Você está na página 1de 16

XXIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

SIMULADO 01
Esse documento é uma simulação que usa os mesmos padrões da Prova Prático-Profissional
aplicada pela Fundação Getúlio Vargas| 2ª Fase do Exame de Ordem - Penal
Revisão: Prof. Nidal Ahmad

DIREITO PENAL
PROVA PRÁTICO - PROFISSIONAL

SEU CADERNO
INFORMAÇÕES GERAIS

Além deste caderno de rascunho contendo o


enunciado da peça prático-profissional e das quatro Ÿ Verifique se a disciplina constante da capa deste caderno
questões discursivas, você receberá do fiscal de sala: coincide com a registrada em seu caderno de textos
definitivos. Caso contrário, notifique imediatamente o fiscal
Ÿ um caderno destinado à transcrição dos textos
da sala, para que sejam tomadas as devidas providências.
definitivos das respostas.
Ÿ Confira seus dados pessoais, especialmente nome, número
de inscrição e documento de identidade e leia atentamente
as instruções para preencher o caderno de textos definitivos.
TEMPO Ÿ Assine seu nome, no espaço reservado, com caneta
esferográfica transparente de cor azul ou preta.
Ÿ 5 horas é o tempo disponível para a realização
Ÿ As questões discursivas são identificadas pelo número que se
da prova, já incluindo o tempo para
situa acima do seu enunciado.
preenchimento do caderno de textos definitivos.
Ÿ Não será permitida a troca do caderno de textos definitivos
Ÿ 2 horas após o início da prova é possível retirar-
por erro do examinando.
se da sala, sem levar o caderno de rascunho.
Ÿ Para fins de avaliação, serão levadas em consideração
Ÿ 1 hora antes do término do período de prova é
apenas as respostas constantes do caderno de textos
possível rer ar-se da sala levando o caderno de
definitivos.
rascunho.
Ÿ A FGV coletará as impressões digitais dos examinandos na
lista de presença .
Ÿ Os 3 (três) últimos examinandos de cada sala só poderão sair
NÃO SERÁ PERMITIDO juntos, após entregarem ao fiscal de aplicação os documentos
que serão utilizados na correção das provas. Esses examinandos
Ÿ Qualquer tipo de comunicação entre os examinandos.
poderão acompanhar, caso queiram, o procedimento de
Ÿ Levantar da cadeira sem a devida autorização do conferência da documentação da sala de aplicação, que será
fiscal de sala. realizada pelo Coordenador da unidade, na Coordenação do
Ÿ Portar aparelhos eletrônicos, tais como bipe, local de provas. Caso algum desses examinandos insista em sair
telefone celular, walkman, agenda eletrônica, do local de aplicação antes de autorizado pelo fiscal de aplicação,
notebook, palmtop, receptor, gravador, telefone deverá assinar termo desistindo do Exame e, caso se negue, será
celular, máquina fotográfica, controle de alarme lavrado Termo de Ocorrência, testemunhado pelos 2 (dois)
de carro etc., bem como relógio de qualquer outros examinandos, pelo fiscal de aplicação da sala e pelo
espécie, protetor auricular, óculos escuros ou Coordenador da unidade de provas.
quaisquer acessórios de chapelaria, tais como Ÿ Boa prova!
chapéu, boné, gorro etc., e ainda lápis, lapiseira,
borracha e/ou corretivo de qualquer espécie.
Ÿ Usar o sanitário ao término da prova, após deixar
a sala.

‘‘Qualquer semelhança nominal e/ ou situacional presente nos enunciados das questões é mera coincidência’’
*ATENÇÃO: ANTES DE INICIAR A PROVA, VERIFIQUE SE TODOS OS SEUS APARELHOS ELETRÔNICOS FORAM
ACONDICIONADOS E LACRADOS DENTRO DA EMBALAGEM PRÓPRIA. CASO A QUALQUER MOMENTO DURANTE A
REALIZAÇÃO DO EXAME VOCÊ SEJA FLAGRADO PORTANDO QUAISQUER EQUIPAMENTOS PROIBIDOS PELO EDITAL, SUAS
PROVAS PODERÃO SER ANULADAS, ACARRETANDO EM SUA ELIMINAÇÃO DO CERTAME.
-------------------------------------------------------------------------
PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL
Durante investigação para apurar a prática de tráfico de drogas na cidade de Volta Redonda/RJ, agentes da polícia civil,
embora desconfiados que Wilson Rocha estivesse envolvido no crime, não conseguiram reunir provas suficientes para
apontá-lo como traficante. Diante disso, um dos policiais passou a frequentar os mesmos lugares do investigado. Em
determinado dia, fazendo-se passar por usuário de drogas, aproximou-se de Wilson e o induziu a lhe fornecer 10
gramas de cocaína. Surpreso, Wilson respondeu ao suposto usuário que não possuía drogas com ele. Não satisfeito
com a resposta, o policial disfarçado insistiu para que Wilson lhe conseguisse a droga. Mesmo contrariado, Wilson,
diante da insistência do policial, disse que tentaria conseguir a droga solicitada. Saiu do local, retornando meia hora
depois com a quantidade de drogas solicitada pelo policial disfarçado, dizendo que havia conseguido com o traficante
da boca de fumo que funcionava na Vila. Nesse instante, o policial disfarçado prende Wilson em flagrante, sob a
acusação da prática do crime de tráfico ilícito de drogas, previsto no artigo 33 da Lei 11.343/2006. Durante a lavratura
do auto de prisão em flagrante, a autoridade policial negou ao flagrado acesso a seu advogado. Dois dias depois da
prisão, o Delegado concluiu a lavratura do auto de prisão em flagrante e encaminhou ao Poder Judiciário,
representando pela conversão em prisão preventiva. A família de Wilson Rocha, bem como o Juiz competente e o
Membro do Ministério Público tomaram conhecimento da prisão somente quando o auto de prisão em flagrante
aportou no Poder Judiciário. O auto de prisão em flagrante está concluso para apreciação do Magistrado.

Com base somente nas informações de que dispõe e nas que podem ser inferidas pelo caso concreto acima, na
qualidade de advogado (a) de Wilson Rocha, redija a peça cabível, exclusiva de advogado, no que tange à liberdade de
seu cliente, alegando para tanto toda a matéria de direito pertinente ao caso. (Valor: 5,0)

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 2
PEÇA PROFISSIONAL - 1/5
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 3
PEÇA PROFISSIONAL - 2/5
31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 4
PEÇA PROFISSIONAL - 3/5
61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88

89

90

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 5
PEÇA PROFISSIONAL - 4/5
91

92

93

94

95

96

97

98

99

100

101

102

103

104

105

106

107

108

109

110

111

112

113

114

115

116

117

118

119

120

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 6
PEÇA PROFISSIONAL - 5/5
121

122

123

124

125

126

127

128

129

130

131

132

133

134

135

136

137

138

139

140

141

142

143

144

145

146

147

148

149

150

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 7
QUESTÃO 1
No dia 25 de janeiro de 2013, Roniquito Vieira foi flagrado na posse de razoável quantidade de cocaína. Ao
consultar os registros policiais, a autoridade policial verificou que não havia nenhum procedimento policial ainda
instaurado contra Roniquito. Ao ser ouvido na Delegacia, Roniquito informou que trabalhava como
carregador numa determinada loja de materiais de construção, mostrando sua carteira de trabalho. Disse, ainda,
que residia com a esposa e os dois filhos. Não obstante isso, o Delegado de Polícia determinou a lavratura do
auto de prisão em flagrante e, ao final, representou pela conversão em preventiva, sob o argumento de que a
lei impõe que agente preso em flagrante pela prática do delito de tráfico de drogas deve responder ao
processo preso. Você, como advogado(a) indicado por Roniquito, é comunicado da ocorrência da prisão
em flagrante, além de tomar conhecimento da representação formulada pelo Delegado. Da mesma forma,
o comunicado de prisão já foi encaminhado para o Ministério Público e para o magistrado, sendo todas as
demais legalidades da prisão em flagrante observadas.
Considerando as informações narradas, responda aos itens a seguir.
A) Qual a medida processual, diferente de habeas corpus, a ser adotada pela defesa técnica de Roniquito? (Valor:
0,50)
B) A representação da autoridade policial, no sentido de que o ordenamento jurídico impõe que o preso em
flagrante pela prática do crime de tráfico de drogas responda o processo preso, foi elaborada de modo adequado?
(Valor: 0,75)
Obs.: o examinando deve fundamentar suas respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere pontuação.

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 8
QUESTÃO 01
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 9
QUESTÃO 2

Carminha Esteves, gestante no quarto mês de gravidez, vem apresentando sérios distúrbios em seu processo de
gestação, com dificuldade de retenção do feto. Por recomendação médica, passou a ficar em absoluto repouso e a
aplicar determinado medicamento para evitar a possibilidade de aborto espontâneo. Para tanto, Carminha Esteves
contratou a enfermeira Beatriz Pires para lhe prestar assistência durante a gestação e ministrar-lhe o medicamento.
Num determinado dia, Carminha Esteves, por conta do natural desgaste emocional decorrente da gravidez de risco,
ofende Beatriz Pires, humilhando-a por conta de um pequeno atraso na chegada ao serviço. Logo em seguida a esse
episódio, Carminha Esteves começou a passar por uma grave crise gravídica, a ponto de estar prestes a perder o
bebê. Diante disso, chama a enfermeira Beatriz Pires, que, podendo evitar o aborto, mediante pronta intervenção e
aplicação do medicamento receitado, deixa, contudo, que ocorra a interrupção da gravidez com a morte do feto.
Diante do fato hipotético, responda, de forma fundamentada, se é possível imputar a Beatriz Pires alguma
responsabilidade penal. (valor: 1,25)
Obs.: o examinando deve fundamentar suas respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere pontuação.

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 10
QUESTÃO 02
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 11
QUESTÃO 3
No dia 06 de maio de 2015, numa rua deserta, Ziah Damir, mediante grave ameaça, constrangeu Livia Maria, que
contava com 20 anos de idade à época do fato, a com ele praticar conjunção carnal. Atordoada com o acontecido,
Livia Maria ficou um bom tempo sem saber o que fazer, até que resolveu contar a história à Vânia Meireles.
Convencida por Vânia a registrar ocorrência policial, Livia disse que procuraria a polícia após o retorno da viagem
que realizaria à Turquia. No dia 10 de novembro de 2015, Livia retornou da Turquia e se dirigiu à Delegacia de Polícia
mais próxima, noticiando à autoridade policial que havia sido ameaçada de morte por Ziah para que com ele
mantivesse conjunção carnal. O Ministério Público ofereceu denúncia imputando a Ziah a prática do delito previsto
no artigo 213, “caput”, do Código Penal, sendo, após o recebimento da peça acusatória, citado no dia 15/08/2016
(segunda-feira), sendo o mandado de citação juntado no dia 17/08/2016 (quarta-feira). Considerando a situação
hipotética, responda aos itens a seguir, empregando os argumentos jurídicos apropriados e a fundamentação legal
pertinente ao caso.

a) Na condição de advogado de Ziah, adote a medida processual pertinente, diversa de habeas corpus, apontando,
ainda, o último dia do prazo? (0,60)

b) b) Qual argumento jurídico poderia ser usado para absolvição e o pedido a ser formulado pela defesa de Ziah?
(0,65)

Obs.: o examinando deve fundamentar suas respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere pontuação.

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 12
QUESTÃO 03
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 13
QUESTÃO 4
Wilson, após violenta discussão com Júnior, muniu-se de uma arma de fogo e desferiu dois disparos em direção ao
desafeto, buscando atingi-lo em região letal. Um dos disparos atingiu a região torácica de Júnior, que, ainda com
vida, foi encaminhado ao hospital. Durante o período de convalescência, o hospital pegou fogo, tendo Júnior
falecido exclusivamente por intoxicação decorrente da elevada quantidade de fumaça por ele inalada. Analise o caso
narrado e, com base apenas nas informações dadas, responda fundamentadamente qual a responsabilidade jurídica
penal de Wilson em relação à morte de Júnior? (1,25)
Obs.: o examinando deve fundamentar suas respostas. A mera citação do dispositivo legal não confere pontuação.

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 14
QUESTÃO 04
01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

EXAME DE ORDEM UNIFICADO– PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL – DIREITO PENAL


Página 15
EXAME DE ORDEM UNIFICADO
SIMULADO
Esse documento é uma simulação que usa os mesmos padrões da Prova Prático-Profissional
aplicada pela Fundação Getúlio Vargas| 2ª Fase do Exame de Ordem - Penal
Revisão: Prof. Nidal Ahmad

Você também pode gostar