Você está na página 1de 24

GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1

PRODUZINDO UM FOLHETO PRESCRITIVO

Discussão oral

Página 3
1. Esse exercício indica uma retomada das características da tipologia injuntiva. Nesse
momento, o professor deve observar o que foi assimilado do 1º bimestre.
2. Os alunos devem anotar suas conclusões, organizando as características.
3. Essa atividade pressupõe que os exercícios de sistematização das características do
1º bimestre tenham sido feitos.

Páginas 3 - 5
1.

Texto analisado Folheto prescritivo


Trata-se de um folheto distribuído em ato
1a característica: regulação de
comportamentos público, vinculado a cursos de uma
universidade. Da parte de seus produtores,
espera ser compreendido, portanto, como um
conjunto de procedimentos a serem seguidos
pelo público em caso de queimaduras.
O tom do texto é uma ordenação de
2a característica: prescrição de atitude
a ser tomada procedimentos a serem seguidos em caso de
queimaduras. Nesse sentido, ele pode ser
compreendido como um conjunto de ordens.
Isso é reforçado no texto, pois, dos cinco
itens, apenas dois apresentam uma
justificativa.

1
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

Uso de verbos no Modo Imperativo.


3a característica: presença de marcas
linguísticas prescritivas
Enumeração. Isso reforça o caráter
4a característica: presença de marcas
prescritivas não verbais impositivo, pois o texto não usa de
expedientes não verbais para persuadir o
público. Limita-se a dar as instruções.

2.
a) Em um grande prédio de serviço público, as pessoas encontram dificuldade de
localização dos locais de atendimentos.
b) A solução do problema apresentada parece insuficiente para a situação, por
vários motivos: o volume de pessoas é grande, o que gera dispersão dos passantes;
nem todas as pessoas procuram orientações visuais, mas, se procuram, elas devem
estar acessíveis em várias partes, não apenas em um espaço único; a escrita das
instruções no cartaz poderia ser mais clara, pois subentende-se que o leitor
compreenda a conexão entre atendimento e sala, não expressa verbalmente.
c) Como sugestões para resolução do problema, podemos destacar: a alteração do
texto verbal para “Para atendimento de XX, dirija-se às salas 12, 13, 14 ou 15”; a
colocação do texto em várias partes do prédio, não apenas ao final do corredor; a
implementação de uma central de informações, em cada andar; a presença de
funcionários espalhados pelos corredores, com a função de orientar as pessoas. Caso
os alunos apresentem outras soluções, analise a pertinência de cada uma delas de
acordo com o contexto.
3.
a) Nos rótulos da parte de trás de embalagens de limpeza.
b) Essa é apenas uma questão para verificação de vocabulário. Você deve usá-la
para estimular o uso do dicionário ou a compreensão pelo contexto, quando possível.
c) Espera-se que o aluno indique uma ou mais características mostradas no
exercício 1.
d) É um recurso não verbal para dar mais destaque aos termos ou expressões
consideradas mais importantes.

2
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

Oralidade

Páginas 5 - 6
• Os alunos deverão discutir sobre alguns problemas relacionados à convivência
escolar, apontando situações que podem atrapalhar a aprendizagem. Como
exemplo, os alunos podem citar: conversas durante explicações, discussões entre
colegas, falta de respeito entre os colegas no momento de entrar ou sair da sala
de aula etc.
• Neste item, devem ser definidos os tipos de problema, de forma clara. Você
deve evitar que os alunos façam acusações pessoais e propor que se concentrem
nas formas que as situações que atrapalham a aprendizagem assumem.
• Este item exige reflexão sobre as causas dos possíveis problemas de
convivência.
• Neste item, devem ser formuladas propostas práticas de intervenção nos
problemas. Nesse sentido, o texto produzido será injuntivo.

Produção escrita

Página 6
1. Observar se o aluno construiu o texto de acordo com as orientações dadas.
2.

O aluno preencherá de acordo com suas


O texto apresenta as características da
tipologia injuntiva/prescritiva? observações do texto. Não se espera que
Quais? aponte tudo, mas é importante que
desenvolva essa habilidade de reflexão
sobre os textos. Como já estudou bastante
essa tipologia, acreditamos que poderá
retomá-la sem grandes problemas nesta
atividade, apontando que:
• há marcas linguísticas tipicamente
prescritivas, como o emprego do Modo
Imperativo;
• há regulação mútua de comportamentos;

3
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

• pode ir da ordem à súplica;


• por vezes, há marcas prescritivas não
verbais, nas imagens, nos gestos etc.

O aluno preencherá de acordo com suas


O texto está coerente com o que foi
previsto na discussão em sala? Por observações do texto. Não se espera que
quê? aponte tudo, mas é importante que
desenvolva essa habilidade de reflexão
sobre os textos.

O aluno preencherá de acordo com suas


Você observa algum problema quanto
ao uso da variedade padrão da observações do texto. Não se espera que
língua? Qual (Quais)? Corrija-o(s) aponte tudo, mas é importante que
desenvolva essa habilidade de reflexão
sobre os textos.

Estudo da língua

Páginas 7 - 9
1.

Guarde longe das crianças e de animais domésticos. Se (1) ingerir, não provoque
vômito. Não aplique o produto sobre alimentos e nem sobre (2) utensílios de cozinha.
Em caso de intoxicação, procure um (3) posto de saúde, levando a embalagem do (4)
produto.

a) Verbos.
b) O “se” indica que será introduzida uma oração. Observe a pertinência das
explicações dadas pelos alunos.
c) Pelo “não provoque vômito”, deduz-se que a palavra que preenche a lacuna é um
verbo que indica algo no paradigma de “ingerir”.
d) Substantivos ou expressões com essa função.

4
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

e) São passíveis de serem determinadas por artigos ou outros determinantes.


Observe a pertinência de outros comentários dos alunos.
f) Substantivos, pois, se é um produto de limpeza, costuma ser aplicado em
vasilhas, objetos (que ficam junto ao solo) e no piso; quem está intoxicado, procura
um médico, posto de saúde ou hospital; a embalagem só pode ser do produto.
2.
a) Alguém está dando instruções para um grupo de trabalho.
b) Provavelmente, um chefe com seus colaboradores.
c) Uma pessoa que está no comando e indica para outras o que deve ser feito.
d) Etapas que devem ser cumpridas para a realização de um trabalho. As pessoas
que estão ouvindo vão repassar orientações para seus grupos.
e) A ideia é passar instruções; então a pessoa que fala diz, item por item, o que
deve ser feito.
f) Verbos no Modo Imperativo.
g) O que deve ser feito pelos colaboradores.
3.
1. Bom dia, pessoal!

2. Inicialmente, vamos recapitular os passos para a execução dos trabalhos.

3. Coloquem as planilhas sobre a mesa;

4. Orientem seus grupos para a ordem das folhas de cada planilha;

5. Distribuam as folhas, para que possam organizá-las;

6. Recapitulem com eles os pontos que devem ser analisados;

7. Deem um tempo, para que possam observar as planilhas;

8. Iniciem a discussão, para que todos possam colocar suas observações.

ANGELO, Débora, AGUIAR, Eliane, texto especialmente escrito para o São Paulo faz escola

É possível, em uma situação de comunicação oral, o falante optar pela variedade


não - padrão no uso do Imperativo. Observe, no entanto, se o aluno não oscila entre as
duas variedades.

5
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

Páginas 9 - 10
2.
a) Os colaboradores nem sempre seguem as etapas indicadas pelo chefe.
b) Não. O chefe fica colérico e aponta o motivo que, segundo sua percepção, causa
o problema. Mas nada fica resolvido.
3. As pessoas são diferentes, em vários sentidos (memória, maneira como raciocinam,
sentem etc.); além disso, a cada momento, elas estão passando por situações
variadas, seja do ponto de vista pessoal, seja profissional etc. Isso significa que não é
possível pressupor que todos estarão pensando da mesma forma e com o mesmo
envolvimento em todas as situações.
Se o chefe quer que sigam sua forma de ver as coisas, deve sempre expressar isso
para seus colaboradores. Ele espera que as pessoas sigam instruções; portanto, seria
mais lógico que ele sempre as recapitulasse, para ter certeza de que todos estão
seguindo na mesma direção.
4. Professor, indique os exercícios complementares que julgar pertinentes.
5. Professor, indique os exercícios complementares que julgar pertinentes.

6
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2

CRIANDO UMA CAMPANHA PUBLICITÁRIA

Páginas 10 - 14
1.
a) Anúncio publicitário.
b)
• É um gênero textual construído a partir de um público-alvo que o
anunciante deseja convencer;
• apresenta seleção de elementos (cores, palavras, diagramação, imagens
etc.) voltados a esse público;
• apresenta seleção de elementos é orientada para despertar os sentidos ou
desejos do público; portanto, pode haver mais sugestão do que informação;
• apresenta algumas marcas linguísticas típicas (no caso, foram
observadas as formas verbais, especialmente o Modo Imperativo).
c) Imaginamos que todas elas estejam presentes. Você pode observar se o aluno
consegue apontar as características em funcionamento no texto.
2.
a) Pessoas que gostam de doces.
b) “Pecado é não comer” sugere a presença dos que realizarão esse ato.
c) Docemel, associando dois termos; a ligação com a ideia de pecado, sugerindo
que quem não come sobremesa peca.
3.
a) Qualquer pessoa que possa doar órgãos ou tecidos.
b) Mãos, modo verbal que inclui o leitor (“Doe”), pronome “Você”.
c) A imagem das mãos duplas como placa de trânsito, reforçada pelo trecho
“Transplante de órgãos. Essa via tem duas mãos”.
4. O tipo de público-alvo; a maneira mais direta de falar com o interlocutor, no segundo
anúncio. Observar a pertinência de outras respostas.
5. Não. Um busca convencer um público consumidor, despertando o desejo pelo
produto. Outro busca convencer doadores, apelando para a solidariedade humana.
6. Divulgar uma marca e estimular a venda de seus produtos.
7
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

7. Divulgar campanha de doação de órgãos.


8.

Fragmentos verbais Comentários


“Sobremesa” é um substantivo associado à
Sobremesas de frutas
ideia de doce. O termo “fruta” também está
ligado ao adocicado.

Fusão de duas palavras associadas a doce.


Docemel
Verbo “comer” associado à ideia de comer
Pecado é não comer
doce. “Pecado” sugere que não comer é um
erro moral.

9.

Traços (ver páginas 17 e 18 do CP) Comentários


5a característica ou traço típico dos anúncios Diferentes usos dos anúncios publicitários:
publicitários: venda de produto ou serviço, divulgação de
marca ou campanha.
6a característica ou traço típico dos anúncios Outras marcas linguísticas de textos
publicitários: publicitários (que não sejam verbos):
imagens, gestos etc.
a
7 característica ou traço típico dos anúncios Diferentes tipos de suporte em que um
publicitários: anúncio publicitário pode ser veiculado:
mídias impressa, televisiva, radiofônica,
digital.

Oralidade

Página 14
1.
a) O aluno deve apontar uma ou mais características do gênero anúncio publicitário
em funcionamento nos dois textos.
b) O trabalho exclusivo com sons, palavras, música de fundo, ritmo, outros sons
associados. Devem ser observados em funcionamento no texto.

8
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

c) A sonoridade associada ao verbal e à imagem, o movimento, a construção de


uma ou mais cenas, a trilha sonora. Devem ser observados em funcionamento no
texto.
d) Imagens, palavras, percurso de informação, animações, às vezes sons, quase
sempre com um link, uma abertura para mais detalhamentos. Devem ser observados
em funcionamento no texto.
e) Presença de imagens, cores, palavras e, às vezes, amostras do produto. Devem
ser observados em funcionamento no texto.

Produção escrita

Páginas 14 - 15
Passo 1 – O grupo deve optar por divulgar marca, serviço ou campanha de interesse
público.
Passo 2 – O grupo deve selecionar um público-alvo.
Passos 3 e 4 – É preciso pensar nos dois passos anteriores para fazer as opções.
Passo 5 – Os alunos apresentarão o esboço para a classe, para que o grupo possa
fazer comentários e sugestões.
Passo 6 – A partir dos comentários da classe e do professor, o texto deve ser
reformulado e a versão final, produzida.
Passo 7 – Professor, organize os trabalhos como achar mais conveniente.

Estudo da língua

Página 15
2. O grande objetivo são as habilidades de selecionar e organizar informações. Mesmo
que o resumo não esteja completo, não é esse o foco neste momento.

Questionário

Página 16
1. Diz respeito à relação do verbo com o sujeito. A voz verbal expressará se o sujeito
pratica a ação, se sofre seu efeito ou se pratica e sofre ao mesmo tempo.

9
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

2. O verbo pode apresentar-se na voz ativa, passiva ou reflexiva.


3. Expressa-se quando o sujeito pratica a ação. Ex: Ela salvou a vida do colega.
4. Expressa-se quando quem pratica ação, efetivamente, não é o sujeito, mas o chamado
“agente da passiva”. Neste caso, a ação é sofrida pelo sujeito. Ex: Ela foi salva pelos
bombeiros.
5. Na forma sintética ou analítica. Exemplo da sintética: Alugam-se casas (neste caso, o
pronome “se” é partícula apassivadora e o sujeito é “casas”, por isso o verbo está no
plural). Exemplo de analítica: Casas são alugadas por banhistas (neste caso, o sujeito
está, normalmente, antes do verbo e a concordância não costuma apresentar dúvidas.
Temos também, em geral, a presença do agente da passiva, o que não ocorre na
forma sintética).
6. É quando a ação expressa pelo verbo é praticada pelo sujeito e recai nele mesmo. Ex:
Ela penteava-se sempre com cuidado (ela faz a ação e sofre seu efeito. “Ela” indica o
sujeito e “se” o objeto).
7. O aluno deverá refletir sobre seus próprios usos de vozes verbais.

Páginas 16 - 18
1.

Fragmentos verbais Comentários


O texto divide as pessoas em dois grupos: as
“De um lado, pessoas que necessitam
de um transplante para ter a chance que precisam de ajuda e as que podem
de continuar a viver. Do outro, pessoas ajudar. Essa ideia é reforçada pelos termos
que podiam colaborar com o fim dessa
agonia deixando clara sua intenção em “chance”, de um lado, e “agonia”, do outro.
doar seus órgãos”
Persuasão direta pelo imperativo. Procura
“Doe seus órgãos. Você nunca sabe de
que lado pode estar” convencer também por afirmar que o leitor
pode estar em qualquer dos lados. A dúvida
é a grande estratégia, reforçada pelo advérbio
“nunca”.
Novamente o texto reitera que o leitor pode
“Transplante de órgãos. Essa via tem

10
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

duas mãos” estar do lado de quem precisa ou de quem


ajuda.
A expressão “campanha de doação” reforça a
“Campanha de doação de órgãos e
tecidos” ideia de que esse é um movimento por uma
boa causa.

2.
a)
• O aluno deve selecionar um anúncio de venda de produto.
• O aluno deve selecionar um anúncio de prestação de serviço.
• O aluno deve selecionar um anúncio que divulgue uma marca, sem a
preocupação de vender um produto.
• O aluno deve selecionar um anúncio de campanha de interesse público.
b) Qualquer característica do gênero anúncio publicitário, em funcionamento nos
textos.
c) Pessoal, depende dos anúncios que o aluno trouxer. Ele organizará palavras ou
imagens de acordo com o público-alvo e o que o anúncio propõe (vender produto,
divulgar marca etc.). Se o anúncio for de venda, o léxico será o da área
mercadológica. Se for de campanha, as palavras e imagens apelarão para o senso de
ética, solidariedade.
d) O aluno deve selecionar um uso conotativo (verbal ou não) e explicá-lo no
contexto.
3. Professor, indique os exercícios complementares que julgar necessários.

11
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3

OS ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS E SUAS INTENÇÕES

Páginas 18 - 22
1.
a) O texto B. É preciso indicar ao menos uma característica do gênero.
b) O texto B, pois se dirige diretamente ao leitor. Procura convencê-lo a participar,
da forma mais cooperativa possível, do cadastramento que será feito pela Prefeitura
de Araraquara e pelo governo federal.
c) Essa persuasão explícita está marcada linguisticamente por meio do uso de
verbos no imperativo (“receba”, “tenha”, “facilite”), advérbios que reforçam as ações
(“receba bem”, “também pode precisar”) e pronomes (“sua saúde”, “em sua casa”,
“seu cadastramento” e “você”).
d) Um sol sorrindo, indicando uma ideia positiva associada ao programa “Morada
da Cidadania”; uma “mão humana” segurando o cartão do SUS, o resultado que a
pessoa vai obter se realizar a sua parte no cadastramento. O cartão assemelha-se aos
cartões de crédito ou de banco, instrumentos associados à ideia de agilidade e
segurança para o usuário.
e) Tipologia narrativa. O aluno deve indicar, mostrando no texto, ao menos uma
característica desse agrupamento tipológico (é uma narrativa, portanto o texto conta
uma história de ficção por meio da combinação de cinco elementos (foco narrativo,
enredo, personagens, tempo e espaço). Nesse sentido, embora as personagens
procurem convencer uma à outra, não dialogam de forma direta com o leitor; trata-se
de uma história ficcional, contada pelo narrador, uma voz também construída.
f) O fragmento analisado apresenta um diálogo entre dois seres inventados que
procuram convencer um ao outro de seus pontos de vista. Como a história é
inventada, bem como seus personagens e demais elementos envolvidos, não
podemos falar que essa persuasão é dirigida de forma explícita ao leitor.
A maneira de falar das personagens, usando uma variedade linguística coloquial, e
seus atos e outras marcas narrativas podem ser compreendidos como uma forma de
construir uma história inventada que pareça coerente. Nesse sentido, pode-se dizer
12
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

que essas escolhas revelam certo nível de persuasão, uma tentativa de apresentar ao
leitor um texto que lhe pareça crível. Mas é um tipo de persuasão bem diferente da
apresentada no texto publicitário.
No caso da narrativa analisada, as personagens, como vimos, estão discutindo pontos
de vista, uma tentando fazer a outra mudar de opinião. No entanto, diferentemente da
propaganda, esse texto não procura persuadir o leitor, de forma direta, de nenhum
dos pontos de vista apresentados. O leitor, no decorrer da leitura, pensará no que foi
dito, observará a sequência dos fatos e, se quiser, poderá comparar o que elas (as
personagens) vivem com situações que vivemos no mundo real.
g) O aluno deve rever suas anotações e reformular explicações que considerar
erradas ou pouco claras. O objetivo é rever as próprias anotações.
2 e 3. No texto, o produtor usa uma série de recursos para atingir sua
intenção comunicativa. A isso se denomina “intencionalidade” de um texto.
A intencionalidade está ligada não só à organização interna do gênero no qual ele
está organizado, mas também na função social que ele exerce. No caso dos textos
publicitários, há sempre uma intenção de levar o consumidor a querer algo ou a
desenvolver um sentimento ou visão positiva de uma dada marca ou campanha.
4.
a) A intenção de despertar no consumidor a vontade de comer as sobremesas
produzidas pela marca.
b) Pelo processo explícito (na sequência de palavras e na pontuação) de associação
entre doce, mel e a marca Docemel. Observar a pertinência de outras análises feitas
pelos alunos.
c) A imagem atrativa da maçã e o trabalho gráfico com a letra, também sugerindo
uma forma mais “suculenta”. Observar a pertinência de outras análises feitas pelos
alunos.

Oralidade

Página 22
1. Para o rádio, destaque:
• o texto verbal;
• a trilha sonora;
13
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

• a entoação do locutor;
• o ritmo da fala do locutor;
• a presença de personagens;
• a simulação da situação vivida por personagens.
2. Para televisão, destaque:
• a trilha sonora;
• a escolha das imagens;
• o texto verbal
• o trabalho com as cores;
• a fusão desses elementos em cada cena;
• a presença ou não de locutor.

Produção escrita

Página 22

O objetivo são as habilidades de selecionar e organizar informações. Mas, nessa


etapa do estudo, em que já foram estudados vários anúncios, espera-se que o resumo
seja o mais completo possível. Professor, veja se os alunos destacam a trilha sonora, a
entonação e o ritmo, no rádio, e esses elementos associados à imagem na televisão.

Estudo da língua

Páginas 22 - 24
1.
a) A combinação de doce, mel (sonoridades próximas) e a criação sonora
“docemel”.
b) O termo “pecado” foi usado no sentido diferente do habitual. Aliás, ao contrário,
seu sentido, na oração, está subvertido, pois a gula é, originalmente, considerada um
pecado; no contexto, sugere-se exatamente o oposto.
2. Esse é um instrumento de observação da aprendizagem. Você pode observar como o
aluno está compreendendo o que está sendo estudado. Deve usar o exercício como
base para redefinir rumos, repetir explicações, mudar estratégias etc.

14
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

3. Nesse momento, o aluno vai reformular o texto; portanto, espera-se que sua resposta
seja mais completa que a dada para a questão 2.
4. Professor, sugerimos: são recursos linguísticos que tornam as mensagens mais
expressivas, apresentando-se como um trabalho mais criativo com a linguagem.
5. Você pode destacar que a metáfora é um tipo de uso figurado da linguagem, que
consiste em usar um termo ou expressão em um sentido que não lhe é comum. Além
disso, o novo sentido adquirido foi o resultado da relação de semelhança que se criou
entre esse termo e outro, de tal forma que as características do segundo passam a ser
incorporadas, total ou parcialmente, ao primeiro termo.
6. A definir, de acordo com a resposta de cada um dos alunos.
7. Depende da análise. Se considerarmos que o termo criado assumiu as características
das duas palavras que lhe dão base, podemos dizer que sim. Se, por outro lado,
pensarmos que os termos estão usados em seu sentido comum, não.
8. O aluno deverá apontar a presença de uma ou mais metáforas nos textos. Nesse
sentido, você deve escolher anúncios ricos nesses usos.
9. Essa é uma forma de ensinar, agora com uma elaboração feita por você. O aluno já
fez o mesmo em etapas anteriores, mas agora é você, professor, quem indica uma
forma de compreender, com suas palavras.
10.

Termo ou expressão Por que o termo ou Como a gramática


selecionada (uso expressão foi classifica esse tipo
conotativo da destacado? (Que tipo de figura?
linguagem) de estranheza ele
causa?)
O aluno deve apenas O aluno deve propor uma Você pode ver esta coluna
copiar o termo ou interpretação para o uso como uma forma de
expressão conotativa nesta conotativo, levando em observar o momento da
coluna. Espera-se que o conta o sentido do texto e aprendizagem do aluno e, a
texto seja de gênero seu gênero. Você pode partir do que ele devolver,
diferente do dos outros selecionar gêneros já fazer as intervenções
três. É um bom momento vistos, nesta série ou nas necessárias.
para a inclusão de textos anteriores.
literários.

15
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

Páginas 24 - 25
1.
a) A intenção do anúncio é despertar no consumidor a vontade de viajar de avião,
por meio da empresa de aviação.
b) Do ponto de vista verbal, a intenção se expressa no trecho “Voe Lane e boa
viagem”. Há o imperativo, explicitando a intenção de convencer o consumidor a
voar. A essa forma imperativa associa-se a ideia de “boa viagem”, composta, em
conjunto, com os conceitos de velocidade e amplitude, desenvolvidos pelas imagens.
c) Para construir esse desejo, o texto mostra a imagem de um globo terrestre,
sugerindo que o leitor pode conhecer o mundo por meio da empresa. Há ainda a ideia
de velocidade, sugerida pela sobreposição das sombras de aviões.
2. Professor, indique os exercícios complementares que julgar pertinentes.

16
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4

ANALISANDO A LINGUAGEM VERBAL DE ANÚNCIOS


PUBLICITÁRIOS E TEXTOS PRESCRITIVOS

Estudo da língua

Páginas 25 - 33
1. O objetivo é partir do conhecimento prévio dos alunos. Assim, você observará o que
eles já sabem sobre “frase, oração e período” e poderá definir como deve conduzir a
sequência da aprendizagem.
Se você considerar oportuno, pode explicar os conceitos, solicitar uma pesquisa em
uma gramática normativa, fazer exercícios de revisão etc. Tudo depende desse
levantamento prévio.
2.
a) Não há verbos no anúncio.
b) O verbo “voar”.
c) Sugere o que o consumidor deve fazer e o que terá como consequência (“Boa
viagem”).
d) É possível. Isso se dá pela sugestão de sentidos que será construída por meio de
imagens e outras formas de comunicação não verbal. E tudo isso será associado pelo
consumidor a uma marca, sempre presente em anúncios.
3.
1.
• O verbo “identificar”.

• “Biólogo” e “sete novas espécies de abelhas”.


2.
• O verbo “causar”.
• “Falta de energia”, “transtorno” e “no Sudoeste”.
3.
• O verbo “chocar”.
• “Crime passional” e “universitários”.
17
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

4.
• O verbo “prender”.
• “Europeus” e “vinte suspeitos”.
5.
• O verbo “aumentar”.
• “Amamentação”, “não” e “flacidez dos seios”.
6.
• O verbo “declarar”.
• “Dias”, “luto” e “atentado”.
7.
• O verbo “refazer”.
• “Jornalistas” e “caminho”.
4.
Texto A

(um casal de namorados em um momento de crise)

- Bem...

- Xi...

- Ah...

- De uma vez, vai... Uma cacetada só...

- Não, não, não é bem assim...

- Sei... E então? Tudo igual? Nada muda?

- Bom... Acabou.

- Eu sabia...

Elaborado especialmente para o São Paulo faz escola

a) Há exemplos grifados no texto.


b) Dá para entender que um está terminando a relação amorosa com o outro.

18
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

c) A ausência de verbos não prejudica o entendimento do texto, pois o texto faz


sentido em razão do contexto, uma briga de namorados; as frases nominais
expressam a dificuldade de afirmar coisas naquele momento.

Texto B

Paula é uma moça como todas as outras do mundo de hoje: estuda, trabalha e
namora, pois ninguém é de ferro. Mas ela sente falta de alguma coisa diferente,
especial.

Um dia Paula conheceu Joaquim, um rapaz inteligente e bonitão. Eles começaram


um namoro e ela se apaixonou logo. Continuaram desse jeito por uns dois meses, até
que um dia, sem mais nem menos, Joaquim desapareceu misteriosamente.

Sabe o que Paula fez? Arrumou outro namorado, porque, como diz o Zé Simão,
“quem fica parado é poste!”.

5. Você pode ver essa resposta como uma forma de observar o momento da
aprendizagem do aluno e, a partir do que ele devolver, fazer as intervenções
necessárias.
6. Esse é outro momento, com outra forma de aprendizagem do mesmo tema (período
simples e composto). Observar se o aluno mostrou maior compreensão de um
momento para o outro.
7.
a) A principal diferença é a pontuação. Observar a pertinência de outras respostas,
pois há diferença também na quantidade de informações (há orações a mais no texto
B) e na escolha lexical.
b) Há seis orações.
c) Períodos simples, pois há apenas um verbo em cada intervalo de período.
d) Há oito orações.
e) Períodos compostos, pois há duas orações em cada intervalo de período.
f) O principal é o ponto final. Mas você pode dar os outros sinais possíveis nesse
momento.
g) No texto A, ponto final. No texto B, ponto final e ponto de exclamação.

19
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

8. Professor, selecione os textos prescritivos para análise.


9. Receitas culinárias e outros textos injuntivos.
10. Você deve selecionar um pequeno texto, com poucos verbos, para facilitar a
observação e análise dos alunos.
11. e 12. É importante que o aluno escreva com suas palavras, pois, assim, elaborará o
conceito de acordo com seu entendimento.
13. Aqui o aluno pode ou não escrever com suas palavras. Se você achar que é um
momento para sintetização, pode ser mais oportuno escrever as definições, após tê-las
explicado. Você pode, também, construir as definições em discussão com os alunos.
14. Exercício de sistematização de tipos de sujeito, usando os anúncios como referência
(ver páginas 38 e 39 do Caderno do Professor ).
15. O aluno deve discutir uma intencionalidade para o texto, tendo em vista o gênero, o
objetivo do texto (vender produto, serviço etc.), o público-alvo, entre outras
possibilidades. Observar a pertinência da análise feita.
16. Esse é um momento para o aluno elaborar sua compreensão desse fenômeno
linguístico na construção dos textos estudados.

Páginas 34 - 35
1.
a) No “Modo de fazer”.
b) Nos “Ingredientes”.
c) Indica o que deve ser feito com os ingredientes e em que ordem.
d) É possível, pois o falante conhece o gênero e sabe que se trata da lista de
ingredientes. Esse tipo de construção é a frase nominal.
2.
a) Sim.
b) A oração é um tipo de frase organizada em torno de um verbo. Há frases sem
verbo, chamadas frases nominais.
c) Os períodos são classificados pelo número de orações que apresentam. No
período simples, há uma única oração; no composto, duas ou mais.

20
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

d) Há dois períodos no trecho. O primeiro é composto por duas orações (“sei” e


“fazer”); o segundo é simples, organizado em torno do verbo “precisar”.
3. Professor, indique os exercícios complementares que julgar pertinentes.
4. Professor, indique os exercícios complementares que julgar pertinentes.
5. Professor, indique os exercícios complementares que julgar pertinentes.

21
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 5

SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS VISTOS NAS SEMANAS


ANTERIORES

Página 35

Você pode selecionar trechos de diferentes textos e tipologias já vistos ou não e


misturá-los com um ou mais anúncios. Os alunos deverão localizá-los e verificar duas
características dos anúncios.

Oralidade

Página 35
1. Esse é um grande exercício de retomada de tudo o que foi visto. É um momento para
o aluno refletir sobre o percurso feito e retomá-lo. Daí a importância de percorrê-lo
em grupo.
2. Esse é um exercício de retomada do conceito de intencionalidade, mas agora com
textos de diferentes naturezas (uma narrativa e um injuntivo). Na análise, os traços
dessas tipologias provavelmente precisam ser levados em conta.

Produção escrita

Página 35

Você pode observar, na elaboração do diálogo, a presença de elementos dos textos


injuntivos.

Página 36
1. A ideia é selecionar um texto adequado a um público-alvo.

22
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

2. Analisar frases e orações e discutir as diferenças de sentido que cada uma das formas
de escrever acarreta.
3. O mesmo objetivo do exercício anterior, mas agora tomando as orações como centro
para seleção dos títulos.

Páginas 36 - 38
1. Alternativa d.
2. Alternativa a.
3. Alternativa c.
4. Espera-se que os alunos façam uma análise semelhante à que foi feita com a
propaganda da doação de órgãos. Não esperamos que recuperem todos os
mecanismos presentes, mas que sejam capazes de reconhecer algum elemento ligado
à emoção que o professor pode causar.
5. Foram indicadas sete características. O aluno deve escolher uma delas e analisá-la no
texto.

Exercícios complementares

Páginas 38 - 39
É um gênero textual construído a partir de um público-alvo.
1a característica

Apresenta seleção de elementos (cores, palavras, diagramação,


2a característica
imagens etc.) voltados a esse público.
Apresenta seleção de elementos orientada para despertar os
3a característica
sentidos ou desejos do público; portanto, há mais sugestão do
que informação.
Apresenta algumas marcas linguísticas típicas (no caso, foram
4a característica
observadas as formas verbais, especialmente o Modo
Imperativo).

23
GABARITO Caderno do Aluno Língua Portuguesa – 7a série/8º ano – Volume 2

Há textos construídos para diferentes fins: venda de produto ou


5a característica
serviço, divulgação de marca ou campanha.

Há outras marcas linguísticas, não apenas o uso de Modo


6a característica
Imperativo (usos conotativos da linguagem, entre outras
possibilidades).
Pode ser construído para diferentes tipos de suporte: mídia
7a característica
impressa, televisão, rádio e internet.

2. Professor, dê um tempo para que o aluno observe suas anotações e as corrija. Se


achar oportuno, solicite que alguns alunos leiam suas respostas.
3. O aluno deve mostrar duas das sete características indicadas em funcionamento no
texto.
4. Retomada do conceito de sujeito, mas agora construído na interação entre pares.
5. Professor, dê um tempo para que o aluno observe suas anotações e as corrija. Se
achar oportuno, solicite que alguns alunos leiam suas respostas.
6. Observação do conceito de sujeito dentro da materialidade textual.
7. Análise do conceito de sujeito com usos verbais imperativos.
8. Comentar se a persuasão é maior com sujeitos evidentes ou não. Não há uma
resposta certa, pois ambas as opções são defensáveis. É importante observar a
coerência da argumentação.

24