Você está na página 1de 1

ESCOLA NOVA DE PARAGOMINAS

Prof°: José Fernando dos S. de Oliveira


Disciplina: Sociologia Série: 3º ano

CIDADÃO, CIDADANIA E DEMOCRACIA

A palavra “cidadania” parece ter perdido seu sentido VI a.C. É importante ressaltar que o termo "democracia"
primário. Antigamente, referia-se a direitos e deveres do não pode ser entendido sob a tradução cômoda e
cidadão, sem tinturas político-partidárias e sem as reducionista de ser o "governo do povo". Para os gregos
obscuras tonalidades do politicamente correto. Era "democracia" representava o governo dos demos, que
simplesmente o ato de cumprir leis e ter seus direitos eram um tipo de distrito territorial composto por homens
respeitados. livres capazes de tomar as decisões da "cidade" (polis) isto
Quem realmente participava da polis? A cidadania era é, uma forma direta de exercer a ação política, sem as
exclusiva dos homens adultos, livres e nascidos no formas representativas das democracias modernas.
território da Cidade. Como nos diz Chauí, "a diferença de
classe social nunca era apagada, mesmo que os pobres A democracia é um regime político, ou seja, uma certa
tivessem direitos políticos. Assim para muitos cargos, o maneira de organizar as relações de poder no seio de um
pré-requisito da riqueza vigorava e havia mesmo grupo social soberano, ou política. O princípio fundador
atividades portadoras de prestígio que somente os ricos da democracia é a afirmação de que toda a relação de
poderiam realizar. Era o caso, por exemplo, da liturgia poder entre societários e entre cidadãos se enraíza
grega e do evergetismo romano, isto é, de grandes doações naqueles que obedecem e não naqueles que mandam, quer
em dinheiro à cidade para festas, construção de templos e o façam em seu nome próprio ou em nome de um
teatros, patrocínios de jogos esportivos, de trabalhos princípio transcendente, Deus, a Nação, a História, a
artísticos..." Classe ou a Raça. Como cada um é senhor de obedecer ou
de não obedecer, cada qual só obedece se julgar vantajoso
fazê-lo.

A democracia é, por tal fato, uma sociedade de


responsabilidade limitada, em que cada um entra para
atingir certos fins. Esses fins são de duas ordens. Uns são
próprios dos indivíduos ou dos grupos intermédios
(famílias, empresas, clubes, Igrejas), outros são comuns a
todos. Os fins próprios são interesses particulares. Estes
últimos são divergentes, contraditórios. A única forma
possível de conciliação
pacífica desses interesses
é fazer com que se
encontrem em mercados
Afinal, o que é ser cidadão? Ser cidadão é ter direito à regulados, onde, na
vida, à liberdade, à propriedade, à igualdade perante a lei: sequência de inúmeras
ter direitos civis. É também participar no destino da negociações, eles se
sociedade, votar, ser votado, ter direitos políticos. Os convertem em interesses
direitos civis e políticos não asseguram a democracia sem médios. Os fins comuns
os direitos sociais, aqueles que garantem a participação são interesses comuns que
do indivíduo na riqueza coletiva: o direito à educação, ao só podem ser assegurados
trabalho justo, à saúde, a uma velhice tranqüila. em comum, como a
defesa para com o
Como exercemos a cidadania? Cidadania é a expressão exterior, a definição de
concreta do exercício da democracia. Exercer a cidadania regras do jogo internas e o
plena é ter direitos civis, políticos e sociais. Expressa a castigo dos batoteiros.
igualdade dos indivíduos perante a lei, pertencendo a uma
sociedade organizada. É a qualidade do cidadão de poder A democracia é assim caracterizada por uma distinção
exercer o conjunto de direitos e liberdades políticas, socio- bem marcada entre o privado, onde interesses particulares
econômicas de seu país, estando sujeito a deveres que lhe se convertem em interesses médios, e o público, 118 onde
são impostos. Relaciona-se, portanto, com a participação os cidadãos definem e procuram realizar os seus interesses
consciente e responsável do indivíduo na sociedade, comuns. Tanto no privado como no público, instauram-se
zelando para que seus direitos não sejam violados. relações de poder porque a realização dos interesses
particulares e comuns assenta em repartições de tarefas e
A cidadania instaura-se a partir dos processos de lutas que divisões do trabalho que exigem coordenação. Segundo o
culminaram na Independência dos Estados Unidos da princípio de base da democracia, os coordenadores só
América do Norte e na Revolução Francesa. Esses dois podem ser delegados, a título temporário, circunscrito e
eventos romperam o princípio de legitimidade que vigia reversível, que os societários e os cidadãos escolhem pela
até então, baseado nos deveres dos súditos e passaram a sua suposta competência. A técnica de escolha dos
estruturá-lo a partir dos direitos do cidadão. Desse delegados é variável segundo as atividades sociais. Na
momento em diante todos os tipos de luta foram travados esfera política, que tem a seu cargo os interesses comuns,
para que se ampliasse o conceito e a prática de cidadania e a eleição dos delegados pelos cidadãos é a solução mais
o mundo ocidental o estendesse para a s mulheres, eficaz. No domínio económico, o mercado permite aos
crianças, minorias nacionais, étnicas, sexuais, etárias. consumidores-societários selecionar pelas suas compras e
pelas suas recusas de compra os empreendedores que lhes
Democracia: A democracia é uma criação da genialidade parecem os mais competentes, para lhes oferecer ao
dos gregos, mais precisamente da polis (cidade-estado) de melhor custo o maior número de bens e de serviços, que
Atenas. O termo foi concebido a partir das profundas sejam da melhor qualidade possível.
reformas sociais e políticas de Clístenes, no final do século