Você está na página 1de 18

ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001

PÁGINA: 01
CFO/QC-2002

1a QUESTÃO

MÚLTIPLA ESCOLHA

VALOR: 8,0
TOTAL DE IDÉIAS: 64

ECONOMIA

Marque no cartão de respostas, anexo, a única alternativa correta correspondente a cada item.

01. Sobre o modelo de oferta e demanda agregadas, é correto afirmar:

(A) O aumento da oferta de moeda não pode elevar o nível de emprego.


(B) Um choque de oferta negativo, em uma economia com oferta monetária fixa, provoca uma queda no
nível de produto e elevação do nível de preços.
(C) O nível da taxa de câmbio depende da situação da demanda agregada.
(D) Uma maior propensão a poupar da sociedade reduz taxa de juros, mas nada pode ser afirmado em
relação ao investimento, pois este depende, também, do nível de ocupação da capacidade produtiva.
(E) O balanço de pagamentos está sempre em equilíbrio.

02. Sobre o modelo Mundell-Fleming, é correto afirmar:

(A) Em regime de câmbio fixo com perfeita mobilidade de capital, o Banco Central não pode promover
uma política monetária independente, sob o risco de perder ou acumular mais reservas do que
desejaria.
(B) Em regime de câmbio fixo, uma desvalorização da moeda nacional levará a uma redução do estoque
de moeda estrangeira no Banco Central.
(C) Em uma economia aberta com câmbio fixo e restrição ao fluxo de capital, um aumento dos preços
internacionais levará a uma redução da taxa de juros doméstica e a pressões inflacionárias.
(D) Em regime de câmbio flutuante com perfeita mobilidade de capital, o Banco Central não pode
promover uma política monetária independente, sob o risco de perder ou acumular mais reservas do
que desejaria.
(E) Em uma economia aberta, operando num regime de câmbio fixo, o nível de reservas é irrelevante.

03. A composição de M1 é papel-moeda em poder do público mais:

(A) títulos de renda fixa.


(B) títulos de renda variável.
(C) títulos do Banco Central.
(D) depósitos à vista nos bancos comerciais.
(E) reservas dos bancos comerciais no Banco Central.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 02
CFO/QC-2002

04. Sobre os conceitos de déficit, analise as afirmativas abaixo.

I- Ceteris paribus, uma redução dos juros pagos pelos títulos do governo reduzem o déficit nominal,
mas não o déficit primário.
II - A emissão de base monetária corresponde ao aumento real de M1, enquanto o imposto inflacionário
se refere à desvalorização da quantidade de moeda em poder do público.
III - O déficit em conta corrente do balanço de pagamentos é igual ao déficit do Governo.
IV - O déficit primário corresponde à diferença entre a receita do Governo em termos nominais e todos
os gastos do Governo, incluindo juros e amortização das dívidas públicas internas e externas.

Com base na análise assinale, a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.

05. Em relação ao modelo IS-LM, é correto afirmar:

(A) A eficácia da política fiscal será tanto maior quanto mais próxima da horizontal for a curva IS e
mais próxima da vertical for a curva LM.
(B) A política monetária será totalmente eficaz no intervalo da curva IS conhecido como armadilha
pela sua liquidez.
(C) Uma expansão monetária desloca a curva IS para a direita.
(D) O efeito crowding-out ocorre devido a uma redução dos gastos do Governo não acompanhada por
uma política monetária expansionista.
(E) Quanto maior a sensibilidade do investimento à taxa de juros, mais eficaz poderá ser a política
monetária.

06. Sobre a teoria de Kalecki, é correto afirmar:

(A) Os lucros auferidos pelos capitalistas em cada mercado não se relacionam com o grau de monopólio.
(B) O investimento e o consumo dos capitalistas constituem as variáveis fundamentais na determinação
do nível de atividade econômica.
(C) Na fixação de seu preço, uma firma não leva em conta seu custo médio.
(D) Na fixação de seu preço, uma firma leva em conta apenas o custo unitário das firmas concorrentes.
(E) Sua teoria de formação de preços é análoga à teoria neoclássica da concorrência perfeita.

07. Sobre políticas macroeconômicas, analise as afirmativas abaixo:

I - Caso obedeça a regras sistemáticas, a política monetária será antecipada e não terá efeitos reais.
II - O multiplicador de gastos em uma economia aberta é maior do que em uma economia fechada.
III - De acordo com as teorias de consumo voltadas para o futuro, o anúncio de uma futura redução de
impostos não aumentará o consumo corrente.
IV - Segundo a função consumo Keynesiana simples, a propensão marginal a consumir de curto prazo
é maior que a propensão marginal a consumir de longo prazo.

Com base na análise assinale, a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 03
CFO/QC-2002

08. Sobre Decisões de Investimento, analise as afirmativas abaixo:

I- Com racionamento de crédito, o investimento pode ser maior do que aquele que os empresários
desejam realizar à taxa de juros corrente.
II - Dada a taxa de juros nominal, um aumento da inflação esperada gera um aumento de investimento.
III - Um aumento do volume de recursos aplicados na Bolsa de Valores implica aumento equivalente no
investimento agregado.
IV - Em economias abertas com grande mobilidade de capital, a taxa de juros internacional influencia a
taxa doméstica.

Com base na análise, assinale a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.

09. Considerando um modelo keynesiano simples (preços dados, governo financiado por imposto sobre a
renda, economia fechada), é correto afirmar:

(A) Uma variação autônoma do consumo gera, ceteris paribus, impacto sobre a renda inferior àquele
decorrente de uma variação de mesmo montante no investimento.
(B) Uma queda no investimento privado leva, ceteris paribus, a um aumento no déficit orçamentário.
(C) Um aumento do investimento determina idêntico aumento da poupança privada, mesmo que ocorra
simultaneamente uma redução do gasto governamental.
(D) O multiplicador de gastos será maior em uma economia aberta do que em uma economia fechada,
independentemente da economia apresentar superávit ou déficit comercial.
(E) A economia opera sempre a pleno emprego.

10. Um corte permanente nos gastos públicos:

(A) acarreta sempre recessão.


(B) reduz o imposto inflacionário.
(C) aumenta, ceteris paribus, a desigualdade de renda.
(D) sob o ponto de vista Keynesiano, reduz o efeito crowd out via liberação de poupança pública.
(E) gera superávits permanentes do Balanço de Pagamentos.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 04
CFO/QC-2002

11. Sobre a curva de demanda agregada derivada do modelo IS-LM, analise as afirmativas abaixo:

I- A introdução de uma relação negativa entre a arrecadação real de impostos e o nível geral de
preços no modelo IS-LM tradicional tende a tornar a curva de demanda agregada mais inclinada.
II - A inelasticidade do investimento em relação à taxa de juros leva a uma curva de demanda
agregada inelástica, independentemente da especificação da função demanda por moeda.
III - É definida como o lugar geométrico dos pontos onde IS intercepta LM.
IV - Aumentos no nível geral de preços e reduções na oferta nominal de moeda produzem efeitos
idênticos sobre a curva de demanda agregada.

Com base na análise, assinale a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.

12. A condição básica para que haja um suprimento ótimo de bens públicos é que a (o):

(A) soma das taxas marginais de substituição entre o bem público e algum bem privado seja igual à taxa
marginal de transformação.
(B) soma das taxas médias de substituição entre o bem público e algum bem privado seja igual à taxa
marginal de transformação.
(C) soma das taxas médias de substituição entre o bem público e algum bem privado seja igual à taxa
média de transformação.
(D) produto das taxas médias de substituição entre o bem público e algum bem privado seja igual à taxa
média de transformação.
(E) produto das taxas marginais de utilização do bem público seja igual à taxa marginal de
transformação do bem privado.

13. O efeito gerado, no curto prazo, por uma maxi-desvalorização real da taxa de câmbio é o (a):

(A) deslocamento da curva de demanda agregada.


(B) deslocamento da curva LM.
(C) piora da balança comercial.
(D) melhora da Conta Corrente do Balanço de Pagamentos.
(E) aumento do nível de preços.

14. A arrecadação do imposto inflacionário depende da taxa de inflação. Esta relação está expressa na curva
de:

(A) demanda agregada


(B) demanda por moeda
(C) Phillips
(D) Laffer
(E) Kuznets

15. Sobre os modelos neoclássicos de crescimento econômico, é correto afirmar:

(A) Apenas os preços são flexíveis.


(B) Apenas os salários são flexíveis.
(C) A economia opera em regime de concorrência perfeita.
(D) A economia opera em regime de monopólio puro.
(E) A taxa de câmbio é sempre endógena.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 05
CFO/QC-2002

16. De acordo com a abordagem dos Ciclos Reais de Negócios, analise as afirmativas abaixo:

I- Os ciclos econômicos resultam de mudanças monetárias.


II - Durante as recessões, os trabalhadores optam por trabalhar menos e ter mais lazer.
III - Uma recessão jamais poderá ser explicada por um choque de produtividade negativo.
IV - Um aumento dos gastos do governo leva a um aumento do nível de emprego.

Com base na análise, assinale a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.

17. Para uma economia operando em regime de padrão ouro, é correto afirmar:

(A) A taxa cambial se ajusta para corrigir problemas de balanço de pagamentos.


(B) A demanda por moeda é independente da taxa de juros.
(C) A curva de oferta agregada é negativamente inclinada.
(D) A curva de demanda agregada é positivamente inclinada.
(E) A oferta de moeda é endógena.

18. O Modelo Clássico é um modelo:

(A) de equilíbrio a pleno emprego.


(B) de equilíbrio permanente do Balanço de Pagamentos.
(C) de equilíbrio com desemprego.
(D) de equilíbrio fiscal permanente.
(E) que funciona apenas com câmbio fixo.

19. Considerando uma economia operando a pleno emprego, é correto afirmar:

(A) O Governo não equilibra seu orçamento.


(B) A taxa média de lucros desta economia cai se a taxa de juros diminui.
(C) A Conta Corrente do Balanço de Pagamentos é sempre deficitária.
(D) A taxa de câmbio tem trajetória sempre ascendente.
(E) Uma expansão monetária aumentará o nível de preços.

20. Considerando a nova teoria clássica, é correto afirmar:

(A) Flutuações do nível de produtos só podem ser causadas por mudanças nas curvas de oferta e de
demanda de trabalho.
(B) O modelo dos novos clássicos difere do modelo dos clássicos por não admitir a perfeita
flexibilidade de preços e salários.
(C) A única forma de o Banco Central alterar o nível de emprego é mediante uma política monetária
não antecipada.
(D) Os salários reais são rígidos tanto na recessão quanto na expansão da economia.
(E) O Banco Central não emite títulos cambiais de curto prazo.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 06
CFO/QC-2002

21. Em uma economia operando com taxa de câmbio fixa e perfeita mobilidade de capitais, o nível de preços
sobe a uma taxa maior que a dos seus principais parceiros comerciais. Nestas circunstâncias, ocorrerá:

(A) diminuição da demanda por moeda.


(B) depreciação da taxa de câmbio real.
(C) aumento da demanda por moeda.
(D) apreciação da taxa de câmbio real.
(E) apreciação da taxa de câmbio nominal.

22. Em um regime de taxa de câmbio puramente flutuante, a(o):

(A) oferta de moeda é endógena.


(B) oferta de moeda é exógena.
(C) Tesouro Nacional não emite títulos.
(D) Tesouro Nacional só emite títulos de curto prazo.
(E) Tesouro Nacional só emite títulos de longo prazo.

23. São exemplos de bens públicos:

(A) Defesa Nacional e iluminação pública


(B) Defesa Nacional e telecomunicações
(C) jazidas minerais e terras
(D) jazidas minerais e telecomunicações
(E) telecomunicações e terras

24. São efeitos de uma tributação:

(A) efeito renda e efeito Tanzi


(B) efeito renda e efeito substituição
(C) desemprego e estagflação
(D) déficit em conta corrente do balanço de pagamentos, indexação e apreciação cambial
(E) efeito Tanzi e redução da razão dívida líquida / PIB

25. Observe os tipos de tributação listados abaixo:

I- Tributo sobre o lucro da firma.


II- Tributo sobre a receita da firma.
III- Um tipo de tributo misto entre receita e lucro da firma.
IV- Tributação apenas sobre firmas multinacionais

Assinale a alternativa que apresenta o(s) tipo(s) de tributação considerado(s) distorcivo(s):


(A) Somente I
(B) Somente II e III
(C) Somente III e IV
(D) Somente I, II e III
(E) Todas
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 07
CFO/QC-2002

26. Sobre decisões de consumir, analise as afirmativas abaixo:


I- Segundo a “equivalência Ricardiana”, uma redução de impostos não exerce impacto algum sobre as
decisões de consumir, caso os planos de gastos governamentais permaneçam inalterados.
II - A “equivalência Ricardiana” não se aplica se houver restrições ao crédito para as famílias.
III - Segundo a hipótese da renda permanente, a propensão média a consumir aumenta durante períodos
de recessão.
IV - A propensão a consumir de cada unidade adicional de renda é um número sempre entre zero e um.
Com base na análise, assinale a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.

27. Considere a matriz de Insumo – Produto abaixo, onde se conhece apenas os valores de Y1, Y2, Y3 ... Yn
(Demandas Finais Projetadas). De posse da Matriz dos coeficientes técnicos [A] e da Matriz Identidade
[I] pode-se afirmar que os novos valores brutos da Produção serão encontrados:

MATRIZ DE INSUMO - PRODUTO


1 2 3 ... n DF VBP
1 x11 x12 x13 ... x1n y1 x1
2 x21 x22 x23 ... x2n y2 x2
3 x31 x32 x33 ... x3n y3 x3
... ... ... ... ... ... ... ...
n xn1 xn2 xn3 ... xnn yn xn

VAB V1 V2 V3 ... Vn
VBP X1 X2 X3 ... Xn

Observações: 1, 2, 3, ... n = setores produtivos


DF = Demanda Final
VAB = Valor Agregado Bruto
VBP = Valor Bruto da Produção
(A) multiplicando-se a Matriz inversa [I - A]1 pelos novos valores agregados brutos.
(B) multiplicando-se a Matriz [I - A ]-1 pelos valores originais das transações intersetoriais.
(C) dividindo-se a Matriz [I – A] pelos novos valores da Demanda Final.
(D) dividindo-se a Matriz [I – A]-1 pelos novos valores da Demanda Final.
(E) multiplicando-se a Matriz [I – A]-1 pelos novos valores da Demanda Final.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 08
CFO/QC-2002

28. De posse da Conta Corrente abaixo transcrita, de um setor produtivo de determinada economia de duas
entidades, pode-se afirmar que as contribuições do referido setor para o Valor Agregado Bruto do
sistema, pelas óticas do produto e das vendas para utilização final são, respectivamente:

D Conta Corrente C
Salários 350 Vendas de Insumos 200
Juros 20 Vendas de bens de Consumo 300
Aluguéis 30 Vendas de bens de Capital 200
Dividendos 10 Variação de Estoques 50
Depreciação 50
Compras de Insumos 100
Poupança Líquida 190
750 750

(A) 650 e 550


(B) 650 e 700
(C) 560 e 450
(D) 560 e 250
(E) 400 e 550

29. O Poder de Compra das Exportações de determinado ano corresponde à (ao):

(A) relação entre o índice de preços das exportações e o índice de preços das importações.
(B) relação entre o valor das importações no período considerado e o índice de preços das exportações.
(C) relação entre o valor das exportações no período considerado e o índice de preços das importações.
(D) diferença entre o Produto Interno Bruto Real e Ganhos de Intercâmbio.
(E) produto da Renda Interna Bruta Real pelas relações de troca.

30. Dispõe-se das informações abaixo referentes à determinada economia num dado período:

I. Rendas Líquidas Recebidas do Exterior = -30


II. Impostos Indiretos = 160
III. Produto Interno Bruto a preços de mercado = 1410
IV. Depreciação de Ativos Fixos = 100
V. Produto Nacional Bruto a Custo de Fatores = 1340

À luz dessas informações, pode-se afirmar que os valores da Renda Nacional Líquida a preços de
mercado e dos subsídios são, respectivamente:

(A) 1240 e 90
(B) 1250 e 110
(C) 1270 e 120
(D) 1280 e 120
(E) 1290 e 100

31. Seja Ct(y)=3+y2 o custo total de uma firma. Seu custo médio será mínimo quando y for igual a:

(A) 3
(B) 1,5
(C) 1
(D) 2
(E) 3,5
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 09
CFO/QC-2002

32. O lucro da firma monopolista é dado pela área:

P Cmg Onde:
Pm Cme=Custo Médio,
A B C Cme

D E Cmg=Custo Marginal,
Demanda
Rmg=Receita Marginal,
F Rmg Pm = Preço de Monopólio.
Y

(A) A+B
(B) D+E
(C) D+E+F
(D) B+C+E
(E) A+B+C

33. Seja a seguinte função utilidade: U ( x1 , x2 ) = min{ α1 x1 ,α 2 x2 }, é correto afirmar que x1 e x 2 são bens:

(A) normais
(B) substitutos
(C) inferiores
(D) substitutos perfeitos
(E) complementares

β α
34. X 1 e X 2 representam os dois insumos de uma firma cuja função de produção é dada por: Y = X 1 X 2 .
Esta firma possuirá retornos decrescentes de escala se:

(A) α+ β > 1
(B) α+ β < 1
(C) α=1 e β = 1
(D) α+ β = 1
(E) α> β > 1

35. Sobre a teoria dos custos, analise as afirmativas abaixo:

I - A área abaixo da curva de custo marginal é igual ao custo variável.


II - A curva de custo variável médio é mínima no ponto onde este é igual ao custo marginal.
III - O mínimo da curva de custo médio de longo prazo é igual ao mínimo de uma das curvas de custo
médio de curto prazo.
IV - A curva de custo médio é crescente enquanto o custo marginal estiver abaixo dele.

Com base na análise, assinale a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 10
CFO/QC-2002

36. A preferência do indivíduo é revelada da seguinte forma: X 1 Ø X 2 ; X 2 Ø X 3 ; e X 3 Ø X 1 . Assim


sendo, a hipótese sobre as preferências que está sendo violada é a da:

(A) Neutralidade
(B) Reflexividade
(C) Convexidade
(D) Completude
(E) Transitividade

37. Sobre os modelos de oligopólio de Cournot, Stackelberg, e Bertrand, analise as afirmativas abaixo:

I- A firma lider de Stackelberg nunca obterá um lucro maior do que em Cournot.


II - No modelo de Bertrand, as firmas escolhem suas quantidades produzidas, e o mercado determina
seus preços.
III - O modelo de Cournot se aproxima do de concorrência quanto maior for o número de firmas.
IV - No modelo de Stackelberg uma firma escolhe a sua produção antes da outra, e esta última é
chamada de seguidora.

Com base na análise, assinale a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.

38. Seja uma firma competitiva com custo total igual a Ct=2y2. O lucro máximo que essa firma pode obter,
dado que o preço de mercado é igual a 4, é:

(A) 4
(B) 1
(C) 8
(D) 2
(E) 6

39. As curvas de indiferença representadas abaixo indicam bens:

B
(A) complementares perfeitos
(B) substitutos perfeitos
(C) inferiores
(D) normais
(E) neutros
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 11
CFO/QC-2002

40. Um indivíduo consome os produtos A e B, sendo que o produto A é normal e o produto B é inferior. É
correto afirmar que, caso o preço do produto A se eleve o:

(A) consumo do produto B se reduziria devido ao efeito renda.


(B) efeito substituição implicaria um maior consumo do produto B.
(C) efeito renda do produto A é positivo e o do produto B é negativo.
(D) consumidor aumentaria o consumo dos dois produtos.
(E) consumo do produto A aumentaria devido ao efeito substituição.

41. Sejam três firmas que se encontram nas seguintes situações:

Firma 1: Rmg=Cmg=p>Cme
Firma 2: p>Rmg=Cmg>Cme
Firma 3: p=Rmg=Cmg<Cme

É INCORRETO afirmar:

(A) A firma 1 opera em um mercado competitivo.


(B) A firma 2 opera em um mercado não competitivo.
(C) A firma 3 opera em um mercado competitivo.
(D) As firmas 1 e 3 operam em prejuízo.
(E) A firma 2 opera em prejuízo.

42. A escolha ótima do consumidor se dá quando sua (seu):

(A) curva de indiferença tangencia sua restrição orçamentária.


(B) utilidade marginal é igual a zero.
(C) renda é aumentada.
(D) utilidade marginal é máxima.
(E) consumo é maior que a sua renda.

43. Se um bem é inferior, então:

(A) seu efeito renda é positivo.


(B) se seu preço se reduz seu consumo também se reduzirá.
(C) seu efeito substituição é nulo.
(D) um acréscimo na renda do consumidor pode provocar um decréscimo em seu consumo.
(E) a utilidade de seu consumo é negativa.

44. A função custo total de um monopolista é dada por Ct(y)=4+y2, e a função demanda inversa dada por
P(y)=8-y. O equilíbrio deste mercado ocorrerá quando:

(A) p=2 e y=6


(B) p=8 e y=2
(C) p=8 e y=4
(D) p=4 e y=4
(E) p=6 e y=2
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 12
CFO/QC-2002

45. A demanda de mercado de uma firma, em concorrência perfeita, é dada por y=6-0,5p, e o custo total é
dado por Ct(Y)=2y2 + 4. O equilíbrio deste mercado ocorrerá quando:

(A) p=8 e y=2


(B) p=4 e y=2
(C) p=6 e y=4
(D) p=8 e y=4
(E) p=3 e y=4

46. Seja a seguinte função custo C(y)=y2+3y+5. É correto afirmar que o:

(A) Custo Fixo = 3y+5


(B) Custo variável = y2
(C) Custo Fixo Médio = (5/y)
(D) Custo Médio = y2+3+(5/y)
(E) Custo Marginal = 2y

47. Em concorrência perfeita, uma firma depara-se com a seguinte função de custo total CT(Y)=5+2Y2+Y3.
Sua curva de oferta será:

(A) P(Y)= 2Y2+Y3


(B) P(Y)= 4Y+3Y2
(C) P(Y)= Y2+Y3
(D) P(Y)= 5+2Y2+Y3
(E) P(Y)= 2Y2+3Y2

48. A possibilidade de extração total do excedente do consumidor por parte de um monopolista:

(A) ocorre quando é praticada a discriminação de preços do terceiro grau.


(B) ocorre quando é praticada a discriminação de preços do segundo grau.
(C) ocorre quando é praticada a discriminação de preços do primeiro grau.
(D) ocorre quando o monopólio é natural.
(E) nunca ocorre, pois sempre sobra algum excedente ao consumidor.

49. Seja um consumidor que consome dois bens X1 e X2. Seus preços são, respectivamente, p1 e p2. A
inclinação da sua reta de restrição orçamentária será:

(A) –(p1/p2)
(B) p1/p2
(C) p1*p2
(D) –(p1*p2)
(E) p1+p2

50. A taxa marginal de substituição técnica entre os insumos A e B é medida em um ponto pela inclinação da
curva de:
(A) Renda-Consumo
(B) Isocusto
(C) Isolucro
(D) Isoquanta
(E) Engels
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 13
CFO/QC-2002

51. Em relação ao monopólio natural, é correto afirmar:

(A) O nível de produção no ponto de custo médio mínimo (escala mínima eficiente) é muito grande em
relação ao tamanho do mercado.
(B) O nível de produção no ponto de custo médio mínimo (escala mínima eficiente) é muito pequeno em
relação ao tamanho do mercado.
(C) A curva de custo médio é sempre crescente.
(D) A curva de custo marginal é decrescente.
(E) A curva de custo marginal é paralela ao eixo das quantidades.

52. A área sob a curva de demanda de determinado bem é representada pelo (a):

(A) custo marginal da produção deste bem.


(B) custo médio de produção deste bem.
(C) benefício marginal do consumo deste bem.
(D) quantidade consumida do bem.
(E) receita total da firma produtora do bem.

53. Sobre uma função de demanda linear, é correto afirmar que sua elasticidade é:

(A) infinita no intercepto horizontal.


(B) 0,5 na metade da curva.
(C) infinita no intercepto vertical.
(D) menor que 1 acima de sua metade.
(E) maior que 1 abaixo de sua metade.

54. Duas firmas que se encontram em um mercado de Cournot possuem uma demanda linear dada por
p(yt)=1+2yt, onde p e yt representam o preço e a quantidade total (y1+y2) produzida na economia. Sendo
o custo marginal das duas firmas nulo, as quantidades produzidas neste mercado são:

(A) y1=y2=1/3
(B) y1=y2=1/2
(C) y1=y2=1/6
(D) y1=y2=4/5
(E) y1=y2=2/5

55. Sobre as relações dos custos de curto prazo e o custo de longo prazo podemos afirmar:

(A) O custo de longo prazo é maior que os de curto prazo.


(B) Os custos de curto prazo cruzam o de longo prazo em seu máximo.
(C) O custo de longo prazo cruza os de curto prazo em seus mínimos.
(D) O custo de longo prazo cruza os de curto prazo em seus pontos médios.
(E) Os custos de curto prazo tangenciam o custo de longo prazo.

56. Seja um indivíduo com a seguinte função utilidade: U(X1, X2)=lnX1 + lnX2 e uma renda igual a Y. Sendo
P1 e P2 seus preços, a demanda por X1 e X2 será:

(A) X1 = P1/P2 e X2=P2/P2


(B) X1 = (P1*Y)/P2 e X2= (P2*Y)/P1
(C) X1 = Y/(2*P1) e X2= Y/(2*P2)
(D) X1 = Y/P2 e X2= Y/P1
(E) X1 = P1 e X2= P2
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 14
CFO/QC-2002

57. As curvas de indiferença apresentadas no gráfico abaixo descrevem uma função de utilidade do tipo:

B
(A) U(x, y)=min(x, y)
(B) U(x, y)= xa yb
(C) U(x, y)=xy
(D) U(x, y)= x-y
(E) U(x, y)= x+y

58. Os fatores que afetam a elasticidade-preço da demanda de um determinado bem são a(s):

(A) estrutura da função de produção e a curva de custo marginal de produção do bem.


(B) curvas de custo marginal e médio de produção do bem.
(C) taxa marginal de substituição técnica na produção do bem e o número de usos que o bem pode ter.
(D) disponibilidade de bens substitutos e a quantidade de usos que o bem pode ter.
(E) curvas de custo marginal e médio de produção do bem substituto mais próximo.

59. “O lugar geométrico dos orçamentos de equilíbrio, resultantes de variações na relação entre os preços em
que a renda monetária nominal permanece constante”. Esta é a definição de Ferguson para a curva de:

(A) Isoquanta
(B) Isocusto
(C) Engel
(D) Renda-Consumo
(E) Preço-Consumo

60. As preferências e dotações de dois indivíduos por dois produtos estão representadas em uma caixa de
Edgeworth, sendo assim, analise as afirmativas abaixo:

I- Um produto fora da curva de contrato é eficiente no sentido de Pareto.


II- Deslocamentos sobre a curva de contrato não significam perdas de bem-estar para nenhum dos dois
indivíduos.
III- O equilíbrio Walrasiano depende das dotações de cada consumidor.
IV- A altura e a largura da caixa representam as quantidades existentes dos dois produtos nesta
economia.
Com base na análise, assinale a alternativa correta.

(A) Somente I está correta.


(B) Somente II e IV estão corretas.
(C) Somente III e IV estão corretas.
(D) Somente I, II e III estão corretas.
(E) Todas estão corretas.
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 15
CFO/QC-2002

61. Assinale a alternativa que representa uma característica do oligopólio puro.

(A) As firmas têm as mesmas curvas de custos.


(B) As firmas têm as mesmas curvas de receita total.
(C) As firmas produzem um produto homogêneo.
(D) A curva de demanda não pode ser definida.
(E) O preço praticado no mercado é igual ao custo de produzir uma unidade adicional do bem.

62. Em relação ao equilíbrio competitivo de longo prazo, é correto afirmar:

(A) No ponto de equilíbrio o lucro econômico é zero.


(B) No ponto de equilíbrio o lucro contábil é máximo.
(C) Não pode haver livre entrada no mercado.
(D) O custo marginal de produção é zero.
(E) O custo médio de produção é zero.

63. Assinale a alternativa que apresenta uma condição para que uma desvalorização cambial seja efetiva.

(A) A economia deverá se expandir a uma taxa maior do que a taxa de desvalorização do câmbio.
(B) O preço dos bens não-comercializáveis deverá subir mais do que o dos comercializáveis.
(C) A economia deverá entrar em recessão.
(D) O preço dos bens comercializáveis deverá subir mais do que o dos não-comercializáveis.
(E) As taxas de câmbio real e nominal deverão se igualar.

64. Para se calcular a necessidade de financiamento externo de um país deve-se somar o saldo:

(A) total do balanço de pagamentos aos juros da dívida externa.


(B) total do balanço de pagamentos às amortizações da dívida externa.
(C) da balança comercial aos juros da dívida externa.
(D) da balança comercial às amortizações da dívida externa.
(E) de transações correntes às amortizações da dívida externa.

2a QUESTÃO
Dê o que se pede

Valor total: 2,0


Total de idéias: 16

RESPONDA NO CADERNO DE RESPOSTAS ANEXO.

01. Em meados de 1999, o governo brasileiro decidiu adotar a política de metas de inflação, que já vinha
sendo adotada em países como México, Chile e Inglaterra. Esta política consiste em determinar, a priori ,
a taxa de inflação anual que o país deverá registrar em um horizonte pré-determinado de anos.
O governo decide quais serão as metas, e cabe ao Banco Central a responsabilidade de, por meio da sua
política monetária, cumpri-las. No caso brasileiro, as metas estabelecidas para 2000, 2001 e 2002, foram
6%, 4% e 3,5%, respectivamente, com margem de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

a) Qual, no caso brasileiro, é o maior instrumento de política monetária utilizado para alcançar as metas?

b) Qual o risco que esta política corre quando acontece uma desvalorização cambial?

c) Por que após a desvalorização de janeiro de 1999 não houve um repasse para a inflação e por que a
recente desvalorização ocorrida em abril/maio de 2001 é mais preocupante?
ECONOMIA CONCURSO DE ADMISSÃO - 2001
PÁGINA: 16
CFO/QC-2002

d) Por que existe uma banda em torno da meta?

e) Se o Banco Central avalia que daqui a alguns meses ocorrerá uma pressão inflacionária, por que ele
decide modificar sua política hoje?

f) Com que objetivo o Banco Central divulga publicamente as atas de suas reuniões? E como isto o ajuda a
atingir seus objetivos?

g) Por que a crise da economia argentina pode vir a dificultar o atingimento da meta?

02. A condução do processo de reestruturação do complexo setor elétrico brasileiro levou o país ao
racionamento de energia elétrica. Os reflexos deste racionamento sobre a economia brasileira são difíceis
de medir, porém sabe-se em que direção tais impactos se darão, tanto do ponto de vista macroeconômico,
quanto microeconômico.
O mercado de energia elétrica brasileiro está desenhado para funcionar com base em contratos de longo
prazo e em um mercado de curto prazo que ajusta divergências entre as demandas projetada e efetiva – o
mercado atacadista.

a) Qual o efeito de curto prazo do racionamento sobre as curvas de oferta e demanda agregadas?

b) O que deve ocorrer com o PIB brasileiro? Justifique?

c) O que deve ocorrer com o nível de preços no curto prazo? Justifique?

d) O que deve ocorrer com a curva de demanda por energia elétrica?

e) O que deve ocorrer com a arrecadação tributária do governo. Justifique?

f) Qual o impacto esperado sobre a receita total das firmas no mercado de energia elétrica. Justifique?

FINAL DA PROVA
CONCURSO DE ADMISSÃO – 2001 AO CFO/QC – 2002

GABARITO DE ECONOMIA

1- A B C D E 33- A B C D E
2- A B C D E 34- A B C D E
3- A B C D E 35- A B C D E
4- A B C D E 36- A B C D E
5- A B C D E 37- A B C D E
6- A B C D E 38- B C D E
7- A B C D E 39- A B C D E
8- A B C D E 40- A B C D E
9- A B C D E 41- A B C D E
10- A B C D E 42- A B C D E
11- A B C D E 43- A B C D E
12- A B C D E 44- A B C D E
13- A B C D E 45- A B C D E
14- A B C D E 46- A B C D E
15- A B C D E 47- A B C D E
16- A B C D E 48- A B C D E
17- A B C D E 49- A B C D E
18- A B C D E 50- A B C D E
19- A B C D E 51- A B C D E
20- A B C D E 52- A B C D E
21- A B C D E 53- A B C D E
22- A B C D E 54- A B C D E
23- A B C D E 55- A B C D E
24- A B C D E 56- A B C D E
25- A B C D E 57- A B C D E
26- A B C D E 58- A B C D E
27- A B C D E 59- A B C D E
28- A B C D E 60- A B C D E
29- A B C D E 61- A B C D E
30- A B C D E 62- A B C D E
31- A B C D E 63- A B C D E
32- A B C D E 64- A B C D E
CONCURSO DE ADMISSÃO – 2001 AO CFO/QC – 2002

GABARITO ECONOMIA
2a QUESTÃO

Dê o que se pede

01. Em meados de 1999, o governo brasileiro decidiu adotar a política de metas de inflação, que já
vinha sendo adotada em países como México, Chile e Inglaterra. Esta política consiste em
determinar, a priori , a taxa de inflação anual que o país deverá registrar em um horizonte pré-
determinado de anos.
O governo decide quais serão as metas, e cabe ao Banco Central a responsabilidade de, por meio da
sua política monetária, cumpri-las. No caso brasileiro, as metas estabelecidas para 2000, 2001 e
2002, foram 6%, 4% e 3,5%, respectivamente, com margem de 2 pontos percentuais para cima ou
para baixo.

a) Qual, no caso brasileiro, é o maior instrumento de política monetária utilizado para alcançar as
metas?
R: As taxas de juros
b) Qual o risco que esta política corre quando acontece uma desvalorização cambial?
R: Quando o Real se desvaloriza, os preços de produtos internacionais se elevam, o que pode ser
repassado internamente, elevando a inflação.
c) Por que após a desvalorização de janeiro de 1999 não houve um repasse para a inflação e por que a
recente desvalorização ocorrida em abril/maio de 2001 é mais preocupante?
R: Porque, em 1999, a economia estava desaquecida, e agora não, o que aumenta o repasse. Em 1999
os produtores então preferiram reduzir suas margens de lucro a perder clientes, hoje a situação é
diferente e a demanda é menos elástica.
d) Por que existe uma banda em torno da meta?
R: Para absorver possíveis choques transitórios que não podem ser revertidos pelas políticas
monetárias.
e) Se o Banco Central avalia que daqui a alguns meses ocorrerá uma pressão inflacionária, por que ele
decide modificar sua política hoje?
R: Porque o impacto da política monetária só é sentido com algum período de defasagem .
f) Com que objetivo o Banco Central divulga publicamente as atas de suas reuniões? E como isto o
ajuda a atingir seus objetivos?
R: Para mostrar transparência ao mercado e ao público em geral. Dando clareza às suas decisões, fica
mais fácil coordenar as expectativas dos agentes econômicos de forma a facilitar o atingimento das
metas.
g) Por que a crise da economia argentina pode vir a dificultar o atingimento da meta?
R: Porque ela provoca pressões sobre o câmbio, o que pressiona a inflação.

02. A condução do processo de reestruturação do complexo setor elétrico brasileiro levou o país ao
racionamento de energia elétrica. Os reflexos deste racionamento sobre a economia brasileira são
difíceis de medir, porém sabe-se em que direção tais impactos se darão, tanto do ponto de vista
macroeconômico, quanto microeconômico.
O mercado de energia elétrica brasileiro está desenhado para funcionar com base em contratos de
longo prazo e em um mercado de curto prazo que ajusta divergências entre as demandas projetada
e efetiva – o mercado atacadista.

a) Qual o efeito de curto prazo do racionamento sobre as curvas de oferta e demanda agregadas?
R: A curva de oferta se desloca para a esquerda e a de demanda permanece inalterada.
b) O que deve ocorrer com o PIB brasileiro? Justifique?
R: O PIB deve cair, pois as firmas retrairão sua produção.
c) O que deve ocorrer com o nível de preços no curto prazo? Justifique?
R: O nível de preços deve subir pois a retração da produção, dado um mesmo nível de demanda resulta
em preços mais elevados.
d) O que deve ocorrer com a curva de demanda por energia elétrica?
R: Deve se deslocar para a esquerda, ou seja, para um mesmo nível de preços. Os consumidores
desejarão consumir menos energia.
e) O que deve ocorrer com a arrecadação tributária do governo. Justifique?
R: Deve cair, pois a arrecadação é diretamente proporcional ao PIB.
f) Qual o impacto esperado sobre a receita total das firmas no mercado de energia elétrica. Justifique?
R: Deve cair, pois o consumo do produto cai e seu preço fica estável para o vendedor.