Você está na página 1de 47

INFORMÁTICA

1 - Quanto à instalação e à conexão de impressoras em computadores com o sistema


operacional Windows 10, assinale a alternativa correta.

a) A integração entre a impressora e o computador não pode ser realizada via plug and play.
b) Após a conexão da impressora ao computador, é provável que o Windows a reconheça
automaticamente.
c) Impressoras somente podem ser conectadas ao computador via porta USB.
d) O Windows 10 não possui recursos para solucionar problemas relativos à instalação de
impressora, como, por exemplo, a instalação de drivers.
e) Para iniciar o processo de instalação de uma impressora, o usuário deverá pressionar as
teclas Imagem associada para resolução da questão, a partir da área de trabalho do
Windows.

2 - Os backups são cópias de arquivos ou programas, feitas para facilitar sua


recuperação caso necessário. Sendo assim, assinale a alternativa que apresenta o tipo
de backup que copia apenas os dados alterados ou criados após o último backup
completo e que ocupa menos espaço de armazenamento.

a) incremental
b) semanal
c) diferencial
d) full backup
e) progressivo

3 - No Microsoft Word 2016, em sua configuração padrão, uma Quebra de Página faz
com que:

a) o texto seja exibido em múltiplas colunas.


b) alterne a orientação da página de retrato para paisagem, e vice-versa.
c) a página atual seja removida do documento.
d) a edição siga para a próxima página.
e) o cabeçalho e o rodapé da página atual sejam removidos.
4 - No MS-Excel 2013 se digitarmos na célula H1 a fórmula =SE(H2>=40; H2*5; H2*10)
e apertarmos ENTER, sabendo que o valor da célula H2 é 41, o resultado será de:

a) 205.
b) 400.
c) 200.
d) 410.
e) 210.

5 - Considerando-se os softwares de correio eletrônico, suponha que um usuário


recebeu duas mensagens diferentes de um mesmo remetente, cada uma contendo um
arquivo anexo. Esse usuário deseja retransmitir esses dois arquivos, como anexos, para
outro destinatário. Nesse caso:

a) será necessário enviar cada um desses dois arquivos anexos em duas mensagens
separadas, ainda que destinadas ao mesmo destinatário.
b) o envio dos dois arquivos estará sujeito a uma aprovação prévia a ser gerada pelo
sistema operacional do computador do usuário.
c) será possível enviar esses dois arquivos em uma mesma mensagem desde que ambos
tenham a mesma extensão (por exemplo, txt, doc, etc.).
d) será possível enviar ambos os arquivos em uma mesma mensagem, porém o software
de correio eletrônico irá impor uma defasagem mínima de 1 minuto entre o envio de cada
um dos dois arquivos.
e) é possível reunir ambos os arquivos em uma mesma mensagem, desde que a soma de
seus tamanhos não ultrapasse o limite imposto pelo software de correio eletrônico.

6 - Na interface do Windows 10, o painel que serve para fixar aplicativos


frequentemente utilizados é conhecido como:

a) Acesso rápido;
b) Explorador de Arquivos;
c) Barra de Tarefas (Taskbar);
d) Cortana;
e) Menu iniciar (Start Menu).

GABARITO

1B 2A 3D 4A 5E 6C
ÉTICA

Código de Ética Profissional do Servidor Público do IBGE

Das regras deontológicas

I – A dignidade, o decoro, o zelo, a eficácia, a eficiência e a consciência dos princípios morais


são primados maiores que devem nortear o servidor público do IBGE, seja no exercício do
cargo ou função, ou fora dele, já que refletirá o exercício da vocação do próprio poder estatal.
Seus atos, comportamentos e atitudes serão direcionados para a preservação da honra e da
tradição do serviço público, como um todo, e, em especial, das pesquisas estatísticas e
geocientíficas oficiais, cujas fontes de dados escolhidas devem contemplar a qualidade, a
oportunidade, os custos e o ônus para os cidadãos.

DAS NORMAS DE CONDUTA ÉTICA Seção I Das Regras Gerais

II - O servidor público não poderá jamais desprezar o elemento ético de sua conduta. Assim,
não terá que decidir somente entre o legal e o ilegal, o justo e o injusto, o conveniente e o
inconveniente, o oportuno e o inoportuno, mas principalmente entre o honesto e o
desonesto, consoante as regras contidas no art. 37, caput, e § 4°, da Constituição Federal. Por
se integrar à condição de servidor do IBGE, o elemento ético da conduta abrange, além dos
primados maiores, a adoção dos melhores princípios, métodos e práticas, de acordo com
considerações estritamente profissionais, incluídos os princípios técnicos, científicos e a ética
profissional.

III - A moralidade da Administração Pública não se limita à distinção entre o bem e o mal,
devendo ser acrescida da ideia de que o fim é sempre o bem comum. O equilíbrio entre a
legalidade e a finalidade, na conduta do servidor público, é que poderá consolidar a
moralidade do ato administrativo. Para melhor exercício de sua função pública no IBGE, o
servidor deve ter consciência da relevância das informações estatísticas e geocientíficas, a fim
de atender ao direito à informação pública de modo imparcial e com igualdade de acesso. É
imprescindível que o servidor do IBGE zele pela qualidade dos processos de produção das
informações oficiais, adotando critérios de boas práticas tanto nas atividades finalísticas
quanto nas atividades de apoio.

VI - A função pública se integra na vida particular de cada servidor público.

“os fatos e atos verificados na conduta do dia a dia em sua vida privada poderão acrescer ou
diminuir o seu bom conceito na vida funcional”

ATENÇÃO:

Salvo os casos previstos em lei, a publicidade constitui elemento indispensável aos atos
administrativos e sua inobservância enseja comprometimento ético.

VIII - Toda pessoa tem direito à verdade. O servidor não pode omiti-la ou falseá-la, ainda que
contrária aos interesses da própria pessoa interessada ou da Administração Pública.

XII - Toda ausência injustificada do servidor de seu local de trabalho é fator de desmoralização
do serviço público, o que quase sempre conduz à desordem nas relações humanas.

Portanto, compete ao Instituto propor, discutir e estabelecer, em conjunto com as demais


instituições nacionais, diretrizes, planos e programas para a produção estatística e
cartográfica – processo que deve irradiar-se à esfera internacional, especialmente na
cooperação bilateral e multilateral, a fim de melhorar as informações estatísticas e
geocientíficas oficiais em todos os países, por meio da utilização de conceitos, classificações
e métodos que promovam a coerência e a efi ciência entre os diversos sistemas estatísticos
e cartográficos.

Seção II - Dos principais deveres do servidor público do IBGE

XIV - São deveres fundamentais do servidor do IBGE:

a)desempenhar, a tempo, as atribuições do cargo, função ou emprego público de que seja


titular;

b) exercer suas atribuições com rapidez, perfeição e rendimento, pondo fim ou procurando
prioritariamente resolver situações procrastinatórias, principalmente diante de filas ou de
qualquer outra espécie de atraso na prestação dos serviços pelo setor em que exerça suas
atribuições, com o fim de evitar dano moral ao usuário;

c) ser probo, reto, leal e justo, demonstrando toda a integridade do seu caráter, escolhendo
sempre, quando estiver diante de duas opções, a melhor e a mais vantajosa para o bem
comum;

d) jamais retardar qualquer prestação de contas, condição essencial da gestão dos bens,
direitos e serviços da coletividade a seu cargo;

e) tratar cuidadosamente os usuários dos serviços aperfeiçoando o processo de comunicação


e contato com o público;

f ) ter consciência de que seu trabalho é regido por princípios éticos que se materializam na
adequada prestação dos serviços públicos;

g) ser cortês, ter urbanidade, disponibilidade e atenção, respeitando a capacidade e as


limitações individuais de todos os usuários do serviço público, sem qualquer espécie de
preconceito ou distinção de raça, sexo, nacionalidade, cor, idade, religião, cunho político e
posição social, abstendo-se, dessa forma, de causar-lhes dano moral;

h) ter respeito à hierarquia, porém sem nenhum temor de representar contra qualquer
comprometimento indevido da estrutura em que se funda o Poder Estatal;

i)resistir a todas as pressões de superiores hierárquicos, de contratantes, interessados e


outros que visem obter quaisquer favores, benesses ou vantagens indevidas em decorrência
de ações imorais, ilegais ou aéticas e denunciá-las;

j) zelar, no exercício do direito de greve, pelas exigências específicas da defesa da vida e da


segurança coletiva;

l) ser assíduo e frequente ao serviço, na certeza de que sua ausência provoca danos ao
trabalho ordenado, refletindo negativamente em todo o sistema;

m) comunicar imediatamente a seus superiores todo e qualquer ato ou fato contrário ao


interesse público, exigindo as providências cabíveis;

n) manter limpo e em perfeita ordem o local de trabalho, seguindo os métodos mais


adequados à sua organização e distribuição;

o) participar dos movimentos e estudos que se relacionem com a melhoria do exercício de


suas funções, tendo por escopo a realização do bem comum;

p) apresentar-se ao trabalho com vestimentas adequadas ao exercício da função;

q) manter-se atualizado com as instruções, as normas de serviço e a legislação pertinentes


ao órgão onde exerce suas funções;

r) cumprir, de acordo com as normas do serviço e as instruções superiores, as tarefas de seu


cargo ou função, tanto quanto possível, com critério, segurança e rapidez, mantendo tudo
sempre em boa ordem;

s) facilitar a fiscalização de todos atos ou serviços por quem de direito;

t) exercer com estrita moderação as prerrogativas funcionais que lhe sejam atribuídas,
abstendo-se de fazê-lo contrariamente aos legítimos interesses dos usuários do serviço
público e dos jurisdicionados administrativos;

u) abster-se, de forma absoluta, de exercer sua função, poder ou autoridade com finalidade
estranha ao interesse público, mesmo que observando as formalidades legais e não
cometendo qualquer violação expressa à lei;

v) apresentar, nas análises estatísticas e geográficas, informações que estejam de acordo com
as normas científicas sobre fontes, métodos e procedimentos, bem como comentar as
interpretações errôneas e o uso indevido de informações estatísticas e geocientíficas;

x) zelar pela qualidade dos processos de produção das informações estatísticas e


geocientíficas oficiais, adotando critérios de boas práticas tanto nas atividades finalísticas
quanto nas atividades de apoio;

z) divulgar e informar a todos os integrantes da sua classe sobre a existência deste Código
de Ética, estimulando o seu integral cumprimento. A conduta ética do servidor do IBGE deve
respeitar a legislação e as normatizações do Ministério do Planejamento, Orçamento e
Gestão, assim como as normas internas desta Fundação, expressas em suas Resoluções,
Ordens de Serviço, Portarias, Normas de Serviço e Memorandos.

Seção III Das vedações ao servidor público do IBGE

XV - É vedado ao servidor público do IBGE:

a) o uso do cargo ou função, facilidades, amizades, tempo, posição e influências, para obter
qualquer favorecimento, para si ou para outrem;

b) prejudicar deliberadamente a reputação de outros servidores ou de cidadãos que deles


dependam;

c) ser, em função de seu espírito de solidariedade, conivente com erro ou infração a este
Código de Ética ou ao Código de Ética de sua profissão;

d) usar de artifícios para procrastinar ou dificultar o exercício regular de direito por qualquer
pessoa, causando-lhe dano moral ou material;

e) deixar de utilizar os avanços técnicos e científicos ao seu alcance ou do seu conhecimento


para atendimento do seu mister;

f) permitir que perseguições, simpatias, antipatias, caprichos, paixões ou interesses de ordem


pessoal interfiram no trato com o público, com os jurisdicionados administrativos ou com
colegas hierarquicamente superiores ou inferiores;

g) pleitear, solicitar, provocar, sugerir ou receber qualquer tipo de ajuda financeira,


gratificação, prêmio, comissão, doação ou vantagem de qualquer espécie, para si, familiares
ou qualquer pessoa, para o cumprimento da sua missão ou para influenciar outro servidor
para o mesmo fim;

h) alterar ou deturpar o teor de documentos que deva encaminhar para providências;

i)iludir ou tentar iludir qualquer pessoa que necessite do atendimento em serviços públicos;

j) desviar servidor público para atendimento a interesse particular;

l) retirar da Instituição, sem estar legalmente autorizado, qualquer documento, livro ou bem
pertencente ao patrimônio público;

m) fazer uso de informações privilegiadas obtidas no âmbito interno de seu serviço, em


benefício próprio, de parentes, de amigos ou de terceiros;
n) apresentar-se embriagado no serviço ou fora dele habitualmente;

o) dar o seu concurso a qualquer instituição que atente contra a moral, a honestidade ou a
dignidade da pessoa humana;

p) exercer atividade profissional aética ou ligar o seu nome a empreendimentos de cunho


duvidoso.

q) disponibilizar informações de caráter sigiloso e confidencial sobre pessoas físicas ou


jurídicas, bem como antecipar resultados de pesquisas à sua divulgação oficial, exceto
quando autorizado.

Capítulo II Da Comissão de Ética do IBGE

XVI – A Comissão de Ética do IBGE está encarregada de orientar e aconselhar sobre a ética
profissional dos servidores da Casa, no tratamento com as pessoas e com o patrimônio
público, competindo-lhe conhecer concretamente de imputação ou de procedimento
susceptível de censura.

XVII - À Comissão de Ética do IBGE incumbe fornecer, quando necessário e a quem de direito,
os registros sobre a conduta ética dos servidores da Casa, para o efeito de instruir e
fundamentar promoções e para todos os demais procedimentos próprios da carreira de
servidor público no âmbito do IBGE.

XVIII - A pena aplicável ao servidor público pela Comissão de Ética do IBGE é a de censura e
sua fundamentação constará do respectivo parecer, assinado por todos os seus integrantes,
com ciência do faltoso.

XIX - Para fins de apuração do comprometimento ético, entende-se por servidor público todo
aquele que, por força de lei, contrato ou de qualquer ato jurídico, preste serviços de natureza
permanente, temporária ou excepcional, ainda que sem retribuição financeira, desde que
ligado direta ou indiretamente a qualquer órgão do poder estatal, como as autarquias, as
fundações públicas, as entidades paraestatais, as empresas públicas e as sociedades de
economia mista, ou em qualquer setor onde prevaleça o interesse do Estado.
RACIOCÍNIO LÓGICO

Proporcionalidade:

1. Paulo gastou 3/5 de seu salário e ainda lhe restou R$ 480,00.


Nessas circunstâncias, o valor do salário que Paulo gastou foi:

A)R$ 288,00

B)R$ 720,00

C)R$ 360,00

D)R$ 1.080,00

Operações:

2. Em um concurso para agente de saúde em que 260 pessoas fizeram a prova, se ¾ das
pessoas que fizeram a prova foram aprovadas na primeira fase do concurso, então o
total de pessoas reprovadas na primeira fase desse concurso foi:

A)135

B)195

C)65

D)75

Porcentagem:

3. Um restaurante aumentou o número de funcionários que antes era 80 e agora passou


a ser 100. Assinale a alternativa que apresenta o aumento percentual em relação à
quantidade inicial de funcionários.

A)12%

B)25%

C)20%

D)30%
4. Paulo completou 40% de 150% do percurso para se chegar na sua cidade natal. Se
ainda restam 288 km para completar o percurso, então o total, em km, que Paulo já
completou do percurso foi:

A)480

B)432

C)412

D)144

E)192

Regra de Três:

5. O Sistema Cantareira é um dos maiores sistemas de captação e tratamento de água


administrados pela SABESP, na Grande São Paulo abastece cerca de 8,8 milhões de
clientes. No entanto, o Sistema Cantareira vem enfrentando a pior seca dos últimos 10
anos. Para alertar sobre o problema de abastecimento, a empresa faz campanhas de
economia através das mídias sociais, visando à conscientização da população
paulista.
A torneira da cozinha da casa de Elen esta pingando e causa um desperdício
significante para o Sistema, por dia são 450 mililitros (ML) de perda. Se considerarmos
um mês de 30 dias em que a torneira não foi consertada, ao final, podemos afirmar
que o desperdício em litros (L) na casa de Elen, será:
A)13,5 L

B)18 L

C)15,2 L

D)57,7 L

6. São necessários 60 pedreiros para construir um pequeno prédio em 40 dias. Assinale


a alternativa que apresenta a quantidade de pedreiros que uma construtora necessitará
para construir o mesmo prédio, em outro local e totalmente idêntico, só que em apenas
30 dias.

A)45 C)80
B)60 D)90
Unidades de Medida:

7. Uma garrafa de água tem capacidade para 1.500 mL (mililitros). Assinale a alternativa
que apresenta quantos litros (L) de água equivalem a 30 garrafas iguais a essa.

A)30 L

B)45 L

C)30.000 L

D)45.000 L

8. Foi construído um reservatório de água na escola de João. As dimensões são 1,2


metros de largura, 1,5 metros de comprimento e 1,0 metro de altura. Para uma reserva
de 1.200 litros de água no período de seca, o reservatório deverá ter no mínimo a altura
de:
Assinale a alternativa correta.

A)52 cm

B)48 cm

C)67cm

D)96 cm

9. 1,4 horas em segundos é igual a:

A)6000

B)100

C)5040

D)840
10. Uma pessoa adulta possui, em média, 2/5 da massa de seu corpo composta por
água. Nessas condições, o total de água no corpo que uma pessoa que tem massa de
75 quilogramas é igual a:

A)40 kg C)25 kg
B)30 kg D)35 kg

Lógica:

11. A negação da proposição composta “Ana é assistente social e completou o ensino


superior” pode ser descrita logicamente como:

A)Ana não é assistente social e não completou o ensino superior

B)Ana não é assistente social ou não completou o ensino superior

C)Ana não é assistente social ou completou o ensino superior

D)Ana é assistente social ou não completou o ensino superior

12. Sabendo que o valor lógico do condicional entre duas proposições p e q, nessa
ordem, é falso, então pode-se afirmar que:

A)o valor lógico de q é verdade e o valor lógico de p é falso

B)o valor lógico de p é verdade e o valor lógico de q é falso

C)os valores lógicos de ambas proposições são falsos

D)os valores lógicos de ambas proposições são verdadeiros

13. Sabendo que o valor lógico de uma proposição simples p é verdade e o valor lógico
de uma proposição simples q é falso, então é correto afirmar que:

A)o valor lógico da conjunção entre p e q é verdade

B)o valor lógico da disjunção entre p e q é falso

C)o valor lógico do bicondicional entre p e q é falso

D)o valor lógico do condicional entre p e q, nessa ordem, é verdade


14. A frase “Se a floresta foi explorada, então os animais estão ameaçados” é
logicamente equivalente a frase:

A)Se a floresta não foi explorada, então os animais estão ameaçados

B)Se a floresta não foi explorada, então os animais não estão ameaçados

C)Se a floresta foi explorada, então os animais não estão ameaçados

D)Se os animais não estão ameaçados, então a floresta não foi explorada

E)Se os animais estão ameaçados, então a floresta foi explorada

Gabarito:

1.D 2.C 3.B 4.B 5.A 6.C 7.B 8.C 9.C 10.B

11.B 12.B 13.C 14.D


NOÇÕES DE ATENDIMENTO

Quando falamos em atendimento pensamos apenas nos clientes externo, mas um bom
atendimento atende igualmente o cliente externo e o cliente interno (colaboradores)

Toda organização deve prestar muita atenção ao atendimento ao público, pois o


atendimento reflete a imagem da empresa, pois o cliente não falará mau do atendente e
sim da empresa.

Uma empresa quando atende mal, tende a criar um ciclo com um impacto na empresa.

Explicando melhor, o cliente vai na empresa e recebe um mau atendimento, ele falará mal
dela para várias pessoas e poderá ainda comprar da concorrência.

Isto gera um prejuízo para a empresa, acarretando uma diminuição de seu faturamento,
podendo gerar desemprego ou alta rotatividade na empresa.

Podemos classificar um atendimento em três:

Mau atendimento: É quando o atendimento fica abaixo da expectativa do cliente

Bom atendimento: É quando o atendimento atende as expectativas do cliente

Excelente atendimento: É quando o atendimento supera as expectativas do cliente


Princípios do bom atendimento:

Foco no cliente: Fazer com que o cliente fique satisfeito.

Necessidade do cliente: Atender plenamente a necessidade real do cliente

Manutenção da qualidade de serviço: Manter sempre a qualidade no serviço para


aumentar a confiabilidade dele em relação à empresa.
Ações para um bom atendimento:

Identificar as necessidades do cliente, evitando informações conflitantes

Mau atendimento: arrogância, desonestidade, impaciência, desrespeito, imposição de


normas ou exibição de poder tornam o atendente intolerável, na percepção dos usuários.
ARQUIVOLOGIA

1. Gestão de documentos é o conjunto de procedimentos e operações técnicas


referentes a produção, tramitação, uso, avaliação e arquivamento de documentos nas
fases corrente e intermediária, visando sua eliminação ou recolhimento para guarda
permanente (Lei de Arquivos nº 8.159/1991). Acerca desse assunto, assinale a
alternativa correta.

A) As fases da gestão de documentos são: recebimento, manutenção e destinação final

B) Tramitação é o processo de análise de documentos de arquivo que estabelece os prazos


de guarda e a destinação final, de acordo com os valores que lhes são atribuídos

C) Documentos de guarda temporária são aqueles de interesse passageiro, que não possuem
valor administrativo, legal ou fiscal para o órgão ou entidade

D) Os prazos de guarda não se vinculam à determinação do valor do documento, mas ao


tempo necessário para seu arquivamento nas fases corrente e permanente, procurando
atender, exclusivamente, às necessidades da administração que o gerou

E) A tabela de temporalidade é um instrumento de destinação, aprovado por autoridade


competente, que determina prazos e condições de guarda tendo em vista a transferência,
recolhimento ou eliminação de documentos

2. O setor de Protocolo é, comumente, o setor responsável pelo recebimento, registro,


distribuição, controle da tramitação e expedição de documentos. Acerca desse assunto,
assinale a alternativa incorreta.

A) Quando o setor de Protocolo é centralizado, os documentos e atividades de controle ficam


em um único local na organização

B) Após o registro, os documentos são numerados (autuados) conforme sua ordem de


chegada ao arquivo

C) São vantagens do sistema descentralizado: treinamento mais eficiente de pessoal de


arquivo, maiores possibilidades de padronização de normas e procedimentos e nítida
delimitação de responsabilidades

D) A tramitação é um conjunto de procedimentos formais definidos pela empresa. É o


caminho que o documento percorre desde sua entrada na empresa até chegar ao seu
destinatário (cumprir sua função)
E) A distribuição é a entrega dos documentos para os respectivos destinatários

3. De acordo com a Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991 que dispõe sobre a política
nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. CAPÍTULO II - Dos
arquivos públicos. Art. 8º - Os documentos públicos são identificados como correntes,
intermediários e permanentes. Com base no que dispõe esse artigo, analise as
afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta.

I. Documentos correntes são documentos de consultas frequentes.

II. Documentos correntes devem necessariamente estar em movimentação.

III. Documentos intermediários são documentos de uso corrente que aguardam avaliação
para serem arquivados ou eliminados.

IV. Documentos permanentes são documentos que devem ser definitivamente preservados.

V. Documentos permanentes são documentos de valor histórico, probatório e informativo.

Estão corretas as afirmativas:

A) I, II e IV apenas

B) II, III, IV e V apenas

C) I, III, IV e V apenas

D) I, IV e V apenas

E) I, II, III, IV e V

4. Assinale a alternativa que não indica arquivos classificados quanto ao gênero.

A) Textuais

B) Cartográficos

C) Ostensivos

D) Filmográficos
5. Arquivo corrente é aquele chamado de 1ª idade e é constituído por documentos em
curso ou consultados frequentemente, localizados nos próprios setores que os
receberam ou produziram ou dependências próximas e de fácil acesso. Assinale a
alternativa que indique uma característica não relacionada a esse tipo de arquivo.

A) É a fase em que os documentos são produzidos

B) É constituído pelos documentos mais novos da instituição

C) Apresenta grande frequência de consulta aos seus documentos

D) Nessa fase, aguardam uma destinação final

6. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna. ________________ é o


conjunto de procedimentos e operações técnicas que visam controlar a produção,
tramitação, uso, avaliação e arquivamento de documentos nas fases corrente e
intermediária, visando sua eliminação ou recolhimento para guarda permanente.

A) Arquivamento.

B) Acervo.

C) Gestão de documentos.

D) Avaliação de documentos.

7. Leia as afirmações abaixo e assinale a alternativa correta.

I. Os insetos causam danos de grande intensidade aos acervos. Essa ação destrutiva é maior
nas regiões de clima tropical.

II. O arquivo deve controlar a umidade e temperatura do ambiente, de acordo com a


documentação mantida em seu acervo. Normalmente a umidade ideal gira em torno de 85%
e a temperatura 30°

A) Somente a afirmação I está correta.

B) Somente a afirmação II está correta.

C) Todas as afirmações estão corretas.

D) Nenhuma das afirmações está correta.


8. A preservação de documentos é o conjunto de medidas adotadas visando proteger,
conservar ou restaurar os documentos armazenados em um arquivo. Os elementos
físicos que são considerados nessa conservação são os relacionados abaixo, exceto o
que está na alternativa:

A) Umidade.

B) Temperatura

C) Luminosidade.

D) Poeira.

9. O arquivamento de documentos tem vários métodos. Aquele método que é utilizado


quando a ordenação dos documentos é feita por assunto denomina-se:

A) Ideográfico.

B) Alfabético.

C) Numérico.

D) Geográfico.

10. O arquivo que guarda documentos que, mesmo não sendo de uso frequente pelos
setores que os produziram, podem ainda ser solicitados para tratar de assuntos que
guardam relação com seu conteúdo. Esse arquivo denomina-se:

A) Corrente.

B) Intermediário.

C) Permanente.

D) Morto.
ADMINISTRAÇÃO GERAL

I - Aspectos gerais da Administração. Organizações como sistemas abertos. Papéis e


habilidades do administrador.

Habilidades Conceituais: São as habilidades necessárias ao proprietário, presidente, CEO de


uma empresa. São essas habilidades que mantêm a visão da organização como um todo,
influenciando diretamente no direcionamento e na Administração da empresa.

Segundo Chiavenato (2000, p. 3):


"Consiste na capacidade de compreender a complexidade da organização com um todo e o
ajustamento do comportamento de suas partes. Essa habilidade permite que a pessoa se
comporte de acordo com os objetivos da organização total e não apenas de acordo com os
objetivos e as necessidades de seu departamento ou grupo imediato."

Habilidades Humanas são as habilidades necessárias para um bom relacionamento.


Administradores com boas habilidades humanas se desenvolvem bem em equipes e atuam
de maneira eficiente e eficaz como líderes.

Segundo Chiavenato (2000, p. 3):

‘‘habilidade humana“ [...] consiste na capacidade e facilidade para trabalhar com pessoas,
comunicar, compreender suas atitudes e motivações e liderar grupos de pessoas”.

Habilidades Técnicas são as habilidades ligadas à execução do trabalho, e ao domínio do


conhecimento específico para executar seu trabalho operacional.

Segundo Chiavenato (2000, p. 3):

‘‘habilidade técnica“ [...] consiste em utilizar conhecimentos, métodos, técnicas e


equipamentos necessários para o desempenho de tarefas específicas, por meio da
experiência e educação. É muito importante para o nível operacional”.
Papéis dos Executivos, segundo Mintzberg

Para Mintzberg, o Executivo/Administrador/ Gestor exerce 3 papéis em sua gestão:

• Papéis Decisórios;

• Papéis Interpessoais; e

• Papéis Informacionais.

1) DECISÕES: Forma como os administradores utilizam as informações que possuem em


escolhas/opções necessárias.

Envolvem conceitos como a figura do Empreendedor / Alocador de Recursos / Gerenciador


de Turbulências / Negociador

2) INTERPESSOAIS: Relações pessoais do administrador com seus subordinados, chefes e


clientes.

Envolvem conceitos coma a ‘‘Figura de proa’’ ou Símbolo / Líder / Ligação

3) INFORMAÇÕES: É a capacidade de saber receber, tratar e repassar informações dentro da


organização.

Envolve conceitos como o de Coletor ou Monitor / Disseminador / Porta-voz

II - Funções administrativas: planejamento, organização, direção e controle.


III -Motivação, comprometimento organizacional, comunicação e liderança.

Cultura x Clima Organizacional

Cultura Organizacional é o conjunto de normas, valores e comportamentos que regem


uma instituição. Tudo isso deve fazer parte do planejamento estratégico da empresa e deve
estar de acordo com o posicionamento que ela deseja adotar perante todos os seus
públicos*.

Porém, nem sempre é assim. E pode ser que a cultura organizacional de uma empresa seja o
conjunto de hábitos que vêm sendo repetidos pelos seus colaboradores ao longo dos anos.
O fato é que ela se trata sempre de um padrão, no qual quem foge dele, não se enquadra
na cultura da organização.

Já o Clima Organizacional é uma espécie de termômetro em uma companhia. Isso porque


é por meio dele que é possível medir o nível de satisfação de seus funcionários em todos os
aspectos da organização, como na relação com a liderança, plano de carreira, limpeza do
ambiente, relacionamento com os colegas e muito mais.
Motivação

Teorias de Conteúdo: Procuram explicar quais os motivos específicos que fazem as


pessoas agirem.

Teorias de Processo: Procuram explicar como funciona o mecanismo da motivação;

TEORIAS DE CONTEÚDO
1) Teoria da Hierarquia das Necessidades - Maslow
2) Teoria ERC – Alderfer
3) Teoria dos Dois Fatores - Herzberg
4) Teoria Da Realização ou Teoria das Necessidades Adquiridas – McClelland
5) Teoria X e Y- McGregor

TEORIAS DE PROCESSO
1) Teoria da Expectativa/Expectação – Vroom
2) Teoria da Equidade – Stacy Adams
3) Teoria do Reforço – Skinner

4) Teoria do Estabelecimento de Objetivos

Liderança

Chefia: Ser chefe é ocupar uma posição hierarquicamente superior a outras pessoas,
dentro da estrutura organizacional, possibilitando o uso do poder legítimo (‘‘Autoridade
Formal’’) para forçar as pessoas a fazer o que se quer.*

Líder: Ser um Líder é guiar o comportamento das pessoas para que elas façam coisas que
vão além dos seus próprios objetivos pessoais é o poder de influenciar outra pessoa.*
1) Teoria dos Traços: Defende que algumas pessoas já nascem com características
específicas que já apontam que elas possuem a competência nata para liderar. Assim, elas
seriam muito mais propensas as assumir cargos de gestão do que aquelas que não
apresentam estes mesmo sinais. Com base nesta ideia, o líder de uma empresa, por exemplo,
deveria ser escolhido após a verificação de uma combinação de traços como: inteligência;
aspectos físicos e personalidade. Estes três elementos seriam fatores essenciais para isso.

2) Teoria dos Estilos de Liderança: Reconhece três modelos de liderança distintos:


Autocrático, Democrático e Liberal. O primeiro centraliza todas as decisões em si; o segundo
inclui, em parte, os colaboradores no seu processo decisório e, o terceiro deixa que eles
mesmos, por si só, decidam quais são as melhores soluções e caminhos para a empresa.

3) Teoria do Comportamento: Segue uma linha bem diferente da Teoria dos Traços,
argumentando que o líder não nasce, mas se torna líder a partir do treinamento,
desenvolvimento e aprendizado e dos comportamentos que apresenta. Neste sentido, a
liderança pode tanto ser orientada para resultados: para o alcance constante e crescente das
metas (execução das demandas e produção), como para a convivência, que tem como foco
a construção de uma relação mais humanizada e positiva entre a empresa e os seus
funcionários.
4) Teoria Contingencial (ou Situacional): Argumenta que o verdadeiro líder é aquele que
tem a capacidade de se adaptar às mais variadas situações numa empresa. Na prática, isso
quer dizer que o gestor deve estar preparado para atender as demandas dos profissionais e
da organização conforme as suas necessidades.

Assim, o líder com o perfil ideal é aquele que se adequa a cada situação de forma assertiva,
seja, por exemplo, ao nível de capacitação da sua equipe, ao orçamento da empresa,
momento gerencial ou às suas demandas e prazos em relação à entrega e distribuição da sua
produção.

Comunicação

- Fonte - É o Emissor ou Comunicador da mensagem. Inicia-se a comunicação através da


codificação de uma mensagem.

- Codificação - Para ser transmitida a mensagem precisa ser codificada adequadamente, isto
é, seus símbolos precisam ser traduzidos de forma que se tornem inteligíveis através do canal
que escolhemos.

- Canal - É o veículo ou mídia através do qual a mensagem é encaminhada. É um meio


existente fora do comunicador sendo escolhido por ele. Pode ser percebido por todos.

- Decodificação - É o processo de tradução dos símbolos utilizados na mensagem na mente


do receptor. Quando a imagem decodificada corresponde à imagem transmitida houve
sucesso na comunicação.
- Receptor - É o sujeito final da mensagem, o destinatário da comunicação.

- Feedeback ou Retroação - É a verificação do sucesso da comunicação. É o feedback


enviado pelo receptor ao emissor sobre a compreensão da mensagem (ou não).

- Ruído - São os fatores que podem distorcer uma mensagem. São perturbações indesejáveis
que tendem a distorcer ou alterar, de maneira imprevisível, a mensagem transmitida.

Barreiras à Comunicação

• Escolha de Canais Inadequados

• Escolha de Linguagem Inadequada

• Limitação de Expressão Relacionada às Emoções

• Desatenção ao Feedback

Percepção Seletiva: Ocorre quando emissor, receptor, ou ambos veem e escutam


seletivamente com base em suas próprias necessidades, motivações, interesses e
experiências.

Filtragem: É a manipulação da informação pelo emissor, para que seja vista de maneira mais
favorável pelo receptor.

Barreiras Mecânicas ou Físicas: Aparelho de transmissão, como o barulho, ambiente e


equipamentos inadequados. A comunicação é bloqueada por fatores físicos.

Barreiras Fisiológicas: Dizem respeito aos problemas genéticos ou de má-formação dos


órgãos vitais da fala.

Barreiras Semânticas: São as que decorrem do uso inadequado de linguagem não comum
ao receptor ou a grupos visados.

Linguagem Intrincada: Quando a linguagem é obscura ou complicada; de difícil


entendimento; sem clareza; embaraçada.

Barreiras Psicológicas: São os preconceitos e estereótipos que fazem com que a


comunicação fique prejudicada.
IV - Eficiência e funcionamento de grupos. Trabalho em equipe. Equipes de trabalho.

Grupos de trabalho e Equipes de Trabalho são coisas distintas. *

• Grupo de Trabalho: É um conjunto de duas ou mais pessoas reunidas que trocam


informações para atingir seus objetivos individuais.

• Equipes de Trabalho: São pessoas reunidas em busca de resultados em comum,


gerando sinergias internas e pressupondo a capacidade da Equipe resolver seus
problemas e alavancar o desempenho.

O modelo de cinco estágios de desenvolvimento de grupos de Tuckman assume que os


grupos possuem, de forma geral, comportamentos padronizados, que passam por cinco
etapas:

1) Formação- Forming: É o estágio inicial, no qual os membros estão começando a interagir.


É caracterizado por uma grande dose de incerteza sobre os propósitos do grupo, sua
estrutura e sua liderança.

Os membros estão ’’reconhecendo o terreno” para descobrir quais comportamentos são


aceitáveis, os membros ainda estão se conhecendo e começam a pensar em si como parte
do grupo.
2) Tormenta/Atrito- Storming: Caracterizado pela ocorrência de diversos conflitos no
grupo. Os indivíduos já reconhecem a existência do grupo, mas demonstram resistência em
relação aos limites da individualidade, surgindo o conflito entre as limitações do
comportamento em grupo e os desejos individuais.

Há também conflito quanto a definição de quem irá liderar o grupo. É durante a tormenta
que os membros medem forças, estabelecendo uma espécie de hierarquia das relações
dentro do grupo.

Após o encerramento desta etapa, esta hierarquia estará relativamente


clara para os membros do grupo. Acontecem vários conflitos no grupo.

3) Normatização/Normação- Norming:

Começa a haver coesão no comportamento do grupo, tornando os integrantes mais


próximos uns dos outros. Surge um sentido de identidade e os membros começam a agir
como uma unidade coordenada.

Ao final deste estágio a estrutura do grupo se torna mais sólida, de tal forma que o grupo
assimila um conjunto de expectativas que definem qual deverá ser o comportamento mais
adequado para o grupo.

Os indivíduos passam a ter um relacionamento mais próximo e coeso, o grupo se fortalece,


havendo solidificação das normas e geração de expectativas quanto ao comportamento.

4) Desempenho- Performing: É o estágio no qual a estrutura do grupo é funcional e aceita,


ocorre após o estabelecimento da hierarquia – estágio da tormenta – e das normas –
normatização. Nesta fase, o grupo está coeso e a sua energia é analisada nas tarefas a serem
realizadas.

Nos grupos permanentes de trabalho, este pode ser considerado o último estágio de
formação, sendo que a etapa do desempenho continuará ocorrendo de forma contínua. Em
grupos temporários, haverá ainda a etapa de interrupção

5) Interrupção- Adjouring/Transfering: É o estágio final do desenvolvimento dos grupos


temporários, pois prepara o grupo para seu fim.

Como as atividades deverão ser concluídas e o grupo dissolvido, o foco deixa de ser o
desempenho das tarefas e passa para o encerramento dos trabalhos. Nesta etapa, podem
surgir sentimentos conflitantes dentro do grupo. Enquanto
alguns membros se sentem mais contentes com o desempenho obtido, outros ficam abatidos
com o encerramento e com o fim da amizade nascida a partir do convívio.

V - Responsabilidade, coordenação, autoridade, poder e delegação.

Autoridade

A autoridade se distingue por três características:

1. A autoridade é alocada em posições da organização, e não em pessoas. Os


administradores têm autoridade graças às posições que ocupam. Outros administradores nas
mesmas posições têm a mesma autoridade.

2. A autoridade é aceita pelos subordinados, que a aceitam dos superiores porque


acreditam que eles têm o direito legítimo, transmitido pela organização, de dar ordens e
esperar o seu cumprimento.

3. A autoridade desce por meio da hierarquia verticalizada. Ela flui do topo até a base da
organização, e as posições do topo têm mais autoridade do que as posições da base.

Responsabilidade

A responsabilidade é o outro lado da moeda. Significa o dever de desempenhar a tarefa ou


atividade para a qual a pessoa foi designada. O grau de autoridade é proporcional ao grau
de responsabilidade assumida pela pessoa.

Para os autores neoclássicos, a responsabilidade provém da relação superior-subordinado e


do fato de alguém ter autoridade para exigir determinadas tarefas de outras pessoas. É a
relação contratual, pela qual o subordinado concorda em executar certos serviços em troca
de retribuições ou compensação monetária.

A autoridade emana do superior para o subordinado, enquanto a responsabilidade é a


obrigação exigida do subordinado para que realize tais deveres. Por conseguinte, diz-se que
a responsabilidade é delegada aos subordinados, embora, na realidade, o que se delega é a
autoridade, e não somente a responsabilidade. Sobre esse assunto há muita discussão e
controvérsia.
Delegação

Delegação é o processo de transferir autoridade e responsabilidade para posições inferiores


na hierarquia. Muitas organizações encorajam seus gerentes a delegar autoridade aos níveis
mais baixos para proporcionar o máximo de flexibilidade, a fim de satisfazer as necessidades
do cliente e se adaptar ao ambiente.

As técnicas de delegação de autoridade são:

Delegar a tarefa inteira: o gerente delega uma tarefa inteira a uma pessoa, em vez de
subdividi-la entre várias. Isso dá a cada indivíduo a responsabilidade completa e aumenta sua
iniciativa, enquanto proporciona ao gerente melhor controle sobre os resultados.

Delegar à pessoa certa: as pessoas não têm as mesmas capacidades e motivações. O gerente
deve conciliar o talento com a tarefa para que a delegação seja eficaz. Deve identificar os
subordinados que são independentes em suas decisões e que demonstram desejo de assumir
responsabilidades.

Delegar responsabilidade e autoridade: designar apenas tarefas não é uma delegação


completa. O indivíduo deve ter responsabilidade para realizar a tarefa e autoridade para
desempenhá-la da maneira que julgar melhor.

Proporcionar informação adequada: a delegação bem-sucedida inclui informação sobre o


quê, por que, quando, onde, quem e como. O subordinado deve compreender a tarefa e os
resultados esperados, as provisões e os recursos necessários e para quem e quando os
resultados devem ser apresentados.

Manter retroação: retroação significa linhas abertas de comunicação com o subordinado


para responder questões e proporcionar orientação, mas sem exercer o controle. A retroação
dá ao subordinado a pista certa, e as linhas abertas de comunicação aumentam a
autoconfiança.

Avaliar e recompensar o desempenho: quando a tarefa é executada, o gerente deve avaliar


os resultados, e não os métodos. Quando os resultados não alcançam as expectativas, o
gerente deve mostrar os erros e as consequências. Quando alcançam ou ultrapassam as
expectativas, o gerente deve recompensar o trabalho bem-feito com orgulho, recompensas
financeiras e delegação de novas atividades.
Quanto maior a organização, maior tende a ser o número de níveis de sua estrutura. A
nivelação hierárquica representa a especialização da direção, ou seja, a distribuição da
autoridade e da responsabilidade em cada um dos níveis de organização.

VI - Qualidade na prestação de Serviços.


VII - Noções de atendimento ao público.

Qualidade: São características dos produtos ou serviços que atendem às necessidades dos
clientes.

Elementos da Gestão da Qualidade

1) Excelência: Significa fazer o melhor que se consegue fazer. A excelência é considerada


um valor por muitas organizações, sendo também um objetivo a ser seguido. Em termos
simples, quando falamos de gestão da qualidade, utilizamos a palavra como sinônimo de um
desempenho de alto nível, ou seja, trata-se basicamente do "fazer bem feito", que é o ideal
da própria excelência (boas práticas que conduzem à inovação e melhoram o resultado).

2) Regularidade: Significa a redução da variação que ocorre em qualquer processo de


trabalho, seja fabricar um produto ou prestar um serviço. Qualidade, em seu conceito,
também é sinônimo de regularidade e confiabilidade. Dessa maneira, quanto menor for a
variação de um produto (suas características ou desconformidades), mais qualidade ele
conseguirá ter e vice-versa. Trata-se de um dos principais pontos na gestão da qualidade.

3) Valor: O valor é a apreciação feita pelo indivíduo da importância de um bem, tendo como
base sua utilidade, aspecto e características. Num primeiro momento, significa produto de
luxo ou de alto desempenho. Quanto mais alta a qualidade do produto, consequentemente
mais alto será o seu preço, uma vez que, mais qualidade implica em custos maiores.

4) Conformidade: É a contrapartida da qualidade planejada, ou seja, é a qualidade real que


o produto oferece (àquela que o cliente recebe). Dependendo da taxa de sucesso do
planejamento, ela pode ser próxima ou distante da qualidade planejada. Se ao final houver
baixa conformidade, significa também que o produto é de baixa qualidade, pois um
produto ou serviço bem feito é aquele que está dentro das especificações que foram
planejadas.

5) Especificações: O elemento de especificação se refere à descrição do produto, ou de sua


determinação circunstancial. São as características do produto. As especificações descrevem
o produto ou serviço em termos de sua utilidade, desempenho e atributos. Com isso, nós
temos a "qualidade planejada'' que estabelece como o produto ou serviço devem ser.

6) Adequação ao uso: A adequação dependerá da perspectiva do cliente. Essa perspectiva


abrange dois aspectos distintos: a qualidade de projeto e a ausência de deficiências. O
primeiro compreende as características do produto que atendem às necessidades do cliente.
Quanto mais o produto atender à sua finalidade, maior será a qualidade do projeto. A
ausência de deficiências compreende as falhas no cumprimento das especificações, ou seja,
quanto menor o número de falhas, mais alta será a qualidade do produto ou serviço.

Qualidade no Atendimento aos Clientes

Recomendo atenção aos pontos que devem ser considerados para um bom atendimento:

Comunicabilidade: A organização, por meio do pessoal que realiza o atendimento ao cliente,


deve buscar expressar-se de maneira clara e objetiva, não dando margem a múltiplas
interpretações do que é dito. A comunicação aberta entre a organização e seus clientes
favorece uma melhor qualidade no atendimento. A informação prestada deve sempre ser a
informação correta, por isso é importante que o atendente esteja bem informado sobre o
que vai dizer ao público. Além disso, ela deve ser prestada da forma coerente com o próprio
atendimento, sendo adequada, verdadeira, honesta, sem grosserias ou indisposições com a
pessoa que busca o atendimento.

Apresentação: A organização, sob o ponto de vista do cliente, se apresenta por meio de seus
funcionários e do ambiente de prestação de serviços. Não se trata apenas de entregar um
produto final, conforme esperado, mas sim de apresentar-se adequadamente na prestação
do serviço. Neste sentido, tanto a comunicação verbal quanto a comunicação não verbal (por
meio do ambiente físico, das expressões utilizadas, da forma de se vestir do funcionário, etc.)
devem ser considerados importantes para que o cliente perceba um atendimento de
qualidade pela organização. No atendente, a forma de se apresentar, com roupas adequadas
ao ambiente de trabalho, unhas limpas, barba feita (se homem...), cabelo bem cortado, etc.,
são aspectos fundamentais.

Atenção às necessidades do cliente: Quando, no processo de atendimento ou prestação de


serviços, o atendente demonstra desatenção, é muito provável que os clientes sintam-se
insatisfeitos com a qualidade. Eles dificilmente perceberão qualidade nesta situação. Assim,
é fundamental que a organização se preocupe em atendê-los atenciosamente, por meio de
funcionários que dediquem a devida atenção às suas demandas para que elas possam ser
atingidas, possibilitando a percepção de qualidade no atendimento. Caso o cliente tenha
demandas adicionais e estas possam ser resolvidas pelo atendente, ele deverá buscar fazê-
lo.

Cortesia: Trata-se de ser bem educado e polido no atendimento ao cliente, em vez de agir
grosseiramente ou de maneira rude. A cortesia é mais um dos fatores que facilita a percepção
de qualidade no atendimento.

Interesse: Os funcionários que atuam no atendimento ao público devem dar atenção às


necessidades do cliente e demonstrar interesse em suas demandas. Quando o cliente
percebe, por parte do atendente, tanto a presença de interesse em ver suas demandas
resolvidas quanto atenção ao que é dito, a sua percepção de qualidade aumenta. Atitudes de
indiferença por parte do atendente podem fazer com que o cliente perceba a falta de
compromisso do funcionário que está lhe atendendo, podendo inclusive gerar reclamações
posteriores que poderiam ser evitadas.

Presteza: A presentar presteza significa estar sempre pronto e disposto para resolver as
demandas do público. É um conceito também associado a realizar o atendimento e a
resolução das demandas o mais depressa possível, evitando a perda de tempo que reduziria
a eficiência do serviço e também a percepção de qualidade pelo público. É preciso evitar a
formação de longas filas desnecessárias, reduzindo o tempo de espera do usuário.

Eficiência: A eficiência é um conceito relacionado à produtividade - trata-se de apresentar o


melhor desempenho possível com os recursos disponíveis, ou ainda apresentar o menor uso
de recursos para um determinado desempenho esperado. A lentidão excessiva gera filas e
afeta a eficiência negativamente. A rapidez no atendimento, por sua vez, gera reflexos
positivos. O cliente que percebe eficiência no tratamento poderá relacioná-la a um
atendimento rápido, com baixo custo, pouco ou nenhum transtorno para obter o que deseja,
etc.

Tolerância: A tolerância é uma importante capacidade no perfil daqueles que atuam no


atendimento ao público. É importante que se tenha sempre em mente que o público que
está buscando atendimento deseja a prestação de um serviço ou a resolução de um
problema, ou seja, possui alguma demanda que deseja ter satisfeita. Essas demandas nem
sempre serão apresentadas com cortesia ou paciência pelo cliente, mas o atendente deve ser
tolerante a comportamentos do cliente e ao desconhecimento de causa apresentado pelo
público. A falta de tolerância e a rispidez podem levar a uma percepção negativa da qualidade
do atendimento, o que pode impactar sobre a qualidade percebida da organização como um
todo.

Discrição: Trata-se de uma qualidade do atendente, que deve buscar ser discreto no
atendimento, não chamando atenção excessiva para si ou para o cliente e suas demandas.
Você acha que seria certo um atendente ficar falando alto para todos escutarem os problemas
do cliente? Claro que não! Ele deve buscar resolver as demandas de maneira discreta!

Conduta: O atendente deve agir com muito profissionalismo no atendimento, pois sua
conduta será tida pelo cliente como representação da conduta da organização. Assim, a
qualidade no atendimento passa na qualidade percebida na conduta dos profissionais de
atendimento. Observadas as regras e procedimentos estabelecidos, o atendente deverá ser
flexível em sua conduta, com o objetivo de buscar a satisfação do usuário com o atendimento.

Objetividade: Todo o atendimento deve ser conduzido de maneira objetiva, direcionado às


questões a serem resolvidas. Devem-se buscar soluções claras e diretas para o problema, ao
invés de relativizar as demandas e não se chegar a lugar nenhum. Além disto, o atendente
não se deve deixar influenciar por aspectos subjetivos como a aparência do cliente que busca
o atendimento, sua forma de agir, etc.. O atendente deve sempre evitar ser prolixo (ter uma
conversa longa, enrolada e arrastada), pois isso prejudica a qualidade no atendimento. Por
fim, importante destacar que as informações oferecidas pelo cliente devem ser objetivas e
claras para que o cliente possa entendê-las com clareza, sem "ser enrolado" de qualquer
forma.
Equidade: É o tratamento das pessoas de forma equânime e impessoal, ou seja, sem
privilegiar nenhuma pessoa específica por qualquer razão. Urgências médias e prioridades
legais são as principais exceções normalmente aceitas para essa regra.
LEI 8.112/90

ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO: Lei 8.112/90 (art.116, incisos I a V, alíneas a e c, VI a XII e


parágrafo único; 117, incisos I a VI e IX a XVIII; 118 a 126; 127, incisos I, II e III, a 132, incisos I
a VII, e IX a XIII; 136 a 142, incisos I, primeira parte, a III, e §§ 1º a 4º).

1. IBFC – Técnico Judiciário/TRE-PA/2020

Acerca da ética e função pública, assinale a alternativa incorreta.

A) É dever do servidor atender com presteza ao público em geral, prestando as informações


requeridas, ressalvadas as protegidas por sigilo

B) É dever do servidor exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo

C) É dever do servidor participar de gerência ou administração de sociedade privada,


personificada ou não personificada

D) É dever do servidor cumprir as ordens superiores, exceto quando manifestamente ilegais

2. IBFC – Oficial Administrativo/Pref. de Cuiabá - MT/2019

Em relação à responsabilidade do Agente Público, analise as afirmativas abaixo e dê valores


Verdadeiro (V) ou Falso (F). ( ) A responsabilidade penal abrange os crimes e contravenções
imputadas ao servidor, nessa qualidade. ( ) A responsabilidade civil decorre de ato omissivo
ou comissivo, doloso ou culposo, que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. ( ) A
responsabilidade civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no
desempenho do cargo ou função. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta
de cima para baixo.

A) V, V, V

B) V, F, V

C) F, V, V

D) V, V, F
3. IBFC – Supervisor de Pesquisas/IBGE/2021

Acerca da prescrição da ação penal e as disposições da Lei nº 8.112/1990, analise as


afirmativas abaixo e dê valores de Verdadeiro (V) ou Falso (F).

( ) A ação disciplinar prescreverá em 8 (oito) anos, quanto às infrações puníveis com


demissão.

( ) A ação disciplinar prescreverá em 180 (cento e oitenta) dias, quanto às infrações puníveis
com advertência.

( ) A ação disciplinar prescreverá em 2 (dois) anos, quando às infrações puníveis com


suspensão.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de cima para baixo.

A) V, F, V

B) V, V, F

C) F, V, V

D) F, F, V

E) F, V, F

4. IBFC – Supervisor de Pesquisas/IBGE/2021

A Lei nº 8.112/1990 dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União,
das autarquias e das fundações públicas federais e traz em seu artigo 132 as hipóteses em
que a pena de demissão será aplicada. Sobre as hipóteses de aplicação da demissão, assinale
a alternativa incorreta.

A) Prática de crime contra a administração pública

B) Inassiduidade habitual

C) Improbidade administrativa

D) Acumulação legal de cargos, empregos ou funções públicas

E) Incontinência pública e conduta escandalosa, na repartição


5. IBFC – Supervisor de Pesquisas/IBGE/2021

A Lei nº 8.112/1990 trata em seu artigo 127 das denominadas “penalidades disciplinares”.
Acerca das disposições da supracitada lei, assinale a alternativa que apresente uma
penalidade disciplinar.

A) Acordo de leniência

B) Suspensão

C) Exoneração

D) Pena restritiva de direitos

E) Pena privativa de liberdade

6. IBFC – Analista Administrativo/EBSERH/2020

Os regimes jurídicos modernos impõe uma série de deveres aos servidores públicos como
requisitos para o bom desempenho de seus encargos e regular funcionamento dos serviços
públicos. Assinale a alternativa que apresenta duas espécies de deveres funcionais.

A) Os gerais, que se aplicam a todos os servidores, e os especiais, que obrigam a


determinadas classes ou em razão de determinadas funções

B) Os legais e regulamentares: Regras definidas por lei e dirigidas aos agentes dos vários
ramos profissionais

C) Os de produtividade e assiduidade

D) Garantir e fomentar a dignidade da pessoa humana

E) Legais e estatutários. Regras definidas por leis gerais e regras atribuídas de estatutos

7. IBFC – Redator de Debates/Câmara Feira Santana - BA/2018

Constituem deveres dos funcionários públicos todos os apontados abaixo, EXCETO:

A) Exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo

B) Observar as normas legais e regulamentos

C) Cumprir as ordens superiores, mesmo as ilegais

D) Atender com presteza o público em geral


8. Agente de Pesquisa por Telefone/IBGE/2021

Conforme a Lei n.º 8.112/1990, em caso de exercício irregular de suas atribuições, o servidor
público poderá responder na(s) esfera(s)

A) administrativa, apenas.

B) penal, apenas.

C) administrativa e civil, apenas.

D) civil e penal, apenas.

E) administrativa, civil e penal.

9. Técnico/IFF/2018

De acordo com o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das
fundações públicas federais, caso seja verificado que, reincidentemente, determinado
servidor incumbia a outro atribuições estranhas ao cargo que este último ocupava, a
penalidade prevista é de

A) suspensão.

B) advertência.

C) demissão.

D) censura.

E) destituição do cargo.

10. Técnico Judiciário/TRT - 7ª Região (CE)/2017

Na hipótese de acumular ilegalmente cargos, empregos, ou funções públicas, o funcionário


público estará sujeito à penalidade disciplinar de

A) destituição de cargo em comissão.

B) suspensão.

C) demissão.

D) advertência.
Gabarito:

1.C 2.A 3.C 4.D 5.B 6.A 7.C 8.E 9.A 10.C
LÍNGUA PORTUGUESA

O jeitinho brasileiro e o homem cordial

O jeitinho caracteriza-se como ferramenta típica de indivíduos de pouca influência


social. Em nada se relaciona com um sentimento revolucionário, pois aqui não há o ânimo de
se mudar o status quo. O que se busca é obter um rápido favor para si, às escondidas e sem
chamar a atenção; por isso, o jeitinho pode ser também definido como "molejo", "jogo de
cintura", habilidade de se "dar bem" em uma situação "apertada".

Sérgio Buarque de Holanda, em O Homem Cordial, fala sobre o brasileiro e uma


característica presente no seu modo de ser: a cordialidade. Porém, cordial, ao contrário do
que muitas pessoas pensam, vem da palavra latina cor, cordis, que significa coração. Portanto,
o homem cordial não é uma pessoa gentil, mas aquele que age movido pela emoção no lugar
da razão, não vê distinção entre o privado e o público, detesta formalidades, põe de lado a
ética e a civilidade.

Em termos antropológicos, o jeitinho pode ser atribuído a um suposto caráter


emocional do brasileiro, descrito como “o homem cordial” pelo antropólogo. No livro Raízes
do Brasil, esse autor afirma que o indivíduo brasileiro teria desenvolvido uma histórica
propensão à informalidade. Deve-se isso ao fato de as instituições brasileiras terem sido
concebidas de forma coercitiva e unilateral, não havendo diálogo entre governantes e
governados, mas apenas a imposição de uma lei e de uma ordem consideradas artificiais,
quando não inconvenientes aos interesses das elites políticas e econômicas de então. Daí a
grande tendência fratricida observada na época do Brasil Império, que é bem ilustrada pelos
episódios conhecidos como Guerra dos Farrapos e Confederação do Equador.

Na vida cotidiana, tornava-se comum ignorar as leis em favor das amizades.


Desmoralizadas, incapazes de se impor, as leis não tinham tanto valor quanto, por exemplo,
a palavra de um “bom” amigo. Além disso, o fato de afastar as leis e seus castigos típicos era
uma prova de boa-vontade e um gesto de confiança, o que favorecia boas relações de
comércio e tráfico de influência. De acordo com testemunhos de comerciantes holandeses,
era impossível fazer negócio com um brasileiro antes de fazer amizade com ele. Um adágio
da época dizia que “aos inimigos, as leis; aos amigos, tudo”. A informalidade era – e ainda é
– uma forma de se preservar o indivíduo.

Sérgio Buarque avisa, no entanto, que esta "cordialidade" não deve ser entendida
como caráter pacífico. O brasileiro é capaz de guerrear e até mesmo destruir; no entanto,
suas razões animosas serão sempre cordiais, ou seja, emocionais.
1. De acordo com o texto, é incorreto afirmar que:

a) o jeitinho brasileiro é um comportamento típico de indivíduos de pouca influência social e


avessos a formalidades.

b) a instituição do jeitinho tem origem, segundo os antropólogos, no comprovado caráter


emocional do brasileiro.

c) a imposição de leis e de ordens tidas como artificiais pode explicar a propensão do


brasileiro para driblar normas.

d) na sociedade colonial, era comum observar que o brasileiro tendia a valorizar a amizade
em detrimento da própria lei.

e) o indivíduo que utiliza a ferramenta do jeitinho age por emoção, ignorando os limites entre
as esferas pública e privada.

2. Com relação à estruturação do texto e dos parágrafos, analise as afirmativas a seguir:

I. O segundo parágrafo introduz o tema, discorrendo sobre a origem etimológica de jeitinho.

II. O quarto parágrafo apresenta um fato que busca explicar a disposição para a informalidade
nas relações comerciais.

III. O quinto parágrafo esclarece as diferenças entre as noções de cordialidade e passividade,


que não são sinônimas.

Assinale:

a) se somente a afirmativa I está correta.

b) se somente a afirmativa II está correta.

c) se somente a afirmativa III está correta.

d) se somente as afirmativas II e III estão corretas.

e) se todas as afirmativas estão corretas.

3. Deve-se isso ao fato de as instituições brasileiras terem sido concebidas de forma


coercitiva e unilateral.

Tem significação oposta à do termo sublinhado o vocábulo:

a) licenciosa.
b) tirana.

c) normativa.

d) proibitiva.

e) repressora.

4. Assinale a alternativa em que a regência está CORRETA.

a) Assisti o filme de que você gostou.

b) Prefiro mais a cidade do que o campo.

c) Este é o museu de que mais gosto.

d) Finalmente chegamos em Diamantina.

e) Ele é fiel uma aluna do segundo ano.

5. Marque o item cuja frase apresenta redigida da forma mais adequada, considerando-
se clareza, elegância, precisão e correção.

a) De segunda à sexta, o programa será dedicado à você.

b) De segunda à sexta, o programa será dedicado a você.

c) Da segunda à sexta, o programa será dedicado a você.

d) Da segunda à sexta, o programa será dedicado à você.

e) Da segunda a sexta, o programa será dedicado a você.

6. Identifique a opção em que não houve erro de concordância:

a) Já fazem alguns dias que não se veem.

b) Na cidade, haviam viúvas e clérigos.

c) As crianças da cidade tem privilégios.

d) Há bastantes livros na estante.

e) A maioria da população viviam ao redor do palácio.


Gabarito:

1-B

2-D

3-A

4-C

5-C

6-D

Você também pode gostar