Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE PARANAENSE – UNIPAR

CURSO: DIREITO 1º BIMESTRE/2011


DISCIPLINA: PSICOLOGIA FORENSE PROFª: CRISTINA MARIA DE OLIVEIRA

ALUNO: RAFAEL FELBER SÉRIE: 1º A R.A. 10811


…........................................

ATIVIDADE PRÁTICA 01 – O cliente A . procurou o escritório de advocacia do Dr. Smitt


com o intuito de solucionar suas dificuldades perante a justiça. O senhor A .e sua esposa estão na
fila de adoção há um ano e ainda não foram chamados ao fórum. Procuraram o serviço do advogado
para saber como este poderia auxiliar em agilizar o processo de adoção. Você como futuro
advogado como procederia com este cliente utilizando o serviço da psicologia jurídica?

No atual Direito de Família é imprescindível a utilização dos serviços da psicologia


jurídica em função da necessidade de uma abordagem multidisciplinar devido à complexidade no
trato de temas conflituosos agilizando o exame e a solução dos casos. Surge como um espaço
privilegiado no sentido de oferecer suporte emocional e também informativo e de orientação de
aspectos práticos aos casais pretendentes à adoção.
Considerando o caso do cliente A . e sua esposa, cuja preocupação maior é a morosidade
do processo, o serviço de psicologia jurídica poderia auxiliá-los através de várias intervenções de
suporte emocional e agilização do processo:

a) Enriquecer o processo com a perícia psicológica e avaliação técnica do caso, na medida em que
servem de referencial para deliberações e pareceres mais adequados à realidade do cliente,
permitindo agilidade no processo.

b) Participar do processo de adoção por meio de uma assessoria constante para a família adotante,
buscando restabelecer o equilíbrio moral e emocional dos mesmos nesta expectativa da espera,
oferecendo condições para que sejam escutados enquanto sujeitos humanos.

c) Dar conhecimento à família do trâmite legal, das questões burocráticas e processuais que
implicam o processo de adoção e que contribuem para a demora do mesmo, pois a morosidade está
relacionada com a forma como os diferentes serviços conduzem os processos, sendo este um
trabalho complexo que está constantemente em confronto com direitos e deveres inerentes à pessoa
humana.

d) Conscientizar os pretendentes à adoção de que a fase mais morosa é o processo de avaliar de uma
forma correta, coerente, real, as competências sociais, psicológicas, maternais, em termos de ser pai
e mãe dos candidatos a pais adotivos, garantindo o cumprimento da lei.

As questões familiares, por serem mais amplas e complexas, não se limitam à objetividade
da lei. A psicologia jurídica, como ciência do comportamento humano, busca compreender
elementos e aspectos emocionais de cada pessoa e da dinâmica familiar, e assim, encontrar uma
saída humanizada e construtiva que atenda adequadamente as necessidades daquela família, que
muitas vezes passam despercebidas no judiciário.