Você está na página 1de 7

MEMORIAL DESCRITIVO / ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

OBRA: SUPERINTENDÊNCIA DE ENSINO PROFISSIONAL

MUNICÍPIO: GOIÁS – GO

ASSUNTO: REFORMA E ADAPTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE


RESTAURO DE EDIFICAÇÕES, RESTAURO DE DOCUMENTOS,
GASTRONOMIA E INCLUSÃO DIGITAL – UTPC – GOIÁS –
QUARTEL DO XX.

1 – CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Este memorial tem por objetivo descrever e especificar de forma clara
os serviços a serem executados na reforma e adaptação dos laboratórios de
restauro de edificações, restauro de documentos, gastronomia e inclusão
digital, sito no Quartel do XX, na cidade de Goiás, com área 509,97m².

2 – DISPOSIÇÕES GERAIS
Todos os materiais a serem empregados nas obras deverão ser
comprovadamente de boa qualidade e satisfazer rigorosamente as
especificações a seguir. Todos os serviços serão executados em completa
obediência aos princípios de boa técnica, devendo ainda satisfazer
rigorosamente às Normas Brasileiras.
Durante as obras será feira periódica remoção de todo entulho e
detritos que venham a se acumular no local.
Será de competência da empreiteira fornecer todo o ferramental,
maquinaria e aparelhamento adequado a mais perfeita execução dos serviços
contratados, bem como os equipamentos de proteção individual (EPI), proteção
coletiva (EPC). Poderá ser usado um ambiente existente no local para guarda
de materiais e ferramentas desde que haja concordância com a administração
da Superintendência.
Será de inteira responsabilidade da contratada a concordância entre
os projetos, o local de construção (topografia local) e as concessionárias (redes
públicas).
Não poderá a firma empreiteira, em hipótese alguma, alegar
desconhecimento das cláusulas e condições estabelecidas nestas
especificações, bem como de detalhes e exigências constantes dos projetos,
que fazem parte integrante do contrato.
A empreiteira será responsável pelas soluções técnicas necessárias
para execução dos projetos.
Todos os pagamentos, taxas, impostos, multas, encargos sociais,
indenizações, seguros e demais encargos que incidam, ou venham a incidir
sobre a obra e o pessoal da mesma, serão de total e exclusiva
responsabilidade da empreiteira.
Página 1 de 7
As áreas que constam do projeto, os quantitativos e preços estão
sendo fornecidos a título de informação, não servindo de base por parte da
empreiteira para cobrança de serviços adicionais.
Qualquer duvida na especificação, caso algum material tenha saído
de linha durante a obra, ou ainda caso faça opção pelo uso de algum material
equivalente, consultar um profissional habilitado da Superintendência de
Ensino Profissional, para maiores esclarecimentos a fim de que a obra
mantenha o mesmo padrão de qualidade, em todos os níveis da edificação.

3 – SERVIÇOS PRELIMINARES
Correrão por conta da proposta vencedora todos os serviços
preliminares indispensáveis, tais como:
a) PLACAS DE OBRA: serão fixadas duas placas no início da obra,
sendo uma do modelo exigido pelo CREA-GO e a outra com os dizeres
adotados pela Secretaria da Educação (conforme documento a ser fornecido
posteriormente), correndo tais despesas por conta da proposta vencedora.
b) PLACA DE INAUGURAÇÃO: no final da obra será fixada uma
placa de inauguração em aço escovado de dimensões 80x60cm conforme
modelo adotado pela Secretaria da Educação, a ser fornecido posteriormente.
c) ANOTAÇÃO NO CREA: A anotação de responsabilidade técnica
da execução da obra no CREA-GO.
d) DEMOLIÇÃO: As demolições serão conforme projeto de
Arquitetura ser fornecido. (Será demolida parte (10%) da estrutura e cobertura
do telhado em telha de barro para corrigir todo tipo de defeitos e vazamentos,
que será substituído por estrutura e telha de barro tipo Colonial, todas as
calhas de chapa serão demolidas e refeitos corrigindo a inclinação das
mesmas evitando acumulo de água, as telhas nas regiões das calhas terão que
ser amarradas; todo o revestimento de pisos, paredes divisórias, bancadas e
portas nos laboratórios de gastronomia serão demolidos).
As demolições deverão ser feitas com os devidos cuidados para não
afetar as partes que deverão ser preservadas. Ao demolir o piso sobre o lastro
deve-se evitar golpes de ferramentas que possam afofar o lastro.
Os materiais demolidos e apontados pela fiscalização como
utilizáveis serão de propriedade da Secretaria de Estado da Educação.

4 – SERVIÇO EM TERRA
Na região de demolição de pisos devera ser feito aterro.
Os trabalhos de aterro e reaterro da obra serão executados com
cuidados especiais, tendo em vista resguardar as estruturas de possíveis
danos causados, quer por carregamentos exagerados e/ou assimétricos, quer
por impacto de equipamentos utilizados.
Os reaterros serão executados com material escolhido, sem detritos
vegetais, em camadas sucessivas de 0,20m de espessura no máximo,
adequadamente molhados e energicamente apiloados, para serem evitadas
posteriores fendas, trincas e desníveis por recalque das camadas aterradas.
Caso seja constatada no terreno a existência de antigos aterros,
serão realizadas pesquisas geotécnicas para perfeita determinação das
características de suporte desse solo, cabendo também ao CONSTRUTOR
todas as providências necessárias à correção das deficiências.

5 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
As instalações elétricas de todos os laboratórios serão revisadas
executadas conforme Projeto Elétrico a ser fornecido. Todas as iluminações
Página 2 de 7
dos laboratórios serão substituídas por luminárias novas tipo prato 14’’, de
acordo com o projeto elétrico. Todos os circuitos deverão ser adequadamente
aterrados.
O emprego de eletrodutos será obrigatório nas paredes onde ficarão
embutidos. A parte vertical da tubulação será montada em cortes praticados
nas alvenarias. As tubulações serão instaladas de modo a não formar
depressões onde se possa acumular água, devendo apresentar ligeira e
contínua declividade para as caixas.
Os condutores serão em conformidade com a Norma NBR 5410/80
da ABNT. Sua instalação nos eletrodutos só poderá ser procedida após a
limpeza interna da tubulação, assentamento das portas, janelas ou vedações
que impeçam a penetração de chuva e conclusão do revestimento de
argamassa. Não se permitirá emenda dos condutores dentro dos eletrodutos,
mas apenas no interior das caixas. Só poderão ser abertos os olhais das caixas
destinados a ligação de eletrodutos.
As tomadas, interruptores, disjuntores e fiação danificados e velhos
serão substituídos por peças novas, de acordo com o projeto elétrico a ser
fornecido. Os quantitativos apresentados na planilha de orçamento são
estimados e estão sendo apresentados a título de informação, não servindo de
base para cobranças de serviços extras contratuais por parte da empreiteira.

6 – INSTALAÇÕES DE REDE LÓGICA


Serão executadas de acordo com as Normas Brasileiras
regulamentadas pela ABNT naquilo que for aplicáveis ao caso e de acordo com o
projeto de instalações elétrica e lógica fornecido. Todos os serviços de rede lógica
e alarme deverão ser executados por profissionais altamente capacitados e com
experiência comprovada através de atestado de capacidade técnico, expedido por
pessoa jurídica de direito público ou privado, devidamente registrado no CREA
acompanhado do CAT, comprovando que o RT indicado tenha sido responsável
técnico por serviços similares.
No final da obra de rede lógica devera ser entregue relatório de teste e
certificação digital, que será entregue uma copia impressa e uma copia em CD
ROM. A certificação digital será realizada com equipamento do tipo Penta Scanner
ou Fluke DSP 4300.
Será instalado nas salas dos laboratórios sistema de alarme com
central de microprocessador com discagem para 6 telefones, uma bateria, dois
controles remotos, uma sirene e quatro sensores infravermelhos.

7 – INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS
Todas as instalações hidro-sanitária dos laboratórios serão
executadas conforme Projeto Hidro-Sanitário a ser fonecido.
As bancadas serão de granito com espessura mínima 2cm, as
bancadas da cozinha, panificação e laboratório de documentos terão moldura e
espelho de 10cm, conforme projeto de Arquitetura.
Os serviços deverão ser executados de acordo com o que prescreve
as Normas Brasileiras para execução de instalações hidro-sanitárias, e em
conformidade com as especificações a seguir.
Todos os tubos correrão embutidos nas alvenarias ou no solo,
conforme projeto Hidro-Sanitário a ser fornecido, fazendo simplesmente as
novas adequações conforme projeto de arquitetura. O caimento das
canalizações de esgoto será no mínimo de 2 % para tubos de 100 mm. As
cavas abertas no solo para assentamento das canalizações só poderão ser

Página 3 de 7
fechadas após a verificação das condições das juntas, tubos, proteção dos
mesmos, níveis e declividades.
Para facilidade de desmontagem das canalizações serão colocados
uniões ou flanges nos locais convenientes.
As juntas rosqueadas serão vedadas com fita de teflon.
Na execução das tubulações de PVC, as partes soldadas deverão
ser limpas com solução limpadora própria para este fim.
As juntas dos tubos de PVC serão executadas com os devidos
cuidados para se evitar a penetração de cola no seu interior ou o enrolamento
das juntas de borracha, quando for o caso.
Os tubos de ponta e bolsa deverão ser assentes com as bolsas
voltadas para montante, isto, no sentido contrário ao escoamento.
Durante a reforma até a montagem dos aparelhos, todas as
extremidades livres das canalizações serão vedadas com plugs ou caps, não
se admitindo o uso de papel ou buchas de madeira.
Todas as tubulações de distribuição de água serão, antes do
fechamento dos rasgos na alvenaria por capas de argamassa, submetida a
teste de pressão, sem que apresentem qualquer vazamento.
As caixas de inspeção serão de alvenaria de tijolos maciços
revestidos de argamassa de traço 1:3 (cimento e areia). Terão tampas de
concreto ou ferro fundido que lhes assegure perfeita vedação, e que ao mesmo
tempo sejam facilmente removíveis para permitir a inspeção e limpezas
periódicas. O fundo das caixas deverá assegurar rápido escoamento e evitar
formação de depósito.
Todos os aparelhos serão instalados com os suportes necessários,
não se admitindo improvisações. Os aparelhos serão fixados por meio de
parafusos apropriados, não se permitindo o uso de argamassa de cimento. A
fixação das pias deve ser feita conforme recomendações existentes nos
catálogos dos fabricantes, usando-se todos os acessórios indicados pelo
mesmo.
Todas as tubulações hidro-sanitária serão em PVC da marca Tigre,
Akros ou similar.
A cuba das bancadas dos laboratórios será em aço inox Nº 2 da
marca Mekal, Tramontina ou similar.

8 - ALVENARIA DE DRY-WALL
As alvenarias, de 1/2 vez, serão executadas de acordo com o projeto de
Arquitetura. Serão utilizados gesso acartonado tipo DRY-WALL nas paredes
dos laboratórios que necessitar fechamento e revestimento de cerâmica e
serão fixado por profissionais experientes em estrutura de chapa metálica.

9 – COBERTURA
Será demolida parte cobertura (10%) em telha de barro para corrigir
todo tipo de defeitos e vazamentos.
A reforma da cobertura será feita por profissionais experientes, com
telhas de barro tipo colonial de 1ª qualidade.
Os embocamentos dos beirais, oitões, cumeeiras serão adequados
aqueles serviço.

10 – ESQUADRIAS DE MADEIRA
As portas, portais e alisares de entrada da despensa e laboratórios
de documentos serão de madeira, as porta do tipo liso, com portais e alisares
em madeira maciça, conforme projeto de arquitetura.
Página 4 de 7
Os portais deverão ter a largura da parede acabada, e deverá ser
assentado alisares de 5,0x1,5 cm em ambos os lados.

11 – ESQUADRIAS METÁLICAS
Serão instalados portões de grades com tela e cano galvanizado
nas centrais de gás. As grades dos portões serão chumbadas com argamassa
de cimento e areia lavada na proporção 1: 3:

12 – FERRAGENS
As portas madeira receberão fechadura marca Imab, La Fonte ou
similar, com puxador de bola cromada e chave pequena.
Todas as portas receberão 3 (três) dobradiças 3’’x3 ½’’ cromada
marca Imab, La Fonte ou similar.
Todas as ferragens para esquadrias serão de boa fabricação, novas
e em perfeito estado de funcionamento. O assentamento das mesmas se fará
com esmero, não sendo toleradas folgas ou diferenças de posição ou de nível.

13 – REVESTIMENTO DE PAREDES
Nas paredes internas dos laboratório de gastronomia, documentos e
panificação altura do pé direito total e as paredes das bases das bancadas de
granito indicadas no projeto de Arquitetura, será executado revestimento com
cerâmica 20x20 cm, na cor branca da marca Cecrisa, Eliane ou similar sobre
placas de gesso acartonado (dry-wall).
Os revestimentos de parede em cerâmica 20 x 20 cm serão
executados por ladrilheiros peritos em serviço esmerado e durável. As
cerâmicas serão selecionadas quanto à qualidade, calibragem, desempeno e
coloração, sendo descartadas as peças que demonstrarem defeito de
superfície, discrepância de bitola ou empeno. As cerâmicas cortadas para
passagem de tubos, torneiras e outros elementos das instalações não deverão
apresentar rachaduras nem emendas. O assentamento se fará com argamassa
pronta de boa qualidade, certificando-se, após a pega da mesma, da perfeita
aderência das peças ao substrato, rejuntamento das cerâmicas será executado
72 horas após seu assentamento, utilizando-se rejunte da marca Portobello,
Quartzolit ou similar.

14 - FORROS
Todos os forros do laboratório de gastronomia e panificação serão
em PVC em lâminas, com estrutura de suporte em metalon de seção mínima
20x20mm, em chapa 18 e com espaçamento máximo entre barras de 70cm,
fixadas na estrutura do telhado a cada 2,10m.

15 – REVESTIMENTO DE PISOS
Todo o piso da região a ser reformada (laboratório de gastronomia e
panificação) será demolido.
O contrapiso novo deverá ser executado sem solução de
continuidade, de modo a recobrir inteiramente a superfície especificada só
depois de estar o aterro interno perfeitamente apiloado e nivelado e de
colocadas às canalizações que devam passar sob o piso.
A execução do lastro de concreto obedecerá ao traço 1: 3: 6, com
uma espessura mínima de 50 mm, observando-se caimentos necessários. Esta

Página 5 de 7
camada deverá sempre ser impermeabilizada adicionando-se Sika – 1, Vedacit
ou similar.
Nos laboratórios de gastronomia e panificação, será feita uma
regularização de argamassa no traço 1:3 com espessura de 2cm e sobre esta
regularização será aplicado piso em cerâmica 30x30cm de boa qualidade, com
índice de resistência a abrasão PEI 5, da marca Cecrisa, Eliane ou similar.
Todas as peças de cerâmicas serão assentadas com argamassa
pronta de boa qualidade. Depois de terminada a pega da argamassa, será
verificada a perfeita colocação das peças, percutindo-as e fazendo a
substituição das peças que denotarem pouca aderência. As juntas de dilatação
não devem exceder a 2,5mm.
Em algumas regiões de piso tipo tijolo 20x20cm será feito uma
recomposição do piso existente.

16 - MARCENARIA
Serão executados armários em chapa de madeira compensada com
15mm de espessura, com revestimento em laminado melamínico (fórmica) nas
partes internas e externas, as prateleiras terão 40 cm de profundidade, será
executados conforme projeto de Arquitetura sob todas as bancadas de granito
do laboratório de gastronomia, panificação e documentos.
Na sala do lado direto do laboratório de documentos serão
instaladas prateleira em tabuas de madeira aparelhadas e envernizadas em
todas as faces, as prateleiras terão 50cm de profundidade e será executado
conforme projeto de Arquitetura, os montantes serão de caibro de madeira até
o teto da sala.
Os materiais empregados nos serviços de marcenaria terão
fabricação esmerada e serão assentes com a máxima perfeição. Serão
recusadas todas as peças que apresentarem sinais de empenamento,
rachaduras, brocas, lascas, desigualdade de madeira e outros defeitos.

17 – PINTURAS
Os serviços de pinturas serão executados de acordo com o
seguinte:
Todas as superfícies a pintar serão limpas e preparadas para o tipo
de pintura a que se destinem, sendo a pintura antiga das paredes totalmente
removida. Será eliminada toda a poeira depositada nas superfícies a pintar,
tomando-se precauções contra o levantamento de pó durante os trabalhos de
pintura, até que as tintas sequem inteiramente. As superfícies só poderão ser
pintadas quando perfeitamente enxutas, seladas e emassadas. Cada demão
de tinta só poderá ser aplicada quando a precedente estiver perfeitamente
seca, convindo observar um intervalo mínimo de 24 horas entre duas demãos
sucessivas. Igual cuidado deverá haver entre as demãos de massa e tinta,
sendo, pelo menos de 48 horas, nesse caso, o intervalo recomendado. Os
trabalhos de pintura externos serão suspensos em tempo de chuva.
As esquadrias metálicas serão pintadas com 2 (duas) demãos de
esmalte sintético da marca Coral, Renner, Suvinil ou similar, devendo receber
antes desta pintura a aplicação de uma demão de fundo anticorrosivo.
As esquadrias de madeira serão pintadas com 2 (duas) demãos de
esmalte sintético da marca Coral, Renner, Suvinil ou similar, devendo receber
antes desta pintura a aplicação de emassamento a óleo.
As paredes internas dos laboratórios a reformar receberão pintura
PVA látex em duas demãos da marca Coral, Renner, Suvinil ou similar.

Página 6 de 7
18 - LIMPEZA
Serão removidos todos os entulhos das áreas de reforma e
transportado para confinamento de lixo e cuidadosamente limpos e varridos
todos os acessos de modo a se evitar acidentes. Todos os elementos de
alvenaria, revestimentos cerâmicos, azulejos, vidros, aparelhos sanitários,
serão limpos e cuidadosamente lavados de modo a não danificar outras partes
da obra por estes serviços de limpeza. Haverá especial cuidado em se
remover quaisquer detritos ou salpicos de argamassa endurecida das
superfícies. Todas as manchas e salpicos de tinta serão cuidadosamente
removidos, principalmente nos vidros e ferragens de esquadrias bem como em
metais e louças sanitárias. Será vedado o uso de ácido para remoção de
manchas, o que deverá ser feito por outros meios que não venham a atacar os
materiais; melhor ainda será que as manchas sejam evitadas, ou removidas
enquanto os materiais que as provoquem ainda estejam úmidos.

Goiânia, 03 de Abril de 2006.

NICEU LAZARO MARTINS NUNES


ENGENHEIRO CIVIL
CREA 1.958-D

Página 7 de 7