Você está na página 1de 3

1.

Para realizar a exodontia dos incisivos superiores, descreva qual(is) a(s) técnica(s)
anestésica(s) deve(m) ser empregada(s), qual(is) o(s) nervo(s) que deve(m) ser
anestesiado(s) com essa(s) técnica(s) e quais os instrumentais (fórceps e alavanca)
podem ser utilizados para realizar a luxação.

Para a exodontia dos incisivos superiores utilizamos a injeção supraperiosteal, ou infiltração


local. Os grandes ramos terminais do plexo dentário (que vem do nervo ASA) são
anestesiados: a polpa e a área radicular do dente, periósteo, tecido conjuntivo e mucosa
vestibular. Uma agulha curta de calibre 27 é recomendada, a área de inserção é na altura do
sulco mucovestibular, acima do ápice do dente. A área alvo é a região apical do dente a ser
anestesiado e podemos usar como referência o sulco mucovestibular, a coroa clínica do dente
e o contorno da raiz do dente. A orientação do bisel deve ser em direção ao osso. Quando as
injeções supraperiosteais forem ineficazes por causa da densidade do osso cortical podemos
utilizar a tecnica de bloqueio do nervo alveolar superior anterior, na qual o nervo alveolar
superior anterior, o nervo ASM e o nervo infraorbital são anestesiados. Para esse
procedimento utilizamos uma agulha longa, de calibres 25 ou 27, a área de incerção é na altura
do sulco mucovestibular diretamnete sobre o primeiro pré-molar, sendo a área-alvo o forame
infraorbital e tendo a orientação do bisel em direção ao osso. Os forceps 150, 1 e 99A podem
ser utilizados, assim como alavancas.

2. Para realizar a exodontia do 16 ou 26, descreva qual(is) a(s) técnica(s) anestésica(s)


deve(m) ser empregada(s), qual(is) o(s) nervo(s) que será(ão) anestesiado(s) com
essa(s) técnica(s) e quais os instrumentais podem ser utilizados para realizar a luxação.
Descreva o passo a passo para realização da exodontia do 16, especificando a(s)
técnica(s) anestésica(s) utilizada(s), anestésico utilizado, tamanho da agulha, nervo(s)
anestesiado(s) e especificando também qual fórceps deve ser utilizado.

Para a exodontia dos dentes 16 ou 26 utilizamos a injeção supraperiosteal, ou infiltração local.


Os grandes ramos terminais do plexo dentário (que vem do nervo ASP) são anestesiados: a
polpa e a área radicular do dente, periósteo, tecido conjuntivo e mucosa vestibular. Uma
agulha curta de calibre 27 é recomendada, a área de inserção é na altura do sulco
mucovestibular, acima do ápice do dente. A área alvo é a região apical do dente a ser
anestesiado e podemos usar como referência o sulco mucovestibular, a coroa clínica do dente
e o contorno da raiz do dente. A orientação do bisel deve ser em direção ao osso. Se a injeção
supraperiosteal se mostrar ineficaz utilizamos a técnica do bloqueio do nervo alveolar superior
posterior, entretanto, a raiz mesiovestibular do primeiro molar superior não é regularmente
inervada pelo nervo ASP, portanto é indicada uma segunda injeção, geralmente
supraperiosteal, após o bloqueio do nervo ASP quando não ocorrer anestesia eficaz do
primeiro molar. Os nervo ASP e seus ramos são anestesiados. O fórceps 32 e 53 podem ser
usados, sendo o 53L para o dente 26 e o 53R para o 16, assim como alavancas.

3. Paciente necessita de múltiplas exodontias de elementos superiores (indicação de


exodontia dos elementos 12, 14, 15 e 17). Descreva qual(is) a(s) técnica(s)
anestésica(s) deve(m) ser empregada(s), qual(is) o(s) nervo(s) que será(ão)
anestesiado(s) com essa(s) técnica(s) e quais os instrumentais podem ser utilizados
para realizar a luxação.
Utilizar a tecnica de bloqueio do nervo maxilar, na qual a divisão maxilar do nervo trigêmeo
será anestesiada, as áreas anestesiadas são a região pulpar dos dentes superiores do lado do
bloqueio, no caso o lado direito, o periodonto vestibular e o osso subjacente a esses dentes,
tecidos moles e osso do palato duro e parte do palato mole medial até a linha mediana e a
pele da pálpebra inferior, lateral do nariz, bhochecha e lábio superior. Recomenda-se agulha
longa de calibre 25 ou 27, a área de inserção é na altura do sulco mucovestibular acima da
distal do segundo molar superior, a área alvo é o nervo maxilar à medida que ele passa pela
fossa pterigopalatina, superior e medial à área-alvo ao bloqueio do nervo ASP. Os pontos de
referência são o sulco mucovestibular na distal do segundo molar superior, a tuberosidade da
maxila e o processo zigomático da maxila. A orientação do bisel deve ser em direção ao osso.
Para o dente 12 utilizar o fórceos 1 ou 65, para os 14 e 15 utilizar o 99ª, 101 ou 214 e para o 17
utilizar 0 32 ou 53R, assim como podemos usar as alavancas.

4. Para realização da exodontia de molares inferiores, descreva qual(is) a(s) técnica(s)


anestésica(s) deve(m) ser empregada(s), qual(is) o(s) nervo(s) que será(ão)
anestesiado(s) com essa(s) técnica(s) e quais os instrumentais podem ser utilizados
para realizar a luxação. Descreva passo a passo como deve ser realizada a técnica
anestésica, especificando pontos de referência, área alvo, tamanho da agulha utilizada.
Descreva qual anestésico pode ser utilizado para aumentar a chance de sucesso da
anestesia.

Para a exodontia de molares inferiores ultilizamos o bloqueio do nervo alveolar inferior, ou


bloqueio do nervo mandibular. Os nervos anestesiados são o nervo alveolar inferior, um ramo
da divisão posterior da divisão posterior da divisão mandibular do nervo trigêmeo, o nervo
incisivo, o nervo mentual e o nervo lingual. Recomenda-se uma agulha longa de calibre 25 ou
27, a área de inserção é na mucosa do lado medial do ramo da mandíbula, na intersecção de
duas linhas, uma horizontal, representando a altura da inrseção da agulha, e outra vertical,
representando o plano anterposterior da infeção. A área alvo é o nervo alveolar inferior à
medida que ele passa inferiormete em direção ao forame mandibular, mas antes de adentrar o
forame. O fóceps nº 23 é utilizado e o nº 222 para terceiro molar também pode ser utilizado. A
infiltração vestibular de cloridrato de articaína na região dos incisivos inferiores tem sido
associada a considerável sucesso no fornecimento de anestesia pulpar. A anestesia intraóssea
é uma tecnica suplementar geralmente usada nos molares quando o BNAI se mostrou ineficaz,
em especial quando o dente esta envolvido endodonticamente. Quando o BNAI convencional
não tem êxito podemos utilizar a tecnica de Gow-Gates, no qual recomennda-se a agulha de
calibre 25 ou 27, a área de inserção é na mucosa no lado mesial do ramo da mandíbula, em
uma linha que vai de incisura intertrágica até o canto da boca, distal ao segundo molar
superior. A área alvo é a lateral do colo do côndilo mandibular, logo abaixo da inserção do
músculo pterigóideo lateral.

5. Para realização da exodontia do segundo pré-molar inferior, descreva qual(is) a(s)


técnica(s) anestésica(s) deve(m) ser empregada(s), qual(is) o(s) nervo(s) que será(ão)
anestesiado(s) com essa(s) técnica(s) e quais os instrumentais devem ser utilizados
para realizar a luxação.

Para a exodontia do 2º pré-molar inferior ultilizamos o bloqueio do nervo alveolar inferior, ou


bloqueio do nervo mandibular. Os nervos anestesiados são o nervo alveolar inferior, um ramo
da divisão posterior da divisão posterior da divisão mandibular do nervo trigêmeo, o nervo
incisivo, o nervo mentual e o nervo lingual. O fóceps indicado é o de nº 151 ou 203, bem como
alavancas. Quando o BNAI convencional não tem êxito podemos utilizar a tecnica de Gow-
Gates, no qual recomennda-se a agulha de calibre 25 ou 27, a área de inserção é na mucosa no
lado mesial do ramo da mandíbula, em uma linha que vai de incisura intertrágica até o canto
da boca, distal ao segundo molar superior. A área alvo é a lateral do colo do côndilo
mandibular, logo abaixo da inserção do músculo pterigóideo lateral.

6. Para realização da exodontia dos dentes inferiores anteriores (canino a canino)


descreva qual(is) a(s) técnica(s) anestésica(s) deve(m) ser empregada(s), qual(is) o(s)
nervo(s) que deve(m) ser anestesiado(s) com essa(s) técnica(s) e quais os
instrumentais (fórceps e alavanca) podem ser utilizados para realizar a luxação.

Para a exodontia dos dentes inferiores anteriores ultilizamos o bloqueio do nervo alveolar
inferior, ou bloqueio do nervo mandibular. Os nervos anestesiados são o nervo alveolar
inferior, um ramo da divisão posterior da divisão posterior da divisão mandibular do nervo
trigêmeo, o nervo incisivo, o nervo mentual e o nervo lingual. Quando o BNAI convencional
não tem êxito podemos utilizar a tecnica de Gow-Gates, no qual recomennda-se a agulha de
calibre 25 ou 27, a área de inserção é na mucosa no lado mesial do ramo da mandíbula, em
uma linha que vai de incisura intertrágica até o canto da boca, distal ao segundo molar
superior. A área alvo é a lateral do colo do côndilo mandibular, logo abaixo da inserção do
músculo pterigóideo lateral. O fórceps indicado é o de nº 151.

Você também pode gostar