Você está na página 1de 10

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

DANILO JOSÉ DE SOUSA

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

INTRODUÇÃO À ECONOMIA

Sobral
2008
DANILO JOSÉ DE SOUSA

INTRODUÇÃO À ECONOMIA

Trabalho apresentado ao Curso Bacharelado em


Administração da UNOPAR - Universidade Norte do
Paraná, para a disciplina Introdução a Economia.

Orientador: Prof. Wilson Salvalágio

Sobral
2008
SUMÁRIO

SUMÁRIO.....................................................................................................................3
1. INTRODUÇÃO.........................................................................................................3
2. INTODUÇÃO À ECONOMIA....................................................................................4
rELATÓRIO..................................................................................................................6
3. CONCLUSÃO...........................................................................................................8
4. REFERÊNCIAS........................................................................................................9
3

1. INTRODUÇÃO

O trabalho tem como objetivo mostrar para os leitores dados


relacionados à economia do Brasil, dados esses que foram pesquisados em
diversos sites, como IBGE, IPEADATA e outros. Tendo como finalidade, aumentar o
conhecimento sobre diversos pontos específicos da nossa economia brasileira.
Vejamos a seguir, como funciona todo este esquema da economia
brasileira.
4

2. INTODUÇÃO À ECONOMIA

O cenário econômico de um país pode ser montado através dos


indicadores econômicos, que são índices obtidos através de pesquisas ou
levantamentos de dados que busca mostrar como está se desenvolvendo a
atividade econômica do país. Eles refletem os acontecimentos econômicos e podem,
ainda, influenciar nas políticas econômicas tomadas pelos agentes econômicos, uma
vez que mostram um retrato da situação passada, presente e podem mostrar
tendências de futuro.
Através dos índices podem ser feitas análises que possibilitam a
compreensão do momento econômico, que são refletidos pelo resultado dos
indicadores que apresentam dados obtidos no momento presente. Quando da
análise de dados passados, permitem entender as causas dos problemas ocorridos,
possibilitando agir pro - ativamente de forma que estes problemas não voltem a
ocorrer. Para as empresas, possibilitam identificar oportunidades aprendidas com os
problemas do passado, bem como ensina como agir em caso de nova situação
semelhante.
Entre os diversos indicadores econômicos são encontrados,
também, aqueles que mostram tendências da economia. São aqueles que trabalham
com as expectativas do futuro. Estes índices não são meros exercícios de
futurologia, mas, sim, são baseados em fatos concretos que dão consistência à
análise da tendência dos rumos da economia. São indicadores importantes, pois
balizam as decisões a serem tomadas, tanto pelos governantes, como pelos agentes
econômicos de forma geral, em especial, as empresas que devem decidir sobre
suas estratégias para crescimento.
Cabe ao profissional de Administração, além de suas atribuições
naturais, também analisar a conjuntura econômica para decidir sobre as ações que
devem ser tomadas para o desenvolvimento de suas empresas.
Tomando por caso o Brasil, vamos verificar alguns indicadores do
momento e, posteriormente analisar suas influências nas empresas.
Em 2003 o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro cresceu 1,1%, em
2004 seu crescimento foi de 5,7%, em 2005 cresceu 3,2%, em 2006 cresceu 3,8%,
em 2007 cresceu 5,4% e para 2008 prevê-se crescimento em torno de 4,9. O
comportamento do PIB tem sido de muita oscilação, demonstrando que não há uma
5

estabilidade no processo de desenvolvimento da economia brasileira.


A Balança Comercial brasileira subiu de US$ 2,75 bilhões em 2003
para US$ 2,2 bilhões em 2004, US$ 4,3 bilhões em 2005, US$ 5,01 bilhões em
2006, US$ 8,75 bilhões em 2007 e até julho de 2008 está em US$ 3,30 bilhões.
Podemos observar que as exportações brasileiras têm crescido bem, entretanto,
para este ano o resultado deverá ser menor que em 2007, devendo chegar a
aproximadamente US$ 23 bilhões, o que pode provocar diminuição da produção e,
também, diminuição da quantidade de entrada de Dólares no país, podendo afetar o
volume de nossas reservas internacionais. Reservas altas resultam em segurança
para os investidores estrangeiros, o contrário, gera insegurança. Ressalte-se que
nossas reservas internacionais estão na casa de US$ 201 bilhões.
A Taxa do Dólar no Brasil caiu demasiadamente, chegando à casa
de R$ 1,64 depois de ter alcançado R$ 4,00 em 2003. A manutenção da Taxa do
Dólar baixo tem uma implicação negativa no que tange às Exportações (desestimula
o exportador e pode tornar nossos produtos menos competitivos) e facilita a entrada
de produtos importados, que vêm concorrer com a indústria brasileira. Por outro
lado, tem implicação positiva, pois exige um montante menor de Reais para pagar a
Dívida Externa, bem como as importações ficam mais baratas, reduzindo o custo de
matérias primas importadas.
A inflação brasileira está em alta, devendo fechar 2008 em
aproximadamente 4,6% ao ano, pelo índice do IPCA. Aumento de inflação pode
representar diminuição do poder de compra do dinheiro, bem como enseja medidas
governamentais de restrição de crédito e elevação de juros. Esta condição pode
possibilitar diminuição de consumo e conseqüentemente redução de produção e
emprego.
A Taxa Básica de Juros (Taxa Selic) está atualmente em um
patamar ainda alto, de 13% ao ano. Veio baixando continuamente, embora muito
lentamente, e nas três últimas reuniões do Copom a taxa sofreu elevação. Deverá
chegar ao final de 2008 acima de 14%. Taxa de juros altos reduz investimentos e
consumo, provocando queda na produção e conseqüentemente desemprego.
Verifica-se que o Brasil possui o mais alto juro real do mundo.
6

RELATÓRIO

A instabilidade do Brasil em relação à economia está registrada nos


índices levantados pelo PIB brasileiro e a IPCA na qual estão presentes dados
precisos, informando as situações em que se encontra o país, e consequentemente
dando noções de decisões que deverão ser colocadas em prática de acordo com as
expectativas futuras.
A balança comercial, a taxa do Dólar, a inflação e os juros são
indicadores que ao serem analisados verifica-se constantes mudanças, com
elevações e quedas que modifica o cenário econômico brasileiro. Esse dinamismo
na economia trás resultados instáveis, entretanto existem pontos positivos em meio
a posição critica do país.
Dos anos de 2003 a 2007 houve um diferenciado desenvolvimento
do Produto Interno Bruto brasileiro: Em 2003 1,1% se crescimento (PIB); Em 2004
5,7%; 3,2% em 2005; 3,8% em 2006 e 5,4 em 2007.
Enquanto a balança comercial brasileira mostra um constante
crescimento anual. Em 2004 sobe para US$ 2,2 bilhões em relação a 2003 em que
as exportações comerciais eram de US$ 2,75 bilhões. Em 2005 estava apurado US$
4,3 bilhões, US$ 5,01 bilhão em 2006 e US$ 87,5 bilhões em 2007.
Foi excessiva a queda da taxa do Dólar no Brasil que chega atingir
R$ 1,64, sendo que alcançou R$ 4,00 em 2003.
Segundo os dados apurados pela IPCA o Brasil esta com alta
inflação e a previsão para 2008 é de aproximadamente 4,6% ao ano.
Quanto a taxa Selic, esta de 13% ao ano, sendo, portanto um
patamar alto. Embora tenha tido baixa contínua, a taxa sofreu elevações nas últimas
reuniões do Copom.
Baseando-se nos indicadores, tem-se uma previsão para o ano
atual. Em torno de 4,8% deverá ser o PIB em 2008, a balança comercial deve
chegar a US$ 23 bilhões e os juros deverão sofrer elevação até o fim do ano, acima
de 14%.
As implicações positivas na queda do Dólar são: importações
mais baratas e um montante menor de Reais para pagar a dívida externa. Porém
desestimula as exportações. A inflação causa a diminuição do consumo, produção e
empregos.
7

O Brasil é um País de Terceiro Mundo, porém, industrializado. E


através dos índices levantados que formam esse cenário na economia brasileira
podem ser tomadas decisões e realizadas estratégias para um maior crescimento
econômico.

QUESTIONÁRIO - RESPOSTA

No momento, manteria cauteloso e aguardaria uma melhor


oportunidade para ampliar meus negócios, devido o aumento dos juros. Depois de
alguns meses já teria uma base, para poder investir em meu negócio.
8

3. CONCLUSÃO

Como foi apresentado, vimos como o cenário econômico do país


pode ser montado a partir de dados obtidos em pesquisas, com isso pode-se
entender o motivo dos problemas ocorridos na economia.
A taxa de juros constitui-se no mais importante instrumento de
política monetária. No Brasil a taxa de Juros em 2007 era de 13%, acredita-se que
para o ano de 2008, ela chegue a 14%. Juros estes que deveriam diminuir a cada
ano.
9

4. REFERÊNCIAS

www.ipeadata.gov.br

Acessado em: 18/08/2008 às 15:25

www.ibge.gov.br

Acessado em: 22/08/2008 às 10:12

WWW.bcb.gov.br

Acessado em: 22/08/2008 às 13:50

http://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_do_Brasil

Acessado em 28/08/2008 ás 09:25