Você está na página 1de 1

Mesmo tendo pastor, não confio mais nos pastores televisivos.

A televisão transforma pessoas


comuns em ídolos. E os ídolos existem para serem adorados pelas pessoas. A televisão causa
uma mutação na percepção da realidade dos pastores, que começam humildes e sozinhos seus
programas, e pouco tempo depois, pedem para os telespectadores bancarem seus programas. A
história tem mostrado que, mais dia menos dias, os pastores televisivos caem em contradições:
adultérios, sonegações fiscais, associações com gente suspeita, enriquecimento desconfiável,
entre tantas outras falcatruas. Mesmo sendo músico e integrando o grupo de louvor da minha
comunidade, não confio mais nos ministros de louvor. Os púlpitos parecem mais palcos para
apresentação dos artistas evangélicos. Eles querem brilhar mais que a própria Estrela da manhã.
Alguns transformam a igreja em academia: “vira pro lado e fala...”; “levanta a mão e declara...”;
“pula na presença de Deus...”; “agora grita...”. O Brasil evangélico de hoje tem centenas de
cantores, instrumentistas e grupos... um querendo vender mais que o outro. Tem “louvor” para
todos os gostos: louvor profético, louvor apostólico, louvor extravagante, louvor para
evangelismo, louvor para guerra espiritual, louvor para restituição, louvor para determinação,
louvor para atrair a presença de Deus, louvor para espantar a presença do diabo, louvor para
meditação. Estou sentindo falta do louvor para louvar somente a Deus. Mesmo crendo que Jesus
não muda e ainda realiza milagres, não confio mais nos milagres que acontecem. Os evangelhos
mostram um cotidiano comum de um judeu chamado Jesus e seus 12 amigos. De vez em
quando, em caráter excepcional, aparece um ato extraordinário. Mas hoje, se um culto acabar
sem ninguém curado, esse é o fato extraordinário. Na igreja evangélica brasileira milagre virou
algo comum. Não confio mais nas pessoas que ficam propagando os milagres recebidos. Várias
vezes Jesus disse para os curados não falarem nada pra ninguém. Desde que inventaram o
placebo, descobri que o cérebro é capaz de coisas extraordinárias! Mesmo tendo uma confissão
de fé reformada e evangélica, não confio mais quando alguém me diz que é evangélico. Tem
evangélico que não vai na igreja, tem evangélico que não toma mais a ceia, tem evangélico que
não ora mais nas horas de acordar, comer e dormir. Tem evangélico que passa no farol
vermelho, tem evangélico que entra na contramão, tem evangélico que estaciona em local
proibido e tem evangélico que compra CD e DVD piratas. Tem evangélico que pirateia CD e
DVD pra ganhar uma graninha, tem evangélico que dispõe na internet músicas dos tais artistas
cristãos que querem vender muitos CDs. Tem evangélico que dá cheque sem fundo, tem
evangélico que vende e não entrega e tem evangélico que sonega imposto. Mesmo crendo na
Bíblia e seus profetas, não confio mais nos profetas modernos. Eles falam que num culto com
um monte de velhinhos e velhinhas, tem gente sofrendo de dor nas costas, nos olhos, nos ossos
e com dificuldade de respirar. Eles dizem nos encontros de jovens que Deus está mostrando
vários casais se formando ali. Os profetas modernos, no rádio e na televisão, dizem que tem
gente que vai receber uma quantia inesperada de dinheiro para saldar as dívidas. Os profetas
modernos dizem que Deus sempre vai dar 100 vezes mais, independente de quanto o
necessitado contribua para o “ministério” do tal profeta. Não confio mais nos profetas, pois a
maioria deles começa dizendo que “grande é esse mistério”. Ora, se é mistério e tem um profeta
diante de mim, por que ele não revela o tal mistério. Isso me faz lembrar uma personagem do
Jorge Amado! Mesmo sendo uma pessoa cheia de fé, não confio mais em nada!!! A partir de
agora vou confiar mais na Palavra de Deus. E ela me diz “Maldito o homem que confia no
homem”.

Marcos David Muhlpointner


Biólogo pela Univ. Mackenzie e professor de Ciências e Biologia em colégios particulares de São
Paulo. Membro da Comunidade de Jesus - São Bernardo do Campo, exercendo os ministérios
de música e de pregação. Faz palestras sobre bioética, ciência e fé e atualmente está
preparando um livro sobre Bioética à luz da Bíblia.