Você está na página 1de 17

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE

INTRODUÇÃO

O objetivo destas palestras é testemunhar que podemos acreditar e viver a fé


em Jesus Cristo e na sua palavra nos dias de hoje, com a mesma ou maior intensidade
que viveram aqueles que receberam diretamente dos apóstolos de nosso Senhor Jesus
Cristo, porque temos a palavra confirmada não somente por sinais, prodígios, vários
milagres e distribuição do Espírito Santo, mas também com o sangue daquelas
primeiras testemunhas.

A DIFERENÇA ENTRE O PODER DE FAZER MILAGRES E O PODER DA ORAÇÃO COM FÉ

Há dois pensamentos antagônicos sobre o poder de fazer milagres. Algumas


pessoas ensinam que os poderes milagrosos, dados aos apóstolos de Cristo, cessaram
e outras afirmam que continuam hoje. Isto acontece, por não compreendermos a
diferença entre o poder de fazer milagres e o poder da oração com fé. O nosso
objetivo é compreender esta diferença, e ver como Jesus Cristo usou o poder de fazer
milagres e concedeu este aos seus apóstolos. A pessoa que tem poder de fazer
milagres, não precisa orar para Deus curar ou realizar sua obra. Ele cura com o poder
que Deus lhe deu. Veja alguns exemplos de Jesus e de pessoas a quem ele concedeu
este dom, e veja como Jesus exercia sua autoridade sobre a força da natureza, dos
espíritos maus e das enfermidades; bem como seu propósito em tudo quanto ele fez e
ensinou. Note que Jesus e seus apóstolos não precisavam orar para fazer qualquer
milagre.

MILAGRES DE JESUS

01. A cura de um leproso: “Jesus estendendo a mão lhe tocou dizendo quero, fica
limpo, no mesmo instante lhe desapareceu a lepra” Luc. 5: 13; Mac. 1: 40-45;
Mat. 8:1-4.
02. Jesus disse ao centurião: “vai-te e seja feito conforme a tua fé. E naquela mesma
hora o servo foi curado”. Mat. 8:5-13; Luc. 7:1-10; Luc. 4: 38-39.
03. A cura da sogra de Pedro. Jesus repreendeu a febre e ela a deixou. Mat. 8: 14-15;
Mc. 1: 29-31.
04. Jesus meramente com a palavra, expulsou os espíritos e curou a todos os que
estavam doentes. Mat. 8: 16-17; Mc. 1: 32-34; Luc. 4: 40-41.
05. Jesus repreendeu o vento e disse ao mar: Acalma-te, emudece! O vento se
aquietou e fez-se grande bonança. Mat. 8: 23-27; Mc. 4: 35-41; Luc. 8: 22-25.
06. Jesus disse: Espírito imundo sai deste homem. Os endemoninhados e espíritos
imundos rogaram a Jesus, dizendo: “Se nos expele, manda-nos para a manada dos
porcos. Pois ide, ordenou-lhes Jesus. Eles saindo o foram para os porcos.
Mat. 8: 28-34; Mc. 5:1-2; Luc. 8: 26-39.

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 1
07. Jesus disse a uma mulher que lhe tocou à veste, acreditando que seria curada de
hemorragia: “Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou”. “Logo, se lhe estancou a
hemorragia” Mt. 9: 19-21; Mc. 5: 24-34; Luc. 8: 42-48.
08. Jesus disse à filha de Jairo (que havia morrido): “Talita cumi, que quer dizer,
menina, eu te mando, levanta-te. Voltou-lhe o espírito e ele imediatamente se
levantou. Mat. 9: 23-26; Mc. 5: 35-43; Luc. 8:49-56.
09. Jesus tocou nos olhos de dois cegos, dizendo: “faça-se-vos, conforme a vossa fé”.
Mat. 9: 27-31. V.9
10. Jesus expeliu o demônio e o mudo falou. Mat. 9: 32-34.
11. Trouxeram um endemoninhado cego e mudo a Jesus e ele o curou, passando o
mudo a falar e a ver. Mat. 12: 22. Luc. 11: 14
12. Jesus abençoou cinco pães e dois peixinhos e alimentou mais de cinco mil pessoas,
além das mulheres e crianças e ainda sobraram 12 cestos cheios de pedaços. Mat.
14: 13-21; Mc. 6: 41-44; Luc. 9: 16-17; João 6: 11). Jesus “tomou os sete pães e os
peixes, e dando graças, partiu, e deu aos discípulos, e estes, ao povo. Todos
comeram e se fartaram. Mat. 15: 36-37; Mc. 8: 6.
13. Jesus disse a uma mulher Cananéia: “... Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se
contigo como queres... Por causa desta palavra, podes ir; o demônio já saiu de tua
filha. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã...” Mat. 15: 28; Mc. 7: 29.
14. “As multidões largavam aos pés de Jesus; cegos, coxos, aleijados, mudos e muitos
outros e ele os curava... ”Os mudos falavam, os aleijados recobravam saúde, os
coxos andavam e os cegos viam (...” Mat. 15: 29-3).
15. Jesus repreendeu o demônio dizendo-lhe: “espírito mudo e surdo, eu te ordeno:
Sai deste jovem e nunca mais tornes a ele”. Mc. 9: 25. “Jesus repreendeu o
demônio, e este saiu do menino; e, desde àquela hora, ficou o menino curado.”
MT. 17: 18. “Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a
seu pai”. Luc. 9: 42.
16. Jesus disse a um paralítico em Cafarnaum: “Levante-te, toma o teu leito e vai para
tua casa” Mc. 2: 11-12; Mt. 9:1-8; Luc. 5: 17-26.
17. Jesus anda por sobre o mar. Mat. 14: 23-33; Mc. 6: 45-52; João 6:15-21.
18. Jesus mandou Pedro lançar o anzol ao mar. Pegou um peixe, tirou um estáter da
sua boca e pagou o imposto. Mat. 17: 27.
19. Jesus tocou os olhos de dois cegos de Jericó e disse: “A tua fé te salvou”.
Mat. 20: 29-34; Mc. 10: 46-52; Luc. 18: 35-43.
20. Jesus disse à figueira: “Nunca mais nasça fruto de ti” e a figueira secou
imediatamente. Mat. 21: 18-22; Mc. 11: 12-14
21. Jesus repreendeu o espírito de um endemoninhado, dizendo: “Cala-te e sai deste
homem... Todos se admiraram a ponto de perguntarem entre si: Que vem a ser
isto? Com autoridade ordena aos espíritos imundos e eles lhe obedecem!”
Mc. 1 : 21-28.

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 2
22. Todos os que padeciam de qualquer enfermidade se arrojavam a ele para o tocar.
Mc. 3:7-10.
23. Jesus pôs os dedos nos ouvidos de um surdo e gago, tocou sua língua com a saliva,
depois erguendo os olhos ao céu suspirou e disse “Efatá”, que quer dizer: Abre-te.
Mc. 7 : 31-3-7.
24. Jesus aplicou saliva aos olhos de um cego em Betsaide e o cego passou a ver
claramente. Mc. 8 : 22-26.
25. Jesus tocou o esquife do filho (morto) da viúva de Naim e disse: “Jovem eu te
mando, levanta-te”, o Jovem sentou-se e começou a falar. Luc. 7: 11-17.
26. Jesus disse, de longe, a dez leprosos: “Ide mostrai-vos aos sacerdotes. Aconteceu
que, indo eles, foram purificados”. Luc. 17: 11-19.
27. Jesus mandou encher seis talhas de pedra com água e levá-las ao mestre-sala;
quando ele provou, estava transformada em vinho. João 2:1-12.
28. O oficial do rei rogou para Jesus ir curar seu filho, que estava à morte em
Cafarnaum. ”Vai, disse Jesus; teu filho vive. O homem creu na palavra de Jesus e
partiu”. João 4: 46-54 (v.50).
29. Caminhando Jesus, viu um cego de nascença, cuspiu na terra, fez lodo com a saliva,
aplicou-o aos olhos do cego, dizendo-lhe: “Vai lava-te no tanque de Siloé... ele foi,
lavou-se e voltou vendo”. João 9:1-12
30. Jesus clamou em alta voz, “Lazaro, vem para fora. Saiu àquele que estivera morto”.
João 11: 43-44.

Vimos como Jesus exerceu poder e autoridade sobre todo tipo de


enfermidades, sobre a natureza e sobre a própria morte; não usou a oração da fé
nenhuma vez. Abençoou os pães e peixes que multiplicou. Agradeceu a Deus antes de
ressuscitar Lázaro e clamor em Alta voz dizendo: “Lázaro, vem para fora”. “Há, porém,
ainda muitas outras coisas que fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio
eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escrito. “Estes, porém,
foram registrados para que creiam que Jesus é o Cristo, o filho e Deus, e para que,
crendo, tenhais vida em seu nome”. João 21: 25; 20: 30-31.
Depois da morte e ressurreição, Jesus censurou alguns dos doze apóstolos por
não teres crido que ele havia ressuscitado e lhes disse: “Ide por todo o mundo e pregai
o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo... “Estes sinais hão de
acompanhar aqueles que crêem: Em meu nome, expelirão demônios, falarão novas
línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará
mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados”. “De fato, eles
pregaram por toda parte, e o Senhor confirmou a palavra por meio de sinais que se
seguiam. Marcos 16: 14-20. Não temos registro de todos os milagres dos apóstolos.

Temos alguns no livro de Atos, o suficiente para provar a veracidade das


Escrituras conhecidas como “Novo Testamento”. Os Apóstolos operaram milagres e

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 3
prodígios, tais como os de Jesus Cristo, e muito mais ainda; vejamos alguns deles,
depois do cumprimento da promessa de Jesus: “recebereis poder, ao descer sobre os o
Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a
Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. Ao cumprir-se o dia Pentecostes, veio do
céu um som como de um vento impetuoso, apareceu línguas como de fogo e pousou
uma sobre cada um deles. Pedro pregou corajosamente o primeiro sermão após a
ressurreição de Cristo, e cerca de três mil pessoas foram batizadas em Cristo, começou
a congregação de Cristo. Veja Atos dois.

ALGUNS MILAGRES DOS APÓSTOLOS

1. Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo por intermédio dos apóstolos.
At. 2: 43.
2. Pedro e João disseram a um coxo de nascença de mais de 40 anos: “Em nome de
Jesus Cristo, anda! Imediatamente os seus pés e artelhos se firmaram; de um salto
se pôs em pé, passou a andar; entrou com eles no templo saltando e louvando a
Deus. “A fé que veio por meio de Jesus”. At. 3: 1 – 10,16.
3. Deus respondeu a oração dos irmãos com um terremoto e todos ficaram cheios do
Espírito Santo. At. 4: 30, 31.
4. Pedro disse a Ananias: “Não mentistes a homens, mas a Deus”, ele caiu e expirou, e
disse à Safira: “Eis aí os pés dos que sepultaram o teu marido, eles também te
levarão; no mesmo instante caiu ela e expirou”. At. 5: 4 – 10.
5. Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. A
ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas,
para que, ao passar Pedro, ao menos a sua sombra às projetasse nalguns deles.
Todos eram curados. At. 5: 12 – 16.
6. Autoridades judaicas prenderam os apóstolos na prisão pública, mas, de noite, o
anjo do Senhor abriu a porta e os soltou. At. 5: 17 – 41.
7. Estêvão, um dos sete escolhidos para servir na distribuição diária, “cheio de graça e
poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo”At. 7: 6: 8.
8. Filipe, também um dos sete escolhidos, pregava a palavra e operava sinais.
At. 8: 4 – 8, 13.
9. Jesus apareceu a Saulo e disse: “Eu sou Jesus a quem tu persegues; mas levante-te
e entra na cidade, onde te dirão o que te convém fazer”. At. 9: 1 – 9.
10. Ananias impôs as mãos sobre Saulo, para ele recuperar a vista e ficar cheio do
Espírito Santo. Imediatamente tornou a ver. At. 9: 17, 18. Pedro e João impuseram
as mãos sobre os samaritanos, e eles receberam o Espírito Santo. At. 8: 14 – 17.
Paulo impôs as mãos sobre doze discípulos em Éfeso e esses receberam o Espírito
Santo, tanto falavam em línguas como profetizavam. At. 19: 1 – 7.

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 4
11. Em Lida, um homem chamado Enéias, estava paralítico há oito anos. “disse-lhe
Pedro: Enéias, Jesus Cristo te Cura! Levanta-te, e arruma o teu leito. Ele
imediatamente se levantou. At. 9: 34.
12. Em Jope, uma viúva chamada Tabita (que traduzido quer dizer Dorcas), havia
morrido. Pedro voltando-se para o corpo disse: “Tabita levanta-te. Ela abriu os
olhos e vendo a Pedro, sentou-se”. At. 9: 40.
13. Atos 10: 1 – 22, 44 – 46; 11: 14 – 18. Deus fez os apóstolos entenderem a igualdade
entre todos os povos; em Cristo não há separação alguma entre judeus e gentios;
como disse o profeta Joel: “Derramarei do meu Espírito sobre toda carne”.
Joel 2: 28 – 32. O Espírito foi derramado por Deus, como em Atos dois, não foi
dado por imposição de mãos.
14. Herodes matou Tiago, colocou Pedro na prisão acorrentado entre dois soldados.
À noite, um anjo do Senhor o libertou. At. 12: 1 – 29.
15. O anjo do Senhor feriu Herodes, ele comido de vermes, expirou. At. 12: 1 – 19.
16. O apóstolo Paulo disse a Elimas, o mágico: “Ó filho do diabo... eis aí está sobre ti a
mão do Senhor, e ficarás cego... por algum tempo. No mesmo instante caiu sobre
ele névoa e escuridade, andando a roda procurava quem o guiasse pela mão”.
At. 13:4 – 12.
17. Em Listra. Pedro disse a um homem paralítico desde o seu nascimento: “Arruma-te
direito sobre os pés. Ele saltou e andava. At. 14: 10.
18. Em Icônio, Paulo e Barnabé falavam “usadamente no Senhor o qual confirmava a
palavra da sua graça, concedendo que por mão deles se fizessem sinais e
prodígios.”. At.14:3.
19. Em Jerusalém, os sinais e prodígios feitos por Deus pelas mãos de Paulo, foram
usados para convencer os apóstolos e anciãos, que seu ensino (os gentios não
seguirem a lei de Moisés) era de Deus. At. 15: 12-21.
20. Em Filipos. Paulo expulsou um espírito adivinhador de uma jovem dizendo: “Em
nome de Jesus Cristo eu te mando: Retira-te dela. Ele na mesma hora saiu”.
At. 16: 16-18.
21. Quando Paulo e Silas oravam e cantavam na prisão em Filipos; um terremoto
sacudiu os alicerces; abriram-se todas as portas e as correntes de todos caíram.
At. 16: 25-26.
22. Em Éfeso. “Deus, pelas mãos de Paulo, fazia milagres extraordinários, a ponto de
levarem aos enfermos lenços e aventais do seu uso pessoal, diante dos quais as
enfermidades fugiam das suas vítimas e os espíritos malignos se retiravam”.
At. 19: 11-12.
23. Sete judeus exorcistas tentaram invocar o nome de Jesus sobre possessos de
espíritos malignos dizendo: “Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega”. O
possesso de espírito saltou sobre eles, subjugou a todos que desnudos e feridos
fugiram. At. 19: 13-16.

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 5
24. Em Trôade, um jovem caiu do terceiro andar e morreu. Paulo o ressuscitou
At. 20: 8-12.
25. Na ilha de Malta. Paulo foi mordido por uma víbora e como nada sofreu o povo que
o julgava assassino, passou a julgá-lo um Deus. Paulo orou, impôs as mãos e curou
o pai de Públio, bem como os demais enfermos da ilha. At. 28:4-10.

O PODER DE FAZER MILAGRES

Somente Deus tem poder de fazer milagre. Algumas vezes na História, Deus
deu este poder e autoridade a algumas pessoas, nesses casos elas fizeram a obra com
poder e autoridade, sem precisar orar pelo milagre. Deus deu esse poder a Moisés e
Arão, a Jesus Cristo, aos doze apóstolos, aos setenta discípulos enviados em nome de
Jesus Cristo, etc. Há registro de mais de setenta milagres durante os quatro mil anos
de História no Velho Testamento e outros mais de setenta no Novo Testamento.

Algumas vezes Deus, por centenas de anos, não se manifestou milagrosamente.


Outras vezes concedeu este poder a pessoas escolhidas. Deus dá este poder hoje?

A pergunta não é se existem milagres hoje, isto será visto no estudo do poder
da oração. A pergunta é se o poder de fazer milagre, dado por Deus a Jesus Cristo e a
seus apóstolos continuam com a igreja hoje, e se continuará até a volta de Jesus Cristo.
Os pregadores “pentecostais” afirmam que sim, e tentam em vão reproduzi-los,
porque Deus não muda, e Jesus Cristo é o mesmo, ontem e hoje e o será para sempre.
Já a grande maioria dos pregadores tradicionais, isto é, os que vêm desde a época
apostólica até hoje afirmam que não; por várias razões, uma delas é que os objetivos
dos milagres foram atingidos.

Quando eu comecei estudar a Bíblia, fiquei aterrorizado no meio de tanta


confusão, tenho estudado o assunto por mais de cinqüenta anos e quero dividir com
meus irmãos o que tenho aprendido. Veja os seguintes fatos: Quando Cristo foi
entronizando à destra de Deus e estabeleceu a sua igreja (veja Atos dois), os apóstolos
começaram pregar o evangelho, primeiro em Jerusalém e Samaria e depois aos
gentios, Deus fazia milagres extraordinários pelas mãos deles (veja o livro de atos);
todavia, depois que o evangelho “foi pregado a toda criatura debaixo do céu”
(Col. 1: 23), e Deus confirmou a palavra por meio de sinais que se seguiam, a Bíblia não
menciona mais alguém com esses milagres, pelo contrário, passou a haver “muitos
fracos e doentes” na igreja (I Cor. 11: 30); Paulo deixou Trófimo doente em Mileto
(II Tim. 4: 20); Timóteo tinha constante enfermidade (I Tim. 5: 23); Paulo tinha uma
enfermidade física (Gl. 4: 13); sinais, prodígios, vários milagres e distribuição do
Espírito Santo foram citados como fatos do passado e para confirmar a palavra
daqueles que a ouviram de Jesus (Heb. 2: 3,4); todos os apóstolos, exceto João, e
milhões de cristão foram mortos pela perseguição imperial (documenta a História); e a
História não registrou a existência de nenhuma pessoa com os mesmos poderes dado

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 6
aos apóstolos, e a mídia não tem divulgado o aparecimento de nenhuma, apesar de
muitas propagandas enganosas. Quem tem poder de fazer milagre não diz que o tem,
faz. Ninguém pode negar, explicar, combater nem defender; milagre fala sozinho. Nos
meus estudos encontrei muitos casos de “milagre”, tanto na mitologia grega como no
paganismo, ateísmo protestantismo, espiritismo, satanismo, budismo, islamismo,
cristianismo e em muitos outros ismos. Encontrei até algumas pessoas que
aparentemente fizeram alguns “milagres”, tais como Hércules, os Magos egípcios,
Joana D’Arc., Santo Antonio, Santa Filomena, Chico Xavier, Arrigo, Davi Miranda, Edir
Macedo, Manoel de Melo, São Severino do Ramo e muitos outros. Porém nunca vi
nem li sobre alguém que tenha ou teve poderes como os de Jesus e de seus apóstolos
(o poder de fazer todo tipo de milagres, instantâneo, nunca falhar e sem precisar orar
para esse fim). Deus não muda e Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo e o será para
sempre. Este Grande Deus criou o mundo e toda a vida com o seu grande poder, bem
como leis naturais, e somente interveio com milagre ou deu poder a alguns homens
escolhidos, como a Moisés, aos apóstolos, etc. quando julgou necessário e sempre
teve objetivo específico. Este é o Deus que não muda. Durante os quatro mil anos de
História bíblica, Deus não deu poder para o homem fazer milagres durante todo o
tempo, ele passava centenas de anos sem dá esse poder ao homem e somente o deu
quando teve um objetivo claro (este é o Deus que não muda). Eu creio neste Deus e na
sua palavra confirmada “por sinais, prodígios e vários milagres, e por distribuição do
Espírito Santo, segundo a sua vontade”. Não precisamos responder se Deus dá ou não
o poder de fazer milagres hoje. Os fatos falam sozinho. Quem tem, faz, quem não tem,
deve calar a boca para não se passar por mentiroso.

O PODER DA ORAÇÃO

Jesus e seus apóstolos deram muita importância à oração, eles foram


intensamente dedicados a esta prática e ensinaram a orar sem cessar, porém não
costumavam usar a oração para fazer milagres, porque estes tinham o objetivo de
provar a veracidade da sua palavra e que Jesus Cristo é o Filho de Deus. O poder da
oração é do tamanho da fé obediente, e de acordo com a vontade de Deus. Jesus
disse: “Pedir, e dar-se vos há” Mat. 7: 7; Luc. 11: 9, 10. “Se dois dentre vós, sobre a
terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á
concedido por meu Pai, que está nos céus” Mat. 18: 19. “tudo quanto pedirdes em
oração, crendo recebereis” Mat. 21: 22; Mc. 11: 24. “Tudo quanto pedirdes em meu
nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho” João 14: 13. “Se me
pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei” João 14: 14. “Eu vos escolhi, e vos
designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo o
que pedirdes ao Pai, em meu nome, ele vo-lo conceda” João 15:16 “Se permanecerdes
em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos
será feito” João 15: 7. “Se pedirdes alguma coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu
nome... pedi, e recebereis” João 16: 23-34. “Naquele dia, pedireis em meu nome; e

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 7
não vos digo que rogarei ao Pai por vós. Porque o próprio Pai vos ama, visto que me
tendes amado e tendes crido que eu vim da parte de Deus” João 16: 26-27. (Nota:
o que Jesus falou dos capítulos treze ao dezessete de João foi somente com os doze
apóstolos, somente os doze estavam com ele, algumas coisas não dá para aplicar a
alguém hoje, por exemplo: O Espírito não vai fazer que eu me lembre hoje, do que
Jesus falou-me quando estava com os apóstolos. Não, porque eu não estava com eles,
não ouvi nada. A distância entre pedir e receber é do tamanho da fé obediente e como
Deus quer, não como nós queremos. Jesus disse: “Pai, tudo te é possível; passa de mim
este cálice, contudo, não seja o que eu quero, e sim o que tu queres Marcos 14: 36; os
impossíveis dos homens são possível para Deus Lucas 18: 27; Tudo é possível ao que
crê Marcos 9: 23; Para Deus tudo é possível Marcos 10: 27; Mat. 19: 26; Se tiverdes fé
como um grão de mostarda, direis a esse monte: Passa daqui para acolá, e ele passará.
Nada vos será impossível” Mat.17: 20. A Bíblia diz que Elias era homem semelhante a
nós, e orou para não chover e por três anos e seis meses não choveu, orou novamente
e choveu sobre a terra. Tiago 5: 17-18.

UMA EXPLICAÇÃO DE MARCOS 16: 14-19

Alguns afirmam que estes sinais mencionados por Jesus, a partir do versículo 17
são para as pessoas para quem os apóstolos iriam pregar em todos os tempos; outros
dizem que foram para aqueles apóstolos a quem Jesus falou. Nossa visão neste estudo
é que não precisamos discutir nada, nem tão pouco nos dividir; somente estudamos os
fatos, como segue:

Jesus censurou a incredulidade e dureza de coração daqueles apóstolos que


não creram na palavra dos que o tinham visto ressuscitados (v.14); Jesus mandou os
onze apóstolos pregarem o evangelho a toda criatura, em todo o mundo, porem
alguns não haviam crido (v.15); Jesus disse: “Estes sinais hão de acompanhar aqueles
que crêem (que ele ressuscitou) (v.17); os apóstolos pregaram a palavra e Jesus
cooperou com eles, confirmando a palavra por meio de sinais que se seguiam (v.20).
Veja os sinais em Atos (v. 5: 12): Quem fazia os sinais eram os apóstolos e não os que
ouviam e criam na palavra. A palavra “sinais” indica meio ou maneira de identificação,
credenciais, (2 Cor. 12: 12): Os sinais feito por Jesus foram registrados para que o
mundo creia nele e seja salvo (João 20: 30-31.) Os sinais, prodígios, vários milagres e
distribuição do Espírito Santo feito pelos apóstolos, confirmaram a palavra que eles
pregaram, e confirmaram a fé daqueles apóstolos que não haviam crido.“Deus
testemunhava juntamente com eles” (eles, os que ouviram de Jesus). Heb. 2: 2-4.
Portanto, se os sinais são para identificar os que crerem na pregação dos apóstolos,
uma pessoa só pode ser batizada e salva depois de recebê-los, não foi isto que
aconteceu no primeiro século, nem é isto que acontece hoje; portanto os que
advogam esta teoria (que os sinais são para hoje), estão enganando seus seguidores,
prometendo salvação e batizando pessoas que não recebem estes sinais de Marcos 16.
Nota: Se os sinais de marcos dezesseis são para hoje e você não tem todos eles, é
porque você não crê que Jesus ressuscitou, está morta nos seus pecados e não pode
ser batizada para ser salva. Jesus disse: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos
libertará. “Examinais as escrituras porque julgais ter nelas a vida eterna e são elas
O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -
(sousaseverino@hotmail.com). Página 8
mesmas que testificam de mim” João 8: 32; 5: 39. Jesus está dando autoridade aos
apóstolos que crêem fazeres os sinais de confirmação da fé, não está mandando orar
para fazer milagre, mais fazer os sinais para confirmação da fé.

UMA EXPLICAÇÃO DA DOUTRINA DO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO

O batismo com o Espírito Santo foi prometido para todos os crentes


arrependidos que são batizados em Cristo. João Batista batizou com água e disse que
Jesus iria batizar com o Espírito Santo e com fogo. Os que forem batizados com o
Espírito Santo (o trigo) serão recolhidos no celeiro (o novo céu e nova terra); os que
forem batizados com fogo (a palha) serão lançados no “fogo inextinguível” (o inferno),
com a “pá que Cristo tem na mão”. Jesus prometeu: “Estarei convosco todos os dias,
até a consumação do século” e prometeu enviar o Espírito Santo Para ficar para
sempre com seus discípulos. Joel também profetizou a vinda do Espírito Santo para
toda carne (judeus e gentios). (João 14: 16; Mat. 28: 18-20; Joel 2: 28-32).

Em Atos dois em Jerusalém e dez na casa de Cornélio, cumpriram-se as


profecias da vinda do Espírito Santo para “ficar para sempre convosco”. João Batista
disse que Jesus batizará os fiéis (o trigo) com o Espírito Santo; Pedro disse:
“arrependei-vos e cada um de vós seja batizado... e recebereis o dom do Espírito Santo
(o Espírito Santo como um dom). Pois para vós outros é a promessa (anunciada por
Joel, por João e por Jesus)... para quantos o Senhor nosso Deus Chamar”. Existe
somente um batismo, somente um corpo e somente um Espírito. Efésios 4: 5; “Em um
só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo” I Cor. 12: 13. (somos batizados
no único Espírito e único corpo). Fomos batizados em Cristo e “todos quantos fostes
batizados em Cristo de Cristo vos revestistes” Gal. 3: 27. “O Senhor é o Espírito”
II Cor. 3: 17. Quem é batizado em Cristo recebe o perdão dos pecados arrependidos, é
batizado no Espírito Santo, no corpo (igreja de Cristo, reino de Deus), e nasce da água e
do Espírito (João 3: 3-5). Quem não for batizado em Cristo não será batizado no
Espírito Santo, e será lançado no fogo com a pá que Cristo tem na mão. A Bíblia ensina
um só batismo para o cristão; no Pai, no Filho e no Espírito Santo (no único Deus).

UMA BREVE EXPLICAÇÃO DO DOM DE LINGUAS

Dois tipos de línguas estranhas foram profetizadas e cumpridas e na Bíblia, uma


pelo profeta Joel (Joel 2: 28-32), na qual se inclui também a promessa de João Batista
(que Jesus Cristo vos batizará com o Espírito Santo) e a de Jesus Cristo enviar o Espírito
Santo para ficar para sempre com a seus discípulos. Esta profecia se cumpriu em Atos
2: 4: “Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas,
segundo o Espírito lhes concedia que falassem”. Uma grande multidão de judeus e
prosélitos judaicos correu para o cenáculo do templo, todos os ouviam falar, cada um
deles, em sua própria língua materna, At. 2: 5-13; era como se fosse uma tradução

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 9
instantânea. Também em Atos dez (10), Pedro pregou o evangelho a um centurião
romano de nome Cornélio, e a seus parentes e amigos íntimos (v.24). Enquanto Pedro
falava, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra (v.44). Eles falavam
em línguas e engrandeciam a Deus (v.45-46). Pelo relato de Pedro, em sua defesa em
Jerusalém, podemos entender que a descida do Espírito Santo, bem como as línguas
faladas na casa de Cornélio foi igual à de Jerusalém em Atos dois (Atos 11: 1-44). Pedro
disse que o Espírito Santo Havia caído como no princípio, isto indica que não vinha
caindo constantemente na igreja, caiu no princípio do Reino (igreja), e agora sobre os
gentios, e isto já fazia dez anos ou mais.

Um segundo tipo de língua estranha foi profetizado em Isaías 28: 7-22, e citada
por Paulo em I Cor. 14: 21; uma analogia, segundo a qual o ouvir falar em língua
incompreensível era para os que não criam um sinal do juízo divino: “Pelo que por
lábios gaguejantes e por língua estranha falará o Senhor a este povo... Mas não
quiseram ouvir... “Assim, pois, a palavra do Senhor lhes será preceito sobre preceito,
preceito e mais preceito; regra sobre regra; um pouco aqui, um pouco ali; para que
vão, e caiam para trás, e se quebrantem, se enlacem, e sejam presos” (v. 11-13).

Em I Cor. 14 a Bíblia diz para não proibir falar em outras línguas (v.39); tudo
seja feito com ordem e decência (v.40); só pode falar no máximo três pessoas, uma
pessoa por vez, e se houver alguém para traduzir (v.27); não é permitido a mulher falar
(34); isto é mandamento do Senhor (v.37); se alguém ignorar (não obedecer) será
ignorado (por Deus, estará pecando). Nota: Os pentecostais geralmente desobedecem
todos os mandamentos de Deus a esse respeito: “Com efeito, o mistério da iniqüidade
já opera... Segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da
mentira e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o
amor da verdade para serem salvos; é por este motivo, pois, que Deus lhes manda a
operação do erro, para darem crédito à mentira, a fim de serem julgados todos
quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a
injustiça” (II Tess. 2: 7-12).

Deus dá esse dom hoje? A Bíblia diz que “a manifestação do espírito é


concedida a cada um visando um fim proveitoso” ( I Cor. 12: 7); portanto, somente
Deus sabe se ele tem alguma finalidade para conceder esse dom; eu sou batizado em
Cristo há mais de cinqüenta anos e, já assisti culto em diversas denominações
(pentecostais e tradicionais), e nunca vi a manifestação desse dom em nenhum culto
onde a palavra de Deus estava sendo obedecida; o Novo Testamento menciona
diversas congregações em muitas cidades em todo o mundo civilizado daquela época,
e a única congregação onde a manifestação desse dom é mencionada em culto de
adoração, pelo que eu me lembro, é a igreja dos Coríntios (onde a palavra de Deus não
estava sendo obedecida); a profecia de Isaías, citada pelo apóstolo Paulo a respeito da
manifestação desse dom tem como objetivo repreender o pecado dos judeus, para

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 10
juízo dos que não criam; esse tipo de língua foi profetizada como um péssimo sinal
para o judeu descrente “para que vão, e caiam para trás, e se quebrantem, se
enlacem, e sejam presos”. Deus é quem decide dar ou não, mas a igreja peca, se
permitir seu uso em desacordo com o mandamento de Deus, mencionado acima. Jesus
Cristo deu o dom de falar em outras línguas a todos os seus apóstolos que acreditaram
na sua ressurreição e “tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o
Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam”. Cumpriu-se a
profecia de Isaias para juízo dos judeus e de outros que não creram, a palavra dos
apóstolos foi confirmada, eu creio nela e prego para salvar os que crêem e para juízo
dos que não crêem.

O SACERDÓCIO DE MELQUISEDEQUE

Muitos irmãos, alguns batizados há décadas, têm perguntado por que as igrejas
de Cristo não tocam instrumentos musicais nos seus cultos, se a Bíblia ensina
claramente para louvar a Deus com todo tipo de instrumento? Isto é verdade, há
ainda, muitas outras coisas que a Bíblia ensina e as igrejas de Cristo não obedecem e
não ensinam obedecer, isto é, todas as práticas do velho Testamento que não estão
inseridas na nova aliança, sob qual vivemos.

Muitos irmãos já escreveram respondendo a pergunta em epigrafe; hoje vamos


revê-la estudando sobre o sacerdócio de Melquisedeque.

A Bíblia fala sobre dois sacerdócios, o de Arão e o de Melquisedeque.


O sacerdócio de Arão é conhecido como sacerdócio levítico e foi instituído quando
Deus Chamou Arão e o constituído sumo sacerdote. Somente aos levitas foi dado o
exercício desse sacerdócio e nenhuma outra pessoa pode tocar instrumento musical
ou exercer qualquer outra atividade no tabernáculo ou no templo, se não for israelita
descendente de Levi. (Heb. 5: 1-4; Ex. 28); nem o próprios Jesus Cristo poderia, se
estivesse na terra , pois “nem mesmo sacerdote seria“( Heb. 8: 4), muito menos
qualquer outra pessoa que não seja israelita descendente de Levi. A adoração
acompanhada com todo tipo de instrumento mecânico foi colocada por Deus, no
tabernáculo e mais tarde continuou no templo.

Havia uma divisão separada com um véu, tanto no tabernáculo como no


templo; na primeira parte continha o candeeiro, e a mesa e exposição dos pães; e na
segunda parte, que se chama Santo dos Santos, encontrava-se um altar de ouro para o
incenso, o livro da lei ao lado da arca da aliança, e dentro da arca havia uma urna com
o maná, o bordão de Arão e as tábuas da aliança (os dez mandamentos), tudo isto
pertencia à primeira aliança que foi anulada (Heb. 9: 1-7; Dt. 31: 26). A primeira aliança
também tinha preceito de serviço sagrado e o seu santuário terrestre. O povo recebeu
a lei baseado no sacerdócio levitico, porém, nem a lei nem o sacerdócio aperfeiçoaram
coisa alguma (era uma sombra), então Deus levantou outro sacerdote.

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 11
A Bíblia diz: “Se, portanto, a perfeição houvera sido mediante o sacerdócio
levítico (pois nele baseado o povo recebeu a lei), que necessidade haveria ainda de
que se levantasse outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não
fosse contado segundo a ordem de Arão? Pois quando se muda o sacerdócio,
necessariamente há também mudança de lei” Heb. 7: 11-12;.. Portanto, por um lado,
se revoga a anterior ordenança por causa de sua fraqueza e inutilidade (pois a lei
nunca aperfeiçoou coisa alguma, ela até ensinou o pecado, pois “eu não teria
conhecido o pecado, senão por intermédio da lei, pois não teria eu conhecido a cobiça,
se a lei não dissera, não cobiçarás, mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento,
despertou em mim toda sorte de concupiscência... Ro. 7: 7-8), e por outro lado, se
introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus” Heb.7: 18-19; Heb. 7: 1-
4. Portanto, Deus mudou o sacerdócio e mudou a lei; fez uma nova aliança, na qual
temos chegado “à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de
anjos, e à universal assembléia e igreja dos primogênitos arrolados nos céus e a Deus,
o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados e a Jesus o Mediador da nova
aliança...” Heb. 12: 22-24. Tudo que estava dentro do tabernáculo foi mudado, até o
próprio tabernáculo.

Jesus Cristo foi constituído para sempre, nosso grande sumo sacerdote, depois
que “aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu na carne, e tendo sido
aperfeiçoado para ser o autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem, foi
nomeado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque”
(Heb. 5: 8-10); “Porque continua para sempre, tem o seu sacerdócio imutável”
(Heb. 7: 24), “ Ninguém, pois, toma a honra para si mesmo, senão quando chamado
por Deus, como aconteceu com Arão. Assim, também Cristo a si mesmo não se
glorificou para se tornar sumo sacerdote, mas o glorificou aquele que lhe disse: Tu és
meu Filho, eu hoje te gerei”: “Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de
Melquisedeque” (Heb. 5: 4-6 ; Sl. 110: 4),... Constituído, não conforme a lei de
mandamento carnal (como era a primeira aliança), mas segundo o poder de vida
indissolúvel” (Heb. 7: 16). “Pois quando se muda o sacerdócio, necessariamente há
também mudança de lei” (Heb. 7: 12) ... Portanto, por um lado, se revoga a anterior
ordenança por causa de sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nunca aperfeiçoou coisa
alguma), e por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a
Deus “Heb. 7: 18-19. “Possuímos um altar do qual não tem direito de comer os que
ministram no tabernáculo” Heb. 13: 10; “Ora, o essencial das coisas que temos dito é
que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono da Majestade
nos céus, como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu,
não o homem” Heb. 8: 2, (onde nós, em Cristo, também estamos assentados, Ef. 2: 6);
“Jesus obteve ministério mais excelente quanto é ele também mediador de superior
aliança instituída com base em superiores promessas” Heb. 8: 6; “Portanto... olhando
firmemente para o Autor e consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que
lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado
O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -
(sousaseverino@hotmail.com). Página 12
à destra do trono de Deus...” Heb.12: 1-3. É verdade, que a Bíblia diz para tocar todo
tipo de instrumentos musicais no tabernáculo ou no templo, e pelos levitas, no
sacerdócio levítico, terrestre, que não existe mais. Deus mudou o sacerdócio e mudou
a lei, e Deus não está mais no tabernáculo terrestre, ele foi destruído (Dn. 8: 10-12;
9:26-27). “... O pequeno chifre... Cresceu até atingir o exercito dos céus...
Engrandeceu-se até ao príncipe do exército; dele tirou o sacrifício diário e o seu
santuário foi deitado abaixo... “Depois das sessenta e duas semanas será morto o
Ungido e já não estará; e o príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário, e o
seu fim Será num dilúvio, e até ao fim...”. Esta profecia já se cumpriu; o santuário com
tudo que nele estava foi destruído; o sacerdócio e a lei mudaram. Ministramos, hoje,
no sacerdócio de Melquisedeque, temos Jesus Cristo como nosso grande sumo
sacerdote. Portanto, os que Adoram tocando instrumentos musicais estão adorando a
si mesmo, não a Deus. Estude o novo Testamento sobre a adoração em “em espírito e
em verdade”, e saiba muito mais.

OS VERDADEIROS ADORADORES DE DEUS

No velho testamento os judeus deveriam ir anualmente para Jerusalém adorar.


Uma mulher samaritana disse a Jesus: Nossos pais adoravam neste monte, vós,
entretanto; dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus:
Mulher pode crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém
adorareis o Pai... Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores
adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus
adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e
em verdade. Jo. 4: 20-24.

O uso de instrumento musical no Velho testamento acompanhava os sacrifícios,


não era usado nas sinagogas e Jesus não usava durante seu ministério, ele cantava:
“Depois de terem cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras” Mt. 26: 30.
Depois que a igreja foi estabelecida, “perseveravam na doutrina dos apóstolos”
(At. 2: 42), e adoravam com cânticos espirituais: “Por isso, eu te louvarei entre os
gentios; cantarei louvores ao teu nome... Cantem de alegria, ó gentios... Louvem o
Senhor, todos os gentios; cantem louvores a ele todos os povos” Rm. 15: 9-11; “Orarei
com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas
também cantarei com o entendimento I Co. 14: 15; Quando vocês se reúnem cada um
de vocês tem um salmo” I Co. 14: 26; “Falando entre vós com salmos, hinos e cânticos
espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente
a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo” Ef. 5: 18-20;
“Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos
outros com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com
gratidão a Deus em seu coração” Col. 3: 16; etc.

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 13
Durante muitos séculos, enquanto a igreja obedeceu a Deus, não usou
instrumento mecânico na adoração, o seu uso é uma tradição humana invalidando a
palavra de Deus. Mc.7: 13. Jesus disse: “Hipócritas! Bem profetizou Isaias a vosso
respeito... Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E
em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” Mat. 15: 7-9.
O uso de musica vocal é mandamento de Deus porque é uma tradição dos apóstolos;
“Assim, pois, irmãos, permanecei firmes e guardai as tradições que foram ensinadas,
seja por palavra, seja por epístola nossa... Nós vos ordenamos irmãos, em nome do
nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que ande
desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebestes... Caso alguém
não preste obediência à nossa palavra dada por esta epístola, notai-o; nem vos
associeis com ele” II Tes. 2: 15; 3: 5,14. “De fato eu vos louvo porque, em tudo, vos
lembrais de mim e retendes as tradições assim como vo-las entreguei I Cor. 11: 2.

A música vocal é mandamento de Deus, é uma tradição dos apóstolos; a música


instrumental é uma tradição humana, que invalida a palavra de Deus, é uma adoração
vã. “Invalidastes a palavra de Deus, por causa da vossa tradição. Hipócritas... “Em vão
me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens”, disse Jesus Mt. 15: 9.

Documentos Históricos, de dentro e de fora da igreja, provam que a doutrina


dos apóstolos referente à adoração na igreja é música vocal. Plínio, um governador
pagão, depois de muita investigação escreveu ao Imperador romano, Trajano, dizendo
que os cristãos se reúnem antes de amanhecer, num determinado dia para cantar
versos em honra a Cristo; o que preside ler e explica memoriais dos apóstolos,
distribui-se pão e vinho entre os presentes, todos comem como se fosse o corpo e o
sangue de Cristo que eles acreditam que está vivo (110 D.C).
Tertuliano, (180 – 215 D.C), escreveu que entre os cristãos ecoam salmos e hinos ao
Senhor. Eusébio escreveu a História da igreja nos primeiros 400 anos; ele cita um autor
do segundo século e diz: “Todos os salmos e odes que tem sido escritos por irmãos
fiéis desde o início louvam a Cristo como o Verbo de Deus e falam dele como Deus”.
Clemente de Alexandria (200 D.C) descreve os instrumentos musicais do velho
testamento como figura do corpo humano, “Pois o homem é verdadeiramente um
instrumento pacifico; enquanto que outros instrumentos, se você investigar, achará
que são como uma guerra, se inflamando as luxúrias, ou acendendo paixões”. João
Crisóstomo diz numa pregação sobre cantar na adoração: “Se era permitido aos judeus
como o sacrifício era... mas agora, ao invés de órgãos, nós podemos usar nossos
próprios para adorá-lo... Instrumentos não pertencem aos cristãos”. Enciclopédia
Judaica: “A ordem rígida dos pais da igreja, que somente um instrumento deveria ser
usado, a voz humana, tem sido observada nas igrejas da Síria, dos Jacobitas, dos
Nestorianos, e da Grécia até os dias de hoje”. Escritor da Bizantina: “A execução de
música na igreja Bizantina com instrumentos, ou mesmo o acompanhamento de

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 14
música sacra por instrumentos, foi proibido pelos Pais Orientais como sendo
incompatível com o caráter puro, solene e espiritual da religião de Cristo.

“De acordo com o salmodiamento do nosso Salvador e dos santos apóstolos,


eles estabeleceram que somente música vocal pudesse ser usada nas igrejas e
proibiram severamente música instrumental como sendo secular e por procura de
prazer”. Enciclopédia Católica X, 648: “A prática da religião pelos cristãos primitivos era
de uma natureza espiritual tão pura, que qualquer ajuda sensual como, por exemplo,
de música, poderia ser dispensada. A música correta para a igreja é música vocal pura.
Os primeiros cristãos eram de uma fibra muito espiritual para substituir instrumentos
sem vida, ou usá-los para acompanhar a voz humana. Da mesma forma escreveram
Clemente de Alexandria, João Crisóstomo uma série da igreja até a época de Tomas
Aquino”. BÍBLIA DE GENEBRA AD 1599. O comentário na margem, no pé da página do
Salmo 150 diz: “Os instrumentos musicais fizeram parte da Lei, mas foram abolidos na
igreja. João Calvino, famoso reformador e pai das igrejas protestantes; João Wesley,
Reconhecido como pai da igreja Metodista; Charles Haddon Spurgeon, famoso
pregador da igreja Batista em Londres; Adam Clarke, grande escritor de comentários
sobre a Bíblia, etc. Declararam-se contra acrescentar instrumento mecânico na
adoração nos cultos da igreja.

Muitos argumentam que o Novo Testamento não proíbe adorar a Deus com
acompanhamento de instrumento mecânico, isto não é verdade porque o Novo
Testamento ensina que a tradição dos apóstolos é mandamento de Deus, e a tradição
legada pelos apóstolos ensina claramente que os fies a Cristo, os verdadeiros
adoradores adoram em espírito e em verdade. A adoração mecânica é um Desvio da
fé, é uma tradição humana acrescentada centenas de anos depois da morte dos
apóstolos, pelos que se desviaram da verdade, ou nunca foram da verdade. No
passado, Deus castigou com pena de morte os que acrescentaram alguma coisa à sua
palavra, e promete ser muito mais severo hoje, dizendo: “Por esta razão, importa que
nos apeguemos com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos
desviemos. Se. Pois se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda
transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se
negligenciarmos tão grande salvação...“ Heb. 2: 1-4. “Ainda que nós ou mesmo um
anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja
anátema” Gl. 1: 8-9. Instrumento mecânico invalida a adoração em espírito e em
verdade, foi colocado e é praticado pelo homem e para o homem, não para Deus.

O DOM DO ESPÍRITO SANTO

Jesus Cristo prometeu enviar o Espírito Santo para “ficar para sempre
convosco”. A palavra diz que o Espírito Santo é “a promessa para quantos o Senhor

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 15
nosso Deus chamar” (At. 2: 39). Quando eu fui batizado em Cristo, recebi o Espírito
Santo e Cristo passou a viver em mim; Isto significa que o meu velho homem ficou para
trás, eu sou uma nova criatura, sou vivificado e guiado pelo Espírito Santo. Jesus Cristo
disse: “O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos
tenho dito são espírito e são vida”, João: 6:63. A maneira de sermos guiados pelo
Espírito é obedecermos à palavra, pois ela é “ESPÍRITO E É VIDA”.

Alguns argumentam que “A letra mata” II Cor. 3:6; a letra que mata é a lei dada
por Moisés, incluindo a que “foi gravada com letras em pedras” (v.7), os dez
mandamentos; a letra que mata em II aos coríntios três não é a nova aliança da qual
nós somos ministros. Jesus Cristo disse: “O espírito é o que vivifica; a carne para nada
aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida” João 6: 63. A
palavra de Jesus, a nova aliança ou novo testamento é espírito e é vida, não é a letra
que mata. Jesus Cristo disse: “Examinais as escrituras porque julgais ter nelas a vida
eterna e são elas mesmas que testificam de mim” João 5: 39; “E conhecereis a verdade
e a verdade vos libertará” João 8: 32; “Santifica-os na verdade, a tua palavra é a
verdade” João 17: 17; “A própria palavra que vos tenho proferido, essa vos julgará no
último dia” João 12: 48; “Se me amais guardarás os meus mandamentos” João 14: 15.
A Bíblia diz: “Andai no Espírito e Jamais satisfareis à concupiscência da carne, Gl. 5: 16;
Andar no espírito é obedecer à palavra de Jesus. “Tendo purificado a vossa alma pela
vossa obediência à verdade... Como filhos da obediência não vos amoldem às paixões
que tínheis anteriormente na vossa ignorância... Eleitos, segundo a presciência de
Deus Pai, em santificação do Espírito, I Ped. 1: 22, 14, 2... “Para a obediência por fé
entre todas as nações”, Rom. 16: 26.

Eu já ouvi irmãos dirigindo oração na igreja dizendo a Deus que pecou porque a
carne é fraca, é verdade que a carne é fraca, mas não foi por isto que o irmão pecou,
foi porque caminhou para a morte; “mas se pelo Espírito mortificardes os feitos do
corpo, certamente vivereis; pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, são
filhos de Deus” Rom. 8: 13-14; nós somos filhos de Deus e “não pecadores dentre os
gentios”, Gl. 2: 15; outrora éramos filhos da ira, fazíamos a vontade da carne e dos
pensamentos, mas agora Cristo nos deu vida... Ressuscitou-nos, “e nos fez assentar
nos lugares celestiais”... Ef. 2: 2-5; “outrora éreis trevas, porém agora sois luz no
Senhor , andai como filhos da luz (porque o fruto da luz consiste em toda bondade ,
justiça e verdade)” Ef. 5: 8-9; somos filhos de Deus e revestidos de Cristo , “pois todos
quantos fostes batizados em Cristo, de Cristo vos revestistes” filhos e herdeiros, e
temos o Espírito de Seu Filho Gl.3. 26; 4: 5-7; A palavra diz: “Não apagueis o Espírito”
Ef. 5: 19, nós não somos pecadores, somos filhos de Deus e não devemos pecar para
não apagarmos o Espírito. “Deus é luz... “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na
luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu filho, nos
purifica de todo pecado” I João 1: 5, 7 (quando um irmão deixa de congregar está nas
trevas e não têm o perdão dos seus pecados). Quando a Bíblia diz “arrependei-vos e

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 16
cada um de vós seja batizado para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom
do Espírito Santo”, não está falando de uma teoria, mas de um fato, isto é: Deus, Jesus
Cristo, o Espírito Santo, a Palavra vêm habitar e morar nessa nova criatura. ”Não sabeis
que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós“? I Cor. 3: 16;
”Vós estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito”... “Para santuário
dedicado ao Senhor” Ef. 2: 22, 21; ”O qual nos habilitou para sermos ministros de uma
nova aliança... “. II Cor. 3: 6. “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que
possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo permanecer inabaláveis”
Ef. 6: 13. (Couraça da justiça, o evangelho da paz, o escudo da fé, o capacete da
salvação e a espada do Espírito que é a Palavra de Deus (Ef. 6:12-17). “Porque a nossa
luta não é contra o sangue e a carne, é sim contra os principados e potestades, contra
os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas
regiões celestes” (v.12).

Não existe nenhuma força ou poder que nos possa separar de Deus, “Porque eu
estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados,
nem as coisas do presente, nem do provir nem os poderes, nem a altura, nem a
profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que
está em Cristo Jesus, nosso Senhor” Rm. 8: 38-39. Portanto, irmãos, não apagueis o
Espírito de Deus que nos dá este poder pela nossa obediência à Palavra; “Sabendo
isto: que foi crucificado com ele (Cristo) o nosso velho homem, para que o corpo do
pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos... Se pelo Espírito
mortificardes os feitos do corpo, certamente vivereis” Rm. 6: 6; 8: 13.

CONCLUSÃO

Podemos, portanto seguir Jesus Cristo hoje não somente como o fizeram os seus
primeiros discípulos, mas ainda com maior facilidade, porque temos sua palavra
confirmada com todos os milagres contidos nela, e por milhares de testemunhas que
deram seu próprio sangue em defesa da fé que tiveram. Temos ainda, muito mais
oportunidade em estudar e obedecer à palavra de Deus hoje, do que tiveram os irmãos
daquela época, porque temos a Bíblia traduzida e publicada em quase todos os idiomas
do mundo; somos batizados no mesmo corpo, no mesmo Cristo, no mesmo Espírito e
na mesma fé, e adoramos a Deus em “espírito e em verdade”, e ainda temos a
vantagem em não sermos perseguidos, como os primeiros cristãos. É verdade que
existem falsos pregadores na cristandade hoje, muito mais do que tiveram os cristãos
dos primeiros séculos da igreja; mas, “se alguém quiser fazer a vontade dele (Deus),
conhecerá a respeito da doutrina...”, Jo. 7: 17. Assim, temos o Cristo de ontem nos dias
hoje, o mesmo Deus, o mesmo Espírito, a mesma igreja e a única fé.

Severino Antônio de Sousa

O CRISTO DE ONTEM NOS DIAS DE HOJE - SEVERINO ANTÔNIO DE SOUSA -


(sousaseverino@hotmail.com). Página 17