Você está na página 1de 3

07/03/22, 14:50 Semiologia da Febre – MedSimples

Semiologia da Febre
Escrito por Gustavo Martin
16 de janeiro de 2013

Introdução
Significa temperatura corporal acima da faixa da normalidade. Causada por distúrbios no próprio cérebro ou por substâncias tóxicas que
influenciam os centros termorreguladores. A regulação da temperatura requer um equilíbrio entre produção e perda de calor; na febre, este ponto
está elevado, sendo que a produção de calor não é inibida, mas a dissipação do calor é ampliada. A febre aumenta a velocidade de todos os
processos metabólicos. SÍNDROME FEBRIL: a febre não é um sinal, e sim faz parte de uma síndrome, que inclui outros sintomas e sinais, como:
astenia, inapetência, cefaleia, taquicardia, taquipnéia, oligúria, dor no corpo, calafrios, sudorese, náuseas, vômitos, delírio, confusão mental e até
convulsões.

Mecanismo
Pirógenos exógenos levam a liberação de pirógenos endógenos (IL-1, IL-6, FNT, alfa1 interferon, e IL-2). Estes passam para o sistema nervoso
central, estimulando a liberação de ácido araquidônico e a síntese de prostaglandinas, que irão atuar no hipotálamo, desencadeando a reação
febril.

Semiologia da Febre
1. Início – súbito ou gradual. No primeiro caso, se a febre acompanhar outros sinais, fazendo parte da síndrome febril, sendo comum, também, a

sensação de calafrio.

2. Intensidade – com referencia à temperatura axilar, temos: febre leve ou febrícula (até 37,5oC), febre moderada (de 37,5 a 38,5oC), e febre alta ou
elevada (acima de 38,5oC)

3. Duração – tem-se procurado dividir entre febre de origem indeterminada e febre prolongada, porém não chegou-se a um consenso quanto ao
tempo mínimo de duração para fazer tal distinção. Doenças que causam febre prolongada (acima de 14 dias, mais ou menos): tuberculose,
malária, septicemia, endocardite infecciosa, linfomas, pielonefrite, febre tifoide.

4. Evolução – dependendo da análise do quadro térmico, pode ser:

Febre Contínua –permanece sempre acima do normal com variações de até 1oC e sem grandes oscilações(febre tifoide, tuberculose e pneumonia)
Febre Irregular ou Séptica – picos muitos altos intercalados por temperaturas baixas. Não há caráter cíclico.

https://medsimples.com/semiologia-da-febre/ 1/3
07/03/22, 14:50 Semiologia da Febre – MedSimples
Febre Remitente – hipertermia diária, com variações de mais de 1oC e sem períodos de apirexia (septicemia, pneumonia, tuberculose)
Febre Intermitente – ciclicamente interrompida por um período de temperatura normal.
Febre Recorrente ou Ondulante – período de temperatura normal que dura dias ou semanas até que seja interrompido por períodos de temperatura elevada (brucelose, Hodgkin e outros linfomas).

Término
pode ser conceituado em crise ou lise. No primeiro, a febre desaparece subitamente; no segundo, a hipertermia vai desaparecendo gradualmente.

Causas de Febre
Existem três causas: (1) por aumento da produção de calor, como no hipertireoidismo; (2) por bloqueio da perda de calor, como na ICC e na
ausência de glândulas sudoríparas; e (3) por lesão em tecidos.

Febre e Doenças
1. Doenças do Sistema Nervoso – quase sempre há febre depois de lesão cerebral. AVC (febre leve a moderada à 37,5oC a 38,5oC); Hipertermia

Neurogênica (pode ser grave); e Lesão Medular ( lesões inferiores causam diminuição da temperatura corporal, lesões superiores apresentam febre

elevada).

2. Neoplasias Malignas – quase sempre causam febre. No carcinoma broncogênico pode ser resultado de infecção associada; no hipernefroma do

fígado, a febre é prolongada; nos linfomas, a febre é constante; e na leucemia aguda, também é constante.

3. Doenças Infeciosas e Parasitárias – infecções viróticas, bacterianas e por protozoários e nos processos inflamatórios de fundo imunoalérgico.

4. Medicamentosa – ansiolíticos, diuréticos e anticonvulsivos podem gerar febre baixa ou alta.

5. Origem Indeterminada – apresentam temperatura corporal superior à 38,3oC por um período de, pelo menos, 14 dias. Pode ter padrão diverso e ser

causado por infecções, neoplasias ou doenças hematológicas.

6. Hipertermia Maligna – síndrome hipermetabólica de causa desconhecida deflagrada em indivíduos suscetíveis por anestésicos gerais, relaxantes

musculares e pelo estresse

Hipotermia
Associada a condições que diminuem a produção de calor ou aumentam a sua perda e corresponde a diminuição da temperatura corporal abaixo
de 35,5oC na região axilar. Pode ser leve (32 a 35oC), moderada (30 a 32oC) ou grave (abaixo de 30oC)

←Semiologia da Dor Semiologia do Aparelho Urinário →

Comentários em Semiologia da Febre


JEAN PIERRE disse:
22 de maio de 2014 às 8:27

GOSTEI MUITO, TINHA DÚVIDAS SOBRE A FEBRE REMITENTE, AGORA NÃO TENHO MAIS.

RESPONDER
Tiyoko disse:
5 de maio de 2015 às 10:37

Muito legal! Estudo Medicina na FURG, super legal o conteúdo!

https://medsimples.com/semiologia-da-febre/ 2/3
07/03/22, 14:50 Semiologia da Febre – MedSimples

RESPONDER

Deixar um Comentário
O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Digite seu comentário aqui...

Nome *

E-mail *

Site

Salvar meus dados neste navegador para a próxima vez que eu comentar.

PUBLICAR COMENTÁRIO
© 2022 MedSimples | Todos os direitos reservados.

https://medsimples.com/semiologia-da-febre/ 3/3

Você também pode gostar