Você está na página 1de 113

ELETRICIDADE

APLICADA-II
RESUMO DE AULAS
PARA A 1ª PROVA
Eletricidade
Aplicada II
1ª Aula
Apresentação
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

• P1, P2 = Prova de teoria (0 – 10)


• Proj = Projeto (0 - 10)
• PProj = Prova de projeto (0 - 10)
• Plab = Prova de laboratório (0 - 10)
• Rel = Soma dos relatórios de laboratório (0 - 7)
• F.E = Somatória das folhas de exercícios (0 - 3)
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Prova de Laboratório
Nota de Projeto
Diferente de Zero

Frequência
Acima de 75 %
Eletricidade
Aplicada II
2ª Aula
Revisão de C.A.
Corrente Alternada:
Introdução
A expressão em função do tempo é:
v(t)=Vmáx sen(wt+a).
Vmáx é o valor máximo ou amplitude de v(t)
w é a velocidade angular, cuja a unidade é
radiano/segundo (rad/s) e calculada por:
f = frequência é o número de ciclo por segundo,
cuja a unidade é o hertz [Hz].
T = período é o tempo necessário para completar
um ciclo, sua unidade é o segundo [s].
O período é o inverso da frequência.

a=fase inicial da tensão


Para t=0, temos v(t)=Vo
Vo=Vmáxsena;
Onde Vo é o valor da tensão inicial

Exemplo: v(t)=100sen(314t + 30º)


Vmáx=100V (amplitude de v(t) ou valor máximo)
w=314 rad/s (velocidade angular)
a=30º (fase inicial)
Vo=100sen(30º)=50V (valor da tensão inicial)
Pode ter dois arcos para o mesmo seno.
Portanto o valor de a depende da forma da onda
1º quadrante de 0º a 90º
Por exemplo
v(t)=100sen(314t+30º).
Vo=Vmáxsena;
a=30º
sen30º=0,5
Vo=100sen30º=50V
2º quadrante de 90º a 180º
Por exemplo
v(t)=100sen(314t+150º).
Vo=Vmáxsena;
a=150º
sen150º=0,5
Vo=100sen150º=50V
Valor eficaz (Vef)
Valor eficaz (Vef) é o valor em CA correspondente
em CC, em que têm-se a mesma potência dissipada
por efeito Joule em um resistor.
Os aparelhos de medidas de tensão e corrente
medem em valores eficazes.
O valor eficaz é também chamado de valor
quadrático médio ou valor RMS (do inglês Root Mean
Square).
O valor eficaz é calculado por:

Resolvendo a integral da função acima tem-se:

Do exemplo anterior:
Fasor
Fasor é um vetor girante com velocidade angular w.
Representa-se como um vetor estacionário.
Com módulo igual ao valor eficaz (Vef).
Com a fase no instante t=0, ou seja fase inicial (a).
Sendo v(t)=Vmáx sen(wt+a).
O fasor de v(t) ou notação complexa da tensão é:
Sendo i(t)=Imáx sen(wt+b)
O fasor de i(t) ou notação complexa da corrente é:

Diagrama Fasorial: É a
representação dos
fasores de tensão e
corrente de um circuito elétrico.
Eletricidade
Aplicada II
3ª Aula
Leis de Ohm em C.A.
Devemos lembrar que as leis de
Kirchhoff e de Ohm vistas em C.C.
(números reais) valem em C.A., porém
fazendo operações com números
complexos.
Lei de Ohm
A relação entre o fasor da tensão e o fasor da
corrente em C.A. é chamada de impedância.
Impedância complexa:
É a relação entre os fasores
da tensão e da corrente:

Na forma polar:
O módulo é a relação entre o valor eficaz
da tensão e o valor eficaz da corrente:

A fase é a diferença entre a fase inicial


da tensão e a fase inicial da corrente:
Na forma cartesiana ou forma retangular:

Parte real (R) é a resistência por que resiste a


passagem de corrente elétrica.
A resistência dada em ohm(Ω); é sempre positiva.
Parte imaginária (X) é a reatância por que reage a
variação da corrente elétrica ou da tensão.
A reatância pode ser positiva ou negativa.
Quando positiva é chamada reatância indutiva e

Calculada por:
Onde w é a velocidade angular e L é a indutância em
henry (H).
Quando negativa é chamada reatância capacitiva e

Calculada por:

Onde w é a velocidade angular e C é a capacitância


em farad (F).
Impedância Puramente Resistiva:
Só tem a parte real
que vale R na forma
retangular.

Na forma polar o módulo vale R e a fase é 0º.


Tensão está em fase com a corrente ou seja tem o
mesmo ângulo ou sem defasagem ou j=0º
Impedância Puramente Indutiva:
Só tem a parte imaginária
positiva que vale XL
na forma retangular.
Na forma polar o módulo
vale XL e a fase é +90º.
Tensão adiantada de 90º ou ¼ do período em relação
a corrente ou seja j=+90º
Impedância Puramente Capacitiva:
Só tem a parte imaginária negativa que vale XC na
forma retangular.
Na forma polar o módulo
vale XC e a fase é -90º.
A tensão está atrasada
de 90º ou ¼ do período
em relação a corrente ou seja j=-90º ou corrente
adiantada de 90º em relação a tensão
Resumindo temos:
Eletricidade
Aplicada II
4ª Aula
Associação de
Impedância
NO CIRCUITO SÉRIE DEVE TER AS
IMPEDÂNCIAS NA FORMA RETANGULAR,
PARA CALCULAR A IMPEDÂNCIA
EQUIVALENTE DEVE FAZER A SOMA
NO CIRCUITO PARALELO, PARA CALCULAR
A IMPEDÂNCIA EQUIVALENTE DEVE FAZER
O PRODUTO DIVIDIDO PELA SOMA
VEJAM TODAS AS
POSSIBILIDADES PARA
LIGAÇÃO DE TRÊS
BIPOLOS, SENDO DOIS
EM PARALELOS EM
SÉRIE COM O TERCEIRO
Eletricidade
Aplicada II
5ªAula
Leis de Kirchhoff em CA
Como trata de soma de fasores das
correntes ou soma de fasores das
tensões, deve ser feita uma soma
vetorial.
Quando usa-se valor eficaz ou módulo
do fasor (valor lido nos aparelhos); deve
fazer o esboço do diagrama fasorial para
auxiliar a soma vetorial.
Circuito Paralelo

Tem a mesma tensão em todos bipolos;


graficamente tem como referência a
tensão somam-se as correntes.
Adota-se como referência fase 0º para
tensão somam-se as correntes.
A defasagem nos seguintes bipolos:
Resistor: A corrente tem a mesma fase
da tensão.
Indutor: A corrente está atrasada de
90º em relação tensão(-90º).
Capacitor: A corrente está adianta de
90º em relação tensão(+90º).
No diagrama fasorial tem-se:
Tensão fase 0º
A corrente no resistor fase 0º
A corrente no indutor fase -90º
Para calcular a
soma da corrente
usa-se o Teorema
de Pitágoras
Circuito RC Paralelo
Circuito RC Paralelo
Circuito RC Paralelo
Circuito LC Paralelo
Circuito LC Paralelo
Circuito RLC Paralelo
Da figura abaixo pede-se as correntes IR e IL
Circuito Série
Tem a mesma corrente em todos
bipolos; graficamente tem como
referência a corrente somam-se as
tensões.
Adota-se como referência fase 0º
para corrente somam-se as tensões.
A defasagem nos seguintes bipolos:
Resistor: A corrente tem a mesma
fase da tensão.
Capacitor: A tensão está atrasada
de 90º em relação corrente (-90º).
Indutor: A tensão está adianta de
90º em relação corrente (+90º).
Circuito RL Série
Circuito RL Série
Circuito RC Série
Circuito LC Série
Circuito RLC Série
Da figura abaixo pede-se a tensão VL
Eletricidade
Aplicada II
6ª Aula
Potência em CA
Potência em Corrente Alternada
Sejam dadas as expressões em função do tempo:

Tensão: v(t) =Vmáxcos (wt+a)

Corrente: i(t) = Imáxcos (wt+b)

A potência em função do tempo será:

p(t) = v(t) x i(t) = Vmáxcos (wt +a) x Imáxcos (wt +b)


Lembrando que o produto de cosseno pode ser
transformado em soma de cosseno:

cos(A)xcos(B) = ½cos(A-B) + ½cos(A+B)

Chamando: A=(wt+a)
B=(wt+b)
Logo:A-B=(wt+a) - (wt+b) =a – b
A+B=(wt+a) + (wt+b) =(2wt+a+b)

Portanto potência será:

p(t)=½VmáxImáxcos(a-b)+½VmáxImáxcos(2wt+a+b)
Utilizando valor eficaz:

Defasagem entre tensão e corrente: j = a-b

Chamando de potência média:

Pméd= Vef x Iefcos j

Portanto potência será:


p(t)= Pméd + Vef x Iefcos (2wt+a+b)
Eletricidade
Aplicada II
7ª Aula
Triângulo Potência
Fator de Potência
Triângulo
de potência
S=potência aparente
j=defasagem entre tensão
e corrente

P=potência ativa

Q=potência reativa
Fator de potência (Fp):

É a relação entre a potência ativa (P) e a


potência aparente(S).
Eletricidade
Aplicada II

8ª Aula
Soma de potências
Soma de potência

Sendo associada a potência a um número complexo.

Somam-se as potências ativas:

Potência Ativa Total P=P1+P2+ +...+PN

Somam-se as potências reativas:

Potência Reativa Total Q=Q1+Q2+...+QN


Eletricidade
Aplicada II
9ª Aula
Correção de Fator de
Potência
Triângulo de Potência
S = Potência Aparente.
É o produto da leitura
do voltímetro pela
leitura do ampe-
Q
rímetro. Sua uni_ j
dade é o volt-
ampère.
P
P = Potência Ativa. Sua unidade é o watt.
É lida pelo wattímetro
Triângulo de Potência
Q = Potência Reativa.
Tem como unidade o
volt-ampère-reativo.

Q
j
j = Defasagem entre
a tensão e a corrente
P
Antes de instalar o capacitor tem:
P, S, j e Q

Q
j

P
Depois de instalar o capacitor tem:
P, S’, j’ e Q’

j’ Q’
P
Correção do Fator de Potência (Fp)

Qc = Potência do
capacitor.
Qc Só tem potência
j Q
reativa (negativa) e
não tem potência
ativa (Pc=zero).
j’ Q’
P Qc=Q-Q’
Correção do Fator de Potência (Fp)
A concessionária exige acima de Fp’=0,92
j’ = arc cos Fp’ = arc cos 0,92 = 23º
A potência do capacitor
é dada por:
QC=Q-Q’=Q-Pxtgj’
QC = P(tgj-tgj’)
A capacitância (C)do capacitor
é dada por:
A capacitância (C) do capacitor é dada por:

P(tgj-tgj’)
_________
C=
wV2
Onde: P = Potência ativa ou média

j = antes de instalar o capacitor

j’ = depois de instalar o capacitor

w = Velocidade angular ou frequência angular


V = tensão do capacitor
Eletricidade
Aplicada II
10ª Aula
EXERCÍCIOS DE POTÊNCIA
EM CORRENTE ALTERNADA
Tirar as dúvidas das
folhas de exercícios

Para ser entregue na Prova P1


1º) Sejam dadas as expressões em função do tempo da tensão
v(t)=200sen(377t+25º) e da corrente i(t)=20sen(377t-35º).
Pede-se:
I. A potência aparente (S)

II. A potência ativa (P)

III.A potência reativa (Q)

IV. A defasagem entre tensão e corrente (j)

V. O fator de potência (Fp)


a) Cálculo dos fasores:

Tensão:

Corrente:
b) Cálculo da potência complexa:

Potência aparente:

S = Vef x Ief=141,42x14,142=1999,96164 ou S = 2000VA

Defasagem entre tensão e corrente:


j=a–b =25-(-35) =60 ou j=60º
Potência complexa na forma polar:

Potência ativa:
P=Sxcosj=2000xcos60º=1000 ou P=1000W

Potência reativa:
Q=Sxsenj=2000xsen60º=1732,0508 ou Q=1732VAr
Potência complexa na forma cartesiana ou retangular:

Cálculo do fator de potência (Fp):


2º) Um gerador fornece 1KW com fator de potência de 0,95.
Pede-se o triângulo das potências.

É dado a potência ativa:


P=1KW=1000W

Cálculo da defasagem:
j=arccosFp=arccos0,95=18,2º
Cálculo da potência aparente: S=P/Fp=1000/0,95=1052,63VA

Cálculo da potência reativa: Q=Pxtgj=1000xtg18,2º=328,8

ou Q=Sxsenj=1052,63xsen18,2º=328,8 ou Q=329VAr

Triângulo das potências


3º) Um gerador de 200V fornece 10A para alimentar uma carga
de 1KW. Pede-se o triângulo das potências.
São dados: a potência ativa P=1KW=1000W;
a tensão eficaz: Vef=200V
a corrente eficaz: Ief=10A

Cálculo da potência aparente (S): S=VefxIef=200x10=2000VA

Cálculo do fator de potência (Fp): Fp=P/S=1000/2000=0,5

Cálculo da defasagem (j): j=arccosFp=arccos0,5=60º


Cálculo da potência reativa (Q):Q=Pxtgj=1000xtg60º=1732

ou Q=Sxsenj=2000xsen60º=1732 ou Q=1732VAr
Triângulo das potências
4º) Calcular capacitância do capacitor (C) para o novo fator de
potência Fp'=0,95 e fazer o triângulo das potências.

Com potência ativa: P=1000W e Potência reativa: Q=1732VAr


Valor máximo tensão: Vmáx=200V e Frequência: f=60Hz

Defasagem após instalar o capacitor:


j’=arccosFp’=arccos0,95=18,2º
Potência reativa após instalar o capacitor:
Q’=Pxtg j’=1000xtg18,2º=328,8
Potência aparente após instalar o capacitor:
S'=P/Fp'=1000/0,95=1052,63
Cálculo da potência reativa para depois de instalar o capacitor:
Q’=S'xsenj’=1052,63xsen18,3º=328,8 ou Q'=329VAr

Cálculo da potência do capacitor: Triângulo das potências

QC = Q - Q’ = 1732-329=1403VArc
V= ef

Cálculo da capacitância do capacitor:


5º)Seja a tensão de um gerador dada pela expressão em função
do tempo da tensão v(t)=339,4113sen(377t+36,87º). Sabendo-se
que alimenta um resistor de 40W em paralelo com um capacitor
de 88,4mF; pede-se as potências (aparente, ativa e reativa); a
defasagem (j) e o fator de potência (Fp)

Cálculo do fasor da tensão do gerador:


Cálculo da impedância puramente resistiva :

Cálculo da impedância puramente capacitiva:

Cálculo da corrente do resistor:


Cálculo da corrente do capacitor:

Cálculo da corrente do gerador:

Cálculo do conjugado da corrente do gerador.


Basta trocar o sinal da fase:
Cálculo da potência aparente (S): S=VgxIg=240x10=2400VA

Cálculo da a defasagem (j): j=a-b=36,87-90=-53,13º

Cálculo do fator de potência (Fp): Fp=cosj =cos(-53,13º)=0,6

Cálculo da potência ativa: P=Sxcosj =2400x0,6=1440W

Cálculo da potência reativa: Q=Sxsenj =2400x0,8=1920VAr


6º) Um motor monofásico tem as seguintes características:
a) Tensão nominal de 240V.
b) Corrente de 10A.
c) Frequência de 60Hz.
d) Fator de potência indutivo de 0,6.
e) Rendimento de 80%.
Com estes dados pede-se:
a) Potência aparente.

S=VxI=240x10=2400VA
b) Potência ativa ou real.

P=SxFp=2400x0,6=1440W
c) Potência reativa.

j=arc cos Fp=arc cos 0,6=53,13°


Q=Sxsenj=2400xsen53,13= 1920VAri
d) Potência mecânica.

Pmec=Px=1440x0,8=1152W; sendo 1cv=736W


7º) Fazer a correção do fator de potência do Exercício 6º para
um novo fator de potência igual a um; calculando:
a) Potência do capacitor
Qc=Q-Q’
Para F’p=1 tem Qc=Q=1920VARc
Veja:j’ =arc cosF’p=arc cos1=0°; logoQ’=Pxtgj’=1440xtg0°=0

b) Corrente do capacitor

c) Capacitância do capacitor

Você também pode gostar