Você está na página 1de 19

SALÃO DE BELEZA

PLANO DE NEGÓCIOS

SETEMBRO/2006
NATAL-RN
SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO....................................................................................................... 03
2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO......................................................... 04
3. OBJETIVO DO EMPREENDIMENTO................................................................... 05
4. IDENTIFICAÇÃO DA OPORTUNIDADE............................................................... 06
5. ANÁLISE DOS RISCOS........................................................................................ 06
6. ESTUDO DE MERCADO...................................................................................... 06
6.1 Macro Ambiente.................................................................................................. 06
6.2 Cliente.................................................................................................................. 07
6.3 Fornecedores....................................................................................................... 07
6.4 Concorrentes....................................................................................................... 07
6.5 Localização.......................................................................................................... 07
6.6 Layout.................................................................................................................. 08
7. INVESTIMENTO FIXO INICIAL............................................................................. 09
8. CUSTOS FIXOS.................................................................................................... 10
9. CUSTO DA MÃO-DE-OBRA................................................................................. 11
10. CUSTO DE AQUISIÇÃO DA MERCADORIA...................................................... 12
11. CUSTO MENSAL DO SERVIÇO PRESTADO.................................................... 13
12. CAPITAL DE GIRO.............................................................................................. 13
13. PREÇO DO SERVIÇO........................................................................................ 13
14. RESULTADOS OPERACIONAIS........................................................................ 14
15. PONTO DE EQUILÍBRIO.................................................................................... 15
16. LUCRATIVIDADE................................................................................................ 15
17. RETORNO DO INVESTIMENTO........................................................................ 16
18. CONCLUSÃO / ANÁLISE DOS RESULTADOS.................................................. 16
19. ÍNDICES DE REFERÊNCIA................................................................................ 16
20. LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA................................................................................ 16
21. REGISTRO ESPECIAL....................................................................................... 17
22. EVENTOS............................................................................................................ 17
23. FORNECEDORES.............................................................................................. 17

2
1. INTRODUÇÃO

O Plano de Negócios tem por objetivo contribuir com empreendedor a analisar e


estruturar as suas principais idéias e opções quanto à viabilidade da criação de uma
empresa.
Neste plano de negócios avaliaremos o empreendimento, no caso de um Salão
de Beleza, que presta serviços de tratamento de beleza e cuidados pessoais, do ponto
de vista mercadológico, técnico, financeiro, jurídico e organizacional. Aqui estão
contidos os principais fundamentos econômicos para a implantação de um negócio,
com reais possibilidades de êxito.
Neste o empreendedor encontrará informações e direcionamentos que
possibilitará o sucesso no negócio, como a identificação da oportunidade, análise de
riscos, análise de mercado, processo operacional, avaliação financeira referente ao
empreendimento e avaliação dos resultados.
Neste ramo de atividade, o empreendedor deve além de tudo atuar como um
consultor de beleza, orientando e sugerindo a melhor opção que se enquadra com o
tipo de consumidor. O empreendedor deve estar informado sobre tendências da moda,
novos produtos e tecnologias, além de ter facilidade no relacionamento, ser dinâmico
e inovador, aliado a uma postura empreendedora e competitiva, características
pessoais indispensáveis àquele que deseja se aventurar no mundo dos negócios.

3
2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

SETOR DA ECONOMIA
Terciário
RAMO DE ATIVIDADE
Prestação de Serviços
TIPO DE NEGÓCIO
Salão de Beleza
PRODUTOS OFERTADOS/PRODUZIDOS
Serviços de tratamento de beleza e cuidados pessoais
PORTE DO EMPREENDIMENTO
Valor do investimento inicial:
R$ 21.272,14
REGIME DE TRABALHO
12 horas diárias
ÁREA
40 metros quadrados
FATURAMENTO ANUAL PROJETADO
R$ 282.996,00
NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS
05

4
3. OBJETIVO DO EMPREENDIMENTO

Abertura de um empreendimento voltado ao tratamento da beleza e cuidados


pessoais, utilizando-se dos serviços abaixo relacionados:

• Corte de cabelo feminino, masculino e infantil;


• Tratamento de cabelo (escova em geral, hidratação, relaxamento, cauterização,
ampola, retoque, mecha, texturização, penteado, entre outros);
• Manicuro e Pedicuro;
• Tratamento Estético (Limpeza de pele, maquiagem, sobrancelhas em geral,
cílios, olho, boca, massagem, banhos, drenagem linfática, depilação em geral,
entre outros);
• Serviços especiais para noivas (Dia da Noiva);

Prestar serviços com qualidade e técnica, em um ambiente sofisticado com


conforto e higiene, aliados a profissionais especialistas e técnicos treinados.

5
4. IDENTIFICAÇÃO DA OPORTUNIDADE

O sucesso de um salão de beleza depende essencialmente da qualidade de


seus profissionais e produtos, na execução de seus serviços. A oportunidade surge no
momento em que o culto à beleza, em prol da auto-estima e bem estar, aflorar em
toda a sociedade. Os Salões de Beleza tem como principais pontos às avenidas de
bairros tradicionais, onde se concentra a maioria do segmento, em shopping centers e
perto de pólos turísticos.
O perfil do empreendimento deve guardar estreita relação com a renda da
clientela formada pela empresa. Pois, para alguns, eles são considerados supérfluos e
para outros, são imprescindíveis à manutenção da auto-estima. Os salões de beleza
são considerados por esse último leque de pessoas como um templo no qual se
operam verdadeiros milagres.

5. ANÁLISE DOS RISCOS

Este segmento trata-se de um mercado altamente competitivo, extremamente


pulverizado e vulnerável à entrada de novos concorrentes.
Os principais riscos desse tipo de negócio são principalmente a falta de
qualidade e técnica nos serviços executados pelos profissionais, conjuntamente com a
falta de instalações adequadas, confortáveis e limpas, um atendimento especial e
diferenciado, além de uma relação justa entre preço-qualidade.

6. ANÁLISE DE MERCADO

6.1 Macro Ambiente


O Rio Grande do Norte hoje possui 167 municípios. Com uma população
estimada em 2.962.107 (IBGE – 01.07.2004), na grande região metropolitana (Ceará-
Mirim, Extremoz, Macaíba, Natal, Nísia Floresta, Parnamirim, São Gonçalo do
Amarante e São José do Mipíbu) a população chega ao número de 1.214.755 de
pessoas. Na sua capital Natal, onde se pretende montar o empreendimento, com
aproximadamente 766.081 habitantes, dos quais 52% do sexo feminino.

6
6.2 Cliente
O público alvo de um salão de beleza são todos os tipos de consumidores,
predominantemente mulheres, não havendo diferenciação de idade ou classe social.
Atualmente já existe uma grande procura por parte do público masculino aos
cuidados com a beleza e estética corporal.

6.3 Fornecedores
Os fornecedores dos Salões de Beleza, por se tratar de uma empresa
prestadora de serviço, classificam-se em dois tipos basicamente:
a. Fornecedores de Equipamentos, máquinas e mobiliários;
b. Fornecedores de insumos.

Atualmente pode-se ter acesso a todos os equipamentos e produtos das linhas


nacionais e internacionais, através de seus representantes e distribuidores locais.

6.4 Concorrentes
Este tipo de negócio possui um grande número de concorrentes, formais e
informais, e de todos os níveis, não levando em conta a tipologia, pois estão inseridos
desde barbearias até os salões mais sofisticados em shopping centers.
Atualmente, em Natal, existem 310 salões de beleza (JUCERN – 27.09.2006)
formais devidamente registrado, este número pode chegar a 1400, quando incluímos
os salões informais, de acordo com cadastro de fornecedores locais.
É de suma importância que o empreendedor, antes de iniciar um novo negócio,
realize uma pesquisa para conhecer o mercado onde atuará, com ênfase nos
consumidores e nos concorrentes.

6.5 Localização
O empreendimento deve ser instalado em locais de grande fluxo, em shopping
centers e em grandes avenidas de bairros tradicionais da cidade, com disponibilidade
de estacionamento, segurança e infra-estrutura.

6.6 Layout
Em média os clientes passam entre um e duas horas nos salões de beleza, por
isso a grande importância e preocupação em ter um layout adequado e agradável.

7
Um salão de beleza de ter essencialmente um ambiente bem iluminado,
paredes claras, pisos limpos e laváveis, banheiros distintos, além de espelhos,
cadeiras e equipamentos novos, um ambiente agradavelmente climatizado, portas de
vidro e fachadas limpas e visíveis.
Para um maior conforto, deverá ter sala de espera para os clientes, com direito
a água, cafezinho, revistas atuais, tv e som ambiente, recepção organizada e
separada do salão de atendimento, salas distintas para cada tipos de serviços, além
de um bom espaço para circulação e execução dos serviços pelos profissionais.

8
7. INVESTIMENTO FIXO INICIAL
Os investimentos fixos necessários à implantação de um Salão de Beleza estão
condicionados ao perfil do negócio que se deseja estabelecer e também ao volume de
capital disponível para se investir.
A Tabela A, a seguir, considerou uma área mínima de 40 m², sendo o
empreendimento montado com equipamentos de qualidade, eficiência e alta
performance, proporcionando assim uma maior produtividade, levando sempre em
consideração a relação custos x benefício.
É de fundamental importância que os dados incluídos neste perfil sejam
utilizados apenas como referência, pois cada empreendimento deve ser implantado
após minucioso estudo específico para aquele negócio. Outro fator importante é que o
empreendedor faça sua lista com base numa pesquisa de preços, junto ao mercado
fornecedor.

Tabela A - Investimentos Fixos Totais


Valor Unitário Valor Total
Item Discriminação Qtde
R$ US$ R$ US$
1 Banqueta manicure 2 570,00 260,99 1.140,00 521,98
2 Borrifadores 2 4,57 2,09 9,14 4,18
3 Cadeira Astro 2 2.820,00 1.291,21 5.640,00 2.582,42
4 Carrinho auxiliar CZ 13 1 440,00 201,47 440,00 201,47
5 Escovas 6 24,00 10,99 144,00 65,93
6 Estufa 1 199,00 91,12 199,00 91,12
7 Lavatório Ferrante 1 3.700,00 1.694,14 3.700,00 1.694,14
8 Maleta Maquiagem 1 145,00 66,39 145,00 66,39
9 Maquina de Corte e Acabamento 2 220,00 100,73 440,00 201,47
10 Modelador 1 50,00 22,89 50,00 22,89
11 Modulo p/ toalhas 1 320,00 146,52 320,00 146,52
12 Parafineiro 1 365,00 167,12 365,00 167,12
13 Prancha 2 120,00 54,95 240,00 109,89
14 Secador 2 99,00 45,33 198,00 90,66
15 Tesoura fio nav 1 168,00 76,92 168,00 76,92
16 Tesoura Proart 1 99,00 45,33 99,00 45,33
17 Vaporizador 1 650,00 297,62 650,00 297,62
18 Bancada com espelho e gaveta 1 1.600,00 732,60 1.600,00 732,60
19 Sofás 3 Lugares 2 599,00 274,27 1.198,00 548,53
20 Televisão 21’ 1 449,00 205,59 449,00 205,59
21 Mini System 1 599,00 274,27 599,00 274,27
22 Condicionador de Ar 2 699,00 320,05 1.398,00 640,11
23 Computador 1 1.094,00 500,92 1.094,00 500,92
9
24 Monitor LCD 15' 1 588,00 269,23 588,00 269,23
25 Impressora Multifuncional 1 399,00 182,69 399,00 182,69
Totais 16.020,57 7.335,43 21.272,14 9.739,99

8. CUSTOS FIXOS
As despesas gerais de administração, ou custos fixos, inseridos na Tabela B,
variam de acordo com o porte ou características do empreendimento. São
considerados custos fixos pró-labores, honorários e encargos da mão-de-obra fixa,
aluguel do imóvel, tarifas de água, luz e telefone e despesas do escritório, entre
outros. São os custos que incidem sobre a empresa, mesmo se ela deixar de
funcionar em um determinado mês. Os custos fixos estão ligados às características da
região e do tipo de empreendimento e independem do faturamento da empresa.

Tabela B - Custos Fixos Mensais


Valores
Item Discriminação
R$ US$
1 Retirada do proprietário (Pró-Labore) 1.200,00 549,45
2 Encargos sobre Pró-labore 200,00 91,58
3 Aluguel + taxas 2.000,00 915,75
4 Honorários do Contador 175,00 80,13
5 Material de Expediente 32,00 14,65
6 Água, Luz e Telefone, Celular 1.040,00 476,19
7 Manutenção e conservação 47,00 21,52
8 Segurança Eletrônica 85,00 38,92
9 Marketing, propaganda e publicidade 90,00 41,21
10 Despesas com cursos e treinamentos 70,00 32,05
11 Transporte 727,00 332,88
12 Outros custos fixos 217,00 99,36
13 Depreciação 354,53 162,33
Totais 6.237,53 2.856,01

10
9. CUSTOS DE MÃO DE OBRA
O Salão de Beleza proposto neste plano de negócio, para ter uma melhor
funcionalidade e maior produtividade, funcionará com 5 funcionários, incluindo o
proprietário, podendo haver profissionais terceirizados, logo a quantidade de
empregados depende do porte do empreendimento e dos tipos de serviços que se
deseja prestar. Os custos que incidem sobre a mão-de-obra utilizada direta no
empreendimento estão calculados a seguir na Tabela C.
Os encargos e direitos trabalhistas que incidem sobre a folha de pagamento
somam 78%: INSS, 26,5 %; FGTS, 8%; 13º salário e férias, 11,11%. Foi estimado o
percentual de 32,39% para vale transporte, auxílio-alimentação, indenizações e aviso
prévio.
Os profissionais terceirizados, que trabalham neste salão, são profissionais
autônomos que não seguem o regime CLT, ou seja, não assinam a carteira. Neste
caso, eles pagam 30% sobre o seu faturamento/mês de seus respectivos serviços, por
o uso dos ativos fixo do empreendimento.

Tabela C - Mão-de-Obra Direta


Valor Unitário Valor Total
Item Discriminação Qtde
R$ US$ R$ US$
1 Cabeleireiros 1 350,00 160,26 350,00 160,26
2 Escovista 2 350,00 160,26 700,00 320,51
3 Recepcionista 1 350,00 160,26 350,00 160,26
4 Encargos Socias 4 273,00 125,00 1.092,00 500,00
Totais 1.323,00 605,77 2.492,00 1.141,03

11
10. CUSTO DE AQUISIÇÃO DA MERCADORIA
Neste item foi feita uma listagem de produtos utilizados com mais freqüência no
salão de beleza sugerido, para o cálculo do custo médio na aquisição de insumos,
inseridos na Tabela D. É necessário estimar a quantidade de produtos que serão
utilizados na execução dos serviços. A melhor coisa a fazer é realiza uma pesquisa,
entre vários fornecedores, para adquirir os produtos que melhor se adequarem ao
comportamento do consumidor e que agregue o melhor valor na relação custo x
benefício. É de suma importância trabalhar com no mínimo 2 linhas de produtos e ter
um bom relacionamento com fornecedores e distribuidores locais, para poder ter
opções de comprar, realizar boas negociações e ter preços competitivos.

Tabela D - Custo Mensal de Aquisição da Mercadoria


Valor Unitário Valor Total
Item Discriminação Qtde
R$ US$ R$ US$
1 Coloração Neon 60 gr 1 9,50 4,35 9,50 4,35
2 OX 1000ml 1 21,00 9,62 21,00 9,62
3 Colorly (Itely) 50 gr 1 13,00 5,95 13,00 5,95
4 OX 1000ml (Itely) 1 30,00 13,74 30,00 13,74
5 Aquarely (Itely) 100gr 1 20,00 9,16 20,00 9,16
6 OX 100ml (Itely) 1 26,00 11,90 26,00 11,90
7 Shampoo Silk 1000 ml 2 76,00 34,80 152,00 69,60
8 Condicionador Silk 1000 ml 2 100,00 45,79 200,00 91,58
9 Inner Restore 500 ml 1 115,00 52,66 115,00 52,66
10 Refine 200 ml 1 40,00 18,32 40,00 18,32
11 CPR1 1 280,00 128,21 280,00 128,21
12 CPR2 1 280,00 128,21 280,00 128,21
13 Moisturizing (Leave In) 200ml 1 40,00 18,32 40,00 18,32
14 Renew (Reparador de Pontas) 50 ml 1 65,00 29,76 65,00 29,76
15 Revive (creme para pentear) 100 ml 1 47,00 21,52 47,00 21,52
16 Smooth Gelée (Gel Alisante Temp) 1 56,00 25,64 56,00 25,64
17 Shampoo Purifyng 1 65,00 29,76 65,00 29,76
18 Intensive Care 2 110,00 50,37 220,00 100,73
19 Leave in Dry 3 85,00 38,92 255,00 116,76
20 Shampoo Color 1000ml 1 66,00 30,22 66,00 30,22
21 Emulsion Color 1 78,00 35,71 78,00 35,71
22 Leave Color 1 88,00 40,29 88,00 40,29
23 Shampoo Deep 2 55,00 25,18 110,00 50,37
24 SOS 1 2 110,00 50,37 220,00 100,73
25 SOS 2 2 110,00 50,37 220,00 100,73
26 Hair Gloss 120ml 1 30,00 13,74 30,00 13,74
27 Serum 30ml 1 14,00 6,41 14,00 6,41

12
28 Kit Relaxamento Guanidina 1,3Kg 1 285,00 130,49 285,00 130,49
29 Kit Relaxamento Guanidina 3,8Kg 1 620,00 283,88 620,00 283,88
Totais 2.934,50 1.343,64 3.665,50 1.678,34

11. CUSTO MENSAL DO SERVIÇO PRESTADO


O Custo Mensal do Serviço Prestado, calculado na Tabela E, trata-se da
reunião de todos os custos mensais calculados anteriormente nas Tabelas B, C e D,
correspondentes ao custo fixo mensal, custo mensal da mão-de-obra direta e custo
mensal de aquisição da mercadoria, respectivamente.

Tabela E - Custo Mensal do Serviço Prestado (CMV)


Valores
Discriminação
R$ US$
Custo de Aquisição de Mercadoria 3.665,50 1.678,34
Custo da Mão de Obra Direta 2.492,00 1.141,03
Custo Fixo Mensal 6.237,53 2.856,01
Totais 12.395,03 5.675,38

12. CAPITAL DE GIRO


O capital de giro é o montante de recursos financeiros necessários ao
funcionamento normal da empresa: compra de matéria-prima e insumos,
financiamento dos serviços prestados, além das obrigações mensais a pagar. Neste
projeto foi considerado como capital de giro o montante correspondente a um mês de
funcionamento normal do salão de beleza, o que corresponde a R$ 12.395,03.

13. PREÇO DO SERVIÇO


Na elaboração do preço de venda do serviço é preciso que o empreendedor
conheça alguns indicadores, que são utilizados pelo mercado, devendo levar em
consideração os preços praticados pela concorrência. Este valor deve garantir o
pagamento de todos os custos e despesas fixas e varáveis e o lucro do negócio.

13
14. RESULTADOS OPERACIONAIS
O cálculo do resultado operacional é a dedução da receita bruta operacional,
dos custos fixos e dos custos variáveis, conforme tabela F, abaixo.
A margem de Contribuição é a diferença entre a receita bruta operacional e os
custos variáveis. Com ela podemos calcular o ponto de equilíbrio, ou seja, o
faturamento necessário para que a empresa não tenha lucro ou prejuízo.
O índice de lucratividade é o resultado da divisão do lucro líquido pela receita
operacional, em termos percentuais.
Quanto à taxa de retorno do investimento é calculada através da divisão do
investimento inicial pelo lucro líquido, multiplicado por 12.

Tabela F – Resultado Operacional Mensal


Valores
Item Discriminação
R$ US$
1 Receita Operacional 23.583,00 10.798,08
2 (-) Custos variáveis (soma 2.1 + ...+ 2.4) 16.140,90 7.390,52
2.1 Aquisição de Mercadoria 3.665,50 1.678,34
2.2 Mão de Obra Direta 2.492,00 1.141,03
2.3 Comissão sobre serviços 2.908,50 1.331,73
2.4 Comercialização (30% sobre 1) 7.074,90 3.239,42
3 Margem de Contribuição (1 - 2) 7.442,10 3.407,55
4 (-) Custos fixos 6.237,53 2.856,01
5 Custo Total (2 + 4) 22.378,43 10.246,53
6 Lucro Operacional (1 - 5) 1.204,57 551,54
7 Lucro Líquido 1.204,57 551,54

14
15. PONTO DE EQUILÍBRIO
É o momento em que as receitas e as despesas estarão se igualando.

Tabela G – Margem de Contribuição


Margem de Contribuição
Discriminação R$
Faturamento 23.583,00
(-) Custo Aquisição Mercadoria 3.665,50
(-) Estoque 1.375,61
(-) Custo serviço prestado 2.492,00
(-) Impostos + Comissões 36,50
(=) Margem de Contribuição 7.442,10

Tabela H – Índice da Margem de Contribuição


Índice da Margem de Contribuição
Discriminação %
(Margem de Contribuição / Faturamento) x 100
(=) Índice da Margem de Contribuição 31,56

Tabela I – Ponto de Equilíbrio


Ponto de Equilíbrio
Discriminação R$
(Custos Fixos / Índice da Margem de contribuição) x 100
Ponto de Equilibro 19.765,90

16. LUCRATIVIDADE
É um indicador de atratividade do negócio, pois mostra ao empreendedor a
velocidade do capital investido.

Tabela J – Índice de Lucratividade


Índice de Lucratividade
Discriminação %
(Lucro líquido / Receita total) x 100
Índice de Lucratividade 5,11

15
17. RETORNO DO INVESTIMENTO
É um indicador que atrai muito o empreendedor, pois o tempo necessário para
que o empreendedor recupere o capital investido.

Tabela L – Taxa de Retorno

Taxa de Retorno
Discriminação %
Investimento Total / Lucro líquido x 12
Índice de Lucratividade 1,47
Taxa de Retorno: 1 ano e 6 meses

18. CONCLUSÃO / ANÁLISE DOS RESULTADOS


De acordo com os dados apresentados através deste Plano de Negócio,
conclui-se que o investimento do empreendimento proposto, Salão de Beleza,
inicialmente em R$ 21.272,14, numa área de aproximadamente com 40 m², pode
resultar num faturamento ao mês de R$ 23.583,00, e anualmente ao valor de R$
282.996,00, com um índice de lucratividade real de 5,11% líquido e uma previsão de
retorno do investimento em 1 ano e 6 meses.
O empreendimento é viável e lucrativo, desde que utilizados os procedimentos
apresentados durante a edição deste e que ocorra um acompanhamento sistemático a
sua empresa em todas as áreas.

19. ÍNDICES DE REFERÊNCIA


Todos os valores deste plano de negócios foram calculados também em
dólares, com base na cotação vigente em 27.09.2006, correspondendo US$ 1,00 a R$
2,184. Assim como o salário mínimo adotado pela legislação com base em
Setembro/2006, no valor de R$ 350,00.

20. LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA


É de suma importância o empreendedor ter o conhecimento de algumas
legislações que regem o setor, tais como: Lei Federal 6.360/76 que dispõe sobre a
vigilância a que ficam sujeitos os cosméticos.
16
Assim, o empreendedor deverá procurar a secretaria de saúde municipal, mais
especificamente a Covisa, a qual é responsável pelos salões de beleza, para poder se
adequar à legislação vigente.

21. REGISTRO ESPECIAL


O empreendedor deve tomar algumas providências, quanto abertura do seu
Empreendimento, tais como o registro junto as seguintes entidades: Junta Comercial,
Secretária da Receita Federal, Secretária da Fazenda, Prefeitura do Município e
Sindicato Patronal.
O empreendedor deve procurar os órgãos citados ou poderá procurar a Central
de Atendimento Empresarial (Central Fácil) do Sebrae de sua cidade, onde poderá,
num só lugar, ter todas as informações necessárias referentes à abertura de sua
empresa.

22. EVENTOS
A participação do empreendedor em eventos do segmento é importante, para
aquisição de novas técnicas e novas tendências de mercado, como por exemplo:
• Cosmoprof Cosmética – São Paulo-SP;
• Encontro das Estrelas e Feira Beleza Nordeste – Recife-PE;
• Encontro Regional de Beleza – Fortaleza-CE;
• Hair Brasil – São Paulo-SP;
• Natal Hair Show – Natal-RN.

23. FORNECEDORES

Casa da Beleza
Av. Hermes da Fonseca, 1284
Bairro: Tirol – Natal/RN – Cep: 59015-001
Tel: (84) 3201-2439 / 3201-2914
Contato: Polyana Sampaio
E-mail: polysam@ig.com.br

Casa Norte Varejo


Av. Capitão Mor Gouveia, 516/520
Bairro: Cid. da Esperança – Natal/RN – Cep: 59070-400
Tel (84) 3205-2233 / 3205-2710
17
Contato: Gláucio Uchoa
E-mail: glauciouchoa@terra.com.br

Comepi Profissional
Rua Jaguarari, 1220 A
Bairro: Barro Vermelho – Natal/RN – Cep: 59030-500
Tel: (84) 3611-0462 / 8863-1429
Contato: Marone
E-mail: comepinatal@digizap.com.br

Santa Lúcia Cosméticos


Av. Pres. Bandeira, 461
Bairro: Alecrim – Natal/RN - Cep: 59032-200
Tel: (84) 3213-6277 / 3213-3303
Contato: Celimar
E-mail: lojassantalucia@lojassantalucia.com.br

CONSULTORES RESPONSÁVEIS PELO PLANO DE NEGÓCIO:

Clauber Wagner Martins de Araujo


Consultor Empresarial e Analista de Sistemas
Tel: (84) 3217-6331 / 9418-0105
E-mail: clauberwagner@digizap.com.br

Felizardo Virgínio de Araújo Neto


Consultor Empresarial e Economista – CORECON 1163-0
Pós-Graduado em Gestão de Negócios e Economia Regional
Tel: (84) 3213-1626 / 9905-6809
E-mail: virginioaraujo@yahoo.com.br

18
19