Você está na página 1de 2

Documento Reflexivo de Aprendizagem

Entidade Promotora Kerigma - Inovação e Desenvolvimento Social


Entidade Formadora Kerigma - Inovação e Desenvolvimento Social
Projeto n.º POCH-03-5470-FSE-001149
Tipologia 3.3 - Cursos Educação e Formação de Adultos
Curso nome Técnico de geriatria Área Port. 762
Nome módulo/ UFCD 8906 Tipos de envelhecimento Código UFCD 8906
Duração 25 Nível QNQ Nível 4 Área CNQ 762
Ação Nº EFA-07-C7A1-0421-K-8906-762-Nível 4 Data de Inicio 2021-04-20 Data de Fim 2022-08-05
Local Largo Américo Soares, nº 1387, 4575-627 Rio Mau |Penafiel
Formador Carla Cristina Pinto Pacheco Rocha

N o m e d o /a fo rm an d o /a: Susana Barbosa


1. Domínio dos Assuntos (40%): Identifique os principais conteúdos abordados/trabalhados nas sessões de formação e relacione-os com casos concretos. Exponha os conhecimentos e
competências que adiquiriu neste módulo/UFCD;
2. Criatividade e autonomia (30%): Analise criticamente importância/potencialidade dos temas e conteúdos trabalhados na formação, numa perspetiva de desenvolvimento pessoal e
profissional. Aborde de forma sucinta os vários trabalhos realizados, as dificuldades que encontrou na sua realização e como as superou;
3. Generalização dos Saberes (30%): De que forma é que os conteúdos poderão contribuir para a transformação do seu contexto de vida. Qual a sua utilidade e aplicabilidade em
termos profissionais e pessoais.Elabore um pequeno comentário, acerca do trabalho para integrar no portefólio.

O módulo 8906 – Tipos de Envelhecimento com a formadora Dra. Carla Rocha abordamos os seguintes objetivos:
Definição de envelhecimento;
Padrão de envelhecimento;
Envelhecimento psicológico e biológico;
Atividades para promoção do envelhecimento.
Entendi que o envelhecimento é um processo que acompanha o indivíduo ao longo de toda a vida, tratando-se, portanto, de
um fenómeno normal e inerente ao ser humano, que se desenvolve de forma diferente para cada pessoa, pois cada um tem
a sua forma particular de envelhecer. Este processo tem início em diferentes épocas para as diversas partes e funções do
organismo e decorre a ritmo e velocidade que variam no próprio indivíduo e entre os indivíduos. É um processo heterogéneo
que depende da influência de circunstâncias histórico-culturais, de fatores intelectuais e da personalidade, dos hábitos e
atividades físicas praticadas ao longo da vida e da ocorrência de patologias durante o decorrer do envelhecimento. A forma
como envelhecemos tem a ver com a forma como nos desenvolvemos, como vivemos, ou seja, a senescência é uma função
do meio f í sico e social em que o organismo se desenvolve e envelhece. O envelhecimento é a contrapartida do
desenvolvimento. Pode ocorrer de maneiras diferentes para indiv í duos e grupo de indiv í duos que vivem em contexto
hist ó ricos e sociais distintos. O envelhecimento depende dos valores individuais e sociais e por isso da filosofia de vida,
podendo torna-se para uns um per í odo vazio, sem valor, in ú til, sem sentido, enquanto que para alguns poder á ser uma
conquista de liberdade, de afastamento de compromissos profissionais, de ter tempo para fazer aquelas coisas que antes
eram impensáveis, ou seja aproveitar a vida, enquanto para outros poderá ser apenas um período de descanso, justificado
pelo facto de que já deram o seu contributo à sociedade. No envelhecimento são comuns os problemas fisiológicos assim
como certas doen ç as que o acompanham. As modifica ç õ es fisiol ó gicas e anat ó micas associadas ao processo de
envelhecimento têm o seu início muitos anos antes de surgirem sinais exteriores. Ou seja, o seu começo é relativamente
precoce, por volta do final da segunda década de vida, perpetuando-se de forma pouco percetível durante a terceira década
e será por volta dos 40 anos que as primeiras alterações funcionais e/ou estruturais atribuídas ao envelhecimento se tornam
mais evidentes, continuando até à morte, isto é, até que o organismo deixe de conseguir adaptar-se. Estas alterações podem
modificar não apenas o funcionamento do organismo, mas também a aparência corporal.
O envelhecimento da popula ç ã o é um dos maiores triunfos da humanidade e tamb é m um dos grandes desafios. Ao
entrarmos no século XXI, o envelhecimento global causará um aumento das necessidades sociais e económicas em todo o
mundo.
O envelhecimento ativo, entende-se como um processo de otimiza ç ã o de oportunidades para a sa ú de, participa ç ã o e
segurança, no sentido do aumento da qualidade de vida durante o envelhecimento. O objetivo do envelhecimento ativo é
aumentar a expectativa de uma vida saudável (com bem-estar físico, mental e social) e a qualidade de vida

O/A Formador/a: O/A Mediador/a: A Entidade Formadora:

K.61.100.02-0421
Documento Reflexivo de Aprendizagem
Entidade Promotora Kerigma - Inovação e Desenvolvimento Social
Entidade Formadora Kerigma - Inovação e Desenvolvimento Social
Projeto n.º POCH-03-5470-FSE-001149
Tipologia 3.3 - Cursos Educação e Formação de Adultos
Curso nome Técnico de geriatria Área Port. 762
Nome módulo/ UFCD 8906 Tipos de envelhecimento Código UFCD 8906
Duração 25 Nível QNQ Nível 4 Área CNQ 762
Ação Nº EFA-07-C7A1-0421-K-8906-762-Nível 4 Data de Inicio 2021-04-20 Data de Fim 2022-08-05
Local Largo Américo Soares, nº 1387, 4575-627 Rio Mau |Penafiel
Formador Carla Cristina Pinto Pacheco Rocha

N o m e d o /a fo rm an d o /a: Susana Barbosa


1. Domínio dos Assuntos (40%): Identifique os principais conteúdos abordados/trabalhados nas sessões de formação e relacione-os com casos concretos. Exponha os conhecimentos e
competências que adiquiriu neste módulo/UFCD;
2. Criatividade e autonomia (30%): Analise criticamente importância/potencialidade dos temas e conteúdos trabalhados na formação, numa perspetiva de desenvolvimento pessoal e
profissional. Aborde de forma sucinta os vários trabalhos realizados, as dificuldades que encontrou na sua realização e como as superou;
3. Generalização dos Saberes (30%): De que forma é que os conteúdos poderão contribuir para a transformação do seu contexto de vida. Qual a sua utilidade e aplicabilidade em
termos profissionais e pessoais.Elabore um pequeno comentário, acerca do trabalho para integrar no portefólio.

para todas as pessoas que est ã o a envelhecer, inclusive as que s ã o fr á geis, fisicamente incapacitadas e que requerem
cuidados.
O envelhecimento ativo é um processo que diz respeito a todas as pessoas e cabe à sociedade a responsabilidade de criar
espaços e equipamentos sociais diversificados e seguros, garantindo ao idoso, a sua participação cívica na sociedade em que
vive. A promo çã o social, solidá ria e volunt á ria, é uma responsabilidade coletiva e deve corresponder a um investimento
afetivo e solidário durante todo o processo de envelhecimento. O envelhecimento ativo pode ser promovido/custeado se os
governos, as organiza ç õ es internacionais e a sociedade civil implementarem pol í ticas e programas de “ envelhecimento
ativo” que melhorem a saúde, a participação e a segurança dos cidadãos.

O/A Formador/a: O/A Mediador/a: A Entidade Formadora:

K.61.100.02-0421

Você também pode gostar