Você está na página 1de 13

ESTUDOS SOBRE A MÚSICA LITÚRGICA

A "Trilha sonora"
PERFEITA
para a Liturgia
Uma reflexão sobre a Música no
Folheto Povo de Deus - SP

Delphim Rezende Porto


v. 02
Distribuição gratuita

Permitida a reprodução desde que citada a fonte.

Delphim Rezende Porto


S. Paulo Schola Cantorum
http://liturgiacatolica.com.br

2019
“Uma boa música para o
culto a Deus é certamente
aquela que antecipa aos
ouvidos dos fiéis os sons
da Glória celeste - e,
definitivamente não
aquela que reproduz a
pobreza de espírito da
indústria cultural que nos
empurra produtos
musicais passageiros
como um fast-food”.
Estudos sobre a Música Litúrgica

“Cantai para o Senhor


um canto novo,
com arte sustentai a
louvação”. Sl 32,3
Prof. Dr. Delphim Rezende Porto

http://liturgiacatolica.com.br
A
credito que todos nós com seus sons e aptos a
já experimentamos o acalmar um enfurecido
poder que a música ou, ainda, dar coragem a
tem no contexto da Fé e um batalhão de soldados
em nossa vida cotidiana. prestes a guerrear. Com certa
A música certa é capaz de harmonia, um jovem cura-se
preencher os ambientes, os de uma paixão e com outra,
corações e nos emocionar. alimenta-a; dependendo do
E é, das criações de Deus, “clima sonoro” estimula-
tão potente, que uma mesma se a tranquilidade ou a
situação pode se revelar animosidade, a histeria ou a
profundamente diversa sobriedade.
dependendo da “trilha sonora”
que a acompanha. Por essa Muitos santos da Igreja
razão, a sonoplastia (arte até questionaram se era
dos efeitos sonoros) é tão conveniente ter música nos
valorizada nas produções cultos cristãos – e antes
de cinema e TV, onde uma deles muitos filósofos,
cena pode ser entregue ao especialmente Aristóteles e
expectador, por exemplo, Platão, se debruçaram sobre
ora como um agradável o tema musical preocupados
documentário sobre a vida com a influência que essa arte
marinha ora como uma cena poderia ter na vida social.
de “O tubarão”. Dentre os mais famosos
escritores sacros, Santo
Os músicos, desde os tempos Agostinho foi aquele que mais
mais remotos – como perfeitamente examinou a
testemunham antigos escritos música no contexto cristão.
gregos e romanos sobre o Dizia ele nas “Confissões”
tema – sempre se constituíram que por vezes se detinha
como artífices capazes de mais à melodia do que à letra
alterar os humores humanos quando entoava no templo os
louvores ao Senhor. A música o cristão cantar ou não na
muitas vezes era o motivo, Igreja.
por seu potente poder sedutor,
de uma certa distração que o Ao avaliar o cenário sonoro
envolvia inconscientemente; que temos hoje em muitas de
quando menos esperava, já nossas paróquias, não sem
estava o grande santo mais razão podemos dizer que
entretido com o canto do que a música mais corrompe a
com a oração. Talvez, afirmou Liturgia do que a dignifica,
ele, fosse melhor que apenas sobretudo por se ocupar mais
se lessem orações do que se as com o entretenimento de um
cantassem. público expectador do que
com a formação litúrgica e
Esse pensamento de contornos ritual de uma Assembleia.
supostamente pragmáticos
e ortodoxos encontrou Santa Cecília, padroeira da
ressonância, por assim dizer, música, ao que parece, é
até nos cristãos reformadores reiteradamente martirizada
do século XVI: dada a força naquilo que patrocina,
da música, será que ela não infelizmente. Meus irmãos,
está a corromper nossos é necessário permitir que o
cultos? – perguntaram-se canto brote da assembleia
novamente também Calvino, e a ela o pertença com
Zuínglio e outros cristãos maturidade e emancipação
protestantes. – e que possamos cantar
como Igreja e não como
Não há dúvidas que uma boa entretenimento.
música ajuda a congregar os
irmãos para o culto a Deus e a Uma boa música para a
oração, mas uma ruim, não – Igreja é certamente aquela
e Santo Agostinho bem fazia que não faz da Palavra de
ao questionar se era bom para Deus seu pretexto, mas seu
instrumento potencializador – exercício musical litúrgico,
aquela que faz o povo cantar que cada domingo possui
como sacerdotes e não como suas próprias antífonas que
consumidores de um produto combinam-se às leituras.
musical em um show.
Não se deveria nunca
A opção histórica do Folheto substituir os cantos prescritos
Povo de Deus, em termos no Ordo Cantus Missae
musicais, foi tradicionalmente por qualquer outra música
orientada para o canto do genérica à entrada ou
texto bíblico e daquilo que a comunhão – por melhor que
Igreja prescreve como fonte possam parecer.
literária do louvor.
Assim como as leituras
Eu sei que muitos não sabem, ordinárias da Missa são
e eu mesmo só fui tomar textos bíblicos prescritos
conhecimento disso quando desde sempre pela Igreja
decidi aperfeiçoar meu em seus livros litúrgicos
para determinado domingo, Assim como Jesus cantava
solenidade ou festa – os Salmos com seus apóstolos,
cantos, deste mesmo modo, nossas comunidades podem
também o são. experimentar essa prática a
Desde pelo menos 1994, partir das músicas que ora
nosso Folheto litúrgico estão programadas em nosso
arquidiocesano favorece esse Folheto.
entendimento e apresentou
sempre, a partir do Hinário da As fórmulas musicais
CNBB, um acervo compatível propostas especialmente nos
à essa tradição antifonal. novos cantos, foram pensadas
com diligência, técnica e
A partir desse ano estamos, unção, para favorecerem que
como Arquidiocese em homens e mulheres possam
pleno sínodo, dando um cantar bem – e juntos, em
passo adiante nessa seara e tons bem planejados. O texto
renovando nosso repertório das Antífonas de Entrada e
musical com o precioso Comunhão se apresentam, em
auxílio do Pe. José Weber, geral, de modo sintético a fim
compositor que nos oferece de favorecer a memorização
especial suporte artístico e pelo ouvido das sacras
litúrgico. palavras – pois como nos
diz S. Paulo: a Fé vem pelo
Melodias simples e de caráter ouvido – “Fides ex audito”.
orante já estão fazendo nossas
assembleias cantarem com Nessa renovação, os
corações e vozes unidas, instrumentos musicais têm
sobretudo os Salmos que por papel a sustentação
acompanham as antífonas artística do canto e não
promovidas pelo Folheto Povo um protagonismo rítmico,
de Deus. melódico ou outro afim
– afinal, o importante é
“Se é com arte que o
salmista (Sl 32,3) diz que
se sustenta a louvação, os
coros, uma vez munidos
deste bom material,
devem estudar Música e
Liturgia da melhor forma
possível e aprimorarem-
se tecnicamente
com humildade – e
urgentemente.”
cantarmos as escrituras: desenterrar seus talentos e os
a “levada” ou “condução fazer multiplicar através do
rítmica” nas antífonas estudo e que possam se tornar
propostas é a do texto e não ministros de música, não por
outra. vaidade, mas para servirem
melhor o Reino.
A Palavra é que ditará o ritmo
do louvor e não o contrário. Seguindo as partituras como
A valorização do canto da elas estão anotadas em
assembleia através dos cantos sua integralidade artística,
simples e inspirados que ora faremos do improviso uma
apresentamos é acompanhada exceção – e não a regra,
por um retorno de fontes como hoje – pois fará parte
musicais mais completas e da rotina dos grupos de
que buscam incentivar uma música, o estudo e uma segura
melhor formação musical para preparação técnica.
os grupos que dão suporte ao
canto ritual. Um bom coro cantando a
música certa – e do modo
Se é com arte que o salmista justo – dará ao rito litúrgico a
(Sl 32,3) diz que se sustenta a “trilha sonora” perfeita, com
louvação, os coros, uma vez sobriedade e discrição.
munidos deste bom material,
devem estudar Música e No entanto, como diz
Liturgia da melhor forma um adágio atribuído a S.
possível e aprimorarem-se Agostinho, “é melhor cantar
tecnicamente com humildade um canto velho com um
– e urgentemente. coração novo, que um canto
novo com um coração velho”.
Que os irmãos mais
talentosos para a música de Por isso é tão importante que
nossas comunidades possam essa renovação também se
dê no modo com que se faz e Sobre o autor:
se prepara esse fundamental
serviço litúrgico.
Queremos e podemos ajudar
os irmãos encarregados Delphim Rezende Porto
da música a encontrarem
suporte técnico para esse
indispensável aprimoramento.
Organista, cravista e regente,
Para isso, estamos iniciou seus estudos de
realizando um Cadastro piano moderno com a
Arquidiocesano de todos polonesa Donata Lange, na
os cantores, instrumentistas, Universidade Livre de Música,
regentes e líderes musicais em São Paulo. É Mestre e
atuantes em nossa Igreja Doutor em Musicologia pela
particular através da internet: ECA-USP, sob a orientação
[http://liturgiacatolica.com.br/ de Mônica Lucas e Giuseppe
cadastro]. Gerbino (Columbia University
de Nova Iorque). Aperfeiçoa-
se atualmente aos teclados
Além disso, todas as históricos do cravo, órgão
partituras das músicas que e clavicórdio com Peter
compõem o repertório do Sykes (Juilliard School). Foi
Folheto Povo de Deus estão também aluno de Nicolau
no site da Arquidioces de Figueiredo e Elisa
de S. Paulo à disposição Freixo, especializando-se
gratuitamente. no repertório renascentista
e barroco escrito para os
teclados históricos, aos
S. Paulo, Agosto de 2019 quais se dedica no âmbito
acadêmico e performático.

Você também pode gostar