Você está na página 1de 3

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE

PERNAMBUCO
CAMPUS PESQUEIRA
CURSO: TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES
DISCIPLINA: MECÂNICA DOS SOLOS

ENSAIO DE
GRANULOMETRIA
NBR-7181

11
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco
Campus Pesqueira
Curso: Técnico em Edificações
Disciplina: Mecânica dos Solos
Prof.: Mário Ribeiro

Assunto: Ensaio de Granulometria – Procedimento resumido da NBR 7181

1- Procedimento inicial
Preparar a amostra de acordo com a NBR 6457 – Preparação de amostras para ensaios de compactação e de
caracterização que inclui a secagem prévia da amostra de solo e o seu destorroamento.

O material obtido conforme a NBR 6457 deve ser passado na peneira de 2 mm de abertura (peneira número 10).
O material que é retido nessa peneira é chamado de amostra Total e do material que passa tomar a quantidade de
acordo com o ítem 1.2 abaixo, o qual é chamado de amostra parcial.

1.1- Material da amostra Total (material grosso)

-Do material retido na peneira no 10 lavar nesta própria peneira;


-O material assim obtido deve ser secado em estufa

1.2- Material da amostra parcial (material fino)


-Do material passado na peneira no 10 tomar cerca de 70 g se o solo for argiloso e cerca de 120 g se o solo for
arenoso. Anotar como Mh. Tomar, também, do material que passou, cerca de 100 g para ensaio de umidade
higroscópica, distribuído em duas cápsulas de umidade;
-Lavar na peneira no 200 (0,074 mm) o material assim obtido, vertendo-se água potável a baixa pressão;
-Secar o material, assim obtido, na estufa até constância de peso (ou 24 horas).

2- Peneiramento – Procedimento
2.1. Amostra Total
-Do material retido na peneira no 10, pesar e anotar como Mg;
-Passar este material nas peneiras 50,8 - 38-25,4 – 19,1 – 4,8 e 2,0 mm.

2.2. Amostra parcial


-Do material retido na peneira de 0,074 mm (no 200) passar nas peneiras 1,2 – 0,6 – 0,42 – 0,25 – 0,15 e 0,074
mm. Anotar com resolução de 0,01 g as massas retidas de cada peneira.

3- Cálculos

3.1 Massa Total da amostra seca

Equação 1

Onde
Ms= massa total da amostra seca;
Mt= massa da amostra seca ao ar;
Mg= massa do material seco retido na peneira de 2,0 mm (n0 10);
h = umidade higroscópica do material retido na peneira de 2,0 mm (n0 10);
2
Calcular as porcentagens de materiais referentes à amostra Total (Qg deve ser calculado para cada peneira citada no
item 2.1):

Equação 2
Onde
Qg = porcentagem de material passado em cada peneira citada no item 2.1;
Ms = massa total da amostra seca;
Mi = massa do material retido acumulado em cada peneira

Porcentagem de materiais que passam nas peneiras referidas utilizando-se a expressão:

Equação 3
Onde
Qf = porcentagem de material passado em cada peneira citada no item 2.2;
Mh = massa do material úmido submetido ao peneiramento na peneira de 2mm;
Mi = massa do material retido acumulada em cada peneira;
N = porcentagem de material que passa na peneira de 2,0 mm.

4- Resultados
O resultado deve ser apresentado graficamente, dispondo-se em abscissa os diâmetros das partículas, em escala
logarítmica. Basta relacionar o diâmetro da peneira com a porcentagem Qg ou Qf, conforme o caso. Desse
processo origina-se a curva granulométrica.

5- Obtenção dos parâmetros da curva granulométrica e discriminação das frações do solo ensaiado.
De posse da curva granulométrica, pode-se determinar o defet,(Diâmetro Efetivo, também chamado de d10), o CNU
(Coeficiente de não-uniformidade) e o CC (Coeficiente de Curvatura). Também pode-se obter as frações de argila,
silte, areia ( fina, média e grossa) e pedregulho.