB 01/96 estarão aptos a receber o PAB-AMPLIADO no valor fixado em
R$10,50 habitante/ano, após avaliação das Secretarias de Estado da Saúde, aprovação da CIB, e
homologado na CIT, em relação aos seguintes aspectos:

 Plano municipal de Saúde;

 Informação regular dos dados nacionais do SUS;

 Desempenho dos indicadores de avaliação do ano anterior;

 Estabelecimento do pacto de melhoria dos indicadores de atenção básica;

 Capacidade de assumir as responsabilidades mínimas como gestor.

HABILITAÇÃO DOS MUNICÍPIOS

 DO PROCESSO DE HABILITAÇÃO

 Os municípios poderão habilitar-se em duas condições:

GESTÃO PLENA DA ATENÇÃO BÁSICA AMPLIADA; e

GESTÃO PLENA DO SISTEMA MUNICIPAL.

Todos os municípios habilitados em Gestão Plena do Sistema Municipal, estarão também habilitados em
Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada.

4 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br


Professora Andrea Paula
SUS

Cabe à SES a gestão do SUS nos municípios não habilitados, enquanto for mantida a situação de não
habilitação.

 DESABILITAÇÃO DOS MUNICÍPIOS

Cabe à CIB a desabilitação dos municípios, que deverá ser homologada pela CIT.

Os municípios habilitados em Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada serão desabilitados quando:

 Descumprirem as responsabilidades assumidas na habilitação do município;

 Apresentarem situação irregular na alimentação dos Bancos de Dados Nacionais por mais de 04
(quatro) meses consecutivos;

 A cobertura vacinal for menor do que 70% do preconizado pelo PNI para as vacinas: BCG, contra a
poliomielite, contra o sarampo e DPT;

 Apresentarem produção de serviços insuficiente, de alguns procedimentos básicos estratégicos;

 Não firmarem o Pacto de Indicadores da Atenção Básica;

 Apresentarem irregularidades que comprometam a gestão municipal;

São motivos de suspensão imediata, pelo Ministério da Saúde, dos repasses financeiros transferidos
mensalmente, Fundo a Fundo, para os municípios:

 Não pagamento aos prestadores de serviços sob sua gestão, públicos ou privados, até 60 (sessenta)
dias após a apresentação da fatura pelo prestador;

 Falta de alimentação dos bancos de dados nacionais por 02 (dois) meses consecutivos ou 03 (três)
meses alternados.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
5 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br

Você também pode gostar