Você está na página 1de 45

CURSO DE PORTUGUÊS

Por José Penia

1. EMPREGO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES NO MEIO JURÍDICO

A PRINCÍPIO / EM PRINCÍPIO

• A PRINCÍPIO significa no começo, inicialmente.


Exemplo:
A princípio, muitos desconfiavam das reais intenções do candidato, mas, com o
desenrolar da campanha eleitoral, ele conquistou a confiança do eleitor.

• EM PRINCÍPIO significa em tese, sem entrar em pormenores, teoricamente, de


forma geral.
Exemplos:
Em princípio, parece verossímil a alegação do autor.
Relato esses fatos que, em princípio, constituem crime.

HÁ / A
(na indicação de tempo)

• HÁ indica tempo transcorrido e é substituível pelo verbo fazer.


Exemplos:
Requisições digitadas há (faz) mais de trinta dias.
Os fatos ocorreram há (faz) cinco anos ou cinco anos atrás.

• A (preposição) aqui indica distância que falta (tempo ou espaço), que faltava, ou
tempo futuro (nas expressões daqui a..., dali a..)
Exemplos:
A prescrição da pena ocorrerá daqui a quatro anos.
Estava a 100 m do cruzamento. Obs: Não há sinal de crase. Infelizmente o uso da
crase nesse caso é um erro comum nas placas de sinalização das estradas.
Moro a dois quilômetros do trabalho.

por José Penia 1


ACERCA DE / HÁ CERCA DE

• ACERCA DE significa a respeito de.


Exemplo:
O réu nada disse acerca dos crimes de que é acusado.

• HÁ CERCA DE indica tempo já transcorrido.


Exemplo:
Os fatos ocorreram há cerca de dois anos.

AONDE / ONDE

• AONDE (preposição a + advérbio onde = a que lugar) é usado com verbos que
exprimem movimento e que regem a preposição a.
1. ir a
Exemplos:
Você sabe aonde ir com isso?
Aonde você vai?
Não sabe aonde foi o carro.

2. chegar a
O juiz sabe aonde quer chegar com o interrogatório.

3. dirigir-se a:
Não sabia aonde se dirigir para requerer a certidão.

• ONDE (em que lugar) é usado com verbos de permanência, estabilidade.


Exemplos:
Onde ele está?

por José Penia 2


A testemunha não sabe onde a arma foi adquirida, nem onde a vítima foi
encontrada.
Onde fica o Fórum?

AO ENCONTRO DE / DE ENCONTRO A

• AO ENCONTRO DE tem dois significados:


1. aproximar-se de
Exemplo:
Assim que chegou, foi ao encontro dele.

2. ser favorável a
Exemplos:
As sugestões vinham ao encontro da proposta de trabalho e foram
acolhidas.
O pedido foi julgado procedente porque as provas vieram ao encontro dos
fatos que o autor pretendia comprovar.

• DE ENCONTRO A também tem dois significados:


1. colisão, choque
Exemplos:
O veículo foi de encontro ao poste.

2. ser contrário a
Exemplos:
As sugestões vinham de encontro à proposta de trabalho e foram rejeitadas.
O pedido foi julgado improcedente porque as provas vieram de encontro
aos fatos que o autor pretendia comprovar.

por José Penia 3


DE O / DO

Emprega-se DE O (A, OS, AS) quando o sujeito estiver antecedido da preposição


DE.

Exemplos:

O funcionário chegou à sua sala depois DE O aviso ter sido dado. (sujeito: o aviso)

Só concordei na hipótese DE OS alunos aceitarem a minha sugestão. (sujeito: os


alunos)

Apesar DE A festa ter sido muito boa, nem todas as pessoas se divertiram. (sujeito: a
festa)

Está na hora DE AS crianças irem para a cama. (sujeito: as crianças)

Se invertermos a ordem do sujeito na frase, teremos respectivamente:

O funcionário chegou à sua sala antes DE ter sido dado O aviso.

Só concordarei na hipótese DE aceitarem a minha sugestão OS alunos.

Apesar DE ter sido muito boa A festa, nem todas as pessoas se divertiram.

Está na hora DE irem para a cama AS crianças.

Como se pode perceber, a preposição (DE) refere-se ao verbo enquanto o artigo (O,
A, OS, AS), ao substantivo com função de sujeito.

Lembre-se: Não se faz a combinação da preposição DE com O, A, OS, AS quando


o verbo estiver no infinitivo pessoal.

Ex.: Somente apresentarei o trabalho na hipótese DE OS resultados estarem


concluídos até a véspera.

por José Penia 4


Julgo ser esta a melhor oportunidade DE O funcionário manifestar seu interesse
pelo trabalho.

EM VEZ DE / AO INVÉS DE

• EM VEZ DE significa em lugar de e indica opção, escolha.


Exemplo:
Em vez de começar a escrever o texto, preferiu primeiro esboçar as principais
ideias.

• AO INVÉS DE significa ao contrário, avesso.


Exemplos:
Ao invés de triste, ficou alegre.
Ao invés de melhorar com o uso medicamento, piorou.

A FIM DE / AFIM

• A FIM DE indica uma finalidade.


Exemplo:
O juiz requisita o documento a fim de instruir o processo.

• AFIM significa semelhante, que tem afinidade.


Exemplo:
Os litisconsortes têm pretensões afins.

MAL/MAU
• MAL é antônimo de BEM. Pode ser advérbio, substantivo ou conjunção. Como
advérbio e conjunção é invariável.
Ele estava mal de saúde. (advérbio)
O mal sempre vence o bem. (substantivo)
O mal de Parkinson é uma doença neurológica. (substantivo)
Há males que vem para bem. (substantivo)

por José Penia 5


Mal chegou de viagem, teve de trabalhar. (conjunção adverbial temporal)

• MAU é antônimo de BOM. Emprega-se como adjetivo.


O trabalho não estava mau.
Mau humor.
Má memória.

PORQUE/PORQUÊ/PORQUE/ POR QUÊ

• PORQUE tem essa grafia quando é empregado como conjunção explicativa ou


conjunção causal.
Não se deve soltar balões, porque podem causar incêndios.
Não veio porque não foi intimado.

• PORQUÊ é assim escrito quando usado como substantivo. Significa motivo,


razão, causa, e normalmente aparece acompanhado de determinantes (artigo,
pronome, etc.)
Exemplos:
Não entendi o porquê da atitude do réu.
Seus porquês não convenceram o juiz.

• POR QUE. Com essa grafia é empregado:


a) quando equivale a pelo qual, pelos quais, pela qual, pelas quais.
Exemplos:
São incríveis as situações por que passamos. (pelas quais)
Essa é a razão por que o pedido foi julgado improcedente. (pela qual)
b) nas frases interrogativas diretas, quando as inicia, e nas interrogativas indiretas.
Exemplos:
Por que você fez isso? (inicia interrogativa direta)
Não sei por que fez isso. (interrogativa indireta)

por José Penia 6


• POR QUÊ é acentuado graficamente quando aparece no final das interrogativas;
nessa posição, o que passa a ser monossílabo tônico.
Exemplo:
Você fez isso por quê?

SENÃO / SE NÃO
• SENÃO se escreve assim:
a) quando equivale a de outro modo, do contrário.
Exemplo:
O réu deverá responder, senão poderá ser prejudicada a sua defesa.

b) quando equivale a a não ser, exceto.


Exemplos:
O ré não faz outra coisa senão tentar retardar o processo.
Não havia senão advogados na sala.

c) quando equivale a mas sim.


Exemplo:
O juiz lhe dirigiu a palavra não com o intuito de intimidá-lo, senão
adverti-lo.

c) senão (substantivo): pequena imperfeição, falha.


Exemplo:
Não há qualquer senão em seu trabalho.

d) senão quando significa de repente, subitamente.


Exemplo:
Estava trafegando na via preferencial, senão quando um veículo
atravessou a pista.

• SE NÃO tem essa forma quando equivale a caso não, introduzindo orações
subordinadas condicionais.

por José Penia 7


Exemplo:
Se não apresentar contestação, será considerado revel.

VISTA / COM VISTA A / HAJA VISTA

• VISTA. Na acepção jurídica, é o “ato pelo qual o interessado recebe os autos do


processo para tomar conhecimento de tudo que nele se contém”1. Observação:
Usar sempre no singular.
Exemplos:
O advogado obteve vista dos autos.
Livro de vista de autos.

• COM VISTA A (com a finalidade de, a fim de)


O prof. KASPARY2 defende o uso da palavra vista, nessa expressão, sempre no
singular, “embora a forma com vistas a não seja errônea”, tanto que o Dicionário
Houaiss admite a forma plural.

• HAJA VISTA ≠ porque, uma vez que.


Não serve para introduzir uma causa.
Haja vista significa haja atenção para, prova disso.
Inicia uma oração que comprova afirmação anterior.
Quanto à concordância, vista fica invariável, esteja a palavra seguinte no masculino
ou no plural, embora o Dicionário Houaiss admita a flexão.
Exemplos:
A procura pela justiça é crescente, haja vista (prova disso é) o número de processo
nas estatísticas.
Vê-se um aumento no número das demandas, haja vista (prova disso são) as
extensas pautas de audiência nos juizados.

1
Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, 1ª Edição, 2009.
2
KASPARY,Adalberto J. Habeas Verba – Português para Juristas.Livraria do advogado editora, Porto
Alegre 2002, p. 242.

por José Penia 8


TAMPOUCO / TÃO POUCO
• TAMPOUCO é usado para reforçar uma negação; significa também não, muito
menos. Não se deve usar nem tampouco.
“Não há julgamento ultra petita, tampouco ofensa ao art. 460 do CPC, quando o
Juiz fixa como crédito a ser satisfeito, em sede de execução, a importância apurada
por sua Contadoria Judicial.”3
• TÃO POUCO
Escreveu tão pouco, que parecia estar com muita pressa.

POSTO QUE ≠ UMA VEZ QUE


• POSTO QUE é uma locução gramaticalmente classificada entre as conjunções
concessivas: embora, conquanto, ainda que.
Exemplo: Posto que (embora) se trabalhe cada vez mais, a quantidade de processo
continua aumentando.
Estranho não? Mas é o uso gramaticalmente correto. Porém essa locução passou a
ser impropriamente usada, não só no meio jurídico, com valor causal, no lugar de
porque, uma vez que. Talvez por esse desvirtuamento que o Manual de Redação da
Folha de S. Paulo recomenda aos seus jornalistas evitar o uso do posto que.4

EIS QUE, (DE) VEZ QUE


No sentido causal, essas formas são inadequadas. Melhor usar VISTO QUE, UMA VEZ
QUE, PORQUE, PORQUANTO.
Os exemplos abaixo, na versão original, apareciam com a forma inadequada.

3
Apelação cível, processo: 2007.70.00.025645-3, data da decisão: 02/12/2009, Primeira Turma, D.E.
15/12/2009, relator Des. Federal Joel Ilan Paciornik.
4
Manual de Redação da Folha de S. Paulo. Publifolha, 2001, p. 94.

por José Penia 9


Ausente a efetiva comprovação de dependência econômica dos pais em relação ao filho
falecido, uma vez que os documentos juntados somente indicam a prestação de auxílio
econômico...

O imóvel sobre o qual recaiu a hipoteca não poderia ter sido dado em garantia pela
empresa Tal, visto que já tinha sido vendido...

Não cabe ser (a TR) subsituída pelo Plano de Equivalência Salarial, porquanto
inaplicável ao caso, assim como não é benéfico ao mutuário sua substituição pelo INPC,
cujo índice acumulado é superior.

Observação: É correto o uso do EIS QUE na indicação de surpresa, superveniência,


imprevisto: Naquele momento, eis que a luz acendeu.

DESPERCEBIDO ≠ DESAPERCEBIDO

• DESPERCEBIDO significa sem perceber, não notado.


O detalhe não passou despercebido.

• DESAPERCEBER não é sinônimo de desperceber. Conforme dicionário


HOUAISS, desaperceber tem as seguintes acepções: v. (sXV) 1 t.d.bit. e pron.
deixar de prover(-se) [de] (apercebimentos, munições, provisões);
desguarnecer(-se) <desaperceber um forte> <desaperceber um barco de
provisões> <desaperceberam-se do necessário para a expedição> 2 pron. não
ter cautela, não tomar precauções; desprevenir-se <desapercebeu-se e foi
trapaceado>5

A PAR DE ≠ AO PAR DE
• A PAR: ciente, ao lado, junto.
Estou a par do assunto.
• AO PAR: variação cambial paralela.

5
Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa, 2009.

por José Penia 10


Houve fortalecimento da moeda, deixando o câmbio ao par.

À MEDIDA QUE ≠ NA MEDIDA EM QUE


• À MEDIDA QUE (à proporção que) é locução conjuntiva proporcional.
Exemplos:
A indenização deve ser aumentada, à medida que for reajustado o salário mínimo.
Só à medida que forem sendo pagas as prestações a cargo do devedor, se dará, e
nessa proporção, a liberação dos seus bens...( RE 18952, STF)6

• NA MEDIDA EM QUE é expressão de uso mais recente, não consta nos


livros de gramática tradicionais. Enquadra-se nas locuções conjuntivas
causais, tendo o sentido aproximado de uma vez que, pelo fato (razão,
motivo) de que, já que.
Exemplos:
1. Pedido de indenização por danos morais indeferido, pois o autor não
comprovou ter sofrido prejuízos de natureza extrapatrimonial, na medida em
que permaneceu exercendo regularmente ou cargo público...7
2. ...pleiteia-se direito alheio em nome próprio (art. 6º do CPC), na medida em
que os autores - em número de seis - defendem, genericamente, os "demais sem-
tetos que se encontram habitando o imóvel posto em litígio". (AC-AgR 1422,
STF)8

INCIPIENTE ≠ INSIPIENTE

• Incipiente: principiante, iniciante.


• Insipiente: ignorante, sem juízo, imprudente.

ESTADA ≠ ESTADIA
6
http://columbo2.cjf.jus.br/juris/unificada/Resposta.
7 APELAÇÃO CIVEL, Processo: 2007.71.18.001623-3, Orgão Julgador: QUARTA TURMA, Fonte: D.E. 18/12/2009, Relator Juiz Federal SÉRGIO RENATO TEJADA GARCIA
.
8
http://columbo2.cjf.jus.br/juris/unificada/Resposta.

por José Penia 11


• ESTADA: permanência, demora de uma pessoa em algum lugar.
Minha estada na cidade foi breve.
• ESTADIA: permanência de um navio no porto para carga e descarga.

JUNTO A ≠ NA, A, DE, COM...


• JUNTO A significa ao lado de, perto de, próximo a:
Estava veraneando numa casa junto ao mar.
A arma se encontrava junto ao corpo da vítima.

Há uma disseminação do uso inadequado dessa locução prepositiva, em vez de se


usar:
• NA, A, DE, COM
Protocolizou a petição na secretaria e não junto à secretaria.
Solicitou os extratos na Caixa, não junto à Caixa.
Propôs a ação no juízo competente e não junto ao juízo competente.
Interpôs recurso no Tribunal e não junto ao Tribunal.
Pediu um empréstimo ao Banco e não junto ao Banco.
Estipulou os honorários com o seu advogado e não junto ao seu advogado.
O São Paulo contratou um jogador do Coritiba e não junto ao Coritiba.

ATRAVÉS DE ≠ POR MEIO DE, POR INTERMÉDIO DE, POR MEIO DE


• Através de. Deve-se evitar o uso dessa locução no sentido de por meio de.
O Dicionário Houaiss traz as seguintes acepções para a locução através de:
Através de 1 por dentro de; pelo interior de <o raio passa através da matéria> 2
por, pelo <o ladrão entrou na casa através da janela> <através da vidraça via a
chuva cair> 3 no decorrer de (medida de tempo) <esses costumes prolongam-se
através dos séculos> 4 de um lado para o outro (de qualquer espaço delimitado)
<caminharam através de florestas e pântanos>
O recebimento da petição por correio eletrônico foi regulamentado por meio de lei.
O alíquota do imposto sobre importação pode ser majorada mediante ato do Poder
Executivo.

por José Penia 12


DENTRE / ENTRE

• DENTRE das prep. de e entre; do meio de <dentre os corredores, um


disparou na frente>

DENTRE é a combinação das preposições de + entre. Por consequência, deve-se usar


dentre com verbos que exijam ao mesmo tempo as duas preposições, como sair, tirar,
surgir, extrair e similares. DENTRE contém a ideia de exclusão. Podemos nos
certificar de que está correto o uso de DENTRE quando o substituímos por DO MEIO
DE:

Ressurgiu dentre os mortos nos escombros do terremoto. [Ressurgiu de entre = do


meio dos mortos.]

Tirou, dos fatos, as suas conclusões; dentre estas, tirou uma que doeu.
Pinçou, dentre os destroços, um pedaço de fotografia antiga.

No mais, use ENTRE, principalmente com verbos transitivos diretos. Embora tenha
outros significados, a preposição ENTRE pode ser pensada aqui como equivalente a
EM MEIO A, (denota inclusão):

A Lei nº 8.212/91 não incluiu entre os segurados obrigatórios da Previdência Social


os conselheiros tutelares.

Entre as causas que justificam a medida cautelar fiscal está o fato de possuir o
contribuinte débitos, inscritos ou não em Dívida Ativa, que somados ultrapassem
trinta por cento do seu patrimônio conhecido (art. 2º, VI, da Lei 8.397/93).

O Simples, na forma do artigo 9º, f, da Lei nº 9.317/96, veda a opção às empresas que
possuem entre as suas atividades a locação de mão-de-obra.

Citou, entre outros doutrinadores, Hugo de Brito Machado e Araken de Assis.

por José Penia 13


Entre tantas gravatas, comprou a mais clássica.

Não distinguiu, entre as oportunidades, a que mais lhe favorecia.

2. CONCORDÂNCIA VERBAL

INTIMEM-SE OS RÉUS.
O verbo está na voz passiva sintética. O pronome se é partícula apassivadora.
OS RÉUS – sujeito da oração.
(Que) os réus sejam intimados. O verbo está na voz passiva analítica.
Esse tipo de construção só é possível com os verbos transitivos diretos.

Relembrando a construção da voz ativa e da voz passiva do verbo:


1. Voz ativa do verbo.
O oficial intimou os réus.
O oficial: sujeito da oração.
intimou: verbo transitivo direto na voz ativa.
os réus: objeto direto (complemento verbal ligado ao verbo sem preposição)

2. Voz passiva do verbo.


Os réus foram intimados pelo oficial.
Os réus: sujeito da oração na voz passiva
foram intimados: locução verbal na voz passiva.
pelo oficial: agente da passiva (que na voz ativa era o sujeito).

Vemos que o sujeito da voz passiva era o objeto direto da voz ativa.
Por isso a afirmação de que a construção da voz passiva só é possível com os verbos
transitivos diretos.
“Procedeu-se às intimações” não é, como veremos abaixo, verbo transitivo direto, mas
indireto. Por essa razão o verbo não vai para o plural, pois a+as intimações é objeto
indireto.

por José Penia 14


INTIMEM-SE-OS. – Está correto?

Não. A gramática da língua portuguesa não admite as combinações se o, se a, se os, se


as.9 Mesmo que ela admitisse, não se poderia substituir o réu (sujeito na voz passiva
sintética) por o (pronome oblíquo), pois pronome oblíquo serve para substituir o objeto
direto da oração, não o sujeito.
Solução:
Usar somente Intimem-se. (Se a intenção é não repetir os réus é porque eles já estão
subentendidos na oração.)

TRATA-SE DE AÇÕES...

Já em orações de verbos intransitivos ou transitivos indiretos (que não podem ser


passados para a voz passiva), a gramática considera o SE como índice de
indeterminação do sujeito. Isso significa que o verbo acompanhado do pronome SE
mantém-se na 3ª pessoa do SINGULAR mesmo que o substantivo a que ele se
refere esteja no plural, porque esse substantivo não é o sujeito da oração – no caso, o
sujeito é indeterminado. Em termos práticos: a presença da preposição que caracteriza
o verbo transitivo indireto indica que ele não deve ser pluralizado, ensina Maria
Tereza de Queiroz Piacentini, diretora do Instituto Euclides da Cunha10. Exemplos:

Trata-se de sentenças já analisadas.


Precisa-se de operários qualificados.
No voleibol usa-se de vários artifícios para segurar a partida.
Acabou-se finalmente com os mosquitos.

9
ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática Metódica da Língua Portuguesa. Ed. Saraiva, §406.
10
Maria Tereza de Queiroz Piacentini, diretora do Instituto Euclides da Cunha, disponível em
http://www.linguabrasil.com.br/nao-tropece-detail.php?id=56&busca=intimem-se, acessado em 01-02-
2010.

por José Penia 15


No Brasil, infelizmente, não se obedece às normas de trânsito como se devia.
Procedeu-se, de imediato, às apurações dos votos.

INTIMEM-SE OS AUTORES PARA EMENDAR ou EMENDAREM a petição


inicial?
Flexão não obrigatória. A flexão é desnecessária quando o sujeito do infinitivo [ou
oração reduzida de infinitivo] é o mesmo que o sujeito ou o objeto da oração
anterior. Tendo sido expresso de alguma forma na primeira oração, o sujeito já está
claro, não precisando figurar outra vez no mesmo enunciado.
Se o verbo no infinitivo estiver mais afastado do sujeito, então é recomendável
flexioná-lo, a fim de evitar ambiguidade.

VERBO HAVER (com significado de existir é impessoal, isto é, fica na terceira


pessoa do singular)

Havia pessoas na sala. (Verbo impessoal, §487, Napoleão Mendes de Almeida)11


Eram muitas pessoas, mas não me lembro de quantas havia na sala.

• Verbo que na oração venha acompanhado de verbo impessoal também deve


impessoalizar-se.
Deve haver pessoas na sala.

VERBO EXISTIR
O verbo existir é pessoal e conjuga-se normalmente, concordando com o sujeito.
Exemplos:
Existem processos não movimentados há mais de sessenta dias.
Sujeito

VERBOS COMPETIR, CABER e CUMPRIR


11
ALMEIDA, Napoleão Mendes de, ob. cit.

por José Penia 16


Compete ou competem aos juízes a homologação da prisão em flagrante?
-aos juízes é objeto indireto e não o sujeito.
Veja a ordem direta da oração, com a concordância correta:
A homologação da prisão em flagrante compete aos juízes.
sujeito
O mesmo cuidado se deve ter com os verbos caber e cumprir:
Cabem aos juízes essas decisões.
sujeito
Cabe aos juízes proferir a sentença.
sujeito
Cumprem aos chefes do executivo as obras de manutenção.
sujeito

A QUESTÃO DAS PORCENTAGENS


A tabela abaixo, adotada pela Folha12, resume a concordância mais aceita pela
gramática.
60% estão desempregados
60% do eleitorado está desempregado
60% da população está desempregada
60% dos homens estão desempregados
60% das mulheres estão desempregadas
1% está desempregado
1% do eleitorado está desempregado
1% da população está desempregada
1% dos homens estão desempregados
1% das mulheres estão desempregadas

Atenção:
1. Se o verbo vier antes do percentual, deve concordar com este.
Foi eleito 1% dos candidatos.
2. Quando um adjunto plural vier antes do percentual, é melhor o verbo ficar no
plural .
Esses 30% do eleitorado não sabem em quem votar.

3. COLOCAÇÃO DOS PRONOMES OBLÍQUOS ÁTONOS


me, te, se, o, lhe, nos, vos, os, lhes.

12
Manual de Redação da Folha de S. Paulo, ob. Cit.

por José Penia 17


O fundamento da regra é a eufonia, isto é, a agradabilidade da pronúncia da frase.
Um cidadão português, com seu sotaque característico, jamais iria perguntar “Se
machucou? a um amigo que acabou de escorregar e cair. O pronome “se” não soaria na
pronúncia fraca e breve, própria de Portugal. Por isso se estabeleceu uma regra de que
o pronome oblíquo não deve iniciar a frase, inclusive no Brasil, ao menos na linguagem
formal.
Há, contudo, outra regra do uso do pronome antes do verbo nas frases interrogativas,
desde que ele não a inicie: Você se machucou? mas isso veremos no item 2, quando
tratarmos da próclise.

1. Ênclise
A posição normal do pronome é depois do verbo (ênclise), pois a sequência
natural da oração é verbo - complemento(objeto). Quando não houver nada que
eufonicamente atraia o pronome oblíquo, deve-se dar preferência à colocação após o
verbo (posposição).
Exemplo:
O servidor intimou-o pessoalmente.
Condeno-o a pagar .....
Convidaram-na para a festa. [na é a adaptação eufônica do pronome a]
Magoá-lo não era minha intenção. [lo é a adaptação eufônica do pronome o]

2. Próclise
O deslocamento do pronome para antes do verbo é justificado pela presença de
algumas palavras ou frases, como:
• os advérbios, desde que não haja vírgula entre o advérbio e o verbo.
Exemplos:
Não a condenou.
Nunca lhe disseram...
Agora o convido....
Aqui se trabalha muito.
Mas:
Aqui, trabalha-se muito.

por José Penia 18


Justificativa: o pronome não deve vir após a vírgula.

• os pronomes demonstrativos.
Exemplos:
Aquilo me fez refletir.
Isso o deixa feliz.

• os pronomes indefinidos.
Exemplos:
Todos a esperam na sala.
Algo lhe dizia que esse era o caminho certo.
Nada os fazia desistir.

• os pronomes relativos.
Foi aquele homem quem atirou.
Esse é o lugar onde me sinto bem.

• conjunções subordinativas
Quando o intimar, deve ...
Será advertido, se o encontrar.

• a preposição seguida de gerúndio e de infinitivo pessoal.


Exemplos:
Em se tratando de pedido de antecipação de tutela, haverá preferência.
Por se encontrar preso o réu, a comunicação foi logo dirigida ao juiz.

• As frases exclamativas, interrogativas e optativas (frases que exprimem


desejos).
Exemplos:
Como se maltratam com essas agressões!
Quanto me custará isso?
Deus nos proteja.

por José Penia 19


2.1. Próclise opcional
Há dois casos:
• Quando o verbo não inicia a oração.
Exemplos:
O motorista se envolveu num acidente.
O motorista envolveu-se num acidente.

• Com o verbo no infinitivo não flexionado precedido de palavra negativa


ou preposição.
Exemplos:
Espero não o magoar com minha opinião.
Espero não magoá-lo com minha opinião.

Expeçam-se mandados para os intimar...


Expeçam-se mandados para intimá-los...

3. Mesóclise
É o nome dado quando o pronome fica intercalado ao verbo.
O que justifica a mesóclise é o fato de o verbo estar no futuro do presente ou no
futuro do pretérito do modo indicativo, e não ser possível a próclise, ou seja, não
haver palavra que atraia o pronome para antes do verbo.
Exemplos:

Assim que o governo se pronunciar em defesa da aprovação dos pedidos de urgência,


posicionar-se-á também favoravelmente aos dois projetos.
Observe que não é recomendável a próclise na segunda oração (..., se posicionará...),
porque o pronome “se” estaria iniciando a oração.
Mas se houver uma palavra antes do verbo posicionar a próclise será possível:
Assim que o governo se pronunciar em defesa da aprovação dos pedidos de urgência,
ele se posicionará também favoravelmente aos dois projetos.

por José Penia 20


4. Colocação pronominal nas locuções verbais
Estrutura geral de uma locução verbal:
Verbo verbo principal
auxiliar + (infinitivo/
gerúndio/
particípio)

Admitem-se as seguintes possibilidades na colocação do pronome oblíquo:

• Antes da locução verbal (desde que ela não inicie a oração)


Exemplos:
se vai estabilizar.
A quantidade de trabalho se está estabilizando.
se havia estabilizado.

• Entre os dois verbos da locução


Exemplos:
vai-se estabilizar.
A quantidade de trabalho está-se estabilizando.
havia-se estabilizado.
Há uma orientação tradicional para manter o pronome preso com hífen em
vez de solto entre os verbos da locução.

• Depois do verbo principal (desde que não seja um particípio)


Exemplos:
A quantidade de trabalho vai estabilizar-se.
está estabilizando-se.

4. REGÊNCIA VERBAL

por José Penia 21


Regência verbal é a relação de dependência entre o verbo e seu complemento.

a) O verbo é transitivo direto, como já vimos, quando exige complemento sem


preposição (objeto direto), que pode ser substituído pelos pronomes oblíquos: o, a, os,
as, e suas demais variações:
Ele redigiu o relatório. [Ele o redigiu]
Redigiram os relatórios. [Redigiram-nos (nos=os, com adaptação eufônica para soar
melhor).]

b) O verbo é transitivo indireto quando pede complemento ligado por uma preposição
(objeto indireto), que geralmente pode ser substituído pelo pronome oblíquo lhe ou a
elas.
Obedeceu às normas (a - preposição+as - artigo) normas. Obedeceu-lhes.

Vejamos a regência de alguns verbos de uso frequente na redação técnica.

AGRADAR
a) No sentido de ser agradável a, ser visto com satisfação, requer objeto indireto:
A sentença não agradou ao réu. [Não lhe agradou].
A proposta de acordo não agradou ao autor. [Não lhe agradou]

b) No sentido de mimar, contentar:


Agradou o filho. [Agradou-o].

ASPIRAR
a) No sentido de pretender, desejar, pede objeto indireto, que não se substitui pela forma
lhe, a qual deve ser substituída por a ele, a ela.
Aspirava a um cargo. [Aspirava a ele]

b) No sentido de inalar, sorver, tragar, requer objeto direto:


Aspirei o pó. [Aspirei-o]

ASSISTIR

por José Penia 22


a) =estar presente, presenciar – pede objeto indireto, não substituível por lhe, mas por a
ele, a ela:
O estudante assistia à audiência. (à = a – preposição + a - artigo) Assistia a ela.
O torcedor assistia ao jogo. Assistia a ele.

b) =prestar assistência, ajuda – pede objeto direto.


O médico assiste o doente. Assistia-o.
O servidor assistia a (a – artigo) audiência, pois sua função era de assistente-datilógrafo.
Ele assistia-a.

ATENDER
Para a gramática tradicional não havia distinção. 13 Poder-se-ia usar o complemento
verbal com ou sem preposição.
Modernamente, no entanto, o uso diversificou:
Kaspary14 assim classifica as acepções desse verbo:
a) Geralmente pede objeto indireto de coisas ou fatos:
Atenderei ao telefone.
Atenderemos ao seu pedido com satisfação.
b) Com pessoas, admite objeto direto ou indireto:
Atendo-o/-lhe já.
Devo atender a outros consulentes.

c) No sentido de deferir, pede objeto direto:


Não atenderam o nosso pedido, por falta de amparo legal.
O Diretor atendeu a solicitação do sindicato.

DECLINAR: declinar de alguma coisa (no sentido de rejeitar):


Declinou das homenagens que lhe eram devidas.

13
Napoleão Mendes de Almeida, ob. cit. § 777.
14
Adalberto J. Kaspary. Português para Profissionais atuais e futuros, Ed. Edita, 22ªed. Porto Alegre,
2003.

por José Penia 23


RESIDIR, RESIDENTE , MORAR, SITUAR-SE, SITO, ESTABELECIDO. A regência
desses verbos e adjetivos pedem a preposição em. O autor reside na Rua Pedro Antônio,
532, e não à Rua...

INFORMAR. Informar ao juízo deprecante o não cumprimento da Carta Precatória.


Objeto Indireto (O I) Objeto Direto (O D).
Informar-lhe o não cumprimento da Carta Precatória.

Informar o juízo deprecante sobre o/do não cumprimento da C. P.


O.D. O. I.
Informá-lo sobre o/do não cumprimento da C. P

Resumindo:
Informou-o de que ...
ou
Informou-lhe que...
Errado: Informou-o que... (com dois objetos diretos).
ou Informou-lhe de que... (com dois objetos indiretos).

Observação: - Têm a mesma regência de informar os seguintes verbos:


a) certificar
b) impedir
c) avisar
d) lembrar
e) proibir
f) incumbir
g) notificar

ANUNCIAR
Anuncia-se alguma coisa a alguém:
Anunciaremos aos candidatos o resultado do concurso.
Anunciei-lhe o ocorrido.

por José Penia 24


Observação – Têm a mesma regência de anunciar os verbos:
a) Comunicar
Comunicamos a Vossa Senhoria que a reunião de amanhã foi cancelada.
Comunicamos-lhe que amanhã entrarão em vigor os novos preços.

b) Participar
Participou sua decisão aos amigos mais íntimos.
Participou-lhe que não assinarei esse documento.

CIENTIFICAR
Cientifica-se alguém de alguma coisa:
Cientificaram a direção do ocorrido.
Cientificaram os candidatos das normas do concurso.
Cientifique os interessados das deliberações tomadas.
Cabe-me cientificá-lo de que sua matrícula foi cancelada.

CONSTAR
a) Nas acepções de ser composto, ser parte constituinte de, ser formado de, deduzir-se de,
constrói-se com a preposição de:
Esta obra consta de dois volumes.
O processo consta de duzentas e cinquenta folhas.
A culpa do corréu consta (=deduz-se) dos autos.

b) No sentido de estar registrado ou escrito, constrói-se com a preposição em:


Na sentença deve constar os fundamentos da convicção do juiz.
Consta na ata que oito votos foram anulados.
Ative-me às informações que constavam no relatório.

IMPLICAR.
a) Uso mais comum nos textos jurídicos:
No sentido de ter como resultado, acarrear, dar a entender, fazer supor, tornar
indispensável não se usa a preposição em:

por José Penia 25


A falta de concorrência implica sujeição do consumidor ao preço imposto.
A organização do ambiente de trabalho implica maior motivação para o desempenho das
tarefas.
Omitir-se implica aceitar tudo como está.

b) No sentido de antipatizar, não concordar, constrói-se com a preposição com:


Costuma implicar com os colegas de serviço.

c) No sentido de envolver, constrói-se com o objeto direto e a preposição em (na,no...):


Implicou o rapaz naquele processo.
Implicou-o na falsificação de documentos.

INDENIZAR é transitivo direto, bitransitivo e pronominal.


A União teve de indenizá - lo ( da perda do veículo).
OD + O I = Bitransitivo

Os agricultores estão procurando indenizar-se dos prejuízos causados pela seca.


v. pronominal

RESPONDER
Pede objeto direto daquilo que se responde (=CONTEÚDO DA RESPOSTA)
e objeto indireto daquilo a que ou daquele a quem se responde.

Respondeu que não viria


Respondi que isso não era de minha responsabilidade.
Não lhe respondi nunca (a ele).
Respondi-lhe que cumpriria a resolução.

Quando se comunica alguma coisa em resposta, deve ser usada a preposição ”a”.
Portanto: Responder a uma carta. O rapaz está respondendo a processo. Respondi ao
questionário. Favor responder às questões. Ela não soube responder à pergunta
formulada pelo juiz.

por José Penia 26


QUERER
a) No sentido de estimar, pede objeto indireto (querer a alguém):
Queremos muito ao nosso chefe.
Queria-lhe como a um irmão.

b) No sentido de desejar, pede objeto direto (querer algo ou alguém):


Quero uma maçã.
Quero-a para minha secretária particular.

SOLICITAR
Solicita-se alguma coisa a ou de alguém:
Solicito-lhe a fineza de atender-me ainda hoje.
Solicitei aos colegas que me ajudassem.
Solicitamos de você que nos apóie.

OBEDECER E DESOBEDECER
Constroem-se com o objeto indireto (obedecer e desobedecer a)
Os corpos obedecem à lei da gravidade.
Obedeça aos sinais de trânsito.
É a primeira vez que lhe obedeço.
Nossas atividades obedecem a um programa previamente estabelecido.

PREFERIR
Preferir uma coisa (preferi-la) a outra (evite: “preferir uma coisa do que outra”):

Prefiro a democracia ao totalitarismo.

Essa regência vale para a forma nominal preferível:


Isto é preferível àquilo (e não preferível do que...).

por José Penia 27


PROCEDER
No sentido de efetuar, realizar, pede objeto indireto (proceder a):
Mandou proceder ao recolhimento dos títulos.
Amanhã procederemos à apuração final do concurso.
Creio que se deverá proceder a um rigoroso inquérito.
OBSERVAÇÃO: é melhor omitir o verbo proceder, quando possível, a fim de
simplificar a frase:
Em vez de: Proceda-se ao recolhimento das custas; Recolham-se as custas.

TER DE ≠ TER QUE


Ter de implica ideia de obrigatoriedade, de necessidade:
O autor tem de emendar a petição inicial.
Tenho de chegar no trabalho antes do meio-dia.

Tenho de entregar o relatório.


[A gramática tradicional não admite que em lugar do de porque o que não é preposição.
15
]

Ter que indica alguma coisa a ser feita:


Ela tinha um caso que estudar.
Não tinha nada o que fazer.

5. CRASE
É a fusão de duas vogais iguais: A+A marcada por um acento grave ( ` ).
(a - preposição + a artigo)
(a - preposição + pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo)
Proceda-se à abertura de novo volume destes autos.
Prefiro isto àquilo.
Trata-se de uma defesa semelhante à que ele fez.
Aquela é a seção à qual me dirijo.
ÀS ou NAS fls. 20-21 dos autos...
15
Napoleão Mendes de Almeida, ob. cit. §432, Nota.

por José Penia 28


À ou NA fl. 20 dos autos...

Foi à Bahia. Retornou da Bahia. Se retornar da, crase lá.


Veio a Curitiba. Retornou de Curitiba. Se retornar de, crase pra quê?

Ensino à distância ou Ensino a distância?


Para a locução adverbial à distância de não há dúvida. Estava à distância de cinco
metros do local do acidente. Com base nisso, alguns defendem que não vai o sinal de
crase em ensino a distância.
De outro lado, outros alertam que a ausência do acento causa ambiguidade, como em
viu a distância (viu algo a distância ou viu a distância entre dois pontos); permanece a
distância (a distância permanece ou alguém pede a outrem (tu) para manter-se a
distancia. Com esse fundamento, defende-se o uso do acento grave para indicar crase
em ensino à distância.

Expressões de circunstância

Nas locuções adverbiais com palavras masculinas, como: a pé, a caminho, a cavalo, a
frio, a gás, a gosto, a lápis, a meio mastro, a nado, a óleo, a pé, a postos, a prazo, a
sangue-frio, a sério, a tiracolo, a vapor etc. não se acentua o a, que é uma simples
preposição.

Nas locuções femininas, contudo, embora esse a possa ser só preposição – e se sabe que
a crase é a fusão da preposição a com o artigo a –, é de tradição no Brasil crasear o a
por motivo de clareza. Compare nos exemplos abaixo o significado da frase sem a crase
e com ela:

• Foi caçada a bala (a bala foi caçada). – Foi caçada à bala.

• Bateu a máquina (deu um choque ou pancada...). – Bateu à máquina.

• Cortou a faca (cortou-a / cortou a própria faca). – Cortou à faca.

• Vendeu a vista (vendeu os olhos). – Vendeu à vista.

• Coloquei a venda (faixa nos olhos). – Sim, coloquei à venda.

por José Penia 29


• Tranquei a chave (a chave foi trancada). – Tranquei à chave.

• Pagou a prestação (pagou-a). – Pagou à prestação (em prestações).

Outras frases com diferenças bastante óbvias:

• Lavar a mão. Lavar à mão.

• Lavar a máquina. Lavar à máquina.

• Fazer a mão. Fazer à mão.


• Veio a tarde. Veio à tarde.
• Combateremos a sombra. Combateremos à sombra.
• Aguardavam a cabeceira do doente. Aguardavam à cabeceira do doente.

É por essa questão de clareza que se recomenda e geralmente se acentua o a nas


locuções adverbiais de circunstância, mesmo não sendo ele rigorosamente a fusão de a
+ a. Vejamos outros exemplos: à disposição, à deriva, às avessas, à beira-mar, às
centenas, às escondidas, à frente, à mão armada, às mil maravilhas, à noite, às
ordens, à paisana, à parte, à perfeição, à primeira vista, à revelia, à risca, à solta, à
toa, à vela, às vezes, à vontade.

Reforçando, é vedado o acento grave quando o a é simples preposição:


1) Antes de palavra masculinas: Passear a cavalo. Daqui a pouco.
2) Antes de verbo: Começar a limpar: Pôs-se a escrever.
3) Com locuções constituídas de palavras idênticas: Ficamos cara a cara com a fera.
4) Antes de pronome de tratamento: Encaminharemos o ofício a Vossa Senhoria. A
viagem fará bem a você. Dirijo-me a Vossa Excelência
5) Antes de qualquer pronome masculino: Entreguei os autos a ele.
6) Antes de locuções constituídas de verbos ou palavras masculinas: Estarei em casa
a partir das 8 horas; não se falou a respeito da promoção; escreveu a lápis; comprou a
prazo.
7) Antes dos pronomes femininos: ela, elas, esta, essa, toda, cada, alguma: Vou
entregar a ela o processo.

por José Penia 30


8) Antes dos pronomes mim, ti, nós, vós e si: Dirigia a palavra a mim e a ti,
simultaneamente.
9) Antes de numerais: Daqui a 5 Km. Dali a 10 dias.
10) Com substantivos no plural, usados no sentido genérico: Não dê atenção a agressões
verbais no trânsito. Falei a várias alunas.
11)Antes dia do mês (período de tempo):
A inspeção será realizada no período de 24 a 28 de maio.

6. CONCODÂNCIA NOMINAL
6.1. Concordância do adjetivo que modifica dois ou mais substantivos
a) Quando o adjetivo está anteposto aos substantivos, concorda quase sempre com o
mais próximo:
dedicado professor e professora
dedicada professora e professor
dedicados professores e professoras
dedicadas professoras e professores

Observação:
Quando o adjetivo estiver anteposto a dois ou mais nomes próprios de pessoas, nomes
de parentesco ou a títulos, deverá ir para o plural, concordando com todos os
substantivos:
corajosos Pedro e João
carinhosos pai, avô e tio
afortunados embaixador de Portugal e primeiro-ministro da Inglaterra
atrevidos Roberto, Joana e Leandro

b) Quando o adjetivo estiver posposto a dois ou mais substantivos, concordará em


gênero e número com o mais próximo, se apenas a ele se refere; caso sua referência se
estenda a todos, irá para o plural, conservando o gênero dos substantivos se estes
forem do mesmo gênero, ou receberá a flexão do masculino, se forem de gêneros
diferentes:

por José Penia 31


Comprei um computador, um aparelho de som e um carro importado. (apenas o
carro é importado)
Comprei um computador, um aparelho de som e um carro importados. (o
computador, o aparelho de som e o carro são importados)
Comprei um computador, uma geladeira e um carro importados. (o computador,
a geladeira e o carro são importados e substantivos de gêneros diferentes).
Observação:
Quando o adjetivo se pospõe a dois ou mais substantivos que sejam sinônimos entre
si, ou se alinhem em gradação, concorda em gênero e número com o mais próximo:
As consequências foram aterradoras para o povo e gente alemã.
O furor e a agressividade felina atemorizam as crianças.
A criança, o adulto e o idoso brasileiro sofrem as consequências da má alimentação.

6.2. Concordância dos adjetivos compostos


a) Quando os elementos formadores dos adjetivos compostos forem todos
adjetivos, somente o último varia:

problema sócio-econômico - problemas sócio-econômicos


relação luso-brasileira - relações luso-brasileiras
escola médico-cirúrgica - escolas médico-cirúrgicas

cabelo castanho-claro - cabelos castanho-claros

menino surdo-mudo - meninos surdo-mudos

menina surdo-muda - meninas surdo-mudas

Observação:
Nos substantivos compostos surdo-mudo, surda-muda, ambos os elementos variam,
surdos-mudos, surdas-mudas. Ex: Os surdos-mudos usam a linguagem de libras.

O adjetivo composto azul-marinho é sempre invariável: saia azul-marinho, saias


azul-marinho.

b) Quando o último dos elementos formadores dos adjetivos compostos for um


substantivo, nenhum elemento varia:

por José Penia 32


tecido verde-garrafa - tecidos verde-garrafa
blusa amarelo-canário - blusas amarelo-canário
gravata verde-mar - gravatas verde-mar

c) As expressões formadas de cor + de + substantivo, quer sejam um adjetivo


composto com elementos ligados por hífen, quer sejam expressões autônomas, ficam
invariáveis
laço cor-de-rosa (adjetivo composto) - laços cor-de-rosa
cabelo cor de mel (expressão) - cabelos cor de mel

d) Quando o primeiro elemento formador do adjetivo composto for uma palavra


invariável: advérbio (mal, bem, não), preposição (sem) ou prefixos (inter, extra,
recém etc.), varia somente o último elemento:
prova mal-aplicada - provas mal-aplicadas
médico recém-formado - médicos recém-formados

6.3. Silepse de gênero


a) A concordância que se faz do adjetivo com a pessoa a que nos referimos e não
com o gênero da palavra escrita chama-se silepse de gênero. Os casos mais comuns
aparecem coma expressão “a gente” e os pronomes de tratamento:
A gente está confusa com tantas recomendações. (pessoa do sexo feminino)
A gente está confuso com tantas recomendações. (pessoa do sexo masculino ou grupo
em que haja pelo menos um do sexo masculino)
Vossa Excelência chegará atrasada ao jantar.
Vossa Excelência chegará atrasado ao jantar.

6.4. Silepse de número


a) O adjetivo que se refere ao pronome vós (em referência a uma só pessoa) fica no
singular:
Vós, caro mestre, sois o mais dedicado da escola.
Vós, cara mestra, sois a mais dedicada da escola.

por José Penia 33


b) O adjetivo que se refere ao pronome nós (empregado equivalente ao pronome
eu) fica no singular ou vai para o plural:
Ficamos preocupada com o ocorrido.
Ficamos preocupadas com o ocorrido.
Ficamos preocupado com o ocorrido.
Ficamos preocupados com o ocorrido.

6.5. Casos particulares de concordância nominal


a) só, sós
Quando a palavra “só” tiver o sentido de “somente”, será advérbio e ficará invariável:
Só penso na sua chegada.
Quando a palavra “só” tiver o sentido de “sozinho”, será adjetivo e concordará com o
ser a que se refere:

O homem está só.


As crianças estão sós.

b) salvo
Quando a palavra “salvo” tiver o sentido de “exceto”, será preposição e ficará
invariável:

Vendemos todas as casas, salvo aquela em que moras.


Quando a palavra “salvo” tiver o sentido de “livre”, “são”, será adjetivo e concordará
com o ser a que se refere:
Os ocupantes do avião estão salvos.

c) anexo(s), anexa(s)

A palavra “anexo”, adjetivo, deverá concordar em gênero e número com o ser a que
se refere:

A documentação anexa confirmou a realização do contrato.


Os documentos anexos confirmaram a realização do contrato.

por José Penia 34


d) meio, meia

Quando a palavra “meio” aparecer como advérbio, modificando um adjetivo, ficará


invariável:

A janela está meio fechada.

O portão está meio fechado.

Quando a palavra “meio” aparecer como adjetivo, modificando um substantivo,


deverá concordar com o mesmo:

Comi meio melão na hora do lanche,

Comi meia laranja na hora do lanche.

Chegarei ao meio dia e meia. (hora)

e) um e outro, uma e outra

Fica normalmente no masculino a expressão “um e outro”, quando se refere a pessoas


de sexos diferentes:

A tenista e o instrutor, um e outro reclamaram da arbitragem.

Quando modifica um substantivo, este fica no singular:

um e outro comentário

uma e outra combinação

f) eu mesma, eu própria

Os pronomes de reforço “mesmo” , “próprio”, concordam com o gênero da pessoa


que substituem:

Eu mesma e meu próprio marido cuidaremos dos preparativos.

O meu marido mesmo e eu própria cuidaremos dos preparativos.

Não é recomendável usar o mesmo no lugar de ele.

O proprietário do veículo estacionado... deve se dirigir a ele (não ao mesmo).

por José Penia 35


O réu está preso. Ele (não o mesmo) foi indiciado por homicídio... Foram recolhidos
os pertences dele (não do mesmo).

g) estou quite, estamos quites

O adjetivo “quite” significa “livre”, “desobrigado”, e concorda em número com o


nome a que se refere:

Estou quite com minhas obrigações.

Você e eu estamos quites.

h) entrada é proibido, a entrada é proibida

Quando o substantivo feminino, na função de sujeito do verbo ser, estiver


determinado, isto é, com o artigo na frente, a concordância do predicativo será
regular:

A entrada é proibida.

A vitamina é boa para o desenvolvimento dos ossos.

Quando o sujeito desse mesmo verbo é tomado em sua generalidade, o adjetivo que
está na função de predicativo permanece neutro (forma do masculino):

Entrada é proibido.

Vitamina é bom para o desenvolvimento dos ossos.

i) MENOS é invariável
“Menos confiança comigo”
Queremos mais proposta de governo e menos crítica à conjuntura atual.

7. PONTUAÇÃO

Os principais casos de uso da vírgula


Vírgula
proibida
(entre os termos Exemplo
essenciais da
oração)

por José Penia 36


Entre sujeito e
O presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de
predicado ou
Justiça virá ao Paraná.
entre predicado e
Virá ao Paraná o ministro do Supremo Tribunal Federal e do Conselho
sujeito
Nacional de Justiça.

O presidente disse aos governadores que não aceita a proposta;


O.I. O.D.
Entre verbo e
O ministro informou aos jornalistas que não participará da entrevista;
seu(s)
O ministro apresentou todos os projetos de privatização aos investidores
complemento(s)
presentes.

Dispositivo de lei
escrito do menor
Conforme o parágrafo único do inciso III do art. 20 da Lei nº 6.815/80...
desdobramento
para o maior
(ordem lógica).
O réu que foi condenado continuará preso; o que foi absolvido será solto.
Antes do que que
O servidor que responde a processo administrativo não pode participar de
introduz oração
concurso de remoção.
subordinada
adjetiva
restritiva.

Vírgula Exemplo
obrigatória

Dispositivo de lei
escrito do maior
desdobramento Conforme dispõe a Lei nº 6.815/80, art. 20, inciso III, parágrafo único...
para o menor
(ordem inversa, Conforme o art. 20, inciso III, parágrafo único, da Lei nº 6.815/80...
ou quebra da
ordem lógica).
Depois de
Se não chover, haverá jogo;
orações
Quando a economia entrou em colapso, o ministro renunciou; Ao deixar o
adverbiais
governo, o prefeito voltará a dar aulas na universidade.
antepostas
Antes do que que
Nosso time, que ganhou o torneio neste ano, foi vice dessa competição em
introduz oração
55 e 56.
explicativa e ao
Francisco de Assis Toledo, que era Ministro do Superior Tribunal de
final dessa
Justiça, foi um brilhante jurista na área criminal.
oração.
Quando há elipse
Os cariocas preferem praia; os paulistas, shopping.
do verbo
Para separar Irá a São Paulo, mas, se não receber o cachê antes, não cantará; Disse que,
conjunções quando for a Brasília, tentará uma audiência com o presidente.

por José Penia 37


contíguas
Antes de mas
(com sentido de
porém), porém,
Jogou bem, mas perdeu; Estudou, porém foi reprovado; O acordo não será
contudo,
renovado, portanto os empregos serão mantidos.
entretanto,
todavia, portanto,
por isso etc
Antes de e que
introduza oração
de sujeito
diferente do da
anterior, se, sem
a vírgula, houver
Fifa pune Maradona, e Pelé recebe prêmio.
a possibilidade de
entender o sujeito
da segunda
oração como
complemento do
verbo da
primeira.
O Estado de São Paulo e a Fundesp firmaram convênio com vista a formar
pessoal.
O Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Meio Ambiente,
e a Fundesp firmaram convênio com vista a formar pessoal.
APARECE
necessariamente
uma vírgula antes Proceder de acordo com os arts. 2º e 12 da Lei 2.309/87.
ou depois da Proceder de acordo com os arts. 2º, § 1º, e 12 da Lei 2.309/87.
conjunção e na
enumeração
quando ali se João Silva e sua mulher, Nair Silva, brasileira, professora, requerem...
coloca alguma João Silva, brasileiro, comerciante, residente na Rua X, e sua mulher,
intercalação. Nair Silva, brasileira, professora, requerem...
Neste caso, a
vírgula não tem
relação direta Só beberam água e um cafezinho.
com o e - ela está Só beberam água, que faz tanto bem à saúde, e, ao final da festa, um
lá para fechar ou cafezinho.
abrir o encaixe
apenas.
Ele foi conselheiro de Segurança Nacional de George Bush e é tido como
porta-voz informal do velho presidente.
Ele foi conselheiro de Segurança Nacional de George Bush, pai, e é tido
como porta-voz informal do velho presidente.

Para separar Ontem à noite, no Pacaembu, sem sete titulares, sob chuva forte, o
adjuntos Corinthians derrotou o Juventude.
adverbiais de

por José Penia 38


natureza
diferente
Vírgula optativa Exemplo
Com expressões O São Paulo enfrenta neste sábado mais um desafio (ou O São Paulo
adverbiais enfrenta, neste sábado, mais um desafio); O governador participará em
breves, Brasília de uma reunião com o ministro da Fazenda (ou O governador
antepostas ou participará, em Brasília, de uma reunião com o ministro da Fazenda).
intercaladas
Depois de no
entanto,
entretanto, por
isso, porém,
contudo,
No entanto o presidente deixou claro que não aceitará a proposta da oposição
portanto, todavia,
(ou No entanto, o presidente deixou claro que...).
quando essas
palavras ou
expressões
iniciarem o
período
Atenção: essa
opção não existe
quando essas
O presidente aceita participar da reunião, no entanto avisa que não aceitará a
palavras ou
proposta da oposição.
expressões não
iniciarem o
período
Antes de orações O prefeito deixará o partido se a Câmara aprovar a CPI sobre títulos públicos
adverbiais de (ou O prefeito deixará o partido, se a Câmara aprovar a CPI dos títulos
alguma extensão públicos);
que venham O jogador não disputará a próxima partida porque foi suspenso pelo Tribunal
depois da de Justiça da CBF (ou O jogador não disputará a próxima partida, porque foi
principal suspenso pelo Tribunal de Justiça da CBF).

8. REFORMA ORTOGRÁFICA – Alguns aspectos

Vamos relembrar alguns termos gramaticais para melhor entendermos a reforma


ortográfica.

ENCONTROS VOCÁLICOS

1. DITONGO é o encontro vocálico em que uma vogal (v) e uma semivogal (sv) são
pronunciadas em uma única sílaba.

por José Penia 39


Em português existe somente uma vogal em cada sílaba.

1.1. Ditongo decrescente: a intensidade do som decresce da vogal (mais forte) para a
semivogal (mais fraca).
L e i–t e i- d e i – a g r a - t u i - t o ( a intensidade está no u)
v sv v sv v sv

1.2. Ditongo crescente: a intensidade do som cresce da semivogal (mais fraca) para a
vogal (mais forte).

es–pé–c i e á -gu a
sv v sv v

2. HIATO é o encontro de duas vogais, mas em sílabas diferentes.


V o - o en–j o o s a - ú - d e j u - í - za
v v v v v v

CLASSIFICAÇÃO DAS PALAVRAS QUANTO À POSIÇÃO DA SÍLABA TÔNICA

1.OXÍTONAS são palavras cuja sílaba tônica é a última.

he - rói ca - fé tam - bém ju – iz

2. PARÓXITONAS são palavras cuja sílaba tônica é a penúltima.

he- roi - co i - dei - a pa -ra

3. PROPAROXÍTONAS são palavras cuja sílaba tônica é a antepenúltima.

Có – di – go re – pú – bli - ca

FORMA VERBAL RIZOTÔNICA E ARRIZOTÔNICA

Dependendo de onde se encontra a sílaba tônica, ou apenas a sua vogal, a forma verbal
poderá ser rizotônica ou arrizotônica.

1. FORMAS RIZOTÔNICAS são aquelas cuja sílaba tônica (ou sua vogal) se
encontra no radical.
Exemplos:
Radical/terminação
am - o
argu - o

por José Penia 40


cresc- em

O verbo adequar, por exemplo, ainda tem proibida a sua conjugação nas formas
rizotônicas pela gramática tradicional brasileira, apesar de serem usadas
normalmente em Portugal: adequo, adequa, etc.
Com a proibição, surgiu um modismo no Brasil (adéquo, adéqua), que o dicionário
eletrônico Houaiss, versão junho/2009, acabou admitindo como variante na
conjugação desse verbo, apesar de alertar sobre o uso, mais corrente em Portugal,
das forma regulares adequo, adequa...

2. FORMAS ARRIZOTÔNICAS são aquelas cuja sílaba tônica (ou sua vogal) se
encontra na terminação.
Exemplos:
Radical/terminação
Am - amos
Argu - imos
Adequ - ei
Adequa- remos

BASES ALTERAÇÃO OBSERVAÇÕES


Não se acentuam Permanece o acento nas
graficamente os assembleia, boleia, ideia, oxítonas: constrói, dói,
ditongos representados geleia, europeia, estreia, papéis, coronéis.
por EI e OI da sílaba diarréia, apoio (do verbo
tônica das palavras apoiar), tal como apoio (subst.),
paroxítonas. boia, heroico, introito, jiboia,
paranoico.

Não são assinaladas com Feiura – Fei – u - ra Permanecem acentuados


acento gráfico as Baiuca – Bai - u – ca os outros casos de hiato i
palavras paroxítonas ou u tônicos orais,
cujas vogais tônicas i e seguidos ou não de s:
u (hiato) são precedidas Ba-ú
de ditongo decrescente: sa – ú – de
ba-la-ús-tre
sa- í
sa-ís-se
Não são mais para (verbo) Exceção: mantido o

por José Penia 41


BASES ALTERAÇÃO OBSERVAÇÕES
assinaladas com acento polo (subst.) acento diferencial no
gráfico as palavras pelo (subst.) verbo
homógrafas. Ele não para para comer. PÔDE/PODE
Paraquedas (perdeu o acento e o Ele não pôde ontem,
hífen) mas pode hoje.
Para-sol
Para-raios

O polo passivo.
O polo Ártico.
O pelo do gato.
Não se usa acento deem, creem, descreem, leem, Permanecem os acentos
circunflexo nas formas releem, veem, preveem. diferenciais da 3ª pessoa
verbais paroxítonas que do plural dos verbos:
têm e tônico oral Ter: ele tem, eles têm
fechado em hiato com Vir: ele vem, eles vêm
terminação -em da 3ª E derivados:
pessoa do plural do Deter: ele detém, eles
presente do indicativo detêm;
ou subjuntivo. Entreter: ele entretém,
[principais verbos: dar, eles entretêm;
crer, ler, ver] Intervir: ela intervém,
elas intervêm...
Não há mais acento voo, enjoo, perdoo
gráfico no penúltimo o
do hiato oo
Os verbos arguir e arguo, arguis, argui, arguem; Só haverá acento quando
redarguir perderam o [presente ind.] houver hiato tônico,
acento agudo na vogal como: Arguí,[pretérito
tônica grafada u nas argua, arguas, argua, arguam perf.], conforme notas
formas rizotônicas. [presente subj.] explicativas do VOLP/
Antes se escrevia , 2009 (novidade). O novo
argúis, argúi, argúem Dicionário Aurélio
adotou esse acento:
arguí, arguíram, arguía...
O Dicionário Eletrônico
Houaiss de 2009, no
entanto, não o adotou.
Os verbos aguar,
apaniguar, apaziguar,
apropinquar, averiguar,
desaguar, enxaguar,
obliquar, delinquir e
afins, podem ser escritos
de duas formas:

a) com a vogal u tônica, a) averiguo,averigua,


porém sem acento averiguam; averigue; enxaguo,

por José Penia 42


BASES ALTERAÇÃO OBSERVAÇÕES
gráfico: enxagua, enxaguam; enxague,
enxague, enxaguem, etc.;
ou delinquo, delinque, delinquem;
ou
b) com as vogais a ou i b) averíguo, averíguas,
radicais acentuadas averígua, averíguam; averígue,
fônica e graficamente: averígues, averígue, averíguem;
enxáguo, enxáguas, enxágua,
enxáguam; enxágue, enxágues,
enxágue;
delíquo, delínque, delínquem.
Acabou o trema nas consequência, deliquência, Conserva-se apenas em
palavras portuguesas ou exequente nomes próprios
aportuguesadas. estrangeiros e seus
derivados: mülleriano,
Muller
Continua o uso do hífen CONTINUA Certos compostos, em
nas palavras compostas queixa-crime relação aos quais se
por justaposição que anos-luz, arco-íris, perdeu, em certa medida,
não contêm formas de decreto-lei, médico-cirurgião, a noção de composição,
ligação e cujos tio-avô, turma-piloto; grafam-se
elementos, de natureza amor-perfeito, guarda-noturno, aglutinadamente:
nominal, adjetival, mato-grossense,
numeral ou verbal, porto-alegrense, sul-africano, girassol, madressilva,
constituem uma unidade afro-asiático, azul-escuro, mandachuva,pontapé,
sintagmática e semântica luso-brasileiro, paraquedas,
e mantêm acento primeiro-ministro, paraquedista, etc.
próprio, podendo dar-se segunda-feira; conta-gotas,
o caso de o primeiro guarda-chuva, etc.
elemento estar reduzido:

Não se emprega mais salário de contribuição, Exceções: palavras já


hífen nas locuções de tão somente, consagradas pelo uso
qualquer tipo fim de semana, com hífen:
dia a dia, água-de-colônia, arco-
à toa (não importa mais a classe da-velha, cor-de-rosa,
gramatical). mais-que-perfeito, pé-de-
meia, ao deus-dará, à
queima-roupa).

Ficam com hífen, erva-do-chá, couve-flor, erva-


mesmo ligadas por de, doce, feijão-verde, ervilha-de-
as designações cheiro, bem-me-quer;
botânicas e zoológicas. andorinha-grande, formiga-
branca; andorinha-do-mar,
cobra-d’água, bem-te-vi
Emprega-se o hífen nos além-Atlântico, além-fronteiras;
compostos com os aquém-fronteiras; recém-

por José Penia 43


BASES ALTERAÇÃO OBSERVAÇÕES
elementos além, aquém, casado, recém-nascido; sem-
recém e sem, vice, ex, cerimônia, sem-número, sem-
recém, vice, sem, sota, vergonha, sem-terra;
soto: vice-governador
Emprega-se o hífen com hiper-requintado, super-revista
os prefixos hiper, inter, hiper-raivoso, inter-regional,
super quando super-rico
combinados com
elementos iniciados por
R:
Emprega-se hífen nas Exceção para os prefixos
palavras formadas por a) quando o segundo elemento CO e RE:
prefixos e falsos iniciar com vogal igual a do coordenar
prefixos: primeiro elemento: coabitar
ante-, anti-, circum-, contra-ataque, micro-ondas, coautor
contra-,entre-, extra-, anti-imperialismo, coerdeiro*
hiper-, infra-, intra-, pós, reeleger
pré-, pró-, sobre-, sub-, b) quando o segundo elemento reedição
super, supra, ultra-, etc for iniciado por h reaver
semi-hospitalar
aero-, agro-, arqui-, super-homem *A Academia Brasileira
auto-, bio-, eletro-, geo-, de Letras, que detém a
hidro-, inter-,macro-, autoridade no Brasil para
maxi-, micro-, mini-, editar o Vocabulário
multi-, neo-, pan-, pluri-, Ortográfico da Língua
proto-, pseudo-, retro-, Portuguesa (VOLP),
semi-, tele-, etc 2009 grafou coerdeiro,
adotando a exceção do
prefixo co, não obstante
o Acordo tenha
exemplificado o uso de
hífen quando o segundo
elemento inicia por h
com a palavra co-
herdeiro.
O Dicionário Houaiss
passou, por isso, a
adotar a dupla grafia:
co-herdeiro e coerdeiro.
O VOLP adota ainda
dupla grafia para:

carbo-hidrato e
carboidrato;

hidroelétrica e
hidrelétrica;

ab-rupto e

por José Penia 44


BASES ALTERAÇÃO OBSERVAÇÕES
abrupto
Não se usa hífen nas Contrarrazões, contrarréplica
formações em que o contrassenso, corréu, corré,
prefixo ou falso prefixo antirreligioso, antissemita,
termina em vogal e o contrarregra, contrassenha,
segundo elemento cosseno, extrarregular,
começa por R ou S, infrassom, minissaia, biorritmo,
devendo estas eletrossiderurgia,
consoantes duplicar-se: microssistema, autossugestão
Emprega-se hífen Quando o segundo elemento for
após: iniciado por h ou r:
hiper-resistente
Hiper-, inter-, super inter-regional
super-realista
ab-, ob-, sob-, sub Quando o segundo elemento for ab-rupto ou abrupto
iniciado por b, h e r sub-humano ou
ab-rogar, ob-repção, sob-roda, subumano,
sub-rogar, sub-reptício, sub-hepático ou
sub-base subepático
(dupla grafia cf. VOLP)

ad- Quando o segundo elemento for


iniciado por d, h e r
ad-digital
ad-rogar

Emprega-se o hífen nas circum-escolar, circum-murado,


formações com os circum-navegação;
prefixos circum- e pan- pan-africano,
quando o segundo circum-hospitalar;
elemento começa por pan-americano, pan-helênico,
vogal, m, n, ou h: pan-oftalmite, pan-mítico,
pan-naturalista

por José Penia 45