Você está na página 1de 33

0

CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE


PESQUISA, MONOGRAFIAS E DISSERTAÇÕES

Santa Maria, RS
2006
1

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ...................................................................................................................... 2
2 ORIENTAÇÕES GERAIS ..................................................................................................... 2
2.1 APRESENTAÇÃO .............................................................................................................. 2
2.2 ESTRUTURA DO PROJETO DE PESQUISA .................................................................. 2
2.3 ESTRUTURA DA MONOGRAFIA E DA DISSERTAÇÃO ........................................... 3
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................................................................... 4
APÊNDICE A – Exemplo de projeto de pesquisa .................................................................... 6
APÊNDICE B – Exemplo de monografia e de dissertação ..................................................... 16
APÊNDICE C – Exemplos de referências bibliográficas ....................................................... 28
2

1 INTRODUÇÃO

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa do Centro Universitário Franciscano


(Unifra) disponibiliza à comunidade acadêmica, por intermédio deste documento, orientações
para a elaboração de projetos de pesquisa, trabalhos finais de graduação (tfg), monografias e
dissertações. Este documento é resultado de uma leitura das normas da ABNT (NBR
6023/2002; 14724/2005; 10520/2002; 15287/2005) e da sua adaptação para uso na Unifra.
As orientações relacionadas à apresentação e à estrutura constam no texto a seguir e
nos apêndices, onde estão os exemplos.
Uma monografia é considerada um trabalho escrito, pormenorizado, sobre um tema
restrito. Portanto, as orientações contidas neste texto podem ser utilizadas tanto para tfg, como
para trabalhos finais de especialização e para a dissertação.

2 ORIENTAÇÕES GERAIS

2.1 APRESENTAÇÃO

O texto, justificado e hifenizado, é apresentado em papel branco, formato A4 (21 cm


x 29,7 cm), digitado no anverso da folha, impresso em cor preta, podendo utilizar outras cores
somente para as ilustrações. A margem do texto tem as seguintes dimensões: 3 cm para a
margem esquerda e 2 cm para a margem direita, 3 cm para a margem superior e 2 cm para a
margem inferior.
Para a digitação utiliza-se a fonte Times New Roman, no tamanho 12 pt e com
espaçamento entre linhas igual a 1,5 (espaço um e meio) para todo o texto, excetuando-se as
citações de mais de três linhas, notas de rodapé, que são digitadas em tamanho 10 pt e
espaçamento entre linhas igual a 1 (espaço simples). A paginação é no tamanho de fonte igual
a 10 pt. No caso de citações de mais de três linhas, observa-se um recuo de 4 cm em relação à
margem esquerda.

2.2 ESTRUTURA DO PROJETO DE PESQUISA

O projeto de pesquisa contém os seguintes itens:


1) Elementos pré-textuais:
3

- Capa (obrigatória),
- Folha de rosto (obrigatória),
- Lista de ilustrações (opcional),
- Lista de tabelas (opcional),
- Lista de abreviaturas e siglas (opcional),
- Lista de símbolos1 (opcional),
- Sumário (obrigatório).
2) Elementos textuais, que constituem o corpo do projeto:
- Introdução: delimitação do tema, problema, justificativa, objetivos
(obrigatória),
- Referencial teórico (obrigatório),
- Metodologia (obrigatória),
- Atividades e cronograma de execução (obrigatórios),
- Orçamento (opcional).
3) Elementos pós-textuais:
- Referências bibliográficas (obrigatórias),
- Glossário, elaborado em ordem alfabética (opcional),
- Apêndices e anexos (opcionais).

O número limite de páginas para um projeto é 10, não sendo consideradas as páginas
das referências bibliográficas, dos apêndices e dos anexos.

2.3 ESTRUTURA DA MONOGRAFIA E DA DISSERTAÇÃO

A monografia e a dissertação contêm, no mínimo, os seguintes itens:


1) Elementos pré-textuais:
- Capa (obrigatória),
- Folha de rosto (obrigatória),
- Folha de aprovação (obrigatória),
- Dedicatória (opcional),
- Agradecimentos (opcionais),
- Resumo e Abstract (obrigatórios e em uma única página),

1
Caso necessário, pode-se acrescentar outros tipos de listas, que são inseridas sempre antes do sumário.
4

- Lista de ilustrações (opcional),


- Lista de tabelas (opcional),
- Lista de abreviaturas e siglas (opcional),
- Lista de símbolos (opcional),
- Sumário (obrigatório).
2) Elementos textuais, que constituem o corpo do projeto (obrigatórios):
- Introdução,
- Referencial teórico,
- Metodologia ou materiais e métodos,
- Resultados e discussões,
- Conclusões.
3) Elementos pós-textuais:
- Referências bibliográficas (obrigatórias)
- Glossário, elaborado em ordem alfabética (opcional),
- Apêndices e anexos (opcionais).

O número limite de páginas para a digitação da monografia e da dissertação é


determinado conforme a espécie de trabalho e é tratado caso a caso. São consideradas duas
espécies de trabalhos acadêmicos: a monografia, que inclui os trabalhos finais de graduação e
de especialização, e a dissertação de mestrado.
Optou-se por exemplos auto-explicativos. Assim, os apêndices exemplificam a
apresentação e a estrutura de um projeto de pesquisa (Apêndice A) e de uma monografia
(Apêndice B), sendo que para apresentação de uma dissertação pode ser utilizado o da
monografia. Nos textos dos apêndices encontram-se orientações para as definições dos
conceitos envolvidos em cada item para a espécie de trabalho acadêmico, como, por exemplo,
o que trata e o que deve constar numa introdução, em um referencial teórico e assim por diante
para cada item. Os textos em vermelho e entre colchetes são explicativos e não fazem parte do
trabalho.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023. Informação e


documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
______. NBR 14724. Informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. 2.ed.
Rio de Janeiro, 2005.
5

______. NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos: apresentação.


Rio de Janeiro, 2002.

______. NBR 15287: Informação e documentação – projetos de pesquisa - apresentação. Rio


de Janeiro, 2005.
6

APÊNDICE A – Exemplo de projeto de pesquisa


(Optou-se por apresentar um projeto de tfg)
Exemplo de capa [3 cm] 7

[Dimensão vertical da figura (símbolo) = 3 cm. O símbolo da Unifra está disponível no site.

Da parte inferior da figura até o nome do aluno = 4 espaços duplos,


[2 cm]
[3 cm] com o nome do autor (aluno) digitado no 5o espaço duplo.]

Otaner Santos Ramonid


[A distância entre nome e o título do trabalho = 3 espaços duplos, com o título do

trabalho digitado no 4o espaço duplo, sendo a primeira linha do título para o tipo de projeto.]

PROJETO DE TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO

AS CONDIÇÕES NUTRICIONAIS DOS IDOSOS RESIDENTES EM UMA


INSTITUIÇÃO GERIÁTRICA, EM FRONTEIRA – RS

[A distância entre o título do trabalho e a data será de tal forma que a data (o ano)
fique na margem inferior, que é igual 2 cm.]

Santa Maria, RS
2006

[2 cm]
Exemplo de folha de rosto 8

Otaner Santos Ramonid

[4 espaços duplos]

AS CONDIÇÕES NUTRICIONAIS DOS IDOSOS RESIDENTES EM UMA


INSTITUIÇÃO GERIÁTRICA, EM FRONTEIRA - RS

[4 espaços duplos, com

recuo da margem esquerda = 3 cm + 8 cm = 11 cm.]

Projeto de trabalho final de graduação (tfg)


apresentado ao Curso de Nutrição, Área de
Ciências da Saúde, do Centro Universitário
Franciscano - Unifra, como requisito parcial
para aprovação na disciplina tfg.

[3 espaços duplos, com o nome do orientador(a) no 4o espaço duplo.]

Orientadora: Idenéia Silveira dos Santos

[Espaços duplos (ou não) até que o ano fique na margem inferior (2 cm).]

Santa Maria, RS
2006
Exemplo de sumário [3 cm] 9

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3
2 REFERENCIAL TEÓRICO 5
3 METODOLOGIA 5
4 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES 6
5 ORÇAMENTO 7
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 8
APÊNDICE A – Tratamento de dados 9
Exemplo de corpo de projeto e elementos pós-textuais 10

1 INTRODUÇÃO

A introdução deve conter a delimitação do tema, o problema, a justificativa e o


objetivo do projeto, que podem vir em subseções separadas ou não.
É muito importante ressaltar que a delimitação do tema requer clareza a respeito do
campo de conhecimento a que pertence o assunto. O problema é o objeto de pesquisa ou de
estudo. Optou-se, neste exemplo, em separar em subseções a justificativa e o(s) objetivo(s).
No caso de projeto de pesquisa, que esteja vinculado a um grupo de pesquisa
institucional, neste item é necessário acrescentar a denominação do grupo, que esteja
devidamente certificado pela Unifra, e a denominação da linha de pesquisa a que pertence o
projeto.

1.1 JUSTIFICATIVA

Na justificativa mencionam-se a relevância científica do trabalho, a contribuição da


pesquisa e que benefício poderá trazer à comunidade ou à sociedade. Ainda devem estar claros
o motivo da escolha do tema e as possibilidades de realização da pesquisa.

1.2 OBJETIVOS

A definição dos objetivos determina o que se quer atingir com a realização do


trabalho de pesquisa. Objetivo é sinônimo de meta, fim.
Uma sugestão interessante, na redação dos objetivos, é utilizar, no início das
sentenças, o verbo no infinitivo, tais como: esclarecer tal coisa, definir tal assunto, procurar
aquilo, permitir algo, demonstrar alguma coisa, entre outros.
Alguns autores separam os objetivos em objetivo geral e objetivos específicos, mas
não há regra a ser cumprida quanto a isso. Caso se opte em separá-los, tem-se:

1.2.1 Objetivo geral

O objetivo geral vincula-se à própria significação geral do tema proposto pelo


projeto, ou seja, significa traçar as principais metas que norteiam a pesquisa.
11

1.2.2 Objetivos específicos

Descrever aqui o(s) propósito(s) específico(s) para atingir um ponto de vista do tema,
um ângulo a ser pesquisado, permitindo atingir o objetivo geral. Aconselha-se, na redação
desta seção, não ser prolixo.

2 REFERENCIAL TEÓRICO

O referencial teórico do assunto deve estar diretamente relacionado à pesquisa.


Requer um levantamento bibliográfico cuidadoso, que deve ser organizado numa seqüência
lógica e garantir a fonte (autor, obra, data).
A seguir são exemplificadas citações com mais de três linhas e com menos de três
linhas.

Início do exemplo____________________________________________________________

No que concerne à Política Nacional de Saúde do Idoso, conforme Gordilho (2000,


p.24), destacam-se:
[1 espaço 1,5]
a promoção do envelhecimento saudável, a manutenção e a melhoria
[1 espaço simples, fonte 10,
ao máximo possível da capacidade funcional dos idosos, a prevenção
recuo de 4 cm da margem
esquerda.] de doenças, a recuperação da saúde daqueles que adoecem e a
reabilitação daqueles que venham a ter a sua capacidade funcional
restringida [citação longa, mais de 3 linhas].
[1 espaço 1,5]
Entre os fatores para a efetiva longevidade do ser humano um tem sido apontado, em
estudos, com muita força: a nutrição. “Várias mudanças decorrentes do processo de
envelhecimento podem ser atenuadas com uma alimentação adequada e balanceada nos
aspectos dietético e nutritivo” (SALGADO, 2003, p.31). [Citação direta curta, até 3 linhas.]
Fim do exemplo _____________________________________________________________

3 METODOLOGIA

A metodologia deve ser escrita com uma linguagem precisa e técnica, seguindo uma
seqüência cronológica. Representa a descrição formal dos métodos e técnicas a serem
utilizados na pesquisa. Devem constar os métodos de abordagem e de procedimentos, os
12

instrumentos de coleta de dados (questionário, entrevista, formulários, entre outros), a


delimitação do universo da pesquisa, a delimitação e a seleção da amostra e do tempo
previsto, a equipe de pesquisadores e a divisão do trabalho, as formas de tabulação e o
tratamento dos dados, ou seja, a apresentação de tudo aquilo que será utilizado no trabalho de
pesquisa.
Em resumo, a metodologia é a explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exata de
toda ação desenvolvida no método (caminho) do trabalho de pesquisa.
Se a pesquisa envolver seres humanos deve atender à Resolução 196/96, do Conselho
Nacional da Saúde, e ter a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (Cepe) da Unifra ou de
outra instituição.

4 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

O cronograma é a previsão do tempo a ser gasto na realização das atividades


previstas para o trabalho. As atividades e os períodos são definidos a partir das características
de cada pesquisa e dos critérios estabelecidos pelo autor do trabalho.
Os períodos podem estar divididos em dias, semanas, quinzenas, meses, bimestres,
trimestres ou outros, determinados a partir dos critérios de tempo adotados por cada
pesquisador.

Início do exemplo____________________________________________________________

As atividades previstas para o desenvolvimento do trabalho de pesquisa são:

1- Estudos a respeito do assunto;


2- Preparação e aplicação dos instrumentos (coleta de dados);
3- Tratamento dos dados;
4- Elaboração do relatório e de artigos para periódicos/eventos científicos.

O cronograma previsto para as atividades está descrito no Quadro 1, a seguir.


13

Quadro 1 – Cronograma das atividades do projeto.


2006
Atividade
mar. abr. maio jun. jul. ago. set. out. nov. dez.
1 X X X X X
2 X X X X X
3 X X
4 X X

Fim do exemplo____________________________________________________________

5 ORÇAMENTO

Este item depende da característica de cada projeto de pesquisa e das peculiaridades


de cada área do conhecimento.
O orçamento poderá ser dividido em material permanente, material de consumo e
pessoal. A seguir, exemplos para os dois primeiros.

Início dos exemplos___________________________________________________________

Materiais permanentes

São aqueles materiais que têm uma durabilidade prolongada e normalmente são
definidos como bens duráveis, que não são consumidos durante a realização do trabalho de
pesquisa. Podem ser: geladeiras, condicionadores de ar, microondas, computadores,
impressoras. Por exemplo, na Tabela 1 estão discriminados os materiais necessários para o
desenvolvimento do projeto.

Tabela 1 - Discriminação dos materiais permanentes do projeto.

PREÇO
ITEM QUANTIDADE CUSTO (R$)
UNITÁRIO
Computador 1 2.700,00 2.700,00
Impressora Laser HP 1 600,00 600,00
Scanner 1 400,00 400,00
Mesa para computador 1 300,00 300,00
Cadeira para mesa 1 200,00 200,00
TOTAL: 4.200,00
14

Materiais de consumo

São aqueles materiais que não têm uma durabilidade prolongada e são consumidos
durante a realização da pesquisa. Podem ser: papel, tinta para impressora, gasolina, material
de limpeza, canetas. Por exemplo, na Tabela 2, abaixo, estão discriminados os materiais que
são necessários para o desenvolvimento de um projeto.

Tabela 2 - Discriminação dos materiais de consumo do projeto.

PREÇO
ITEM QUANTIDADE CUSTO (R$)
UNITÁRIO
Caixa de CD para computador 10 10,00 100,00
Resma de papel tipo A4 5 20,00 100,00
Cartucho de tôner para impressora 3 200,00 600,00
TOTAL: 800,00

Fim dos exemplos_____________________________________________________________

6 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

É um elemento obrigatório e é uma seção não numerada, onde devem constar todas
as obras citadas no corpo do trabalho, consultadas para a elaboração do projeto, de acordo
com as normas da ABNT. As referências, ordenadas segundo o sistema alfabético, são
alinhadas somente à margem esquerda, em espaço simples e separadas entre si por 2 espaços
simples. A seguir são apresentados alguns exemplos.
Está previsto, para o final do mês de agosto de 2006, um link, na página da Unifra,
com os diversos e diferentes exemplos de referências bibliográficas e citações no texto. No
Apêndice C estão disponíveis mais exemplos de referências bibliográficas.

Início do exemplo __________________________________________________________

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
[Espaço simples]
[1 espaço de 1,5 cm]
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6023. Informação e
documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
[2 espaços simples em todas as
Ref. bibliográficas]
______. NBR 14724. Informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. 2.ed.
Rio de Janeiro, 2005.
15

[1,5 cm]
______. NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos: apresentação.
Rio de Janeiro, 2002.

BERQUÓ, E. Fatores estatísticos e dinâmicos. In: SANTOS, J. L. F.; LEVY, M. S. Dinâmica


da população: teoria, métodos e técnicas de análise. São Paulo: T. A. Queiroz, 1980. p.36.

GORDILHO, Adriano et al. Desafios a serem enfrentados no terceiro milênio pelo setor
saúde na atenção ao idoso. Rio de Janeiro: UNATI, 2000.

SALGADO, Jocelem Mastrodi. Nutrição na terceira idade. A Terceira Idade, São Paulo, v.
14, n. 27, p.28-41, maio 2003.

VERAS, Renato P. País jovem de cabelos brancos: a saúde do idoso no Brasil. Rio de
Janeiro: Dumará, 1991.

Fim do exemplo ___________________________________________________________

7 APÊNDICES E ANEXOS

Este item também só é incluído caso haja necessidade de juntar ao projeto algum
documento que venha dar algum tipo de esclarecimento ao texto. A inclusão, ou não, fica a
critério do autor da pesquisa.
Os anexos contêm informações cuja responsabilidade é exclusivamente de terceiros.
Os apêndices contêm informações cuja responsabilidade é exclusivamente do(s)
pesquisador(es). São incluídos após as REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.
Os apêndices são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos
respectivos títulos.

Exemplo:

APÊNDICE A – Questionário para coleta de dados

Os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos


respectivos títulos.

Exemplo:

ANEXO A – Figuras e fotos do sujeito da pesquisa


16

APÊNDICE B – Exemplo de monografia e de dissertação


(Optou-se por apresentar um tfg)
Exemplo de capa [3 cm]
17

[Dimensão vertical da figura (símbolo) = 3 cm.

Distância inferior da figura até o nome do aluno = 4 espaços duplos,

sendo o nome do aluno digitado no 5º espaço duplo.]

Otaner Santos Ramonid


[Distância entre o nome e o título do trabalho = 3 espaços duplos,

sendo o título do trabalho digitado no 4º espaço duplo.]

[3 cm] [2 cm]
AS CONDIÇÕES NUTRICIONAIS DOS IDOSOS RESIDENTES EM UMA
INSTITUIÇÃO GERIÁTRICA, EM FRONTEIRA - RS

[A distância entre o título do trabalho e a data é de tal forma que a data (o ano) fique na

margem inferior, que é igual 2 cm.]

Santa Maria, RS
2006

[2 cm]
Exemplo de folha de rosto
[3 cm] 18

Otaner Santos Ramonid

[4 espaços duplos]

AS CONDIÇÕES NUTRICIONAIS DOS IDOSOS RESIDENTES EM UMA


INSTITUIÇÃO GERIÁTRICA, EM FRONTEIRA - RS

[4 espaços duplos]

Trabalho final de graduação apresentado ao Curso de Nutrição – Área de Ciências da Saúde,

do Centro Universitário Franciscano, como requisito parcial para obtenção do grau de

Nutricionista – Bacharel em Nutrição.

[3 espaços duplos]

Orientadora: Idenéia Silveira dos Santos

[Espaços duplos (ou não) até que o ano fique na margem inferior (2 cm)]

Santa Maria, RS
2006
Exemplo de folha de aprovação
19

Otaner Santos Ramonid

[3 espaços duplos]

AS CONDIÇÕES NUTRICIONAIS DOS IDOSOS RESIDENTES EM UMA


INSTITUIÇÃO GERIÁTRICA, EM FRONTEIRA - RS

[3 espaços duplos]

Trabalho final de graduação apresentado ao Curso de Nutrição – Área de Ciências da Saúde,


do Centro Universitário Franciscano, como requisito parcial para obtenção do grau de
Nutricionista – Bacharel em Nutrição.

[3 espaços duplos]

Idenéia Silveira dos Santos – Orientadora (Unifra)

[2 espaços duplos (o próximo nome no terceiro espaço duplo).]

João Oleone Ferreira Fontes (Unifra)

[2 espaços duplos (o próximo nome no terceiro espaço duplo).]

Ramilo Coelho da Costa Lopez (Unifra)

[Espaços duplos (ou não) até que o termo aprovado fique na margem inferior (2cm).]

Aprovado em ........ de ....................................... de ...............


Exemplo de resumo e abstract
[3 cm] 20

RESUMO
[Sem recuo]
[1 espaço 1 ½ ]
De acordo com a NBR6028/2003, da ABNT, no texto do RESUMO devem constar algumas
idéias-chave. A primeira frase deve ser significativa, explicando o tema principal. A
apresentação dos objetivos justifica a realização da pesquisa. A apresentação dos recursos
técnicos e metodológicos mostra o caminho da realização da pesquisa. A descrição da
estrutura do texto corresponde ao desenvolvimento. E, por último, a apresentação da síntese
dos resultados (conclusão) confirma os objetivos e o percurso metodológico. Deve ser
digitado em fonte de tamanho 12 pt, em espaço simples, na voz ativa, na terceira pessoa do
singular e é recomendado que contenha de 150 a 250 palavras, para trabalhos acadêmicos e
relatórios técnicos, e sejam também incluídas palavras representativas do conteúdo. Em casos
especiais é permitido um resumo que ultrapasse o número de palavras indicadas, desde que
não ultrapassem, o RESUMO e o ABSTRACT, uma página. Logo abaixo do RESUMO, são
escritas Palavras-chave, em negrito, separadas entre si por ponto e finalizadas também por
ponto. O RESUMO deve ser traduzido para o inglês (ABSTRACT). O termo RESUMO
precede o texto e é título sem indicativo numérico. É adotado o justificado à esquerda,
contrário à NBR 14724/2005, que indica o centralizado. Se necessário, para elaboração de um
resumo com mais palavras, pode ser utilizado o tamanho de fonte 10 pt, mantendo ambos,
RESUMO e ABSTRACT, numa mesma página.

Palavras-chave: Resumo. Abstract. Metodologia e resultados. Conclusões.

[2 espaços 1 ½]
ABSTRACT

In agreement with NBR6028/2003, of ABNT, in the ABSTRACT should consist some idea-
key, a summary of the work. The first sentence should be significant explaining the main
theme. Next, to present the objectives which justify the accomplishment of the research. Also,
describe the technical and methodological resources that was used to accomplishment of the
research and the description of the structure of the text corresponding to the development.
And, last, the presentation of the synthesis of the results (conclusion) reached in function of
the objectives and of the methodological course. All this should be typed in 12 pt font and in
simple space. The ABSTRACT should be written in the voice activates and in the third person
of the singular and is recommended to contain from 150 to 250 words, for academic works
and technical reports and, also, be included, representative words of the content. In special
cases is allowed a summary to exceed the number of suitable words, but that doesn't pass in a
single page, write RESUMO and ABSTRACT in the same page. The Key words, soon below
the ABSTRACT, in bold face, separated amongst themselves by point and also concluded by
point. The ABSTRACT precedes the text and is a title without indicative numeric, it should be
left justified, in opposite to NBR 14724/2005 that indicate centralized. Is possible to use font
10 pt to write a larger ABSTRACT than 250 words, since the RESUMO and ABSTRACT
remain in the same page.

Keywords: Resumo. Abstract. Metodology and results. Conclusions.


Exemplo de sumário
[3 cm] 21

SUMÁRIO

[2 espaços 1,5]

1 INTRODUÇÃO 5
2 REFERENCIAL TEÓRICO 6
2.1 EXEMPLO DE SEÇÃO (SEÇÃO SECUNDÁRIA) 7
2.1.1 Exemplo de subseção (seção terciária) 8
3 MATERIAIS E MÉTODOS OU METODOLOGIA 17
4 RESULTADOS E DISCUSSÃO 18
5 CONCLUSÕES 28
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 29
Exemplo de introdução [3 cm] 22

1 INTRODUÇÃO
[Recuo de 1,25 cm] [1 espaço 1,5]

Parte inicial do texto, em que devem constar a delimitação do assunto tratado, os


objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho (NBR
14724/2005, p.6).
[3 cm] 23
Exemplo de referencial teórico

2 REFERENCIAL TEÓRICO
[Recuo de 1,25 cm] [1 espaço 1,5 ]

Parte principal do texto que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto.


Divide-se em seções e subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método
(NBR 14724/2005, p.6).
[Sem recuo] [1 espaço 1,5]

[Espaço simples, fonte A literatura citada deve ser apresentada preferencialmente em ordem cronológica,
10 pt, recuo de 4 cm em blocos de assunto, mostrando a evolução do tema de maneira integrada. Todo o
documento analisado deve constar na listagem de REFERÊNCIAS
da margem esquerda.] BIBLIOGRÁFICAS, conforme recomendações da NBR 6023/2002 (FRANÇA;
VASCONCELLOS, 2004, p.38).

2.1 EXEMPLO DE SEÇÃO (SEÇÃO SECUNDÁRIA) [(Caixa alta, sem negrito)]

Aqui será ...

2.1.1 Exemplo de subseção (seção terciária)

O exemplo continua sendo ...


Exemplo de materiais e métodos ou metodologia 24

3 MATERIAIS E MÉTODOS ou METODOLOGIA


[Recuo de 1,25 cm] [1 espaço 1,5 ]

Esta é uma parte do texto que constou no projeto de pesquisa ou de tfg e, portanto,
encontra-se pronta ou necessitando somente de algumas modificações ou adaptações. A
descrição dos métodos deve ser breve, porém suficiente para possibilitar a outrem repetir a
investigação (REY, 2000).
É importante ressaltar que neste item deve constar, e pode vir em anexo, cópia do
termo de aprovação de um Comitê de Ética em Pesquisa (Cepe), quando a pesquisa envolver
seres humanos, para atender à Resolução 196/96, do Conselho Nacional da Saúde.
Exemplo de resultados e discussões 25

4 RESULTADOS E DISCUSSÕES
[Recuo de 1,25 cm] [1 espaço 1,5 ]

Nesta parte do trabalho constam as informações novas que o pesquisador fornece ao


meio científico. O autor deve ligar os novos achados aos conhecimentos anteriores, apresentar
claramente as suas conclusões e discutir as implicações teóricas ou práticas desses resultados
(REY, 2000).
Exemplo de conclusões
26

5 CONCLUSÕES
[Recuo de 1,25 cm] [1 espaço 1,5 ]

É a parte final do texto, na qual se apresentam conclusões correspondentes aos


objetivos ou hipóteses (NBR 14724/2005, p.6). Neste item podem também ser sugeridas ações
futuras a respeito do tema tratado.
Exemplo de referências bibliográficas 27

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[Sem recuo ]
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6023. Informação e
documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
[2 espaços
simples]
______. NBR 14724. Informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. 2.ed.
Rio de Janeiro, 2005.
[1,5 cm]
______. NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos: apresentação.
Rio de Janeiro, 2002.

BERQUÓ, E. Fatores estatísticos e dinâmicos. In: SANTOS, J. L. F.; LEVY, M. S. Dinâmica


da população: teoria, métodos e técnicas de análise. São Paulo: T. A. Queiroz, 1980. p.36.

FRANÇA, Júnia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para normalização de
publicações técnico-científicas. 7.ed. Belo Horizonte: EdUFMG, 2004.

REY, Luis. Planejar e redigir trabalhos científicos. 3.ed.rev.ampl. São Paulo: Editora
Edgard Blücher Ltda., 2000.
28

APÊNDICE C – Exemplos de referências bibliográficas


29

1) LIVROS CONSIDERADOS NO TODO (TÍTULO E SUBTÍTULO).

- Um autor

RAJAGOPLAN, Kanavillil. Por uma lingüística crítica: linguagens, identidade e a questão


ética. São Paulo: Parábola Editorial, 2003. (Linguagem 4).

- Dois autores

GONÇALVES, Mirian Buss; FLEMING, Diva Marília. Cálculo B: funções de várias


variáveis: integrais duplas e triplas. São Paulo: Makron Books, 1999.

- Três autores

OKUNO, Emico; IBERÊ, Luiz Caldas; CECIL, Chow. Física para ciências biológicas e
biomédicas. 2.ed. São Paulo: Harbra, 1986.

- Mais de três autores

IBERNÓN, Francisco (Org.). A educação no século XXI: os desafios do futuro imediato.


Tradução de Ernani Rosa. 2.ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

RIBAS, Maria Alice Coelho et al. Filosofia e ensino: a filosofia na escola. Ijuí: Ed. da Unijuí,
2005 (Coleção Filosofia e Ensino, 7).

- Autores repetidos

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico:


elaboração de trabalhos de graduação. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1998.

_____. Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas. São
Paulo: Atlas, 2002.
30

- Autor entidade coletiva

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e


documentação: referências-elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Princípios fundamentais da


contabilidade e normas brasileiras de contabilidade. Brasília, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Dados preliminares da


população no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

2) TESES, DISSERTAÇÕES E MONOGRAFIAS

CORDENONSI, André Zank. Um ambiente de evolução de comportamentos para


sistemas multiagentes reativos. 2000. 96f. Dissertação (Mestrado em Computação) - Curso
de Pós-Graduação em Computação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto
Alegre, 2000.

PORTO, Adriana; SILVA, Antônio Flávio Barbosa da; BOECK, Elida Cristina; ALVES,
Marcio Bendo; LONDERO, Renato Ilo. Gestão estratégica de remuneração: a importância
da avaliação de desempenho no programa de participação nos lucros ou resultados. 2001. 18f.
Monografia (Especialização em Gestão Empresarial) - Curso de Pós-Graduação em Gestão
Empresarial – Educação a Distância. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul,
Porto Alegre, 2001.

ORENGO, Gilberto. Avanços no método LTSN para cálculo de criticalidade e


desenvolvimento da primeira versão do código LTSN. 2002. 69f. Tese (Doutorado em
Engenharia Nuclear) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica, Universidade
Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

3) CONGRESSOS, CONFERÊNCIAS, SIMPÓSIOS, WORKSHOPS, JORNADAS E


OUTROS EVENTOS CIENTÍFICOS

CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 1., 1998; JORNADA NACIONAL DE


EDUCAÇÃO DA FAFRA, 6., 1998, Santa Maria. Anais... Santa Maria: Multipress, 1998.
72p.

ORTIZ, Ail C. Meireles. Educação ambiental e patrimônio histórico: sentidos do lugar. In:
CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO POPULAR, 5., 2004; SEMINÁRIO
31

INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO POPULAR, 15., 2004, Anais... Santa Maria: CLEC/


MOBREC, 2004. p.35.

- Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico

CORDENONSI, André Zank; GOEBEL, Manoelisa. Proposta de autômato finito


determinístico para a glosa português-libras. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE
INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 12.ed., 2001. Vitória (ES). Anais eletrônicos... Vitória
(ES): UFES, 2001. Disponível em:
http://www.inf.ufes.br/~sbie2001/figuras/artigos/a168/a168.htm. Acesso em: 21 set. 2002.

4) CONSTITUIÇÃO, LEIS E DECRETOS

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 7.ed. Rio de Janeiro: DP&A,


2000.

_____. Consolidação das leis do trabalho. 29.ed. São Paulo: LTr/ Saraiva, 2002.

RIO GRANDE DO SUL. Constituição do Estado do Rio Grande do Sul: promulgada aos 3
de outubro de 1989. Porto Alegre: Corag, 1989.

- Leis (formato eletrônico)

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as


diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.mec.gov.br>. Acesso
em: 29 set. 2005.

_____. Portaria 301, de 7 de abril de 1998. Define os procedimentos de credenciamento de


instituições para oferta de cursos de graduação e educação profissional tecnológica a
distância. Disponível em: < http://www.mec.gov.br/legis//default.shtm>. Acesso em: 09 nov.
2006.

5) DOCUMENTOS ELETRÔNICOS

- Material cartográfico (atlas, globos, mapas)

ATLAS geográfico escolar multimídia. Rio de Janeiro: IBGE, 2004. 1CD-ROM.


32

- Artigo e/ou matéria de revista em meio eletrônico

GOUVEIA, Luís Manuel Borges; CAMACHO, Maria de Lurdes. Criação de espaços de


informação interactivos: ambiente de aprendizagem para a cadeira de sistemas de
informação. 1998. Disponível em: http://www2.ufp.pt/~lmbg/com/pdfs/simp98_esp-
info.pdf>. Acesso em: 29 jan. 2003.

6) CAPÍTULOS DE LIVROS (PARTES DE PUBLICAÇÕES)

COPPINI, Luciana Zuolo; WAITZBERG, Dan Linetzky. Impedância bioelétrica. In:


WAITZBERG, Dan Linetzky. Nutrição oral, enteral e parenteral na prática clínica. 3.ed.
São Paulo: Atheneu, 2000. p.205-303.

ETCHEGOYEN, R. Horácio. Transferência(2). In:____. Fundamentos de técnica


psicoanalítica. Tradução de Cícero G. Fernandes. 2.ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.
cap.8. p.57-62.

7) PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS (PARTES E NO TODO)

ARZENO, Leonardo; ORENGO, Gilberto. Estudo comparativo dos diferentes esquemas de


discretização utilizados no código ANISN. Disciplinarum Scientia, Série: Ciências Exatas -
Centro Universitário Franciscano, Santa Maria, v.3, n.1, p.191-199, 2002.

VEJA. São Paulo: Editora Abril, n. 1899/A, abr.2005. Edição Especial.

- Artigo e/ou matéria de jornal

MITTMANN, Leri Claudio. Região de lagos e vulcões. Zero Hora, Porto Alegre, 26
abr.2005. Suplemento viagem, p.4.

FIÉIS SE UNEM em fé e oração. A Razão, Santa Maria, p.6, 2 e 3 abr.2005.