Você está na página 1de 15

Capitalismo Socialismo Real

Economia de mercado Economia Planificada


Democracia Centralismo/Ditadura
“Homem Livre” “Igualdade Social”

A Guerra Fria é a designação atribuída ao período histórico de disputas


estratégicas e conflitos indiretos entre os Estados Unidos (EUA) e a
União Soviética (URSS), compreendendo o período entre o final da
Segunda Guerra Mundial (1945) e a extinção da União Soviética (1991).
As explosões nucleares dos EUA em 1945 – Japão. São
utilizadas como marco inicial da Guerra Fria e de uma de suas
principais características: A Corrida Armamentista/Nuclear.
Nas semanas que se seguiram
à construção do Muro de
Berlim, a Guerra Fria atingiu
um dos seus momentos mais
dramáticos. A tensão entre os
EUA e a União Soviética podia
ser vista claramente no posto
de controle da rua Friedrich, o
chamado Checkpoint Charlie,
no centro de Berlim: tanques
americanos e soviéticos
permaneceram durante dias,
frente a frente, à espera de
um comando de ação militar.
A disputa entre Estados Unidos e União Soviética (URSS) pela conquista
do espaço foi o grande impulso para a exploração espacial e resultou
em grandes avanços científicos e tecnológicos, além de descobertas
importantes

. Em 1957, a URSS saiu na frente,


lançando o Sputnik 1, o primeiro
satélite artificial a entrar em
órbita. Uma semana depois, foi
lançado o Sputnik 2, com a
cadela Laika, o primeiro ser vivo Em 1958, os EUA reagiram com a
a ir para o espaço. criação da Nasa (National
Aeronautics & Space
Administration), reponsável pelo
programa espacial do país. Nesse
mesmo ano foi lançado o primeiro
satélite artificial americano, o
Explorer 1.
Um inimigo ardiloso e um aprendiz de
tirano batem à porta dos EUA com a
bomba nas mãos. E a perigosa crise dos
mísseis de outubro inaugura uma nova
era de terror nuclear.
Veja, outubro de 1962

As tensões sempre marcaram o período da


Guerra Fria. Mesmo com os acordos e
tratados assinados pelas potências, o
equilíbrio internacional estava sempre
ameaçado. Disso, depreendia-se que: “A
guerra era improvável , mas a paz era
impossível.
O período da distensão (Détente) seguiu-se à Crise dos Mísseis, por ela
quase ter levado as duas superpotências a um embate nuclear. Os EUA
e a URSS decidiram, então, realizar acordos para evitar uma catástrofe
mundial. Nesta época, vários tratados foram assinados entre os dois
lados.
Tratado de Moscou (1963) - Os dois países regularam a pesquisa de
novas tecnologias nucleares e concordaram em não ocupar a Antártica.
TPN (Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares) (1968) - Os
países signatários (EUA, URSS, China, França e Reino Unido)
comprometiam-se a não transmitir tecnologia nuclear a outros e a se
desarmarem de arsenais nucleares.
SALT I (Strategic Arms Limitation Talks - Acordo de Limitação de
Armamentos Estratégicos) (1972) - Previa o congelamento de arsenais
nucleares dos Estados Unidos e da União Soviética.
SALT II (1979) - Prorrogação das negociações do SALT I.
██ OTAN
██ Otros aliados de los Estados Unidos
× Grupos armados anticomunistas
██ Pacto de Varsovia O Mundo da
██ Países socialistas alineados con la URSS
██ Otros aliados de la URSS Guerra Fria
× Grupos armados comunistas
██ China Popular y sus aliados
██ No alineados
× Otros conflictos
Em 1949 os EUA e o Canadá,
juntamente com a maioria da
Europa capitalista, criaram a OTAN
(Organização do Tratado do
Atlântico Norte), uma aliança
militar com o objetivo de proteção
internacional em caso de um
suposto ataque dos países do leste
europeu. Em resposta à OTAN, a URSS
firmou entre ela e seus aliados o
Pacto de Varsóvia (1955) para unir
forças militares da Europa Oriental.

Logo as alianças militares estavam


em pleno funcionamento, e
qualquer conflito entre dois países
integrantes poderia ocasionar
uma guerra nunca vista antes.
Mesmo com toda a tensão e desenvolvimento bélico a
utilização efetiva do potencial militar das potências era
improvável.
Uma particularidade da Guerra Fria foi o impulso tecnológico
gerado, em parte, por ela. A Revolução técnico-científica , ou
terceira Revolução Industrial, tem seu início em meio às disputas
entre as potências opostas do período bipolar.

Entre os setores tecnológicos que se alavancaram


durante o período destacam-se :

A informática
Robótica

Biotecnologia
A Guerra fria, e a própria bipolaridade, começa a dar sinais de
enfraquecimento definitivo a partir de meados da década de 1980.

Já em meados da década de
1970, o período de
A crise da URSS é prosperidade soviética se
o grande elemento esgota. Produtividade agrícola
que vai em queda, indústrias de
proporcionar tal consumo defasadas. Corrupção
contexto. no Governo, gastos excessivos
com a Guerra Fria, etc; são
alguns dos elementos que
marcavam o país.
Com isso, o descontentamento e as manifestações sociais
cresciam, a posição do país no cenário econômico mundial era
cada vez pior.
Em meados/final da década de 1980 são implantadas mudanças nos rumos da
política e da economia soviética. Um plano de reestruturação que envolveu a
abertura política (Glasnost) e econômica (Perestroika) é posto em prática no
país, buscando reconduzi-lo à condição de potência econômica e alterar a
imagem soviética no cenário internacional.

Redução gradual da censura às manifestações sociais e imprensa;

Glasnost Abertura política – pluripartidarismo e eleições para cargos


estatais
A idéia central da Glasnost era envolver as massas soviéticas com o programa de modernização
da Economia da União Soviética - representado pela Perestroika, sujeitando a burocracia estatal
à ampla critica política.

Descentralização econômica e abertura para o mercado externo;

Perestroika Revisão dos gastos estatais – visando melhor distribuição de


recursos para o desenvolvimento econômico do país.

"A finalidade desta reforma é garantir, no prazo de dois a três anos, a transição de um sistema
de direção excessivamente centralizado e dependente de ordens superiores para um sistema
democrático baseado na combinação de centralismo democrático e autogestão.“(Gorbatchev).
As mudanças que se estabeleceram na URSS não se limitaram ao contexto interno,
muitas das ações externas do país foram revisadas e isso causou uma ressonância
no cenário político e econômico internacional, gerando as condições para o fim da
Guerra Fria.

Ao contrário do que se esperava, as reformas implantadas não surtiram o efeito


desejado. Elas acabaram por favorecer a ampliação do clima de instabilidade e
insatisfação da sociedade do país – divergências internas no partido Comunista,
ampliação de movimentos nacionalistas/separatistas, déficits comerciais
crescentes, etc.

As reações políticas decorrentes do processo de reformulação da URSS


precipitaram acontecimentos que resultaram no contexto externo, na
desarticulação das estruturas do Mundo Socialista ( e, internamente, na
fragmentação do próprio país em 1991.