Você está na página 1de 76

50H

Formadora: Ana Rita Grave

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Alcoolismo

Toxicodependência

VIH/SIDA

Outras doenças infeciosas. Hepatite A, B, C, e Tuberculose

Negligência, violência e mal tratos

Aspetos específicos nos cuidados à pessoa em situação vulnerável

Tarefas que em relação a esta temática se encontram no âmbito de intervenção do/a Auxiliar
e Saúde

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


«Alcoolismo não constitui uma entidade nosológica
definida, mas a totalidade dos
problemas motivados pelo álcool, no indivíduo,
estendendo-se em vários planos e causando
perturbações orgânicas e psíquicas, perturbações
da vida familiar, profissional e social, com as
suas repercussões económicas, legais e morais.»

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Carência
afetiva

Preencher um
vazio
(consciente ou
inconsciente)

Impotência
diante da vida

Incapacidade de
aceitação de si
próprio

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❑ O alcoolismo é uma doença;

❑ O alcoólico pode apresentar prejuízos


relacionados com o consumo de álcool
em todas as áreas da vida (físico,
mentais, morais, profissionais e sociais);

❑ O alcoólico perde a capacidade de


controlar a quantidade de bebida que
ingere, uma vez que vence a ingestão
(dependência química)

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


 Beber para esquecer os problemas;

 Beber sozinho com frequência; Pessoa fisicamente dependente do


álcool, pois sente necessidade de
 Mentir sobre o seu hábito de beber; beber e dificilmente consegue
parar. Considerando-se assim
 Perder o interesse por comida; doentes crónicos. Desenvolvem
tolerância ao álcool, o que leva à
 Sentir-se triste ou irritado quando não bebe; necessidade de beberem sempre
mais.
 Perder as memórias de certos eventos;

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Consumo de álcool em Jovens

6%

50% Sem dependência


O consumo nocivo/abusivo e a
44% dependência foram mais frequentes no
Consumo nocivo/abuso
Dependentes sexo masculino entre os 18 e os 29 anos.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Se para os adultos o consumo do álcool pode ser um escape aos problemas, para os jovens é, por
vezes, uma afirmação, pois são influenciados pelo seu grupo de amigos, numa forma de afirmar a sua
identidade, espelhando-se no seu grupo de iguais.

❖ É possível também que a influência parta do exemplo dado pelos adultos, sendo dessa forma
determinante nas escolhas feitas pelos adolescentes/jovens.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


O etanol é um líquido incolor, volátil, de cheiro característico, de sabor
queimoso e densidade 0,8. É miscível com a água, ferve a 78,5 e pode
separar-se da água, por destilação.

A graduação alcoólica de uma bebida é definida pela percentagem


volumétrica de álcool puro nele contido. Assim, por exemplo: um vinho de
10 significa que 1L contém 10% de álcool, isto é, 100 ml ou 80gramas de
álcool.

O álcool é um produto da fermentação de açúcares de numerosos


Estrutura molecular do etanol ou produtos de origem vegetal (frutos, mel, tubérculos, cereais) sob a
álcool etílico = CH3-CH2-OH influência de microrganismos, nomeadamente leveduras.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Fermentação Destilação
Ex. Vinho e cerveja Ex. uísque, vodca

O teor varia de 4% a 15% O teor varia de 40% a 90%

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Quanto maior o teor, mais rápida é absorção pelo
organismo – entra na corrente sanguínea e, de início,
provoca uma alteração nas células neurotransmissoras,
dando origem a uma sensação de desinibição e euforia.

❖ O álcool é uma bebida psicotrópica.

❖ Causam dependência e também mudanças no


comportamento. Inicia-se com uma alteração no humor
acompanhada de uma euforia, depois vem o momento da
sonolência, onde o indivíduo não possui mais a sua
coordenação motora e apresenta comportamento
depressivo.

❖ Age diretamente no sistema nervoso central.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Sonolência

Tonturas
❑ Memória
Distúrbios no sono
❑ Aprendizagem
Náuseas
Droga Depressora
❑ Motivação Vómitos

Fala incompreensível
❑ Autocontrolo
Reflexos Comprometidos
Ressaca
Pode causar uma lesão no cérebro que compromete a
memória e altera drasticamente o comportamento do
indivíduo.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Demência alcoólica é uma forma de demência provocada pelo consumo excessivo de álcool. Afeta a memória,
aprendizagem e outras funções mentais.

Os sintomas podem incluir:


❑ Dificuldade na aprendizagem de coisas novas;
❑ Problemas na memória a curto-prazo;
❑ Alterações da personalidade;
❑ Dificuldades no pensamento lógico e em tarefas que requeiram capacidades de planeamento, organização e
discernimento;
❑ Competências sociais fracas;
❑ Problemas de equilíbrio;
❑ Diminuição da iniciativa.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


A síndrome de Korsakoff ou síndrome de Wernicke-Korsakoff são formas particulares de lesões cerebrais que
podem estar relacionadas com a demência alcoólica. Esta síndrome é uma perturbação neurológica devido à falta
de vitamina B1. Assim, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas propicia este tipo de demência, uma vez que
prejudica a absorção de vitamina B no organismo.

Sintomas:

•Movimentos rápidos e incontroláveis dos olhos;


•Visão dupla;
•Hemorragia no olho;
•Estrabismo;
•Andar lento e descoordenado;
•Confusão mental;
•Alucinações;
•Apatia;
•Dificuldade em comunicar.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Qualquer pessoa que beba quantidades excessivas de álcool durante vários anos pode desenvolver
demência alcoólica.

❖ Mais registo de homens com idades entre os 45 e 65 anos, embora possa afetar homens e mulheres
de qualquer idade.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


necrose

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Pele amarelada

❖ Desnutrido

❖ Barriga inchada e fortes dores abdominais

❖ Sangramento pelo nariz e vómitos (eventualmente)

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Pancreatite
• Dores de barriga
e diarreia
Miocardite
Diabetes
• Tonturas e falta de ar
• Arritmia cardíaca

Neuropatia
(alteração dos nervos)
• Perda do tato e
formigueiro nas mãos

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
❑ A dependência do álcool é uma doença médica e comportamental que pode e deve ser tratada.

❑ Os fatores genéticos e ambientais são importantes no início do consumo de álcool. A família, grupos de
pares e a sociedade determinam o nível de exposição ao stresse e ao álcool. A suscetibilidade de se
desenvolver uma perda de controlo no consumo do álcool é geneticamente predisposta e os fatores
genéticos contribuem para cerca de 60% do risco de doença. Assim como a alimentação, é outro fator
determinante para o desenvolvimento de doenças.

❑ Estima-se que o consumo do álcool provoque cerca de 20% a 50% das cirroses hepáticas,
epilepsia, envenenamentos, acidentes de viação, violência e vários tipos de cancro.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Embriaguez é o nome dado ao torpor e intoxicação causados pelo consumo excessivo de
algumas drogas, sobretudo o álcool.

Patológica ou crónica

Não Acidental Acidental

Habitual
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
 Voluntária: o agente deseja ingerir a substância que lhe causará a embriaguez, sem
qualquer contrariedade para isso;

 Culposa: o agente deseja ingerir a substância, mas não pretende embriagar-se. A


embriaguez é derivada de culpa, muito embora o consumo da bebida haja sido espontâneo e
consciente;

 Preordenada: o agente embriaga-se com fins de cometer uma conduta típica, ingestão
de bebidas dá-se exatamente em razão da finalidade previamente planeada.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❑ Fortuita: derivada de caso fortuito, ocorre quando o agente se embriaga sem o seu próprio
consentimento, sendo que não a previu nem desejou. Aqui ocorre o erro e a ignorância, pois o sujeito
desconhece os efeitos que tal produto pode causar-lhe ou mesmo a sua própria intolerância orgânica.

❑ Forçosa: derivada de força maior, acontece quando o agente é impelido a ingerir a substância que lhe
causará a embriaguez, sem que possa resistir. Nessa circunstância, é do seu conhecimento o efeito que
lhe causará o consumo, entretanto, não é possível esquivar-se.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❑ O agente embriaga-se ininterruptamente, não conseguindo voltar ao estado de
sobriedade. O seu sistema nervoso é dominado por deformação, não sendo mais
capaz de voltar ao estado normal. Na medicina, costuma ser equiparada a doença
mental.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❑ Neste estado o sujeito embriaga-se com habitualidade, mas a interrupção fá-
lo voltar ao estado de sobriedade, isto é, os efeitos da intoxicação desaparecem
com a eliminação do álcool do organismo.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


✓ Forma alucinatória, caracterizada pelo aparecimento, durante a embriaguez, de alucinações visuais
e auditivas. Existe, por vezes, um verdadeiro onirismo. O carácter ameaçador dos temas leva o
indivíduo a reagir, por vezes, com violência;

✓ Forma delirante, em que ideias de perseguição, megalomanias, e, muito frequentemente, de ciúme,


tornam o quadro de embriaguez muito grave, com perigosidade no que respeita ao comportamento
para com o cônjuge;

✓ Forma excito-motora, caracterizada por excitação verbal e de movimentos, atitudes furiosas e


agressivas, conduta por vezes com perigosidade, na base de situações médico-legais.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda, o consumo deve ser no máximo de duas bebidas
padrão (que corresponde a 20 gr de álcool) por dia para os homens e uma bebida padrão para as mulheres
(10gr de álcool), até um máximo de 5 dias por semana.

Bebidas – Quantidades de Álcool


Bebida Gramas de Álcool Unidade Padrão
1 lata de cerveja - 350ml 17 g 1,5
1 copo de cerveja – 200ml 10 g 1
1 copo de vinho – 90ml 10 g 1
1 dose de destilados – 50ml 20-25g 2-2,5
1 garrafa de vinhos – 750ml 80g 8
1 garrafa de destilados – 750ml 300-370g 30-37

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ O tratamento não é fácil;

❖ A tentação de cair no vício da bebida é enorme e muito forte.

❖ Força mental e capacidade de cada um em ultrapassar obstáculos e dificuldades;


❖ Tempo e duração variável, consoante o grau de dependência e o estado de saúde
em geral.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Força de vontade;

❖ Aceitação e reconhecimento do problema;

❖ Desejo de mudança

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Desintoxicação: abstinência de álcool

Medicamentos: Redução do desejo de beber e prevenção de efeitos de ressaca

Aconselhamento: AA, apoio psicológico

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Clínica Olhos De Água | Tratamento de Toxicodependência e Alcoolismo – Palmela

CRETA - Tratamento de Dependências, Toxicodependência, Alcoolismo e Adições | Clínica – Sintra

Clinica Linha d'agua – Leiria

CRI - ET Porto Ocidental - Porto

Unidade de Alcoologia de Lisboa

Unidade de Alcoologia do Porto

Unidade de Alcoologia de Coimbra

Ran - Happy Start - Tratamento Da Dependência Química Lda – Vila Real

Unidade De Desabituação do Algarve – Olhão

Associação Dianova Portugal – Intervenção em Toxicodependências e Desenvolvimento Social – Monte Redondo

Associação Dianova Portugal – Intervenção em Toxicodependências e Desenvolvimento Social - Bagunte

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Na União Europeia, em 2019 a taxa média de consumo
de álcool diário era de 8,4%, em Portugal a
percentagem é de 20,7% traduzindo-se num quinto da
população que consome álcool todos os dias: 33,4%
são homens e 9,7% são mulheres.
No entanto não são campeões no excesso de
consumo de álcool!

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Após tudo o que foi falado e visto, faça uma pequena análise e
reflexão sobre o vídeo que acabou de ver, onde deve referir
atitudes que acha aconselhável para ter com um alcoólico.

Terá 1h30min para realizar esta tarefa.

Bom trabalho!

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Entre os impedimentos
para a autoidentificação,
no período da
adolescência, destaca-se
a rejeição.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


A toxicodependência é um estado crónico ou periódico, motivado pelo consumo
repetido e abusivo de uma droga sintética ou natural, associada a tendências para aumentar
as doses, de modo a provocar, rapidamente, uma dependência física, psíquica e económica.

Esta dependência não é exclusiva dos jovens, sendo também muito frequente nos
adultos. Contudo, é mais suscetível de atingir os adolescentes e os mais jovens, em virtude
de serem mais facilmente influenciáveis.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


A toxicodependência é um estado crónico ou periódico, motivado pelo consumo repetido e
abusivo de uma droga sintética ou natural, associada a tendências para aumentar as doses,
de modo a provocar, rapidamente, uma dependência física, psíquica e económica.

Esta dependência não é exclusiva dos jovens, sendo também muito frequente nos adultos.
Contudo, é mais suscetível de atingir os adolescentes e os mais jovens, em virtude de
serem mais facilmente influenciáveis.

O uso prolongado de drogas dá origem à


Toxicodependência!

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
O uso das drogas
conduz
indubitavelmente ao
aparecimento de
doenças,
e inclusive pode levar à
morte prematura.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Para além da morte pode ainda conduzir à degradação progressiva do organismo e
provocar a hepatite B , sida ou outras doenças contagiosas, se não estiverem
devidamente protegidos. Normalmente as doenças são difundidas pelos próprios
toxicodependentes.

❖ Salienta-se que não são só as drogas ilícitas que fazem mal ao físico e psíquico, mas
também as lícitas tais como o álcool e o tabaco. Estes são os mais consumidos quer por
jovens quer por adultos.

❖ As drogas não são todas iguais quanto à sua perigosidade intrínseca e, algumas drogas
mais tóxicas (ex: o álcool) podem ser ingeridas de forma controlada por muita gente sem
problemas de maior! Por outro lado, a heroína, ao contrário do álcool, é uma droga com
menos efeitos tóxicos a longo prazo (embora, tal como é consumida atualmente - em
condições de marginalidade, falta de higiene e sem controlo - possa ser muito perigosa),
mas que tem uma capacidade tão elevada de criar dependência, que é impossível deixar
de ficar "agarrado" após alguns consumos.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


O que atribui perigosidade real a uma determinada droga, assim como
o que induz e mantém o consumo de uma droga, é um conjunto de fatores que
interagem de forma dinâmica e estão relacionados com três variáveis: a droga
(propriedades farmacológicos), o consumidor (características psicológicas) e o
ambiente social que o rodeia.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


As drogas são definidas como toda substância, natural ou não, que modifica as funções normais
de um organismo. Também são chamadas de entorpecentes ou narcóticos. A maioria das drogas
são produzidas a partir de plantas (drogas naturais), como por exemplo a maconha, que é feita
com Cannabis sativa, e o Ópio, proveniente da flor da Papoula. Outras são produzidas em
laboratórios (drogas sintéticas), como o Ecstasy e o LSD. A maioria causa dependência química ou
psicológica, e podem levar à morte em caso de overdose.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Maconha: uma das drogas mais populares, a maconha é consumida por meio de um
enrolado de papel contendo a substância. É feita a partir da planta Cannabis sativa. Existe a
variação chamada Skunk, com um teor de THC (tetrahidrocanabinol) bastante elevado, bem
como o Haxixe.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Ópio: droga altamente viciante, o Ópio é feito a partir da flor da Papoila. Os principais
efeitos são sonolência, vômitos e náuseas, além da perda de inteligência (como a maioria
das drogas). Opiáceos: codeína, heroína, morfina, etc.

❖ Psilocibina: é uma substância encontrada em fungos e cogumelos, a Psilocibina tem como


principal efeito as alucinações. Também é utilizada em pesquisas sobre a enxaqueca.

❖ DMT - Dimetiltriptamina: A principal consequência do seu consumo são perturbações no


sistema nervoso central. Utilizada em rituais religiosos.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


❖ Cafeína: é o estimulante mais consumido no mundo - está no café, no refrigerante e no
chocolate.

❖ Cogumelos Alucinógenos: alguns cogumelos, como o Amanita muscaria podem


causar alucinações.

❖ Nicotina: presente no tabaco

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


DROGAS SINTÉTICAS

❖ Anfetaminas – O seu principal efeito é o estimulante. É muito utilizada com o objetivo de


afastar o sono e poder conduzir por longos períodos.

❖ Barbitúricos - Um poderoso sedativo e tranquilizante, causa grande dependência química.

❖ Ecstasy - Droga altamente alucinogénia, causa forte ansiedade, náuseas, etc.

❖ LSD - Outro poderoso alucinogénio que causa dependência psicológica.

❖ Metanfetamina - Era utilizada em terapias em muitos países, mas foi banida pelo uso abusivo
e consequências devastadores da droga.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


DROGAS SEMI-SINTÉTICAS

❖ Heroína - A heroína é uma das drogas mais devastadoras, altamente viciante - causa rápido
envelhecimento do usuário e forte depressão quando o efeito acaba.

❖ Cocaína e Crack - A cocaína é o pó produzido a partir da folha de coca, e o crack é a versão


petrificada dessa droga. Altamente viciante, deteriora rapidamente o organismo do drogado,
causando também perda de inteligência, alucinações, ansiedade, etc.

❖ Morfina - É uma droga utilizada principalmente para o alívio de dores em todo o mundo.
Também causa dependência química.

❖ Merla - droga produzida a partir da pasta de coca.

❖ Oxi - outra droga derivada da pasta de cocaína.


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
De acordo com a ação destas no organismo do indivíduo, um pesquisador francês, denominado
Chaloult, classificou as drogas em três grandes grupos:

➢ Drogas estimulantes do sistema nervoso central:


Estas substâncias aumentam a atividade cerebral, uma vez que imitam ou cooperam com os
neurotransmissores estimulantes do organismo do indivíduo, como a epinefrina e dopamina.
Assim, dão sensação de alerta, disposição e resistência, mas que, ao fim de seus efeitos,
conferem cansaço, indisposição e depressão, devido à sobrecarga que o organismo se expôs.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Efeitos imediatos
Sensação de euforia intensa;
Sensação de poder;
Energia em excesso;
Fala mais rápida que o normal;
Aumento da frequência e pressão cardíaca;
Falta de noção da realidade;
Falta de sono;
Perda de apetite.

Algumas delas são: nicotina, cafeína, anfetamina, cocaína, crack, …

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Drogas depressoras do sistema nervoso central:
Apresentam uma diminuição das atividades cerebrais de seu usuário, deixando-o mais lento,
desligado e alheio; menos sensível aos estímulos externos.

Efeitos imediatos
Sensação intensa de relaxamento, tranquilidade e calma;
Diminuição dos reflexos;
Alta resistência à dor;
Baixo raciocínio;
Baixa concentração;
Muita sonolência;
Dificuldade em fazer tarefas comuns, como conduzir.

Algumas delas são: álcool, inalantes/solventes,


Cuidados na saúde a soníferos, ansiolíticos, antidepressivos, morfina,…
populações vulneráveis-IEFP
Drogas perturbadoras do sistema nervoso central:
São aquelas drogas cujos efeitos são relativos à distorção das atividades cerebrais, podendo
causar perturbações quanto ao espaço e tempo; distorções nos cinco sentidos e até mesmo
alucinações. Grande parte destas substâncias é proveniente de plantas, cujos efeitos foram
descobertos por culturas primitivas, associando as experiências vivenciadas a um contacto com o
divino.
Efeitos Imediatos
Prazer ou medo intenso;
Noção de grandiosidade exagerada;
Delírios de perseguição e;
Distorção visual relacionada a contornos, formas e cores.

Algumas delas são: haxixe, ecstasy, cogumelo, LSD, medicamentos anticolinérgicos,…


Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Efeitos das drogas na gravidez

Os efeitos das drogas na gravidez podem ser observados na mulher e no bebé, e pode levar a aborto, parto
prematuro, restrição do crescimento, baixo peso para a idade gestacional e mal formação congénita.
Depois do nascimento do bebé, este poderá sofrer uma crise de abstinência das drogas pois o seu organismo já
estará viciado. Nesse caso, o bebé poderá apresentar sintomas como chorar muito, ficar muito irritado e
ter dificuldade em se alimentar, dormir e respirar, necessitando de internamento hospitalar.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Efeitos a longo prazo
As consequências a longo prazo de qualquer tipo de droga incluem:
• Destruição de neurónios, que diminuem a capacidade de pensar e realizar atividades
• Desenvolvimento de doenças psiquiátricas, como psicose, depressão ou esquizofrenia
• Lesões no fígado, como cancro hepático
• Mau funcionamento dos rins e dos nervos
• Desenvolvimento de doenças contagiosas, como SIDA ou Hepatite
• Problemas do coração, como enfarte do miocárdio
• Morte precoce
• Isolamento da família e da sociedade

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


O objetivo das medidas de prevenção da toxicodependência é reduzir o número de pessoas que se iniciam
no consumo de substâncias ou atrasar o consumo para uma faixa etária o mais avançada possível e, desse
modo, reduzir, pelo menos, a escala do problema da droga. A prevenção da toxicodependência inclui, mas
não de forma exclusiva, a educação sobre drogas e a chamada de atenção para os perigos que lhes estão
associados. Com efeito, este elemento específico constitui uma ínfima parte da prevenção. Estratégias
eficazes combinam informação sobre substâncias com técnicas comportamentais e cognitivas selecionadas
(crenças comuns) que têm efeitos preventivos no comportamento do consumo de drogas.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


A prevenção é classificada de acordo com o grupo alvo:
❑ A prevenção universal visa populações gerais, normalmente jovens, por exemplo, em escolas, sem considerar
grupos de risco específicos;
❑ A prevenção seletiva visa grupos vulneráveis
❑ A prevenção específica visa indivíduos vulneráveis.

Torna-se cada vez mais importante que a prevenção do consumo de drogas seja de grande qualidade e
fundamentada em provas. Idealmente, as políticas de prevenção pensadas e concretizadas de uma perspetiva de
saúde pública, com o objetivo de fornecer um patamar de prevenção universal básica e com uma boa relação
custo - eficácia a uma vasta franja da população, deveriam ser complementadas por intervenções mais intensivas
e à medida, direcionadas especificamente para grupos e indivíduos vulneráveis.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Ao nível dos profissionais de saúde, os objetivos na área de prevenção são de aumentar a qualidade da
intervenção preventiva através do reforço da componente técnico-científica e metodológica.
Procura-se assim, este reforço através das seguintes estratégias:

➢ Consolidação e implementação de um sistema de validação técnica de programas.

➢ Produção e divulgação de guidelines para atendimento de adolescentes com problemas de uso / abuso de
drogas, no âmbito do Ministério da Saúde, com outros Serviços e entidades com intervenção neste domínio.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


➢ Realização de intervenções de informação/sensibilização, integradas e focalizadas, sobre as substâncias
psicoactivas e riscos associados ao seu consumo, em articulação com outras entidades

➢ Reforço das intervenções de prevenção universal eficazes e avaliadas no meio laboral e no meio escolar e
profissional.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


• Existem programas de integração e de assistência sanitária que
oferecem aos toxicodependentes o apoio e informação necessários para
evitar a transmissão e propagação de doenças infeto-contagiosas
relacionadas com o consumo de drogas, (HIV, Hepatite B e Hepatite C, etc.).

• A entrega e troca de seringas usadas por seringas novas, em locais


apropriados, veio também contribuir para a redução da troca de agulhas
contaminadas que representam um grave perigo para a saúde, não só dos
toxicodependentes, como também para a saúde pública.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


• Em conjunto, famílias, sociedade e programas de acompanhamento
e tratamento, podem contribuir para a prevenção e/ou controlo das
doenças infecto-contagiosas relacionadas com a toxicodependência,
como também para a redução da criminalidade que gira em torno desta
problemática que não afeta só os consumidores de drogas e suas
famílias.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


Para que os objetivos supramencionados sejam passíveis de serem alcançados, é necessário a criação de
estruturas sócio sanitárias, tais como:
❑ Gabinetes de apoio a toxicodependentes sem enquadramento socio-familiar;
❑ Centros de acolhimento;
❑ Centros de abrigo;
❑ Pontos de contacto e de informação;
❑ Espaços móveis de prevenção de doenças infecciosas;
❑ Programas de substituição em baixo limiar de exigência;
❑ Programas de troca de seringas;
❑ Equipas de rua para projetos específicos.
❑ Programas para consumo vigiado.
Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP
Os gabinetes de apoio e os centros de acolhimento fornecem serviços de higiene e alimentação mínimos,
apoio psicológico e social, cuidados de enfermagem, despiste de doenças infeto-contagiosas, preservativos,
utensílios para consumo endovenoso por troca de seringas de acordo com a lei e apoio médico e psiquiátrico,
podendo também fornecer serviços de substituição opiácea de baixo limiar.

A toxicodependência, é algo que se pode transformar num grave


problema de saúde pública, que mesmo involuntariamente pode
afetar qualquer um de nós, é um assunto de responsabilidade
social que nos concerne a todos nós, e é a todos nós compete
informar, não discriminar, e apoiar para melhor integrar e “evitar”.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


o Quais os sinais corporais do consumo de drogas?

o O que devemos ter em atenção ao estar em contacto com alguém


Toxicodependente?

o O que devemos questionar e procurar?

Têm 3horas para realizar esta tarefa.

Bom trabalho!

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


➢ Realização de intervenções de informação/sensibilização, integradas e focalizadas, sobre as substâncias
psicoactivas e riscos associados ao seu consumo, em articulação com outras entidades

➢ Reforço das intervenções de prevenção universal eficazes e avaliadas no meio laboral e no meio escolar e
profissional.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP


➢ Realização de intervenções de informação/sensibilização, integradas e focalizadas, sobre as substâncias
psicoactivas e riscos associados ao seu consumo, em articulação com outras entidades

➢ Reforço das intervenções de prevenção universal eficazes e avaliadas no meio laboral e no meio escolar e
profissional.

Cuidados na saúde a populações vulneráveis-IEFP

Você também pode gostar