Você está na página 1de 6

1

FLP0204 - POLÍTICA IV
INSTITUIÇÕES POLÍTICAS BRASILEIRAS
(2º SEMESTRE DE 2009)
Prof. Paolo Ricci (DCP)
Prof. Rogério Arantes (DCP)

O curso trata do processo político brasileiro pós-revolução de 1930, com


atenção especial a três períodos: o experimento democrático inaugurado pela
constituição de 1946, o regime autoritário iniciado em 1964 e, por fim, a
retomada da democracia nos anos 1980 e sua condição atual.

A dinâmica do curso será analítica e temática. Partiremos das explicações


correntes sobre certas dimensões do sistema político brasileiro e
reproduziremos em sala de aula as controvérsias existentes no interior da
ciência política dedicada ao exame do funcionamento de nossas instituições.

As sessões semanais da disciplina estão divididas em aulas expositivas e


seminários de leitura. A bibliografia das aulas expositivas está disponível na
biblioteca e no Xerox. Os textos marcados com asterisco são de leitura
obrigatória e farão parte da matéria da prova. Os seminários de leitura, de
caráter obrigatório, constituirão especial oportunidade de participação dos
alunos.

A nota final será composta a partir da média de três avaliações, relativas


a três atividades igualmente obrigatórias: a média das notas de 5 (cinco)
resenhas de leitura (com 20% de peso na média final) e duas provas escritas,
uma no meio e outra no final do semestre (ambas com 40% de peso, cada, na
média final). As provas serão individuais e sem consulta, quer a livros, quer a
anotações. Entende-se por atividade obrigatória aquela cuja não-realização por
parte do estudante implicará reprovação automática e impossibilidade de
realizar recuperação, independentemente das notas obtidas nas demais
atividades que vier a desenvolver. No caso das resenhas, três é o número
mínimo para preencher o critério de obrigatoriedade desta atividade (vide
relação dos textos indicados para resenhas na pg. 6 deste programa).

Em caso de impossibilidade de realização de uma das duas provas,


justificativa deverá ser entregue na secretaria do Departamento de Ciência
Política. O deferimento da mesma ficará a critério do professor. Em caso
afirmativo, o estudante poderá realizar prova substitutiva no final do semestre
letivo, englobando toda a matéria do curso. A prova substitutiva não se destina
a melhoria de notas recebidas nas avaliações anteriores, mas apenas àqueles
estudantes que deixarem de realizar uma das duas provas e tiverem suas
justificativas aceitas pelo professor. Em suma, todos realizarão duas provas;
ninguém realizará uma e ninguém realizará três provas.

Haverá monitores para acompanhamento e apoio às atividades


desenvolvidas no curso.

1
2

PROGRAMA

1ª Semana (17/08n e 18/08v). Apresentação do programa e aula.

1a Parte: Aula Expositiva: A democracia no Brasil.


* CARVALHO, José Murilo (2001). Cidadania no Brasil. São Paulo, Civilização
Brasileira. Págs. 7-13.
* WEFFORT, Francisco. (1981). “A cidadania dos trabalhadores” in Bolívar
Lamounier e Maria Victória Benevides (orgs). Direito, cidadania e
participação. São Paulo: T. A. Queiroz Editores. Págs. 139-150.
2ª Parte: Aula Expositiva: Os anos 30 e o Estado Novo.
*CARVALHO, José Murilo (2001). Cidadania no Brasil. São Paulo: Civilização
Brasileira. Págs. 87-126.
D’ARAUJO, Maria Celina. (2000). O Estado Novo. Coleção Descobrindo o
Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

2a Semana (24/08n e 25/08v). Transição e o regime democrático: continuidades


e heranças.

1ª Parte: Aula Expositiva


* CARVALHO, José Murilo (2001). A Cidadania no Brasil. São Paulo,
Civilização Brasileira. Págs. 126-144.
* SOUZA, Maria do Carmo Campello. (1976) “Os Mecanismos da centralização” in
Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930 a 1964). São Paulo: Alfa-
Ômega. Cap 4, págs. 83-104.
2a Parte: Seminário de Leitura.
* SOUZA, Maria do Carmo Campello. (1976) "Do Estado Novo ao regime de 1946".
Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930 a 1964). São Paulo: Alfa-
Ômega. Cap 5, págs. 105-138.

3ª Semana (31/08n e 01/09v). Partidos e eleições no período 1946-64.

1a Parte: Aula Expositiva


* SOUZA, Maria do Carmo Campello (1976) “O mecanismo em marcha”. Estado e
Partidos Políticos no Brasil (1930 a 1964). São Paulo: Alfa-Ômega. Cap 6,
págs. 139-168.
2a Parte: Seminário de Leitura.
* LAVAREDA, Antônio. (1991). "Principais teses sobre o sistema partidário-eleitoral
de 1945-1964 e as questões não respondidas" in: A Democracia nas Urnas – O
Processo Partidário-eleitoral Brasileiro. Rio de Janeiro: IUPERJ/Rio
Fundo Editora, Cap.1, págs. 19-32.

2
3
*** 07 e 08 de setembro (Independência) – não haverá aula***

4a Semana (14/09n e 15/09v). As explicações para o golpe de 1964, parte I. O


papel dos militares.

1a Parte: Aula Expositiva:


* CARVALHO, José Murilo (2005). Forças Armadas e Política no Brasil. Jorge
Zahar Ed. Caps. 3 e 4, Págs. 102-126.
SOARES, Gláucio A. D. (1994) “O golpe de 64”. In: 21 anos de regime militar –
balanços e perspectivas. Editora da FGV. Págs. 9-51.
2a Parte: Seminário de Leitura.
* STEPAN, Alfred. (1975), Os militares na política. Rio de Janeiro: Artenova.
Introdução Parte II (págs. 46-52); Cap. 6 (págs. 101-113) e Cap. 9 (págs.
138-154).

5a Semana (21/09n e 22/09v). As explicações para o golpe de 1964, parte II.


Atores e sistema político.

1a Parte: Seminário de leitura.


* SANTOS. Wanderley Guilherme (1986). Sessenta e quatro. Anatomia da crise.
São Paulo, Vértice. Prefácio (págs. 9-13), Caps. 1, 2 e 3 (págs. 15-58)
2a Parte: Aula Expositiva.
* FIGUEIREDO, Argelina Cheibub. (1993). Democracia ou reformas?
Alternativas democráticas à crise política: 1961-1964. São Paulo: Paz e
Terra. Págs 21-34 e 113-130.

6a Semana (28/09n e 29/09v). 1ª PROVA

7 a Semana (05/10n e (06/10v). O Regime Militar

1a Parte: Aula Expositiva.


* CARVALHO, José Murilo (2001). Cidadania no Brasil. São Paulo: Civilização
Brasileira. Págs. 157-173.
STEPAN, Alfred (1975). Os militares na política. Rio de Janeiro: Artenova. Caps
10 e 11, págs. 157-183.
2a Parte: Seminário de leitura.
* MARTINS, Carlos Estevão e CRUZ, Sebastião Velasco (1983) “De Castello a
Figueiredo: uma incursão na pré-história da abertura`” in: Maria Hermínia
Tavares de Souza e Bernardo Sorj. Sociedade e Política no Brasil pós 64.
São Paulo: Brasiliense. Págs 13 a 45. **ATENÇÃO ÀS PÁGINAS**.

3
4

*** 12 de outubro (feriado) – não haverá aula no noturno***

8ª Semana (13/10v e 19/10n). Distensão, Abertura e transição: a longa


redemocratização.

1a Parte: Aula Expositiva:


* MARTINS, Carlos Estevão e CRUZ, Sebastião Velasco. (1983) “De Castello a
Figueiredo: uma incursão na pré-história da abertura`”, in: Maria Hermínia
Tavares de Almeida e Bernardo Sorj. Sociedade e Política no Brasil pós
64. São Paulo: Brasiliense. Págs 45 a 61. **ATENÇÃO ÀS PÁGINAS**.
* CARVALHO, José Murilo. (2001). Cidadania no Brasil. São Paulo: Civilização
Brasileira. Págs. 173-195.
2a Parte: Seminário de Leitura.
* LAMOUNIER, Bolívar. (1988) "O ‘Brasil autoritário’ revisitado: o impacto das
eleições sobre a abertura", in: Alfred Stepan (org.), Democratizando o Brasil.
Rio de Janeiro: Paz e Terra. Págs 83-134.

9a Semana (20/10v e 26/10n). Redemocratização, crise política e reformas


institucionais.

(*) A aula do noturno será ministrada pelo professor Paolo Ricci, para as duas
turmas conjuntamente, em local a ser definido.
1a Parte: Seminário de Leitura.
* LAMOUNIER, Bolívar. (1992) “Estrutura institucional e governabilidade na
década de 90”. In Reis Velloso, João Paulo dos (org.). O Brasil e as reformas
políticas. Rio de Janeiro: José Olympio.
2a Parte: Aula Expositiva.
* LAMOUNIER, Bolívar. (1994) "A Democracia brasileira de 1985 à década de 1990:
a síndrome da paralisia hiperativa" in, João Paulo dos Reis Velloso (org)
Governabilidade, sistema político e violência urbana. Rio de Janeiro: José
Olympio. Págs. 25-64.
SALLUM JUNIOR, Brasílio. (1988) "Por que não tem dado certo: Notas sobre a
transição política brasileira" in: Lourdes Sola (org) O Estado da Transição:
Política e Economia na Nova República. São Paulo: Vértice. Págs. 118-
144.

*** 02 de novembro (feriado) – não haverá aula no noturno ***

10ª Semana (03/11v e 09/11n). Sistema eleitoral e a questão partidária

1a Parte: Aula Expositiva.


* NICOLAU, Jairo e Schmitt, Rogério. (1995). “Sistema Eleitoral e Sistema
Partidário”, in: Lua Nova, n. 36, págs. 129-147.

4
5
* KINZO, Maria D´Alva. (2004). “Partidos, eleições e democracia no Brasil Pós-
1985.” In Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 54, vol. 19.
2a Parte: Seminário de Leitura.
* MAINWARING, Scott. (2001). Sistemas Partidários em Novas Democracias –
o Caso do Brasil. Rio de Janeiro. Editora da FGV. 2001. Caps 4 e 5, págs.
127-221.

11a Semana (10/11v e 16/11n). A Constituição de 1988 e o novo modelo político


brasileiro.

1a Parte: Aula Expositiva


* FIGUEIREDO, Argelina e LIMONGI, Fernando (1995) "Mudança constitucional,
desempenho do Legislativo e consolidação institucional". In: Revista Brasileira
de Ciências Sociais, n. 29, págs. 175-200. (Publicado também em
FIGUEIREDO, Argelina e LIMONGI, Fernando (1999) Executivo e
Legislativo na nova Ordem Constitucional. Rio de Janeiro: Editora FGV,
1999. Cap 2, págs 41-72).
2a Parte: Seminário de Leitura.
* LIMONGI, Fernando e FIGUEIREDO, Argelina (1998). “As Bases
Institucionais do Presidencialismo de Coalizão”, in: Lua Nova, n 44, págs.
81-106. (Publicado também em FIGUEIREDO, Argelina e LIMONGI,
Fernando (1999) Executivo e Legislativo na nova Ordem Constitucional.
Rio de Janeiro: Ed.FGV, Cap 1).

12ª Semana (17/11v e 23/11n). A política estadualista.

1a Parte: Seminário de Leitura.


* ABRUCIO, Fernando L. Os Barões da Federação: os governadores e a
redemocratização brasileira. São Paulo: Hucitec/ USP, 1998. Caps 2 e 4,
págs. 59-108 e 169-220.
2a Parte: Aula Expositiva:
* ARRETCHE, Marta . “The Veto Power of Subnational Governments in Brazil”.
Brazilian Political Science Review, v. 2, p. 40-73, 2007. (disponível em
http://www.bpsr.org.br )
KUGELMAS, Eduardo. “A evolução recente do regime federativo na Alemanha
e no Brasil”. In: Wilhelm Hoffmeister; José Mário Brasiliense Carneiro.
(Org.). Federalismo na Alemanha e no Brasil. São Paulo: Fundação
Konrad Adenauer, 2001.

13ª Semana (24/11v e 30/11n). O Presidencialismo brasileiro: passado, presente


e perspectivas.

1a Parte: Aula Expositiva.


* FIGUEIREDO, Argelina e LIMONGI, Fernando. (2006). “Poder de Agenda na
democracia brasileira: desempenho do governo no presidencialismo

5
6
multipartidário.” In SOARES, Gláucio A.D. e RENNÓ, Lucio R. Reforma
Política. Lições da História Recente. Rio de Janeiro: Ed. FGV. Págs. 249-
280.
2a Parte: Seminário de Leitura.
Substitutivo do relator ao projeto de lei n. 1210, de 2007 (Reforma Política)

14ª Semana (01/12v e 07/12n). 2a PROVA

15a Semana (14/12, às 19h30 – horário único) PROVA SUBSTITUTIVA.

Textos indicados para as 5 (cinco) resenhas individuais e respectivas datas de


entrega:

1. SOUZA, Maria do Carmo Campello. (1976) "Do Estado Novo ao regime de 1946".
Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930 a 1964). São Paulo: Alfa-
Ômega. Cap 5, págs. 105 a 138. (Data de entrega: 2a semana)
2. STEPAN, Alfred. (1975), "A crescente sensação de crise no regime, 1961-1964: seu
impacto sobre o padrão moderador" e "A tomada do poder – A revolução de
1964" in Os militares na política. Rio de Janeiro: Artenova. Introdução
Parte II (págs. 46-52) Cap 6 págs. 101-113 e Cap 9, págs 138-154. (Data de
entrega: 4ª semana)
3. LAMOUNIER, Bolívar. 1992. “Estrutura institucional e governabilidade na
década de 90”. In Reis Velloso, João Paulo dos (org.). O Brasil e as reformas
políticas. Rio de Janeiro: José Olympio. (Data de entrega: 9a semana)
4. KINZO, Maria D´Alva. (2004). “Partidos, eleições e democracia no Brasil Pós-
1985.” In Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 54, vol. 19. (Data de
entrega: 10a semana).
5. LIMONGI, Fernando e FIGUEIREDO, Argelina (1998). “As Bases
Institucionais do Presidencialismo de Coalizão”, in: Lua Nova, no. 44:
págs. 81-106. (Publicado também em FIGUEIREDO, Argelina e
LIMONGI, Fernando (1999) Executivo e Legislativo na nova Ordem
Constitucional. Rio de Janeiro: Ed.FGV, Cap 1). (Data de entrega: 11a
semana)

Você também pode gostar