Você está na página 1de 2

Controle de estoque: qual sua importância?

Muitas pessoas pensam que o controle de estoque se limita ao controle de


entradas e saídas de mercadorias, mas, na verdade, ele ocupa um lugar muito
mais estratégico na empresa, uma vez que compõe o chamado capital de giro —
ou seja, a quantidade de dinheiro disponível que a empresa tem para se manter
no mercado por um determinado período de tempo.

Sendo um dos ativos mais importantes do capital circulante da empresa, já que


pode ser liquidado a qualquer momento, o controle de estoque deve ser visto de
maneira estratégica, integrando-se aos diversos setores da empresa, já que
impacta diretamente em várias atividades — desde a produção até o financeiro
e comercial da empresa. A falta de um controle de estoque adequado pode
representar a perda de uma possibilidade de venda para as empresas, além de
gerar prejuízos.

Isso porque a falta de determinado produto pode levar o consumidor a buscar


outra empresa que possua o item desejado em seu estoque. E por outro lado, o
excesso de estoque pode gerar prejuízo, à medida que os produtos que possuem
uma quantidade excessiva podem ficar estagnados no mercado, fazendo com
que se demore muito tempo até recuperar o capital que foi investido naquele
determinado produto.

Sendo assim, um bom controle de estoque permite as empresas saberem com


clareza em que aspectos pode estar deixando de vender, e em quais itens estão
havendo gastos desnecessários.

Otimização de recursos
Quando se tem um controle de estoque de qualidade, é possível reduzir a
quantidade de insumos e mercadorias a um nível ideal, sem excedentes, criando
uma vantagem competitiva para a empresa em relação aos recursos financeiros,
que não precisam ser comprometidos sem a devida necessidade.

Altos estoques exigem um investimento maior para sua manutenção, reduzindo


o poder de compra da organização em outras situações. Insumos ou produtos
empatados no estoque significam dinheiro parado, cenário sempre desfavorável
para o caixa da companhia.

O controle de estoque é, portanto, responsável por otimizar todos esses recursos


e melhorar a saúde financeira da empresa, livrando-se do que não é mais útil e
criando espaço para novidades e oportunidades.

Redução de desperdícios e prejuízos

O controle de estoque também é responsável por investigar possíveis


desperdícios de material, bem como prejuízos advindos de sua má organização.
Quando se tem um ambiente limpo e organizado, eventuais quebras, defeitos e
furtos são evitados, contribuindo para que o estoque continue sendo um setor de
resultados para a empresa. Além destes fatores, ter uma quantidade adequada
de estoque, permite as empresas realizar um bom atendimento, que possa de
fato satisfazer as necessidades dos clientes.

Integração com a gestão financeira

Por mais que se veja o estoque como um reduto de insumos e mercadorias, a


organização precisa vê-lo como dinheiro aplicado. E é nesse sentido que esse
setor faz parte da gestão financeira da companhia, já que gerencia as entradas
e saídas de mercadorias, bem como indica o aumento ou a redução das
demandas internas, direcionando a produção.

Reação em cadeia

A falta de matéria-prima para produção ou a falta de produto para se entregar


aos clientes são duas das maiores e mais graves falhas que podem vir a
acontecer a partir de um estoque mal gerenciado, comprometendo não só os
lucros da empresa como sua reputação no mercado.

Muitas companhias acreditam que essas falhas sejam comuns, mas poucas
delas realmente mensuram a quantidade de clientes perdidos para a
concorrência ocasionada por esses erros. O estoque mal controlado gera uma
reação em cadeia em toda a dinâmica da empresa, comprometendo o trabalho
dos colaboradores e o retorno financeiro.

Fonte: adaptado de: https://blog.egestor.com.br/qual-a-importancia-do-controle-


de-estoque/

Você também pode gostar