Você está na página 1de 29

Guia do Estudante

LICENCIATURA EM
ENGENHARIA INFORMÁTICA

2005/2006

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA


Faculdade de Ciências e Tecnologia da
Universidade de Coimbra
Licenciatura em Engenharia Informática

Índice
Endereços Email e Web .......................................................................................................... 2
O Departamento de Engenharia Informática ........................................................................... 4
A Licenciatura em Engenharia Informática ............................................................................. 6
Avaliação e Exames .............................................................................................................. 19
Programas de Intercâmbio de Estudantes ............................................................................ 20
Serviços de Apoio ao Estudante ........................................................................................... 22
Organizações de Estudantes ................................................................................................ 24
O Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra ...................................... 25
O Instituto Pedro Nunes ........................................................................................................ 25
Calendário Escolar ................................................................................................................. 26
Serviço de Autocarro .............................................................................................................. 27

Endereços Email
Coordenador da Licenciatura (Prof. Paulo de Carvalho) .........................carvalho@dei.uc.pt
Comissão Pedagógica .......................................................................................cp@dei.uc.pt
Comissão Científica: .......................................................................................... cc@dei.uc.pt
Comissão Executiva:. ........................................................................................ce@dei.uc.pt
Conselho de Departamento: .............................................................................cd@dei.uc.pt
Núcleo de Estudantes de Eng. Inf.: ............................................... neiaac@student.dei.uc.pt
Biblioteca: .............................................................................................. biblioteca@dei.uc.pt
Serviços Académicos da FCTUC:....................................................... bedel@janus.fct.uc.pt

Páginas Web
Licenciatura em Engenharia Informática www.dei.uc.pt (seguir Licenciaturas → Engenharia
Informática)
Departamento de Eng. Informática: ................................................................ www.dei.uc.pt
FCTUC............................................................................................................... www.fct.uc.pt
Universidade de Coimbra: ..................................................................................... www.uc.pt
Núcleo de Estudantes de Informática. ................................................................ nei.dei.uc.pt
Associação Académica de Coimbra (AAC):.................................................... www.aac.uc.pt
Listas de Email: ............................................................................. www.dei.uc.pt/majordomo
Cadeiras da Licenciatura:www.dei.uc.pt (seguir Licenciaturas → Engenharia Informática →
Plano Curricular)
Arquivos de Software: ................................................................................. http://ftp.dei.uc.pt
Servidor para Alunos: ................................................................................... student.dei.uc.pt
Encontro de Gestão e Tecnologias de informação: .......................... www.dei.uc.pt/encontro
Laboratório de Gestão...................................................................www.dei.uc.pt/gestao/lage

Caros Estudantes,

Guia do Estudante 2/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Numa altura em que a Licenciatura em Engenharia Informática da FCTUC se integra, de pleno


direito, no lote da melhores licenciaturas na área da Informática em Portugal, o presente Guia
do Estudante de Engenharia Informática pretende ser não apenas um mero repositório de
informação útil para a comunidade do DEI, mas também um testemunho do enorme empenho
de alunos, funcionários e docentes na procura da excelência.

Muitos são, no entanto, os desafios que se nos colocam. Cada vez mais assume crucial
importância uma preparação adequada, com o intuito de formar engenheiros informáticos
inovadores e empreendedores, capazes de responder às solicitações do mercado de emprego,
quer a nível nacional quer internacional. É neste contexto que os processos de auto-avaliação
e avaliação externa, de acreditação pela Ordem dos Engenheiros e de constante consulta a ex-
alunos e empregadores se revestem de especial relevância.
Estou convicto da qualidade do ensino ministrado no DEI FCTUC, mas estou ainda mais
convicto de que é necessário o seu reforço continuado, sem o que, rapidamente,
estagnaríamos. Estou, também, certo de que são os alunos do DEI FCTUC o principal motor
dessa qualidade, com a sua cultura de exigência, o seu gosto pelos desafios e a sua vitalidade,
fortemente estimulantes para o corpo docente e para os nossos serviços e funcionários.
Votos de um excelente trabalho em 2005-2006!

O Presidente do Conselho de Departamento de Engenharia Informática

Guia do Estudante 3/29


Licenciatura em Engenharia Informática

O Departamento de Engenharia Informática

O Departamento de Engenharia Informática (DEI), desde a sua constituição em Janeiro de


1995, tem à sua responsabilidade a Licenciatura em Engenharia Informática e o Doutoramento
em Engenharia Informática. São ainda da sua responsabilidade a Licenciatura em
Comunicações e Multimédia e os Mestrados em Informática e Sistemas, Comunicações e
Telemática, e Sistemas de Informação e de Apoio à Decisão. O DEI ministra ainda a
pós-graduação em e-Learning. A sua actividade científica decorre no seio do Centro de
Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra (CISUC), que constitui a unidade de I&D
(Investigação e Desenvolvimento) do Departamento. Esta unidade, para além do corpo
docente do DEI integra docentes e investigadores do Departamento de Matemática que se
dedicam às actividades de I&D em informática.
O DEI tem a jusante o Laboratório de Informática e Sistemas do Instituto Pedro Nunes, que
constitui a unidade de exploração de resultados de I&D junto do sector empresarial.
O DEI é formado por um corpo docente jovem e dinâmico, constituído actualmente por 25
Doutores e 11 Assistentes, a que se juntam cerca de 110 investigadores de Mestrado e 48 de
Doutoramento.

Os Órgãos de Gestão do DEI

À semelhança de outros organismos da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade


de Coimbra, o Departamento de Engenharia Informática é gerido estatutariamente pelo
Conselho de Departamento, pela Comissão Científica, junto da qual funciona a Comissão
Pedagógica, e pela Comissão Executiva. Estes órgãos asseguram na íntegra a gestão do
Departamento nas suas diversas vertentes: material, científica e pedagógica.
Atendendo a que toda a gestão corrente e a definição de estratégias do Departamento a curto,
médio e longo prazo passam obrigatoriamente por estes órgãos, é fundamental que os
estudantes tenham absoluta consciência das atribuições e poderes de cada um destes
organismos, até porque, estatutariamente, têm representação própria em algumas das
comissões, participando, deste modo, activamente em grande parte do processo de gestão do
Departamento.

O Conselho de Departamento

O Conselho de Departamento desempenha o papel de fórum de debate e orientação da


administração do Departamento. Cabe-lhe, em última instância, debater e orientar a estratégia
administrativa do Departamento. Este Conselho integra doze elementos, dos quais quatro em
representação do corpo de doutores e professores de nomeação definitiva, dois em
representação dos docentes e investigadores não doutorados, quatro em representação dos
estudantes e dois em representação do corpo de funcionários, todos eleitos pelos seus pares.
De entre as competências do Conselho destacam-se:
· Propor alterações ao regulamento do Departamento.
· Eleger e destituir o Presidente do Conselho.
· Apreciar e aprovar a proposta de execução orçamental elaborada pela Comissão Executiva,
o relatório de actividades e as contas do Departamento.
· Pronunciar-se sobre outras matérias de relevância para o Departamento.
E-mail:cd@dei.uc.pt

Guia do Estudante 4/29


Licenciatura em Engenharia Informática

A Comissão Executiva

A Comissão Executiva, constituída pelo Presidente do Conselho de Departamento, que a ela


preside, e por mais três elementos do Conselho por ele designados, desempenha o papel de
entidade administradora do Departamento, cabendo-lhe ainda a sua representação. Compete a
esta Comissão assegurar o correcto funcionamento do Departamento, quer ao nível material
(gestão patrimonial e financeira), quer ao nível dos recursos humanos. De entre as suas
competências destacam-se:
· Fazer cumprir o regulamento do Departamento e as directivas dos órgãos de gestão da
FCTUC.
· Dar execução às deliberações de outros órgãos de gestão do Departamento.
· Preparar o plano de actividades, projecto de orçamento e contas do Departamento e
submetê-los à Comissão Científica, ao Conselho do Departamento e ao Conselho Directivo
da FCTUC.
E-mail:ce@dei.uc.pt

A Comissão Científica

A Comissão Científica é composta por todos os docentes doutorados do Departamento e por


dois representantes do corpo docente não doutorado. Compete a esta Comissão zelar pela
qualidade científica do ensino ministrado na Licenciatura e garantir a leccionação das
disciplinas da especialidade. De entre as competências específicas desta Comissão
destacam-se:
· Propor a contratação de docentes, investigadores e pessoal técnico adstrito às actividades
científicas.
· Deliberar sobre a distribuição de serviço docente.
· Deliberar sobre a atribuição de equivalências e o reconhecimento de habilitações.
· Deliberar sobre a aquisição de equipamento científico e bibliográfico.
· Propor a criação, suspensão ou extinção de cursos.
· Deliberar sobre planos de estudo.
· Deliberar sobre a actividade científica e de extensão cultural.
· Propor a instituição de prémios escolares.
· Identificar e resolver todas as questões passíveis de afectarem o bom andamento dos
trabalhos escolares, desde que caibam dentro da esfera de competências da Comissão.
E-mail: cc@dei.uc.pt

A Comissão Pedagógica

A Comissão Pedagógica é composta por quatro elementos, sendo dois em representação do


corpo docente e dois em representação dos estudantes, todos eleitos pelos seus pares. À
Comissão Pedagógica compete, em última instância, zelar pela qualidade pedagógica do
ensino ministrado na Licenciatura. Para concretizar as suas competências, esta Comissão
promove, com uma certa periodicidade, debates francos e abertos com as diversas Comissões
de Curso da Licenciatura, de modo a identificar as dificuldades com que estudantes e docentes
eventualmente se deparem e que possam prejudicar a qualidade do ensino e o sucesso
escolar. De entre as diversas competências da Comissão Pedagógica destacam-se:
· Pronunciar-se sobre planos de estudo e os sistemas de precedências e de prescrições da
Licenciatura.
· Acompanhar com regularidade o desenvolvimento das actividades pedagógicas da
Licenciatura.
· Elaborar os horários e os mapas de provas de avaliação.
· Fazer propostas e dar parecer sobre a atribuição de prémios escolares.
· Fazer propostas e dar parecer sobre métodos de ensino.

Guia do Estudante 5/29


Licenciatura em Engenharia Informática

· Organizar, em colaboração com a Comissão Científica, conferências, estudos ou


seminários de interesse didáctico.
· Apresentar propostas sobre aquisição de material didáctico, audiovisual ou bibliográfico de
interesse pedagógico.
· Pronunciar-se sobre o número máximo de inscrições de novos estudantes na Licenciatura.
· Verificar o cumprimento das normas gerais de avaliação.
· Promover a realização do Guia do Estudante.
E-mail: cp@dei.uc.pt

A Licenciatura em Engenharia Informática

A licenciatura em Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da


Universidade de Coimbra tem por objectivo formar licenciados habilitados a exercer a profissão
de Engenheiro Informático com elevado nível de qualidade científica, técnica, ética e de
relações humanas no largo espectro de perfis de emprego identificados para a Engenharia
Informática. Tem ainda por objectivo fornecer aos seus licenciados uma formação que, pela
sua coesão e solidez, habilite aqueles que o desejarem a prosseguirem carreira como
Investigadores, via mestrado e doutoramento.
A ligação entre os conhecimentos teóricos e práticos adquiridos na Licenciatura é um aspecto
que merece grande atenção no DEI. Esta ligação tem forte expressão através da participação
por parte dos alunos dos últimos anos do curso e durante o estágio em projectos empresariais
realizados no DEI, no Instituto Pedro Nunes (Instituto que faz a ligação entre a FCTUC e as
empresas), ou directamente em empresas. Todo este processo está alicerçado na actividade
de investigação desenvolvida no DEI através do Centro de Informática e Sistemas da
Universidade de Coimbra (CISUC).
A estrutura de apoio à licenciatura compreende laboratórios de utilização geral e laboratórios
específicos das várias áreas de especialidade. O parque informático compreendendo mais de
200 estações de trabalho e potentes servidores de aplicações. A ligação à INTERNET é feita
em linha dedicada e recorre às mais avançadas tecnologias de fibra óptica e de feixe de micro-
ondas. O DEI é mirror oficial da Tucows e Linux entre outras. Tem ainda acordos com alguns
dos principais fornecedores de software.

O Plano Curricular da LEI

1º ano – 1º semestre

Análise Matemática I

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Séries e convergência. Aproximação de funções por séries: Séries de Taylor e
Fourier. Integração (definida e imprópria) e Integração numérica (algoritmo
básico). Funções em Rn: Noções de limite e continuidade; Derivadas parciais e
direccionais, gradiente, derivadas direccionais, normais a superfícies e planos
tangentes, diferenciais; Extremos locais e multiplicadores de Lagrange;
Maximização e Minimização numérica (gradiente descendente); Integração em
Rn (introdução – integração em R2).
Professor: Júlio Neves

Guia do Estudante 6/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Álgebra Linear

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Programa: Números complexos. Matrizes e sistemas de equações algébricas
lineares (método de eliminação de Gauss; decomposição LU de uma matriz;
método de Gauss-Jordan para determinação da matriz inversa). Espaços
vectoriais (subespaços vectoriais; dependência e independência linear; base e
dimensão; matriz de mudança de base; característica de uma matriz)
Transformações lineares (transformações lineares em espaços de dimensão
finita; a matriz de uma transformação linear). O determinante (definição e
propriedades). Valores próprios e vectores próprios (diagonalização de matrizes).
Espaços vectoriais com produto interno (ortogonalidade; projecção ortogonal de
um vector sobre um subespaço; aproximação pelo método dos mínimos
quadrados)
Professor: Margarida Camarinha

Tecnologia dos Computadores

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Esta disciplina apresenta um panorama geral da informática, desde o hardware
até aos sistemas de software em larga escala. Capítulos: 1. Introdução à
arquitectura dos computadores modernos e seus periféricos; 2. Sistemas de
Numeração; 3. Sistemas Digitais; 4. Representação e Integridade de Dados; 5.
Sistemas Operativos; 6. Redes de Computadores; 7. Linguagens de
Programação; 8. Bases-de-dados; 9. Informática e a Sociedade.

Professor: Paulo Marques

Programação e Algoritmos I

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Criação de um programa. Manipulação de informação simples. Comunicação básica
com o utilizador. Selecção. Repetição. Introdução aos gráficos. Subprogramas.
Professor: António José Nunes Mendes

1º ano – 2º semestre

Análise Matemática II

Pré-requisitos: Análise Matemática I


Programa: Funções de variável Complexa; Transformada de Fourier, resposta em frequência
e teorema da amostragem; Equações diferenciais, integrais e de diferenças
lineares usando as transformadas de Laplace e de Z
Professor: Júlio Neves

Estruturas Discretas

Pré-requisitos: Álgebra Linear, Tecnologia dos Computadores, Programação e Algoritmos I


Programa: Conjuntos, Funções e Relações. Lógica. Teoria de Números (inclui criptografia).
Raciocínio Matemático. Métodos de Contagem (inclui probabilidades discretas,
sucessões recorrentes e funções geratrizes). Grafos e Árvores. Estruturas
Algébricas
Professor: Bernardete Ribeiro

Guia do Estudante 7/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Tópicos de Física Moderna

Pré-requisitos: Análise Matemática I


Programa: Espaço e tempo. As ondas: transmissão da informação. Das simetrias no espaço de
tempo à mecânica. Partículas e campos. Campo Electromagnético. Termodinâmica.
Organização do mundo, informação e cibernética. A interpretação de Boltzmann e o
demónio de Maxwell. Micromundo e macromundo, relatividade e mecânica
quântica.
Professor: Vitaly Chepel

Programação e Algoritmos II

Pré-requisitos: Programação e Algoritmos I


Programa: Noções básicas de programação orientada a objectos (classes e objectos).
Colecções. Ficheiros. Noções avançadas de programação orientada a objectos
(encapsulamento, herança e polimorfismo). Introdução à criação de interfaces
gráficos.
Professor: António José Nunes Mendes

Arquitectura de Computadores I

Pré-requisitos: Tecnologia dos Computadores


Programa: Conjuntos de Instruções e Arquitecturas: percursos dos dados e dos endereços;
estrutura das instruções; modos de endereçamento, instruções de salto condicional;
pilha e subrotinas; programação em linguagem assembly. Desempenho: métricas
de desempenho; Princípios e fundamentos dos RISCS. Pipelining. Memórias cache.
Computadores: memória; princípios de E/S, protocolos de handshaking e buffering;
interrupções, DMA, buses de sistema; periféricos.
Professor: Mário Rela

2º ano – 1º semestre

Introdução às Redes e Comunicações

Pré-requisitos: Programação e Algoritmos II, Arquitectura de Computadores I


Programa: Aspectos gerais dos Sistemas e Redes de Comunicação. Arquitecturas para a
interligação de sistemas. A Camada de Aplicação. A Camada de Transporte. A
Camada de Rede. A Camada de Ligação Lógica e o Interface com o Meio Físico. As
Redes sem Fios e a Mobilidade.
Professor: Jorge Sá Silva

Estatística

Pré-requisitos: Análise Matemática I, Análise Matemática II, Álgebra Linear, Estruturas


Discretas
Programa: Variáveis aleatórias discretas, distribuições mais usuais (uniforme, binomial, etc.);
Distribuição conjunta; Variáveis aleatórias contínuas, noção de função de
densidade de probabilidade, Esperança, distribuições mais usuais (exponencial,
normal,...); Esperança de combinações de variáveis aleatórias (combinação linear
e não linear); Teorema do limite central, testes de significância, intervalos de

confiança, testes de hipóteses usando a distribuição χ .Estimação pela máxima


2

verosimilhança.
Professor: Maria Emília Nogueira

Guia do Estudante 8/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Sistemas Operativos

Pré-requisitos: Programação e Algoritmos II, Arquitectura de Computadores I


Programa: Funções dos sistemas operativos. Processos e threads. Algoritmos de
escalonamento de processos. Comunicação e sincronização entre processos.
Programação concorrente. Multithreading. Gestão de memória. Memória virtual.
Gestão de periféricos. Sistema de ficheiros. Interface e implementação. Análise de
sistemas operativos: Linux e Windows XP. Programação de sistema em C.
Professor: Luís Alexandre Silva

Teoria da Computação I

Pré-requisitos: Estruturas Discretas, Programação e Algoritmos I


Programa: Linguagens formais e Autómatos: Linguagens, gramáticas e autómatos; Gramáticas
regulares e autómatos finitos; Gramáticas independentes do contexto e autómatos
de pilha. Modelos de Computação: Máquinas de Turing; Sistemas de Produção;
Funções Recursivas Parciais; Lambda-Cálculo; Lógica Computacional; Tese de
Church-Turing. Computabilidade: Decidabilidade; Teoria da Complexidade.
Professor: António Dourado

Programação e Algoritmos III

Pré-requisitos: Programação e Algoritmos II, Estruturas Discretas


Programa: Recursividade: Conceitos, Aplicação, Implementação. Estruturas de dados:
Conceitos, Pilhas, filas, listas ligadas, árvores, árvores binárias, árvores AVL,
árvores RB, árvores B, filas de prioridades, grafos. Algoritmos de ordenamento e
pesquisa: Conceitos, Ordenamento por inserção, selecção, bubble sort, shellsort,
mergesort, quicksort. Pesquisa sequencial, binária, hashing. Geração de números
aleatórios. Geradores. Números aleatórios não uniformes. Geração de permutações
aleatórias. Aplicações: Jogos, Pilhas e compiladores, Simulação, Optimização de
percursos.
Professor: Francisco Câmara Pereira

2º ano – 2º semestre

Arquitectura de Computadores II

Pré-requisitos: Arquitectura de Computadores I, Sistemas Operativos


Programa: Pipelining avançado: paralelismo ao nível das instruções (ILP); arquitecturas
superescalares; branch prediction; arquitecturas VLIW; prefetching; execução
especulativa; multithreading. Infraestrura Arquitectural para os Sistemas Operativos:
gestão de memória; multitarefa e interrupções; mecanismos de protecção; suporte
de baixo-nível às linguagens de alto-nível; Arquitecturas alternativas; conceitos de
base em processamento paralelo.
Professor: Mário Rela

Introdução à Inteligência Artificial

Pré-requisitos: Estruturas Discretas, Teoria da Computação I, PA I,II e III


Programa: Introdução: fundamentos histórico-filosóficos. Arquitectura de Agentes Inteligentes
(generalidades). Agentes Elementares (isolados, reactivos, com ou se memória).
Agentes de Procura e Resolução de Problemas (heurísticos, locais, globais,
recristalização simulada, procura tabu, algoritmos evolucionários). Agentes
Baseados em Conhecimento (conhecimento e raciocínio, lógica, casos, regras,

Guia do Estudante 9/29


Licenciatura em Engenharia Informática

senso comum e representação do conhecimento). Ambientes e Agentes (reactivos,


não determinísticos, incertos). Tarefas e Agentes (planeamento, aprendizagem,
percepção / comunicação / actuação). Sociedade de Agentes (autómatos celulares,
auto-organização, vida artificial)
Professor: Fernando Machado

Engenharia de Redes

Pré-requisitos: Introdução às Redes e Comunicações, Sistemas Operativos, Programação e


Algoritmos III
Programa: Arquitecturas e Aplicações. Cablagens. Tecnologias. Equipamentos. Planeamento e
Projecto. Casos de Estudo.
Professor: Edmundo Monteiro

Teoria da Computação II

Pré-requisitos: Estruturas Discretas, PA I, Teoria da Computação I


Programa: Linguagens de Programação: sintaxe e semântica. Meta-Interpretação: Linguagens
funcionais, Linguagens declarativas. Compiladores: Generalidades, Análise Lexical,
Análise Sintáctica, Gramáticas de Atributos, Geração de Código, Optimização de
Código.
Professor: Fernando Amílcar Cardoso

3º ano – 1º semestre

Bases de Dados I

Pré-requisitos: Programação e Algoritmos III, Sistemas Operativos, Teoria da Computação II


Programa: Análise, concepção e construção de bases de dados relacionais em ambiente
cliente-servidor. Modelo relacional, dependências funcionais e normalização,
integridade e consistência, Entidade-Relacionamento e sua utilização na concepção
de bases de dados, operações relacionais e SQL, definição de esquemas de dados.
Professor: Henrique Madeira

Engenharia de Software I
Pré-requisitos:
Programação e Algoritmos III, Teoria da Computação II

Programa: 1. A crise do software. O ciclo de vida do software. Abordagens clássica e


orientada para objectos; 2. A linguagem UML ao serviço da engenharia de
requisitos. 3. Gestão do processo de desenvolvimento orientado para objectos: o
modelo Rational Unified Process (RUP); 4. Alternativas para a gestão do projecto de
software (PERT/CPM, Gantt); 5. Padrões e componentes; 6. Prototipagem, RAD e
outras abordagens alternativas
Professor: Paulo Rupino

Comunicação e Profissão

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Comunicação: 1.Comunicação não verbal. Padrões comportamentais. Sentido de
território. Componentes culturais. Aplicação à realidade organizacional.
2.Comunicação escrita. O modelo de processo para a produção de documentos.
Escrita de relatórios. Escrita de artigos científicos e técnicos. Escrita de
documentação técnica. Escrita de cartas. O curriculum vitae e a carta de remessa.
3.Comunicação oral. Técnicas de apresentação. Materiais de apresentação.
4.Trabalho de grupo e relacionamento inter-pessoal. Dinâmica de grupos.

Guia do Estudante 10/29


Licenciatura em Engenharia Informática

5.Retórica. Argumentação. Negociação. 6.Gestão de reuniões. Gestão de conflitos.


7.Humor e estilo. Profissão: 1.O que é a engenharia? O que é um engenheiro? O
que é um engenheiro informático? Os perfis de emprego do engenheiro informático.
O relacionamento e as parcerias entre profissionais da mesma e de distintas
profissões. Carreira, rotatividade, auto-emprego e espírito empresarial. O
engenheiro-gestor. 2.Ética vs moral. A evolução do julgamento moral. 3.As
ambiguidades éticas na engenharia informática. Teorias do contrato social, dos
stockholders e dos stakeholders. Os códigos deontológicos. 4.A Ordem dos
Engenheiros e as associações profissionais. 5.Breve introdução ao Direito
Informático. 6.As tecnologias da informação e a sociedade da informação.
Professor: António Figueiredo

Computação Adaptativa

Pré-requisitos: Análise Matemática I e II, ALGA


Programa: Formalismos matemáticos de aprendizagem computacional. Aprendizagem
quantitativa. Redes Neuronais, arquitecturas e aplicações (extracção do
conhecimento, simulação e previsão, sistemas de informação, controlo). Lógica
difusa e Sistemas Difusos. Sistemas Difusos baseados em regras. Aplicações à
classificação, simulação e previsão, reconhecimento de padrões, decisão, bases de
dados, sistemas de informação e controlo. Aprendizagem automática e optimizada
(sistemas neuro-difusos). Aplicação de algoritmos genéticos à aprendizagem de
sistemas neuronais e difusos.
Professor: António Dourado

3º ano – 2º semestre

Bases de Dados II

Pré-requisitos: Bases de Dados I, Engenharia de Software I


Programa: Transacções e controlo de concorrência, programação no servidor de bases de
dados (PL/SQL), aspectos físicos de uma base de dados, afinação dos parâmetros
de armazenamento e optimização, índices, clusters e hashing. Aspectos
fundamentais de administração de bases de dados, administração das estruturas de
dados, gestão do espaço de armazenamento, segurança e recuperação de falhas.
Professor: Pedro Furtado

Engenharia de Software II

Pré-requisitos: Engenharia de Software I, Bases de Dados I


Programa: Aplicação a projectos de software concretos desenvolvidos pelos alunos ao longo
do semestre de técnicas de projecto de software inspiradas nos modelos de
referência Capability Maturity Model (CMM) e Spice (ISO 15504). Particular ênfase
é dada à gestão de configuração, ao controlo de alterações, ao controlo de
qualidade e ao planeamento, a um nível comparável com uma organização que
esteja no nível dois de maturidade, de acordo com o modelo CMM ou Spice.
Comparação genérica com outros métodos de desenvolvimento de software: Agile
Programming.
Professor: João Gabriel Silva

Engenharia dos Agentes Inteligentes


Pré-requisitos: Introdução à Inteligência Artificial
Programa: Introdução à Inteligência Artificial Distribuída. Sistemas Multi-Agente. Arquitecturas
de Agentes Inteligentes: Agentes deliberativos, arquitectura BDI, Agentes

Guia do Estudante 11/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Reactivos, Agentes para a Web. Comunicação e Coordenação entre Agentes.


Gestão de Crenças em agentes deliberativos.
Professor: Fernando Amílcar Cardoso

Multimédia
Pré-requisitos: Não tem
Programa: Introdução ao multimédia. Definições. Áreas de aplicação. Hardware multimédia.
Software de desenvolvimento e distribuição. Representação digital de meios
multimédia. Texto. Áudio. Imagens. Animação. Vídeo. Noções básicas de
compressão de imagens, áudio e vídeo. Multimédia e Internet
Professor: António José Nunes Mendes

Interacção com o Utilizador


Pré-requisitos: Engenharia de Software I, Bases de Dados I, Introdução às Redes e Serviços
de Comunicação.
Programa: Factores humanos e influência perceptual, elementos de design gráfico, retóricas da
página, da cor e da imagem. Ergonomia das interfaces, modelos do utilizador e das
tarefas/actividades. Concepção de interfaces: metodologias sócio-técnicas e
elementos de programação. Usabilidade: conceito, ciclo de vida, heurísticas, testes
e avaliação. Normas seguidas em matéria de interacção com o utilizador e "design-
for-all". Alguns domínios mais relevantes: utilizadores com necessidades especiais,
multimédia e realidade virtual.
Professor: Licínio Roque

4º ano – 1º semestre

Supervisão e Informática Industrial


Pré-requisitos: Análise Matemática II, Álgebra Linear, Teoria da Computação II, Computação
Adaptativa.
Programa: Alguns paradigmas para sistemas industriais: noção de tempo-real e de
confiabilidade; modelos de representação dos sistemas; comunicação fiável em
tempo-real; observação e actuação; estratégias para a aquisição, processamento e
armazenamento da informação. Tecnologias e Arquitecturas: protocolos industriais;
redes de comunicação de dados industriais; instrumentação; sistemas de tempo-
real; arquitecturas de SCADA - supervisory control and data acquisition;
arquitecturas de controlo discreto e contínuo; sistemas de controlo distribuído
(DCS). A informação em ambiente industrial: integração da informação; fusão e
reconstrução da informação; representação da informação. Supervisão inteligente:
estrutura hierárquica do sistema de supervisão; monitorização; detecção e
diagnóstico de avarias; geração de alarmes; reconfiguração do sistema de controlo.
Professor: Alberto Cardoso

Sistemas Distribuídos

Pré-requisitos: Sistemas Operativos, Gestão de Sistemas e Redes


Programa: Introdução aos Sistemas Distribuídos. O modelo Cliente/Servidor. Programação em
Sockets. Comunicação em Multicast. O modelo de RPCs e invocação remota de
objectos. Programação distribuída usando Java RMI. Introdução ao CORBA.
Message-Oriented Middleware. O protocolo HTTP. Aplicações distribuídas para a
Internet. A tecnologia de Web-Services. Segurança em Sistemas Distribuídos.
Servidores de Naming e Serviços de Directoria. Sistemas de Ficheiros Distribuídos.
Sincronização de relógios em sistemas distribuídos. Ordem causal e total nas
aplicações distribuídas. Manutenção e upgrade de aplicações distribuídas.
Replicação de servidores e soluções de alta-disponibilidade.

Guia do Estudante 12/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Professor: Luís Alexandre Silva

Guia do Estudante 13/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Simulação

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Introdução à simulação: noção de sistema, modelo e simulação; tipos de modelos.
Implementação de modelos de sistemas discretos: linguagens de simulação,
linguagens genéricas de programação. Modelos estatísticos em simulação. Modelos
de filas de espera. Geração de números aleatórios. Análise de dados e resultados
de simulação. Verificação e validação de modelos de simulação.
Professor: Teresa Mendes

Processos de Gestão

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Teorias das Organizações e Processos de Gestão. Gestão de Projectos. Conceitos
básicos. Ciclo de desenvolvimento. Sistemas e Procedimentos. PERT/CM e GERT.
Estimativas de custo e orçamentos. Gestão de riscos. Controlo dos projectos.
Avaliação, reporting e fecho. Aspectos humanos e sociais. O gestor de projectos.
Liderança e cultura organizacional. Trabalho de equipa e conflitos. Sucesso,
insucesso e balanços. Gestão da qualidade e gestão da maturidade dos processos.
Professor: António Figueiredo

Gestão de Sistemas e Redes

Pré-requisitos: Engenharia de Redes, Arquitectura de Computadores II


Programa: Administração de Sistemas Unix (gestão de utilizadores, file systems, serviços de
base, segurança, backup e restore).Gestão de Serviços de Rede (DNS, DHCP,
FTP, WWW, SMTP, POP, IMAP, Secure Shell, NFS, SAMBA, etc.).Gestão
Integrada de Redes (arquitecturas integradas, tecnologias, aplicações, meta-
gestão).
Professor: Paulo Simões

4º ano – 2º semestre

Gestão de Empresas

Pré-requisitos: Não tem


Programa: Evolução do conceito de empresa. Gestão estratégica. Criação de empresas.
Gestão operacional de empresas. Gestão de recursos humanos. Tendências
actuais da gestão de empresas. Marketing e imagem.
Professor: António Figueiredo

Tecnologias da Internet
Pré-requisitos: Sistemas Distribuídos, Eng. Software II, Multimédia, Interacção com o Utilizador
Programa: Conceitos fundamentais sobre a Internet, história e evolução. Aplicações para a
Internet. O Protocolo HTTP. A linguagem HTML. Técnicas para o desenvolvimento
de sites Web. Conceitos sobre Web-design. Conceitos sobre arquitectura de
sistemas Web. Tecnologias de desenvolvimento: CGIs, PHP, Perl, Servlets.
Segurança no acesso (SSL, HTTPS). Autenticação de utilizadores: Certificados e
assinaturas digitais. Markup-languages: XML e o XHTML. Componentes de
software para aplicações Web. Tecnologias Java para a Internet. O framework .NET
da Microsoft. Integração de sites Web com bases de dados. Integração com
sistemas back-office. Ferramentas para Web-Publishing. Desenvolvimento de
portais com conteúdos dinâmicos. Conceitos sobre Comércio Electrónico. Gestão

Guia do Estudante 14/29


Licenciatura em Engenharia Informática

de sites Internet (caching, firewalls, performance, scalability). Motores de pesquisa,


Web-crawlers e Web-robots.
Professor: Carlos Vaz

Sistemas de Informação
Pré-requisitos: Não tem
Programa: 1.Os sistemas de informação (SI) vistos do ponto de vista do negócio. Modelo para
o desenvolvimento estratégico de sistemas de informação. Tipos de SI. Dimensão
estratégica dos SI. Estratégia de SI vs estratégia de TI. 2. Técnicas de análise do
negócio. Análise SWOT, competências chave, matriz BCG, forças concorrenciais,
factores críticos de sucesso, impulsos estratégicos, cadeia de valor externa, cadeia
de valor interna. 3. Da análise estratégica para o modelo do negócio. Os modelos
do negócio na Economia Digital. 4. Do modelo do negócio para a arquitectura da
informação. Modelo dos dados e modelo das interacções. As soluções de "back
office" e de "front office" na perspectiva do modelo do negócio. 5. Carteira de
aplicações. Estratégias genéricas. As organizações com múltiplas unidades de
negócio. Aspectos da gestão das carteiras de aplicações. 6. O Método de Carteira
para o desenvolvimento de sistemas de informação. Concepção, implantação e
gestão de intranets, extranets e soluções de workflow recorrendo ao método de
carteira. 7. Avaliação dos investimentos. Fixação das prioridades. 8. O estado da
arte. Ponto da situação sobre a oferta comercial. Soluções ERP, CRM e SCM.
Iniciativas de normalização. Casos de estudo representativos do estado da arte. 9.
Gestão do conhecimento e inteligência do negócio na perspectiva da estratégia de
sistemas de informação.
Professor: António Figueiredo

Opcional I
¾ Manipuladores e Robótica
Programa: Robôs de manipulação: modelo geométrico; modelo cinemático; modelo dinâmico.
Sensores e actuadores usados em robótica de manipulação. Geração de
trajectórias. Linguagens de programação de robôs. Controlo de posição e força.
Introdução às técnicas de Inteligência artificial aplicadas à manipulação.
Professor: Jorge Pereira Batista

¾ Planeamento e Gestão da Produção


Programa: A organização contemporânea dos sistemas produtivos. Sistemas orientados pelo
mercado. Modelos de resolução de problemas. Técnicas de previsão (séries
temporais, modelos causais, métodos qualitativos). Planeamento da produção
(estratégico, agregado e director, desagregação). Gestão de inventários.
Planeamento da Produção, das Capacidades e dos Materiais (MRP). Planeamento
e Controlo Integrados da Produção ( MRP II, JIT, Kanban, outros ). Software para
Planeamento e Controlo Integrados e sua aplicação organizacional. ERP-CRM.
Professor: António Dourado

¾ Processamento Digital do Sinal e da Voz


Programa: Computação da transformada discreta de Fourier: Algoritmos da FFT. Projecto de
filtros digitais FIR: Fase linear; Método de janelas; Métodos computacionais.
Processamento de imagem: Sinais e sistemas 2D; transformadas de Fourier e z
bidimensionais; filtros FIR e IIR 2D; estabilidade. Processos estocásticos discretos
no tempo: Estacionaridade; Ergodicidade; Momentos; Espectro de potência;
Sistemas LTI e sinais estocásticos; Processos MA, AR e ARMA. Estimação e
predição linear: Estimadores; Princípio da ortogonalidade; Equações de Yule-
Walker; Filtros de Wiener. Estimação do espectro de potência: Periodograma;
Método das janelas; Método da máxima entropia; Filtros inversos.

Guia do Estudante 15/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Professor: Vítor Mendes da Silva

¾ Teoria da Comunicação
Programa: Introdução aos Sistemas de Comunicação. Sinais Aleatórios e Ruído. Comunicação
Analógica com Portadora Contínua: na banda-base, modulação linear (DSB, AM,
SSB, VSB). Modulação angular (PM, FM). Multiplexagem (FDM, TDM).
Radiodifusão de som e imagem. O Ruído em banda-base, na modulação linear, na
modulação angular e Filtros de enfatização/desenfatização.
Professor: José Manuel Craveirinha

¾ Visão Computacional
Programa: Percepção, Formação e Aquisição de Imagens. Geometria de representação e de
formação de imagem. Recuperação de estrutura 3D. Visão dinâmica e visão activa.
Professor: Hélder de Jesus Araújo

¾ Segurança em Redes
Programa: 1. Introdução 2.Segurança no Meio Físico e Camada Física 3.Segurança na Camada de
Ligação Lógica 4.Segurança nas camadas de Rede e Transporte 5.Segurança na camada
de Aplicação 6.Controlo de acesso 7.Autenticação e encriptação.
Professor: Edmundo Heitor da Silva Monteiro

¾ Multimédia Avançada
Programa: 1. Ambientes de autoria de software multimédia; 2. Gestão de projectos multimédia:
Planeamento e orçamentação, Desenho e produção, Conteúdos, Distribuição; 3.
Introdução à Realidade Virtual: Hardware para realidade virtual, Formas de
navegação; O software VRML; Aplicações da Realidade Virtual.
Professor: António José Nunes Mendes

¾ Bases de Dados de Apoio à Decisão


Programa: Para além dos fundamentos teóricos do modelo multidimensional e do Data
Warehousing, esta disciplina visa formar os alunos no processo de análise,
concepção, construção e manutenção/administração de Data Warehouses e Data
Marts, tendo por base tecnologia de bases de dados relacionais . É dada particular
atenção à formação prática, através da utilização intensiva nas aulas práticas de
produtos de reconhecida representatividade no mercado. Deste modo, os alunos
poderão não apenas observar a concretização dos conceitos aprendidos nas aulas
teóricas como ficarão apetrechados com experiência concreta de utilização de
ferramentas de Data Warehousing actuais. Em síntese, os objectivos da disciplina
são: - Entender o modelo multidimensional e os conceitos importantes em bases de
dados para apoio à decisão; - Dominar o processo de concepção e
desenvolvimento de uma Data Warehouse em todas as suas fases; - Entender e
dominar os conceitos necessários à boa administração e manutenção de Data
Warehouses; - Utilização de ferramentas comerciais para construção de Data
Warehouses.
Professor: Henrique Madeira

¾ Informática Médica
Programa: 1. Conceitos básicos em Informática Médica, Normas de representação,
comunicação e armazenamento de informação clínica, Norma HL7, Sistemas de
Informação Hospitalar, Imagem no Suporte ao Diagnóstico Médico, Norma DICOM
e PACS, Processamento de imagem médica, Serviços e Tecnologias de Suporte à
Tele-medicina, Inferência de Conhecimento para Diagnóstico Médico.

Guia do Estudante 16/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Professor: Paulo de Carvalho

5º ano – 1º semestre
Opcional II
Opcional III
Opcional IV
Opcional V

¾ Sistemas de Formação
Programa: Considerações gerais sobre a utilização das tecnologias da informação e das
comunicações na educação e na formação profissional. Aplicações educacionais:
tipos; estratégias de utilização. Desenvolvimento de aplicações educacionais:
metodologias; sistemas autor; ambientes de desenvolvimento. Avaliação de
aplicações educacionais. Educação à distância.
Professor: Teresa Mendes

¾ Integração de Sistemas
Programa: Introdução à integração de aplicações, “O que é EAI?”. Integração a nível dos
dados. Integração a nível de interfaces externos das aplicações. Integração
utilizando middleware comunicacional (CORBA, DCOM). Integração utilizando
middleware aplicacional (EJBs, COM+ / Biztalk, J2EE). Integração utilizando
middleware orientado às mensagens (MOM). Gestão de transacções. Integração na
Internet, XML e Web Services. Direcções Futuras.
Professor: Paulo Marques

¾ Representação Multimédia
Programa: (Programa provisório) Redundância e irrelevância, Introdução à Teoria da
Informação, Codificação entrópica, codificação por dicionário, codificação preditiva,
formatos de compressão não destrutiva, fundamentos de percepção e compressão
destrutiva, quantetização escalar e vectorial, codificação por transformação de
espaço, compressão de imagem, áudio e de vídeo, Formatos H26X e MPEG-X,
Streaming.
Professor: Paulo de Carvalho

¾ Reutilização de Software em Simulação


Programa: Linguagem Modsim. Modelação Orientada a Objectos. Linguagem C++. Software
Design Patterns. Formalismo DEVS.
Professor: Fernando Barros

¾ Sistemas de Comunicação
Programa: Modulação Pulsada. Sistema PAM duobinário. Sistemas PAM multi-nível.
Repetidores analógicos e regenerativos. Diagramas de olho. Transmissão digital de
sinais analógicos. Sistemas PCM. Multiplexagem TDM. Modulação Analógica
Discreta (OOK, ASK, PSK, PSK M-ário, FSK, QAM, APK M-ário). Sistemas Binários
Coerentes (ORK, PRK e FRK).
Professor: Luís Alberto Silva Cruz

Guia do Estudante 17/29


Licenciatura em Engenharia Informática

¾ Técnicas de Optimização e Decisão


Programa: Componentes de um estudo de investigação operacional; modelação matemática.
Programação Linear; Método Simplex; Teoria da dualidade; Análise de
sensibilidade. Optimização em redes; Caminho mais curto; árvore abrangente
mínima; fluxo máximo; fluxo de custo mínimo; Programação não linear. Problemas
sem e com restrições; Condições de Karush-Kuhn-Tucker. Métodos de gradiente.
Professor: Carlos Henggeler Antunes

¾ Computação Gráfica
Programa: Introdução a conceitos básicos: Tecnologias de hardware gráfico; Computação de
primitivas bidimensionais: Linhas, circunferências, elipses, etc.; Standards para a
computação gráfica: Standards API, tais como, OpenGL, etc.; Cor na computação
gráfica: Visualização de cor, edição de cor, modelos de cor, reprodução de cor,
utilização de cor; Geometria para a computação gráfica: Transformações
bidimensionais, transformações tridimensionais; Curvas e superfícies;
Representações polinomiais de curvas e superfícies; Iluminação e sombras;
Modelos de reflexão local; Sombreamento, texturas e transparência; Ray-tracing e
radiosidade clássica.
Professor: Jorge Henriques

¾ Design Multimédia
Programa: Teoria e história do design gráfico. Princípios básicos do design gráfico. Aplicação
dos elementos e princípios do design aos meios digitais. Terminologia tipográfica.
Hierarquia de texto e imagem. Estrutura, grelha, layout e composição. Teoria da cor
nos meios digitais. Impacto das novas tecnologias no desenvolvimento do design
gráfico. Papel do design gráfico na produção multimédia.
Professor: João Bicker

¾ Tecnologias de Redes de Alta Velocidade


Programa: Redes de alta velocidade – Necessidades e motivações. Tecnologias: Broadband
Access; 10 Gigabit Ethernet; SDH; DWDM. Qualidade de service em redes IP:
Serviços integrados; Serviços diferenciados; Disciplinas de escalonamento;
Random Early Detection; Protocolos para o suporte de QoS: Resource Reservation
(RSVP); Multiprotocol Label Switching (MPLS); Next Steps In Signalling (NSIS).
Negociação de QoS inter-domínio. Modelação e estimação de desempenho em
redes de alto débito.
Professor: Fernando Boavida Fernandes

¾ Complementos de Sistemas de Informação


Programa: Em reformulação
Professor: Paulo Rupino

¾ Internet Móvel
Programa: Evolução das redes sem fios. Sistemas 3G. Sistemas 4G. Redes Ad Hoc.
Fornecimento de qualidade de serviço em redes sem fios (3G, 4G e ad hoc). IP
móvel. Micro-mobilidade IP. Mobilidade em ambientes Ipv6. Mobilidade de redes.
Redes de sensores. Segurança em redes sem fios.

Professor: Fernando Boavida Fernandes

Guia do Estudante 18/29


Licenciatura em Engenharia Informática

¾ Protocolos de Comunicação
Programa: Protocolos de encaminhamento na Internet, Broadcasting e multicasting, Protocolos
de transporte na Internet, Protocolos para suporte de aplicações multimédia na
Internet, Mobilidade, Protocolos de aplicação para o suporte do funcionamento em
rede, Conclusão.
Professor: Fernando Boavida Fernandes

Guia do Estudante 19/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Saídas Profissionais

A Licenciatura em Engenharia Informática no Departamento de Engenharia Informática (DEI)


da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está fortemente
cotada no meio empresarial, como o atesta a situação de pleno emprego dos nossos ex-alunos
em prestigiadas empresas nacionais e internacionais. Outro indicador é o facto de, no estágio
de fim de licenciatura, as propostas de estágio enviadas ao DEI por parte das empresas
excederem em muito o número de alunos finalistas.

De uma forma geral, os empregadores dos Licenciados no DEI são as grandes empresas de
serviços (ex: Banca, Seguros, Energia), Operadores de Telecomunicações (PT, Vodafone,
Optimus e Oni), grandes multinacionais de informática, software houses, grandes empresas
fabris (química, celulose, papel e metalomecânica), administração pública, pequenas e médias
empresas industriais e de serviços, empresas de projecto e consultoria, ensino universitário e
politécnico, institutos e empresas de investigação científica e desenvolvimento tecnológico.

Inscrições, Créditos e Passagens

A conclusão da licenciatura obriga à obtenção de um mínimo de 154 créditos, de acordo com a


seguinte distribuição por áreas científicas:

Matemática (MA) - 14
Física (FI) - 3,5
Informática (INF) - 94,5
Economia, Gestão e Ciências Sociais (EGCS) - 10,5
Especialidades Optativas (OP) - 17,5
Estágio (EST) - 14
TOTAL 154

São consideradas de tronco comum todas as disciplinas das seguintes áreas científicas: MA,
FI, INF e EGCS.
Para que um aluno se possa matricular a disciplinas de especialidade optativas (disciplinas da
área científica OP) deve, no conjunto de todas as disciplinas que frequenta e das que já
concluiu, abranger todas as disciplinas de tronco comum.
Cada aluno da Licenciatura em Engenharia Informática (LEI) pode inscrever-se em cada ano
lectivo no número de cadeiras correspondentes a 35 Unidades de Crédito (UC) em que se
matricule pela 1ª vez; e no total poderá inscrever-se a cadeiras que perfaçam 42 UC ( 1ª
inscrições e re-inscrições ).
A matrícula em qualquer das disciplinas de estágio (Estágio A ou Estágio B) só é permitida
desde que:
• O aluno fique matriculado num número de uc que lhe permita completar a
licenciatura;
• No semestre em que vai frequentar a disciplina de estágio, o aluno só pode
inscrever-se a um máximo de duas outras disciplinas para além do Estágio.
A definição do ano da licenciatura em que o aluno se encontra inscrito é obtida usando a
seguinte fórmula: seja n = 1,2,3,4,5 e
154
C=
5
Considera-se que o aluno está inscrito no ano n se o número de unidades de crédito (uc) nas
disciplinas já realizadas com aprovação satisfizer
C
uc ≥ ( n − 2 ) C+
2

Guia do Estudante 20/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Classificação Final

A classificação final da Licenciatura é a média aritmética ponderada de todas as disciplinas, em


que o peso de cada disciplina nesse cálculo é igual ao número de créditos dessa disciplina.

Informações sobre a LEI


Para informações adicionais sobre a LEI contactar:

Doutor Paulo de Carvalho (Coordenador da LEI)


E-mail: carvalho@dei.uc.pt

Avaliação e Exames

Não pretendendo enunciar neste texto todas as normas aplicáveis às provas de avaliação vão-
se, contudo, destacar algumas das principais. Para mais informações, sugere-se a consulta
das normas gerais de avaliação da FCTUC ou o pedido de esclarecimentos junto da Comissão
Pedagógica do Departamento de Engenharia Informática.
Princípios Gerais

Os processos de avaliação devem ser enformados por princípios de igualdade, justiça, rigor e
transparência.
Divulgação dos critérios de avaliação

O processo e os critérios de avaliação de conhecimentos a uma dada disciplina devem ser


dados a conhecer ao discente de uma forma clara e objectiva no início da leccionação de cada
disciplina.
Provas de Avaliação de Conhecimentos

1. O discente tem sempre direito ao enunciado e ao recibo da prova escrita a que se


submete.
2. Após a afixação das classificações das provas escritas, deve ser facultada a consulta da
respectiva prova ao discente e prestados esclarecimentos sobre a correcção da mesma se
por este solicitado.

3. As provas escritas de avaliação de conhecimentos serão referentes à matéria leccionada e


sumariada até uma semana antes da realização das mesmas.

4. Os docentes encarregados da regência de qualquer disciplina deverão realizar uma sessão


de correcção da prova escrita sempre que sejam solicitados por mais de metade dos
alunos que se submeteram à referida prova.

5. Só podem ser admitidos a exame final num dado ano lectivo numa disciplina os alunos que
em relação à mesma estejam regularmente inscritos nesse ano lectivo e que reúnam as
condições de frequência fixados através dos critérios de avaliação para a prestação do
exame final.

6. Se dos critérios de avaliação de uma determinada disciplina constarem provas de


frequência (entendidas como provas anteriores e de natureza ou incidência idêntica à
prova de exame final, podendo a obtenção de aproveitamento nessas provas conduzir à
dispensa de exame), o direito dos alunos de se apresentarem à prova de exame final não
pode depender ou ficar condicionado pelos resultados obtidos nas referidas provas de
frequência.

Guia do Estudante 21/29


Licenciatura em Engenharia Informática

7. Na eventualidade de um aluno ter ficado dispensado de exame final, em virtude do


aproveitamento obtido em provas de frequência, cabe ao docente responsável por cada
disciplina definir se a nota de aprovação obtida dessa forma fica ou não garantida caso o
aluno opte por se apresentar a exame na época normal para tentar melhorar a sua
classificação.

8. Nas disciplinas com aulas práticas pode a admissão a exame ficar condicionada à
presença e obtenção de aproveitamento num número mínimo de aulas práticas a fixar pelo
responsável da disciplina. O número mínimo de presenças acima referido nunca poderá
ser superior a 75% do número total de aulas práticas efectivamente leccionadas.

9. Em cada ano lectivo, em relação a cada disciplina, haverá as seguintes épocas de exame
final: Época normal; Época de recurso; Época especial.

10. Na época normal, cada aluno pode prestar provas de exame final em todas as disciplinas
em que reuna as condições legais para tal.

11. Na época de recurso, cada aluno pode prestar provas de exame final em disciplinas a cujo
exame na época normal não tenha comparecido ou, tendo comparecido, dele haja
desistido ou nele haja reprovado.

12. Na época de recurso especial, cada aluno pode prestar provas de exame final em
disciplinas a cujo exame na época normal não tenha comparecido ou, tendo comparecido,
dele haja desistido ou nele haja reprovado, desde que, com a aprovação em tais
disciplinas, reúna as condições necessárias à obtenção de um grau ou diploma. Podem
ainda aceder a esta época especial todos os alunos que reúnam determinadas condições
especiais (a informação sobre os requisitos necessários podem ser obtidos junto da
Comissão Pedagógica). Nesta época especial de exames o aluno poderá realizar até um
máximo de 2 disciplinas.

13. As classificações das provas de frequência de uma determinada disciplina devem ser
divulgadas e dadas a conhecer ao aluno pelo menos três dias antes da realização do
correspondente exame da época normal.

14. Os resultados dos exames de uma determinada disciplina devem ser divulgados e dados
a conhecer aos alunos até 30 dias após a realização do respectivo exame.

15. Caso os prazos acima indicados sejam excedidos, poderão os alunos requerer admissão
a exame à época especial, fundamentada no atraso registado, para a(s) disciplina(s) em
questão, devendo evidenciar e justificar nos documentos apresentados em que medida o
atraso verificado prejudicou as suas actividades escolares e de preparação para provas de
avaliação de conhecimentos.

16. A avaliação final nas disciplinas a que correspondam 10 ou mais unidades de crédito será
efectuada por um júri de pelo menos três docentes e incluirá necessariamente a
apreciação de um relatório escrito.

O Programa Sócrates-Erasmus

Sócrates é um programa de acção da Comunidade Europeia para a cooperação no domínio da


educação, sendo aplicado aos 15 estados membros da União Europeia, bem como à Islândia,
ao Liechtenstein e à Noruega.
O programa procura abrir aos estudantes perspectivas, quanto à dimensão europeia, das
matérias que estudam, fomentando oportunidades de experiências pessoais no ensino em
outros países europeus, visando desenvolver um sentido mais forte de partilha de uma
identidade europeia e estimular a capacidade para se configurar e adaptar às transformações
económicas e sociais. Os países com ou quais existem acordo institucionais são os seguintes:
Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Grécia, Islândia, Itália e Suécia.

Guia do Estudante 22/29


Licenciatura em Engenharia Informática

O programa Sócrates apoia o ensino superior através da ERASMUS.

Requisitos
Os estudantes que seguem, numa universidade parceira (como o é a Universidade de
Coimbra), um programa de estudos no contexto institucional no âmbito do SOCRATES-
ERASMUS são considerados «estudantes ERASMUS», desde que estejam preenchidas as
condições seguintes:
ƒ Os estudantes devem ter terminado o primeiro ano do ensino universitário;
ƒ O Departamento envolvido deve ter assinado um acordo nos termos do qual se
compromete a enviar e a receber um determinado número de estudantes durante o
ano lectivo em questão;
ƒ O período de estudos efectuado no estabelecimento parceiro não pode ser inferior a
três meses nem superior a um ano;
ƒ O período de estudos no estrangeiro deve ser parte integrante do programa de estudos
do estabelecimento de origem;
ƒ O período de estudos no estrangeiro deve ser objecto de pleno reconhecimento
académico, isto é, a universidade de origem compromete-se a reconhecer que o
período de estudos efectuado no estrangeiro (incluindo exames ou outras formas de
avaliação) substitui um período de estudos comparável efectuado no estabelecimento
de origem;
ƒ As universidades parceiras e o estudante devem chegar a um acordo sobre o
programa de estudos.

Apoio Financeiro
O estudante ERASMUS pode candidatar-se a uma bolsa de mobilidade ERASMUS. As bolsas
de mobilidade destinam-se a contribuir para cobertura de despesas extraordinárias decorrentes
do período de estudos no estrangeiro e não abrangem as despesas que os estudantes teriam
normalmente no país de origem.

Prazos Importantes
Manifestação de interesse no intercâmbio ao abrigo do programa ERASMUS: até 1 de Janeiro
de cada ano lectivo
Candidatura ao programa ERASMUS: até 1 de Abril de cada ano lectivo
A candidatura é feita sempre para o ano lectivo seguinte.

Informações
Prof. Doutor Licínio Roque Dr.ª Lucília Ferreira
FCTUC-DEI Gabinete de Relações Internacionais
E-mail: lir@dei.uc.pt Palácio dos Grilos – Reitoria
Tel. 239.852600

O Programa BEST

"O BEST - Board of European Students of Technology é uma organização europeia de


Tecnologia que congrega estudantes de 57 universidades em 22 países. O objectivo principal
do BEST é promover e aprofundar o intercâmbio estudantil e a cooperação entre as
universidades que o constituem, nomeadamente através da promoção, apoio e
acompanhamento de estudantes em estágios, e períodos intensivos no estrangeiro, tarefas
essas que são da responsabilidade dos respectivos grupos locais do BEST.
Os cursos intensivos de Verão têm duração máxima de duas semanas, sendo organizados
pelos Grupos Locais do BEST (LBG), com a colaboração das suas Universidades, em áreas
tecnológicas onde se distingam.

Guia do Estudante 23/29


Licenciatura em Engenharia Informática

O grupo organizador responsabiliza-se pelas despesas de alojamento, alimentação, material


de apoio e actividades culturais dos participantes nos cursos intensivos de Verão.
Os requisitos necessários para participar nestes cursos é ser estudante da FCTUC e ter
espírito Internacional e além disso, BEST esta aberto à participação e ajuda de toda a
comunidade estudantil da FCTUC em eventos futuros que serão realizados em COIMBRA.

Informações:
BEST - Grupo Local de Coimbra
Dep. de Engenharia Electrotécnica - GAB. 3A.10
Pólo II - Pinhal de Marrocos
3030 - Coimbra
Telefone: 239.796222
e-mail: best@student.dei.uc.pt
Web-page: http://best.dee.uc.pt

Serviços de Apoio ao Estudante

Secretaria
A secretaria do Departamento de Engenharia Informática situa-se no piso 1, sendo o seu
horário de atendimento das 09h00 ás 12h30 e das 14h00 ás 17h00, todos os dias úteis. Aqui
poderá encontrar os serviços de:
ƒ inscrição de alunos no servidor de alunos (STUDENT);
ƒ inscrições para Apresentação/Defesa de trabalhos e recepção dos mesmos;
ƒ requisição de cacifos.

Sala de Estudo
A sala de estudo situa-se no 6º piso do Bloco E (E.6.1) e está aberta todos dias úteis durante
as 08h00 e as 20h00. Os utilizadores desta sala poderão executar actividades relacionadas
com os seus estudos, bem como trabalhos de grupo ou outras actividades a nível pedagógico.

Cantina
A cantina do Pólo II funciona em edifício contíguo ao Departamento de Engenharia Informática,
dispondo de três locais onde poderá almoçar: a cantina de prato social que funciona das 12h00
às 14h30, a cantina Regional que funciona das 12h00 às 14h30 e o Snack, que funciona das
12h00 às 15h00. Os horários em são servidos o pequeno almoço e o jantar são,
respectivamente, entre as 08h00 e as 10h00, e as 19h00 e as 21h00.

Bar
O DEI dispõe de um bar que se situa no piso 4, junto ao bloco A do edifício. Este é o local onde
poderá tomar o pequeno-almoço, o almoço, o lanche ou o café. O serviço de bar funciona entre
as 09h00 e as 11h00 e entre as 14h00 e as 18h00. Entre as 12h00 e as 14h00 o bar do DEI
funciona como cantina de prato social.

Biblioteca
A Biblioteca do DEI situa-se nos 5º e 6º pisos do edifício do Bloco A e funciona entre as 10h00
e as 20h00, todos os dias úteis. Qualquer aluno poderá consultar os livros e revistas expostos
no local.
Lista: leitores@dei.uc.pt

Extensão dos Serviços Académicos


A Extensão dos Serviços Académicos situa-se no 1º piso. Compete à Extensão dos Serviços
Académicos organizar e disponibilizar legislação e dados referentes a actividades escolares,
nomeadamente no que diz respeito à avaliação, e tratar todos os assuntos relativos a exames

Guia do Estudante 24/29


Licenciatura em Engenharia Informática

e frequências. Assim, qualquer dúvida sobre exames e frequências (por exemplo: inscrições
em provas de avaliação, pautas e registo de avaliações) poderá ser apresentada nesta secção.
A Extensão dos serviços académicos está aberta todos os dias úteis entre as 14h00 e as
16h30.

Quiosque
O Quiosque situa-se no 4º piso e encontra-se aberto todos os dias úteis entre as 09h00 e as
19h00. Neste espaço tem à disposição os seguintes serviços: fotocopiadora, livraria,
papelaria, posto de correio, telefone, impressões, jornais e revistas. Aqui pode encontrar os
apontamentos das disciplinas, disponibilizados pelos professores.

Serviços de Informática e Comunicações


O SIC (Serviços de Informática e Comunicações do DEI) é responsável pela manutenção do
parque informático do DEI, infra-estrutura de comunicações locais e Internet, bem como pela
disponibilização de diversos Serviços de Rede à comunidade de utilizadores do DEI.
De um total de 14 salas de aulas equipadas com computadores ligados em rede e com
ligação à Internet, 4 salas de acesso livre podem ser utilizadas por todos os alunos que
frequentam disciplinas leccionadas no DEI. Estas salas estão situadas no 4º piso do Bloco E
e estão abertas todos os dias úteis entre as 09h00 e as 20h00. As normas de funcionamento
estão afixadas na porta de cada uma delas.
Todos os alunos devem obrigatoriamente requerer a criação de uma área de trabalho na
Rede do DEI para que possam ter acesso aos computadores disponibilizados nas salas de
aulas e aos demais Serviços de Rede. Entre os Serviços disponibilizados podem apontar-se
os seguintes:
• Correio electrónico com filtragem de SPAM e Vírus.
• Armazenamento de ficheiros em ambientes UNIX e WINDOWS.
• Acesso sem restrições à Internet.
• Acesso remoto ao DEI via ligações analógicas (33.6 Kbps) ou RDIS (128 Kbps).
• Acesso a software (mirrors) GPL e software licenciado pelo DEI.
• Acesso Wireless à Rede da Universidade de Coimbra.
O SIC mantém em permanência uma equipa para resolução de problemas ou esclarecimento
de dúvidas que pode ser contactada pelos seguintes meios:
• Por correio electrónico no endereço de helpdesk@dei.uc.pt.
• Pessoalmente nas salas G6.4 e G6.5.
• Por telefone no número 239790071.
Mais informações podem ser obtidas na página http://helpdesk.dei.uc.pt.

Clube de Programação
O Clube de programação tem como objectivos centrais: (1) Promoção do gosto pelas técnicas
de programação e a sensibilidade para estas questões no âmbito da Informática. (2)
Realização de um espaço de desafios periódicos que estimulem: a prática de técnicas de
programação que aparecem frequentemente nos concursos de programação e em programas
desenvolvidos comercialmente; assim como a capacidade de resolução de problemas. (3)
Preparação de equipas do DEI para a participação em concursos nacionais e internacionais de
programação, nomeadamente através da simulação de concursos e pelo lançamento de
baterias de problemas. (4) Organização de concursos de programação com escolas do Ensino
Secundário. (5) Realização de workshops sobre técnicas de programação, algoritmos ou
estruturas de dados, orientadas para os concursos de programação. (6) Manutenção de um
repositório sobre técnicas de programação, algoritmos, estruturas de dados, assim como de
todo o material considerado relevante para o estudo e prática da programação

Guia do Estudante 25/29


Licenciatura em Engenharia Informática

VISITA O SITE DO CLUBE E INSCREVE-TE ATRAVÉS DO SITE DO DEI !!

O LAGE
O LAGE é o Laboratório de Gestão do Departamento de Engenharia Informática (DEI), criado
pela respectiva Comissão Cientifica, que promove experiências organizativas e de gestão para
os habitantes do DEI. Os seus membros são maioritariamente alunos do Departamento de
Engenharia Informática.
O LAGE permite aos seus membros: ganhar experiência e desenvolver competências
organizativas e de gestão; contactar com as realidades da gestão e do mundo das empresas e
organizações; e contribuir para o prestigio da imagem do DEI.
As actividades realizadas pelo LAGE abrangem um vasto leque de interesses, tais como,
desporto, cultura, gestão e novas tecnologias. Eventos como CineDEI, TechDEI, Jobs@DEI,
ArteDEI, SemGest, Kartada, entre muitos outros organizados pelo LAGE, fazem já parte da
cultura e vida quotidiana do Departamento de Engenharia Informática.
Para além dos eventos organizados no Laboratório, o LAGE apoia, através de consultoria e
transferência de “know-how”, uma série de outras actividades no âmbito das cadeiras de
Processos de Gestão e Gestão de Empresas, onde se inclui o Encontro de Gestão e
Tecnologias de Informação.
Para que os objectivos sejam totalmente cumpridos contamos com a colaboração de todos os
elementos da comunidade deiana. Estamos continuamente à procura de novos colaboradores,
ideias e muita garra!
Email: info@lage.dei.uc.pt
Lista: http://lage.dei.uc.pt

O NEI
O NEI/AAC – Núcleo de Estudantes de Informática / Associação Académica de Coimbra,
criado a 24 de Abril de 1997, é uma extensão da Associação Académica de Coimbra com vista
a servir o estudante de Informática da Universidade de Coimbra.
É objectivo deste núcleo apoiar e ajudar a resolver as necessidades dos estudantes da LEI,
contribuindo, deste modo, para o bom funcionamento do DEI. Para o efeito, o NEI mantém um
estreito relacionamento com os órgãos do Departamento, nomeadamente com a Comissão
Pedagógica, a qual indigita um representante seu para a direcção do NEI, constituindo, deste
modo, um canal de comunicação informal entre os estudantes e os responsáveis pela
licenciatura.
O NEI mantém, ainda, relações estreitas com a AEUC - Associação de Engenharias da
Universidade de Coimbra - através de um elemento indigitado por esta associação que integra
a direcção do núcleo, complementando, deste modo, o diálogo com o mundo empresarial que
aspira manter.
Os dois elementos da direcção do núcleo indigitados pela DG/AAC – Direcção Geral /
Associação Académica de Coimbra – têm como função servir de ponte entre esta e o NEI,
permitindo um elo de ligação mais forte entre a Associação, da qual todos os estudantes da
Universidade de Coimbra são sócios, e os alunos do Departamento de Engenharia Informática
desta mesma Universidade.
Um dos grandes objectivos do NEI é tornar apelativa a permanência no Departamento de
Engenharia Informática, contrapondo o facto de o Pólo II se encontrar distante do centro da
cidade. Para atingir esse objectivo, pretende-se criar espaços e actividades culturais, científica
e técnicas.
O NEI não trabalha isolado, apelando a que qualquer estudante de Engenharia Informática
colabore na organização e desenvolvimento de actividades. Qualquer aluno pode expor as
suas ideias e participar na organização das mesmas.
Email: neiaac@student.dei.uc.pt

Guia do Estudante 26/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Lista: nei@eden.dei.uc.pt

Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra


CISUC: um centro de investigação de excelência.
O CISUC - Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra - é uma unidade
de I&D criada em 1991 ao abrigo do Programa Ciência. Estrutura plural, o CISUC tem como
membros os docentes do DEI e ainda docentes e investigadores de outros departamentos da
UC e de outras escolas de ensino superior da região centro do país.
O CISUC tem por missão realizar investigação científica e tecnológica pré-competitiva no
domínio da Informática e Sistemas, formar profissionais altamente qualificados em
actividades de I&D, nomeadamente aos níveis de mestrado e doutoramento, participar em
programas de I&D de dimensão internacional, realizar investigação e desenvolvimento por
contrato e colaborar na formação científica e tecnológica de quadros de países de língua
oficial portuguesa.
Para concretizar a sua missão, o CISUC encontra-se actualmente estruturado em oito
grupos de investigação:
ƒ Ciência da Computação,
ƒ Inteligência Artificial, Fundamentos e Aplicações,
ƒ Simulação e Tecnologias da Informação em Educação e Formação Profissional,
ƒ Computação Adaptativa,
ƒ Sistemas Confiáveis,
ƒ Comunicações e Serviços Telemáticos,
ƒ Bases de Dados,
ƒ Engenharia de Software e Sistemas de Informação
Os grupos desenvolvem a sua actividade concentrada em quatro áreas chave de
competência: conectividade, computação, informação e conhecimento. Os diferentes grupos
não trabalham de forma isolada tendo a colaboração inter-grupos vindo progressivamente a
aumentar, cimentada pela concretização de projectos horizontais.
Os membros do CISUC participam em vários projectos nacionais e internacionais, publicam
regularmente os resultados do seu trabalho nas melhores revistas e conferências da sua
área e tem vindo a receber por diversas vezes prémios e distinções que qualificam
internacionalmente o CISUC como um centro de excelência.
Em termos organizacionais o CISUC possui uma Comissão Cientifica (CC) e uma Comissão
Directiva (CD). A CD tem um Presidente que tem funções de representação do Centro e de
coordenação da implementação da política de I&D decidida pela CC.
Informação adicional pode ser encontrada na página Web do CISUC: http://cisuc.dei.uc.pt/

O Instituto Pedro Nunes


Criado em 1991, por iniciativa da Universidade de Coimbra, o Instituto Pedro Nunes –
Associação para a Inovação e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia é uma instituição
de direito privado, de utilidade pública, sem fins lucrativos, que promove a inovação na área
científica e tecnológica, com o objectivo último de reforçar a competitividade da economia
nacional através da promoção tecnológica e organizativa do tecido produtivo.
Está organizado em torno de laboratórios - entre os quais o Laboratório de Informática e
Sistemas - e de uma incubadora de empresas. Para além das actividades de consultadoria,
I&D em consórcio com a indústria, formação altamente especializada, actividades essas
desenvolvidas tantos nos seus próprios laboratórios como em laboratórios da Universidade
de Coimbra, estimula e promove a criação de empresas - spin-offs académicos - assumindo-
se como elemento fundamental na cadeia da inovação e da transferência de tecnologia.

Laboratório de Informática e Sistemas


Integrando o Instituto Pedro Nunes, o Laboratório de Informática e Sistemas (LIS) é uma
estrutura de interface de I&DT na área das Tecnologias da Informação e Comunicações
intimamente ligada ao DEI e ao CISUC.
As actividades do LIS centram-se em torno de projectos de inovação e desenvolvimento
tecnológico, de acções de consultoria, formação, auditoria e prestação de serviços
especializados aos níveis de concepção, realização, integração e operação de sistemas de
informação e infra-estruturas de comunicação.

Guia do Estudante 27/29


Licenciatura em Engenharia Informática

Como paradigma de actividade são procurados os projectos multidisciplinares na área da


informática que lancem desafios ao nível da inovação e do desenvolvimento, realizados em
regime de estreita ligação (parceria ou consórcio) com as entidades cliente.
Nos projectos realizados é comum a constituição de equipas de trabalho, integradas por
docentes, investigadores, engenheiros, recém-licenciados e alunos de Engenharia
Informática.

A Incubadora de Empresas do IPN


A Incubadora de Empresas do IPN é uma infra-estrutura destinada a apoiar a constituição e
desenvolvimento de novas empresas de base tecnológica. Para esse efeito a incubadora
disponibiliza aos interessados os seguintes apoios:
Instalações
Infra-estruturas
Apoio administrativo
Apoio para obtenção de financiamentos
Apoio científico e tecnológico

Para mais informações deve contactar directamente o IPN.


Contactos IPN Contactos LIS
Instituto Pedro Nunes Laboratório de Informática e Sistemas
Rua Pedro Nunes Instituto Pedro Nunes
3030 Coimbra Rua Pedro Nunes
3030 Coimbra
Tel.: 239.700900 Tel.: 239.700983
Fax: 239.700912 Fax: 239.700986
Email: ana@ipn.pt Email: lis@ipn.pt
URL: http://www.ipn.pt URL: http://lis.ipn.pt

Calendário Escolar
Primeiro semestre

12 de Setembro a 21 de Dezembro - Aulas


22 de Dezembro a 03 de Janeiro - Férias de Natal
04 de Janeiro a 27 de Janeiro - Exames (Época Normal)
30 de Janeiro a 10 de Fevereiro - Exames (Época Recurso)

Feriados: 05 de Outubro (4ªfeira); 01 de Novembro (3ªfeira); 01 de Dezembro (5ªfeira); 08 de


Dezembro (5ªfeira); Abertura Solene das Aulas (12 ou 19 de Outubro - 4ªfeira)

Segundo semestre

13 de Fevereiro a 11 de Abril - Aulas


12 de Abril a 18 de Abril - Férias de Páscoa
19 de Abril a 02 de Junho - Aulas
05 de Maio a 10 de Maio - Queima das Fitas
03 de Junho a 11 de Junho - Pausa Escolar
12 de Junho a 07 de Julho - Exames (Época Normal)
10 de Julho a 21 de Julho - Exames (Época Recurso)

Feriados: 28 de Fevereiro (3ªfeira); 25 de Abril (3ªfeira); 01 de Maio (2ªfeira); 15 de Junho


(5ªfeira); 04 de Julho (3ªfeira)

Época Especial de Exames de Setembro – 04 a 22 de Setembro

Guia do Estudante 28/29


Licenciatura em Engenharia Informática

SERVIÇO DE AUTOCARRO:

Guia do Estudante 29/29

Você também pode gostar