Você está na página 1de 17

Momede Abdul Gani Ibraimo

O IMPACTO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA USINA EÓLICA

(caso particular da Ilha de Moçambique)

Universidade Rovuma

Nampula

2021
Momede Abdul Gani Ibraimo

O IMPACTO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA USINA EÓLICA

(caso particular da Ilha de Moçambique)

Trabalho de Pesquisa apresentado à


Faculdade de Engenharia e Ciências
Tecnológicas como requisito para a obtenção
do grau de Licenciatura em Engenharia
Electrónica., sob orientação de

dr. Miguel Silveira

Universidade Rovuma

Nampula

2021
Índice
1. INTRODUÇÃO……………………………………………………………………………4
1.1. Objectivo Geral.................................................................................................................... 4
1.2. Objectivos Específicos ........................................................................................................ 4
2. DELIMITAÇÃO DO TEMA ................................................................................................. 4
2.1. Limitação Espacial .............................................................................................................. 4
2.2. Limitação temporal .............................................................................................................. 5
3. FORMULAÇÃO DO PROBLEMA ....................................................................................... 5
4. JUSTIFICATIVA ................................................................................................................... 5
4.1. Pessoal ................................................................................................................................. 5
4.2. Social ................................................................................................................................... 5
4.3. Científica ............................................................................................................................. 6
5. HIPÓTESES ........................................................................................................................... 6
6. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ......................................................................................... 6
6.1. Energia Eólica - Conceito ................................................................................................... 6
6.2. Historial da Energia Eólica para fins não-eléctricos ........................................................... 7
6.3. Historial da Energia Eólica para fins eléctricos................................................................... 7
6.4. O vento que move as Turbinas ............................................................................................ 8
6.5. Constituição de uma turbina eólica ..................................................................................... 8
6.6. Componentes de um sistema eólico..................................................................................... 9
6.7. Potência gerada por uma turbina eólica ............................................................................. 10
6.8. A Localização da Ilha de Moçambique ............................................................................. 11
7. METODOLOGIA ................................................................................................................. 12
7.1. Revisão Bibliográfica ........................................................................................................ 12
7.2. Universo populacional ....................................................................................................... 13
7.3. Amostra ............................................................................................................................. 13
7.4. Cronograma ....................................................................................................................... 14
7.5. Orçamento ......................................................................................................................... 14
8. BIBLIOGRAFIA .................................................................................................................. 15
9. ANEXOS…………………………………………………………………..………………16
4

1. INTRODUÇÃO

A energia eléctrica é a fonte de quase toda a transformação mundial, não se limitando a


apenas um tipo, mas sim a todas as variantes dela. Sendo usada em residências, empresas,
indústrias, etc. Tendo sua classificação como não renovável e renovável.

Outrossim, a energia não renovável engloba a energia nuclear e a termoeléctrica; a energia


renovável engloba a energia hidráulica, solar, eólica e biomassa. Apesar, da maioria dos
países desenvolvidos terem em sua posse usinas de energias não renováveis, tem-se a
tendência de extingui-las pela sua característica de poluente.

Não obstante a este parecer, o presente trabalho de pesquisa tem como objectivo apresentar e
estudar o impacto da implementação de uma usina eólica (caso particular da Ilha de
Moçambique).

1.1. Objectivo Geral


 Contribuir para o entendimento da energia eólica no distrito e melhoramento do
fornecimento de energia distrital, provincial e regional.

1.2. Objectivos Específicos

 Apresentar um olhar sobre como a energia eólica pode beneficiar a vida das pessoas
no distrito da Ilha de Moçambique;
 Analisar o nível de conhecimento dos residentes do distrito sobre a energia eólica;
 Identificar os prós e contras da implementação de um usina eólica no distrito.

2. DELIMITAÇÃO DO TEMA

O tema assenta-se nos diversos processos de geração de energia eléctrica que são abordados
principalmente nas cadeiras de Electrotecnia Teórica e Pratica Técnico Profissional em
Electricidade.

2.1. Limitação Espacial

Este projecto tem como principal foco estudar o impacto da implementação de uma usina
eólica (caso particular da Ilha de Moçambique) que será efectuada como referenciado no tema
no distrito da Ilha de Moçambique.
5

2.2. Limitação temporal

A pesquisa será realizada no distrito da Ilha de Moçambique nos meses de Novembro de 2021
á Janeiro de 2022.

3. FORMULAÇÃO DO PROBLEMA

Problema é qualquer questão não resolvida e que é objecto de discussão em qualquer domínio
do conhecimento. (Gil, 2008)

Partindo deste princípio e face as pretensões na elaboração do projecto em questão, diante das
constatações supra anunciadas, importa discutir: Qual seria o impacto da implementação de
uma usina de energia eólica no distrito da Ilha de Moçambique, instalando
turbinas/aerogeradores no alto mar?

4. JUSTIFICATIVA

O autor deve apresentar as justificativas não apenas, mas, sobretudo aquelas baseadas na
relevância social e científica da pesquisa proposta. (Severino, 2002)

4.1. Pessoal

O autor tem estado neste distrito nos meses de Dezembro à Fevereiro desde 2012 até o
presente ano. Tem observado, não um cenário de fornecimento de energia eléctrica
relativamente muito menor, se comparado ao da Cidade capital da província mas sim, algo
que poderia ser melhorado, dado que possui tais condições sendo um distrito situado no litoral
do pais e sendo uma das referências quando se fala no oceano índico em Moçambique.

4.2. Social

A produção de energia eléctrica em Moçambique é ainda muito restrita a Usina Hidroeléctrica


de Cahora-Bassa que sita no distrito de Songo na província de Tete pelo seu grande potencial
hidráulico, onde é puxada através de linhas de transmissão para todas as partes do país, e
quando há problemas nas linhas de transmissão o país fica afectado principalmente a região
norte, onde localiza-se o distrito da Ilha de Moçambique (este que encontra-se no litoral do
país, na zona costeira).Tem um grande potencial eólico que devia ser aproveitado para a
geração de energia para o consumo distrital, provincial regional ou mesmo a nível do país; em
caso de corte ou independendo da Cahora-Bassa definitivamente ou mesmo uma juncão de
6

forças como no caso de vários países do mundo que possuem mais de um tipo de usina de
produção de energia eléctrica.

4.3. Científica

A energia eólica é uma das fontes de energia usada para a geração de energia eléctrica que
mais contribui para a preservação do meio ambiente, pois seu funcionamento é dado pela
força dos ventos, utilizando somente recursos naturais.

5. HIPÓTESES

O ponto básico do tema, individualizado e especificado na formulação do problema, sendo


uma dificuldade sentida, compreendida e definida, necessita de uma resposta, "provável,
suposta e provisória", isto é, uma hipótese. (Lakatos & Marconi, 2003)

O desconhecimento da energia eólica por parte do governo distrital influencia na não


aderência da mesma.

A colocação de aerogeradores no alto mar dificultara a locomoção dos pescadores no mar.

6. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O quadro teórico que constitui categorias e conceitos, formando sistematicamente um


conjunto logicamente coerente, dentro do qual o trabalho do pesquisador se fundamenta e se
desenvolve. (Severino, 2002)

6.1. Energia Eólica - Conceito

Energia eólica é a transformação da energia do vento em energia útil, tal como na utilização
de aerogeradores para produzir electricidade, moinhos de vento para produzir energia
mecânica ou velas para impulsionar veleiros. A energia eólica, enquanto alternativa aos
combustíveis fósseis, é renovável, está permanentemente disponível, pode ser produzida em
qualquer região, é limpa, não produz gases de efeito de estufa durante a produção e requer
menos terreno. (Fthenakis & Hyung, 2009)

O termo eólico vem do latim aeolicus, pertencente ou relativo à Eólo, Deus dos ventos na
mitologia grega.
7

6.2. Historial da Energia Eólica para fins não-eléctricos

A energia eólica tem sido aproveitada desde a antiguidade para mover barcos impulsionados
por velas ou para fazer funcionar a engrenagem de moinhos, ao mover as suas pás. Nos
moinhos de vento a energia eólica era transformada em energia mecânica, utilizada na
moagem de grãos ou para bombear água. Os moinhos foram usados para fabricação de
farinhas e ainda para drenagem de canais nos Países Baixos. Os primeiros moinhos de vento
apareceram na Pérsia desde o século IX ou provavelmente o seculo VII. (Hassan & Hill,
1986). Tornando-se comum no Médio Oriente e na Asia Central, chegando mais tarde a china
e Índia. Por volta do ano 1000, os moinhos eram usados para bombear água do mar até as
salinas na China e na Sicília e no século XI chegaram na europa. Os primeiros europeus que
vieram à América trouxeram a tecnologia consigo. Em 1881, William Thomson propôs o uso
da energia eólica na ausência de carvão. (Kurlansky, 2002)

6.3. Historial da Energia Eólica para fins eléctricos

Em Julho de 1887, James Blyth, um engenheiro escocês, construiu uma turbina com pás de
tecido no jardim e aproveitou a electricidade produzida para carregar acumuladores que usava
para iluminar a sua casa (Hardy, 2010).

Na década de 1890, o inventor dinamarquês Poul la Cour construiu geradores eólicos para
produzir electricidade e também para produzir hidrogénio e oxigénio por electrólise para usar
a mistura dos dois gases como combustível. Lá Cour foi o primeiro a descobrir que turbinas
que girassem a uma velocidade maior e com menos pás eram as mais eficientes para produzir
electricidade. Em 1904 fundou a Sociedade dos Electricistas Eólicos (Nixon, 2008). Em
meado da década de 1920 algumas empresas começaram a fabricar aerogeradores eléctricos
de 1-3 Quilowatts que tiveram ampla aceitação nas regiões rurais da América do Norte. Mas a
instalação de redes eléctricas publicas durante a década de 1940 e a necessidade de mais
energia tornou estes pequenos geradores obsoletos.

Em 1931 o engenheiro francês Georges Darrieus obteve uma patente para uma turbina eólica
que usava aerofólios ao longo de um eixo vertical para criar a rotação. Desenhou ainda uma
turbina de 100 Quilowatts, percursora dos geradores horizontais. Em 1956, Johannes Juul
antigo estudante de la Cour, projectou uma turbina com três pás em Gedser, 200 Quilowatts
que viria influenciar o desenho das turbinas posteriores. Em 1975 o Departamento de Energia
dos Estados Unidos financiou um projecto de desenvolvimento de turbinas eólicas gerido pela
8

NASA, com a finalidade de serem incorporadas na rede de distribuição abrindo caminho para
as tecnologias actuais. Desde então tem aumentado de tamanho sendo as maiores capazes de
produzir 7,5 Megawatts. A potência da turbina é medida em Quilowatt ou Megawatt,
enquanto a energia produzida em Quilowatt/hora.

6.4. O vento que move as Turbinas

O vento é o movimento de ar ao longo da superfície da terra, sendo afectado por áreas de altas
e baixas pressões atmosféricas.

O sol não aquece a superfície de forma regular, dependendo de factores como ângulo de
incidência dos raios solares, difere consoante a latitude e a hora, e se o solo é coberto ou não
por vegetação. As grandes massas de água como os oceanos aquecem a arrefecem mais
lentamente do que em terra. A energia em forma de calor absorvida pela superfície da Terra é
transferida para a atmosfera e, uma vez que o ar aquecido é menos denso que o ar frio, sobe
acima do ar arrefecido para formar áreas de elevada pressão atmosférica criando diferenciais
de pressão. A rotação da Terra arrasta a atmosfera envolvente, o que provoca turbulência. É a
conjugação de todos estes fenómenos que provoca a alteração constante do padrão de
ventos.E a quantidade de vento depende da estação de ano e as horas do dia. E a energia
eólica produzida depende das características de desempenho, altura dos sistemas de conversão
de eólico instalado. Sendo aproveitado por meio da conversão da energia cinética de
translação (proveniente do vento) em energia cinética de rotação com o uso de Turbinas
eólicas, também denominadas Aerogeradores, para a geração de electricidade.

6.5. Constituição de uma turbina eólica

Figura 1: Constituintes de Turbina Eólica recuperado aos 24/08/2021 em

http://docplayer.com.br/52157933-Dimensionamento-e-simulacao-de-uma-microrrede-em-
um-condominio-residencial-utilizando-geracao-eolica-e-solar.html
9

6.6. Componentes de um sistema eólico

Um sistema eólico é constituído por vários componentes que devem trabalhar em harmonia de
forma a propiciar um maior rendimento final. Para efeito de estudo global da conversão eólica
devem ser considerados os seguintes componentes:

Rotor: É o componente do sistema eólico responsável por captar a energia cinética dos ventos
e transformá-la em energia mecânica de rotação. É o componente mais característico de um
sistema eólico. Por este motivo, a configuração do rotor influenciará directamente no
rendimento global do sistema.

Transmissão e Caixa Multiplicadora: A transmissão, que engloba a Caixa multiplicadora,


possui a finalidade de transmitir a energia mecânica entregue pelo eixo do rotor até o gerador.

Gerador Eléctrico: Responsável pela transformação da energia mecânica de rotação em


energia eléctrica através de equipamentos de conversões electromecânicas.

Mecanismo de Controlo: Destinam-se à orientação do rotor, existe uma enorme variedade


de mecanismos que podem ser mecânicos (velocidade, passo, freio), aerodinâmicos
(posicionamento do rotor) ou electrónicos (controle da carga).

Torre: As torres são necessárias para sustentar e posicionar o rotor a uma altura conveniente
para o seu funcionamento. É um item estrutural de grande porte e de elevada contribuição no
custo inicial do sistema. Em geral, as torres são fabricadas de metal (treliça ou tubular) ou de
concreto e podem ser ou não sustentadas por cabos tensores.

Sistema de Armazenamento: Também chamado de banco de baterias, pode ser necessária a


utilização desse sistema devido à mudança de comportamento do vento ao longo do tempo,
ele garante o fornecimento de energia adequado à demanda.

Transformador: Responsável pelo acoplamento eléctrico entre o aerogerador e a rede


eléctrica.

Acessórios: englobam todos os itens de apoio necessários ao funcionamento do sistema


eólico. Incluem-se transmissões, freios, embraiagens, eixos, acoplamentos e mancais que não
apresentam nenhum problema tecnológico aos sistemas eólicos.

Um aerogerador consiste num gerador eléctrico movido por uma hélice, que por sua vez é
movida pela força do vento. A hélice pode ser vista como um motor a vento, cujo único
10

combustível é o vento. A quantidade de electricidade que pode ser gerada pelo vento depende,
a grosso modo, de quatro factores: da quantidade de vento que passa pela hélice, do diâmetro
da hélice, a dimensão do gerador e o rendimento de todo o sistema.

As turbinas são, em princípio, instrumentos razoavelmente simples. O gerador é ligado


através de um conjunto accionador a um rotor constituído de um cubo e duas ou três pás. O
vento acciona o rotor que faz girar o gerador e converte esta energia mecânica captada pelas
pás em energia eléctrica. A quantidade de energia disponível no vento varia de acordo com as
estações e as horas do dia. A topografia e a rugosidade do solo também têm grande influência
na distribuição de frequência de ocorrência de velocidade do vento em um local. Além disso,
a quantidade de energia eólica extraível numa região depende das características de
desempenho, altura de operação e espaçamento horizontal dos sistemas de conversão de
energia eólica instalados, que será melhor abordado no decorrer deste trabalho. Os
aerogeradores precisam agrupar-se em parques eólicos (concentrações de aerogeradores),
necessários para que a produção de energia se torne rentável, mas podem ser usados
isoladamente, para alimentar localidades remotas e distantes da rede de transmissão. É
possível ainda a utilização de aerogeradores de baixa tensão quando se trate de requisitos
limitados de energia eléctrica.

6.7. Potência gerada por uma turbina eólica

Existe uma regra que da potencia gerada pelos cata-ventos e turbinas de vento. E importante
ressaltar que esta regra e teórica e, na pratica, não conseguimos converter toda essa potencia
(teórica) em potencia útil. Em condições ideais o valor máximo teórico da energia contida no
fluxo de ar que pode ser extraída por uma turbina eólica e de aproximadamente 59,3%; a esse
percentual dá-se o nome de coeficiente de potência (Cp). Sob condições reais, o coeficiente de
potência alcança não mais do que 50%, porque inclui todas as perdas aerodinâmicas do
aerogerador. Essa a fórmula mais importante para se conhecer o aproveitamento da energia
eólica. Tendo em consideração as perdas mecânicas e aerodinâmicas, temos:

𝝆·𝑪𝒑.𝜂·𝐴𝑣 3
P= 2

Onde:

𝜼 – é a eficiência do conjunto gerador/transmissão

ρ – é a densidade do ar em Kg/𝑚3
11

Cp – é o coeficiente aerodinâmico de potência do rotor

𝒗 – é a velocidade do vento em m/s

A – é a área varrida pelas hélices do rotor

O Fundo Nacional de Energia fez um estudo entre os anos de 2011 e 2013 que incidiu no
estudo dos recursos solar, eólica, geotérmica, hídrica, biomassa e marítima. Com o objectivo:

 Identificação de locais para desenvolvimento de projectos de energias renováveis;


 A caracterização do potencial renovável em todo o país;
 Avaliação técnico-económica dos projectos relevantes.

Há 3,9 Gigawatts de potencial eólico confirmados no país dos quais 1,1 Gigawatts com
potencial efectivo de ligação à rede.

6.8. A Localização da Ilha de Moçambique

A Ilha de Moçambique é uma cidade insular situada na província de Nampula na região de


Moçambique. Dista da cidade de Nampula por 180 Km.

Coordenadas: 15º02’03”40º44’09”E

Figura 2: Mapa da Ilha de Moçambique recuperado aos 25/08/2021 em

https://macua.blogs.com/moambique_para_todos/ilha_de_moambique/

As regiões que possuem construções elevadas como prédios só atingem velocidades razoáveis
de vento após uma elevada altura. Já nas áreas em só existem casas e pequenas construções,
essa taxa diminui, assim em alturas um pouco menores já temos ventos satisfatórias. Caso de
ser ao nível do mar, os ventos são muito mais rápidos em altitude menos elevados que nos
casos anteriores.
12

Neste caso a Ilha de Moçambique é do caso de ser nível do mar, pois trata-se de uma ilha É
uma zona costeira, logo é muito propensa a ventos que são mais sentidos nas proximidades do
mar e no alto mar. Com um potencial de Quilowatts que devia ser aplicado para fins altamente
rentáveis para o bem do distrito. Nesta o autor pretende fazer um estudo para colher
sensibilidade a cerca da implementação de aerogeradores no distrito directamente no Alto
Mar onde tem uma produção de ventos muito maior que na superfície terrestre. Que vai
produzir uma Tensão Contínua que para ser usada necessitará de um inversor para converter a
tensão para Tensão Alternada que equivale as instalações residenciais e institucionais. E com
eventual cogitação de instalação de uma usina eólica na área de Jembesse que também
pertence a ilha de Moçambique, com os aerogeradores colocados a partir da Contra-costa
contornando a fortaleza de São Sebastião até a área de Jembesse onde estará a Usina.

7. METODOLOGIA

A presente pesquisa quanto a abordagem classifica-se como quantitativa pois preocupa-se


com a representatividade numérica, onde buscará obter o parecer dos habitantes do distrito
com relação a uma futura implantação de uma usina eólica no distrito.

No entanto, para a edificação deste trabalho serão realizadas as seguintes acções:

 Análise bibliográfica para a fundamentação teórica;


 A elaboração e aplicação de inquérito aos habitantes do distrito no sentido de
identificar os prós e contras de uma possível implementação do projecto já
referenciado;
 Analise e discussão de resultados obtidos do experimento para apresentação de
conclusões e recomendações finais.
7.1. Revisão Bibliográfica

Não se pode fazer pesquisa valida sem consultar livros e outras obras, em cada uma das fases
do processo”. Com base neste método fez-se o levantamento de conteúdos teóricos em
diversas referências bibliográficas que abordam sobre o problema em pesquisa, onde
posteriormente faz-se leitura, análise e compilação dos mesmos para compor a parte teórica
do trabalho. (Rudio, 1980)

Quanto aos objectivos a pesquisa é classificada como de levantamento, pois é realizada para a
obtenção de dados ou informações sobre características ou opiniões de um grupo de pessoas,
13

seleccionado como representante de uma população (em termos estatísticos). (Medeiros,


2019)

A técnica que será usada para a efectivação do presente projecto é a Observação não
participante por meio de um Questionário.

Observação é uma técnica de recolha de dados, para conseguir informações e utilizar os


sentidos na obtenção de determinados aspectos da realidade. Não consiste apenas em ver e
ouvir, mas também em examinar factos que se deseja estudar. (Marconi & Lakatos, 2005).

Observação não participante, o pesquisador está em contacto com o grupo pesquisado mas
não se envolve nas situações observadas. (Marconi & Lakatos, 2008)

O questionário é um instrumento de colecta de dados constituído por uma serie ordenada de


perguntas, que devem ser respondidas por escrito e sem a presença do entrevistador. (Marconi
& Lakatos, 2008)

A pesquisa de levantamento também é chamada de Estudo de campo, é um tipo de pesquisa


que colecta os dados investigando o objecto de estudo no seu meio. (Leao, 2017)

7.2. Universo populacional

Universo ou População é o conjunto de elementos que possuem determinadas características.


Usualmente, fala-se de população ao se referir a todos os habitantes de um determinado lugar.
(Richardson, 1999). Logo, a pesquisa terá todos os habitantes do distrito que é um universo
que segundo o último censo populacional e de habitação (INE, 2017) de 65712 habitantes dos
quais 56648 na zona continental e 9064 na zona insular.

7.3. Amostra

A presente pesquisa compreende o método de amostragem aleatória Amostragem Aleatória


Sistemática Os itens ou indivíduos da população são ordenados de alguma forma –
alfabeticamente ou através de algum outro método. Um ponto de partida aleatório é sorteado,
e então cada k-ésimo membro da população é seleccionado para a amostra. E neste caso, para
que possa ser uma amostra representativa, será tomada uma população amostral de 500
habitantes alfabetizados, pois, faz-se necessária essa capacidade para o preenchimento do
questionário.
14

7.4. Cronograma

Actividade Novembro Dezembro Janeiro

Elaboração do desenho e análises da


bibliografia
X

Elaboração dos instrumentos e recolha de


dados
X

Análise e discussão de dados X

Compilação do relatório de pesquisa X

Apresentação do relatório X

Tabela 1 – Cronograma das actividades desenvolvidas pelo pesquisador.

7.5. Orçamento

No. Descrição Quantidade Custo unitário (mts) Custo total (mts)


Ordem

1 Transporte Dentro do 5 Viagens 30,00 150,00


distrito da Ilha
de Moçambique

2 Bloco de notas 1 50,00 50,00

3 Esferográficas 3 10,00 30,00

4 Lápis 1 10,00 10,00

5 Resma de papel A4 2 280,00 560,00

6 Impressão do projecto & 2 50,00 100,00


Encadernação

7 Impressão dos questionários 500 3 750,00

8 Impressão do relatório & 2 200,00 400,00


encadernação

Total 2.800,00

Tabela 2 – orçamento das despesas do projecto


15

8. BIBLIOGRAFIA

Fthenakis, V., & Hyung, C. (2009). Renewable and Sustainable Energy Reviews. Land use
and electricity generation: A life-cycle analysis, (pp. 6-7).

Gil, A. C. (2008). Como Elaborar Projetos de Pesquisa (4 ed.). São Paulo: Atlas.

Hardy, C. ( 2010). Renewable energy and role of Marykirk's James Blyth. . The Courier. D.
C. Thomson & Co. Ltd. .

Hassan, A. Y., & Hill, D. R. (1986). Islamic Technology: An illustrated history. (Nossa,
Trad.) Cambridge University Press.

Hill, D. R. (1991). Mechanical Engineering in the Medieval Near East . (Nossa, Trad.)
Scientific American.

Kurlansky, M. (2002). Salt: a world history. (Nossa, Trad.) London: Penguin Books.

Leão, L. M. (2017). Metologia do Estudo e Pesquisa: facilitando a vida dos estudantes,


professores e pesquisadores. Petropolis, Rio de Janeiro: Vozes.

Marconi, M. d., & Lakatos, E. M. (2008). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de


pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados
(7 ed.). São Paulo: Atlas.

Medeiros, J. B. (2019). Redaccao Cientifica: practicas de fichamentos, resumos, resenhas (13


ed.). Sao Paulo: Atlas.

Nixon, N. (2008). The history of wind power. The Guardian. Guardian News and Media
Limited.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa Social – Métodos e Técnicas (3 ed.). São Paulo: Atlas.

Rudio, F. V. (1980). Introdução ao Projecto de Pesquisa Cientifica. (3 ed.). Petrópolis:


Vozes.

Severino, A. J. (2002). Metodologia do Trabalho Científico . São Paulo: Cortez.


16

9. ANEXOS
Apêndice 1. Questionário

DELEGAÇÃO DE NAMPULA

FACULDADE DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS

Inquérito de Recolha de Sensibilidades Para o Estudo do Processo de Implementação de uma


Usina Eólica no distrito da Ilha de Moçambique

1. TRIAGEM

1.1 Sexo: Masculino Feminino

1.2 Nível de escolaridade: 8ª 9ª 10ª 11ª 12ª

Ensino Superior

1.3 Idade compreendida na seguinte faixa etária:

[15 − 20] Anos [20 − 30] Anos [30 − 40] Anos [40 − 60] Anos

2. CONHECIMENTO ACERCA DAS PROCESSO DE GERAÇÃO DE ENERGIA


ELÉCTRICA

2.1 Já ouviu falar dos processos de geração de energia eléctrica e das usinas eléctricas?

Sim Não

2.2 A energia eléctrica consumida em Moçambique é gerada na Província de Tete no


distrito de Songo em uma Usina Hidroeléctrica. Sabia disso?

Sim Não

2.3 Já ouviu falar da Albufeira de Cahora-Bassa?

Sim Não

Uma das formas de gerar electricidade para consumo é por meio de máquinas eléctricas
chamadas geradores, que possuem uma parte imóvel (estator) e uma móvel (rotor).
17

CONHECIMENTO ACERCA DAS USINAS / TURBINAS DE ENERGIA ELÉCTRICA


EÓLICA

Uma usina eólica é um agrupamento de turbinas eólicas e uma central de produção energética.
O rotor da turbina é movido pelo vento e assim há geração de energia eléctrica eólica.

3.1 O que acha da implementação de uma usina eólica neste distrito?

Muito importante Nada importante Pouco importante Não sei dizer

3.2 Como avalia a qualidade da energia eléctrica fornecida a este distrito?

Muito Boa Boa Razoável Má Péssima

3.3Os sistemas de energia eléctrica podem funcionar se auxiliando. O que acha de um


sistema hidroeléctrico e eólico se auxiliando para fornecer energia a este distrito?

Muito bom c Bom Mau Muito Mau

3.5 Acha que uma usina funcionando neste distrito poderá melhor a situação económica e
reduzir o índice de desemprego?

Muito Razoável Pouco De maneira alguma

3.6 As turbinas eólicas poderão ser instaladas em alto mar onde o vento é mais potente.
Achas que isso influenciará negativamente na actividade pesqueira? Porquê?

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

3.4 Dentre as usinas eléctricas, qual acha que pode substituir melhor o sistema
hidroeléctrico neste distrito?

Usina nuclear Usina solar Usina eólica Usina termoeléctrica

Você também pode gostar