Você está na página 1de 10

Marta Bistene

AVALIAÇÃO INICIAL
marcos do
desenvolvimento
infantil
Parte 1
1- AVALIAÇÃO DE HABILIDADES

• Entrevista inicial
• Entrevista de anamnese
Múltiplos informantes
• Eficiência intelectual
Observações clínicas e naturalísticas
• Avaliação de marcos do desenvolvimento e funcionamento adaptativo
• Rastreio de sintomas relacionados as síndromes, transtornos ou
deficiência.
Avaliação de marcos do desenvolvimento e
funcionamento adaptativo*

Guia Portagem de Educação Pré-Escolar faz parte de um


sistema amplo de treinamento de pais e educação pré-
escolar denominado Projeto Portage. O Projeto Portage é
composto por 3 elementos complexos e distinto:

1)uma proposta de procedimento treino domiciliar;

2)currículo para avaliação e ensino de crianças com


necessidades especiais;

3) inventário comportamental de pais.


O inventário Portage é composto:
• Uma lista de 580 comportamentos distribuídos em 5 áreas :

1-desenvolvimento motor
2- Cognição
3- Linguagem
4- socialização e
5- autos cuidados

Distribuídas em faixas etárias de zero à 6 anos e uma sexta área estimulação


infantil específica para bebês
ALERTAS PARA USO ADEQUADO DO INVENTÁRIO
PORTAGE OPERACIONALIZADO

A) Completar o inventário comportamental incorretamente

Para completar corretamente um inventário, o professor deve obter um


quadro preciso das habilidades da criança. Isso implica em observar a
criança executando a habilidade, ao invés de presumir que ela tenha
adquirido a habilidade.
B) Ensinar se apoiando apenas nos materiais e nas atividades sugeridas

Uma vez que uma determinada habilidade for prescrita para a criança
aprender, o professor deverá avaliá-la em termos de seu estilo de
aprendizagem, reforçadores eficazes, interesses por vários materiais.
Somente, então, o professor deverá escolher a atividade de ensino mais
apropriada e os materiais para tal criança.
C) SEGUIR O INVENTÁRIO COMPORTAMENTAL MUITO RIGIDAMENTE

Após avaliação inicial com base no inventário, o professor estará pronto


para Selecionar habilidades para ensinar a criança. Estas habilidades
selecionadas não precisam ser aquelas Descritas nos primeiros itens do
inventário que a criança foi incapaz de realizar. escolher uma habilidade
que seja adequada vista do desenvolvimento da criança, quanto por sua
funcionalidade. usar inventários comportamentais mento não é
equivalente a seguir uma receita. cada criança é única e aprende em seu
próprio ritmo.
D) PRESCREVER OBJETIVOS SOMENTE PARA AS HABILIDADES
DAS ÁREAS DEFICITÁRIAS

Embora o objetivo da intervenção seja, corretamente, a eliminação de


um déficit no desenvolvimento, um programa educacional deveria
estimular o crescimento de todas as áreas. Isso não só porque a
criança com habilidades deficitárias em uma determinada área possa
ter necessidades em outras áreas, como também pelo fato de ser
frustrante para a criança quando se focaliza continuamente apenas a
área problema.
E) Evitar identificar habilidades nas áreas
deficitárias
O professor deve treinar todas as áreas de desenvolvimento, levando
em conta as habilidades e necessidades únicas de cada criança. é fácil
acabar, inconsciente e não intencionalmente, ensinando áreas onde se
é mais reforçado por fazê-lo.
Bibliografia
Williams, Lúcia Cavalcanti de Albuquerque; Aiello Ana Lúcia Rossito .
Manual do Inventário Portage Operacionalizado:6 anos Curitiba Juruá
2018 390 p. 2ª impressão 2020

Você também pode gostar