Você está na página 1de 9

INTRODUÇÃO

Rio de Janeiro é um estado brasileiro que


compõe a federação. Está localizado na
Região Sudeste e possui como capital a
cidade do Rio de Janeiro, que abriga uma
população de 6.320.446 habitantes.

O Estado do Rio de Janeiro possui uma área de 43.780,157 km2, nela estão
situados 92 municípios, a população total do estado é de 15.989.929 habitantes,
denominados de fluminenses.

ECONOMIA
O setor de turismo é uma importante atividade no
Rio de Janeiro.
O Estado do Rio de Janeiro ocupa o lugar de
segunda maior economia do Brasil. Para isso conta
com um parque industrial e principalmente a
indústria do turismo, uma vez que a capital do
Estado é reconhecida como “a cidade maravilhosa”
e é conhecida internacionalmente.
A economia do Estado é diversificada, o parque
industrial é composto por indústrias metalúrgicas,
siderúrgicas, químicas, de alimentos,
mecânicas, editorial e de celulose.
A principal atividade econômica do Estado do Rio
de Janeiro está ligada ao setor terciário e essencialmente à prestação de
serviços, a menor participação produtiva é a agropecuária na composição
do PIB (Produto Interno Bruto) estadual.
Nesse seguimento da economia, o Estado abriga a sede de importantes empresas
como a Tim, Oi, Telemar, Embratel, Intelig e Vésper. No seguimento de
vendas no varejo abriga a sede de lojas como Lojas Americanas, Blockbuster,
Americanas.com e Submarino, todas do mesmo grupo.

1
No setor industrial, a produção envolve segmentos da metalurgia, siderurgia,
gás-química, petroquímica, naval, automobilística, audiovisual, cimenteira,
alimentícia, mecânica, extração de petróleo entre outros.
Na produção de petróleo estão estabelecidas sedes de grandes empresas ligadas
ao setor como Shell, Esso, Ipiranga, El Paso.
Na agropecuária o Rio de Janeiro não é expressivo em produção nem em área
cultivada, isso por que não houve o processo de modernização e mecanização
agrícola, como ocorreu em outros Estados brasileiros. Mesmo com os impedimentos
produtivos do setor agropecuário, o Estado se destaca na produção de cana-de-
açúcar, além de mandioca, tomate, arroz, feijão, milho, batata, laranja e
banana.
No extrativismo ocupa um lugar de destaque na extração de sal, calcário,
dolomita e mármore e especialmente de petróleo, responsável por grande
parte da produção nacional.

Informações gerais da economia do Estado do Rio de Janeiro:

Participação no PIB nacional: 11,2%.


Composição do PIB agropecuário: 0,6%.

Exportação

Petróleo: 44,8%.
Combustíveis: 17,5%.
Siderúrgicos: 13%.
Petroquímicos: 3,6%.
Metais não ferrosos: 2,8%.
Veículos e peças: 2,1%.

ASPECTOS FÍSICOS

Vale do Rio Campo Belo, no Estado do Rio de


Janeiro.
O Estado do Rio de Janeiro está localizado na
região sudeste, a seguir as principais
características naturais dessa importante unidade
da federação.

Relevo

O relevo do Estado do Rio de Janeiro é muito


variado, desse modo apresenta entre outros,
escarpas elevadas, mares de morros, colinas e
vales, rochas diversificadas, além de uma extensa
área de planalto que ocorre em todo oeste do
território.
O ponto mais elevado do Estado é o Pico das
Agulhas Negras com 2.787 metros de altura na
Serra Mantiqueira.
2
No Estado é possível encontrar duas unidades de relevo, denominada de baixada
Fluminense e o planalto Fluminense, a primeira ocupa quase a metade do território
estadual e a segunda se estabelece no interior do mesmo.

Clima

Na área de relevo mais plano o clima que predomina é o tropical semi-úmido, com
elevados índices de pluviosidade no verão e inverno seco. A temperatura média
desse território é de 24ºC e a média de chuvas anuais é de cerca de 1.250 mm.
Entre a baixada Fluminense e o planalto desenvolve o clima tropical de altitude que
deriva invernos rigorosos e verões quentes com grande ocorrência de chuvas,
atingindo aproximadamente 2.200 mm ao ano e temperatura média de 16ºC.
Nos planaltos prevalece o clima tropical de altitude, que promove verões quentes e
úmidos (chuvosos) e invernos secos e frios. A temperatura média anual nesses
locais é de 20ºC e índices pluviométricos que variam de 1.500 a 2.000mm anuais.

Vegetação

Diante da ocupação passada, realizada no Estado do Rio de Janeiro para o


desenvolvimento da pecuária, existe atualmente somente cerca de 9% de toda
vegetação original, as áreas remanescentes estão dispersas em lugares de difícil
acesso. Basicamente são identificadas três variações vegetativas, no litoral e
entorno o mangue e floresta Atlântica, no interior a floresta Tropical.
No Estado ocorrem às florestas do tipo Ombrófila, vegetação costeira (manguezais,
restinga, praia), campos de altitude e campos de planície, embora essas
características tenham perdido grande parte de suas reservas.

Hidrografia

O principal rio do Estado é o Paraíba do Sul que percorre o território em grande


extensão, além dos rios Macaé, Muriaé, Piraí e Grande.
O rio Paraíba do Sul nasce no Estado de São Paulo e deságua no Oceano Atlântico,
esse importante manancial tem como afluentes os rios Piabinha, Piraí e Paraibuna,
isso na margem direita e Pomba e Muriaé na margem esquerda.

ASPECTOS DA POPULAÇÃO
Com extensão territorial de 43.780,157 quilômetros quadrados, o Rio de Janeiro é
o menor estado da Região Sudeste. Conforme contagem populacional realizada em
2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população do
estado totaliza 15.989.929 habitantes, sendo a densidade demográfica de
365,2 habitantes por quilômetro quadrado.
O território que atualmente corresponde ao Rio de Janeiro era habitado
por diversas tribos indígenas: Tupinambás, Goitacá, Guaianás, Tamoios,
Botocudo, Tupiniquins, entre outros. Durante o processo de colonização, o Rio
de Janeiro recebeu portugueses, franceses, além de escravos africanos.
Posteriormente, o estado também foi destino de fluxos migratórios oriundos da
Suíça, Alemanha, Itália, Espanha, etc.

3
O Rio de Janeiro obteve ao longo dos anos um aumento populacional extraordinário
e, atualmente, é o terceiro estado mais populoso do Brasil. Seus mais de 15,9
milhões de habitantes estão distribuídos em 92 municípios. A cidade do Rio de
Janeiro, capital estadual, é a mais populosa: 6.320.446 habitantes. Outros
municípios fluminenses com grande concentração populacional são: São Gonçalo
(999.728), Duque de Caxias (855.048), Nova Iguaçu (796.257), Niterói (487.562)
e Belford Roxo (469.332).
Com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,832, o Rio de Janeiro
ocupa o 4° lugar no ranking nacional de IDH. A taxa de alfabetização é a
terceira maior do país (96%), atrás somente do Amapá (97,2%) e do
Distrito Federal (96,6%). O Rio de Janeiro apresenta a segunda melhor
média de escolaridade do Brasil: 45,6% de sua população têm oito anos ou
mais de estudos.
A maioria da população reside em áreas urbanas: 96,7%, o que faz do Rio de
Janeiro um dos estados mais urbanizados do Brasil. Os serviços de saneamento
ambiental atendem 84,6% das residências fluminenses. A taxa de mortalidade
infantil é de 18,3 óbitos a cada mil nascidos vivos, abaixo da média
nacional, que é de 22.

Apesar de todos esses aspectos


socioeconômicos positivos, o estado
do Rio de Janeiro sofre com a
violência. Os freqüentes conflitos
armados entre traficantes e policiais
causam várias mortes, além de
provocar um clima de insegurança
para a população. Conforme dados
da Secretaria Nacional de Segurança
Pública, do Ministério da Justiça, o
Rio de Janeiro é o estado brasileiro
que apresenta o maior número de
mortes resultantes de crimes no país.

Dados da população do Rio de Janeiro:


População: 15.989.929 habitantes.
Densidade: 365,2 habitantes por quilômetro quadrado.
Crescimento demográfico: 1,1% ao ano.
População urbana: 96,7%.
População rural: 3,3%.
Analfabetismo: 4%
Analfabetismo funcional: 14,1%.
Acesso à água: 88,1%.
Acesso à rede de esgoto: 84,6%
Mortalidade infantil: 18,3 óbitos a cada mil nascidos vivos.
Homicídios dolosos (com intenção de matar): 33 por 100 mil habitantes.

CRONOGRAMA HISTÓRICO
Século 20
4
Em 1903, a capital do Estado volta a se estabelecer em Niterói.
Em 1920, a população da cidade do Rio de Janeiro ultrapassa um milhão de
habitantes.
1923-1927 - Feliciano Sodré - Construção dos portos de São Lourenço e Angra
dos Reis, instalação de usinas elétricas.
No período da 1 a. República acentua-se, na terra fluminense, a crise iniciada no
Império: lavouras tradicionais, café e açúcar estão em decadência. A produção de
café concentra-se em Itaperuna, Muriaé e Itabapoana. Áreas cafeicultoras
tradicionais como Cantagalo, Vassouras e Valença são substituídas pela pecuária,
ocupando os solos esgotados. Cultivo de laranja e banana, em escala econômica,
inicia-se na baixada fluminense, mas só a partir de 1926 atinge os mercados
externos (Reino Unido).
1930 - (Revolução) - Sucederam-se na chefia do Estado do Rio vários
interventores federais que revelam o controle exercido pelo Governo Federal sobre
o Estado.
A situação econômico-financeira foi limitada aos próprios recursos do Estado, em
razão dos reflexos sofridos pela Nação, provocados pelas mudanças políticas, assim
como pela crise mundial de 1929. Reduziu-se a produção cafeeira, enquanto
duplicou a produção canavieira. A partir de 1933 desenvolve-se a indústria do
cimento. Faltam recursos para infra-estrutura, restringindo-se o desenvolvimento a
aspectos sociais como assistência médica e ensino.
1937 - Implantando o Estado Novo - nomeado interventor federal o Cte. Ernâni do
Amaral Peixoto, que reorganizou o sistema tributário, criou as Secretarias de
Educação e Saúde Pública, Agricultura, Indústria e Comércio e desenvolveu amplo
programa rodoviário e de abastecimento de água.
1941 - Início das atividades da Companhia Siderúrgica Nacional em Volta Redonda,
estrategicamente localizada entre Rio de Janeiro e São Paulo, dois maiores centros
de consumo e distribuição dos produtos de siderurgia. Seguem-se os governos de
vários interventores federais até a eleição do governador Gal. Edmundo de Macedo
Soares e Silva, em 1947, que imprime novo desenvolvimento: quadruplica a
produção do aço e promove a produção de cimento, também ascendente. Reergue
a produção agropecuária através de crédito rural e desenvolve o corporativismo.
1951-1954 - Eleito, Amaral Peixoto executa vasto plano rodoviário e incrementa a
produção industrial; cria a Cia. Nacional de Álcalis, em Cabo Frio; conclui a Usina
Hidrelétrica de Macacu, além de obras importantes de saneamento, água e esgoto
em vários municípios e da adutora do Laranjal.
1954-1958 - Miguel Couto Fo. beneficiou o setor de saúde pública criando postos
de atendimento e unidades itinerantes. Estendeu a rede elétrica a vários
municípios.
1959-1961 - Roberto Teixeira da Silveira dinamiza a organização estadual criando
as Secretarias de Energia Elétrica, Desenvolvimento Econômico, Administração
Geral, Trabalho e Serviço Social e Comunicação e Transportes. Destaque para o
Movimento Popular de Alfabetização.
Em 21 de abril de 1960, a cidade do Rio de Janeiro deixa de ser Distrito Federal e
Capital do Brasil, transferida para Brasília.
Em Março de 1974, inaugura-se a ponte Costa e Silva, ligando as cidades do Rio de
Janeiro e Niterói.
1975 - Em 15 de março de 1975, fundiram-se o Estado da Guanabara e o Estado
do Rio de Janeiro, com o nome de Estado do Rio de Janeiro, assumindo o governo

5
da nova unidade federativa o almirante Faria Lima. Em 23 de julho - Promulgação
da Constituição do Estado do Rio de Janeiro.
Em 1982, pela primeira vez desde 1964, houve eleições diretas para
governadores.

TURISMO
Pontos Turísticos
Principais ícones cariocas, o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar são passeios
obrigatórios para quem vem ao Rio de Janeiro. Em ambos os cartões-postais, as
paisagens descortinadas mostram o porquê de a cidade ter o título de
“maravilhosa”. Em terra firme, construções como o Maracanã e a Cidade do Samba
revelam a magia do futebol e do Carnaval.

Cristo Redentor

Principal cartão-postal da cidade, o Cristo foi eleito pelos


cariocas como a “Maravilha do Rio”. O monumento fica no
alto do morro do Corcovado, a 700 metros de altitude,
onde um mirante panorâmico descortina grande parte do
Rio de Janeiro. Para chegar lá em cima há duas maneiras:
de carro ou de trem. O acesso de automóvel é complicado
em função da falta de vagas de estacionamento e excesso de flanelinhas. Prefira o
trem - o percurso tem 3.800 metros em meio a jardins temáticos e a viagem
dura cerca de 20 minutos.

Pão de Açúcar

A emoção do passeio ao Pão de Açúcar começa bem antes


de se chegar ao topo do morro, a 400 metros acima do
nível do mar. A aventura tem início com a viagem de
bondinho, um teleférico envidraçado que apresenta
detalhes e ângulos únicos da perfeita geografia carioca. A
primeira parada é feita no Morro da Urca, a 220 metros de
altitude. Dali avista-se a Baía de Guanabara e a Enseada de Botafogo. Na segunda
e última parada, o visual panorâmico apresenta, além da baía, grande parte da orla
da Zona Sul e de Niterói.

Maracanã

Mais que um monumento esportivo, o estádio do


Maracanã é um atrativo cultural e turístico, recebendo
visitantes até mesmo em dias em que não há jogos. Para
os apaixonados por futebol há tours guiados que
conduzem à beira do gramado, às arquibancadas, ao
vestiário, ao Hall da Fama - onde estão as marcas dos pés

6
de jogadores famosos - e ao Museu do Futebol, com fotos e imagens das mais
belas jogadas feitas no maior estádio do mundo.

Santa Teresa

Um dos cenários mais pitorescos do Rio de Janeiro, Santa


Teresa fica no alto de uma colina recortada pelos trilhos
do velho bondinho elétrico que ainda circula pelas ruas
estreitas do bairro. Repleta de largos e espaços culturais
que revelam paisagens das zonas Norte, Sul e Centro,
‘Santa’ é tomada por sobrados que abrigam ateliês,
lojinhas de artesanato, bares e restaurantes. Um dos prédios mais importantes é o
Convento de Santa Teresa, erguido no século XIX e que deu nome ao bairro.

Cidade do Samba

Mais novo atrativo turístico carioca, a Cidade do Samba


garante o clima de Carnaval o ano inteiro. O parque
temático ocupa uma área de 114 mil metros quadrados na
zona portuária e abriga os galpões das principais escolas
de samba do Rio de Janeiro. Através das oficinas é
possível acompanhar de perto a produção de carros
alegóricos e de fantasias. Nas noites de quinta-feira, um espetáculo dirigido pelo
coreógrafo Carlinhos de Jesus reúne passistas, ritmistas, baianas e casais de
mestre-sala e porta-bandeiras terminando com um mini-desfile de Carnaval.

Sambódromo

Passarale do Samba é visitada pelos turistas até mesmo


fora do Carnaval. Foto: Rio Convention & Visitors Bureau
Inaugurado em 1984 e batizado como Avenida dos
Desfiles, o Sambódromo recebe visitantes o ano inteiro,
que se contentam em apreciar a passarela do samba, de
apenas 700 metros, completamente vazia. A Praça da
Apoteose serve de pano de fundo para as fotografias de recordação.

Mirante Dona Marta

A 360 metros de altitude, o mirante descortina o Pão de


Açúcar, o Maracanã, a Baía de Guanabara e o Cristo
Redentor. O acesso de carro é feito pela Estrada das
Paineiras.

7
Vista Chinesa

A construção em estilo oriental fica a 380 metros de altura


em meio à Floresta da Tijuca, descortinando uma das mais
bonitas vistas da cidade, tendo o Cristo, a Lagoa, o Pão de
Açúcar e as praias da zona Sul como pano de fundo.

Centro de Tradições Nordestinas (Feira de São Cristóvão)

A tradicional Feira de São Cristóvão ganhou nova


roupagem, mas a animação continua a mesma. O espaço
de 34 mil metros quadrados oferece 700 barracas
padronizadas, dois palcos para shows, praça de
repentistas, estacionamento e banco. De segunda a
quinta, funciona apenas para almoço de comidas típicas,
mas de sexta a domingo a programação é ininterrupta.

CULINÁRIA
Receitas de Comida Cariocas. A culinária carioca tem algumas peculiaridades, como
o amor pela tradição portuguesa. Em nenhum outro lugar do Brasil se respeita com
tanto gosto o ritual do cozido e se andam tantos quilômetros atrás de um caldo
verde ou de uma isca de fígado.
O Rio também tem uma cozinha de vanguarda internacional, pronta para as
grandes festas, recepções e banquetes oficiais. Sem nenhum preconceito os
cariocas provam, aprovam e adotam pratos regionais de todo o país.
A cozinha do Rio de Janeiro é isso: descontração, ingrediente fundamental que fez
do Estado a terra da bossa. Segue abaixo relacionados, alguns dos pratos típicos
provenientes nessa região:
• Receita de Cozido de Porco;
• Receita de Feijoada à Transmontana;
• Receita de Arroz à Brasileira;
• Receita de Dobradinha;
• Receita de Feijoada à Brasileira;
• Receita de Canapé de Cogumelos Recheados

8
http://www.brasilescola.com/brasil/rio-janeiro.htm

http://www.brasilescola.com/brasil/a-economia-rio-janeiro.htm

http://www.brasilescola.com/brasil/aspectos-naturais-estado-

rio-janeiro.htm

http://www.brasilescola.com/brasil/aspectos-populacao-estado-

rio-janeiro.htm

http://www.rio-turismo.com/historia.htm

http://www.feriasbrasil.com.br/rj/riodejaneiro/pontosturisticos.c

fm

http://www.receitasdecomidas.com.br/carioca/