Você está na página 1de 4

Centro de Ensino Dorgival Pinheiro de Sousa

Data: 02/04/2020. Turma: 2° A01

Professor (a): Teodolina Rêgo Bezerra

Aulo(a) : Estéfane Abreu Gomes

Disciplina : Arte

Arte indígena do estado do Maranhão.

Imperatriz-Ma

2020
Quantas tribos formam a população indígenas do Maranhão?

Pelos dados de 2006 da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), os índios guaranis


formam o maior agrupamento indígena brasileiro, com quase 10% dos 454 mil índios
que habitam o território nacional atualmente. Existem 220 etnias indígenas no Brasil,
algumas das quais com pouquíssimos representantes – metade da população
indígena está concentrada nos dez maiores grupos. Embora a população indígena
atual pareça pequena se comparada aos 5 milhões de nativos que habitavam o Brasil
na época do Descobrimento, ela cresce a uma taxa anual de 3,5% – a média nacional
é de 1,6%. “A partir dos anos 60, uma série de fatores, incluindo o fortalecimento de
políticas de saúde e de educação para os índios, contribuíram para que a população
indígena começasse a crescer pela primeira vez desde a chegada dos portugueses”,
explica a antropóloga Maria Elizabeth Brêa, da Fundação Nacional do Índio .

Confira as etnias indígenas registradas pela Funai no Maranhão:

Ka’apor

Os índios Ka’apor vivem na terra indígena “Alto Turiaçu” com uma


população de 1.929 indivíduos. E seu território está distribuído dentro de
seis municípios maranhenses (Araguanã, Centro do Guilherme, Centro
Novo do Maranhão, Maranhãozinho, Santa Luzia do Paruá e Zé Doca).

Guajá

A população da etnia Guajá está dividida em três terras indígenas:


Arariboia, Awa e Bacurizinho. No total, são 11.193 índios registrados pelo
Censo de 2010 vivendo nestas regiões.

Seu território chega a ocupar terras de dez municípios: Arariboia


(Amarante do Maranhão, Arame, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Grajaú
e Santa Luzia); Awa (Centro Novo do Maranhão, Governador Newton
Bello, São João do Carú e Zé Doca) e Bacurizinho (Grajaú).

Tenetehara

Os Tenetehara são os índios que mais tem terras regularizadas no


Maranhão com o total de oito. A população registrada desta etnia chega a
12.248 pessoas e os índios chegam a contemplar oito municípios: Cana
Brava (Barão de Grajaú, Barra do Corda, Jenipapo dos Vieiras); Caru (Bom
Jardim); Governador (Amarante do Maranhão); Lagoa Comprida (Itaipava
do Grajaú e Jenipapo dos Vieiras); Morro Branco (Grajaú); Rio Pindaré
(Bom Jardim e Monção); Rodeador (Barra do Corda); e Urucu (Itaipava do
Grajaú).

Vale ressaltar que nas terras indígenas Governador, os Tenetehara estão


mesclados com a etnia Gavião Pukobiê. Além disso, os índios ainda
reivindicam a regularização de uma nova área conhecida como Vila Real
em Barra do Corda, mas o status ainda está “em estudo” de acordo com a
Funai.

Timbira

Um das mais conhecidas etnias indígenas do Maranhão tem uma


população reduzida no estado com apenas 163 indivíduos registrados no
Censo. Os índios vivem na terra de Geralda Toco Preto (Arame e Itaipava
do Grajaú).

Os índios também reivindicam para si uma terra chamada de Krenyê


(Barra do Corda e Vitorino Freire) e a área se encontra-se em
procedimento administrativo para aquisição, que pode ser feita por
compra direta, desapropriação ou doação.

Kanela

Os índios da etnia Kanela tem uma população de 4465 pessoas que vivem
na terra indígena de Kanela (Barra do Corda e Fernando Falcão) e
Porquinhos (Barra do Corda e Fernando Falcão).

Além das duas terras regularizadas, os Kanela ainda estão em processo


para ter mais dois territórios seus: Kanela Memortumré (Barra do Corda
e Fernando Falcão) e Porquinhos dos Canela-Apãnjekra (Barra do Corda,
Fernando Falcão, Formosa da Serra Negra e Mirador).

A primeira é considerada “delimitada” atualmente, ou seja, tiveram os os


estudos aprovados pela Presidência da Funai, com a sua conclusão
publicada no Diário Oficial da União e do Estado, e que se encontram na
fase do contraditório administrativo ou em análise pelo Ministério da
Justiça, para decisão acerca da expedição de Portaria Declaratória da
posse tradicional indígena.

A segunda é considerada “declarada”, ou seja, obteve a expedição da


Portaria Declaratória pelo Ministro da Justiça e estão autorizadas para
serem demarcadas fisicamente, com a materialização dos marcos e
georreferenciamento.

Krikati

Os índios Krikati vivem na terra indígena de mesmo nome e tem uma


população de 1700 indivíduos distribuídos em seu território que abrange
quatro municípios maranhenses (Amarante do Maranhão, Lajeado Novo,
Montes Altos e Sítio Novo).

Gamela

Os índios Gamela ainda não possuem terra regularizada pela Funai.


Atualmente a terra de “Taquaritiua” ainda está em fase de estudo e seu
território abrangeria parte dos municípios de Viana, Penalva e Matinha.

Você também pode gostar