Você está na página 1de 19

1

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA


CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES
PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS (PPGL)

PROCESSO SELETIVO 2011


- Mestrado e Doutorado -

Áreas de concentração
LITERATURA E CULTURA
LINGUAGENS E CULTURA

Coordenadora
Profª. Drª. Ana Cristina Marinho Lúcio

Vice-Coordenador
Prof. Dr. Expedito Ferraz Júnior
2

CRITÉRIOS GERAIS PARA A SELEÇÃO - MESTRADO E DOUTORADO

Proficiência: Para os candidatos ao Mestrado, exige-se proficiência em uma língua


estrangeira (inglês, francês ou espanhol). Serão aceitos os resultados de exames de
proficiência, devidamente comprovados, desde que realizados, no máximo, há dois anos,
com média igual ou superior a 7,0 (sete); bem como certificados de proficiência em língua
estrangeira de nível pós-intermediário ou avançado, como o TOEFL, CAMBRIDGE, DELE
e NANCY.
Para os candidatos ao Doutorado, exige-se proficiência em duas línguas
estrangeiras. A segunda proficiência deverá ser em idioma diferente da realizada no
mestrado. Serão aceitos os resultados de exames de proficiência, devidamente
comprovados, desde que realizados, no máximo, há dois anos, com média igual ou
superior a 7,0 (sete); bem como certificados de proficiência em língua estrangeira de nível
pós-intermediário ou avançado, como o TOEFL, CAMBRIDGE, DELE e NANCY.
Os candidatos estrangeiros, além da proficiência exigida para o Mestrado e para o
Doutorado, deverão trazer certificado de proficiência em língua portuguesa.

Projeto de pesquisa: A homologação da inscrição do(a) candidato(a), pré-fase do


Processo Seletivo tanto para o Mestrado quanto para o Doutorado, está vinculada ao
aceite do orientador pretendido, que fará uma avaliação preliminar do Pré-projeto
(Mestrado) ou do Projeto (Doutorado) apresentado, considerando a adequação do mesmo
ao projeto de pesquisa e à linha à qual o orientador está vinculado. Em caso de não
aceitação, caberá ao orientador pretendido justificar a decisão junto à Comissão de
Seleção.

ETAPAS DA SELEÇÃO

MESTRADO

O processo seletivo compreende duas fases: uma eliminatória e uma classificatória. Da


etapa eliminatória constarão prova escrita (para avaliação de leitura e produção de texto na
área de interesse do candidato) e entrevista, com base no pré-projeto de pesquisa. Para
ser aprovado o candidato deve obter, no mínimo, nota sete (7,0) em cada uma das etapas.
A etapa classificatória consistirá na análise do currículo LATTES do candidato.

PROVA ESCRITA: de caráter eliminatório, esta prova constará de questões gerais


(conferir bibliografia geral, por área de concentração), elaboradas e corrigidas pela
comissão de seleção e questões específicas (conferir bibliografia específica, por
orientador), elaboradas e corrigidas pelo orientador pretendido. O resultado da prova
determinará a classificação para a distribuição de bolsas de estudo.

ENTREVISTA: de caráter eliminatório, constará de duas etapas: defesa e argüição pela


banca examinadora com base no pré-projeto. Somente os candidatos aprovados na prova
escrita passarão para esta etapa. A banca examinadora será composta pelo orientador
pretendido e mais um professor convidado pelo orientador.

ANÁLISE DO CURRÍCULO – etapa classificatória, que consiste na contagem dos pontos


do currículo de acordo com a tabela disponibilizada na seção ANEXOS deste Edital. A
3

Comissão examinadora conferirá a exatidão das informações fornecidas, reportando-se


para tanto aos documentos comprobatórios do currículo.

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PRÉ-PROJETO DE PESQUISA

O Pré-projeto deverá ser encaminhado, no ato da inscrição, à linha de pesquisa, com a


indicação do professor pretendido como orientador; o projeto deverá refletir os interesses
da área, da linha e do professor orientador indicado. Sem isso a inscrição não será
homologada. O pré-projeto deverá ter, no máximo, 10 páginas, contendo:

a) Título
b) Introdução/Justificativa
c) Objetivos
d) Fundamentação teórica
e) Metodologia
f) Cronograma
g) Referências

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO CURRÍCULO


O Currículo deverá ser elaborado de acordo com a Plataforma Lattes do CNPq, atualizado,
com cópia da produção científica (artigos publicados, informações sobre o trabalho de
conclusão de curso de Graduação, monografia de conclusão de Especialização,
experiência profissional etc.). Todos os dados apresentados no currículo deverão ser
acompanhados dos respectivos comprovantes. No caso de textos publicados, o
candidato deverá comprovar a publicação com cópias da capa, índice e primeira e última
páginas do texto. Solicita-se anexar, tão-somente, os documentos que comprovam os
itens preenchidos pelo candidato na Tabela (Anexo I).

DOUTORADO
O processo seletivo compreende duas fases: uma eliminatória e uma classificatória. Da
etapa eliminatória constarão prova escrita (para avaliação de leitura e produção de texto do
candidato) e entrevista com base no projeto de pesquisa. Para ser aprovado o aluno deve
obter no mínimo sete (7,0) em cada uma delas. A etapa classificatória consistirá na análise
do curriculum vitae do candidato.

PROVA ESCRITA: de caráter eliminatório, esta prova constará de questões gerais


(conferir bibliografia geral, por área de concentração), elaboradas e corrigidas pela
comissão de seleção e questões específicas (conferir bibliografia específica, por
orientador), elaboradas e corrigidas pelo orientador pretendido. O resultado da prova
determinará a classificação para a distribuição de bolsas de estudo.

ENTREVISTA: de caráter eliminatório, constará de duas etapas: defesa e argüição pela


banca examinadora com base no pré-projeto. Somente os candidatos aprovados na prova
escrita passarão para esta etapa. A banca examinadora será composta pelo orientador
pretendido mais um professor convidado pelo orientador.

ANÁLISE DO CURRÍCULO – etapa classificatória, que consiste na contagem dos pontos


do currículo de acordo com a tabela disponibilizada na seção ANEXOS deste Edital. A
4

Comissão examinadora conferirá a exatidão das informações fornecidas, reportando-se


para tanto aos documentos comprobatórios do currículo.

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA


O Projeto deverá ser encaminhado, no ato da inscrição, à linha de pesquisa, com a
indicação do professor pretendido como orientador; o projeto deverá refletir os interesses
da área, da linha e do professor orientador indicado. O projeto deverá ter, no máximo, 15
páginas, contendo:

a) Título;
b) Introdução/Justificativa;
c) Objetivos;
d) Fundamentação teórica;
e) Metodologia;
f) Cronograma;
g) Referências.

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO CURRÍCULO


O Currículo deverá ser elaborado de acordo com a Plataforma Lattes do CNPq, atualizado,
documentado, com cópia da produção científica (artigos publicados, informações sobre o
trabalho de conclusão de curso de Graduação, monografia de conclusão de
Especialização, dissertação de Mestrado, experiência profissional etc.). Todos os dados
apresentados no currículo deverão ser acompanhados dos respectivos comprovantes.
No caso de textos publicados, o candidato deverá comprovar a publicação com cópias da
capa, índice e primeira e última páginas do texto. Solicita-se anexar, tão-somente, os
documentos que comprovam os itens preenchidos pelo candidato na Tabela (Anexo
I).
5

DO CÁLCULO DAS NOTAS

Para a obtenção da Nota Final (NF) serão adotados os cálculos abaixo, atribuindo-se notas
de zero a cem à Prova Escrita, à Entrevista e ao Projeto.
Para a Pontuação do Curriculum Vitae, consultar a TABELA anexa, que será a base de
cálculos para Mestrado e Doutorado

Mestrado e Doutorado

Prova escrita + Entrevista = Média


2

Média + Pontos do Curriculum Vitae = Nota Final

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES SOBRE A ADMISSÃO AO PROGRAMA

♦ Poderão inscrever-se para a seleção ao Programa de Pós-Graduação em Letras


portadores de diploma de curso de graduação de duração plena, para o nível de Mestrado,
e portadores de Diploma de Mestrado, para o Doutorado.
♦ A inscrição será deferida à vista da regularidade da documentação apresentada. Se, à
época da inscrição, o candidato ainda não houver concluído o curso de graduação ou
mestrado, deverá apresentar documento comprovando estar em condições de concluí-lo
antes do início do curso. Neste caso, o candidato deverá, no ato da primeira matrícula nas
disciplinas, satisfazer à exigência de apresentar cópia autenticada do certificado de
conclusão ou diploma.
♦ Não sendo apresentados os documentos previstos no item anterior, o candidato será
desclassificado do Programa de Pós-Graduação em Letras.
♦ As inscrições serão efetuadas pelo candidato ou por procurador habilitado, na secretaria
do Programa de Pós-Graduação em Letras. Serão aceitas inscrições pelo correio,
exclusivamente via Sedex e desde que postadas até o último dia previsto para inscrições,
valendo para tanto a data do carimbo de postagem.
♦ A admissão no Programa de Pós-Graduação em Letras será realizada após processo de
seleção, o qual será composto de etapas eliminatórias e classificatórias, conforme o edital.
♦ O resultado da seleção será divulgado indicando-se o número de pontos obtidos pelos
candidatos aprovados, em ordem decrescente.
♦ O candidato classificado na seleção deverá, dentro do prazo fixado, efetuar matrícula
junto à Secretaria do Programa de Pós-Graduação em Letras, recebendo um número de
inscrição que o qualificará como aluno regular da UFPB.
♦ A não efetivação da matrícula, dentro do prazo fixado, implicará a desistência do
candidato, perdendo todos os direitos adquiridos pela classificação no processo de
seleção.
♦ A Coordenação do Programa fixará o prazo para efetivação da matrícula, cabendo ao
aluno informar-se acerca do mesmo.
♦ Candidatos não classificados poderão retirar seus documentos até o dia 30 de abril de
2011. Após esta data, toda a documentação não retirada será destruída.
6

Documentos exigidos no ato da inscrição (Mestrado e Doutorado)

1. Formulário de inscrição (disponível no site do PPGL WWW.cchla.ufpb.br/posletras)


2. Duas fotografias 3x4;
3. Cópia do certificado de proficiência em língua estrangeira.
4. Cópia do diploma de Graduação ou Certificado de Conclusão de Curso (para candidatos
ao Mestrado), ou do diploma de Mestrado ou certidão equivalente (para os candidatos ao
Doutorado);
5. Histórico escolar da graduação (para o Mestrado), ou de Mestrado (para o Doutorado);
6. Duas cópias do CURRICULUM LATTES (uma das cópias com comprovação)
7. Uma cópia dos seguintes documentos: título de eleitor, CPF, identidade (ou registro
geral de estrangeiro para candidatos não-brasileiros), e documentos que comprovem estar
em dia com as obrigações militares e eleitorais;
8. Tabela preenchida com a pontuação do currículo do candidato (ver anexo 1).
9. Quatro vias do pré-projeto (mestrado) ou projeto (doutorado) de pesquisa;
10. Uma via ORIGINAL do comprovante de depósito de R$ 70,00, efetuado na conta
Banco do Brasil; Agencia 1619-5; Conta corrente: 22471-5.

OBS.: se o candidato for concluinte de Curso de Graduação ou estiver com defesa de


Mestrado prevista para o período anterior à matrícula, poderá apresentar documento
comprobatório, assumindo o compromisso de fornecer o certificado definitivo de conclusão
ou defesa no período da matrícula definido pelo PPGL. Caso o documento não seja
apresentado no ato da matrícula, o candidato será automaticamente desclassificado.
7

CALENDÁRIO – MESTRADO E DOUTORADO

Etapas Período Horário Local


Inscrição para a 16 a 19 de novembro 08h às 12h Secretaria do
proficiência (candidatos ao de 2010 14h às 16h PPGL
mestrado e ao doutorado)
Exame de proficiência 23 de novembro de 09h às 12h CCHLA. Sala 500
2010 (inglês); PPGL
(francês e
português); 504
(espanhol)
Divulgação do resultado 30 de novembro de - Site do PPGL
da proficiência 2010
Inscrição para a Seleção 01 a 09 de dezembro 08h às 12h Secretaria do
2011 de 2010 14h às 16h PPGL
Divulgação do resultado 15 de dezembro de - Site do PPGL
da Homologação das 2010
inscrições
Prova escrita para os 17 de fevereiro de 08h às 12h CCHLA – Salas
candidatos ao Mestrado e 2011 500 e 504
ao Doutorado
Divulgação do resultado 23 de fevereiro de - Site do PPGL
da prova escrita para os 2011
candidatos ao Mestrado e
ao Doutorado
Entrevista para os 25 e 28 de fevereiro; Divulgado no Divulgado no site
candidatos ao Mestrado 01 de março de 2011 site do PPGL do PPGL
Entrevista para os 01 a 03 de março de Divulgado no Divulgado no site
candidatos ao Doutorado 2011 site do PPGL do PPGL
Divulgação do resultado 04 de março de 2011 Site do PPGL
da entrevista para os
candidatos ao Mestrado e
ao Doutorado
Entrada de recurso 10 e 11 de março de 08h às 12h Secretaria do
2011 14h às 16h PPGL
Divulgação do resultado 14 de março de 2011 Site do PPGL
dos recursos
Resultado do Processo 15 de março de 2011 Site do PPGL
Seletivo 2011
Matrícula para os alunos 16 a 18 de março de 08h às 12h Secretaria do
novos 2011 14h às 16h PPGL
8

ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO

LITERATURA E CULTURA

Contando com quatro linhas de pesquisa, essa área tem como objetivos principais
investigar, a partir de vários enfoques teórico-críticos, a literatura e a cultura, visando a
uma compreensão mais aprofundada do seu significado enquanto expressão individual e
social.

1 ESTUDOS COMPARADOS
Estudo das relações de aproximação e distanciamento existentes entre as literaturas e
também entre estas e as demais manifestações artísticas, como a música, as artes
plásticas, o cinema e o teatro, entre outras, tomando por base princípios teóricos e
metodológicos do comparatismo.

Prof. Dr. Arturo Gouveia (Mestrado: 03; Doutorado: 01)


Projeto de pesquisa: Literatura e teoria crítica
O presente projeto, tem por objetivo a orientação de trabalhos de mestrado e doutorado
sobre a narrativa e a literatura dramática em língua portuguesa, francesa e espanhola, à
luz da teoria crítica desenvolvida pela Escola de Frankfurt. Os projetos de pesquisa devem
ser fundamentados nos textos teóricos e filosóficos de Walter Benjamin, Max Hohkheimer,
Theodor Adorno e Herbert Marcuse, especialmente os que revelam contribuições para a
teoria da literatura e áreas afins, como a filosofia e a teoria estética. O legado teórico dos
frankfurtianos estabelece intercâmbio com outras linhas de produção filosófica do
marxismo do século vinte, como as teorias de Georg Lukács, Mikhail Bakhtin, Peter Bürger,
Ferenc Feher, Erich Auerbach, entre outros. A recepção de tais produções no Brasil
apresenta importantes ressonâncias sobre o pensamento teórico e crítico de Antonio
Candido e Roberto Schwarz, cujas reflexões sobre a relação entre literatura e sociedade
também embasam o presente projeto. A teoria crítica não se restringe à teoria da literatura,
abrangendo outros campos do conhecimento que não podem ser segregados dos objetivos
de leitura e formação crítico-teórica dos pesquisadores.
Bibliografia específica
Mestrado
CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 6. Ed.
São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.
TOLEDO, Dionísio de Oliveira (org.). Teoria da literatura: formalistas russos. Trad. Ana
Mariza Ribeiro Filipouski. Porto Alegre: Globo, 1978.
Doutorado
CANDIDO, Antonio. Dialética da malandragem. O discurso e a cidade. São Paulo: Duas
Cidades, 1993, p. 19-54.
RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. 2. Ed. São Paulo: EXO
experimental org.;Ed. 34, 2009. (disponível também na Revista Novos Estudos Cebrap)

Profª. Drª. Genilda Azeredo (Mestrado: 03; Doutorado: 02)


Projetos de pesquisa: A adaptação fílmica como prática semiótica e cultural e A
adaptação fílmica entre a narratividade e a poesia.
Os projetos visam discutir o processo de adaptação fílmica como um fenômeno ativo de
produção de significados, que pode se dar em níveis diversos: através do impacto que a
mudança de sistema semiótico provoca, quando uma narrativa verbal é transmutada para
9

um meio audiovisual; através do processo de interpretação que a adaptação instaura;


através do diálogo, inerente ao novo contexto de leitura, entre tempos e culturas diferentes.
Algumas questões que norteiam este objeto de estudo vinculam-se a categorias relevantes
em estudos de narrativa, tais como narração, narrador, focalização, personagem, lirismo,
metalinguagem, expressividade poética, espaço, tempo, que são analisadas a partir de
recortes teóricos e críticos pertencentes aos estudos literários e fílmicos, portanto,
atreladas às especificidades e potencialidades de cada sistema semiótico e cultural na
produção de significados.
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
Hutcheon, Linda. “Beginning to theorize adaptation”. In: A theory of adaptation. London
and New York: Routledge, 2006.
Stam, Robert. Teoria e prática da adaptação: da fidelidade à intertextualidade. In: Corseuil,
Anelise (ed.). Ilha do Desterro: Film beyond boundaries. UFSC: Editora da UFSC, no.
51, julho / dezembro de 2006.
Stam, Robert. Bakhtin: da teoria literária à cultura de massa. São Paulo: Ática, 1992.
Stam, Robert. “Beyond fidelity: the dialogics of adaptation”. In: Naremore, James. (ed.).
Film adaptation. New Brunswick: Rutgers University Press, 2000.

Prof. Dr. Maryson Borges (Mestrado: 02 vagas)


Projeto de pesquisa: Fundamentos e contribuições crítico-teóricas do pensamento
estético de Walter Benjamin.
As vagas de orientação oferecidas nesta linha de pesquisa destinam-se a candidatos que
desejam realizar estudos em teoria da narrativa ou teoria da crítica ou, eventualmente,
análises literárias que dialoguem com os elementos do projeto de pesquisa acima
mencionado. Serão cotados e priorizados, portanto, projetos que no âmbito da filosofia da
arte possam ser capazes de problematizar questões ligadas à aplicabilidade do modelo de
crítica literária benjaminiano ou que estejam destinados a desenvolver uma reflexão teórica
sobre os elementos que constituem este paradigma.
Bibliografia específica
BENJAMIN, Walter. "A crítica de arte". In: O conceito de crítica de arte no romantismo
alemão. Iluminuras: São Paulo, 2002. (p. 69-122)
KANGUSSU, Imaculada. "Walter Benjamin e Kant I: a herança do sublime na filosofia
Walter Benjamin." In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (org.). Leituras de Walter Benjamin.
Annablume/Fapesp: São Paulo, 1999. (p. 147-156)

2TRADIÇÃO E MODERNIDADE
Estudo das relações entre as manifestações literárias do passado e as do presente, a
evolução dos traços comuns aos diversos estilos de época e a influência de estéticas
pretéritas na literatura moderna. Neste âmbito destacam-se, particularmente, as influências
na modernidade das literaturas clássica e medieval, interessando, também, todos os
procedimentos que, em nível formal e temático, denotam a interdependência, o vínculo
genético ou alguma forma de continuidade entre a literatura de ontem e a de hoje.

Profª Drª Sandra Luna (Mestrado: 01 vaga; Doutorado: 01 vaga)


Projeto de pesquisa: Dramaticidade e tragicidade em literatura e cinema: ação, tradição,
adaptação
Este projeto focaliza a tradição dramática ocidental, investigando, sob perspectivas
teóricas, críticas e histórico-literárias, linhas de força que interagem na construção estética
10

do gênero dramático e de seus subgêneros. Fundamentada em aproximações


comparativistas, a pesquisa também acolhe estudos sobre tragicidade e dramaticidade em
outros gêneros literários, assim como nas relações entre dramaturgia e cinema.
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
ARISTÓTELES. Poética. Tradução, Prefácio, Introdução, Comentário e Apêndices de
Eudoro de Sousa. Porto Alegre: Editora Globo, 1966.
HEGEL. A poesia dramática. In: Estética: Poesia. Trad. Álvaro Ribeiro. Lisboa: Guimarães
Editores, 1964.
HELLMAN, Lillian. As pequenas raposas. Trad. Clarice Lispector e Tati de Moraes. Rio de
Janeiro: José Olympio, 2009.
MARCOS, PLÍNIO. Dois perdidos numa noite suja. São Paulo: Global, 2003.
WILLIAMS, Raymond. Tragédia Moderna. São Paulo: Cosac&Naify, 2002.

3 MEMÓRIA E PRODUÇÃO CULTURAL


Estudo das representações sociais engendradas entre a produção cultural e as dinâmicas
sociais. Os enfoques incluem as representações das tensões sociais e das identidades
culturais, as relações entre criação e contexto social, as relações de etnia e de gênero e o
impacto da indústria cultural.

Profª Drª Ana Cristina Marinho Lúcio (Mestrado: 02 vagas; Doutorado: 02 vagas)
Projeto de pesquisa: Literatura e espacialidades: texturas da nova narrativa em língua
portuguesa
Propomos, com esse projeto, pensar as representações do espaço em narrativas de
autores brasileiros e/ou de países africanos de língua portuguesa, através de categorias
como lugar, margem, fronteira, identidade e experiência. Priorizamos as propostas de
análise literária que evidenciem as representações do espaço, além dos estudos sobre o
espaço como focalização. A pesquisa desenvolvida também pode abarcar projetos na área
das culturas populares, com especial interesse em narrativas de sujeitos envolvidos em
processos migratórios.
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
COUTO, Mia. O fio das missangas. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.
Revista Aletria. v. 15. Poéticas do espaço. jan/jun 2007. Disponível em
http://www.letras.ufmg.br/poslit/08_publicacoes_pgs/publicacao002114.html

Prof. Dr. José Helder Pinheiro (Doutorado: 02 vagas)


Projeto de pesquisa: Vozes femininas na poesia lírica brasileira
Orientaremos projetos que investiguem obras de poetisas brasileiras, cuja produção veio a
público no decorrer do século XX e/ou início do século XXI, que tenha tido ou não
visibilidade. Espera-se dos candidatos familiaridade com análise de poemas bem como
conhecimento da fortuna crítica da(s) poetisa(s) que venham a ser estudadas.
Bibliografia específica
BERARDINELLI, Alfonso. Da poesia à prosa. Trad. Maurício F. Dias. São Paulo:
Cosac&Naify, 2000.
BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

Profª Drª Liane Schneider (Mestrado: 02 vagas; Doutorado: 02 vagas)


Projeto de pesquisa: Representações de gênero na literatura de mulheres de grupos não-
hegemônicos
Desenvolve projeto de pesquisa voltado principalmente à investigação do texto literário a
partir de representações de gênero e de suas interrelações com outras categorias da
11

diferença, tais como raça e etnia, na perspectiva crítica dos estudos pós-coloniais e
feministas. Gênero, classe, etnia e raça aparecem como elementos ou categorias
analíticas justapostas a fim de possibilitar novas leituras e interpretações de obras literárias
contemporâneas e dos diálogos que essas estabelecem com tradições culturalmente já
validadas. Mais recentemente as pesquisas da professora tem se voltado às literaturas
produzidas na diáspora, principalmente nas Américas.
Bibliografia específica
Mestrado
LAHIRI, Jhumpa. "A casa da Sra. Sen". In: Intérprete de Males. São Paulo: Companhia
das Letras, 2001.
SCOTT, Joan. História das mulheres. In: Burke, Peter. A escrita da história: novas
perspectivas. Trad. Magda Lopes. São Paulo: UNESP, 1992, p.63-95.
SAID, Edward. Reflexões sobre o exílio. In: Said, Edward. Reflexões sobre o exílio e
outros ensaios. Trad. Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2003, p. 46-
60.
Doutorado
LAHIRI, Jhumpa. "A casa da Sra. Sen". In: Intérprete de Males. São Paulo: Companhia
das Letras, 2001.
SCOTT, Joan. História das mulheres. In: Burke, Peter. A escrita da história: novas
perspectivas. Trad. Magda Lopes. São Paulo: UNESP, 1992, p.63-95.
SAID, Edward. Reflexões sobre o exílio. In: Said, Edward. Reflexões sobre o exílio e
outros ensaios. Trad. Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2003, p. 46-
60.
SAID, Edward. "Resistência e oposição" In: SAID, Edward. Cultura e Imperialismo. p.
245- 266.

Prof. Dr. Luiz Antonio Mousinho Magalhães (Mestrado: 03 vagas; Doutorado: 02


vagas)
Projeto de pesquisa: Literatura e cinema: ficção e dialogismo
Pretendemos desenvolver e orientar pesquisas sobre ficção literária e audiovisual (cinema,
sobretudo, mas também televisão), discutindo-se possibilidades de interpretação textual,
sobretudo a partir de aspectos da teoria da narrativa. Está em nosso horizonte de interesse
observar e debater aspectos da teoria literária, das teorias do cinema e da comunicação,
em correlação com aspectos pontuais de outras disciplinas das humanas como sociologia,
psicanálise, antropologia, etc, numa perspectiva interdisciplinar, valorizando a crítica
textual e relacionando-a a um movimento de crítica da cultura; atentando-se especialmente
para a elaboração estética de textos específicos (literários e audiovisuais) abordados em
suas relações com o solo histórico, cultural e comunicacional. As relações entre ficção
literária e audiovisual estão no centro de nosso interesse e, no caso da ficção televisiva,
estarão em foco seriados e programas especiais (“unitário”).
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
CANDIDO et. al. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 1992.
GENETTE, Gérard. Modo. In: O discurso da narrativa, Vega Universidade,s/d.159-209.

Profª Drª Nadilza Martins de Barros Moreira (Mestrado: 01 vaga; Doutorado: 01 vaga)
Projeto de Pesquisa: Júlia Lopes de Almeida: uma trajetória feminina/feminista nas
crônicas da belle époque brasileira.
12

Daremos preferência a projetos de pesquisa que priorizem a autoria feminina, assim como
as questões de gênero desde que estas estabeleçam um diálogo com a literatura, com as
teorias críticas feministas procurando integrar as interfaces da literatura e da cultura.
Bibliografia Específica (Mestrado e Doutorado)
ALMEIDA, Júlia Lopes de. Correio da roça: romance epistolar. 7ª. edição. Organização,
atualização e notas por Sylvia Perlingueiro Paixão. Rio de Janeiro: Presença Edições;
Brasília: INL – Instituto Nacional do Livro, 1987.
EAGLETON, Terry. Teoria da Literatura: uma introdução. Trad. W. Dutra. São
Paulo: Livraria Martins Fonte, 1983. p.1-19; 209-232.
MOREIRA, Nadilza M. de B. A Condição Feminina Revisitada: Júlia Lopes de
Almeida e Kate Chopin. João Pessoa: Editora Universitária (UFPB), 2003.
RUFFATO, L. (ORG). 25 Mulheres que estão fazendo a Nova Literatura
Brasileira. São Paulo: Record, 2004.

Profª. Drª. Wilma Martins de Mendonça (Mestrado: 01; Doutorado: 01)


Projeto de Pesquisa: O Brasil em sua literatura: memória e identidade cultural.
Estudo das imagens, das representações e das interpretações de brasilidade, traçadas,
recorrentemente, em nosso corpus literário.
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
BOTELHO, André; SCHWARCZ, Lilia Moritz (Org.). Um enigma chamado Brasil: 29
intérpretes e um país. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 7. ed. Belo
Horizonte; Rio de Janeiro: Itatiaia, 1993, 2 v.
________. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 7. ed. São
Paulo: Nacional, 1985.
PERRONE-MOISÉS, Leyla. Vira e mexe nacionalismo: paradoxos do nacionalismo
literário. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
SCHWARZ, Roberto. Seqüências brasileiras: ensaios. São Paulo: Companhia das
Letras, 1999.
SEGATTO, José Antonio; BALDAN, Ude (Org.). Sociedade e literatura no Brasil. São
Paulo: UNESP, 1999.
VELOSO, Mariza; MADEIRA, Angélica. Leituras brasileiras: itinerários no pensamento
social e na literatura. 2. ed. rev. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

Profª. Drª. Zélia Monteiro Bora (Mestrado: 02; Doutorado: 03)


Projeto de Pesquisa: Memória Cultural e a Construção da Identidade
Como uma construção discursiva, a memória é um elemento essencial para a
compreensão do passado e a continuidade do presente. As discussões sobre a
modernidade têm apontado a memória como um discurso profundamente fragmentado e
em crise tanto do ponto de vista coletivo, quanto do ponto de vista individual. Nosso projeto
investiga a correlação entre o discurso memorialista e a narrativa literária, enfatizando
problemas da identidade nacional brasileira e seus conflitos, dentro do contexto latino-
americano, levando-se em consideração categorias como gênero, etnicidade e classe
social.
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
BHABHA, Homi K. The Location of Culture. London: Routledge, 1994.
Narrativas: Crônica da Casa Assassinada, Lúcio Cardoso; Cais da Sagração, Josué
Montelo; Quase Memória, Carlos Heitor Cony; Galvez Imperador do Acre, Márcio de
Sousa; Ciranda de Pedra, Lygia Fagundes Teles.
13

4 CULTURA E TRADUÇÃO
Nesta linha, Cultura e Tradução serão abordadas com base nas atuais concepções
teórico-metodológicas advindas dos estudos literários e culturais, da história e das ciências
sociais. O foco de interesse se concentra nas dinâmicas entre as culturas (assimetrias,
paralelismos, dependências, entre outros), tendo-se em vista que os processos de
tradução, tanto inter quanto intra-cultural, assim como de tradução de culturas, constituem
práticas sociais indissociáveis dos contextos histórico, cultural, político e econômico em
que são produzidos e circulam.

Profª Drª Marta Pragana Dantas (Mestrado: 03 vagas)


Projeto de pesquisa: Tradução e globalização editorial
As vagas ofertadas destinam-se a candidatos que pretendam desenvolver pesquisas
voltadas para o estudo das dinâmicas culturais envolvidas nos processos de tradução de
textos literários. Tradução aqui é entendida não em sua dimensão eminentemente textual
(que supõe uma relação neutra entre uma língua de partida e uma língua de chegada),
mas sim, e principalmente, como troca entre diferentes culturas, marcada por assimetrias,
desigualdades, dependências, paralelismos. Esta perspectiva respalda-se amplamente nas
inflexões dadas por Pascale Casanova à teoria dos campos de Pierre Bourdieu, bem como
nos trabalhos de Gisèle Sapiro. Sugere-se, portanto, que os projetos se insiram dentro
dessa perspectiva, mas outras abordagens serão aceitas, desde que bem fundamentas e
adequadas ao objeto de estudo.
Bibliografia específica
CASANOVA, Pascale. A fábrica do universal. In: _____. A república mundial das letras.
Tradução de Marina Appenzeller. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.
HEILBRON, Johan; SAPIRO, Gisèle. Por uma sociologia da tradução. Tradução de Marta
P. Dantas e Adriana Cláudia de S. Costa. Graphos, vol. 11, n. 2, 2009, p. 13-28.

Profª. Drª. Wiebke Röben de Alencar Xavier (Mestrado: 04 vagas)


Projeto de pesquisa: Tradução cultural no contexto do “Novo Mundo”
A partir da idéia de uma histoire croisée (história cruzada) transatlântica, analisamos, em
nosso projeto de pesquisa, o potencial e os problemas do conceito chave “tradução
cultural” no contexto do descobrimento do “Novo Mundo” desde 1500. Neste contexto,
poderemos abordar também questões em relação ao novo translational turn nas ciências
culturais. Assim, o foco de interesse será nos encontros culturais, visando principalmente
os intercâmbios, ao invés de um enfoque apenas das estruturas (pré)conceituosas e
binárias, como por exemplo civilização/selvageria, agente/vítima, entre outras. A realização
do processo de tradução se reflete em várias mídias e formas (em textos literários e as
suas traduções, em cartas, relatos de viagem, diários, etc.). Através desse material se
tornam transparentes as condições paradigmáticas, as possibilidades e limites dos
processos de comunicação no contexto do descobrimento do Novo Mundo a partir de
1500. Serão de nosso interesse temas que abordem questões voltadas ao contexto
indígena e cristão, como as cartas dos jesuítas, franciscanos e beneditinos e sua
recepção; aspectos da oralidade e da escrita (condições coloniais e pós-coloniais de ler e
contar, história do livro, etc.); a relação entre o conhecimento indígena e as ciências
naturais modernas (perspectivas filosóficas e da história das ciências em relação à
tradução cultural do Brasil); a presença e tradução cultural de textos e para-textos
(presença e tradução cultural de obras européias sobre o Brasil na Literatura e
História literária e cultural); também nos interessam a temática das viagens entre Europa e
o Brasil e os olhares resultantes destes deslocamentos (relatos de viajantes, literatura de
14

viagem). Dentro desse projeto de pesquisa geral se encaixa também o nosso projeto
individual de pesquisa “As traduções de José de Alencar: uma histoire croisée
transatlântica” (site do PPGL), para o qual aceitamos também propostas de projetos.
Bibliografia específica
COUTINHO, Eduardo F. “O comparatismo brasileiro dos anos 90”. In: ROCHA, João Cezar
de Castro (Org.). Nenhum Brasil existe – pequena enciclopédia. Rio de Janeiro:
Topbooks 2003, p. 941-949.
COUTINHO, Eduardo F. “Comparativismo e Historiografia Literária. In: MOREIRA, Maria
Eunice (Org.). Histórias da Literatura: teorias, temas e autores. Porto Alegre: Mercado
Aberto 2003, p. 15-22.
CAIRO, Luiz Roberto Velloso. “História da Literatura, Literatura comparada e crítica
literária: Frágeis fronteiras disciplinares”. In: MOREIRA, Maria Eunice (Org.). Histórias da
Literatura: teorias, temas e autores. Porto Alegre: Mercado Aberto 2003, p. 69-85.

BIBLIOGRAFIA GERAL
ÁREA LITERATURA E CULTURA

MESTRADO
Antologia escolar de contos brasileiros. Org. Heberto Sales. Rio de Janeiro: Ediouro,
1997.
BOSI, Alfredo. Imagem, discurso; O som no signo; Frase: música e silêncio. In. O ser e o
tempo da poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. São
Paulo: T. A. Queiroz, 2000.
EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes,
1983.
FARIAS, Sônia L. Ramalho de. Tendências da crítica literária contemporânea: um esboço.
Graphos. João Pessoa, Vols. 10/11, Dez. /2008, Jun/2009.

DOUTORADO
ADORNO, T. Posição do narrador no romance contemporâneo. In: Notas de literatura I.
São Paulo: Duas Cidades/Ed. 34, 2003. p. 55-63.
RICOUER, Paul. As metamorfoses da intriga. In: Tempo e narrativa. Tomo II. Campinas:
Papirus, 1994. p. 15-54.
White, Hayden. Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. 2. ed. São
Paulo: Edusp, 2001. p. 137-151.
15

LINGUAGENS E CULTURA

De natureza multidisciplinar, a área reúne estudiosos em literatura e em outras linguagens.


São contemplados estudos dos mecanismos de construção e funcionamento textuais e
discursivos que envolvem semiótica, análise do discurso, teoria literária e filologia,
aplicadas à análise da cultura clássica (grecolatina), da cultura popular e regional e da
cultura midiática.

LINHAS DE PESQUISA

1 DISCURSO E CULTURA
DESCRIÇÃO: Partindo do princípio de que produzir linguagens significa produzir sentidos
numa aliança entre os fenômenos lingüísticos e os processos sócio-históricos, esta linha
de pesquisa reúne projetos cujo foco são as diversas materialidades de linguagens a partir
de diferentes perspectivas teóricas, na sua interface linguagens, discurso e cultura.
Propõe-se compreender o funcionamento de textos literários e não literários tomados como
objeto de estudo em diferentes manifestações culturais.

Profª Drª Ivone Tavares de Lucena (Mestrado: 01; Doutorado: 01)


Projeto de Pesquisa: Fiando as tramas do texto: a produção de sentidos em diferentes
gêneros e suportes textuais.
Investigar o funcionamento do discurso em diferentes manifestações textuais procurando
analisar a especificidade das modalidades do discurso. A preocupação fundamental da
pesquisa é com o processo de discursivização: de que forma certas estratégias discursivas
e certos valores ideológicos convertidos em estruturas textuais constroem sentido que
formam a tessitura de textos e como práticas discursivas na sociedade moderna podem
revelar as tecnologias de construção de identidades em discursos de diferentes gêneros.
Bibliografia específica – Mestrado e Doutorado
PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio, trad. Eni P.
Orlandi (et al.). Campinas: Editora da Unicamp, 1995. Capítulo III, p:141 a 159.
PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni P. Orlandi, Campinas,
SP: Pontes, 1990.
FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Trad. Laura Fraga de Almeida Sampaio. 3. ed.São
Paulo: edições Loyola, 1996.
FOUCAULT, M. O Sujeito e o Poder. In RABINOW, P. & DREYFUS, H. Michel Foucault.
Uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forence Universitária, 1995, p. 231-249.

Profª Drª Maria Angélica de Oliveira (Mestrado: 01; Doutorado: 02)


Projeto de pesquisa: (Des)leituras de vontades de verdade na constituição de identidades
Partindo do princípio de que ler é uma atividade política, e como tal exige que se saiba
desconstruir leituras anteriores para que novas e inovadoras surjam no horizonte, (DEMO,
2007: p 56), nosso projeto, à luz da Análise de Discurso de linha francesa, constitui-se
como uma proposta de leitura discursiva de diferentes textos (literários e não literários),
buscando examinar práticas discursivas denunciadoras de intolerância e de preconceito a
dadas identidades, como também examinar as formas de resistência a essas
discriminações. O objetivo principal do projeto é questionar as vontades de verdade
presentes nesses textos, buscando denunciar, como, nesses espaços, os jogos de
verdade são usados para atacar, depreciar, diminuir e humilhar determinadas identidades,
justificando e perpetuando práticas intolerantes em relação àqueles que, por serem
diferentes de um padrão determinado pela ideologia oficial, são colocados à margem da
16

ordem do discurso, tornando-se vítimas de uma violência velada acatada com naturalidade
pela sociedade.
Bibliografia específica – Mestrado e Doutorado
PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio, trad. Eni P.
Orlandi (et al.). Campinas: Editora da Unicamp, 1995. Capítulo III, p:141 a 159.
PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni P. Orlandi, Campinas,
SP: Pontes, 1990.
FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Trad. Laura Fraga de Almeida Sampaio. 3. ed.São
Paulo: edições Loyola, 1996.
FOUCAULT, M. O Sujeito e o Poder. In RABINOW, P. & DREYFUS, H. Michel Foucault.
Uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forence Universitária, 1995, p. 231-249.

Profª Drª Maria do Socorro Silva de Aragão (Mestrado: 01 vaga; Doutorado: 01 vaga)
Projeto de pesquisa: Motivações significativas de itens lexicais da linguagem regional-
popular nos atlas lingüísticos brasileiros
Este projeto tem como base teórica os princípios, métodos e técnicas da
dialetologia/geolinguística, trabalhando com um corpus de falares regionais, cartografados
nos atlas lingüísticos regionais; da sociolingüística, por terem os informantes as
características lingüísticas de variantes sociais; da Etnolinguística, uma vez que as formas
lingüísticas por eles utilizadas estão diretamente relacionadas a sua cultura local e
regional; à Semiótica, por irmos trabalhar com as motivações significativas que estão
subjacentes aos itens lexicais.
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
CARDOSO, Suzana A. M. Dialectologia: trilhas seguidas, caminhos a perseguir. In:
DELTA, n. 17; Especial, 2001, PA. 25-44.
COSERIU, Eugênio. Fundamentos e tarefas da sócio e etnolingüística. In: MELO, Linalda
de A. Sociedade, cultura e língua - ensaios de sócio e etnolingüística. João Pessoa:
Shorin/UFPB, 1990, p. 28-49.

2 ESTUDOS SEMIÓTICOS
A linha reúne projetos que trabalham com diversas concepções semióticas, desde as
filosóficas às discursivas, aplicadas à análise de textos verbais e não-verbais. São
contempladas as abordagens: semiótica da cultura, semiótica peirceana e semiótica
greimasiana.

Profª Drª Elinês de Albuquerque Oliveira (Mestrado: 04 vagas)


Projeto de pesquisa: Semiótica do teatro e suas interfaces
Pretendo orientar pesquisas que tenham como foco a linguagem teatral enquanto texto da
cultura, bem como as suas interfaces semióticas. A orientação teórica será norteada
através do instrumental fornecido pela Semiótica da Cultura, cujo eixo gravitacional é o
conceito de modelização. Dessa forma, orientar pesquisas que investiguem a tessitura
sígnica da linguagem teatral, entendendo-se o teatro enquanto um sistema cultural que
gera comunicação a partir do diálogo estabelecido com outros sistemas ou textos da
cultura constitui, portanto, meu objetivo principal.
Bibliografia específica
BOGATYREV, Piotr. "Os signos do teatro" In GUINSBURG, J.; COELHO NETTO, J.
Teixeira; CARDOSO, Reni Chaves (orgs.). Semiologia do Teatro. São Paulo: Perspectiva,
988, p.71-91.
17

MACHADO, Irene. "Um projeto semiótico para o estudo da cultura" In: Escola de
Semiótica: a experiência de Tártu-Moscou para o estudo da cultura. Cotia: Ateliês
Editorial, 2003, p.23-66.
KOWZAN, Tadeusz. "Os signos do teatro - Introdução à arte do espetáculo". In:
GUINSBURG, J.; COELHO NETTO, J. Teixeira; CARDOSO, Reni Chaves (orgs.).
Semiologia do Teatro. São Paulo: Perspectiva, 1988, p.93-124.
SUASSUNA, Ariano. O auto da compadecida. Rio de Janeiro: Agir, 2005.

Prof. Dr. Expedito Ferraz Júnior (Mestrado: 02 vagas; Doutorado: 02 vagas)


Projeto de Pesquisa: O lugar da metáfora na Teoria Geral dos Signos
Descrição: trata-se de uma revisão bibliográfica do tema da metáfora como signo icônico,
conforme definido pela semiótica peirciana, discutindo as interpretações que se tem feito
deste conceito, bem como sua aplicação em áreas de conhecimento que se fundamentam
nas ciências da linguagem, como a teoria da literatura e a crítica literária. No âmbito do
Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPB, orientaremos trabalhos voltados para a
aplicação da semiótica peirciana ao estudo do texto literário e aos estudos comparativos
entre literatura e outras linguagens.
Bibliografia específica (Mestrado e Doutorado)
NÖTH, Winfried. Panorama da semiótica: de Platão a Peirce. 3. ed. São Paulo:
Annablume, 2003.
SANTAELLA, Lucia. O que é semiótica. São Paulo: Basiliense, 2004.
PIGNATARI, Décio. Semiótica e literatura: icônico e verbal, Oriente e Ocidente. 2. ed.
São Paulo: Cortez&Moraes, 1979.

Profª Drª Maria de Fátima B. de Mesquita Batista (Mestrado: 02 vagas; Doutorado: 02


vagas)
Projetos de pesquisa: O espetáculo semiótico do texto: intersubjetividade e
pluriculturalismo
O projeto propõe como modelo teórico, a tendência semiótica elaborada por Greimas e
seus colaboradores da chamada Escola Semiótica de Paris. Ressalta os procedimentos
teóricos metodológicos da sociossemiótica, da psicosemiótica e, em especial, da semiótica
das culturas de linha francesa, aplicados à análise do texto (literário ou não), de expressão
popular e midiática. São contemplados como corpus, ainda, obras de autores eruditos
desde que sejam regionalistas e que tomem, como inspiração de suas obras, a cultura
popular.
Bibliográfica específica (Mestrado e Doutorado)
BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria Semiótica do Texto. São Paulo: Editora Ática,
1990;
BATISTA, Maria de Fátima Barbosa de Mesquita. Semiótica e Cultura: valores em
circulação na literatura popular. Modulo 1 Anais da 61ª Reunião Anual da SBPC -
Manaus, AM - Julho/2009 .site:
http://www.sbpcnet.org.br/livro/61ra/minicursos/MC_MariaF%C3%A1timaBatista.pdf
GREIMAS, Algirdas Julien. Os atuantes, os atores e as figuras in CHABROL, Claude et al.
Semiótica narrativa e textual. Tradução Leyla Perrone Moisés, Jesus Antônio Durigan e
Edward Lopes. São Paulo: Cultrix, 1977, p.179 a 195.
PAIS, Cidmar Teodoro. Considerações sobre a semiótica das culturas, uma ciência da
interpretação: inserção cultural, transcodificações transculturais in ACTA SEMIOTICA ET
LINGVISTICA. Vol. 14, n°1 p.17 a 30. (2009, ano 33). João Pessoa: Editora
Universitária/UFPB (à venda na pós-graduação)
18

SARAIVA, Arnaldo. O início da literatura de cordel brasileira IN: BATISTA, Maria de Fátima
Barbosa de Mesquita(org.). Estudos em Literatura Popular. João Pessoa: Editora
Universitária/UFPB (à venda na pós-graduação).

3 ESTUDOS CLÁSSICOS (não oferecerá vagas para 2011)


A linha de pesquisa em Estudos Clássicos se propõe o estudo dos autores de Língua
Grega e Língua Latina, da Antiguidade Clássica à Idade Média, na sua língua original. Esta
linha de pesquisa tem como objetivo promover a capacitação dos professores de Línguas
Clássicas, bem como a produção de edições bilíngües, para uso em sala de aula.
19

BIBLIOGRAFIA GERAL DA ÁREA


LINGUAGENS E CULTURA

MESTRADO E DOUTORADO
BAKHTIN, Mikhail. Introdução: apresentação do problema. In: Cultura Popular na Idade
Média e no Renascimento: O contexto de François Rabelais. Trad.: Yara Frateschi Vieira.
4 ed. São Paulo:HUCITEC, Brasilia: Editora Edunb, 1999.
GEERTZ, Clifford. Uma Descrição Densa: por uma interpretação da cultura. (Capítulo
1) In A interpretação das culturas.
HJELMSLEV, L. Signos e figuras; Expressão e conteúdo. In: Prolegômenos a uma teoria
da linguagem. 2ª edição. São Paulo: Perspectiva, 2003. p. 47 a 64
KRISTEVA, Júlia A História da Linguagem. Edições 70,2007. (Iª parte: Introdução à
Linguística).
PEIRCE, Charles S. Divisão dos signos. In: Semiótica, 3ª edição - São Paulo: Perspectiva,
Capítulo 3 (p 45 a 61).
SUASSURE, Ferdinand. Natureza do signo lingüístico; O valor lingüístico. In: Curso de
Linguística Geral, 9ª edição, São Paulo: Editora Cultrix. p.79 a 84 e 130 a 141
TAMBA-MECZ, Irene. A significação lingüística: lugar e características do sentido nas
línguas. In: TAMBA-MECZ, Irene. A semântica. São Paulo: Parábola, 2006, p. 50-70.