Você está na página 1de 11

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SERVIÇO SOCIAL – CAMPUS CRUZ DAS ALMAS

VIVALDO PEREIRA DOS ANJOS

TRABALHO INFANTIL
CONCEITOS E DESAFIOS.

Cruz das Almas


2018
VIVALDO PEREIRA DOS ANJOS

TRABALHO INFANTIL
CONCEITOS E DESAFIO

Trabalho apresentado ao Curso de Serviço Social da


UNIFACS – Universidade Salvador, para a disciplina de
Estágio Curricular III.
Orientadora Pedagógica – Tutor de Sala: Ivana Guerra
de Oliveira Guimarães Silva.
Assistente Social do Campo de Estágio: Adriana Braga
Sena

Cruz das Almas


2016
SUMÁRIO
1 - APRESENTAÇÃO................................................................................................8
2 - JUSTIFICATIVA...................................................................................................8
3- OBJETIVOS.........................................................................................................10
3.1 Objetivo Geral....................................................................................................10
3.2 Objetivo Especifico.............................................................................................10
4-PÚBLICO – ALVO.................................................................................................11
5-METAS ................... .............................................................................................11
6-METODOLOGIA...................................................................................................11
7-PARCEIROS.........................................................................................................11
8-RECURSOS HUMANOS.....................................................................................11
9- RECURSOS MATERIAS.....................................................................................11
10-AVALIAÇÃO.......................................................................................................12
11-CRONOGRAMA DE ATIVIDADES....................................................................12
12-REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICAS.....................................................................12
1. APRESENTAÇÃO

O presente projeto nasce da experiencia vivida na minha comunidade e em


observação a alguns grupos sociais atendidos pelo Centro de Referencia
Especializado de Assistencia Social-CREAS e Centro no que diz respeito a
exploração do trabalho infantil. Logo, foi possivel também observar que as
informações predominantes nesses grupos é parte da cultura do saber popular,
passado de pai para filhos, ignorando os dispositivos da lei sobre trabalho infantil,
sobretudo, por aqueles que tem como missão a garantia dos direitos civis e sociais
desses menores.
Assim, o mesmo será aplicado no Serviço de Convivência e Fortalecimento de
Vinculo, na sede do Município, para o departamento de juventude, Grupo de
Mulheres, jovens, adolescentes, gestantes e melhor idade. O projeto é intitulado:
TRABALHO INFANTIL, CONCEITOS E DESAFIOS, e nos fará entender que o
trabalho infantil é um fenômeno social presente na história de muitos países. No
Brasil, é qualquer trabalho exercido por criança e adolescente com menos de 16
anos, exceto na condição de aprendiz (a partir de 14 anos). A questão do trabalho
infantil surgiu, internacionalmente, no final dos anos 80 a partir do advento da
Declaração Universal dos Direitos da Criança (1989), mas ganhou realmente
relevância com a exploração do trabalho infantil para baratear a mão de obra em
fábrica de produtos de exportação (SILVEIRA, 2000).

Ainda cumprindo seu objetivo, esse projeto pretende informar, orientar e esclarecer
a comunidade, pais e a juventude sobre as causas e consequência do trabalho
infantil, assim como as leis de proteção e defesa desses menores, (Constituição
Federal e Estatuto da Criança e do Adolescente-ECA), com a finalidade de garantia
de uma infância limpa e saudável aos nossos meninos e meninas.

2. JUSTIFICATIVA

Trabalho infantil é toda forma de trabalho exercido por crianças e adolescentes,


abaixo da idade mínima legal permitida para o trabalho, conforme legislação de cada
país. Essa forma de trabalho em geral é proibida por lei. Especificamente, as formas
mais nocivas ou cruéis de trabalho infantil não apenas são proibidas, mas também
constituem crime. A proibição do trabalho precoce se soma a compreensão de que a
exploração de crianças e adolescentes no trabalho é uma violação dos seus direitos
fundamentais e se insere no campo da violação dos direitos humanos. A proibição
ética do trabalho infantil está fundada nos princípios da proteção integral e da
prioridade absoluta e sobre este principio, Cury, Garrido e Marçura afirmam que a
proteção integral tem como fundamento a concepção de que crianças e
adolescentes são sujeitos de direitos, frente à família, à sociedade e ao Estado.
Rompe com a ideia de que sejam simples objetos de intervenção no mundo adulto,
colocando-os como titulares de direitos comuns a toda e qualquer pessoa, bem
como de direitos especiais decorrentes da condição peculiar de pessoas em
processo de desenvolvimento (2002, p. 21).

Os termos do art. 227 da Constituição Federal e dos arts. 3º, 4º e 5º do ECA nos
afirmam que:

Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança,


ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à
saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura,
à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária,
além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão.

Assim também o Artigo 3º dispõe que diz:


A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais
inerentes á pessoa humana, sem prejuizo da proteção integral de que trata
essa lei, assegurando se lhe por lei o por outros meios todas as
oportunidades e facilidades, afim de se lhes facultar o desenvolvimento
fisico, mental, moral, espiritual e social em condição de liberdade e

dignidade. (Art. 3º do ECA)


De igual forma, os artigos 4º e 5º do mesmo Estatuto também deixam evidentes o
senso de responsabilidade e proteção a esses menores:
o 4º artigo também afirma que é dever da familia, comunidade, da
sociedade em geral e do poder público, assegurar com absoluta prioridade,
a efetivação dos direitos referentes á vida á saúde, á alimentação, á
educação, ao esporte ao lazer, á profissionalização, á cultura, á dignidade,
ao respeito, a liberdade e á convivencia familiar e comunitária. (Art. 4º do
ECA)
O 5º artigo também nos deixa claro que nenhuma criança ou adolescente
será objeto de qualquer forma de negligencia, discriminação, exploração,
violencia, crueldade, opressão, punido na forma da lei qualquer atentado,
por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.( Art 5º do ECA).

Como podemos observar, os artigos transcritos acima, expressam a obrigação


geral de proteção e implementação dos direitos dos jovens e pessoas em
desenvolvimento e em consonância ao que diz a lei, foi possivel também observar
que as informações predominantes nesses grupos fazem parte de uma cultura
baseada no saber popular, sem necessidade de comprovação cientifica, passado de
pai para filhos, ignorando totalmente os dispositivos da lei sobre trabalho infantil,
principalmente, por aqueles que tem como missão a garantia dos direitos civis e
sociais desses menores.

3. OBJETIVOS

3.1 Objetivo Geral

 Fortalecer a função protetiva da família, contribuindo na melhoria da sua


qualidade de vida

3.2 Objetivos Específicos

 Vivenciar experiências que contribuem para o fortalecimento dos vínculos


familiares
 Apoiar famílias que possuem, dentre seus membros, indivíduos que
necessitam de cuidados no sentido de evitar o trabalho infantil
 Conhecer as leis e políticas de proteção ás crianças e adolescentes
 Possibilitar o reconhecimento do trabalho e da educação como direito de
cidadania

4. PÚBLICO – ALVO

Este projeto de intervenção será aplicado no Centro de Referência de Assistência


Social-CRAS, e irá contemplar os Grupos de Convivência e fortalecimento de
vínculos, como pais, Grupo de Mulheres, Grupo de Adolescentes, Grupo de
Gestantes, Grupo da Melhor Idade, assistidos pelo CRAS da sede e de algumas
localidades da zona rural, que são o público alvo deste trabalho.

5. METAS

As metas do projeto consistem em informar, conscientizar e convencer os jovens, os


pais e toda comunidade envolvida, da importância das leis de proteção ao trabalho
infantil, da escola e da família como agente de guarda e proteção contra exploração
de crianças e adolescentes no trabalho e na violação dos seus direitos
fundamentais, que se dará no período de aplicação deste projeto.

6. METODOLOGIA

Para a realização deste projeto no Grupo de Convivência e Fortalecimento de


Vínculos,

 Será apresentado uma palestra com um profissional de Assistência Social


 Exibição de slide, envolvendo o tema em questão.
 Roda de conversa com troca de experiências, de modo a contemplar
todos os participantes.
 Apresentação de vídeo contemplando o tema
 Apresentação de dinâmica

7. PARCEIROS

 Centro de Referência de Assistência Social-CRAS


 Centro de Referência Especializado de Assistência Social-CREAS
 Secretária de Desenvolvimento Rural

8. RECURSOS HUMANOS

 Mulheres do Grupo
 Grupo de Adolescentes
 Supervisora do campo de estágio
 Estagiários de Serviço Social
 Equipe do Grupo de Fortalecimento de vínculos
9. RECURSOS MATERIAS

 Papel A4-
 Notebook
 Folder
 Canetas de Brindes
 Convites
 Data show
 Aparelho de Som

10. AVALIAÇÃO

O processo de avaliação desse projeto dar - se - a de forma continuada,


desde o convite e exposição da ideia do projeto, a aplicação e observação no
número de participação bem como suas opiniões a respeito do tem abordado

11. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

ATIVIDADES Mês /Semestre


7º SEMESTRE

7º SEMESTRE

8º SEMESTRE
MARÇO 2018
AGOSTO 2017

NOVEMBRO

Estudo do Objetivo do projeto X

Planejamento de cronograma X

Apresentação do Projeto X

Aplicação do projeto X

Avaliação X

Elaboração do Relatório final X


12. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei Federal 8069 de 13/07/1990.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988.

Sites consultados:

 https://www.google.com.br/search?q=lei+de+prote
%C3%A7%C3%A3o+ao+trabalho+infantil&oq=lei+de+prote
%C3%A7%C3%A3o+ao+trabalho+i&gs_l=psy-
ab.1.0.0i22i30k1l3.287150.308774.0.312305.39.34.0.1.1.0.924.4940.2-
4j1j0j2j3.10.0....0...1c.1.64.psy-
ab..28.11.4941...0j0i131k1j0i67k1j33i160k1.50cHiVu80T4

 https://www.youtube.com/watch?v=YhTydGNtmSA( Video apresentado

 http://fundacaotelefonica.org.br/promenino/trabalhoinfantil/colunistas/trabalho-
infantil-conceito-e-desafios/ Acessado em 25/10/2016

 file:///C:/Users/Antonio/Downloads/Palestra_Trabalho
%20Infantil_NASF4%20(2).pdf

 https://wgomes92.jusbrasil.com.br/artigos/140564425/principio-da-protecao-
integral-da-crianca-e-do-adolescente
13. ANEXOS

FOTOS DAS VISITAS ÁS OLARIAS DA COMUNIDADE DE BAIXA GRANDE

Você também pode gostar