Você está na página 1de 34

UNIVERSIDADE PAULISTA

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO – ICSC


CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

DP - DEPENDÊNCIA
APS - ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
5º/4º semestres

Ferramenta pedagógica de apoio:

Agosto / 2021

1
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO
1. Objetivo 3
1.1. Objetivos Específicos 3
2. Disciplinas relacionadas a esta APS 4
2.1. Bibliografia disciplinas básicas 4
2.2. Bibliografia disciplinas complementares 6
3. Etapas para a realização da APS 8
4. Roteiro do Conteúdo da APS 8
4.1. Identificação da empresa 8
5. Informações para o fechamento do mês de janeiro/X2 8
5.1 Posição Inicial 8
5.2 Produtos fabricados pela empresa APS Ltda 9
5.2.1 Saldos iniciais de Estoques 10
5.2.2 Transações ocorridas no mês de janeiro/X2 10
5.2.3 Dados para apuração do Custo de Produção 14
5.2.4 Ficha da movimentação de Estoques de Matéria Prima 16
5.2.5 Contabilizações referentes ao mês de janeiro/X2 17
5.2.6 Balancete referente ao mês de Janeiro 23
6. Informações para o fechamento do mês de fevereiro/X2 24
7. Informações para o fechamento do mês de março/X2 24
8. Roteiro para elaboração da APS no sistema Account 25
9. Estrutura Básica do Trabalho 27
10. Formatação 28
11. Avaliação 29
12. Orientações finais 29

2
INTRODUÇÃO

O Manual aqui apresentado tem como objetivo fornecer orientações para a


realização da DP da APS - Atividade Prática Supervisionada do curso de Ciências
Contábeis. Trata-se de um trabalho semestral, interdisciplinar, extraclasse e INDIVIDUAL.

Como consta no Projeto Pedagógico do Curso (PPC) as APS - Atividade Prática


Supervisionada, constituíram-se em um meio ou instrumento pedagógico para o
aprimoramento da aprendizagem via interdisciplinaridade - integração e relacionamento
dos conteúdos de disciplinas que compõem os semestres do curso – e, práxis - integração
teoria e prática por meio da aplicação do conhecimento adquirido em sala de aula à
realidade.

As APS - Atividades Práticas Supervisionadas visam, por um lado, contribuir para


desenvolver nos alunos as competências requeridas dos Contadores, na expectativa de
que, no mercado de trabalho, poderão atuar em funções executivas e especializadas
relativas às muitas práticas de gestão requeridas pelas organizações, como
empreendedoras (de negócios próprios) e, por outro, a favorecer um meio de reflexão
crítica da realidade a partir dos fundamentos teóricos das disciplinas do semestre letivo e
da observação, descrição e análise de importantes temas e desafios, que cercam o campo
das Ciências Contábeis, em uma situação real. A APS - Atividade Prática Supervisionada é
uma disciplina, que o aluno deve cursar normalmente dentro de cada semestre.

1. Objetivo

Evidenciar a capacidade dos alunos em identificar e descrever o cenário contábil


das principais disciplinas do semestre, podendo utilizar disciplinas já ministradas, isto em
razão da interdisciplinaridade.

1.1 Objetivos Específicos

A DP de APS do 5º e 4º semestre de Ciências Contábeis está diretamente


associada à disciplina de Contabilidade de Custos.

O objetivo desta APS é apurar os custos de produção e, consequentemente, os


custos dos produtos vendidos referentes ao primeiro trimestre do exercício de X2. Ao final
de cada mês deverão ser apresentados os mapas de apuração de custo, as
3
contabilizações e a apresentação do Balancete nos meses de janeiro, fevereiro e março.
No mês de março deve-se apresentar, também, o Balanço Patrimonial e a Demonstração
de Resultados do Trimestre (para o encerramento, considerar no sistema “ACCOUNT”
como final do exercício, o mês de dezembro, ou seja, o período será de 01.10.X2 a
31.12.X2).

Para tanto foi criada uma empresa hipotética denominada APS Indústria de
Torneiras Ltda. O trabalho consistirá nas seguintes etapas:

JANEIRO/X2

O mês de janeiro de X2, encontra-se totalmente resolvido e servirá de base para o


aluno resolver os meses de Fevereiro/X2 e Março/X2.

FEVEREIRO/X2 e MARÇO/X2

Teremos informações que serão definidas pelo aluno, porém, com algumas
fornecidas no Manual, por exemplo, o volume de MP a ser adquirida em fevereiro.

Por se tratar de uma disciplina que está sendo cursada em regime de dependência, o
trabalho deve ser entregue ao coordenador, juntamente com a Ficha de APS do
aluno. Caso a ficha não seja entregue devidamente preenchida e assinada, o aluno
estará reprovado.

2. Disciplinas relacionadas a esta APS

- Básicas: Contabilidade de Custos e Estrutura das Demonstrações Contábeis.

- Complementares: Método do Trabalho Acadêmico, Estatística e Administração


Financeira.

2.1 Bibliografia das Disciplinas básicas

CONTABILIDADE DE CUSTOS

BÁSICA

4
CREPALDI, Silvio A.; CREPALDI Guilherme S. Contabilidade de custos. 6. ed. São
Paulo: Atlas, 2018.
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2018.
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos – livro de exercícios. 11. ed. São Paulo:
Atlas, 2015.

COMPLEMENTAR

LEONE, George S. G.; LEONE, Rodrigo J. G. Curso de contabilidade de custos. 4. ed.


São Paulo: Atlas, 2010.
MEGLIORINI, Evandir. Custos – Análise e Gestão. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2011.
NEVES, Silvério das & VICECONTI, Paulo E.V. Contabilidade de custos – Um enfoque
direto e objetivo. 12. ed. São Paulo: Saraiva, 2018.
STOPATTO, Mauro. Contabilidade de Custos Simplificada e Interativa - Uma
Abordagem Gerencial. São Paulo: Atlas, 2020.
VEIGA, Windsor E.; SANTOS, Fernando de A. Contabilidade de Custos – Gestão em
Serviços, Comércio e Indústria. São Paulo: Atlas, 2016.

VIRTUAL

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2018.
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos – livro de exercícios. 11. ed. São Paulo: Atlas,
2015.
VEIGA, Windsor E.; SANTOS, Fernando de A. Contabilidade de Custos – Gestão em
Serviços, Comércio e Indústria. São Paulo: Atlas, 2016.

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

BÁSICA

GELBCKE, Ernesto R. et al. Manual de Contabilidade Societária. 3. ed. São Paulo: Atlas,
2018.
MONTOTO, Eugenio; LENZA, Pedro. Contabilidade geral e avançada esquematizado.
6. ed. São Paulo: Saraiva, 2019.

5
SALOTTI, Bruno Meirelles et. al. Contabilidade financeira. São Paulo: Atlas, 2019.

COMPLEMENTAR

ADRIANO, Sergio. Manual dos pronunciamentos contábeis comentado. São Paulo:


Atlas, 2018.
ALMEIDA, Marcelo C. Contabilidade Introdutória em IFRS e CPC. 2. ed. São Paulo:
Atlas, 2018.
ASSAF NETO, Alexandre. Estrutura e Análise de Balanços – Um Enfoque Econômico-
Financeiro. 12. ed. São Paulo: Atlas, 2020.
IUDÍCIBUS, Sergio de; MARION, José C. Contabilidade Comercial (Livro Texto). 11. ed.
São Paulo: Atlas, 2019.
PEREZ JUNIOR, José H.; BEGALLI, Glaucos A. Elaboração e Análise das
Demonstrações Financeiras. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2015.
RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Intermediária. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

VIRTUAL

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC). CPC 03 (R2) - Demonstração do


Fluxo de Caixa, 2010. Disponível em: www.cpc.org.br
_______________. CPC 26 (R1) – Apresentação das Demonstrações Contábeis, 2011.
Disponível em: www.cpc.org.br
GELBCKE, Ernesto R. et al. Manual de Contabilidade Societária. 3. ed. São Paulo: Atlas,
2018.
SALOTTI, Bruno Meirelles et. al. Contabilidade financeira. São Paulo: Atlas, 2019.

2.2 Bibliografia das disciplinas complementares

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO

BÁSICA

6
LAKATOS, E. Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia
Científica. São Paulo: Atlas, 2007.
ALVES, Rubem. Filosofia da ciência. São Paulo: Ars Poética, 1996.
SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2005.

COMPLEMENTAR

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico;


elaboração de trabalhos na graduação. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2003
CERVO, A. L.; Bervian, P. A. Metodologia Científica. São Paulo: Makron Books, 1996.
CHIZZOTI, A. A pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Ed. Cortez, 1995.
CONTANDRIOPOULOS, A.P. et al. Saber preparar uma pesquisa. São Paulo: Hucitec &
ABRASCO,1994.
DEMO P. Introdução à metodologia da ciência. São Paulo: Atlas, 1991.

VIRTUAL
A L. CERVO, Bervian P.A.; Silva R. Metodologia Científica. 6. ed. Editora Pearson.
AZEVEDO C. B. Metodologia científica ao alcance de todos. Editora Manole
MAGALHÃES G. Introdução à metodologia de pesquisa. Editora Ática

PERIÓDICOS
REPEC - Revista de educação e pesquisa em contabilidade
http://www.repec.org.br
PESQUISA MUNDI
http://www.pesquisamundi.org/
RAE - revista de administração de empresas
http://rae.fgv.br/
ADMINISTRAÇÃO: ENSINO E PESQUISA
http://old.angrad.org.br/revista/edicoes_anteriores/

ESTATÍSTICA

BÁSICA

7
BRUNI, A. L. Estatística Aplicada à Gestão Empresarial. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2013.
JOHNSON, R.; KUBY, P. Estatística São Paulo: Cengage Learning, 2014.
LARSON, R.; FARBER, B. Estatística aplicada. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall,
2015.

COMPLEMENTAR

ANDERSON, D. R.; SWEENEY, D.J.; WILLIANS, T. A. Estatística Aplicada à


Administração e Economia. 3. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2013
BUSSAB, W. O.; MORETTIN, P.A. Estatística Básica 9. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.
MARTINS, G. A.; DOMINGUES, O. Estatística Geral e Aplicada. 6. ed. São Paulo:
Editora Atlas, 2017
OLIVEIRA, F.E.M. Estatística e Probabilidade. 3. São Paulo: LTC, 2017
RUMSEY. D. J. Estatística para Leigos. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Alta Books, 2019

VIRTUAL

BONAFINI, F. C. et al Estatística. São Paulo: Pearson Education do Brasil,2012


LEVIN, J; FOX, J. A.; FORDE, D. R. Estatística para Ciências Humanas. 11. ed. São
Paulo: Pearson Education do Brasil,2012
NEUFELD, J. L. Estatística Aplicada à Administração Usando o Excel. São Paulo:
Pretice Hall, 2003

PERIÓDICOS

REVISTA BRASILEIRA DE ESTATÍSTICA. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de


Geografia e Estatística, 1940-2019.
(Disponível no sítio: http://www.rbes.ibge.gov.br/).
JORNAL VALOR ECONÔMICO. São Paulo: Organizações Globo e Grupo Folha, 2000-
2019

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

BÁSICA

8
ASSAF NETO, Alexandre; LIMA, Fabiano Guasti. Curso de administração financeira. 4.
ed. São Paulo: Atlas, 2019.
HOJI, Masakazu. Administração Financeira e orçamentária. 12. ed. São Paulo: Atlas,
2017.
GITMAN, Lawrence J.; ZUTTER, Chad J. Princípios de Administração Financeira. 14.
ed. São Paulo: Pearson, 2018.

COMPLEMENTAR

ASSAF Neto, Alexandre; LIMA, Fabiano Guasti. Fundamentos de administração


financeira. 3. ed., São Paulo: Atlas, 2017.
CHEROBIM, Ana Paula. Administração financeira. 4. ed., São Paulo: Atlas, 2016.
EHRHARDT, M. C.; BRIGHAM, E. F. Administração Financeira: Teoria e prática. 14. ed.
São Paulo: Cengage Learning, 2016.
SOBRAL, F.; PECI, A. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. 2 ed. São
Paulo: Pearson, 2013.

VIRTUAL / PERIODICOS
CAMARGO, C. Planejamento Financeiro. IBPEX. ISBN: 8576490706.
MEGLIORINI E. E.; VALLIM, M.A. Administração Financeira. Pearson. ISBN:
9788576052067.
Revista Brasileira de Finanças
http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rbfin/index
Revista Contabilidade e Finanças -
http://www.scielo.br/

3. Etapas para realização da APS

Esta DP de APS deverá ser realizada individualmente pelo aluno.

Em ___/___/___, entrega de 1 (uma) cópia do Trabalho Escrito e da Ficha de APS


ao coordenador. Após esta data a Atividade não será aceita. As datas serão fixadas
pelo coordenador.

9
4. Roteiro do conteúdo da APS

4.1 Identificação da Empresa

A empresa APS Indústria de Torneiras Ltda. é uma tradicional indústria fabricante


de torneiras, líder no mercado nacional, produzindo dois tipos de torneiras: Torneira
Normal (classificada como produto A) e Torneira Especial (classificada como produto B).

Está localizada em região que atende a todo território nacional com especialidade
na fabricação e comercialização de Torneiras. Conta com uma equipe de funcionários
familiarizada com as novas tecnologias empregadas no processo de produção, garantindo
qualidade e padronização do produto final.

Além de um design inovador, conta com alta qualidade nos produtos e a busca pela
perfeição e inovação são uma constante na empresa.

A empresa é contribuinte do Imposto de Renda pelo Lucro Real Trimestral.

5. Informações para o fechamento do mês Janeiro/X2

5.1 - Posição inicial


A empresa apresentou, em 31/12/X1, a seguinte posição:

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO EM 31/12/X1

SALDOS
Descrição da Conta Devedores Credores
Caixa e Equivalentes de Caixa 166.510,00
Capital Social 575.000,00
Contas a Pagar 20.000,00
Depreciação Acumulada de Máquinas e Equipamentos 150.000,00
Depreciação Acumulada de Móveis e Utensílios 30.000,00
Duplicatas a Receber 270.000,00
Estoque de Matéria-Prima A 4.090,00
Estoque de Produtos Acabados (Torneira Normal) A 3.400,00
Estoque de Produtos Acabados (Torneira Especial) B 6.000,00
Fornecedores 200.000,00
INSS a Recolher 16.000,00
FGTS a Recolher 4.500,00
IRRF a Recolher 2.500,00
Férias a Pagar 32.000,00
ICMS a Recolher 65.000,00
PIS e COFINS a Recolher 50.000,00
IRPJ a Recolher 35.000,00
CSL a Recolher 15.000,00
Máquinas e Equipamentos 600.000,00

10
Móveis e Utensílios 150.000,00
Perdas Estimadas com Créditos para Liquidação Duvidosa 5.000,00
TOTAL 1.200.000,00 1.200.000,00

5.2 - Produtos fabricados pela empresa APS Indústria de Torneiras Ltda:

- Torneira Normal e Torneira Especial sendo classificados como produto A e B,


respectivamente, como já mencionado anteriormente.
No sistema Account a torneira normal será identificada com produto A e a torneira especial
será identificada como produto B.

5.2.1 - Saldos iniciais de estoque (31/12/X1)

Saldo de matéria Prima

- Ferro:
Quantidade: 500 Kg
Valor Total: R$ 4.090,00

Obs: Para a fabricação das torneiras é necessário apenas a utilização do ferro como
matéria prima.

Saldo de Produtos em Elaboração

Toda a produção é acabada no final de cada mês.

Saldo de produtos acabados

- Produto A (Torneira Normal)


Quantidade: 200 unidades
Valor Total: R$ 3.400,00

- Produto B (Torneira Especial)


Quantidade: 200 unidades
Valor Total: R$ 6.000,00

5.2.2 - Transações ocorridas no mês de Janeiro de X2:

Nº do Data Fatos/Ocorrências
lanç.
1 05.01.X2 Compra de Matéria-Prima a prazo para Estoque

Quantidade: 15.000

11
Kg de Ferro
Preço de Compra: R$
11,20/kg
ICMS 12%
PIS e COFINS 9,25%
Obs.: Não incidência de IPI (MP é isenta)

Pagamento do FGTS da folha de dezembro de 2015 no valor de R$


2 07.01.X2 4.500,00

3 12.01.X2 Compra, à vista, de materiais para manutenção das máquinas no valor de R$ 5.000,00.

Recebimento de duplicatas no valor de R$


4 12.01.X2 150.000,00.

5 12.01.X2 Contabilização da venda bruta efetuada nas seguintes condições: 50% à vista e 50% a prazo.

Produto: Quantidade Valor Unitário


Torneira Normal 3.200 R$ 50,00
Torneira especial 1.000 R$ 90,00
ICMS: 12%; PIS e COFINS : 9,25%
(O pagamento do ICMS, PIS e COFINS ocorre no dia 20 do mês
subsequente)

As baixas do Estoque devem ser contabilizadas no final do mês.

6 15.01.X2 Pagamento do seguro dos equipamentos da fábrica no valor de R$ 3.500,00.

7 15.01.X2 Contabilização da venda bruta efetuada nas seguintes condições: 50% à vista e 50% a prazo.

Produto: Quantidade Valor Unitário


Torneira Normal 2.000 R$ 50,00
Torneira especial 800 R$ 90,00
ICMS: 12%; PIS e COFINS : 9,25%
(O pagamento do ICMS, PIS e COFINS ocorre no dia 20 do mês
subsequente)

As baixas do Estoque devem ser contabilizadas no final do mês.

Pagamento dos impostos do mês anterior


8 20.01.X2 conforme descrito abaixo:

INSS a Recolher R$ 16.000,00


IRRF a Recolher R$ 2.500,00
ICMS a recolher R$ 65.000,00
PIS e COFINS a Recolher R$ 50.000,00

9 22.01.X2 Pagamento das seguintes despesas:

12
Despesas Gerais e Administrativas R$ 20.000,00
Despesas com Vendas R$ 15.000,00

Pagamento de Energia Elétrica no valor de R$ 17.000,00, referente ao mês


10 29.01.X2 de janeiro de X2:

Fábrica R$ 14.500,00
Escritório R$ 2.500,00

Pagamento do Aluguel no valor de R$ 38.000,00, referente ao mês de


11 29.01.X2 janeiro de X2:

Fábrica R$ 30.000,00
Escritório R$ 8.000,00

12 29.01.X2 Pagamento de outros gastos (Água, Gás, etc.) no valor de R$ 7.000,00, referente ao mês janeiro de X2:

Fábrica R$ 2.000,00
Escritório R$ 5.000,00

13 29.01.X2 Contabilização da venda bruta efetuada nas seguintes condições: 50% à vista e 50% a prazo.

Produto: Quantidade Valor Unitário


Torneira Normal 3.600 R$ 50,00
Torneira especial 1.100 R$ 90,00
ICMS: 12%; PIS e COFINS : 9,25%
(O pagamento do ICMS, PIS e COFINS ocorre no dia 20 do mês
subsequente)

As baixas do Estoque devem ser contabilizadas no final do mês.

14 29.01.X2 Pagamento de Fornecedores no valor de R$ 240.000,00

Recebimento de duplicatas no valor de R$


15 30.01.X2 130.500,00.

Contabilização da Folha de Pagamento da do mês de janeiro de X2 (os encargos sociais serão


16 30.01.X2 contabilizados na mesma conta de Salários)

Salários e Encargos por Departamento Funcionários Valor

Departamentos:

Fundição: MOD 10 R$ 34.230,00


MOI 5 R$ 14.670,00
Cromação: MOD 4 R$ 11.400,00
MOI 2 R$ 4.900,00
Montagem: MOD 6 R$ 18.900,00
MOI 3 R$ 8.100,00

13
Almoxarifado MOI 4 R$ 4.900,00
Manutenção MOI 6 R$ 11.400,00
Administração da Fábrica MOI 5 R$ 13.000,00

Total da MOD R$ 64.530,00


Total MOI R$ 56.970,00
Total – Fábrica R$ 121.500,00

Pessoal Administrativo 8 R$ 15.000,00


Pessoal de Vendas 7 R$ 26.900,00
Total – Escritório R$ 41.900,00

Total Geral 60 R$ 163.400,00

Os gastos com pessoal têm a seguinte distribuição e prazos de


pagamento:

Salário Bruto R$ 100.000,00


Encargos INSS (descontado do funcionário) R$ (10.000,00)
IRRF (descontado do funcionário) R$ (20.000,00)
Salário Líquido (pago no final do mês R$ 70.000,00

Gastos da empresa com Pessoal:


Salário Bruto R$ 100.000,00
Encargos INSS = 28,8% (venc. dia 20 do mês
subsequente) R$ 28.800,00
Encargos FGTS = 8% (venc. dia 7 do mês
subsequente) R$ 8.000,00
Féria e Encargos apropriados no mês R$ 15.200,00
13º Salário e Encargos apropriados no mês R$ 11.400,00
Total R$ 163.400,00

Contabilização da depreciação do mês de janeiro de X2 sendo as seguintes


17 30.01.X2 taxas:

Máquinas e Equipamentos: 20% de R$


600.000,00(1/12) = 10.000,00
Móveis e Utensílios: 10% de R$
150.000,00(1/12) = 1.250,00

18 30.01.X2 Contabilização da apuração do ICMS e do PIS e COFINS de janeiro de X2 (a Recuperar/a Recolher)

Apropriação do consumo de Matéria-Prima


(Custo Direto), ver ficha de controle de estoques
19 30.01.X2 de Matéria Prima.

Torneira Normal R$ 79.194,19


Torneira Especial R$ 39.597,10

14
20 30.01.X2 Apropriação da MOD (Custo Direto) proporcional ao consumo da Matéria-Prima (conf.
Ficha de Movimentação dos estoques de
Matéria-Prima)

Torneira Normal (9.000 Kg) R$ 43.020,00


Torneira Especial (4.500 Kg) R$ 21.510,00
Total R$ 64.530,00

21 30.01.X2 Apropriação dos CIFs, conforme Mapa de Apuração do CIF por


Departamento R$ 121.970,00

22 30.01.X2 Transferência de Produtos em Elaboração para Produtos Acabados:


Torneira Normal R$ 189.764,82
Torneira Especial R$ 115.526,47

23 30.01.X2 Transferência de Produtos Acabados para CPV


Torneira Normal R$ 184.766,35
Torneira Especial R$ 110.133,36

24 30.01.X2 Pagamento do IRPJ referente ao exercício anterior R$ 35.000,00

25 30.01.X2 Pagamento da CSL referente exercício anterior R$ 15.000,00

5.2.3 - Dados para apuração do Custo de Produção

5.2.3.1 - Ficha de Movimentação do Estoque de Matéria Prima (Média Ponderada


Móvel)

ENTRADAS SAIDAS SALDO


DATA QUANT UNIT R$ QUANT UNIT R$ QUANT UNIT R$

31/12/X1 500 8,1800 4.090,00

05/01/X2 15.000 8,8200 132.300,00 15.500 8,7994 136.390,00

30/01/X2 9.000 8,7994 79.194,19

30/01/X2 4.500 8,7994 39.597,10 2.000 8,7994 17.598,71

Obs.: A Torneira Normal utiliza 1,00 KG/Unid. e a Torneira Especial utiliza 1,50
KG/Unid.

15
5.2.3.2 – Informações para alocação do CIF aos Departamentos

TORNEIRAS DEPARTAMENTOS
TOTAL
Dados Físicos Adm.
Normal Especial Fundição Cromação Montagem Almoxarifado Manutenção GERAL
Fábrica
Vendas mês (em
8.800 2.900 11.700
unidades)
Consumo de MP (Ferro
9.000 4.500 13.500
em Kg)
N° de funcionários 15 6 9 4 6 5 45
Tempo uso de horas
4.800 4.200 3.000 12.000
máquina (horas)
N° de requisições 600 300 300 1.200

5.2.3.3 - Mão de Obra Direta

Torneira Normal: R$ 43.020,00

Torneira Especial: R$ 21.510,00

5.2.3.4 - Apropriação dos custos indiretos de fabricação – departamentalização.

16
Custos indiretos a serem apropriados:

Custos R$ Critérios
Salários 56.970,00 Atribuídos aos departamentos conforme folha de pagamento
Distribuídos aos departamentos produtivos proporcionalmente ao
Energia Elétrica 14.500,00 tempo de uso das máquinas
Material de
manutenção 5.000,00 Apropriado diretamente ao departamento de manutenção
Apropriado diretamente ao departamento de Administração da
Aluguel da Fábrica 30.000,00 Fábrica
Apropriado diretamente ao departamento de Administração da
Utilidades (CGF) 2.000,00 Fábrica
Seguro das Distribuídos aos departamentos produtivos proporcionalmente ao
máquinas 3.500,00 tempo de uso das máquinas
Depreciação das Distribuídos aos departamentos produtivos proporcionalmente ao
máquinas 10.000,00 tempo de uso das máquinas
Total 121.970,00

Critérios para apropriação dos custos dos departamentos auxiliares para os


departamentos produtivos:
Custos Critérios
Distribuído aos outros departamentos proporcionalmente ao
Administração da fábrica número de funcionários.
Distribuído aos departamentos produtivos proporcionalmente ao
Manutenção tempo de uso de máquinas.
Distribuído aos departamentos produtivos proporcionalmente ao
Almoxarifado número de requisições.

Mapa de Apuração dos CIFs (conforme critérios estabelecidos acima)


CIF FUNDIÇÃO CROMAÇÃO MONTAGEM ALMOXARIFADO MANUTENÇÃO ADM.FÁBRICA TOTAL

Salários 14.670,00 4.900,00 8.100,00 4.900,00 11.400,00 13.000,00 56.970,00

Energia Elétrica 5.800,00 5.075,00 3.625,00 14.500,00

Mat.Manutenção 5.000,00 5.000,00

Aluguel 30.000,00 30.000,00

Utilidades 2.000,00 2.000,00

Seg.Máquinas 1.400,00 1.225,00 875,00 3.500,00

Deprec..Máquinas 4.000,00 3.500,00 2.500,00 10.000,00

Total 25.870,00 14.700,00 15.100,00 4.900,00 16.400,00 45.000,00 121.970,00

Adm..Fábrica 16.875,00 6.750,00 10.125,00 4.500,00 6.750,00 (45.000,00) -

Soma 42.745,00 21.450,00 25.225,00 9.400,00 23.150,00 - 121.970,00

Manutenção 9.260,00 8.102,50 5.787,50 (23.150,00) -

Soma 52.005,00 29.552,50 31.012,50 9.400,00 - 121.970,00

Almoxarifado 4.700,00 2.350,00 2.350,00 (9.400,00 - - -

Total 56.705,00 31.902,50 33.362,50 - - - 121.970,00

17
5.2.3.5 – Apuração do Custo dos Produtos Acabados

Obs.: 1 ) Os custos dos Departamentos de Fundição e Montagem são alocados aos produtos
proporcionalmente à quantidade produzida.

2) Somente a Torneira Especial passa pelo processo de Cromação.

Torneira Normal Torneira Especial Total

Matéria-Prima 79.194,19 39.597,10 118.791,29

Mão-de-Obra Direta 43.020,00 21.510,00 64.530,00

Total dos Custos Diretos 122.214,19 61.107,10 183.321,29

Fundição 42.528,75 14.176,25 56.705,00

Cromação 31.902,50 31.902,50

Montagem 25.021,88 8.340,62 33.362,50

Total CIF 67.550,63 54.419,37 121.970,00

Custo Total 189.764,82 115.526,47 305.291,29

Quantidade Produzida 9.000 3.000 12.000

Custo Unitário 21,0850 38,5088

5.2.4 - Ficha de Movimentação dos Estoques de Produtos Acabados

MOVIMENTAÇÃO DO ESTOQUE DE PRODUTOS ACABADOS TORNEIRA NORMAL (Média Ponderada Móvel)

ENTRADAS SAIDAS SALDO


DATA QUANT UNIT R$ QUANT UNIT R$ QUANT UNIT R$

31/12/X1 200 17,0000 3.400,00

Jan/X2 9.000 21,0850 189.764,82 9.200 20,9962 193.164,82

30/01/X2 8.800 20,9962 184.766,35 400 20,9962 8.398,47

MOVIMENTAÇÃO DO ESTOQUE DE PRODUTOS ACABADOS - TORNEIRA ESPECIAL (Média Ponderada


Móvel)

ENTRADAS SAIDAS SALDO


DATA QUANT UNIT R$ QUANT UNIT R$ QUANT UNIT R$

31/12/X1 200 30,0000 6.000,00

Jan/X2 3.000 38,5088 115.526,47 3.200 37,9770 121.526,47

30/01/X2 2.900 37,9770 110.133,36 300 37,9770 11.393,11

18
5.2.5 – Contabilizações referentes ao mês de janeiro/X2

5.2.5.1 – Diário

Nº Lanç. DATA CONTAS/HISTÓRICO DÉBITOS CRÉDITOS


1 05.01.X2 D = Estoque de Matéria-Prima 132.300,00

D = ICMS a Recuperar 20.160,00

D = PIS e COFINS a Recuperar 15.540,00


C = Fornecedores 168.000,00

2 07.01.X2 D = FGTS a Recolher 4.500,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 4.500,00

3 12.01.X2 D = Manutenção de Máquinas e Equipamentos - CGF 5.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 5.000,00

4 12.01.X2 D = Caixa e Equivalentes de Caixa 150.000,00


C = Duplicatas a Receber 150.000,00

5 12.01.X2 D = Caixa e Equivalentes de Caixa 125.000,00


D = Duplicatas a Receber 125.000,00
C = Vendas 250.000,00

5.a 12.01.X2 D = ICMS sobre Vendas 30.000,00


C = ICMS a Recolher 30.000,00

5.b 12.01.X2 D = PIS/COFINS sobre Vendas 23.125,00


C = PIS/COFINS a Recolher 23.125,00

6 15.01.X2 D = Seguros - CGF 3.500,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 3.500,00

7 15.01.X2 D = Caixa e Equivalentes de Caixa 86.000,00

D = Duplicatas a Receber 86.000,00


C = Vendas 172.000,00

7.a 15.01.X2 D = ICMS sobre Vendas 20.640,00


C = ICMS a Recolher 20.640,00

7.b 15.01.X2 D = PIS/COFINS sobre Vendas 15.910,00


C = PIS/COFINS a Recolher 15.910,00

19
8 20.01.X2 D = INSS a Recolher 16.000,00

D = IRRF a Recolher 2.500,00

D = ICMS a Recolher 65.000,00

D = PIS/COFINS a Recolher 50.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 133.500,00

9 22.01.2016 D = Despesas Gerais e Administrativas 20.000,00

D = Despesas com Vendas 15.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 35.000,00

10 29.01.2016 D = Energia Elétrica – CGF 14.500,00

D = Despesas com Energia Elétrica- Escritório 2.500,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 17.000,00

11 29.01.2016 D = Aluguéis- CGF 30.000,00

D = Despesas com Aluguéis- Escritório 8.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 38.000,00

12 29.01.2016 D = Despesas Gerais e Administrativas 5.000,00

D = Outros Custos Indiretos - CGF 2.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 7.000,00

13 29.01.2016 D = Caixa e Equivalentes de Caixa 139.500,00


D = Duplicatas a Receber 139.500,00
C = Vendas 279.000,00

13.a 29.01.2016 D = ICMS sobre Vendas 33.480,00


C = ICMS a Recolher 33.480,00

13.b 29.01.2016 D = PIS/COFINS sobre Vendas 25.808,00


C = PIS/COFINS a Recolher 25.808,00

14 30.01.2016 D = Caixa e Equivalentes de Caixa 130.500,00


C = Duplicatas a Receber 130.500,00

15 30.01.2016 D = Fornecedores 240.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 240.000,00

16 30.01.2016 D = Salários - MOD 64.530,00


D = Salários - MOI 56.970,00
D = Despesas de Salários e Encargos – Escritório 41.900,00

20
C = INSS a Recolher 38.800,00
C = IRRF a Recolher 20.000,00
C = FGTS a Recolher 8.000,00
C = Salários a Pagar 70.000,00
C = Férias e Encargos a Pagar 15.200,00
C = 13º Salário e Encargos a Pagar 11.400,00

16.a 30.01.2016 D = Salários a Pagar 70.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 70.000,00

17 30.01.2016 D = Depreciação Maq.– CGF 10.000,00

D = Despesas de Depreciação 1.250,00


C = Depreciação Acumulada Máquinas 10.000,00
C = Depreciação Acumulada Moveis e Ut. 1.250,00

18 30.01.2016 D = ICMS a Recolher 20.160,00


C = ICMS a Recuperar 20.160,00

Maquina18.
a 30.01.2016 D = PIS/COFINS a Recolher 15.540,00
C = PIS/COFINS a Recuperar 15.540,00

19 30.01.2016 D = Estoque de Produtos em Elaboração - A 79.194,19

D = Estoques de Produtos em Elaboração – B 39.597,10


C = Estoque de Matéria-Prima 118.791,29

20 30.01.2016 D = Estoque de Produtos em Elaboração - A 43.020,00

D = Estoques de Produtos em Elaboração - B 21.510,00


C = Salários – MOD 64.530,00

21 30.01.X2 D = Estoques Produtos em Elaboração - A 67.550,63

D = Estoques de Produtos em Elaboração - B 54.419,37


C = Salários – MOI 56.970,00
C = Energia Elétrica – CGF 14.500,00
C = Manutenção de Máquinas e Equipamentos - CGF 5.000,00
C = Aluguéis – CGF 30.000,00
C = Outros Custos Indiretos - CGF 2.000,00
C = Seguros - CGF 3.500,00
C = Depreciações – CGF 10.000,00

22 30.01.X2 D = Estoques de Produtos Acabados - A 189.764,82


D = Estoques de Produtos Acabados - B 115.526,47

21
C = Estoques de Produtos em Elaboração - A 189.764,82
C = Estoques de Produtos em Elaboração - B 115.526,47

23 30.01.X2 D = Custo dos Produtos Vendidos 294.899,71


C = Estoques de Produtos Acabados – A 184.766,35
C = Estoques de Produtos Acabados - B 110.133,36

24 30.01.X2 D = IRPJ a Recolher 35.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 35.000,00

25 30.01.X2 D = CSL a Recolher 15.000,00


C = Caixa e Equivalentes de Caixa 15.000,00

5.2.5.2 – Razonetes

Caixa e Equivalentes Duplicatas a Receber Estoque de MP


SI 166.510,00 4.500,00 2 SI 270.000,00 150.000,00 4 SI 4.090,00 118.791,29 19
4 150.000,00 5.000,00 3 5 125.000,00 130.500,00 15 1 132.300,00
5 125.000,00 3.500,00 6 7 86.000,00 17.598,71
7 86.000,00 133.500,00 8 13 139.500,00
13 139.500,00 35.000,00 9 340.000,00
15 130.500,00 17.000,00 10
38.000,00 11 Estoques PA - A Estoques PA - B
7.000,00 12 SI 3.400,00 184.766,35 23 SI 6.000,00 110.133,36 23
240.000,00 14 22 189.764,82 22 115.526,47
70.000,00 16a 8.398,47 11.393,11
35.000,00 24
15.000,00 25
797.510,00 603.500,00
194.010,00
Móveis e Utensílios Estoque de P.E. - A Estoques de PE - B
SI 150.000,00 19 79.194,19 19 39.597,10
20 43.020,00 20 21.510,00
21 67.550,63 189.764,82 22 21 54.419,37 115.526,47 22
- -

PECLD Dep. Acum. Máquinas Dep.Acum.MóvUtensílios


5.000,00 SI 150.000,00 SI 30.000,00 SI
10.000,00 17 1.250,00 17
160.000,00 31.250,00

22
Máquinas e Equipamentos ICMS a Recuperar PIS e COFINS a Recupera
SI 600.000,00 1 20.160,00 20.160,00 18 1 15.540,00 15.540,00 18a

Capital Social Contas a Pagar Fornecedores


575.000,00 SI 20.000,00 SI 14 240.000,00 200.000,00 SI
168.000,00 1
128.000,00

INSS a Recolher FGTS a Recolher IRRF a Recolher


8 16.000,00 16.000,00 SI 2 4.500,00 4.500,00 SI 8 2.500,00 2.500,00 SI
38.800,00 16 8.000,00 16 20.000,00 16
38.800,00 8.000,00 20.000,00

Férias e Encargos a Pagar ICMS a Recolher PIS e COFINS a Recolher


32.000,00 SI 8 65.000,00 65.000,00 SI 8 50.000,00 50.000,00 SI
15.200,00 16 18 20.160,00 30.000,00 5a 18a 15.540,00 23.125,00 5b
47.200,00 20.640,00 7a 15.910,00 7b
33.480,00 13a 25.808,00 13b
63.960,00 49.303,00
IRPJ a Recolher CSL a Recolher Salários a Pagar
24 35.000,00 35.000,00 SI 25 15.000,00 15.000,00 SI 16a 70.000,00 70.000,00 16

13º Salário e Encargos a Pagar


11.400,00 16

Vendas ICMS sobre Vendas PIS e COFINS sobre Vendas


250.000,00 5 5a 30.000,00 5b 23.125,00
172.000,00 7 7a 20.640,00 7b 15.910,00
279.000,00 13 13a 33.480,00 13b 25.808,00

Seguros-CGF Desp.Gerais Administrativas Desp. Com Vendas


6 3.500,00 3.500,00 21 9 20.000,00 9 15.000,00
12 5.000,00

23
Energia Elétrica - CGF Desp.de Energia Elétrica Alugueis - CGF
10 14.500,00 14.500,00 21 10 2.500,00 11 30.000,00 30.000,00 21

Desp.de Aluguel Outros Custos Indiretos - CGF Salários - MOD


11 8.000,00 12 2.000,00 2.000,00 21 16 64.530,00 64.530,00 20

Salários - MOI 20 Depreciações (Maq.)-CGF Desp.Depreciações (Mov)


16 56.970,00 56.970,00 21 17 10.000,00 10.000,00 21 17 1.250,00

Manut. Máq e Equip -CGF CPV-Torneira Normal CPV-Torneira Especial


3 5.000,00 5.000,00 21 23 184.766,35 23 110.133,36

Despesas de Salários e
Encargos - Escritório
16 41.900,00

24
5.2.6 – Balancete referente ao mês de Janeiro X2

Contas Débito Crédito

ATIVO
ATIVO CIRCULANTE
CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA
Caixa e Equivalentes de caixa 194.010,00
DIREITOS / CREDITOS
Duplicatas a Receber 340.000,00
(-) Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa 5.000,00
ESTOQUES
Estoques de Produtos Acabados A 8.398,47
Estoques de Produtos Acabados B 11.393,11
Estoques de Matéria-Prima A 17.598,71
NÃO CIRCULANTE
IMOBILIZADO
Máquinas e Equipamentos 600.000,00
Móveis e Utensílios 150.000,00
(-) Depreciações Acumuladas de Máquinas e Equip 160.000,00
(-) Depreciações Acumuladas de Móveis Utens. 31.250,00
PASSIVO
PASSIVO CIRCULANTE
Contas a Pagar 20.000,00
Fornecedores 128.000,00
INSS a Recolher 38.800,00
FGTS a Recolher 8.000,00
IRRF a Recolher 20.000,00
Férias Encargos a Pagar 47.200,00
ICMS a Recolher 63.960,00
PIS e COFINS a Recolher 49.303,00
13o Salário Encargos a Pagar 11.400,00
PATRIMONIO LIQUIDO
CAPITAL
Capital Social 575.000,00

RESULTADO DO PERÍODO
RECEITAS BRUTAS
Vendas 701.000,00
REDUTORAS DA RECEITA BRUTA
ICMS sobre Vendas 84.120,00
PIS e COFINS sobre Vendas 64.843,00
CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS
Custo dos Produtos Vendidos 294.899,71
DESPESAS / RECEITAS

25
DESPESAS COM VENDAS
Despesas com Vendas 15.000,00
DESPESAS ADMINISTRATIVAS
Despesas Gerais e Administrativas 25.000,00
Despesas com Energia Elétrica 2.500,00
Despesas com Alugueis 8.000,00
Despesas com Salários 41.900,00
Despesas com Depreciações 1.250,00

Total Balancete 1.858.913,00 1.858.913,00

6 - Informações para o fechamento do mês Fevereiro/X2

6.1 – Posição Inicial

A posição inicial de fevereiro/X2 será a posição final de janeiro/X2

6.2 – Transações ocorridas no mês de Fevereiro/ X2:

• Os lançamentos contábeis de fevereiro/ X2 deverão ser os mesmos verificados no


item 5.2.2. do mês de janeiro/X2.
• Compra de Matéria Prima no mês: Quantidade 30.000 Kg; Preço unitário R$ 20,00.
• Vendas, Quantidades e Preço serão definidos pelo aluno.
• Apuração de Custo
o A quantidade a ser produzida em fevereiro/X2 deverá se no mínimo 20%
maior que janeiro.
o As fichas de controle de estoques (Matéria Prima e Produto Acabado)
deverão ser elaboradas, considerando os saldos de janeiro/X2.
o A quantidade de departamentos da fábrica e critérios de rateio dos CIFs
deverão ser mantidos.
• Todos os gastos e despesas deverão ter um acréscimo de um % no mês sobre o
valor de janeiro, a ser definido pelo aluno.
• Os encargos sociais sobre folha de pagamento terão o mesmo percentual aplicados
em janeiro/X2. A folha poderá ser a mesma de janeiro, ou seja, sem acréscimo.
• Deverão elaborar o balancete de verificação em Fevereiro X2

7 - Informações para o fechamento do mês Março /X2

7.1 – Posição Inicial

A posição inicial de março /X2 será a posição final de fevereiro/X2

7.2 – Transações ocorridas no mês de Março/ X2:

26
• Os lançamentos contábeis de março/ X2 deverão ser os mesmos verificados no item
5.2.2. do mês de janeiro/X2.
• Compra de Matéria Prima no mês: Quantidade 35.000 Kg; Preço unitário R$ 25,00.
• Vendas: Quantidades e Preço serão definidos pelo aluno.
• Apuração de Custo
o A quantidade a ser produzida em março/X2 será definida pelo aluno.
o As fichas de controle de estoques (Matéria Prima e Produto Acabado)
deverão ser elaboradas, considerando os saldos de fevereiro/X2.
o A quantidade de departamentos da fábrica e critérios de rateio dos CIFs
deverão ser mantidos.
• Todos os gastos e despesas deverão ter um acréscimo de um % no mês sobre o
valor de fevereiro, a ser definido pelo aluno.
• Os encargos sociais sobre folha de pagamento terão o mesmo percentual aplicados
em janeiro/X2.
• Imposto de Renda e Contribuição Social: Em março apurar e contabilizar o IR/CSLL
do trimestre pelo lucro real trimestral, a ser recolhido no mês seguinte.
• Elaborar o balancete de verificação em março/X2
• Apurar o resultado (ARE)
• Elaborar o Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultados do Trimestre

8 - Roteiro para elaboração da APS

8.1 - Introdução

O trabalho desta DP de APS gira em torno de uma empresa industrial – APS


Indústria de Torneiras Ltda – cuja posição inicial é apresentada no item 5.1.

A empresa em questão atua no mercado de Torneiras, conforme comentado no item


4.1.

O trabalho final, deverá ser entregue ao coordenador, juntamente com a Ficha de


APS, na data por ele definida e consistirá na apresentação de:

• Ficha de movimentação dos estoques de matéria-prima.

• Apropriação dos Custos Indiretos de Fabricação – Departamentalização

• Mapa de apuração dos CIFs

• Apuração dos Custos dos produtos acabados

• Ficha de movimentação dos estoques de produtos acabados

27
• Lançamentos no Diário

• Lançamentos nos Razonetes

• Balancetes mensais (janeiro, fevereiro e março)

• Demonstração de resultados do período de 01/01/X2 a 31/03/X2 (trimestre)

• Balanço Patrimonial em 31/03/X2

8.1.1 – Roteiro para elaboração da APS no sistema Account

De acordo com as informações apresentadas no Manual, o aluno deverá utilizar,


obrigatoriamente, o sistema ACCOUNT para a elaboração da DP de APS – Atividade
Prática Supervisionada, seguindo o seguinte roteiro:

(a) Para importar o Trabalho:

1) O sistema deverá ser instalado em seu computador conforme Manual de Instalação


do Account e licença distribuída aos alunos pelos coordenadores auxiliares.
2) O trabalho será enviado pelo coordenador através de e-mail.
3) Abrir o e-mail e clicar com o botão direito sobre o anexo.
4) Salvar link como...
5) Salvar no Drive C:/Meus Documentos/Account/Salvar. O trabalho será salvo com a
extensão ELE.
6) Acessar a página principal do Account.
7) Em Utilitários: Importar Exercícios Eletrônicos (arquivo ELE).
8) Clicar no exercício a ser importado.
9) Importar o arquivo do exercício selecionado.

(b) Para solucionar o Trabalho:

1) Na tela principal do Account acessar Exercícios Eletrônicos/Selecionar Exercícios


Eletrônicos.
2) Desenvolver a solução conforme o solicitado na ABA: Tarefas e Fatos/Ocorrências.

(c) Para entregar ao Coordenador:

1) Enviar na data estipulada por seu coordenador:


• A ficha de movimentação dos estoques de matéria prima

28
• Apropriação dos Custos Indiretos de Fabricação – Departamentalização

• Mapa de apuração dos CIFs

• Apuração dos Custos dos produtos acabados

• Ficha de movimentação dos estoques de produtos acabados

OBS: Os itens acima são apurados extra sistema account, com auxílio de planilhas
eletrônicas

• Lançamentos no Diário

• Lançamentos nos Razonetes

• Balancetes mensais (janeiro, fevereiro e março)

• Demonstração do resultado do período de 01/01/X2 a 31/03/X2 (trimestre)

• Balanço Patrimonial em 31/03/X2

• Arquivo com a extensão .INT

OBS.: Os dados acima serão extraídos do sistema Account

Para obter o arquivo com a extensão .INT a ser enviado ao seu coordenador, é necessário
observar os seguintes passos no sistema Account:

1) Em Utilitários: Exportar Empresas (arquivo INT).


2) Clicar no exercício a ser exportado e Executar Exportação.
3) O arquivo será gravado em: Drive C:/Meus Documentos/Account com a extensão
INT.
4) Enviar para o coordenador na data por ele determinada. Não se esqueça da Ficha
da APS.
OBS.: O envio do arquivo INT para o coordenador é obrigatório.

9. Estrutura Básica do trabalho

29
O Relatório Escrito deverá possuir: introdução, desenvolvimento e conclusão,
respeitando a estrutura básica para trabalhos acadêmicos sendo eles: elementos pré-
textuais, elementos textuais e pós-textuais.

Elementos Pré – Textuais

Capa e folha de rosto (obrigatório);

Lista de ilustrações, tabelas, abreviaturas e siglas, símbolos (quando houver);

Sumário (obrigatório devendo conter): Divisão do conteúdo do trabalho, em


capítulos, itens ou subitens, com a numeração que aparece no corpo do trabalho e número
de página em que se inicia. É importante padronizar a forma de apresentação.

Elementos Textuais

Introdução: Parte inicial do trabalho que contém o tema, os objetivos do trabalho, a


orientação teórica e outros elementos necessários para situar o leitor.

Desenvolvimento: Parte principal do trabalho, incluindo fundamentação teórica e


metodologia empregada. Citações diretas ou indiretas utilizadas no corpo do trabalho
deverão obedecer a NBR-15287:2005.

Conclusão: parte final do texto onde são apresentadas as conclusões


correspondentes aos objetivos do trabalho.

Elementos Pós – Textuais

Referências (obrigatório): As elaborações das Referências Bibliográficas deverão


seguir a NBR 6023 de agosto/2002

Anexos (opcional): texto ou documento não elaborado pelo autor, utilizado para
ilustrar ou comprovar seu trabalho, identificados do mesmo modo que o apêndice.

10. Formatação
- Folha: Sulfite A4, na cor branca;

- Margem superior e esquerda: 3 cm. Deixar 0,5 cm a mais na margem esquerda para
trabalhos encadernados em espiral;

- Margem inferior e direita: 2 cm;

30
- Para citações deve-se observar o recuo de 4 cm da margem esquerda;

- Texto justificado com recuo de 1,25 cm na primeira linha;

- Fonte: Arial, Times New Roman ou Verdana;

- Cor: preta, exceto nas ilustrações;

- Tamanho da fonte: 14 para títulos e subtítulos; 12 para textos; 10 para citações


acima de 03 linhas, notas de rodapé número da página, legenda de ilustrações e de
tabelas.

- Espaçamento: Entrelinhas do texto: 1,5 cm; entrelinhas de notas de rodapé, resumos,


referências, legendas de ilustrações e tabelas, fichas catalográficas, citações acima de 3
linhas: simples; entre referências bibliográficas: duplo e entre títulos e textos: 2 espaços
duplos.

- Numeração de página: canto superior direito em algarismos arábicos, a 2 cm da


borda.

Todas as páginas são contadas a partir da folha de rosto, porém, a numeração da


página tem início a partir da introdução.

11. Avaliação

A avaliação desta DP de APS – Atividade Prática Supervisionada incidirá sobre


PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL, ou seja, o cumprimento, com pontualidade, das etapas do
trabalho realizadas pelo aluno, o CONTEÚDO do Trabalho Escrito Final e o respeito às
NORMAS para a elaboração de trabalhos acadêmicos.

12. Orientações Finais

a) Por ser um trabalho acadêmico a APS – Atividade Prática Supervisionada deve


privilegiar a linguagem formal. Desse modo, os verbos não devem ser usados na primeira
pessoa, mas, sim, na terceira pessoa.
b) Palavras em outras línguas, que não a materna, devem ser grafadas em itálico, e
somente utilizadas se não houver equivalente na língua portuguesa ou na Ciência Contábil.

31
32

FICHA DAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS - APS

NOME:_______________________________________________________________________________________TURMA: ________________________RA:_______________________

CURSO: ___________________________________________CAMPUS: ____________________________________SEMESTRE: _____________________TURNO:__________________

CÓDIGO DA ATIVIDADE:_____________________________________________SEMESTRE:_______________________________ANO GRADE: _________________________________

HORAS
DATA DA TOTAL DE HORAS ASSINATURA DO ALUNO ASSINATURA DO PROFESSOR
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE ATRIBUÍDAS (1)
ATIVIDADE

(1) Horas atribuídas de acordo com o regulamento das Atividades Práticas Supervisionadas do curso.
TOTAL DE HORAS ATRIBUÍDAS: ________________________________

AVALIAÇÃO:________________________________________________
Aprovado ou Reprovado
NOTA:_________________________

DATA:_____/______/__________

_______________________________________________________________
CARIMBO E ASSINATURA DO COORDENADOR DO CURSO

32
33

Capa (modelo)
Fonte: 12, LETRAS MAIÚSCULAS,
centralizado e sem negrito.

UNIVERSIDADE PAULISTA

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E


COMUNICAÇÃO – ICSC
Fonte 10, LETRAS MAIÚSCULAS,
CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS
centralizado e sem negrito.

Título e subtítulo: Fonte 14,


LETRAS MAIÚSCULAS, em negrito,
centralizados e no meio da folha.

APS - ATIVIDADES PRÁTICAS


SUPERVISIONADAS

Trabalho Integrado de Ciências Contábeis Cidade-Sigla UF - Fonte 12, LETRAS


MAIÚSCULAS, centralizados e sem
negrito.

2016 - Fonte 12, centralizado e


sem negrito.

LOCAL

ANO

33
34

Folha de Rosto (modelo)

Nome do(s) autor(es) com RA

Título:
Subtítulo

APS - Atividades Práticas


Supervisionadas, apresentado
como exigência para a avaliação
do segundo bimestre, em
disciplinas do ___º semestre, do
curso de Ciências Contábeis da
UNIP - Universidade Paulista,
com orientação do(s) professor(es)
............

LOCAL

ANO

34

Você também pode gostar