Você está na página 1de 5

Academico: Ane Land Paz Gomes

Curso: Farmácia
Disciplina: Políticas de Saúde
Professora: Leydnara Brasil

Atividade Complementar I: Principais Conferências plataformas e declarações


internacionais relacionadas a promoção da Saúde:
Declaração Alma-ata

Declaração de Alma-Ata: produzida em razão da realização da


Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde, em setembro
de 1978 em Alma-Ata, Cazaquistão. Composta de dez diretrizes, era dirigida à
Atenção Primária à Saúde (ou aos Cuidados de Saúde Primários) e propunha a
urgente necessidade de adoção de medidas que visassem à promoção da
saúde como prioridade mundial. É considerada a primeira declaração
internacional realmente importante a eleger a atenção primária em saúde,
como base fundamental da promoção da saúde em nível mundial.
A CARTA DE OTTAWA

A Carta de Ottawa é resultante da I Conferência Internacional sobre


Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro de 1986 e
considerada como um desdobramento dos resultados da Declaração de Alma-
Ata.

A Carta de Ottawa assim define a Promoção da Saúde: Promoção da


saúde é o nome dado ao processo de capacitação da comunidade para atuar
na melhoria de sua qualidade de vida e saúde, incluindo uma maior
participação no controle deste processo. Para atingir um estado de completo
bem-estar físico, mental e social, os indivíduos e grupos devem saber
identificar aspirações, satisfazer necessidades e modificar favoravelmente o
meio ambiente. A saúde deve ser vista como um recurso para a vida, e não
como objetivo de viver. Nesse sentido, a saúde é um conceito positivo, que
enfatiza os recursos sociais e pessoais, bem como as capacidades físicas.
Assim, a promoção da saúde não é responsabilidade exclusiva do setor saúde,
e vai para além de um estilo de vida saudável, na direção de um bem-estar
global. (BRASIL, 2002).
Segundo o mesmo documento, são as seguintes as condições e os
recursos fundamentais para a saúde:

 Paz.

 Habitação.

 Educação.

 Alimentação.

 Renda.

 Ecossistema estável.

 Recursos sustentáveis.

 Justiça social.

 Equidade.

Para que se tenha uma ideia da importância da Carta de Ottawa no atual


desenho das políticas de promoção da Saúde, dela constou um “compromisso
dos participantes” da Conferência pela busca e adoção das seguintes diretrizes
e objetivas, que hoje compõem claramente o Sistema Público de Saúde
brasileiro:

 Atuar no campo das políticas públicas saudáveis e advogar um


compromisso político claro em relação à saúde e à equidade em
todos os setores.

 Agir contra a produção de produtos prejudiciais à saúde, a


degradação dos recursos naturais, as condições ambientais e de
vida não saudáveis e a má-nutrição; e centrar sua atenção nos
novos temas da saúde pública, tais como a poluição, o trabalho
perigoso e as questões da habitação e dos assentamentos rurais.

 Atuar pela diminuição do fosso existente, quanto às condições de


saúde, entre diferentes sociedades e distintos grupos sociais,
bem como lutar contra as desigualdades em saúde produzidas
pelas regras e práticas dessa mesma sociedade.

 Reconhecer as pessoas como o principal recurso para a saúde;


apoiá-las e capacitá-las para que se mantenham saudáveis a si
próprias, às suas famílias e amigos, através de financiamentos
e/ou outras formas de apoio; e aceitar a comunidade como porta-
voz essencial em matéria de saúde, condições de vida e bem-
estar.
 Reorientar os serviços de saúde e os recursos disponíveis para a
promoção da saúde.

 Incentivar a participação e colaboração de outros setores, outras


disciplinas e, mais importante, da própria comunidade.

 Reconhecer a saúde e sua manutenção como o maior desafio e o


principal investimento social dos governos; e dedicar-se ao tema
da ecologia em geral e das diferentes maneiras de vida. A
Conferência conclama a todos os interessados juntar esforços no
compromisso por uma forte aliança em torno da saúde pública.

São, portanto, os seguintes os campos nos quais a promoção da saúde


deve agir:

 Implementação de políticas públicas saudáveis.

 Criação de ambientes saudáveis.

 Capacitação da comunidade.

 Desenvolvimento de habilidades individuais e coletivas.

 Reorientação de serviços de saúde.

As Conferências de Alma-Ata e Ottawa sucederam várias outras que


igualmente contribuíram para a consolidação da adoção de políticas de
promoção da saúde.

Adelaide

II Conferência Internacional sobre Promoção à Saúde – Declaração de


Adelaide: Políticas Públicas Saudáveis, realizada em abril de 1988.
 Teve como tema central as políticas públicas voltadas para a
saúde, reafirmando as cinco linhas de ação da Carta de Ottawa e
da Declaração de Alma-Ata.
 Enuncia que as políticas “caracterizam-se pelo interesse e
preocupação explícitos de todas as áreas das políticas públicas
em relação à saúde e à equidade e pelos compromissos com o
impacto de tais políticas sobre a saúde da população” (BRASIL,
2002).
 Identificou quatro áreas prioritárias para promover ações
imediatas em políticas públicas saudáveis: apoio à saúde da
mulher; alimentação e nutrição; tabaco e álcool; criação de
ambientes favoráveis.
Sundsval
III Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde – Declaração de
Sundsval: Ambientes Favoráveis à Saúde, realizada em Sundsvall,
Suécia, em junho de 1991.
 Criação de ambientes favoráveis à saúde.
 Evidenciação da situação de extrema pobreza e privação, em um
ambiente de risco a milhares de pessoas no planeta.
 Proposição de ação de diversos segmentos da sociedade a se
engajarem no desenvolvimento de ambientes físicos, sociais,
econômicos e políticos mais favoráveis à saúde.
Reconhecimento de que outros setores, oriundos das comunidades, dos
governos, das ONGs e organizações internacionais, têm um papel fundamental
na criação de ambientes favoráveis e de promoção da saúde.
 Ressalta que, para promover esse ambiente favorável à saúde, é
preciso englobar quatro aspectos importantes: a dimensão social;
a dimensão política; a dimensão econômica e a necessidade de
reconhecer e utilizar a capacidade e o conhecimento das
mulheres em todos os setores, inclusive o político e o econômico.
Jacarta
Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde – Declaração de
Jacarta, realizada em Jacarta, em 1997.
 É a primeira a convidar representantes do setor privado.
 Resgata e atualiza a discussão sobre o “reforço da ação
comunitária” definido na Carta de Ottawa.
 Destaca que a promoção à saúde deve ser realizada em conjunto
com a população, e que para melhorar a capacidade das
comunidades e promover a saúde, é necessário que as pessoas
tenham direito de voz e mais acesso ao processo de tomada de
decisão e às habilidades e conhecimentos essenciais para efetuar
a mudança.
México
 V Conferência Internacional de Promoção da Saúde – Declaração do
México, realizada na cidade do México, de 5 a 9 de junho de 2000.
 Reforça a importância das ações de promoção à saúde nos
programas e políticas governamentais, no nível local, regional,
nacional e internacional.
 Confirma o valor das ações intersetoriais para assegurar a
implementação das ações de promoção e ampliar as parcerias na
área da saúde.

Bangkok
VI Conferência Mundial de Promoção à Saúde – Carta de
Bangkok, realizada na cidade de Bangkok, Tailândia, em agosto
de 2005.
 Reforça as mudanças no contexto da saúde global, incluindo o
crescimento das doenças transmissíveis e crônicas, no qual
incluem as doenças cardíacas, câncer e diabetes.
 Levanta a necessidade de nomear e controlar os efeitos da
globalização na saúde como o aumento das iniquidades, a rápida
urbanização e a degradação do meio ambiente.
 Procura dar uma nova direção para a promoção à saúde,
buscando alcançar saúde para todos através de quatro
compromissos: desenvolvimento da agenda global,
responsabilidade de todos os governos, meta principal da
comunidade e da sociedade civil, necessidade para boa
administração prática.

Bibliografia
Políticas de Saúde. / Ângela Cristina Puzzi Fernandes, Giseli
Panigassi. 2. ed. São Paulo: Editora Sol, 2020.

Você também pode gostar