Você está na página 1de 7

AV2 CITOPATOLOGIA 2

A regulação do ciclo menstrual ocorre através dos hormônios sexuais feminino que são a
progesterona e o estrogênio, pelo hormônio luteinizante e folículo estimulante. De modo
que o hormônio folículo estimulante (FSH) e o hormônio luteinizante (LH) são produzidos
pela a hipófise, eles são responsáveis na estimulação dos ovários a produzir os
hormônios progesterona e o estrogênio. Além disso esses dois hormônios sexuais
feminino são responsáveis na estimulação do útero e as mamas para que estejam
preparados caso ocorra a fecundação.
A)
 Homônimo luteinizante (LH),
 Hormônio folículo estimulante (FSH),
 Hormônio estrogênio e
 Hormônio progesterona.

Fase proliferativa Fase ovulatória Fase secretora

B) O ciclo menstrual possui três fases


 Fase proliferativa ou folicular que ocorre antes da liberação do óvulo.
 Fase ovulatória e lútea é cuando ocorre a liberação do óvulo.
 Fase secretória ocorre depois da liberação do óvulo.
A fase proliferativa e folicular, é a primeira fase do ciclo menstrual, que começa no
primeiro dia da menstruarão através do sangramento menstrual e esta fase continua até a
ovulação, ou seja, a duração dessa fase será em torno de 12 a 14 dias.
A fase folicular começa no ovário e ocorre quando o cérebro envia os sinais para ovários
ficarem preparados. Ou seja, através das glândulas hipófise e pituitária as são
responsáveis na produção dos hormônios FSH que vão informar os ovários para preparar
para a liberação de óvulo .de modo que em nessa fase é que o hormônio folículo
estimulante (FSH) vai atuar. Portanto no início dessa fase o nível de estrogênio e de
progesterona estão baixos.
Em na fase proliferativa ocorre no útero é quando ocorre o fim da menstruação até
ovulação, o útero vai construir um tecido fino do útero que é o endométrio, que ficou
descamado devido a menstruação, tornando mais espesso e grosso até ocorrer a
ovulação.
Porém a taxa destes hormônios pode variar ao longo ciclo menstrual principalmente na
metade do ciclo que ainda consiste na fase proliferativa ou estrogênica, onde ocorre um
aumento do nível do hormônio estrogênio, que irá promover o desenvolvimento folicular.
Por isso que nesse período que a concentração do hormônio do folículo estimulante terá
um leve aumento, que vai desenvolver vários folículos nos ovários, este folículo junto com
o estrogênio produzido, irão atingir o ápice na ovulação e cada folículo possui um óvulo.
De modo que, em nesta mesma fase ocorre a diminuição do hormônio folículo
estimulante, irá desenvolver somente o folículo, além disso, com o crescimento do folículo
é o que vai aumentar a produção do estrogênio, fazendo com que o endométrio se torna
mais espesso, já preparando o corpo da mulher para uma possível gestação. Além disso,
em na fase proliferativa em no útero, consistem em uma fase interlúdio durante ovulação,
bem menos da metade ciclo menstrual, a ovulação poderá se dividir em duas fases no
ciclo do ovário que é a fase folicular e fase lútea, onde o óvulo será liberado do ovário
diretamente para as trompas de falópio.
De modo que, pode ocorrer alterações hormonais principalmente que no 6° a 14° dia as
células intermediarias são substituídas pelas as superficiais associado com aumento do
estrogênio, essas substituições rirão ocorrer devido aumento da progestesterona nos dias
14° a 24°, e as células intermediaria passará a ser dominante neste período. Além disso
estao presente vários lactobacilos que irão degradar as células intermediarias.
Na fase ovulatória
É a segunda fase do ciclo menstrual, começa no ovário, onde corre a fase lútea, que dura
entre 9 a 14 dia do ciclo, durante esses dias, por isso que processo da ovulação continua
até o início da próxima menstruação, quando ocorre a ovulação o folículo que não foi
fecundado ou não tenha mais óvulo ele vai se transformar em corpo lúteo. Ou seja,
quando ocorre o crescimento do folículo dominante, o hormônio estrogênio irá aumentar a
sua produção, também irá produzir um estimulo para o pico do hormônio luteinizante (LH),
este processo que ocorre na fase ovulatória, será responsável pelo o amadurecimento do
óvulo e do rompimento do folículo, para que ocorra a ovulação. Quando ocorrer a
diminuição do hormônio folículo estimulante (FSH) e a liberação do óvulo é quando a
concentração de estrogênio diminuirá, logo a concentração do hormônio progesterona irá
aumentar. O hormônio estrogênio faz o epitélio escamoso amadurece, depois que ocorra
a ovulação, quando o folículo não foi fecundado, irá transformar em corpo lúteo que será
responsável na produção da progesterona. Ou seja, na fase lútea ocorre a redução do
FSH e do LH, quando ocorre o rompimento desse folículo, irá fechar se, logo que liberar o
óvulo e vai formar um corpo lúteo, que será produzida a progesterona. Porém, a fase
lútea, o nível da concentração de estrogênio ainda é alto, porque a progesterona e
estrogênio é responsável por espessar mais revestimento do útero, preparando para uma
possível fecundação. Ou seja, se não possui nenhuma fecundação o corpo lúteo começa
a se degradar ou desfazer entre 9 a 11 dias depois da ovulação, resultando na redução
dos níveis dos hormônios estrogênio ou estradiol (ES) e no hormônio progesterona (PG),
quando esses níveis estão baixo é fase que vai causa a menstruação.
A fase secretória
Ocorre durante o período fértil da mulher, os hormônios estrogênio e progesterona
preparam o endométrio com nutrientes tornando o útero nutrido casa haja uma
fecundação com objetivo de fixar e sustentar o embrião e é quando esta fase que
endométrio está mais espesso. Esta fase pode durar entre 11 a 16 dias de acordo com
organismo de cada mulher, além disso durante a ovulação os folículos sem ovócitos
podem se transformar em corpo lúteo, o pico da produção dos hormônios sexuais
feminino ocorre no 14° dia da fase lútea. Ou seja, a fase secretora é quando ocorre o
amadurecimento das células, somente até as células intermediarias, devido a redução do
nível de estrogênio
A fase secretora ocorre no útero durante a ovulação até o começo da proxima
menstruação, é quando ocorre a liberação da secreção dessubstancias químicas que irão
ajudar na gravidez ou na fixação do embrião ou até mesmo na degradação do tecido que
foi fecundado no caso do corpo lúteo, ou seja, o endométrio está preparado para auxiliar
na gravidez ou desfazendo para e menstruação. Portanto nessa fase secretora o
endométrio está secretando mensageiros químico, no qual são prostaglandinas elas são
secretadas através das células endometriais, e que podem correm mudanças em nas
células que estao próximas delas. Porém esses mensageiros químicos consistem em
duas prostaglandinas a PGF2 alfa e PGE2, causam a indução da contração do musculo
uterino provocando cólica menstrual, principalmente quando a produção dessa
prostaglandina aumento e alcançar pico, durante a segunda metade da fase do ciclo é
aonde inicia a menstruação. Portanto se ocorre a gravidez vai ocorrer a inibição da
produção da secreção da prostaglandina, essa contração não vai interferir no início da
gravidez. Porém se não ocorre a gravidez, já no terá mais a produção dos hormônios
sexuais feminino, com redução desse hormônio junto com a prostaglandina vai causar
uma contração dos vasos sanguíneos obrigando o tecido endométrio a se desfazer.
Questao 2

A representação da coleta cèrvico vaginal


Referência: Lopes, CONSOLARO, Márcia Edilaine, and MARIA-ENGLER, Silva
Stuchi (org.). Citologia Clínica Cèrvico-Vaginal – Texto e Atlas. Roca, 2012.

A) É a posição da espátula de Ayre no orifício externo do colo e a rotação de 360°.


B) É a introdução da escova vaginal no canal endocervical e movimento de rotação 360°.
C) Ocorre a raspagem do fundo na região ectocervical com a parte arredondada da
espátula de Ayre.
D) A raspagem do terço superior da parede lateral da vagina e com a parte arredondada
da espátula de Ayre.

O método da citologia, Papanicolau ou citopatologia é utilizada para detectar as


alterações das células do colo do útero, por isso que o exame pode ser chamado de
esfregaço cèrvico vaginal e colpocitologia oncótica cervical. O método Papanicolau é um
exame essencial na detecção de lesões precoce e possui a capacidade deliberar um
diagnóstico no início da doença ante que mulher sinta os sintomas. Porém o exame
Papanicolau não é feito somente para detectar o câncer de colo de útero, também para
detectar lesões pre cancerosas, de modo que o médico encontra algumas alterações nas
células ele pode tomar medidas para identificar ou descobrir qual é a causa dessas
alterações e começar o tratamento antes que possa evoluir para um câncer colo do útero.
Portanto este exame ginecológico é um uma técnica simples, econômico e fornece
informações clinica muito importante para saúde da mulher. Além disso, o exame
citológico ocorre através de raspagens e escovados na região do colo uterino para retirar
a coleta de amostras de células e que serão fixadas em uma lâmina, em seguida deverá
ser enviada ao laboratório. Este exame possui a capacidade de detectar infecções
vaginais, doenças sexualmente transmissíveis e sinais de câncer uterino. Antes de
realizar a coleta do material cèrvico vaginal, devemos seguir algumas normas e
recomendações e orientações para obter um material adequado e seguro para análise.

Primeiramente deve de preencher formulário com todos os requisitos e dados pessoais e


clínicos da paciente solicitados, e ‘necessário as lâminas de vidro seja identificação com
lápis preto n° 2 informando as iniciais do nome da paciente, o número de registro da
mulher, a idade da paciente e o nome do município na extremidade fosca da lâmina com
lápis preto n°2, devido a fixação com etanol. Deve estar preparado o reagente para
fixação imediata do esfregaço celular, dos tubos com etanol 95%, ou fixadores em spray.
Antes de iniciar a coleta devemos orientar paciente que não esteja menstruada, não usar
ducha ou creme intravaginais nas 48 horas ante do exame, não submeter exames
ultrassonografia intravaginais por 2 dias antes do exame, evitar relações sexuais nas 48
horas antes do exames, solicitar a paciente que desvazie a bexiga, se paciente é virgem
não utilizar especulo e espátula de Ayres com escova endocervical ou Swab, averiguar se
a paciente com filhos se foi com parto natural ou não, caso seja não, usar especulo
pequeno, deve averiguar se paciente está gravida ou suspeita, para não colher o material
endocervical acomodar a lâmina já identificada na mesa de apoio para receber o material
coletado e deixar o recipiente com álcool 95% de fixador próximo a lâmina identificada.

Portanto os materiais utilizados na coleta do material cèrvico vaginal são espéculo.


vaginal, espátula de Ayres, lâmina de vidro microscópica, escova cervical, fixador celular
spray ou álcool 95 %, um recipiente especifico para transporte de laminas com material e
sem material e uma cuba de coloração.
A primeira etapa do procedimento da coleta do material cèrvico vaginal inicia com a
utilização do espéculo vaginal sem lubrificante deve ser colocado até o fundo da cavidade
vaginal para visualizar o colo do útero, com intuito de avaliar a secreções, pregueamento
e mucosa vaginal e outras alterações existente. Porém em paciente idosa possui a vagina
muito ressecada é recomendado molhar o espéculo com solução salina ou soro fisiológico
evitar desconforto devido a ressequidade.

Devemos introduzir o espectro em posição vertical com um inclinamento leve, assim que
ocorra a introdução, fazer uma rotação de 90°, ficando na posição transversa, pois com a
abertura do espéculo vai ficar na posição horizontal, no qual vai abrir lentamente com
delicadeza, para que possa visualizar o colo do útero, em casa houver excesso de muco
ou secreção remover com algodão ou gaze em uma pinça com cuidado sem esfregar,
para não interferir no material será coletado. Portanto a coleta da amostra será dupla,
porque será colhida da região ectocervical e da região endocervical (canal cervical), mas
as coletas da amostra serão separadas, ou seja, individual. Por isso ela começa primeiro
pela coleta ectocervice e logo a coleta endocervical.

A coleta da amostra na região ectocervical é realizada através de um raspado com a


espátula Ayre bem na junção escamo- colunar fazendo um movimento de rotação de 360°
e com mesma espátula será coletada a mesma amostra do fundo do saco posterior da
vagina, Ou seja, despois realizar todo o raspado da parede lateral da vagina e um terço
superior, no qual será utilizada a parte redondada da espátula de Ayre, este material
coletado deve ser estendido delicadamente em toda extensão da lâmina de maneira
uniforme e fixado imediatamente. Depois que termina a coleta da mostra ectocervical,
começa a coleta da porção endocervical realizada através da introdução da escova
cervical no orifício cervical externo e recolher o material realizando movimento de rotação
de 360° delicadamente para não ocorra uma agressão no colo do útero e trauma na
mucosa vaginal evitando sangramento durante o procedimento da coleta, ao finalizar a
coleta, deve realizar a fixação das células imediatamente. Além disso, a amostra coletada
deve ser espalhada na lâmina delicadamente para confeccionar o esfregaço finos e
uniforme, sem danificar as células, ou seja, não esmagar as células.

A técnica esfregaço deve espalhar o material ectocervical em na lâmina, deve se


estender ocupando a ½ no sentido horizontal material endocervical na parte transparente
da lâmina no sentido da direita para esquerda esfregando com espátula com suave a
pressão em uma amostra uniforme. E outra metade (½) ocupada na lâmina se estenda o
material da amostra endocervical, rolando de cima para baixo não deixando espaço livre
entre as duas amostras. E a técnica de fixação do esfregaço material deve ser
imediatamente após a coleta, para manter a característica originais das células, para posa
faser a leitura do exame com exatidão e clareza, as formas utilizadas na fixação são
realizadas com álcool 95% em tubete de boca larga depois de colocar a lâmina feche para
não ocorre alteração até chegar ao laboratório para continuar o processo da análise.
Quando termina a coleta do material do colo de útero para realizar o exame Papanicolau,
feche o espectro, retirar delicadamente, retira a luva e descarta, auxilia o paciente a
descer da mesa, explicar para a paciente que pode ocorrer um pequeno sangramento
após a coleta, e orientar que paciente venha receber o resultado do exame conforme a
rotina e data estimulada pela unidade de saúde.

Acondicionar as lâminas em caixas especificas para ser transportado para o laboratorio


com relatório de coleta e remessas preenchidas de acordo a sequencias e das
requisições solicitadas das pacientes. Além disso esse material deve estar armazenado
dentro de um frasco ou caixas específicos coberto ou submergido completamente por
liquido de conservação ou um fixador especifico na lamina, deve se ter cuidado com a
posição dos frascos deve ficar em pé, para não ocorra vazamento de liquido,
principalmente se estiver conservado com álcool.

Após que ocorre o procedimento de coleta de amostra cèrvico vaginal foram


transportados para o laboratório de citologia essas analises irão ocorrer em três fases a
pré-analítica, analítica e pós analítica. Portanto a fase pré-analítica é a fase em que
recebe o material, onde vai conferir e identificar amostra, realizar o cadastro da paciente e
processamento técnico, é fase pode haver a inconformidade, no qual pode gerar dados de
erros impedido que realizam as outras fases seguintes. Na fase analítica é quando
consiste na leitura da lâmina microscópica para a interpretação dos resultados citológicos,
revisão e diagnósticos e a fase pós analítica é a fase onde emite a conclusão da
interpretação, a digitação, conferencias e a emissão de laudos e o encaminhamento da
paciente ao consultório médico. No qual o médico vai abordar a paciente de acordo qual
foi o diagnóstico.

Você também pode gostar