Você está na página 1de 22

INSTITUTO COMERCIAL DE MAPUTO

ESPECIALIDADE: CONTABILIDADE VOCACIONAL


MÓDULO: PROJECTO INTEGRADO
NIVEL:3
TURMA:1CV6

TEMA: GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS

FORMANDOS:ALFREDO ERNESTO FUMO


ARNANDA LUIS TONELA
CARMEN ISABEL PAULO GULELA

FORMADOR: JONAS CHAMBULE

MAPUTO,JUNHO DE 2021
Alfredo Ernesto Fumo
Arnanda Luís Tonela
Carmen Isabel Paulo Gulela

Titulo do Projecto Integrado


Gestão dos Transportes Públicos
EMTPM

Natureza do Trabalho
Trabalho de conclusão do Modulo Projecto Integrado apresentado ao Instituto Comercial de
Maputo, como exigência para obtenção do Certificado Vocacional III em Contabilidade
Vocacional

O Supervisor
_____________________________

Maputo, Junho de 2021


DEDICATÓRIA

Sem a direcção dada por Deus, o maior orientador da nossa vida, a conclusão deste trabalho não
seria possível. Por causa disso, dedicamos este trabalho a Ele. Com muita gratidão no coração.

I
AGRADECIMENTOS

Em primeiro lugar agradecemos a Deus por nos conceder energias para concluir a elaboração do
presente projecto e por ajudar-nos a ultrapassar todos os obstáculos encontrados na realização do
mesmo.

Agradecemos ao professor Jonas Chambule pela dedicação em suas orientações prestadas na


elaboração deste projecto, incentivando-nos e colaborando no desenvolvimento das nossas
ideias.

Aos nossos pais e amigos por todo apoio e ajuda que muito contribuíram para a realização deste
trabalho.

Ao Instituto Comercial de Maputo por proporcionar um ambiente de estudo criativo e amigável


para que o processo de formação profissional seja dinâmico e completo.

E por fim agradecemos a todos que participaram, directa ou indirectamente no desenvolvimento


deste trabalho de pesquisa, enriquecendo o nosso processo de aprendizado.

II
SIGLAS

EMTPM- Empresa Municipal de Transporte Público de Maputo

TPM- Transportes Públicos de Maputo

SMV- Serviços Municipalizados de Viação

TPU- Transportes Públicos Urbanos

TPM-EP- Transportes Públicos de Maputo- Empresa Publica

AMT- Agencia Metropolitana de Transportes

FEMATRO- Federação Moçambicana das Associações dos Transportes Rodoviários

III
ÍNDICE
1. INTRODUCÃO........................................................................................................................5
1. OBJECTIVOS..........................................................................................................................6
1.1 OBJECTIVO GERAL.................................................................................................................6

2.2 OBJECTIVO ESPECÍFICO..............................................................................................................6

2. JUSTIFICATIVA.....................................................................................................................7
3. METODOLOGIA....................................................................................................................8
4. BREVE HISTORIAL DA EMPRESA.....................................................................................9
4.1 MISSÃO, VALORES E VISÃO............................................................................................10
5.2 ROTAS E HORÁRIOS..............................................................................................................11

5.2.1 TARIFA E BILHETE........................................................................................................11


5. RECOLHA DE INFORMAÇOES, JUNTO DE INSTITUIÇÕES, SOBRE O
FUNCIONAMENTO DO DEPARTAMENTO ESCOLHIDO.........................................................12
5.1 IMPACTO DA COVID-19 NOS TRANSPORTES PÚBLICOS DE MOÇAMBIQUE............12

6.1.1 ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS EM


MOÇAMBIQUE...................................................................................................................................13

6.1.2 CARTÃO FAMBA.......................................................................................................................14

6.1.3NOVOS AUTOCARROS..............................................................................................................14

6.2 RELATÓRIO DA REALIZAÇÃO DO TRABALHO DO GRUPO......................................15


6.3 CRONOGRAMA DO TRABALHO......................................................................................16
6.4 DESPESAS SUPORTADAS...................................................................................................16
7. CONCLUSÃO...........................................................................................................................17

7.1 SUGESTÕES PARA MELHOR GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS............................18

7.1.2 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..........................................................................................19

IV
1. INTRODUCÃO
O presente trabalho surge no âmbito do modulo projecto Integrado , no curso de Contabilidade
Vocacional do 1ºano, focalizado nas especialidades do ramo.

A gestão dos transportes públicos necessita de propostas para melhorar o deslocamento de


pessoas, reduzir o congestionamento e aumentar a acessibilidade. No decorrer dos anos com o
aumento de pessoas a mobilidade urbana foi afectada, devido aos problemas de
congestionamento em vias, estresse, atrasos e acidentes.

Segundo silva et al 2005, a mobilidade promove a redução da exclusão social, na medida em


que o transporte, e a mobilidade são factores que influenciam positivamente nos níveis de
emprego e renda, permitindo aos mais pobres terem acesso as oportunidades de trabalhos e
serviços sociais.

1
1. OBJECTIVOS
1.1 OBJECTIVO GERAL
 Fortalecer a economia promovendo uma mobilidade urbana mais sustentável;

2.2 OBJECTIVO ESPECÍFICO


 Obter informações sobre a posição financeira;

 saber como as pessoas agem perante os micros e macro ambientes;

 projectar a estratégia de resolução do problema de escassez de meios de transportes


públicos.

2
2. JUSTIFICATIVA

 Fazer uma analise das demonstrações financeiras da empresa de transportes;

 Perceber como lidar com o problema de escassez de transportes e como solucionar este
problema no país, no seu todo, sobretudo nos meios urbanos e na rodoviária de longo
curso.

3
3. METODOLOGIA

No presente trabalho usar-se-á a pesquisa qualitativa e bibliográfica que visa, geralmente expor a
análise de conceitos e será feito o estudo através da análise de documentos jurídicos, normas,
técnicas ou regulamentos ou da verificação de recursos como livro, relatórios.

4
3.1 MÓDULOS DE CONTABILIDADE RELACIONADAS AO PRESENTE TRABALHO

Português - com os ensinamentos adquiridos no presente módulo, a realização do trabalho foi


feita usando uma linguagem mais clara e objectiva.

Gestão - com o conhecimento básico da gestão, pode-se analisar como a empresa lida com os
macros e micros ambiente, que são de extrema importância para a realização dos planos traçados
pela empresa.

Contabilidade - usar-se-á os conhecimentos do módulo, porque permitem elaborar os registos


financeiros da empresa, e permitem conhecer a situação actual da empresa.

5
4. BREVE HISTORIAL DA EMPRESA

A Empresa Municipal de Transporte Públicode Maputo foi fundada em 1936 pelo industrial ʺ
Paulo dos Santos Gilʺ que começou a operar com 16 autocarros em substituição de carros
eléctricos da então Lourenço Marques, o principal mercado da empresa foi a Cidade de Maputo,
Matola e arredores, estendendo-se as vilas de Boane, Marracuene e Manhiça.

Na década 50 passa para tutela da então Câmara Municipal com a designação de Serviços
Municipalizados de Viação (SMV), depois da independência do País, através do decreto n°.20 ̸
77, de 28 de Abril, passa para tutela do Ministério dos Transportes e Comunicação com a
designação de Transportes Públicos Urbanos (TPU),em 1996 passa a Empresa Publica (TPM-
EP).

Em 2006 foi feita a reestruturação da empresa, nomeando-se um novo Conselho de


Administração, tendo sido alterada a estrutura orgânica da empresa.

Em 10 de Fevereiro de 2012 foi constituída a Empresa Municipal de Transporte Público de


Maputo (EMTPM) por escritura pública.

Segundo estudos realizados em 2010 a quota de mercado da EMTPM e de cerca de15%. Em


2011, apesar de um reforço da frota verificado em 196 unidades novas, a quota de mercado
continua longe do alcance da satisfação dos utentes.

6
4.1 MISSÃO, VALORES E VISÃO

Tem por Missão a gestão do serviço de transporte colectivo de passageiros de uma forma eficaz,
segura e confortável, no quadro de desenvolvimento económico e social do Município de
Maputo.

A Visão da empresa resume-se em consolidar a posição de referência no mercado de transporte


publico urbano de passageiros, através de prestação de serviços de qualidade, acessíveis a
maioria da população do Município de Maputo e arredores.

A empresa EMTPM oferece os serviços para o transporte publico, também, uma serie de
empresas da cidade e província de Maputo, para transporte de trabalhadores e outros serviços.

Tem como Objectivo, planear e gerir os serviços de transporte na área Metropolitana de Maputo,
garantindo a mobilidade urbana sustentável, diminuindo drasticamente o tráfego rodoviário
individual com assinaláveis benefícios para a economia e ambiente.

7
5.2 ROTAS E HORÁRIOS

A empresa tem expandido consideravelmente as suas operações, contando actualmente com 53


rotas, por comparação com as 34 de 2003. Todas essas rotas têm origem em 6 zonas da cidade e
um total de 30 destinos diferentes.

As rotas seguem quase todas o mesmo critério, com o ponto de origem no centro da cidade, na
Baixa ou no Museu, e com destino terminal nos distritos municipais 4 ou 5, no Município da
Matola, ou em Boane e Marracuene. Das 53 rotas existentes, apenas 4 têm como origem outra
paragem que não o Museu ou Baixa.

As horas de maior tráfego são de manhã entre as 06h30 e as 08h30, e de tarde o período com
maior intensidade de transito é entre as 17h30 e as 19h30.

5.2.1 TARIFA E BILHETE

O preço base de uma viagem de TPM corresponde a 15 meticais por uma viagem completa que
inclua duas zonas(de Maputo até Boane ou Marracuene) e 5 meticais por uma viagem que não
inclua apenas uma zona(todas restantes). O bilhete é cobrado por cada viagem, não existindo
qualquer desconto por uma viagem subsequente.

A empresa defende uma politica de passes para estudantes, trabalhadores e idosos. Os preços
de passe escolar são bastante apelativos para quem fizer pelo menos uma viagem por dia. Já o
passe do trabalhador só se torna vantajoso para os utentes mais frequentes e que utilizem pelo
menos 4 viagens de zona (ou duas de zona 2) por dia. Os cidadãos idosos estão isentos do
pagamento do transporte publico, desde que apresentem passe próprio.

Quanto ao processo de cobrança existe um cobrador que, a porta do veiculo, entrega o bilhete de
viagem a troco do pagamento da tarifa. Esse bilhete não tem nenhuma utilidade particular para
além de ter de ser exibido caso apareça o fiscal.

8
5. RECOLHA DE INFORMAÇOES, JUNTO DE INSTITUIÇÕES, SOBRE O
FUNCIONAMENTO DO DEPARTAMENTO ESCOLHIDO

Segundo o pesquisador Constâncio Augusto Muchangana, a empresa EMTPM é dependente do


governo no que diz respeito a tomada de decisões estratégicas, seja para o investimento, reformas
administrativas e para a aprovação dos planos, orçamentos e relatórios das contas.

A empresa EMTPM pertence ao estado, o que faz com que ela seja dependente das receitas
fiscais do estado. Segundo o Sr. Mendes e o Sr. Rocha (2003)entendem que as transferências
fiscais surgiram como uma importante ferramenta de solução de desequilíbrios entre as receitas e
custos, bem como de correcção de externalidades.

5.1 IMPACTO DA COVID-19 NOS TRANSPORTES PÚBLICOS DE MAPUTO

A Federação Moçambicana das Associações dos Transportes Rodoviários (FEMATRO), aponta


uma redução dos passageiros de até 40% no volume de passageiros devido a pandemia e
transportadores moçambicanos queixaram-se de avultados prejuízos nas receitas devido as
limitações no número de passageiros impostos pelo estado de emergência face a Covid-19.

Até 12 de Junho de 2020 o sector de transportes em Maputo registou uma perda estimada em
7,6 bilhões de meticais, o prejuízo deveu-se ao fechamento das fronteiras terrestres para
passageiros e a limitação imposta à movimentação interna das pessoas, oque obrigou muitos
operadores de transporte a suspender suas actividades, reduzindo assim a capacidade do sector.

9
6.1.1ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DOS TRANSPORTES
PÚBLICOS EM MAPUTO

Na área de serviços de transportes a estratégia deverá ter como base o conceito de mobilidade
sustentável tendo como objectivos principais:

a) Criação de um sistema de mobilidade mais solidário, com mais segurança, menores


tempos totais de deslocação e maior fiabilidade;
b) Criação de um ambiente rodoviário mais seguro;
c) Garantir uma administração de trânsito que regule o fluxo de veículos evitando
desequilíbrios e congestionamentos;
d) Promover politicas de transportes sustentáveis;
e) Estabelecer um sistema de tarifas apropriadas para todos os grupos sociais;
f) Estabelecer um sistema de tarifas que tome em conta a distância percorrida pelos
passageiros (independentemente das ligações que possa fazer).

A estratégia no sector dos transportes públicos se debruça sobre a questão de mobilidade e


acessibilidade e a eficiência do transporte publico requer que os passageiros tenham o mínimo
tempo de espera nas paragens, que percorram o caminho mais curto e se garanta a ligação entre
as linhas de circulação. Para o efeito, a estratégia toma em conta as considerações seguintes:

a) Rotas de transporte público baseado em combinações de ruas e intersecções


estrategicamente escolhidos para efectivar as ligações dos passageiros;
b) Estabelecimento de mecanismos que permitam o cumprimento rigoroso dos horários;
c) Disponibilização de um sistema de retaguarda que permita cobrir em tempo útil a
ausência de viaturas de transportes públicos que se possa verificar momentaneamente por
avaria ou outros motivos de força maior.

Os transportes públicos devem ser concebidos de forma a prestar atenção aos portadores de
deficiência física, idosos, doentes e mulheres grávidas entre outros.

10
6.1.2 CARTÃO FAMBA

A Agência Metropolitana de Transportes, designada AMT- é uma instituição pública com


autonomia administrativa e financeira que foi criada pelo Conselho de Ministros através do
decreto n°.85 ̸2017 de 29 de Dezembro e visa planear e gerir o sistema integrado de transportes
nos municípios de Maputo, Matola, Boane, Namaacha, Manhiça, Matutuine, Marracuene entre
outros, focando-se na gestão da mobilidade do transporte público de Maputo.

O Cartão Famba é um método de pagamento promovido pela AMT, e é usado para fazer o
pagamento de transporte na Área Metropolitana de Maputo.

Este processo traz inúmeras vantagens para todas as partes, no que respeita ao controlo de gastos
e trocos pelos passageiros e para os operadores, a AMT passa a ter dados para saber como os
passageiros se movimentam na rede estrutural da área metropolitana de Maputo, dados esses que
são importantes para a afectação da frota nos corredores de maior pressão e para melhores
tomadas de decisão.

Com o ʺ fambaʺ o passageiro passa a pagar todo tipo de transporte existente na área
metropolitana de Maputo numa estratégia de inclusão financeira, esse cartão afigura-se como
uma das mais importantes medidas do combate a propagação da pandemia do coronavírus nos
meios de transporte publico urbano.

6.1.3NOVOS AUTOCARROS

Com o objectivo de diminuir a escassez dos transportes públicos, o governo vai adquirir até
Agosto um total de 100 autocarros, segundo o Ministério dos transportes e comunicações dos
100 autocarros a serem adquiridos,80 serão movidos a gás e os restantes 20 a Diesel, uma
medida que visa reduzir os custos operacionais, atendendo ao preço do gás veicular.

O investimento avaliado em cerca de seis milhões de Dólares, tem como objetivo dar resposta na
região do grande Maputo onde a situação é tida como crítica.

11
6.2 RELATÓRIO DA REALIZAÇÃO DO TRABALHO DO GRUPO

No presente relatório estão descritos todos os passos percorridos pelo grupo para a realização do
presente projecto, sendo que as actividades decorriam antes das aulas, aos finais de semana e em
semanas de regime presencial da sua formação.

Em primeiro lugar, o grupo teve uma reunião na qual foi escolhido o tema do nosso projecto.
Em seguida deu segmento a elaboração de um plano de todas actividades que seriam executadas
no trabalho, entre as quais: os objectivos gerais e específicos, a descrição do projecto ( missão,
visão, valores).

No início do ano lectivo de 2020, foi entregue a empresa EMTPM um credencial, na qual não
houve nenhum retorno da empresa. Em 2021 no mês de Março foi entregue um novo credencial
a mesma empresa, onde em resposta a empresa enviou uma carta a instituição a informar que não
encontravam-se disponíveis para receber o nosso grupo devido a existência de outros estudantes
e a necessidade do cumprimento das medidas de prevenção e combate a pandemia da COVID-
19. Feito a isso, o grupo decidiu fazer o trabalho baseando-se somente em pesquisas na internet.

Como alunos a nossa expectativa era de executar o trabalho de forma eficiente e eficaz (apesar
dos obstáculos que a pandemia colocou na nossa caminhada), procurando superando ainda as
espectativas do nosso orientador. Este trabalho é fruto de uma longa e difícil trajetória, mas com
determinação e ajuda de todos os que contribuíram para a realização do mesmo pode-se dizer
que a expectativa foi alcançada com sucesso.

12
6.3 CRONOGRAMA DO TRABALHO

O presente trabalho teve duração de 1 ano e 5 meses , havendo uma interrupção de cerca de 6 meses em
2020 por conta da pandemia que assolou o país, em Setembro do mesmo ano houve a retoma das
aulas presenciais e assim deu-se continuidade ao trabalho do projecto através de pesquisas na
internet.

6.4 DESPESAS SUPORTADAS

Para aceder aos sites na internet o grupo teve como gasto cerca de 700,,00MT.

Para se locomover até a instituição o grupo teve como gasto 550,00MT.

Para a alimentação o grupo gastou cerca de 600,00MT.

Para a impressão do trabalho o grupo gastou 300,00 MT.

Totalizando o grupo suportou despesas de 2100,00MT.

13
7. CONCLUSÃO

Frente a tudo que é exposto, entende-se que os problemas relacionados com o transporte publico
em Moçambique são de difícil resolução, sendo um dos factores o tráfego intenso de automóveis.

Há ainda a falta de cumprimento de horários dos autocarros oque faz com que grande parte dos
utentes levem em media mais de uma hora, a chegarem nos seus postos de trabalho e no total (de
e para o lugar de destino) os utentes despendem mais de 2 (duas) horas em transporte por dia e os
veículos chegam frequentemente lotados nas paragens.

Os principais desafios que se colocam ao desenvolvimento de transportes em Moçambique são:


a persistente falta de transportes principalmente nas horas de ponta, a falta de politicas e
estratégias específicas para resolver o problema dos transportes e falta de investimento, tempos
gastos com caminhadas ate os pontos e a falta de segurança nos pontos de espera.

14
7.1 SUGESTÕES PARA MELHOR GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS

 Que o governo crie melhores condições para melhor circulação de viaturas, o


investimento no transporte público por parte do governo pode minimizar os transtornos
do congestionamento;
 Melhorar a infra-estrutura nas vias;
 Investimentos em transportes alternativos, como bicicletas quando possível;
 A redução do preço de passagem;
 Rigor nos horários, é importante o cumprimento dos horários pois as pessoas precisam
ser pontuais para chegar ao trabalho, escola e aos demais compromissos;
 O equilíbrio entre a oferta e demanda e
 Central de inteligência para o trânsito, é preciso que haja Câmeras nos principais pontos
da cidade e operadores de tráfegos realmente capacitados para coordenar sincronia de
semáforos.

15
7.1.2 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

TPM- sitio oficial na internet dos transportes públicos. Disponível emhttp: ̸ ̸www.tpm.co.mz

MISSÃO, VISÃO E VALORES. Disponível em http: ̸ ̸ www.amt.gov.mz

NOSSA HISTORIA. Disponívelhhtp:: ̸ ̸ www.emtpm.co.mz

BALANÇA DE BILHETICA ELECTRÓNICA. Disponível em hhtp:̸ ̸ www.famba.co.mz

NOTICÍAS-NACIONAL, AMT. Disponível em hhtp: ̸ ̸ www,folhademaputo.co.mz

ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO SISTEMA DE


TRANSPORTES ʺ 12̸ 03 ̸ 2009ʺ Maputo-Mozambique

16

Você também pode gostar