Você está na página 1de 4

Odontologia do trabalho: Implatação da atenção em saúde bucal do trabalhador

Artigo de Pizzato,
RevisãoE.;/ Review
Garbin, Article
C.A.S.

Odontologia do trabalho: Implantação da


atenção em saúde bucal do trabalhador
Occupational odontology: Implantation of
attendance in oral health of employees
Eduardo Pizzatto*, Cléa Adas Saliba Garbin**

* Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Odontologia Preventiva e Social da Faculdade de


Odontologia de Araçatuba/SP – UNESP.
** Professora Adjunto da Faculdade de Odontologia de Araçatuba/SP – UNESP.

Descritores Resumo

Odontologia industrial; serviços de Vários fatores interagem determinando o nível de saúde de uma população,
saúde bucal; serviços de saúde para entre eles, a relação entre o grau de desenvolvimento do país e as condições de
trabalhadores. trabalho de seu povo. O presente trabalho tem por objetivo efetuar uma análise
dos tópicos de maior pertinência no que concerne a implantação de programas
de atenção odontológica voltados aos trabalhadores. Com base na revisão da
literatura, inúmeras justificativas podem ser relacionadas em defesa da
implantação de serviços odontológicos destinados ao segmento dos trabalhadores. 99
Contudo, o primeiro princípio a ser observado quando da implantação de um
programa de saúde nas empresas, é que este deve visar a melhora das condições
de saúde do trabalhador, pautado em princípios éticos e humanísticos, respeitando
sua condição de ser humano, e não simplesmente como peças de um mecanismo
de produção. Desta forma, a implantação de um programa de atenção em saúde
bucal voltado ao trabalhador deve ter como objetivo principal a promoção,
proteção, recuperação e reabilitação da saúde bucal deste trabalhador,
contribuindo assim para uma melhora em sua qualidade de vida.

Key-words Abstract

Occupational dentistry; dental health Variable factors interact to determine the level of health of the population, such as,
services; occupational health the relationship between the level of development of the country and the working
services. conditions of the people. The present study aimed to analyze the existence of
dental attendance services for an economically active population. Based on the
review of the literature, several reasons may be considered in the defense of the
implantation of dental services destined to workers. However, the first principle to
be observed while founding a health service in companies is that it shoud seek the
improvement of the worker’s health conditions, also based on ethical and humanistic
principles, respecting the worker’s human state not considering him simply as a
piece of a production mechanism. This way, the implantation of a oral health
program directed to the worker should have as main objectives the promotion,
protection, recovery an rehabilitation of the worker’s oral health, thus contributing
to an improvement in his life quality.

Correspondência para / Correspondence to:


Eduardo Pizzatto
Rua Pasteur, 413 – Apto 102 / Batel - CEP 80250-080 / Curitiba-PR
Fone: (41) 3343 – 4226 / (41) 9197 – 6090 e-mail: epizzatto@ig.com.br / epizzatto@unicenp.edu.br

Odontologia. Clín.-Científ., Recife, 5 (2): 99-102, abr/jun., 2006


www.cro-pe.org.br
Odontologia do trabalho: Implatação da atenção em saúde bucal do trabalhador
Pizzato, E.; Garbin, C.A.S.

INTRODUÇÃO destas vantagens, pode-se destacar: prevenção das


doenças bucais, as quais diminuem a capacidade
A saúde do trabalhador tem sido objeto de produtiva dos trabalhadores (Miller 20, 1941);
inúmeros estudos, movidos principalmente pela facilidade de acesso por parte dos trabalhadores
necessidade de se dispor de uma força de trabalho (Silva e Souto32, 1983; Pinto25, 2000); possibilidade
apta a realizar, da melhor forma possível, todas as de diagnóstico precoce dos casos de câncer bucal
etapas do processo produtivo, o qual por sua vez, (Schwartz31, 1988); aumento da motivação do
vem sofrendo profundas alterações, modificando empregado, e aumento da sua qualidade de vida
substancialmente o perfil do trabalho e dos (Ferreira11, 1997; Midorikawa19, 2000); aumento
trabalhadores, seus determinantes de saúde- da eficiência do trabalhador, diminuição dos riscos
doença, seu quadro epidemiológico, assim como de acidentes de trabalho e diminuição do
as práticas de saúde voltadas para o trabalhador. absenteísmo (Goldhorn14, 1943; Misher21, 1946;
Neste contexto a Odontologia assume papel Sappington27, 1949; Gibson et al.13, 1950; Camp6,
relevante, especialmente considerando a premissa 1955; Guimarães e Rocha 15, 1979; Passos e
exposta no Relatório Final da I Conferência Nacional Villela23, 1983; Motta e Toledo22, 1984; Feaver10,
de Saúde Bucal7 (1986), “Saúde Bucal é parte 1988; Baroni3, 1996).
integrante e inseparável da saúde do indivíduo, Inúmeras justificativas ainda podem ser
estando diretamente relacionada às condições de relacionadas em defesa da implantação de serviços
alimentação, moradia, trabalho, renda, meio odontológicos destinados ao segmento dos
ambiente, transporte, lazer, liberdade, acesso e trabalhadores (Schou 29 , 1993), dentre elas
posse da terra, acesso aos serviços de saúde e à destacam-se:
informação”, dessa forma, torna-se inviável pensar - prevalência muito alta de problemas
em saúde geral de modo dissociado da saúde bucal relacionados à cárie dental e ao periodonto;
,sendo o contrário também verdadeiro. - possibilidade de detecção precoce de
Destaca-se ainda, a recente regulamentação lesões relacionadas ao câncer bucal, das
da Odontologia do Trabalho como especialidade manifestações orais da AIDS e de outras doenças
odontológica, através da Resolução 22/2001 do de relevância vital;
Conselho Federal de Odontologia, a qual define em - cerca de 60% do tempo de vida ativa é
100
seu Artigo 30: “Odontologia do Trabalho é a despendido no emprego ou local de trabalho;
especialidade que tem como objetivo a busca - grandes chances de desenvolver um
permanente da compatibilidade entre a atividade programa participativo;
laboral e a preservação da saúde bucal do - aumento da satisfação da força de trabalho;
trabalhador” (Brasil4, 2002). - posição favorável das representações
Sob este prisma é possível conceber a sindicais e dos trabalhadores em geral, que
importância da atenção a saúde bucal como consideram ser o ambiente de trabalho adequado
instrumento de promoção de saúde e melhora da para o desenvolvimento de ações de promoção de
qualidade de vida do trabalhador. saúde.
Embasando-se no conteúdo exposto, o objetivo Com relação ao perfil destes serviços, eles
deste estudo consiste em, através da revisão da devem ser integrados aos demais setores da
literatura, efetuar uma análise dos tópicos de maior empresa, planejados observando a realidade do
pertinência no que concerne a implantação de processo produtivo desenvolvido pela empresa em
programas de atenção odontológica voltados aos questão, e contar com a participação ativa dos
trabalhadores. trabalhadores (Kulstad17, 1945; Heacock16, 1947;
Aston2, 1948; Brock5, 1958; Medeiros e Bijella18,
DISCUSSÃO 1971; Garrafa12, 1986; Schou28, 1989; Schou e
Apesar de ser recente a regulamentação da Monrad30, 1989; Pizzatto26, 2002). Já o profissional
especialidade odontológica cuja competência reside que for atuar nestes serviços deve conhecer o local
em atuar no campo da Saúde do Trabalhador (Brasil4, de trabalho, o processo produtivo e as funções que
2002), inúmeras pesquisas relatam a existência de o trabalhador exerce neste processo, estar atento
serviços odontológicos industriais em fins do século às doenças bucais oriundas das atividades laborais,
XIX e início do século XX (Pettibone 24, 1923; porém não se limitar a elas, e principalmente,
Dunning et al.9, 1941; Walls e Bethehem34, 1942; deslocar seu foco de atenção da boca para o
Dunning e Klein8, 1944). Isto devido às vantagens indivíduo e deste para o coletivo (ADA1, 1942;
que programas de atenção odontológica voltados Heacock16, 1947; Brock 5, 1948; Guimarães e
aos trabalhadores podem oferecer. Como exemplo Rocha 15 , 1979; Passos e Villela 23 , 1983;
Midorikawa19, 2000; Vianna e Santana33, 2001;

Odontologia. Clín.-Científ., Recife, 5 (2): 99-102, abr/jun., 2006


www.cro-pe.org.br
Odontologia do trabalho: Implatação da atenção em saúde bucal do trabalhador
Pizzato, E.; Garbin, C.A.S.

Pizzatto26, 2002). Diário Oficial da União, Brasília, 25 jan. 2002. Seção


Contudo, o primeiro princípio a ser observado 1, 269-272.
quando da implantação de um programa de saúde
(bucal ou geral) nas empresas, é que este deve visar 5.BROCK DW. Industrial dentistry and the general
a melhora das condições de saúde do trabalhador, practitioner. Ind. Med. Surg., 1958; 27(5): 244-248.
pautado em princípios éticos e humanísticos,
respeitando sua condição de ser humano, e não 6.CAMP H. Dental service at corning glass works.
simplesmente como peças de um mecanismo de Ind. Med. Surg., 1955; 24(11): 499.
produção.
7.CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL, 1.
CONSIDERAÇÕES FINAIS Brasília, DF, 1986. Ministério da Saúde -
Universidade de Brasília. Relatório Final, 1986
Com base no que fora exposto parece Brasília, Centro de Documentação do Ministério da
pertinente concluir que: Saúde.
- A simples oferta de serviços de assistência
odontológica não traz benefícios em termos de 8.DUNNING JM, KLEIN H. Saving teeth among home
saúde para o trabalhador, faz-se necessário um office employes of the Metropolitan Life Insurance
correto planejamento das ações a serem Company. J. Am. Dent. Assoc., 1944; 31(12): 1633-
desenvolvidas, as quais devem ser articuladas com 1642.
os demais programas de atenção a saúde dos
trabalhadores. 9.DUNNING JM, WALLS RM, LEWIS SR. Prevalence
- A implantação de um programa de atenção and characteristics of dental service in industry. J.
em saúde bucal voltado ao trabalhador teve ter como Am. Dent. Assoc., 1941; 28: 492-501.
objetivo principal a promoção, proteção, recuperação 10.FEAVER GP. Occupational dentistry: a review of
e reabilitação da saúde bucal deste trabalhador 100 years of dental care in the workplace. J. Occup.
contribuindo assim para uma melhora em sua Med., 1988; 38(1-2): 41-43.
qualidade de vida.
- Cabe ressaltar ainda que, o importante é 11.FERREIRA RA. Odontologia: essencial para a 101
não só levantar os problemas bucais que podem qualidade de vida. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent., 1997;
afetar diretamente os trabalhadores, deve-se 51(6): 514-521.
analisar concretamente a epidemiologia e a
patologia desses problemas, assim como estudar o 12.GARRAFA V. Odontologia do trabalho. Rev. Saúde
impacto que possam ocasionar em suas qualidades Debate, 1986; (18): 05-10.
de vida, trazendo à tona novos elementos na análise
da causalidade das doenças e dos porquês da sua 13.GIBSON A, CARLISLE JM, HOCH SM. Dental
maior ocorrência e manutenção em determinados program in industry. Ind. Med., 1950; 19(1): 37-38.
segmentos da sociedade.
14. GOLDHORN E. The role of dentistry in a
REFERÊNCIAS industrial medical program. Ind. Med., 1943; 12(5):
322.
BIBLIOGRÁFICAS
1.AMERICAN DENTAL ASSOCIATION. Committee on 15.GUIMARÃES E, ROCHA AA. Odontologia do
economics. Dental service in industry. J. Am. Dent. trabalho – 3ª parte. Organização dos serviços
Assoc., 1942; 29: 299-301. odontológicos de uma empresa. Odontol. Mod.,
1979; 7(9): 40-50.
2.ASTON ER. Dental relations in a state industrial
hygiene program. Ind. Med., 1948; 17(1): 21-23. 16.HEACOCK LD. Dental relations in industrial health
services. Ind. Med., 1947; 16(1): 5-9.
3.BARONI G. A influência da dor de dente. Rev. CIPA,
1996; 17(202): 40-51. 17.KULSTAD HM. The place of dentistry in industry.
Ind. Med., 1945; 14(3): 234-235.
4.BRASIL, Conselho Federal de Odontologia.
Resolução CFO 22/2001. Baixa normas sobre 18.MEDEIROS EPG, BIJELLA VT. Aplicação racional
anuncio e exercício das especialidades da odontologia social no atendimento de operários.
odontológicas e sobre cursos de especialização. Rev. Bras. Odontol., 1971; 28(172): 276-280.

Odontologia. Clín.-Científ., Recife, 5 (2): 99-102, abr/jun., 2006


www.cro-pe.org.br
Odontologia do trabalho: Implatação da atenção em saúde bucal do trabalhador
Pizzato, E.; Garbin, C.A.S.

19.MIDORIKAWA ET. A odontologia em saúde do 32.SILVA RB, SOUTO DF. Modelo de serviço
trabalhador com uma nova especialidade assistencial em odontologia ocupacional – 1ª parte.
profissional: definição do campo de atuação e Odontol. Mod., 1983; 10(9): 36-39.
funções do cirurgião-dentista na equipe de saúde
do trabalhador. São Paulo, 2000. Dissertação 33.VIANNA MIP, SANTANA VS. Exposição
(Mestrado em Odontologia) – Faculdade de ocupacional a névoas ácidas e alterações bucais:
Odontologia, Universidade de São Paulo. uma revisão. Cad. Saúde Públ., 2001; 17(6): 1335-
1344.
20.MILLER EW. Dental program in industry. Ind. Med.,
1941; 10(3): 104-106. 34.WALLS RM, BETHLEHEM P. A dental program for
industry. J. Am. Dent. Assoc., 1942; 29(7): 1083-
21.MISHER KW. Practical application of an industrial 1089.
dental program. Ind. Med., 1946; 15(2): 113-114.

22.MOTTA R, TOLEDO VL. Avaliação de resultados


de plano odontológico implantado em indústria Recebido para publicação em 14/10/2005
mecânica. Rev. Bras. Saúde Ocup., 1984; 12(46):
64-71. Aceito para publicação em 27/12/2005

23.PASSOS AS, VILLELA F. Odontologia na saúde


ocupacional. Vida Odontol., 1983; 6(15): 75-80.

24.PETTIBONE EL. Industrial dentistry. J. Am. Dent.


Assoc., 1923; 10: 1030-1031.

25.PINTO VG. Saúde bucal coletiva. 4.ed. São Paulo;


Ed. Santos; 2000.
102
26.PIZZATTO E. Saúde bucal no contexto da saúde
do trabalhador: análise dos modelos de atenção.
Araçatuba, 2002. Dissertação (Mestrado em
Odontologia Preventiva e Social) – Faculdade de
Odontologia, Campus de Araçatuba, Universidade
Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”.

27.SAPPINGTON CO. The functions of industrial


hygiene and their relationship to industrial dentistry.
Ind. Med., 1949; 18(8): 347-349.

28.SCHOU L. Oral health promotion at worksites. Int.


Dent. J., 1989; 39(2): 122-128.

29.SCHOU L. Oral health promotion in the workplace.


In: SCHOU L, BLINKHORN AS. Oral health promotion.
Oxford: Oxford Medical Publication, 1993. p.189-
206.

30.SCHOU L, MONRAD A. A follow up study of dental


patient education in the workplace; participants’
opinions. Patient Education and Counseling, 1989;
14: 45-51.

31.SCHWARTZ E. A proportionate mortality ratio


analysis of pulp and paper mill workers in New
Hampshire. Br. J. Ind. Med., 1988; 45(4): 234-238.

Odontologia. Clín.-Científ., Recife, 5 (2): 99-102, abr/jun., 2006


www.cro-pe.org.br