Você está na página 1de 2

teses relacionadas a qualificdoras

subjetivas objetivas

I-motivo mercenario ou outro motivo torpe III-meio

II-motivo futil IV-modo

V-motivo de conexao VI-feminicidio

VII-motivo de funçao

compatibilidade entre qualificadors e privilegio- so as qualificadoras objetivas sao compativeis


com o privilegio.e como sao votados os privilegios antes, eles estao drrrubando sim para uma
forma privilegiada, derrubam as qualificadoras subjetivas.

prevalece que há compatibilidade mesmo entre as qualificadoras subjetivas e o dolo


eventual.Veja se a tua tese minoritaria , pois é é dificil voce ir na contra mao.advogados
normalmente perdem pq dizem que a tentativa é avessa ao dolo eventual e é possivel que eu
haja com dolo eventual, assumindo a tentativa no dolo eventual.juridicamente se v tem o dolo
de homicidio ja esta firmado, se nao se consumar é a tentativa.exemplo da boate kiss que
houve n homicidios, uns tentados outros consumados com dolo eventual.esse caso é
interessante pq os envolvidos foram denunciados por homicidio doloso no juri, de n pessoas,
uns tentdos outros consumados com dolo eventual, foram pronunciados, entraram com o
RESE e pedirm a desclassificaçao em homicidio culposo e lesao culposa.No rese perderam or 2
a 1, entraram com embargos infringentes e ai ganharam, ficou 3 a 2, o mp entrou com recurso
especial, foi provido e se entendeu que era dolo eventual e era tudo isso mesmo, que dise que
nao ha incompatibilidade entre tentativa e dolo eventaul

outro tiro no pe é o dolo eventual e qualificadora subjetiva, o dolo eventual eu nao quero o
resultadom nmas assumo o resultado.alguns advogados defendem que nao seria logico q eu
agisse por um lado sem querer o resltado, apenas assumndo o risco d eproduzi-lo, pq a
subjetiva é um jeito especial.dolo éconsciencia e vontade, dolo nao se confunde com motivo.

digamos que por um motivo fútil eu resolvo fazer roleta russa com voce, e assumi o risco de te
matar.estou fazendo isso por dez reais, o motivo é futilm mas o dolo de matar esta presente.

Como no caso dos garotos que tacaram fogo no indio Galdino que por curtiçao resolveram
tacar fogo nele pra ver se ele pegava fogo igual, houve o homicidio com dolo eventual e por
motivo torpe.nao h aincompatibilidade entre o dolo eventual e as qualificadoras mesmo que
subjetivas, menos no caso a jurisprudencia, no entanto reconhece ue no inciso IV , mediante
traiçao , emboscada ou dissimulaçao envolvem uma antecipaçao, um plan oantrior,
premeditaçao, e isso é incompativel com doo eventaul, outro modo que dificulte a defesa,
sendo modo similar, que tenhamos as qualificadoras de modo, que tem a intençao de pegar a
vitima desprevenida.

na pratica, o modo com dolo eventaul no transito e como a vitima nao estava esperando seria
dolo eventual e nao é mais, acabou a modinha

qualificadoras em especie - motivo mercenario, paga ou promessa de re omensa.o principal


probelma era a comunicabilidade, na quetao probatoria mas em termos de direito penal
material, era a paga dada pelo mandante e do sicario, o executor.as condiçoes se comunicam,
o entendimento majoritario é que ta incluida qualquer vantagem,inclusive sexual, politica,
profissional, desde que tenhamos claro a figura do mandante e do sicario.

motivo torpe-motivo extremamente reprovavel- ciume, vingança e definiçao de torpeza-a


torpeza aparece em quase toda definiçao de torpeza, mas tenta-se quebrar dizendo qu
qualquer um cometeria na mesma situaçao.no caso da matsunaga quebraram pq falaram que
o marido a ameaçava, ameaçava, ela esta acuada, nao fez por motivo torpe, fez por amor.

ciume e vingança nao sao motivo inerentemente torpe.o ciume de ser traido, nao querer ser
humilhado , ser tratado com desprezo e descaso.torpe é da vilania, da maldade. dependendo o
lado que voce estiver vc usa e abusa disso.

motivo futil-é o motivo desproporcional.1-a falta de motivo nao tem o motivo futil, o motivo
futil exige uma reaçao exagerada a um comportamento da vitima.matar sem motivo nao é
futil, pode ser torpe mas nao futil.

motivo de conexao - homicidio para assegurar a execuçao , impunidade , vantagem de outro


crime.primeiro é questao de prova, ex queima de arquivo.não é qualquer conexao.por força do
principio da legalidade tem q ser crime a ser ocultado, nao pode ser contravençao.

Você também pode gostar