Você está na página 1de 202

QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE

TEORIA GERAL DO DIREITO CONSTITUCIONAL

(Auditor do TCDF/2002) - No Acerca dos métodos e princípios de


interpretação e aplicação das normas constitucionais, julgue os itens a
seguir.

1A interpretação constitucional é monopólio do STF, em razão de


identificar-se como instrumento de afirmação da supremacia da
Constituição.

2 O princípio hermenêutico de que o intérprete deve buscar


precipuamente a mens legis e não a mens legislatoris aplica-se também
à exegese das normas de direitos fundamentais.

3 A unidade da Constituição, como princípio hermenêutico, está


ancorada na idéia de que, à exceção das normas configuradoras de
cláusulas pétreas — cuja supremacia é decorrente do sistema de
constituição rígida —, todas as demais estão no mesmo grau de
hierarquia, o que equivale a dizer que os valores por ela abrigados têm
igual proteção constitucional.

4 O chamado apelo ao legislador constitui prática ou técnica de decisão


muito comum no âmbito dos pronunciamentos do STF e ocorre sempre
que, declarada a inconstitucionalidade de norma legal, a Corte depara-
se com a situação de vácuo legislativo que requeira pronta regulação
legislativa.

5 As normas constitucionais programáticas, enquanto não-realizadas


mediante atividade estatal administrativa ou legislativa, não podem
revogar atos normativos anteriores que disponham em sentido colidente
com o princípio nelas substanciado.

QUESTÃO 4

(Auditor do TCDF/2002) - No Acerca da história constitucional do Estado


brasileiro, julgue os itens abaixo.

6 A primeira constituição republicana do Brasil, promulgada em 1891,


adotou a república federativa como forma de Estado e de governo —
constituída pela união indissolúvel de suas antigas províncias —, o
modelo tripartite do poder e o presidencialismo como sistema de
governo, bem como instituiu um tribunal de contas para a verificação da
legalidade da despesa e da receita pública.

7 A Constituição de 1937 promoveu a redemocratização do país após a


vigência do Estado Novo, período em que se deu a ditadura de Getúlio
Vargas, iniciada com a Revolução Constitucionalista de 1930, durante a
qual foi suprimido o bicameralismo brasileiro.

8 O regime parlamentarista, embora não pertença à tradição


republicana brasileira, foi instituído no início da década de 60 do século
passado, quando foi aprovada a emenda parlamentarista com o escopo
de retirar poderes do então presidente João Goulart, que assumira o
poder em decorrência da renúncia de Jânio Quadros.

9 Após o golpe militar de 1964, que se intitulou movimento


revolucionário vitorioso, foi mantida em vigor a Constituição de 1946,
embora modificada por sucessivos atos institucionais baixados pelo
comando militar no poder, em vez de emendas promulgadas pelo
Congresso Nacional, até a elaboração da Constituição de 1967.

10 A Assembléia Nacional Constituinte que elaborou a Constituição de


1988 foi convocada por meio de emenda constitucional à Constituição de
1967, em cumprimento ao projeto de transição democrática do país
durante o governo de José Sarney, que, na qualidade de vice-
presidente, assumira a presidência com a morte de Tancredo Neves.

Texto I –

As teorias hermenêuticas e discursivas parecem apontar para uma


concepção menos estratégica do direito constitucional, superando a
insuficiência do formalismo jurídico nas questões de lacunas por meio da
chamada juridicidade dos princípios. A discussão jurídico-constitucional
permite dizer que a ciência do direito, voltada também para a
interpretação de normas, não é necessariamente formalista. Ao lado e
contra uma teoria formal da constituição de matriz kelseniana formou-se
uma teoria material da constituição. Essa última originou-se no âmbito
do constitucionalismo suíço, especialmente na Escola de Zurique, que se
constituiu como uma verdadeira réplica ao positivismo jurídico formal e
ao sociologismo sem limites. Contudo, a consolidação da teoria material
da constituição tem na Alemanha das últimas décadas do século XX a
sua sede principal por meio dos ensinamentos de Kriele, Konrad Hesse,
F. Müller e Peter Häberle. Entretanto, para Bonavides (Curso de direito
constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001), o “coração” da teoria
constitucional pós-positivista está na idéia de princípios cuja elaboração
ganha maior relevo no pensamento de Ronald Dworkin e na teoria
reconstrutiva de Habermas.

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Considerando as


idéias contidas no texto I, julgue os itens abaixo.

11 Lassale, embora não fizesse parte das escolas mencionadas, era um


autor clássico e concordava que na modernidade o conteúdo da
constituição se define como sociedade política.

12 O conceito formal de constituição diz respeito a questões


procedimentais de alteração e modificação da constituição, bem como
ao conteúdo e à matéria constitucional.

13 No contexto do constitucionalismo ocidental, que se reflete no


ambiente teórico descrito no texto, é possível identificar as constituições
costumeiras como mais flexíveis que aquelas escritas, dada a
espontaneidade de produção histórica das primeiras.

14 A teoria material da constituição valorizou a matéria constitucional e


superou a visão dicotômica e secundária que os princípios
constitucionais tinham em relação às normas.

15 Consoante Bonavides, é possível dizer que os princípios jurídicos


estavam fora do sistema no período jusnaturalista e entraram no
sistema de maneira secundária na fase positivista para, em seguida,
terem o estatuto de normas.

QUESTÃO 42

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Ainda


considerando as idéias apresentadas no texto I, julgue os itens
subseqüentes.

16 Segundo a teoria de Habermas, o paradigma do Estado liberal


poderia estar relacionado, antes de qualquer coisa, à proteção das
condições de procedimento democrático.

17 O ideal de segurança jurídica e império da lei caracterizam, segundo


o paradigma procedimental, o Estado de direito.
18 As tensões entre a teoria formal e a material da constituição
fundamentou o surgimento do paradigma do Estado social na Europa da
primeira metade do século passado.

19 A teoria formal da constituição concedeu fundamentos para a


formação do Estado social ao estabelecer uma distinção básica entre
Constituição e Lei Constitucional.

20 Para Dworkin, o positivismo jurídico, que inspira a teoria formal da


constituição, por meio da interpretação sistemática, embora nada diga
sobre matéria constitucional, responde ao problema das lacunas do
direito.

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Reconstruir o


conceito de constituição, inculcar a compreensão de constituição como
lei ou conjunto de leis, de sorte que tudo no texto constitucional tenha
valor normativo, é a difícil tarefa com que se depara a boa doutrina
constitucional de nosso tempo. Bonavides. Curso de direito
constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001, p. 210 (com adaptações).

Considerando o contexto teórico apresentado no texto acima, julgue os


itens subseqüentes.

21 As normas programáticas demonstram que a política é uma instância


invisível e também modificadora da constituição e, segundo a boa
doutrina, dotada de efeito vinculante.

22 Segundo o autor, em que pese o desenvolvimento da teoria material


da constituição ter recrudescido na Alemanha, é na Itália que se
desenvolvem os estudos mais completos da natureza e eficácia das
normas constitucionais, com forte influência no Brasil.

23 Quanto aos destinatários, as normas programáticas de natureza


concreta e perfeitas diferem das normas preceptivas pelo fato de serem
destinadas tanto para a atividade do Poder Judiciário quanto para o
Poder Legislativo.

24 As normas programáticas podem ser consideradas semelhantes no


que diz respeito à matéria e ao destinatário e se diferenciam no que
concerne à eficácia.

25 O debate, implícito no texto, indica o ambiente em que os direitos


civis e políticos foram inseridos nas constituições.
QUESTÃO 46

26 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Caso o Congresso Nacional


editasse emenda constitucional determinando que, desde que não
ferissem cláusulas pétreas, as emendas constitucionais acerca da
reforma agrária deveriam seguir o mesmo processo de votação das leis
complementares, a Constituição da República tornar-se-ia uma
constituição semi-rígida.

27 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - O ordenamento jurídico é


estruturado como um sistema dinâmico, pois o conteúdo das normas de
um determinado estrato hierárquico pode ser deduzido do conteúdo das
normas dos escalões superiores.

28 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Na ordem constitucional


vigente no Brasil, não há diferença de hierarquia entre as regras
jurídicas criadas mediante emendas constitucionais e as normas
constitucionais presentes no texto original da Constituição da República.

29 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - A Constituição da República


determina que o Estado brasileiro deve empenhar-se na formação de
uma comunidade latino-americana. Essa disposição constitucional pode
ser classificada como uma norma programática.

(Procurador – MP/TCDF – 2002) - 01 Acerca da jurisdição constitucional


no direito comparado, julgue os itens abaixo.

30 A Suprema Corte dos Estados Unidos da América (EUA) declarou, no


julgamento do caso Dred Scott versus Sandford, 60 US. 393 (1856), a
inconstitucionalidade do instituto da escravidão.

31 A Suprema Corte dos EUA declarou, no julgamento do caso Hammer


versus Dagenhart, 247 US. 251 (1918), a inconstitucionalidade de lei
federal que estipulava idade mínima para o trabalho; segundo a
Suprema Corte, a matéria não estava contida na cláusula de comércio
interestadual, o que vedava a possibilidade de atuação do Congresso
norte-americano.
32 Alemanha, Portugal e França são nações que praticam o sistema de
controle concentrado de constitucionalidade das leis.

33 O surgimento de um órgão judicial especial para a apreciação da


constitucionalidade das leis ocorreu na Áustria, em 1920, sendo a
culminação de uma idéia que possuía antecedentes na história
constitucional daquele país.

34 O modelo de controle de constitucionalidade das leis em Portugal


compreende a fiscalização preventiva da constitucionalidade, a
fiscalização concreta da constitucionalidade, a fiscalização abstrata da
constitucionalidade e a inconstitucionalidade por omissão.

QUESTÃO 2

35 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - A inclusão de normas de


disposições transitórias é prática que se estabeleceu desde as primeiras
constituições escritas, ainda no final do século XVIII.

36 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - Segundo decisão do STF, o


dispositivo constitucional que instituiu a ação declaratória de
constitucionalidade no direito brasileiro é de aplicação imediata,
possuindo eficácia independentemente de sua regulamentação por lei
complementar ou ordinária.

(Procurador – MP/TCDF – 2002) - Acerca da evolução constitucional do


Brasil, julgue os itens abaixo.

37 Na disciplina estabelecida pela Constituição da República de 1891, o


vice-presidente da República deveria substituir o presidente da
República em caso de impedimento ou suceder-lhe, em caso de falta; no
impedimento ou falta do vice-presidente da República, deveriam ser
chamados à presidência os ocupantes dos seguintes cargos, na ordem
que se segue: o vice-presidente do Senado, o presidente da Câmara dos
Deputados e o presidente do STF.

38 Na ordem constitucional instituída pela Constituição da República de


1934, era competência privativa da União legislar sobre direito do
trabalho.

39 Segundo as normas de processo legislativo estabelecidas pela


Constituição da República de 1937, não era possível a apresentação de
projetos de lei por iniciativa individual de membro do Parlamento
nacional.

40 Na Constituição da República de 1946, era permitida a intervenção


da União no domínio econômico, o que incluía o estabelecimento de
monopólio de determinada indústria ou atividade.

41 O Ministério Público foi inserido, na Constituição da República de


1967, como instituição pertencente ao Poder Executivo.

QUESTÃO 5

(Defensor Público – Alagoas/2003) - O surgimento do Estado de Bem-


Estar Social, no século passado, provocou uma forte discussão em torno
da aplicabilidade das normas fundamentais. Isso produziu diversas
teorias e interpretações, com forte amparo na doutrina italiana. Tal
discussão alcançou o Brasil. Considerando as diversas classificações das
normas quanto à sua aplicabilidade, bem como o contexto dos direitos
fundamentais e sua interpretação, julgue os itens seguintes.

42 Assim como as normas programáticas, os direitos fundamentais


podem não ter sua eficácia imediata, sendo passíveis de restrição em
qualquer hipótese.

43 A medida provisória é instrumento jurídico de eficácia mais ampla


que o extinto decreto-lei, pois este estava circunscrito a matérias
específicas, como segurança nacional e finanças públicas, assim como
deveria ser interpretado restritivamente.

44 Quanto a sua eficácia, é correto classificar as normas constitucionais


em normas constitucionais de organização, também denominadas
normas de estrutura ou competência; normas constitucionais definidoras
de direitos, fixadoras de direitos fundamentais e normas constitucionais
programáticas, que buscam traçar fins públicos a serem alcançados.

(Defensor Público – Amazonas/2003) - Acerca da teoria da constituição


e da hermenêutica constitucional, julgue os itens que se seguem.

45 No atual regime constitucional brasileiro, a convocação de uma


assembléia nacional constituinte, dotada de poder constituinte
originário, apenas poderia ser feita mediante uma emenda à
constituição.
46 De acordo com jurisprudência do STF, não se admite interpretação
extensiva de normas definidoras de direitos fundamentais, pois a
concessão de benefícios deve ser interpretada de forma restrita.

47 Em virtude do cânone hermenêutico de que a norma posterior


prevalece sobre a anterior, se ocorrer colisão entre um princípio
constante do texto original da Constituição da República e um princípio
nela inserido por emenda constitucional, deve prevalecer o segundo
princípio.

(Analista Judiciário – Área Judiciária – TRE/RS – 2003) - O


constitucionalismo não é uma criação da cabeça de poucos, mas uma
construção histórica e também uma conquista da humanidade. No dizer
de Niklas Luhmann, ele é uma aquisição evolutiva da civilização. Por
isso, é impossível alguém ter uma visão plena do fenômeno
constitucional quando se apega apenas ao modelo semântico. Além
disso, não se pode dizer que as constituições são folhas de papel, uma
vez que uma teoria constitucional, com suas várias correntes, voltou-se
para a concretização da Constituição.

De acordo com o texto acima e considerando o conceito, o objeto e a


classificação de Constituição, julgue os itens que se seguem.

48 No sentido etimológico, constituição se traduz em modo de ser das


coisas, essência ou qualidade distintiva das coisas, não guardando
relação com o conteúdo do texto.

49 Se a Constituição é um dos epifenômenos do constitucionalismo, é


incorreto dizer que mesmo as constituições costumeiras podem ser
rígidas.

50 O constitucionalismo, como doutrina clássica, buscou reduzir a


Constituição a instrumento jurídico, organizador da competência dos
poderes, com finalidade expressa de frear o exercício de poder.

51 A teoria formal da Constituição inovou no sentido de romper com o


modelo semântico e abordar, já na metade do século XX, a questão das
normas programáticas e da concretização constitucional.

52 O constitucionalismo contemporâneo, com viés concretizador,


absorveu a noção de sistema de outras ciências, mas concebe
Constituição como sistema aberto no ambiente social.
(Analista Judiciário – Área Judiciária – TRE/RS – 2003) - A interpretação
da Constituição foi o grande fator de controvérsia durante o século XX e
responsável por boa parte dos dissídios entre os teóricos constitucionais.
De um lado, tinha-se a teoria formal da Constituição, reduzindo-lhe a
uma ordem jurídica hierarquizada em um escalonamento de normas; de
outro, a teoria material da Constituição, partidária da idéia de uma
Constituição construída em bases históricas e políticas.

Considerando o texto acima, a hermenêutica constitucional, a


interpretação das normas constitucionais e os princípios fundamentais,
julgue os itens subseqüentes.

53 A teoria material da Constituição buscava a preservação da


juridicidade do texto constitucional, compreendendo o Estado como
única fonte de direito.

54 Uma hermenêutica jurídica orientada pelo formalismo implica uma


confusão entre legitimidade e legalidade, bem como uma compreensão
da mutação constitucional estritamente ligada ao espaço de aplicação ou
criação do direito.

55 O problema das lacunas jurídicas tem despertado interesse na teoria


constitucional contemporânea em virtude da sua ligação com a
aplicabilidade das normas e a hermenêutica dos princípios
fundamentais, sendo a juridicidade dos princípios um de seus maiores
aparatos.

56 (ACE – TCU – 2004) - As constituições classificadas como não-


escritas, produto de lenta síntese histórica, são compostas
exclusivamente por normas costumeiras, jurisprudência e convenções.

57 (Analista de Assuntos Jurídicos – SERPRO/2004) - A contraposição


entre princípios constitucionais é possível; entretanto, quando vier a
ocorrer, deve-se procurar reduzir o âmbito de alcance de cada princípio
confrontado de maneira equitativa ou, em determinadas situações,
verificar a precedência estabelecida na ordem de prioridade estabelecida
pela própria Carta Constitucional.

(Defensor Público da União – 2004) - Quanto à aplicabilidade e à


interpretação das normas constitucionais, julgue os itens que se
seguem.
58 Embora as normas programáticas sejam alvo de críticas, ao menos
parte da doutrina as reconhece; considerando-as existentes, o
destinatário dessas normas, juridicamente, é o Poder Executivo.

59 A doutrina constitucionalista aponta diferenças importantes entre as


técnicas hermenêuticas da interpretação conforme a Constituição da
República e da declaração de nulidade sem redução de texto; ademais,
elas são mutuamente excludentes, ou seja, frente a determinada
situação, o intérprete não se pode valer de ambas ao mesmo tempo.

60 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - Entre os vários métodos


construídos pela doutrina constitucionalista, voltados à discussão da
aplicabilidade das normas constitucionais, o método tópico caracteriza-
se por pregar que cada tema constitucional seja exaustivamente tratado
em nível teórico aprofundado para que, futuramente, o intérprete
possua arsenal técnico-jurídico necessário à sua função como operador
do direito.

(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - O Quanto ao


conceito e à classificação das constituições e das normas constitucionais,
à hermenêutica constitucional, às normas programáticas e ao preâmbulo
na Constituição da República de 1988 e, ainda, acerca do histórico das
disposições constitucionais transitórias, julgue os itens seguintes.

61 As constituições costumeiras são flexíveis, ao passo que as


constituições rígidas podem ser flexíveis, semi-rígidas ou rígidas.

62 Em consonância com precedente do Supremo Tribunal Federal (STF),


o preâmbulo da Constituição Federal vigente, em razão de sua natureza
jurídica de norma constitucional, pode ser invocado para a defesa de um
direito.

63 Verifica-se a existência de disposições constitucionais transitórias em


todos os textos constitucionais brasileiros, desde a Constituição de
1891, e, segundo precedente do STF, as normas que integram as
disposições constitucionais transitórias, como categorias normativas
subordinantes, impõem-se no plano do ordenamento estatal.

64 As normas programáticas são normas jurídico-constitucionais de


aplicação diferida que prescrevem obrigações de resultados, e não
obrigações de meio, sendo, no caso brasileiro, vinculadas ao princípio da
legalidade ou referidas aos poderes públicos ou dirigidas à ordem
econômico-social.

65 O método de interpretação constitucional denominado hermenêutico


concretizador pressupõe a pré-compreensão do conteúdo da norma a
concretizar e a compreensão do problema concreto a resolver, havendo,
nesse método, a primazia do problema sobre a norma, em razão da
própria natureza da estrutura normativo-material da norma
constitucional.

66 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Segundo


doutrinadores ligados à corrente jusnaturalista, preexistem princípios à
constituição escrita, autônomos em relação às decisões do legislador
constituinte, e que o vinculam de tal sorte que as normas
constitucionais que os contrariem devam ser consideradas juridicamente
inválidas e não-obrigatórias.

67 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Considerando o


tratamento teórico atual dispensado à Constituição Federal e às suas
normas, assinale a opção correta.

A O princípio da unidade da Constituição legitima a declaração de


inconstitucionalidade de norma elaborada pelo poder constituinte
originário, quando esta for questionada frente ao princípio republicano.

B O Supremo Tribunal Federal (STF) somente pode invalidar normas da


Constituição, se estas decorrerem de emendas constitucionais e
inobservarem as limitações impostas pelo poder constituinte originário.

C As normas constitucionais que não são consideradas auto-aplicáveis


somente ganham eficácia mínima com a edição de lei que as regule.

D As normas constitucionais podem ser revogadas, mas não,


invalidadas.

E A rigidez constitucional decorre exclusivamente da existência de


cláusulas pétreas, ou seja, de limitações materiais explícitas.

68 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Durante muitos anos,


no Brasil, vigorou norma constitucional que limitava a taxa de juros
reais em 12% ao ano, a qual, no entanto, não teve o condão de
modificar a realidade jurídica, tanto assim que o próprio sistema
financeiro sempre cobrou índices bem superiores àquele estabelecido.
Do ponto de vista da teoria constitucional, o problema da norma estava
relacionado à sua

A constitucionalidade.

B validade.

C vigência.

D legalidade.

E eficácia.

QUESTÃO 6

69 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Quanto à evolução das


constituições, aos tipos possíveis e ao sentido que alcançam na
atualidade, julgue os itens a seguir.

I Na história constitucional brasileira, apenas a constituição imperial foi


outorgada.

II A constituição é documento que possui natureza política e que, na


concepção original do século XVIII, deveria, necessariamente, acolher a
teoria da separação de poderes e declarar os direitos dos cidadãos
frente ao Estado.

III A Constituição em vigor no Brasil é formal, histórica, flexível e


analítica.

IV Qualquer constituição, não importa a que Estado nacional se refira,


deve conter cláusulas pétreas, pois, do contrário, terá apenas força de
lei, sem a necessária supremacia.

V A constituição pode ganhar novos sentidos tanto por processo formal


legislativo como por processo informal de mudança de suas normas.

Estão certos apenas os itens

A I e II. C II e V. E IV e V.

B I e III. D III e IV.

QUESTÃO 1 3
70 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - As
constituições são documentos que disciplinam, na ordem jurídica, as
condições econômicas e sociais de um povo em determinado momento
histórico. Devido à ligação entre a constituição e tais condições, a
doutrina não admite a existência de constituições imutáveis.

Gabarito:

1. E

2. C

3. E

4. E

5. E

6. C

7. E

8. C

9. C

10. C

11. *

12. E

13. E

14. C

15. C

16. E

17. C

18. C

19. E
20. E

21. C

22. C

23. E

24. E

25. E

26. *

27. E

28. C

29. C

30. E

31. C

32. C

33. C

34. C

35. E

36. C

37. C

38. E

39. C

40. C

41. E

42. E

43. C
44. *

45. E

46. E

47. E

48. *

49. E

50. C

51. E

52. C

53. E

54. C

55. C

56. E

57. C

58. E

59. E

60. E

61. E

62. E

63. C

64. C

65. E

66. C

67. D
68. E

69. C

70. E
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
TEORIA DO PODER CONSTITUINTE E REFORMA DA
CONSTITUIÇÃO

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Julgue os itens a


seguir, relativos ao poder constituinte e suas limitações.

1 A teoria do poder constituinte antecede o surgimento da soberania


como forma de poder.

2 A distinção entre poderes constituinte e constituído permitiu o


surgimento das constituições rígidas e o estabelecimento do dogma da
soberania.

3 O poder constituinte originário se estabelece em poder jurídico,


figurado em um complexo de fatos e valores, e obriga a nação à
subjetividade da soberania nacional.

4 Historicamente, o poder constituinte constituído está ligado a períodos


políticos, econômicos e sociais de relativa normalidade.

5 A teoria do poder constituinte, segundo a doutrina da soberania


popular na versão americana, também inspirada em Rousseau, identifica
o povo com a assembléia soberana.

QUESTÃO 44

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Ainda com


referência ao poder constituinte e suas limitações, julgue os itens
seguintes.

6 A situação de crise constitucional não apresenta perigo para a vida das


instituições, mas se recomenda uma nova constituinte caso o problema
político que lhe deu causa não seja meramente pontual.

7 O poder de reforma constitucional é de natureza política e é exercido


pelo poder constituinte constituído.

8 As limitações explícitas ao poder de reformar podem ser temporais,


circunstanciais e materiais, sendo que ambas restringem a quebra de
princípios constitucionais.
9 No paradigma do Estado liberal, pode-se afirmar que a iniciativa de
reforma poderia ser tanto do Poder Executivo quanto do Poder
Legislativo e, em alguns casos, também com o concurso popular.

10 Quando o órgão revisor é uma convenção, como no caso dos Estados


Unidos da América (EUA) e da Constituição Francesa de 1848,
predomina o princípio do paralelismo das formas em que a modificação
do ato jurídico só pode ser efetivada por outro que lhe for idêntico.

QUESTÃO 45

11 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Uma emenda


constitucional que proponha a mudança do quorum de votação de
emenda à Constituição não se pode realizar em virtude de cláusula
pétrea implícita.

12 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Considere a


seguinte a situação hipotética. Um deputado apresentou emenda
rejeitada na mesma sessão legislativa, sendo que a deliberação da
matéria ocorreu em virtude de versar sobre direitos e garantias
individuais.

Nessa situação, o procedimento se deu conforme o processo legislativo


previsto no direito constitucional brasileiro.

13 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - O povo brasileiro foi o


titular do poder constituinte originário com base no qual se elaborou a
Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, pois foi o voto
popular, mediante sufrágio universal, que elegeu a Assembléia Nacional
Constituinte que elaborou esse diploma legislativo; porém, a partir do
momento em que a Constituição da República foi promulgada, o povo
deixou de ser titular do poder constituinte originário, pois esse poder
somente existe nos momentos de ruptura política; desde então, o poder
constituinte originário foi substituído pelo poder constituinte derivado,
cuja titularidade é do Poder Legislativo federal.

14 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Uma proposta de emenda


constitucional destinada a tornar facultativo o voto para todos os
brasileiros seria inconstitucional, por violar cláusula pétrea, e, portanto,
o presidente da República poderia impugná-la perante o Supremo
Tribunal Federal (STF).
15 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Segundo a ordem
constitucional vigente, a convocação de uma nova Assembléia Nacional
Constituinte somente poderia ocorrer mediante emenda constitucional
aprovada por três quintos dos membros de cada casa do Congresso
Nacional, em dois turnos de votação.

QUESTÃO 52

16 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Se emenda constitucional


alterar a Constituição da República, estabelecendo que vetos
presidenciais somente serão rejeitados por maioria de dois terços dos
parlamentares das duas casas, essa modificação incidirá também sobre
a rejeição dos vetos em nível estadual e municipal, invalidando regras
em contrário constantes de constituições estaduais e de leis orgânicas
de municípios.

17 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Caso a Constituição da


República seja alterada no tocante a norma de repetição obrigatória
pelas constituições estaduais que efetivamente tenha sido repetida na
Constituição de MG, a Assembléia Legislativa mineira terá obrigação de
alterar a constituição estadual para adequá-la ao novo texto da
Constituição da República, sendo que sua omissão em cumprir esse
dever poderá ser impugnada mediante mandado de injunção.

18 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - A Constituição da República poderá


ser emendada mediante proposta de mais da metade das assembléias
legislativas das unidades da Federação, manifestando-se, cada uma
delas, pelo voto favorável de pelo menos três quintos de seus membros.

19 (Procurador TCE/RN – 2002) - Não será objeto de deliberação


proposta de emenda constitucional tendente a abolir: a forma federativa
de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos
Poderes; e os direitos e garantias individuais. São as chamadas
cláusulas pétreas, matérias que constituem o núcleo intangível da
Constituição da República. Segundo a jurisprudência do STF, não só as
normas constantes no catálogo de direitos fundamentais, mas também
outras normas consagradoras de direitos fundamentais constantes no
texto constitucional podem estar gravadas com a cláusula de
imutabilidade.
20 (Procurador TCE/RN – 2002) - Em tema de processo legislativo, a
Constituição da República prevê expressamente a participação do Poder
Executivo no processo de elaboração das leis, competindo ao presidente
da República sancionar projetos de emenda constitucional, leis
complementares e leis ordinárias aprovados pelas duas Casas
legislativas.

(Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Julgue os itens subseqüentes,


relativos ao poder constituinte.

21 Poder constituinte decorrente é o poder que têm os estados-


membros de uma Federação para elaborar suas próprias Constituições.

22 A mudança na Constituição exterioriza-se sob duas formas de


atuação: a reforma constitucional — que, em seu sentido amplo,
englobaria a revisão e a emenda — e a mutação constitucional. Esta
última pode ser definida como a separação entre o preceito
constitucional e a realidade. A realidade constitucional torna-se mais
ampla que a normatividade constitucional.

23 Segundo dispõe a Constituição da República, as polícias civis serão


dirigidas por delegado de polícia de carreira. Contudo, a Constituição de
um estado da Federação pode determinar que a escolha seja feita entre
os ocupantes da última classe da carreira que figurem em lista tríplice
formada pela respectiva entidade de classe.

(Analista Judiciário – Área Judiciária – TRE/RS – 2003) - Considerando o


disposto a respeito de poder constituinte e reforma da Constituição no
Estado democrático de direito, julgue os itens abaixo.

24 Enquanto o poder constituinte obriga a nação à subjetividade da


soberania, perfazendo-se em poder extrajurídico e político, o poder
constituído é limitado tácita e expressamente pela Constituição, tendo
natureza jurídica.

25 A teoria do poder constituinte tem relação com a doutrina da


soberania popular, sendo as doutrinas francesas e americanas as
versões que mais influenciaram os avanços nessa área.
26 No ambiente do Estado democrático de direito, o poder constituinte
pode vir a se tornar um confisco ou uma usurpação da soberania, como
também um mediador de valores atento ao pluralismo ideológico.

27 Enquanto a crise constituinte afeta o regime estabelecido, o corpo


institucional e o sistema de governo, a crise de uma Constituição não
afeta a titularidade do poder constituinte, podendo ser resolvida
mediante reforma.

28 O poder de reforma constitucional é exercido pelo poder constituinte


derivado, com limites expressos e implícitos, formalmente postos na
Constituição, conferindo-lhe estabilidade.

29 (ACE – TCU – 2004) - O poder constituinte derivado possui, na


Constituição Federal de 1988, limites circunstanciais e materiais, todos
explícitos, sendo reconhecidas pela doutrina limitações materiais
implícitas.

30 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Segundo os preceitos do


constitucionalismo, todo Estado que possuir norma regulatória do
exercício do poder possui constituição.

QUESTÃO 3 8

31 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - A jurisprudência do STF é


pacífica no sentido de que há hierarquia entre normas constitucionais
originárias. Por isso, já se admitiu a declaração de inconstitucionalidade
de determinadas normas em face de outras normas de maior
precedência hierárquica.

32 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Segundo doutrina, é


conseqüência lógica da rigidez constitucional que os atos de reforma da
constituição positiva sejam recebidos com desconfiança. Uma
desconfiança já prevista na própria Constituição da República disciplina
com rigor incomum o processo de sua própria reforma, ao menos no
plano das emendas.
(Delegado da Polícia Federal – 2004 – Regional) - Uma proposta de
emenda à Constituição, apresentada com o apoiamento de 250
deputados, tem por conteúdo alteração das competências da Polícia
Federal, retirando-lhe a função de polícia de fronteira — art. 144, § 1.º,
III, parte final — e transferindo essa competência para o Exército
brasileiro. Admitindo que essa proposta de emenda à Constituição,
observadas as regras constitucionais relativas ao processo legislativo
desse tipo de proposição, venha a ser aprovada e promulgada, julgue os
itens a seguir.

33 A emenda constitucional hipotética ofenderia o princípio de


separação de poderes, uma das cláusulas pétreas previstas no texto
constitucional brasileiro, porque a iniciativa de propostas de emenda à
Constituição que versem sobre atribuições das Forças Armadas e da
Polícia Federal é privativa do presidente da República.

34 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - O instituto do


amicus curiae, previsto nos ordenamentos jurídicos alemão e norte-
americano e inserido no ordenamento jurídico brasileiro pela legislação
que disciplinou o processo e o julgamento da ADI e da ADC, relaciona-se
com a idéia defendida por Peter Häberle de uma sociedade aberta dos
intérpretes constitucionais.

35 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Desde a


Constituição de 1891, na evolução históricoconstitucional do sistema de
controle de constitucionalidade, no Brasil, diferentemente do que ocorre
em alguns Estados europeus, as decisões do Poder Judiciário sobre a
constitucionalidade das leis nunca foram passíveis de revisão pelo Poder
Executivo ou pelo Poder Legislativo.

36 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Segundo o


entendimento do STF, por ser a ADI uma ADC com sentido invertido, é
constitucional a extensão, por lei ordinária, do efeito vinculante
atribuído à ADC pela Constituição Federal.

37 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - De acordo com


a jurisprudência do STF, em razão do princípio da subsidiariedade, que
rege o ajuizamento da ação constitucional de argüição de
descumprimento de preceito fundamental, a mera possibilidade de
utilização de outros meios processuais, por si só, basta para justificar o
nãoconhecimento da ação.

38 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Com relação ao poder


constituinte estadual, julgue os itens a seguir.

I Uma proposta de emenda à Constituição do Estado do Ceará deve ser


discutida e votada pela Assembléia Legislativa, em dois turnos, sendo
considerada aprovada se obtiver, em ambos, três quintos dos votos dos
respectivos membros.

II O STF é guardião da Constituição Federal e, portanto, não pode


invalidar normas da Constituição do Ceará.

III Na Constituição do Ceará, não há limitações materiais explícitas ao


poder competente para alterá-la.

IV A elaboração da Constituição do Ceará, como expressão de


autonomia política, não se sujeita a normas jurídicas superiores.

A quantidade de itens certos é igual a

A 0. B 1. C 2. D 3. E 4.

QUESTÃO 5

39 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - No processo de reforma da


Constituição por proposta do presidente da República, o Senado deve
atuar como Casa revisora.

Gabarito:

1. E

2. C

3. E

4. C

5. E
6. C

7. E

8. *

9. C

10. E

11. C

12. E

13. E

14. E

15. E

16. C

17. E

18. E

19. C

20. E

21. C

22. C

23. E

24. C

25. C

26. E

27. C

28. C

29. C
30. E

31. E

32. C

33. E

34. *

35. E

36. C

37. E

38. B

39. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

(Auditor do TCDF/2002) - No Tribunal de Justiça do Distrito Federal e


dos Territórios (TJDFT), tramita ação direta de inconstitucionalidade
(ADIn) ajuizada pelo chefe do Ministério Público local, tendo por objeto
lei distrital questionada frente a dispositivo da Lei Orgânica do Distrito
Federal (LODF), que é reprodução de norma da Constituição da
República e versa sobre matéria de observância obrigatória para os
entes federativos.
Com base na situação hipotética apresentada e na jurisprudência atual
do Supremo Tribunal Federal (STF), julgue os itens que se seguem.
1 Se a decisão de improcedência da ação der interpretação à norma da
LODF que seja contrária ao sentido e ao alcance da norma constitucional
federal reproduzida, será cabível, pelo autor, a interposição de recurso
extraordinário ao STF, cuja decisão terá, excepcionalmente, eficácia
erga omnes.
2 Se a matéria constante do dispositivo da lei distrital objeto de
impugnação for relativa à competência própria dos estados, a ADIn
somente será cabível junto ao STF, tendo por parâmetro de controle a
Constituição da República.
3 Em havendo a tramitação paralela de outra ação direta de
inconstitucionalidade no STF, versando sobre o mesmo objeto, o STF,
para evitar julgamentos conflitantes, aguardará a decisão do TJDFT,
cuja eficácia dependerá de confirmação pela Corte Suprema.
4 Independentemente do conteúdo da lei distrital objeto de impugnação,
o Distrito Federal (DF) poderá obstar o julgamento da ADIn pelo TJDFT
por meio de reclamação junto ao STF, com fundamento na preservação
da competência da Corte Maior para interpretar, em controle abstrato,
norma constitucional federal que esteja sendo, por via oblíqua,
analisada pelo TJDFT.
5 Declarada pelo TJDFT, com efeito retroativo, a procedência total da
ação, com a conseqüente nulidade da norma impugnada, cessa a
possibilidade de nova ADIn junto ao STF com o mesmo objeto.

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Julgue os itens


abaixo, relativos aos efeitos das normas constitucionais no sistema
normativo brasileiro.
6 Se, em um tempo qualquer, for editada uma nova Constituição, em
substituição à atual Constituição da República, haverá a revogação
integral desta, e todo o direito infraconstitucional a ela atrelado perderá
a validade quando não estiver em conformidade material com a nova
Carta Magna.
7 Em determinado conflito entre uma norma constitucional e outra
norma infraconstitucional, quando não se utiliza o critério da
especialidade, pode-se optar tanto pela tese da simples revogação
quanto pela tese da inconstitucionalidade, conforme motivação política e
constitucional.
8 No contexto da Constituição da República de 1988, exige-se voto da
maioria simples dos membros do Supremo Tribunal Federal (STF) no
julgamento da argüição de descumprimento de preceito fundamental,
ainda que se trate de tema ligado ao direito intertemporal.
9 A recepção é processo legislativo abreviado, necessário à manutenção
da estabilidade da ordem jurídica recém-instituída e se efetiva
atentando para os antigos veículos formais dos atos normativos
recepcionados.
10 A repristinação constitucional independe de norma expressa e seus
efeitos podem ser produzidos mediante declaração de
inconstitucionalidade, acarretando a revigoração do direito revogado.
QUESTÃO 47
(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Ainda
considerando os efeitos das normas constitucionais e o problema do
controle de constitucionalidade, julgue os itens que se seguem.
11 Em se tratando de inconstitucionalidade parcial, sem relação com
explícita ordem judicial, é possível atestar a revigoração da legislação
anterior caso o reconhecimento do mencionado vício indique
inconstitucionalidade total do diploma normativo.
12 No direito constitucional brasileiro, considerando as decisões finais
das ações diretas, a partir da Lei n.º 9.868/1999, dentro da exceção que
permite ao STF restringir os efeitos declaratórios de
inconstitucionalidade, revigora-se plenamente a legislação anterior, com
fundamento nos valores da segurança jurídica ou do interesse social.
13 O direito constitucional brasileiro, na hipótese de emenda
constitucional posterior, invalida as normas que não se formaram
plenamente.
14 O fenômeno da desconstitucionalização pode produzir uma
desqualificação das normas constitucionais do direito anterior, no
sentido de que, conforme o princípio da hierarquia das normas, estas
últimas passem a ser infraconstitucionais.
15 As normas produzidas pelo poder constituinte originário não têm
efeitos imediatos, já que, em um sistema de gradação de retroatividade,
estão elas no âmbito da retroatividade mínima.

16 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Embora não seja cabível


ação direta de inconstitucionalidade (ADIn) perante o STF contra projeto
de lei federal, o Poder Judiciário pode exercer controle difuso de
constitucionalidade de projetos de lei.
QUESTÃO 53
(Consultor Legislativo – Senado/2002) - O governador do estado do
Amazonas (AM) ingressou no STF com ADIn que impugnava a validade
da lei básica das escolas (LBE), uma lei ordinária estadual do AM que
estabelecia, como forma de escolha dos diretores das escolas estaduais
e municipais, a eleição direta entre os professores da respectiva escola.
Ao tomar conhecimento desse fato, por ser a eleição direta dos diretores
de escolas públicas uma medida defendida pelo Ministério da Educação,
o presidente da República decidiu ingressar no STF com ação
declaratória de constitucionalidade (ADC) da referida LBE, argüindo que
não havia qualquer incompatibilidade entre essa lei e a Constituição da
República.
Considerando a situação hipotética apresentada e levando em conta que
o cargo de diretor de escola estadual e municipal é definido pela lei
como cargo em comissão, julgue os itens subseqüentes.
17 A norma impugnada pelo governador do AM é inconstitucional porque
viola determinação constitucional no sentido de que os cargos em
comissão são de livre nomeação pela autoridade competente.
18 O governador do AM somente terá legitimidade para propor a
referida ADIn caso ele não tenha sancionado a LBE.
19 Diversamente dos partidos políticos, o presidente da República não
tem legitimidade ativa para propor a referida ADC, pois ele somente
recebe da Constituição da República a competência para propor ADC
relativamente a legislação federal.
20 Não obstante a LBE ser lei estadual, se o STF declarar a sua
inconstitucionalidade, por via de exceção, essa declaração somente
adquirirá efeitos erga omnes caso a LBE venha a ser retirada do
ordenamento jurídico pelo Senado Federal.
21 A Constituição da República veda que as constituições estaduais
estabeleçam controle concentrado de constitucionalidade das leis e atos
normativos municipais, atribuindo aos tribunais de justiça a competência
para processar e julgar ações diretas de inconstitucionalidade de lei ou
ato normativo municipal.
QUESTÃO 54
(Consultor Legislativo – Senado/2002) - Considerando que o Senado
Federal recebeu do STF comunicação de que transitou em julgado
decisão desse tribunal, em sede de controle de constitucionalidade por
via de exceção, julgando inconstitucional o art. 33 da Lei Geral de
Telecomunicações (LGT), que é lei federal, julgue os itens seguintes.
22 Caso o Senado Federal não suspenda a execução do referido
dispositivo em tempo razoável, essa omissão poderá ser impugnada
mediante ação direta de inconstitucionalidade por omissão, mas não por
meio de mandado de injunção.
23 Enquanto a declaração incidental de inconstitucionalidade tem efeitos
inter partes e ex nunc, o ato do Senado que suspender a execução do
referido dispositivo legal operará efeitos erga omnes e ex tunc.
24 Se o Senado suspender a execução do art. 33 da LGT e, uma semana
depois, o STF julgar constitucional esse mesmo dispositivo legal, em
sede de ADIn, o Senado não poderá revogar a suspensão da execução
do referido artigo.
25 O Senado Federal não pode suspender a execução de tratado
internacional que tenha sido objeto, por parte do STF, de declaração
incidental de inconstitucionalidade parcial sem redução de texto.
26 Em sede de controle concentrado de constitucionalidade, a
declaração de inconstitucionalidade de leis federais opera efeitos erga
omnes, independentemente de qualquer ato do Senado Federal.
QUESTÃO 55
27 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Decreto regulamentador
editado pelo presidente da República, que estabeleça norma
incompatível com a lei que ele regulamenta, não pode ser objeto de
ADIn nem de ADC.
QUESTÃO 57
28 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - O STF não tem competência
para apreciar, em sede de ADIn, a adequação entre lei federal editada
sob a égide da Constituição de 1967 e a atual ordem constitucional.

29 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Em um tribunal, a


declaração de inconstitucionalidade de ato normativo do poder público,
quando ocorre por via de ação, exige o voto da maioria absoluta dos
membros da corte ou do respectivo órgão especial, mas, quando ocorre
por via de exceção, a declaração de inconstitucionalidade exige apenas
maioria simples.
(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O controle de
constitucionalidade evidencia a supremacia dos direitos e garantias
fundamentais previstos na Constituição da República, que, além de
configurarem limites ao poder do Estado, conferem-lhe legitimação,
determinando seus deveres e constitucionalidade significa verificar a
adequação da lei ou do ato normativo com o texto constitucional,
verificando os seus requisitos formais e materiais. Considerando essa
temática, julgue os itens de 1 a 6.

30 Tendo por escopo evidenciar a inconstitucionalidade da lei ou do ato


normativo que se deseja aplicar ao caso concreto, a decisão advinda do
controle incidental ou difuso, diferentemente do que ocorre no modelo
concentrado, terá eficácia circunscrita às partes envolvidas no processo.
Caso o Supremo Tribunal Federal (STF) mantenha a decisão, eventual
extensão da eficácia dessa deliberação estará na dependência da
manifestação do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, em
sessão conjunta.

31 é pacífica a orientação do STF no sentido da impossibilidade de se


admitir ação direta de inconstitucionalidade contra normas municipais
em face da Constituição da República.

32 Ao receber a ação declaratória de constitucionalidade, estabeleceu o


constituinte que a decisão definitiva de mérito nela produzirá que a
decisão definitiva de mérito nela proferida produzirá eficácia contra
todos e efeito vinculante relativamente aos demais órgãos do Poder
Judiciário e ao Poder Executivo. Quando cabível, em tese, a ação
declaratória de constitucionalidade, a mesma força vinculante haverá de
ser atribuída à decisão definitiva da ação direta de inconstitucionalidade.

33 A Constituição da República outorgou ao STF a competência para


conceder medida cautelar nas ações diretas de inconstitucionalidade,
conferindo-lhe, assim, poderes para suspender, liminarmente, a
execução da norma impugnada, se considerar presentes os
pressupostos relativos à plausibilidade jurídica da argüição e à
possibilidade de que a sua aplicação venha acarretar danos irreparáveis
ou de difícil reparação.

34 No Brasil, o modelo doutrinário de invalidação de atos eivados de


inconstitucionalidade remonta ao que fora adotado na Inglaterra,
quando, pela primeira vez, a Suprema Corte daquele país enfrentou, no
célebre caso Marbury versus Madison, a discussão a respeito da
incompatibilidade de lei em face da Constituição. Nesse leading case,
multicitado pelos constitucionalistas pátrios e estrangeiros, o juiz
Marshall faz expressa opção no sentido de prestigiar o comando
constitucional em detrimento de leis ordinárias.

35 A ação direta de inconstitucionalidade não é instrumento


juridicamente idôneo ao exame da constitucionalidade de leis ou de atos
normativos do poder público que tenham sido editados em momento
anterior ao da vigência da Constituição da República.

36 (Procurador TCE/RN – 2002) - Com a promulgação da Constituição


da República de 1988, o controle de constitucionalidade incidental,
concreto ou difuso, cedeu espaço ao chamado controle direto,
concentrado ou abstrato de normas. Restou evidenciada a opção do
constituinte originário pela concentração das controvérsias
constitucionais no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF). Acerca do
controle de constitucionalidade das leis e dos atos normativos, julgue os
itens subseqüentes.
37 A perspectiva de se eliminarem do ordenamento jurídico leis e atos
normativos considerados inconstitucionais faz do controle concentrado
de normas forte instrumento de defesa da ordem objetiva. No processo
de controle abstrato, diferentemente do que ocorre no modelo difuso, as
decisões são dotadas, pela sua própria natureza, de eficácia geral. O
controle concentrado caracteriza-se, ainda, pela possibilidade que tem o
autor da ação de requerer medida cautelar para suspender, de forma
imediata, a eficácia da lei ou do ato normativo impugnado.
38 É pacífica a orientação do STF no sentido da impossibilidade de se
examinar a constitucionalidade de atos regulamentares editados para
orientar a aplicação de leis, bem como de se analisar a afronta à
Constituição proveniente do direito pré-constitucional. Cabe ao STF, no
entanto, conforme se extrai de sua pacífica jurisprudência, emitir,
quando provocado de forma direta, pronunciamento definitivo sobre a
constitucionalidade do direito municipal em face da nova ordem
constitucional.
39 A ação declaratória de constitucionalidade é instrumento adequado
para afastar a insegurança jurídica — ou o estado de incerteza —
instaurada em decorrência de pronunciamentos judiciais contraditórios
da jurisdição ordinária acerca da constitucionalidade de determinada lei.
A simples existência de controvérsia doutrinária quanto à
constitucionalidade do ato legislativo impugnado não é razão suficiente
para caracterizar o estado de incerteza apto a legitimar a propositura da
ação declaratória de constitucionalidade.
40 De acordo com a Constituição da República de 1988, podem propor a
ação direta de inconstitucionalidade o presidente da República, a Mesa
do Senado Federal, a Mesa da Câmara dos Deputados, o procurador-
geral da República, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do
Brasil, a mesa de assembléia legislativa, governador de estado, partido
político com representação no Congresso Nacional e confederação
sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. O constituinte
originário optou, assim, por ampliar, de forma significativa, o chamado
controle abstrato de normas, que, no modelo anteriormente consagrado,
somente podia ser instaurado pelo presidente da República.
41 O Poder Judiciário não pode conceder a servidores públicos, sob
fundamento de isonomia, ainda que se trate de hipótese de exclusão de
benefício, a extensão, por via jurisdicional, de vantagens pecuniárias
que foram outorgadas, por lei, a determinada categoria de agentes
estatais. Tratando-se de hipótese em que se registre situação de
inconstitucionalidade por omissão parcial, decorrente de exclusão
discriminatória de benefício, com conseqüente ofensa ao princípio da
isonomia, a extensão jurisdicional do benefício pecuniário, que teria sido
indevidamente negado pelo legislador aos servidores preteridos,
encontra obstáculo no princípio da separação de poderes, consoante a
jurisprudência do STF.
QUESTÃO 2
42 (Procurador TCE/RN – 2002) - Na esteira da jurisprudência da
Suprema Corte norte-americana e de vários tribunais constitucionais
europeus, o STF vem aplicando os princípios da proporcionalidade e da
razoabilidade, ambos de conteúdo similar, na revisão judicial de atos
legislativos.

(Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - Após publicação de


lei federal que reduz o montante dos recursos repassados pela União
aos estados e municípios brasileiros para os fundos de participação dos
estados e dos municípios, respectivamente, um governador e um
prefeito ingressaram, cada um, no Supremo Tribunal Federal (STF), com
uma ação direta de inconstitucionalidade contra a referida lei.
Com base nessa situação hipotética, julgue os itens 168 e 169.
43 O STF deverá rejeitar a ação intentada pelo prefeito, tendo em vista
que ele não está legitimado pela Constituição da República para
impetrar ação direta de inconstitucionalidade contra lei federal.
44 O STF deverá rejeitar a ação intentada pelo governador, uma vez
que este está legitimado a ingressar com ação direta de
inconstitucionalidade apenas contra ato normativo estadual.

45 (Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - Acerca da ação


declaratória de constitucionalidade, julgue o item a seguir.
Não se admite, no Brasil, ação declaratória de constitucionalidade de ato
normativo estadual, se tomada a Constituição da República como
parâmetro de constitucionalidade.

(Defensor Público – Alagoas/2003) - Considerando a declaração e o


controle de constitucionalidade das leis e dos atos normativos, julgue os
itens que se seguem.
46 A declaração de nulidade das leis, no controle abstrato de normas,
pode incidir apenas em parte da norma ou sobre determinado âmbito de
aplicação.
47 Segundo a melhor doutrina, a declaração de inconstitucionalidade
sem pronúncia de nulidade tem por objetivo evitar o caos jurídico, uma
vez que uma simples declaração de nulidade minimizaria a concreção da
vontade constitucional, em vez de otimizá-la.
48 A interpretação conforme a Constituição tem relação com o controle
de constitucionalidade e caracteriza-se por um elevado grau de
flexibilidade.
49 O chamado “apelo ao legislador” ocorre quando a Corte
Constitucional reconhece que a lei ou a situação jurídica não se tornou
“ainda” inconstitucional e apela ao legislador para que corrija a situação
“ainda constitucional”.

50 (Defensor Público – Amazonas/2003) - Se o STF declarar, em sede


de controle difuso, a inconstitucionalidade de um artigo de lei estadual,
a competência para suspender a execução da norma declarada
inconstitucional não é do Senado Federal e sim do presidente da
respectiva assembléia legislativa.
51 (Defensor Público – Amazonas/2003) - Se o STF declarar, por via de
exceção, a inconstitucionalidade de dois artigos de uma lei federal, ele
poderá fazê-lo, pois a declaração de inconstitucionalidade gera, para o
Senado, a possibilidade, mas não a obrigação, de suspender a execução
dos dispositivos incidentalmente declarados inconstitucionais pelo STF.
52 (Defensor Público – Amazonas/2003) - Diferentemente do que ocorre
com as ações diretas de inconstitucionalidade, as ações declaratórias de
constitucionalidade sempre são dotadas de efeito vinculante.

(Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Com relação ao controle de


constitucionalidade dos atos normativos, julgue os itens seguintes.
53 É cabível a argüição de descumprimento de preceito fundamental
(ADPF) para retirar do mundo jurídico lei estadual publicada após a
promulgação da Constituição da República que seja lesiva a preceito
fundamental.
54 Todo controle concentrado de constitucionalidade também será um
controle em abstrato.
55 Não é cabível ação direta de inconstitucionalidade (ADIn) para
questionamento de normas municipais em face da Constituição da
República, seja no STF seja nos tribunais de justiça dos estados.
56 Ao vetar projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional, por julgá-
lo contrário à Constituição da República, o presidente da República
exerce um controle preventivo de constitucionalidade.
57 Considere a seguinte situação hipotética. O governador de Goiás
ajuizou ADIn no STF contra lei estadual do Mato Grosso do Sul que
proibia o ingresso de amianto no estado. O governador de Goiás
argumentava que a lei prejudicava seu estado, visto que este é um dos
maiores produtores de amianto do país.
Nessa situação, será reconhecida a legitimidade ativa do governador de
Goiás para o ajuizamento da ADIn, em virtude de estar presente o
requisito da pertinência temática.

58 (Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - O tribunal de justiça do


respectivo estado da Federação pode, mediante controle difuso, declarar
a inconstitucionalidade de lei, pelo voto da maioria absoluta de seus
membros, deixando de aplicá-la ao caso concreto; todavia, tratando-se
de lei complementar à Constituição da República, a lei estadual de que
trata a hipótese em consideração não se sujeita ao controle difuso de
constitucionalidade exercido pelo tribunal de justiça estadual.
59 (Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - No caso de o Supremo
Tribunal Federal (STF) ser instado a apreciar a inconstitucionalidade, em
tese, da lei estadual de que trata a hipótese em apreço, em sede de
ação direta de inconstitucionalidade, deverá citar, previamente, o
advogado-geral da União, a quem compete defender o ato ou texto
impugnado.
(Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - O art. 37 da Constituição
Federal, inserido no capítulo que cuida da administração pública, em seu
inciso VII, estabelece o seguinte: “o direito de greve será exercido nos
termos e nos limites definidos em lei específica”. O sindicato
representativo da categoria dos servidores públicos federais em
determinado município, legalmente constituído e em funcionamento há
mais de um ano, ingressou na justiça com mandado de injunção, sob a
alegação de que a falta de norma regulamentadora estaria tornando
inviável o exercício de direito garantido pela Constituição da República
em seu art. 37, inciso VII.
Em face dessa situação hipotética, julgue os itens subseqüentes.
60 O sindicato acima mencionado tem legitimidade para propor, perante
o STF, ação direta de inconstitucionalidade por omissão com o objetivo
de tornar efetiva a norma constante do inciso VII supramencionado.

61 (Técnico Judiciário - TJDFT – 2003) - Ao julgar uma lide em primeira


instância, o juiz estadual negou aplicação a uma lei federal, entendendo
que o Congresso Nacional, ao elaborá-la, ofendeu a Constituição da
República.
Considerando essa situação hipotética, assinale a opção correta.
A O juiz estadual, por motivo de inconstitucionalidade, só pode deixar
de aplicar leis municipais e estaduais, mas não as federais.
B Somente o Supremo Tribunal Federal (STF) pode declarar a
inconstitucionalidade de leis.
C No Brasil, vigora o sistema difuso de controle de constitucionalidade,
em razão do qual juízes e tribunais podem afastar a aplicação de
qualquer lei considerada inconstitucional.
D A decisão do juiz será válida, se proferida em ação direta de
inconstitucionalidade.
E A decisão do juiz terá eficácia para todos os cidadãos que se sentirem
prejudicados pela mesma lei federal.

62 (Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - No controle


concentrado de constitucionalidade, a medida cautelar concedida em
ação direta de inconstitucionalidade tem efeito vinculante e produz
efeitos ex nunc, salvo se o Supremo Tribunal Federal (STF) entender
que deva conceder-lhe eficácia retroativa.
63 (ACE – TCU – 2004) - Todas as leis elaboradas de acordo com o
processo legislativo estabelecido na Constituição Federal de 1988, por
serem atos normativos primário, só podem ser objeto de controle
concentrado de constitucionalidade, por meio de ação direta de
inconstitucionalidade genérica.

64 (ACE – TCU – 2004) - A adoção do controle de constitucionalidade


por meio de julgamento de ação direta de inconstitucionalidade pelo STF
foi estabelecida por emenda à Constituição Federal de 1946.

65 (Analista de Assuntos Jurídicos – SERPRO/2004) - A decisão


definitiva em ação declaratória de inconstitucionalidade de lei produz
eficácia contra todos e efeito vinculante, relativamente aos demais
órgãos do Poder Judiciário e do Poder Executivo, operando em qualquer
caso efeitos ex tunc, isto é, retroagindo à data de publicação do ato
legislativo, uma vez que os atos inconstitucionais são nulos e, portanto,
destituídos de qualquer carga de eficácia jurídica.

66 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - O governador do Pará tem


legitimidade para propor, perante o Supremo Tribunal Federal (STF),
ação direta de inconstitucionalidade (ADIn) contra lei estadual que viole
a Constituição da República.

67 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - Se o Supremo Tribunal


Federal (STF) declarar, por via de exceção, a inconstitucionalidade de
uma lei do estado do Pará, essa decisão terá efeitos erga omnes a partir
da data da publicação do acórdão.

(Defensor Público da União – 2004) - Julgue os itens que se seguem,


relativamente ao controle da constitucionalidade.
68 O decreto de caráter estritamente regulamentar pode ser objeto
válido do controle concentrado de constitucionalidade.
69 Considerando que a Constituição da República atribuiu efeitos
vinculantes apenas para a decisão do STF em ação declaratória de
constitucionalidade, os julgamentos dessa corte em ação direta de
inconstitucionalidade, acaso descumpridos, não dão ensejo ao
ajuizamento de reclamação.
70 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - O sistema brasileiro de controle
judicial de constitucionalidade combina as formas concentrada e difusa
de apreciação da compatibilidade das normas com a Constituição. Na via
difusa, todos os juízes e tribunais podem, nos processos de sua
competência, exercer tal controle. O controle concentrado, por sua vez,
realiza-se sempre que o Supremo Tribunal Federal (STF) julga a
constitucionalidade de uma norma jurídica qualquer.

71 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - Com exceção do STF, nenhum


tribunal de justiça ou qualquer outro órgão do Poder Judiciário tem
competência para julgar argüição de descumprimento de preceito
fundamental. Ademais, lei ordinária não pode atribuir aos tribunais de
justiça competência para apreciar tal ação.

72 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - Não compete ao STF julgar ação


direta de inconstitucionalidade contra lei municipal inconstitucional, seja
em face da Constituição da República, seja da Constituição Estadual;
nada impede, porém, que, uma vez atendidos os requisitos processuais
aplicáveis, aquele tribunal julgue essa mesma matéria em virtude de
interposição de recurso extraordinário.

73 A (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Cabe argüição de


descumprimento de preceito fundamental para declarar a
inconstitucionalidade de lei municipal perante o STF.

74 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Como regra , a liminar em ação


direta de inconstitucionalidade perante o STF produz efeitos ex tunc.

75 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - O STF pode, por decisão da maioria


absoluta de seus membros , em ação de controle concentrado de
constitucionalidade, determinar a juízes e tribunais de todo o país que
suspendam o andamento de processos ou os efeitos de decisões
judiciais.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Considerando a moderna


hermenêutica constitucional e o papel do Poder Judiciário no
desenvolvimento do direito, julgue os itens que se seguem.
76 A interpretação conforme a Constituição, como técnica alternativa de
decisão no controle abstrato de constitucionalidade, permite à Corte,
sem invalidar o texto da norma, restringir-lhe o alcance, com efeito
vinculante.
77 O STF, como guardião da Magna Carta, tem legitimidade para
invalidar norma constitucional originária, de modo a manter a unidade
da Constituição.
QUESTÃO 5
(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Considerando o sistema misto de
controle de constitucionalidade vigente no Brasil e os poderes dos
juízes, julgue os seguintes itens.
78 Ação civil pública, com causa de pedir fundada em
inconstitucionalidade de lei estadual, deve ser extinta por
impossibilidade jurídica.
79 Muito embora possa um juiz, para julgar a lide, afastar a aplicação
de lei federal sob o fundamento de sua inconstitucionalidade, o órgão
fracionário do tribunal não o pode fazer, salvo se o dispositivo legal
questionado já tiver sido objeto de invalidação pelo respectivo tribunal
pleno ou seu órgão especial, ou, ainda, pelo STF.
UESTÃO 8
80 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - A reserva de plenário para
declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo é imperativa
tanto no controle concentrado como no controle difuso de
constitucionalidade. Mas é certo que, em sede de controle abstrato,
tendo em vista razões de segurança jurídica ou de excepcional interesse
social, são necessários oito votos para o STF restringir os efeitos da
declaração de inconstitucionalidade ou decidir que ela só tenha eficácia
a partir de seu trânsito em julgado ou de outro momento que venha a
ser fixado.

81 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Para doutrina que não é


acolhida pela jurisprudência pacífica do STF, na ação direta de
inconstitucionalidade, a causa petendi pode ser desconsiderada e
suprida por outra.

82 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - De acordo com a


jurisprudência do STF, em matéria de controle de constitucionalidade,
não tem efeito vinculante
A a decisão de improcedência na ação declaratória de
constitucionalidade.
B a decisão que, julgando a ação direta de inconstitucionalidade, dá à
norma impugnada interpretação conforme a Constituição.
C o julgamento do plenário do STF, na ação direta de
inconstitucionalidade, quando cinco ministros tenham-se pronunciado
pela inconstitucionalidade e quatro, pela constitucionalidade.
D o julgado em que o STF tenha adotado a técnica da declaração parcial
sem redução de texto.
E a liminar proferida em ação direta de inconstitucionalidade.
QUESTÃO 86
83 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Acerca da ação
direta de inconstitucionalidade (ADIn), julgue os itens a seguir.
I No estado do Tocantins, os prefeitos podem propor ADIn de leis
municipais ou estaduais por afronta à Constituição Estadual.
II É possível a declaração de constitucionalidade de lei estadual em face
da Constituição Estadual, pelo tribunal de justiça, mesmo que o
parâmetro de julgamento seja cópia da Constituição Federal.
III A declaração de inconstitucionalidade de dispositivo da Constituição
local, pelo STF, propicia ao Procurador-Geral de Justiça o uso da
reclamação perante o tribunal de justiça local, para assegurar o respeito
à decisão da excelsa corte.
IV Qualquer lei formalmente aprovada pode ser objeto de controle de
constitucionalidade abstrato, seja no STF, seja no tribunal de justiça.
V A omissão do dever de editar norma estadual não pode ensejar ação
direta de inconstitucionalidade no STF.
Estão certos apenas os itens
A I e II.
B I e IV.
C II e III.
D III e V.
E IV e V.
QUESTÃO 87

(Delegado da Polícia Federal – 2004 – Regional) - Uma proposta de


emenda à Constituição, apresentada com o apoiamento de 250
deputados, tem por conteúdo alteração das competências da Polícia
Federal, retirando-lhe a função de polícia de fronteira — art. 144, § 1.º,
III, parte final — e transferindo essa competência para o Exército
brasileiro. Admitindo que essa proposta de emenda à Constituição,
observadas as regras constitucionais relativas ao processo legislativo
desse tipo de proposição, venha a ser aprovada e promulgada, julgue os
itens a seguir.
84 A Associação de Delegados de Polícia do Brasil (ADEPOL), que
congrega em seu corpo de associados tanto associações de delegados
de polícia como pessoas físicas, poderia ingressar com uma ação direta
de inconstitucionalidade (ADI) em relação à emenda hipoteticamente
aprovada, uma vez que a Constituição Federal lhe assegura legitimidade
ativa para tal e há pertinência temática entre os seus objetivos e a
matéria da ADI.

85 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Acerca do controle de


constitucionalidade das leis municipais e estaduais, assinale a opção
correta.
A Qualquer juiz ou órgão fracionário do tribunal de justiça pode,
livremente, afastar a aplicação de lei municipal ou estadual, declarando
incidenter tantum sua inconstitucionalidade.
B O STF, por ser órgão pleno, jamais pode declarar a
inconstitucionalidade de lei municipal.
C As leis estaduais podem ser objeto de controle abstrato de
constitucionalidade tanto no tribunal de justiça como no STF, mas terão,
necessariamente, parâmetros formais diversos.
D Possui efeito vinculante a decisão proferida pelo tribunal de justiça
tanto no controle difuso quanto no controle concentrado de
constitucionalidade de lei municipal.
E No Ceará, o defensor-geral da Defensoria Pública não tem legitimidade
para propor representação de inconstitucionalidade de lei local, perante
o respectivo tribunal de justiça.
QUESTÃO 8
86 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - A declaração de
constitucionalidade ou de inconstitucionalidade pelo Supremo Tribunal
Federal (STF), inclusive a interpretação conforme a Constituição, e a
declaração parcial de inconstitucionalidade sem redução de texto
possuem eficácia contra todos e efeito vinculante em relação aos órgãos
do Poder Judiciário e à administração pública federal, estadual e
municipal.

87 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - No estado de Roraima, são


legitimados para propor ação direta de inconstitucionalidade de lei ou
ato normativo estadual ou municipal contestado em face da Constituição
estadual: o governador do estado, a Mesa da Assembléia Legislativa, o
procurador-geral de justiça, o Conselho Secional da Ordem dos
Advogados do Brasil, os partidos políticos com representação na
Assembléia Legislativa, as federações sindicais e entidades de classe de
âmbito nacional ou estadual, os prefeitos e as mesas das câmaras
municipais.

Gabarito:

1. C

2. E

3. E

4. E

5. C

6. C

7. C

8. E

9. E

10. E

11. C

12. C

13. E

14. C

15. E

16. C

17. C

18. E

19. E
20. C

21. *

22. E

23. E

24. C

25. C

26. C

27. C

28. C

29. E

30. E

31. C

32. C

33. C

34. E

35. C

36.

37. C

38. E

39. C

40. E

41. C

42. C

43. C
44. E

45. C

46. C

47. C

48. C

49. C

50. E

51. C

52. E

53. E

54. E

55. C

56. C

57. C

58. E

59. C

60. E

61. C

62. C

63. E

64. C

65. E

66. C

67. E
68. E

69. E

70. E

71. C

72. C

73. C

74. E

75. C

76. C

77. E

78. E

79. C

80. C

81. E

82. C

83. A

84. E

85. C

86. C

87. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

1 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - O Federalismo constitui um dos


fundamentos da República Federativa do Brasil.

Considerando a hermenêutica dos princípios fundamentais e a ordem


pública, julgue os itens abaixo.
2 (Defensor Público – Alagoas/2003) - O conceito de ordem pública
alcança tanto o de soberania nacional quanto o de bons costumes,
sendo que estes estariam situados em um plano mais próximo da
moralidade, enquanto aqueles estariam mais próximos da política.
3 (Defensor Público – Alagoas/2003) - Considere a seguinte situação
hipotética.
Valendo-se do regulamento da sua empresa, o diretor-presidente de
uma fábrica de roupas íntimas femininas sujeitava suas empregadas a
revista pessoal, com despimento de roupas íntimas (sutiãs e calcinhas),
sob ameaça de despedimento por justa causa. Denunciado pelo
Ministério Público, na forma do art. 146 do Código Penal, por
constrangimento ilegal, foi o diretor-presidente condenado a pena de
multa, entendendo-se, entre outros argumentos, que a revista violava a
dignidade humana.
Nessa situação, houve fundamento no princípio da dignidade da pessoa
humana, mas não significou que a decisão condenatória, implicitamente,
considerou o fato como violador da ordem pública.
4 (Defensor Público – Alagoas/2003) - É correto afirmar que o princípio
da ordem pública tem a sua relatividade e instabilidade que evolui no
tempo e no espaço de acordo com as mudanças sociais e somente se
negará aplicação de uma lei nacional ou estrangeira que seja ofensiva à
ordem pública à época em que se vai decidir o caso concreto.

5 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - Por ser o Brasil uma


república, seria inconstitucional a criação de funções públicas
hereditárias.

6 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Com base na determinação


constitucional de que os poderes sejam independentes e harmônicos
entre si, é correto argumentar que, quanto à legalidade e à
legitimidade, o Poder Judiciário não está sujeito à fiscalização
operacional e patrimonial mediante controle externo.

7 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - A partir da


aplicação dos princípios gerais que regem a concepção do sistema de
freios e contrapesos na Constituição da República, é possível deduzir
controles entre os poderes que não estejam expressos no texto
constitucional.

8 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - O estado de Roraima, no


âmbito do seu poder de autoorganização, não está impedido de instituir
o regime parlamentar de governo.

9 (Técnico Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Enquanto o


território estatal constitui o limite espacial no qual se exerce efetiva e
exclusivamente o poder de Estado, configurando o âmbito de validade
jurídica, a forma de Estado é o modo de exercício desse poder em
função também da unidade ou da multiplicidade organizativa.

10 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - O


autogoverno é característica da autonomia estadual quando pode
montar autonomamente seus poderes e eleger seus representantes.

Gabarito:

1. E

2. C

3. E

4. C

5. C

6. E

7. E

8. E

9. C
10. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE

DIREITOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS – ART 5º

1 (Fiscal de Tributos Estaduais – Alagoas/2002) - Os integrantes de um


partido político poderão reunir-se pacificamente e sem armas em praça
pública para discussão de assuntos internos do partido, desde que
nenhuma outra reunião seja designada para o mesmo local. Há
exigência, ainda, de aviso prévio à autoridade competente, não sendo
necessária autorização.

(Auditor do TCDF/2002) - No A perspectiva histórica dos direitos do


homem tem íntima relação com o surgimento do Estado moderno
constitucional e pode ser ligada à própria história da limitação do poder.
Acerca das concepções, dos conceitos e do desenvolvimento dos direitos
humanos, julgue os itens seguintes.

2 Não obstante a diversidade semântica utilizada pela Constituição da


República de 1988, há consenso entre os doutrinadores de que a
expressão direitos humanos refere-se aos direitos reconhecidos e
positivados na esfera constitucional de determinado Estado, ao passo
que direitos fundamentais identifica-se com o termo direitos naturais,
referindo-se àquelas posições jurídicas válidas para todos os povos, em
todos os tempos, por serem próprias da condição humana, não-
vinculadas a uma ordem constitucional específica.

3 A doutrina jusnaturalista, inspirada no pensamento de Santo Tomás


de Aquino, reconhecia a existência de duas ordens distintas —, uma
formada pelo direito natural, como expressão da natureza racional do
homem; a outra, pelo direito positivo —, sustentando, outrossim, que a
desobediência ao direito natural por parte dos governantes poderia
ensejar o exercício do direito de resistência dos súditos oprimidos.

4 A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 1789, de


inegável inspiração jusnaturalista, reconhecia direitos inalienáveis,
invioláveis e imprescritíveis a todos os homens, e não apenas a uma
casta, especialmente os direitos à liberdade, à propriedade e à
segurança.
5 O direito de participar do bem-estar social, nas palavras de Celso
Lafer, impõe outorgar ao indivíduo prestações estatais como assistência
social, saúde, educação, proteção ao trabalho etc. Somente no século
XX, esses direitos a prestações positivas acabaram sendo consagrados
nas constituições, o que revela uma transição entre as liberdades
formais clássicas e as liberdades materiais concretas.

6 Em razão do princípio da máxima efetividade dos direitos


fundamentais, o legislador infraconstitucional não os pode limitar sem
expressa autorização constitucional.

QUESTÃO 6

7 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - O juiz de


direito de determinado município ordenou que se abrisse a
correspondência de um trabalhador rural, sob o fundamento de que a
informação constante desta era importante para fins de investigação
criminal. Nessa situação, não assiste razão ao juiz, já que não se trata
de interceptação telefônica.

8 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - O presidente


de uma associação de bairro entrou com ação contra um determinado
morador daquela localidade, exigindo que o mesmo se associasse à
referida entidade, sob o fundamento de que sem ele determinadas
medidas não poderiam ser tomadas na associação e no local referido.

O juiz julgou procedente a ação, mesmo considerando que não se


tratava de interesse público. Nessa situação, a sentença prolatada pelo
órgão judiciário foi procedente, pois o direito não excluirá da apreciação
do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito.

9 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Uma senhora,


reconhecidamente pobre, ao registrar sua filha no cartório de registro
civil, nada pagou. Ao chegar em casa, seu esposo lhe disse que ela tinha
lesado o patrimônio público, já que nem a taxa mínima exigida havia
pago. Nessa situação e conforme o direito brasileiro, foi improcedente a
afirmação do esposo.

10 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Sob a vigência


da Constituição da República de 1988, durante guerra contra país
vizinho, um soldado brasileiro que atuava na fronteira com esse país
favoreceu o inimigo, ofertando serviço de espionagem. O juízo
competente condenou o soldado à morte. Respeitado o prazo de sete
dias de comunicação para o presidente, que não concedeu graça, a
sentença foi executada, com as formalidades previstas. Nessa situação,
foi lícita a condenação.

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Julgue os itens


abaixo, relativos aos direitos e garantias fundamentais.

11 O princípio constitucional segundo o qual todos são iguais perante a


lei, sem distinção de sexo, não exclui a possibilidade do tratamento
diferenciado.

12 O princípio da reserva legal, genérico e abstrato, atua sobre campos


materiais ampliados, envolvendo também aspectos formais circulantes
no espectro de produção normativa dos três poderes.

13 A Constituição da República de 1988 condena a prática de tortura,


mas tal dispositivo pode ser considerado como norma constitucional de
eficácia limitada, já que requer a produção de norma que o defina
plenamente.

14 Ofende a intimidade do cidadão brasileiro todo aquele que praticar


ato lesivo ao mesmo com reflexos nas relações familiares, de amizade,
comerciais e de trabalho.

15 A chamada cláusula de reserva jurisdicional consiste na possibilidade


de que um dos poderes pratique ato de invasão domiciliar.

QUESTÃO 55

16 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Considerando que a


Constituição da República estabelece como cláusulas pétreas os direitos
e garantias individuais, em respeito ao princípio hermenêutico geral de
que exceções devem ser objetos de interpretação estrita, deve-se
interpretar que apenas os direitos de primeira geração configuram
cláusulas pétreas e, portanto, propostas de emenda constitucional
tendentes a abolir direitos sociais podem ser objeto de deliberação do
Congresso Nacional.

17 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Não violaria o direito


constitucional à intimidade e à vida privada lei complementar que
atribuísse ao Ministério Público da União (MPU) competência para
requisitar informações bancárias e fiscais de pessoas que estivessem
sendo investigadas por desvio de dinheiro público, desde que essa lei
estabelecesse que a informação fornecida manteria seu caráter sigiloso
e somente poderia ser utilizada no estrito exercício das competências do
MPU.

18 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Como o duplo grau de


jurisdição é um direito garantido na Constituição da República, seria
inconstitucional lei que conferisse a órgão estatal competência para
proferir decisões que envolvessem aplicação de sanções e fossem
irrecorríveis.

19 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - Na disciplina estabelecida pela


Constituição da República de 1988, é assegurada a liberdade de
manifestação do pensamento, garantido o direito ao anonimato.

20 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - Na ordem constitucional vigente no


Brasil, há, além da previsão genérica do direito de propriedade, outras
normas que tutelam tipos especiais de propriedade, como a propriedade
de recursos minerais, a propriedade urbana, a propriedade rural e a
propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora de sons e
imagens.

21 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - A previsão de garantias


institucionais é conquista do constitucionalismo liberal; a eficácia de tais
garantias foi questionada a partir da estipulação, nas constituições
escritas, dos chamados direitos sociais, ou direitos de segunda geração.

22 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - É garantida pela Constituição da


República de 1988, como direito individual, a impenhorabilidade da
pequena propriedade, desde que situada em área rural e explorada em
regime de empresa rural.

(Procurador TCE/RN – 2002) - Em setembro de 2001, foi publicada a


Emenda Constitucional (EC) n.º 32, que regulamenta a edição de
medida provisória (MP) pelo presidente da República. Houve alterações
nessa espécie normativa da competência do chefe do Poder Executivo,
com o acréscimo de 12 parágrafos ao artigo 62 da Constituição da
República. Especificamente em torno dos limites materiais impostos à
MP, foi atendida velha reivindicação da doutrina, que exigia clareza do
texto constitucional quanto às matérias acerca das quais poderia a MP
ser utilizada. A respeito dessa espécie normativa excepcional,
transitoriamente investida de força de lei, julgue os itens a seguir.

23 A MP não poderá tratar de assunto reservado ao campo de lei


complementar nem versar acerca de matéria que vise à detenção ou ao
seqüestro de bens, de poupança popular ou qualquer outro ativo
financeiro.

24 As MPs perderão eficácia, desde a edição, se não forem convertidas


em lei no prazo de sessenta dias, contado da sua publicação,
prorrogável uma única vez por igual período. Se o Congresso Nacional
estiver em recesso, o prazo de eficácia da MP não será suspenso,
devendo o Parlamento ser convocado extraordinariamente para apreciá-
la.

25 Com o advento da EC n.º 32, passou a ser admitida a reedição, na


mesma sessão legislativa, uma única vez, de MP que tenha sido
rejeitada ou que tenha perdido a eficácia por decurso de prazo.

26 Se o Congresso Nacional não editar, no prazo de sessenta dias após


a rejeição ou perda de eficácia da MP, decreto legislativo que discipline
as relações jurídicas nascidas em sua vigência, estas permanecerão por
ela regidas. O Congresso Nacional passa, assim, a ter o ônus de legislar
acerca das relações jurídicas surgidas durante a vigência de MPs não-
convertidas em lei, sob pena de manter-se a regulação presidencial
sobre elas.

27 Verifica-se substancial mudança quanto à competência para a


apreciação de MP editada pelo presidente da República. Antes, era ela
submetida ao crivo do Congresso Nacional, deliberando as duas Casas
legislativas em sessão conjunta. Atualmente, a competência para
apreciação passou a ser das duas Casas separadamente, impondo-se,
inclusive, que a votação tenha início no Senado Federal. Isso traz ao
governo imensa vantagem em relação ao sistema anterior, em que o
processo legislativo se dava pelas regras do regime comum. O chefe do
Poder Executivo passa a ter duas frentes de atuação, uma no Senado e
outra na Câmara.

28 (Procurador TCE/RN – 2002) - Os direitos fundamentais não se


revestem de caráter absoluto, podendo ser, inclusive, restringidos,
desde que, para tanto, seja resguardado o seu núcleo essencial,
utilizado o instrumento próprio e observado o princípio da
proporcionalidade/razoabilidade. Tomando-se por base a norma de
direito fundamental que prevê a liberdade do exercício de atividade
profissional, não será destituído de razoabilidade ato legislativo que
exija qualificação especial para aqueles que pretendam exercer, por
exemplo, a Medicina. Os interesses em jogo são, portanto, a liberdade
profissional e a saúde pública, prevalecendo esta na hipótese
mencionada.

29 (Procurador TCE/RN – 2002) - A era dos chamados direitos políticos


teve início com a Revolução Francesa e com a aprovação da primeira
declaração dos direitos do homem. A marca registrada desse período
está na consciência da imperiosa necessidade de se estabelecerem
limites ao poder do Estado. A preocupação, no entanto, não foi capaz de
frear a tendência de, partindo-se do individualismo jurídico, chegar-se
aos estados totalitários. O individualismo jurídico demonstrou
claramente a sua disfunção, porque passou a traduzir os interesses de
uma classe determinada, deixando à margem um grupo de pessoas
desiguais. O amadurecimento de novas exigências ou de novos valores,
tais como o bem-estar e o interesse na manutenção de uma igualdade
que transcende a fronteira do Estado, fizeram explodir uma nova era, a
dos chamados direitos sociais, como o direito à liberdade, à
propriedade, à educação, ao pleno emprego e à segurança.

(Defensor Público – Alagoas/2003) - Os direitos fundamentais possuem


quatro dimensões básicas, que a doutrina de Bobbio consagrou como
gerações de direito. Menciona-se o termo dimensão, pois se considera o
alerta de Antonio Cançado Trindade para o reducionismo do termo
geração, no sentido de que este fornece uma idéia de que os direitos
nascem e morrem quando em verdade são indivisíveis e
interdependentes, sobrevivendo com o passar do tempo. Impossível ter
direito à liberdade sem direitos econômicos e sociais. Além disso,
sempre se concebe o direito fundamental como detentor de uma
garantia, embora alguns direitos já se revelem em si mesmos como tal.

Acerca desse tema e considerando o texto acima, julgue os itens a


seguir.

30 São considerados direitos fundamentais de primeira geração os


direitos civis e políticos, que correspondem, em um quadro histórico, à
fase inicial do constitucionalismo no ocidente.

31 Os direitos de primeira geração consagram a titularidade no


indivíduo, porém não podem ser traduzidos em forma de oposição ao
Estado, uma vez que são atributos da pessoa humana e não se
enquadram na categoria de status negativus.

32 De acordo com a boa doutrina, a concepção de direitos fundamentais


que contêm garantias institucionais de liberdade deve ser recebida com
certa cautela, pois o direito de liberdade, ao contrário do que acontece
com a propriedade, não está suscetível de institucionalização em termos
de garantia.

33 O direito de comunicação pode ser enquadrado no rol dos direitos de


terceira dimensão ou geração.

34 (Defensor Público – Amazonas/2003) - Na norma constitucional que


determina ser a casa asilo inviolável do indivíduo, a palavra “casa”
significa imóvel voltado precipuamente a fins residenciais e, portanto, a
inviolabilidade domiciliar não se aplica a imóveis com finalidade
eminentemente comercial, tais como o escritório de um advogado ou o
consultório de um médico.

(Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Com relação aos direitos e


deveres fundamentais, julgue os itens subseqüentes.

35 Segundo entendimento do STF, o Ministério Público pode requisitar


diretamente, ou seja, sem intervenção judicial, informações revestidas
de sigilo bancário ou fiscal quando se tratar de verbas públicas.

36 Considere a seguinte situação hipotética.

Um delegado de polícia gravou conversa telefônica entre um preso e seu


comparsa, que estava solto, com a ciência do interlocutor preso.

Nessa situação, a gravação poderá ser utilizada como prova contra o


interlocutor insciente, pois foi obtida licitamente.

37 Embora o art. 2.º, § 1.º, da Lei n.º 8.072/1990 — Lei dos Crimes
Hediondos — disponha que as penas ali previstas serão cumpridas
integralmente no regime fechado, o STF considerou inconstitucional esse
dispositivo, por afrontar o princípio da individualização da pena, previsto
no art. 5.º da Constituição da República.

38 Considere a seguinte situação hipotética.

Um agente de polícia civil impetrou mandado de segurança contra ato


administrativo de seu superior — que lhe aplicou sanção disciplinar —
sob o argumento de que a sanção disciplinar, apesar de aplicada por
autoridade competente e com observância das formalidades essenciais,
era ilegal, visto que fora motivada por vingança.

Nessa situação, a ação não deverá ser conhecida, em razão de que,


segundo lei pertinente, não se dará mandado de segurança quando se
tratar de ato disciplinar, salvo quando praticado por autoridade
incompetente ou com inobservância de formalidade essencial.

(Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - O caput e o parágrafo 3.º do art.


225, da Constituição da República, ao estabelecerem disposições
atinentes ao meio ambiente, preceituam o seguinte:

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente


equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade
de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de
defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

§ 3.º As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente


sujeitarão os infratores, pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e
administrativas, independentemente da obrigação de reparar os danos
causados.

Determinado estado da Federação editou lei complementar à


Constituição da República, cominando as sanções penais e
administrativas aplicáveis às pessoas físicas e jurídicas, em decorrência
das condutas lesivas ao meio ambiente.

Com base nas disposições constitucionais e na situação hipotética


acima, julgue os itens seguintes.

39 O direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, de que trata


o texto, representa a consagração constitucional de um típico direito
fundamental de terceira geração; tal geração de direitos, denominados
pela doutrina de direitos de solidariedade ou direitos de fraternidade,
são assim chamados porque a sua efetividade está vinculada à
necessidade de cooperação dos povos e dos países.

40 (Analista Judiciário – Área Judiciária – Ativ. Proces. – TJDFT – 2003)


- A hipótese não configura a gravação da conversa telefônica própria por
um dos interlocutores — cujo uso como prova o Supremo Tribunal
Federal (STF), em dadas circunstâncias, tem julgado lícito — mas, sim,
escuta e gravação por terceiro de comunicação telefônica alheia, ainda
que com a ciência ou mesmo a cooperação de um dos interlocutores. A
prova obtida mediante a escuta gravada por terceiro de conversa
telefônica alheia é patentemente ilícita em relação ao interlocutor
insciente da intromissão indevida, não importando o conteúdo do
diálogo assim captado.

Considerando que o trecho acima transcrito foi extraído de um habeas


corpus hipotético, que teria sido julgado pela Primeira Turma do STF, no
segundo semestre de 2001, sabendo que a mencionada gravação foi
efetuada sem prévia autorização judicial e supondo que, na hipótese em
apreço, o paciente estava preso na data do julgamento, assinale a
opção incorreta.

A A prova mencionada no texto não pode ser usada em juízo visto que a
Constituição Federal estabelece expressamente que são inadmissíveis,
no processo, as provas obtidas por meios ilícitos.

B Independentemente de estar preso ou em liberdade, a Constituição


Federal assegura, ao paciente a que se refere o texto, o contraditório e
a ampla defesa, com os meios e recursos inerentes.

C Caso a prova mencionada seja a única prova constante do processo, o


habeas corpus deverá ser concedido, uma vez que tal remédio
constitucional é cabível sempre que alguém sofrer ou se achar
ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção,
por ilegalidade ou abuso de poder.

D Ainda que ilícita, a situação descrita não caracteriza infringência à


garantia constitucional do sigilo das comunicações telefônicas, cujo
registro é admissível como prova, para fins de investigação criminal ou
instrução processual penal.

E De acordo com a teoria dos frutos da árvore envenenada, a prova


ilícita originária contamina as demais provas dela decorrentes, sendo
todas elas inadmissíveis no processo.
QUESTÃO 28

41 (Técnico Judiciário - TJDFT – 2003) - Julgue os itens abaixo, acerca


de princípios constitucionais.

I Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa em


virtude de lei: esta idéia expressa o princípio da legalidade.

II A lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a


direito: esta é a expressão do princípio da proteção judiciária.

III A lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a


coisa julgada; nesses casos, está sendo protegida a segurança jurídica.

IV Em face da previsão constitucional de que as provas obtidas por


meios ilícitos são inadmissíveis no processo, o juiz deve desconsiderar
tais provas, podendo condenar o réu se existirem outras, lícitas,
suficientes para tanto.

V Ao prescrever que não há crime sem lei anterior que o defina, nem
pena sem prévia cominação legal, a Constituição da República impede
que crimes e penas sejam disciplinados por decretos.

A quantidade de itens certos é igual a

A 1. B 2. C 3. D 4. E 5.

QUESTÃO 33

42 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TRE/RS – 2003) - Sabendo


que a Lei n.º 9.455/1997 tipifica como tortura submeter alguém sob sua
guarda, poder ou autoridade, a violência ou grave ameaça a fim de
obter informação, declaração ou confissão, considere a seguinte
situação hipotética.

Em determinada delegacia, a advogada de uma mulher argumentou que


o marido desta a forçara, sob tortura, a confessar algo que ela não teria
feito. O caso foi levado ao Ministério Público, cujo entendimento foi o de
que não se tratava de tortura, mas de outro crime, uma vez que não se
pode dizer que a mulher está submetida a guarda, poder ou autoridade
do marido, sob pena de descumprimento de direito fundamental.

Nessa situação, foi acertada a interpretação do Ministério Público.


(Analista de Assuntos Jurídicos – SERPRO/2004) - Julgue os seguintes
itens, referentes aos direitos e às garantias fundamentais.

43 O brasileiro naturalizado somente será extraditado no caso da prática


de crime comum antes da naturalização ou de comprovado
envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na
forma da lei. No primeiro caso, entretanto, a jurisprudência do Supremo
Tribunal Federal (STF) tem entendido não ser possível a extradição caso
o ato ilícito seja crime no ordenamento jurídico estrangeiro e
contravenção no Brasil.

44 A lei que organiza e institui o tribunal do júri deve assegurar a


plenitude de defesa, o sigilo das votações, a soberania dos veredictos e
a competência para julgamento dos crimes dolosos contra a vida, sendo
vedada a inserção de outros tipos penais nesta competência.

45 A lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça


a direito; entretanto, no que concerne a processos administrativos, a
existência de recurso com efeito suspensivo impede o ajuizamento de
ação em face da inexistência do interesse de agir.

46 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - O repúdio ao terrorismo é


um dos princípios fundamentais da República Federativa do Brasil, no
tocante a suas relações internacionais.

47 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - A Constituição da


República estabelece o direito ao contraditório como uma garantia
fundamental tanto nos processos judiciais quanto nos processos
administrativos.

48 (Defensor Público da União – 2004) - Em relação aos direitos e


deveres individuais e coletivos e rigorosamente de acordo com o texto
constitucional, não seria admissível uma passeata de policiais em greve,
tampouco uma assembléia deles em logradouro público, uma vez que
esses servidores trabalham armados, por exigência da profissão.

49 (Defensor Público da União – 2004) - Não obstante a garantia da


segurança jurídica e a antiga proibição da lei ex post facto, a
Constituição da República não proíbe, por completo, a retroatividade das
leis penais.

50 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - À luz dos princípios constitucionais


e tendo em vista interceptação telefônica, duplo grau de jurisdição,
condenação por danos morais e direito de resposta, assinale a opção
correta.

A A interceptação telefônica pode ser determinada por juiz para fins de


instrução de ação de improbidade administrativa.

B A garantia do devido processo legal assegura às partes direito ao


duplo grau de jurisdição.

C O valor da condenação por danos morais depende, entre outros


fatores, da capacidade econômica do ofensor e do ofendido.

D O direito de resposta do ofendido por meio da imprensa exige


ajuizamento de ação judicial específica para esse fim.

QUESTÃO 3 7

51 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Nos termos da Constituição Federal,


os direitos e garantias fundamentais referem- se a brasileiros e a
estrangeiros, residentes ou não.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Considerando a evolução dos direitos


fundamentais, julgue os itens a seguir.

52 No modelo de estado social, cunhado no século XX, o


intervencionismo estatal propiciou proteção a direitos dependentes de
prestações positivas.

53 Enquanto os direitos de primeira geração foram reconhecidos a todos


os indivíduos na democracia ateniense, os direitos de segunda geração
ou dimensão, conhecidos como direitos de defesa do indivíduo frente ao
Estado, são conquistas das revoluções francesa e americana.

QUESTÃO 6

(Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Julgue os itens a seguir,


relativos aos direitos e garantias individuais, à nacionalidade e à
cidadania.
54 A Constituição proíbe a extradição de estrangeiro por crime político
ou de opinião, assim como, em caráter absoluto, a extradição de
brasileiros.

55 Em tempo de paz, os direitos de liberdade de locomoção e de


liberdade de reunião somente podem ser afastados mediante prévia e
fundamentada decisão judicial.

56 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Na interpretação


das normas constitucionais e infraconstitucionais que versam sobre
direitos fundamentais, o STF tem admitido

A a possibilidade de tratados internacionais serem recepcionados, na


ordem jurídica brasileira, com status de lei complementar.

B habeas corpus para desentranhamento de prova ilícita em


procedimento penal.

C a garantia do duplo grau de jurisdição, mesmo quando o processo


criminal deva ser julgado originariamente em tribunal.

D a condução coercitiva do suposto pai biológico para a realização de


exame de DNA, em se tratando de processo de investigação de
paternidade.

E a quebra do sigilo bancário, em se tratando exclusivamente de


instrução de processo criminal.

(Delegado da Polícia Federal – 2004 – Regional) - A Polícia Federal, em


cumprimento a mandado judicial, promoveu busca e apreensão de
documentos, computadores, fitas de vídeo, discos de DVD, fotos e
registros em um escritório de uma empresa suspeita de ligação com
tráfico organizado de drogas, grilagem de terras, falsificação de
documentos e trabalho escravo. A ação, realizada em um estado do
Nordeste — onde amanhece às 6 h e anoitece às 18 h —, iniciou-se às 6
h 15 min e prolongou-se até as 20 h. Os advogados dos proprietários da
empresa constataram, pelo horário constante do auto de apreensão,
assinado ao final da atividade, que as ações prolongaram-se além do
período diurno. Analisando o material apreendido após o período diurno,
a Polícia Federal encontrou farta documentação que comprovava a
prática de ações contrárias às normas trabalhistas, as quais
caracterizariam trabalho escravo nas propriedades rurais da empresa,
cujas dimensões ultrapassam os limites legais estabelecidos para a
caracterização da pequena e média propriedade rural.

Com base nessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.

57 O direito individual à inviolabilidade da casa tem como exceção o


ingresso nela, sem consentimento do morador, para o cumprimento de
determinação judicial, porém, essa exceção tem o limite temporal do
período diurno; em conseqüência, por ter a ação policial prolongado-se
além do período diurno, os atos praticados após o anoitecer estão
eivados de inconstitucionalidade.

58 No caso descrito, se as provas obtidas não fossem consideradas


ilícitas, seria possível utilizá-las para fundamentar a desapropriação, por
interesse social, das propriedades da empresa, mediante prévia e justa
indenização em títulos da dívida agrária.

59 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na O princípio da


proporcionalidade ou da razoabilidade deriva da força normativa dos
direitos fundamentais. Por isso, há possibilidade de se declarar
inconstitucionalidade de lei em caso de dispensabilidade
(inexigibilidade), de inadequação (falta de utilidade para o fim
perseguido) ou de ausência de razoabilidade em sentido estrito
(desproporção entre o objetivo perseguido e o ônus imposto ao
atingido).

60 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na É livre a locomoção no


território nacional em tempo de paz. As pessoas podem reunir-se
pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público,
independentemente de autorização, desde que não frustrem outra
reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas
exigido prévio aviso à autoridade competente. Mas, na própria
Constituição da República, admitem-se restrições à liberdade de
locomoção e até mesmo a suspensão da liberdade de reunião. Para
ambos os casos de restrição, porém, é imprescindível prévia e
fundamentada ordem ou decisão judicial.
(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - No que se refere
às declarações de direitos, aos direitos e garantias individuais e
coletivos e, ainda, ao princípio da legalidade, ao princípio da isonomia e
ao regime constitucional da propriedade na Constituição da República de
1988, julgue os itens subseqüentes.

61 A Declaração de Direitos do Bom Povo da Virgínia constitui a primeira


declaração de direitos fundamentais em sentido moderno, sendo
anterior à Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão francesa.

62 As garantias institucionais, uma decorrência dos direitos


fundamentais de segunda geração, tiveram papel importante na
transformação do Estado em agente concretizador dos direitos coletivos
ou de coletividades, sociais, culturais e econômicos.

63 Segundo a doutrina, os efeitos horizontais dos direitos, liberdades e


garantias individuais dizem respeito às suas limitações recíprocas, na
ordem constitucional.

64 No caso brasileiro, a aplicação do princípio da legalidade a uma


matéria não afasta a possibilidade de que, sob certas condições
expressas no texto constitucional, seja ela regulada por um ato
equiparado à lei formal.

65 O princípio da isonomia, em seu sentido de igualdade formal, não


admite o tratamento diferenciado entre os indivíduos.

66 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - O papel


reservado à lei, tanto no estado de direito clássico, como no estado
democrático de direito, é exatamente o mesmo, uma vez que, em
ambos, a lei deve limitar-se a arbitrar soluções para os litígios
eventualmente existentes entre o Estado e o indivíduo e entre os
indivíduos, regulando as relações sociais.

67 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - O Ministério Público


estadual, em investigação no âmbito de inquérito civil público em que se
apura irregularidade na licitação d e imóveis públicos pertencentes a um
município, requisitou ao Banco Central do Brasil (BACEN) informações
acerca das movimentações financeiras do prefeito e de seus secretários
municipais.

Considerando a hipótese acima, assinale a opção correta.


A Segundo entendimento atual do STF, o Ministério Público de regra não
tem legitimidade para, sem interferência do Poder Judiciário, determinar
a quebra do sigilo bancário, ainda mais quando envolva o conhecimento
de dados da vida privada.

B A quebra do sigilo bancário, segundo a Constituição Federal, só é


possível para fins de investigação criminal.

C Sendo os investigados detentores de imunidades formais, o pedido


deve ser analisado pela Câmara Municipal.

D O sigilo bancário não é protegido pela Constituição Federal.

E Uma vez autorizada a quebra do sigilo bancário, é lícita a divulgação


dos dados obtidos.

QUESTÃO 1 4

(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - No que se refere à aplicação


e à interpretação das normas de direitos fundamentais, julgue os itens
subseqüentes.

68 A noção atual de que a Constituição Federal alberga e positiva


valores fundamentais da sociedade, combinada com a inequívoca
posição de lex superior que ostenta, leva o intérprete à conclusão de
que todos os princípios jurídicos nela positivados hão de ter eficácia
jurídica.

69 Na concepção liberal-burguesa, os direitos fundamentais são


oponíveis apenas contra o Estado, uma vez que eles existem
essencialmente para assegurar aos indivíduos um espaço de liberdade e
autonomia contra a ingerência indevida do poder público. Logo, tal
concepção não agasalha a tese da eficácia dos direitos fundamentais no
âmbito das relações interprivadas.

70 A norma que garante aplicabilidade aos direitos fundamentais


somente se refere aos direitos arrolados no art. 5.º da Constituição
Federal.

71 A norma constante do art. 5.º, segundo a qual o Estado promoverá,


na forma da lei, a defesa do consumidor, é de eficácia contida, tendo em
vista a necessidade de intermediação legislativa.

72 O princípio processual penal do favor rei, de inspiração nitidamente


democrática, está expresso, entre outras idéias, na disposição
constitucional que assegura que ninguém será considerado culpado até
o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.

(Técnico Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Considerando


os direitos e as garantias individuais e coletivas no direito brasileiro,
julgue os itens a seguir.

73 A inviolabilidade de direitos individuais é distinguida das garantias


constitucionais, ainda que atuem em conexão.

74 Em matérias referentes à vida, à igualdade, à liberdade e à


propriedade, os destinatários dos direitos e garantias individuais podem
ser tanto pessoas físicas quanto jurídicas.

75 Os chamados direitos coletivos podem encontrar fundamento em


toda a ordem constitucional e mesmo em torno da ordem
infraconstitucional, sendo que alguns deles, como o de reunião e o de
associação, são direitos individuais de expressão coletiva.

76 O direito de privacidade, quando identificado com o direito de


intimidade, diz respeito às situações individuais de poder ficar tranqüilo,
em situação de paz, e de estar só.

(Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - No que se


refere a princípios, direitos e garantias fundamentais, julgue os itens a
seguir.

77 Com base no constitucionalismo contemporâneo, é correto afirmar


que a reserva legal tem abrangência menor que o princípio da
legalidade.

78 Liberdade de pensamento, direito de resposta e responsabilidade por


dano moral ou à imagem constituem garantias mas não direitos
individuais.

79 O direito de escusa de consciência está adstrito exclusivamente ao


serviço militar quando se trata de crença religiosa, convicção filosófica
ou religiosa.

80 A Constituição Federal estabelece previsão expressa de imutabilidade


das cláusulas pétreas, indicando a impossibilidade de emenda
constitucional tendente a abolir direitos e garantias individuais e
coletivas.

81 A instituição do tribunal do júri assegura a plenitude da defesa, o


sigilo das votações, a soberania dos veredictos e competência para
julgar e processar os crimes dolosos contra a vida, a honra e a
liberdade.

(Auxiliar Judiciária – Ar. Adm/Jud – TJAP – 2004) - De acordo com os


direitos e deveres fundamentais individuais e coletivos, julgue os itens
seguintes.

82 O cidadão brasileiro é livre para exercitar qualquer trabalho, ofício ou


profissão, ao contrário do estrangeiro, que deve atender às qualificações
profissionais previstas na lei.

83 É permitida a associação para fins lícitos e as que se destinam a


atividades de natureza militar, desde que definidas por lei.

84 A pequena propriedade rural, assim definida em lei, desde que


trabalhada pela família, não será objeto de penhora para pagamento de
débitos decorrentes de sua atividade produtiva, dispondo a lei sobre os
meios de financiar o seu desenvolvimento.

85 Aos autores de obra literária pertence o direito exclusivo de


utilização, publicação ou reprodução de suas obras, transmissível aos
herdeiros pelo tempo que a lei fixar.

86 A lei assegurará aos autores de inventos industriais privilégios para


sua utilização por tempo indeterminado.

87 (Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - Um cidadão brasileiro


foi acusado de estupro. No interrogatório, confirmou que havia cometido
o delito. Provou-se, posteriormente, que a confissão havia sido obtida
mediante tortura, sendo requerida sua invalidação. O juiz do processo
desconsiderou a prova ao fundamento de que o princípio inquisitório é
válido no direito brasileiro. O advogado de defesa fundamentou, em
contrário, dizendo que houve desrespeito aos direitos fundamentais
consignados na Carta de 1988. Nessa situação, assiste razão ao juiz.

88 (Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - Um diretor de uma


associação de moradores de uma cidade estava sofrendo ameaças e
pressões psicológicas dos demais diretores para manter-se associado a
tal instituição, sob o argumento de que tinha obrigações a prestar. O
caso foi levado ao Poder Judiciário em ação proposta em nome da
associação, sendo a sentença favorável ao diretor, sob o argumento de
que se tratava de direito fundamental. Nessa situação, o juiz tem razão.

89 (Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - Uma empregada de


determinada empresa era responsável pela retirada diária de dinheiro do
caixa, com a finalidade de guarda no cofre. Certo dia, a proprietária-
gerente verificou que o dinheiro depositado no cofre não conferia com o
controle eletrônico do caixa. Diante disso, imediatamente, solicitou que
a empregada se despisse na frente de todos os demais empregados
presentes, não sendo encontrado dinheiro algum de posse dela. Nessa
situação, é correto afirmar que foi razoável a atitude da proprietária-
gerente, uma vez que, conforme o direito constitucional brasileiro, as
empresas têm a liberdade de fiscalizar seus empregados.

90 (Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - O Ministério Público


de determinada cidade solicitou a quebra do sigilo bancário do prefeito
para fins de investigação criminal. O banco negou-se a cumprir a ordem,
sob o argumento de que só poderia fazê-lo mediante autorização judicial
ou determinação de comissão parlamentar de inquérito. Nessa situação,
assiste razão ao banco, que respeitou garantia fundamental de seu
cliente.

(Técnico Judiciário – Ar. Jud/Adm. – TJAP – 2004) - Com base nos


direitos fundamentais, julgue os itens a seguir.

91 São considerados direitos fundamentais de primeira geração os


direitos civis e políticos, que correspondem, em um quadro histórico,
àquela fase inicial do constitucionalismo no ocidente.

92 Os direitos de primeira geração consagram a titularidade no


indivíduo, porém não podem ser traduzidos em forma de oposição ao
Estado, uma vez que são atributos da pessoa humana e não se
enquadram na categoria de status negativus.

93 De acordo com a boa doutrina, a concepção de direitos fundamentais


que contêm garantias institucionais de liberdade deve ser recebida com
certa cautela, pois o direito de liberdade, ao contrário do que acontece
com a propriedade, não está suscetível de institucionalização em termos
de garantia.
94 O direito ao desenvolvimento, à paz, ao meio ambiente, à
propriedade e ao patrimônio comum da humanidade podem ser
corretamente considerados como direitos de segunda geração ou
dimensão.

95 O direito de comunicação é enquadrado no rol dos direitos de terceira


dimensão ou geração.

96 O problema das lacunas jurídicas tem despertado interesse na teoria


constitucional contemporânea, em razão de sua ligação com a
aplicabilidade das normas e com a hermenêutica dos princípios
fundamentais, sendo a teoria de Dworkin um de seus maiores aparatos.

97 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - Considere o


seguinte fato, que foi largamente divulgado na imprensa alguns meses
atrás. O italiano Salvatore Cacciola, do Banco Marka, fugiu para a Itália
a fim de não ser preso no Brasil, e, por ser italiano, não foi extraditado
até a presente data. Dessa forma, em hipótese análoga, se um brasileiro
nato com prisão decretada no exterior fugisse para o Brasil, daqui
também não poderia ser extraditado.

Gabarito:

1. C

2. E

3. C

4. C

5. C

6. E

7. E

8. E

9. C
10. C

11. C

12. E

13. E

14. E

15. C

16. E

17. C

18. E

19. E

20. C

21. E

22. E

23. C

24. E

25. E

26. C

27. E

28. C

29. E

30. C

31. E

32. C

33. E
34. E

35. C

36. E

37. E

38. E

39. C

40. D

41. *

42. C

43. C

44. E

45. E

46. C

47. C

48. E

49. C

50. C

51. E

52. C

53. E

54. E

55. E

56. B

57. E
58. C

59. C

60. E

61. C

62. C

63. E

64. C

65. E

66. E

67. A

68. C

69. C

70. E

71. E

72. C

73. C

74. C

75. C

76. E

77. C

78. E

79. E

80. C

81. E
82. E

83. E

84. C

85. C

86. E

87. E

88. C

89. E

90. E

91. C

92. E

93. C

94. E

95. C

96. C

97. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Em cada um dos


itens a seguir, que versam sobre tutela constitucional das liberdades e
dos direitos fundamentais, é apresentada uma situação hipotética,
seguida de uma assertiva a ser julgada.
1 Em um determinado processo judicial, originário da comarca de
Palmas – TO, houve pedido de reexame de análise probatória em sede
de habeas corpus, bem como a necessidade de dilatar o prazo da
instrução. O tribunal competente para julgamento da matéria proveu
recurso cabível. Nessa situação, há fundamento na decisão proferida
pelo tribunal.
2 A empresa X apresentou, mediante seu advogado, petição inicial com
pedido cumulativo, na vara Y, da comarca Z, contra uma determinada
organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP), alegando
que a mesma não informou nem decidiu sobre o fato de interesse da
empresa. Apresentou prova de que tal decisão não fora dada nos oito
dias legais, contados a partir da certidão do fato. Nessa situação,
equivocou-se o advogado da empresa X, já que o prazo legal para a
providência pretendida é de dez dias.
3 Em um determinado município do interior, uma empresa resolveu
construir uma praça sobre o calçamento de uma rua, alterando
sensivelmente a paisagem do local, bem como encobrindo as pedras e
monumentos históricos considerados patrimônio da humanidade. Um
morador do local entrou com mandado de segurança contra a prefeitura,
alegando que não havia lei que permitisse a obra nem houve licitação.
A procuradoria da prefeitura da cidade compreendeu que esse remédio
não era cabível. Em consulta ao promotor da cidade, este disse que a
ação própria era a ação popular. Nesse caso, tem razão a procuradoria
da prefeitura e o argumento do promotor é pertinente.
4 Determinado partido político conseguiu eleger um candidato para a
Câmara dos Deputados, mas não logrou êxito quanto ao Senado.
Entretanto, impetrou mandado de segurança coletivo contra a União em
determinada situação que ofendia o direito líquido e certo de seus
filiados. Ao analisar o caso, um primeiro juiz considerou procedente a
ação. O segundo considerou-a improcedente, sob o fundamento de que
o partido não tinha legitimidade ad causam. Nesse caso, assiste razão
para o segundo juiz, em virtude da necessidade de representação
partidária em qualquer das partes.
5 O tribunal de justiça de um determinado estado-membro da
Federação editou norma que atentava contra diversos direitos
fundamentais da Constituição da República de l988. Uma determinada
associação de advogados do mesmo estado impetrou mandado de
segurança contra tal ato. Nessa situação, foi incorreta a ação dos
advogados, pois não caberia mandado de segurança.

6 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O Não


caberá mandado de injunção para, sob a alegação de reclamar a edição
de norma regulamentadora de dispositivo constitucional, pretender-se a
alteração de lei ou ato normativo já existente, supostamente
incompatível com a Constituição da República, ou para exigir-se certa
interpretação à aplicação da legislação infraconstitucional.

7 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O A


utilização do mandado de segurança não está adstrita aos atos
destinados a dar aplicação concreta ao conteúdo das leis ou dos seus
equivalentes constitucionais. Conforme orientação do STF, o mandado
de segurança poderá ser utilizado, em caráter excepcional, como
instrumento de controle abstrato de validade constitucional das leis e
dos atos normativos em geral, diante de hipótese configuradora de
inconstitucionalidade por omissão parcial, resultante de ofensa ao
princípio da isonomia, provocada por exclusão discriminatória de
benefício.

8 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O Compete


aos tribunais regionais do trabalho o julgamento de habeas corpus,
impetrado contra ordem de prisão de depositário infiel, emanada de juiz
do trabalho, em processo de execução de sentença proferida em
reclamação trabalhista.

9 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - O instituto do habeas data tem


como finalidade exclusiva assegurar o conhecimento de informações
relativas à pessoa do impetrante, constantes em registros ou bancos de
dados de entidades governamentais ou de caráter público.

10 (Procurador TCE/RN – 2002) - Conforme entendimento já pacificado


no STF, normas em tese — assim entendidos os preceitos estatais
qualificados em função do tríplice atributo da generalidade,
impessoalidade e abstração — expõem-se ao controle jurisdicional pela
via do mandado de segurança, que se revela, portanto, sucedâneo da
ação direta de inconstitucionalidade.

11 (Procurador TCE/RN – 2002) - O mandado de injunção só é cabível


quando os direitos subjetivos são preexistentes, não devendo ser
utilizado, portanto, para criá-los. É pressuposto dessa ação
constitucional a existência de direito subjetivo concedido em abstrato
pela Constituição da República, cuja fruição esteja dependendo de
norma regulamentadora. Diferente é a situação quando a Constituição
da República apenas outorga expectativa de direito, e, portanto, a
norma regulamentadora faltante se presta a transformar essa mera
expectativa em direito subjetivo, caso em que não caberá mandado de
injunção, e sim ação direta de inconstitucionalidade por omissão.

12 (Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Considere a seguinte situação


hipotética.
Um cidadão ajuizou ação popular contra o presidente da República, em
razão de prática de ato que, segundo alegava, era lesivo ao patrimônio
público.
Nessa situação, o órgão competente para julgar a ação será o juiz
federal de primeiro grau.

(Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - O art. 37 da Constituição


Federal, inserido no capítulo que cuida da administração pública, em seu
inciso VII, estabelece o seguinte: “o direito de greve será exercido nos
termos e nos limites definidos em lei específica”. O sindicato
representativo da categoria dos servidores públicos federais em
determinado município, legalmente constituído e em funcionamento há
mais de um ano, ingressou na justiça com mandado de injunção, sob a
alegação de que a falta de norma regulamentadora estaria tornando
inviável o exercício de direito garantido pela Constituição da República
em seu art. 37, inciso VII.
Em face dessa situação hipotética, julgue os itens subseqüentes.
13 É cabível o mandado de injunção, uma vez que o preceito
constitucional que reconheceu o direito de greve ao servidor público civil
constitui norma de eficácia meramente limitada, desprovida, em
conseqüência, de auto-aplicabilidade, razão pela qual, para atuar
plenamente, depende da edição da lei específica exigida pelo próprio
texto constitucional.
14 Caso a omissão normativa seja imputada a uma autarquia federal, a
competência originária para processar e julgar o mandado de injunção a
que alude o texto será do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

15 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TRE/RS – 2003) - Considere a


seguinte situação hipotética. Em uma cidade do interior de São Paulo,
um grupo do movimento anarquista foi impedido de se encontrar na
praça municipal, diante das ordens de um guarda da localidade. Um dos
componentes do grupo, formado em direito, impetrou um habeas
corpus. Nessa situação, o instrumento mais adequado seria o mandado
de segurança, dada a natureza do direito ofendido.

(Analista Judiciário – Área Judiciária – TST – 2003) - O tribunal regional


federal (TRF) de determinada região, por meio de uma resolução
administrativa, concedeu gratificação de natureza salarial extensiva a
todos os seus servidores. O Ministério Público (MP) questionou o TRF
acerca da constitucionalidade da medida, além de comunicar o ocorrido
ao Tribunal de Contas da União (TCU). Diante desse fato, o TRF decidiu
suspender o pagamento da referida gratificação. O sindicato dos
servidores do TRF, legalmente constituído e em funcionamento havia
mais de um ano, impetrou mandado de segurança coletivo contra a
suspensão do pagamento da gratificação. Em entrevista à imprensa, o
presidente do sindicato declarou que iria, ainda, requerer ao Supremo
Tribunal Federal (STF) uma afirmação da constitucionalidade da
gratificação.
A respeito dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.
16 O sindicato dos servidores do tribunal é parte legítima para impetrar
mandado de segurança coletivo em defesa dos interesses de seus
membros ou associados e para propor, perante o STF, ação declaratória
de constitucionalidade da resolução administrativa citada.

(Técnico Judiciário – Área Administrativa – TST – 2003) - Um


missionário estrangeiro, nascido na República de Angola, país de língua
portuguesa, residente no Brasil há um ano ininterrupto, ingressou com
ação popular contra o proprietário de uma fazenda, situada na região
amazônica, sob a alegação de que o fazendeiro estaria mantendo, em
sua propriedade, vários índios na condição de escravos. Além disso, o
missionário deu conhecimento do fato ao Ministério Público. Com
referência a essa situação hipotética, julgue os itens subseqüentes.
17 A ação popular não é cabível para o caso, pois essa modalidade de
ação judicial tem por objetivo anular ato lesivo ao patrimônio público ou
de entidade da qual o Estado participe, à moralidade administrativa, ao
meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural.
18 Na situação descrita, tendo em vista que os índios estão sofrendo
violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou
abuso de poder, seria cabível um pedido de habeas corpus; entretanto,
essa modalidade de ação constitucional não pode ser utilizada quando a
coação é praticada por particular, uma vez que se limita aos casos em
que a coação é praticada por agente público.

19 (Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - O mandado de


segurança é cabível contra lei em tese. Além disso, a necessidade de
produção de prova em juízo em relação aos fatos alegados na inicial não
impede o acesso à via mandamental.

20 (Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - O Ministério


Público é legitimado, com exclusão de qualquer outra pessoa física ou
jurídica, para propor ação civil pública, enquanto que somente o cidadão
é parte legítima para propor ação popular.

(ACE – TCU – 2004) - Em relação a ação civil pública, ação popular e


mandado de segurança, julgue os itens seguintes.
21 Os efeitos da ação civil pública são limitados à competência territorial
do órgão prolator, sendo inviável a extensão dos efeitos das sentenças
em ação civil pública a todo o território nacional.
22 Não é irrecorrível a decisão que concede liminar em ação civil pública
proposta pelo Ministério Público com o objetivo de resguardar direito
individual homogêneo e em defesa de relevante interesse social.
23 Segundo o Supremo Tribunal Federal (STF), é vedado ao magistrado
proceder à declaração de inconstitucionalidade incidenter tantum de lei
federal, estadual ou local nas ações civis públicas, tendo em vista a
eficácia erga omnes das sentenças nelas proferidas.
24 O Ministério Público possui legitimidade ativa para propor ação civil
pública para defesa de direitos de contribuintes, sendo pacífico o
entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de que é cabível
ação civil pública para obstar a cobrança de tributos quando flagrante a
sua ilegalidade.
25 No mandado de segurança, a competência não é definida em razão
da matéria veiculada no mandado mas sim em razão da pessoa e da
função que exerce a autoridade coatora.
26 Assim como a ação popular, a ação civil pública julgada
improcedente por falta de provas não faz coisa julgada material,
podendo a demanda, fundada em novas provas, ser renovada.
27 O Ministério Público tem legitimidade p ara propor ação popular em
defesa do patrimônio público, sendo permitido, nessa hipótese, o
ingresso no feito de qualquer cidadão como assistente do parquet.
28 O indivíduo que sofreu dano juntamente com outrás vítimas do
mesmo fato é parte legítima para propor, em nome próprio, ação civil
pública cuja decisão beneficiará todos aqueles que se encontrem na
mesma situação que a sua.

29 (ACE – TCU – 2004) - O objeto de um mandado de segurança


coletivo impetrado por entidade de classe será um direito que esteja
compreendido na titularidade dos associados e que exista em razão das
atividades por eles exercidas, não se exigindo que esse direito seja
próprio da classe.

30 (Defensor Público da União – 2004) - Ainda que sejam


incontroversos os fatos que embasam o pedido do impetrante, não se
admite a segurança se a questão de direito for intrincada e de difícil
solução, pois, nesse caso, o direito líquido e certo não se torna claro e
evidente.

(Juiz Substituto – TJBA - 2004) - O delegado Antônio, de posse de


mandado de prisão regularmente expedido por um juiz de direito contra
Constantino, perigoso homicida e criminoso sexual, foi informado de que
este se refugiara na casa de seu amigo Dionísio. Com sua equipe, o
delegado lá chegou por volta de vinte horas do dia 2/5/2004, um
domingo. O delegado exibiu o mandado a Dionísio e pediu-lhe licença
para cumprir a ordem judicial, o que foi negado por Dionísio. A
autoridade policial considerou o risco social que haveria na provável
fuga de Constantino, caso não fosse realizada a prisão, a periculosidade
e os notórios antecedentes criminais de Constantino, o fato de possuir
mandado judicial e a falta de razoabilidade na recusa de Dionísio. Diante
disso, contra a vontade de Dionísio, entrou na casa, realizou a prisão e
comunicou à autoridade judiciária e ao Ministério Público as razões em
que se baseou para praticar o ato.
Em face da situação hipotética apresentada, julgue os itens a seguir.
31 Na situação descrita, a prisão foi juridicamente válida, por basear-se
em mandado judicial e em virtude dos fundamentos expostos pelo
delegado de polícia.
32 Se Dionísio desejasse atacar a prisão do amigo, poderia ele próprio
requerer judicialmente habeas corpus, independentemente de
advogado, apontando o delegado como autoridade coatora e
Constantino como paciente. O habeas corpus poderia também ser
impetrado pela associação de moradores do bairro onde reside Dionísio,
agindo como pessoa jurídica.

33 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Assinale a opção correta a respeito


de mandado de segurança, ação popular e habeas corpus.
A Terceiro prejudicado , que não integrou a lide mas foi atingido por ato
judicial, pode impugná-lo por meio de mandado de segurança, ainda
que não tenha interposto o recurso cabível.
B Havendo desistência da ação popular por seu autor, somente o
Ministério Público pode promover seu prosseguimento.
C Ser á cabível habeas corpus para anular processo penal em curso por
vício de competência, somente se já houver sido prolatada sentença
final.
D O habeas corpus de ofício para sanar constrangimento flagrantemente
ilegal é cabível no tribunal de justiça somente se a matéria tiver sido
apreciada pelo juízo a quo.
QUESTÃO 3 6
(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Em razão de um prefeito municipal ter
contratado empresa de publicidade para divulgação de jogos esportivos
promovidos pela prefeitura, sem prévia licitação, foi ajuizada ação
popular.
Em face dessa situação hipotética, julgue os itens subseqüentes.
34 São legitimados passivamente, no caso, tanto a prefeitura como o
prefeito, devendo a ação tramitar no juízo de primeiro grau.
35 Embora se possa, pela ação popular, invalidar o ato lesivo ao
patrimônio público, a condenação dos responsáveis há de ser perseguida
em ação de ressarcimento específica.
QUESTÃO 11
(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Acerca da tutela
constitucional das liberdades na Constituição da República, julgue os
itens que se seguem.
36 Para fins de utilização do habeas data com vistas ao acesso a
informações pessoais, considera-se de caráter público todo registro ou
banco de dados que não seja de uso privativo do órgão ou da entidade
produtora ou depositária das informações.
37 Em consonância com a jurisprudência do STF, nos mandados de
segurança coletivos impetrados por sindicato em defesa de direito
subjetivo comum aos integrantes da categoria, exige-se, na inicial, a
autorização expressa dos sindicalizados, uma vez que se trata de
hipótese de representação e não de substituição processual.

38 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Alguns instrumentos de


tutela de direitos individuais, coletivos e difusos já se encontram
disciplinados no próprio plano constitucional, o que os leva a ganhar
dimensão hierárquica superior. Acerca da função e do manejo dessas
garantias processuais, assinale a opção incorreta.
A Ação civil pública pode dar causa à declaração de inconstitucionalidade
incidenter tantum de lei federal, estadual ou municipal.
B É inadmissível o ajuizamento de ação popular que busca invalidar ato
de conteúdo jurisdicional.
C A impetração de habeas data requer a demonstração de que o
interessado postulou, perante entidade governamental ou de caráter
público competente, seu direito de obter informações sobre sua pessoa
ou de retificar dados.
D O ajuizamento da ação constitucional de argüição de descumprimento
de preceito fundamental rege-se pelo princípio da subsidiariedade, de tal
modo que não será ela admitida, sempre que houver qualquer outro
meio juridicamente idôneo e apto a sanar, com efetividade real, o
estado de lesividade emergente do ato impugnado.
E O STF tem adotado a posição de legislador positivo no âmbito da ação
direta de inconstitucionalidade por omissão, sempre que da recusa do
Poder Legislativo em sanar o estado de inconstitucionalidade
sobrevenha efetiva lesão a direitos dos cidadãos.
QUESTÃO 1 5
(Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - Considerando os direitos
fundamentais no Brasil, julgue os itens subseqüentes.
39 O mandado de segurança é cabível, em caráter subsidiário, para
proteger direito líquido e certo não-amparado por habeas corpus,
funcionando também como substitutivo do habeas data, quando a
autoridade coatora se nega a fornecer dados e informações ao
interessado.
40 Ao se impetrar habeas corpus, torna-se possível o reexame da
análise probatória, mostrando-se esse remédio constitucional idôneo
para anular sentença transitada em julgado, cujo fato não se
encontraria evidente nos autos.
41 Informações com flagrante conteúdo discriminatório podem ser
retificadas por habeas data, desde que sejam referentes ao próprio
interessado e não-pertinentes a terceiro.
42 O mandado de junção é cabível na omissão de regulamentação de
norma constitucional e não-cabível quando essa norma é considerada
auto-aplicável.
43 O direito de petição é essencialmente informal, embora exercido de
forma escrita, e, assim como a ação popular, uma petição pode ser
proposta por qualquer cidadão, pessoa física ou jurídica.

44 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - É


juridicamente admissível a impetração de mandado de segurança, por
parte de parlamentares, para assegurar o direito líquido e certo a um
processo legislativo que obedeça ao regramento constitucional. Essa
forma de controle de constitucionalidade atinge o próprio processo de
formação da norma jurídica e pode servir para a apreciação judicial de
normas regimentais do Poder Legislativo.

Gabarito:

1. E

2. C

3. C

4. *

5. C

6. C

7. E

8. *

9. E

10. E

11. C

12. E
13. C

14. E

15. C

16. E

17. C

18. E

19. E

20. E

21. C

22. C

23. E

24. E

25. C

26. C

27. E

28. E

29. C

30. E

31. E

32. *

33. A

34. *

35. E

36. E
37. C

38. E

39. E

40. E

41. C

42. E

43. E

44. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
DIREITOS SOCIAIS

05 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - A respeito dos direitos sociais na


ordem constitucional vigente, julgue os itens a seguir.
1 O direito ao trabalho e ao livre exercício profissional está consagrado
entre os direitos sociais previstos na Constituição da República de 1988.
2 Estão consagrados, entre os direitos sociais previstos na Constituição
da República de 1988, o direito à educação, direito à moradia, o direito
à segurança e o direito à assistência aos desamparados.
3 É direito dos trabalhadores, além de outros que visem à melhoria de
sua condição social, o estabelecimento da idade mínima de dezesseis
anos para o trabalho noturno, perigoso ou insalubre e de quatorze anos
para qualquer trabalho, salvo a condição de aprendiz.
4 Nas empresas com mais de cem empregados, é assegurada a eleição
de um representante destes com a finalidade exclusiva de promover o
entendimento direto com os empregadores.
5 É atribuição exclusiva de cada sindicato a defesa judicial e
administrativa dos direitos individuais de seus filiados.
QUESTÃO 6
6 (ACE – TCU – 2004) - É direito do trabalhador possuir seguro contra
acidentes de trabalho, a cargo do empregador.

7 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Os ganhos habituais do empregado,


diversos do salário, não serão considerados para efeito de contribuição
previdenciária nem para conseqüente repercussão em benefícios.

(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Quanto aos direitos


sociais e aos princípios constitucionais do trabalho, julgue os itens a
seguir.
8 Segundo o STF, ainda que a empresa funcione de forma contínua, por
meio de turnos ininterruptos de revezamento, o tempo de intervalo
intrajornada, concedido no turno, não é computado como horário de
jornada de trabalho, para fins de aferição do respeito, pela empresa, do
horário máximo de seis horas, permitido pela Constituição Federal para
a jornada nesse regime de trabalho.
9 São princípios constitucionais do trabalho, expressos ou deduzíveis na
Constituição Federal de 1988, o princípio da proteção do trabalhador e o
princípio da nãodiscriminação.

(Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - Considerando os direitos


sociais consignados na Constituição da República, julgue os itens
seguintes.
10 Os direitos sociais, constitucionalmente protegidos, são normas de
ordem pública e imperativas, auto-aplicáveis e suscetíveis ao
ajuizamento de mandado de injunção.
11 O capítulo dos direitos sociais previstos na Constituição da República
de 1988 configura-se como o rol exaustivo dos direitos fundamentais
dos trabalhadores.
12 A liberdade sindical é uma forma genérica de liberdade de
associação, com regras marcadamente públicas e com possibilidade de
autonomia, nos termos da Constituição da República.
13 A greve pode ser corretamente definida como espécie de direito de
autodefesa dos trabalhadores, a qual tem consistência no ato de
abstenção coletiva e simultânea do trabalho, de forma organizada, por
parte de um ou vários estabelecimentos e com o fim de defender
interesse específico.
14 O direito brasileiro permite, mediante lei, o estabelecimento de
diferença salarial entre jovens e idosos, uma vez que é interesse
constitucional estimular a juventude e compensar os idosos.

(Técnico Judiciário – Ar. Jud/Adm. – TJAP – 2004) - A respeito dos


direitos sociais no texto constitucional brasileiro, julgue os itens
subseqüentes.
15 Trabalhadores rurais despedidos arbitrariamente podem, dependendo
do caso concreto, receber indenização, independentemente de qualquer
lei complementar, mas conforme a Constituição da República.
16 O piso salarial de determinada categoria deve ser proporcional à
extensão e à complexidade do trabalho, sendo possível a redução
salarial com base no disposto em acordo ou convenção coletiva.
17 O repouso semanal remunerado deve ser obrigatoriamente concedido
pela empresa aos domingos, independentemente de lei complementar
ou qualquer convenção coletiva.
18 De acordo com os direitos sociais previsto na Constituição da
República de 1988, o mercado de trabalho da mulher deve ser
protegido, com incentivos específicos previstos na forma da lei.
19 A despeito do princípio da isonomia, uma empresa pode estabelecer,
com base no direito constitucional e no seu próprio regimento, distinção
entre o trabalho manual, técnico e intelectual.

Gabarito:

1. E

2. C

3. E

4. E

5. E

6. C

7. E

8. E

9. C

10. C

11. E

12. E

13. C

14. E

15. E

16. C

17. E

18. C

19. E
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
NACIONALIDADE, DIREITOS POLÍTICOS E PARTIDOS
POLÍTICOS

1 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Lei sobre propaganda


eleitoral que nada disponha sobre sua própria vigência entrará em vigor
45 dias após sua publicação.

2 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Se uma lei ordinária federal


publicada em 1990 criasse hipóteses de inelegibilidade para proteger a
legitimidade das eleições contra a influência do poder econômico, ela
seria recepcionada pela Constituição da República.

3 (Defensor Público – Amazonas/2003) - Considere a seguinte situação


hipotética. Jacques, com idade de 17 anos, nascido na França, fala e
escreve perfeitamente o português, pois, apesar de nunca haver visitado
o Brasil, aprendeu a língua com sua mãe, que, à época de seu
nascimento, era a embaixadora brasileira na França.
Nessa situação, é correto afirmar que Jacques tem direito de alistar-se
como eleitor no Brasil, mas não tem a obrigação de fazê-lo.

4 (Analista Judiciário – Área Judiciária – Ativ. Proces. - TJDFT – 2003) -


Um casal de brasileiros reside por determinado tempo na Alemanha,
onde o marido é jogador de um clube de futebol. Nem o marido nem a
mulher encontram-se a serviço da República Federativa do Brasil. O filho
do casal de brasileiros nasceu em território alemão, no dia 15 de maio
de 2003.
Considerando a situação hipotética acima descrita e sabendo que a
Alemanha adota o sistema do jus sanguini como forma de aquisição da
nacionalidade originária, assinale a opção correta.
A Se o filho do casal vier a residir na República Federativa do Brasil e
optar, em qualquer tempo, pela nacionalidade brasileira, adquirirá a
condição de brasileiro nato.
B O filho do casal será brasileiro nato, desde que seja registrado em
repartição consular brasileira competente na Alemanha ou que venha a
residir no Brasil antes da maioridade e, nesse caso, opte em qualquer
tempo pela nacionalidade brasileira.
C O filho do casal é considerado brasileiro nato, independentemente de
qualquer condição, uma vez que, apesar de nascido no estrangeiro, é
filho de pai e mãe brasileiros.
D Caso o filho do casal obtenha a condição de brasileiro nato, após
atendidos os requisitos estabelecidos na legislação brasileira, não
perderá jamais essa condição, visto que a Constituição Federal prevê
expressamente que nenhum brasileiro nato pode perder a nacionalidade
brasileira.
E Caso o filho do casal obtenha a condição de brasileiro naturalizado,
ainda assim poderá ter a sua naturalização cancelada, por sentença
judicial, mas somente em decorrência de crime comum, praticado antes
da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de
entorpecentes.
QUESTÃO 27
(Analista Judiciário – Área Judiciária – TRE/RS – 2003) - Considerando
os direitos políticos insertos na Constituição Federal (CF) vigente, julgue
os itens a seguir.
5 O modo de se adquirir direitos políticos efetiva-se por meio do
alistamento — procedimento administrativo instaurado perante os
órgãos da justiça eleitoral que objetiva verificar o cumprimento de
requisitos constitucionais e legais do eleitor.
6 Os chamados direitos políticos negativos, previstos
constitucionalmente, dizem respeito ao acesso do cidadão à participação
nos órgãos governamentais, enquanto os direitos políticos positivos
permitem o impedimento de candidaturas.
7 Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, de
acordo com os requisitos legais, devem registrar seus estatutos no TSE,
podendo ter direito a recursos do fundo partidário, devendo, entretanto,
pagar parte do acesso ao rádio e à televisão.
8 A inelegibilidade absoluta é excepcional e só é passível de ser
estabelecida pela própria Constituição de forma taxativa; já a
inelegibilidade relativa implica restrições a certos pleitos eleitorais e
determinados mandatos.
9 Considere a seguinte situação hipotética. Uma determinada cidade foi
desmembrada de outra. O prefeito do município-mãe, tendo renunciado
seis meses antes do pleito eleitoral, candidatou-se a prefeito do
município desmembrado.
Nessa situação, apesar da renúncia, o ex-prefeito é inelegível.
(Técnico Judiciário – Área Administrativa – TST – 2003) - Um
missionário estrangeiro, nascido na República de Angola, país de língua
portuguesa, residente no Brasil há um ano ininterrupto, ingressou com
ação popular contra o proprietário de uma fazenda, situada na região
amazônica, sob a alegação de que o fazendeiro estaria mantendo, em
sua propriedade, vários índios na condição de escravos. Além disso, o
missionário deu conhecimento do fato ao Ministério Público. Com
referência a essa situação hipotética, julgue os itens subseqüentes.
10 Sendo originário de país de língua portuguesa e tendo residência
permanente no Brasil há um ano ininterrupto, o missionário goza de
todos os direitos inerentes ao brasileiro nato, desde que haja
reciprocidade em seu país em favor dos brasileiros. Isso inclui o direito
de litigar em juízo em favor dos índios em questão.

11 (Defensor Público da União – 2004) - A Constituição da República


estatui casos de inelegibilidade absoluta e relativa; entre os primeiros,
encontram-se os analfabetos, ao passo que o cônjuge de determinados
administradores públicos é atingido por uma das modalidades de
inelegibilidade relativa.

(Juiz Substituto – TJBA - 2004) - Acerca de partidos políticos, julgue o


seguinte item.
12 Uma das características do regime constitucional dos partidos
políticos no Brasil é a natureza necessariamente nacional que eles
devem possuir, de modo que não são juridicamente admissíveis partidos
políticos de extensão apenas regional, ainda que não haja necessidade
de representação da agremiação em todas as unidades da Federação.
Outra regra constitucional dá ensejo à chamada cláusula de
desempenho, segundo a qual não se pode manter em atividade partido
político que não obtenha bancada parlamentar com número mínimo de
integrantes.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Com relação aos direitos políticos,


julgue os itens seguintes.
13 Não há óbice constitucional à elegibilidade de esposa de prefeito ao
cargo de vereador no mesmo município, pois a inelegibilidade por
motivo de parentesco somente alcança a candidatura ao cargo de chefe
do Poder Executivo.
14 Juízes e promotores de justiça estão submetidos à vedação
constitucional da filiação partidária, ainda quando estejam afastados dos
respectivos cargos.
QUESTÃO 12
15 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Há vedação absoluta para
que os estrangeiros exerçam a soberania popular.

16 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Os cargos de ministro de


Estado das relações exteriores, da carreira diplomática, de ministro do
STJ, de presidente do Senado Federal, de presidente da Câmara dos
Deputados, de presidente e vice-presidente da República são privativos
de brasileiro nato.

17 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na Às pessoas maiores de


16 e menores de 18 anos de idade, aos maiores de 70 anos de idade,
assim como aos analfabetos, a Constituição da República faculta o
exercício da dimensão ativa da cidadania. Entre esses, apenas aos
maiores de 70 anos de idade é franqueado o exercício da dimensão
passiva da cidadania.

18 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Um governador de estado


poderá candidatar-se ao cargo de senador da República sem que tenha
de renunciar ao mandato de governador.

19 (Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - José pertence a


determinado segmento político, conhecido. Maior de dezoito anos, não
votou na última eleição e contestou a multa que recebeu da justiça
eleitoral, ao argumento de que tinha direito fundamental em relação a
tal atitude. Esta, por sua vez, manteve a multa, desconsiderando suas
razões. Nessa situação, assiste razão a José, pois lhe dá amparo o
direito constitucional brasileiro.

(Analista Judiciário – Ar. Jud. – TJAP – 2004) - Considerando os direitos


políticos previstos no direito constitucional brasileiro, julgue os itens que
se seguem.
20 No Brasil, o sufrágio, a alistabilidade, a elegibilidade, a iniciativa
popular de lei, a ação popular e a organização dos partidos políticos são
considerados direitos políticos.
21 O voto é um direito público subjetivo caracterizado pela
personalidade, obrigatoriedade formal, liberdade, periodicidade,
sigilosidade, exercido de forma direta, podendo, em certas
circunstâncias, ser diferenciado entre os cidadãos.
22 O plebiscito consiste em consulta posterior que se faz aos cidadãos
no gozo de seus direitos políticos, sobre determinada matéria a ser
discutida pelo Congresso Nacional, enquanto o referendo consiste em
consulta prévia sobre determinado ato governamental, a fim de lhe
conceder ou não eficácia.
23 O brasileiro ou português equiparado, em pleno exercício dos direitos
políticos, devidamente alistado no juízo eleitoral, domiciliado na
circunscrição eleitoral em que vota, filiado a um partido político, com a
idade mínima requisitada, preenche todas as condições de elegibilidade
exigidas no direito constitucional brasileiro.
24 O vice-prefeito pode, em qualquer circunstância, candidatar-se a
prefeito, sem perda do mandado exercido.

(Técnico Judiciário – Ar. Jud/Adm. – TJAP – 2004) - Considerando os


direitos políticos insertos na Constituição da República de 1988, julgue
os itens que se seguem.
25 Os direitos políticos se efetivam por meio do alistamento, que é o
procedimento administrativo instaurado perante os órgãos da justiça
eleitoral, tendo como objetivo verificar o cumprimento de requisitos
constitucionais e legais de eleitor.
26 Os chamados direitos políticos negativos, previstos
constitucionalmente, referem-se ao acesso do cidadão à participação
nos órgãos governamentais, enquanto os direitos políticos positivos
permitem o impedimento de candidaturas.
27 Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica de
acordo com os requisitos legais, devem registrar seus estatutos no
Tribunal Superior Eleitoral, podendo ter direito a recursos do fundo
partidário, mas devem pagar parte do acesso ao rádio e à televisão.
28 A inelegibilidade absoluta é excepcional e só passível de
estabelecimento pela própria constituição de forma taxativa; já a
inelegibilidade relativa implica restrições a certos pleitos eleitorais e
determinados mandatos.

Gabarito:

1. E

2. E
3. C

4. A

5. C

6. E

7. E

8. C

9. E

10. E

11. C

12. C

13. E

14. E

15. E

16. E

17. E

18. E

19. C

20. C

21. E

22. E

23. C

24. E

25. C

26. E
27. E

28. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
ORGANIZAÇÃO DO ESTADO

(Auditor do TCDF/2002) - No A situação de criminalidade no estado do


Espírito Santo reflete um quadro de segurança pública caótico,
sobretudo pelas peculiaridades apresentadas, “pois o crime organizado,
capitaneado pela tal Scuderie Le Cocq, infiltrou-se nas polícias, recrutou
empresários, políticos, membros do Poder Judiciário e do Ministério
Público” (Veja, 17/7/2002). Instado a agir, o Ministério da Justiça
apresentou pedido de intervenção federal naquele estado ao procurador-
geral da República, que decidiu não lhe dar o devido prosseguimento,
conforme episódio político amplamente divulgado pela mídia.
Considerando essas informações e o processo de intervenção federal,
julgue os itens subseqüentes.
1 No caso específico do Espírito Santo, a intervenção federal dependia
de provimento, pelo STF, de representação interventiva, cuja
legitimidade postulatória é privativa do procurador-geral da República,
uma vez que a hipótese era de inobservância dos direitos humanos e do
regime democrático.
2 Em qualquer caso de intervenção federal, o decreto presidencial sofre
controle político do Poder Legislativo, por meio do Congresso Nacional, a
quem cabe rejeitar ou aprovar a medida. Assim, eventual decisão do
STF, pela intervenção, no caso do Espírito Santo, não seria definitiva.
3 A intervenção federal também pode ocorrer por desorganização
financeira do estado-membro que deixar de creditar aos municípios
receitas tributárias fixadas constitucionalmente, hipótese em que é
dispensada a participação do Ministério Público Federal.
4 A intervenção federal por desobediência do estado-membro à decisão
judicial do respectivo tribunal de justiça depende de requisição do STF
ao presidente da República.
5 A intervenção federal é descabida no caso de recusa de município,
localizado dentro de estado-membro, em aplicar o mínimo exigido da
receita municipal na manutenção do ensino, pois é princípio federativo
que a intervenção em município somente pode ser feita pelo estado-
membro, exceto se existente em território federal.
QUESTÃO 5
(Auditor do TCDF/2002) - No Julgue os itens abaixo, referentes à
estrutura do federalismo brasileiro e suas conseqüências jurídico-
políticas.
6 A Constituição da República de 1988 reserva aos estados-membros
não só as competências que não lhes sejam vedadas, mas as que
expressamente lhes são atribuídas. Exemplo de poder explícito é o de
instituir, no âmbito estadual, ação direta de inconstitucionalidade e ação
declaratória de constitucionalidade de leis ou atos normativos estaduais
ou municipais, vedada a legitimação a um único órgão.
7 O controle de constitucionalidade da constituição do estado-membro é
corolário do primado da supremacia da Constituição da República.
8 O município, não obstante sua elevação a ente constitutivo da
organização político-administrativa da República Federativa, não
participa da repartição federal de competências comuns ou legislativas
concorrentes.
9 O DF, apesar de não possuir Poder Judiciário próprio, tem
competência para disciplinar a organização de sua polícia civil e militar,
situação que lhe confere o mesmo grau de autonomia dos estados em
matéria de segurança pública.
10 A competência de legislação privativa da União não encerra rígido
monopólio, pois admite delegação legislativa a outro ente da federação.

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Julgue os itens


abaixo, relativos à organização político-administrativa do Estado
brasileiro.
11 A intervenção federal, ato extremado de intervenção na autonomia
política dos estados-membros, do Distrito Federal (DF) e dos municípios,
ato privativo do chefe do Poder Executivo, é de natureza espontânea
quando efetivada na defesa dos Poderes Executivos ou Legislativos
locais.
12 Quando não houver aplicação do mínimo exigido da receita
resultante de impostos estaduais, provenientes de receitas de
transferência, na manutenção do desenvolvimento do ensino e da
saúde, configura-se hipótese de intervenção no estadomembro, no DF
ou em município.
13 De acordo com o disposto na Constituição da República de 1988, no
que concerne a reservas de campos específicos de competência, a União
e os estados-membros têm poderes enumerados, enquanto os
municípios e o DF têm poderes remanescentes.
14 O estabelecimento de áreas e condições para o exercício da atividade
de garimpagem em forma associativa é de competência da União.
15 No concernente à legislação sobre transporte intermunicipal, o
estado-membro poderá impor limitações ao tráfego de pessoas,
mediante tributos intermunicipais.
QUESTÃO 50
(Consultor Legislativo – Senado/2002) - Supondo que, devido aos
esforços de um grupo de parlamentares liderados pelo senador mineiro
João Xavier, o estado de Minas Gerais (MG) tenha sido desmembrado e,
na região que tradicionalmente é chamada de triângulo mineiro, tenha-
se formado um novo estado federado, batizado como “Triângulo” (TR), e
supondo também que, no momento da criação do novo estado, a região
abrigava metade da população originária de Minas Gerais, julgue os
itens a seguir.
16 Para que a criação do novo estado tenha seguido os moldes
constitucionalmente previstos, a lei complementar de desmembramento
precisaria ter sido aprovada, mediante referendo, pela maioria dos
eleitores inscritos em seções eleitorais do estado originário de Minas
Gerais.
17 Embora sejam de propriedade do Triângulo os lençóis freáticos
localizados exclusivamente no subsolo do seu território, esse estado não
pode editar leis regulando a sua utilização.
18 Como, diferentemente do que acontece na Câmara dos Deputados, é
fixo o número de representantes de cada estado e do DF no Senado
Federal, é correto afirmar que, caso sejam criados vários estados novos
mediante desmembramento dos antigos, pode-se chegar a um ponto em
que o número de membros do Senado Federal será maior que o número
de membros da Câmara dos Deputados.
19 Caso fosse criado um novo estado federado, a partir da fusão dos
estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, por maior que
fosse a população desse novo ente federado, a sua assembléia
legislativa não poderia ser formada por mais de cem deputados
estaduais.
20 Seria constitucional disposição da Constituição do estado de Minas
Gerais no sentido de que a instituição de regiões metropolitanas deveria
ser feita mediante lei estadual complementar.
QUESTÃO
(Consultor Legislativo – Senado/2002) - Roberto tem uma fazenda
localizada no estado do Amapá, em cujo subsolo foi descoberta uma
jazida de ouro. O governo do estado do Amapá estabeleceu uma taxa de
fiscalização ambiental (TFA), tendo como fato gerador o exercício de
fiscalização sobre entidades que exerçam atividades potencialmente
danosas ao meio ambiente, inclusive atividades que envolvam
mineração.
Considerando essa situação hipotética, julgue os itens seguintes.
21 A jazida de ouro existente sob as terras de Roberto é de propriedade
da União, que poderá explorá-la diretamente ou delegar sua exploração
a particulares, mediante autorização ou concessão.
22 A Constituição da República confere aos municípios direito a
compensação financeira pela exploração de recursos minerais dentro de
seu território. Essa compensação tem caráter tributário e pode ser
fixada mediante lei municipal.

23 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Não é inconstitucional


artigo de constituição estadual que atribui a governador de estado
competência para editar medidas provisórias.

24 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - No caso de ocorrer grave


comprometimento da ordem pública em um município e de as
autoridades municipais não enfrentarem devidamente o problema, o
estado a que o município pertence poderá nele intervir, mediante
decreto de intervenção exarado pelo governador do estado, para pôr
termo ao comprometimento da ordem.

25 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Mesmo que restasse


provado que o município de Bento Gonçalves – RS expediu precatório
em favor de um credor, mas não respeitou o direito de precedência
desse credor em relação a outros credores, o governador do estado do
Rio Grande do Sul (RS) não poderia, de ofício, determinar intervenção
do estado no município para o fim específico de promover o pagamento
da dívida.
QUESTÃO 63
26 (Procurador TCE/RN – 2002) - São de observância compulsória pelos
estados as regras básicas do processo legislativo federal, por sua
implicação com o princípio fundamental da separação e independência
dos Poderes, incluindo-se as regras de iniciativa privativa do chefe do
Poder Executivo na elaboração de leis que disponham acerca da
remuneração de servidores públicos, seu regime jurídico e sua
aposentadoria.
27 (Procurador TCE/RN – 2002) - A Constituição da República de 1988
mantém a tradição do direito brasileiro ao circunscrever a ação
constituinte do estado-membro, exigindo a observância de princípios de
duas ordens: os princípios constitucionais sensíveis, cujo acatamento é
obrigatório, sob pena de intervenção federal, e os princípios
constitucionais estabelecidos, igualmente limitadores da autonomia do
estado-membro. Esses últimos são princípios fundamentais não-
enumerados, surgindo, por vezes, de modo expresso, ou são implícitos,
ou, ainda, decorrentes do sistema. Ainda que não sejam capazes de
conduzir a uma intervenção federal, o seu desrespeito gera a
inconstitucionalidade da norma.

28 (Procurador TCE/RN – 2002) - Compete privativamente ao


governador de estado, pelo princípio da simetria, a direção superior da
administração estadual, bem como a iniciativa para propor projetos de
lei que visem à criação, à estruturação e à definição das atribuições de
secretarias e órgãos da administração pública na respectiva esfera de
governo.
7
29 (Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - Quanto ao
Estado brasileiro, julgue o item a seguir.
A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil
compreende apenas a União, os estados e os municípios, todos
autônomos nos termos da Constituição da República.

(Defensor Público – Amazonas/2003) - Relativamente à organização


político-administrativa e à responsabilidade civil do Estado brasileiro,
julgue os itens a seguir.
30 Na organização da República Federativa do Brasil, os municípios são
entes federados que não têm subordinação hierárquica frente à União
nem aos estados-membros.
31 Se uma emenda constitucional revogasse os dispositivos que
conferem à União competência privativa para legislar sobre transporte,
a competência para legislar acerca dessa matéria passaria aos estados
federados.
32 A competência para legislar acerca da defensoria pública é
concorrente e, portanto, no tocante à organização da defensoria pública
nos estados, a União apenas tem competência para estabelecer regras
gerais.
(Defensor Público – Amazonas/2003) - Julgue os itens a seguir,
considerando a hipótese de que estivesse sendo debatida a possibilidade
de efetuar o desmembramento do estado do Amazonas, criando um
novo estado.
33 Para que fosse possível a criação desse novo estado, seria necessária
a edição de lei federal complementar que estabelecesse o
desmembramento.
34 A lei que determinasse a criação do novo estado operaria efeitos
somente a partir da data em que fosse aprovada, mediante referendo,
pela população diretamente interessada no desmembramento.
35 A criação do estado acarretaria alteração no número de senadores da
República.

36 (Defensor Público – Amazonas/2003) - Se o Poder Executivo do


Amazonas negar-se terminantemente a cumprir um mandado judicial de
reintegração de posse emitido pelo TJAM, o presidente desse tribunal
terá competência para solicitar diretamente ao presidente da República
a intervenção federal no estado, sendo que tal intervenção somente
poderá ser efetivada se o decreto presidencial que a determinar for
ratificado tanto pelo STF quanto pelo Congresso Nacional.

37 (Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Os prefeitos gozam de


imunidade processual, sendo necessária a licença prévia da Assembléia
Legislativa para que possam ser processados.

38 (Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - A autonomia das entidades


federativas pressupõe repartição de competências legislativas, sendo um
dos pontos caracterizadores e asseguradores do convívio no Estado
Federal. Assim, na hipótese em apreço, a lei estadual referida está em
desarmonia com o princípio da repartição de competências, consectário
do princípio federativo, padecendo de vício de inconstitucionalidade,
ante a invasão de esfera de competência legislativa da União, a quem
compete privativamente legislar sobre direito penal.
39 (Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - Como corolário do princípio
federativo, acolhido pela Constituição Federal brasileira, os estados têm
autonomia para organizar-se e reger-se pelas Constituições e leis que
adotarem, observados os princípios da Constituição Federal, sendo-lhes
reservadas as competências que lhes são atribuídas por ela, mediante
um rol taxativamente enumerado, a exemplo do que ocorre com a União
e os municípios.
(Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - Uma autarquia de um estado-
membro da Federação ingressou com ação no tribunal de justiça do
respectivo estado, requerendo a propriedade das terras de determinada
área, ante a ocupação mansa e pacífica por mais de vinte anos.
Ocorreu, todavia, que se tratava de terreno pertencente a área
demarcada, por meio de decreto do presidente da República, como terra
tradicionalmente ocupada por uma tribo indígena.
Considerando essa situação hipotética, julgue os itens seguintes.
40 Tratando-se o autor da ação de entidade autárquica instituída por
estado-membro da Federação, detentora de personalidade jurídica de
direito público, a Constituição da República somente admite o seu
ingresso em juízo mediante autorização constante de lei estadual
específica.
41 As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios incluem-se entre os
bens da União, consoante estabelece a Constituição da República;
assim, a área objeto do litígio de que trata a hipótese é inalienável,
indisponível e insuscetível de usucapião.
42 De acordo com disposição expressa da Constituição da República, os
bens pertencentes às autarquias estaduais são bens integrantes do
patrimônio do próprio estado-membro. Todavia, não se inclui na esfera
de atribuições jurisdicionais dos tribunais de justiça estaduais o
julgamento de conflitos atinentes a bens do estado-membro, quando
envolverem interesses da União.

43 (Analista Judiciário – Área Judiciária – Exec. de Mand. TJDFT – 2003)


- Determinado estado da Federação editou emenda à constituição
estadual, por meio da qual outorgou prerrogativas de caráter processual
penal ao governador de estado, consistentes na imunidade a prisão
cautelar e na imunidade a qualquer processo penal por delitos estranhos
à função governamental.
A respeito da situação hipotética descrita, assinale a opção incorreta.
A A emenda constitucional referida está em desarmonia com o princípio
republicano, que exprime o dogma de que todos os agentes públicos, aí
incluídos os governadores de estado, são igualmente responsáveis
perante a lei.
B A emenda constitucional estadual supra está em dissonância com o
princípio da repartição de competências, corolário do princípio
federativo, uma vez que trata de matéria reservada à legislação federal,
a quem compete, segundo a Constituição da República, legislar sobre
direito processual.
C A emenda constitucional em questão não coaduna com a idéia de
Estado democrático de direito, que atribui responsabilidade a todos os
agentes públicos, sendo conquista básica do regime democrático e
conseqüência necessária da forma republicana de governo adotada pela
Constituição da República.
D A emenda constitucional estadual mencionada, apesar de contrariar
princípios e dispositivos constantes da Constituição da República, por se
tratar de norma de natureza constitucional, não está sujeita ao controle
de constitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal, por meio de
ação direta.
E A emenda constitucional comentada não coaduna com o princípio da
separação dos poderes, pois elide do Poder Judiciário a competência —
estabelecida na Constituição da República — para decretar a prisão do
governador de estado antes de sua condenação penal definitiva.

44 (ACE – TCU – 2004) - É facultado aos estados, com base em sua


competência legislativa suplementar, elaborar lei estadual que discipline
a exploração de serviços remunerados de transporte de passageiros por
meio da utilização de motocicletas.

45 (ACE – TCU – 2004) - A decretação de intervenção da União no


estado q u e suspender, sem motivo de força maior, o pagamento da
dívida fundada por mais de dois anos consecutivos tem por pressuposto
o provimento pelo STF de representação proposta pelo procurador-geral
da República.
(Analista de Assuntos Jurídicos – SERPRO/2004) - Julgue os itens a
seguir, relativos à organização dos poderes do Estado.
46 A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de
municípios, dentro do período determinado por lei complementar
estadual, dependerão de consulta prévia, mediante plebiscito, às
populações dos municípios envolvidos, após divulgação dos estudos de
viabilidade municipal, apresentados na forma da lei.
47 Cada ente federativo, mediante lei ordinária de iniciativa do Poder
Executivo, poderá instituir regime de previdência complementar para os
servidores públicos titulares de cargos efetivos, organizados em
entidades fechadas de previdência complementar, de natureza pública,
que oferecerão aos respectivos participantes planos de benefícios
somente na modalidade de contribuição definida.
48 (Analista de Assuntos Jurídicos – SERPRO/2004) - A intervenção da
União em estado federado que deixe de aplicar o mínimo exigido da
receita resultante de impostos estaduais, incluindo a fração proveniente
do fundo de participação e demais transferências, na manutenção e
desenvolvimento do ensino e nas ações e serviços públicos de saúde,
depende de provimento pelo STF de representação apresentada pelo
procurador-geral da República em sede de ação direta de
inconstitucionalidade interventiva.
49 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - Se uma emenda
constitucional revogasse o dispositivo que confere à União competência
privativa para legislar sobre registros públicos, a regulação dessa
matéria passaria à competência legislativa comum da União, dos
estados e dos municípios.
50 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - Seria inconstitucional
dispositivo de constituição estadual que conferisse aos governadores de
estado, em caso de urgência e relevância, o direito de editar medidas
provisórias com força de lei estadual.

51 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - Se o estado do Pará


tivesse um número de eleitores quinze vezes maior que o do estado de
Roraima, o Pará teria direito a uma representação na Câmara dos
Deputados quinze vezes maior que a de Roraima.

52 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - Seria inconstitucional


dispositivo de lei estadual do Pará que estabelecesse para todo cidadão
entre 20 e 40 anos de idade o dever de efetuar, ao menos, uma doação
anual de sangue.

53 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - Seria inconstitucional lei


do estado do Pará que conferisse três dias de licença a todo servidor
público estadual que efetuasse doação de medula óssea para fins de
transplante.

54 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - No caso de intervenção


federal para prover o cumprimento de decisão judicial, compete ao STF
a decretação da intervenção.

55 (Defensor Público da União – 2004) - Sem embargo das capacidades


de autogoverno e de auto-organização dos estados-membros, há
determinadas normas da Constituição da República que eles precisam
observar, tais como as que, na doutrina, são identificadas como
princípios constitucionais sensíveis, princípios constitucionais extensíveis
e princípios constitucionais estabelecidos. O desrespeito a princípio
constitucional sensível pode acarretar a intervenção da União no estado.

56 (Defensor Público da União – 2004) - As hipóteses de intervenção da


União no estado federado são taxativamente discriminadas na
Constituição da República. Conforme entendimento do STF, no caso de
descumprimento de decisão judicial, o seu atendimento, mesmo que
tardio, impede o prosseguimento do processo de intervenção.

57 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - A Constituição da República prevê


a possibilidade de os estados-membros, por meio de leis
complementares, instituírem regiões metropolitanas, constituídas por
agrupamentos de municípios limítrofes, com a finalidade de integrar a
organização, o planejamento e a execução de funções públicas de
interesse comum; não obstante, em respeito à autonomia política,
administrativa e financeira dos municípios, decorrente da estrutura
tridimensional do federalismo brasileiro, a eficácia dessas leis
complementares está condicionada à aprovação da população dos
municípios envolvidos, nos termos da respectiva lei orgânica.

58 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - Não só o desrespeito aos chamados


princípios constitucionais sensíveis, inseridos na Constituição da
República, permite a decretação de intervenção dos estados nos
municípios; também a afronta a princípios da constituição estadual é
pressuposto constitucionalmente previsto para essa intervenção.

59 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - As constituições estaduais não


podem estabelecer foro por prerrogativa de função para crimes dolosos
contra a vida praticados por procurador de Estado.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Os estados federados organizam-se e


regem-se pelas constituições que adotam, com observância de princípios
da Constituição Federal. Acerca do âmbito de autonomia política desses
entes, julgue os itens subseqüentes.
60 O Supremo Tribunal Federal (STF), analisando a validade de
constituições estaduais, tem admitido atualmente que estas possam
incluir os delegados de polícia na competência penal originária por
prerrogativa de função do tribunal de justiça.
61 Independentemente de previsão na constituição estadual, o STF
reconhece legitimidade a governador para expedir medida provisória em
caso de relevância e urgência, haja vista a aplicação do princípio da
simetria ao modelo federal em matéria de processo legislativo.
QUESTÃO 2
62 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Na medida em que os
estados federados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou
desmembrar-se para se anexarem a outros ou formarem novos estados
ou territórios federais, mediante aprovação da população diretamente
interessada, por meio de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei
complementar, é admissível que emenda à Constituição da República
institua a forma unitária de estado, desde que se respeitem a existência
da União, o princípio do estado democrático de direito e se preservem
como fundamentos da República a soberania, a cidadania, a dignidade
da pessoa humana, os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o
pluralismo político.

63 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - A iniciativa popular pode ser


exercida pela apresentação à Câmara dos Deputados de projeto de lei
subscrito por, no mínimo, 1% do eleitorado nacional, distribuído por,
pelo menos, cinco estados, com não menos de 0,3% dos eleitores de
cada um deles; no processo legislativo estadual, pela apresentação à
Assembléia Legislativa de projeto de lei subscrito por, no mínimo, 1%
do eleitorado estadual, distribuído por, pelo menos, cinco municípios,
com não menos de 0,3% dos eleitores de cada um deles; e no processo
legislativo municipal, assim como no do DF, pela apresentação à Câmara
Municipal ou à Câmara Legislativa, conforme o caso, de projeto de lei
subscrito por, no mínimo, 1% do eleitorado municipal, ou do DF,
conforme o caso, distribuído por, pelo menos, cinco seções eleitorais,
com não menos de 0,3% dos eleitores de cada uma delas.

64 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Acerca do estado


do Tocantins, assinale a opção incorreta.
A Foi criado por norma transitória da Constituição Federal.
B Integra a região Norte, fazendo divisa com Goiás, Bahia, Piauí,
Maranhão, Pará, Amazonas e Mato Grosso.
C Teve capital provisória até a aprovação da sede definitiva do governo
pela Assembléia Estadual Constituinte.
D Com sua criação, o estado de Goiás ficou liberado dos débitos e
encargos decorrentes de empreendimentos no território desse novo
estado.
E Foi instalado antes da promulgação da Constituição Estadual.
QUESTÃO 83
65 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Considerando o
modelo de organização do Estado brasileiro, assinale a opção incorreta.
A O plebiscito às populações interessadas é condição necessária à
criação de município.
B Compete privativamente à União legislar sobre registros públicos.
C Em matéria de legislação concorrente, o estado está autorizado a
legislar plenamente, na ausência de normas gerais da União.
D É vedada a criação de tribunal de contas municipal para o exercício do
controle externo.
E É causa de intervenção federal a inobservância da forma republicana e
do sistema representativo por qualquer município.
QUESTÃO 90
66 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Nos Estados
modernos, na repartição das competências entre as entidades
componentes do Estado federal, as constituições têm combinado as
técnicas de definição de poderes enumerados, remanescentes ou
indicados com a possibilidade de delegação e com o estabelecimento de
áreas comuns de competência ou de setores concorrentes.

(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - No que se refere à


União e aos estados-membros, julgue os itens a seguir.
67 A competência legislativa da União, prevista no art. 22 da
Constituição Federal, é uma competência privativa porque comporta as
possibilidades de delegação e de competência legislativa suplementar
dos estados e do Distrito Federal (DF).
68 Segundo o STF, os limites constitucionalmente estabelecidos para o
poder constituinte estadual determinam que, aplicado o princípio da
simetria, um núcleo central da Constituição Federal seja
obrigatoriamente reproduzido na constituição do estado-membro; caso
contrário, as normas que integram esse núcleo não incidirão sobre a
ordem local.
69 Em razão de sua autonomia financeira, uma conseqüência do
princípio federativo, os estados podem, respeitados os limites
decorrentes do texto da Constituição Federal, promulgar leis estaduais
sobre direito financeiro e estabelecer normas orçamentárias específicas.
70 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - A intervenção do estado
em município depende sempre de
A requerimento do tribunal de contas dos municípios.
B expedição de decreto do governador.
C procedência de ação específica pelo tribunal de justiça.
D referendo da Assembléia Legislativa.
E solicitação da respectiva Câmara Municipal, aprovada pelo voto da
maioria absoluta de seus membros.
QUESTÃO 1 1
71 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Incluem-se entre os
bens do estado do Ceará
A os rios que banham mais de um município, mas que têm nascente e
foz em seu território.
B as praias que banham o litoral cearense.
C os recursos minerais do seu território.
D as terras ocupadas pelos índios situadas exclusivamente dentro dos
limites geográficos do estado.
E os sítios arqueológicos localizados em quaisquer de seus municípios.
QUESTÃO 1 2
72 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - O Distrito Federal, embora
englobando, também, as competências reservadas aos municípios,
constitui uma autêntica unidade federada equivalente aos estados,
dispondo de amplo poder de auto-organização em relação à sua
estrutura administrativa e à organização dos Poderes Executivo,
Legislativo e Judiciário.

(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - Acerca da organização do


estado brasileiro, julgue os itens que se seguem.
73 A intervenção em estado pela União pode ser proposta ao presidente
da República pelo TCU, quando deixar o governador de prestar contas
de verbas recebidas do ente federal.
74 Havendo competência concorrente para legislar sobre determinada
matéria e não tendo sido editadas normas gerais pela União e pelo
respectivo estado, ao município é vedado legislar sobre essa matéria,
ainda que para atender interesse local.
75 Um governador de estado não pode tomar posse em cargo na
administração pública federal, ainda quando decorrente de concurso
público, sob pena de perda do seu mandato.
76 Entre os bens da União estão os recursos minerais do solo e do
subsolo.
77 O subsídio máximo de um vereador corresponde a 75% do subsídio
pago aos deputados estaduais, sendo, ainda, limitado pela Constituição
o total da despesa com remuneração dos parlamentares municipais.
78 O subsídio do governador de estado é fixado por decreto legislativo.

79 (Técnico Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Os estados


federados têm competência exclusiva para criar, incorporar, fundir e
desmembrar municípios, desde que obedeçam aos ditames de lei
estadual e de lei complementar estadual.

80 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Enquanto


os princípios federais extensíveis se identificam com normas centrais
comuns à União, estados, Distrito Federal e municípios, os princípios
estabelecidos são identificados difusamente no texto constitucional,
restringindo-se aos estados-membros.

81 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Ao


vereador se estendem as mesmas imunidades formais e materiais que
protegem os representantes do Congresso Nacional, restritas à
circunscrição municipal.

82 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - a


organização do Estado brasileiro estabelecida pela Constituição da
República de 1988, cabem à União as competências que não tenham
sido atribuídas aos estados federados nem aos municípios.

83 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - Em razão da


autonomia dos estados-membros, do Distrito Federal e dos municípios,
decorrente do princípio federativo, estes podem adotar, na constituição
ou na lei orgânica de cada um deles, conforme o caso, regras próprias
para o processo legislativo, distintas do modelo da Constituição Federal.

Gabarito:

1. C

2. E
3. C

4. C

5. C

6. E

7. C

8. E

9. E

10. C

11. E

12. C

13. E

14. C

15. C

16. E

17. C

18. E

19. C

20. C

21. E

22. E

23. C

24. E

25. C

26. C
27. C

28. C

29. E

30. C

31. C

32. C

33. C

34. E

35. C

36. E

37. E

38. C

39. E

40. E

41. C

42. E

43. D

44. E

45. E

46. E

47. C

48. C

49. E

50. E
51. E

52. C

53. E

54. E

55. C

56. C

57. E

58. C

59. C

60. E

61. E

62. E

63. E

64. B

65. E

66. C

67. C

68. E

69. C

70. B

71. A

72. E

73. E

74. E
75. C

76. C

77. C

78. E

79. E

80. C

81. E

82. E

83. E
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

(Auditor do TCDF/2002) - É da tradição do constitucionalismo brasileiro


a vedação de acumulações funcionais no âmbito da administração
pública. Ainda que a Constituição de 1824 fosse silente sobre o assunto,
já na época do Brasil colonial a legislação ordinária previa a proibição.
No sistema republicano, as constituições sempre se ocuparam de vedar
acumulações remuneradas no momento de disciplinar matéria sobre
funcionários ou servidores públicos. Nada obstante, algumas
constituições relativizaram o princípio e várias situações concretas
emergiram como polêmicas.
No referente à disciplina constitucional do princípio em questão e sua
interpretação pelo STF, julgue os itens abaixo.
1 No regime constitucional imediatamente anterior à Constituição de
1988, havia proibição de acumular proventos com vencimentos de cargo
público fora das hipóteses expressamente permitidas, prevalecendo o
entendimento de que o aposentado, em circunstância não-autorizada de
acumulação, poderia vir a perceber vencimento de cargo efetivo se
renunciasse ao pagamento de proventos.
2 A acumulação de cargo técnico ou científico com o de professor já era
admitida na vigência da Constituição anterior à atual, mas estava
condicionada à observância do requisito da correlação de matérias, que
hoje não é exigido.
3 Embora a redação original da Constituição da República de 1988
tivesse mantido o princípio geral da inacumulação remunerada, o STF
entendeu que, por não haver norma referente a aposentados, não se
poderia construir proibição não-existente, sendo, portanto, lícito que
servidores públicos aposentados pudessem fazer novos concursos
públicos e acumular seus proventos com a remuneração do novo cargo.
4 A Emenda Constitucional n.º 20, que cuidou da chamada “reforma
previdenciária”, vedou expressamente a possibilidade de um procurador
do DF aposentado vir a perceber simultaneamente a seus proventos a
remuneração correspondente ao cargo de auditor da carreira tributária,
ainda que a investidura neste último tenha ocorrido antes dessa emenda
constitucional, consagrando, assim, a teoria de que o direito adquirido
não é garantia oponível ao constituinte, mas apenas ao legislador.
5 Apenas os médicos podem acumular dois cargos ou empregos, mas
não os dentistas ou fisioterapeutas; tal ocorre porque a redação atual da
Constituição da República, ao explicitar as exceções ao princípio geral da
inacumulação, não admite interpretação extensiva para albergar outros
profissionais de saúde.
QUEST
No De acordo com a jurisprudência atual e dominante no STF referente
ao acesso aos cargos e empregos públicos e à exigência de concurso
público, julgue os itens que se seguem.
6 Durante o prazo de validade do concurso, havendo candidatos
aprovados e vagas suficientes, a administração pública está obrigada a
nomeá-los.
7 Em razão do princípio da vinculação ao edital, o exame psicotécnico
pode ser estabelecido para concurso público, ainda que não-exigido por
lei, podendo ter caráter subjetivo, desde que haja expressa previsão no
edital, não-impugnada pelo candidato antes de sua realização.
8 Para fins de concurso público, a prescrição da pretensão punitiva não
é causa de desconsideração de antecedentes criminais, necessários que
são para se aferir capacitação moral para o exercício da função pública.
9 O chefe do Poder Executivo tem iniciativa privativa para propor leis
que disponham acerca do provimento de cargos públicos, razão pela
qual é inconstitucional a lei de iniciativa parlamentar que disponha sobre
limite de idade para determinada carreira.
10 A exigência de altura mínima para o exercício de cargo público é
incompatível com o regime constitucional de preservação da dignidade
humana, não podendo constituir exigência legal ou editalícia.

(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O A sujeição


da admissão ao serviço estatal à prévia aprovação em concurso público
atende aos princípios da moralidade e da impessoalidade, ao evitar o
favorecimento de afilhados ou terceiros, o que ocorre sempre em
detrimento daqueles que, embora capazes, não tenham aproximação
com o administrador e não possam beneficiar-se de seus favores. Por
outro lado, privilegia o mérito, apurado de maneira impessoal e
comprovado mediante aprovação em certame no qual se observam as
normas de correção, decência e transparência. Além disso, assegura a
lealdade à administração, na medida em que o administrador só
convocará os mais capazes, que demonstrem aptidão para o serviço
público, rejeitados os que não preencham requisitos específicos. Acerca
do princípio constitucional do concurso público, julgue os itens de 7 a
13.
11 Durante muito tempo, doutrina e jurisprudência consagraram o
entendimento de que a aprovação em concurso público gerava mera
expectativa de direito à nomeação. Somente quando violada a ordem de
classificação, o candidato poderia Ter direito perante o Poder Judiciário.
Atualmente, conforme orientação do STF, é possível reconhecer o dever
da administração pública de nomear os candidatos aprovados para as
vagas disponíveis ou oferecidas no edital que rege o concurso público. A
não-nomeação nessas condições, salvo por motivo relevante
devidamente justificado, viola direito líquido e certo do candidato,
passível de ser argüido perante o Poder Judiciário.

12 A Constituição da República limita a validade do concurso ao prazo


de dois anos, prorrogável por igual período. Realizada a convocação
dentro desse prazo, a concretização dos atos administrativos
necessários ao preenchimento de vaga, entre eles a nomeação e a
posse, poderá ocorrer em momento posterior, buscando apenas dar
efetividade ao preceito constitucional.

13 Doutrina e jurisprudência são uníssonas em afirmar que o princípio


do concurso público incide sobre as empresas públicas e as sociedades
de economia mista federais, estaduais e municipais, independentemente
de serem ou não entidades exploradoras de atividade econômica. A
regra também se aplica aos cargos de direção e aos empregos de
confiança existentes nas estatais.

14 É pacífico o entendimento jurisprudencial acerca da legalidade da


exigência de exame psicotécnico em concurso público, sendo vedado,
contudo, conferir-lhe caráter sigiloso e irrecorrível, sob pena de violar-se
a garantia constitucional do devido processo legal.

15 Em determinadas circunstâncias e de acordo com a natureza do


trabalho a ser desempenhado, o STF já reconhece que a lei possa
estabelecer limites máximo e mínimo de idade para a admissão no
serviço público. Todavia, essa limitação etária deve ser concebida com
razoabilidade, sem rigor absoluto, de acordo com a exigência do serviço,
sob pena de resvalar para um autêntico abusus legis, configurando
discriminação pela idade, o que é defeso pela Constituição da República.
16 No prazo de validade de concurso já realizado, a abertura de novo
certame com igual finalidade viola direito subjetivo dos candidatos
aprovados anteriormente, resultando daí preterição a direito líquido e
certo.

17 Ao mesmo tempo em que tornou obrigatória a prévia aprovação em


concurso público, a Constituição da República, suprindo lacuna existente
nos ordenamentos políticos anteriores, estabeleceu a competência dos
tribunais de contas de apreciar, para fim de registro, a legalidade dos
atos de admissão de pessoal na administração direta e indireta,
incluídas as nomeações para cargo de provimento em comissão.

18 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - O direito de greve dos servidores


públicos civis será exercido nos termos e limites definidos em lei
específica.

(Defensor Público – Amazonas/2003) - Acerca da disciplina que rege os


concursos públicos, julgue os itens a seguir.
19 Seria inconstitucional uma lei que estabelecesse que determinados
cargos em comissão seriam providos mediante concurso público.
20 De acordo com a jurisprudência do STF, um candidato aprovado
dentro do número de vagas previsto no edital de um concurso público
tem direito subjetivo público a ser nomeado durante o prazo do
concurso.
21 A Constituição da República determina que os cargos e empregos
públicos são acessíveis apenas aos brasileiros e, portanto, seria
inconstitucional um ato administrativo que admitisse a inscrição de um
estrangeiro para a realização de um concurso público no Brasil.

22 (Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - O direito de greve outorgado


aos servidores públicos civis é considerado direito público subjetivo de
primeira geração, cabendo a lei complementar federal definir os termos
e os limites do exercício desse direito, os serviços ou atividades
essenciais que devem ser preservados, o atendimento das necessidades
inadiáveis da comunidade, bem como as penas a que se sujeitarão os
responsáveis pelos abusos cometidos.

23 (Analista Judiciário – Área Judiciária – Exec. de Mand. TJDFT – 2003)


- A Constituição da República, em seu art. 39, § 3.º, estendeu aos
servidores ocupantes de cargo público, alguns direitos estabelecidos no
art. 7.º, entre eles o direito ao adicional de remuneração para as
atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei. Em face
disso, um servidor público civil pertencente ao quadro de pessoal de
determinado Estado da Federação impetrou mandado de injunção, sob a
alegação de que a ausência de lei regulamentadora estaria
inviabilizando o exercício do direito garantido pela Constituição.
Considerando a situação hipotética acima descrita, assinale a opção
correta.
A O direito objeto do litígio mencionado está inserido no rol dos direitos
sociais, denominados pela doutrina como direitos fundamentais de
segunda geração, que são caracterizados por ações positivas do Estado,
tendo por finalidade a melhoria de condições de vida aos
hipossuficientes, visando à concretização da igualdade social.
B Mesmo se tratando de servidor público estadual, a edição da norma
infraconstitucional regulamentadora da matéria em questão é de
responsabilidade da União, que tem competência exclusiva para legislar
sobre direito do trabalho.
C A lei regulamentadora referente à questão em apreço deve excluir da
sua incidência as trabalhadoras e os menores, visto que a Constituição
da República proíbe qualquer trabalho noturno, penoso, perigoso ou
insalubre às mulheres e aos menores de dezoito anos de idade.
D Por força da Carta Magna Federal, os direitos sociais estendidos aos
servidores públicos são excluídos do regime jurídico de direito público a
eles inerentes, e têm aplicação imediata, independentemente da edição
de norma infraconstitucional regulamentadora.
E Diferentemente do que ocorre no caso dos direitos e deveres
individuais e coletivos, não é cabível mandado de injunção quando a
falta de norma regulamentadora torna inviável o exercício de direitos
sociais previstos na Constituição da República.
QUESTÃO 28
(Analista Judiciário – Área Judiciária – TST – 2003) - Um acidente de
trânsito envolveu um veículo de uma sociedade de economia mista
federal exploradora de atividade econômica e um veículo de uma
embaixada, cuja propriedade pertence, portanto, a um país estrangeiro.
Um dos veículos era dirigido por um empregado da sociedade de
economia mista, domiciliado no Brasil, e o outro, por um empregado
brasileiro da embaixada. O laudo pericial concluiu que o empregado da
sociedade de economia mista havia sido o culpado pelo acidente. Apesar
disso, a embaixada, em razão do acidente, decidiu dispensar seu
empregado, recusando-se a pagar as verbas rescisórias, sob a alegação
de que não se aplicava a esse contrato a legislação trabalhista brasileira.
A respeito dessa situação hipotética, julgue os itens a seguir.
24 Independentemente da atividade que exerce, a sociedade de
economia mista federal referida deverá indenizar o prejuízo causado à
embaixada, uma vez que, por disposição expressa da Constituição
Federal, ela responde objetivamente pelos danos que seus agentes,
nessa qualidade, causarem a terceiros, sendo-lhe assegurado o direito
de regresso contra o responsável pelo acidente.
25 O contrato entre o empregado brasileiro e a embaixada não é regido
pelo direito do trabalho brasileiro, visto que, no sistema jurídico
brasileiro, os tratados ou convenções internacionais regularmente
incorporados ao direito interno situam-se nos mesmos planos de
validade, de eficácia e de autoridade em que se posicionam as leis
complementares, dispondo, portanto, de primazia hierárquica sobre as
leis ordinárias, entre as quais se inclui a Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT).
26 A relação existente entre a sociedade de economia mista e seu
empregado não se subordina ao regime jurídico específico dos
servidores públicos, não se aplicando a ela nenhuma das disposições
previstas na Constituição Federal para os servidores da administração
pública em geral.

27 (ACE – TCU – 2004) - O servidor público investido em cargo de vice-


prefeito pode acumular a remuneração do cargo efetivo com a do cargo
eletivo, desde que haja compatibilidade de horários.

28 (ACE – TCU – 2004) - Um professor universitário aposentado que


preste concurso público p ara analista de controle externo do TCU, em
sendo investido no cargo, poderá acumular os proventos da inatividade
com a remuneração do cargo efetivo.

(Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - Considerando a SSPA como


sendo uma secretaria de estado do Pará, julgue os itens que se seguem,
acerca dessa situação hipotética.
29 A SSPA é dotada de personalidade jurídica de direito público e, por
isso, somente pode preencher cargos de provimento efetivo mediante
concurso público.

(Defensor Público da União – 2004) - Julgue os seguintes itens, a


respeito da administração pública e dos servidores públicos.
30 Para parte da doutrina, o princípio da impessoalidade na
administração pública nada mais representa do que outra formulação do
princípio da finalidade.
31 A Constituição da República admite a contratação temporária de
pessoas sem concurso público, desde que a administração pública
enfrente caso de excepcional interesse público, devidamente justificado
pelo administrador. Para tanto, não há necessidade de previsão
expressa em lei para essa modalidade de contratação.

32 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - Ante a constatação de que a


realização de processo licitatório emperra a agilidade da administração
pública, é constitucionalmente lícito dispensar licitação com base no
princípio constitucional da eficiência, se o ato de dispensa for
devidamente fundamentado.

33 A (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Para a caracterização da


improbidade administrativa, é necessária a existência de dano ao erário.

34 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - O pregão é modalidade de licitação


pública que pode ser utilizada somente pela União.

35 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - As vantagens pessoais dos


servidores públicos não estão sujeitas a teto remuneratório.

36 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - A proibição de acumulação de


cargos, empregos e funções não abrange as sociedades subsidiárias de
sociedades de economia mista.

37 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - A estabilidade de servidores


ocupantes de cargo de provimento efetivo em razão de concurso público
somente pode ser afastada por sentença judicial transitada em julgado
ou mediante processo administrativo no qual se assegure ao servidor
ampla defesa.

38 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Os atos de improbidade


administrativa importarão a cassação dos direitos políticos, a perda da
função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário,
na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal
cabível.
39 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Entre as causas
de perda do cargo público pelo servidor civil estável, não se inclui o(a)
A excesso de despesa com pessoal.
B condenação criminal com trânsito em julgado.
C condenação por improbidade administrativa com trânsito em julgado.
D insuficiência de desempenho.
E investidura em mandato eletivo.

40 (Agente da Polícia Federal – 2004 – Regional) - O presidente da


República pode dispor sobre a organização da Polícia Federal por meio
de decreto, desde que isso não implique aumento de despesa ou
extinção dos cargos vagos.

(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Acerca da


administração pública e dos servidores públicos, julgue os itens que se
seguem.
41 Na Constituição Federal, a inserção do princípio da eficiência como
princípio administrativo geral fez acompanhar-se de alguns mecanismos
destinados a facilitar a sua concretização, como a participação do
usuário na administração pública indireta e a possibilidade de aumento
da autonomia gerencial, orçamentária e financeira dos órgãos e
entidades da administração direta.
42 O regime previdenciário do servidor público é de caráter contributivo
e solidário e constituído por recursos decorrentes, exclusivamente, da
contribuição dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas.

43 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - A Constituição da República


assegura estabilidade aos servidores nomeados para cargo de
provimento efetivo em virtude de concurso público, após três anos de
efetivo exercício, a qual somente pode ser afastada em virtude de
sentença judicial transitada em julgado ou mediante processo
administrativo no qual se assegure ao servidor a ampla defesa.

44 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Nos casos de improbidade


administrativa, poderá dar-se até mesmo a cassação de direitos
políticos, na forma e gradação previstas em lei.
45 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Na Constituição da
República, não há dispositivo que impeça que o Estado eleja o regime
celetista para contratação de empregados públicos na administração
pública direta, nas autarquias e nas fundações públicas.

46 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Repouso semanal


remunerado, remuneração do serviço extraordinário superior, no
mínimo, em 50% à do normal, férias anuais remuneradas, com
acréscimo de um terço, fundo de garantia do tempo de serviço, licença à
gestante, entre outros, são direitos trabalhistas assegurados pela
Constituição da República aos servidores ocupantes de cargos públicos.

47 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - As pessoas jurídicas de


direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos
devem responder pelos danos que seus agentes, nessa qualidade,
causarem a terceiros, ainda quando ficar caracterizada culpa exclusiva
da vítima.

48 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - A administração pública


direta dos estados obedecerá aos princípios de legalidade, de
impessoalidade, de moralidade e de publicidade, mas o princípio de
eficiência ainda não se encontra previsto expressamente na Constituição
da República.

49 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - De acordo


com as normas constitucionais aplicáveis aos servidores públicos, estes,
quando estáveis, podem perder o cargo por força de sentença judicial
transitada em julgado, de processo administrativo em que se garanta a
ampla defesa e de procedimento de avaliação de desempenho, realizado
periodicamente, na forma de lei complementar. No caso de perda do
cargo por força de decisão judicial, a sentença condenatória criminal,
em certos casos, também pode acarretar a perda do cargo.

Gabarito:

1. C

2. C
3. E

4. E

5. E

6. E

7. E

8. E

9. C

10. E

11. *

12. E

13. E

14. C

15. C

16. *

17. E

18. C

19. C

20. *

21. E

22. E

23. A

24. E

25. E

26. E
27. E

28. C

29. E

30. C

31. E

32. E

33. E

34. E

35. E

36. E

37. E

38. E

39. E

40. E

41. C

42. E

43. E

44. E

45. C

46. E

47. E

48. E

49. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
PODER LEGISLATIVO

1 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - As comissões


do Congresso Nacional só devem receber petições, reclamações,
representações ou queixas de qualquer pessoa, quando se tratar de
matéria de direito público, mediante atuação de advogado ou do
Ministério Público.
2 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - As comissões
do Congresso Nacional podem apreciar programas de obras, planos
nacionais, regionais e setoriais de desenvolvimento, cabendo remissão
para o Congresso Nacional no sentido de este emitir parecer.
3 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Considere a
seguinte situação hipotética. Um deputado licenciou-se, sem
remuneração, da Câmara dos Deputados para cuidar da administração
de sua fazenda no interior de Goiás, no período compreendido entre os
meses de maio a julho de 2002.
Nessa situação, não cabe alegação de perda de mandato.

4 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Delegação legislativa que


atribua ao presidente da República o direito de elaborar lei delegada
acerca da proteção da relação de emprego contra despedida arbitrária
ou sem justa causa somente pode ser aprovada, em ambas as casas do
Congresso Nacional, pelo voto da maioria absoluta de seus membros.

(Consultor Legislativo – Senado/2002) - A respeito do Poder


Legislativo, do sistema tributário nacional e das atribuições do Senado
Federal, julgue os itens que se seguem.
5 Considerando que reforma na estrutura administrativa do Poder
Executivo federal ocorrida no final da década passada extinguiu os
ministérios militares, subordinando as Forças Armadas a um único
Ministério da Defesa e extinguindo o status de ministro dos
comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, o Senado
Federal deixou de ser competente para julgar os referidos comandantes
pela prática de crimes de responsabilidade.
6 Para que o estado de Tocantins possa contrair empréstimo frente a
um banco privado suíço, é necessário aprovação do Senado Federal.
7 O Senado Federal pode estabelecer, mediante resolução aprovada pela
maioria absoluta de seus membros, alíquotas mínimas para o imposto
sobre as operações relativas à circulação de mercadorias e sobre
prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de
comunicação (ICMS), ainda que as operações e as prestações iniciem-se
no exterior, incidente sobre operações internas.
8 Para que o número de suplentes de cada senador da República fosse
aumentado para três, seria necessário emenda constitucional de
iniciativa exclusiva do Senado Federal.
9 A Mesa do Senado Federal pode declarar, de ofício, a perda do
mandato de senador que tiver seus direitos políticos cassados em
virtude do cancelamento de sua naturalização; contudo, senador que
sofrer condenação criminal transitada em julgado somente perderá seu
mandato por decisão da maioria absoluta dos membros do Senado
Federal, em votação secreta.

10 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - A convocação de comissão


parlamentar de inquérito no Senado Federal exige requerimento do
mesmo número de senadores necessário para propor emenda
constitucional.
11 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - As comissões do Congresso
Nacional e de suas casas, inclusive as comissões parlamentares de
inquérito, podem convocar ministros de Estado para comparecerem
perante a comissão e prestarem informações.

12 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Enquanto, na Câmara dos


Deputados, a legislatura é de quatro anos, no Senado Federal, a
legislatura é de oito anos.
QUESTÃO 61
13 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - É da competência exclusiva do
Congresso Nacional a incorporação, a subdivisão ou o desmembramento
de áreas de territórios ou estados, ouvidas as respectivas assembléias
legislativas.

(Procurador TCE/RN – 2002) - As imunidades parlamentares


representam elemento preponderante para a independência do Poder
Legislativo. São prerrogativas, em face do direito comum, outorgadas
pela Constituição da República aos membros do Congresso Nacional,
para que estes possam ter bom desempenho de suas funções. As
imunidades são garantias funcionais, normalmente divididas em
materiais e formais, admitidas nas Constituições para o livre
desempenho do ofício dos membros do Poder Legislativo e para evitar
desfalques na integração do respectivo quorum necessário para a
deliberação.
Alexandre de Moraes. Direito constitucional. 9.a ed. São Paulo: Atlas,
2001, p. 388 (com adaptações).
Considerando o texto acima, julgue os itens que se seguem, relativos à
temática nele apresentada.
14 Em face da imunidade parlamentar material, senadores e deputados
federais não respondem pelos chamados delitos de opinião ou de
palavra, como os crimes contra a honra, incitamento a crime, vilipêndio
oral a culto religioso e apologia de crime ou criminoso. Nesses casos, os
parlamentares ficam livres do inquérito policial e do processo criminal. O
regime de inviolabilidade ou imunidade parlamentar material alcança
somente a esfera penal, não havendo repercussão na esfera cível.
15 A partir da expedição do diploma, os membros do Congresso
Nacional não poderão ser presos, salvo em flagrante de crime
inafiançável. Nesse caso, os autos serão remetidos dentro de 24 horas à
Casa respectiva, para que, pelo voto da maioria absoluta de seus
membros, delibere acerca da prisão.
16 A imunidade parlamentar formal não exclui a tipicidade da conduta.
O fato constitui crime, sendo punível o seu autor. Quando da prática de
delitos em que não se aplique a cláusula de atipicidade característica
dos chamados delitos de opinião, os parlamentares podem ser
livremente processados, sem necessidade de prévia licença da Casa
respectiva, extinta, assim, a antiga exigência de autorização. No
entanto, recebida a denúncia por crime ocorrido após a diplomação, o
STF deverá dar ciência à respectiva Casa, que, por iniciativa de partido
político nela representado e pelo voto da maioria de seus membros,
poderá, até a decisão final do processo criminal, sustar o andamento da
ação penal.
17 Cessada, por qualquer motivo, a investidura no mandato, com seu
término ou eventual cassação, o parlamentar perderá a prerrogativa de
foro para as infrações de natureza criminal. Caso o congressista venha a
afastar-se provisoriamente para assumir determinado ministério ou
exercer outro cargo público que não seja incompatível com a sua
condição de parlamentar, também não subsistirá o foro privilegiado.
18 A proteção resultante da garantia da imunidade em sentido material
somente alcança o congressista nas hipóteses em que as palavras e
opiniões por ele expendidas o tenham sido no exercício do mandato ou
em razão deste, de tal modo que cessará essa especial tutela de caráter
político-jurídico sempre que deixar de existir, entre as declarações
moralmente ofensivas, de um lado, e a prática inerente ao ofício
legislativo, de outro, o necessário nexo de causalidade.
5
19 (Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - Quanto ao poder
legislativo, julgue o item seguinte.
O poder legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que é composto
pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal. A Câmara dos
Deputados é composta de representantes dos estados e do Distrito
Federal, eleitos pelo sistema proporcional; o Senado Federal é composto
de representantes do povo, eleitos segundo o princípio majoritário.

20 (Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - No que se refere


às competências do Congresso Nacional, julgue o item subseqüente.
Cabe ao Congresso Nacional sustar os atos normativos do poder
executivo que exorbitem do poder regulamentar ou dos limites de
delegação legislativa.

21 (Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - Com relação às


competências da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, julgue o
seguinte item.
Compete à Câmara dos Deputados processar e ao Senado Federal julgar
o presidente e o vice-presidente da República nos crimes de
responsabilidade.

22 (Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - No que concerne


à fiscalização contábil, financeira e orçamentária, julgue o item abaixo.
Compete ao Tribunal de Contas da União, no âmbito da União, e aos
Tribunais de Contas Estaduais, no âmbito dos estados, a titularidade e o
exercício do controle externo da administração pública.

23 (Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - A Constituição da República,


em seu art. 71, inciso II, dispõe que o controle externo da
administração pública será feito pelo Congresso Nacional, com auxílio do
Tribunal de Contas da União, ao qual compete julgar as contas dos
administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores
públicos da administração direta e indireta, incluídas as fundações e as
sociedades instituídas e mantidas pelo poder público federal, e as contas
daqueles que derem causa a perda, extravio ou outra irregularidade de
que resulte prejuízo ao erário público. Segundo jurisprudência do
Supremo Tribunal Federal (STF), esse dispositivo não se aplica às
sociedades de economia mista.
24 (Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Considere a seguinte situação
hipotética.
Com base na premissa de que as comissões parlamentares de inquérito
(CPIs) têm poderes de investigação próprios das autoridades judiciais, o
presidente de uma CPI, regularmente instalada, determinou, mediante
fundamentação apropriada, a busca e apreensão de documentos na
residência de um servidor público investigado.
Nessa situação, a determinação do presidente da CPI está em desacordo
com a Constituição da República, por se tratar de ato sujeito ao princípio
constitucional da reserva de jurisdição.

25 (Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - As decisões dos tribunais de


contas de que resultem imputação de débito ou multa terão eficácia de
título executivo e serão executadas pelos respectivos tribunais.

(Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Acerca das garantias de


independência dos agentes políticos, julgue os itens que se seguem.
26 Considere a seguinte situação hipotética.
Um deputado federal concedeu entrevista a um jornal, acusando o
presidente de uma autarquia federal de conivência com corrupção
existente nesse órgão.
Nessa situação, o parlamentar não estaria amparado pela imunidade
parlamentar, visto que o ato foi praticado fora do ambiente do
Congresso Nacional e, portanto, fora do exercício estrito do mandato.

27 Considere a seguinte situação hipotética.


Em discurso na tribuna da Câmara dos Deputados, um deputado federal
afirmou que determinado empresário ofereceu vantagem indevida a
servidor público a fim de ser beneficiado em licitação pública.
Nessa situação, com o término do mandato, o parlamentar, caso não
seja reeleito, poderá ser responsabilizado penalmente em razão do seu
discurso.

28 A imunidade processual parlamentar, prevista na Constituição da


República, resume-se na possibilidade de sustação do processo criminal
já em andamento pela respectiva casa legislativa.
29 (Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Considere a seguinte situação
hipotética.
Um deputado federal foi condenado em processo criminal, com decisão
transitada em julgado, pelo crime de corrupção passiva.
Nessa situação, um dos efeitos da decisão judicial será a automática
suspensão dos direitos políticos do parlamentar e a conseqüente perda
do mandato.

(Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - O art. 37 da Constituição


Federal, inserido no capítulo que cuida da administração pública, em seu
inciso VII, estabelece o seguinte: “o direito de greve será exercido nos
termos e nos limites definidos em lei específica”. O sindicato
representativo da categoria dos servidores públicos federais em
determinado município, legalmente constituído e em funcionamento há
mais de um ano, ingressou na justiça com mandado de injunção, sob a
alegação de que a falta de norma regulamentadora estaria tornando
inviável o exercício de direito garantido pela Constituição da República
em seu art. 37, inciso VII.
Em face dessa situação hipotética, julgue os itens subseqüentes.
30 A omissão legislativa mencionada deve ser atribuída
necessariamente ao Congresso Nacional, haja vista que é competência
privativa da União legislar sobre qualquer matéria atinente a regime
jurídico de servidores públicos, independentemente da esfera de
governo a que pertençam.

(Analista Judiciário – Área Judiciária – TST – 2003) - O tribunal regional


federal (TRF) de determinada região, por meio de uma resolução
administrativa, concedeu gratificação de natureza salarial extensiva a
todos os seus servidores. O Ministério Público (MP) questionou o TRF
acerca da constitucionalidade da medida, além de comunicar o ocorrido
ao Tribunal de Contas da União (TCU). Diante desse fato, o TRF decidiu
suspender o pagamento da referida gratificação. O sindicato dos
servidores do TRF, legalmente constituído e em funcionamento havia
mais de um ano, impetrou mandado de segurança coletivo contra a
suspensão do pagamento da gratificação. Em entrevista à imprensa, o
presidente do sindicato declarou que iria, ainda, requerer ao Supremo
Tribunal Federal (STF) uma afirmação da constitucionalidade da
gratificação.
A respeito dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.
31 Configurada a ilegalidade das despesas eventualmente efetuadas
com o pagamento da gratificação mencionada, o TCU tem competência
para aplicar aos responsáveis as sanções previstas em lei, inclusive
multa proporcional ao prejuízo causado ao erário, mediante
procedimento em que lhes sejam assegurados o contraditório e a ampla
defesa.

(Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - Em um estado no


qual não há tribunal de contas dos municípios e nenhum município
possuía tribunal ou conselho de contas, em 5/10/1988, auditoria
realizada pelo tribunal de contas do referido estado, na área de
licitações de uma das secretarias que integram a estrutura do Poder
Executivo de certo município, constatou que um funcionário, ocupante
de cargo efetivo há quatro anos, na prefeitura, para o qual foi nomeado
em razão de concurso público, na condição de presidente da comissão
de licitações, fraudou um certame licitatório, a fim de celebrar um
contrato, na área de fornecimento de merenda escolar e de programa
de treinamento de trabalhadores, com valores superfaturados. Os
recursos a serem utilizados para o pagamento do contrato eram: no que
concerne à merenda escolar, recursos federais, repassados ao município
pelo Ministério da Educação, e, na área de treinamento de
trabalhadores, recursos estaduais, repassados ao município pela
Secretaria de Trabalho do estado. A equipe de auditoria apurou, ainda,
que parte dos recursos que seriam utilizados para pagamento da
empresa contratada havia sido depositada, diretamente, em uma conta
do comitê pró-reeleição do prefeito em exercício.
Com base na situação hipotética acima apresentada e nos aspectos
constitucionais, legais e doutrinários a ela pertinentes, julgue os itens
que se seguem.
32 O sistema de controle externo, adotado na Constituição Federal, nas
esferas federal, estadual e municipal, é uma decorrência do princípio
federativo, uma vez que guarda estreita relação com o respeito à
autonomia das unidades federadas.
33 O tribunal de contas do estado deverá ser o órgão auxiliar da Câmara
Municipal desse município no exercício do controle externo, enquanto
não for criado, no estado, um tribunal de contas dos municípios, criação
esta contra a qual não existe vedação constitucional.
34 No caso de ser processado por prática de crime de apropriação
indébita dos recursos repassados pela União para a merenda escolar, o
prefeito deverá ser julgado pelo tribunal regional federal com
competência na região de localização do município.
35 Em face da aplicação, na elaboração da Constituição Estadual, do
princípio da simetria, com relação às competências do tribunal de contas
do estado, o próprio tribunal de contas poderia sustar a execução do
contrato impugnado, comunicando o fato à Câmara Municipal.

36 (ACE – TCU – 2004) - A possibilidade de prosseguimento de processo


penal contra membro do Congresso Nacional, instaurado no âmbito do
STF, sem a necessidade de licença prévia da Casa a que ele pertença, co
n forme o entendimento do STF, aplica-se, inclusive, aos processos em
que já haja sido negado, com fundamento no texto constitucional
anterior à Emenda Constitucional n.º 35/2001, o pedido de licença para
prosseguimento do processo.

37 (ACE – TCU – 2004) - Cabe ao TCU, no exercício de sua competência


para apreciar a legalidade dos atos da administração direta de
concessão de aposentadoria, promover, de ofício, correções meramente
formais no título jurídico de aposentação sob exame para fins de
registro.
(Técnico de Controle Externo) Acerca da organização, das competências
e do funcionamento do TCU, julgue os itens a seguir.
38_ Não compete ao TCU realizar controle externo das contas dos
administradores do Poder Judiciário.
39 Pelo fato de as sociedades de economia mista serem pessoas
jurídicas de direito privado, as contas dos seus administradores não
estão submetidas à fiscalização do TCU.
40 Considere a seguinte situação hipotética. Uma autarquia federal
contratou Humberto, por tempo determinado, para atender a
necessidade temporária de excepcional interesse público.
Nessa situação, o contrato mediante o qual Humberto foi admitido não
está sujeito a registro no TCU, pois somente os atos de admissão
relativos a cargo público de provimento efetivo são sujeitos a registro
nesse tribunal.
41 Apenas um dos ministros do TCU pode ser livremente escolhido pelo
presidente da República entre os cidadãos brasileiros que preencham os
requisitos constitucionalmente estabelecidos para o exercício desse
cargo.

42 (Analista de Assuntos Jurídicos – SERPRO/2004) - A fixação dos


subsídios dos ministros do STF é de competência do Congresso
Nacional, com a sanção do presidente da República, mediante lei de
iniciativa conjunta dos presidentes da República, da Câmara dos
Deputados, do Senado Federal e do STF.

43 (Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - A Constituição da


República determina que, em cada município, deve haver um tribunal de
contas municipal para fiscalizar o devido cumprimento do orçamento.

(Consultor Jurídico – SESPA/PA – 2004) - Considerando a SSPA como


sendo uma secretaria de estado do Pará, julgue os itens que se seguem,
acerca dessa situação hipotética.
44 Se um deputado federal fosse convidado para exercer o cargo de
secretário da SSPA e decidisse aceitar essa incumbência, ele deveria
renunciar a seu mandato, pois a Constituição da República veda que
parlamentares exerçam cargo remunerado na administração direta
estadual.
45 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - Os tribunais de contas
são os órgãos do Poder Judiciário responsáveis pelo julgamento de
questões judiciais relativas a orçamento e finanças públicas.

46 (Defensor Público da União – 2004) - A Constituição da República


proíbe a recondução dos membros da mesa das casas do Congresso
Nacional, e, segundo já entendeu o STF, essa norma é de reprodução
obrigatória na constituição dos estados-membros.

47 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Acerca do regime


jurídico a que está submetido o mandato parlamentar nos três níveis da
Federação brasileira, assinale a opção incorreta.
A Embora a Constituição Federal não disponha acerca das imunidades
formais dos vereadores, o STF tem entendimento firme de que é
possível estender a eles o regime aplicável aos parlamentares federais e
estaduais, desde que assim disponha a respectiva constituição estadual.
B A imunidade material dos vereadores os protege em suas
manifestações relacionadas ao mandato dentro e fora do recinto da
Câmara Municipal, com abrangência apenas na circunscrição do
município.
C A imunidade formal de parlamentares federais não exclui a
instauração de inquérito policial contra eles, mas as medidas
investigatórias devem ser adotadas no âmbito de procedimento em
curso perante o STF.
D O STF cancelou súmula que garantia a perpetuidade da sua
competência para julgamento de crimes comuns praticados por
parlamentares federais depois de cessados seus mandatos.
E Afastando-se voluntariamente da função parlamentar para ocupar
cargo de secretário de estado no governo local, pode o parlamentar
estadual vir a ser preso caso cometa crime comum, não havendo
necessidade de deliberação da Assembléia Legislativa acerca da prisão.
QUESTÃO 84
(Delegado da Polícia Federal – 2004 – Regional) - Carlos, parlamentar
federal em campanha para reeleição para seu terceiro mandato federal,
durante um passeio por bairros habitados por seus eleitores, encontrou
um adversário político também em campanha eleitoral, em busca de seu
primeiro mandato federal. Indignado com a presença do concorrente em
seu reduto eleitoral, Carlos o agrediu verbalmente, em público, tecendo
comentários ofensivos em razão de sua afro-descendência. Não houve
agressão física porque os correligionários de ambos os candidatos os
afastaram rapidamente.
Com referência a essa situação hipotética, julgue os itens que se
seguem.
48 Carlos poderia ser preso em flagrante delito porque a agressão
verbal com comentários racistas caracteriza, em tese, crime
inafiançável. No entanto, se for processado por esse crime, não deverá
ser condenado, já que os atos praticados estão cobertos por sua
imunidade material.
49 No caso de ser aberto um processo penal, será da Polícia Federal a
competência para a elaboração do inquérito, e o processo, que será de
competência originária do Supremo Tribunal Federal (STF), poderá ter
seu andamento sustado, se nesse sentido houver aprovação, pela
maioria dos membros da Casa a que pertencer o parlamentar, de pedido
de sustação encaminhado à Mesa da Casa por partido político que nela
tenha representação.

50 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na A imunidade de


deputados ou de senadores não pode ser suspensa nem mesmo durante
estado de sítio.

51 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na Há identidade entre o


significado prático de legislatura e o conceito teórico de sessão
legislativa.
52 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - O Congresso
Nacional não entrará em recesso caso o projeto de lei de diretrizes
orçamentárias não seja aprovado até o último dia do primeiro semestre
do ano.

53 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - No que se refere às


prerrogativas e imunidades parlamentares de deputados e vereadores,
assinale a opção incorreta.
A Os deputados estaduais, desde a expedição do diploma, não poderão
ser processados criminalmente sem prévia licença da Assembléia
Legislativa.
B Deputados e vereadores possuem imunidade material, da qual decorre
a impossibilidade de serem responsabilizados, penal e civilmente, por
suas manifestações relacionadas ao exercício do mandato.
C Os vereadores não possuem as imunidades formais dos deputados
estaduais ou federais.
D É possível a prisão em flagrante de deputado por crime inafiançável.
E Desde a diplomação, os deputados federais que co meterem crime
serão submetidos a julgamento no STF, independentemente de se tratar
de crime ocorrido antes ou depois de sua condição de parlamentar.
QUESTÃO 1 0
54 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Com referência à
fiscalização contábil, financeira e orçamentária dos recursos públicos,
assinale a opção correta.
A Os recursos voluntários repassados pela União a estado, ao Distrito
Federal ou a município submetem-se à exclusiva fiscalização do
respectivo Tribunal de Contas do Estado.
B O Tribunal de Contas da União, órgão auxiliar do Congresso Nacional
com a função de controle externo, é composto por membros escolhidos
exclusivamente pelo Presidente da República.
C O Tribunal de Contas do Estado do Ceará tem competência para
apreciar, para fins de registro , a legalidade dos atos de admissão d e
pessoal apenas da administração direta estadual que se submetam a
regime estatutário.
D É função do Tribunal de Contas do Ceará homologar as contas do
ICMS devidas aos municípios.
E Tanto o Tribunal de Contas da União quanto o Tribunal de Contas dos
Estados têm competência para sustar os contratos lesivos ao patrimônio
público que lhes sejam afetos.
QUESTÃO 1 6
55 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Compete à Assembléia
Legislativa do estado de Roraima, antes da nomeação, argüir os
titulares da defensoria pública, da procuradoria-geral do estado, das
fundações públicas, das autarquias, assim como os presidentes das
empresas de economia mista do estado.

56 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - O princípio da


economicidade autoriza aos tribunais de contas o exame de elementos
de fato informadores dos diversos processos subjetivos de tomadas de
decisão de gastos/investimentos públicos frente ao conjunto objetivo
dos resultados alcançáveis, qualificando-os, efetiva ou potencialmente,
como ganhos ou perdas sociais.

(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - Com referência à organização


e ao funcionamento do Poder Legislativo Federal, julgue os itens
seguintes.
57 O processo de elaboração de leis no sistema bicameral impõe que o
projeto aprovado por uma casa seja submetido à outra casa tantas
vezes quantas forem as emendas que cada qual introduzir, de modo a
garantir iguais poderes ao Senado e à Câmara dos Deputados.
58 Um projeto de lei aprovado e remetido ao presidente da República
pode ser vetado no prazo fatal de quinze dias úteis; o veto, por sua vez,
será apreciado em sessão conjunta e pode ser rejeitado, caso em que o
próprio Congresso Nacional promulga a lei.
59 A votação das medidas provisórias sempre se inicia na Câmara dos
Deputados.
60 Compete ao Congresso Nacional fixar o subsídio do presidente da
República, bem como proceder à tomada de suas contas quando não
apresentadas no prazo legal.
61 Somente haverá necessidade de autorização da casa respectiva para
processar parlamentar federal, quando se tratar de crime cometido
depois da diplomação.
62 Não se confundem os conceitos de sessão legislativa e legislatura;
aquela é anual, esta tem duração de quatro anos.
63 O STF já decidiu sobre a extensão dos poderes investigatórios das
comissões parlamentares de inquérito, reconhecendo-se-lhes
possibilidade de determinar quebra de sigilo telefônico, fiscal e bancário.
64 Cabe a uma comissão permanente formada por deputados e
senadores a apreciação das contas prestadas pelo presidente da
República.

65 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - A


instauração de inquérito policial para apuração de crime praticado por
parlamentar é compatível como o instituto da imunidade formal.

(Auxiliar Judiciária – Ar. Adm/Jud – TJAP – 2004) - Julgue os itens


subseqüentes, de acordo com a competência do Poder Legislativo.
66 Ao Congresso Nacional compete resolver definitivamente sobre
tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou
compromissos gravosos ao patrimônio nacional.
67 Compete exclusivamente à Câmara dos Deputados autorizar o
presidente e o vice-presidente da República a se ausentarem do país,
quando a ausência exceder a quinze dias.
68 É competência exclusiva do Senado Federal julgar anualmente as
contas prestadas pelo presidente da República e apreciar os relatórios
sobre a execução dos planos de governo.
69 À Câmara dos Deputados compete, privativamente, entre outras
atribuições, a autorização, por dois terços de seus membros, para a
instauração de processo contra o presidente e o vice-presidente da
República e os ministro de Estado.
70 Compete ao Senado Federal, entre outras atribuições, a autorização
de operações externas de natureza financeira, de interesse da União,
montante da dívida consolidada da União, dos estados, do Distrito
Federal e dos municípios.

71 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - Caso um


deputado estadual seja condenado, durante o exercício do mandato, em
ação por improbidade administrativa ajuizada antes da diplomação, por
sentença transitada em julgado, a suspensão dos direitos políticos
acarretará também a suspensão do exercício do mandato.

Gabarito:

1. E
2. E

3. C

4. E

5. E

6. C

7. C

8. E

9. *

10. C

11. C

12. E

13. E

14. E

15. E

16. C

17. E

18. C

19. E

20. C

21. E

22. E

23. C

24. C

25. E
26. E

27. E

28. C

29. E

30. E

31. C

32. C

33. C

34. E

35. E

36. C

37. E

38. E

39. E

40. E

41. C

42. E

43. E

44. E

45. E

46. E

47. A

48. E

49. C
50. E

51. E

52. C

53. A

54. D

55. C

56. C

57. E

58. E

59. C

60. E

61. E

62. C

63. C

64. C

65. C

66. C

67. E

68. E

69. C

70. C

71. E
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
ESPÉCIES LEGISLATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO

1 (Fiscal de Tributos Estaduais – Alagoas/2002) - Sabendo que a


Emenda Constitucional n.º 32, de 2001, alterou o dispositivo das
medidas provisórias, é correto afirmar que, entre as modificações,
inclui-se a vedação da edição de medidas provisórias pelo presidente da
República em matéria relativa a direitos políticos e direito tributário,
perdendo também a força de lei.

2 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - A comissão parlamentar de


inquérito pode determinar a busca e apreensão de documento localizado
no escritório onde um profissional liberal desempenha suas atividades,
mas a ordem de busca e apreensão somente pode ser cumprida durante
o dia, pois a norma constitucional que estabelece que a casa é asilo
inviolável do indivíduo deve ser interpretada de maneira extensiva, de
modo a abranger local de exercício profissional que constitua ambiente
fechado ou de acesso restrito ao público.

3 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Na elaboração de leis e de


tratados internacionais, a Constituição da República exige a participação
tanto do poder executivo como do legislativo, mas, enquanto os projetos
de lei são inicialmente aprovados pelo Congresso Nacional e somente
então enviados à sanção do presidente da República, os projetos de
decreto legislativo que aprovam tratado internacional somente podem
conter textos previamente aprovados pelo presidente da República, o
que torna dispensável a sanção presidencial ao ato do Congresso
Nacional que aprova convenção internacional e faz que os tratados
internacionais adquiram vigência em todo o território brasileiro a partir
da data da publicação do decreto legislativo que os aprova.

4 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Caso um projeto de lei


descriminando a produção e a comercialização de maconha, de iniciativa
do presidente da República, seja aprovado pela Câmara dos Deputados,
mas rejeitado pelo Senado Federal, será vedado ao Congresso Nacional,
na mesma legislatura, apreciar projeto de idêntico teor, exceto se ele for
proposto pela maioria absoluta dos senadores da República.
E4 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - O veto presidencial é um
instituto aplicável às leis ordinárias, mas não faz parte do processo
legislativo referente às leis complementares, pois o número de votos
necessário para a aprovação de uma lei complementar é suficiente para
rejeitar veto do presidente da República.

5 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Se o presidente da República


editasse medida provisória fixando em 60% o número máximo de
candidatos do mesmo sexo que um partido poderia registrar para
concorrer a eleições proporcionais, esse diploma normativo seria eivado
de inconstitucionalidade.

6 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Para aprovação, pelo Senado


Federal, de projeto de lei ordinária que estabeleça novo tipo penal em
matéria eleitoral, a Constituição exige quorum de mais de metade dos
membros da casa.

7 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Embora os tratados


internacionais sejam celebrados em nome da República Federativa do
Brasil e não em nome da União, convenções internacionais que tratam
de matéria eleitoral que a Constituição da República reserva a lei
complementar não têm validade no plano interno.

8 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O É pacífica


a jurisdição do STF no sentido de que não se insere em sua competência
constitucional o exame da relevância e da urgência, como requisitos da
medida provisória, quando a presença desses requisitos estiver na
dependência subjetiva, estritamente política, e não meramente objetiva.

9 (Procurador TCE/RN – 2002) - Matéria reservada a lei complementar


não pode ser disciplinada por lei ordinária, sob pena de
inconstitucionalidade, embora o inverso seja admitido com
temperamento, considerando-se como válida lei complementar que trate
de matéria cometida a lei ordinária, já que, na hipótese, tem apenas
aparência de lei complementar. Não se trata, nesse último caso, de
inconstitucionalidade, mas, sim, de perda de status, pois a lei
complementar que disciplinar matéria de legislação ordinária terá
validade de simples lei ordinária, em razão do fenômeno da recepção.

(Defensor Público – Amazonas/2003) - Julgue os itens seguintes,


referentes ao processo legislativo.
10 Caso o presidente da República editasse medida provisória dilatando
o prazo de encerramento do alistamento eleitoral, com o objetivo de
propiciar a inclusão de um maior número de eleitores nos pleitos
municipais de 2004, esse diploma normativo seria inconstitucional.
11 Considerando que a República Federativa do Brasil conta com oitenta
e um senadores, é correto afirmar que, para a aprovação de um projeto
de lei complementar, é preciso que, no mínimo, quarenta e um
senadores votem favoravelmente à sua aprovação.

12 (Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - A revogação de


uma medida provisória (MP) por outra apenas suspende a eficácia da
norma ab-rogada, que voltará a vigorar pelo tempo de vigência que lhe
reste, caso haja rejeição tácita ou expressa da MP ab-rogante.

13 (ACE – TCU – 2004) - Se o p residente da República tivesse editado


uma medida provisória majorando o imposto sobre produtos
industrializados em 28/11/2003, essa majoração só produziria efeitos
em 2004 caso a medida provisória tivesse sido convertida em lei até
31/12/2003.

14 (Analista de Assuntos Jurídicos – SERPRO/2004) -No que diz respeito


ao processo legislativo, o projeto de lei iniciado e aprovado em uma
casa deve ser encaminhado para revisão pela outra. Na revisão, se o
projeto for aprovado com emendas, deverá retornar à casa iniciadora,
que as apreciará e, caso sejam rejeitadas, prevalecerá o projeto de lei
original em que ocorreu a deliberação principal.

15 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - As leis federais podem


revogar as leis estaduais, pois têm um maior status hierárquico.

16 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - Os dispositivos


constantes do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT)
não podem ser alterados mediante lei complementar.

17 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Não há, no direito brasileiro, norma


de hierarquia constitucional cuja eficácia possa ser afastada por norma
infraconstitucional.
18 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - O legislador tem liberdade para
editar leis complementares sempre que entender que a matéria deve ser
regulamentada por norma de tal hierarquia.
QUESTÃO 4 0
19 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - A edição de medidas provisórias é
privativa do presidente da República, não podendo os estados conferir
tal prerrogativa a seus governadores.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - No referente ao iter procedimental e


aos efeitos da incorporação de tratados internacionais à ordem jurídica
brasileira, julgue os itens que se seguem.
20 Se o tratado internacional relacionar-se a tributo, deve ser firmado
pelo ente de direito público interno (União, estados, Distrito Federal ou
municípios) a quem se atribua a respectiva competência tributária,
devendo, ainda, ser aprovado por seu respectivo Poder Legislativo.
21 Mesmo com a incorporação ao direito brasileiro da Convenção
Americana de Direitos Humanos — Pacto de São José —, o STF continua
entendendo válida a prisão civil que atinge devedor fiduciante, que,
vencido em ação de depósito, não entregou o bem objeto de alienação
fiduciária em garantia.
QUESTÃO 13
22 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Acerca do
processo legislativo, assinale a opção correta.
A O estado do Tocantins edita medidas provisórias com autorização do
STF fundada no entendimento de que está implícita, na Constituição
Federal, tal competência do governador, independentemente de
previsão constitucional local.
B Salvo disposição constitucional em contrário, as deliberações de cada
Casa congressual são tomadas por maioria absoluta dos votos, presente
a maioria de seus membros.
C As leis complementares editadas antes da promulgação da
Constituição Federal podem ter sido recepcionadas como leis ordinárias,
porque o quórum de aprovação daquelas é maior; já a recepção das leis
ordinárias como complementares esbarra no óbice formal decorrente do
seu simplificado processo legislativo.
D A regra que versa sobre a iniciativa privativa do Presidente da
República para deflagrar processo de elaboração de leis que disponham
sobre remuneração dos servidores públicos é de observância obrigatória
nos estados, não podendo as constituições locais permitir iniciativa
parlamentar para a hipótese.
E As emendas constitucionais são aprovadas em dois turnos de votação,
necessitando do voto de mais de 65% dos parlamentares de cada Casa
do Congresso Nacional.
QUESTÃO 85
23 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na É vedada a reedição, na
mesma sessão legislativa, de medida provisória que tenha sido rejeitada
ou que tenha perdido sua eficácia por decurso de prazo. Do mesmo
modo, a matéria constante de proposta de emenda constitucional
rejeitada ou havida por prejudicada não pode ser objeto de nova
proposta na mesma sessão legislativa. No entanto, a matéria constante
de projeto de lei rejeitado poderá constituir objeto de novo projeto, na
mesma sessão legislativa, desde que haja proposta da maioria absoluta
dos membros de qualquer das casas do Congresso Nacional.

24 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - A Emenda Constitucional


n.º 32, de 1 1 / 9/2001, alterou substancialmente o regime jurídico das
medidas provisórias (MPs). A respeito dessas modificações, assinale a
opcão incorreta.
A Todas as MPs em vigor na data da publicação da emenda tiveram, em
caráter incondicional, sua vigência prorrogada até ulterior revogação por
outra MP ou apreciação pelo Congresso Nacional.
B O regime atual obsta reedições sucessivas da mesma MP, com o
objetivo de manter-lhe a vigência.
C A referida emenda proibiu edição de MP para regular matéria
reservada a lei complementar, modificando, nesse ponto, a
jurisprudência do STF, que entendia, até então , válida MP com força de
lei complementar, desde que aprovada por maioria absoluta.
D A referida emenda tornou explícita a proibição de reeditar, na mesma
sessão legislativa, MP rejeitada pelo Congresso Nacional.
E Tanto no regime anterior como no regime atual, é possível a edição de
MP para regular matéria relativa a tributos.
QUESTÃO 4
25 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Nos termos da Constituição
da República, os projetos de lei deverão ser aprovados,
necessariamente, pelo plenário da Câmara dos Deputados e do Senado
Federal.

26 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - No estado de Roraima,


quando houver rejeição de veto parcial, o dispositivo vetado de um
projeto de lei sancionado pelo governador entrará em vigor com eficácia
retroativa.

(Auxiliar Judiciária – Ar. Adm/Jud – TJAP – 2004) - Julgue os itens a


seguir, considerando o disposto acerca do processo legislativo do
Congresso Nacional.
27 O processo legislativo compreende a elaboração de emendas à
Constituição, as leis complementares, as leis ordinárias, as leis
delegadas, as medidas provisórias, os decretos legislativos e as
resoluções.
28 A lei que dispõe sobre servidores da União e dos territórios, seu
regime jurídico, provimento de cargos, estabilidade e aposentadoria é
iniciativa concorrente do presidente da República e do Congresso
Nacional.
29 As leis delegadas são elaboradas pelo presidente da República, que
deverá solicitar a delegação ao Congresso Nacional.

Gabarito:

1. E

2. E

3. E

4. E

5. C

6. C

7. C

8. C

9. E

10. C

11. C

12. C
13. E

14. C

15. E

16. C

17. E

18. E

19. E

20. E

21. C

22. D

23. C

24. C

25. E

26. E

27. C

28. E

29. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
PODER EXECUTIVO

1(Procurador TCE/RN – 2002) - O presidente da República deverá


afastar-se do exercício de suas funções após a instauração de processo
de impeachment pelo Senado Federal ou, nas infrações penais comuns,
após o recebimento, pelo STF, de queixa-crime ou de denúncia
formulada pelo procurador-geral da República.
2 A destituição do procurador-geral da República, por iniciativa do
presidente da República, deverá ser precedida de autorização da maioria
absoluta dos membros da Câmara dos Deputados.

(Fiscal de Tributos Municipais – Maceió/AL – 2003) - Acerca das


atribuições privativas do presidente da República, julgue os itens 161 e
162.
3 Compete ao presidente da República decretar o estado de defesa e o
estado de sítio, bem como decretar e executar a intervenção federal.
4 Cabe ao presidente da República celebrar tratados, convenções e atos
internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional.

5 (ACE – TCU – 2004) - Segundo a Constituição Federal, o presidente


da República pode, por meio de decreto, promover todos os atos
necessários à organização e ao funcionamento da administração federal,
salvo quando o ato implicar aumento de despesa ou criação ou extinção
de órgãos públicos.

6 (Defensor Público da União – 2004) - As eleições para o Poder


Executivo no Brasil adotam o sistema majoritário, sendo o majoritário
puro para os prefeitos municipais em municípios menores e o
majoritário de dois turnos para o presidente da República, os
governadores dos estados e do Distrito Federal e os prefeitos dos
municípios maiores.

7 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - No processo legislativo estadual, o


governador deverá ter iniciativa privativa de leis assemelhada àquela
que tem o presidente da República na Constituição Federal.
(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Considere a hipótese de crime comum
praticado por governador de um estado da Federação. A partir dessa
situação e levando em conta as imunidades e prerrogativas do chefe do
Poder Executivo estadual, julgue os itens a seguir.
8 Mesmo processado criminalmente por delito cometido durante o
mandato, enquanto não sobrevier sentença condenatória, o governador
não estará sujeito à prisão cautelar.
9 O julgamento do governador por crime comum depende de solicitação
do Superior Tribunal de Justiça (STJ) à Assembléia Legislativa, a quem
compete admitir ou não a acusação.
QUESTÃO 4
(Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na noite de 14 de março,
Tancredo Neves não mais suportou a dor e passou no Hospital de Base,
em Brasília, para receber alguma medicação que o mantivesse em pé na
cerimônia de passagem da faixa presidencial. A situação era mais grave
do que ele havia pensado, e os médicos o mantiveram internado. Às dez
horas da manhã do dia 15 de março, foi o vice-presidente José Sarney
quem assumiu a Presidência da República. Figueiredo recusou-se a
passar-lhe a faixa presidencial. Na opinião dele, o poder deveria ser
passado a Ulysses Guimarães, presidente da Câmara dos Deputados,
que prepararia novas eleições. O general deixou o Palácio do Planalto
pela porta dos fundos.
Fábio Koifman (Org.). Presidentes do Brasil: de Deodoro a FHC. Rio de
Janeiro: 2002, p. 744 (com adaptações).
O texto acima retrata uma situação entendida por alguns como impasse
político, que surgiu na sucessão presidencial em 1985, e a solução
institucional adotada.
Considerando esse texto, julgue os itens a seguir, acerca da disciplina
conferida ao Poder Executivo no regime da Constituição da República.
10 Caso situação idêntica ocorresse hoje (término de mandato
presidencial com presidente eleito hospitalizado no dia previsto para a
posse), a solução adotada em 1985 não seria possível.
11 O presidente e o vice-presidente da República são empossados em
sessão do Congresso Nacional, prestando o compromisso de manter,
defender e cumprir a Constituição da República e os acordos
internacionais, observar as leis, promover o bem geral do povo
brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil.
12 No caso de vacância dos cargos de presidente e de vice-presidente
da República, deve-se proceder a eleição noventa dias depois de aberta
a última vaga. Se a vacância ocorrer nos últimos dois anos do período
presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita, trinta dias
depois da última vaga, pelo Congresso Nacional. Nesses casos, os
eleitos deverão apenas completar o período presidencial de seus
antecessores.

13 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - O conselho


da República é órgão deliberativo cujos membros são o vice-presidente
da República, o presidente da Câmara dos Deputados, o presidente do
Senado Federal, os líderes da maioria e da minoria na Câmara dos
Deputados, os líderes da maioria e da minoria no Senado Federal, o
ministro da Justiça e seis cidadãos brasileiros natos.

(Auxiliar Judiciária – Ar. Adm/Jud – TJAP – 2004) - Julgue os itens


subseqüentes, com relação ao Poder Executivo.
14 O presidente da República compete nomear privativamente os
ministros do Tribunal de Contas da União, os magistrados,
constitucionalmente previstos, o advogado geral da união e os membros
do Conselho da República.
15 O ministro de Estado deve exercer a orientação e a coordenação dos
órgãos e entidades da administração federal na área de sua
competência, cabendo exclusivamente ao presidente da República sua
supervisão.
16 Ao presidente da República compete privativamente exercer o
comando supremo das Forças Armadas, nomear os comandantes da
Marinha, do Exército e da Aeronáutica, promover seus oficiais generais e
nomeá-los para cargos que lhes são privativos.

Gabarito:

1. C

2. E

3. C

4. C

5. C

6. C

7. C
8. E

9. C

10. E

11. E

12. C

13. E

14. C

15. E

16. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
PODER JUDICIÁRIO E FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA

1 (Fiscal de Tributos Estaduais – Alagoas/2002) - Considere a seguinte


situação hipotética.
Um juiz de direito do estado de Alagoas, ao julgar uma ação de
reintegração de posse, determinou a retirada, de uma propriedade rural,
de cinqüenta famílias de integrantes do Movimento dos Trabalhadores
Sem-Terra (MST), recebendo, ao final do processo, o valor das custas
processuais.
Nessa situação, foi correta a atitude do juiz quanto ao recebimento de
custas, o que é permitido nos casos de invasão de terras.

2 (Fiscal de Tributos Estaduais – Alagoas/2002) - O Supremo Tribunal


Federal (STF) e o Tribunal de Justiça do estado de Alagoas constituem
órgãos do Poder Judiciário.

3 (Fiscal de Tributos Estaduais – Alagoas/2002) - Um juiz de direito do


estado de Alagoas não pode dedicar-se à atividade político-partidária.
QUESTÃO 11
4 (Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Um indivíduo,
fazendo-se passar pelo advogado-geral da União, foi acusado de lesão
corporal praticada contra outra pessoa. Posteriormente, comentando tal
fato em um artigo de jornal, um jurista afirmou que, caso se tratasse
efetivamente do advogado-geral da União, seria possível responsabilizá-
lo perante o Tribunal de Justiça do Distrito Federal, consoante o direito
constitucional pátrio. Nessa situação, foi correta a afirmação do jurista.

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Julgue os itens a


seguir, referentes ao Poder Judiciário, ao Ministério Público e às demais
funções essenciais à justiça.
5 O procurador-geral da República só poderá ser destituído por iniciativa
do presidente da República, precedida de autorização da maioria simples
do Senado Federal, em votação pública e aberta, dada a vinculação
desse órgão ao Poder Executivo.
6 É impossível existir conflito de competência entre o STF e qualquer
outro tribunal na ordem constitucional brasileira, consoante o respeito
ao princípio hierárquico.
7 A Constituição da República de 1988 prevê, como competência
originária do STF, o julgamento de ação popular, ação civil pública, bem
como dos feitos criminais em mandado de segurança em relação às
autoridades.
8 O Ministério Público deve, observando as atribuições dispostas na
legislação municipal, participar das atividades dos conselhos municipais.
9 Membro do Ministério Público pode filiar-se a partido político, desde
que tal filiação esteja de acordo com as exceções previstas na própria
Constituição.

(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Acerca de


aspectos diversos relacionados à atuação do Poder Judiciário, julgue os
seguintes itens.
10 O ato de provisão dos cargos de juiz de carreira, conforme o regime
constitucional brasileiro de 1988, enquadra-se no rol de suas funções
típicas.
11 Ao regimentar o funcionamento dos órgãos jurisdicionais, bem como
as funções dos serventuários da justiça, o Poder Judiciário assume
função atípica da administração.
12 Os tribunais se autogovernam, podendo elaborar suas propostas
orçamentárias com base na lei de diretrizes orçamentárias.
13 Constitui crime de responsabilidade do presidente da República a
prática de ato cujo conteúdo altere a composição do STF.
14 A eleição de dirigentes dos tribunais é função governativa, devendo
ser realizada pelos membros do tribunal, com a participação ativa dos
Poderes Executivo e Legislativo.
53
(Analista Legislativo – Câmara dos Deputados/2002) - Julgue os itens
subseqüentes.
15 Considere a seguinte situação hipotética. Um professor argumentou
que a função de controlador externo da atividade policial efetivada pelo
Ministério Público era incompatível com a atribuição de defender
judicialmente os direitos das populações indígenas. Um aluno seu
contestou tal assertiva, fundamentando-se na Constituição da República
de 1988.
Nessa situação, assiste razão ao aluno.
16 Considere a seguinte situação hipotética. Um procurador da
República, dizendo fundamentar-se na melhor doutrina e em algumas
hipóteses constitucionalmente previstas, entrou com ação civil pública
como sucedânea da ação direta de constitucionalidade.
Nessa situação, a Corte deverá abrigar a tese do procurador.
17 O Ministério Público, tendo a missão de fiscalizar o cumprimento das
liberdades públicas, possui garantias da própria sociedade, bem como
de independência funcional expressa no texto constitucional.
18 O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União está sob a
chefia do procurador-geral da República, sendo que o ingresso na
carreira será feito no cargo de procurador.
19 Considere a seguinte situação hipotética.
Um advogado proferiu acusações de natureza criminosa contra um
funcionário do cartório, além de lhe xingar, em razão de contrato de
compra e venda celebrado entre os dois. Na delegacia, após
interrogatório, acompanhado do presidente da Ordem dos Advogados do
Brasil (OAB) local, embora provado o delito em flagrante, o advogado foi
liberado, sob fundamento de que sua função era importante ao
funcionamento da justiça.
Nessa situação, o delegado agiu de forma correta.
QUESTÃO 54
20 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Lei complementar que
fixasse para os ministros do STF mandato de dez anos somente seria
constitucional no caso de ter sido do próprio STF a iniciativa do projeto
que deu origem à referida lei.

21 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Apesar de o Tribunal de


Contas da União (TCU) ser órgão do Poder Legislativo e de o STF ser
órgão do Poder Judiciário, os membros dessas cortes são indicados pelo
presidente da República e aprovados pelo Senado Federal, em argüição
pública e mediante votação secreta.

22 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Enquanto os tribunais


superiores compõem o terceiro grau de jurisdição da justiça brasileira, o
STF compõe a quarta instância jurisdicional, e todas essas cortes fazem
parte do Poder Judiciário federal.
QUES
(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O A respeito
da Advocacia-Geral da União (AGU) – instituição que desempenha
atividades de consultoria e assessoramento jurídico do Poder Executivo
– e da representação judicial da União e das unidades federadas, julgue
os itens de 14 a 18.

23 O constituinte originário não se limitou a acolher a AGU no texto


constitucional, dedicando alguns dispositivos ao seu chefe, o advogado-
geral da União. Estabeleceu requisitos objetivos e subjetivos à sua
escolha: idade mínima de trinta e cinco anos, escolha privativa do
presidente da República, notável saber jurídico e reputação ilibada. A
exemplo do que ocorre com o procurador-geral da República, o
advogado-geral da União deverá ter o seu nome aprovado pela maioria
absoluta dos membros do Senado Federal.

24 Pela prática de crime de responsabilidade, a Constituição da


República submete o advogado-geral da União à jurisdição política do
Senado Federal. Por outro lado, compete ao Superior Tribunal de Justiça
processar e julgar, originariamente, as infrações comuns por ele
praticadas.

25 Compete à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, em causas de


natureza fiscal, representar judicialmente a União.

26 Os procuradores dos estados e do Distrito Federal, organizados em


carreira, na qual o ingresso dependerá de concurso público de provas e
títulos, com a participação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em
todas as suas fases, exercerão a representação judicial e a consultoria
jurídica das respectivas federadas.

27 As atividades de consultoria e de contencioso sempre foram


desempenhadas de forma dissociada e independente, como se fossem
de natureza diversa. A orientação consultiva prestada à União competia,
em especial, à Consultoria-Geral da República, acumulando o Ministério
Público Federal as atribuições de custos legis e de advogado do Estado.
Com a promulgação da Constituição da República de 1988 e a
conseqüente estruturação da AGU, deu-se por encerrada essa
acumulação de funções incompatíveis.

28 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU – DEZ 2002) - O


Compete ao STF processar e julgar, originariamente, as causas
fundadas em tratado ou contrato da União com Estado estrangeiro ou
organismo internacional.

29 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - A ordem constitucional vigente no


Brasil consagra dois tipos de inatividade aos magistrados: a
aposentadoria e a disponibilidade; aquela pode ser facultativa ou
compulsória, enquanto esta consiste em uma penalidade administrativa
aplicada ao magistrado, por interesse público, mediante decisão por
voto de dois terços do respectivo tribunal, assegurada ampla defesa.

30 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - São nomeados pelo presidente da


República os ministros de Estado, os ministros do Supremo Tribunal
Federal (STF) e dos tribunais superiores e os procuradores-gerais dos
quatro ramos do Ministério Público da União.

31 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - Compete ao STF processar e julgar


originariamente a validade de lei ou ato do governo local contestado em
face da Constituição da República.

32 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - Inclui-se entre as funções


institucionais do Ministério Público promover, privativamente, o
inquérito civil e a ação civil pública, para a proteção do patrimônio
público e social, do meio ambiente e de outros interesses difusos e
coletivos.

(Procurador – MP/TCDF – 2002) - A partir da jurisprudência do STF,


julgue os itens abaixo, referentes ao regime jurídico do Ministério
Público junto aos tribunais de contas.
33 O procurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas
do Distrito Federal (TCDF) deve ser, necessariamente, integrante da
carreira, indicado em lista tríplice pelo TCDF.
34 O Ministério Público junto ao TCDF tem garantida a sua participação
na composição do Plenário da Corte.
35 A Constituição da República assegura aos membros do Ministério
Público junto a tribunal de contas os mesmos direitos e vedações dos
membros do Ministério Público em geral.
36 É inegável que o Ministério Público ostenta, a partir da Constituição
da República de 1988, especial posição na estrutura do poder estatal,
sendo instituição que se baseia na unidade; dessa forma, é possível a
integração, nos quadros do Ministério Público junto ao TCDF, de
promotor de justiça do DF e territórios, desde que obedecido o requisito
do concurso público obrigatório.
37 O procurador-geral do Ministério Público junto a tribunal de contas
possui legitimidade para requerer, perante os órgãos judiciários
competentes, a suspensão de decisão liminar que determine o seu
afastamento do exercício da função.

(Procurador TCE/RN – 2002) - O Ministério Público é essencial à função


jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do
regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.
A respeito dessa instituição permanente, julgue os itens subseqüentes.
38 A Constituição da República de 1988 conferiu ao Ministério Público
realce antes desconhecido. A Constituição da República de 1946
mencionara que o chefe seria o procurador-geral da República, nomeado
pelo presidente da República, depois de aprovada a indicação pelo
Senado Federal, registrando ainda, expressamente, ser o procurador-
geral demissível ad nutum. Essa orientação foi mantida na Constituição
da República de 1967. A Constituição da República em vigor, além de
retirar o Ministério Público do capítulo do Poder Executivo, conferiu-lhe
autonomia. O procurador-geral passou a ter mandato e a ser escolhido
entre integrantes da carreira.
39 Contingenciado pelo ordenamento positivo, mas funcionalmente
independente, em um vasto domínio de ação, o membro do Ministério
Público, seja quando instaura um inquérito civil público ou determina a
instauração de um inquérito policial, seja quando propõe ação civil
pública ou ação penal, é sempre um agente político, exceto quando atua
como custos legis, peticionando ou emitindo pronunciamento em
processos da competência do STF, do Tribunal Superior Eleitoral, do
Superior Tribunal de Justiça (STJ), dos tribunais regionais federais ou
perante o juiz de primeira instância.
40 Não obstante a autonomia funcional e administrativa do Ministério
Público estadual, a jurisprudência do STF acena no sentido da
possibilidade de que a Constituição do estado-membro estabeleça a
sujeição, em caráter excepcional e por prazo determinado, do controle
interno do Ministério Público que atua perante o tribunal de contas
estadual ao sistema normativo do Poder Executivo.
41 São funções institucionais do Ministério Público, entre outras
previstas na Constituição, o exercício do controle interno da atividade
policial, na forma de sua lei orgânica, e a defesa judicial dos direitos e
interesses das populações indígenas.
42 Compete ao STF o julgamento de conflito de competência entre o
Ministério Público Federal e o Ministério Público estadual, por restar
configurada, na hipótese, a existência de conflito entre a União, à qual
se encontra vinculado o procurador da República, e o estado-membro ao
qual se vincula o promotor de justiça, com potencialidade ofensiva ao
pacto federativo.
QUESTÃO 6
43 (Procurador TCE/RN – 2002) - As causas entre Estado estrangeiro e
município serão processadas e julgadas pelo STF.

44 (Procurador TCE/RN – 2002) - Os procuradores-gerais nos estados e


no Distrito Federal poderão ser destituídos por deliberação da maioria
absoluta das respectivas casas do Poder Legislativo, na forma da lei
complementar respectiva.

(Defensor Público – Alagoas/2003) - Considerando as atribuições do


Ministério Público e as funções essenciais à justiça, julgue os seguintes
itens.
45 Considere a seguinte situação hipotética.
O Ministério Público de uma cidade do interior passou a exercer a
fiscalização de um abrigo que comportava idosos e de outro que
abrigava deficientes físicos. Constatou irregularidade em ambos. A
direção do abrigo de idosos apresentou representação contra o promotor
de justiça no próprio Ministério Público, usando, entre outros
fundamentos, o de que isso não estava na esfera de atribuição e
funções institucionais do órgão.
Nessa situação, havia razão e fundamento jurídico para a representação.
46 Considere a seguinte situação hipotética.
O advogado de um empresário que cometera homicídio deu uma
entrevista na rádio da cidade, usando, como fundamentos de defesa de
seu cliente, acusações outras contra o vereador que apresentou a
representação no Ministério Público. Não havia provas das acusações do
advogado. Na saída da rádio, foi-lhe perguntado se ele não temia
alguma conseqüência jurídica para o seu ato, já que poderia ter
praticado um ilícito penal. Ele respondeu que não, sob o argumento de
que teria imunidade, pois estava no exercício da profissão.
Nessa situação, houve fundamento jurídico na afirmativa do advogado.
(Defensor Público – Amazonas/2003) - Acerca do Poder Judiciário e das
funções essenciais à administração da justiça, julgue os itens abaixo.
47 Seria inconstitucional lei complementar do estado do Amazonas que
criasse uma carreira específica de juiz eleitoral estadual, com
competência para apreciar e julgar questões relativas às eleições
municipais e estaduais ocorridas no âmbito do Amazonas.
48 A criação de uma nova vara cível na comarca de Manaus – AM
somente pode ser feita mediante lei estadual, lei esta cuja iniciativa é
exclusiva do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM).
49 Seria inconstitucional uma lei complementar estadual que facultasse
aos defensores públicos do estado do Amazonas o exercício da
advocacia fora das suas atribuições institucionais, mesmo que este
exercício fosse limitado tão-somente a causas contra a União.
50 Se um defensor público do estado do Amazonas for acusado de crime
de corrupção passiva, ele deverá ser julgado pelo TJAM, pois a
Constituição da República estabelece foro privilegiado para os
defensores públicos, assim como para os membros do Ministério Público
e da magistratura.
51 O Tribunal de Contas da União (TCU) é o órgão do Poder Judiciário
competente para julgar as impugnações que o Ministério Público dirigir
contra a execução orçamentária da administração pública federal.

(Delegado de Polícia – PCRR – 2003) - Julgue os itens seguintes, acerca


do Poder Judiciário e do Ministério Público.
52 Compete aos juízes federais julgar as causas entre Estado
estrangeiro e município. Da decisão caberá recurso ordinário para o
Superior Tribunal de Justiça (STJ).
53 Ao Ministério Público compete exercer o controle externo da
atividade policial, podendo, para tanto, ter livre ingresso em
estabelecimentos policiais e prisionais, bem como acesso a quaisquer
documentos relativos à atividade-fim policial.
54 Considere a seguinte situação hipotética.
João foi preso em flagrante pela prática de crime contra a fauna,
previsto na Lei n.º 9.605/1998, consistente em matar espécime da
fauna silvestre sem a devida permissão.
Nessa situação, João será processado perante a justiça federal,
conforme entendimento já sumulado pelo STJ.
55 (Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - O litígio entre uma autarquia
estadual e a União sobre propriedade de terras indígenas diz respeito
diretamente ao equilíbrio federativo, sendo, portanto, causa de
competência originária do STF, segundo estabelece a Constituição da
República.

56 (Analista Judiciário – Área Judiciária – Ativ. Proces. – TJDFT – 2003)


- Determinado estado da Federação editou lei estadual, originada de
projeto de lei de iniciativa de um deputado estadual, contemplando,
entre outros, os seguintes dispositivos:
1 criação de novas varas e serventias judiciais e de serviços auxiliares
vinculados ao tribunal de justiça;
2 provimento por ato do governador de estado do cargo de juiz titular,
mediante promoção de juiz substituto;
3 destruição física de todos os processos judiciais arquivados há mais de
cinco anos.
Tendo em vista a lei hipotética acima descrita, assinale a opção
incorreta.
A A norma a que se refere o item 1 é inconstitucional, por vício de
iniciativa, uma vez que a Constituição Federal estabelece ser reservada
ao tribunal de justiça a iniciativa de leis atinentes a matéria de
organização judiciária.
B A norma do item 2 supra contraria dispositivo da Constituição Federal
que estabelece competir privativamente aos tribunais prover, na forma
da Constituição, os cargos de juiz de carreira da respectiva jurisdição.
C Inclui-se na competência do STF processar e julgar originariamente
eventual ação direta de inconstitucionalidade proposta contra
dispositivos da referida lei.
D Na hipótese em apreço, o tribunal de justiça do estado pode,
mediante controle difuso, declarar a inconstitucionalidade da
mencionada lei, por voto da maioria absoluta de seus membros ou dos
membros do respectivo órgão especial, e deixar de aplicar a lei ao caso
concreto.
E A disposição constante do item 3 está em perfeita harmonia com a
Constituição Federal, que atribui aos estados da Federação competência
exclusiva para legislar sobre procedimentos em matéria processual.

57 (Analista Judiciário – Área Judiciária – Exec. de Mand. TJDFT – 2003)


- Um oficial de justiça recebeu vários mandados judiciais a serem
cumpridos, referentes a servidores públicos lotados em diversos órgãos.
Para facilitar o seu trabalho, ele decidiu separar os mandados por esfera
de governo (se da União ou estadual) e por Poder a que pertenciam os
servidores envolvidos (se Legislativo, Executivo ou Judiciário).
Em face da situação hipotética acima descrita, assinale a opção em que
os mandados foram incluídos incorretamente em determinada categoria,
de acordo com o critério mencionado.
A Os mandados envolvendo servidores do TJDFT foram incluídos na
categoria do Poder Judiciário da União.
B Em uma mesma categoria ficaram os mandados relativos a servidores
do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de Justiça, do
Tribunal Superior do Trabalho, do Superior Tribunal Militar, do Tribunal
Superior Eleitoral e do Tribunal de Contas da União.
C Os mandados envolvendo servidores do Conselho da Justiça Federal
ficaram junto com os mandados atinentes a servidores do Superior
Tribunal de Justiça.
D Os mandados concernentes a servidores da justiça federal, da justiça
do trabalho e da justiça eleitoral foram incluídos na mesma categoria.
E Os mandados referentes a servidores do Tribunal de Justiça de Goiás
foram incluídos na categoria Poder Judiciário estadual.
QUESTÃO 27
58 (Técnico Judiciário - TJDFT – 2003) - Estênio ajuizou ação contra o
Banco do Brasil S.A. (BB), com o objetivo de obter reparação por dano
moral decorrente de indevida inclusão de seu nome no cadastro de
devedores de cheques sem fundos.
Acerca dessa situação hipotética, é correto afirmar que a ação deve ser
proposta na
A justiça federal, mas o dano moral só será indenizável se houver prova
do prejuízo material.
B justiça estadual, porque o BB não é ente da administração pública
direta nem indireta da União.
C justiça federal, sendo perfeitamente possível requerer reparação de
dano moral pela ofensa à honra, sem prova do prejuízo material.
D justiça estadual, porque, embora o BB pertença à administração
pública indireta da União, as sociedades de economia mista não
possuem foro na justiça federal.
E justiça federal ou na justiça do DF, a critério do autor, porque o BB
compõe a administração pública da União e tem sede em Brasília.
QUESTÃO 32
(Analista Judiciário – Área Judiciária – TST – 2003) - O tribunal regional
federal (TRF) de determinada região, por meio de uma resolução
administrativa, concedeu gratificação de natureza salarial extensiva a
todos os seus servidores. O Ministério Público (MP) questionou o TRF
acerca da constitucionalidade da medida, além de comunicar o ocorrido
ao Tribunal de Contas da União (TCU). Diante desse fato, o TRF decidiu
suspender o pagamento da referida gratificação. O sindicato dos
servidores do TRF, legalmente constituído e em funcionamento havia
mais de um ano, impetrou mandado de segurança coletivo contra a
suspensão do pagamento da gratificação. Em entrevista à imprensa, o
presidente do sindicato declarou que iria, ainda, requerer ao Supremo
Tribunal Federal (STF) uma afirmação da constitucionalidade da
gratificação.
A respeito dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.
59 A resolução administrativa do TRF que concedeu vantagem de
natureza salarial à generalidade de seus servidores padeceu de vício de
inconstitucionalidade, uma vez que implicou desrespeito à exigência
constitucional de que tal matéria fosse submetida à reserva de lei.

(Analista Judiciário – Área Judiciária – TST – 2003) - O tribunal regional


federal (TRF) de determinada região, por meio de uma resolução
administrativa, concedeu gratificação de natureza salarial extensiva a
todos os seus servidores. O Ministério Público (MP) questionou o TRF
acerca da constitucionalidade da medida, além de comunicar o ocorrido
ao Tribunal de Contas da União (TCU). Diante desse fato, o TRF decidiu
suspender o pagamento da referida gratificação. O sindicato dos
servidores do TRF, legalmente constituído e em funcionamento havia
mais de um ano, impetrou mandado de segurança coletivo contra a
suspensão do pagamento da gratificação. Em entrevista à imprensa, o
presidente do sindicato declarou que iria, ainda, requerer ao Supremo
Tribunal Federal (STF) uma afirmação da constitucionalidade da
gratificação.
A respeito dessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.
60 O questionamento feito pelo MP a respeito da constitucionalidade da
resolução administrativa está em harmonia com as suas funções
institucionais, pois envolve diretamente a defesa da ordem jurídica e do
interesse público.
61 A competência para processar e julgar, originariamente, o mandado
de segurança mencionado é do Superior Tribunal de Justiça (STJ); se,
ao julgar o feito, for denegatória a decisão, o STF será competente para
processar e julgar eventual recurso ordinário interposto contra essa
decisão.
ÃO 59
(Analista Judiciário – Área Judiciária – TST – 2003) - Um acidente de
trânsito envolveu um veículo de uma sociedade de economia mista
federal exploradora de atividade econômica e um veículo de uma
embaixada, cuja propriedade pertence, portanto, a um país estrangeiro.
Um dos veículos era dirigido por um empregado da sociedade de
economia mista, domiciliado no Brasil, e o outro, por um empregado
brasileiro da embaixada. O laudo pericial concluiu que o empregado da
sociedade de economia mista havia sido o culpado pelo acidente. Apesar
disso, a embaixada, em razão do acidente, decidiu dispensar seu
empregado, recusando-se a pagar as verbas rescisórias, sob a alegação
de que não se aplicava a esse contrato a legislação trabalhista brasileira.
A respeito dessa situação hipotética, julgue os itens a seguir.
62 Caso o estado estrangeiro decida ingressar na justiça com ação
indenizatória diretamente contra o empregado da sociedade de
economia mista, a competência para processar e julgar originariamente
o feito será de um juiz federal de primeira instância.
63 Se o empregado brasileiro dispensado decidir ingressar com ação
judicial contra o Estado estrangeiro para o pagamento de verbas
rescisórias, a competência para processar e julgar o caso será da justiça
do trabalho brasileira; todavia, a competência para processar e julgar
eventual recurso ordinário interposto contra a decisão proferida será do
STJ.

(Técnico Judiciário – Área Administrativa – TST – 2003) - Um


missionário estrangeiro, nascido na República de Angola, país de língua
portuguesa, residente no Brasil há um ano ininterrupto, ingressou com
ação popular contra o proprietário de uma fazenda, situada na região
amazônica, sob a alegação de que o fazendeiro estaria mantendo, em
sua propriedade, vários índios na condição de escravos. Além disso, o
missionário deu conhecimento do fato ao Ministério Público. Com
referência a essa situação hipotética, julgue os itens subseqüentes.
64 A ciência do fato ao Ministério Público está correta, uma vez que, de
acordo com a Constituição da República, é função institucional do
Ministério Público, entre outras, defender judicialmente os direitos e
interesses das populações indígenas.
65 Na hipótese considerada, caso um dos índios queira reivindicar na
justiça os direitos decorrentes do trabalho prestado ao fazendeiro, a
competência para processar e julgar originariamente o feito será de um
juiz federal de primeira instância, segundo o que estabelece a
Constituição da República.
(Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - A respeito da
disciplina constitucional dos precatórios, julgue os seguintes itens.
66 Qualquer débito judicial da fazenda pública somente pode ser
pago por meio da expedição de precatório.
67 Para efeito de precatório, o crédito decorrente da invalidez
ocasionada por fato que importe responsabilidade civil do Estado
enquadra-se no conceito de alimentício.
68 Considere que um débito da União para com uma pessoa deveria ter
sido inscrito no orçamento para 2005, mas não o foi, por falha do
governo, apesar de requerido no prazo.
Nessa situação, o referido débito somente poderá ser pago a partir de
2006.

(ACE – TCU – 2004) - Com relação à organização, à competência e à


jurisdição do Poder Judiciário bem como às funções essenciais à justiça
e ao Ministério Público, julgue os seguintes itens.
69 Sendo um tribunal constituído por mais de vinte e cinco magistrados,
se for criado um órgão especial, a ele poderão ser cominadas atribuições
tanto administrativas quanto jurisdicionais que sejam de competência
do tribunal pleno.
70 A supervisão administrativa e orçamentária da justiça federal de
primeiro e segundo graus é de competência do Conselho da Justiça
Federal, que funciona junto a cada tribunal regional federal.
71 Na execução de dívida ativa de natureza tributária, a representação
da União cabe à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, obedecidas as
disposições legais.
72 O Ministério Público tem legitimidade para pro por ação civil pública
em defesa de interesses individuais homogêneos que decorram de
relação de consumo ou que sejam indisponíveis.

73 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - A Constituição da


República determina que compete aos tribunais estaduais processar e
julgar ações diretas de inconstitucionalidade contra atos normativos
estaduais.

(Defensor Público da União – 2004) - Quanto à competência, julgue os


itens seguintes.
74 Enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) pode julgar, mediante
recurso, decisões de qualquer justiça, tais como trabalhista, eleitoral,
militar, federal ou estadual, o Superior Tribunal de Justiça (STJ)
somente pode julgar, mediante recurso, as causas decididas pelos
tribunais regionais federais ou pelos tribunais dos estados e do Distrito
Federal e territórios.
75 O STJ é competente para dirimir conflito de competência entre
juizado especial federal e juízo de vara federal na mesma seção
judiciária.

76 (Defensor Público da União – 2004) - O Poder Executivo e o Poder


Legislativo não devem intervir na escolha dos dirigentes dos tribunais de
justiça, porque a Constituição da República preceitua que o presidente
desses órgãos deve ser escolhido mediante rodízio dos respectivos
membros.

77 (Defensor Público da União – 2004) - Compete ao STJ julgar o


conflito de competência entre juízes vinculados a tribunais diversos, mas
não há, na Constituição da República, previsão expressa do órgão ao
qual caiba julgar conflito de atribuição entre membros de ramos
distintos do Ministério Público, razão por que a doutrina entende ser do
procurador-geral da República tal competência.

78 (Defensor Público da União – 2004) - Nem todos os estados da


Federação possuem tribunal militar; em todos eles, as auditorias
militares estaduais somente podem julgar policiais militares e bombeiros
militares, mas não civis.

79 (Defensor Público da União – 2004) - O procurador-geral da


República não precisa ser nomeado necessariamente entre os
subprocuradores-gerais da República, que compõem a última classe da
carreira do Ministério Público Federal (MPF).

80 (Defensor Público da União – 2004) - A circunstância de um cidadão


encontrar-se preso e incomunicável não lhe retira o direito de consultar-
se com advogado, independentemente de este possuir procuração;
nesses casos, basta que o advogado comunique sua pretensão ao juiz
responsável pela prisão.
81 (Juiz Substituto – TJBA - 2004) - O regime constitucional do
Ministério Público é, em certa medida, análogo ao dos membros do
Poder Judiciário, e a Constituição da República também estabelece
garantias e vedações para os integrantes daquela instituição.
Estritamente de acordo com o texto da Constituição da República, entre
as vedações não se inclui proibição absoluta de ser sócio de sociedade
anônima nem a de exercer atividade político-partidária.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Dispõe a Constituição do Estado de


Sergipe que compete ao Tribunal de Justiça processar e julgar
originariamente a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou atos
normativos estaduais em face da Constituição Estadual, e de lei ou de
ato normativo municipal em face da Constituição Federal ou da
Estadual.
Considerando essa disposição, julgue os itens seguintes.
82 Carece de possibilidade jurídica a referida ação, no tribunal de
justiça, quando tenha por objeto lei municipal confrontada com a
Constituição da República.
83 No caso, deferida liminar na ação direta para suspender a execução
de lei municipal por entender o tribunal que há ofensa à norma da
Constituição Federal, é cabível, pelo município interessado, a
interposição de reclamação ao STF, por ofensa a jurisdição desta excelsa
corte.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - No referente às competências das


justiças comum, federal e estadual, julgue os itens subseqüentes.
84 A proteção ambiental de determinada área por decreto do Poder
Executivo federal desloca automaticamente o julgamento de crime
ambiental nela ocorrido para a justiça federal.
85 As causas ajuizadas por segurados contra a autarquia federal de
seguridade social, decorrentes ou não de acidentes do trabalho,
somente serão processadas e julgadas na justiça estadual se a comarca
não for sede de vara do juízo federal.
QUESTÃO 7
(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Julgue os seguintes itens, acerca de
direitos, prerrogativas ou garantias dos magistrados.
86 Além de assegurar ampla defesa ao juiz, o tribunal de justiça, para
removê-lo compulsoriamente, necessita de dois terços dos votos de
seus integrantes.
87 A vitaliciedade traz como garantia a impossibilidade de o juiz perder
o cargo por deliberação administrativa do respectivo tribunal.
QUESTÃO 9
(Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - O Ministério Público se apresenta
hoje como um verdadeiro poder do Estado. Se Montesquieu tivesse
escrito hoje o Espírito das Leis, por certo não seria tríplice, mas
quádrupla, a divisão dos poderes. Ao órgão que legisla, ao que executa,
ao que julga, um outro órgão acrescentaria ele o que defende a
sociedade e a lei perante a justiça, parta a ofensa donde partir, isto é,
dos indivíduos ou dos próprios poderes do Estado!
Alfredo Valladão. Ministério Público. In: Revista dos Tribunais. São
Paulo: RT, v. 225, jul./1954, p. 38-9 (com adaptações).
O trecho transcrito acima retrata a visão de avançada doutrina sobre o
Ministério Público brasileiro na vigência da Constituição Federal de 1891.
O trabalho completo foi publicado originalmente no Jornal do Commércio
de 19/4/1914 e, em 1954, um extrato, no periódico indicado.
Considerando o excerto acima, julgue os itens a seguir, tendo em vista
o estado democrático de direito e o ordenamento jurídico brasileiro.

88 Somente os ministérios públicos dos estados e o do Distrito Federal e


Territórios possuem prerrogativa constitucional de elaborar lista tríplice
de integrantes da carreira para a escolha do respectivo chefe, que
deverá ser nomeado para mandato de dois anos, pelo chefe do Poder
Executivo.
89 A jurisprudência do STF não aceita a tese de quarto poder, defendida
por doutrinadores como o do trecho transcrito, e consagra o
entendimento de que, garantida efetivamente a independência do
Ministério Público, a colocação constitucional é secundária, de interesse
quase meramente teórico.
90 Um dispositivo de constituição estadual que conceda autonomia
financeira ao Ministério Público, segundo o STF, não está compreendido
na competência assegurada na Constituição da República. Mas, por estar
contida na iniciativa para a criação de cargos, não é inconstitucional
norma estadual que explicite competência do Ministério Público para
propor a fixação de vencimentos de seus cargos.
91 O STF já afirmou que a ordem jurídica confere explicitamente
poderes amplos de investigação ao Ministério Público.
92 Atos que atentem contra o livre exercício do Ministério Público
constituem crimes de responsabilidade do presidente da República.
93 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - O Poder Judiciário é integrado
pelos tribunais e juízes dos estados e do Distrito Federal e Territórios,
pelos tribunais e juízes militares, pelos tribunais e juízes eleitorais, pelos
tribunais e juízes do trabalho, pelos tribunais regionais federais e juízes
federais (TRFs), pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), pelo Conselho
Nacional de Justiça e pelo STF. De acordo com essa estrutura,
textualmente prevista na Constituição da República, é correto afirmar
que o Poder Judiciário é nacionalmente organizado.

94 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Todos os julgamentos dos


órgãos do Poder Judiciário deverão ser públicos, podendo a lei, se o
interesse público o exigir, limitar a presença, em determinados atos, às
próprias partes e a seus advogados, ou somente a estes. Todas as
decisões devem ser fundamentadas, sob pena de nulidade. As decisões
administrativas dos tribunais também deverão ser motivadas, sendo as
disciplinares tomadas pelo voto da maioria absoluta de seus membros.

95 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Um quinto dos lugares dos


TRFs, dos tribunais dos estados, do Distrito Federal e dos Territórios
deve ser composto de membros do Ministério Público, com mais de dez
anos de carreira, e de advogados de notório saber jurídico e de
reputação ilibada, com mais de dez anos de efetiva atividade
profissional, indicados em lista sêxtupla pelos órgãos de representação
das respectivas classes. O Poder Executivo deve escolher um dos
integrantes da lista tríplice formada pelo tribunal para nomeação, nos
vinte dias subseqüentes ao recebimento das indicações. Entretanto, de
acordo com jurisprudência do STF, o Poder Executivo pode devolver a
lista, caso esta não esteja completa e haja possibilidade de completá-la.

96 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - A vitaliciedade, a


inamovibilidade e a irredutibilidade de subsídios, garantias
constitucionais deferidas expressamente aos juízes e aos membros do
Ministério Público, não são absolutas, uma vez que podem ser afastadas
em casos específicos, ressalvados na própria Constituição da República.
A vitaliciedade dos juízes, por exemplo, no primeiro grau, só será
adquirida após dois anos de exercício e, nesse período, a perda do cargo
depende de deliberação do tribunal a que o magistrado estiver vinculado
e, nos demais casos, de sentença judicial transitada em julgado. Da
mesma forma, a inamovibilidade dos juízes poderá ser afastada por
motivo de interesse público, decidida por voto de dois terços do
respectivo tribunal.
97 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - Exercer, ainda que em
disponibilidade, outro cargo ou função, salvo uma de magistério;
receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou participação em
processo e dedicar-se à atividade político-partidária são vedações
expressamente impostas aos juízes pela Constituição da República.

98 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Acerca da


competência da justiça federal e da justiça estadual, assinale a opção
correta.
A As ações de acidentes de trabalho ajuizadas contra o Instituto
Nacional do Seguro Social (INSS) somente são processadas na justiça
estadual se a comarca do domicílio do segurado não for sede de vara
federal.
B Todas as causas em que a União ou suas autarquias forem autoras ou
rés são de competência da justiça federal.
C Quando editados com poder de império, os mandados de segurança
contra atos emanados de diretores da PETROBRAS S.A. sujeitam-se à
competência da justiça federal.
D Não são da competência da justiça federal as causas trabalhistas cujo
dissídio se estabeleça entre empresa pública federal e seus empregados.
E Os crimes praticados com ofensa aos bens e serviços da União podem
ser processados na justiça estadual, se a lei de organização judiciária do
estado assim dispuser e se o local do crime não for sede de vara federal.
QUESTÃO 82
(Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Em relação ao STF,
ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), à justiça federal e à AGU, julgue
os itens subseqüentes.
99 Segundo o entendimento do STF, não constitui afronta à
competência do tribunal o processamento e o julgamento, pelos
tribunais estaduais, de uma ação civil pública cujo único objeto seja a
discussão da constitucionalidade de uma lei federal, em tese, uma vez
que da decisão caberá recurso ao STF.
100 É da competência originária do STJ processar e julgar os conflitos
de atribuição entre autoridades judiciárias dos estados e autoridades
administrativas da União, com ou sem risco para o princípio federativo.
101 Todo crime praticado a bordo de uma aeronave comercial civil
brasileira, ainda que fora do espaço aéreo brasileiro, será da
competência da justiça federal.
102 A competência da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional para
executar débitos fiscais não é exclusiva, podendo ser objeto de
delegação.

103 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Acerca da competência


dos tribunais, assinale a opção incorreta.
A O Superior Tribunal de Justiça (STJ) julga originariamente os
governadores denunciados por crimes comuns.
B Ações acidentárias, embora tendo autarquia federal no pólo passivo,
são de competência da justiça estadual.
C As causas em que são partes empresas públicas federais de regra são
julgadas na justiça federal.
D As relações de trabalho dos servidores públicos, contratados ou
submetidos a regime estatutário, são julgadas na justiça do trabalho.
E A justiça militar do Ceará é competente para o processo e o
julgamento dos seus policiais e bombeiros militares nos crimes militares
definidos em lei.

104 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Segundo a jurisprudência


do STF, não cabe recurso extraordinário contra decisão proferida em
processo de controle abstrato de normas no plano estadual.

105 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - A lista tríplice de


integrantes da carreira para escolha do chefe do Ministério Público, que
será nomeado pelo chefe do Poder Executivo para mandato de dois
anos, somente é obrigatória para os ministérios públicos dos estados e
para o do Distrito Federal e territórios.

106 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Considerados os princípios


aplicáveis da Constituição da República, é de flagrante
inconstitucionalidade a previsão contida na Constituição do Estado de
Roraima no sentido de que os membros do Ministério Público junto ao
Tribunal de Contas e à Justiça Militar do estado integram o quadro único
do Ministério Público do estado.

107 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - Na Constituição do Estado


de Roraima, assegura-se expressamente ao Ministério Público
autonomia administrativa, financeira e funcional, cabendo-lhe, inclusive,
praticar atos de gestão e adquirir bens e serviços.
(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - Julgue os itens que se
seguem, acerca do regime constitucional do Ministério Público (MP) e de
seus membros.
108 O princípio da indivisibilidade é decorrência do princípio da unidade
e significa que um membro pode ser substituído por outro, sem
alteração subjetiva nos processos em que oficiem.
109 Entre as funções institucionais do MP está a de requisitar diligências
investigatórias e instauração de inquérito policial. Interpretando tal
disposição, o Supremo Tribunal Federal (STF), por sua composição
plenária, fixou entendimento de que a legitimidade para investigar é
exclusiva da polícia judiciária, não possuindo o membro do MP
prerrogativas de efetuar procedimentos dessa ordem.
110 A filiação partidária dos membros do MP não está proibida pela
Constituição Federal, mas é incompatível com o exercício das funções;
portanto, segundo o STF, a filiação tem como pressuposto o
afastamento do membro mediante licença.
111 Segundo o STF, não ofende princípios da organização do Estado
adotados pelo modelo federal a circunstância de uma constituição
estadual prever que membros do MP estadual oficiem junto ao
respectivo tribunal de contas.
112 A vitaliciedade do cargo de membro do MP é adquirida após dois
anos de exercício. Para membros vitalícios, a aplicação de sanção
disciplinar de perda de cargo demanda a procedência de ação civil
específica com trânsito em julgado.

(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - Julgue os seguintes itens,


acerca das competências dos vários órgãos do Poder Judiciário.
113 De acordo com entendimento firmado pela Corte Especial do
Superior Tribunal de Justiça, não tem este tribunal competência
constitucional para julgar governador de estado quando ele for parte
passiva em ação de improbidade administrativa.
114 De acordo com entendimento firmado pelo pleno do STF, os
agentes políticos não se sujeitam a procedimento próprio para
condenação por improbidade administrativa, uma vez que estão
submetidos à sanção pela prática de crime de responsabilidade, o qual
engloba a improbidade.
115 Enquanto os membros dos tribunais de contas dos estados são
julgados, nos crimes comuns, pelo respectivo tribunal de justiça, os
ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) são processados, em
igual circunstância, pelo STF.
116 A existência de conflito de atribuições entre promotores de justiça
de estados diferentes implica a existência de conflito entre estados da
federação, assim atraindo a competência do STF para dirimi-lo.
117 Inexiste conflito de competência a atrair a jurisdição do STF,
quando o suscitante é um tribunal superior e o suscitado, o TCU,
porquanto tal conflito só pode existir entre autoridades ou órgãos
judiciários, e o TCU não tem essa natureza.

(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - Vistos, relatados e discutidos


estes autos, acordam os ministros do Supremo Tribunal Federal, por seu
Tribunal Pleno, na conformidade da ata de julgamento, por maioria de
votos, em conhecer do recurso extraordinário e lhe dar provimento para
declarar a inconstitucionalidade do art. 25 da Lei n.º XYZ, do município
de São Paulo.
Julgue os itens subseqüentes, relativos a controle de
constitucionalidade, considerando o hipotético acórdão do STF
apresentado acima.
118 A circunstância de tratar-se de recurso extraordinário indica que a
decisão impugnada deve ter sido proferida no âmbito de processo
subjetivo e não no de processo objetivo de controle concentrado de
constitucionalidade exercido por tribunal de justiça.
119 O acórdão acima contém flagrante impropriedade que torna a
hipótese inverossímil: cuidando-se de recurso extraordinário, seu
julgamento deveria ser cometido à Turma e não ao Plenário do STF.
120 É possível, na situação hipotética acima, que a decisão do STF seja
proferida com eficácia erga omnes; é o caso que ocorre, por exemplo,
quando recurso extraordinário for interposto com o fundamento de que
um tribunal de justiça, ao julgar representação de inconstitucionalidade
em tese, contraria dispositivo da Constituição Federal.
121 A decisão por maioria do STF, conforme a hipótese apresentada,
pode ter sido corretamente proferida por 5 votos contra 4.
122 Sempre que o parâmetro de controle utilizado em julgamento de
representação em tese de inconstitucionalidade de lei municipal for
norma constitucional estadual de absorção obrigatória do modelo
constitucional federal, haverá possibilidade de recurso ao STF, como na
hipótese descrita.
123 O recurso extraordinário de que trata a hipótese pode ter sido
ajuizado pelo Ministério Público de São Paulo.
124 O STF não proferiria o acórdão citado, porque somente faz controle
de constitucionalidade de lei municipal ante a Constituição Federal via
ação originária.
125 Se houvesse, de algum modo, ofensa à Constituição Federal por
decisão de tribunal de justiça em sede de controle concentrado de
constitucionalidade de lei municipal, a impugnação haveria de se dar por
meio de reclamação e não de recurso extraordinário.
126 A competência do Tribunal Pleno para o julgamento do hipotético
recurso extraordinário de que trata o acórdão citado tem espeque na
própria Constituição e não apenas no Regimento Interno do STF.
127 A comunicação ao Senado Federal é decorrência obrigatória do
acórdão citado, pois a decisão se fez no âmbito de controle difuso, como
implicitamente se deduz do recurso utilizado.

128 (Técnico Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Ao TRF


compete julgar e processar, originariamente, os crimes contra a
organização do trabalho e contra o sistema financeiro e a ordem
econômica.

129 (Técnico Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Considere


a seguinte situação hipotética.
Um juiz federal negou provimento a mandado de segurança impetrado
contra ato de uma autarquia pública federal. Inconformado com a
decisão, o advogado do impetrante interpôs recurso para no STJ sob o
fundamento de que tal decisão afrontava lei federal.
Nessa situação, o recurso foi interposto de maneira correta.

130 (Técnico Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Considere


a seguinte situação hipotética. Impetrou-se mandado de segurança
contra um ministro de Estado sob o fundamento de que ele, por abuso
de poder, não atentara para direito líquido e certo, disposto em uma lei
federal, de um cidadão brasileiro. O advogado deste protocolou a peça
processual perante o Supremo Tribunal Federal, que proferiu decisão
reconhecendo-se incompetente para o feito.
Nessa situação, o advogado do cidadão agiu corretamente.

131 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Os crimes


praticados por prefeito de qualquer município do país devem ser
julgados pelo tribunal regional federal competente no que concerne a
desvio de verba oriunda de convênio com a União, sendo que a ação
penal respectiva pode ser instaurada mesmo depois de terminado o
mandato do prefeito.

132 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Considere


a seguinte situação hipotética.
Determinado entendimento do Tribunal de Justiça de Roraima acerca de
uma lei federal colidia frontalmente com o entendimento mantido pelo
Tribunal de Justiça de Sergipe. Certo advogado de Roraima interpôs
recurso especial perante o STJ, que o indeferiu com a justificativa de
que não se trata de sua competência. Nessa situação, está correto o
pronunciamento do STJ.

133 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - Considere


a seguinte situação hipotética. Um procurador de justiça de determinado
estado-membro praticou estelionato. Tal crime foi processado e julgado
perante o tribunal de justiça do estado. O membro do Ministério Público,
autor da denúncia, argüiu incompetência daquele órgão, ao fundamento
de que, em crime comum, o procurador deve ser julgado e processado
na comarca do local do fato. Nessa situação, assiste razão ao membro
do Ministério Público.

134 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - As


funções e garantias detidas pelos membros do Ministério Público se
igualam às imunidades e prerrogativas dos parlamentares e juízes.

(Auxiliar Judiciária – Ar. Adm/Jud – TJAP – 2004) - Com relação ao


Poder Judiciário, julgue os seguintes itens.
135 Os tribunais podem eleger seus órgãos diretivos e elaborar seus
regimentos internos, observando as normas de processo e garantias
processuais das partes e dispondo acerca da competência e do
funcionamento dos respectivos órgãos jurisdicionais e administrativos.
136 A concessão de licença, férias e outros afastamentos a seus
membros e aos juízes e servidores que lhe forem imediatamente
vinculados compete, concorrentemente, aos tribunais e ao chefe do
Poder Executivo.
137 Ao Superior Tribunal de Justiça compete julgar os juízes estaduais,
do Distrito Federal e dos territórios, bem com os membros do Ministério
Público em relação aos crimes comuns e aos de responsabilidade,
ressalvada a competência da justiça eleitoral.
138 A ação direta de inconstitucionalidade de lei ou de ato normativo
federal ou estadual e a ação declaratória de constitucionalidade de lei ou
de ato normativo federal são de competência do Supremo Tribunal
Federal.

(Técnico Judiciário – Ar. Jud/Adm. – TJAP – 2004) - Com referência às


atribuições, organização, composição e competência do Poder Judiciário,
julgue os itens seguintes.
139 A carreira da magistratura prevê cursos oficiais de preparação e
aperfeiçoamento de magistrados como requisito para o ingresso e
promoção na carreira.
140 As decisões administrativas dos tribunais dispensam motivação,
sendo que as de caráter disciplinar devem ser tomadas pelo voto de,
pelo menos, dois terços de seus membros.
141 O estatuto da magistratura, previsto na Constituição da República,
permite que juiz titular resida em comarca diversa daquela em que
presta o seu serviço jurisdicional nos casos em que a própria lei
determinar.
142 Ao Supremo Tribunal Federal cabe processar e julgar recurso
ordinário constitucional referente a crime político, decisão contrária ao
dispositivo da Constituição Federal, declaração de inconstitucionalidade
de tratado ou lei federal e validade de lei ou ato de governo local em
face da mesma constituição.
143 A justiça estadual deve observar, obrigatoriamente, a designação,
por parte do tribunal de justiça, de juízes de entrância especial. Sempre
que necessário à eficiente prestação jurisdicional, o juiz deve fazer-se
presente no local do litígio, com competência exclusiva para questões
agrárias.

144 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - Não existe


o denominado quinto constitucional no Supremo Tribunal Federal.

145 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - Se o


governador de um estado solicitar que um promotor de justiça profira
parecer em processo administrativo que tramite em órgão do Poder
Executivo estadual, o promotor deverá fazê-lo, já que o atendimento à
solicitação é compatível com as funções do Ministério Público.
Gabarito:

1. E

2. C

3. C

4. E

5. E

6. C

7. E

8. E

9. E

10. E

11. E

12. C

13. C

14. E

15. C

16. E

17. C

18. E

19. E

20. E

21. E

22. E

23. E
24. E

25. C

26. C

27. C

28. E

29. *

30. E

31. E

32. E

33. E

34. C

35. C

36. E

37. C

38. C

39. E

40. E

41. E

42. E

43. E

44. C

45. E

46. E

47. C
48. C

49. C

50. E

51. E

52. C

53. C

54. E

55. C

56. E

57. B

58. D

59. C

60. C

61. E

62. C

63. *

64. C

65. *

66. E

67. C

68. E

69. C

70. E

71. C
72. C

73. E

74. E

75. E

76. E

77. E

78. C

79. C

80. E

81. C

82. C

83. C

84. E

85. E

86. C

87. C

88. C

89. C

90. E

91. C

92. *

93. E

94. C

95. C
96. C

97. C

98. D

99. E

100. E

101. E

102. C

103. B

104. E

105. C

106. E

107. C

108. C

109. E

110. C

111. E

112. C

113. C

114. E

115. E

116. E

117. C

118. E

119. E
120. C

121. E

122. C

123. E

124. E

125. E

126. C

127. E

128. E

129. E

130. E

131. E

132. C

133. E

134. C

135. C

136. E

137. E

138. C

139. C

140. E

141. E

142. *

143. C
144. C

145. E
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - No que concerne à organização da


segurança pública e seus mecanismos de funcionamento e controle,
julgue os itens a seguir.
1 As infrações penais militares praticadas por policiais militares e
bombeiros militares não devem ser submetidas à apuração dos
delegados de polícia.
2 A Polícia Federal, além de exercer as funções de polícia judiciária da
União, possui poder de polícia no âmbito da administração pública
federal.
QUESTÃO 1
(Delegado da Polícia Federal – 2004 – Regional) - Uma proposta de
emenda à Constituição, apresentada com o apoiamento de 250
deputados, tem por conteúdo alteração das competências da Polícia
Federal, retirando-lhe a função de polícia de fronteira — art. 144, § 1.º,
III, parte final — e transferindo essa competência para o Exército
brasileiro. Admitindo que essa proposta de emenda à Constituição,
observadas as regras constitucionais relativas ao processo legislativo
desse tipo de proposição, venha a ser aprovada e promulgada, julgue os
itens a seguir.
3 Mesmo com a aprovação da referida emenda à Constituição, a
transferência da função de polícia de fronteira para o Exército brasileiro
não implicaria a transferência da função de polícia judiciária da União,
porque, nos termos da Constituição Federal, essa competência é
exercida com exclusividade pela Polícia Federal.

4 (Agente da Polícia Federal – 2004 – Regional) - À Polícia Federal


incumbe apurar infrações penais praticadas em detrimento de bens da
União, desde que esse crime não seja considerado crime militar.

5 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na A Polícia Federal,


organizada e mantida pela União, destinase a apurar infrações penais
contra a ordem social, entre outras, assim como exercer, com
exclusividade, as funções de polícia judiciária da União. A Constituição
da República não veda a criação de polícia própria para o Congresso
Nacional, relativamente a seus serviços e instalações.
Gabarito:

1. C

2. C

3. C

4. C

5. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
TRIBUTAÇÃO E ORÇAMENTO

(Fiscal de Tributos Estaduais – Alagoas/2002) - Julgue os itens abaixo,


segundo a Constituição da República.
1 Se um fazendeiro possuir como propriedade imóvel apenas uma
pequena propriedade rural no estado de Alagoas, onde vive com sua
esposa e seus oito filhos, ele não precisará pagar o imposto sobre
propriedade territorial rural (ITR).
2 Para promover o equilíbrio econômico e reduzir as desigualdades
sociais dos estados-membros, é permitido à União instituir impostos de
forma não-uniforme no território nacional.
3 A generalidade, a universalidade e a progressividade são critérios de
informação do imposto de renda.
4 A instituição do imposto sobre produtos industrializados (IPI) deverá
observar os critérios da seletividade e da não-cumulatividade, não
podendo ser objeto de discussão em mandado de segurança e em ação
popular.
5 A competência de instituição de imposto de exportação de produto
agrícola produzido na cidade de Maceió é do estado de Alagoas.

Consultor Legislativo – Senado/2002) - Roberto tem uma fazenda


localizada no estado do Amapá, em cujo subsolo foi descoberta uma
jazida de ouro. O governo do estado do Amapá estabeleceu uma taxa de
fiscalização ambiental (TFA), tendo como fato gerador o exercício de
fiscalização sobre entidades que exerçam atividades potencialmente
danosas ao meio ambiente, inclusive atividades que envolvam
mineração.
Considerando essa situação hipotética, julgue os itens seguintes.
6 A Constituição da República somente permite a criação de taxas
incidentes sobre a utilização, efetiva ou potencial, de serviços públicos,
e, portanto, a TFA estabelecida pelo governo do Amapá é
inconstitucional, dado que a fiscalização trata-se de mero exercício de
poder de polícia, não sendo um serviço público que possa ser utilizado
pelos administrados.

(Consultor Legislativo – Senado/2002) - Acerca do direito constitucional


tributário, julgue os itens abaixo.
7 Caso Alberto, residente e domiciliado em Brasília – DF, dono de uma
fazenda localizada em Alto Paraíso – GO, após ter comprado um trator
novo para sua fazenda, decida doar o trator antigo para Jairo, um amigo
seu que reside na propriedade vizinha, o estado de Goiás não poderá
cobrar de Jairo o imposto sobre transmissão causa mortis e doação
(ITCD) incidente sobre a doação do referido trator.
8 A instituição do imposto sobre a propriedade territorial rural (ITR)
deve ser feita mediante lei ordinária federal.
9 Considerando que uma instituição educacional sem fins lucrativos
alugue um imóvel de sua propriedade a um banco e aplique toda a
renda auferida em atividades que visam atingir as finalidades essenciais
da instituição, é correto afirmar que o referido imóvel não será imune ao
pagamento de imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana
(IPTU), pois apenas os bens diretamente utilizados pela entidade são
objeto de imunidade a imposto sobre patrimônio.
10 Caso emenda constitucional suprimisse do sistema tributário nacional
a reserva à lei complementar do estabelecimento de normas gerais
sobre legislação tributária, regras sobre prescrição de créditos
tributários instituídas mediante lei federal ordinária deveriam ser
observadas pelos estados, pois, no ordenamento jurídico, as leis
federais são hierarquicamente superiores às leis estaduais.
11 Seria inconstitucional lei ordinária federal que reduzisse o imposto de
renda incidente sobre a remuneração dos servidores públicos civis da
União sem estender esse mesmo benefício aos servidores civis dos
estados e dos municípios.

12 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - Cabe a lei complementar


regulamentar as limitações constitucionais ao poder de tributar.

(Defensor Público – Amazonas/2003) - No tocante ao direito


constitucional acerca de matéria tributária, julgue os itens
subseqüentes.
13 Seria inconstitucional um dispositivo de lei ordinária que definisse
que os locatários deveriam ser contribuintes do imposto sobre
propriedade predial e territorial urbana (IPTU).
14 Seria inconstitucional que o município de Manaus–AM cobrasse taxa
de limpeza urbana relativamente a um imóvel que funcionasse como
templo de uma igreja evangélica, pois a Constituição da República
determina que os templos de qualquer culto são imunes à incidência de
tributos.
15 Proposta de emenda constitucional que estabelecesse exceção ao
princípio da anterioridade tributária seria eivada de
inconstitucionalidade, por ser esse princípio um direito individual que
configura cláusula pétrea.

(Técnico Judiciário – Área Administrativa – TST – 2003) - Considere que


o projeto de lei de diretrizes orçamentárias encaminhado ao Congresso
Nacional em determinado exercício trouxesse, entre outras, as seguintes
disposições:
a) a lei orçamentária anual deverá compreender o orçamento fiscal
referente aos poderes da União, o orçamento de investimento das
empresas estatais e o orçamento da seguridade social;
b) os recursos correspondentes às dotações orçamentárias destinados
aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público
deverão ser-lhes entregues até o dia trinta de cada mês;
c) a lei orçamentária anual deverá criar doze funções de confiança no
âmbito de determinado tribunal regional do trabalho, a serem
preenchidas preferencialmente por servidores ocupantes de cargo
efetivo;
d) o Poder Executivo poderá autorizar, por intermédio da lei
orçamentária anual, a criação de uma subsidiária de determinada
sociedade de economia mista, destinada a prestar serviços de aviação
comercial no país e no exterior.
Acerca dessa situação hipotética e das disposições da Constituição da
República a ela pertinentes, julgue os itens que se seguem.
16 Considerando a autonomia administrativa e financeira assegurada ao
Poder Judiciário, o projeto de lei relativo ao orçamento fiscal anual do
Tribunal Superior do Trabalho (TST) deverá ser elaborado e
encaminhado por esse tribunal diretamente ao Congresso Nacional,
segundo o que determina a Constituição Federal.
17 A disposição a que alude a letra “b” está em conflito com preceito
contido na Constituição da República segundo o qual os recursos
correspondentes às dotações orçamentárias, destinados aos órgãos dos
Poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público, ser-lhes-ão
entregues até o dia vinte de cada mês.
18 De acordo com a Constituição Federal, o projeto de lei de diretrizes
orçamentárias na hipótese em apreço deverá ser objeto de parecer de
uma comissão mista permanente de senadores e deputados e deverá
ser apreciado pelas duas casas do Congresso Nacional, na forma do
regimento comum.
19 O preceito de que trata a letra “c” está em perfeita harmonia com os
dispositivos da Constituição Federal que remetem à reserva da lei a
criação de funções ou cargos públicos nos tribunais e atribuem aos
servidores ocupantes de cargos efetivos a preferência no preenchimento
das funções de confiança.
20 A disposição referida na letra “d” é compatível com preceito
constitucional que exige autorização legislativa, em cada caso, para a
criação de subsidiárias de sociedade de economia mista, mas colide com
norma constante da Constituição da República que veda a inclusão na lei
orçamentária anual de dispositivo estranho à previsão de receita e à
fixação de despesa.

21 (Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - Na lei


complementar federal destinada a estabelecer as normas gerais em
matéria de legislação tributária, é possível a instituição de um regime
único de arrecadação de impostos e contribuições da União, dos estados
e dos municípios, sendo o recolhimento dos tributos unificado e
centralizado.
22 (Controlador de Recursos Públicos – TCEES/2004) - A vedação à
União, aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios de instituir
impostos sobre patrimônio, renda ou serviços, uns dos outros, se aplica,
também, ao patrimônio, à renda e aos serviços relacionados com
exploração de atividades econômicas regidas pelas normas aplicáveis a
empreendimentos privados.

23 (ACE – TCU – 2004) - Um aumento de alíquota do imposto sobre


renda e proventos de qualquer natureza constante de lei promulgada
em 28/12/2003 será exigível a partir de 1.º/1/2004, em face do
princípio da anterioridade.
24 (ACE – TCU – 2004) - Não é possível a abertura de crédito
extraordinário por meio de medida provisória.
25 (ACE – TCU – 2004) - Como regra geral, é vedada a vinculação de
receita de impostos a qualquer tipo de despesa, ressalvada, entre outras
hipóteses previstas na Constituição Federal de 1988, a vinculação à
despesa destinada à realização de atividades da administração
tributária.

(Defensor Público da União – 2004) - No que diz respeito ao sistema


tributário nacional, julgue os itens subseqüentes.
26 É consensual que a incidência do princípio da igualdade no direito
tributário não implica tratar exatamente do mesmo modo todas as
pessoas, justamente porque elas não são iguais. Certo dado da
realidade — mas não qualquer um — pode ser adotado pelo legislador
para justificar, na lei tributária, tratamento desigual dos indivíduos.
27 A proibição constitucional da anterioridade da lei tributária não é
empecilho absoluto ao poder de o legislador definir os termos inicial e
final da vigência da norma definidora da hipótese de incidência.

28 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - A Constituição


Federal de 1988 estabeleceu em favor da União, em matéria tributária,
uma competência legislativa residual.

29 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - No processo


legislativo do projeto de lei do orçamento anual, somente após o início
da votação do projeto no plenário do Congresso Nacional é que não
poderá mais o presidente da República encaminhar mensagem propondo
modificações no conteúdo dessa proposição.

30 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Com exceção


dos impostos sobre a importação de produtos estrangeiros, sobre a
exportação de produtos nacionais ou nacionalizados, sobre os produtos
industrializados e sobre as operações de crédito, câmbio ou seguro ou
relativas a títulos imobiliários, todos os demais impostos majorados nos
últimos trinta dias de um exercício financeiro só serão exigíveis no
exercício financeiro seguinte, após noventa dias contados da data da
publicação do ato que os majorar.

31 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - No regime da Constituição


de 1988, o STF já admitiu que um município pode instituir taxa de
segurança destinada à manutenção de serviços de prevenção e extinção
de incêndios, mas não aceitou que estado instituísse taxas que tinham
como fatos geradores o exercício do poder de polícia e a utilização
efetiva ou potencial de serviços públicos prestados ao contribuinte ou
postos à sua disposição pelos órgãos de segurança pública, ao
fundamento de que a segurança pública é dever do Estado e direito e
responsabilidade de todos, sendo exercida para a preservação da ordem
pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, por meio das
polícias militares e corpos de bombeiros militares, entre outros,
atividade que só pode ser custeada por impostos.
32 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - A imunidade tributária
recíproca não se estende às fundações mantidas pelo poder público.

(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - Julgue o item abaixo, relativo


à repartição das receitas tributárias.
33 Incumbe ao TCU efetuar o cálculo das quotas dos tributos federais a
serem repassadas ao fundo de participação dos municípios e ao fundo
de participação dos estados e do Distrito Federal.

34 (Analista Judiciário – Área Administrativa – STJ – 2004) - A


imunidade tributária recíproca reforça a idéia central da Federação, uma
vez que retira a possibilidade de preferência entre as unidades
federativas.

35 (Analista Judiciário – Área Judiciária – TER/AL – 2004) - Uma lei que


crie ou aumente tributo, publicada na imprensa oficial no dia 31 de
dezembro de determinado ano, não poderá validamente produzir efeitos
a partir do dia subseqüente.

Gabarito:

1. C

2. E

3. C

4. E

5. E

6. E

7. C

8. C

9. E

10. E
11. C

12. C

13. C

14. E

15. C

16. E

17. C

18. C

19. E

20. C

21. C

22. E

23. C

24. E

25. C

26. C

27. *

28. C

29. E

30. E

31. C

32. E

33. E

34. C
35. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
ORDEM ECONÔMICA E FINANCEIRA

1 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - A Constituição da República


promulgada em 1988 tinha vários aspectos que a aproximavam dos
ideais típicos do Estado liberal, tais como a previsão do direito de
propriedade e da liberdade de iniciativa e a vedação ao Poder Público do
direito de estabelecer regras jurídicas que, no tocante à aquisição de
bens e serviços, dessem tratamento preferencial a empresas brasileiras
de capital nacional.
2 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Alterações constitucionais
empreendidas desde meados da década passada retiraram do texto da
Constituição da República várias disposições que eram expressão de
ideais ligados a um Estado intervencionista, tais como as regras que
tornavam defeso ao Estado conceder a empresas privadas a exploração
dos serviços de gás canalizado e das atividades de telefonia e de
refinação de petróleo.

3 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - Seria inconstitucional lei


ordinária federal que vedasse a constituição de novas cooperativas e
equiparasse o regime tributário das sociedades cooperativas existentes
ao das sociedades comerciais.

4 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - A navegação de cabotagem é


atividade de monopólio da União, podendo seu exercício ser delegado,
mediante concessão, a empresas privadas nacionais ou estrangeiras.

5 (Consultor Legislativo – Senado/2002) - A Constituição da República


considera empresa brasileira de capital nacional aquela cujo controle
efetivo esteja, em caráter permanente, sob a titularidade direta ou
indireta de pessoas físicas domiciliadas e residentes no país ou de
entidades de direito público interno, entendendo-se por controle efetivo
da empresa a titularidade da maioria de seu capital votante e o
exercício, de fato e de direito, do poder decisório para gerir suas
atividades.

6 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - A defesa do consumidor é tratada,


na Constituição da República de 1988, de duas formas: como direito
fundamental e como princípio da ordem econômica.
QUESTÃO 3
7 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - A empresa pública, a sociedade de
economia mista e suas subsidiárias que explorem atividade econômica
de produção ou comercialização de bens ou de prestação de serviço
sujeitam-se ao regime jurídico próprio das empresas privadas quanto a
direitos e obrigações trabalhistas.
QUESTÃO 7
8 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - São princípios da ordem econômica
a soberania nacional, a propriedade privada, a função social da
propriedade, a livre concorrência, a defesa do consumidor, a defesa do
meio ambiente, a redução das desigualdades regionais e sociais, a busca
do pleno emprego e o tratamento favorecido para empresas de pequeno
porte constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sua sede e
administração no país.

9 (ACE – TCU – 2004) - A União tem competência legislativa para


promulgar lei complementar definindo tratamento diferenciado e
favorecido para empresas de pequeno porte, inclusive estabelecendo
regime especial ou simplificado para o imposto sobre circulação de
mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual
e intermunicipal e de comunicação.

10 (ACE – TCU – 2004) - As empresas públicas destinadas à exploração


de atividades relacionadas com a segurança nacional podem gozar de
privilégios fiscais, não-extensivos às empresas do setor privado.

11 (ACE – TCU – 2004) - O transporte de mercadorias na cabotagem,


nos termos da Constituição Federal de 1988, não pode ser realizado por
embarcação estrangeira.

12 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Os municípios não podem utilizar


títulos da dívida pública para pagar desapropriação.

13 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - Os estados não podem


desapropriar a pequena nem a média propriedade rural.

14 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - O atendimento da função


social da propriedade rural justifica atos de invasão da propriedade
privada ou da propriedade pública improdutivas ou subutilizadas, como
instrumento de legitimação democrática para, com fins de reforma
agrária, reivindicar a expropriação estatal, no caso de bens particulares,
ou a definição de política de utilização, no caso de bens públicos.

15 (Promotor de Justiça Substituto – MPTO – 2004) - Em relação à


disciplina da atual ordem econômica e financeira e sua interpretação
pelo STF, assinale a opção correta.
A As taxas de juros reais estão limitadas a 12% ao ano, mas essa
norma constitucional depende de regulação por lei complementar para
ter eficácia plena.
B Sociedade de economia mista, ainda quando explore serviço sob
monopólio da União, está sujeita ao regime de penhora de seus bens.
C A atividade econômica desenvolve-se sempre no regime da livre
iniciativa e, por essa razão, sujeita-se ao regime privado, abrangendo os
serviços públicos que sejam concedidos e permitidos.
D A concessão de serviço público remunerado por sua utilização impõe a
adoção do regime tributário, exclusivamente por meio de taxa.
E A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) tem direito à
execução de débitos trabalhistas pelo regime de precatórios.

16 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Obedecidos os


requisitos constitucionais relativos a dimensões e período temporal de
ocupação, aquele que ocupar área urbana, pública ou privada,
ininterruptamente e sem oposição, utilizando-a para moradia própria ou
de sua família, adquirir-lhe-á o domínio, desde que não seja proprietário
de outro imóvel urbano ou rural.

17 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - A contribuição


de intervenção no domínio econômico relativa às atividades de
importação ou comercialização do petróleo poderá ter sua alíquota
reduzida ou restabelecida por decreto, a ela não se aplicando o princípio
da anterioridade.
18 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - A definição de
localização das usinas que operem com reator nuclear deve ser feita por
meio de decreto do Poder Executivo federal, sem o qual elas não
poderão ser instaladas.
19 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Na proteção dos direitos
sociais e dos direitos individuais da criança, do adolescente e do idoso, a
Constituição Federal não previu expressamente a
A gratuidade do ensino fundamental aos adultos.
B gratuidade dos transportes coletivos aos maiores de 65 anos.
C inimputabilidade penal dos menores de 18 anos.
D restrição à propaganda de cigarros e bebidas alcoólicas.
E licença-maternidade de 120 dias à mulher, empregada ou servidora
pública, em caso de adoção.

(Procurador do MP junto ao TCU – 2004) - A Constituição Federal


estabelece que a ordem econômica se fundamenta na livre iniciativa e
que será observado o princípio da livre concorrência, definindo,
outrossim, o papel do Estado como agente normativo e regulador dessa
atividade. A partir das diretrizes constitucionais da ordem econômica,
julgue os itens a seguir.
20 A própria Constituição Federal sujeita certos setores à regulação
estatal, admitindo, outrossim, a exploração direta de atividade
econômica pelo próprio Estado.
21 A previsão direta e efetiva da criação de agências reguladoras no
ordenamento jurídico brasileiro deu-se com a promulgação da
Constituição em 1988, quando restou autorizada a regulação setorial
das telecomunicações, da energia elétrica e do petróleo.
22 A repressão às infrações contra a ordem econômica no Brasil é de
exclusiva competência do Poder Judiciário, uma vez que a intervenção
na liberdade do exercício da atividade econômica pressupõe direito
fundamental sujeito à reserva de jurisdição.
23 A proteção à propriedade industrial como propriedade intelectual
constitui exceção à liberdade de concorrência, pois permite a
comercialização com exclusividade da invenção tecnológica, por tempo
ilimitado.
24 O Direito Econômico, como plasmado na Constituição Federal, é
identificado a partir da noção de estado do bem-estar social (welfare
state), superando a dicotomia entre o liberalismo clássico do laissez-
faire e o dirigismo estatal do socialismo.
Gabarito:

1. E

2. C

3. C

4. E

5. E

6. C

7. C

8. C

9. C

10. E

11. E

12. E

13. E

14. E

15. E

16. E

17. C

18. E

19. E

20. C

21. E

22. E

23. E
24. C
QUESTÕES ANTERIORES DE PROVAS DO CESPE
ORDEM SOCIAL

(Consultor Legislativo – Senado/2002) - Roberto tem uma fazenda


localizada no estado do Amapá, em cujo subsolo foi descoberta uma
jazida de ouro. O governo do estado do Amapá estabeleceu uma taxa de
fiscalização ambiental (TFA), tendo como fato gerador o exercício de
fiscalização sobre entidades que exerçam atividades potencialmente
danosas ao meio ambiente, inclusive atividades que envolvam
mineração.
1Caso uma jazida de ouro seja descoberta no subsolo de reserva
indígena, ela poderá ser explorada sem a anuência das comunidades
indígenas afetadas.
2 Caso uma jazida de ouro seja descoberta no subsolo de reserva
indígena, a autorização governamental para sua exploração dependerá
da edição de lei ordinária autorizadora, configurando-se caso
excepcional em que a lei não tem caráter de norma geral, mas de ato
administrativo.

3 (Procurador – MP/TCDF – 2002) - São diretrizes do sistema único de


saúde previstas na Constituição da República de 1988 a
descentralização, o atendimento integral e a participação da
comunidade.

4 (Atendente Judiciário – TJBA – 2003) - A Constituição da República,


com a outorga dominial das terras ocupadas pelos silvícolas, atribuída a
determinado ente específico da Federação, criou, para este, uma
propriedade vinculada, que se destina, entre outras finalidades, a
proporcionar às comunidades indígenas as condições necessárias à sua
reprodução física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições.

5 (ACE – TCU – 2004) - São princípios constitucionais da seguridade


social os princípios da universalidade da cobertura — universalidade
subjetiva — e da universalidade do atendimento — universalidade
objetiva.

6 (Consultor Jurídico – SETEPS/PA – 2004) - As terras tradicionalmente


ocupadas pelos índios são bens da União.
7 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - As terras tradicionalmente ocupadas
por índios não podem ser objeto de lavra das riquezas minerais.

8 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - A inimputabilidade dos menores de


18 anos, prevista na Constituição Federal, não pode ser objeto de
emenda constitucional.

9 (Juiz Substituto – TJMT -2004) - A seguridade social pode ser


financiada por contribuições do empregador incidentes sobre a receita
ou o faturamento, entre outras.

(Juiz Substituto – TJSE – 2004) - Considerando a ordem constitucional


social e seu âmbito de proteção a direitos, julgue os itens subseqüentes.
10 O problema da imputabilidade penal a menores de dezoito anos tem
implicação constitucional, pois a matéria não é disciplinada apenas
infraconstitucionalmente, e qualquer emenda tendente a rebaixar essa
idade pode gerar discussão sobre violação de cláusula pétrea.
11 Seguridade social é conceito idêntico ao de previdência social,
designando ações governamentais protetoras de direitos dos
trabalhadores que contribuem, ainda que obrigatoriamente, para fundo
de cobertura de doença, maternidade, invalidez, morte, desemprego e
aposentadoria.

12 (Juiz Federal –TRF 5ª Região – 2004) - A propriedade de empresa


jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens é privativa de
brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos ou de pessoas
jurídicas constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sede no país.

(Delegado da Polícia Federal – 2004 – Regional) - Acerca da ordem


social, julgue o item abaixo.
13 É vedado à União, pela Constituição Federal, qualquer tipo de aporte
de recursos a entidade de previdência privada, sendo a desobediência a
essa determinação considerada crime contra a ordem social.

14 (Agente da Polícia Federal – 2004 – Regional) - As instituições


privadas podem participar de forma complementar do Sistema Único de
Saúde mediante contrato de direito público ou convênio.
15 (Agente da Polícia Federal – 2004 – Regional) - O cancelamento da
concessão para a exploração de serviço de radiodifusão sonora e de
sons e imagem, antes de vencido o prazo de concessão, depende de
aprovação do Congresso Nacional por quorum qualificado em votação
nominal.

16 (Agente da Polícia Federal – 2004 – Regional) - Os menores de


dezoito anos são penalmente inimputáveis por força de expressa
disposição constitucional, sujeitando-se apenas às normas da legislação
especial relativa às crianças e aos adolescentes.

17 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na Entidades de previdência


privada possuem caráter complementar, são organizadas de forma
vinculada ao regime geral de previdência social e devem fundamentar-
se na constituição de reservas que garantam o benefício contratado.

18 (Papiloscopista Policial Federal – 2004) - Na A educação é um direito


de todos e dever do Estado e da família, e deve ser promovida e
incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno
desenvolvimento da pessoa, ao seu preparo para o exercício da
cidadania e à sua qualificação para o trabalho. O ensino deve ser
ministrado com base nos seguintes princípios: valorização dos
profissionais do ensino, que abrange planos de carreira para o
magistério público, com piso salarial profissional; gestão democrática do
ensino público; garantia de padrão de qualidade.

19 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - A defesa do


meio ambiente, como princípio geral da ordem econômica, permite
tratamento diferenciado para produtos e serviços em razão do impacto
ambiental decorrente de sua produção ou execução.

20 (Procurador Federal de 2ª Categoria – AGU - 2004) - Os índios, suas


comunidades e organizações são partes legítimas para ingresso em juízo
em defesa de seus direitos, embora deva o Ministério Público intervir em
todos os atos do processo.

21 (Procurador do Estado – PGE – CE - 2004) - Tendo em vista o


sistema nacional de proteção ao meio ambiente, disciplinado por normas
constitucionais e infraconstitucionais, especialmente quanto à
competência para legislar sobre o meio ambiente, protegê-lo e fiscalizá-
lo , assinale a opção correta.
A No âmbito da legislação ambiental, o município não pode suplementar
a legislação federal ou estadual.
B A preservação de florestas insere-se na exclusiva competência da
União, por se tratar de bens pertencentes a este ente federativo.
C O Instituto Nacional do Meio Ambiente (IBAMA), órgão consultivo e
deliberativo do Sistema Nacional do Meio Ambiente (SISNAMA), tem por
função precípua estudar e propor as diretrizes da política ambiental
nacional.
D O Conselho Estadual do Meio Ambiente (COEMA) tem atribuição
constitucional estadual para apreciar os relatórios de estudo de impacto
ambiental exigidos no âmbito do estado do Ceará.
E O licenciamento ambiental de obras potencialmente poluidoras, ainda
que o impacto ambiental seja restrito ao estado ou a um de seus
municípios, é concedido pelo IBAMA, autarquia federal.
QUESTÃO 9
22 (Procurador do Estado – PGRR – 2004) - O conselho tutelar possui
atribuição para aplicar ao adolescente autor de ato infracional medidas
socioeducativas, inclusive a de inserção em estabelecimento
educacional, expressamente prevista no Estatuto da Criança e do
Adolescente, intervenção que deve estar sujeita, porém, aos princípios
de brevidade, excepcionalidade e respeito à condição peculiar de pessoa
em desenvolvimento. Tal decisão somente poderá ser revista pela
autoridade judiciária, a pedido de quem tenha legítimo interesse.

Gabarito:

1. C

2. E

3. C

4. C

5. C

6. C
7. E

8. E

9. C

10. C

11. E

12. C

13. E

14. C

15. E

16. C

17. E

18. C

19. C

20. C

21. D

22. E

Você também pode gostar