Você está na página 1de 9

COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS E O FUTURO

DO TRABALHO
Prof. Esp. Nerildo Bezerra

INTRODUÇÃO

Estamos vivendo mudanças aceleradas fruto de 3 grandes momentos que


marcaram este início de século: em 2007 a chegada do primeiro smartphone,
em 2016 a afirmação da 4ª Revolução Industrial e no final de 2019 o fenômeno
Covid-19. Três momentos que, por motivos diferentes, marcaram momentos de
mudança com um pano de fundo comum: o poder da tecnologia e da
conectividade. A transformação em curso do mundo aponta para tempos
altamente desafiadores e com elevada capacidade de adaptação e flexibilidade
da parte de empresas, profissionais e seres humanos. Este material é uma
contribuição para a discussão presente sobre o futuro do trabalho e seus
impactos na sociedade e no mundo. Espero que seja de elevada utilidade para
o seu desenvolvimento e entendimento sobre o tema.

Passamos poucos dias da próxima década e parece que em muitos aspectos,


o futuro do trabalho já chegou. Quer seja nas manchetes que alardeiam a
previsão da perda de empregos, devido à automação e às outras mudanças
trazidas pela inteligência artificial (IA), machine learning e demais sistemas
autônomos, quer seja no natural temor de desemprego por grande parte da
população mundial em decorrência da crise gerada pela pandemia do Corona
Vírus. Não há dúvidas que a maneira como trabalhamos e vivemos está se
transformando. E também é verdade que, para muitos, essa evolução pode ser
bastante desagradável, e envolver vários cenários possíveis, já que forças
díspares agem e interagem para conduzir a maneira como nos comportamos
em busca de uma vida confortável, um lucro razoável e uma sociedade estável
e justa. Falamos de um tema extremamente relevante, por isso não é de se
admirar que a imprensa e especialistas de negócios tenham limitado seu foco,
considerando uma ou outra das dimensões do futuro do trabalho: automação,
demografia, o crescimento do contingente da força de trabalho ou algo do
gênero. Embora esse estreitamento do escopo seja compreensível, o resultado
é que, às vezes, perdemos de vista as conexões e interdependências em todas
essas dimensões. Na verdade, os cenários do futuro do trabalho são
sinalizados por grandes tendências paralelas, como amplas mudanças
organizacionais, GIG Economy, Algorithm Economy, desejo crescente por
privacidade ou transparência, jornada de longo prazo da mudança para
operações customer centric, destruição da indústria em linha e fortalecimento
de “superplataformas” em redes inteligentes que poderão se controlar de
maneira autônoma ao longo de toda a cadeia de valor. Diante de um cenário de
disrupções frequentes e inevitáveis, podemos ir mais além com os algoritmos.
A disrupção digital está deixando claro que empresas que se mantiverem
agarradas a modelos e estruturas rígidas correm sério risco de sobrevivência.
Vale ressaltar que essa mesma premissa serve para cada profissional. Mesmo
que não possamos prever todas as alterações que ocorrerão no futuro, temos
uma certeza razoável de que há algumas coisas que as pessoas podem fazer
para se preparar para isso. A automação promete mudar a natureza do que é
uma organização, o que a empresa faz e como o trabalho é realizado. Ao
mesmo tempo, libertará os humanos das tarefas ordinárias e permitirá um
trabalho mais complexo, gratificante e impactante. Isso também complicará as
economias, a ordem social e a capacidade de um indivíduo ganhar a vida. É o
resultado da ficção científica e, ao mesmo tempo, a busca pragmática pela
expansão das margens e melhores maneiras de criar valor.

As tecnologias inteligentes e o futuro do trabalho terão implicações de longo


alcance: algumas que podemos imaginar agora e outras que ainda não
podemos. Esta não é uma narrativa apenas para o futuro que permite que os
líderes esperem até que chegue claramente à sua porta; esta é uma dinâmica
já em andamento que vai captar velocidade e alcance substanciais e requer
atenção agora. Talvez tenhamos que enxergar o copo mais cheio desde já, e
nos prepararmos para os próximos dias. Em vez de sucumbir às previsões
apocalípticas de que "os robôs assumirão todos os empregos", devemos
desenvolver uma perspectiva mais otimista: aquela em que os humanos têm a
oportunidade de realizar trabalhos que exigem criatividade, imaginação,
inteligência emocional e social, inteligência temporal e paixão

OS IMPACTOS DA 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO FUTURO DO


TRABALHO
Até a Quarta Revolução Industrial, cada revolução industrial anterior durou
cerca de um século, mas a tecnologia se moveu rapidamente para acelerar
essa última, afetando quase todos os setores em todo o mundo, à medida que
os sistemas cyber-físicos inovadores evoluem. A seguir uma breve linha do
tempo explicativa das quatro revoluções industriais:
1760: Primeira Revolução Industrial: Transição das sociedades agrárias para
as urbanas. Iniciada na Grã-Bretanha com o motor a vapor, que possibilitou
novos processos de fabricação e a criação de fábricas.
1860: Segunda Revolução Industrial: Produção em massa em novas indústrias
e seu imenso impacto em praticamente todos os setores, como aço, petróleo e
eletricidade. A lâmpada, o telefone, automóvel e avião foram inventados
durante esta época.
1960: Terceira Revolução Industrial: Avanço das tecnologias mecânicas e
digitais - principalmente a Internet e o computador pessoal. Também conhecida
como “Revolução Digital”.

2012: Quarta Revolução Industrial: conceito introduzido por Klaus Schwab,


Presidente Executivo do Fórum Econômico Mundial. Diferentemente das três
anteriores, é definida por novas tecnologias que combinam os mundos físico,
digital e biológico. É conhecida por inovações como inteligência artificial,
impressão 3D, IoT, machine learning, computação quântica e veículos
autônomos - todos mudando a maneira como trabalhamos, vivemos e,
eventualmente, interagimos.

A Quarta Revolução Industrial concentra-se em tecnologias inteligentes e


dispositivos conectados. A convergência de tecnologias possui imensas
oportunidades, mas também apresenta uma série de desafios éticos,
econômicos e científicos. O ritmo acelerado da mudança não tem precedentes
históricos e a sociedade não pode deixar de questionar as questões
relacionadas à sustentabilidade a longo prazo. Líderes de diversos setores
estão sugerindo que os jovens desenvolvam habilidades que talvez não
considerassem quando se matricularam na escola, como comunicação e
habilidades interpessoais. Essa mudança se prestará a uma experiência
educacional mais holística. Todos os olhos estarão voltados para quatro
grandes segmentos enquanto navegam por esse complexo cenário alimentado
por tecnologia. Isso provavelmente os ajudará não apenas a sobreviver a essas
mudanças, mas a prosperar. Não há como negar que a 4ª Revolução Industrial
mudará, em algum momento, nossos papéis e responsabilidades no trabalho.
Como as revoluções industriais anteriores, a 4ªRI custará muitos empregos
para alguns e, para outros, significará novas oportunidades. É hora de
começarmos a pensar sobre o papel dos seres humanos no futuro, ou seja,
onde agregaremos valor e como podemos trabalhar junto com a automação e
outros avanços tecnológicos na 4ªRI para continuar desenvolvendo e
progredindo como sociedade. Algumas pesquisas globais indicam que, embora
algumas empresas implementem com sucesso as tecnologias da Indústria 4.0,
muitos executivos seniores permanecem menos preparados do que pensam e
apontam os principais desafios. Tais desafios incluem implicações sociais e
éticas, a importância de uma visão clara e de organizações colaborativas, as
vantagens e desvantagens de investir em tecnologia a curto prazo, e não a
longo prazo, e maneiras de solucionar a lacuna de talentos. Baseados nisso
entendemos que os negócios e as atividades do trabalho do futuro terão as
seguintes características: Baseados nisso entendemos que os negócios e as
atividades do trabalho do futuro terão as seguintes características:
• AUTOMÁ́TICO - em atividades de baixo valor agregado e que demandem
ajustes;
• DIGITAL E CONECTADO - sensores incorporados para coleta massiva de
dados e para gestão em tempo real;
• INTELIGENTE – Ações preditivas com base em análise de dados feita por
Inteligência Artificial promovendo melhoria contínua e inovação;
• FLEX́VEL - em projetos, em manufatura e em logística, para adequação
imediata das mudanças de demanda; os times aprendem mais facilmente e
ultrapassam barreiras e dificuldades para entregarem resultados superiores;

• SUSTENTÁVEL - com uso racional e responsável de seus recursos e da


energia;
• HUMANO - gente continuaŕ a ser o centro das atenções neste cenário,
treinadas e com seus talentos especiais aflorados e valorizados. O trabalho
tem significado e importância, para os indivíduos e para a sociedade como um
todo, e transcendem o meramente econômico ou financeiro. O trabalho é uma
atividade humana central, fundamental para a auto realização e coesão social.
HABILIDADES DO PROFISSIONAL DO FUTURO
É importante destacar que o mercado de trabalho do pós-pandemia ainda está
incerto para muitas carreiras profissionais.
Entretanto, para alcançar uma recolocação neste “novo normal”, especialistas
em estratégia de carreira, orientam que será necessário se qualificar não
apenas tecnicamente, mas também comportamental.
Será essencial, adquirir habilidades de valor sócio emocional, e neste artigo
vamos te contar quais são as principais habilidades do profissional do futuro,
baseadas em dados do último Fórum Econômico Mundial de 2020, o WEF.
Temas abordados sobre o futuro do trabalho no último WEF
Dentre os mais diversos temas, é elaborado um relatório chamado: The Future
of Jobs, e nesta edição foram pautas do relatório temas como:
 Mudanças no ambiente de trabalho e acordo flexíveis
 Crescimento da classe média em mercados emergentes
 Mudanças climáticas e escassez de recursos naturais
 Maior interesse do consumidor a questões éticas e de privacidade
 Longevidade e envelhecimento da população
 Aumento do poder econômico das mulheres
 Internet móvel e tecnologia em nuvem
 Crescimento no poder de computação e Big Data
 Novas fontes de energia
 Internet das coisas
 Crowdsourcing e economia de compartilhamento
 Robótica avançada e transportes autônomos
 Materiais avançados, biotecnologia e genômica

De antemão, o relatório do futuro do trabalho, da WEF de 2020, destaca


essa dificuldade, principalmente na área de tecnologia, citando:
“A capacidade das empresas globais de aproveitarem o potencial de
crescimento da nova era tecnológica é dificultada pela escassez de habilidades
profissionais”
O relatório entrevistou 291 empresas ao redor do mundo , cerca de 7,7 milhões
de funcionários.
Em suma, o relatório mostra que, 55,4% das empresas entrevistadas
afirmaram que encontram falta de habilidades comportamentais nos
profissionais em seus mercados e isso dificulta a contratação.
As 15 habilidades mais desejadas nos próximos 5 anos
Enfim, quais são as habilidades consideradas em alta aos profissionais do
futuro?
Aqui segue a lista divulgada no relatório da WEF, considerando a nova fase do
mercado de trabalho, no mundo pós-pandemia.
De acordo com o documento, estas são as competências e habilidades
interpessoais em alta para todos os profissionais até 2030.
1. Pensamento analítico e inovação
2. Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizado
3. Resolução de problemas
4. Pensamento crítico
5. Criatividade
6. Liderança
7. Uso, monitoramento e controle de tecnologias
8. Programação
9. Resiliência, tolerância ao estresse e flexibilidade
10. Raciocínio lógico
11. Inteligência emocional
12. Experiência do usuário
13. Ser orientado a servir o cliente (foco no cliente)
14. Análise e avaliação de sistemas
15. Persuasão e negociação

Um novo mercado de trabalho que vem se transformando – quais serão


as profissões do futuro (2030)?
O mercado de trabalho vai se transformando. É só pensar nos novos
profissionais que circundam nossa vida nos últimos anos e sequer existiam há
algum tempo atrás: influenciadores digitais, motorista de Uber, entregadores de
aplicativo, trader de bitcoin, enfim! São diversas formas de levar o sustento
para casa que há anos não existiam. E com a continuidade do avanço da
tecnologia da informação, é difícil de acreditar que essas mudanças não
continuem se intensificando.
Novas profissões irão surgir, mas quais serão os profissionais que vão
desaparecer para que o mercado se transforme? E quais habilidades e
competências para as profissões do futuro serão necessárias?
Alguns setores do mercado de trabalho dos Estados Unidos já estão se
preparando para a transformação no mercado de trabalho e sabe que ela vem
com dois fatores importantes: eles devem ter relação com a tecnologia da
informação e terão de ter uma relação com ecologia.
Lista com profissões do futuro para 2030
Sabendo dessa transformação, decidimos listar algumas das funções
profissionais que já são tendência e se consolidarão em 2030. Profissões do
futuro são o caminho para entender os rumos que o planeta terá de seguir e,
dessa forma, é possível ir se preparar até lá:
UX
A área de User Experience ou UX já é bem conhecida e certamente toda
empresa de tecnologia já tem um núcleo para lidar com a experiência de seus
usuários. Mas a tendência é que mais empresas no mundo da tecnologia se
consolidem e esse tipo de trabalho acabe se tornando ainda mais necessário.
Desenvolvimento de sistemas
Também com o crescimento da tecnologia da informação, é natural que os
profissionais que constroem os softwares e aplicativos que utilizamos nos
desktops e celulares todos os dias. Com cada vez mais empresas e governos
necessitando de uma grande quantidade de profissionais para desenvolver
softwares mais avançados para lidar com a grande quantidade de dados que
vamos lidar no futuro.
Analista de dados
A tecnologia da informação tem gerado um tipo de produto que vale ouro hoje
em dia: dados. E as empresas estão cada vez mais expandindo seus bancos
de dados com uma quantidade enorme de informações sobre o mundo.
Analistas de big data, investigadores de dados e todas as outras formas de
lidar com grandes quantidades de informação serão essenciais para o futuro do
trabalho.
Gestão de resíduos
Com a necessidade de um mundo mais verde e sustentável, a gestão de
resíduos se torna cada vez mais importante no mercado de trabalho. As
indústrias, condomínios residências e até as big techs irão precisar dar um fim
em seus resíduos e saber como lidar com o lixo se torna cada vez mais
essencial. Por isso, os trabalhadores que conhecem a logística dos detritos
serão profissionais com futuro garantido nas próximas décadas.
Consultoria de sustentabilidade
Com a necessidade das empresas se tornarem cada vez mais sustentáveis, os
profissionais que dominam a sustentabilidade nos processos de produção
serão cada vez mais necessários. Muitas companhias e governos não tem a
expertise suficiente para transformar sua lógica de trabalho para se tornarem
verdes, e consultores de sustentabilidade ficarão cada vez mais destacados no
mercado de trabalho nos próximos anos.
Especialistas em responsabilidade social
O mundo cada vez mais precisa de empresas com diversidade racial,
igualdade de gênero e inclusão de pessoas com deficiência e LGBTQIA+.
Profissionais que conhecem as melhores formas de criar lideranças com
diversidade das empresas se tornarão altamente necessários no futuro e
muitas empresas de grande porte já possuem núcleos de diversidade para
melhorar sua gestão de pessoas.
E provavelmente, todas as outras…
Apesar das transformações, é difícil que profissões do mundo atual sejam
realmente extintas: elas mudam de forma. Se você está longe de indústrias que
destroem o meio ambiente – como a extração de minério, petróleo, enfim -, é
provável que seu trabalho continue sendo valorizado. Jardineiros, construtores,
jornalistas, atendentes de telemarketing, bombeiros, enfim, a maior parte das
profissões vão continuar existindo; o importante é se atualizar sobre
sustentabilidade e diversidade para continuar sendo um trabalhador antenado
nas tendências que o mundo vai seguir em 2030.

CONCLUSÃO - Os desafios de amanhã

Por mais variadas que sejam as carreiras mencionadas, todas as profissões do


futuro exigirão um verdadeiro mergulho nas novidades e revoluções tecnológicas
que hoje já pautam nossa realidade. Alguns mercados, claro, ainda não existem,
mas provavelmente serão desdobrados das áreas de conhecimento aqui
reunidas – a combinação dos conhecimentos determinados em cada área,
portanto, é um dos maiores desafios para os profissionais que liderarão
o mercado de trabalho no futuro.
Referências bibliográficas
https://horadafacul.vestibulares.com.br/faculdades/as-15-habilidades-do-
profissional-do-futuro/#Voce_sabe_o_que_e_o_Forum_economico_mundial

https://www.hypeness.com.br/2021/03/profissoes-do-futuro-trabalho-em-2030-
passa-por-meio-ambiente-e-cooperacao-homem-e-maquina/#

https://www.inovaconsulting.com.br/wp-content/uploads/2020/10/2.-Report-
Futuro-do-Trabalho-2020.2030.pdf

Você também pode gostar