Você está na página 1de 11

Biologia e Geologia 11º Ano Janeiro de 2022

Ficha de trabalho
****************************************************************
GRUPO I
Os dinoflagelados são seres unicelulares. Podem ser fotoautotróficos pigmentados ou heterotróficos
incolores, mas algumas espécies pigmentadas apresentam os dois tipos de nutrição. Normalmente a presa é
capturada pelos pseudópodes do organismo e ingerida por uma abertura oral associada ao sulco flagelar
longitudinal.
Algumas espécies raras possuem uma estrutura complexa semelhante a um olho – o «oceloide» – que lhes
permite orientarem-se em direção à luz e, provavelmente, detetar as suas presas.
Um estudo recente, utilizando técnicas de microscopia eletrónica, de tomografia e de estudos de
expressão génica, demonstrou que os «oceloides» se formaram a partir de organitos pré-existentes, como
mitocôndrias e plastos. Os dados sugerem que a «retina» é constituída por plastos e que a «córnea» é
constituída por mitocôndrias. Os estudos de expressão génica apontam para a existência, em várias linhagens
de dinoflagelados, de estruturas fotossensíveis simples, com origem provável, tal como o «oceloide», em
plastos existentes numa alga vermelha antiga, que terá sido incorporada pelo ancestral comum de todos os
dinoflagelados.
Nota – Retina e córnea são estruturas do globo ocular de muitos animais.

1. O «oceloide» é uma estrutura ___ a outras estruturas fotossensíveis existentes em diversos


dinoflagelados, o que constituirá um caso de evolução ___.
(A) análoga … divergente
(B) homóloga … convergente
(C) homóloga … divergente
(D) análoga … convergente
2. A presença de cloroplastos num ser unicelular torna possível a sua inclusão no Reino
(A) Monera. (B) Protista (C) Fungi (D) Plantae

4. As características dos ribossomas e ___das mitocôndrias são argumentos a favor do modelo ___ da
evolução das células eucarióticas, a partir de células procarióticas.
(A) do DNA ... endossimbiótico
(B) das proteínas … autogénico
(C) do DNA ... autogénico
(D) das proteínas ... endossimbiótico
8. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica de acontecimentos relacionados
com a evolução para os eucariontes.
(A) A nova espécie resulta da fusão de genomas.
(B) A parede celular perde rigidez.
(C) Endocitose de procariontes com capacidade de produção de ATP.
(D) Por invaginação da membrana forma-se uma estrutura endomembranar dentro da qual se encontra
encerrado o material genético precursor do núcleo.
(E) Estabelecimento de relações de simbiose com a célula hospedeira.
Biologia e Geologia Página 1
9.Explique o aparecimento da multicelularidade tendo como ponto de partida o modelo endossimbiótico.

GRUPO II
A fermentação de vegetais contribui para a sua conservação e para a obtenção de produtos com
interesse nutricional.
A fermentação láctica pode ocorrer por duas vias: a via homolática, cujo produto final é o ácido
láctico, e a via heterolática, que origina, entre outros, ácido láctico e ácido acético.
As culturas bacterianas de arranque (culturas previamente selecionadas e cultivadas em laboratório)
constituem uma alternativa à «flora microbiana» indígena (que ocorre de forma natural
nos vegetais). Entre outros aspetos, a utilização dessas culturas possibilita o início mais rápido da
fermentação, conduzindo a acidificações mais rápidas, que evitam a deterioração dos vegetais por
diminuírem a ação de micro-organismos deteriorantes.
Com o objetivo de avaliar o efeito de diversas bactérias ácido-lácticas na fermentação de uma mistura de
vegetais, foi desenvolvida a investigação seguinte.
Métodos e resultados
1 – Produziu-se uma mistura de vegetais contendo 45% de couve, 20% de cenoura, 10% de cebola,
2% de sal e 23% de água.
2 – A mistura de vegetais, não sujeita a esterilização, foi submetida a três tratamentos: A – sem
inoculação; B – inoculação com uma cultura bacteriana de arranque mista (contendo mais do que uma
espécie bacteriana) denominada COOP; C – inoculação com uma cultura bacteriana de arranque mista
denominada F3.
3 – Cada um dos ensaios foi incubado a 20 °C, durante 72 h, e posteriormente armazenado a 4 °C.
4 – Em cada ensaio, avaliou-se a produção de ácido láctico e de ácido acético aos 0, 1, 3, 7 e 30 dias. Os
resultados constam dos gráficos A, B e C, apresentados na figura 1.

Figura 1
1. De acordo com o objetivo desta investigação, uma das variáveis dependentes em estudo é a
(A) concentração de ácido láctico.
(B) temperatura de incubação.
(C) variedade de vegetais usados.
(D) cultura de arranque utilizada.

Biologia e Geologia Página 2


2. O controlo desta investigação implicou a
(A) esterilização dos vegetais em todos os ensaios.
(B) exposição de cada um dos ensaios a diferentes temperaturas.
(C) avaliação de diferentes parâmetros em cada um dos ensaios.
(D) presença de «flora indígena» em todos os ensaios.
3. De acordo com os resultados apresentados,
(A) no ensaio sem inoculação, a concentração de ácido acético estabilizou a partir do 2.º dia.
(B) a produção de ácido láctico atingiu um valor máximo quando se utilizou a cultura bacteriana F3.
(C) a diminuição da concentração de ácido láctico, nos ensaios B e C, ocorreu ao mesmo tempo.
(D) no ensaio com a cultura COOP, a concentração de ácidos aumentou continuamente.
4. Os vegetais servem de alimento a algumas aves que realizam trocas gasosas através dos
(A) pulmões, sendo necessário um ciclo ventilatório para que o ar percorra todo o sistema respiratório.
(B) sacos aéreos, onde apenas circula oxigénio.
(C) pulmões sendo necessário dois ciclos ventilatórios para que o ar percorra todo o sistema
respiratório.
(D) sacos aéreos que reduzem a densidade das aves e não intervêm nas trocas gasosas.

5. Ordene as expressões identificadas pelas letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica


de acontecimentos que ocorrem durante a fermentação.
(A) Formação de ácido láctico.
(B) Produção de ATP.
(C) Formação de ácido pirúvico.
(D) Utilização de ATP.
(E) Desdobramento da molécula de glucose.
6. De acordo com alguns investigadores, a otimização da fermentação industrial de uma mistura de vegetais é
atingida quando, além da produção de ácido láctico, ocorre também a produção moderada de ácido acético.
Fundamente a escolha de um dos processos (A, B ou C), em detrimento dos outros, para aplicação na
fermentação industrial de misturas de vegetais, considerando os resultados obtidos nos três ensaios.

GRUPO III

Nas ilhas Canárias, foi efetuado um estudo filogenético de três espécies de lagarto do géneroGallotia
(Gallotia galloti, Gallotia atlantica e Gallotia stehlini) e de quatro populações da espécie Gallotia galloti (galloti
Tenerife, galloti Palma, galloti Gomera e galloti Hierro).
A figura 2 apresenta a distribuição geográfica de cada uma das espécies estudadas.
Com base em dados de genética molecular, foi construído o diagrama representado na figura 3 os
números indicam a quantidade de substituições de nucleótidos no DNA mitocondrial para o gene
do citocromo b (proteína da cadeia transportadora de eletrões), ao longo das gerações, refletindo a distância
genética entre os ramos. Na ilha de Tenerife, foram analisadas duas populações, G. galloti S.Tenerife, no sul,
árido, e G. galloti N.Tenerife, no norte, húmido.
Para estudar as diferenças morfológicas dos lagartos das diferentes populações, os investigadores
recolheram indivíduos de ambos os sexos de cada uma das populações das diferentes ilhas. Os répteis foram
criados em cativeiro, mantendo-se a separação entre as diferentes populações, em condições ambientais

Biologia e Geologia Página 3


idênticas. As descendências, de cada uma das populações, continuaram a mostrar diferenças, de acordo com
as características parentais.

Figura 2

Figura 3

1. As condições de cativeiro permitiram o cruzamento aleatório entre lagartos ___ e as descendências___


diferenças morfológicas interpopulacionais.
(A) de populações diferentes … apresentaram
(B) de populações diferentes … não apresentaram
(C) da mesma população … não apresentaram
(D) da mesma população … apresentaram
2. Relativamente à espécie Gallotia stehlini, a espécie Gallotia atlantica apresenta ___ dispersão
geográfica e está filogeneticamente ___ afastada da espécie ancestral.
(A) maior … mais (B) maior … menos (C) menor … menos (D) menor … mais

3. Segundo o diagrama da Figura 4, as populações de G. galloti que apresentam maior semelhança no DNA
mitocondrial para o gene do citocromo b são
(A) as de La Gomera e as do sul de Tenerife.
(B) as do sul deTenerife e as do norte deTenerife.
(C) as de La Gomera e as de El Hierro.
(D) as do norte de Tenerife e as de La Palma.

Biologia e Geologia Página 4


4. As mutações génicas conduzem sempre à
(A) formação de proteínas mais eficientes.
(B) alteração da sequência original de desoxirribonucleótidos.
(C) formação de proteínas não funcionais.
(D) alteração da sequência original de aminoácidos.
5. A comparação da sequência de aminoácidos do citocromo b de diferentes espécies, com vista à construção
de árvores filogenética, constitui um argumento
(A) citológico, segundo uma perspetiva darwinista.
(B) bioquímico, segundo uma perspetiva darwinista.
(C) bioquímico, segundo uma perspetiva neodarwinista.
(D) citológico, segundo uma perspetiva neodarwinista.
6. Quanto ao tipo de nutrição os lagartos podem ser classificados ___ quanto à fonte de carbono, e, ____
quanto ao modo de obtenção de energia,.
(A) heterotróficos … quimiossintéticos
(B) autotróficos … quimiossintéticos
(C) heterotróficos … fotossintéticos
(D) autotróficos … fotossintéticos
7. A classificação apresentada na figura 4 traduz uma perspetiva ___, sendo ___.
(A) pós-darwiniana … racional e filogenética
(B) pré-darwiniana … racional e filogenética
(C) pós-darwiniana … racional e natural
(D) pré-darwiniana … prática e natural.
8. Explique de que modo a formação de ilhas contribuiu para a diversificação de formas de vida na Terra.

9. Os lagartos são animais ectotérmicos e a regulação da sua temperatura corporal pode envolver, entre
outros aspetos, a deslocação entre locais sombrios e locais soalheiros.
Explique em que medida o referido comportamento pode contribuir para a regulação da temperatura
corporal dos répteis, sob o ponto de vista darwinista.

GRUPO IV
A evolução tende a ser um processo longo e de difícil estudo à escala de tempo humano. Contudo, existem
algumas espécies que evoluem de forma relativamente rápida e que permitem o estudo da evolução em
condições controladas, quer sejam em trabalho de campo ou no laboratório.
No lago Vitória (África), diversas espécies de peixes ciclídeos estão a sofrer especiação à mais alta taxa
conhecida. Em algumas centenas de milhares de anos, formaram-se cerca de 500 espécies de ciclídeos, em
alguns lagos da região.
A radiação visível (luz) que chega à superfície dos lagos é composta por diversas cores que são
absorvidas de forma diferente, ao atravessarem a água. Quando a água possui sedimentos dissolvidos,
absorve a radiação azul mais perto da superfície, e às camadas mais profundas apenas chega a radiação
vermelha. Muitos peixes adaptaram-se para detetar de forma mais precisa as cores mais abundantes do seu
ambiente. Assim, os peixes que habitam as camadas mais superficiais dos lagos africanos ricos em sedimentos
suspensos distinguem melhor as cores azuis e os peixes das camadas mais profundas veem melhor nas cores
vermelhas.

Biologia e Geologia Página 5


Experiência I
Os cientistas Seehausen e Alphen colocaram ciclídeos da espécie Pundamilia pundamilia e Pundamilia
nyererei em dois tanques:
 tanque A: luz natural, que faz com que as duas espécies sejam muito distintas relativamente à cor que
os machos possuem;
 tanque B: apenas luz cor de laranja (monocromática), que faz com que as duas espécies de ciclídeos
sejam semelhantes em termos de cor.

Os resultados permitiram verificar que as fêmeas no tanque A escolheram cruzar-se com machos da
mesma espécie, enquanto no tanque B as fêmeas de uma espécie se cruzam com machos das duas espécies.
Quando as fêmeas se cruzaram com machos de outra espécie, originaram descendentes híbridos, com
características intermédias das duas espécies eque eram férteis.

Experiência II
Num outro estudo, os cientistas usaram peixes de duas espécies de ciclídeos, em que os machos possuem
cores muito distintas, colocando-os em tanques com água límpida ou tanques com água túrbida, devido à
presença de sedimentos.
Os resultados encontram-se representados no gráfico da figura 4.

Figura 4
1. Mencione o objetivo da experiência I.
2. Na experiência _____, o controlo corresponde ao tanque _____.
(A) I … B
(B) II … com água túrbida
(C) I … A
(D) I … com água límpida

3. Considere as seguintes afirmações, referentes às experiências.


I. O procedimento experimental permite obter conclusões válidas.
II. A experiência I não tem variável independente.
III. A variável independente da experiência II é a frequência de machos com cores distintas que
surgem.
(A) II é verdadeira; I e III são falsas.
(B) II e III são verdadeiras; I é falsa.
(C) I e III são verdadeiras; II é falsa.
(D) I é verdadeira; II e III são falsas.

Biologia e Geologia Página 6


4. É correto afirmar, relativamente à experiência I, que
(A) a especiação resulta do estabelecimento de uma barreira geográfica.
(B) as duas espécies possuem uma barreira reprodutiva que resulta do facto de as fêmeas distinguirem
a cor dos machos.
(C) os dados permitem concluir que o fluxo genético entre as duas espécies deve ser elevado.
(D) a especiação que se está a verificar deve ter sido iniciada há milhões de anos.

5. A principal conclusão da experiência II é de que em tanques com água


(A) límpida ocorreu cruzamento entre as duas espécies.
(B) túrbida as fêmeas identificarem apenas os machos da sua espécie.
(C) túrbida ocorreu cruzamento entre as duas espécies.
(D) límpida as fêmeas não identificarem os machos da sua espécie.

6. De acordo com Lamarck, os ciclídeos


(A) não têm sofrido evolução do longo do tempo.
(B) possuem variabilidade intraespecífica sobre a qual atua o meio ambiente.
(C) têm necessidade de se adaptar à cor da radiação luminosa mais abundante da água.
(D) são selecionados, em que os mais aptos se reproduzem mais e transmitem as suas características à
descendência.

7. A poluição e a desflorestação na região do lago Vitória têm aumentado a turbidez da água, dificultando a
penetração da luz e originando o desaparecimento de muitas das espécies de ciclídeos. Este resultado
pode ser explicado por
(A) cruzamento entre indivíduos de espécies diferentes, formando híbridos.
(B) aumento da especiação dos ciclídeos nas camadas mais profundas dos lagos.
(C) aumento da capacidade das fêmeas detetarem os machos da mesma espécie.
(D) manutenção da especiação dos ciclídeos nas camadas mais superficiais dos lagos.

8. Não pode ser atribuída ao darwinismo a seguinte explicação:


(A) a alteração das condições do meio origina a seleção natural.
(B) as mutações são a fonte primária de variabilidade genética.
(C) a seleção natural permite a reprodução dos mais aptos.
(D) as populações possuem variabilidade intraespecífica.

9. Segundo o modelo endossimbiótico,


(A) as mitocôndrias resultaram de bactérias autotróficas que foram englobadas sem serem digeridas.
(B) os cloroplastos resultaram de bactérias aeróbias que foram englobadas sem serem digeridas.
(C) todas as células se formaram a partir de uma célula eucariótica.
(D) o material genético presente numa célula eucariótica não tem a mesma origem.

10. Os ciclídeos são seres multicelulares e possuem, relativamente às bactérias,


(A) uma maior especialização celular.
(B) uma menor coordenação do funcionamento celular.
(C) um uso menos eficiente da energia.
(D) um aumento da razão área superficial/volume de cada célula.

11. Os organismos Pundamilia nyererei e P. pundamilia


(A) pertencem à mesma espécie.
(B) pertencem à mesma subespécie.
(C) devem possuir diversas estruturas análogas comuns.
(D) devem possuir diversas estruturas homólogas comuns.

Biologia e Geologia Página 7


12. Explique, com base nos dados apresentados e de acordo com o neodarwinismo, o aparecimento de
espécies de ciclídeos com colorações distintas a diferentes profundidades nos lagos africanos,

13. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos que
culminam com o aparecimento de células eucarióticas vegetais.
A. Aparecimento de mitocôndrias.
B. Formação de uma célula contendo um núcleo.
C. Endocitose de uma bactéria autotrófica.
D. Englobamento de uma bactéria aeróbia.
E. Formação de cloroplastos.

14. A Giardia sp. é um protista unicelular que parasita o intestino humano e que pode ter perdido as suas
mitocôndrias ao longo da evolução. De acordo com Lamarck,
(A) ocorreu o atrofiamento das mitocôndrias pelo seu desuso.
(B) a seleção natural aumentou as taxas de sobrevivência das células sem mitocôndrias.
(C) a ocorrência de mutações originou a perda das mitocôndrias.
(D) o ambiente provocou a necessidade de as Giardia aumentarem o seu metabolismo.

15. Faça corresponder cada uma das afirmações expressas na coluna A ao respetivo termo na coluna B.
COLUNA A COLUNA B
(a) Seres unicelulares sem núcleo (1) Fungi
(b) Seres fotossintéticos, multicelulares, com elevada diferenciação tecidular (2) Plantae
(c) Grupo que inclui seres produtores, microconsumidores e decompositores (3) Animalia
(4) Protista
(5) Monera

16. Considere as seguintes afirmações, referentes aos sistemas de classificação.


I. Os primeiros sistemas de classificação eram práticos.
II. Os sistemas de classificação mais avançados são os racionais artificiais.
III. Os sistemas horizontais têm em conta a evolução e o fator tempo.

(A) II é verdadeira; I e III são falsas.


(B) II e III são verdadeiras; I é falsa.
(C) I e III são verdadeiras; II é falsa.
(D) I é verdadeira; II e III são falsas

17. Há cerca de 2400 M.a. ocorreu um aumento rápido do teor oxigénio na atmosfera.
Explique em que medida este aumento do oxigénio foi essencial para o aparecimento das primeiras células
eucarióticas com mitocôndrias, há cerca de 2000 M.a.

GRUPO V
Cinco novas espécies de pseudoescorpiões, pequenos animais da classe dos aracnídeos, foram
descobertas em grutas do Algarve, Alentejo, Penela e Leiria pela bióloga e espeleóloga Ana Sofia Reboleira.
Estes animais também são chamados falsos-escorpiões, porque são muito parecidos com os escorpiões,
apesar de não terem o ferrão e um longo abdómen.
Uma das novas espécies é a Occidenchthonius goncalvesi e foi encontrada em grutas do maciço calcário
do Algarve. “Esta nova espécie, que tem cerca de dois milímetros de comprimento, é um organismo troglóbio,
que significa que está adaptado à vida nas grutas, é despigmentado e carece de estruturas oculares, uma vez
que vive num ambiente onde a obscuridade é total”, descreveu a bióloga, em comunicado. “É também uma
espécie endémica, tem uma distribuição geográfica muito reduzida e só vive em grutas do maciço calcário do
Algarve.”

Biologia e Geologia Página 8


As outras espécies que a bióloga dá a conhecer à Ciência pela primeira vez são a Occidenchthonius
alandroalensis, descoberta numa gruta no Alandroal (Alentejo); a Occidenchthonius algharbicus, descoberta
numa gruta do Cerro da Cabeça (Algarve); a Occidenchthonius duecensis, no sistema espeleológico do Dueça,
em Penela; e a Occidenchthonius vachoni, no maciço calcário de Sicó, em Leiria.
“A diferenciação entre estas quatro espécies encontra-se ao nível do padrão da distribuição das sedas,
que são as estruturas sensitivas do organismo e das estruturas reprodutoras, bem como as proporções
relativas das diferentes partes corporais e a presença de estruturas especializadas”, explicou Ana Sofia
Reboleira, bióloga que se mantém como colaboradora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM)
da UAl.

1. Indique o objetivo dos estudos mencionados no texto.


2. A espécie O. goncalvesi
(A) é pouco sensível às pressões evolutivas.
(B) deverá estar isolada reprodutivamente das outras espécies de pseudoescorpiões.
(C) tem uma ampla distribuição geográfica.
(D) possui um baixo risco de extinção por ser subterrânea.

3. A cor da espécie O. goncalvesi pode ser explicada, de acordo com Lamarck,


(A) pela necessidade de acumular pigmento para se proteger.
(B) pela necessidade causada pelo ambiente em aumentar a acumulação de pigmento.
(C) pelo desuso da acumulação de pigmento.
(D) pela existência de variabilidade na população inicial que habitava as grutas do Algarve.

4. As cinco novas espécies conhecidas _____ ao mesmo género, uma vez que apresentam _____ semelhanças.
(A) pertencem … muitas
(B) não pertencem … muitas
(C) pertencem … poucas
(D) não pertencem … poucas

5. As espécies identificadas pela primeira vez devem estar a sofrer um processo de evolução _____, como
consequência da sua adaptação a ambientes com pressões seletivas _____.
(A) divergente … iguais.
(B) convergente … iguais.
(C) divergente … distintas.
(D) convergente … distintas.
6. De acordo com Darwin,
(A) a ocorrência de mutações origina a variabilidade intraespecífica.
(B) a seleção natural só atua nos seres vivos menos aptos.
(C) as características adquiridas são transmitidas à descendência.
(D) os seres vivos mais aptos originam maior número de descendentes.

7. Mencione os dois caracteres/critérios que foram usados para classificar as novas espécies.

8. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos, numa


relação causa-efeito, relacionados com a possível adaptação radiativa das espécies de pseudoescorpiões
estudadas.
A. Estabelece-se uma barreira geográfica.
B. Uma espécie ancestral de pseudoescorpiões coloniza diversas grutas.
C. Ausência de fluxo genético entre as populações.
D. Aparecimento de espécies com estruturas homólogas.
E. As populações isoladas acumularam diferenças no seu fundo genético.

Biologia e Geologia Página 9


9. Explique, de acordo com o neodarwinismo, o aparecimento de pseudoescorpiões sem estruturas oculares.
GRUPO VI
Em 1994 foram extraídas e sequenciadas amostras de DNA de fósseis de mamutes-lanosos do
Pleistocénico. Contudo, apenas foi possível analisar pequenos fragmentos de DNA mitocondrial. Estudos
recentes foram capazes de sequenciar cerca de 80% do genoma de dois mamutes (amostras M4 e M25)
fósseis. Estes estudos permitiram concluir que o genoma do mamute possui mais de 4000 milhões de pares de
nucleótidos.
Os dados também permitiram realizar estudos de filogenia, comparando as sequências com as de várias
espécies de elefantes. Os mamutes extintos e os elefantes são incluídos na ordem Proboscidea.
Como referência, os investigadores compararam a árvore filogenética dos mamutes com a de diversos
primatas, incluindo a nossa espécie. Ambas as comparações estão representadas pelas árvores filogenéticas
da figura 3.

Figura 5
1. Mencione o fenómeno que ocorreu durante a prófase I da meiose e que contribuiu para o aumento da
variabilidade genética dos mamutes.

2. A figura 5 apresenta um sistema de classificação ____, uma vez que ___ o fator tempo.
(A) horizontal … considera
(B) horizontal … não considera
(C) vertical … considera
(D) vertical … não considera

3. A construção de árvores como a representada na figura 3 pressupõe que ao longo do tempo ocorra a
(A) acumulação de mutações a uma taxa constante.
(B) acumulação de mutações letais.
(C) manutenção do património genético das populações.
(D) acumulação de mutações a uma taxa variável.

Biologia e Geologia Página 10


4. A árvore construída implicou a análise de argumentos _____, e a caracterização de ossos mineralizados
de mamutes para estudar a sua evolução é um argumento _____.
(A) embriológico … anatómico
(B) bioquímicos … biogeográfico
(C) citológicos … anatómico
(D) bioquímicos … peleontológico

5. Com base na análise dos dados é possível concluir que


(A) os elefantes pertencem todos ao mesmo género.
(B) os mamutes divergiram dos primatas.
(C) a divergência entre os mamutes e os elefantes ocorreu há mais tempo que entre a nossa espécie e a
mais próxima filogeneticamente.
(D) o elefante da floresta é a espécie filogeneticamente mais próxima do mamute M4.

6. Os primatas que habitam as árvores e os mamutes possuem membros inferiores formados pela mesma
sequência de ossos e uma origem embrionária semelhante, correspondendo a órgãos _____, em que a
adaptação a ambientes distintos resultou numa evolução _____.
(A) análogos … divergente
(B) análogos … convergente
(C) homólogos … convergente
(D) homólogos … divergente

7. Todas as espécies analisadas na figura 3 pertencem à classe Mammalia.


Considere as seguintes afirmações, referentes a estas espécies representadas na figura 3.
I. O mamute M25 e o chimpanzé pertencem ao mesmo filo.
II. Existe maior variabilidade interespecífica no grupo taxonómico Proboscidea do que no Loxodonta.
III. O cruzamento entre o bonobo (chimpanzé-pigmeu) e o chimpanzé-comum poderá originar
descendentes férteis.

(A) II é verdadeira; I e III falsas.


(B) II e III são verdadeiras; I é falsa.
(C) I e II são verdadeiras; III é falsa.
(D) I é verdadeira; II e III são falsas

8. De acordo com a classificação de Whittaker modificada, os mamutes pertencem ao reino Animalia, uma
vez que são
(A) formados por células procarióticas.
(B) multicelulares que se alimentam por ingestão.
(C) multicelulares que se alimentam por absorção.
(D) heterotróficos decompositores.

9. Coloque por ordem crescente de semelhanças fenotípicas entre os organismos os seguintes níveis de
organização taxonómica.
A. Família
B. Ordem
C. Classe
D. Filo
E. Género
10. As árvores filogenéticas elaboradas a partir do estudo de algumas estruturas anatómicas podem ser
menos fiáveis devido a fenómenos de convergência e divergência ao longo do tempo.
Explique este facto. Bom trabalho!
Biologia e Geologia Página 11

Você também pode gostar