Você está na página 1de 4

Barramentos PCI e PCI Express

Jéssica B. dos Santos, Thiago G. Lima, Tiago V. da Silva

Universidade Federal de Viçosa – Campus Rio Paranaíba

MG 230 - Km 07 – 38.810-000 – Rio Paranaíba – MG


jessica.barbosa@ufv.br, thiago.g.lima@ufv.br, tiago.vinicius@ufv.br
Abstract: This paper provides information on the types of buses commonly
used today, its unique characteristics, importance and news
that addressed each of the devices brought to market.
Resumo: Este trabalho traz informações sobre os tipos de barramentos mais
usados na atualidade, suas peculiaridades, importância e novidades que cada
um dos dispositivos tratados trouxe ao mercado.

1. Introdução
Barramento é o dispositivo que interconecta os componentes do computador ao
processador, esses componentes podem ser placas gráficas, USB (Universal Serial Bus),
etc. O barramento faz com que os dispositivos externos ao processador possam fazer
solicitações ao mesmo, um por vez, utilizando-o como uma espécie de ponte entre o
dispositivo solicitante e o processador.
Nesse trabalho serão tratadas informações sobre os barramentos comumente
utilizados na atualidade. São usados como referência livros de Tanembaum (2010) e
Stallings (2002). A seção 2 trata informações sobre o barramento PCI e a seção 3
apresenta informações sobre o dispositivo PCI Express. Por fim, são apresentadas as
conclusões.

2. O Barramento PCI
Na arquitetura de um computador mais atual há dois barramentos principais sendo, o
primeiro um barramento de sistema onde estão conectados dispositivos que tem maior
prioridade de comunicação com o processador como a memória principal e a cache, e o
segundo um barramento que conecta os demais dispositivos que podem fazer
solicitações à CPU (Central Processing Unit), é nesse nível que se encontra o
barramento PCI (Peripheral Component Interconect Bus – barramento de interconexão
de componente periférico), responsável pela comunicação desses dispositivos mais
lentos com os dispositivos do barramento de sistema, como mostrado na figura 1.
O barramento PCI surgiu para substituir o, até então utilizado, barramento ISA
(Industry Standard Arquiteture – arquitetura padrão de indústria) devido o crescente
número de computadores que vinham sendo repassados ao mercado com interface
gráfica.
Figura 1: Barramentos e dispositivos coordenados por eles
Os primeiros computadores que foram ao mercado e que continham interface
gráfica, não exigiam muito do barramento ISA, porém, com o passar de poucos anos e
com o crescente número de aplicativos que utilizavam de forma “pesada” e constante os
dispositivos gráficos do computador foi-se notando que poderia haver uma deficiência
do barramento ISA que operava a 2 bytes por ciclo e 16,7 MB/s (Mega Bytes por
segundo) não suportando as exigências que deles seria feita referente ao desempenho.
Com o intuito de sanar esse problema a Intel criou o barramento PCI, patenteou-
o e disponibilizou para que as empresas pudessem utilizá-lo e criar produtos para esse
barramento sem a necessidade de pagamento de royalties.
O barramento PCI transferia 33 bits por ciclo e funcionava a 33 MHz (Mega
Hertz) para uma largura de 133 MB/s, posteriormente foram feitas atualizações no
barramento PCI e ele chegou a operar a 66 MHz e manipulava transferência de 64 bits
com largura de banda de até 528 MB/s.
Durante a década de 1990 os computadores costumavam trazer barramentos PCI
e ISA integrados em sua placa-mãe, pois muitos dispositivos ainda apresentavam
compatibilidade com o antigo barramento. O barramento ISA teve foi abandonado na
montagem de computadores por volta do fim da mesma década.
O barramento PCI então passou a operar sem auxílio do barramento ISA. Seu
funcionamento era semelhante ao do deu predecessor. A operação no barramento era
dada da seguinte forma: como o acesso ao barramento é dado a um dispositivo por vez
para que todos os dispositivos possam acessá-lo existe, geralmente situado no chip
ponte, um árbitro que regula a prioridade do acesso dos dispositivos ao barramento de
sistemas de modo que todos os dispositivos que requisitem-no consigam realizar o
acesso, caso apenas um dispositivo esteja solicitando o barramento conceções
sequenciais são disparadas ao barramento com um breve tempo ocioso onde nada é
solicitado ao barramento. O barramento PCI foi criado para trabalhar com uma grande
variedade de microprocessadores. Seu sistema de ponte fazia com que a cada evolução
dos processadores apenas a ponte tivesse de ser trocada para se adequar ao novo
requisito do processador.
Barramentos PCI podem ser configurados em 32 ou 64 bits e operar a 3,3 V ou 5
V. A evolução de 32 bits para 64 bits ocorreu usando um princípio que também foi
usado na tecnologia de barramentos ISA para estender seu prazo de utilidade, o
barramento de 32 bits possuía 32 pinos, para criar o de 64 bits foram adicionados mais
32 pinos ao barramento.
Computadores que possuem barramentos PCI têm um recurso interessante: seus
dispositivos são Plug and Play, ou seja, quando os dispositivos são conectados à placa-
mãe eles são automaticamente reconhecidos pela BIOS e ficam disponíveis pra uso
assim que o computador é iniciado.

3. PCI Express
Os barramentos PCI passaram a trocar sua ponte, que havia passado a ser a responsável
pela coordenação do barramento, constantemente para que a mesma pudesse
acompanhar a evolução dos dispositivos, e o fato de ser muito grande para alguns
computadores, como notebooks, fez com que alguma nova solução tivesse de ser criada.
Para resolver tais problemas um novo dispositivo, também criado pela Intel, chamado
PCI Express vem sendo a promessa para assumir o local do barramento PCI.
O barramento PCI trabalha com uma série de mestres (iniciadores) e escravos
(alvos) que coordenam as execuções das tarefas do barramento, a solução do PCI
Express começa por abolir esse tipo de paralelismo executado pelo barramento,
migrando para um projeto baseado em conexões seriais, como a P2P (Point to Point)
muito usado em redes Ethernet.
Desse modo os dados saem do dispositivo direto ao seu destino sem a
necessidade de compartilhar a largura do barramento como acontecia no PCI.
Assim como no PCI computadores que fazem uso do PCI Express fazem uma
identificação de todos os dispositivos conectados à placa-mãe e negociam a largura de
banda que cada um deles deverá usar e faz um “mapa” com o tráfego que os dados
devem seguir.
O PCI Express trabalha com o esquema de caminhos (“lanes”) que contem a
partir de 4 pares de fios onde cada par de fios é responsável pela entrada ou saída dos
dados podendo operar os dois ao mesmo tempo. Como os tipos de conectores de um
barramento PCI Express trabalham está descrito na Figura 2.

Figura 2: Caminhos de dados no PCI Express


Barramentos PCI Express podem operar com linde de até x32 com 32 bits por
ciclo.
Cada cominho do PCI Express suporta até 200 MB de dados por segundo em
cada direção, logo, um x16 pode transportar até 6,4 GB de dados por segundo em cada
direção, podendo suportar placas gráficas de grande desempenho.
O site HowStuffWorks traz algumas características que fazem com que seja
possível tamanha velocidade do dispositivos PCI Express como:
 Priorização de dados, que permite que o sistema transfira primeiro os
dados mais importantes e ajuda a evitar gargalos.
 Transferências de dados em tempo real.
 Melhorias nos materiais usados na fabricação das conexões.
 Melhor handshake e detecção de erros.
 Melhores métodos para quebrar os dados em pacotes e montá-los de
volta. Além disso, como cada dispositivo tem sua própria conexão ponto-a-
ponto dedicada com o switch, sinais de múltiplas fontes não precisam mais utilizar o
mesmo barramento.

4. Conclusão
Este trabalho apresentou informações sobre os barramentos de computadores atuais,
como ocorre a transação dos dados por eles as características que marcaram o
surgimento e a utilização de cada um deles e uma breve comparação no funcionamento
das duas tecnologias.

Referências
Tanembaum, Andrew S. (2010), Organização Estruturada de Computadores, Prentice
Hall, 5ª Edição.
Stallings, Willians (2002), Arquitetura e Organização de Computadores, Prentice Hall,
5ª Edição.
Wilson, Tracy V., “Como funciona o barramento PCI Express”,
http://informatica.hsw.uol.com.br/pci-express.htm.
Tyson, Jeff e Grabianowski, Ed, “Como funciona o barramento PCI”,
http://informatica.hsw.uol.com.br/barramento-pci.htm.
Instituto de Controle do Espaço Aéreo, “Módulo VI - PCI (Peripheral Component
Interconnet)”, http://www.icea.gov.br/ead/anexo/24106.htm.